Você está na página 1de 84

2010

[WORKSHOP
WORKSHOP BASIS]
BASIS
Workshop BASIS.
WORKSHOP BASIS

1. Overview

1.1 O modelo de integração


• O Sistema ERP SAP é composto dos seguintes módulos:
1.1.1.1 Logística
SD – Sales & Distribution

MM – Materials Management

PP – Production Planing

QM – Quality Management

PM – Plant Maintenance

1.1.1.2 Human Resources


HR – Human Resources

1.1.1.3 Accounting
FI – Financial Accounting

CO – Controlling

TR – Treasury

PS – Project System

1.1.1.4 Industry and Cross-Application


Cross
WF – Workflow

IS – Industry Solutions

• A camada Basis integra todos estes módulos. É a parte central do


“diamante” do diagrama do ERP SAP

2
WORKSHOP BASIS
1.2 Business Framework Architecture
• Business Framework Architecture (BFA) é a arquitetura estratégica
estratégi do
produto ERP SAP. Ela trabalha com business components que são os
módulos funcionais (FI, CO, etc.) configuráveis para se adaptar a cada
empresa.
• Esta arquitetura fornece agilidade para se adaptar a um novo negócio, além
da facilidade de se integrar com
com pacotes externos e fácil integração com a
internet e intranet, permitindo desta forma uma fácil evolução sem a
interrupção da operação do negócio da empresa.
• O Business Framework se mostra no ERP SAP como uma família de
componentes separados porém integrados
integrados entre si. Estes componentes
são:
 Business Components:
Components: são os módulos funcionais (FI, CO, etc.)
 Business Objects:
Objects Ordem, Empregado, Material, etc.
 BAPI Interfaces:: São os métodos com que os objetos de negócio são
implementados dentro do ERP SAP (criar uma ordem, alterar o
endereço de um empregado, etc.)

1.3 ERP SAP como um sistema aberto


• O ERP SAP utiliza protocolos standard da indústria para garantir a
integração com outras aplicações:
 TCP/IP:: é o protocolo de comunicação
 EDI:: Electronic Data Interchange, é o mecanismo utilizado para trocar
informações de negócio com diferentes sistemas
 OLE:: Object Linking and Embendding, integra aplicações PC com o ERP
SAP
 Open Interfaces,, tais como arquivamento ótico, dispositivos de códigos
de barras, etc.
• Além de standards da indústria, o ERP SAP também utiliza protocolos
proprietários para comunicação:
 RFC:: Remote Function Call, que utiliza o protocolo CPI-C
CPI C standard da
IBM para comunicação e processamento das aplicações e tasks dentro
do sistema ERP SAP ou com o sistema R/3 ou outros sistemas.
 ALE:: Application Link Enabling permite o processamento distribuído
dentro do ERP SAP

1.4 The Middleware Basis


• O software Basis do ERP SAP (também chamado de middleware) roda em
diferentes plataformas e também pode ser adaptado para
para atender as
necessidades individuais das empresas. São vários os serviços que ele
presta:
 Provê o ambiente de runtime para as aplicações ERP SAP
 Cuida da perfeita interação das aplicações com o sistema
 Define uma arquitetura estável para as melhorias do sistema

3
WORKSHOP BASIS
 Contem todas as ferramentas necessárias para a administração do
ambiente
 Permite a distribuição equitativa dos recursos e componentes do sistema
 Provê as interfaces necessárias para os sistemas descentralizados e os
produtos externos ao ERP SAP
• As principais características da tecnologia Basis são:
 É uma arquitetura voltada para a configuração client/server
 Trabalha com bancos de dados relacionais
 Possui interface gráfica com o usuário (GUI)

• O Basis é o responsável ainda pela integração dos aplicativos


aplicativos e do ABAP
workbench com o software básico.

1.5 Portabilidade e Plataformas para o ERP SAP


• Para garantir uma alta portabilidade, as interfaces com o software básico
são divididas em suas próprias camadas que variam de sistema para
sistema (Windows ou UNIX, Oracle ou Informix, etc.). Acima destas
camadas as funcionalidades dos componentes ERP SAP são basicamente
as mesmas, independentemente do hardware, software ou sistema
operacional.
• A Interface do sistema é responsável pelo interfaceamento do ERP SAP
com as diversas plataformas em que ele pode ser implementado.
• O Flow Control fica logo acima das interfaces com o software básico
(System Interfaces). Ele é o responsável por tarefas tipo scheduling ou
gerenciamento de memória, tarefas estas muito próximas ainda
ainda do sistema
operacional e que são parcialmente efetuadas por ele, mas são gerenciadas
pelo ERP SAP por razões de portabilidade e performance.
• A Interface do usuário provê as opções de apresentação dos aplicativos
• A Interface de comunicação é o canal para a troca de informações, seja
pela transferência de dados com o legado, seja pela comunicação program-
program
to-program
program provida pelo protocolo CPI-C
CPI C ou ainda através da troca de
informações pelo protocolo EDI.
• Todos os programas no ERP SAP são escritos na linguagem
linguagem ABAP,
proprietária do sistema. O DYNPRO é o screen interpreter e o sistema
possui ainda um ABAP interpreter. A interação entre estes dois
componentes forma a tecnologia Basis das aplicações ERP SAP. O
funcionamento destes dois interpretadores (tela e programa)
programa) se baseia em
informações armazenadas no dicionário do sistema, o ABAP Dictionary.
• O ERP SAP roda nos mais diversos hardwares, sejam plataformas Intel,
Risc ou Unix Systems
• Os sistemas operacionais são também os mais diversos, de acordo com as
plataformas
formas utilizadas (AIX, Solaris, HP-UX,
HP UX, Windows NT, OS/400,etc.)

4
WORKSHOP BASIS
• Os bancos de dados utilizados pelo ERP SAP, todos relacionais são:
Oracle, Informix, MS SQL Server ou ainda o DB2 para as diversas
plataformas.

