Você está na página 1de 9
OAB 2ª FASE – XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho – Simulado 01 Aryanna

OAB 2ª FASE XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho Simulado 01 Aryanna Mandredini

SIMULADO 1 - RESOLUÇÃO

Tonassi Fininho foi contratado, na data de 15 de outubro de 2011, pela empresa Heart Attack Grill Ltda., para trabalhar na cidade de Florianópolis/SC, como garçom, mediante salário de R$ 1000,00. O empregado afirma que uma das especialidades da Lanchonete era o sanduíche denominado quadruple bypass com 4 hambúrgue- res: 1 quilo de carne e 8000 calorias. Desde o início do contrato de trabalho, a empresa servia diariamente aos empregados, no horário do lan- che, o que chamava de “vale-infarto”, ou seja, um quadruple bypass e um refrigerante ou um sanduíche natural e um suco, sendo a escolha deste, o que correspondia a R$ 150,00 mensais. A supervisora da lanchonete sempre ressaltava que tal vantagem não correspondia ao salário, mas sim a um agrado aos funcionários para que divul- gassem os produtos da empresa. O Senhor Fininho relata que foi descontado do seu salário um dia de trabalho no mês de novembro de 2013, em razão de ter faltado ao trabalho para comparecer em juízo como parte no processo em que estava liti- gando contra seu antigo empregador, muito embora tivesse apresentado certidão da Justiça do Trabalho confir- mando suas alegações. Em 09/03/2015, quando carregava uma mesma bandeja cheia de lanches, uma criança atravessou cor- rendo à sua frente e ele caiu no chão. Antes mesmo de conseguir se levantar, sua supervisora, Patrícia Carrask, saiu do caixa e se dirigiu a ele gritando que era um incompetente, afirmando que foi um erro ter contratado um empregado tão magrinho e fraco para trabalhar na empresa. Furiosa, demitiu-o na frente de todos por justa causa alegando desídia e exigindo que antes de sair da empresa, ele limpasse toda aquela sujeira. Sentindo-se humi- lhado na frente de todos aqueles clientes, o empregado começou a chorar, fez a limpeza como ela mandou e saiu da empresa. Apesar de tudo, não recebeu suas verbas rescisórias até o momento. Passados mais de 30 dias do episódio, o reclamante pede que você o represente nesta ação. Ele relata que recebeu as férias relativas aos períodos aquisitivos 2011/2012 e 2012/2013 e os décimos terceiros salários dos anos anteriores ao da rescisão. Admite ainda que recebia adicional noturno. Na qualidade de advogado do reclamante, apresente a medida processual cabível para a defesa de seus direitos.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA

VARA DO TRABALHO DE FLORIANÓPOLIS/SC

TONASSI FININHO, garçom, qualificação e endereço completos, vem, respeitosamente, perante Vossa Excelên- cia, por intermédio de seu advogado adiante assinado (procuração em anexo), com escritório profissional no en- dereço completo, onde recebe intimações ou notificações, com fulcro no artigo 840 da CLT, PROPOR:

RECLAMATÓRIA TRABALHISTA, pelo rito ordinário

em face de Heart Attack Grill Ltda., qualificação e endereço completos, pelas razões de fato e de direito a seguir expostas.

I MÉRITO

1. SALÁRIO IN NATURA Desde o início do contrato de trabalho, a reclamada servia aos empregados diariamente, no horário do lanche, o que chamava de “vale-infarto”, ou seja, um quadruple bypass e um refrigerante ou um sanduíche natural e um suco, o que correspondia a R$ 150,00 mensais. Tal vantagem não era computada no salário do reclamante para o cálculo das verbas trabalhistas. Nos termos do art. 458 da CLT e súmula 241 do TST, a alimentação compreende-se no salário, para to- dos os efeitos legais. Assim, os R$ 150,00 mensais pagos pelo empregador a título de alimentação devem inte- grar o seu salário para fins de cálculo das verbas contratuais e rescisórias. Diante do exposto requer a integração de tal parcela ao seu salário para fins de reflexos nas verbas con- tratuais e resilitórias em aviso prévio, décimo terceiro salário integral e proporcional, férias acrescidas de 1/3 inte- grais e proporcional e FGTS (depósitos e multa de 40%). Por fim, requer que tal valor seja registrado na CTPS do reclamante, nos termos do art. 29, § 1º da CLT.

