Você está na página 1de 234

A cultura dos teutões

Por Vilhelm

Gronbech

Professor de História da Religião na


Universidade de Copenhagen

Humphrey Milford Oxford


University Press
Londres Jespersen

Og Pios Forlag
22 Valkendorfsgade
Copenhagen traduzida em

Inglês A partir Vor folkeæt i oldtiden

I-IV
Por W. Worster
1931

Para ele Momory


de Vilhelm
Thomsen

Este trabalho foi impresso pela primeira vez em dinamarquês 1909-1912, sob o título de "Vor Folkeæt i
Oldtiden"; foi traduzido para o Inglês pelo falecido William Worster, MA, e posteriormente revisto, em parte
reescrita, pelo autor.

Meus agradecimentos são devidos ao Sr. JV Perowne que gentilmente se comprometeu a ler o Ensaio sobre Drama Ritual e

ofereceu muito valiosos conselhos. Para o Índice Estou em dívida com minha esposa.

Gentofte, novembro 1931. Vilhelm Gronbech

Transcrito por Northvegr e outros voluntários.


Volume
Index 1

Página 1 - 4: Títulos e dedicação página 5

- 10: Introdução Page 23-63: Capítulo 1:

Frith Página 64 - 104: Capítulo 2: Honor

Página 105-126: Capítulo 3: Honor The Soul of a página Clan 127-154:

Capítulo 4: Sorte

Página 155-174: Capítulo 5: Sorte é a vida do Clã página 175-204:

Capítulo 6: A página Mundial 205-227: Capítulo 7: Life and Soul

página 228-247: Capítulo 8: The Art of Life página 248 - 270: Capítulo

9: The Soul of Man

Página 271-284: Capítulo 10: A alma do homem é a alma do Clã página 285-310:

Capítulo 11: Nascimento

Página 311-322: Capítulo 12: Morte e Imortalidade página

323-334: Capítulo 13: A Niding

Página 335-346: Capítulo 14: O Reino do infeliz Morto página 347-362:

Capítulo 15: A Estrutura do Clã página 363-382: Capítulo 16:

Genealogia
5

INTRODUÇÃO

O termo germânica é normalmente usado para denotar a haste racial de que os escandinavos, os alemães modernos, e
o Inglês, são ramificações. O próprio nome é provavelmente de origem estranha, nos foi dada por estranhos.

Nós não sabemos o que significa. Presumivelmente, pretendeu-se primeiro para denotar mas uma pequena fracção
destas populações, a orla adjacente Celtas; no decorrer do tempo, no entanto, veio a ser aceite como uma designação
geral para o todo. Os romanos, tendo aprendido a distinguir entre os habitantes da Gália e os seus vizinhos orientais,
chamado o último Germani, assim enfatizando justamente a estreita amizade que desde os primeiros tempos uniu os
habitantes do norte e do sul das regiões do Mar Báltico e os povos ribeirinhos e forestdwelling de Norte da Alemanha, um
parentesco evidente, não só na língua, mas totalmente tanto na cultura, até mesmo para seus cantos mais íntimos.

Os teutões fazem sua entrada repente em cima do palco da história. Sua aparência cai no momento em que Roma
estava trabalhando fora o resultado de sua vida longa e ativa; cristalizando o esforço e as realizações do mundo
clássico na forma em que a cultura da antiguidade era para ser entregue para a posteridade. Dentro dessa luz que
vem, e deve-se admitir que o seu brilho mostra-lhes pobre e grosseiro por comparação.

Há pouco esplendor de ser encontrado aqui, ao que parece.

Vemo-los primeiro de fora, com os olhos romanos, olhando para eles como em um país estranho. E o olho do
primeiro

impressão é de uma inundação espuma de homens, uma onda de guerreiros, deitando-lhes com a fúria elemental do mar sobre a
Gália oriental, para quebrar em cima da frente de legiões de César, e ser suavizadas em uma poderosa lavagem de recuo. Assim,
grosso modo, o primeiro encontro de Caesar com esses bárbaros aparece na descrição do próprio grande romano.

E, além disso inundação olhamos para uma terra, escuro, estéril e proibindo, eriçado de florestas hostis e espalhar com
pântanos. Nela são grupos de homens mostrado que, nos intervalos de suas guerras e incursões, se encontram em
marcha lenta em sofás de peles ou sentar orgias ruidosamente à luz do dia, e por pura falta de ocupação jogar fora suas
poucas posses; cavalos e mulheres, até mesmo suas próprias vidas e liberdade, até a pele sobre a sua volta.

E entre os grupos ir, mulheres robustas de altura com olhos ungentle e fisionomia desdenhosa. No meio de tudo isso
gritos e delirante soa aqui e ali uma voz de mistério; uma velha fazendo profecia a um silêncio reverente round; uma
vaga sugestão de que estes homens desenfreados em momentos entregam-se em silêncio sem fôlego à adoração de
seus deuses. Mas quais são eles ocupavam com na penumbra de seus bosques sagrados? Alguns abate de homens,
sem dúvida: sacrifício horrível e beber, para gritar e gritar pode ser ouvida longe.
Para os povos do Sul, estes moradores os resíduos do norte eram simplesmente bárbaros. Os romanos e os gregos
consideravam a sua existência como simples negação da vida civilizada.

Eles insistir sobre o caráter despretensioso de vida germânica. As pequenas necessidades dessas pessoas pobres eram
facilmente satisfeito.

A coberta de peles para o corpo, talvez um toque de tinta sobre o rosto, algum tipo de arma na mão - e a aparição externa
está praticamente completa. Eles olhar magnífico, deve ser concedida, em sua semi-nudez; para o que negligências arte
humanos está aqui previsto pela natureza, que lhes deu músculos bonitas. e cabelos ruivos ou loiros esplêndida que não
envergonharia a mulher mais bela em Roma. O alemão é um pedaço de trabalho de natureza, e seu lugar é em um
ambiente natural, entre as florestas das encostas das montanhas. lá ele vidas, se

na excitação da perseguição ou de alguma incursão guerreira feroz.

Em casa, ele passa seu tempo em um estado sonolento da ociosidade e intoxicação; ele encontra-se em meio à sujeira e fuligem e
fumaça em um lugar que ele pode chamar a sua casa, mas que é realmente nada melhor do que um galpão, um estábulo, onde homens
e animais são igualmente em casa. A necessidade de moldar o seu entorno de acordo com uma personalidade própria, que poderia
muito bem ser chamado de instinto de nobreza na civilização, é algo que ele tem claramente nunca senti.

Ele vive nas florestas, e uma casa, para ele, é apenas um abrigo contra a violência do vento e do tempo, um refúgio facilmente
construído, e como facilmente desmontado para a remoção para outro lugar.

Vivendo assim, em um estado de natureza, e existente sobre o que a natureza oferece, ele tem em si a selvageria dessa
natureza. Na verdade, ele foi creditado pela exigente em prepará do Sul, também com uma certa grandeza. Ele é capaz de
grande devoção; ele vai arriscar sua vida por causa de um convidado oportunidade cuja reivindicação somente em cima dele
é o fato de que ele veio última noite para a habitação do seu exército, e passou a noite no seu leito. As mulheres muitas
vezes exibem um horror instintivo de qualquer coisa que pudesse de alguma forma degradá-los. Mas, na realidade, o
bárbaro não sabe absolutamente nada de qualidades como fidelidade e mantendo-se uma determinada palavra. O poder de
distinção, que é a marca da verdadeira humanidade, é algo que ele inteiramente falta. Nunca lhe ocorre que qualquer coisa
pode ser bom por lei eterna. Ele não tem leis, e quando ele faz o que é bom,

Estes povos germânicos vivemos e nos movemos em hordas, ou tribos, ou o que podemos chamá-los. Eles têm algum tipo de
reis, e algo na natureza de uma assembleia geral, que todos os homens capazes de portar armas participar. Mas devemos ser
chary de supor qualquer coisa corretamente respondendo a uma instituição do Estado como entendido entre pessoas civilizadas.
O rei não tem autoridade real; os guerreiros lhe obedecem a-dia, e virar as costas para ele desafiadoramente amanhã; um dia, os
seus reis pode levá-los para trás em qualquer empresa imprudente; a próxima, podem ser espalhando, apesar de suas ordens, e
em desafio de toda a prudência política, a
8

suas casas separadas. E na sua montagem, o método de procedimento é simplesmente que aquele que pode usar as palavras
mais convincentes vitórias sobre todo o resto. Os guerreiros colidir suas armas, e o assunto é decidido. Eles são como crianças em
relação à persuasão e dons, mas inconstante e ingovernável em relação a qualquer coisa como obrigação, indisposto a reconhecer
qualquer norma concreta e da ordem.

Resumidamente, na opinião do cidadão romano, essas tribos germânicas são um povo de luz fortemente marcado e sombra em
caráter - para palavras como virtude e vício, o bem eo mal não podem ser usados ​delas por qualquer pessoa com uma
consciência linguística. O Roman pode falar de seu orgulho natural, seu desafio teimoso, prova mesmo contra as correntes do
triunfo de seu conquistador; mas tais palavras como majestade, nobreza, ele inconscientemente reservar para si e para seus
iguais.

Aqui e ali, entre os mais elevados tipos de cultura clássica, podemos encontrar um meio estético, metade simpatia humana para
estas crianças da vida selvagem; mas mesmo isto é, em sua origem idêntica com medo misturado do leigo e do ódio, na medida
em que diz respeito ao seu objeto como um pedaço da própria natureza selvagem. No meio de sua civilização, os homens
poderiam sentir um espasmo de admiração melancólico em face da natureza, para a força primitiva da vida, o poder que corre
sem saber para onde. Homem no auge de seu esplendor pode refletir na sábio melancolia sobre a sorte das crianças da natureza
brincando na lama muito abaixo feliz - um estado que ele próprio para melhor ou pior, nunca poderia alcançar.

Tácito, o romântico, expressou as virtudes da vida simples no estilo pessoal do período decadente, com toques originais e voltas
de frase, e um vocabulário de palavras muito mais raros que ele poderia encontrar. Ele não embelezar sua selvagem
artificialmente; não faz nenhuma tentativa para mostrar a ele como mais sábio ou melhor vestida do que ele é de fato. Pelo
contrário, ele se esforça para apontar como poucas e simples são as necessidades da vida selvagem. Seu entusiasmo é
expressa em frases mais delicados. Entre os Germani, declara ele, os bons costumes são de mais sucesso do que as boas leis
em outro lugar: '' juros e usura são desconhecidos para eles, e assim eles evitam o vice mais fervor do que se fosse proibido. ''

Em seus costumes, esses selvagens encontrar uma forma ingênua e simples de expressão para sentimentos primitivos
mudos: “Não é a esposa que traz um dote aqui, mas o marido que vem com presentes para sua noiva ...; e esses dons
não consistem em fripperies das mulheres ..., não; gado, um cavalo selado, um escudo, uma espada, estes são os
presentes nupciais. E ela em troca traz armas para uso do marido. Isso eles consideram o mais forte de títulos, a
santidade da casa, os deuses da vida conjugal. A fim de que uma mulher não deve sentir-se para além de pensamentos
viris ea mudança circunstância da guerra, ela é lembrado, na própria cerimônia de casamento, que ela não entra em cima
de uma partilha de trabalho do marido e perigo ...”E, como entre amigos: “Eles se alegram em uns dos outros presentes,
dar e receber livremente, sem pensamento de ganho;
Tácito é preocupado em mostrar particularmente como tudo, “virtude” e “vício” é um crescimento natural entre as pessoas que ele
descreve.

Ele retrata-los com a mão tão carinhoso, e ao mesmo tempo com a verdade nua e crua em detalhes, porque ele vê seu objeto
como um pedaço de natureza intocada. Tão completamente que ele está cheio com a sensação de contraste entre si e seus
bárbaros, que ele não consegue marcar como cada fato que ele traz para a frente infalivelmente rasga a teoria frágil em que
ele tenta entrelaçar-lo.

A única coisa que enche o homem civilizado com horror e ódio do bárbaro é a sensação de estar aqui cara a cara com uma
criatura incalculável, homem desprovido de lei. Descuidadamente, sem pensar o selvagem mantém seu juramento; e até sem
perceber quebrar juramentos e promessas; ele pode ser corajoso e generoso na sua forma incontrolável, e nessa mesma maneira
incontrolável brutal, bestial. Qualquer ato de crueldade, qualquer violação da fé, é muito mais repulsiva quando está sem relação
com qualquer outra coisa do que quando ele aparece como a violação de uma lei moral aceita, um lapso da graça.

O bárbaro não tem caráter - que é a essência do veredicto Roman. Quando um homem civilizado faz de errado, ele o faz
na pior das hipóteses, porque é errado; e consciência este do vilão

10

de ser mau marca-lo como um ser humano com quem se pode associar. Mas para receber um bárbaro entre um círculo
de amizade é equivalente à construção da nossa casa nas imediações de um vulcão. E se os bárbaros fazer construir
algum tipo de casas, e até o solo - Deus sabe a sua agricultura é mas primitivo ao melhor, a maneira como eles
arranham a superfície da terra e levantar uma colheita miserável, apenas para procurar novos campos o seguinte ano; -
E se eles manter o gado, e fazer a guerra, e dispensar algum tipo de justiça entre si? Ou conceder-lhes mesmo algum
grau de habilidade em forjar armas - eles não são um povo civilizado para tudo isso.

Era sobre o início da nossa era que as pessoas germânicas apareceu pela primeira vez na história; mil anos depois, o
mundo viu o último vislumbre deles. Por um curto período os nórdicos segurar a cena da Europa, trabalhando fora seu
caráter racial e os ideais com pressa febril, antes de serem transformados e fundidos na massa da civilização europeia.
Seu curso marca o desaparecimento da cultura germânica como um tipo independente.

Homens do Norte, também, ter sido retratado por estranhos, de fora, ea imagem tem marcado pontos de semelhança com o
deixada por seus parentes anteriores nos registros dos historiadores romanos. Selvagem, sedento de sangue, pouco receptivo
à razão humana ou para o raciocínio humano, dotado de vícios esplêndidos, e para os demônios de descanso - corre, assim, o
caráter dado a eles por cronistas medievais. Os homens civilizados que agora julgados deles eram cristãos que viam o mundo,
não como dividido em graus de cultura, mas como dividido entre os poderes da luz e as trevas; onde o incalculável deve
necessariamente ser atribuída a alguma origem nas regiões infernais. Os bárbaros de tempos clássicos responder aos
demônios do cristianismo medieval.

Desta vez, no entanto, a imagem não ficar sozinho, sem uma folha. Aqui no Norte, um povo de raça germânica criaram
seu próprio monumento aos tempos posteriores, mostrando-se como eles queriam ser visto na história, revelando-se, não
com qualquer pensamento de ser visto por estranhos, mas ainda pediu por um impulso para a auto-revelação.
11

Nos externos, os nórdicos parecem ter algo do mesmo elementar, violência irrefletida, a mesma inquietude inquieto que
levou o mundo cultivadas para carimbar seus parentes do sul como bárbaros. Imprudente e impulsivos, para não dizer
obstinado, em sua auto-afirmação, sob o impulso do momento, passando de um plano para outro - a mente política legal
pode encontrar semelhança considerável entre os bandidos alemães e os piratas do Norte. Mas o nosso conhecimento
mais íntimo nos permite discernir a presença de uma vontade de controle e unindo sob o exterior inquieto. O que à
primeira vista parece mostra piscando, mas sem rumo, olhando mais de perto, como uma luz constante. Na realidade,
esses vikings têm mas pouco deste novo aimlessness que pode ser caracterizado como natural. Há mais de calcular
economia neles do que de mera força perdulário. Os homens são claras em suas mentes tanto quanto ao fim e meio,
vontade e poder. Enquanto eles podem parecem estar à deriva em direção sem objetivo definido, eles ainda têm dentro
de si um objetivo inabalável como a bússola, unaltering no entanto, podem virar.

A velha idéia dos vikings como varrer como uma tempestade através das terras que eles tocaram, destruindo a riqueza que
encontraram, e deixando-se tão pobre como sempre, tem, no nosso tempo, teve que dar lugar a uma maravilha fôlego em seu desejo
de enriquecimento .

O ouro que encontraram desapareceu. Mas nós aprendemos agora, que estava reunida no Norte um tesouro de
conhecimento e pensamento, poesia e sonhos, que deve ter sido trazido para casa do exterior, apesar do fato de que tais
valores espirituais são muito mais difíceis de encontrar e roubar e transportar com segurança casa do que pedras
preciosas ou metais preciosos. Os escandinavos parecem ter sido insaciável em matéria de tais tesouros espirituais. Eles
têm ainda, nos dias de hoje, acusado de ter anexado toda a soma de pagã e conhecimento cristão possuído pelos Idade
Média; e olhando para a literatura nórdica da era viking, encontramos alguma dificuldade em refutar essa acusação,
embora possa parecer demasiado abrangente como é instado por Bugge e seus discípulos. Outros, de novo, pergunte
com desdém,

12

como colegiais nos mosteiros irlandeses, estudando autores clássicos e enciclopédias medievais. Este, sem dúvida, ser
a explicação mais natural para as mentes modernas que sugam toda a sua nutrição do livro e palestras; mas
provavelmente deve assumir que eles ganharam a sua aprendizagem de alguma forma menos formal. Por outro lado, se
eles não tinha a vantagem de uma educação sistemática, é o mais incompreensível que eles deveriam em tal grau
ganharam acesso à arte e ciência da idade. Eles não só tinha um desejo apaixonado para converter os elementos da
cultura estrangeira para seu próprio enriquecimento, mas também tinha um misterioso poder de agitar a cultura e
forçando-o a render o que estava abaixo de sua superfície.

Mesmo essa sede de conhecimento, no entanto, não é a coisa mais surpreendente sobre eles. Que eles fizeram aprender e copiar,
em grande medida é fácil de ver; mas mesmo agora podemos especular, sem resultado, ou esperança de qualquer resultado, após o
que foi que eles aprenderam e quanto eles podem ter adicionado a esta própria. Não existe nenhuma fórmula mágica pelo que a
cultura de tempos de Viking, como um todo, pode ser resolvido nos seus componentes originais. Tão completamente tem que
re-fashioned o que levou, até o seu pensamento e espírito são a sua própria.
Os dois lados devem todo ser vistos juntos. O Northman tem não só uma tendência poderosa para ampliar e enriquecer
sua esfera mental, mas esse desejo de expansão é contraposta por uma auto-afirmação espiritual não menos marcada,
que o mantém obstinadamente fiel ao ideal de meio inconsciente que constitui seu caráter.

Ele não enfrentar o mundo com os braços abertos; longe disso, ele é toda a suspeita e reserva para a deuses estranhos e formas e valores,
que ele se sente incongruente com a sua própria auto-avaliação. Tudo o que é estranho ele mantém distante, até que ele tenha sondado o
seu segredo, ou arrancou um segredo satisfatória para si mesmo. Tudo o que não pode ser assim tratadas ele fecha para fora e para longe
dele; dificilmente é ciente de que, na verdade. Mas onde quer que ele pode, adaptando-se em primeiro lugar para uma atmosfera estranha,
extrair sua essência para seu próprio uso particular, lá ele vai chamar em avidamente tudo o que pode, e deixá-lo trabalhar nele.

13

Ele tem que firmeza que depende de uma estrutura na alma, e que a elasticidade que, vem de perfeita harmonia da estrutura
com os seus arredores, permitindo-lhe espiritualmente para estar de acordo com a necessidade do seu ambiente. Ele é dono
do mundo sobre ele, em virtude de uma auto-controle mais profundamente enraizada, mesmo que a vontade, idêntico com a
própria alma-estrutura.

No mais íntimo do seu ser, há uma vontade central, passando julgamento sobre tudo o que penetra de fora; um propósito que
se apodera a cada nova aquisição, selos e escraviza-lo para um serviço particular, forçando-o a trabalhar no espírito de seu
novo mestre, e batendo-a com a sua imagem; onde isso não pode ser feito, a questão alienígena é rejeitado e ignorado. Tudo
o que é preciso para si é transmutada em poder, todo o poder submetido a disciplina, e jogou para fora, em seguida, como
uma força coletiva. Assim, a violência, aqui, não é uma mera extravagância do poder. A vontade central dá a cada ação um
impulso tal que ultrapassa a marca em todos os casos, estabelecendo um novo além. Assim, toda a vida do homem é vivido
em tal pressão do poder que ele próprio está sempre sendo instados em direção a objetivos cada vez mais distantes. Mas a
escala e medida de sua obra é uma coisa fora de si mesmo. As normas finais em que sua vida é julgada são o veredicto de
seus companheiros eo veredicto da posteridade; normas não qualificado e absoluta.

A violência é organizada a partir das profundezas da alma. É uma energia, que mantém a vida espiritual acordado e com
sede, e, assim, cria a personalidade obstinada, set-firme do Northman. Estes homens não são todos, mas um momento
inspirado, desvanecendo-se vagamente afastado no passado um futuro; eles estão presentes, o futuro eo passado em
um. Um homem corrige a si mesmo no passado, pelo apego firme às gerações passadas. Tal apego é encontrado mais
ou menos entre todos os povos; mas o Northman faz passado uma força condutora por constante lembrança histórica e
especulação histórica de estar e no qual ele traça sua ligação com gerações anteriores e sua dependência de seus atos.
Seu futuro está ligado com o presente por objetivo, a honra e o julgamento da posteridade. E ele corrige-se no presente,
reproduzindo-se em um tipo ideal,
14

perspicaz, severo para com seus inimigos. fiel a seus amigos, e franco com todos. O tipo é construído a partir de vida e
poesia juntos; primeiro viveu, e depois transfundido em poesia.

Esta firmeza da organização espiritual que caracteriza a Northman como uma personalidade não menos evidente em sua
vida social é. Onde quer que ele vá, ele traz dentro de si uma estrutura social que se manifesta em formas políticas
definidas assim que ele é lançado juntamente com uma multidão de outros que falam a mesma língua. Ele não é desse
tipo inarticulado que forma comunidades tribais caleidoscópicas. No entanto pequeno seu povo pode ser, e por menor o
grau de coesão entre as moléculas componentes, a consciência social está sempre presente e ativo. Ele é um povo em si
mesmo, e não tem necessidade de construir um todo artificial pela aglomeração de números juntos. Assim que ele se
estabeleceu em um lugar, por pouco tempo ou para um período de tempo, uma lei-coisa atira-se para fora da terra, e
sobre ela cresce uma comunidade.

Cultura, no verdadeiro sentido da palavra, significa uma harmonia elástica entre o eu interior do homem e seus
arredores, assim que ele é capaz não só para tornar seu ambiente servir aos seus fins materiais, mas também para
transfigurar os impulsos do mundo circundante em espiritual ideais e aspirações. O homem culto possui uma dignidade
instintiva, que brota da coragem e auto-confiança, e se manifesta na firmeza dos objetivos e meios iguais em matéria de
comportamento formal e em empresas de consequências de longo alcance. Neste sentido estes vikings são homens de
caráter; eles possuem a si mesmos e seu mundo em direito senhorial de determinação. Sua harmonia pode ser pobre na
medida do seu conteúdo real, mas nenhum é o menos poderoso e profundo.

Que diferença entre estas duas imagens; as canetas retrato sul têm atraído de seus contemporâneos germânicas, e que o
último da raça germânica têm-se impresso na história. Apesar de tudo isso, agrupá-los

15

sob o mesmo nome, e fazemo-lo, além disso, deliberadamente, plenamente consciente de que isso implica. Percebeu-se cedo
que os dois estão tão intimamente relacionados como não meramente para justificar, mas para exigir nosso tratá-los juntos. Tais
indicações que temos dos costumes germânicos primitivos, leis e valores éticos, provar que esses primeiros antepassados ​da
raça eram um com seus parentes mais jovens no modo de pensamento, e em que une pensamentos e sentimentos e os torna
portadores de personalidade .

A esta luz a partir do Norte, podemos ver, então, que os suevos e os Marcomanni e tudo o que eles foram chamados, não
eram meras criaturas do momento, desprovido de caráter, como os romanos com carinho imaginado. Com a ajuda dos
nórdicos podemos interpretar tudo, ou quase todas as notas espalhadas que foram proferidas, e encontrar algo humano no
que nossas autoridades encontraram sem sentido. Podemos perceber vagamente, por exemplo, que a fidelidade alternada
e infidelidade das tribos germânicas, que tantas vezes levou os romanos a medidas duras, tinha na realidade a sua
fundação em um sistema ético. E nós podemos ver claramente que por trás de suas ações, com tais vícios e virtudes, ficou
um caráter amplamente diferente do romano, mas nem mais natural nem artificial, em princípio, tão coerente, tão racional,
e não menos obrigado pela consideração de preservar uma certa unidade na personalidade. E um gênio político como
César reconheceu que, se seus planos sobre estes
bárbaros eram para ser de alguma firmeza em si mesmos, não foi o suficiente para que ele pensou-los em latim. Sua
ânsia de penetrar sob o pensamento destes Germani, até o hábito da mente que determinou a sua forma de expressão
vocal, é em si um testemunho ao fato de que esses bárbaros tinha o carimbo da cultura e da marca do personagem.

Somos melhores do que os romanos em que fomos guiados a uma visão da vida germânica a partir de dentro. Os romanos
tinham excelentes oportunidades de observação, e foram muitas vezes observadores argutos; a grande maioria do que os
romanos e os gregos escreveram sobre os povos germânicos está bem no seu caminho.

Mas cada observação, grande ou pequeno, revela a sua derivação a partir de um olhar varrendo através da fronteira. Podemos
sempre

16

notar que o próprio narrador ficou muito fora; ele viu o que essas pessoas fizeram, mas ele não entendeu por que eles
fizeram isso. Suas ações mostram, em sua conta, sem perspectiva e sem proporção; eo mais preciso seus detalhes
são, o estranho parece o todo. Tais descrições deixar com a gente, na melhor das hipóteses, a mesma impressão
grotesca um teria sobre olhando de homens distância falando e gesticulando, mas sem nenhuma idéia do que eles
afetados.

Há uma grande diferença entre fazer o conhecimento de um povo, como os romanos fizeram, fora, seguindo-lo para casa,
de fora e ganhar talvez um olhar para a sua vida diária, e, por outro lado, sendo recebido no meio de que as pessoas ,
vendo seus homens em casa se preparando para uma campanha, e estar lá novamente para encontrá-los em seu
retorno.

Estamos mais felizmente situado do que os escritores do sul, a este respeito, mas somos tão muito mais sábio? Há talvez seja
algum perigo de chegar muito facilmente no nosso entendimento. A incapacidade dos romanos para reconhecer as ações do
Germani como o ser humano pode nos alertar contra deixar nossa própria passagem interpretação sobre o que era realmente
estranho em nossos antepassados, erroneamente atribuindo-lhes motivos de nossa própria.

Os escandinavos são um povo culto, no sentido pleno da palavra. Devemos reconhecê-los como nossos iguais. Eles viviam
tão energicamente como nós, não encontraram menos satisfação na vida, e sentiu-se plenamente tanto mestres de vida,
mestres que determinaram a sua pontaria e inflexivelmente tiveram seu caminho. Mas o reconhecimento desse fato em si
enfatiza a distância entre nós, porque traz mais incisivamente a diferença entre os modos antigos e modernos de conquistar
e curtindo a vida.

A diferença é evidente no momento em que comparar os teutões com a outra raça NorthEuropean dos
tempos antigos, o Celtic.

Para toda a nossa descendência germânica, estamos mais perto relacionada com os celtas. Eles são um tipo mais moderno de
pessoas, poderíamos dizer.

Ele precisa não longa convivência com eles antes que se trata de intimidade. Aí vem um homem em cujo rosto todo o
mundo, da natureza e do homem, é refletida. A beleza da natureza, a beleza da humanidade, o heroísmo do homem, o amor
da mulher - estes
17

coisas emocionar-lo, e levá-lo em êxtase; ele se sente e se sente até que sua alma está pronta para estourar - e, em seguida,
derrama uma inundação letra, melancólica e eufórica, melancolicamente pensando e sinceramente exaltando tudo o que encanta
os olhos. Um êxtase religioso vem em cima dele, ele se entrega ao invisível, agarrando e se entregar de uma vez, vivendo o
invisível como uma realidade com alegrias e tristezas reais reais; ele se lança sobre para a experiência cheia de misticismo,
ainda sem perder espera da realidade visível - pelo contrário, o seu sentido interior leva o seu preenchimento da beleza da
natureza, do prazer na vida animal da terra e do ar.

A violência da vida encontra uma paixão de atendimento em si mesmo; ele deve ir com ele, deve sentir sua batida pulsos
no mesmo ritmo pressa como o que ele sente, sem e com ele. Ele nunca pode fazer suas imagens vívidas o suficiente,
suficientemente rico em cor e tons de cor. Beleza subjuga, e em sua ânsia febril deixar nada se perca, ele carrega uma
imagem em outra; o terror ea grandeza da vida excitá-lo até que ele pinta seus gigantes com inúmeras cabeças e todos
os atributos que se possa imaginar de medo; seus heróis são de dimensões sobrenaturais, com cabelos de ouro ou prata,
e mais de poderes divinos.

Não é de admirar que o Celt muitas vezes assusta e nos repele por seu exagero sem forma. Ele nos enche às vezes com
aversão, mas apenas para atrair-nos de novo. O exagero é uma consequência natural do sentimento apaixonado que
deriva sua força e seu caráter da sensibilidade da alma a tudo sobre ele, até os movimentos mais fracas na vida da
natureza e do homem.

Tal amplitude de vida da alma é desconhecida entre os nórdicos, nem mesmo para ser encontrado como uma exceção.

Comparado com o Celt, o Northman é pesado, reservado, uma criança de terra, mas aparentemente mas metade despertado.
Ele não pode dizer o que ele sente economizar por vaga indicação, em um longo moda, rotunda. Ele está profundamente
ligado ao país que o rodeia, seus prados e rios enchê-lo com uma ternura latente; mas seu senso casa não se emancipou-se
em amor. O sentimento para os anéis de natureza em tons abafados através de seu discurso e através de seus mitos, mas ele
não começou a cantar da beleza do mundo. De suas relações com mulheres que ele não sente necessidade

18

para falar, salvo quando há algo de natureza prática a ser indicado; apenas quando se torna trágico faz o assunto entrar
na sua poesia. Em outras palavras, seus sentimentos nunca são revelados até que eles trouxeram um evento; e eles
não nos dizem nada de salvar-se pelo peso e amargura que eles dão para os conflitos que surgem. não Uneventfulness
não jogá-lo de volta em seus recursos internos, e nunca abre uma enxurrada de pensamentos ou lirismo

- ele apenas entorpece ele. O Celt enfrenta a vida com os braços abertos; pronto para cada impressão, ele é relutante em deixar nada
cair morto antes dele. O Teuton não é desprovido de sentimento apaixonado, mas ele não pode, ele não vai ajudar a si mesmo tão
ricamente a vida.

Ele tem apenas uma visão do homem; homem afirmar-se, manter sua honra, como ele chama. Tudo o que se move dentro de um homem
deve ser torcido rodada até que ele se torna associado com honra, antes que ele possa agarrá-lo; e toda a sua paixão é empurrado para
trás e realizou, até que ele encontra o seu caminho em que uma direção. Sua amizade do homem eo amor da mulher nunca encontrar
expressão para a
causa do sentimento em si; eles só são sentidas conscientemente como uma elevação da auto-estima do amante e,
consequentemente, como um aumento de responsabilidade. Esta simplicidade de caráter mostra em sua poesia, que está
no coração de nada, mas estabelece e contos de grandes vingadores, porque a vingança é o ato supremo que concentra
sua vida interior e força-lo à luz. Seus poemas de vingança são sempre intensamente humano, porque a vingança para ele
não é uma repetição vazia de um mal feito, mas um sell-afirmação espiritual, uma manifestação de força e valor; e, assim, a
angústia de uma afronta ou o triunfo da vitória é capaz de abrir as profundezas fechados de sua mente e suffuse suas
palavras com paixão e ternura. Mas a limitação que cria a beleza ea força de Teuton poesia é revelada no fato de que
apenas os sentimentos e pensamentos que o homem um vingador e promove a realização de vingança, são expressas;
tudo o mais é ofuscada. Mulher encontra um lugar na poesia apenas como um Valkyrie ou como incitar a conflitos; para o
resto, ela está incluída entre o inventário comum da vida. Amizade, a maior coisa na terra entre os teutões, só é
mencionado quando o amigo se junta as mãos com o amigo na luta pela honra e restituição.

19

Há abundância de paixão na poesia dos nórdicos, mas parece apenas como um gêiser, para cima e para baixo, nunca
irrompendo e fluindo em riachos líricos. Impressionante, mas cinza; poderoso, mas sóbrio. Seus épicos são marcados por
uma simplicidade de confiança e contenção de imaginação mantendo-se bem dentro dos limites traçados pela grande
realidade de uma existência guerreira; seus heróis são de um tamanho geralmente comparáveis ​às figuras heróicas da vida
cotidiana, e seus poderes são, mas o menos possível com antecedência de padrões comuns. Na vida não há nada que a
febre-pulse tão característica dos Celtas, que vem do excesso de susceptibilidade, da tendência a viver cada momento no
mesmo ritmo como seu entorno, ou incapacidade de resistir ao ritmo de seu ambiente. O Northman' s resposta a impressões
de fora é que tarda em vir que parece que seus movimentos eram ditados exclusivamente a partir de dentro. Um impulso do
mundo sem que nem cair mortal em sua alma, mas sua força é preso, colocado em títulos, no impacto com a sua
personalidade enorme.

E há apenas uma paixão que pode deixar perder esta força acumulada: sua paixão pela honra. Para o Northman ser
afetado por esta ou aquela em que ele se encontra depende de algo que aconteceu, algo passado, e algo em frente, um
evento que aconteceu a si mesmo ou seus antepassados, e um evento que deve ser trazido para passar para o melhoria
de si mesmo e seus descendentes. Ele não viver o momento; ele usa o momento para contar out: como pode servi-lo
para a realização de seu fim? Ele não odeia uma coisa para seu próprio bem, ou por sua própria conta; pois se ele pode
comprar uma chance de vingança, dando-se o seu desagrado, ele rasga seu ódio de distância, e onde ele pode ganhar
uma chance de inimizade, os poços de ódio de novo no poder indisfarçável.

Certamente um vingador é o tempo todo um filho, marido, pai, um membro de uma comunidade jurídica; não é uma questão de
pôr de lado a sua humanidade, mas, pelo contrário: esta humanidade atacado de seus puts sobre a armadura de vingança e
comporta-se em conformidade.

Nesses mesmos momentos de cruel auto-afirmação, o Teuton sobe para grandeza moral - aqui reside a nós ao teste do
sub
20

de pé. Há algo na atitude do Northman em relação à vida que arrepios afastado nossa familiaridade, à primeira vista, e se
o frio não é sentida muito intensamente hoje em dia, nossa complacência é em grande parte devido à literatura romântica
do século XIX.

Por um amor, muito pronto e muito discernimento, os poetas e historiadores têm suavizadas as características fortes e
obstinados dos homens saga e atenuada estes números amargas em heróis e amantes reconhecidos. Os personagens
antigos foram imperceptivelmente modernizado com vista a torná-los mais aceitáveis. A dureza e implacabilidade dos
nórdicos foram empurrados para a sombra de seu heroísmo e generosidade e tacitamente tolerada como limitações,
enquanto o fato é que essas qualidades são baseadas na própria constituição da sua cultura. Se somos levados de
repente contra a sua vida cotidiana, estamos sujeitos a marcá-los como estreito e até mesmo desumano, e nós não
reconhecer imediatamente que o que chamamos pobreza e desumanidade não significa nada mais e nada menos do que
a força e solidez de caráter. Os antigos são apenas, piedoso, misericordioso,

A humanidade do Teuton não é a humanidade do europeu moderno - daí a nossa indiferença que nenhum revival romântico
tem sido capaz de superar. No Norte, o European paira sobre a gratificação e à espreita mal-estar de um convidado; em
Hellas ele se sente em casa. Os heróis de Homero são como amigos e pessoas íntimas em comparação com os vikings;
esses heróis e heroínas lutando e ostentando, sofrendo e chorando são mais de nossa própria carne e sangue do que os
homens proposital e mulheres das sagas. Chamamos-lhes natural e humano, porque eles levam vida pouco a pouco,
encontrar tempo para viver o momento, entregando-se ao prazer e à dor e expressar seus sentimentos em palavras. Na
Grécia, encontramos homens cujo patriotismo e egoísmo egoísta e carinho fazer um curso suficientemente perto da nossa
própria tanto para se juntar e fluem juntos. Mesmo os deuses não são tão muito longe do que nós em nossos melhores
momentos, e em nossa pior, atribuem aos poderes mais altos. Há quase não precisa de qualquer adaptação da nossa parte;
os deuses e os homens da antiga Grécia

21

pode de si mesmos entrar em nós e ser transformado. Em Hellas logo aprender a reconhecer, sob as formas alienígenas, os
objetivos do nosso tempo; e, portanto, nas palavras de poetas e filósofos gregos, estamos constantemente a pegar dicas que soam
como uma voz mansa e delicada em tempos de crise.

A razão não é difícil de encontrar: a nossa intimidade com Hellas é a familiaridade de parentesco. A principal corrente de
nossos pensamentos e ideais flui do Sul; e por mais longe que se afastaram dos padrões clássicos em muitos aspectos,
nossa história intelectual e religiosa, e não menos o desenvolvimento da Europa económica e social, mantivemos nosso curso
no canal do helenismo e helenístico Roma. Por esta razão, nós consideramos os problemas e interpretações de ganância
como sendo eminentemente humana e vital.

Nós são repelidos pelos germanos, porque os seus pensamentos não vai ministrar às nossas necessidades particulares; mas
esse recuo instintivo, ao mesmo tempo explica uma atração furtivo que não estava exausto pelo revival romântico dos
séculos XVIII e XIX. A concentração do Teutons expõe uma estreiteza de outro tipo em mesmos; cada vez somos
confrontados com um povo de outro tipo, uma pedra na fundação da nossa complacência é solta. Somos surpreendidos por
uma sensação desconfortável que a nossa civilização não esgota as possibilidades de vida; somos levados a suspeitar que
os nossos problemas derivam sua pungência do fato de que, às vezes, confundimos os nossos próprios raciocínios sobre a
realidade para
a própria realidade. Tornamo-nos uma vaga consciência de que o mundo se estende para além do nosso horizonte, e como esta
apreensão toma forma, cresce em nós a suspeita de que alguns dos problemas que confundem-nos problemas da nossa própria
artifício; nossos questionamentos muitas vezes nos levam a fastnesses estéreis em vez de lançar-nos para o comprimento ea
largura da eternidade, ea razão pode ser que nós estamos tentando fazer um todo de fragmentos e não, como nós pensamos,
tentando entender o que é um todo vivo nele mesmo. E, finalmente, quando aprendemos a olhar para o mundo a partir de um novo
ponto de vista, revelando perspectivas que foram escondidas dos nossos olhos, talvez possamos descobrir que Hellas também
contém mais coisas, riquezas, bem como mistérios do que sonha em Nossa filosofia; afinal de contas, talvez tenhamos sido

22

não menos romântico na nossa compreensão da Grécia do que na nossa incompreensão dos teutões e outros
povos primitivos.

Para apreciar a força ea beleza da cultura dos antigos teutões temos de perceber que a sua harmonia é fundamentalmente diferente de tudo o que possuímos ou
esforçar-se para, e, consequentemente, que todo o nosso louvor imediata e culpando são fúteis. Todas as coisas consideradas, temos pouco motivo para contar
nos melhores juízes do que os espectadores clássicos. Em nossos momentos sentimentais nos perdemos na admiração do heroísmo e esplêndida paixão de
nossos antepassados, mas em nossos momentos de análise histórica nos orgulhamos de denominar-los bárbaros, e essa vacilação é por si só suficiente para
mostrar que em nossa apreciação não temos atingiu o centro de onde pensamentos e ações do teutões chamou a sua vida e força. Se quisermos entrar na mente
dos outros povos que devem consentir para descartar as nossas ideias preconcebidas sobre o que o mundo eo homem deveria ser. Não é o suficiente para admitir
um conjunto de idéias como possível ou mesmo plausível: devemos nos esforçar para chegar a um ponto de vista de que estes pensamentos estranhos tornam-se
natural; devemos adiar nossa própria humanidade, tanto quanto é possível e colocar em outro humanidade para a época. Precisamos, então, para começar
calmamente e modestamente desde a fundação, como saber nada em tudo, se quisermos entender o que era que mantinha as almas desses homens juntos, e
fez-lhes personalidades. devemos adiar nossa própria humanidade, tanto quanto é possível e colocar em outro humanidade para a época. Precisamos, então,
para começar calmamente e modestamente desde a fundação, como saber nada em tudo, se quisermos entender o que era que mantinha as almas desses
homens juntos, e fez-lhes personalidades. devemos adiar nossa própria humanidade, tanto quanto é possível e colocar em outro humanidade para a época.
Precisamos, então, para começar calmamente e modestamente desde a fundação, como saber nada em tudo, se quisermos entender o que era que mantinha as
almas desses homens juntos, e fez-lhes personalidades.
23

CAPÍTULO I

FRITH

Os historiadores dos séculos XVII e XVIII tinha uma grande vantagem; eles sentiram-se como cidadãos do mundo. Eles nunca eram estranhos ao assunto em
questão, e não sabia nada de que a timidez que o estranho sempre se sente. Eles sentiram-se em casa em todo o mundo habitado, de qualquer forma, desde que
permaneceu em seu próprio país, ou as terras imediatamente adjacentes, em um sentido corporal, e fez todas as outras jornadas no espírito sozinho. Eles não se
sentaram desastrado sobre seu material, mas foi direto para as pessoas em causa, se os homens do passado imediato ou as de mais tenra idade; se romanos ou
gregos, Francês, Inglês, hindus, chineses ou indianos. O historiador adiantou-se sem formalidade e levou seu herói cordialmente pela mão, falou com ele de
amigo para amigo, ou digamos, como um homem do mundo para o outro. Nunca houve qualquer medo, naqueles dias, que as diferenças de linguagem, ou de
circunstâncias em uma idade diferente, pode colocar obstáculos no caminho de uma compreensão adequada. Homens foram inspirados com fé em uma
humanidade comum, e pela certeza de que, se uma vez que o elemento humano possa ser compreendida, tudo o resto iria trabalhar para fora de si mesmo. Toda
a humanidade foram acordados, como o que Deus era, o bem eo mal foram; todos foram acordados em patriotismo e cidadania, no amor dos pais e das crianças -
em uma palavra, acordado em todas as realidades. e pela certeza de que, se uma vez que o elemento humano possa ser compreendida, tudo o resto iria trabalhar
para fora de si mesmo. Toda a humanidade foram acordados, como o que Deus era, o bem eo mal foram; todos foram acordados em patriotismo e cidadania, no
amor dos pais e das crianças - em uma palavra, acordado em todas as realidades. e pela certeza de que, se uma vez que o elemento humano possa ser
compreendida, tudo o resto iria trabalhar para fora de si mesmo. Toda a humanidade foram acordados, como o que Deus era, o bem eo mal foram; todos foram
acordados em patriotismo e cidadania, no amor dos pais e das crianças - em uma palavra, acordado em todas as realidades.