2. System Kernel
2.1 ERP SAP Presentation Interface
• A interface de apresentação do ERP SAP é o SAPGUI que apresenta uma
funcionalidade muito parecida entre as diversas plataformas do ERP SAP.
Um usuário treinado em uma determinada plataforma, salvo pequenas
exceções está apto a operar o sistema nas suas mais diversas
implementações
• O fluxo de informação entre o SAPGUI e o servidor de aplicação não
consiste de telas pré--formatadas,
formatadas, mas sim de strings lógicos contendo
dados e caracteres de controle, o que faz com que o tráfego de dados se
mantenha na casa de 1 a 2K por tela (cada enter)

2.2 ERP SAP Database Interface


• O ERP SAP trabalha com bases de dados relacionais, que são compostas
de tabelas bidimensionais e interagem com os sistemas através da
linguagem padronizada SQL (Structured Query Language) que é comum a
todas
odas as implementações de bases relacionais, embora cada fabricante
implemente algumas extensões no seu produto.
• O DB Interface é um módulo dentro do ERP SAP que converte os
comandos SQL codificados nos programas ABAP para o SQL nativo do
banco implementado o em cada ambiente ERP SAP. Ou seja, cada
implementação (Oracle, Informix, SQL Server) possui um módulo de DB
Interface particular para aquela implementação, o que torna os programas
ABAP independentes da implementação do banco.
• Estes comandos SQL escritos no ABAP são denominados OPEN SQL e o
DB Interface é responsável pela sua correta transcrição para o SQL nativo
do banco. Além disso, um programa ABAP pode codificar o comando
diretamente em Native SQL. Neste caso o comando não passará pelo DB
Interface, indo
ndo diretamente para a DB machine. Estes comandos poderão
não ser independentes do banco utilizado, se utilizarem extensões
particulares de um determinado RDBMS.
• Os comandos SQL escritos em OPEN SQL tem sua sintaxe verificada pelo
DB Interface que inicialmente
inicialmente faz um acesso no buffer interno do application
server para evitar acessos desnecessários ao DB server. Comandos
escritos em native SQL não fazem uso deste buffer interno, uma vez que o
acesso não passa pelo DB Interface.

5
WORKSHOP BASIS
2.3 Work Processes and Dispatcher
• Os principais componentes de um application server são:
 Um dispatcher como o controle central da instance
 Dispatcher queues para enfileirar as requisições (FIFO)
 Um número configurável de work processes para processar os
programas ABAP
 Buffers e shared memory

• Os work processes são serviços dentro de um sistema ERP SAP


especializados em determinadas tarefas.
• O centro de um sistema ERP SAP, a nível de controle de aplicação, é o
Dispatcher. Ele, juntamente com o sistema operacional, é o responsável
pelo controle
trole e disponibilização dos recursos do sistema.
• Suas principais tarefas são o controle da comunicação, a conexão com o
presentation e a distribuição de carga entre os work processes.
• O dispatcher distribui os serviços requisitados entre os WP disponíveis e se
encarrega de enviar o dado processado para o SAPGUI, que deverá
interpreta-lo
lo e exibir para o usuário.
• Não existe um WP fixo para um determinado usuário, cuidando o dispatcher
de ir utilizando-os
os conforme as requisições vão chegando, em um processo
de fila FIFO
• Quando um sistema ERP SAP é inicializado, o dispatcher é o responsável
por ler os parâmetros de configuração (profiles), gerar as rol areas,
inicializar os work processes e se conectar com o message server da
central instance.
• Cada dialog work process é coordenado por um componente interno
denominado Task Handler.
Handler. Ele ativa o screen processor ou o ABAP
processor e é ainda o responsável pelo roll in e rool out das áreas de
usuário.
• Existem memórias de uso exclusivo de um determinado work process e
memórias que podem ser compartilhadas por todos eles. Esta diferenciação
é gerenciada pelo memory management. A memória utilizada
exclusivamente por um work process possui duas áreas reservadas para
dados específicos de uma determinada sessão de usuário (user context
area) e devem ser mantidas entre as pseudo conversas do dialog. Estas
áreas são denominadas roll e paging areas. A roll area contem dados que
ficam imediatamente disponível para o processamento no início do dialog
step (roll in) e é salva novamente
novamente no final do dialog step (roll out).
• Este mecanismo de roll in e roll out é que permite o share dos work process
permitindo o compartilhamento do recurso entre todos os usuários. Nesta
área são salvos os dados referentes ao usuário (user context) tais
ta como
suas autorizações, informações administrativas além de dados adicionais
para o ABAP e dialog processors, que são dados que já foram coletados
por dialog steps anteriores.

6
WORKSHOP BASIS
• Na shared memory existem dados disponíveis para todos os work
processes, tais como o calendar, screen, table e program buffers.

2.4 ERP SAP Application Services


• Um sistema ERP SAP é composto de uma série de work processes que
funcionam em paralelo cooperativamente. Cada application server possui
um dispatcher e um número configurável destes
destes processos, que depende
dos recursos disponíveis no host (basicamente memória e processamento).
Work processes podem ser instalados para efetuar serviços de dialog,
update, background e spool
• Uma central instance possui ainda serviços de enqueue para
gerenciamento de lock e dois outros serviços próprios:
 O Message Server responsável pelo serviço de comunicação entre os
vários dispatchers que compõem um sistema ERP SAP, que é portanto
um pré requisito para a escalabilidade de vários servidores de aplicação
aplica
trabalhando em paralelo.
 O Gateway Server, também chamado de CPI-C CPI C handler, que permite a
comunicação entre ERP SAP, R/2 e aplicativos externos.

4. Visão Geral das Atividades de Administração do


Ambiente
O trabalho do Administrador do Ambiente SAP se resume em
manter o ambiente no ar, verificar os processos e performance, analizar
erros que possam ocorrer, checar todos os processos ativos, etc.
etc
Todas as atividades/transações
atividade utilizadas para os processos de
Administração
ação estarão descritos nos próximos capítulos do Workshop.