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA OAB 2ª FASE – XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho – Simulado

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA

OAB 2ª FASE XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho Simulado 01 Aryanna Mandredini

Art. 458, CLT. Além do pagamento em dinheiro, compreende-se no salário, para todos os efeitos

Art. 458, CLT. Além do pagamento em dinheiro, compreende-se no salário, para todos os efeitos legais, a alimen- tação, habitação, vestuário ou outras prestações "in natura" que a empresa, por força do contrato ou do costume, fornecer habitualmente ao empregado. Em caso algum será permitido o pagamento com bebidas alcoólicas ou

drogas nocivas

fornecer habitualmente ao empregado. Em caso algum será permitido o pagamento com bebidas alcoólicas ou drogas

SÚMULA 241, TST - SALÁRIO-UTILIDADE. ALIMENTAÇÃO (mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e

 

21.11.2003.

 

O

vale para refeição, fornecido por força do contrato de trabalho, tem caráter salarial, integrando a remuneração

do empregado, para todos os efeitos legais.

 

Sugestão de remissões: no art. 458, caput, CLT. Destacar a palavra alimentação e acrescentar a súmula 241.

2. DESCONTO SALARIAL

A reclamada descontou do salário do reclamante um dia de trabalho no mês de novembro de 2013, em razão do reclamante ter faltado ao trabalho para comparecer em juízo como parte no processo em que estava litigando contra seu antigo empregador, muito embora tivesse apresentado certidão da Justiça do Trabalho con- firmando suas alegações. Nos termos do art. 473, VIII, da CLT, o empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário pelo tempo que se fizer necessário, quando tiver que comparecer a juízo. Interpretando tal artigo, o TST consolidou na súmula 155 o entendimento de que as horas em que o empregado falta ao serviço para compare- cimento necessário, como parte, à Justiça do Trabalho, não serão descontadas de seus salários. Diante do exposto, requer a condenação da reclamada à devolução do dia de trabalho, descontados de seu salário.

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA

Art. 473, CLT - O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do

Art. 473, CLT - O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário:

VIII - pelo tempo que se fizer necessário, quando tiver que comparecer a juízo.

ao serviço sem prejuízo do salário: VIII - pelo tempo que se fizer necessário, quando tiver

SÚMULA 155, TST - AUSÊNCIA AO SERVIÇO (mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003.

 

As horas em que o empregado falta ao serviço para comparecimento necessário, como parte, à Justiça do Traba-

lho não serão descontadas de seus salários (ex-Prejulgado nº 30).

 

Sugestão de remissões: no art. 473, VIII, CLT acrescentar a súmula 155, TST.

3. REVERSÃO DA DISPENSA POR JUSTA CAUSA EM DISPENSA SEM JUSTA CAUSA E VERBAS RESCI-

SÓRIAS

Em 09/03/2015, quando carregava uma bandeja cheia de lanches, uma criança atravessou à frente do re- clamante e ele caiu no chão. Por esse motivo, foi despedido por justa causa por desídia, sem receber qualquer verba rescisória. Não houve a prática da desídia, prevista no art. 482, “e” da CLT, imputada ao reclamante, posto que este não agiu com preguiça, falta de atenção, desleixo, negligência ou qualquer conduta correlata. Derrubou os lan- ches, pois caiu no chão quando uma criança atravessou à sua frente. Diante do exposto, requer a reversão da dispensa por justa causa em dispensa sem justa causa e a con- denação da reclamada ao pagamento das verbas rescisórias próprias dessa modalidade de dispensa, quais sejam: saldo de salário (9 dias), aviso prévio (39 dias), 13º salário (4/12), férias integrais simples acrescidas de 1/3 relativas ao período aquisitivo 2013/2014 e férias proporcionais acrescidas de 1/3 (6/12), e multa de 40% do FGTS.

Requer, ainda, as guias para levantamento do FGTS e percepção do seguro desemprego (súmula 389, TST) e anotação da data de saída na CTPS do reclamante, considerando o aviso prévio indenizado (art. 29, § 2º,

c, da CLT e OJ 82, SDI-1, TST).