Se alguma vez esta simplicidade simples, que buscava seu ponto de encontro em coisas de interesse humano comum, foi
justificado, em qualquer caso, seria em relação aos povos germânicos.

24

Encontramos aqui uma comunidade baseada na unidade geral, auto-sacrifício mútuo e abnegação, eo espírito social. A
sociedade, na qual cada indivíduo, desde o nascimento até a morte, foi obrigado pela consideração ao próximo. Os indivíduos
esse show comunidade em todas as suas obras que eles são inspirados por uma paixão: o bem-estar ea honra de seus
parentes; e nenhuma das tentações do mundo pode movê-los nem por um momento para olhar para o lado. Eles mesmos
dizem, que esta paixão é o amor. O que mais natural, então, do que nós, que a partir de nossas próprias vidas conhecer o
amor e seu poder, deve começar com o que temos em comum com essas pessoas que estamos considerando? Dado este
acordo sobre o ponto essencial, tudo o que parece estranho deve certamente tornar-se simples e compreensível.

Bergthora, esposa de Njal, foi uma verdadeira mulher da velha escola, rigoroso sobre o ponto de honra, inflexível,
implacável. A chave para a sua personagem, poderíamos dizer, é dada nas famosas palavras: "Young foi I dado a Njal, e
isso eu lhe prometi, que um destino virá sobre nós dois". Há algo de humanidade comum nas palavras, algo que pode
apreciar em seu verdadeiro valor. No lado masculino, temos uma figura ainda mais antiquado para configurar como um
modelo: Egil Skallagrimson, o representante mais típico viking momentos de amor de família. Vê-lo, como ele monta com
o corpo de seu filho afogado antes dele na sela, levando-se à sua última morada, o seu arfante peito com soluços até que
suas rajadas túnica. É tudo tão direta no seu recurso, tão óbvio e natural, que se sente involuntariamente como se se
pudesse ler Egil' a alma inteira em um presente episódio. padrões de vida e costumes da sociedade, a moral e
selfjudgement derivados de tal elementar emoção certamente não pode ser difícil de entender?
Podemos facilmente colocá-lo à prova.

Na história das Ilhas Faroé, encontramos duas mulheres, Thurid e Thora, esposa e filha de Sigmund Brestison, ocupando
um lugar de destaque. Ambos são personagens fortes, resolutos, como Bergthora, e ambos são guiados em todas as
suas ações por amor de Sigmund e sua raça. Sigmund era um chefe ideal do período viking Christian: rigoroso sobre o
ponto de honra,

25

Nunca abandonar um pingo de sua direita, e sempre capaz de ganhar sua causa, franco, valente e habilidoso - completamente um
homem para admirar e lembrar. Depois de uma vida de luta incessante para o poder supremo nas Ilhas Faroé, ele é assassinado,
tendo escapou por pouco de uma surpresa noite. O tempo passa, e um dia, Thrond da Gata faz sua aparição na casa de Thurid,
pedindo Thora em casamento por seu filho adotivo Leif. Thrond era um homem de diferente selo, um daqueles que estão prontos o
suficiente para atacar, quando pela primeira vez eles têm a vítima enredado com segurança por intriga: um daqueles que pode
desenhar e planejar com todas as embarcações do mal, e sempre encontrar outras pessoas para suportar o perigo e desgraça de
levar a cabo os seus esquemas; um cristão por coerção, e um apóstata, não só praticar os ritos da antiga fé em sua vida diária,
mas mesmo meter na magia negra. Thrond tinha sido oponente amargo de Sigmund; era ele quem tinha arranjado o assassinato
do pai de Sigmund, eo ataque surpresa que terminou na morte de Sigmund foi conduzido por ele. No entanto, Thora estende para
seu pretendente a perspectiva de que ela vai aceitar sua oferta, se ele e sua fosterfather dar-lhe uma oportunidade de vingar seu
pai. E ela mantém a sua promessa; ela se casa com Leif, e tem sua recompensa em ver três homens mortos em honra de seu pai.

Uma vez mais estas duas mulheres aparecem na história dos nobres Faroé. Acontece que um filho do primo de Sigmund
foi morto durante a sua estada na casa de Sigurd Thorlakson, um parente de Thrond de. Sigurd tinha ao mesmo tempo
derrubou o assassino, e estes três sendo os únicos presentes no momento fatídico, alguma sombra de suspeita atribui ao
host. A mera possibilidade de que um dos irmãos de Sigmund reside mortos e sem vingança é suficiente para manter
Thurid e Thora em um estado de agitação dia e noite. Pobre Leif, que não vai ou não pode tomar quaisquer medidas na
matéria, ouve nada além de palavras de desprezo sobre a casa. Quando, em seguida, Sigurd Thorlakson, em sua
cegueira, pede em nome de seu irmão para a mão de Thurid, sua filha com sabedoria aconselha-la da seguinte forma:
"Se eu deve aconselhar, este não deve ser recusada, porque se você está decidido a vingança,

26

palavras na boca da minha mãe". O plano prossegue. Sigurd é convidado a tomar o discurso com Thurid. Ela conhece-lo fora
da herdade e leva-o a um assento em um tronco de árvore. Ele faz como se a sentar-se de frente para a casa, mas ela
assenta .-se resolutamente para o outro lado, de costas para a casa, e seu rosto em direção a capela Sigurd pergunta se Leif
está em casa - não, ele não é, se os filhos de Thurid estão em casa - sim, eles estão em casa, e na um pouco, tanto eles
como Leif aparecer, e Sigurd apaga mortalmente ferido.

Estes dois eram Thurid, '' o grande viúva "e Thora, '' quem todos considerada a mais nobre das mulheres". Sua
grandeza não reside tanto no fato de seu amar verdadeiramente e fielmente, como em sua compreensão do que esse
amor exigia, e seu cumprimento das suas exigências, apesar de tudo. A pergunta de nós aqui é, não o que pensamos
destes dois, mas se somos capazes de aceitar o julgamento aprecia seu amor tal como está, sem reservas.
Em um exame mais detalhado de amor e tristeza nós encontramos de Egil, também, algumas características que são
susceptíveis de problemas nossa fé serena em uma humanidade comum. É relacionada, que tendo feito provisão para seu filho
no futuro, definindo-o em um túmulo que possam conteúdo dele, o antigo campeão se estava disposto a morrer; mas sua filha
de raciocínio rápido, Thorgerd, artisticamente trouxe de volta seu interesse na vida, lembrando-lhe que ninguém mais seria
capaz de honrar o jovem com um poema laudatório, e, assim, atraindo-o para fazer um leigo de sua perda.

E, felizmente para nós, este poema em que Egil depôs o fardo de sua tristeza, foi preservada.

Há uma profundidade de significado no fato de que o mais belo poema restante para nós desde os tempos antigos é um
poema de parentesco e amor dos parentes, e que deve ser ele mesmo Egil, o mais antigo à moda de todos os heróis da saga,
que fez isto. Infelizmente, a nossa compreensão e apreciação desta confissão são prejudicados em um grau muito elevado
pelas dificuldades de sua forma. Egil não era apenas um homem de caráter considerável; Ele também foi o que se deve
chamar um poeta, cuja alma encontrou expressão direta em verso. o kennings, ou metáforas, que eram

27

parte e parcela da poesia antiga, caiu dos lábios de Egil como imagens que revelam os humores individuais e paixões do poeta.
Mas tão estranho aos nossos ouvidos são as figuras poéticas das queimaduras antigas, que precisa de uma grande quantidade de
trabalho de nossa parte antes que possamos abordá-lo a partir de uma posição tal que a sua imagem frases aparecem com a vida
e significado. Dada a paciência, no entanto, para adquirir familiaridade com as metáforas artificiais do escaldão, o suficiente para
perceber o que é que se impõe pela mente do poeta neste formulário complicado, podemos sentir a dor desse pai enlutado caindo
pesadamente, mal-humorado do versículo ao verso.

Ele reclama que a tristeza se liga a língua. "Little oportunidade está aqui para chegar diante bens roubados de Odin; eles são pesados
​para arrastar a partir de seu esconderijo de tristeza - assim é para aquele que chora". Egil aplica-se o paralelo de Odin, que com
grande esforço trouxe copo do poeta - o hidromel de inspiração - de caverna do gigante, para si mesmo em sua luta para forçar uma
forma de expressão através das paredes de sua própria tristeza.

"O mar ruge lá antes que a porta onde Hel-ship de meu parente é colocado.

"Minha raça dobra-se para a sua queda, como as árvores atacou-tempestade da floresta (?) ....

"Cruel era o buraco das ondas rasgou em kin-fence do meu pai; não preenchido, eu sei, e aberto está o filho-quebra rasgado em
mim pelo mar.

.. "Muito Hath Ran (a rainha do mar) roubado de mim eu fico pobres de amor-amigos O mar tem sundered os laços de
minha raça; rasgado uma corda close-torcido fora de mim.

"Eu digo a você, eu poderia prosseguir a minha causa com a espada, deve haver um fim da alemaker (Ægir, o rei do mar)
Se eu pudesse .... eu daria batalha para que moça solta de Ægir de. (a onda). Mas eu senti que eu não tinha poder para
tomar medidas contra bane do meu filho. Todo o mundo vê o vazio por trás o velho onde ele caminha junto.

"Grande parte do mar tem roubado de mim - amargo é para contar a queda de parentes - já que ele que estava, um
escudo entre a raça, desviaram-se da vida na alma-ways (?).
28

"Eu sei que eu, no meu filho cresceu nenhuma promessa mal de um homem ....

"Sempre manteve que seu pai havia dito, ay, embora todas as pessoas pensavam de outra forma. Ele me segurou em pé na casa,
e poderosamente aumentou minha força. Meu brotherless situação é muitas vezes em minha mente. Quando a batalha cresce,
tomo pensamento, espiar sobre e pensar que outro homem está ao meu lado com coragem para uma ação ousada, como eu
preciso muitas vezes ....

"Eu estou crescido cauteloso de voo agora que os amigos são menos".

Estas são palavras que de sua grande simplicidade pode ser repetido em todos os tempos - ou, pelo menos enquanto a vida
ainda é uma luta; e seria difícil encontrar maior elogio para tal poema.

Os seguintes versos consistem - tanto quanto nós somos ainda capazes de compreendê-los - de variações sobre estes
pensamentos fundamentais: Ninguém pode ser invocadas, para os homens hoje em dia abaixar-se e estamos contentes de aceitar o
pagamento em vez de vingança pelo sangue de irmãos. Ele que perdeu um filho deve gerar outro - ninguém mais pode substituir o
herdeiro perdido. Minha cabeça está inclinando-se, uma vez que ele, o segundo dos meus filhos, caiu abaixo da marca de doença;
aquele cuja fama era unsmirched. Eu confiei em Deus, mas ele era falsa a sua amizade para mim, e eu tenho pouca coração agora
para adorá-lo. - Apesar de sua amargura, no entanto, ele não pode deixar de lembrar que ele próprio a arte do poeta, e uma mente
capaz de revelar os planos dos inimigos, e ele não pode esquecer que este domínio das palavras, o conforto de muitos males, é um
dom de Deus, que o traiu.

Darkly ele olha para o futuro: Eu estou fortemente assolada, a morte está na capa, mas alegremente, não perturbado pelo
medo Vou esperar por Hel.

A primeira parte do poema é propriamente independente do tempo; o leitor não tem nenhuma necessidade de olhar para
uma idade distante e uma cultura distante, a fim de entendê-la. É a forma, e que só, que a vincula Egil e poesia scaldic, ea
exegese do aprendido. Mesmo desabafo apaixonado de Egil contra os altos poderes que usurparam o domínio do mundo
dificilmente nos parece estranha. Pelo contrário, poderíamos talvez aprovar as palavras tão completamente humano, e até
mesmo atribuir-lhes menção honrosa como sendo '' moderno '' em espírito.

29

Nossa fraqueza por tudo o que cheire a titânica desafio no entanto, não deve nos cegar para a forma peculiar de expressão em
que é dublado por Egil. Seus versos não expressam desafio instintivo de destino, mas um desejo ardente de vingança e
restituição; ele está lamentando que ele é incapaz de prosseguir a sua causa, ou em outras palavras, defender seu direito. É,
realmente, ser entendido que Egil só renuncia planos de vingança, porque ele está sozinho no mundo, sem seguidores ou
parentes? Se não se tem em si mesmo a coragem de pegar em armas contra um deus, ele pode consertar assuntos muito a
marchar-se com alguns amigos leais e parentes em sua volta? Assim, podemos, ou devem, solicitar e na Pedindo desta
questão a nossa simpatia dá lugar a um sentimento poético vaga que é equivalente a desistir toda tentativa de entendimento.

Sorrow sempre pode levar um homem a tais extremos de seu ser que suas palavras são executados em aparentes
contradições, mas a inconsistência de paixão nunca se põe isto é, pelo desafio; que tem a sua explicação no fato de que os
opostos têm o seu ponto de intersecção em algum lugar
na alma. Às vezes os sentimentos são exaltados, a tal ponto que eles parecem irreconciliáveis, mas o ouvinte simpático sente que
ele não tem o direito de crítica, até que tenha seguido as linhas para o seu ponto de encontro. Em Egil, a coesão entre as
aparentes contradições é, sem dúvida, muito firme. Há um contato interno entre desafiando os deuses e a explosão de desamparo
à vista de sua situação solitária; mas podemos refletir e especular tanto quanto nós, por favor, uma verdadeira compreensão do
pensamento de Egil aqui - que ele iria sentir-se senhor da morte se ele tinha um forte círculo de parentes sobre ele - não é para ser
ganho por mero estudo dessas linhas ; não podemos chegar a ele, a menos que o próprio Egil e os homens de seu tempo nos dar
a solução real. Egil parece considerar a vida na luz de um processo na lei, onde o homem com um forte círculo de parentes ganha
seu caso, porque ele é apoiado por uma multidão de homens prontos a jurar a seu lado, e cuja juramentos têm peso suficiente
para esmagar o seu adversário. Vamos imaginar que esta idéia de sua não é apenas um pedaço de imagens poéticas, mas que a
própria vida, com todas as suas tarefas, apareceu como um processo, onde um homem com muitos

30

e parentes poderosos poderiam promover seus objetivos e fortunas, material e espiritualmente, ganhando poder sobre o seu
entorno, não só pela batalha, mas por juramento, em virtude de que o poder da raça que ele e sua possuía. Imaginemos
também que esta fé no poder de parentesco e ajuda dos parentes é grande o suficiente para chegar além da vida, e abraçar a
própria morte no seu âmbito, acreditando-se capaz de invocar e outswearing os deuses, ay, agitando o céu ea terra. As
palavras de Egil tem então um novo significado; eles perdem nada do seu peso, mas tornam-se nada além de "moderno". O
desafio titânico desaparece - ou quase desaparece - e em seu lugar temos o grito desesperado de uma alma humana sofrendo.
O paradoxo, então, não reside em que discernida em um primeiro momento, mas em outra completamente diferente direção.

E lendo a partir de agora estas palavras para trás e para a frente, os outros versos, que num primeiro momento fluiu tão
levianamente da nossa língua, terá ganho um estranho poder e da violência - tanto onde ele fala de uma corda arrancada
dele, uma violação, e também onde ele chama a atenção para a ajuda de seu filho, e revela seu próprio desânimo quando
ele olha sobre ele na luta para um para ajudá-lo. Seria estranho se não sentem agora, no lugar do gozo confiante das
palavras, um sentimento de incerteza, que nos faz hesitar em cada linha. As palavras tornaram-se vago, porque perdemos
o nosso próprio terreno e não conseguiu obter um novo ponto de apoio. Arrancado! Nossa fantasia tremula em dúvida
longe do significado metafórico, que a princípio parecia o único as palavras poderiam ter,

E a nossa incerteza não pode, mas aumentar quando descobrimos que a imagem da família como uma cerca, construída de jogo
por jogo, da morte como uma violação na família e aqueles deixados de Egil -, ilustrações diárias comuns que estas imagens são,
somos tentados dizer, parte do stockin-trade técnica. Não podemos dar a nós mesmos até o poderoso sentimento do poema até
que tenhamos compreendido exatamente o que é esta violação, esta ferida, consiste; o significado preciso está na palavra "help".
Começamos a perceber que temos de aprender o significado de cada palavra de novo.
31

Aqui a nossa confiança no sentimento primitivo, comum como meio de comunicação entre os homens de diferentes culturas
quebra para o bem. Não podemos forçar nosso caminho para a compreensão através da mera simpatia ou intuição; não há outro
caminho, mas se virar e proceder a partir de fatores externos para dentro, para o geralmente humana.

Resumidamente: devemos começar com os parentes, a raça ou a família; uma reunião de indivíduos para se uniram em uma
unidade que eles parecem incapazes de ação independente. Quanto ao sentimento que tanto os une, isso devemos deixar até
mais tarde; o ponto aqui é que o indivíduo não pode agir sem todos atuando com e através dele; nenhum indivíduo pode sofrer
sem afetar todo o círculo. Tão absoluta é a conexão que o indivíduo simplesmente não pode existir por si mesmo; um ligeiro
afrouxamento do vínculo, e ele desliza para baixo, o mais indefeso de todas as criaturas.

Não podemos ganhar a fala do ser humano individual. Aqui reside a diferença entre Helénica e da cultura germânica. O
Hellene está mais próximo de nós, pois pode ir direto para ele, falar com ele como homem para homem sobre a vida do
homem, deixe-nos apresentar ao mundo estranho
- como parece para nós - em que vive, que ele mostra-nos os objectivos que determinam o seu pensamento e ações diárias; e de
sua palavra e expressão formar uma idéia de como ele reage em face do que ele conhece. O bárbaro não se move. Ele está
rigidamente, uninvitingly. Se ele fala, as suas palavras transmitir nenhum significado para nós. Ele matou um homem. "Por que
você matou esse homem", perguntamos. "Eu o matei em vingança". - "Como se ele tivesse ofendido você?" - "Seu pai tinha falado
palavras mal ao irmão de meu pai, pois eu desejava honra como devido dele para nós". - "Por que você não tirar a vida do próprio
agressor?" - "Este era um homem melhor". - Quanto mais nós pedimos e erguer, mais incompreensível ele se torna. Ele nos
aparece como uma máquina, impulsionado por princípios.

O Hellene existe como um indivíduo, uma pessoa separada dentro de uma comunidade. o indivíduo existe germânica apenas
como representativa, ou melhor, como a personificação de um todo. Alguém poderia imaginar que uma convulsão supremo da
alma deve rasgar o indivíduo a partir desse todo, e deixá-lo sentir ele-

32

auto, falar como para si mesmo. Mas, na verdade, é o oposto que acontece; quanto mais a alma é movida, mais a
personalidade individual se perde na parentes. No exato momento em que o homem mais apaixonadamente e sem
reservas dá lugar a seus próprios sentimentos, o clã toma posse do indivíduo total e completamente. lamento de Egil não
é o lamento de um pai para seu filho; é o parente, que profere seu lamento através da pessoa do pai. A partir desta
amplitude da paixão nasce o pathos avassalador do poema.

Se queremos uma real compreensão de homens como Egil, somos levados a perguntar: o que é a força oculta que faz
irmãos inseparáveis? Primeiro aprendemos que eles chamam um ao outro "amigo" ( frændi em Islandês, freond em
anglo-saxão), e uma análise linguística desta palavra vai nos ensinar, que significa aqueles que amam (entre si); mas
isso nos leva mais longe, por etimologia nos diz nada sobre o que é amar. Podemos talvez ficar um pouco mais perto,
observando a ligação etimológica entre a palavra "amigo" e dois outros que desempenham um grande papel na vida
social daqueles dias: "livre" e "frith". Em "frith", paz, temos a própria definição da idéia fundamental em sua inter-relação
dos velhos das parentes. Por Frith eles significam algo em si, um poder que os torna "amigos" um para o outro, e
"homens livres" para o resto do mundo. Mesmo aqui, é claro, não podemos tomar o significado da palavra diretamente
para concedido,
Palavras como cavalo e carro e da casa e chaleira pode permanecer mais ou menos inalterado em todas as vicissitudes da
cultura, mas termos utilizados para designar os valores espirituais, necessariamente, sofrer uma mudança radical no curso de
tais transformações espirituais como tem ocorrido nas almas dos homens no Norte durante os últimos mil anos. E quanto mais
perto como uma palavra encontra-se, na sua origem, para a parte central da alma, as mudanças mais amplas que vai sofrer.

Se alguma vez palavra tinha a marca da influência transformadora do cristianismo e do humanismo, é esta palavra "frith". Se
olharmos atentamente para o significado mais antigo da palavra, vamos

33

encontrar algo mais severo; uma firmeza que deu agora lugar à fraqueza. O Frith de dias anteriores era menos passiva do
que agora, com menos de submissão e mais de vontade. Considerou também um elemento de paixão que agora foi
submerso em quietismo.

Mas a palavra nos diz indiscutivelmente que o amor que tricotar esses parentes juntos não é para ser tomado em um sentido
moderno, sentimental; a nota dominante da kinsmanship é a segurança, segurança.

Frith é o estado de coisas que existe entre amigos. E isso significa, em primeiro lugar, inviolabilidade recíproca. No entanto
vontades individuais podem colidir em um conflito de parentes contra parentes, no entanto teimosamente cabeças individuais
podem procurar seu próprio caminho de acordo com sua cota de sabedoria, nunca pode haver questão de conflito de gravação no
sentido de pensamentos e sentimentos trabalhar seu caminho em direção a um equilíbrio na unidade. Precisamos não tenho
nenhuma dúvida, mas que as boas parentes poderia discordar com fervor, mas no entanto o assunto ficasse firme, não poderia -
deve, inevitavelmente - ser, mas um fim a tudo isso; um acordo pacífico e fazer a paz - Frith.

A discussão teve nenhum ponto letal. Dois parentes não podia levantar uma mão contra a outra.

No momento em que um homem perfumado parentesco, ele baixou os braços.

O final de Bjorn saga do guerreiro do Hitdale tem um toque de algo heróico-cómico sobre isso, a partir deste fato. Bjorn caiu,
após uma corajosa luta, pela mão de Thord Kolbeinson e seus companheiros. Os motivos de inimizade entre os dois eram
numerosas e variadas, mas podemos dizer com segurança que Bjorn tinha feito tudo em seu poder para interferir com a
felicidade doméstica de Thord.

Entre os adversários, o jovem filho de Thord, Kolli, assume um papel de destaque. Em seguida, diz Bjorn - no momento
em que ele foi espancado até o joelho e na baía -: "Você golpear duramente a-dia, Kolli". "Eu não sei quem devo poupar
aqui", responde o jovem. "É verdade: para sua mãe, com certeza, pediu-lhe para não me poupa; mas parece-me que você
não é mais sábio na questão de saber seus parentes". E Kolli responde: "É no final do dia você me diz disso, se nós dois
não são livres para lutar". E com estas palavras que ele retira de tudo ainda mais a participação na batalha.
34

Mesmo nas sagas islandesas do período de dissolução encontramos muito poucos casos de homens que entram em
combinações que possam levar a conflitos familiares. O de nenhuma maneira amável chefe Faroe Thrond de Gata é oferecido
dinheiro para tomar partido contra seus primos; mas antes de aceitar, ele presta homenagem ao sentido do que é certo ao dizer
ao tentador: "Você não pode dizer isso a sério". Em outra ocasião, quando lemos que um homem deve ter sido extremamente
grossa para tomar parte em uma luta onde os seus próprios filhos estavam no outro lado, há anéis através das palavras de uma
mistura de admiração e repugnância, que fala mais alto que o mais acentuado condenação, pois esta maravilha brota do
pensamento: como posso ele faria uma coisa dessas?

É difícil chegar a uma verdadeira impressão das leis fundamentais da vida humana que fornecem a própria essência de uma
consciência; mais difícil ainda para tornar essa impressão viver para os outros. Eles não são para ser ilustrada por exemplos
notáveis. Nos livros de grandes e boas ações, uma qualidade tais como Frith nunca vai ser representado na proporção de sua
importância; ele vai muito fundo. Ele não encontra expressão direta nas leis; subjaz todos os costumes aceites, mas nunca
aparece na própria luz.

Se quisermos perceber a sério o que é mais forte nos homens, devemos sentir através de sua vida diária, com todas as suas
inibições e restrições em pequenas coisas. Mas uma vez que os nossos olhos estão abertos para a cadeia ininterrupta de
auto-contenção e auto-controle que constituem a ligação interior na vida dos seres humanos trabalhando, podemos encontrar-nos
quase com medo do poder que se senta mais íntimo em nós mesmos e nos move de acordo à sua vontade. Quando se tem
trabalhado através dos restos espirituais de nossos antepassados, é preciso, penso eu, infalivelmente emergir com uma veneração
constrangedora para este Frith. Os escandinavos estão sempre dizendo de guerra e conflitos, brigas e brigas - disputa agora mais de
um reino, agora um boi; agora algum pedaço de arrogância por parte de um indivíduo, agora uma combinação implacável de
acidentes pela mão do destino, levando os homens em um caos de conflitos; - mas notamos que mesmo no tumulto mais violento de
paixão, todos iguais são sempre passíveis de uma consideração; cada acontecimento está em alguma relação com Frith.

35

E por trás de cada decreto-lei não é perceptível um medo - um medo sagrado - de interferir com uma coisa particular, a saber, os
laços de parentesco. Nós sentimos que todos os parágrafos da lei são baseados em uma presunção subjacente de que parentes
não vai e não pode agir uns contra os outros, mas deve apoiar-se mutuamente.

Quando a igreja começou a exercer a sua supervisão em matéria de legislação, notou antes de tudo uma falha essencial
no antigo código: a saber, que ele sabia nenhuma provisão para casos de morte entre parentes. portanto este crime veio
dentro da jurisdição clerical; a igreja determinou o seu código penal, assim como forneceu termos para o crime por
adaptação de palavras do vocabulário Latina.

Quando os legisladores da Idade Média, gradualmente, encontrou coragem para vir a enfrentar este Frith antiga, a fim de abrir
espaço para os modernos princípios de direito, os ataques tiveram primeiro a ser feita na forma de indulgências: foi permitida
a considerar de parente atender como irrelevante para si mesmo; foi declarado lícito recusar uma contribuição para a coima
aplicada a qualquer de sua família. Levou séculos de trabalho para erradicar o entendimento tácito deste princípio Frith
onipresente da lei, e estabelecer a humanidade abertamente como fundamento da equidade.
Estranhamente, mesmo no período de transição, quando Frith estava sendo expulso de sua supremacia como a própria consciência,
que encontra expressão definida na legislação, a saber, nos estatutos das corporações medievais, uma continuação, não
precisamente do clã, mas do que era idêntico a ligação entre membros de uma tribo, a saber, as antigas sociedades livres de Frith ou
comunidades de apoio mútuo. As leis de alianças prever que os membros da aliança não deve ter brigas entre si; mas no caso
lamentável de tal briga que surgirem entre dois da mesma guilda, as partes são proibidos, sob pena de exclusão em desgraça, para
chamar um ao outro antes de qualquer tribunal, mas o da própria aliança; nem mesmo em um país estrangeiro pode qualquer
membro de uma guilda mover ação contra um companheiro de membro perante um magistrado ou tribunal.

As leis de camponeses Frisian da Idade Média também achou necessário estabelecer regras rígidas e rápidas para as obrigações

36

parente para a parentes, e decreto que pessoas dentro dos graus mais próximos de relacionamento, como o pai, filho, irmão,
pai ou irmão da mãe, o pai de ou irmã da mãe, não pode trazer terno uns contra os outros perante o tribunal - não devem
processar ou juro um contra o outro; mas nos casos em que eles não podem concordar em questão de propriedade ou
similar, um de seus parente mais próximo será nomeado juiz.

Os estatutos da guilda estão tão perto da lei não escrita de parentesco como qualquer disposição sem vida, estranho pode ser a
consciência que tem vida em si mesmo. E eles nos dão, de fato, o caráter absoluto de Frith, a sua liberdade de toda reserva, em
breve.

Mas eles não podem dar a alma dela; para, em seguida, em vez de insistir que nenhuma discussão será sofreu a surgir
entre um irmão e outro, eles simplesmente reconhecer que existe tal discussão poderia, por qualquer possibilidade surgir.
Em outras palavras, em vez de uma proibição, devemos ter o reconhecimento de uma impossibilidade. Os personagens nas
sagas islandesas estão nesta posição ainda - embora possamos sentir que a coesão do clã está no ponto de
enfraquecimento. Eles ainda têm, mais ou menos intacta, o respeito involuntária para todos os interesses que possam afetar
o clã como um todo; um extremo de cautela e previsão em relação a toda essa empresa como não pode com certeza ser
considerada como unaffecting o interesse de todos os seus membros.

Até mesmo os personagens mais imprudentes são chary de fazer promessas ou alianças se vê qualquer possibilidade de
lesar o interesse de um parente. Eles vão com medo de tais conflitos. O poder de Frith é aparente, no fato de que ele não
conta como uma virtude, algo além do que é exigido, mas como uma necessidade diária, o mais óbvio de todos, tanto para
os personagens altas e baixas, heróicos e não heróicos. E as exceções, portanto, mostrar como algo abominável,
estranha.

Ligação entre membros de uma tribo não era a única forma de relacionamento entre indivíduos, e no entanto com sabedoria e cautela um
homem pode encomendar os seus passos, ele nunca poderia ter certeza de evitar qualquer dilema doloroso. Ele pode encontrar-se em uma
posição onde, aparentemente, o poder de Frith em si mesmo é posta à prova.

Assim, por exemplo, com Gudrun. O marido dela, Sigurd,


37

foi morto por seus próprios irmãos, Gunnar e Hogni. Ela expressa seu ressentimento em palavras agitação. No Lay de Gudrun
achamos assim: "Na cama e na placa me falta o meu amigo para falar com - este forjado filhos de Gjúki filhos de Gjúki me trouxe
a esta miséria, provocou choro amargo de sua irmã". Os poemas do norte também fazer seus proferir palavras de
maus-presságio; que soa como uma maldição quando ela diz: "Seu coração, Hogni, deve ser rasgado por corvos nos lugares
selvagens, onde você deve chorar em vão para a ajuda do homem". Mas não há lugar na saga, mesmo para os menos ato da
parte de Gudrun em prejuízo dos seus irmãos. Ela procura pelo ato e palavra para dificultar os planos de Atli de vingança contra
Gunnar e Hogni, e quando todos os seus avisos são em vão, ela faz Atli pagar caro para a ação. Os poetas do norte, enquanto
que sublinham a sua tristeza, mantê-lo durante todo inativos - eles nem sequer tentar suavizar o contraste por qualquer tipo de
conflito interno em sua alma; não há hesitação, não pesando desta ou daquela maneira. Frith era para eles a única coisa
absoluta. O poeta permite Hogni responder desabafo apaixonado de Gudrun com estas palavras profundamente significativas:
"Se os corvos rasgou o meu coração, a sua tristeza seria a mais profunda".

Os poemas Sigurd são formados pelas mãos do norte que lidam com temas antigos; eles nos dão pensamentos germânicas
como viveu novamente em mentes nórdicos ou da Islândia. Ao todo islandês, tanto no tema e palavra, é a tragédia que leva
a outlawry infeliz do Gisli Surson. Os dois irmãos, Gisli e Thorkel, são retratados pelo escritor da saga tão amplamente
deferente no caráter e nas suas simpatias tomam lados diferentes. Thorkel é um amigo próximo de Thorgrim, o marido de
sua irmã; Gisli é calorosamente ligado a Vestein, irmão de sua mulher, Aud. As relações entre os dois meio-irmãos-de-lei
foram evidentemente longo tensas e, Vestein último é morto por Thorgrim. Gisli se vinga secretamente por entrar na casa de
Thorgrim à noite e esfaqueá-lo enquanto ele está na cama. vingadores do Thorgrim, liderados por uma natural desconfiança,
pagar uma visita a Gisli antes que ele é para cima; Thorkel, que vive com seu irmão-de-lei e é do partido, consegue entrar
em primeiro lugar, e vendo os sapatos de Gisli, cheia de neve, no chão, ele empurra-los às pressas debaixo da cama. o

38

parte é obrigada a sair novamente sem ter nada feito; depois, no entanto, Gisli, no verso imprudente, declara-se o culpado,
e monta um partido fora chamá-lo a prestar contas. Thorkel está com eles como antes, mas mais uma vez ele consegue
avisar seu irmão. Na estrada o partido trata de uma herdade onde ele de repente se lembra há dinheiro devido a ele, e
aproveita a oportunidade de cobrança seu devedor. Mas enquanto o seu cavalo está selado fora da casa e seus
companheiros imaginá-lo contando dinheiro dentro, ele está montando em um emprestado montar-se para a floresta, onde
seu irmão tem escondido. E quando finalmente ele se estabeleceu seus vários assuntos de dinheiro e levado para a
estrada novamente, ele é ultrapassado por pequenos acidentes no caminho, o suficiente para atrasar o andamento do
partido consideravelmente.

golpe de Gisli era um assunto sério para Thorkel. Ele diz que se a Gisli: "Você fez-me não pouco errado, eu deveria dizer,
matando Thorgrim, meu irmão-em-lei e parceiro e amigo próximo". Os grandes obrigações que usam e personalizado
impostas a amigos uma para outra são a prova da seriedade com que tal intimidade foi considerado, e quão profundamente
as próprias partes e sua vontade envolvida no relacionamento. A posição de Thorkel é, portanto, mais amarga do que
aparece imediatamente. Mas a amizade deve dar lugar a Frith; não é uma questão de escolha por parte de Thorkel. Aqui,
novamente, temos o mesmo contraste como nos poemas Gudrun. A amargura de Thorkel e sua Frith pode não se
comunicam um com o outro; eles não podem vir ao alcance de uns aos outros, de modo a dar origem a qualquer conflito;
pois eles pertencem a
diferentes estratos da alma. Para nós, talvez, pode parecer como se houvesse um elo perdido da declaração sóbria da
história; mas as palavras como estão são boas psicologia islandês.

Este Frith é algo que está por trás de tudo, mais profundo do que toda inclinação. Não é uma questão de vontade, no sentido de que aqueles
que compartilhá-lo novamente e novamente escolher para definir seu parentesco antes de todos os outros sentimentos. É, antes, a própria
vontade. É idêntico com o sentimento real de parentesco, e não uma coisa que deriva dessa fonte.

Thorkel tem sua tristeza, como Gudrun tem a dela; mas a pos-

39

sabilidade que deve fazer que a tristeza de dois gumes, o simples pensamento de que um poderia tomar partido aqui, está fora de
questão. Assim nunca pode haver espaço para qualquer problema. O fato de tapume parente contra parente é conhecida a poesia
apenas como um mistério, ou um horror; como o resultado de uma loucura ou como algo escuro, incompreensível, algo que não é
nem mesmo destino.

Desde os primeiros tempos, os pensamentos dos homens têm pairado sobre este fato, que um homem poderia vir a matar
seu parente. Na imagem de pai e filho, cada um desconhecido para o outro, reunidos em batalha e derramamento de sangue
um do outro, a triste possibilidade sequer foi tratado poeticamente. Um magnífico fragmento - infelizmente, mas um torso -
destes poemas é encontrado no Hildebrand Lay alemão, onde o pai, voltando para casa depois de longa ausência em terras
estrangeiras encontra seu filho, que o obriga, muito contra a sua vontade, para se envolver em um único combate . Nós
encontrar o par novamente em Saxo, como dois irmãos, Halfdan e Hildiger. No Hildebrand Lay, é o ceticismo do filho em
relação à declaração do pai de parentesco, que traz sobre o desastre; o pai devo aceitar o desafio, ou ficar desonrado. Em
Saxo, a força interna do conflito está enfraquecido pelo fato de que Hildiger, por nenhuma razão, mantém o seu
conhecimento de seu parentesco para si mesmo até que ele encontra-se mortalmente ferido. A história de Saxo, no entanto,
é evidentemente derivado da mesma situação que a preservada no leiga alemã. Hildiger tenta por ofício para escapar do
destino, declarando de forma nobre que ele não pode pensar em se envolver em um único combate com um guerreiro não
comprovada; mas quando Halfdan, impávido, repete o seu desafio, e derruba um conjunto de antagonistas após o outro,
Hildiger, que vê sua própria fama, assim, ameaçada pela proeza de Halfdan, não pode suportar por mais tempo a recusar.
Uma versão islandesa, preservado na saga de Asmund Kappabani, concorda em todo tão estreitamente com o Saxo' s conta
que são forçados a presumir uma relação estreita entre os dois; um dos irmãos aqui tem ainda o nome antigo, Hildebrand, o
outro foi assimilado com Asmund, o herói da saga. A diferença entre a apresentação mais natural no Hildebrand Lay, e o
artifício dramático no norte

40

variantes, é principalmente devido à ansiedade os escritores saga para preservar tanto efeito quanto possível para o lamento final.

A história do encontro fatal entre dois irmãos é, como um tema épico, não especificamente germânica; podemos segui-lo para
o oeste, entre os celtas, e para o sul, até mesmo como Ásia. Possivelmente, ou, poderíamos dizer, provavelmente, tem a sua
origem, como uma questão de história literária, no sul; mas é mais importante observar como o tema tem sido renasce uma e
outra vez, entre um povo clannish após o outro; uma prova de que os mesmos pensamentos estavam por toda parte um peso
sobre a mente. Homens ponderou e especulou sobre este mistério na ordenação
vida, que um homem poderia ser dirigido contra a sua vontade para prejudicar seus parentes. No germânica, o caso é clara e
simplesmente declarou; Frith foi inviolável; mas a honra também tinha sua própria validade absoluta, de modo que os dois poderiam
colidir com tanta força a ponto de destruir tanto sobre o impacto, eo homem com eles. O encerramento da Hildebrand Lay é
infelizmente perdida, a própria parte que deve ter nos dado a queixa conjunta dos dois combatentes sobre o que tinha passado. A
perda é o mais grave, uma vez que este foi o ponto dominante de todo o poema. reprodução do Saxo, e ainda mais a elegia
modernizada da saga islandesa, dar, mas um eco fraco. Mas mesmo nestes, obras imitativos posteriores parece que encontramos
um pathos de uma natureza completamente diferente do habitual; não a seriedade implacável da morte, mas uma maravilha,
subindo para horror; não um apelo confiante para o destino com uma sensação de conforto na convicção de que não há reparação
para tudo, e que a reparação será feita para isso também, se aqueles que permanecem são de qualquer valor; mas apenas
desamparo e desesperança. E a mesma nota é atingido em outros lugares, como na saga de Hervor, onde Angantyr, encontrando o
corpo de seu irmão no campo de batalha, diz: "A maldição está sobre nós, que eu deveria ser a sua ruína; esta coisa será sempre
lembrado; doente é a desgraça dos Norns ". As palavras expressam o seu sentido de ser um monstro; tão desesperadamente sem
sentido é o seu destino que irá forçar os pensamentos da posteridade a pairar sobre ele, que "ele vai ser uma canção para as
próximas gerações". O fim da queixa da Hildebrand é executado, na paráfrase do Saxo, aproximadamente, como segue: "Um
destino mal,

41

fortuna na feliz, enterra sorrir na dor e hematomas destino. Pois é uma miséria lamentável arrastam uma vida no sofrimento, para
respirar sob a pressão dos dias carregadas de tristeza, e ir com medo do aviso ( presságio). não, mas tudo o que é malha
rapidamente pelo decreto profética da Parcas, tudo o que está previsto no concelho de alta providência, tudo o que tem, uma vez por
forevision foi corrigido na cadeia de destino, deve ser arrancado de seu lugar por qualquer mudança coisas de mundanos ".

Não há nada que corresponde a estas linhas do saga. A primeira parte do poema expressa o mesmo que paráfrase do Saxo:
"Ninguém sabe de antemão que morte será a sua Você nasceu de Drot na Dinamarca, eu na Suécia Meu escudo encontra-se
cindido para a minha cabeça, não é o conto de.. meus assassinatos; lá "- presumivelmente sobre o escudo -" encontra-se o
filho que gerou e matou dispostos '' - o que isto se refere a nós não sei ao certo e então o poema se encerra com uma oração
ao sobrevivente, para fazer "o que poucos. matadores têm qualquer mente", ou seja, envolver o homem morto em suas
próprias vestes, uma terminação que soa totalmente estranho, no seu sentimentalismo romântico, ao espírito do norte. Saxo
tem aqui, sem dúvida, trabalhou a partir de uma outra versão, mais próximo do original. Seu retrato dos dias maus vivido no
medo se encaixa mais ou menos precisão para o pensamento antigo: tal ato enterra toda a esperança para o futuro e se
espalha entre os sobreviventes, um medo perpétuo. Como as palavras originalmente ficava na versão norte é inútil acho, mas
Saxo de presságio em particular parece ter uma idéia verdadeira do norte, que tal ato constitui um aviso mal presságio. Para o
resto, as regras de destino; que está por vir virá; mas aqui é uma coisa sair além destino; pode-se, e poderia realmente, dizer
que o destino dos parentes foi arrebentou.

Os mesmos sem esperança anéis keynote através da descrição, no Beowulf, de tristeza do velho pai quando um de seus
filhos tem por acaso matado seu irmão. O poeta compara-o a um velho que vê seu amado filho pendurado, ainda jovem,
na forca - uma ilustração desesperada por um poeta germânica de usar -: "Então ele levanta sua voz em uma canção de
angústia, como seus trava filho no prazer dos corvos, e ele não pode ajudá-lo; velha e sobrecarregados
42

com dias, não pode salvá-lo. Sempre que ele se lembra, manhã após manhã, o falecimento de seu filho; um herdeiro em seu lugar
ele não se importa de esperar no castelo ... Entristecendo ele vê sua resíduos vinho-hall, o vento-varrido câmara, vazia de alegria,
na casa de seu filho. O piloto forca dorme, o herói em sua sepultura. Nenhum som de harpa, nenhum prazer agora na herdade,
como havia uma vez.

Ele toma o seu caminho para o sofá, canta um canto triste, solitário sobre o solitário um; em todos os lugares, nos campos como
em casa, não é muito grande um espaço. assim enfureceu tristeza na príncipe dos Weders, tristeza por seu filho Herebeald; de
modo algum ele poderia ganhar o pagamento para que morte através da vida do homicida, nem ao premiar o jovem herói com
atos amargos em relação a ele; embora ele não tinha amor por ele. Misery segurou rápido, desde o dia em que a ferida foi
tratada ele, até que ele desmaiou do mundo alegre dos homens."

Mas Frith exige mais do que parentes deve apenas poupar uns aos outros.