5. Segurança
Neste capitulo levantaremos todos as transações referentes a
segurança do Ambiente SAP.

5.1. Administração de usuários

As principais transações de administração de usuários são as


seguintes:

SU01 – Esta transação administra todos os usuários do ambiente.

7
WORKSHOP BASIS

Exemplo: Verificação de um usuário

8
WORKSHOP BASIS

9
WORKSHOP BASIS

10
WORKSHOP BASIS

SUIM – Sistema de Informação de usuário

Nesta transação é possível averiguar várias informações (usuários,


funções, transações associadas a usuários, etc).

Exemplo: Análise e navegação.

11
WORKSHOP BASIS

12
WORKSHOP BASIS

5.2. Administração de Funções

Toda administração de funções é feita através da transação PFCG

Nela é possível criar, modificar, deletar funções simples e compostas e


atribuir aos usuários.

13
WORKSHOP BASIS

Exemplo: Criação de uma função Z_MM02 contendo a transação MM02.

Informar o nome da função e criar como função individual.

Entrar em Menu:

14
WORKSHOP BASIS

Selecionar e informar a transação para esta função:

Atribuir a transação:

15
WORKSHOP BASIS

Selecionar Autorizações:

Clicar em Modificar dados de autorização

16
WORKSHOP BASIS

Selecionar salvar:

Clicar em Gerar

17
WORKSHOP BASIS

Selecionar Gerar e voltar ao menu anterior:

Atribuir usuário a função

18
WORKSHOP BASIS
Informar o usuário e selecionar Ajuste usuários

Selecionar “Ajuste Completo”

19
WORKSHOP BASIS

Na verificação de problemas que podem ocorrer de falta de permissões


para o usuário é necessário executar a transação /nSU53 sempre após a
transação, pois qualquer problema em relação a falta de permissões
aparecerá.

6. Como analisar e buscar soluções de problemas


Gerais do SAP
Existem várias
rias transações/processos de análise de problemas, os
mesmos são normalmente informados pelos usuários conforme a
utilização do ambiente, mas se pode analizar problemas com
antecedencia, evitando uma parada mais prolongada do ambiente.

Abaixo
baixo estão algumas das transações mais utilizadas:

ST22 – Dumps do ambiente


Esta transação mostra os erros ocorridos no ambiente em varios
momentos e também a sinalização da causa do mesmo (problema no DB,
erro no programa, etc):

20
WORKSHOP BASIS

Clicando na data de hoje existe um dump:

21
WORKSHOP BASIS

SM21 – Log do sistema


Esta transação mostra Logs do Sistema, nela é possível seleccionar por
classes de problema:

Selecionar “Reler log de sistema”.

22
WORKSHOP BASIS

SM50 – Sintese de processos


Esta transação mostra todos os processos ativos no ambiente, através
dele poderá ser analisado algum processo que esteja com problemas de
performance.

7. Transporte

23
WORKSHOP BASIS
O transporte normalmente é definido no Ambiente SAP através do
Landscape, DEV  QAS  PRD
A transação utilizada para isto é a STMS
STM – Transport Management
System.

O Ambiente DEV é o Controlador


Control de Dominio

Todas as requests são criadas neste ambiente, após a criação e


liberação das mesmas são transportadas para o QAS e posteriormente
para o PRD.

Abaixo a rota de transporte funcional de um ambiente SAP

24
WORKSHOP BASIS

8. Administração
8.1. Check-list
list
Abaixo estão informações de verificação do ambiente

Verificação Diária/Semanal SAP

Obs.: A verificação deverá ser executada por um profissional com experiência


em administração do sistema SAP R/3.

Verficação Diária

1) Verificar se o sistema SAP R/3 está no ar: entre no SAP R/3 via SAP Logon.
2) Verificar se o backup diário executou sem erros: verificar
verificar o backup e o tempo
de backup (DB12/DB13).
3)) Verificar os “work process”: verificar se todos
todo os “workk process” estão
iniciados (SM50).

25
WORKSHOP BASIS

4) Verificar a atualização do ambiente está ativa (SM13).

5)) Verificar falhas de update: as linhas com “Err” são problemas (SM13).
 Opção Administração

26
WORKSHOP BASIS

 Selecionar Ordens de atualizações canceladas

6) Verificar log do sistema de todos servidores: ficar atento para mensagens de


erro, warnings, segurança e problemas de banco de dados (SM21).
 Opção: Problemas e avisos e executar Reler log de Sistema

27
WORKSHOP BASIS

7) Verificar jobs cancelados: verificar se há jobs cancelados (SM37).


 Selecionar todos os usuários *

28
WORKSHOP BASIS

8) Verificar por locks em tabelas: verificar se há algum lock com mais de 1 dia
(SM12).
 Selecionar todos os usuários * e Clicar em Listar.

 Eliminar a entrada se for necessário

29
WORKSHOP BASIS

9) Verificar os usuários conectados no sistema: verificar se há algum usuário


diferente ou desconhecido. Este procedimento deverá ser feito várias vezes
durante o dia (SM04).
 Usuários Conectados no Ambiente

30
WORKSHOP BASIS

10) Verificar problemas de impressão: verificar as ordens de impressão que


estão com mais de 1 hora de processamento (SP01).
 Selecionar todos os geradores e clicar em Executar.

31
WORKSHOP BASIS

11) Verificar problemas com as sessões de “Batch Input”: verificar as sessões


com problemas (incorretas) (SM35).
 Analisar Problemas de Bach/Input

12) Verificar os ABAP Dumps: verificar a quantidade de dumps geradas no dia


anterior (ST22).
 Analisar os erros e solucionar

32
WORKSHOP BASIS

13) Verificar os buffers de memória do SAP R/3: ficar atento para valores acima
de 10.000 swaps (ST02).
14) Verificar o espaço na base de dados: verificar espaço livre nas tablespaces.
Deve ter na média 80% de espaço livre (DB02)
 Selecionar Space  Tablespace  Overview

Verificação Semanal

33
WORKSHOP BASIS

1) Verificar o espaço na base de dados: verificar espaço livre nas tablespaces.