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA OAB 2ª FASE – XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho – Simulado

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA

OAB 2ª FASE XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho Simulado 01 Aryanna Mandredini

Art. 482, CLT - Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador:
Art. 482, CLT - Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador:
e)
desídia no desempenho das respectivas funções;
Art. 29, CLT - A Carteira de Trabalho e Previdência Social será obrigatoriamente apresentada, contra recibo, pelo
trabalhador ao empregador que o admitir, o qual terá o prazo de quarenta e oito horas para nela anotar, especifi-
camente, a data de admissão, a remuneração e as condições especiais, se houver, sendo facultada a adoção de
sistema manual, mecânico ou eletrônico, conforme instruções a serem expedidas pelo Ministério do Trabalho.
§
2º - As anotações na Carteira de Trabalho e Previdência Social serão feitas:
c)
no caso de rescisão contratual;
OJ 82, SDI-1 - AVISO PRÉVIO. BAIXA NA CTPS (inserida em 28.04.1997)
A
data de saída a ser anotada na CTPS deve corresponder à do término do prazo do aviso prévio, ainda que in-
denizado.

4. MULTA DO ART. 467, CLT

Requer que o pagamento das verbas rescisórias incontroversas seja realizado em primeira audiência, sob pena de multa de 50%, nos termos do art. 467 da CLT.

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA

Art. 467, CLT. Em caso de rescisão de contrato de trabalho, havendo controvérsia sobre o montante das verbas

rescisórias, o empregador é obrigado a pagar ao trabalhador, à data do comparecimento à Justiça do Trabalho, a

parte incontroversa dessas verbas, sob pena de pagá-las acrescidas de cinquenta por cento".

 

5. MULTA DO ART. 477, § 8º, DA CLT

A reclamada dispensou o reclamante por justa causa sem lhe pagar as verbas rescisórias, as quais en- contram-se em atraso uma vez que decorreram mais de 30 dias da dispensa. Nos termos do art. 477, § 6º, “b”, da CLT, quando o aviso prévio não for cumprido, as verbas rescisórias devem ser pagas no prazo de 10 dias corridos, sob pena de multa de 1 salário do reclamante, prevista no art. 477,

§ 8º, da CLT. Em razão do atraso, portanto, o reclamante faz jus a tal multa. Diante do exposto, requer a condenação do reclamante ao pagamento da multa do art. 477, § 8º, da CLT.

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA

Art. 477, CLT - É assegurado a todo empregado, não existindo prazo estipulado para a terminação do respectivo contrato, e quando não haja ele dado motivo para cessação das relações de trabalho, o direto de haver do empre-

gador uma indenização, paga na base da maior remuneração que tenha percebido na mesma empresa.

 

§

6º - O pagamento das parcelas constantes do instrumento de rescisão ou recibo de quitação deverá ser efetua-

do nos seguintes prazos:

 

b)

até o décimo dia, contado da data da notificação da demissão, quando da ausência do aviso prévio, indeniza-

ção do mesmo ou dispensa de seu cumprimento.

 

8º - A inobservância do disposto no § 6º deste artigo sujeitará o infrator à multa de 160 BTN, por trabalhador, bem assim ao pagamento da multa a favor do empregado, em valor equivalente ao seu salário, devidamente cor-

§

rigido pelo índice de variação do BTN, salvo quando, comprovadamente, o trabalhador der causa à mora.

 

6. INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS Como referido, em 09/03/2015, quando carregava uma bandeja cheia de lanches, uma criança atravessou

à frente do reclamante e ele caiu no chão. Antes mesmo de conseguir se levantar, sua supervisora Patrícia Car-

rask saiu do caixa e se dirigiu a ele gritando que era um incompetente, afirmando que foi um erro ter contratado um empregado tão magrinho e fraco para trabalhar na empresa. Furiosa, o despediu na frente de todos por justa causa alegando desídia, exigindo que antes de sair da empresa o reclamante limpasse toda aquela sujeira. Sen-

OAB 2ª FASE – XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho – Simulado 01 Aryanna