Thorkel Surson era um personagem fraco. Ele estava contente em se colocar em uma posição ambígua quando ele
manteve o seu lugar entre seu irmão-de-lei vingadores do. Ele diz para Gisli: "Vou avisá-lo se eu aparecer notícias de
quaisquer planos contra você, mas eu não vou prestar-lhe qualquer ajuda como pode me pôr em dificuldades." Gisli
evidentemente respeita essa cautela como um compromisso desonesto com consciência. "Tal resposta como você me
deu aqui eu nunca poderia dar a você, e eu nunca poderia agir de tal maneira", ele retruca. Um homem não vai andar em
companhia de adversários de seu parente. Um homem não vou mentir ocioso enquanto o terno de seu parente está em
andamento, eo fato de que este mesmo parente tem pregado seu irmão-de-lei rápido para a cama à noite é claramente de
nenhum peso no julgamento de Gisli.

E Gisli está na direita. Frith é algo ativo, não apenas levando parentes para poupar uns aos outros, mas forçá-los

43

para apoiar uma causa de outra, ajudar e ficar patrocinador para o outro, a confiança um do outro. Nossas palavras são muito
dependentes por sua força sobre as associações sentimentais para suportar a importação cheia de sentimento clã; a
responsabilidade é absoluta, porque parentes são, literalmente, os que praticam uma atos dos outros.

Os estatutos da guilda fornecidos como segue: "Se isso acontecer que algum irmão mata qualquer homem que não é um irmão da
Guilda de São Canuto ( ou seja da nossa aliança), em seguida, os irmãos devem ajudá-lo em sua conta e risco de vida da melhor forma
possível. Se ele ser pela água, eles devem ajudá-lo com um barco, remos, dipper, paiol e machado ... Se ele precisa de um cavalo, eles
devem fornecer-lhe com um cavalo ..."

"Qualquer irmão capaz de ajudar, e não ajudar ... ele sairá desta aliança como um niding."

"Cada irmão deve ajudar seu irmão em todos os processos."

Ou seja, se um irmão tem uma ação judicial, doze irmãos da aliança deve ser escolhido para ir com ele para a sua
audição e apoiá-lo; - os irmãos são também para formar uma guarda armada
sobre ele, e escoltá-lo de e para o local onde o Tribunal é realizada, se necessário. E quando um irmão tem que trazer
juramento perante o tribunal, doze membros do clã deve ser escolhido por sorteio para jurar sobre seu lado, e os
escolhidos são para ajudá-lo na sábio viril. Um homem não apoiar seu irmão por juramento, ou prestar testemunho contra
ele, está sujeito a pesadas multas.

Existem dois tipos de casos. Dois tipos de assassinato, por exemplo 1. a guilda-irmão mata um estranho, 2. um estranho
mata uma guilda-irmão. No primeiro caso, os irmãos do clã ver que o assassino foge em segurança a cavalo ou de navio.
Neste último caso, a regra é a seguinte: Nenhum irmão come ou bebe ou tem relações sexuais com o assassino de seu
irmão, seja em terra ou no navio. Os irmãos de alianças deve ajudar herdeiros do morto à vingança ou restituição.

É difícil, talvez, perceber que esta dupla valorização teve seu lugar em uma comunidade de cidadãos, e não em campo de alguns
isento de booters; como está válida como lei suprema para conservadores homens iluminados decentes,,; homens que naqueles
dias representados, por assim dizer, o progresso na continuidade histórica. este partidária

44

solidariedade na Frith é seu forte apego ao passado, eo valor cultural deste espírito partidário é revelada pelo fato de que ele
está por trás dos movimentos de reforma da Idade Média como sua força motriz. Como os irmãos aqui nas guildas, tão parentes
também foram preenchidos, a tal ponto com "amor", tão ansiosos para ajudar, para que não poderia encontrar qualquer energia
à esquerda para julgar de certo e errado. Eles não eram por natureza e princípio injusto, partidária; fé e sentido de justiça pode
também prosperar juntos; mas eles pertencem, para usar uma expressão já utilizada antes, para diferentes estratos da alma e,
assim, perder o contato uns com os outros.

O caráter inflexível de Frith é admiravelmente ilustrada pela última aparição de grand old Egil na moot-lugar. Aconteceu um
dia, quando Egil foi cultivado antiga e um pouco de lado, que uma discussão surgiu entre seu filho Thorstein eo filho de
Onund Sjoni Steinar, sobre um pedaço de terra. Steinar desafiadoramente enviou o seu rebanho a pastar lá; Thorstein
fielmente reduzir seus pastores. Steinar convocado Thorstein, e agora as partes estavam na lei-coisa. Em seguida, a
montagem percebe uma festa subindo, liderado por um homem em amour completo; é Egil idade, com uma sequência de
oitenta homens. Ele desmonta calmamente pelas cabines, faz os arranjos necessária, em seguida, passa-se para o monte
onde o tribunal é realizada e as chamadas para seu velho amigo Onund: "É seu fazer que meu filho é convocado para
quebrar a paz" "Não, na verdade, '' diz Onund " não foi por minha vontade, eu sou mais cuidadoso da nossa amizade antiga
do que a fazê-lo; foi bem que você veio ..." "Bem, vamos ver agora se você dizer nada com o que você diz; vamos duas em
vez levar o assunto na mão do que esses dois galos de briga deve sofrer se a ser instigados uns contra os outros por sua
própria juventude e os conselhos de outros." E quando então o assunto é submetido à arbitragem de Egil, ele calmamente
decide que Steinar não receberão qualquer indenização para os escravos mortos; sua herdade é confiscado e ele próprio
deve deixar o distrito antes voando dia.

Há um toque de nobreza sobre a última aparição pública de Egil, a nobreza de caráter muito simples. Ele aceita o cargo
de árbitro, e decide o caso - como podemos ver, contra todos, provavelmente expectativa razoável, justificada - como
se apenas a sua própria
45

lado existia, e faz isso com uma superioridade legal, o que deixa nenhum tipo de dúvida de que ele age com a total aprovação de sua
consciência. Aqui, novamente Egil se destaca como uma expressão monumental de uma idade morrendo.

A mesma ingenuidade é visto diretamente no outro personagem oldfashioned, Hallfred, chamado de retrógrado Scald. Em uma
ocasião, quando seu pai com rara imparcialidade tenha julgado contra ele, ele diz: "A quem eu possa confiar, quando meu pai
me falhar?"

A simplicidade simples, tendo um ponto de vista como uma questão de curso, coloca Hallfred, como faz Egil, fora de qualquer
comparação com grandes ou pequenos exemplos do egoísmo e da injustiça, e os torna tipos; mais do que os tipos de sua idade,
eles são tipos de uma forma da própria cultura. Assim, o pensamento, de modo que agiu - e não as exceções, as individualidades
marcados, e não os homens que estavam um pouco além do comum - mas os homens em geral. A idéia de Frith é definido tão
profundamente debaixo de todas as marcas pessoais de caráter e toda inclinação indivíduo, que afeta-los somente a partir de
baixo, e não como uma inclinação ou um sentimento pode afetar o outro. Os personagens podem ser muito diferentes, mas a
violação de caráter não chegar até este centro nobre da alma. Egil era um homem de dura cerviz, difícil de lidar em casa e no
exterior, ele seria o senhor em sua casa, e um tratado de paz em que ele não se ditar os termos que ele não estaria disposto a
reconhecer. Outro homem poderia ser mais fácil de lidar, pacífica, pronto para encontrar uma solução, rápida para evitar a
colisão, e ansioso para remover as causas do conflito, - mas ele nunca poderia ser assim poupar na base de Frith e parentesco.

Askel, o, chefe de tomada de paz direito de espírito do Reykdale, é talvez demasiado moderno um personagem para ir bem
na companhia de Egil; mas sua história, como a encontramos na saga dos homens Reykdale, dá-nos a qualquer taxa de uma
imagem gráfica dos princípios da reconciliação. Askel é tão infeliz como ter filho de uma irmã cujo caráter é tal que disputa
parece uma necessidade para ele, e tarefa de Askel na vida é seguir as pegadas deste Vemund e colocar as coisas à direita
novamente depois dele. Ele realiza sua tarefa fielmente, está sempre no local, logo que Vemund teve um de seus grandes
dias, para efetuar uma reconciliação,

46

e remediar os danos causados ​por seu parente. As realizações de Vemund no maior estilo começar com sua companhia se
juntar com um homem rico, mas ruim, ḥanef de Othveginstunga, a quem tricota mais perto de si mesmo por aceitar uma oferta
de fomentar uma criança. Ḥanef naturalmente faz uso dessas boas ligações para continuar seus truques rascally em maior
medida do que antes. Ele rouba gado. Apesar das sérias representações de Askel, Vemund ocupa causa de seu amigo, e até
mesmo craftily explora nome respeitado de seu tio para reunir os homens ao seu lado. O resultado é uma batalha em que
ḥanef e dois bons homens caem de um lado, e por outro, um homem livre e um escravo. Askel aparece e faz a paz entre as
partes, a julgar ḥanef eo escravo como iguais, da mesma forma o homem para o homem dos outros mortos, deixando os
adversários a pagar uma multa para o restante. Assim, julga o homem mais imparcial na Islândia, quando é uma questão de
fazer boa que seu parente tem feito mal. próxima realização da nota de Vemund está traindo um capitão norueguês a
vender-lhe um carregamento de madeira já vendido para Steingrim de Eyja fiorde. Steingrim retalia por ter escravos de
Vemund morto, e sua parte da madeira trazido para casa para si mesmo. Askel tem que sair e resolver questões de novo, e
quando Vemund considera que esta intervenção não lhe adquiridos reparação pelos escravos, Askel lhe oferece pagamento
integral para eles fora de seu próprio bolso. Este Vemund se recusa a aceitar, tacitamente reservando para si o direito de
acertar as contas à sua maneira quando a oportunidade oferece. Ele tenta, em vão, fazer as coisas equilíbrio por roubar um
par de bois Steingrim comprou - a sua
desinteresse no caso é mostrado por seu oferecendo-lhes a Askel como um presente - mas ele não recebe nenhum resultado
real fora deste, quer, apenas um par de assassinatos e um assentamento, o último, é claro, sendo o trabalho de Askel. A única
objeção Vemund tem que esse acordo é que Askel tem mais uma vez deixou a morte dos escravos no caso anterior fora de
consideração. Ele agora tenta outra forma, a contratação de um miserável insultar Steingrim de uma forma peculiarmente
desagradável, e tentativa desta vez de Askel na pacificação falhar devido ao amargo ressentimento da outra parte; não até que
uma tentativa de vingança levou à morte do irmão de Vemund, Herjolf faz

47

o chefe sensato ter sucesso na realização de um acordo através do qual - Herjolf é para ser pago, dois companheiros de
Steingrim devem ser exilado para sempre, e outros dois para dois anos. Assim, o jogo continua, com atos de agressão por
parte de Vemund, - sempre tão travesso como sempre - e intervenção por parte do Askel - sempre em total concordância
com os princípios da Frith, até que finalmente a medida está cheia; e quando Steingrim com seus seguidores se colocam
no caminho de Askel e Vemund e os seus homens, Askel aceita o combate, sem entusiasmo, mas também sem
hesitação. E isso foi o fim de Askel e Steingrim.

Esperteza e diplomacia não foram proibidos qualidades acordo com o uso de idade. Qualquer homem era livre para a borda e
cotovelo seu caminho através do mundo, mesmo em assuntos directamente relacionados com o seu relacionamento com
irmãos e parentes. Ele poderia tomar pequenas liberdades com a Frith, desde que ele tomou cuidado para não efetuar qualquer
violação real, no entanto ligeira. Mas ele deve sempre estar preparado para encontrá-lo subindo inflexível diante dele. Era
perfeitamente lícito deixar os próprios parentes sabem que um preferido pessoalmente outra forma de vida do que eles tinham
escolhido a seguir, e que um seria mais feliz de vê-los adotar os próprios princípios - isso pelo menos poderia ser feito, na
Islândia, o período das sagas, e eu não acho que essa liberdade foi, em seguida, em data recente - mas Frith manteve-se firme
como sempre. Quanto renegando a ação dos próprios parentes e ocupando um pessoal,

Um homem é levado para casa, sem vida. A questão do que ele tem feito, dos seus antecedentes em geral, se desvanece
com o fundo mais escuro. Não é o fato: ele é nosso parente. A investigação tem por objeto: morto pela mão do homem, ou
não? feridas? e de que tipo? Quem era o assassino? E nisso os parentes escolher o seu líder, ou se reúnem em volta do
vingador nascido e prometer-lhe toda a assistência em processar o caso, quer pela força das armas ou com a lei. Os
parentes do assassino, por sua vez, estão bem cientes do que está agora a ser feito; eles sabem que a vingança está em
seus calcanhares. Tão simples e direta é a ideia de Frith. Ele calcula que com os fatos por si só, tendo

48

nenhuma contagem de considerações pessoais e as causas que levaram a esta conclusão violenta.

Ao longo de toda a antiga literatura nórdica, com os seus inúmeros assassinatos, justificada ou não, não há uma única instância
de homens de boa vontade abster-se de tentativas de vingança por causa do caráter de seu parente falecido. Eles podem ser
forçados a deixá-lo mentir como ele mente, eles podem perceber a inutilidade de qualquer esforço para obter reparação; mas em
todo caso, podemos aplicar o enunciado ocasionalmente encontrada: "Eu pouparia nada que eu pudesse ter certeza de que a
vingança era para ser adquirida." É, certamente, dizendo uma grande quantidade de afirmar que não há uma única instância;
pode haver, e provavelmente eram, os casos de homicídio, o mais longo de que nós não sabemos. O testemunho positivo reside
no fato de que o escritor saga raramente deixa de enfatizar a amargura do desespero que caiu no monte de homens forçados a
renunciar à sua
vingança. E a amargura desta auto-negação imposta também é aparente nas proibições que tinha ocasionalmente a
serem emitidas no sul, bem como em partes do norte do território Teutonic, contra a tomada de vingança por um
criminoso legalmente julgado e legalmente enforcado.

Por outro lado, o matador chega em casa e estados, simples e breve, que assim e assim foi morto "e seus parentes
dificilmente vai julgar-me livre de toda a culpa no assunto." O efeito imediato destas palavras é que seus parentes se
preparar para a defesa, para proteger-se e seu homem. É no decurso das suas preparações, deixam cair uma palavra ou
assim anente a inconveniência de agir como ele acabou de fazer, é apenas um aparte, um enunciado além da ação, e
sem qualquer tendência de afetá-lo; serve apenas para melhorar o efeito de determinação.

Um islandês cumprimenta seu parente na porta com o penhor desejo que ele quer virar uma nova folha e viver decentemente,
ou então encontrar algum outro lugar para ficar - o que disse, os dois vão dentro e discutir quais as medidas que estão agora a
tomar em relação ao mais recente assassinato do visitante. Ou o infractor pode responder, como Thorvald Krok - que era
culpado de homicídio simples - responde a reprovação de seu parente Thorarin: "É pouco uso para lamentar o que agora é
feito, você só vai trazer mais

49

problemas em si mesmo se você se recusar a nos ajudar; . Se você levar o assunto, não será difícil encontrar outros que
ajudarão "E Thorarin responde:" É o meu conselho que você se mover para cá com toda a sua; e que nos reunimos outros para
nós ...."

Um bruto, mas caso não totalmente exclusivo do poder convincente de Frith é encontrado na história de Hrolleif do Vatsdoela.
Este ne'er-do-bem navios para a Islândia com sua bruxa de uma mãe, faz a sua aparição na fazenda de seu tio Sæmund e
afirma ser recebidos lá, de acordo com o vínculo de parentesco entre eles. Sæmund observa astutamente que parece,
lamentavelmente, mais perto de caráter com a mãe do que ao estoque de seu pai, mas Hrolleif escovas o opróbrio afastado
com a resposta simples: "Eu não posso viver em predições doentes." Quando a vida com Hrolleif na herdade se torna
insuportável, eo filho de Sæmund Geirmund reclama dele como intolerável, Hrolleif opina que é vergonhoso, assim, para o
transporte ferroviário por ninharias, e desacreditar a própria família. Ele recebe uma exploração, mata um homem, para o qual
matando Sæmund tem que pagar a multa, e quando, finalmente, ele coroou seu recorde matando Ingimund, irmão de criação
de Sæmund, que com a força de sua amizade tinha dado terras Hrolleif de sua autoria, ele monta diretamente para Geirmund
e obriga este último para protegê-lo, com as palavras: "Aqui eu vou sofrer me para ser morto, a sua desgraça." Achamos que
é dificilmente notável que Sæmund, quando um vizinho chama com reclamações fundamentadas contra atos de seu sobrinho
no distrito, deve dar vazão a um suspiro: "Ele não era senão de bom se tais homens foram colocados para fora do mundo", -
mas o que faz o vizinho diz: "Você seria muito certamente pensar de outra forma se houver deve tentar fazê-lo a sério." Aqui
reside a grande dificuldade: Sæmund é obrigado a realizar por Hrolleif tão longe como sempre possível; não apenas para
cobri-lo, mas ainda mais,

Aqui está uma cena de saga de Vallaljot, onde as palavras de Ljot são particularmente característico. Não foram matar e
outros assuntos entre Ljot e seus parentes, por um lado, e os dois filhos de Sigmund, Hrolf e Halli, por outro. Todos
dissensão já foi enterrado por uma reconciliação justo, graças à intervenção da mente certa de Gudmund o
50

Poderoso. Bodvar, um terceiro filho de Sigmund, foi para o exterior durante estas obras; ele agora retorna, e é forçado a
procurar abrigo durante uma tempestade na casa de Thorgrim, irmão de Ljot. Contra a vontade de Thorgrim, e apesar de seus
esforços para evitar qualquer da casa de sair do lugar enquanto os convidados estão lá, um homem, Sigmund, escapa e corre
fora de criar problemas. Ljot não vai matar um homem inoffending e quebrar a paz acordado, nem ele vai levantar a mão
contra os clientes de seu irmão. Mas há outros que ainda guardar rancor, e Bodvar é morto como ele vai a caminho da casa
de Thorgrim. O que os vingadores ansiosos fazer agora, mas vir a Ljot, o melhor homem da família. "Pode custar algumas
palavras duras, mas estaremos seguros com ele", um deles sugere. "Foi ele quem aconselhou contra vingança, "Mais pontos
fora, mas ele se encontra com a réplica: 'Quanto mais estamos precisando dele, mais robustamente ele vai ajudar', então Eles
informam Ljot que tomaram vingança por seu parente, e a saga continua:. Ljot : "Ele está doente ter parentes mal que só
levam um em apuros; que é agora a ser feito "Eles partiram para encontrar Thorgrim, - e, claro, a saga não tem necessidade
de afirmar que Ljot é um do partido Ljot diz: '? Por que você abrigar nossos unfriends, Thorgrim' Ele responde? : "O que mais
eu poderia fazer? Eu fiz o meu melhor, embora não aproveitar. Sigmund fez o seu melhor; e quando tudo estiver dito e feito,
ele caiu de outra forma do que eu desejava "Ljot:". Melhor se tivesse sido se os seus planos foram seguidos, mas ... agora o
melhor é que nós não ficar distante ... ele dificilmente pode ser de outra forma agora do que eu deveria ajudar, e eu vou
assumir a liderança; Tenho pouco desejo para grandes empresas, mas eu não vou perder o que é meu para qualquer homem
"Thorgrim pergunta o que vai ser de Eyjolf, que de sua própria vontade tinha tomado uma parte ansiosa no ato de vingança;.
Ljot se compromete a protegê-lo e afastá-lo para fora do país. "Mas Bjorn", diz Ljot, "é para ficar comigo, e seu destino deve
ser meu." Bjorn era filho da irmã de Ljot, e tinha sido o líder do partido que tinha matou Bodvar.

Há um ecobatímetro do caráter ativo deste Frith no antigo paráfrase do Sermão da Montanha de alemão; em
germanising comando de Cristo como a auto-sem reservas

51

negação, "Se teu olho te escandalizar, a tua mão te enviei, lança-o de ti", diz ele, "Vá não com o parente que leva ao
pecado, errado, ainda que seja nunca tão de perto teu parente; melhor para lançá-lo lado, a abominar ele, e colocar amor
resíduos no coração, que se pode subir sozinho para o alto céu."

simpatias pessoais e antipatias de novo, pode, naturalmente, nunca levantar-se contra a autoridade de Frith. As relações entre
Thorstein e seu pai nunca tinha sido muito cordial; a mente de Egil, este filho de seu nunca foi muito suave, muito easygoing um
homem. Egil não poderia prosperar em sua casa, mas foi em sua velhice para viver com um passo-filha; mas seus sentimentos
pessoais em relação a seu filho não poderia fazê-lo parar um único momento para considerar se ele deve ou não interferir.

A Saga de Bandamanna tem uma pequena história com base neste tema, de um pai e filho que nunca poderia se dar
bem juntos, mas estão unidos por seu sentimento comum contra todos os forasteiros. O filho é estranho, um homem rico;
Usvif, seu pai, é pobre. Odd se envolve em uma ação judicial, que os mal-intencionados aproveitar para apertá-lo
completamente. Eles juraram juntos, não deixá-lo ir livre até que o tenham tirado dele. Então artística velho Usvif vem
junto, e ao abrigo da sua Illwill notória para seu filho, vai sobre entre os conspiradores, abrindo os olhos de alguns deles
à natureza perigosa do seu empreendimento. "Como puramente como
meu filho tem dinheiro em seu peito, assim, certamente, também tem que saber em sua cabeça para encontrar uma maneira, quando o que é
necessário ... você adequadamente saber quanto do espólio não vai cair para cada um, quando há oito você compartilhar ... por que você não
precisa pensar o meu filho vai sentar-se esperando em casa para você?; ele tem um navio, como você sabe, e poupar para a herdade e da
terra, a riqueza de um homem irá flutuar na água, isso eu sei ... não, mas o que um homem tenha chegado, que ele tem." E aqui o velho está
perto de deixar cair uma bolsa de gordura escondida debaixo da capa, o preço que ele tinha exigido de seu filho com antecedência por sua
ajuda. Assim, ele passou sem hesitação sobre o trabalho do frith como ele entendeu, e tomou um orgulho saudável no seu e sucesso de seu
filho em resolver a questão.

Todos devem dar lugar a Frith, todas as obrigações, todas as considerações

52

de si mesmo, tudo, até a relação com a própria dignidade pessoal - se é que isso poderia ser imaginado como existente
para além do sentimento de parentesco.

O grande exemplo heróico de próprio de filha e fidelidade fraternal é Signy. O Volsungasaga diz, presumivelmente com base
em toda sobre poemas mais antigos, como um desacordo entre Volsung e seu filho-de-lei, Siggeir, o marido de Signy, leva à
morte do ex. único filho sobrevivente de Volsung, Sigmund, tem que levar para a floresta, e lá ele pondera sobre vingança
por seu pai. Signy envia um após o outro de seus filhos para ajudá-lo, e sacrifícios sem piedade quando eles mostram-se
covarde e inútil. Finalmente ela se sai, disfarçado e irreconhecível, para o esconderijo de Sigmund, e tem seu próprio irmão
um filho, um vingador do tipo verdadeiro, o instinto com o sentimento de ligação entre membros de uma tribo. "A juventude
guerra qualificados me fechou em seus braços; havia alegria em seus braços, e ainda assim era odioso para mim também",
corre o mexendo monólogo Inglês Antigo. E quando finalmente a vingança tão esperada vem, e as chamas de fogo para
cima sobre o Rei Siggeir, ela se joga nas chamas com as palavras: "Fiz tudo o que o rei Siggeir pode ser levado a sua morte;
tanto que eu fiz para trazer a vingança que eu não vou em qualquer viver sábio já, vou morrer agora com Siggeir como boa
vontade como eu vivia sem querer com ele ".

Para tal comprimento é ela impulsionado por Frith. Ela não pode parar em qualquer ponto, em face de qualquer horror, assim
desde que o seu amor fraternal ainda está insatisfeito. Ela é realizada irresistivelmente através do sentimento maternal e o pavor
de incesto. Para não há a menor sugestão da saga que Signy é para ser tomado como um daqueles personagens Stern em quem
uma paixão sufoca todos os outros a partir da raiz.

Somos tentados a considerar este episódio como um estudo, um pedaço de escrita problema, como uma tentativa consciente de
trabalhar o poder de Frith sobre o caráter. A sugestão tem, penso eu, algo que o justifique; a história tal como está tem a sua
ideia. Consciente ou inconscientemente, o poeta, e seus ouvintes, estavam preocupados para trazê-lo sobre o que o frith de um
lado e que, por outro - o relacionamento de uma mulher ao seu marido é também uma espécie de Frith

53

- foram assim forçados um contra o outro que os dois mostraram seu poder esmagando os seres humanos entre eles.
Signy devo se vingar de seu marido pela morte de seu pai, a despeito da própria humanidade, e ela devo vingar-se por
seu próprio ato; suas palavras: "Tanta coisa que eu fiz para trazer vingança que eu não vou de forma alguma a viver mais
tempo", não vem como uma frase vazia, eles soam como o tema do poema. Gudrun pode pesar por seu marido, mas ela
não pode tomar medidas contra seus irmãos; Signy deve ajudar na
promover vingança por seu pai, mesmo que lhe custou seu marido e seus filhos, e algo mais.

O Frith dos estatutos de alianças, que exige que os irmãos para assumir um do outro causa, considerando apenas a pessoa, e
não a própria matéria, é, portanto, não é exagero. E o frith de parentesco tem uma coisa sobre isso que nunca pode encontrar
expressão em um parágrafo de leis: a saber, a espontaneidade, a necessidade, o irrefletido "não podemos fazer o contrário".

E de onde vem esse "Nós não podemos fazer outra coisa", mas a partir de profundidades que se encontram abaixo todos
autodeterminação e auto-compreensão. Podemos seguir a idéia de Frith da sua manifestação na auto-consciência do homem,
para baixo através de todas as suas disposições, até desaparecer na raiz da vontade. Nós mal percebem que não é ele que quer
Frith, mas Frith que ele quer. Encontra-se no fundo de sua alma como o grande elemento fundamental, com a cegueira e a força
da natureza.

Frith constitui aquilo a que chamamos a base da alma. Não é um sentimento poderoso entre outros sentimentos nessas
pessoas, mas a própria essência da alma, que dá origem a todos os pensamentos e sentimentos, e lhes fornece a energia da
vida - ou é que o centro na auto onde os pensamentos e sentimentos receber o selo de sua humanidade, e são inspirados com a
vontade e direção. Ele responde ao que em nós mesmos chamamos de humano. A humanidade neles tem sempre a marca de
parentesco. Em nossa cultura, um crime revoltante é marca como inumano, e, inversamente, expressamos nossa apreciação do
comportamento nobre, chamando-a genuinamente humana; pelos germanos, o primeiro é condenado como destruir kin-vida de
um homem, este último elogiado por reforço do sentido

54

de Frith. Portanto, a morte de um parente é o horror supremo, vergonha e má sorte em um, enquanto um assassinato
comum é meramente um ato que pode, ou não, ser censurável acordo com as circunstâncias.

Abaixo deste nível de espontaneidade, não há diferença entre mim e ti, tanto quanto parentesco atinge. Se Frith constitui a
base da alma, é uma base que todos os parentes têm em comum. Lá eles adjacentes um ao outro, sem qualquer vontade
ou reflexão entre eles como um buffer. Parentes fortalecer uns aos outros; eles não são como duas ou mais pessoas que
agregam seus respectivos pontos fortes juntos, mas eles agem em conjunto, porque no fundo em todos eles há uma coisa
em comum que conhece e pensa por eles. Nay, mais; eles estão tão unidos que se pode chamar a força para si mesmo a
partir de outro.

Esta peculiaridade do homem é bem conhecido pelo urso, de acordo com uma corrente dizendo no norte da Suécia. "É melhor
lutar doze homens do que dois irmãos" é executado um provérbio atribuído ao animal sábio. Entre doze homens, um urso pode
escolher fora um de cada vez de forma racional; mas os dois não podem ser tomados um a um. E se a cair, a sua força é
passada para seu irmão.

Esta solidariedade - como exemplificado nas leis da vingança - repousa sobre o fato natural de unidade psicológica.
Através do canal da alma, a ação e o sofrimento do fluxo indivíduo em, espalhando-se a todos os que pertencem a uma
mesma ação, de modo que no verdadeiro sentido são os que praticam uma atos dos outros. Quando eles seguem o seu
homem para a sede de justiça e apoiá-lo ao máximo de seu poder, eles não estão agindo como se sua ação eram deles,
mas porque é. Enquanto o assunto ainda é incerto, todos os parentes em questão estão em um estado de permanente
desafio. Não só o matador está em perigo de perecer pela
espada que ele atraiu; vingança pode igualmente ser atingido pela morte de um de seus parentes, se as partes ofendidas
encontrar o tal mais fácil de alcançar, ou julgá-lo mais "digna", como objeto de vingança. As palavras de Steingrim ter um
anel mais natural, quando ele vem para Eyjolf Valgerdson e diz que ele foi para fora em busca de Vemund, mas sendo
impedido, levou vez seu irmão Herjolf (que, a partir da saga, não parecem ter

55

teve qualquer participação em atos de Vemund). "Eyjolf não se agradou que não tinha sido Vemund ou Hals (outro irmão
de Vemund do), mas Steingrim disse, eles não tinham sido capazes de chegar Vemund - 'se tivéssemos vez visto ele tinha
sido' E Eyjolf da mesma forma tinha. nenhuma objeção a isso." O anel das palavras, a paixão, prática, o tom de
matéria-de-fato em que os discursos são proferidas, nos diz de uma vez, melhor do que muita explicação rotunda, que
temos aqui para lidar com uma questão de experiência, e não um reflexo ou uma regra arbitrária. Em outra saga que um
homem tem que pagar com a sua vida para as escapadas amorosas de seu irmão. Ingolf tinha causado ofensa a filha de
Ottar por suas visitas persistentes para sua casa, e seu pai reivindicou a honra de sua filha por ter o irmão de Ingolf,
Gudbrand, morto.

Da mesma forma, todos aqueles unidos por um vínculo de parentesco sofrer por qualquer scathe a um de seu clã: todos sentir a dor da
ferida, todos são igualmente aptos a buscar vingança. Se uma multa ser decretado, todos terão a sua parte.

Assim, os parentes proclamar sua unidade de alma e corpo, e esta identidade recíproca é a base sobre a qual a sociedade e
as leis do mastro sociedade se basear. Em todas as relações entre homem e homem, é Frith que é levado em conta, não
indivíduos. O que um único homem tem feito liga todos os que vivem no mesmo círculo de Frith. Os parentes de um homem
morto aparecer em pleno
como acusadores. É o clã do matador que promete indenização; o clã que paga-lo. É o clã do homem morto que recebe o
bem, e a soma é novamente repartido de tal modo a atingir todos os membros do grupo. As duas famílias prometer uns
aos outros, como uma corporação para outro a paz ea segurança no futuro.

Quando uma questão de sangue ou lesão é levado perante o tribunal da lei-coisa, o decreto deve seguir a linha de
demarcação tirada por parentesco. O círculo de quantidades Frith a um indivíduo, que não pode ser dividido defesa do
guarda-amputação, e seu direito constitui um todo que nenhum julgamento pode dissecar.

56

jurisprudência germânica não conhece tal valorização de um ato como permite de justiça distributiva; ele só pode segurar
a um partido inteiramente na direita, e outro totalmente errado. Se um homem foi morto, e seus amigos renunciar ao seu
direito imediato de vingança e levar sua queixa perante o tribunal em vez disso, a comunidade deve ou julgar os
queixosos seu direito de Frith e reparação, ou condená-los a partir de seu Frith e declará-los indignos de buscar
reparação. No primeiro caso, a comunidade agrega a sua autoridade para os trabalhos da parte lesada, negando assim o
acusado tudo certo para manter seu parentesco ou defender e ajudar o matador: neste último caso, quando o abate foi
feito em auto-defesa ou de provocação , a lei-coisa diz aos queixosos: "seu Frith é penteada, você não tem direito de
vingança."
Fomos ensinados desde a infância a considerar a história do feixe de varas como uma ilustração da importância da
unidade. A atitude germânica da mente começa a partir de um lado completamente diferente. Aqui, a unidade não é
considerado originário da adição; unidade é o primeiro na existência. O pensamento de apoio mútuo não desempenha
nenhum papel de liderança entre esses homens; eles não vêem-lo à luz de um homem após o outro vem com sua força e
toda então somados; mas sim como se a força estava em que os une. Para eles, então, toda a comunidade está
quebrado, e a força de sua com ele homens, assim que mesmo uma das partes individuais para ele é rasgado. E assim
comparar o grupo de parentes a uma cerca, stave definido pela pauta, abrangendo um terreno sagrado. Quando alguém é
atingido, há uma brecha no clã,

Tal então, é o Frith, que nos tempos antigos parentes unidos uns com os outros; um amor que só pode ser caracterizada como um
sentimento de identidade, tão profundamente enraizado que nem simpatia nem antipatia, nem qualquer humor ou humor pode
torná-lo vazar ou fluxo.

Nenhum acontecimento pode ser tão poderoso que chegar para baixo e perturbar essa profundidade. Nem mesmo os sentimentos mais
fortes e obriga-

57

ções para com os não-parentes podem penetrar, de modo a dar origem a qualquer tragédia interior, qualquer conflito da
alma. Signy, para levá-la como um tipo, foi levado a fazer o que ela preferia ter deixado de fazer; as palavras
emocionantes: "havia alegria nele, mas era odioso para mim também", são, sem dúvida, aplicável também ao seu estado
após a consumação de sua vingança. Tão perto possível a abordagem Northmen à tragédia, que retratam um ser humano
que sofre, tomando medidas. Mas não há dúvida de qualquer conflito interno, no sentido de seu considerando, no medo, o
que é claro que ela é escolher. O elemento trágica vem do exterior; ela age naturalmente e sem hesitação, e sua ação
gira-la para a destruição. Quando a primeira dissensão entre parentes é conscientemente explorado como um sujeito
poético,

O Laxdoela desempenha sobre o trágico conflito na mente de um homem, quando ele está girou em inimizade com seu primo
pela ambição de uma mulher. O Gudrun forte de espírito nunca é capaz de esquecer que uma vez que ela amava Kjartan e
foi abandonada, e quando ela se casa com Bolli, primo de Kjartan, ela faz dele um instrumento de sua vingança. Por fim, o
dia do julgamento chegou: Kjartan é relatado para ser em um passeio solitário passado herdade de Bolli. Gudrun foi até às
sundawn, diz a saga, e acordou seus irmãos. "Esse valor como você é, você deveria ter sido filhas de so-and-so o camponês -
do tipo que não servem nem para o bem nem mal. Depois de toda a vergonha Kjartan colocou em cima de você, você dorme
nunca é o pior para que ele monta passado o lugar com um homem ou então ..." Os irmãos se vestir e se armar. Gudrun
ordena Bolli ir com eles. Ele hesita, alegando a questão do parentesco, mas ela responde: "Talvez; mas você não tem a sorte
de ser capaz de agradar a todos em questão; vamos separar, então, se você não ir com eles." Assim, pediu, Bolli ocupa os
braços e sai. O partido colocaram-se em uma emboscada no defile de Hafragil. Bolli foi em silêncio naquele dia, e deitou-se
na beira do barranco Mas seus irmãos-de-lei não ficaram satisfeitos em tê-lo deitado ali mantendo look-out;. jestingly,
agarrando-o pelas pernas e arrastou-o para baixo Quando Kjartan veio.
58

através da ravina, a luta começou. Bolli ficou de braços cruzados, com a espada, Pé-bite, em sua mão. "Bem, parente, eo
que fez você partiu para a-dia, desde que você fique aí de braços cruzados olhando?" Bolli fez como se não tivesse ouvido
as palavras de Kjartan. Por fim, os outros acordá-lo para a ação, e ele se coloca no caminho de Kjartan. Então disse
Kjartan: "Agora você fez a sua mente, ao que parece, a este trabalho covarde, mas eu antes tomar minha morte de você do
que dar-lhe o seu." Com isso, ele jogou sua arma, e Bolli, sem uma palavra, trata-lhe o seu golpe mortal. Ele sentou-se ao
mesmo tempo, apoiar Kjartan, que morreu em seus braços.

Este: sim - não; Eu vou - eu não vou, está completamente fora da esfera da Frith; nestes capítulos há um toque do
interesse mediæval em problemas mentais; mas o velho, deprimido, e, portanto, a melancolia ignóbil fundo ainda soa
completamente.

Há menos de uma tragédia do que de desespero moral nas palavras de Bolli para Gudrun quando ela felicita-lo em seu retorno
para casa: "Esta má sorte vai demorar muito a minha mente, mesmo que você não me lembrar disso."

Frith, então, nada mais é que o sentimento de si parentesco; é dada, uma vez por todas, no momento do nascimento. A simpatia que
consideramos como o resultado de um esforço para nos sintonizar com os nossos vizinhos, era uma premissa natural, uma característica do
personagem.

Comparado com o amor de nosso dia, o velho sentimento de família tem um carimbo de firmeza quase sóbrio. Não é nada
disso sensação de alta pressão que os seres humanos modernos parecem encontrar vitalmente necessário amar, nenhum
dos que a dor de ternura que parece ser a nota dominante na nossa simpatia sincera, entre homem e homem, bem como
entre o homem e da mulher. O herói cristão de amor é consumida por seu ardor, ele está em perigo de ser ele mesmo
sundered por sua própria necessidade de dar para fora e elaboração em si mesmo. Os povo antigo cresceu forte e saudável
na segurança de suas amizades; Frith é completamente equilíbrio e sobriedade.

É natural, então, que a segurança deve formar o centro de

59

ou seja, nas palavras que os povos germânicos são mais inclinados a usar de si mesmos, palavras como sib e Frith. Segurança,
mas com uma nota distinta de algo ativo, algo dispostos e agir, ou algo assim, pelo menos, que é sempre a ponto de
ação. Uma palavra como a Latina pax sugere em primeiro lugar - se não estou em erro - a deposição das armas, um
estado de equilíbrio, devido à ausência de elementos perturbadores; Frith, por outro lado, indica que algo armado,
proteção, defesa - ou então uma força para a paz que mantém homens amigavelmente inclinado. Mesmo quando
encontramos menção, na germânica, de "fazer a paz", a idéia fundamental não é a da remoção de elementos
perturbadores e deixar as coisas se acalmarem, mas que de introduzir uma paz potência entre os disputantes.

O tradutor de anglo-saxão poesia é confrontado com inúmeras dificuldades, porque há palavras modernas irá esgotar o
significado de termos como freoðu e sib, indicando "frith". Se ele se contentar com repetição de "paz" de novo e de novo
em cada contexto, ele, assim, vai acabar com o próprio sentido que dá sentido à linha; e se ele tentar variar de acordo
com diferentes interpretações, ele só pode dar a extremidade superior do significado; ele tira um pouco tufo do
palavra, mas ele não recebe a raiz. A energia da palavra, sua força vital, está perdido. Quando em um inimigos lugar ou
malfeitores implorar por Frith, a palavra significa totalmente: aceitação em um perdão vai, a admissão a inviolabilidade; e quando
Deus promete o patriarca em Gênesis Frith, ele tem o significado cheia de graça, a intenção sério para estar com ele e
protegê-lo, lutar por ele, e, se necessário, cometer um erro para a sua vantagem. E não é só os homens, mas também, por
exemplo, lugares, fortalezas, que possam fornecer aqueles que necessitam de Frith.

E Frith é a vontade mútua, a unanimidade, mansidão, lealdade, em que os homens vivem dentro de seu círculo. De acordo
com o escritor do anglo-saxão Genesis, o estado em que os anjos viveu com o seu Senhor, antes de pecar, tem Frith; foi
esta Frith que Cain quebrou por seu fratricídio "perdendo amor e frith". Assim também Maria diz a José, quando ele pensa
em deixá-la: "Você vai rive pedaços nossa Frith e abandonar meu amor."

Quando Beowulf matou tanto Grendel e sua mãe, a

60

Rei da Dinamarca, em afeição grata diz: "Eu te darei o meu frith como tínhamos antes concordou," e ele pode dar nada
maior do que isso. Mas há todo o mesmo sentimento de carinho e obrigação quando os dois arqui-inimigos Finn e Hengist,
após uma luta desesperada, entrar em uma aliança firme em Frith - mesmo que a vontade dá lugar logo depois.

Mas o sentido das palavras ainda não está esgotado. Eles denotam não só os honestos, resoluta vontade de encontrar lealdade;
confiança implícita constitui o núcleo, mas nisso reside uma riqueza de tons de sentimento, alegria, prazer, carinho, amor. Uma
grande parte das passagens citadas acima, se não todos, são só entendeu metade a menos que o tom é sofrido a soar bem. No
anglo-saxão, sib - ou a paz - vai desde o significado de alívio, conforto - como no ditado: sib vem depois de tristeza - para o amor.
E quando os nórdicos falam de Frith ou o amor da mulher, a palavra brilha com paixão.

Não precisamos duvidar de que o sentimento de Frith incluído amor, e que parentes se amavam, e que profunda e
sinceramente. É o amor entre um e outro que tem atraído a pequena palavra Old-escandinavo sváss, Anglo-saxão svæs, longe
de seu significado original. Isso significa que, provavelmente, na primeira, aproximadamente "o próprio, intimamente
relacionados", mas em anglo-saxão poesia ele mostra uma tendência a juntar-se a designações para parentes, e ao mesmo
tempo seu conteúdo tornou-se cada vez mais intensa; íntima, querido, amado, alegre. Na Escandinávia, ele tem se
concentrado exclusivamente sobre este sentido e há, além disso, uma palavra muito forte para expressar dearness. De tudo o
que podemos ver, a relação entre irmãos, e também entre irmãos e irmãs, estava entre os povos germânicos, como
geralmente com todos os povos da cultura relacionada, um de intimidade. O relacionamento fraterno e fraternal tem um poder
diferente de qualquer outro para intensificar vontade e pensamentos e sentimentos. O parentesco tenha possuído tanto
profundidade e riqueza.

Além do amor que há em Frith uma forte nota de alegria. A palavra anglo-saxão liss tem uma síntese característica
de sensibilidade e firmeza que é devido à sua aplicação para os sentimentos de parentesco. Denota a gentileza e
consideração que amigos se sentem um pelo outro; isso indica favor do rei direção
61

seus dependentes; na boca dos poetas cristãos se presta facilmente para expressar a graça de Deus. Mas então liss é também
alegria, prazer, felicidade; apenas que um prazer se sente em um lar de família, entre os amigos fiéis. Estas duas notas - que
eram, naturalmente, realmente um - ecoou as palavras de Beowulf: "Toda a minha liss há em ti, mas alguns amigos têm me
sem ti;". Assim, ele cumprimenta seu tio Hygelac como se a explicar a oferta de seus troféus para seu parente 'Tudo Frith é
arruinado pela queda de Tryggvason destemido', essas palavras simples divulgar a tristeza infinita que Hallfred sentiu com a
morte de seu amado rei.