Deve ter na média 80% de espaço livre (DB02)
 Selecionar Space  Tablespace  Overview

2) Verificar histórico de crescimento da base de dados (DB02).


3)) Verificar inconsistência da TemSe: eliminar as inconsistências (SP12).
 Selecionar: Arquivo de Dados Temse  Verificação de Consistência

Verificação Mensal

1) Verificar o espaço na base de dados: verificar espaço livre nas tablespaces.


Deve ter na média 80% de espaço livre (DB02).
2) Verificar histórico de crescimento da base de dados (DB02).
3) Verificar atualizações no ambiente pela SPAM
 Acessar a transação SPAM  Nível Packag.

34
WORKSHOP BASIS

 Verificar nivel de Support Package está cada componente:

35
WORKSHOP BASIS

 Acessar o site da SAP https://websmp103.sap-ag.de/support


ag.de/support
1) Downloads  Download  Support Packages and Patches  Search

36
WORKSHOP BASIS
 Conforme abaixo irá aparecer os Support Packages referentes ao
componente e que pode ser baixado e aprovado via Solution Manager e
mais tarde aplicado no ambiente

Administração de usuário

1. Desbloquear Usuário

• Entrar no sistema SAP ECC 6.0 com usuário e senha que tenha acesso
a transação SU01;
• Entrar na transação SU01 – Atualização de Usuário;
• Informar usuário no campo Usuário;

37
WORKSHOP BASIS

Transação SU01

• Clicar no botão Cadeado – Bloquear/Desbloquear.


• Na janela que abrir, novamente clicar no botão Cadeado -
Bloquear/Desbloquear ;
• Neste momento o usuário está desbloqueado.

2. Criar Usuário

• Entrar no sistema SAP ECC 6.0 com usuário e senha que tenha acesso
a transação SU01;
• Entrar na transação SU01 – Atualização de Usuário;
• Informar o novo usuário no campo Usuário;
• Clicar no botão com uma folha – Criar para criar o usuário a partir do
“zero” ou clicar no botão com duas folhas – Copiar para criar um usuário
a partir da cópia de algum outro.
• Na tela que abrir, preencher os dados na aba Endereço, Dados Logon e
no caso de ser uma criação do zero, preencher também a aba Funçs

38
WORKSHOP BASIS
(informar todos os perfis que o usuário terá) e depois salvar (clicar no
botão com um disquete)
isquete)
Obs.: No primeiro login será solicitado para alterar a senha.

3. Mudar senha

• Entrar no sistema SAP ECC 6.0 com usuário e senha que tenha acesso
a transação SU01;
• Entrar na transação SU01 - Atualização de Usuário;
• Informar usuário no campo Usuário;
• Clicar no ícone com um lápis e uma régua – Modificar Senha
• Na tela que abrir, informar a senha nova. Esta senha é
tempororária. No primeiro login será solicitado para alterá-la.
alterá

Verificar usuários no ambiente

4. Verificar usuários com 30 dias ou mais sem logar e bloquear

• Entrar no sistema SAP ECC 6.0 com usuário e senha que tenha acesso
a transação SUIM e SU01;
• Entrar na transação SUIM – Sistema Info Usuário;
• Selecionar a opção: Segundo data de logon e modificação de senha;

39
WORKSHOP BASIS

Conforme resultado, clicar duas vezes por usuário para acessar a SU01 e
bloquear

Pela SU01 selecionar a opção de Bloquear o usuário

40
WORKSHOP BASIS

Fazer isto para todos os usuários que aparecem no resultado

5. Verificar usuários com 90 dias sem atividade e eliminar

41
WORKSHOP BASIS
• Entrar no sistema SAP ECC 6.0 com usuário e senha que tenha acesso
a transação SUIM e SU01;
• Entrar na transação SUIM – Sistema Info Usuário;
• Selecionar a opção: Segundo data de logon e modificação de senha;

Conforme resultado, clicar duas vezes por usuário para acessar a SU01 e
eliminar

42
WORKSHOP BASIS

Pela SU01 selecionar a opção de Eliminar o usuário

Clicar em eliminar

43
WORKSHOP BASIS

8.2. Aplicação de Packages e Notas


Este procedimentos são executados devido a problemas em algum
processo que seja necessário a aplicação de uma solução da SAP, via Support
Package ou aplicação de uma nota especifica.

Aplicando uma nota no ambiente SAP


Entre na transação SNOTE e selecione Download da Nota

44
WORKSHOP BASIS

Informe o número da nota e faça o download

Abaixo a nota já está disponível para ser aplicada no ambiente

Selecionar Implementar a nota e executar

45
WORKSHOP BASIS

Aplicando um Support Package no Ambiente

Seqüência de Aplicação dos Ambientes

Aplicação no ambiente DEV – Desenvolvimento

Testes

Aplicação no ambiente QAS – Qualidade

Testes

Aplicação no ambiente PRD – Produção

Procedimentos de baixa dos pacotes

Para o processo é necessário ter disponível antes de cada atualização:

46
WORKSHOP BASIS
• Backup full online dos ambientes <DEV, QAS e PRD>;

Ambiente:

Verificar qual o nível do Kernel e SP´s no ambiente através da transação


SPAM.

Baixar o último Kernel (executável) pelo site da SAP para atulizar.

http://service.sap.com  support  Downloads  Download  Support


Packages and Patches  My Company´s Application Components  SAP
KERNEL 64-BITBIT UNICODE 

Baixar os SP´s sendo que os mesmos podem ser encontrados mais facilmente
por tipo de pacote, conforme abaixo:

http://service.sap.com  support  Downloads  Download  Support


Packages and Patches  Search for Support Packages and Patches 

SPAM

47
WORKSHOP BASIS

48
WORKSHOP BASIS
Baixar o último pacote da SPAM  Selecionar e clicar em Add download
basket

SAP_ABA – Pacotes de ABAP  KA700

49
WORKSHOP BASIS

Selecionar os pacotes que são necessários ao ambiente e add download


basket, onde será incluido no SAP Download Manager.