OAB 2ª FASE XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho Simulado 01 Aryanna Mandredini

tindo-se humilhado na frente de todos os clientes, o empregado começou a chorar, mas antes de ir embora fez a limpeza como ela mandou. Encontram-se presentes todos os requisitos da responsabilidade civil, previstos nos artigos 186 e 927 do CC, quais sejam: culpa, dano e nexo. Observe-se:

A culpa está presente na conduta da reclamada de ofender o reclamante na frente de todos os demais empregados e clientes da empresa. O dano, por sua vez, está configurado pela profunda humilhação pela qual passou o reclamante na frente de todos os que estavam presentes na lanchonete, chegando inclusive a chorar. Tendo em vista que o dano decorreu da conduta ilícita do empregador, está demonstrado o nexo causal. Destaca-se, ainda, que a violação do artigo 5, V e X, CF, que sustenta a inviolabilidade da intimidade, vida privada, honra e imagem das pessoas, sendo-lhes assegurado o direito a indenização pelo dano moral decorrente de sua violação. Diante do exposto, tendo em vista que a Justiça do Trabalho é competente para processar e julgar pedi- dos de danos morais e patrimoniais decorrentes das relações de trabalho (art. 114, VI, CF e súmula 392, TST) requer a condenação da reclamada ao pagamento de indenização por danos morais em valor a ser arbitrado pelo juiz.

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA

Art. 186, CCB/2002 - . Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência,

Art. 186, CCB/2002 - . Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e

causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito.

negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato

Art. 927, CCB/2002 -. Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e 187), causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo.

Art. 5º, CF/88 - Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à

propriedade, nos termos seguintes:

 

V

- é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à

imagem;

 

X

- são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indeniza-

ção pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;

 

Art. 114, CF/88. Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar:

CF/88. Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar: VI - as ações de indenização por
VI - as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes da relação de

VI - as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes da relação de trabalho;

Sugestão de remissões: no art. 114, VI, CF acrescentar o art. 5º, V e X, CF; art. 186 e 927, CC

7. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS Tendo em vista que o jus postulandi não foi recepcionado pelo art. 133 da CF, requer a condenação da reclamada ao pagamento de honorários advocatícios em razão da mera sucumbência, no importe de 20%, nos termos do art. 20 do CPC.

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA

Art. 133, CF/88. O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus

Art. 133, CF/88. O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifes-

tações no exercício da profissão, nos limites da lei.

da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifes- tações no exercício da profissão, nos limites

Art. 20, CPC. A sentença condenará o vencido a pagar ao vencedor as despesas que antecipou e os honorários

advocatícios. Esta verba honorária será devida, também, nos casos em que o advogado funcionar em causa pró-

pria.

 

Sugestão de remissões: art. 14, Lei 5584/70, súmulas 219 e 329, TST; art. 133, CF, art. 20, CPC

II - PEDIDOS

Diante de todo o exposto, requer:

a) a integração do salário in natura ao seu salário para fins de cálculo dos reflexos.

OAB 2ª FASE – XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho – Simulado 01 Aryanna

OAB 2ª FASE XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho Simulado 01 Aryanna Mandredini

b) requer a condenação da reclamada a devolução do dia de trabalho.

c) a reversão da dispensa por justa causa em dispensa sem justa causa e a condenação da reclamada ao paga-

mento das verbas rescisórias próprias dessa modalidade de dispensa e, ainda, as guias para levantamento do FGTS e percepção do seguro desemprego, e anotação da data de saída na CTPS do reclamante, considerando o aviso prévio indenizado.

d) o pagamento das verbas rescisórias incontroversas seja realizado em primeira audiência, sob pena de multa de

50%.

e) a condenação do reclamante ao pagamento da multa do art. 477, § 8º, da CLT.

f) a condenação da reclamada ao pagamento de indenização por danos morais em valor a ser arbitrado pelo juiz.

g) a condenação da reclamada ao pagamento de honorários advocatícios em razão da mera sucumbência, no

importe de 20%.

III REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto, requer: a) notificação da Reclamada para oferecer resposta à Reclamatória Trabalhis- ta, sob pena de revelia e confissão quanto à matéria de fato e b) a produção de todos os meios de prova em direi- to admitidos, em especial a prova documental, o depoimento pessoal e a oitiva de testemunhas. Por fim, a proce- dência dos pedidos com a condenação da reclamada ao pagamento das verbas pleiteadas, acrescidas de juros e correção monetária.

Atribui-se a causa valor acima de 40 salários mínimos.

Nestes Termos, Pede Deferimento. Local e Data OAB nº

ESPELHO DE CORREÇÃO OAB 2ª FASE – XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho –

ESPELHO DE CORREÇÃO

OAB 2ª FASE XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho Simulado 01 Aryanna Mandredini

QUESITOS AVALIADOS

VALORES

NOTA

POSSÍVEIS

Endereçamento à Vara do Trabalho de Flarianópolis/SC (0,2), qualificação das partes (0,2).

0,0/0,2/0,4

 

SALÁRIO IN NATURA Pedir a integração dos valores alimentação pagos pelo empregador (0,6). Fundamento: no art. 458 da CLT OU Súm 241 do TST (0,2)

0,0/0,6/0,8

 

DESCONTO SALARIAL o empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário, quando tiver que comparecer a juízo. (0,6). Fundamento: art. 473, VIII, CLT OU Súmula 155, TST (0,2).

0,0/0,6/0,8

 

REVERSÃO DA DISPENSA POR JUSTA CAUSA EM DISPENSA SEM JUSTA CAUSA E VERBAS RESCISÓ- RIAS não houve caracterização de desídia (0,4). Requerer

0,4/ 0,9

 

a

reversão da dispensa por justa causa em sem justa causa

e

verbas rescisórias: saldo de salário (9 dias), aviso prévio

(39 dias), 13º salário (4/12), férias integrais simples acresci-

das de 1/3 relativas ao período aquisitivo 2013/2014 e férias proporcionais acrescidas de 1/3 (6/12), e multa de 40% do FGTS (0,5).

Multa do 477, §8º da CLT quando o aviso prévio não for cumprido, as verbas rescisórias devem ser pagas no prazo de 10 dias corridos, sob pena de multa de 1 salário do re- clamante (0,1) art. 477, § 8º, da CLT (0,1)

0/ 0,1/0,2

 

MULTA DO ART. 467, CLT Requer que o pagamento das verbas rescisórias incontroversas seja realizado em primeira audiência, sob pena de multa de 50%(0,1) art. 467 da

0/0,1/0,2

 

CLT(0,1)

INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS configurados os requisitos da responsabilidade civil, ou seja, culpa, dano e nexo (0,6). Fundamento: art. 186, CCB/2002 OU 927, CCB/2002 (0,2). Requer indenização por danos morais em valor a ser arbitrado pelo juiz (0,6)

0,0/0,6/0,8/1,4

 

REQUERIMENTOS FINAIS, requerimento da citação/notificação do réu para contestação (0,2) procedência dos pedidos (0,1).

0,0/0,1/0,2/0,3

 

TOTAL:

 
OAB 2ª FASE – XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho – Simulado 01 Aryanna

OAB 2ª FASE XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho Simulado 01 Aryanna Mandredini

QUESTÕES

1. Marcelo é empregado no Restaurante Deli Delícia Ltda., exercendo a função de garçom, com salário mensal de R$

2.000,00 ( dois mil reais. ). O restaurante inclui nas notas de serviço 10 % a título de gorjetas para serem distribuídas entre todos os empregados. Diante dessa situação hipotética, responda, de forma fundamentada, às indagações a se- guir.

a) O valor da gorjeta deve ser computado para o cálculo de aviso prévio? Justifique. (Valor: 0,65)

Resposta: Nos termos da súmula 354 do TST, a gorjeta não deve incidir no cálculo da parcela em questão.

b) Se a gorjeta não fosse incluída na nota de serviço e sim fornecida espontaneamente pelos clientes ela iria ser

somada ao salário para compor a remuneração do empregado?. (Valor: 0,60)

Resposta: O valor das gorjetas integrará a remuneração do empregado ainda que fornecida espontaneamente pelos clientes como dispõe o art. 457 § 3º da CLT.