Alegria era uma característica em um homem, nada menos do que a marca da liberdade. "Gladman" - um homem de
mente feliz - um homem deve ser chamado, se o julgamento fosse completamente elogioso. O verso no Hávamál, "Fico
feliz se um dos homens estar em casa, generoso para os hóspedes, e gentil", indica o que se espera de um homem, e
este concorda com o espírito do seguinte verso do Beowulf: "Alegrai direção Geats, e não te esqueças presentes para
eles ", como a Rainha adjures o Rei dos Geats. Na verdade, assim como negrito ou bem armado está em pé epítetos do
homem, contente deve ser adicionado para indicar que nada é procurado em sua plena humanidade; assim quando o
Beowulf nos diz, que Freawaru "foi prometida em casamento a filho feliz do Froda", o poeta não pretende explicar a
disposição do príncipe,

Alegria era uma característica essencial na humanidade, e, portanto, uma qualidade de Frith. A ligação entre alegria e
sentimento amigável é tão íntima que os dois não podem ser encontrados separados. Toda a alegria está ligada Frith; fora dele,
não há e não pode haver nada de responder a esse nome. Quando o poeta do Genesis permite que os anjos rebeldes cair longe
de alegria e Frith e alegria, ele dá, nesta combinação de palavras, não um acerto de contas paralelas se dos dois ou três valores
mais importantes perderam a eles por sua revolta, mas. a expressão em uma fórmula de vida em si visto a partir dos seus dois
lados.

Nossos antepassados ​eram muito sociável em sua alegria. A relação sexual e bem-estar eram sinônimo com eles. Quando
eles se sentam sobre a placa, ou arredondar o lareira. Seja ele qual for,

62

eles crescem violento e rápido para rir - eles sentem prazer. Prazer, é claro, é uma palavra de amplo escopo de significado em
seu modo de falar, que vai muito além dos prazeres da mesa e de conversar, mas o prazer é adequadamente sociedade; em
outras palavras, é o sentimento de comunidade que forma a base da sua felicidade. Mandream, prazer na sociedade do
homem, é a expressão anglo-saxónica para a vida, existência, e para ir, portanto, é chamado a "desistir de alegria", a alegria
na humanidade, alegria de viver, a alegria do corredor; é abandonar prazer em parentes, em homenagem, na terra, sua
herança, o site alegre da casa.

Agora estamos em posição de compreender, que alegria ou alegria não é um prazer derivado de relações sociais; ele
desenha sua força emocionante de ser idêntico a Frith. O conteúdo da alegria são um privilégio família, uma relíquia de
família. A palavra anglo-saxão feasceaft literalmente significa: aquele que não tem parte ou lote com os outros, o bandido que
não tem parentes, mas a palavra implica o significado de infeliz, triste; não, como se poderia crer, porque um modo expulsos
deve vir a levar uma existência miserável, mas porque ele virou as costas em cima de alegria quando ele foi embora.
"Alegria '' deve ser tomado em um sentido individualizante, a partir de uma soma de alegria pertencente à casa, e que o
homem deve deixar atrás dele na casa quando ele sai para o vazio. Não há alegria mentir sobre solto na ermos. Aquele que
é lançado fora de
júbilo do seu próprio e aqueles sobre ele perdeu toda a possibilidade de sentir o bem-estar de plenitude em si mesmo. Ele
está vazio.

Parentesco é uma condição indispensável para a vida da vida como um ser humano; e é isso que torna o sofrimento ocasionado por
qualquer violação em Frith de um homem tão terrível, sem paralelo em toda a experiência; tão intolerável e brutal, desprovido de
todos os elementos ideais elevados. Para nós, um conflito como o que surge em Gudrun quando vê seu "discurso-amigo" morto, e
seus irmãos como os assassinos, pode parecer para apresentar o mais alto grau de amargura; uma coisa para rasgar a alma em
pedaços. Mas a mente germânica sabia o que era pior do que rasgando em pedaços, a saber, a dissolução. Uma quebra de Frith dá
origem a um sofrimento debaixo de toda paixão; é o próprio parentesco, muito a humanidade de um homem, que é sufocada, e

63

dali segue a extinção de todas as qualidades humanas. O que o desgraçado sofre e que ele goza já não pode produzir qualquer
sentimento real nele. Seu próprio poder da alegria está morto. O poder de ação é morto. A energia é substituído por aquele
estado que os nórdicos temia acima de tudo, e acima de tudo desprezado: redelessness.

"Luta inútil, um pecado primordial, caindo como trevas sobre a alma de Hrethel", diz o Beowulf do fratricídio; nestas
palavras resume-se o medo impotente, impotente que segue na quebra de Frith.

Isto coloca uma nova tarefa diante de nós. A alegria é uma coisa essencial para a humanidade. É inseparavelmente ligado a Frith;
uma soma e uma herança. Mas esta alegria, então, continha algo em si.

No Beowulf, o retorno do herói da luta e labuta é cantada como se segue: "Daí ele procurou seu caminho para sua querida
casa, amado por seu povo, a casa do frith-hall justo, onde ele tinha seus battlefellows, seu castelo, sua tesouros ". O que
essas linhas significam para os ouvintes originais? Que sentimentos as palavras "querido", "amado" e "justo" suscitar
neles? O que temos visto até agora nos ensina aproximadamente mas a força destas palavras - e o que somos não para
entender assim.

Quais foram as ideias inerentes a esta alegria?

A resposta está contida na antiga palavra honra.


CAPÍTULO II

HONRA

Frith e honra, estes são a soma de vida, a essência do que um homem precisa para viver plena e feliz.

"Sede fecundos e multiplicai-vos e enchei a terra", diz Deus, no Gênesis, a Noé em seu deixando a Arca; eo poeta
anglo-saxão do Gênesis dá da seguinte forma: "Sede fecundos e aumentar; viver em honra e em Frith com prazer"

Certa vez, vivia na Islândia, perto do Isfiord, um velho pelo nome Havard. Ele tinha sido um homem ousado em seu
dia; mas ele não era rico, e não teve grande influência. Seu único filho, Olaf, foi invejada por suas proezas e popularidade
pelo chefe local residente em Laugabol, o poderoso e intratável Thorbjorn. Thorbjorn procurou ser mais do que o primeiro,
seria o único homem digno de nota no lugar, e este fim, ele alcançou matando Olaf. Quando a notícia foi trazida para
Havard ele caiu com um gemido profundo e manteve sua cama um ano inteiro. E de fato não havia ninguém que realmente
acreditava que um velho solitário seria capaz de exigir a reparação dos homens dominadores de Laugabol. sepultura
esposa de Havard manteve a herdade indo, foi pescar com o criado de dia e fez o resto de seu trabalho de noite; então, no
final do ano, ela convenceu o homem velho para se recompor e partiu para exigir o pagamento de uma multa. Ele foi
recebido com grande desprezo. Sua demanda não foi mesmo recusada; ele foi dito para olhar para fora do recinto, ele iria
encontrar lá uma criatura tão velho e coxo e parada como a si mesmo; o cavalo tinha ficado chutando por um longo tempo
passado, mas agora, depois de algumas raspagens, talvez conseguem

65

entrar em suas pernas novamente; este pobre animal que ele era bem-vindo a manter, se ele queria consolo para a morte de seu filho.
Havard cambaleia casa e vai para a cama por mais um ano.

Mais uma vez ele humours sua esposa e faz a tentativa; ele está relutante em ir, mas "se eu soubesse que não deve
haver vingança para o meu filho Olaf, eu nunca teria Reck como caro eu poderia ter de comprá-lo". Então, ele monta a
lei-coisa. Thorbjorn, quando pela primeira vez que ele vê o velho entrar na cabine, não pode ao mesmo tempo lembrar
que é sua missão. "Isto", diz Havard, "o assassinato de meu filho Olaf está sempre na minha mente como se fosse, mas
recém-feito;. E por isso é a minha missão agora a desejar pagamento de você" Ele ganha nada para suas dores, mas
nova desprezo, sangrenta desprezo. Tão abatido é que ele agora como ele deixa a cabine, que mal avisos quando um e
outro homem de alguns de pé passar-lhe uma palavra amável. E seu terceiro ano na cama é processado mais pesado de
suportar em razão de dores nas articulações. Bjargny, sua esposa, ainda consegue o trabalho do lugar, e encontra tempo
entre whiles para convencer seus parentes para prestar ajuda, e adquirir conhecimentos das viagens de Thorbjørn ea
maneira como ele vai. Então um dia ela vem até a cama de novo, quando o terceiro verão chegou: "Agora você tem
dormido o suficiente, para-noite seu filho Olaf deve ser vingado; depois, será tarde demais." Isso era algo diferente da
tarefa sem conforto de andar a pedir reparação. Havard surgiram a partir desta cama, garantiu sua vingança antes do
amanhecer, e veio na manhã seguinte para Steinthor de Eyri para relatar o assassinato de quatro homens, e lembrá-lo de
suas palavras no último Al-coisa: "Porque me parece que você disse, então, que se eu preciso de um pouco de ajuda, eu
poderia muito bem vir a você como a outros chefes ". "Ajude você terá", respondeu Steinthor "
Havard tinha sofrido uma vergonha, uma perda de honra. Ele sacode em cada membro. Os maus apertos ele, homem de meia
como ele é, para que ele afunda em uma paralisia. E encontra-se ele, enquanto um único

66

pensamento rói tão insistentemente em sua mente que ele acha que não tem dormido todos esses três anos. Na lei-coisa anda, como
um espectador descreve ele, "um homem ao contrário de outros, grandes do crescimento e algo avançado em anos, ele se arrasta ao
longo, e ainda assim ele parece viril o suficiente, ele parece cheio de tristeza e inquietação ".

Mas quando finalmente reparação vem, honra flui mais uma vez por suas veias, honra recém-nascido e dando novo nascimento
novamente. Seus membros são straightended, seus pulmões estão cheios. Com um suspiro de despertar o homem sente a vida mais
uma vez derrame através de e dele. Sua força brota. Sua mente cresce jovem, tão jovem que ele deve aprender de novo o significado
de perigo, o significado de dificuldade; ele é preenchido com alegria rebelde da vida, a verdadeira alegria na vida que não se importa
com a morte.

Paulus Diaconus fala de uma Lombard idade, Sigvalde, que, como Havard, foi duramente provada e, como Havard, colheu
alegria em muitas vezes para sua tristeza. Ele tinha perdido dois filhos na batalha com os eslavos invasor. Em duas batalhas
vingou-los com grande entusiasmo, e quando uma terceira batalha estava prestes a tomar lugar que ele insistiu em ir à luta, apesar
de todos os protestos "pois", ele declarou: "Eu já ganhou a restituição integral para o meu filhos; agora eu posso encontrar a morte de
bom grado se for necessário ". E então ele foi para sua morte por pura abundância de vitalidade.

Honra ao mesmo tempo traz o pensamento de vingança. Tem que ser assim; aquele que pensa de honra deve dizer
vingança, não só porque os dois estão sempre juntos nas histórias, mas mais porque é somente através de vingança que
podemos ver a profundidade e amplitude de honra. Vengeance contém a iluminação ea explicação da vida; a vida como ela é
vista no vingador é a vida no seu mais verdadeiro e mais bonita, a vida em sua natureza mais íntima.

A vida é conhecido por seu esctasy. Há uma espécie de prazer em que os homens vão além de si mesmos e esquecer-se,
para afundar-se no infinito, o eterno. Mas, então, também, há um êxtase no qual os homens vão além de si mesmos sem perder
posição no tempo, uma delícia em que vivem através da maior e mais profunda - a sua maior e mais profundo - como em uma
sensação de poder, de modo que eles ficam um tempo em gozo do crescimento de sua força, e, em seguida, atacar em, mais
forte e mais ousado.

67

É por esta delícia cheia de vida que a vida deve ser conhecido. Nele, a cultura revela a sua essência e seu valor. A
fim de alcançar uma estimativa apenas de uma época estranha, nós mesmos devemos participar no seu êxtase. Vivendo
aquele momento dá mais do que a experiência de muitos anos, porque todo o complemento de uma cultura de
pensamento e sentimento reside close-embalados lá em seu poder mais alto. Neste grande momento da experiência os
raios refratados da vida diária deve ser claro; a alegria da vida, a sua tristeza, sua beleza, sua verdade, o seu direito,
revelar-nos aqui o seu ser mais íntimo. Qual é a substância da alegria de um povo e de sua tristeza - a resposta a esta
pergunta nos obriga longe na cultura daquele povo. Mas é igualmente importante para medir o grau de força na alegria; o
que é a medida da altura para essas pessoas: júbilo, prazer, refresco da alma, gritos de risos, sorrisos, ou o quê? E o que
é
tristeza para eles? Uma coisa que eles podem desfrutar, se apenas na forma enobrecedora da poesia, ou uma peste, uma coisa
terrível e desprezível em si mesmo?

O que o cristianismo era, na época em que o cristianismo constituíam uma cultura, uma atmosfera espiritual, que dá
vida e necessário para a vida, sentimos por tentar perceber em nossas próprias mentes tanto quanto possível a experiência
de um pai quando ele louva a Deus porque seu crianças têm sido considerados dignos de sofrer por causa do nome de Jesu.
O judeu revela-se no momento em que ele coloca um filho recém-nascido em seu joelho e por sua bênção consagra-o a ser o
uplholder de sua raça. Hellas deve ser experimentado através do Diagoras idade, enquanto ele se senta sobre os ombros de
seus filhos após a sua vitória nos jogos, rodeado por uma multidão eufórica, e "representaram feliz em seus filhos". O êxtase
germânica é atingido no momento da vingança.

Havard e Sigvalde pisar terra santa. Por mais longe que pode ser de entender seus motivos e raciocínios, a sua
presença nos inspira com admiração. Não é a sua masculinidade, sua violência, sua humor, sua rapidez de inteligência que
desperta nosso interesse; nos sentimos mal, que a vingança é a expressão suprema da sua humanidade, e são
impulsionados pela necessidade de converter nossa veneração em uma simpática compreensão dos ideais que norteiam
seus atos.

68

Vengeance torna grande, porque desenvolve todas as possibilidades neles, não apenas alguns atributos
sanguinários. Estica o seu poder de realização, quase além do seu alcance, os faz sentir mais forte e mais ousado. Mas
ele ensina-lhes, também, para esperar, e ter em mente, e calcular; ano após ano, um homem pode esperar e ver,
organizar todos os seus planos e ações, de modo a aproveitar a oportunidade mais fugaz de satisfazer sua honra; ay, até
mesmo para seu trabalho diário sobre a herdade, olhando para seu feno e seu gado, é dispostas de modo que ele pode
assistir as estradas e ver a qualquer momento se o homem procurado deve montar dessa forma. Vengeance ensina a
contar tempo e espaço como ninharias. Um pode vir através do tempo por lembrar, e pode ser conduzido sobre o mar ea
terra, quando se tem um objetivo em vista. Um menino de seis anos, vendo seu pai foi morto diante de seus olhos,

Vengeance levanta-lo e transfigura-lo. Ele não se limita a criá-lo, mas o mantém suspenso, empurra-o para um plano
superior. E isso pode acontecer, porque o desejo de reparação não é apenas o mais elevado de todos os sentimentos, mas
também o mais comum, geralmente mais humana. O que quer que as diferenças que pode haver entre os seres humanos de
outra forma, em uma coisa eles se encontraram; eles devem e deve e não podia deixar de buscar a reparação.

O que então era a vingança?

isso foi não o resultado de um senso de justiça. Há povos que vêem na justiça o princípio vital da existência,
em que o mundo é realizada em conjunto e continuei. Para eles, não é um tipo de relação direta entre o comportamento
dos seres humanos e do movimento dos planetas, para que um crime trava impunes meditando como um perigo sobre a
humanidade. A fim de evitar a fome, a derrota, ou perturbações da ordem do mundo em geral, deve-se, em caso de
necessidade, execute os filhos para os crimes de seus pais, e vice-versa. Os povos germânicos não são deste tipo. Justiça
exige um tipo completamente diferente de consciência de que, com o que nossos antepassados ​foram equipados.
Nem esses bárbaros entender a moralidade simétrica, o que restaura o equilíbrio, batendo para fora
um olho por olho. A mente germânica tinha tão pouco a concepção da palavra retaliação como da palavra
punição.

69

Se a sede de vingança é entendida como significando o desejo de ver o seu desejo sobre os inimigos de um, então a
palavra não está de acordo com a ideia germânica. Vengeance foi planeado com todo o cuidado, e realizado da forma mais
sangue-frio; somos tentados a dizer com um business-like sangue-frio. O vingador planta seu machado na cabeça de seu
adversário, limpa o sangue na grama, cobre o corpo segundo o costume, e monta em seu caminho. Ele não tem nenhum desejo
de novas relações com o homem caído; mutilação dos mortos é, na história dos homens do norte, uma coisa tão único como
para marcar o fazedor de tal ato como uma exceção, isto é, como um homem inferior. memórias feias podem em raras ocasiões
levar um homem a esquecer de si mesmo. Havard tratado Thorbjorn mais uma ferida no rosto depois que ele lhe tinha dado seu
golpe mortal; para Thorbjorn uma vez o golpeou no rosto com uma bolsa em que os dentes do Olaf Havardson tinha sido mantido
desde o dia em que eles foram soltos pelo golpe que o matou. Mas o feito de Havard ao mesmo tempo suscita a questão de seu
companheiro: “Por que você lidar de forma por um homem morto?" Mesmo se o homem não fosse morto, isso lhe foi imputado
unmanly para golpeá-lo uma vez que ele estava mortalmente ferido. O ato seria a de um niding.

Há pouco de exultação sobre o caído; e mesmo quando ocorre, é claramente apenas uma circunstância
atendente casual, não é o ponto principal no sentimento de satisfação. Por trás da calma fora de vingança, a mente está
em um turbilhão de alegria e orgulho; a realização da escritura serve melhor do que qualquer outra coisa para evocar
palavras entusiasmadas em louvor do ato, em louvor daquele que operou-lo, e dele por quem ele foi feito, da raça a que
ambas as partes pertencia. Mas essas explosões vêm das profundezas, eles são o resultado de êxtase da vida.

Para o punidor, como para o homem da natureza vingativa, todos os pensamentos círculo sobre aquele outro,
o que deve ser feito com ele, se ele pode ser adequadamente e feelingly atingido. O vingador tem o centro de seus
pensamentos em si mesmo. Tudo depende do que ele faz, não sobre o que o outro sofre. O vingador adquire algo; ele leva vingança.

70

Duas coisas são necessárias para a vingança direita; que o agressor deve cair pelo golpe de arma, e que a
arma deve ser exercido por aquele ofendido. Se o assassino, antes que o assunto poderia ser resolvido, pereceram em
algum outro sábio - ou morreram de morte natural, ou foi morto por acidente - então as partes ofendidas teve no entanto a
sua vingança devido a eles; eles devem então olhar para parentes do agressor, assim como no caso de sua escapar vivo
de suas mãos, por exemplo escolhendo essa temporada para viajar e ver o mundo, e aprender bons costumes dos reis de
outras terras. Nem a família ferido considerá-lo como qualquer restituição que o agressor deve cair pela mão de um terceiro
desinteressado no assunto; sua vingança ainda estava por vir, pois ainda não tinha “chegado honra sobre seu parente.”

Mas, então, também, a outra parte deve necessariamente ter uma honra, se a lesão era para ser exterminada. A morte
mais lamentável que um homem poderia morrer era para ser morto por escravos, e mais particularmente quando estes estavam
agindo em seu próprio nome, sem qualquer homem distinto como instigador; pois não havia vingança a ser adquirida a partir de
escravos. Um dos primeiros colonos na Islândia, Hjorleif, foi atacado e morto por seus escravos. Quando seu irmão adotivo
Ingolf encontrou o corpo depois, ele gritou em angústia: “Este foi um destino miserável de um homem corajoso, que escravos
devem ser sua ruína.” Havard, quando se toma a vingança pela morte de seu filho, sofreu os escravos para ir livre; a ação não
seria “mais vingado” pela sua levando suas vidas inúteis também. Quase tão miserável como a morte pela mão de escravos era
sua sorte que morreu pela mão de um vagabundo, um homem não ter companheiros de honra, nenhum irmão adotivo ou
camaradas de armas do mundo. Não só havia o risco de vingança sendo perdida, uma vez que investido em um único
indivíduo; mas a honra de ser adquirida a partir de um tal era em si, mas leve.

Mesmo entre os verdadeiros parentes, no entanto, pode haver graus de valor em vingança. Se a família sentiu a lesão
muito profundamente, ou porque os mortos membro era um de seus melhores homens, ou porque seus parentes geralmente definir
um preço alto de sua honra, em seguida, eles podem preferir apontar imediatamente em um homem melhor

71

entre os parentes do agressor. Esta tendência para se vingar de um parente do infrator que foi contado “mais digno”
como um objeto de vingança morre tarde no Norte.

Na introdução à lei-book norueguês do Frostathing, encontramos “Hakon o Rei, filho do rei Hakon, filho de filho do
rei Sverri” ainda tristemente lamentando “a miscustom doente, que por muito tempo tem sido na terra, que, quando um alguém
tenha sido condenado à morte, seus parentes terá como parente do assassino como é contada melhor, embora a matança
foram feitas sem o seu conhecimento, vontade, ou proximidade com a escritura, e não vai demorar vingança contra o
assassino, apesar de pode ser facilmente encontrar,”de onde os homens maus florescer, e para o bem não tem nenhuma
recompensa de sua vida pacífica; “E nós nos vemos roubado de nossos melhores temas na terra”, suspira este pai de seu
país.

A amargura de tom é em si um sinal de que o conforto é ainda difícil de encontrar. É verdade, o freeholders camponesas de bom grado viver em
segurança no país, e se o rei poderia ajudá-los a essa paz, em seguida, um decreto ou assim eram bem-vindos suficiente; mas com certeza como era de que a
paz pode ser promovida, abstendo-se de matar de homens, não era menos certo que o homem não poderia viver por não ser morto. E quando um homem agora
sofreu necessidade, o que poderia o rei fazer por ele? O excedente de cura para a honra ferida que bons súditos do rei ganhou para si no antigo sábio não era
para ser substituído por qualquer coisa que o rei tinha a oferecer em novas formas de lei. E enquanto honra manteve-se como um fator fundamental na
selfestimation moral do povo, levantou-se, na verdade, como o próprio objectivo da justiça, não poderia haver poda um fim fora por um rescrito afiada. Proibições
e reformas da lei de acima são na melhor das hipóteses os precursores, mensageiros de uma mudança de espírito que leva séculos para efetuar; e enquanto “lei”
e “direita” não tinha encontrado um ao outro em uma nova unidade, desde que o “abuso” entre as pessoas, a sua incompreensão do seu próprio bem, ser mais
forte que tanto poder real e prudência. “Nenhum homem em toda a terra tinha tão valente vingança tomada por ele como um presente; para nenhum outro homem
foram tantos tomado em pagamento”- este foi, e continua a ser a melhor prova de que o homem caído tinha sido entre as maiores do seu tempo. ser mais forte
que tanto poder real e prudência. “Nenhum homem em toda a terra tinha tão valente vingança tomada por ele como um presente; para nenhum outro homem
foram tantos tomado em pagamento”- este foi, e continua a ser a melhor prova de que o homem caído tinha sido entre as maiores do seu tempo. ser mais forte
que tanto poder real e prudência. “Nenhum homem em toda a terra tinha tão valente vingança tomada por ele como um presente; para nenhum outro homem
foram tantos tomado em pagamento”- este foi, e continua a ser a melhor prova de que o homem caído tinha sido entre as maiores do seu tempo.
72

Vengeance, então, consiste em tomar alguma coisa com a outra parte. Uma adquire honra dele. Um terá as
costas honra.

Uma lesão ocasiões feito uma perda para o sofredor. Ele tem sido privado de uma parte de sua honra. Mas esta honra não
é uma coisa que ele pode fazer sem em caso de necessidade, não uma coisa que ele requer apenas para o luxo, e que a mente frugal
pode viver sem. Ele não pode nem mesmo consolar-se com a parte que permanece; para a lesão que ele sofreu pode ser comparada a
uma ferida que nunca vai fechar-se em si mesmo, mas sangrar incessantemente até que sua vida se esgote. Se ele não pode
preencher o espaço vazio, ele nunca vai ser ele mesmo novamente. O vazio pode ser chamado de vergonha; é um sofrimento, um
estado doloroso da doença.

Njal, pacífica, Njal de tomada de paz, não tem muitas palavras sobre o assunto; mas os sentimentos humanos são tão intocada nele como no
guerreiro valente Egil. Ele olhou para o seu corpo envelhecido e disse: “Eu não posso vingar meus filhos, e na vergonha Eu não vou viver” e, logo após se deitou
em sua cama no meio das chamas. Em um personagem como Kveldulf, o sofrimento exibido-se em convulsões violentas. Seu filho Thorolf tinha caído em algo que
se aproxima rixa aberta com não menos um homem do que o próprio rei Harald; parecia impossível para um pequeno proprietário rural simples anseiam pazes
honrosa do poderoso Rei da Noruega. Ele próprio era velho e passado seu tempo; mas a fome de honra transformou em seu corpo para um estimulante, ligando
para os últimos restos de força para derrubar um homem mais ou menos “quem Harald vai contá-lo doente a perder”. Diferentes como os dois homens são, por
natureza - que representa, por assim dizer, os dois pólos opostos da cultura islandesa - eles ainda pensam e sentem da mesma forma, e agir no mesmo princípio:
que a honra é uma coisa indispensável, e vingança inevitável. Enquanto os homens ainda viviam a vida de idade, independentemente das formas exteriores eram
pagãos ou cristãos, um homem não poderia, em hipótese alguma, deixe sua mentira vingança; não havia ignorando as reivindicações de honra, por isso foi uma
coisa que veio de dentro, manifestando-se como uma sensação dolorosa de medo. um homem não poderia, em hipótese alguma, deixe sua mentira vingança; não
havia ignorando as reivindicações de honra, por isso foi uma coisa que veio de dentro, manifestando-se como uma sensação dolorosa de medo. um homem não
poderia, em hipótese alguma, deixe sua mentira vingança; não havia ignorando as reivindicações de honra, por isso foi uma coisa que veio de dentro,
manifestando-se como uma sensação dolorosa de medo.

Era uma vez um islandês que fez uma grande coisa, mas todos

73

sobre-humana. Após a batalha geral da Al-coisa no ano 1012, quando as perspectivas de reconciliação eram escuros, e
tudo apontava para uma quebra fatal até do próprio estado livre, o grande cacique Hall da Sida se levantou e disse: “Todos
os homens sabem que tristeza me avançados em que meu filho Ljot está caído. Um ou outro você talvez pense que ele
estaria entre os mais queridos daqueles caído aqui”( ou seja um daqueles cuja morte custaria mais em reparação). “Mas isso
eu o farei, para que os homens possam ser acordado de novo; Vou deixar meu filho mentir vingados, e ainda dar os meus
inimigos paz e pleno acordo. Por isso, peço de você, Snorri Godi, e com você o melhor das pessoas aqui, que você trazer a
paz entre nós.”Então Salão sentou-se. E com as suas palavras subiu um murmúrio alto de aprovação, todos elogiando
muito a sua boa vontade. “E isso, que Hall estava disposto a deixar seu filho sem vingança, e fez muito para trazer a paz, é
agora a ser dito que todos os presentes na lei coisa colocado o dinheiro em conjunto para o pagamento a ele. Ea contagem
de tudo junto não menos de oitocentos em prata era; mas isso foi quatro vezes a multa por matar de um só homem “.

Mas o sangue não precisa ser derramado para pôr em perigo a vida. Honor pode escorrer para fora como fatalmente da ferida feita por um golpe
de vara, ou por uma palavra afiada, ou mesmo por uma negligência desdenhosa. E o medicamento é em todos os casos o mesmo.
Quando um homem fica falando entre outros, e enfatiza suas palavras com uma vara de tal forma que ele chances para
golpear o nariz do seu vizinho, o vizinho talvez devesse levar em consideração o fato de que o atacante era míope e
tinha-se falado em um estado de excitação. Nem pode ser chamado bastante boas maneiras de saltar para cima no
mesmo instante e se esforçar para dirigir seu machado para o nariz do outro; mas deve a chance orador ansioso e míope
de ser encontrado morto em sua cama, poucos meses depois, seria entendido que alguém tinha estado lá “para vingar o
golpe de uma vara”. Ninguém iria em princípio negar o nome de vingança para a ação. E se o homem tão impressionado
foram um homem de honra, nenhum estranho negaria o direito de agir como ele tinha feito; pelo contrário,

74

ser tão fatal para ele como a perda de um braço ou uma perna. A menos que honra foram levados para a lesão, a pequena ferida seria, por
assim dizer, levar a envenenamento do sangue.

Aconteceu assim com o islandês Thorleif Kimbi. Enquanto viajando no exterior em um navio norueguês, ele teve a infelicidade
de agir de uma forma um pouco de cabeça quente em direção ao seu compatriota Arnbjørn, enquanto eles estavam preparando
uma refeição. Arnbjørn começou a subir e tratadas Thorleif um golpe no pescoço com a colher quente. Thorleif engoliu o insulto:
“Não, os nórdicos não fará jogo de nós dois islandeses, e transportar-nos para além caminhar um par de curs; mas vou lembrar
disso quando nos encontramos na Islândia.”memória do Thorleif, no entanto, parece ter sido fraco. Mas quando um dia ele sai
para pedir a mão de uma menina em casamento, seu irmão lhe responde da seguinte forma: “Vou dizer-lhe minha mente: antes
de eu dar-lhe a minha irmã em casamento, você deve encontrar a cura para aquelas mingau-cicatrizes em seu pescoço, que
você tem, há três anos na Noruega”. E que golpe de uma colher e a recusa com base nas cicatrizes trouxe dois bairros inteiros
em contenda, e levou a dissensão profunda e duradoura entre as famílias envolvidas. Do ponto de vista da idade, não há nada
desproporcional na causa e seus efeitos.

Se um homem foram chamados ladrão ou covarde - que ele não era imberbe -ou - que talvez o fato proibiu-o de negar - ele
seria, em qualquer caso, tem que ganhar indenização integral e completa para a afirmação, se quisesse manter a sua dignidade.
Njal teve a deficiência que nenhum cabelo cresceu em seu rosto. A esposa de Gunnar, Hallgerd, vi, e não ficou em silêncio sobre
o assunto. “Um homem tão sábio, que sabe uma maneira para tudo; que ele não deveria ter atingido mediante o plano de karting
esterco, onde era mais necessário; ele será chamado o velho sem barba, e seus filhos ser Muckbeards altura. E você, Sigmund,
você deve colocar isso em verso; venha, vamos ter algum ganho de sua arte “Sigmund faz tudo em seu poder para ganhar
admiração justo Hallgerd e seu aplausos:‘ Você é uma pérola, ao prazer me tão’Os insultos têm poder, não só sobre os jovens,.
filhos de sangue quente, mas igualmente por isso sobre si mesmo Njal. Os versos chegar aos ouvidos do Bergthora. E quando
eles estavam sentados à mesa, ela disse: “Você tem sido

75

homenageado com presentes, tanto de você, pai, e seus filhos; haverá pouca fama para você se você não dar nada em
troca.”‘Que presentes são estes’, perguntou Skarphedin. “Você, meninos, têm um presente para compartilhar entre você,
você foi chamado Muckbeards, eo mestre aqui é chamado o velho sem barba.” “Nós não somos feminina minded, a ser
irritado com tudo”, disse Skarphedin. “Em seguida, Gunnar ficou irritado em seu nome, e se você não buscar o seu direito
aqui, você nunca vai vingar qualquer vergonha” “A velha tem prazer, ao que parece, em nós isca”, disse Skarphedin, e
sorriu; mas o suor se destacou em sua testa, e manchas vermelhas
mostrou em seu rosto, e isso era uma coisa incomum. Grim ficou em silêncio, e mordeu o lábio; e Helgi não mostrou nenhum sinal. Hoskuld
seguido Bergthora quando ela saiu. Ela entrou novamente, espumando de raiva. Njal diz: “Não, não, esposa, ele pode ser gerenciado bem o
suficiente, mesmo que um leva o seu tempo. E é assim, com muitos assuntos, no entanto tentando que sejam, que, apesar de vingança ser
tomadas, não é certo que todas as bocas podem ser feitas a dizer da mesma forma.”Mas à noite, Njal ouviu um chocalho machado contra a
parede. “Quem tomou os nossos escudos?” “Seus filhos saíram com eles”, disse Bergtora. Njal enfiou os pés em um par de sapatos, e saiu,
em volta da casa; lá ele viu-los em seu caminho ao longo da encosta. “Para onde fora?” “Depois de ovelhas”, respondeu Skarphedin. “Você
não precisa de armas para eles; parece que você estava indo em algum outro recado. ”‘Então, vamos pescar salmão, pai, se não se
deparar com as ovelhas.’‘Se é assim, é de se esperar que você não perca a sua captura.’Quando ele entrou para a cama, ele disse para
Bergthora: “Todos os teus filhos saíram armados; parece que suas palavras afiadas ter-lhes dado algo para sair para “‘Vou dar-lhes os
meus melhores agradecimentos se eles vêm e me diga da queda de Sigmund.’-. Eles vêm para casa com a boa notícia e dizer Njal. E - ele
responde: “Bem feito!” ”- Eles vêm para casa com a boa notícia e dizer Njal. E - ele responde: “Bem feito!” ”- Eles vêm para casa com a boa
notícia e dizer Njal. E - ele responde: “Bem feito!”

Para tudo há apenas uma forma de vingança; vingança no sangue. Se fosse apenas uma questão de retribuição ou de
auto-afirmação, o pagamento poderia sem dúvida ser feita na mesma moeda. Quando os homens têm tanta fé no poder das
palavras desdenhosas sobre honra, se poderia pensar que eles também consideram a sua própria

76

provocações como de algum efeito. Mas para dar palavras nocivos para palavras mal não ganharam a honra de volta; a picada das
palavras do outro permaneceu, e pode perder a vingança. Um homem dificilmente se atrevem a tomar o prisioneiro inimigo e
colocar-se dele, em vez de colocá-lo à morte de uma vez; havia o medo de trazer degradação em si mesmo, em vez de restituição,
e, portanto, isso lhe foi imputado unmanly para humilhar o inimigo em vez de matá-lo. Vengeance era muito caro uma questão de
brincadeira com.

Honra era uma coisa que obrigou os homens a tomar vingança, não apenas algo que lhes permitiu fazê-lo. As guildas
viveu, como nos velhos círculos de parentes, em Frith e honra, e nos seus estatutos os princípios subjacentes sociedade
antiga são reduzidas a números. Um homem é empurrado para fora da guilda e pronunciou uma niding, se ele quebrar a
paz com seu irmão em qualquer diferendo que possa surgir entre eles, onde quer que se encontram, seja no Guild Hall,
nas ruas de sua cidade, ou no mundo . Incorre na mesma frase, se ele deixar de assumir a causa de seu irmão, quando
ele está na necessidade de assistência no trato com pessoas de fora da irmandade. Mas não menos faz um pecado
irmão, se ele sofrer afronta sem chamar na ajuda de seus irmãos; e se ele não depois vingar o mal com o auxílio de seus
irmãos guilda,

Embora Frith não está diretamente expressa nos códigos de lei, foi no entanto manifestos; sua autoridade é tão óbvio, que
os advogados não se tornar consciente disso até que eles começam a encontrar-se na oposição. Honra, por outro lado, é
amplamente reconhecido nos códices dos legisladores.

Para os parceiros em Frith, a vingança é um dever; as sanções de direito este dever como um certo. As leis da Islândia permitir
de matar no local em troca de ataque ou de um golpe, mesmo que eles podem não deixar nenhuma marca na pele. No caso de
golpes e feridas mais graves, e de insultos de natureza mais grave, o infractor pode ser atingido livremente para baixo quando e
onde ele é encontrado antes da próxima assembléia da Al-coisa. Até agora, a vingança é válido.
77

Mas se um homem vai para casa com o pequeno insulto ainda sobre ele, ou deixa outono, inverno, primavera passar sem resolver as
contas para a maior ofensa, então, ele tem perdido o seu direito de liquidar por sua própria mão, e só pode mover ação contra o seu
adversário na lei. - Assim funciona uma lei dividida contra si mesma. A linha de desenvolvimento tende para uma restrição do direito
de vingança; mas enquanto a necessidade de vingança é admitida, em princípio, os limites são desenhados de forma puramente
externa. Não é de admirar, então, que estas barreiras vagamente construídos revelar-se demasiado fraca para segurar o perseguidor.

Nas leis da Noruega, o processo de restrição é levada um passo mais adiante. A vingança é na maior parte apenas
reconhecidos casos de lesão muito mais grave. Autoridade deve necessariamente tolerar a vingança tomada por um homem
pela morte de seu parente ou a desonra de suas mulheres; para incluir tais vingança sob a cabeça do crime, se fosse da
ordem mais suave, era, mesmo no início da Idade Média, fora de questão. Mas aqui, também, as leis dos reis noruegueses
procuraria para desenhar o limite para a ação pessoal. Há alguma hesitação, talvez, no que diz respeito ao abuso da pior
espécie; um -pode negar o direito de um homem para responder com o machado quando abordado em palavras como: “Você
velha, você cadela, um jade como você, um escravo que você é!”? - mas uma ferida ou um golpe, um empurrão, um jeer, um
homem deve ser capaz de levar a tribunal.

No entanto, uma sub-camada mais forte mostra claramente através. Hakon Hakonson, em seu grande romance a partir de
meados do século XIII, que serve como uma introdução à Lei da Frostathing, não posso dizer outra coisa senão que a
vingança para feridas e insultos genuínos devem permanecer válido, quando é tomado antes de a parte contrária se
ofereceu a pagar uma multa. A vaga arbitrariedade do além: “salvar onde o rei e outros homens de julgamento considerem
o contrário” é característica de todo movimento reformatório impotente de cima; ele está dando o velho de um régime
bênção, e aderência em uma frase vazia para ficar no nome da reforma. E se o infractor, confiando a sua riqueza e poder,
ou para parentes influentes, repetiu a sua insolência,

78

em seguida, o ofendido tem o direito de escolher se ele aceitaria liquidação ou não.

Half-cómico é uma melhoria que ao mesmo tempo parece ter sido visto com grandes esperanças; que um homem, tomando
vingança poderá ser culpado de nenhum crime, desde que sua vingança não exceda em magnitude o errado para o qual é tomada.
Qualquer excedente deve ser devidamente avaliado pelo seu valor apropriado em liquidação, e indemnização paga em
conformidade. Uma ideia bem intencionada, se apenas fosse possível chegar a acordo quanto ao que a punição montado o crime, e
que o excedente, se houver, pode valer a pena. O pensamento parece melhor na forma de uma exortação suave, como proposto
para orientar a consciência dos retentores do rei: Não tome vingança muito de repente, e não deixar que a vingança tomada ser
mais grande. Assim executar as palavras court-lei de 1274 Rei Magnus'.

Todas essas interferências conter o carimbo de fraqueza e tibieza; as melhorias-se nos mostram como forma clara e
simples do antigo regime é impressa na mente: esse prejuízo, se desse tipo ou que, exige a sua cura, e que a cura é
certamente a ser encontrado em vingança. É verdade que novas idéias estão começando a germinar; mas para o
presente, o
reformadores têm nada com que para estabelecer uma nova fundação, e são, portanto, obrigados a construir em cima do velho,
baseando seus éditos contra a vingança sobre o fato de que a vingança é uma coisa ninguém pode fazer sem.

Com toda a certeza, um contraste pode ser observado entre a lei ea vida. O homem da lei parece ter tido um olho afiado
para tons e graus de ofensa, que homens práticos nunca reconheceu, ou reconhecidos somente quando em companhia dos
juristas. Estes nórdicos, almas boas, sentou-se à lei-coisa e ouviu 'com interesse quando os versados ​na lei expatiated na
distinção entre uma ferida expondo o osso, mas fechando inteiramente no tratamento adequado; eo caso legalmente mais
grave, onde um pedaço de carne de tal e tal tamanho foi despojado de distância e caiu no chão. Os ouvintes iria fazer uma
nota mental de quanto foi a ser pago para o primeiro tipo, e quanto para o segundo. Ou eles, seria dada uma classificação
dos vários termos de abuso. “Fino completa deve ser pago, em primeiro lugar, quando um homem insulta outro

79

como tendo ficado de parto; em segundo lugar, se ele declarar que o outro é possuidor de desejos não naturais; em terceiro lugar, se
ele compará-lo com uma égua, ou um troll, ou uma prostituta,”da mesma forma plena bem se ele ser chamado de escravo, ou
prostituta, ou bruxa; e para o resto, não são apenas palavras de abuso para o qual uma multa menor pode ser reclamados, ou que
pode ser vingado por dizer: você é outra. - Depois da montagem dispersa, e os bons homens voltaram para suas casas, e se vingou
no sangue, bem como para grandes lesões como para pequenos insultos, como se nenhum tal escala que nunca tinha sido. Ou os
islandeses, esses campeões obstinados, que brigaram e lutaram e se vingaram em toda a simplicidade de honra, eles foram para o
Al-coisa e ouviu o homem da lei recitar o capítulo sobre o abate, em toda a sua complexidade artificial, com condições ,
possibilidades e circunstâncias infinitamente emaranhado e tecidos dentro e para fora. Nunca um homem riu; pelo contrário, tudo
escutava com o mais profundo interesse.

Esta imagem tem uma magnífica humor próprio. Se não soubesse melhor, poderíamos ser levados a imaginar um cisma
na comunidade. Mas não. Na Islândia, de qualquer forma, não há qualquer vestígio de qualquer distinção entre uma casta
que dá direito e uma multidão sem lei. Os mesmos yeomen obstinados que lutaram um com o outro em seus próprios
distritos, eram juristas para um grau, com um carinho e um presente para os meandros da lei. É estes camponeses, de
fato, que fizeram lei islandesa a web bem-padrão da casuística é. Lei, na ilha saga, tem seu próprio selo particular de
sistematização quase refinado, que encontramos na Islândia e em nenhum outro lugar, construído por processos
constantes e legislação constante. Algo semelhante se aplica no caso da Noruega. Mesmo que não estavam por toda
parte os homens aprenderam na lei, no sentido mais restrito, a ser encontrado ao lado do inculto,

Outra e explicação mais provável pode ser adiantado. Homens não permanecem sempre no mesmo estágio; mas eles se
movem apenas com parte de sua alma de cada vez. O mesmo indivíduo contém uma auto progressiva, que se afirma
triunfante quando o homem aparece em alguma função pública ou em co-operação

80

com outras almas metades afins; e um, auto conservador à moda antiga, que assume a liderança em casa na vida diária, e
administra completamente para tirar vantagem de qualquer perturbação do equilíbrio na alma para surpreender e depor sua
rival. As leis da Noruega e da Islândia não representam qualquer lei primitiva; pelo contrário, ambos são fenômenos de
progresso. É o
auto progressiva que fala através deles. E estranhamente, enquanto os escandinavos têm uma escala de valores para
feridas, de acordo com se elas penetram a uma cavidade (que custa 1/2 marca) ou não ir além da pele (preço 1 oz), de
acordo como a cura de violação sem uma cicatriz (preço 1 oz) ou com uma cicatriz (6 onças), os islandeses, por outro lado,
têm claramente não avançou além do estágio de chamar uma ferida uma ferida. Se pudéssemos seguir o curso das leis
volta século após século, devemos ver como as formas tornou-se mais simples e mais simples, vê-los mais e mais quase
aproximando-se da simplicidade do pensamento todos os dias.