Obs. Há alguns pacotes que precisam ser aprovados pelo Solution Manager.

50
WORKSHOP BASIS

SAP_BASIS – Pacotes de BASIS  KB700

51
WORKSHOP BASIS
Selecionar os pacotes que são necessários ao ambiente e add download
basket, onde será incluido no SAP Download Manager.

Obs. Há alguns pacotes que precisam ser aprovados pelo Solution Manager.

PI_BASIS – Pacotes de PI_BASIS  KIPYJ

52
WORKSHOP BASIS

Selecionar os pacotes que são necessários ao ambiente e add download


basket, onde será incluido no SAP Download Manager.

Obs. Há alguns pacotes que precisam ser aprovados pelo Solution Manager.

53
WORKSHOP BASIS
SAP_BW – Pacotes BW  KW700

Selecionar os pacotes que são necessários ao ambiente e add download


basket, onde será incluido no SAP Download Manager.

Obs. Há alguns
guns pacotes que precisam ser aprovados pelo Solution Manager.

54
WORKSHOP BASIS

SAP_AP – Pacotes SAP_AP  KNA70

55
WORKSHOP BASIS

Selecionar os pacotes que são necessários ao ambiente e add download


basket, onde será incluido no SAP Download Manager.

Obs. Há alguns pacotes que precisam


precisam ser aprovados pelo Solution Manager.

56
WORKSHOP BASIS

SAP_APPL – Pacotes SAP_APPL  SAPKH600

57
WORKSHOP BASIS
Selecionar os pacotes que são necessários ao ambiente e add download
basket, onde será incluido no SAP Download Manager.

Obs. Há alguns pacotes que precisam ser aprovados pelo Solution Manager.

Procedimentos antes de aplicação dos SP´s

Instalação da licença Maintenance necessária para a aplicação dos Novos


SP´s.

Procedimentos e seqüência de aplicação do Kernel

58
WORKSHOP BASIS
Salvar os arquivos .SAR em um diretório temporário.
Ex. /tmp/New_kernel
Executar o seguinte comando:
Sapcar –xvf
xvf <Arquivo>.SAR

Obs. É necessário estar conectado no servidor com o usuário <SID>adm.

Baixar o ambiente onde será feito atualização (DEV, QAS ou PRD).


Baixar o banco de dados.

Fazer um backup dos executáveis antigos.


Ex. /usr/SAP/<SID>/SYS/exe/run

mkdir /tmp/old_kernel
Cp –rf
rf /usr/SAP/<SID>/SYS/exe/run/* /tmp/old_kernel/.

Remover os executáveis antigos


rm –rf
rf /usr/SAP/<SID>/SYS/exe/run/*

Copiar os executáveis novos:

cp –rf
rf /tmp/New_kernel/* /usr/SAP/<SID>/SYS/exe/run/.

Startar o banco
Startar o SAP

Descompactação e cópia dos SP´s

Salvar os arquivos .SAR em um diretório temporário.


Ex. /tmp/SPs

59
WORKSHOP BASIS
Executar o seguinte comando:
Sapcar –xvf
xvf <Arquivo>.SAR

Obs. É necessário estar conectado no servidor com o usuário <SID>adm.

Copiar os SP´s para a pasta de transporte, ou seja, no servidor de domínio das


rotas de transporte:

Cp /tmp/SPs /* /usr/sap/trans/EPS/in/.

Procedimentos e sequencia de aplicação dos SP´s

Para o processo é necessário ter disponível antes de cada atualização:

• Backup full online do ambiente a ser feito a atualização DEV, QAS e


PRD;

Utilizar o usuário DDIC ou outro com a mesma permissão no client 000 em


inglês.

Antes de tudo, carregar todos os pacotes para o ambiente via SPAM, conforme
abaixo:

Transação SPAM  Support Package  Load Packages  From Application


Server

60
WORKSHOP BASIS

61
WORKSHOP BASIS

Atualizar a SPAM (Support Package Manager) no ambiente.

Entrar na transação SAINT.

62
WORKSHOP BASIS

Start

63
WORKSHOP BASIS

Aplicar um pacote de BASIS e depois um de ABAP, seguindo esta regra.

Após aplicação dos SP´s de BASIS e ABAP

Após aplicar os pacotes do PI_BASIS

Após aplicar os pacotes do SAP_BW

Após aplicar os pacotes do SAP_AP

Após aplicar os pacotes do SAP_APPL

64
WORKSHOP BASIS

8.3. Noções de administração do Banco

A principal transação no SAP para a verificação do Banco de dados é a DB02.


DB0

Nesta transação conseguimos verificar o crescimento do DB, etc.

A transação DB01 mostra se há bloqueios a nível de Banco de Dados

65
WORKSHOP BASIS

8.4. Backup e Recover

Através da DB01
01 é possível fazer várias verificações no DB e agendar
o backup do ambiente

66
WORKSHOP BASIS

8.5. Criação e manutenção de Mandantes

Procedimento para criar um novo mandante:

1. Acesse a transação BD54 e crie um Logical System, conforme


abaixo:

Entrar na transação scc4 e criar o client que deseja, no caso abaixo foi criado o
client 040.

67
WORKSHOP BASIS

Após isso entrar num saplogon novo com o novo client criado e entrar na sccl
conforme abaixo:

68
WORKSHOP BASIS
8.6. Configuração e manutenção de Impressoras no
SAP

Através da transação SPAD é possível verificar e configurar todas as


impressoras no Ambiente SAP.

69
WORKSHOP BASIS

8.7. Startup e Shutdown

Os procedimentos de Startup e Shutdown variam conforme o SO.

Exemplo:

No Unix/Linux

Acesse o servidor com o usuário <SID>adm e execute os seguintes


comandos:

Stopsap e startsap

Obs. Neste caso irá derrubar a aplicação e o banco de dados

No Windows existe uma ferramenta chamada SAP Management Console:


Console

70
WORKSHOP BASIS
8.8. Configuração de Profiles

Através da transação RZ10 são feitos as alterações de parâmetros do


ambiente SAP.