 

FAIXA DE

 

QUESITOS AVALIADOS

VALORES

NOTA

ITEM A. Não deve incidir (0,45). Indicação da Súmula nº 354 do TST (0,20). Obs.:A simples citação do fundamento legal ou jurisprudencial, sem a fundamentação jurídica correta, não pontua.

0,00/ 0,45/

 

0,65

ITEM B. Sim deve integrar (0,45)., Independente se cobrada na nota de serviço ou oferecida espontaneamente pelos clientes art. 457 § 3º da CLT (0,20). Obs.:A simples citação do fundamento legal ou jurisprudencial, sem a fundamentação jurídica correta, não pontua.

0,00/ 0,40/

 

0,60

2. Mariana é gerente de uma concessionária de veículos sendo responsável por 14 empregados da filial, orientando as

atividades e fiscalizando as tarefas por eles realizadas, dando ordens e aplicando punições quando necessário. Mariana cumpre jornada de 2ª a 6ª feira das 08h às 18h,, com intervalo de uma hora para refeição e aos sábados das 10 às 20 h com pausa alimentar de uma hora. No seu contracheque existem, na coluna de crédito, os títulos “salário” – R$ 4.000,00 – e “gratificação de função” – R$ 2.000,00. Com base na hipótese acima, responda aos itens a seguir.

a) Caso a empregada tenha exercido a função de confiança no cargo por 12 anos, pode o empregador reverte-la

ao cargo original e retirar a gratificação de função referente ao cargo de chefia? (Valor: 0,65)

Resposta: O exercício da função de confiança pode de acordo com o art. 468 parágrafo único da CLT, ser retirado a qualquer momento pelo empregador, todavia passado mais de 10 anos no cargo de gerente o valor da gratificação de função não poderá ser suprimido, conforme dispõe a súmula 372 do TST.

b) No caso em tela Mariana terá direito ao recebimento de horas extras. (Valor: 0,60)

Resposta: A empregada não fará jus às horas extras, pois a gratificação recebida é superior a 40% do salário, exerce n- do assim cargo de confiança, conforme o art. 62, parágrafo único, da CLT.

OAB 2ª FASE – XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho – Simulado 01 Aryanna

OAB 2ª FASE XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho Simulado 01 Aryanna Mandredini

 

FAIXA DE

 

Quesitos AVALIADOS

VALORES

Nota

ITEM A. A empregada pode perder o cargo de chefia a critério do empregador, art 468 parágrafo único da CLT (0,45), mas o valor da gratificação não poderá ser retirado do contrato, súmu- la 372 do TST(0,20). Obs.:A simples citação do artigo não pontua.

0,00/ 0,45/

 

0,65

ITEM B. A empregada não fará jus às horas extras, pois a gratifi- cação recebida é superior a 40% do salário, exercendo assim cargo de confiança, conforme o art. 62, parágrafo único, da CLT

   

(0,40).

0,00/ 0,40/

Indicação do art. 62, II e parágrafo único, da CLT OU Precedente administrativo nº 49 da Secretaria de Inspeção do Trabalho

0,60

(0,20).

Obs.:A simples citação do artigo não pontua.

3. Renato ingressou com ação contra seu ex-empregador, e, por não comparecer, o feito foi arquivado. Trinta dias após, ajuizou nova ação com os mesmos pedidos, mas dela desistiu porque não mais nutria confiança em seu advogado, o que foi homologado pelo magistrado. Contratou um novo profissional e, 60 dias depois, demandou novamente, mas, por não ter cumprido exigência determinada pelo juiz para emendar a petição ini- cial, o feito foi extinto sem resolução do mérito. Com base no relatado, responda aos itens a seguir, empre- gando os argumentos jurídicos apropriados e a fundamentação legal pertinente ao caso.

a) Para propor uma nova ação, Reginaldo deverá aguardar algum período? Em caso afirmativo, qual

seria? (Valor: 0,65)

Resposta: Não, pois não ocorreram dois arquivamentos seguidos da reclamação trabalhista por não compa- recer em audiência, hipótese que implicaria o ajuizamento de nova ação pelo prazo de 6 meses, nos termos do art. 732 da CLT.

b) Quais são as hipóteses que ensejam a perempção no processo do trabalho? (Valor: 0,60)

Resposta: Ocorre perempção no processo do trabalho quando o reclamante dá causa a dois arquivamentos seguidos por ausência à audiência inaugural, nos termos do art. 732 da CLT, e distribui reclamação verbal, mas não comparece à Secretaria da Vara, em 5 dias, sem justificativa, para reduzi-la a termo, conforme esta- belece o art. 731 da CLT.