Isso, no entanto, não por quaisquer meios implicam que os antepassados ​desses nórdicos e islandeses não tinha idéia
de distinção. A avaliação dos danos feito mentiras, afinal, tão profundo no caráter da lei, que deve ser suposto ter suas
raízes na atitude de espírito entre o povo. Mesmo que encontramos, na islandês lei-book, o Gragas, o limite para o
direito de vingança definir muito longe para baixo, de modo que um golpe simples está incluído, a mera presença de um
tal limite ainda indica que determinadas lesões foram contados muito ligeira a ser pago no sangue. Sem dúvida, nossos
antepassados ​deve, numa fase inicial da sua existência, fizeram a descoberta de que um homem pode, por vezes, fazer
outro mal de propósito, e às vezes por acidente. Ou eles foram levados a observar que alguns epítetos em seu
vocabulário eram mais fortes do que outros;

O interesse em tons de diferença era forte e profunda, e, sem dúvida, de antiga data; homens sabiam e reconhecido bem
o suficiente a possibilidade de uma diferença entre pequenas lesões e grande. Não há nenhuma razão para duvidar de
que os homens eram da primeira mais inclinados a chegar a uma solução pacífica no

81

caso de pequenas feridas que no caso de ferimentos mais graves. Se fosse possível dependeria do carácter individual do
caso; o que levou à lesão, como tinha sido tratado, e não menos importante, que era o ofensor; se ele e seus parentes
eram de tal posição que um acordo pacífico com eles significava honra. Mas uma coisa era certa; a vontade de
reconciliação não foi baseada em qualquer inclinação para deixar o golpe insignificante passar despercebido; se o
culpado não queria ou não podia fazer bom a honra danificado, então a vingança deve ser tomada, não menos do que em
questões de vida e morte.

Sobre este ponto lei era tão rígida e inflexível quanto qualquer sentimento particular que ordena a restituição incondicional.
Que o agressor não está em condições de pagar, ou que ele não existe mais, não dispõe do fato de que a outra parte fica
lá na necessidade de pagamento. A leveza de um crime não diminui a necessidade de que seja feito bom. E em face desse
princípio básico, todas as tentativas de progresso chegou a um impasse. Os reformadores da lei da Noruega empurrou
vingança, tanto quanto possível para o fundo. Eles pedem, que os tribunais estão prontos para aqueles que precisam
deles, e, além disso agora haverá funcionários reais, cuja tarefa na vida será para dar aos homens a restituição que tinham
antes de obter para si o melhor que podiam. Mas eles não podem abster-se de acrescentar que, se o adversário não vai
ceder, e a vontade do funcionário não for suficiente, então o homem que se vinga-se por sua desonra será considerado
com toda a consideração possível; ay, se a vingança tomada não exceda deserto, ele será mantido não culpado. “Se o
pagamento da multa por matar um homem não ser feita, em seguida, parentes do morto pode se vingar, e eles devem ser
de modo algum prejudicada pelo fato de que o rei deu a paz assassino e deixar de estar no país, ”- estas são as próprias
palavras de grande edital reforma do rei Hakon, que prefacia a Lei do Frosta-coisa.
Neste ideal de justiça o aparente conflito entre as teorias do direito ea prática da vida cotidiana é contabilizado. Os teutões
tinha uma forte inclinação para a liquidação pacífica de controvérsias, mas a mediação do lado de fora tentando uma
reconciliação de comum acordo, sem o mínimo pré

82

judicing o direito de Frith. lei posterior reflete um sentido Teutonic original de justiça na medida em que ele trabalha-se duas
tendências distintas em um único sistema. Os advogados da época de transição tentou fazer a mediação parte integrante do
processo judicial e, portanto, tendem para um sistema jurídico construído sobre a valorização de pesagem e da ofensa, ao
mesmo tempo em que trabalhou para a abolição do antigo direito de privada vingança. Por este processo de harmonização, a
jurisprudência Teutonic foi gradualmente levado para correspondência com o direito romano, mas foi lento em abandonar a
idéia de reparação absoluta como a condição fundamental do direito e da justiça.

A demanda de restituição pessoal, na verdade, não é uma coisa que a vida ea sociedade limita a reconhecer, é o segredo
muito mais interna, o próprio poder de sustentação, na legislação do Norte. Quando a Lei do Gula-coisa irrompe com o
seu: “Então é assim que a vingança ser tomadas” ou quando ele diz: “Ninguém pode exigir o pagamento por danos mais
de três vezes sem tomar vingança entre eles,” então não é desafio lei, maliciosamente colocar a peruca legal e proferindo
cinismo com seriedade cômica. Estas frases são nada mais que a expressão direta de que a energia lei desejo que
construiu e manteve toda a rede de ordenanças das quais emergem.

O espírito da lei pode ser caracterizada como uma simpatia jurídica com a parte ofendida e seus sofrimentos. A lei-coisa é
o lugar para onde ele vem para buscar a cura. Em outras palavras, qualquer ataque é considerado do ponto de vista de
errado pessoal. Não importa se um homem vem tendo o corpo de seu parente morto ou conduzem em um ladrão pego
em flagrante e vinculada, ou com o ódio de uma palavra desdenhosa a ser eliminados, o choro é a mesma: “Dê-me a
restituição , me devolva a minha honra.”

A ação nunca pode ser um crime em si, ela só se torna um crime, se vamos usar a palavra, por seu efeito sobre uma pessoa. Se
ele cai em cima de um som homem e todo, é equivalente ao dano causado, e ele deve tê-lo feito bem. A sociedade fina toma
sobre si mesmo para conseguir para ele, se ele agrada a ele, é, de acordo com

83

terminologia antiga, o seu “direito” - o que significa, aproximadamente, o seu valor. E se há “nenhum direito nele”, ou seja se
ele é um homem sem honra, então não pode haver crime.

A energia de manutenção da lei que vai para o queixoso a partir do assento da justiça não é de forma menos do que em
outros lugares onde o juiz senta para punir e proteger. Pelo contrário. É o mais forte, na medida em que é inspirado pela
ideia fundamental: que a restituição deve e deverá ser feita, uma vez que o bem-estar do queixoso está em perigo; Ele é
marcado, um homem caído, se não podemos obter dele “honra”. Se o culpado está fora de alcance, seus parentes deve vir
para a frente; não é uma questão de encontrar qualquer criminoso, mas de encontrar alguém para fazer a restituição.
Entre as tribos do sul de estoque Teutonic, o direito de vingança está em toda parte em declínio durante os tempos
históricos.

O ponto de vista extremo é representado por lei os burgúndios, que decreta a pena de morte para matar, e, portanto, visa
abolir totalmente a tomada da lei nas próprias mãos de ninguém. Mas os bons Burgundians não foram ainda mais longe no
caminho para a perfeição do que o legislador considerar necessário no mesmo fôlego de salientar que nenhum outro do
que a pessoa culpada deve ser processado. Os povos restantes, evidentemente, não tinha avançado além do estágio de
restrições, quando começaram a escrever as suas ordenanças. Infelizmente, devido à natureza ocasional das leis, que só
são capazes de seguir o movimento por vislumbres ocasionais aqui e ali. A lei do Alamanni parece inclinado a distinguir
entre a satisfação do impulso de vingança resultante no momento e vingança planeado e executado a sangue frio; um
homem que, com tais ajudantes como pode estar na mão, sai imediatamente em busca de um assassino e bate-lo em sua
própria casa, é multado o preço simples da vida de um homem; mas se ele adquire assistência primeiro, a multa é elevada
a nove vezes essa soma. Entre os francos, é Carolingians que primeiro definir sobre reformas a sério. Nos períodos
anteriores, a vingança é ainda plenamente reconhecido, de qualquer forma

84

para lesões mais graves. A lei sálica menciona a punição para qualquer um, independentemente de tomar para baixo a cabeça
criada por um vingador em um poste para fazer propaganda de seu ato. Nós acontecer para aprender de um bom homem,
Gundhartus, que ele foi obrigado a permanecer em casa por motivo de vingança ameaçando. Em sua necessidade ele tem
aplicado a Eginhard, que agora (provavelmente por volta do ano 830) escreve uma carta sensação de Hraban, incitando este servo
de Cristo para libertar o homem do seu serviço militar, como sua vinda ao exército infalivelmente jogá-lo o poder de seus inimigos.
As tentativas dos reis no montante de reforma em sua maior parte a fervorosa e exortações cordial com as partes interessadas,
para obrigar as pessoas a se reconciliar e dar-se, tomando vingança.

Mais instrutivo são as limitações a que a vingança é submetido na lei dos saxões. Em primeiro lugar, é proibido em todos
os casos onde o dano foi feito por um animal doméstico, ou por um implementar escorregar da mão da pessoa a usá-lo; o
proprietário deve pagar uma multa, mas deverá ser seguro contra vingança. Além disso, um homem inocente si mesmo
não deve ser responsabilizado por atos de seu povo; Se a escritura ser de sua concepção secreto, então é claro, ele deve
ser mulcted ou sofrer vingança, mas se a pessoa realmente culpada ter agido por sua própria iniciativa, é admissível a
deserdá-lo e deixá-lo, com sete dos seus mais próximos parentes, culpado, ou seja, servem como objetos de vingança.
Finalmente, quando uma questão de assassinato, a família, em seu sentido mais amplo, tem o direito de adquirir
imunidade de vingança pelo pagamento da terceira parte da multa simples para matar; todo o restante da enorme
indenização (nove vezes a multa simples) cai sobre o assassino e seus filhos, e só eles estão abertos a vingança se o
pagamento não ser feito.

No breve lei Frisian encontramos o seguinte: Aquele que incita outro para homicídio - aqui novamente a relação de
senhor e servo é provavelmente em mente - só pode escapar da vingança se o criminoso fugiu; ele então paga uma
terceira parte da multa. Se o assassino permanece no país, então ele deve ser deixado ao critério das partes ofendidas
se eles vão renunciar à sua vingança contra o instigador e aceitar um acordo. E
85

onde um homem pode jurar-se livre de toda a participação no ato de seu servo, ele também escapa vingança; mas ele deve
pagar a multa do mesmo jeito.

Os legisladores Lombard são muito ocupados com a questão de vingança, e muito preocupado com o problema de como
para forçá-lo de volta dentro de limites um pouco mais estreito. Os decretos conseguinte prever um quadro interessante
da posição de vingança, tanto em direito próprio, e onde as pessoas lesadas tomar a lei em suas próprias mãos. Em
casos de homicídio acidental, contratempos no curso de trabalho, onde são vários em conjunto, etc .; como também em
casos de danos causados ​pelo gado, etc. não está sob controlo, vingança é barrado. De acordo com o edital de Rothari,
vingança pessoal não deve ser tomado por um insulto ou um golpe; uma multa deve aqui bastar; em troca, o rei coloca-se
o preço: “Por que razão temos para cada tipo de ferida e explodir pagamento definido maior do que os nossos
antepassados ​sabiam, a fim de que a multa pode empurrou de lado a vingança,

Há uma passagem no édito do rei Liutprand que nos dá um vislumbre acidental na vida dos lombardos, e mostra como
vingança, uma vez solto é arremessado para trás e para a frente entre as partes. O Rei aprendi recentemente de um
episódio angustiante; um homem tinha tomado as roupas de uma mulher tomar banho, e escondido eles. Liutprand apressa
para decretar uma multa muito pesada para tal delito; o culpado num caso como devem ser corretamente mulcted em um
montante igual ao que foi pago por um assassinato; “Para”, diz Liutprand na explicação “, supondo que o pai da mulher, ou
irmão, ou marido, ou outro parente foram passar por aqui, então teria havido uma briga. Não é melhor, então, que o
pecador deve pagar o preço da vida de um homem, e vivem, de que a vingança deve surgir ao longo do seu corpo entre as
famílias e maiores multas dali surgem?”

Os legisladores Lombard recorrer, para o resto, ao bom senso de seus súditos; é uma questão de contrabandear
um padrão mais elevado de moralidade nas mentes antiquadas, e gradualmente expulsando a vingança da esfera
do que é legal e adequado. As empregadas Lombard parecem ter crescido além da boa

86

velho costume de permanecer virtuosamente conteúdo com o marido escolhido para eles por sua família. Há casos
constantes de uma donzela desposada fugir com seu próprio pretendente escolhido, e a fuga naturalmente dá origem a
vingança regular e rixa. Liutprand agora tenta se a perspectiva de perder todo o seu dote pode não induzir uma donzela
a respeitar seu noivado. Ela é perder seu lote, e ir nu e de mãos vazias de sua casa. Ele severamente proíbe pai ou
irmão para dar lugar a clemência aqui “. . . que conflitos podem cessar, e vingança ser feito com a distância”.

Entre os povos para o norte, os dinamarqueses - e os anglo-saxões - se mais ou menos dignamente ao lado dos
Bargundians. Nominalmente, todos vingança é repudiado. Mas os legisladores não pode fazer sua própria língua em
conformidade com as novas idéias. Quando eles se esforçam para dar razões para a incapacidade de mulheres e homens
da Igreja a tomar ou pagar multas, o assunto cai de si mesmo para as velhas palavras: “para eles tomar vingança sobre
ninguém, e ninguém sobre eles”. Ou uma expressão como esta desliza em: “Se a pessoa ferida optar por não declarar o
ato, mas para se vingar. . . “No édito de Valdemar II sobre homicídio, há também o contraste mais notável entre sujeito e
linguagem. O objetivo do edital é parentes livres de obrigação de pagar uma parte da multa: “Enquanto o assassino está
no país, não será vingado mediante qualquer outro homem.
partes, é claro, ficar de mãos vazias - então seus parentes devem oferecer pagamento, e se não o fizerem, e um deles deve ser
morto pelo vingador, então eles têm apenas a si mesmos para agradecer, por não oferecer para pagar. Naturalmente, no
entanto, o vingador não está isenta de pagar por sua matança; ele tem, por assim dizer, para pagar por seu direito, assim como
a Borgonha que comete o ato de homicídio quando “impulsionado pela dor e raiva” para retaliar no local. O antigo regime é
assim nominalmente quebrados na raiz.

Os suecos foram quase tão longe avançado como seus vizinhos do sul. As leis suecas colocar particular ênfase no ponto
de que a vingança é apenas para ser levado ao infractor real, e não sobre seus parentes. A violação deste princípio vem
sob o título

87

de “vingança unrightful”, uma ideia também conhecido na Dinamarca, como, por exemplo, onde ordenação de Valdemar II
abolição do calvário pelo fogo distingue entre o assassinato de um homem inocente e matar “em legítima vingança”.

Em Gothland, onde o progresso do desenvolvimento era de modo algum para trás os tempos, mas em muitos aspectos, seguiu um curso peculiar, eles tinham sua
própria forma de evitar a vingança. Os preceitos da Lei de Gothland quanto ao que deve ser feito nos casos em que “o diabo tem feito que um homem deve tirar a
vida de um homem” são duplamente interessante, enfatizando por um lado as dificuldades no caminho da abolição da vingança, e por outro, oferecendo uma
solução, fazendo uso de meios antiquados. É previsto que o homicida fugir com seu pai e filho e irmão, ou, se estes não existirem, então com seus parentes mais
próximos, e permanecem quarenta noites em um dos três santuários da igreja da ilha. Daí eles passam a encontrar-se um lugar de habitação, longe de sua casa;
eles são livres para escolher uma área de três aldeias e floresta circundante, tanto quanto metade do caminho para o distrito habitado mais próximo sempre desde
que, no entanto, que não se encontram nenhuma lei-coisa nem cidade do mercado, nem mais de uma igreja, no distrito . Lá eles permanecem. E por três anos
sucessivos, eles estão a oferecer pagamento; e mesmo que a parte ofendida aceitar a multa na sua primeira oferta, nenhuma culpa deve anexar a ele. Se ele se
recusar a multa na sua terceira oferta, então as pessoas estão se desfazer do dinheiro, e o infrator ficará livre. e mesmo que a parte ofendida aceitar a multa na
sua primeira oferta, nenhuma culpa deve anexar a ele. Se ele se recusar a multa na sua terceira oferta, então as pessoas estão se desfazer do dinheiro, e o
infrator ficará livre. e mesmo que a parte ofendida aceitar a multa na sua primeira oferta, nenhuma culpa deve anexar a ele. Se ele se recusar a multa na sua
terceira oferta, então as pessoas estão se desfazer do dinheiro, e o infrator ficará livre.

Vingança está em processo de restrição em toda parte. Primeiro de tudo, foi dependente da intenção de prejudicar, em seguida,
ele limitou-se ao caso de apenas ferimentos mais graves, como homicídio e adultério; e, finalmente, ele é reduzido a uma
espécie de retaliação sobre o próprio culpado, sua família estar livre de toda a responsabilidade de compartilhar a culpa.

Restrição, limitação em todos os lugares. E essas mesmas subtrações abrir perspectivas para um momento em que a
necessidade de restituição jogou toda a consideração de prepense malícia completamente na sombra; quando, por exemplo,
cada ferida tinha de ser rastreada até alguém responsável, mesmo em casos em que o
88

arma em si tinha agido contra a vontade de seu dono. Mas os paliativos escolhidos sugerem um momento em que o doente estava
mais na necessidade de espiritual do que de cura do corpo, e um momento em que a vingança era o remédio universal.

Mas há mais do que isso nesses restos de real e esforços clericais para suprimir a vingança individual; é reconhecido
abertamente que a vingança era uma necessidade, para a qual os reformadores devem fornecer algum substituto. As
restrições são feitas exclusivamente com a condição de que a restituição seja assegurada por outros meios, e sob a
suposição de que no caso do modo novo e legal deve levar a nada, então os parentes estão a ter o direito de buscar sua
honra em vez de arriscar a sua perda. Isso, como vimos, foi a nota final no edital de Valdemar contra a ajuda dos
parentes; eles têm apenas a si mesmos para agradecer por ter derrubado vingança sobre si mesmos por deixar de
oferecer indenização. Mesmo os anglo-saxões são forçados, não menos que os lombardos e os escandinavos, para
deixar o direito de vingança aberto como um último recurso,

Em alguma instância inteiramente isolado, podemos encontrar a concepção do direito como existentes para efeitos de
punição como um aviso para os malfeitores e uma proteção para o bem; assim, no prefácio da Lei da Jutlândia, na Lei da
Borgonha, e aqui e ali, em algum rescrito real. Ele fica ali como uma lição aprendida e repetida, completamente isolado, sem
qualquer efeito sobre as próprias leis; definir lá, por assim dizer, para mostrar como incomensurável é o princípio com todo o
pensamento germânica. Enquanto os reformadores não pode demolir o fato de que os venenos de ferimento um homem, eles
são forçados agora e novamente para se contradizem. Eles foram demais homens do seu mundo a fantasia de que um
sofrimento poderia ser abolida, abolindo o principal meio de curá-la.

Na Dinamarca, a multa por homicídio foi dividido em três partes; uma queda de herdeiro do morto, um para seus parentes
do lado do pai, e um para aqueles na mãe. Mas, mesmo onde não existem parentes do lado da mãe, diz a Lei de Eric,

89

e mesmo que “seu descendente ser nascido de escravo, e, portanto, não é capaz de herdar, ou fora do reino, de modo
que não se sabe onde estão seus parentes, em seguida, os parentes do lado do pai, apesar de terem já tomado tanto
primeira e segunda partes, também devem tomar a terceira; por seu parente não será morto sem sua morte a ser paga, se
um homem livre; mas o pagamento integral deve ser feito.”Então firmemente é o antigo princípio ainda enraizada nestes
homens comparativamente progressivo do direito. Honra é a coisa central em ser um homem. A restituição é uma quota
de honra que o ofendido deve e deve ter pelo amor de sua vida. E é esta cura da alma que os tribunais de justiça são a
adquirir para o queixoso.

Na Lei de Gothland, encontramos, em referência a um homem em ordens sagradas, que tem uma lesão para vingar, mas é
recusado o pagamento para o mesmo; ele deve aparecer na lei-coisa antes de todas as pessoas, e fazer sua queixa, dizendo: “Eu
sou um homem culto, e foi ordenado para o serviço de Deus; Eu não deve lutar ou dar um golpe; Eu aceito o pagamento se fosse
oferecido, mas vergonha Estou Loth de suportar.”

Temos aqui uma imagem em breve da essência do sentido germânica do direito. É uma pena que são loth de suportar. E a partir do
assento da justiça vem uma resposta tocando ao grito, pois a lei é, na realidade, algo mais do que um reconhecimento da
necessidade de vingança ao bem-estar do homem. o
tribunal deve assumir a causa do lesado e jogue em seu peso e autoridade do seu lado, pois, não permitindo a sua
pretensão de restituição seria colocá-lo fora do âmbito da sociedade. Lei é baseada no princípio de que um indivíduo que
sofre vergonha para prender sobre ele não conta entre os homens; ele não pode, no futuro, reclamar a protecção da lei.
Se um homem ser chamado de covarde, e não conseguem livrar-se pelo desafio e vitória, então ele é covarde, e
desprovido de direito - assim corre a sentença, tanto no sul e no norte. É bem verdade que a lesão é um assunto privado,
na medida em que é um perigo particular para que um homem deve-se buscar a cura; a comunidade toma nenhuma
iniciativa em relação a perseguir o agressor. Mas não é menos verdade que a opinião pública colocaria o doente além
claro se ele

90

não se reabilitar. E o doente pode, de certa forma, transferir sua angústia para a comunidade, fazendo queixa; ele faz as
participators pessoas na vergonha e as suas consequências. A lei-coisa deve adquirir-lhe a restituição, na medida em que
pode ser feito com os meios à sua disposição, deve declarar-se em harmonia com a pessoa lesada, e renunciar seu
adversário - a menos que uma reconciliação pode ser efectuada. Se as pessoas não podem fazer isso, então as pessoas
vão talvez ser infectado por sua debilidade. O autor da denúncia, por assim dizer, o poder sobre as pessoas e sua
consciência, mas não em virtude de uma justiça comum, não em virtude de um princípio constitucional que diz: você não
deve, e exige punição; não em virtude de qualquer coisa, mas isto: se nada ser feito, devo morrer, e eu posso arrastá-lo
comigo.

Um homem que não consegue vingar um insulto é um niding, e é privado da protecção da lei.

O grito de honra vem tão penetrante dos lábios de parentes porque ele é forçado a sair por medo. Foi, sem dúvida, em grande
parte uma questão de forma, quando em Friesland, um dos parentes do homem morto pegou sua espada e feriu três golpes na
sepultura, chamando em presença de toda a família a sua “vingança, vingança, vingança!” Uma questão da forma, também, é o
ritual pelo qual os queixosos tirar as suas espadas e proferir o primeiro grito, carregar o corpo até a lei-coisa e depois mais dois
gritos, embainhar as espadas novamente. Mas as formas não são mais violentos do que sentir o justifique. Havia tensão
suficiente nos homens a deixar o anel grito para fora em toda parte. A lei não conhece tal violência desenfreada. Ela fala
deliberadamente, pesando suas palavras, mas sinceramente, como quem vê um ser humano em perigo de vida; e quando tudo
estiver dito e feito, a lei' s insistência na indispensabilidade de honra é tão enfático como os gritos dos parentes. A expressão
vocal distinta e apegada à forma do homem de legislação não permita a demanda para saltar em cima de nós como no grito
selvagem dos parentes: “vingança, vingança”. E, no entanto, talvez, se os nossos ouvidos estão devidamente abertos para o que
é o homem da lei estabelece em seus breves, frases rimadas, podemos por esse testemunho indireto si ganhar a maioria
esmagadora impressão de energia de honra,

91

uma impressão o mais poderoso do fato de que vemos aqui a energia transmutada em uma fonte de apoio da sociedade.

O processo de lei germânica se baseia no princípio de que uma acusação - antecipada em devida forma, é claro - é suficiente
para obrigar um homem a se defender na lei. Qualquer um deve estar pronto para anular a mera acusação infundada pelo seu
próprio juramento e de seus compurgators. Se não, ele sucumbe à acusação; de acordo com o velho modo de pensar, a questão
é como totalmente decidido como se ele tinha declarado publicamente culpado. O medo de um homem está sendo condenado
embora inocente, por este método, era desconhecida, porque o silêncio realmente não era
considerado como uma confissão mudo; em vez disso, a própria acusação foi considerada como uma forma de introduzir a culpa em um
homem. Aquele que não consegue arremessar de volta a carga permite que ele, por assim dizer, afundar-lo e marcá-lo. O acusado não
se provar a si mesmo limpo; ele se purificar.

Este é o princípio dominante no processo lei germânica, o vínculo que mantém as pessoas unidas em uma comunidade de
direito. Na vida cotidiana, também, parece que um homem tinha poder sobre outra, em virtude de sua mera palavra. Uma lata
de ovo em um homem para mostrar sua força, sua coragem, sua imprudência na forma como se sugere. Um pode forçá-lo,
expressando dúvida de sua masculinidade. Os nórdicos têm um prazo especial para tais palavras convincentes: frýjuorð eles
são chamados; palavras em que um indica a crença na falta de qualidades viris de outro homem. Por exemplo, havia um
homem chamado MAR. Este Mar certas pessoas desejada para se livrar para sempre. Assim, um dia uma pessoa de aparência
suspeita surge à sua herdade, e diz-lhe que um de seus bois está deitado no pântano. Már sabe muito bem onde seus bois,
mas quando a outra deixa cair uma palavra no sentido de que é estranho que um homem deve ter medo de ir e olhar para o
seu gado, o pequeno proprietário rural deve sair para o pântano, e lá ele atende sua morte.

“Você não ousa” é suficiente para fazer uma participação homem sua vida. Gregorius Dagson perdeu o caso e sua vida
porque não podia resistir ao poder de uma provocação. Quando ele e Hakon conheci, havia um fluxo entre eles; o gelo era
duvidoso, Hakon tinha buracos cortados nela, e cobriu-se de neve. Gregorius fez

92

não gosta da aparência do gelo; melhor, pensou, para dar a volta pela ponte. Mas os camponeses não podiam entender que
ele deve ter medo de ir contra tão pequeno uma festa em boa gelo. Gregorius respondeu: “Eu não tenho muitas vezes é
necessário que alguns se me insultar com falta de coragem, e não será necessário agora; ver apenas que você siga quando eu
vou em frente; é você que quiseram fazer julgamento de gelo ruim, não tenho grande me quiser, mas não vou suportar com
suas zombarias. Encaminhar a bandeira!”Ao todo uma pontuação de homens o seguiram, o resto voltou assim que sentiu o
gelo sob os pés. Há Gregorius caiu. E isso foi tão tarde quanto o ano 1161.

Um homem tem poder sobre o seu vizinho pelo uso de frýjuorð, porque as palavras provocando colocar a honra de seu
adversário em perigo. Se a honra deixa de subir e mostrar a sua força em resposta, paralisia rouba sobre ele. O homem
afunda a um niding. Quando um islandês ou um Norseman grita com o seu adversário: “Sede niding de todo homem, se
você não vai lutar 'comigo”, suas palavras agir como o mais forte fórmula mágica; pois se o outro não vai aceitar o desafio,
ele se torna de fato um niding todos os seus dias. No Hildebrand Lay, o pai expressa seu grito angustiado de ai de
destino: “Agora deve meu próprio filho me parece com a espada, dá-me a minha morte com seu machado, ou devo ser
sua ruína.” Mas o que é para ser feito ? “Ele será a maioria covarde de todos os Orientais, que seria agora se recusam
você batalha, já que você está tão ansioso por isso ..."

Um insulto ou uma acusação, não menos do que explodir ou golpe de arma, dobra algo dentro do homem, algo que é chamado de
honra, algo que constitui a espinha dorsal da sua humanidade. Nesse sentido, um homem poderia fazer seu companheiro um
inferior na lei e direito. A Lei Uppland nos dá um fragmento de uma forma jurídica de idade desde os tempos pagãos, no que diz
respeito a uma acusação de covardia. O partido diz: “Você não é um homem, você não tem coragem!” O outro diz: “Eu sou um
homem tão bom como você!” Em seguida, eles vão se reunir com armas em uma encruzilhada; aquele que não comparecer é um
niding e desprovida de razão. ou como
93

os lombardos disse: Se alguém chamar outro covarde, então ele deve ser capaz de manter a sua afirmação no julgamento por
combate; se ele sucumbir, então ele deve justamente pagar pela sua falsidade. Se qualquer chamar uma bruxa mulher ou
prostituta, seus parentes devem limpar a pelo combate na lei, ou ela deve suportar o castigo por bruxaria ou prostituição. Aqui, o
partido insulto infunde covardia ou prostituição para o outro por sua afirmação. Da mesma forma, o queixoso coloca roubo ou
outras travessuras em seu oponente perante a lei, e obriga-o a limpar-se.

A honra que foi dobrado dentro do partido acusado deve ser levantado de novo, e dado de volta seu poder para governar o
homem. O insulto pode ser considerado como uma espécie de veneno, que deve ser lançado fora e atirou para trás, para o
remetente. E depois disso, o doente deve voltar honra novamente a partir do ofensor, para o fortalecimento plena e completa da
sua humanidade. forças autopreservação mero um para buscar a reparação de qualquer dano; que o homem não pode continuar
a vida de vergonha. É esse sentimento que a constituição da sociedade nasce, uma lei fundamental com força suficiente para
segurar naturezas rígidos juntos em uma comunidade ordenada sob a tutela da lei.

Se um homem folga vingar uma lesão, seus amigos iria intervir, dizendo: “Nós vamos alterá-lo, se você não se atreve; pois não
é vergonha para todos nós neste.”Mas mesmo quando a reparação tinha sido exigido do inimigo, o assunto não foi totalmente
reparado. A parte mais amarga da vergonha preso, porque um dos parentes tinham sofrido um insulto para mentir sobre ele, em
vez de apertar-lo de uma vez, e, assim, elaborado a vergonha para baixo sobre si mesmo e sua família. Esta ferida não foi
curado pelo derramamento de sangue, eo que era pior, não havia nenhuma restituição possível.

O insulto, a lesão, pode vir de dentro, pelo fato de um parente mostrando covardia ou negligência, em deixar escapar
uma oportunidade de mostrar a si mesmo, de acentuar a sua existência em honra. Ou ele bateu-se como um filho de
desonra ao cometer um ato que não poderia ser defendida; digamos, por “assassinar” um homem. Finalmente, a família
poderia ser atingida

94

por um acidente vascular cerebral sangrenta que era, em si irreparável; quando o assassino era um de seus próprios membros.

Em seguida, os parentes podem proferir palavras como estas: Melhor ido de covarde; melhor um lugar vazio no clã onde ele
está. Sabemos alguma coisa do que ele deve ter custo para dizer tal coisa; a proferir estas palavras, um homem deve fazer
violência ao seu sentimento de Frith; ele deve ser preenchido com um medo que ofusca o seu medo natural de ver o número
de seus parentes diminuiu ea perspectiva de uma rica geração vinda reduzida; ele deve ser conduzido ao ponto de esquecer o
que a dor que significava cada um pessoalmente no círculo, quando uma corda, uma corda close-trançado, foi dividido fora
dele. Se nós percebemos que Frith significava: a própria alegria de viver e a certeza da vida no futuro, e se pode transmutar
esse entendimento em simpatia, não podemos deixar de tremer com as palavras: melhor uma brecha onde ele está.

Quando vergonha vem de dentro, de tal forma a impedir toda a restituição, que produz desespero paralisante.

No Gylfaginning, lemos sobre a morte de Balder da seguinte forma: “Quando Balder estava caído, o discurso não os deuses, e
suas mãos não tinha poder para agarrá-lo; um olhou para outro; todos tinham, mas uma mente para ele que tinha feito a
escritura; mas nenhum poderia vingar-la; a paz do
lugar era muito forte. Mas quando os deuses encontrados discurso novo, então estourar seus prantos diante no início, de modo que ninguém
pudesse dizer qualquer palavra para os outros de sua tristeza. Mas Odin sentiu o doente mais pesado fortuna, pois ele melhor sabia o quão
grande uma perda deuses sofreu em Balder está acontecendo. -Mas quando os deuses veio a si mesmos, então Frigg perguntou se havia
algum entre os deuses que ganharia todo o seu amor por andar ao longo da Hel-road, para ver se ele poderia encontrar Balder e oferta de
resgate para Hel para o sofrimento que ele voltar para casa para Asgard.”

O leitor dificilmente pode duvidar, mas que o autor tem atraído esta vívida descrição da experiência real. O mito em si foi,
sem dúvida, transmitida de épocas anteriores; mas seja o que pode ter mantido em sua forma popular, qualquer que seja o
seu centro pode ter sido antes que ele ganhou sua forma final, ele deve ter

95

tocado e lançou um medo no próprio poeta que estava aguardando a oportunidade para estourar adiante. Com o peso de
uma experiência interior, o único momento é feita uma TurningPoint fatal. Os deuses estão de pé, jovem e feliz,
regozijando-se na sua força e bem-estar, e então, de repente, como um arrepio precipitada vem, outono cinza está sobre
eles. Eles não têm poder para determinar, sem força para agir. E enquanto vemos, as sombras tirar, mais e mais, até que
eles se fundem, no ponto mais distante, na escuridão inavertible. Pelo seu pathos interior da cena anuncia-se como um
ponto de viragem na história dos deuses e dos homens; somos levados a sentir que a morte de Balder inaugura o declínio
dos deuses e do fim do mundo.

Um homem pode realmente vir a viver através de uma catástrofe que trouxeram a ruína irreparável em cima de um círculo completo; e de algumas dessas
experiências - do sentimento de Frith no momento antes de sua dissolução - o mito tem atraído toda a sua vida. Eu não estou de forma alguma pressupor que o
poeta deve-se ter visto um desastre em sua própria família; a força esmagadora dos, sentimentos mais elementares mais profundos podem facilmente se
transformar em uma premonição do que a perda significaria que um aparentemente muito ligeiro impulso pode criá-los de forma trágica. Fora desta colisão entre
sujeito e experiência, esta inspiração, como o chamamos, aumentou o quadro geralmente reconhecível de Frith violem si. Assim, os parentes se põem em sua
necessidade. Suas mãos afundar, eles olham timidamente um para o outro, temendo olhar diretamente diante deles e ainda com medo de encontrar um do outro
olhar; ninguém pode dizer uma palavra. Em um momento toda a força vital está quebrado. Ninguém sabe nada, tudo balançar de um lado para o outro entre duas
possibilidades, como o Beowulf apropriadamente pinta-lo na linha sobre o Rei Hrethel: “Ele não podia deixar o executor dessa ação ouvir palavras mal, e ainda
assim ele não poderia amá-lo. ”Em lugar do antigo determinação, que nunca parou para pensar qualquer coisa, mas os meios, temos desastrado cego. Os deuses
podem encontrar nenhuma outra maneira, mas para enviar um mensageiro para Hel, e até mesmo ir a serviço de um mendigo depois para toda vida e todas as
coisas mortas implorando-los para levantar Balder do reino da morte por seu choro. Isso não é tudo balançar de um lado para o outro entre duas possibilidades,
como o Beowulf apropriadamente pinta-lo na linha sobre o Rei Hrethel: “Ele não podia deixar o executor dessa ação ouvir palavras mal, e ainda assim ele não
poderia amá-lo.” No lugar do determinação de idade, que nunca parou para pensar qualquer coisa, mas os meios, temos desastrado cego. Os deuses podem
encontrar nenhuma outra maneira, mas para enviar um mensageiro para Hel, e até mesmo ir a serviço de um mendigo depois para toda vida e todas as coisas
mortas implorando-los para levantar Balder do reino da morte por seu choro. Isso não é tudo balançar de um lado para o outro entre duas possibilidades, como o
Beowulf apropriadamente pinta-lo na linha sobre o Rei Hrethel: “Ele não podia deixar o executor dessa ação ouvir palavras mal, e ainda assim ele não poderia
amá-lo.” No lugar do determinação de idade, que nunca parou para pensar qualquer coisa, mas os meios, temos desastrado cego. Os deuses podem encontrar nenhuma outra maneira, mas para e

96

exagero transposta para as condições humanas. Os parentes que suportar a vergonha entre si não têm poder de
vingança ou defesa. Insulto de fora é muito forte para eles. Eles abaixam a cabeça involuntariamente, onde eles iriam de
outra forma manter-se firme. Eles lutam sem esperança, com a consciência de desespero que o desastre não cessará.
Esta miséria é propriamente o que os antigos chamavam redelessness, a incapacidade de encontrar um caminho.

E com isso a queda da família é certa. Quando retentores de Beowulf tinha abandonado seu rei em sua luta com o
dragão, as conseqüências de sua covardia estão representados na
as seguintes palavras: “Nenhum de seus parentes jamais agora atingem bom grado para o ouro, ver estendida espada na presente;
resíduos é a morada dos pais, o desperdício é a vida. Todos os homens de sua raça deve ir de mãos vazias de distância, e deixar sua terra
de herança para trás, assim que os homens corajosos longe e ampla ouvir de seu vôo, sua ação covarde. Melhor é a morte do que a vida
de vergonha “.

Esta passagem no poema Inglês velho leva-nos em primeiro lugar a pensar o desastre como uma morte cívica; podemos
imaginar a família para o exílio por um peso de sentença expressou abertamente ou em silêncio compreendido. Neste
estamos certos em algum grau; mas a sentença não é o fato principal, é apenas o resultado de causas mais profundas. Para
o problema reside não apenas no desprezo dos homens. Vergonha não se limita a tornar os parentes indignos de participar
na existência humana, mas também, e mais estritamente, incapaz de fazê-lo. Há algo de errado dentro. Se não fosse que a
covardia dos indivíduos infectados os seus companheiros e tornava incapaz de mostrar masculinidade, a corrida não iria a tal
ponto se tornar como um arbusto podre, que poderia ser rasgado em uma mão e atirou para o campo. Falta de Frith é em
sua essência mais íntima uma doença, e idêntico com a falta de honra. Uma tal condição é chamada pelo nidinghood
nórdicos, o estado de ser um niding, por meio de que eles compreendam uma dissolução de que a qualidade interior que faz
com que o indivíduo ao mesmo tempo um homem e um parente.

Nós encontramos a palavra niding agora a cada passo. Nisso

97

encontra-se todo o medo de uma perda de honra não fez bom. E em cada encontro, a palavra tem um anel mais profunda e mais mal
presságio. Para ser um niding significa que um homem perdeu sua humanidade. Ele não é mais considerado como um ser humano,
ea razão é, que ele deixou de ser assim, de facto.

O estado em que Hrethel e seus companheiros de sofrimento encontrar-se forma uma diametralmente oposta à plenitude da vida de
Havard. Em homens sem honra, a dissolução de todas as qualidades humanas ocorre. Em primeiro lugar, o frith de parentesco é
destruído. A coerência forte, que só permite que os membros de uma família, não só para deliberar por unanimidade, mas para agir
em tudo, desaparece. A falta de honra come através do Frith, de modo que os parentes murchar e apressar todas as formas
diferentes, como uma multidão de unidades solitárias, isto é, uma multidão de nidings.

Na casa onde um parente fica impune, não há Frith completo e verdadeiro. A família vive em um estado de interregno, uma
pausa miserável e perigoso, em que toda a vida fica como se fosse prostrado, esperando a sua renovação. O assento é
elevado vazio; ninguém pode sentar-se lá até que honra é restaurada. Os homens evitam seus vizinhos, eles não vão para
as reuniões dos homens. Sua evitar outros é devido ao fato de que eles não têm nenhum lugar para sentar-se onde as
pessoas estão reunidos. 'Onde quer que vá, eles devem submeter-se a ser considerado como sombras. Nidinghood está
em processo de crescimento, invadindo sobre um novo estrato da alma para cada oportunidade de vingança sofreu para
passar. Joy não há nenhuma. O que é contada de um islandês; que ele não ri do dia em que seu irmão foi morto até o dia
em que foi vingado, aplica-se em um sentido mais amplo,

O estado intermediário é perigoso; pois se a restituição demore muito a chegar, pode acabar com a perda do poder para
se vingar. Então antecipação e determinação dar lugar a impotência e desespero, à auto-anulação.
O curso dos acontecimentos é semelhante em todas as questões de honra. Se a lesão ser um assassinato, uma difamação ou
qualquer outra coisa, ele traz um vazio em aqueles que sofrem dela. E se eles não ganham o seu direito antes do assento da
justiça, seja por colocar o

98

ofensor baixo, ou por elas próprias a limpeza da carga, - e obter a restituição, - então eles devem perecer, e é irrelevante
que a derrota ser devido à falta de vontade ou de poder ou de boa sorte. O grande terror reside no fato de que certos
atos exclui de antemão a possibilidade de qualquer restituição, de modo a que o doente foi cortado de toda a esperança
de adquirir uma nova força e livrar-se do sentimento de vazio. Em um caso de parentes matar parentes, a impotência é
maior, pois aqui algo está a ser feito que não pode ser feito. Os braços de parente cair se mover para tocar o
responsável. E mesmo se parentes do assassino poderia trazer-se para atacá-lo, não há restituição para eles para
derramar o seu sangue. Ele não pode ser usado para polvilhar sua honra e dar-lhe nova vida.

Nós provavelmente deve sentir essa impotência em nós mesmos como uma contenda da alma, onde a própria vontade é
consumido em um conflito interno. Assim, podemos, sem dúvida, vir a experimentar algo dos temem nossos antepassados
​sentia por nidinghood, mas a questão é se podemos penetrar no centro de sofrimento ao fazê-lo. A única coisa que pesou
mais fortemente sobre eles era a sua impotência; a questão em sua alma estava entre a vontade de agir e a incapacidade de
agir; os sintomas de nidinghood assim consistem em vez de medo e dulness. Para a alma dilacerada pela discórdia interna,
impotência pode ser um alívio, mas para o personagem germânica, o culminar de desespero foi alcançado quando a ação
era impossível porque não tinha objetivo. Era impossível se vingar de um parente. Mas que diferença fazia se o assassino
fosse parente ou estranho, quando este, por exemplo, era um escravo sem honra, ou um vagabundo sem parentes? Quando
não poderia ir além do escravo de um mestre, ou além da besta ao seu proprietário, ou para além do indivíduo solitário a um
grupo de guerreiros, um foi deixado de suportar a ferida e a ferida significou vazio em qualquer caso.