Informe o perfil

71
WORKSHOP BASIS

8.9. SAPRouter

Através do SAPRouter é feita a conexão entre o ambiente e a SAP,


utilizado para abertura de chamados e aplicações de notas, etc.

72
WORKSHOP BASIS
Abaixo estão descritos os procedimentos de instalação e funcionamento
do SAPRouter.

CONEXÃO REMOTA – SNC

Preencha a planilha contida na nota 28976 e envie para a SAP


Alemanha (fax nº 00(XX)49 180 5 34 34 30).

Com relação aos IP address: deverá ser fornecido apenas um IP válido na


internet para a máquina do saprouter

Assim que a Alemanha receber o fax, abrirá um chamado no


componente XX-SER-NET NET-OSS-NEW
NEW com o fax atachado. Assim que nossa
equipe do Network Support terminar a configuração de sua conexão do lado da
SAP, o chamado será enviado via fax com as informações para configuração
configur
do lado seu lado. Este chamado também poderá ser consultado no Market
Place (http://service.sap.com/message
http://service.sap.com/message).

Notas para ajuda no processo de instalação e configuração:

0030289 SAProuter documentation


0030374 SAProuter installation
0029784 Configure transaction OSS1 network parameters
0031515 Service connections
0525751 Installation of the SNC SAPRouter as NT Service

OBRIGATÓRIO:: Fazer o download do Market Place , da última versão do


programa “saprouter.exe” .
Caminho: http://service.sap.com/patches
SAP R/3 => SAPAP R/3 46C => Binary Patches => SAP Kernel 46D 32bits =>
SISTEMA OPERACIONAL => Database independent => saprouter.car

Configuração da conexão SNC

Somente após atendimento do chamado pela SAP, você estará


autorizado a obter no Market Place seu “Distinguished
“Distinguished Name”, gerar seu
certificado de criptografia e fazer o download do software de criptografia.

Link no Market Place: http://service.sap.com/saprouter-sncadd


http://service.sap.com/saprouter

73
WORKSHOP BASIS
OBS: O logon deverá ser feito com seu
seu usuário administrador de OSS
(S000...).

Atenção: as instruções abaixo se referem a uma instalação em ambiente


NT/Intel

1. No menu ao lado direito da página clicar em: Download area => SAP
Cryptographic Software =>
Baixar o arquivo correspondente ao Sistema Operacional onde será
instalado o programa “saprouter.exe”.
Por exemplo: “SAP
SAP Cryptographic Library Microsoft Win32 for x86/IA32”
x86/IA32

O arquivo baixado terá o formato: 011000358700001601042002E.CAR

Descompactá-lo lo em uma pasta temporária e observar que será criada


automaticamente uma subpasta denominada \ntintel.. Copiar todos os
arquivos gerados na pasta temporária e na subpasta \ntintel para a seguinte
estrutura de diretório na máquina onde rodará rodará o saprouter:
X:\usr\sap\saprouter\ntintel
ntintel.. Mover também para esta pasta o arquivo
saprouter.exe já baixado préviamente (vide instrução de download do saprouter
no inicio deste resumo).

2. Obtenção do “Distinguished Name” e do certificado de criptografia:


criptografia:

No mesmo link : http://service.sap.com/saprouter-sncadd


http://service.sap.com/saprouter clicar no botão
“Saprouter Certificate” => Apply Now! Entrará na seguinte página:

2 Request Certificate for SAProuter - Step ½

Será visualizado o Distinguished Name, conforme o exemplo abaixo:

Distinguished Name (parameter for SAPGENPSE)

CN=brsao09, OU=0000033030, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE

Copiar apenas a linha com o “Distinguished Name”: CN=brsao09,


OU=0000033030, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE, C=DE, para um arquivo .txt , pois
será necessário utilizar este parâmetro para os comandos de geração do
certificado.

Nesta mesma página na internet, clique no botão “Continue”.


“Continue Entrará na
página:

74
WORKSHOP BASIS

Request Certificate for SAProuter


SAProute - Step 2/2

Antes de clicar no botão “Request Certificate”,


”, siga os procedimentos abaixo:

3. Na máquina NT do saprouter, logar com um usuário que tenha direitos de


Administrador ou o próprio Administrador. Lembre-se
Lembre se que para startar o
saprouter, obrigatoriamente deverá se logar com este mesmo usuário NT
utilizado para gerar a criptografia.

No Windows NT entre em “variáveis de ambiente” (environment variable) e


inclua as seguintes variáreis de usuário com letra maiúscula:

Variável Valor
SECUDIR X:\usr\sap\saprouter\ntintel
SNC_LIB X:\usr\sap\saprouter\ntintel\sapcrypto.dll
sapcrypto.dll

4. Abrir uma janela DOS e posicionar se


posicionar-se no diretório:
X:\usr\sap\saprouter\ntintel
ntintel para executar os procedimentos a seguir:

Certificar-se
se de que todos os arquivos abaixo estão presentes:

Saprouter.exe
Sapcrypto.dll
Sapgenpse.exe
Changelog.txt
Legal.txt
License.txt
Ticket
Ver555.pl12 (pl13, pl14 etc.)

5. Gerar a requisição do certificado com o comando:


sapgenpse get_pse -v - -r certreq -p p local.pse "<Your Distinguished
Name>"

Substitua “<Your Distinguished Name>” pelo valor obtido no item 2.


Exemplo:
sapgenpse get_pse -v -r certreq -p p local.pse "CN=brsao09,
"
OU=0000033030, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE"
C=DE

Será solicitada a digitação de uma senha (PIN):

please enter PIN: digite uma senha qualquer alfanumérica de 08 dígitos


please reenter PIN: repita a mesma senha
75
WORKSHOP BASIS

Guarde esta senha, pois ela será solicitada numa próxima etapa!