 

FAIXA

DE

 

QUESITOS AVALIADOS

VALORES

NOTA

ITEM A. Não, pois não ocorreram dois arquivamentos, o que afasta a perda do prazo de 6 meses do direito de reclamar perante a JT OU porque não ocorreram dois arquivamentos decorrentes de ausência do reclamante à audiência (CLT, art. 732); OU porque só ocorreu um arquivamento, tendo as outras extinções derivado de outros motivos (0,40), conforme art. 732 da CLT (0,25). Obs.: Não há pontuação para a mera indicação da base legal ou jurisprudencial.

0,00/0,25/

 

0,40/ 0,65

OAB 2ª FASE – XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho – Simulado 01 Aryanna

OAB 2ª FASE XIX EXAME DE ORDEM Direito do Trabalho Simulado 01 Aryanna Mandredini

ITEM B. Quando o reclamante dá causa a dois arquivamentos por ausência à audiência inaugural (0,25), nos termos do art. 732 da CLT (0,05) e quando distribui reclamação verbal, mas não comparece à Secretaria da Vara, em 5 dias, sem justificativa, para reduzi-la a termo (0,25), conforme art. 731 da CLT (0,05). Obs.: Não há pontuação para a mera indicação da base legal ou jurisprudencial.

0.00/

0,25/0,30/

0,50/0,55/

0,60

4. Joaquim, um ex-empregado ajuíza reclamação trabalhista contra a ex-empregadora (a empresa “A”) e outra que, segundo alega, integra o mesmo grupo econômico (a empresa “B”). Em defesa a empresa “A” afirma que pagou tudo ao reclamante, nada mais lhe devendo, enquanto a empresa “B” sustenta sua ilegitimidade passi- va, negando a existência de grupo econômico.

Considerando que: 1) as reclamadas possuem advogados diferentes; 2) que o pedido foi julgado procedente, condenando-se solidariamente as rés; e 3) que a empresa “A” recorreu efetuando o recolhimento das custas e depósito recursal, responda às indagações a seguir.

a) O prazo para recurso das empresas é diferenciado, haja vista terem procuradores diferentes? (Va- lor: 0,65)

Resposta: Mesmo possuindo procuradores diferentes, o prazo não será diferenciado, porque o TST entende que o disposto no art. 191 do CPC é inaplicável ao processo do trabalho, conforme OJ n o 310 da SDI-1 do TST.

b) A empresa “B” deverá efetuar depósito recursal para viabilizar o recurso, no qual insistirá na sua absolvição por não integrar com a litisconsorte um grupo econômico? (Valor: 0,60)

Resposta: Será desnecessário o depósito recursal pela empresa “B”, pois havendo condenação solidária e já havendo recolhimento pela empresa “A”, que não requereu sua exclusão da lide, o depósito por ela feito pode- rá ser aproveitado pela empresa “B”, na forma da Súmula n o 128, III, do TST.

 

FAIXA

DE

 

QUESITOS AVALIADOS

VALORES

NOTA

ITEM A. O prazo não será diferenciado (0,45). Indicação da OJ no 310 SDI-1 do TST (0,20). Obs.: É necessária a indicação precisa do fundamento legal. A mera indicação do fundamento legal ou jurisprudencial não pontua.

0,00/0,45/

 

0,65

ITEM B. É desnecessário o depósito recursal pela empresa “B”, pois a empresa “A” já o fez e não requereu sua exclusão da lide, podendo ser aproveitado pela litisconsorte (0,40). Indicação da Súmula no 128, III, do TST (0,20). Obs.: É necessária a indicação precisa do fundamento legal. A mera indicação do fundamento legal ou jurisprudencial não pontua.

0,00/0,40/

 

0,60

NOTA FINAL