Qualquer brecha na Frith levantou a mesma sensação de pavor. Com efeito, não havia tal coisa como uma morte “natural”: no
entanto, a violação foram feitas, sentiu-se como um perigo, um horror e uma ofensa. grito desesperado de Egil contra a
“ale-maker” soa na verdade até certo ponto moderno - é o homem afirmando sua

99

bem na cara de todos, ainda que seja um deus. No ponto de forma, seu desafio também parece bastante pertencer a uma idade de transição, quando
os deuses e os homens tinham um pouco perdido o contato com o outro. Mas o desafio de Egil realmente contém um elemento altamente primitiva.
Abaixo da forma tardia reside um velho sentimento de morte, medo primitivo e desafio primordial. A morte era uma anomalia, uma coisa antinatural e
incompreensível; um pares ao redor para encontrar que o interpôs aproximadamente, e se nenhum homicida deve ser encontrada à luz, busca-lo no
escuro. Uma procura, talvez, para o trabalhador deste “bruxaria”. A opressão da morte natural tem, na mente germânica, foi perdido nos cuidados para
o futuro dos mortos; mas uma e outra vez o velho desespero pode subir novamente em um sentimento de prejuízo para Frith. Egil aqui mostra-se
como o mais original, o mais antigo dos personagens do norte. Sua exclamação: “Se eu pudesse prosseguir a minha causa ..." tem em si bastante
tanto de desesperança e impotência como de desafio É um sentimento de nidinghood de emboscada que dá suas palavras sua amargura Mas Egil é
forte o suficiente para.. conquistar desamparo, ele sobe, através do sentimento de solidão, até o desafio de resignação a queda do frith força sua
individualidade espiritual para a frente em defesa ele se gaba de que sua poesia.. A queda do frith força sua individualidade espiritual para a frente em
defesa própria. Ele se gaba de que sua poesia A queda do frith força sua individualidade espiritual para a frente em defesa própria. Ele se gaba de que
sua poesia
e sua vontade pode conseguir sobre os homens, ainda que possam ser impotente para mover o deus; ele agora vai sentar e
esperar até Hel vem, inabalavelmente o mesmo que ele sempre foi. Nesta afirmação de sua personalidade, Egil vai muito à frente
da cultura em que ele está espiritualmente definido. Enquanto Frith foi a base indispensável para toda a vida humana, tais ensaios
nunca poderia levantar um homem para cima. Então, a dor era apenas um veneno, que comeu o seu caminho através Frith,
rompeu a família, e definir nidinghood no lugar da humanidade. A partir dos parentes momento declarou-se incapaz de encontrar
alguém para servir como objeto de sua vingança, eles selaram sua sentença de morte tanto espiritual como socialmente.

Se a pena ser devido ao suicídio espiritual, então não há nenhuma restituição pode ser encontrada em todo o universo. A
perda continua a ser irreparáveis. Apenas uma possibilidade permanece, como a única maneira de salvar a família; a
extirpação do malfeitor. a desonra

100

pode ser queimado antes que envenena todo o corpo, mas ele precisa de um esforço terrível para romper o Frith e impor as
mãos violentas sobre si mesmo.

O poema Balder dá-nos aqui mais uma vez uma expressão poética dos sentimentos em questão entre os parentes. Ou aqui
talvez devêssemos dizer: um dos poemas Balder; a partir de todas as aparências, havia dois. Por um lado, temos a versão
seguido pelo autor do Gylfaginning, onde a morte de Balder está ligado com o envio de Hermod para o submundo. A outra
forma parece ter ligado a morte de Balder com o mito de Odin de e filho de Rind, Vali. Infelizmente, nunca chegamos a
conexão na íntegra, mas são forçados a se contentar com nossas próprias conclusões, extraídas de sugestões espalhadas na
literatura antiga. O poeta do Voluspá, em sua forma alusiva, comprime todo o episódio nas seguintes linhas: “daquela árvore
que parecia tão esbelto veio uma flecha fatal de tristeza; Hod soltou-o da proa. Balder' s irmão nasceu às pressas, ele, que o
filho de Odin, forjado noite de idade o seu assassinato. Ele lavou nem as mãos, nem penteada sua cabeça, antes que ele deu
às chamas aquele que tinha dispararam contra Balder “E em outro poema Eddic, Sonhos de Balder, o vingador de Balder está
profetizado da seguinte forma:“. Rind dá à luz Vali em os salões ocidentais. Aquele filho de Odin semeiam a noite de idade o
seu assassinato; lavagens não mão, não pentes cabeça, antes que ele tem a chamas o atirador de Balder.”Saxo ouviu a
história desta forma. Ele permite que Odin, que “como todas as divindades imperfeitos muitas vezes precisa de ajuda de
homens” aprender com um Laplander que, a fim de proporcionar um vingador para Balder, ele deve gerar um filho com Rind,
uma princesa Ruthenian. Ele nos dá, ainda, uma descrição detalhada das dificuldades de Odin como um pretendente no Halls
Ocidental, onde ele tentou a sorte como um herói, como um ourives, e quando nem feitos heróicos nem anéis de ouro fez
qualquer impressão sobre a donzela, como uma sanguessuga, que ambos produzidos e curados da doença. Mas se essas
calamidades adequadamente pertenço aqui, onde a questão é apenas de um vingador pela morte de Balder, não sabemos.
Infelizmente, ficamos sem qualquer indicação de como e onde esse mito foi fundida na lenda de Balder, mas certamente
parece

101

como se o poeta que trabalhou-se a história estava jogando em cima de noções primitivas. Sentiu-se a necessidade de um
vingador que era um parente e ainda não é um parente. O jovem herói realiza a ação antes de ter lavado ou penteado si
mesmo - ou seja, antes que ele se tornou um ser humano. Em qualquer caso, mesmo que não pode chegar a qualquer
certeza sobre a sensação da era viking em conectar os dois itens, podemos tomar a história como um símbolo do desamparo
dos parentes quando sua honra foi ferido por um dos seus próprios; seu sentimento de impotência em si mesmos e no sentido
de que o problema deve ser eliminado.
Uma coisa que podemos dizer com certeza: quando era uma questão de limpar para fora a vergonha, de extirpar o autor
da vergonha, os parentes dificilmente em qualquer caso, ter chamado a ajuda humana; eles abriram o caminho para a
aniquilação, ou o caminho para a floresta. Eles não têm, propriamente falando, o cortou de si mesmos, mas sim
indiretamente obrigou-o a separar-se, e não até o malfeitor se tinha rasgado longe da família fizeram levantar as mãos e
declarar solenemente como fora dos limites de Frith e da humanidade, e seu lugar vazio.

Contanto que não havia a menor possibilidade de preservar a vitalidade da família sem violência para seu organismo, a
amputação dolorosa provavelmente seria adiada. No caso dos membros que por covardia e inatividade traziam
gradualmente desonra sobre seus parentes, os outros provavelmente primeiro fazer prova de que todas as palavras
provocando e incitando. Este foi grande tarefa das mulheres, e de todos nós sabemos, eles provaram-se igual a ele.
Temos ilustrações suficientes para deixar claro a influência das mulheres germânicas sobre seus maridos, irmãos e pais.
Eles poderiam gravar nos detalhes de uma lesão, acidente vascular cerebral, acidente vascular cerebral, como quando
Gudrun diz a seus filhos: “Sua irmã - Svanhild era o nome dela - Earmanric teve seu pisado por cavalos, cavalos brancos
e preto, ao longo da estrada da guerra, cavalos cinzentos, quebrados para a rédea, cavalos dos godos.

102

únicas peças, e deixar que os filhos se chamam adiante a interpretação: “Seu irmão foi cortado em pedaços maiores” Depois da
carne, ela tinha uma pedra de seguir como um pós-prato; isso era para dizer que eles eram tão apto a estar no mundo como pedras
sobre a mesa de comida “, desde que você não se atreveram a vingar seu irmão Hall, um homem como ele era; sois caído muito
longe dos homens de sua raça. Sigrid, irmã de Erling Skjalgson, acompanhado de seu irmão-de-lei, Thorir Hund, ao seu navio
depois de ter lhe mostrou o corpo de seu filho, Asbjorn, que tinha morrido em todos, mas revolta aberta contra o rei Olaf, e antes
Thorir passou a bordo , ela falou sua mente: “Ay, Thorir, então meu filho Asbjorn seguido seus conselhos gentilmente. Ele não viveu
o suficiente para recompensá-lo depois que seus desertos, mas se eu não puder fazê-lo, assim como ele teria feito, não será por
falta de vontade. Eu tenho um presente aqui eu iria dar-lhe, e feliz por eu deveria estar se poderia ser de utilidade para você. Aqui
está a lança que entrou e saiu de seu corpo o sangue é sobre ele ainda. Ele se encaixa a ferida Asbjorn furo, você pode certamente
ver. . ".

Thorgerd, esposa de Olaf o Peacock, era filha de Egil, e tinha orgulho de seu pai de raça. Um dia ela mandou seus filhos
ir com ela em uma jornada para o oeste, e quando o grupo chegou fora da herdade de Tunga, ela virou seu cavalo e
disse: “Qual é o nome daquele lugar?” Os filhos responder:

? “Isso certamente sabe, é chamado de Tunga” “Quem mora lá” “? Não sabeis que, mãe” “Ay”, responde Thorgerd com
uma respiração profunda, “Eu sei que muito bem; lá vive aquele que foi bane do seu irmão. Você está pouco como seus
parentes bravos, você que não vai vingar tal irmão como Kjartan. Egil, pai de tua mãe, não teria agido assim; ele está
doente ter inativo Sons - ay, como você é, você deveria ter sido filhas de seu pai e dadas em casamento. O que diz o
provérbio, Halldor, há um estúpido em cada família; um infortúnio Olaf tinha, não é para ser negado, seus filhos acabou
mal. E agora podemos voltar atrás; era a minha missão para lembrá-lo disso, se você não se lembrava “Halldor é certo
quando diz:‘. Nós não deve segurá-la por culpa sua, mãe, se ele passar de nossa mente’
103

as mulheres nem tinham medo de usar gestos eloquentes e facilmente interpretados. Procópio relata como as mulheres de
Goth, vendo o que pequenos companheiros seus maridos tinham rendido a, cuspiu no rosto de seus maridos, e apontou
com desprezo nos inimigos triunfantes.

Estes exemplos formar um responsory poderoso para tudo o que precede, explicou por e explicar. Através das
palavras e ações dessas mulheres não fala uma sensação de enorme tensão que a vida de honra produzido em
homens e, portanto, as palavras têm um significado além da situação individual a que são aplicadas na saga. Eles nos
dão a certeza de que necessidade de tal honra poderia levar os homens ao seu máximo. Há neles uma sugestão
indireta de que poderia acontecer se a incitação falhou ao seu efeito.

Em um caso que sabemos com certeza que o interessado rapidamente procedeu à amputação forçada, e limpou a
vergonha sobre a terra. Quando uma mulher tinha sido desonrado, esforços de seus parentes foram dirigidos em primeiro
lugar para a obtenção de honra do autor do crime. Mas este não era como regra o fim do assunto. A mulher desonrada
foi contado uma vergonha para seus parentes; ela era um fardo sobre a raça, e trouxe a sua honra no mesmo perigo que
fez um covarde entre os homens. Mesmo depois que uma mulher era casada, seus parentes foram responsáveis ​por ela.
O marido iria lançar a desonra sobre eles, e dize-lhes limpar-se e ela. Gregório de Tours dá um exemplo de como tal
assunto foi tratado naqueles dias - um exemplo típico de todos os elementos essenciais do pensamento e da ação
germânica. Uma mulher disse ter enganado o marido.

Se os parentes não podem limpar-se, em seguida, eles devem suportar a vergonha com ela; eles devem deixar-se ser feitos
nidings ou então colocá-la para fora do caminho. Havia uma família, diz Gregory, que aprendeu que uma das suas mulheres
tinham

104

sido seduzida por um padre; todos os homens correram para vingar a mancha sobre sua raça, capturando o sacerdote e queimando
a menina viva.

A família empreendeu esta desenraizamento para o seu próprio bem-estar, desde o instinto de autopreservação. A necessidade
da escritura deixou a sua marca nas leis, e nós ainda encontrar vestígios que indicam que o direito era uma vez um dever. édito
de Rothari no sentido de que as autoridades devem intervir se parentes não valer-se do seu direito de tomar medidas contra um
parente que tenha misconducted-se com um homem, é, sem dúvida, uma enfatizando de um sentido antigo da direita. leis
suecas referem-se ao direito dos pais a conduzir sua filha de distância.

Se uma mulher tem desonrado casa do marido do pai ou, ela é chicoteado de casa em casa, ou forçados a tirar sua
própria vida - assim Boniface descreve a regra nacional dos saxões em tempos pagãos. Os últimos pontos alternativos
de volta a partir do julgamento da sociedade para o que temos chamado amputação racial; a vergonha é exterminada,
sem qualquer violação direta da Frith por parte dos parentes.

A razão pela qual a família tomou tais medidas extremamente duras contra suas mulheres não era que o padrão
germânica considerado Frith e inviolabilidade da mulher como inferior. No
contrário, desde mulher ocupada, por assim dizer, o lugar muito mais profundo em sua Frith, o perigo decorrente de uma decadência
da sua honra foi o maior. Por isso a desgraça causada por uma mulher ou uma menina deve ser verificado imediatamente e de forma
eficaz. Mas temos indícios suficientes para mostrar que homens com deficiências fatais foram cortadas também com a mesma mão
rude, mas também com a mesma cautela, para que nenhum culpa de sangue devem anexar aos sobreviventes.

CAPÍTULO III

HONRA DA ALMA DO CLÃ

Sem honra, a vida é impossível, não só inútil, mas impossível de manter. Um homem não pode viver com vergonha; que no velho
sentido significa muito mais do que agora, - o “não posso” é igual a “não é capaz de”. Como a vida está no sangue, por isso, na
verdade, a vida é em honra; se a ferida ser deixada em aberto, e honra sofreu para ser constantemente escorrendo para fora, em
seguida, segue uma definhando, um desconforto crescente ao desespero, que não é nada, mas o início da própria luta de morte.

a própria humanidade é dependente do pulsar nas veias de uma frith-honra. Sem ele, a natureza humana desaparece, e
no vazio cresce uma natureza animal, que finalmente toma posse de todo o corpo. O niding é um homem-lobo.

Não houve diferença. Toda a vida humana (a vida humana, naturalmente não incluía escravos e criaturas afins) estava
sujeita à mesma necessidade. Todos concordaram que a vergonha deve ser exterminada, honra procedente. E ainda, em
vir para a questão do que constitui vergonha, que era a honra que era dever de parentes para manter, não seria
imediatamente diferenças manifestas entre os homens. Um ferimento era uma lesão, e produziu o mesmo efeito em
lavrador e chefe. Mas os homens de nascimento elevado eram mais suave no ponto mais sensível do que pessoas
comuns, como por exemplo no que diz respeito a ser indiretamente menosprezado. E as pessoas respeitado o seu direito,
ou melhor, o seu dever de se sentir assim. A diferença não reside tanto no fato de que eles consideravam certas coisas
como insulto constituindo, onde naturezas mais básicos pode ignorá-los,

106

pele mais delicada; eles sentiram um insulto onde a raça mais grossa não sentiria nada. Ainda de forma mais acentuada,
talvez, é a dissimilaridade aparente no lado positivo de honra. eram esperados homens de pé para ter um sentido mais
agudo do que era apropriado; aqueles de grau inferior pode borda seu caminho pela vida com pequenos lapsos aqui e ali,
e ser nada pior para isso. Mas para formular a diferença corretamente, devemos entrar em um exame atento da natureza
e conteúdo de honra.

A primeira parte da saga de Egil é construída sobre o contraste entre Thorolf Kveldulfson, o chefe de Torgar, e os filhos
de Hilderid, rico yeomen, mas sem grande pé, de Leka. Em Thorolf, o escritor saga chamou a ideal do norte de um
homem livre well-to-do: ativo, corajoso, Amante de magnificência; afetuoso na amizade; verdadeiro e franco para com
aqueles a quem ele prometeu lealdade, mas dura com aqueles em direção a quem ele não sente nenhuma obrigação.
Em face de intrigas e calúnias ele é quase cego, ou seja, ele vê, mas pouco, e que pouco ele não se importa de ver. Se o
rei não ficarão convencidos de sua negociação aberta, ele apresenta um desafio indiferente e obstinação: quando seus
feudos são tomadas a partir dele
pelo rei, ele consegue viver sua vida como um homem de posição, trocando as viagens e expedições viking, respondendo
confiscos do rei por harrying ao longo das margens, e segurando em seu curso undeviatingly completo em combate com o
rei da Noruega. Os filhos de Hilderid são nomeados após a sua mãe, e isso dá uma indicação de sua história. Sua mãe, a
bela mas nascimento baixo Hilderid, uma vez, achou graça aos olhos do velho Bjorgulf; ele se casou com ela, mas o
casamento ocorreu de forma tão descuidada que a família encontrou pretexto nele para privar as chegadas tardias de seu
direito de nascença. Em vão os jovens se esforçam para obter o reconhecimento e reivindicar sua herança de Bard, neto
de Bjorgulf e seu parente coeva. Após a morte de Bard, Thorolf, tendo casado com sua viúva, torna-se o representante do
Bjorgulf' s herança. Ele, também, desdenhosamente rejeita os “bastardos”, descendentes de uma “mulher violada”. Então
eles decidem fazer o seu caminho na corte; eles despertam suspeitas de Harald em conta o esplendor da casa de Thorolf,
e

107

astuciosamente obter uma transferência de feudos de Thorolf para si, sob o pretexto de que as terras podem ser feitas para
produzir mais receitas para os cofres do rei; colocar a culpa em Thorolf quando suas belas promessas falhar, e, finalmente, trazer a
queda do próprio rebelde. Mas os miseráveis ​não têm tempo para desfrutar de sua vitória duramente conquistada antes de
retribuição está sobre eles. amigos de Thorolf tomar uma vingança muito completo.

Calma e objetivamente o escritor saga conta estes acontecimentos, mas através de seu sóbrio discernimento palavras é passado
com garantia sobre esses homens. Thorolf não poderia agir de outra forma, pois ele era de alta nascimento; ele poderia servir ao
rei, enquanto o seu serviço trouxe nada além de honra, mas ele não podia permitir que ninguém, nem mesmo um rei, para
ditar-lhe como ele deve gastar sua honra, quantas housecarles ele poderia ter sobre ele, como esplendidamente ele pode
dotar-se e seus retentores; ele não poderia curvar tão baixa que ficar em um nível com uma acusação, uma calúnia, e oferecer a
sua defesa; ele podia ver nada melhor do que a interferência do rei com seus assuntos era um insulto que lhe justificado em
tomar suas próprias medidas em conformidade. O rei aproveitou o seu vaso de negociação - muito bem: “Não pode faltar para
qualquer coisa agora, já que partilhar os bens com o Rei Harald”, e ele prontamente cai para harrying da costa da Noruega. A
astúcia dos filhos de Hilderid, suas mentiras e calúnias, seu tempo-serving e poder de alojamento eram traços naturais e
inevitáveis ​da personagem em homens desceram, no lado da sua mãe, do manhoso, rico, Hogni origem humilde de Leka, que
tinha “levantado -se por seus próprios meios”.

A disputa entre Thorolf e seus irmãos-de-lei nascimento baixo descobre um princípio fundamental em psicologia Teutonic:
alto nascimento e nobreza de caráter significam uma ea mesma coisa. Mas, embora estas palavras são uma tradução justa
de sabedoria Teutonic, a sentença tenha perdido a sua importação preciso por ser transferido para um ambiente moderno; o
jogo de cor e sombra nas palavras é alterado, porque a nossa cultura moderna vê-los sob uma luz diferente.

Quando a história é processado em nossa língua, ele trata de um herói, que tropeça sobre a sua própria nobreza, quem o destino, por
assim

108

falar, mestres de suas próprias virtudes; sua franqueza nobre é alterado para antolhos que o cegam à calúnia, o seu carinho pela
estrada reta torna-se um pouco em sua boca, sua independência uma rédea ele deve responder, e, assim, o destino o leva
orgulhosamente em frente, para baixo, para a sua queda. Por outro lado, temos dois lutadores ignóbeis, que, quando uma vez
que o desastre tenha sido
suficientemente estabelecida, são pisadas no chão como um sacrifício à justiça. Um deles é loth encontrar-se dando lugar a
este tipo de indulgência estética. Mas pode a leitura ser de outra forma? Nosso interesse nestes intrigante parvenus termina,
na realidade, com a sua parte como vilões da peça.

Estamos aqui frente a frente com uma diferença essencial entre épica “antigo” e reprodução “moderno” dos conflitos da vida humana em forma poética. Nossa
épica é baseada em um julgamento arbitrário disfarçado como a moralidade, ou como uma ideia, ou um princípio artística; antes mesmo de qualquer um dos
personagens entraram no mundo, mente ordenação do autor entrelaçou seu destino, predestinado alguns para ser glorificado na idéia, e outros para glorificar a
idéia por sua queda. Tão completamente tem-se tornado a nossa natureza a exigir essa sensação de uma providência poética em, ou melhor, sobre o assunto,
que inconscientemente organizar a velha poesia em conformidade para o nosso prazer. Colocamos todo o interesse em um dos lados do conflito e, assim, romper
o que foi o ponto da história para os ouvintes originais. A poesia antiga nada de um ponto de vista superior sabe, um resultado absoluto, predeterminado só
trabalhou na história para provar isso. O saldo encontra-se sempre muito mais próximo da média entre as duas partes do que a nossa estética e senso moral
permitirá de. Será que o “moral” não aparecer até a colisão e acerto de contas entre os dois fatores. Muitas vezes, é impossível dizer de que lado a simpatia do
poeta reside, em uma narrativa de brigas de família, porque o interesse da história não é peneirado em simpatias e antipatias. Qualquer um que tenha lido sagas
islandesas com uma mente bastante sem preconceitos, será novamente e novamente ter notado em si mesmo um efeito depois de este equilíbrio --perhaps com
uma certa surpresa, ou mesmo insatisfação. As sagas islandesas são pobres, desesperadamente pobre, em vilões - Njal de resultado predeterminado só trabalhou
na história para provar isso. O saldo encontra-se sempre muito mais próximo da média entre as duas partes do que a nossa estética e senso moral permitirá de.
Será que o “moral” não aparecer até a colisão e acerto de contas entre os dois fatores. Muitas vezes, é impossível dizer de que lado a simpatia do poeta reside,
em uma narrativa de brigas de família, porque o interesse da história não é peneirado em simpatias e antipatias. Qualquer um que tenha lido sagas islandesas
com uma mente bastante sem preconceitos, será novamente e novamente ter notado em si mesmo um efeito depois de este equilíbrio --perhaps com uma certa
surpresa, ou mesmo insatisfação. As sagas islandesas são pobres, desesperadamente pobre, em vilões - Njal de resultado predeterminado só trabalhou na
história para provar isso. O saldo encontra-se sempre muito mais próximo da média entre as duas partes do que a nossa estética e senso moral permitirá de. Será
que o “moral” não aparecer até a colisão e acerto de contas entre os dois fatores. Muitas vezes, é impossível dizer de que lado a simpatia do poeta reside, em uma narrativa de brigas de família, po

109

saga, sentimentalmente exagerado como é, pode ser deixado fora de questão; como um todo, ele pertence a outro mundo.
Mas só porque os epos dá uma competição entre os homens, e não uma mera exposição com o seu fim planejado de
antemão, o triunfo vem ainda mais crushingly e brutalmente. Segue-se em um combate, uma vitória, onde o direito de um
derruba o direito do outro e quebra-lo a fragmentos. Por mais difícil que possa ser para nós compreender; a velha poesia
era para seus ouvintes um pedaço da realidade, da mesma realidade tangível como o que ocorreu sob a sua participação
pessoal.

O contraste, então, entre Thorolf e os filhos de Hilderid torna-se um verdadeiro conflito. O caráter da antiga é predeterminado
por sua honra; sua nobreza define limites definidos para a sua liberdade de ação; ele não pode mentir, não pode escolher um
caminho torto, não pode ser um time-server. Se ele fosse para reduzir sua magnificência e demitir metade de seus retentores,
deixá-los ir em dizer que Thorolf de Torgar não se atreveu a manter tantos homens quanto antes, se ele iria trazer suas disputas
com homens de posição inferior perante um tribunal , com a obrigação de apresentar 'a sua decisão, se ele, confiando na justiça
de sua causa, teria de enfrentar seus acusadores mesquinhos, humildemente, oferecendo provas de sua honestidade - então
ele teria caído longe de sua nobreza e estar sujeito à condenação de honra.

O caráter e comportamento dos dois irmãos são igualmente uma consequência necessária do seu nascimento, de onde
segue-se que eles têm o direito de ser como elas são. Eles estão lutando por sua
- e de sua mãe - honra; suas ações são ditadas apenas por um senso de dignidade humana. Eles não têm outros meios
de conseguir sua vingança justa do que os meios que empregam, e o escritor saga não pode negar-lhes a quota de
apreciação que merecem, em face de seu alto-nascido, o adversário te ensoberbeças, que desde a constituição do seu
sangue, lutas e deve lutar com outras armas. No entanto, a saga descrevendo os seus feitos contém uma condenação do
baseness eles exibem. Necessidade não implica justificação; no
contrário. Eles estão no direito, mas no e pelo conflito a que honrar forças deles tornam-se vilões por seu direito.

110

Temos aqui um dilema que nos obriga a olhar muito longe quando se pretende estimar a honra de um povo e sua ética.
Nossa tarefa não é realizado até que tenhamos alcançado tão profundamente que este contraste deixa de ser uma
contradição.

Um homem bem-nascido, de mente elevada deve mostrar sua nobreza, não só na forma como ele lida com uma lesão, e nos cuidados
para o seu comportamento, mas também, tomando-se nos assuntos dos outros. Um homem em dificuldades giraria confiança para
obter ajuda com o grande homem do seu distrito. Um islandês que havia perdido seu filho, e 'não pôde ver seu caminho para tomar
vingança, ou ganhar o seu caso com a lei, por si mesmo, foi para o chefe de seu distrito e disse: “Eu quero a sua ajuda para ganhar o
meu direito neste importa”, e ele deu razões para suas exigências da seguinte forma:‘ele toca sua honra também, que os homens de
violência não deve ter sua vontade nessas partes’o chefe tinha então para assumir o próprio assunto.. Se houvesse magia no exterior,
em seguida, o chefe deve “ver para o assunto”, caso contrário, ele mal podia “manter sua honra”. Mais ainda, para além de ter que lidar
com meliantes que vivem, um homem que aspirou a liderança sobre os seus semelhantes podem ser chamados para exorcizar um
fantasma, na terra que aqui era uma tarefa sua honra exigia que ele empreender. O homem seria obrigado a atender a qualquer
reivindicação por isso fez sobre ele, e que por consideração à sua própria felicidade ou desgraça. Um requerente de ajudas poderia, se
necessário, ameaçam deixar-se cortar onde estava, com a consequente desonra para o homem cuja porta estava fechada contra ele.

Ele tocou a honra pessoal do chefe, sua honra como homem, se ele deixou de dedicar todas as suas energias para o
cumprimento de tais obrigações como foi com sua posição. Ele não tinha uma honra oficial de passar em primeiro lugar; se ele
não conseguiu fazer jus a seus deveres como um líder de homens, sua chefia afundou imediatamente para nidinghood, sem parar
no caminho na fase de respeitabilidade comum. Um homem nasceu para chefia e olhado como um chefe deve necessidades
manter a casa aberta para todos os que buscaram proteção. Ele não tinha o direito de se informar sobre o mérito do candidato e
sua causa; o fato de que o homem tinha procurado refúgio com ele foi o suficiente para vincular sua honra aos olhos do mundo.
Se o grande homem deu-se o fugitivo, em vez

111

de realizar o negócio complexo e complicado que um hóspede deste tipo, muitas vezes trouxe com ele, sua ação seria
carimbado, não apenas como fraco, mas como desonrosa.

Essa unidade todo é uma verdadeira característica da antiga honra; não conhece tons de distinção, há mais ou menos
vulnerável pontos, há círculos cada um com sua vida relativamente independente - é em si por toda parte, a partir do núcleo
muito mais interna do sentimento viril para a periferia muito mais externa da influência social de um homem. Não há um grão de
diferença entre o que um homem deve a sua dignidade humana comum e que sua posição como um de alto nível acrescenta de
outras obrigações. Ele não pode, em seguida, jogue fora o seu prestígio social sem perecer moralmente bem.

A reputação de um nobre é um grande, honra bem crescido. Aí reside no recurso a chefia nada de um homem menos
de um apelo a “honra”, tornado mais pungente com a sugestão de um mais de sensibilidade comum em sua
homenagem particular. “Seja você a cada
niding do homem, se você não vai ocupar a minha causa”, diz o requerente de ajuda, com o mesmo peso que quando um outro
diz:‘Siga o seu caminho como um niding, se você não tomar vingança’

A palavra virtude contém em breve uma história da cultura. Significava nos tempos antigos, tanto quanto “para ser bom o suficiente,
para ser o que deve ser”; em anglo-saxónica, duguth, “Virtude”, é um derivado do verbo Dugan, “Para aproveitar, para ser capaz de”.
Virtude, no sentido moderno supõe uma libertação das forças morais para uma finalidade estética, por assim dizer. No contexto de
uma moralidade média, o que qualquer homem pode alcançar, e qualquer pode encontrar vale o seu tempo, a forma superior desdobra
sua plena magnificência. Os bárbaros não conhecem virtudes, porque eles não têm mínimo de moralidade. No entanto, um homem
alto pode subir acima do nível comum, ele nunca fica para além do seu dever; para o seu dever cresce com ele. No islandês, podemos
ler de um pequeno proprietário rural hospitaleiro: “Ele estava tão galante um homem, como um þegnskaparmaðr, que deu qualquer
alimento homem livre, desde que ele iria comer”; mas, curiosamente, a palavra aqui usada em seu louvor,

þegnskapr - thaneship - significa simplesmente que honra viril, ou consciência, invocado por todos os homens em tomar juramento perante
um tribunal de direito. E assim como naturalmente, sem qualquer simbólica

112

extensão da palavra, o homem que pode ter recursos para alimentar seus companheiros e fecha sua loja contra eles é
chamado um alimento de niding - um niding no que diz respeito à alimentação. Ele era um niding, totalmente tanto quanto o
homem que cometeu perjúrio. O Rei foi generoso -e por isso os homens são altos em seus louvores: jogou o ouro sobre ele,
pode-se ver a partir de seus homens e mulheres, com os braços e seios goldgleaming, quão esplêndida um rei que tinham;
Nunca nasceu um rei sob o sol. Mas ai o príncipe a quem generosidade abandonou. Mesquinhez era um sinal entre outros
sinais de que ele estava se aproximando de sua queda. Há um anel de mal presságio nas palavras de Beowulf sobre
Heremod: “pensamentos Bloodfierce cresceu na alma de Heremod; ele deu não anéis para seus Danes, como era devido.
Joyless ele esperou o momento em que ele reuniu a colheita de seus atos: a guerra de longa duração na terra.

Estes bárbaros pode admirar a extraordinária, como vemos já aqui. Suas palavras de louvor salto alto no ar. Mas a própria paixão de sua aclamação tem um efeito
opressivo sobre nós. Eles levantam uma alegria para o rei, como eles iriam para o sworddancer que vem cada vez mais perto até a morte o mais selvagem e mais
hábil sua dança; um deslize, e ele vai ficar lá sob uma massa de escárnio e desprezo. Através de poemas e sagas corre um murmúrio de aplausos, expressos ou
indicados no magistral sábio, para escárnio o verdadeiro herói da morte; mas quem está em todos familiarizados com o espírito destes poemas também sabe que
só há um contraste com esse elogio, e se sente instintivamente o que o veredicto teria sido se o herói não tinha rido da dor até a morte. O poeta do Atlakvida,
descrevendo desprezo desafiadora de Hogni quando o coração é cortado fora dele, coloca desprezo do herói da morte de alívio, deixando os carrascos primeiro
mostrar seu irmão, o coração sangrento de um escravo como se fosse Hogni de; mas “então disse Gunnar, rei dos homens:“Aqui jaz o coração de Hjalli o covarde,
ao contrário do coração de Hogni o bravo; ele treme aqui, deitado no prato, mas a metade que tremia no peito. . . “Aqui está o coração de Hogni o bravo, ao
contrário do coração de Hjalli o covarde; pouco, uma vez que treme agora deitado no prato, ele tremia menos no peito de Hogni”.” A mas a metade que tremia no
peito. . . “Aqui está o coração de Hogni o bravo, ao contrário do coração de Hjalli o covarde; pouco, uma vez que treme agora deitado no prato, ele tremia menos
no peito de Hogni”.” A mas a metade que tremia no peito. . . “Aqui está o coração de Hogni o bravo, ao contrário do coração de Hjalli o covarde; pouco, uma vez
que treme agora deitado no prato, ele tremia menos no peito de Hogni”.” A
113

leitor moderno é a primeira movida pela pungência da cena, mas em uma segunda leitura, a sua admiração é susceptível de
dar lugar a uma maravilha meditando na maneira pela qual o poeta aponta a intrepidez do herói, contrastando-a com o medo
abjeto de um escravo. Tão pobre em tons de distinção é o velho valorização do homem e da masculinidade.

A moralidade germânica não podem ser organizadas em uma hierarquia de boas qualidades. Não há a menor
aproximação entre os teutões a um sistema em que uma virtude é abobadado acima de outro como uma série de céus.
Uma tal ordem de precedência pressupõe centralização; todos os homens devem estar unidos sob a mesma condenação
antes que eles podem ser classificados. Nem tem a mente germânica qualquer concepção de um inferno moral comum.
Estritamente falando, o mal, nidinghood, não tem realidade em tudo, mas deve ser interpretado como um negativo, uma
total falta de qualidades humanas. Nidinghood é a sombra cada “honra” lança de acordo com sua natureza. Portanto, a
linha de fronteira entre a admiração e desprezo se bruscamente, sem etapas de transição, sem qualquer cinza neutro. E,
portanto, o limite está diferente para pessoas diferentes. O que torna um homem um niding,

Para o homem de nascimento real, o limite foi definido muito alto. Sua honra consistia em ter à sua disposição tantos homens
como seu pai tinha tido, ou mais; a ser chamado do maior, o mais bravo, o mais rápido da sagacidade, o mais generoso,
dentro do horizonte que se formou esfera de sua família do poder. E imediatamente fora essa honra estava a morte de um
niding. Este é o pensamento secreto que define a sua marca em todos os chefes germânicos, determina o seu destino e
predestina-os a um determinado modo de vida, e que encontrou expressão típica na descrição da saga islandesa de que
conselho de família famosa no Westfold, quando Olaf - que mais tarde foi chamado de São -declared sua intenção de
reivindicar Noruega.

Há três pessoas presentes no conselho. De um lado do Olaf se senta seu padrasto, Sigurd Syr, o rei camponesa. Ele
ouve as palavras impetuoso do jovem pretendente, depois de uma longa vista, o plano ousado como rola sobre a
Noruega, medindo

114

a largura da estrada, a dureza dos obstáculos a empresa deve atender, e perguntando onde estão as mãos para forçá-lo através dos estreitos. Sigurd não pode
deixar de sentir que há mais ansiedade juvenil de previsão no plano, mas ele resume suas considerações com estas palavras: “Eu posso entender bem o que um
rei yeoman tal como eu sou tem a sua maneira, e que o seu deve ser outro; para quando você era ainda, mas metade de uma criança que já estavam cheios de
emulação e seria acima de tudo em tudo o que podia ... Eu sei agora que você está tão definido sobre esta que será inútil argumentar contra isso, e de admirar
que tais conselhos devem empurrado de lado todos os outros nos corações dos homens ousados, quando vêem a raça e o reino de Harald prestes a cair.”por
outro lado de Olaf senta a mãe do rei, Asta. Ela é agora a esposa obediente do rei camponês, mas ela não pode esquecer que ela é a mãe de um descendente de
Harald Fairhair. Por muitos anos ela foi forçada a reduzir sua ambição; agora, seu filho solta todos os títulos, e seu orgulho de raça endurece e endireita-la.
Estando midmost em que a honra que pesquisas Sigurd de fora, ela encontra outras palavras: “É assim comigo, meu filho, que estou feliz em você e seria mais
feliz de ver o seu poder a maior; para esse fim, vou poupar nada que eu posso fazer; mas há pouca ajuda para se ter de me aqui. É melhor ser rei sobre toda a
Noruega um pouco, como Olaf Tryggvason, do que viver a vida ao seu fim de maneira fácil, como podem os pequenos reis aqui sobre “E a partir do mais íntimo da
raça vêm palavras de Olaf:“. Você não será tão longe de se levantando para vingar essa vergonha sobre nossos parentes, mas que você vai fazer o máximo para
Por muitos anos ela foi forçada a reduzir sua ambição; agora, seu filho solta todos os títulos, e seu orgulho de raça endurece e endireita-la. Estando midmost em
que a honra que pesquisas Sigurd de fora, ela encontra outras palavras: “É assim comigo, meu filho, que estou feliz em você e seria mais feliz de ver o seu poder
a maior; para esse fim, vou poupar nada que eu posso fazer; mas há pouca ajuda para se ter de me aqui. É melhor ser rei sobre toda a Noruega um pouco, como
Olaf Tryggvason, do que viver a vida ao seu fim de maneira fácil, como podem os pequenos reis aqui sobre “E a partir do mais íntimo da raça vêm palavras de
Olaf:“. Você não será tão longe de se levantando para vingar essa vergonha sobre nossos parentes, mas que você vai fazer o máximo para Por muitos anos ela foi
forçada a reduzir sua ambição; agora, seu filho solta todos os títulos, e seu orgulho de raça endurece e endireita-la. Estando midmost em que a honra que
pesquisas Sigurd de fora, ela encontra outras palavras: “É assim comigo, meu filho, que estou feliz em você e seria mais feliz de ver o seu poder a maior; para esse fim, vou poupar nada que eu po
fortalecer aquele que assume a liderança na elevá-la.”Shame sobre nossos parentes, que, para o escritor saga, é o ponto
saliente na história do Olaf. Sua corrida tinha sido o primeiro em toda a Noruega, e a honra da família exige que ele deve
manter esta posição acima de todos os clãs do país.

Tendo agora consideradas as formas mais elevadas de honra, é natural, em seguida, procurar o menor grau. Qual foi o
montante scantiest de homens de honra poderia viver? De certa forma, a resposta é dada no denominador comum de que é
humano tal como expresso nas leis; poderíamos contar-se o valor de um homem

115

a partir da soma dessas coisas ele foi declarado justificado na busca de reparação; e indiretamente, fizemos algo do tipo.
Para chegar à proporção certa, no entanto, devemos fazer o lado ativo de honra um pouco mais forte do que é feita
diretamente nas formalidades de parágrafos legais. As leis nórdicas, como vimos, vai aqui e ali colocar um homem fora da lei
por falta de masculinidade, se o visor fraqueza em si em sua falta de aceitar um desafio, ou na sua saindo segundo melhor; e
eles mostram que não é uma mera frase de etiqueta quando um homem mantém “melhor morrer do que ser realizada uma
niding por ter dado lugar sem luta.” Em tal caso, o pacifismo come tão profundamente em seu homem, como faz a desonra
que ele incorre, deixando seu irmão impune. Mas em corridas ambiciosas, ou mesmo em qualquer estoque saudável, honra
não podia contentar-se com parado ao abrigo de um escudo - um homem não podia esperar até que o teste foi forçado em
cima dele, mas deve procurar uma oportunidade de mostrar-se fora. Há uma frase característica em Old Norse para um
jovem que se mostrou uma digna descendente de antepassados ​dignos; ele disse ter justificado seu parentesco ou,
literalmente, “levou-se em sua família”. Quando Glum o islandês em sua primeira viagem ao exterior chegaram à casa de seu
avô Vigfus, e fez para o trono onde seu parente sentou “grande e forte, jogando com uma lança de ouro incrustada” para
cumprimentá-lo e declarar seu parentesco, ele reuniu-se com uma recepção muito legal; o jovem foi dado um assento no
outro extremo do menor banco e tinha pouca atenção dele. O jovem esperou pacientemente, até que um dia uma
oportunidade oferecida de distinguir-se por matar um homem. Então Vigfus repente descongelado. “Agora você tem dado
prova de que você está de nossos parentes; Eu estava, mas esperar até que você deve levar-se em seus parentes por uma
demonstração de masculinidade “.

A mesma expressão é usada por Earl Hakon para Sigmund Brestison, filho do chefe Faroe, quando, após a morte de seu
pai, ele busca refúgio entre os amigos de seu pai na Noruega. “Eu não vou ser poupadores de alimentos para você, mas
você deve levar-se em seus parentes por sua própria força,” curando o ferimento mortal causado a sua Frith e sua honra.
Quando Vigfus usa

116

a palavra, não é, portanto, algo mais por trás disso do que a mera manifestação de capacidade; isso não significa nada
menos do que entrar em Frith, a transição do shadowexistence perigoso para a vida devidamente enriquecidos em honra.
E a saga é, sem dúvida certo em deixar Vigfus expressar-se de modo solene.

Os islandeses têm um termo característico para um jovem que não demonstrou que ele sente a vida de seu pai como seu
impulso e padrão. Chamam-lhe um verrfeðrungr, ou seja aquele que é pior do que seu pai. O famoso explorador Leif
começou sua carreira com a promessa de que ele não seria um verrfeðrungr. E nisso reside uma sugestão do ponto de
vista da educação dos jovens. O jovem foi elaborado o mais cedo possível na vida comum de honra do
família, e levou a sentir-se como a partilha de sua responsabilidade. E os membros mais velhos dificilmente vai ter faltado palavras eficazes wherewith para
estimular um estúpido. Os capítulos iniciais da imagem Vatsdoela quantos anos Ketil Raum fui olhando para seu filho, balançando a cabeça no aumento da
desaprovação, até que um dia ele não podia mais manter o silêncio, mas começou moralizante: “Os jovens hoje em dia se comportam de maneira diferente do que
era seu costume quando Eu era jovem. Então, eles estavam ansiosos para fazer algo por sua própria fama, seja indo a-viking, ou ganhar bens e honrar outros
lugares em empresas perigosas; mas agora eles se preocupam apenas para se sentar com as costas para o fogo e resfriar-se com ale, e há pouca virilidade ou
audácia de ser olhado para esse caminho. . . . Você tem certamente nada muito tampouco de força ou altura, e a parte interna responde sem dúvida, para o
exterior, de modo que você dificilmente virá a trilhar os passos de seus pais. Em tempos antigos, era costume para o povo da nossa espécie para sair em
expedições guerreiras, ganhando riqueza e honra; e que a riqueza não foi transmitida de pai para filho, - não, eles levaram com eles para o monte de enterro, pelo
que seus filhos devem precisa encontrar deles pela mesma estrada. . . ." E assim por diante por um longo tempo. Infelizmente, o escritor saga aqui parece ter algo
de que a admiração agitado para os bons velhos tempos que geralmente indica que os bons velhos tempos estão irrevogavelmente passado. Isso vai naturalmente
com sua exibição de idade Ketil como algo mais retoricamente era costume para o povo da nossa espécie para sair em expedições guerreiras, ganhando riqueza e
honra; e que a riqueza não foi transmitida de pai para filho, - não, eles levaram com eles para o monte de enterro, pelo que seus filhos devem precisa encontrar
deles pela mesma estrada. . . ." E assim por diante por um longo tempo. Infelizmente, o escritor saga aqui parece ter algo de que a admiração agitado para os
bons velhos tempos que geralmente indica que os bons velhos tempos estão irrevogavelmente passado. Isso vai naturalmente com sua exibição de idade Ketil
como algo mais retoricamente era costume para o povo da nossa espécie para sair em expedições guerreiras, ganhando riqueza e honra; e que a riqueza não foi
transmitida de pai para filho, - não, eles levaram com eles para o monte de enterro, pelo que seus filhos devem precisa encontrar deles pela mesma estrada. . . ." E
assim por diante por um longo tempo. Infelizmente, o escritor saga aqui parece ter algo de que a admiração agitado para os bons velhos tempos que geralmente indica que os bons velhos tempos e

117

talentoso e mais inclinados a moralização histórica do que era habitual nos chefes do século IX. Nos bons velhos tempos,
tal acordar teria sido entregue em palavras menos instruídos, mas muito mais nítida. Nem é provavelmente muito boa
história quando a saga permite uma mentira ladrão completamente romântico escondido na floresta tão perto de herdade
do Ketil que Thorstein, filho, pode preparar uma grande surpresa para seu pai, sem dar-se afastado pela preliminares
longas e numerosas.