6. Edite o arquivo “certreq” gerado na etapa anterior no diretório


X:\usr\sap\saprouter\ntintel
ntintel.. Copie todo conteúdo deste arquivo e cole na
página do MarKet Place que ficou aberta no item 2 (Request
Request Certificate for
SAProuter - Step 2/2) e clique no botão “Request Certificate”

Em resposta você receberá um novo certificado completo. Copie todo o


conteúdo e cole num novo arquivo. Salve o
Salve-o no diretório
X:\usr\sap\saprouter\ntintel
ntintel com o nome “srcert” (sem extensão).

7. Nesta etapa, com o comando abaixo, o arquivo “srcert” que contém o


certificado será importado para o arquivo “local.pse”

sapgenpse
enpse import_own_cert -c srcert -p local.pse

Será solicitada a digitação do PIN: entre com a mesma senha cadastrada no


item 5

8. Nesta etapa, com o comando abaixo, serão criadas as credenciais de


criptografia para o saprouter.

sapgenpse seclogin -p
p local.pse

Será solicitada a digitação do PIN: entre com a mesma senha cadastrada no


item 5

Certifique-se
se após o comando acima de que foi gerado o arquivo “cred_v2”
no diretório X:\usr\sap\saprouter
saprouter\ntintel.

9. Verifique com o comando abaixo se o certificado foi importado corretamente

sapgenpse get_my_name -v -n Issuer

A resposta do comando acima deverá ser:


Issuer : CN=SAProuter CA, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE

Atenção: Se não receber a resposta acima, delete os arquivos: cred_v2,


certreq, srcert e local.pse e inicie novamente do item 4

Em caso de tentar novamente e não chegar ao resultado do comando acima,


abra um chamado no componente XX-SER-NET-OSS
XX OSS anexando o resultado
de cada comando desde o Item 5 até o Item 9.

76
WORKSHOP BASIS

10. Você deverá montar a saprouttab,, de acordo com suas máquinas R/3
instaladas e salvar o arquivo saprouttab (sem extensão) no diretório
X:\usr\sap\saprouter\ntintel
ntintel

Veja um exemplo de uma “saprouttab” para um ambiente com três máquinas:

PDR - IP addresss 10.11.255.60, instance 00 (porta 3200)


QAS - IP address 10.11.255.61, instance 00 (porta 3200)
DEV - IP address 10.11.255.62, instance 01 (porta 3201)

# SNC-connection
connection from and to SAP
KT "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 194.39.131.34 *
#
# SNC-connection
connection from SAP to local R/3-System
R/3 for Support
# KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" <IP do R/3-Server> R/3
<Porta 32XX>
#
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.60 3200
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.61
10.11.255.61 3200
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.62 3201
#
# SNC-connection
connection from SAP to local R/3-System
R/3 System for PcAnywhere
# KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" <IP do R/3-Server> R/3
5631
#
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.60 5631
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.61 5631
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.62 5631
#
# SNC-connection
connection from SAP to local R/3-System
R/3 System for NetMeeting if it is needed
#KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter,
OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" <IP do R/3-Server> R/3
1503
#
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.60 1503
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.61 1503
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.62 1503
#
# SNC-connection from
om SAP to local R/3-System
R/3 System for saptelnet, if it is needed
# KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" <IP do R/3-Server>
R/3 23
#
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.60 23
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.61 23
KP "p:CN=sapserv2, OU=SAProuter, O=SAP, C=DE" 10.11.255.62 23
#
# Access from the local Network to SAPNet - R/3 Frontend (OSS)

77
WORKSHOP BASIS
# P <IP-addess
addess of a local PC> 194.39.131.34 3299
#
P 10.11.255.* 194.39.131.34 3299
#
# deny all other connections
D***

11. Dê start no programa saprouter utilizando a seguinte linha de comando:

saprouter -r -S S 3299 -K K "p:<Your Distinguished Name>" -G


saprouterlog.txt -V3 -W
W 60000

Substitua “<Your Distinguished Name>” pelo valor obtido no item 2.

Exemplo:
saprouter -r -S 3299 -K
K "p:CN=brsao09, OU=0000033030, OU=SAProuter,
O=SAP, C=DE" -G G saprouterlog.txt -V3 -W 60000

12. Entrar na transação OSS1 e aplicar a nota 29784 (Configure transaction


OSS1 network parameters).

Em seguida, logue na OSS, entre em Service


Service => Service connections e
aplique a nota 31515 (Service connections)

13. Caso você não consiga se logar na OSS, verifique os logs gerados no
diretório X:\usr\sap\saprouter
saprouter\ntintel “saprouterlog.txt”
saprouterlog.txt” e “dev_rout “

14. Certifique-se
se que as portas do firewall estejam liberadas. Portas 3299 (do
saprouter) e 3200, 3201, 3202 etc.

8.10. Chaves de Acesso e Desenvolvedor

Para criar chaves de acesso aos objetos e gerar chaves de


desenvolvedor é necessário acessar o site da SAP:
HTTP://service.sap.com
Keys & Requests  SSCR Keys

78
WORKSHOP BASIS

79
WORKSHOP BASIS

Dados Exclusivos Basis:

 Configuração de impressora = Transação SPAD

Dispositivo de saída – Enter – Modificar – Criar

SAPWin – Tipo de Dispositivo

__DEFAULT = Impressora Host

 Backup:

Fazer backups: Transation Log – todos os dias às 12 horas – Via SAP -


Transação DB13

Full DataBase (On Line) – Diário – à noite - Via SAP - Transação DB13

Backup Off-line – Sexta-feira – à noite – Via Backup

 Configuração de mandantes: transação SCC4

 Transação SPRO – Customização (Configuração de mandantes: Base –


Distribuição ALE – Preparar sistema receptor e de envio – Instalar sistemas
lógicos – Nomear sistemas lógicos (Executar, atribuindo a cada mandante um
nome de sistema lógico) – Atribuir sistema
ema lógico a mandante (Executar) –
Salvar.