Mais tarde, na Vatsdoela há uma cena cotidiana mostrando como um jovem realmente reivindicou seu direito ao
reconhecimento, nos dias em que a vida não tinha ladrões românticas para oferecer, mas apenas a sua própria prosa
brutal. O clã Vatsdoela, representada em primeiro lugar por Thorgrim de Karnsá, está em perigo de perder a headmanship
do distrito, e com ele a supremacia tradicional da família. Na assembleia convocada para eleger o chefe, Thor-sombrio se
senta no trono, e na frente dele, no chão, entre os filhos de escravos, é a doze anos de idade Thorkel, seu filho ilegítimo, a
quem ele nunca foi disposto a reconhecer. Thorkel surge e fica olhando para ele, e no machado que ele carrega em sua
mão. Thorgrim pergunta se ele encontra o machado muito a seu gosto que ele se importaria de dar um golpe com ele;

O compilador dos capítulos do Vatsdoela abertura é muito inferior, tanto na compreensão do passado e no ponto de arte, ao
espírito mestre que reconstruiu o conselho de família em Westfold. Felizmente, a tradição na Islândia era forte, e mostra boa
vontade através das tiradas do escritor saga. Este pai, esperando e esperando por alguma manifestação do verdadeiro
parentesco de seu filho com o estoque de idade, é uma figura genuíno. Ele é historicamente certo em exigir que o filho deve
ganhar o seu lugar para si. Deve chegar um momento na vida de cada homem jovem quando ele colocou-se entre os
membros mais velhos. E os mais velhos esperou, deixando exemplo de trabalho; mas quando a prova falhou
118

a aparecer, os jovens devem ser dado a entender que havia perigo em tal estado intermediário como a de alguém que
ainda não tenha vingado seu parentesco. E quando o autor deixa sua permanência herói na obrigação envolvida pelas
obras e formas dos antepassados, a autoridade da tradição fala mesmo através de seu fraseado florido.

Um ponto curioso da etiqueta entre os lombardos, observou em Paulus Diaconus, parece também com base na presunção
de que o jovem filho de uma casa principesca, antes de ser apreendido dos privilégios que estavam lhe é devido por
nascimento, tinha que ganhar seu lugar por um certo ambição demonstrativo. Lemos, que quando o príncipe Lombard,
Album, havia se distinguido em uma batalha contra o Gepidae, os guerreiros sinceramente suplicou seu pai para
homenageá-lo com um assento à mesa real; mas o rei respondeu, referindo-los para o costume estabelecido que proibia o
filho de um rei para se sentar à mesa de seu pai antes que ele tinha recebido braços do príncipe de um povo estrangeiro. As
cenas no Beowulf aparecem quase como um pingente para esta pequena história. Lá, o herói sai para um tribunal
estrangeiro, alcança grandes coisas, recebe com prazer as armas caras e jóias como recompensa, e retorna com honra de
seu salão ancestral, para contar seus feitos a seu parente no trono e colocar seus dons de honra a seus pés. E apesar do
fato de que Beowulf, de acordo com a primeira parte do poema, já era um herói de renome quando ele fez sua expedição ao
salão do rei dinamarquês, as palavras que fecham a descrição de sua juventude parece, indiscutivelmente, como se esse
ato de destreza formado um ponto de viragem na história do herói: “Long ele suportou com menosprezo; os jovens das
Geats contou ele não é bom; e assim o rei dos homens não se conta digno de um lugar no alebench; eles certamente
pensou que ele estava sem coragem, um Atheling fraco; mas a angústia de um valente foi transformado sobre. ”E então seu
parente aproveita a oportunidade de fazê-lo doações de terras:“sete mil, hall e sede do governante, ambos tinham direito por
nascimento para a terra, a sede e herança, mas a um antes do outro; para ele, o melhor homem, caiu do reino “. Isso pode,
a meu ver, só pode ser tomado como indicando que havia na mente do poeta uma associação significativa

119

de idéias entre as realizações da juventude, ganhando o seu lugar na família, e tomando-se a herança de um.

Talvez não seja improvável que os povos germânicos, como tantos outros em um estágio correspondente da civilização, exigiu
uma prova de virilidade, de alguma forma ou de outra, antes de receber seus jovens para dentro do círculo dos homens. O que
se aplica aos filhos dos príncipes também deve ter aplicado a homens livres de posto inferior. epigrama Cassiodoro: ‘Para o
valor godos torna maior idade’ tem talvez mais de verdade nisso do que um está predisposto a pensar em qualquer coisa que
vem da pena de um phrasemaker tais hábil.

Os jogos de crianças revelar a maneira pela qual os adultos considerado um outro; pequenos Thorgils tinha atingido a idade de cinco
anos sem ter derrubado qualquer coisa viva, e teve que roubar de lado e avermelhar sua lança em cima de um cavalo, porque seus
companheiros tinham decidido não aceitar como sua playfellow qualquer um que não tivesse derramado muito sangue. Os homens
tomaram cuidado para que ninguém deve entrar sua companhia com armas virgens. Naturalmente, o batismo de sangue toma um
lugar de destaque em uma comunidade como a germânica, onde batalha e guerra estão em primeiro plano como o comércio
adequada de um homem. O ato de braços, o teste de braços é, por meio do qual o vigor revela ambição de um flash, bem adequado
para formar um Sacramento de iniciação; cognomens como amargura do Helgi Hunding, amargura do Hygelac Ongentheow comprimir
a toda
épica em um nome. No velha concepção de sangue como uma poderosa orvalho de vida, mentir materialismo dura e
idealismo heróico naturalmente e inseparavelmente entrelaçada.

Vengeance para uma mortos pai, ou vingança por um parente no sentido mais amplo, muitas vezes era suficiente naqueles tempos
indisciplinados o meio pelo qual os jovens mostraram o seu direito a um assento na casa. Mas considerar honra como única e
exclusivamente no signo de abate leva afinal a uma estimativa muito restrito de vida. Mais se exigia de um jovem bem-nascido do que
simplesmente ser um matador de homens. Ele alegou que seu lugar, e manteve seu lugar na família por sua generosidade,
hospitalidade, utilidade ou prontidão para assumir a causa dos parentes e fugitivos, por nobreza de forma, e magnificência. E os olhos
estavam assistindo de todos os lados para ver que ele encheu o seu lugar em todos os aspectos. O lugar que ele tinha que preencher

120

foi o amplo, espaçoso assento que seus pais haviam julgado necessário para se. formas ancestrais, medidas ancestrais constituem o
padrão; sobre este ponto, Ketil Raum fala como o homem de experiência. Olaf poderia encontrar nenhuma maneira melhor de expressar
seu senso de dever do que dizendo: herança de Harald Fairhair. E os homens de classificação mais baixa poderia encontrar nenhuma
outra maneira de determinar o que era bom para eles, do que dizendo: “Assim, nossos parentes de idade nunca faria” - ou - “Assim,
nossos parentes antigos estavam acostumados a fazer.”

A tradição da família constitui o padrão ético. Uma linha fixa de demarcação, separando o mal do bem, não era conhecido.
Houve, é claro, uma média amplo, como entre todos os povos. Os povos germânicos sabia que certos atos, roubar, em
primeiro lugar, assassinato, e alguns poucos outros, trouxe desonra para um homem, quem quer que o culpado pode ser;
assim como eles sabiam que matar era matando, lesão lesão; mas isso não significa que qualquer um manter-se livre de
tais atos desonestos devia ser considerada como um homem honrado. Sua tradição disse a ele o que era mau para si e
para o que era bom - esta distinção feita na adaptação moral total e completa. Para aceitar o sangue de dinheiro, por
exemplo, era para a maioria das pessoas honroso e digno o suficiente; mas se um veio de um estoque que se gabava de
nunca ter realizado seus parentes em uma bolsa, ou sempre ter exigido o dobro bom para um morto parente, uma violação
de tal tradição foi maldade real. A honra constitucional da corrida não podia suportar tal afastamento. o islandês verr
feðrungr vem gradualmente para significar um canalha, uma pessoa imoral, em outras palavras, um niding. Esta transição
tem sem dúvida seus motivos profundos, ou pode, a qualquer taxa de ter tal; ele está em completo acordo com o espírito
que inspira a moral do clã. O padrão ético não é baseada no que é geralmente aplicável a todos; o indiscutível, que todos
concordam em chamar certo ou errado, é apenas uma média bruto formado pelos “honra” individuais em justaposição. Cada
círculo tem a sua própria honra, uma herança, que deve ser preservado mesmo no estado em que é transmitida, e mantido
de acordo com sua natureza. Honor é o pedaço de terra em que eu e os meus nasceram, que nós próprios, e em

121

que dependem; tal como ela é, amplo e rico, bem abastecido com gado e milho, ou pobre e arenoso, tal é a nossa honra.
Honra é uma contrapartida espiritual da Terra e sua posse, no qual todas as vacas e ovelhas, todos os cavalos e armas são
representados, e que não como um número ou um valor, mas em sua individualidade.

E como os itens individuais da propriedade têm cada um o seu homólogo em honra, por isso, naturalmente, são os parentes si
representados pessoalmente. Honra forma um espelho, que mantém as imagens das pessoas que tem reflectido. Não se todos
os parentes, em sua variedade mais fina
e com suas melhores armas, e o mais caro a sua armadura, o mais precioso é a honra. Há todos os acontecimentos dentro
da família, já em memória do homem pode alcançar; todos os grandes feitos, todos os entretenimentos dispendiosos, cada
peça magnífica de hospitalidade -eles estão lá, e exigir seus direitos. Há também, tudo degradante irá aparecer, e ai daquele
que deve olhar nela sem encontrar alívio para o olho em grandes feitos de restituição. “Ai”, disseram os camponeses suecos
“para a corrida que vê um de seus próprios enterrado sem parede da igreja.” Esta foi a maior desgraça que poderia cair
sobre uma casa; mesmo quando o homem morto estava enterrado fora em solo profano por causa de seus pecados, seus
parentes não descansaria até que ele tinha comprado um lugar dentro da igreja. E isso não está sozinho, ou mesmo
principalmente, por consideração ao seu descanso futuro em paz, mas de forma a não proferir uma vergonha para a
posteridade. Assim, os camponeses do Norte, mesmo em séculos de atraso, sentiu kin-vergonha como um fardo intolerável,
uma coisa que tinha que ser vivido novamente dia após dia.

Honra é tão longe de ser algo ideal e indeterminado, que pode ser realmente contado-se e sentiu. Honra é a
propriedade da família, a sua influência; é a história da corrida, composto por tradições reais das gerações mais
próximas e de lendas dos antepassados.

Honra é o gado e os antepassados ​do clã, porque ambos vivem tanto nas parentes como fora delas. Pecuária, como armas e
jóias, existe na alma do parente não apenas como um item deste ou daquele valor; não pendurar em externamente por um
sentimento de interesse de propriedade, mas encontra-se incorporado em sentimentos

122

de um personagem muito mais intenso. Os ancestrais preencher a vida; sua história não é detectado como uma série de eventos
que se seguem um na esteira de outro; toda a história jazia desdobrou na sua amplitude como um presente agora, para que tudo
o que uma vez tinha acontecido estava acontecendo novamente e novamente. Cada parente sentiu-se como vivendo tudo o que
um de seus parentes tinham vivido uma vez no mundo, e ele não se limitou a sentir-se como possuindo as ações de idade, ele
renovou-los realmente em suas próprias obras. Qualquer interferência com o que tinha sido adquirida e transmitida, como invasão
e roubo de gado ou bens, tinham de ser cumpridos com vingança, porque um campo do quadro de honra foi esmagado pelo
golpe. Mas uma dúvida expressou abertamente sobre se aquele velho avô realmente tinha feito o que ele disse ter feito, é tão
fatal à vida, porque rasga algo fora de seus parentes vivos; a provocação toca não só o homem morto de idade, mas ainda mais
aquele que agora vive por meio de realizações do ex. O insulto é um corte no próprio homem, rasga um pedaço de seu cérebro,
fazendo um buraco que está gradualmente preenchido com idéias de loucura.

Por uma lesão um pedaço da alma é arrancada, com os pensamentos e sentimentos inerentes às mesmas. E a ferida produz
a mesma vertigem como uma mãe sente quando roubado de um pedaço de sua alma pela morte de seu filho; uma porção
inteira de seus pensamentos e sentimentos torna-se supérfluo, seus movimentos instintivos se tornam inúteis; ela chega à
noite no escuro, agarra a alguma coisa, e suas mãos estão cheias de vazio. O vazio na alma produz uma incerteza constante,
como se poderia imaginar, se um de ajuste naturais foram perturbados, de modo que a mão erra o alvo cada vez que ela
estende a mão para um objeto. Tal vazio na alma desperta medo em sua forma mais selvagem. Se a mãe imaginar a si
mesma que alguém matou seu filho, ou que ela própria tenha tomado a sua vida, ou se ela teme que o mundo está prestes a
ruir em pedaços, sabemos que esses sentimentos são apenas a comida com que sua cabeça está tentando saciar seu medo.
Ela deve agarrar-se a todos os tipos de fantasias terríveis para apaziguar por um momento esta ânsia de medo; e há, do
ponto de vista psicológico, nenhuma desproporção entre seu sentimento
e

123

o pensamento do mundo chegando ao fim. Se a violação não for fechado, a alma morre de que a fome intolerável, e
sua tristeza termina em loucura.

Esta comparação entre a perda do clã de honra e perda de seu filho da mãe é exatamente ao ponto, porque ilustra um
estado psicológico idêntico manifestando-se sob diferentes condições. A mãe enlutada está a ponto de se tornar um
niding no velho sentido da palavra; na verdade, ela seria uma niding nos velhos tempos, se ela não obter a restituição; e
aquilo que acontece em um cuja honra é ferido, é apenas como um deslocamento de toda a alma, um terremoto
espiritual quebrando a auto-estima de um homem e transporte moral, e tornando-o não responsável por seus atos, como
diríamos.

Apenas em casos muito extremos da nossa civilização podemos encontrar qualquer coisa que cobre as experiências dos antigos. Para a depravação inata de
vergonha reside no fato de que a vida espiritual foi, então, depende de um certo número e um certo tipo de idéias. Boa educação era um tesouro da família,
possivelmente, não diferindo muito para os nossos olhos que diz respeito às diferentes famílias, mas na realidade distintamente marcada desde a mais tenra
juventude, carimbado pelas tradições, determinada pelo ambiente e, consequentemente, não facilmente alterado. Personalidade era muito menos móvel do que
agora, e era muito menos capaz de recuperação. Se um parente perdido uma idéia, ele não poderia reparar o prejuízo, tomando-se as idéias do outro lado; como
ele está vinculado ao círculo familiar em que ele cresceu, então ele é dependente das almas constituintes promovidas nele. As tradições e reminiscências de seu
povo, o gozo de heranças antigas e propriedade da família, a consciência de propósito, o orgulho de autoridade e boa reputação no julgamento dos vizinhos
encontrado em seu círculo, compõem o seu mundo, e não há nenhum tesouro espiritual no exterior, no qual ele pode desenhar em sua vida intelectual e moral.
Um homem hoje em dia podem ser excluídos da sua família, se este composto por pai, mãe, irmãos e irmãs, ou uma seção inteira da sociedade; e ele não precisa
perecer por conta disso, porque nenhuma família, porém grande, pode absorver todo o conteúdo da alma de um ser humano razoavelmente bem equipado. Ele
tem partes de si mesmo colocados aqui e ali; até o orgulho de autoridade e boa reputação no julgamento dos vizinhos encontrados em seu círculo, compõem o
seu mundo, e não há nenhum tesouro espiritual no exterior, no qual ele pode desenhar em sua vida intelectual e moral. Um homem hoje em dia podem ser
excluídos da sua família, se este composto por pai, mãe, irmãos e irmãs, ou uma seção inteira da sociedade; e ele não precisa perecer por conta disso, porque
nenhuma família, porém grande, pode absorver todo o conteúdo da alma de um ser humano razoavelmente bem equipado. Ele tem partes de si mesmo colocados
aqui e ali; até o orgulho de autoridade e boa reputação no julgamento dos vizinhos encontrados em seu círculo, compõem o seu mundo, e não há nenhum tesouro
espiritual no exterior, no qual ele pode desenhar em sua vida intelectual e moral. Um homem hoje em dia podem ser excluídos da sua família, se este composto
por pai, mãe, irmãos e irmãs, ou uma seção inteira da sociedade; e ele não precisa perecer por conta disso, porque nenhuma família, porém grande, pode absorver todo o conteúdo da alma de um

124

a natureza está em correspondência espiritual com ele. Mas o homem como membro de um clã tem um vazio sobre ele; ele não
precisa significar que seus parentes não têm todo o interesse mais amplo, isso não significa que ele é incapaz de sentir-se como
membro de uma comunidade política e religiosa maior; mas essas associações são, em primeiro lugar, de forma desproporcional
fraco, de modo que não pode afirmar-se lado a lado com Frith, e mais, eles só são participou por meio de parentesco ou Frith, de
modo que eles não podem ter existência independente conta própria. Um homem arrematar de seus parentes não podem apelar à
natureza para o conforto, para o seu atributo dominante é a hostilidade, salvo na forma em que o encara como inspirados pela
humanidade, cultivada e habitada; e no largo, campos feira é apenas a terra de sua herança que ele satisfaz plenamente e
inteiramente com sentimentos amigáveis. Ele também será visto que nos casos em que um niding é salvos no mundo ao ser
recebido em um novo círculo, uma família ou uma empresa de guerreiros, ele não, em seguida, proceder por graus de seu estado
anterior para o novo; ele pula através de um canal, e torna-se um novo homem completamente.
Honor é idêntico com a humanidade. Sem honra, não se pode ser um ser vivo; perder a honra, a pessoa perde o
elemento vital que faz do homem uma criatura pensar e sentir. O niding está vazio e assombrado para sempre pelo temor
abrangente que nasce do vazio. As palavras de desespero de Cain tem uma amargura de sua própria na anglo-saxónica,
mergulhada como eles estão no horror da solidão do Teuton: “Não me atrevo a olhar para honra no mundo, visto que
perderam o teu favor, teu amor, a tua paz “. Ele continua cheio de tristeza de seu país, e de agora em diante não há
felicidade para ele, estar sem honra e boa vontade ( árleas). Seu vazio significa, em uma frase moderna, que ele não tem
nada para viver. As dores que ele está a sofrer vai cortar mais profundo do que antes, vendo que eles estão agora todos
amontoou-só em si mesmo, e eles vão produzir feridas mais perigosas ,. já que não há remédio para ser encontrado
contra eles. Assim, é literalmente verdade, que ninguém pode ser um ser humano, sem ser um parente, ou parente que
significa o mesmo que o ser humano; não há um grão de metáfora nas palavras. Frith e honra

125

juntos constituem a alma. Destes dois constituintes Frith parece estar mais profundo. Frith é a base da alma, a honra é toda
a matéria inquieto acima dela. Mas não há nenhuma separação entre eles. A força de honra é o sentimento de parentesco,
e os conteúdos do frith é honra. Por isso, é natural que uma ferida de honra é sentida por um lado, como um declínio
interno, e, por outro, como uma paralisia do amor. Pela importação de honra aprendemos a conhecer o caráter da alegria
que parentes sentiram quando sentaram-se juntos pelo fogo aquecendo-se em Frith.

Esta interpenetração de Frith e honra torna-se evidente, por exemplo, no uso da palavra anglo-saxão Ar. Quando um
exílio trata de um rei de processar por Ar, a palavra pode ser traduzida por favor ou proteção; mas devemos ter em mente
que a aceitação por parte do rei, o ár -lhe dada pelo rei, adquire para ele a paz ea dignidade humana. Na linguagem cristã,
Deus é o doador de Ar, graça, tornando a vida dos homens prosperar. Ar abraça assim sorte e honra e boa vontade mútua,
eo tradutor de Inglês Antigo poesia é constantemente paralisado por falta de um termo abrangente na sua própria língua.
Assim diz rainha do primo dela Sons, Hrothulf de Hrothgar: “Eu sei que meu Hrothulf o feliz, sei que ele vai manter os
jovens em honra ( Ar), se você, rei dos Scyldings, sair do mundo antes dele. Eu acho que ele vai voltar bem aos nossos
filhos, quando ele se lembra de como nós lhe demos ár . Quando ele era pequeno, para sua alegria e sua
exaltação”Quando houve contenda entre Abraão e homens de Ló, o amor do patriarca da paz é expressa pelo poeta
anglo-saxão com as seguintes palavras:“Nós dois são parentes, não haverá nenhuma contenda entre nós “, e o inglês
acrescenta à guisa de explicação:“ ár habitou em sua mente”.

Insight sobre a natureza de honra abre um caminho para a compreensão do caráter de alegria. As frases que foram
citados, referindo-se à vida dos homens em felicidade e honra, quando eles se sentam em um círculo em volta do fogo
com pensamentos felizes, sem medo, já obtiveram o seu pleno significado, que não pode ser esgotado em palavras
modernas.

Honor implica vingança na sociedade antiga, mas a honra,

126

como vimos-lo a isso, não elucidar o que fez o derramamento de sangue tão poderoso um medicamento para o sofrimento
espiritual. Honor contém muito o que aponta para além dos limites aqui desenhadas, e que só pode encontrar a sua explicação
em uma visão ainda mais ampla da vida espiritual desses homens.
CAPÍTULO IV

SORTE

Além de honra, o homem precisa de algo que na língua antiga é chamado de sorte; nossa tradução, no entanto, que atrai o
sentido de oportunidade para o primeiro plano, falhar completamente para indicar a verdadeira força da palavra. As
associações do termo moderno, sublinhando o sentido do acaso ou fortuna, tudo contrário ao espírito da cultura antiga, e
não há outra forma de chegar a um entendimento completo do que pelo paciente e reconstrução sem preconceitos da
psicologia Teutonic.

Independentemente da forma como nos voltamos, encontramos o poder de sorte. Ela determina todo o progresso. Onde ele falhar, a vida
adoece. Parece ser o poder mais forte, o princípio vital, de fato, do mundo.

Quando os campos de um homem rendeu rica colheita, quando suas terras foram raramente visitado pela geada ou seca, que
estava a ser dito ársæll, ou seja ele possuía a sorte de fertilidade.

Quando o gado prosperou e se multiplicaram, sempre retornando venda e não empobrecido de suas pastagens de verão,
então ele estava fésæll, ou seja ele teve a sorte de gado.

O morador em uma tira estéril de costa tinha pouca utilidade para dar sorte nos campos, mas que, por outro lado,
provavelmente, ter sorte com sua pesca, ou ele seria byrsæll, ou seja, ele sempre tem o vento a seu favor. Havia uma
família famosa no norte da Noruega, os homens de Hrafnista, de quem é relatado que, logo que içaram vela, um vento
levantou-se, apesar de ter sido perfeitamente calma um momento antes. Hading também tinha, de acordo com Saxo, um
poder peculiar de fazer melhor uso de um vento, para que seus perseguidores estavam em execução antes de o mesmo

128

vento e tinha não menos velas, eles não poderiam alcançá-lo. Esta característica é no Norte não um motivo conto, nem a
invenção de um escritor saga imaginativa; os Olafs da Noruega da mesma forma tinha a reputação de ser favorecido pelo
clima, e esta justificação histórica, sem dúvida, com plena. Olaf Tryggvason foi muito mais byrsæll que os outros homens,
que ele partiu em um dia, tanto quanto os outros em três. Na lista dos reis da Suécia há um Eric Weatherhat, assim
chamada por ele ter, por assim dizer, o vento em seu chapéu; ele poderia mudá-lo, transformando seu capacete sobre.

Esta forma particular de sorte não foi perdida quando os costa-moradores do Mar do Norte se moveu para a Islândia.
Conta-se de um islandês que ele era tão byrsæll, ele sempre podia determinar ', que abrigam ele iria fazer; e de outro, que
ele partiu em um dia, tanto quanto os outros em três.

Outros homens, mais uma vez, teve como sua sorte atributo dominante de batalha. Quando guerreiros profissionais, como Arnijot
Gellini, procuram expressar sua fé em poucas palavras, eles podem encontrar nada para dizer, mas que eles confiam em sua força e
sua sigrsæli, seu dom de vitória. Entre os chefes, este dom de vitória mostra em todo o seu esplendor. Nós encontramos homens de
gênio militar, que trazem a vitória em seu trem onde quer que vá. Todos os reis noruegueses de corrida de Harald Fairhair teve este
grande dom da vitória. E quando Earl Hakon foi capaz por um tempo para preencher o lugar como governante
sobre a Noruega, foi devido não menos importante a sua sorte em ganhar vitórias, em perseguir e matar. Ele manteve o povo
do seu lado, pois considerou que ninguém poderia ser como ele em relação a este presente particular. Um tom de como é
aparente na abertura da história no Beowulf, sobre o reino de Hrothgar; -lhe foi dada guerra velocidades, e batalha-honra, de
modo que seus parentes seguiram-no até que os filhotes foram waxen e reuniu sobre ele em seu hospedeiro.

“Vencedor de batalhas” o rei é muitas vezes chamado em anglo-saxão, eo nome expressa o que os povos germânicos
perguntado, e de confiança para, em uma régua, tanto no grande líder da terra, o próprio rei, eo menor líderes, príncipes
locais, bem como reis freebooter sem terra. A presença do cacique era uma garantia para o povo da vitória na luta.

129

Os anglo-saxões se reuniram com ousadia para se opor aos vikings estrangeiros, se tivessem um homem de posição do chefe
de assumir a liderança e chamar as forças locais em conjunto; enquanto ele estava de pé, eles lutariam com desprezo da morte,
para casa e lar. Mas quando a palavra foi rodada para montar na ajuda mútua, sem a inspiração de um líder nato, eles
permaneceriam em casa, ou eles iriam fugir para os bosques e deixar os invasores para trabalhar a sua vontade na aldeia.

Uma vez, quando os anglos Leste foram atacados por Penda, o rei vitorioso e geralmente temido de Mercia, eles
encontraram nenhum outro recurso em sua necessidade de ir ao seu antigo rei, Sigeberht, que, por amor a luz celestial,
havia renunciado o trono, e fechou-se em um mosteiro. Rogaram-lhe e implorou-lhe para sair e levar o anfitrião, e embora
ele empurrou de lado as armas, com as mãos erguidas chamando para testemunhar voto de monge a Deus no Céu, eles
forçaram-no a batalha. Esta imagem do rei em capuz de monge, arrastado para a luta com um salgueiro-pau na mão e
não morto, é o mais tocante para sua importância histórica profunda.

“E quando eles viram que seu líder estava caído, fugindo cada um” - esta frase ocorre uma e outra vez nas sagas, e sua
verdade é confirmado novamente e novamente pela história. Se a guerra-sorte do grande homem falhou, o que poderia a
menor sorte de homens menores aproveitar? Gregory relata que Chlodevech ganhou a batalha decisiva contra o Alamanni
por prometendo-se a Cristo, quando as coisas estavam em seu pior; Mal tinha ele virou a cabeça na direção certa quando
seus inimigos puseram em fuga. “E quando eles viram seu rei estava caído, eles se renderam e implorou por misericórdia.”
A abertura da narrativa concorda, mas mal com a sequela. O fato é que a tendência piedosa do historiador teve o seu
caminho na primeira, e que necessária apenas Chlodevech e Cristo; em troca, a história tem o seu caminho com o
funcionário no pós-sentença, e dá o rei do Alamanni lhe é devido. Mas, mesmo admitindo que o mito de Cristo como o
doador da vitória é, mas mal enxertada, o autor piedosa é intrinsecamente certo em fazer Cristo manifestar a sua glória em
deslocar o poder que tinha sido mais forte entre as nações, viz,

sorte do rei.

130

Essas pequenas imagens da vida transferir-nos em um curso para outro mundo. Sorte está trabalhando diante de nossos olhos com
todo o poder que tinha sobre as mentes dos homens, para fortalecer e para atacar com dormência. Em seu representante acima de
tudo, o rei, seu caráter peculiar está devidamente revelada. war-sorte do rei pode prevalecer contra um exército. Quando o rei vem,
rodeado por seu pequeno exército, os camponeses estão espalhados como cordeiros no cheiro de um lobo. Isso aconteceu
constantemente em uma idade em que cada homem era um guerreiro desde a sua mocidade. Não é muito provável que os retentores
do rei deve ser muito muito à frente dos yeomen bem-fazer do país em
respeito de coragem e habilidade com as armas, para guarda-costas do rei estava na Noruega, e, tanto quanto diz respeito aos tempos mais antigos, entre os
outros povos germânicos, assim, composto na maior parte dos jovens voluntários, cada um dos quais serviu um número de anos até que ele tinha atingido um tal
grau de formação e renome como ele considerava apropriado para sua posição na sociedade. Ao longo dos dois primeiros séculos da história da Noruega, ou seja,
a infância do reino de maior Noruega, quando a soberania foi literalmente nunca falando deixou dez anos indiscutível, registros tradição dificilmente uma única
batalha onde um exército camponês conseguiu oferecer resistência efetiva ao guarda-costas, conduzido pelo próprio rei. A vitória em Stiklestad, onde os pequenos
proprietários rurais ganharam o dia sobre os homens do rei, é um triunfo quase único na história; os vencedores fugiram do campo de terror pânico, eo príncipe
conquistou saiu da batalha como um semideus. Quando Olaf mostrou-se em meio a sua matriz, braços dos camponeses ‘caiu’, suas mentes estavam confusos em
um momento, e eles estavam a ponto de fugir cada homem; insistência extenuante ea incitação, com lembretes de governo odiado de Olaf, eram necessárias para
mantê-los em seus lugares. E se podemos acreditar descrição da saga da luta, a coragem dos camponeses era sim uma espécie de convulsão desesperada ', que
seu medo encontrada ventilação, porque suas pernas se recusou a levá-los a partir do campo. A queda de Olaf soltou um pânico no exército dos camponeses; os
homens dispersos e correu para procurar abrigo em suas casas, e seis meses depois, o rei foi julgado um santo. eo príncipe conquistou saiu da batalha como um
semideus. Quando Olaf mostrou-se em meio a sua matriz, braços dos camponeses ‘caiu’, suas mentes estavam confusos em um momento, e eles estavam a
ponto de fugir cada homem; insistência extenuante ea incitação, com lembretes de governo odiado de Olaf, eram necessárias para mantê-los em seus lugares. E
se podemos acreditar descrição da saga da luta, a coragem dos camponeses era sim uma espécie de convulsão desesperada ', que seu medo encontrada
ventilação, porque suas pernas se recusou a levá-los a partir do campo. A queda de Olaf soltou um pânico no exército dos camponeses; os homens dispersos e
correu para procurar abrigo em suas casas, e seis meses depois, o rei foi julgado um santo. eo príncipe conquistou saiu da batalha como um semideus. Quando
Olaf mostrou-se em meio a sua matriz, braços dos camponeses ‘caiu’, suas mentes estavam confusos em um momento, e eles estavam a ponto de fugir cada
homem; insistência extenuante ea incitação, com lembretes de governo odiado de Olaf, eram necessárias para mantê-los em seus lugares. E se podemos acreditar descrição da saga da luta, a cor

Se a saga homens devem ser tomados como gravadores de fato

131

ou como poetas imaginativos, o valor de seus esboços como documentos psicológicos continua intacta. Nas mentes dos
norte-homens, a batalha de Stiklestad, e os dias anteriores, estavam vestidos com um feitiço místico, e as memórias
foram condensadas em uma imagem, de uma só vez sobriamente realista em detalhes e mítico como um todo. Em Olaf,
sorte do antigo rei foi transfigurado; na força da sua sorte, ele foi exaltado à glória de mártir, e suas pontes Santidade
sobre a diferença entre a antiga fé e o novo credo. Os poetas cristãos louvar o rei santo para dar a todos a colheita e paz.

Para obter uma visão abrangente da sorte do rei, temos de perguntar: o que foi exigido, nos velhos tempos, para fazer um homem um verdadeiro rei?
Guerra-velocidade, o poder da vitória, não é senão uma das marcas distintivas que colocam o líder em uma classe para além de personagens cotidianos. Sua
constituição é marcado ao longo de uma maior força e ousadia. A vida é mais firmemente sentado nele, seja ele de que ele é a prova contra as armas, ou que
eles parecem, talvez, a desviar-se do local onde ele está. A primeira vez que Olaf Tryggvason perde sua marca é quando ele aponta seu arco em Earl Eric. “Em
verdade, a sorte deste conde é grande”, ele exclama. No antigo sábio, diz-se de Harald Hilditonn, que Odin tinha lhe concedido imunidade de feridas, de modo
que nenhuma vanguarda poderia scathe ele. E embora talvez um tal grau de resistência só foi encontrado entre os poucos particularmente favorecido, devemos
presumir que o rei tinha essa vantagem sobre os guerreiros comuns, que suas feridas curadas mais facilmente e mais completamente. De qualquer forma, ele
possuía um poder de cura que poderia ser comunicado aos outros. O chefe germânica teve aqui pelo menos uma qualificação para classificação santo, e que
contava muito no início da Idade Média, quando o cristianismo justifica-se, em grande medida pelo seu poder sobre a doença. Não há dúvida de que esses
germes de santidade na realeza foram avidamente promovido, talvez possamos arrisco a dizer, com o propósito inconsciente; os milagres e lendas do sul da
Europa se apegam facilmente para Olaf, e ele veio natural que as pessoas a buscar cura em lugar de descanso do rei. devemos presumir que o rei tinha essa
vantagem sobre os guerreiros comuns, que suas feridas curadas mais facilmente e mais completamente. De qualquer forma, ele possuía um poder de cura que
poderia ser comunicado aos outros. O chefe germânica teve aqui pelo menos uma qualificação para classificação santo, e que contava muito no início da Idade
Média, quando o cristianismo justifica-se, em grande medida pelo seu poder sobre a doença. Não há dúvida de que esses germes de santidade na realeza foram
avidamente promovido, talvez possamos arrisco a dizer, com o propósito inconsciente; os milagres e lendas do sul da Europa se apegam facilmente para Olaf, e
ele veio natural que as pessoas a buscar cura em lugar de descanso do rei. devemos presumir que o rei tinha essa vantagem sobre os guerreiros comuns, que
suas feridas curadas mais facilmente e mais completamente. De qualquer forma, ele possuía um poder de cura que poderia ser comunicado aos outros. O chefe
germânica teve aqui pelo menos uma qualificação para classificação santo, e que contava muito no início da Idade Média, quando o cristianismo justifica-se, em grande medida pelo seu poder sobr
132

No momento em que o irmão Harald Hardrada de Olaf e seu filho Magnus reinou em conjunto sobre a Noruega, uma mãe
veio com seu filho, que tinha perdido a memória, para pedir conselhos do rei Harald; o rei opinou que o paciente sofria de
dreamlessness, e aconselhou-à deixar de beber ao menino de Magnus' água de lavagem, e depois dormir no Magnus'
sofá. O efeito foi instantâneo: ambos os reis lhe apareceu em sonho, e disse: aquele: “Ter saúde”, e outro: “Tenha rapidez
e memória”, e, em seguida, o menino acordou rindo, tendo recuperado o poder de lembrar. Os reis da Franks tinha não
menos de este poder de cura: a mãe curado seu filho com uma decocção da orla do manto do rei Gunntbram. Nos tempos
antigos, era presumivelmente uma crença comum de que o rei tinha “mãos de cura”, como encontramos na invocação de
Sigdrifa:

Os ataques mais violentos da natureza, também, caiu scatheless da sorte do rei. “Reis não se afogar ", disse William Rufus quando ele
colocar para fora no canal em um barco durante uma tempestade, para reprimir uma revolta na Normandia, em seu primeiro surto. Olaf
o Santo, na sua travessia para a Noruega, estava em grande perigo durante uma tempestade, mas “os bons homens com ele, e sua
própria sorte, trouxe-o incólume à terra”.

Com igual direito, um Olaf poderia ter dito que os reis não eram ligados a tempo. De qualquer forma, foi um dos atributos
naturais de um cacique, que a sua sorte sempre lhe deu um vento favorecimento. As águas, também, realizada cardumes de
peixes no terras do governante, podemos supor; diz-se de Earl Hakon, que em seu tempo, o peixe veio em todos os vaus.
Sorte da fertilidade prevaleceu sobre seus campos, dando ouvidos perto de milho e bom peso no ouvido. Sorte em estações e
na aquisição de paz são os títulos atribuídos ao ideal real mítico dos suecos, Fjolnir Yngvifreyson, e se acrescentarmos sigrsæll -
vitorioso - temos a corda tripla que abarca toda a vida. Um rei sem guerras poderia ser uma exceção; mas ele deve ser friðsæll -
poderoso para a paz - no sentido de manter a guerra fora das suas próprias fronteiras, ou pelo menos impedindo-a de harrying
os campos. A guerra é a vomitar uma inundação de

133

honra e reputação sobre ele, amontoar jóias e estragar, mas não falha destrutiva sobre as terras inchaço com milho, eo
gado pesado com gordura.

“É difícil lutar contra a sorte do rei” e “Muito aproveita sorte do rei”; assim serras velhas resumir a dureza e a solidez de
presente do chefe, e a sabedoria implícita nestas palavras equivale a esses sábios conselhos como este: Não se deve
colocar-se athwart sorte do grande homem, mas deixar-se ter em por ele. Quando um homem entrou fileiras do rei e
deixar sua própria guerra sorte ser inspirado pelo maior, tornou-se, no sentido mais literal, vale mais a si mesmo. O rei
ficou tão cheio de sorte que ele poderia irradiar-lo para fora a todos aqueles perto dele e pode até enviá-lo para agir à
distância. Se se pudesse obter um chefe de aprovar uma empresa com as suas palavras:

“Vou acrescentar a minha sorte”, em seguida, um tinha sua guerra-sorte em um de armas, o seu tempo-sorte em um de velas. De tal
homem que pode ser simplesmente disse: “Ele não vai sozinho, para sorte do rei vai com ele.” E um pedido para realizar uma
empresa desesperada em nome do rei foi muitas vezes concedidos com as palavras: “Eu vou tentar fazê-lo com o seu sorte". Um
homem em favor do rei, como, por exemplo Hallfred o Wayward Escaldura, viveu toda a sua vida na sombra da sorte do rei. Quando
em uma ocasião, ele foi atacado por trás, ele orou a Cristo para a ajuda, e conseguiu “com a ajuda de Deus e pela sorte de Olaf” em
bater fora do ataque. Seus adversários o conhecia para um homem
protegido por favor especial, e foram cautelosos em atacá-lo; seu inimigo amargo, Gris, a quem ele havia ferido mais sangrenta
por arrebatadora sua esposa, estava feliz de uma chance para evitar encontrá-lo em um único combate, e declarou que ele era
"loth para lutar contra a sorte do rei”.

A crença no poder do rei para colocar a sua sorte em outros e as suas empresas é trabalhado pelos islandeses em um conto divertido
sobre um homem pobre, Hroi, seu fracasso e sucesso. Hroi era um ferreiro hábil e um comerciante empreendedor, corajoso e “nasce
com inteligência”; mas de alguma forma Fortune caiu para favorecer seus planos. No entanto muito ouro que ele poderia acumular, ele foi
para o fundo tão logo ele fez ao mar, e quando ele tinha forjado seu caminho novamente pela habilidade em seu comércio, ele perdeu
todas as suas economias em seu

134

negócios. Então ele lembrou-se de ir ao rei Swein Barba Forcada e propor parceria. Quando ele apareceu diante do rei
Swein com seus planos de negociação, os homens do rei falou fortemente contra a idéia de entrar em parceria com um
homem tão notoriamente infeliz nas suas relações; mas Hroi respondeu confiante: “sorte do rei é mais poderoso do que a
minha má sorte”, e o próprio rei foi muito perspicaz para não dar esse argumento mais peso do que todas as objeções.
Daquele dia em diante, a riqueza procurado Hroi: em expedições comerciais pacíficos ele atormentado a costa do Báltico
para o ouro, e nunca perdeu uma carga no mar; ele compartilhou os seus despojos com o rei, voltando-se, assim, a sua
amizade em afeto. E para coroar tudo, ele ganhou a princesa, para que sua noiva era de não superior nascimento do que
a filha de um magnata sueco,

É o critério, de fato, de sorte do rei, que transborda e enche os outros com a sua abundância. No campo de batalha, a
sorte do rei varre como uma tempestade sobre o inimigo; abre um caminho para aqueles que seguem atrás dele, e
gira-los à vitória; mas sob este poder tempestuoso, corre um fluxo tranquilo, ininterrupta de sorte que pode suportar, e
realmente faz urso, as pessoas acima, inspiração do seu trabalho com a bênção, e torná-lo prosperar. Nós chance em
cima de um pedaço de informação dos burgúndios, no sentido de que eles deram seus reis o crédito para boas colheitas
na terra, e, em troca, fez sofrer quando a colheita falhou. O Northmen julgados exatamente da mesma forma. De acordo
com a história mítica, os suecos foi mesmo ao ponto de “sacrificar” seu rei, Domaldi “para a boa colheita”, uma fome
persistente tendo ocorrido durante o seu reinado. Na introdução à história da Noruega está Halfdan ársæli, a maior
colheita doador as pessoas tinham conhecido, como uma espécie de protótipo da dinastia de Harald Fairhair. Durante
muito tempo, parecia que a sorte da família Halfdan foram quebrados; no tempo dos filhos de Eric, não foram anos de
grande fome, e quanto mais tempo eles governaram o país, mais difícil cresceu a angústia geral, e estamos
expressamente dito, que as pessoas “lançou as más colheitas à acusação de esses reis”. E levantou-se

135

uma nova raça de governantes, em quem a bênção estava cheio e inteiro. Durante o reinado de Earl Hakon, essa
mudança ocorreu nas colheitas, que não só “fez o milho crescem onde quer que tinha sido semeada, mas o arenque
surgiu durante todo a terra”. Mas com os outros ramos da velha Stock Halfdan o doador colheita levantou-se novamente,
e em Olaf de Saint sua herança foi canonizado: “homem de Deus dá a todos os homens colher e paz”, canta, assim, o
poeta Thorarin Loftunga em honra do rei santo .
Não devemos, no entanto, correr para a conclusão de que a realeza Teutonic repousou sobre o poder mágico certas pessoas
de denominar-se mágicos. De um ponto de vista moderno, um rei pode parecer suficientemente encarregado em ter de
governar sol e da lua e um elemento ou tão além, e qualquer demanda além de tal aptidão meteorológicas seria considerado
excessivo; ainda, eram necessárias outras qualidades para levantar um homem a chefia nas condições antigas. Para apreciar
o gênio do rei Teuton, devemos andar em volta e olhar para ele do ponto de vista social, bem como, e nossa compreensão
dependerá da nossa capacidade de combinar o conhecimento adquirido sobre esses dois lados.