 Transação se38 – Correção e aplicação de notas (programas ABAP)

De posse da nota, modificar o programa sugerido (verificar a release e o hot


package)

Buscar a chave do programa no site service.sap.com

Logon on Service Marketplace

80
WORKSHOP BASIS
System Admin

SCCR

Registration

Clicar no número de instalação

Preencher os campos requisitados

Register

Alterar o programa, usando os recursos de pesquisa para inserções e


deleções, depois checar (Check), Save, Generate (gerar).

Documentar o nome do programa e o seu número

 Criação de mandantes – Transação SCCL

Acompanhamento da cópia de mandantes: Transação


Trans SM50

Ferramentas – Administração – Administração – Administração de mandantes


– cópia de mandantes – Cópia local

 Configuração BASIS para transações sem autorização de acesso

Ao acontecer o erro na transação:

Digitar na área de comando: /OSU53


/

Anotarr o código do objeto e o seu valor.

Acessar o grupo de atividades do módulo a ser corrigido pela transação PFCG.

Janela Autorizações – Modificar dados de autorização – Inserir autorização –


Entrada Manual – Selecione os processos desejados – Salvar – Gravar –
Salvar - Encerrar

RZ10 – Configuração de parâmetros do sistema

SM37, SM50 e SCC3 – Andamento de cópia de mandantes

SM04 – Bloqueio e controle de usuários nos diversos clients.

SM01 – Bloqueio e controle de TRANSAÇÕES nos diversos clients


81
WORKSHOP BASIS
ST22, SM13 e SM21 – Log de erros de processamento, análise dump.

SE43/SE43N– Menu de Área

Caminho: Abap/4-Desenvolvimento
Desenvolvimento-Outras Ferramentas-Menus
Menus de Área

P/ amarrar menu ao usuário:

Caminho: Ferramentas-Perfil
Perfil Usuário-Dados
Usuário fixos usuário-Menu
Menu Inicial
(preencher)

Ao informar o menu de área S000 – Menu principal, ele irá listar toda a árvore
de menus do Sistema SAP com possibilidades de informar a transação
também. Muito utilizado para associação de perfis pelos funcionais.

Uma alternativa para descobrir o menu de área que se deseja alterar é


posicionar o cursor sobre a transação do item de menu no qual deseja-se
deseja
incluir novos nós e clicar no menu suspenso -> Suplementos ->
> Exibição de
detalhes técnicos

Pode-se
se também utilizar F4 na descrição do menu de área e escolher o menu
que se deseja alterar/ampliar pela descrição. No momento da escolha, o nome
técnico será informado. Nota: as ampliações não são perdidas na atualização
de versão.

Para criar nova opção de menu: Informar o código do menu de área que se
deseja
a alterar, clicar no botão modificar (lápis), escolher a opção ampliar, criar
(pasta branca) opção ID c/ código transação-descrição
transação descrição que se deseja executar
sob o menu (se a transação já existir, apenas efetuar duplo clique sob a
mesma), posicionar o cursor sob o menu imediatamente superior ao que se
deseja incluir novas opções, e clicar no botão inserir abaixo árvore

(organograma c/ seta desenhada para baixo).

SE01/SE09/SE10 – Controle Request – Transporte c/ release

Transporte request todas como uma só:

Object Browse- Classe desenvolvimento (exibir) -marcar


marcar classe (botão select
sub-tree-F9)- transportar (botão)

SM30 - Transporte de tabelas s/ nro de request

SE71 - Transporte de Sapscript , ou através do programa RSTXR3TR.

82
WORKSHOP BASIS
SE54 – Reorganizar Índices/Tabelas
Índices/Tabela SAP.

SM04 – Overview de usuários

SPAD – Gerenciamento Servidor de Impressão

SPAM – Hot packages/Corrections

SE80 – Criar classe de desenvolvimento

USMM – System Monitoring

SU01 – Criar usuário/alterar senha.

PFCG – Manutenção de funções

SM31 – Customização
ção de Tabelas

Customização de Tabelas de Mensagens : T100 e T160M.

SM36 e SM37 – Criação e Análise de jobs.

SM50 – Overview processos (tudo o q. é executado no SAP). Dia = dialog,


ENQ = enqueue, BTC = batch, SPO = spool, UPD = update

RZ04 – Modo de Operação


ação (Diurno, Noturno). Para determinar a qtde de
processos dialog, batch... dentro do SAP em cada modo de operação.

RZ10 – Parametrização do SAP. Permite especificar a qtde de de dialogs,


batchs, memória... Deve ser reestartado o sistema p/ assumir as alterações.
alt

ST02 – Administração diária Basis para buffer e memória.

ST03 – Administração diária Basis para performance do sistema.

SE63 – Traduções

SWO2 – Lista BAPI’s existentes por módulo/assunto menu relacionadas com o


processo de Workflow

Sxda – Direct Input (Standard SAP)

SE30 - Análise de performance do programa (acessos...)

ST22 - Análise Dump

SQ01 – Queries

Se01 – Transporte de conteúdo de tabela:


tabela

Procedimentos:
83
WORKSHOP BASIS
No sistema/client de origem: Se01, criar request, transporte de cópia,
salvar, voltar (seta verde). Selecionar request (na própria se01), duplo click na
request, criar, informar: ID= R3TR, Objeto= TABU (conteúdo de tabela), Nome
objeto= nome da tabela, posicionar cursor na linha detalhe, menu:
suplementos, modificar fun.objeto, clicar no 1º botão. Anotar o nro da request e
pedir o transporte para o client destino.

SE95 – List enhancements

MB5B – Posição estoque retroativa

SM13 – Auxílio Short Dump

SM21/SM50/SM66 – Log Sistema / Acompanhamento Programas ABAP que


estão ativos ->
> performance (Sm50->
( > por servidor de aplicação e Sm66 todos
servidores de aplicação)

DB05 – Monitoramento de performance de índices (permite teste de


performance para novos índices)

SM62 – Amarra jobs a um evento e dispara evento através de exit pela função
‘BP_EVENT_RAISE’.
ISE’. Caminho alternativo: Ferramentas ->
> CCMS -> Jobs ->...

SE39 – Compara dois programas diferentes

84