Não precisamos procurar muito longe para saber o que o rei parecia; ambos os quadros ideais e retratos reais foram
proferidas para nós. Na corrida de Harald Fairhair, o tipo aparece como segue: Alto (mais alto do que a maioria dos
homens), forte, bonito (o mais belo de todos os homens), em frente na luta; hábil acima de todos os outros no uso de
armas; um all-round atleta, arqueiro, nadador. Entre os reis da Noruega Olaf Tryggvason é a perfeita realização do ideal; ele
poderia atacar igualmente bem com ambas as bandas, jogar duas lanças de uma vez, e andar sobre os remos, enquanto os
homens remavam, manipulando com três espadas no ar.

Ambicioso e sempre vigilante que ninguém deveria em qualquer aspecto outstep ele; não se contentando com a honra ganhou,
desde que não havia mais a ganhar.

Profunda e perspicaz em seus planos; inteligente para utilizar todos os meios que possam contribuir para o fim em vista; homens eloquentes e
persuasivos, de modo que queria nenhuma outra coisa do que o que ele propôs.

Feliz, alegre, generoso com os seus homens, ganhando, de modo que todos os homens bravos jovens foram atraídos para ele.

136

Rica em conselho e fiel; severo para com seus inimigos e os de seus amigos; um amigo perfeito para ele que era
seu amigo.

Este é o tipo germânica do rei que inspira os inúmeros elogios da literatura Teutonic. Reflete-se na descrição de Offa pelo
poeta do Beowulf: “o homem lança-negrito, elogiou longe e de largura para presentes e guerra; sabiamente governando a
terra de sua herança”. Elaborou é mais e mais nas canções nórdicos e sagas. Alto, bonito, corajoso, forte, generoso,
essas palavras indicam a totalidade das virtudes que nenhum rei poderia fazer sem; falta uma qualidade que ele faltaria
todos.

Os louvores realmente indicam uma demanda, uma formulação do que foi exigido do rei. Não só o rei que governou sobre
vastas terras deve cumprir as exigências do ideal, mas mesmo o chefe, cuja esfera foi restrito a um pequeno distrito, tinha
de possuir uma certa, não insignificante parcela de todas essas qualidades. Esta perfeição abrangente, moral e física,
pertencia à natureza da chefia. Mesmo um líder da aldeia pequena era esperado para manter-se firme pelos direitos dos
seus amigos, e ver que nenhum invadiu-los; ele deve ser tão respeitado que os estrangeiros foram loth de interferir com
eles. Qualquer homem na aldeia tinha o direito de trazer uma lesão, ele foi incapaz-se a reparar a porta do chefe, e se
foram deixados lá sem vingança, ele derrubou infalivelmente nidinghood sobre toda a raça do chefe. Ele precisava de
força para assumir tal herança. E quando surgiram disputas dentro do próprio distrito, o chefe era a pessoa adequada
para colocar as questões certas, para resolver a dificuldade, para que “todos estavam satisfeitos com sua decisão”.
Quando chamamos a atenção para que o rei, em tal caso, viu-se colocado entre dois "honras", ambos igualmente
suscetíveis e igualmente indispensável,
podemos presumir que ele teria de ser presenteado com um grau muito elevado de artesanato e criatividade - e generosidade,
além disto, de modo que ele não tinha medo de sacrificar algo da sua própria, a fim de curar uma honra ferida. Nós podemos
fornecer um fundo para a nossa suposição por considerar como um chefe Icelandie, Thorkel Krafla, comportou-se em uma
ocasião, quando um homem tinha sido morto para a lei-coisa. Com um grupo pronto para a vingança que ele foi para a cabine,
onde o assassino estava. Na porta

137

ele foi encontrado pela mãe do homem, que tinha uma reclamação sobre Thorkel, tendo uma vez salvou sua vida; ela tentou
fazê-la influência ser sentida, mas ele conheceu sua intervenção com as palavras: “Matters ficar diferente agora do que quando
conversamos pela última vez juntos; mas ir para fora, que você não precisa ver seu filho ferido para baixo.”Ela imediatamente
agiu sobre a dica, vestiu seu filho em suas próprias roupas e mandou-o para fora com as mulheres, e quando Thorkel o vira
com segurança, ele colocou-se na porta e senso falou: “não é apropriado que devemos matar nossos próprios vizinhos e
coisa-companheiros, seria melhor, pelo menos para chegar a um acordo.” Este é um episódio dos tempos saga final, mas um
episódio de do tipo que ocorre com freqüência suficiente nas estepes e nas montanhas, onde a tribo ainda vive em moda antiga
sob o governo de um chefe.

Não foi nenhuma sinecura para herdar a dignidade real. Realeza necessário gênio e grandes presentes, mas estas qualidades
foram incluídos no caráter real. Que o líder nato poderia conseguir grandes coisas, poderia adquirir seus súditos direito e
honra, e, o que era ainda mais difícil, manter suas honras em sua relação adequada uns aos outros, é devido à própria
profundidade e força de sua sorte. Era mais fácil para ele do que para os outros para levar os homens a concordar, e obter
homens para segui-lo; os jovens olhou para ele, desejei nada mas o que ele quis, os homens mais velhos trouxe suas
dificuldades com ele, - porque ele era vinsæll, ou seja teve a sorte ou dom da amizade, porque ele tinha mannheill, o dom de
lidar com os homens. Ele também pode ser dito em explicação de sua popularidade, que ele ganhou carinho cedo “por sua
beleza e sua gentileza no discurso” ( bliðlæti). De outro rei é falado, que ele ganhou o amor de seus homens por ser poderoso
e sábio e uma grande colheita doador; a palavra traduzida por “sábio” é um termo que denota ofício muito expressivo, rapidez
de 'inteligência, habilidade, em outras palavras, a diplomacia. Seu amigo de sorte dependia de vários fatores. Não menos
parte do que era devido ao seu poder de strewing ouro sobre ele; juventude não migram para o corte de um rei niggardly. Mas
todos esses dons entrar sorte do rei, a diplomacia, bem como generosidade e beleza, bem como eloqüência. Lá

138

não é separar as qualidades que devemos chamar natural, desde os dons de cura e da fertilidade.

Seria tolice considerar a superioridade dos guarda-costas do rei sobre o exército camponês como devido a um pânico
supersticiosa para a pessoa do rei, e negam que o significado fatal de sua queda ao resultado da batalha ficou na relação
natural com o seu importância como líder da luta. E isto era bem conhecido: palavras como “líder do host”, “ranger de
batalhas” eram frequentemente usados ​como epítetos para um chefe.

Não há a menor razão para considerar esses títulos honoríficos como de origem tarde, e acusam os outros povos
germânicos de falta de visão sobre o generalato do rei. Deveras, como o rei pode e deve trazer a vitória, irradiando força
e coragem para aqueles que chegou perto dele, e escurecendo os olhos de seus inimigos até que tropeçou em seus
próprios planos, de modo
certamente foi também de grande importância para ele possuir um exército bem disciplinado, e ser capaz se a aproveitar
as oportunidades táticas com um corpo que de uma forma pendurado junto de si. Todos estes: a disciplina do exército, o
generalato de seu líder, a força de seu golpe, o seu poder de vitória convincente, fazem parte da sorte do rei. Quer dizer:
o rei teve sorte em aprender o uso de armas e a arte da guerra, permanecer sem ferimentos no meio da luta, - ou
creditamos lo com um presente para a profissão das armas, um dom que fez armas letais cair inofensivamente dele, se
trata da mesma coisa. O rei era o mais sortudo, ou seja, inter alia, o mais bravo, mais hábil, mais sábio e mais engenhosa
de guerreiros.

Para resumir, a sorte, na opinião dos teutões, não é uma coisa que vem de fora, definindo o selo sobre habilidades e
empresas.

Todos os dias nos deparamos com casos de grandes diferenças entre as fortunas dos homens. popular pobres têm “mas uma sorte,
e que um delgado”; eles podem se esforçar e lutar tanto quanto eles vão, eles ganham mais do que a recompensa mínimo para suas
dores. Com os outros, “sorte paira sobre eles como lixo”, como diz o provérbio é executado em Jutland; eles simplesmente não
podem se livrar dele. Mas o Teuton não chamar a inferência a partir desta experiência

139

que vontade e resultado, habilidade e sorte vêm de diferentes lados de existência e jogar blindman's-lustre com o outro. Ele
não estabeleceu ineficiência como o princípio primordial na vida humana e nomear o destino ou os deuses para manter
toda a força e suportar toda a culpa por maus resultados.

sorte do homem da colheita é o poder que o inspira a vigilância, o trabalho incansável, deixando seus braços empunhar a
picareta com bom efeito, que define o ritmo e força em suas ações; ele leva a sua escolha de modo que ele não atacar em
vão em um solo teimoso, desafiante, mas abre os poros para fecundidade; ele envia o milho para fora do chão, aguça o
jovem atirar para perfurar a terra acima dele, salva a, planta impotente nu de congelar até a morte, e o milho cultivado de
pé insuscetível de sol e chuva e se voltando para nada por pura desamparo; segue-se a casa colheitas, permanece com
eles através de debulha e esmagamento, e dá o pão ou o poder mingau de alimento quando o alimento está definida no
tabuleiro.

A sorte da colheita e da vela e conquista são igualmente dois lados de acordo com as nossas noções. Um homem é abençoado
em seu gado quando os animais engordam e pesado com o que comem, quando seus úberes inchar completa com leite, quando
eles se multiplicam, quando eles vão para o seu pastoreio verão sem scathe de lobo ou urso, quando voltam para casa cheia
conto, no outono; mas sua sorte é igualmente evidente em seu poder para procurá-los e encontrá-los, eles devem desviar, em
lugares onde nenhum outro de pensar para olhar.

Vela implica manoevring, conquista implica coragem e astúcia, sorte em sabedoria implica habilidade “em fazer planos
quando necessário”. Os filhos de Ingimund, antes referidos, eram homens de muita sorte: “É difícil ficar contra a sorte dos
filhos de Ingimund”; homens temiam de Jokul coragem e violência baresark, mas não menos a “inteligência e sorte” de seu
irmão mais velho, Thorstein. Esta sorte mostra-se em sua sempre saber ou adivinhar de antemão o que seus adversários
tinham em mente; ele viu através de todos os artifícios da guerra, mesmo quando feito por feitiçaria, para que ele nunca foi
possível para levá-lo e seus irmãos de surpresa. Sua sorte mostra-se no fato de que eles poderiam esperar, deixar o tempo
140

vá em frente, fazer os preparativos, ou bata no mesmo instante sem hesitação; o golpe sempre caiu no momento certo para
eles. Quando seu pai tinha sido morto na sua ausência, e o assassino, Hrolleif, fugira com segurança para seus parentes,
Thorstein restringe seu irmão, dizendo: “Devemos procurá-lo por ofício, e não correr descontroladamente em” Ele, então, paga
uma visita ao homem que tinha escondido Hrolleif, e pela manipulação destro recebe-lo a desistir da azarado e enviá-lo longe
da herdade. “Não importa nada o que você pode dizer”, Thorstein tranquilamente argumenta, “ele é, sem dúvida aqui; é mais
para o seu bom que ele deve ser inofensivas, tão mal como ele faz contra a sua vontade; não é só por causa do meu pai que eu
sou depois dele, ele tem feito muito mal que podemos sentar-se ainda agora; podemos levá-lo fora de suas fronteiras, de modo
que nenhuma vergonha cai para você na matéria; apenas dizer-lhe a si mesmo que ele não é seguro aqui; e cem em prata que
posso bem livre “. E tão calmamente como Thorstein argumentou seu caso aqui, assim também ser permanece como
convidado até o dia seguinte, e no caminho de volta da herdade, informa a seus irmãos que Hrolleif deve certamente teria ido
para casa para sua mãe, a bruxa-mulher, e deve ser levado para lá antes que ela tenha tempo para trabalhar suas artes sobre
ele. Montando duro eles foram capazes de surpreender o partido no meio de seus preparativos para a magia negra pelo qual a
velha bruxa intenção de fazer seu filho com força contra perigos; eles conseguiram as coisas de forma tão inteligente que ela
não adquiriu poder sobre eles por avistando-los antes que a tinha visto. Eles viram por todos deslumbramento, e reconheceu a
velha si mesma, apesar de todos os seus truques, e ela era realmente certo quando disse: “Eu estava perto de ter vingado o
meu filho; mas estes filhos de Ingimund são homens de grande sorte “.

Assim, ele se desentendeu com todos os que tinha assuntos pendentes com Thorstein; no entanto eles podem definir os seus
planos, se recorreu à bruxaria ou astúcia simples, eles sempre encontrou-o pronto para eles. Ele viu através de tudo de uma
distância; e quando ele chegou no local há ilusões ópticas “poderiam aproveitar, pois viu todas as coisas como elas eram”; em
sua verdadeira natureza, como uma outra saga tem.

141

Naturalmente, um chefe não poderia ser suspeito e sempre ir sobre farejando perigo, para uma cautela tal covarde seria um
sinal infalível de que ele não teve a sorte de sabedoria, mas se atrapalhou sempre no escuro. O rei simplesmente viu a casca
das coisas, e sabia o que estava escondido atrás de simpatia fingiu, e poderia, portanto, sente-se calmo e seguro, onde tudo
estava bem, sem deixar o conforto dele ser invadido por pressentimentos. Quando Harald Fairhair tinha sido esplêndida festa
de Thorolf no Torgar, os dois filhos de Hilderid veio e desejou-lhe a alegria de sua jornada sorte, acrescentando: “Caiu como
era de se pensava; você era afinal o mais sábio e mais sortudo ( hamingjumestr), para você percebeu de imediato que nem
tudo era tão bastante significava como parecia e também podemos dizer agora que ele foi planejado que você deve ser morto
lá; mas os camponeses sentiu uma captura em seus seios quando eles te vi “, acrescentam. Deve-se admitir que o par deles
sabia como para embelezar um rei.

E se quisermos ver um exemplo do que a falta de sorte ( gæfuleysi) é, encontramos uma ilustração da saga que trata das relações
entre Hrafnkel e seu antagonista Sam. À força de coragem e uma grande quantidade de assistência amigável, Sam tem a banda
superior do poderoso e arrogante chefe Hrafnkel; mas quando ele tinha começado seu inimigo sob os pés, ele contentou-se,
apesar de tudo o bem-intencionado conselho, com humilhando-o e forçando-o a deixar sua herdade e do distrito. Hrafnkel levantou
um novo farm e silenciosamente trabalhou seu caminho novamente. Quando seis anos haviam se passado, ele era forte o
suficiente para começar a pensar em coisas passadas, e aprender um dia que o irmão de Sam tinha voltado para casa a partir de
uma ilustre carreira no exterior, seja estabelece esperar por ele em sua primeira viagem desde o local de desembarque e mata ele.
Sam procura
seus velhos amigos e ajudantes, mas encontrá-lo com palavras frias: “Certa vez, fez todas as coisas pronto para você para que
você poderia facilmente ser superior. Mas ele caiu como sabíamos que seria, quando deu Hrafnkel sua vida, que você viria a
lamentar amargamente. Aconselhamos que você matá-lo, mas você teria o seu caminho. Não há necessidade de olhar de perto
para ver a diferença de sabedoria entre vocês dois, Hrafnkel e você; ele te deixou em paz e usou a sua força primeiro a fazer
afastado com o homem

142

ele considerou de mais conta. Nós não vamos deixar a sua falta de sorte nos trazer a nossa queda “.

O pretendente norueguês Olaf Ugæfa - o azarado -gained seu nome do halfheartedness de seus planos quando um ataque
noturno em Erling Skakki falhou. Erling tinha menos homens, foi pego de surpresa, e sofreu grande perda; mas a escuridão
cobriu-o, e sob o abrigo de uma cerca de ele se desviou até os navios. “E este homem disse: que Olaf e seus seguidores
haviam mostrado, mas pouco de sorte na luta, então certamente como o partido de Erling foram dadas em suas mãos, se
eles tinham, mas agiu com mais sabedoria.”

Há toda a diferença da sorte entre rede, bons, prudentes e bem sucedidos planos e
unrede, planos ruins que podem parecer sólida o suficiente, mas estão querendo na fundação. Um homem sábio prepara
suas empresas de acordo com o tempo e as circunstâncias que eles estão se encaixar com. Ele é capaz de olhar sobre ele
e interpretar o que ele vê. Ele não se deixa confundir por possibilidades, mas com a lógica estrita discerne o estado real
das coisas. Quando Thorstein julgado que o tempo tinha vindo para vingar a morte de seu pai, ele andava direto para o
herdade, onde o assassino estava oculto, e invocou seu protetor para entregar-se o miserável; na yeoman de fazer um
show de inocência, ele só disse: “Você, Geirmund, são apenas parente de nota do Hrolleif, portanto, ele está com você e
em nenhum outro lugar”, e sua conclusão tinha toda a certeza de um homem de sorte; não foi um resultado de suspeita, ou
suposição ou probabilidade, mas de conhecimento e de compreensão. Mas o sábio pode fazer mais do que isso; julga os
homens de antemão, e, portanto, não é desviado por conexões malfadado com homens cujos conselhos são estéreis. De
sinais de certeza no rosto e formas e maneira ele deduz que está escondido no estrangeiro, se ele é um homem de sorte ( hamingjusamligr),
aquele que será uma aquisição, ou alguém que fosse melhor evitar. O homem muito sábio sabe também o mundo exterior
a vida humana, e pode adivinhar a conexão entre manifestações e ações; ele sabe o tempo, e entende a linguagem dos
animais, ou sabe de qualquer modo, o que diriam. Ele tem uma loja de “conhecimento antigo” em relação a coisas e

143

acontecimentos do passado, um conhecimento que não só dá-lhe dignidade e estima, mas também a segurança em seu
julgamento de coisas acontecendo agora, e insights sobre a natureza das coisas. Ele vê o passado espalhar-se sobre ele, da
mesma forma como o presente; os dois penetrar e interpretar o outro. Mas a sua era uma sabedoria pobre se ser não tinha, para
além do domínio do passado e do presente, também alguma familiaridade com o ainda por nascer. Keensighted e prevendo são
termos idênticos entre os antigos. O desconhecido veio ao homem de sorte em muitas maneiras. Ele era um grande sonhador, que
estava ciente das coisas antes que chegou, e viu de antemão os homens se movendo em suas formas contempladas. O pai de
Hrafnkel Freysgodi, Hallfred, mesmo se mudou toda a sua herdade porque um homem veio a ele em um sonho e disse: “Você é
incautos, deitado, Hallfred; mover sua fazenda, para o oeste através Lagarfljot; há toda a sua sorte “, - e no mesmo dia que ele
tinha trazido todos os seus bens em segurança, o lugar foi enterrado sob um deslizamento de terra. Thorstein Ingimundson,
também, evita as maquinações de uma bruxa-mulher através de um
visão em um sonho, e ela pode muito bem dizer, quando ela descobre que não é para ser atraído para a armadilha: “É difícil ficar
contra a sorte desses filhos de Ingimund.” Mas, para sonhos e clarividência deve ser adicionado o direto conhecimento, que pode
ser expresso nas palavras: “algumas coisas veio sobre ele de surpresa, surpreendê-lo”, ou na forma simples: “minha mente me
diz”.

Portanto, o homem “sábio” pode seguir o seu plano de antemão através do tempo, testá-lo e adaptá-lo antes de ser despachado, ou
segurá-la até que o caminho está pronto. Mas se a sabedoria não podia ir mais longe, em seguida, a sua Rede ou conselho seria,
afinal, ser apenas como um barco estendeu sobre as águas sem tripulação, confiada ao vento atual e favorável favorável; a sorte do
homem sábio e forte seguido seu plano, direção, empurrando e mantê-lo em direção à meta. O pensamento vai para a frente, fazendo
com força e efeito que ele foi enviado para fazer. É como se tivesse olhos para ver e sentido falar por si, e, de qualquer modo ele
pode forçar seu caminho nas mentes de folk e transformá-los como ele vai. Tudo o que ele atende em seu caminho através do mundo
que é preciso para si e utiliza como implementar.

144

O sucesso de um plano depende inteiramente o que tem em si a partir de sua primeira saída, pois tem sua origem em uma
concepção que lhe deu vida e inspirou com sorte, os projetos que vêm das maiores mentes estão em um e ao mesmo tempo o
mais ousado e o mais seguro de execução. sorte do rei toma forma como poderosos pensamentos de conquista - como quando
Harald teve a sorte de fazer toda a Noruega um - e como invenções do gênio, como por exemplo, quando uma guerra-rei concebe
a idéia da falange em forma de cunha, que é miticamente expressa como um dispositivo sugerido por um deus.

Se um homem não tiver sorte o suficiente em si mesmo para promover um “conselho”, como ele precisa, ele vai, provavelmente,
a um homem de coragem e pede-lhe para colocar algo de sua própria virtude para a empresa já planejado. E, naturalmente, se
um foi para um homem sobre algum negócio difícil e pediu seu conselho, um deverá ser determinado bem, ou seja conselho
sorte ( inferno RAD)
e não palavras vazias' que um tinha-se a encher-se com o progresso e bênção. Vazios, popular desafortunados pode vir a
pesar com valores espirituais porque eles não entenderam como usá-los; Se tratada adequadamente, o conselho deve
retornar com frutas. Naturalmente, a palavra antiga
Rede ou conselho compreende vários significados que são nitidamente diferenciada em nossa cultura dualista; plano e
resolução por um lado, e conselhos sobre o outro, não são nada mas a sorte aplicado ao próprio ou para assuntos de outras
pessoas.

Se um plano realmente tem vida em si, então só pode ser verificado por uma maior sorte matá-lo. Um pensamento de alguns
maior sabedoria pode sair e oferecer batalha. A sabedoria superior não precisa esperar até que o conselho tenha sido
despachado, ele pode colocar-se como um pesadelo sobre a sorte de um homem pobre e torná-lo estéril e confuso. Assim
aconteceu, para citar um exemplo de vida, ao Thorleif sábio dos Uplands, quando Olaf Tryggvason, por razões muito cristãos,
procurou a vida do chefe pagão obstinado, e mandou o seu servo fiel, Hallfred o Wayward Scald, para realizar o seu design.
Quando o herói poeta apareceu disfarçado na herdade do Thorleif, o velho perguntou o que ele trouxe notícias, e mais
especialmente se ele sabia alguma coisa de um certo Hallfred, pois “ele tem muitas vezes me apareceu em sonhos; não que
isso deve ser estranho para mim a sonhar,
145

vêm os homens do rei para este lugar dentro em breve, e como a esta Hallfred, eu nunca pode fazer corretamente-lo a partir do que
popular dizer, e minha sorte chegou ao fim na questão do que está por vir”. Em outras palavras: eu sonho com ele; mas não vejo nada
em meus sonhos, mas um véu sobre o futuro.

Quando um homem trouxe o discurso para fora de sua loja de palavras, os ouvintes podiam discernir se ele fosse um homem de
sorte. Os homens do norte, e provavelmente também os povos germânicos, geralmente, acalentado uma grande admiração pela
arte em palavras; elogios da oratória fina são freqüentes em sua literatura, e sua formulação delicada, juntamente com o
julgamento afiado de efeitos, quase nos faz participantes da complacência com que os ouvintes se estabeleceu quando um
homem se levantou no meio deles que teve sorte para enviar suas palavras com segurança em que porto que quisesse. O
discurso do homem de sorte cairia naquelas imagens curtas e afiadas que os nórdicos entes; as frases bem formadas que
conduz uma outra para a frente em vez de tropeço um sobre o outro, assim como a movimentos separados, acidente vascular
cerebral e de guarda, montados em conjunto, quando executado por um corpo de sorte. As palavras de sorte encontrados
desabafar em tais concentrações proverbiais do discurso que atingiram no centro de uma dificuldade e cortadas em um duro
golpe a questão em disputa. Sorte inspirou um homem no momento da sua queda para proferir palavras tão grávidas, a ser
realizada em memória à sua honra. Mas palavras, se pronunciada por um homem de muita sorte, tinha também o dobro da borda
peculiar às armas de lutadores vitoriosos: eles ferido entre os homens, soltou o feitiço de mornidão e falta de coragem, ou feitas
inimigos abertos de inimigos secretos, como Egil graças aos deuses que ele poderia fazer. Havia uma grande diferença entre o
que um rei disse eo que um camponês disse, mesmo que eles queriam dizer mais ou menos a mesma coisa. Quando Olaf
Tryggvason levantou-se na lei-coisa, onde homens astutos em palavras estavam reunidos para se opor a ele,

Palavras eram perigosos. Eles poderiam morder através de sorte, e se fixar em um homem. Eles não estavam a ser
comparado a flechas afiadas que feridos, mas pode então ser retirado e jogado ao chão. Para eles tinham vida neles,
eles rastejar

146

cerca de dentro da vítima, esvaziando-lo fora até que não havia deixado nele força, ou eles iriam mudar-lo e
moldá-lo de acordo com sua própria natureza.

Muitas vezes era um bom plano para ridicularizar os inimigos com palavras antes de atacar com armas; pode-se desta maneira enfraquecer vigilância do
adversário, sem corte sua coragem e destreza e diluir sua invulnerabilidade. Na narrativa da luta de Fridleif com o gigante do Saxo, o rei começa o combate
proferindo insultos, para, de acordo com o monge medieval, o gigante era mais fácil lidar com quando ele tinha sido irritado com versos de desprezo: “Você
threebodied gigante, quase batendo sua cabeça contra o céu, por que você deixe que balançar espada tolo ao seu lado? . . . Por que cobrir essa forte peito com
uma espada frágil? Você esquecer quão grande você é, e confiança naquele pequeno punhal. Em breve vou fazer a sua vã investidas, quando você atacar com
essa vantagem sem corte.”Agora há o perigo de que a espada pode revelar-se muito clara, e o seu bordo incapaz de cortar. “Vendo você é uma besta tão tímida ...
você deve cair de cara no chão; nesse corpo orgulhoso você suportar um covarde e coração com medo, e sua coragem não é igual a seus membros. . . Portanto,
você deve cair sem fama, não tendo lugar entre os corajosos, mas configurado nas fileiras daqueles que ninguém sabe.”Agora fosse melhor para o gigante de
olhar para a sua coragem e sua honra, e atacar antes que as palavras têm tomado efeito. Ele vai ser roubado de sua coragem se o poder de fora não ser
arremessado de volta o mais rápido possível. mas em conjunto as fileiras daqueles que ninguém sabe.”Agora fosse melhor para o gigante de olhar para a sua
coragem e sua honra, e atacar antes que as palavras tiveram efeito. Ele vai ser roubado de sua coragem se o poder de fora não ser arremessado de volta o mais
rápido possível. mas em conjunto as fileiras daqueles que ninguém sabe.”Agora fosse melhor para o gigante de olhar para a sua coragem e sua honra, e atacar
antes que as palavras tiveram efeito. Ele vai ser roubado de sua coragem se o poder de fora não ser arremessado de volta o mais rápido possível.
Uma vez, quando os britânicos foram atacados pelo rei dos nortúmbrios, que tinham tomado um pequeno exército inteiro de
monges com eles, e colocou-os em um local seguro, para rezar durante a luta. Rei Æthelfrid, com sentido prático, primeiro
enviou seus homens para reduzir os monges, e então passou a lidar com os guerreiros. “Se eles chamam de seu deus para
ajudá-los contra nós”, disse ele, “então eles estão lutando contra nós, mesmo que eles usam nenhuma arma, uma vez que se
opõem a nós com as suas orações.” Admitindo-se que tais orações foram realmente dirigida a Deus , Æthelfrid ainda sabia
que mesmo que as palavras fortes fez um ligeiro desvio, eles certamente acabar nos homens para os quais foram destinados.

147

O poder das palavras é tal que eles podem transformar um homem quando entram nele, e fazer um covarde ou um niding de
um homem valente. A insinuação não se limita a depreciar-lo nos olhos de seus vizinhos - ou melhor, o inverso, o desprezo do
mundo é um resultado do gibe insultos ter entrado no homem, atacou sua masculinidade, e no sentido mais verdadeiro
rendeu-lhe uma criatura mais pobres ; ele come o seu caminho através de honra e Frith, e não vai descansar até que sua
humanidade é mordido através na raiz. Quanto maior a tensão na sorte ea honra do remetente, o mais forte da palavra, eo
mais perigoso do ferimento. As declarações de gente pequena, com pouco mente além das suas necessidades para colocar
em suas palavras, talvez possa ser tomada de ânimo leve; certos grandes homens, de fato, pode ignorá-los completamente.
Mas se houvesse sorte por trás das palavras, fosse mais sábio não perder tempo em tornando-os inofensivos e recebendo a
honra de volta por vingança. O conselho oferecido por leis norueguesas e islandesas para casos de mais branda mau uso,
todos os dias do vocabulário, viz. para responder de volta palavra por palavra, é válida apenas de forma muito limitada, e deve
ser recebido com o maior cuidado; nunca se deve esquecer que responder para trás não dá reparação, e é bem, então
considerar se pode dar ao luxo de renunciar a um reforço da honra.

Mas as palavras podem, naturalmente, igualmente bem realizar uma bênção com eles. Uma boa palavra de despedida é um dom de
força para o viajante. Quando o rei disse: “Boa sorte ir com você, meu amigo,” o homem estabelecido carregando um pedaço de poder do
rei nele. “Sorte no seu caminho para o fim da sua viagem, e depois vou levar minha sorte novamente”, é um ditado ainda corrente entre
os camponeses dinamarquês. Uma boa palavra dada em vir para um novo lugar significou um acréscimo real para a sorte. Quando Olaf o
pavão se mudou para sua nova herdade, velho Hoskuld, seu pai, ficou fora proferindo palavras de boa sorte; ele ordenou Olaf
boas-vindas com sorte, e acrescentou de forma significativa: “Esta minha mente me diz com certeza, que seu nome deve viver por muito
tempo.” Orðheill, palavra-sorte, é o termo islandês para um desejo, assim, acusado de poder, seja para o bem ou para o mal, de acordo
como o orador colocar sua boa vontade em suas palavras e fez-lhes uma bênção, ou os inspirou com o seu ódio, para que eles agiram
como

148

uma maldição. Havia a vida do homem em palavras, tão bem como nos planos, em conselho. Pensamentos e palavras são simplesmente
destacada partes da alma humana e, portanto, a sério completo para ser considerado como seres vivos.

A palavra antiga Rede - Anglo-Saxon Raed, Icel. RAD - é uma ilustração perfeita da psicologia Teutonic. Quando dada para
os outros, isso significa que o conselho; quando aplicada à sorte trabalhando dentro da mente, isso significa sabedoria, ou
um bom plano, e de um ponto de vista ético, justo e pensamentos honestos. Mas a palavra inclui, naturalmente, a ideia de
sucesso, que acompanha concepção sábio e reto, e, por outro poder mão e autoridade, que é o trabalho de uma vontade de
som. Homens definição sobre para discutir assuntos difíceis necessitam de Rede e rapidez
da mente, diz um escritor Old-Inglês. De acordo com o poeta anglo-saxão, os anjos perdidos caíram porque eles já não
manter a sua rede, mas afastou-se do amor de Deus; eles fizeram o que era pecador, e ao mesmo tempo mal
aconselhado, e, assim, trouxe a sua própria ruína. E Satanás reclama que Cristo tem diminuído sua Rede debaixo do céu,
tornando-o impotente. Um homem redeless é enfraquecida pela falta de vontade, falta de poder e falta de selfassertion. O
poeta do anglo-saxão Cristo usa essa expressão, a fim de descrever a abjeção dos condenados, quando eles estão no
lado esquerdo, no Dia do Juízo Final, e ouvir o mandamento do Senhor: Vai queridos, portanto, malditos: “Eles não
podem suportar o ordem do rei do céu, desprovido de rede”como elas são. Não até que nós dominamos todo o conteúdo,
podemos perceber a profundidade de Satan'

Para sentir a força nos pensamentos antigos que devemos tomar cuidado para que nossas teorias dinâmicas não estão autorizados a
escorregar; Rede não é a energia que residem nas palavras, mas as palavras em si, bem como a alma. Sorte se estende numa
continuidade ininterrupta desde o núcleo da mente do homem para o horizonte de sua existência social,

149

e esta, também, é indicado no sentido da rede, que compreende o estado ou a posição de um homem, a sua influência e
competência.

O estado interior de um homem com sorte é descrito em Islandês como uma mente todo, Heill hugr, o que naturalmente inclui a
sabedoria, bem como a boa vontade e carinho. O homem de mente todo é fiel à sua família e seus amigos, proa de seus inimigos, e
fáceis de obter com, quando os homens menores vêm buscando ajuda. Seus Redes são realmente bons presentes para o receptor -
Redes inteiras, em Islandês
heil Rad.

Exteriormente, a sorte é dependente do amor mútuo dos parentes. Com o florescimento de Frith ir sorte e bem-estar. E no caso
oposto, quando os homens não podem concordar, toda a vida adoece e desaparece, até que tudo está assolada. Esta regra
aplica-se a todas as comunidades Frith, não só a família, mas também conexões temporárias no signo de Frith (e sob qualquer
outro sinal nenhuma aliança foi possível). Quando os homens unidos em qualquer empresa, pesca ou outra actividade
profissional, o resultado iria depender do poder dos indivíduos para manter relações amigáveis ​e sinceros um com o outro. Na
Saga Laxdoela, nós chance em cima de este pedaço de informação: “Os sábios segurou-a de grande peso que os homens devem
também concordar quando nos pesqueiros; porque foi dito que os homens tiveram menos sorte com as suas capturas, se eles
chegaram a brigar, e mais, portanto, observado cautela.”

O estado de honra da mesma forma determina a ascensão e queda da família. O homem que ganha notoriedade, ganha não só as
vantagens que vão com a estima de seus companheiros - ele aumenta a bênção, o poder de crescimento e fertilidade tanto em seu
gado e seus campos; ele estabelece as bases para novos parentes na família: as mulheres vão suportar mais facilmente e mais
frequentemente, as crianças ser mais esperançoso e para frente. Mesmo em séculos de atraso, a responsabilidade recíproca dos
honra ea sorte estavam tão enraizadas em crenças populares noruegueses que os homens poderiam dizer: Nenhum homem tem
sorte para ganhar e manter a riqueza até que ele matou dois homens e pagou a escritura para os herdeiros e ao rei. E a mesma
associação de ideias está na base da fé dos camponeses noruegueses na sorte e poder de cura de famílias descendentes de popa
150

e os homens assassinos, cuja honra poderia ser provado por numerosos assassinatos.

Se Frith e honra adoecer, o resultado é um declínio em tudo que se refere à família, declínio e finalmente queda. O Beowulf
tem, como vimos, já dada uma descrição dos efeitos da vilania; a extinção das ações eo desperdício de seus produtos.
Estes versos em que os salários de covardia são assim descrito, sem dúvida aludir principalmente para os sofrimentos
originários em desrespeito masculina por falta de honra; mas a imagem pode ser aplicada palavra por palavra a uma visão
mais cedo e mais original, segundo o qual as consequências sociais da vergonha só foram correlativo ao seu efeito
diretamente destrutiva: “Nunca mais deverá qualquer um que alcance corrida de bom grado o ouro”

A descrição norte das últimas coisas é apenas uma forma alargada dessa maldição: homens crescer cada vez mais
pobre, o seu poder de ação, sua coragem, confiança, sentimento mútuo e sensação de Frith está queimada fora;
“Irmãos lutar e matar uns aos outros, primos rive o frith pedaços, prostituição grande no mundo. . .no homem poupa a
outra”, no entanto parente eles podem ser; o calor dos declínios sol, a terra cresce fria e nua, geada precoce e geada
tardia morder os novos rebentos; verões crescer cada vez mais fraco, invernos mais e mais severo.

O poeta do Voluspá é, certamente inspirado pelo contato com a cristandade por sua visão escatológica; mas há apenas
traços insignificantes de impulso direto de idéias cristãs. A inspiração apanhado do Ocidente tem trabalhado tão
profundamente no poeta que as antigas lendas e imagens levantar-se e assumir um novo significado. Sua fé nos ideais
antigos e sua angústia ao vê-los ruir no tumulto da Era Viking impregnar o outro, e com o toque de cristianismo, esta
interpenetração de ética e experiência produz uma visão coerente da história sobre a força de uma idéia principal . A visão
do poeta, que molda as lendas tradicionais para a sua finalidade, sem de qualquer forma perceptível a mudar os seus
conteúdos, e empunha uma massa de materiais díspares em unidade, é o acúmulo de culpa, que impulsiona os deuses
através de uma ação desastrosa após o outro em sua condenação. E, para o poeta, a culpa é idêntico

151

com quebra de Frith e honra. A força de sua idéia se revela no fato de que ele tem colocado o mito da morte de Balder
em uma ligação íntima com o princípio de dia do juízo final. A imagem dos deuses matando um de seus irmãos é dado
um lugar central, de modo que reúne a força dos eventos acontecendo antes, e contínuos no crepúsculo dos deuses e do
mundo.

Que a sorte eo progresso são dependentes Frith e honra foi uma máxima corroborado pela experiência, mas a sentença
poderia com igual verdade ser lido inversamente: Sorte é a condição que determina Frith e honra.

Quando Frith está quebrado, para que parentes esquecer-se para um outro, a culpa recai na sorte; ou ele tem de alguma
forma sofreu scathe, ou é por natureza inadequada, deixando os homens impotentes e sem rolamento. Uma boa mulher
pelo nome de Saldis se alegrou com os dois filhos de suas filhas; ambos eram rapazes promissores, e além disso se
amavam ternamente. Um dia, Oddbjorg, uma mulher que podia ler o futuro, entrou na herdade; Saldis apresentou seus
netos para o hóspede com orgulho e ordenou-lhe que profetiza, acrescentando: “Veja a ele, que as suas palavras acabam
feliz” “Ay, prometendo são esses dois rapazes”, Oddbjorg admitiu, “se apenas a sua sorte vai durar, mas que eu não vejo
claramente.”não
saber que Saidis falou duramente para ela; mas o outro apenas respondeu: “Eu não tenho falado demais; Eu não acho que seu
amor vai durar muito tempo “Ao ser pressionado ainda mais que ela deixa escapar:‘. Eles virão para buscar vidas uns dos outros’E
assim aconteceu. - Quando Sverri entregues a oração fúnebre sobre seu parente e oponente, o rei Magnus, ele começou assim:
“O homem por cuja Bier estamos agora era um homem corajoso, gracioso aos seus homens, mas parentes não tiveram a sorte de
acordar bem juntos “, e assim por diante,‘com muitas palavras justas, como ele sabia como transformar a maneira como ele o
faria.’é instrutivo ver como este altamente realizado e refletindo struggler Sverri, uma e outra vez em seus esforços calculados
para falar em um tom popular, pode sempre recorrer às velhas idéias; ele próprio é moderna, e propositadamente se junta a sua
causa com o cristianismo e o elemento forte que tem um futuro antes que ele; mas para obter um aperto

152

na mente dos homens, é necessário falar de uma forma popular, ele sabe. E ele entende curvar a fazê-lo.

Para formar um casal feliz, a noiva eo noivo precisa de sorte. Hrut, um islandês de qualidades incomuns e alta extração,
e também um homem de grande visão, era tarde se casar; Um dia, seu amigos propôs um jogo com uma moça de boa
família, chamado Unn. Hrut entraram no plano, mas hesitante, dizendo: “Eu não sei se nós dois terão sorte juntos” Hrut
não sabia na época, que ele iria cair sob o feitiço de uma mulher imperiosa, mas em uma visita para a Noruega encontrou
favor com a rainha-mãe, e sua intimidade amargurado a vida conjugal posterior de Hrut e Unn e finalmente destruiu seu
casamento.

Vilania, o acto e estado do niding, é idêntico com unluck. “Late vontade que passe unluck da minha mente”, diz Bolli
quando Gudrun felicita-o por ter matado seu primo Kjartan; e na Volsungasaga, sinfjötli é insultado com sua carreira
violenta nestas palavras: “Tudo unluck veio em cima de você, você matou seus irmãos.” Surpreendentemente eficaz é a
explosão de sentimento nas palavras de Kalf Arnason após a batalha de Stiklestad. Kalf e seu irmão Finn tinha lutado
em lados opostos na batalha, Finn ser um acérrimo defensor do rei, enquanto Kalf ocupou um lugar de destaque entre
aqueles que trabalharam para a sua queda. Quando a luta acabou, Kalf procurou o campo e ofereceu ajuda para seu
irmão, que jazia gravemente ferido. Mas Finn visando um golpe para ele, chamando-o de um vilão infiel e um traidor de
seu rei. O golpe falhou,

Na saga de Gisli, há uma troca de palavras onde “unluck” e “vilania” são usados ​alternadamente com igual força.
Depois Gisli tinha matado o marido de sua irmã, ele foi caçado de um esconderijo para outro; mas a busca incessante
de seus inimigos foi, durante muito tempo frustrado com sucesso pelos esforços de

153

sua esposa, Aud. Em uma ocasião, quando Eyjolf, que lidera o partido vingar, tenta levá-la a desistir de seu marido, ela
derrama seu desprezo e insulta-lo tão cortante que ele grita: “Mate o cão, apesar de ser uma cadela.” graças a um
homem corajoso do partido, Havard, Eyjolf foi salvo da ignomínia de colocar a mão em uma mulher; em ver Eyjolf
esquecendo-se, Havard exclamou: “Nossa fazendo aqui é uma vergonha o suficiente, sem provocar tal vilania como
este; -se, e não deixá-lo para ela.”Eyjolf agora voltou sua ira sobre seu
amigo, dizendo: “É uma verdadeira palavra: escolher uma empresa mal em casa, e você vai lamentar-lo na estrada.” Mas os
saga prossegue: “Havard foi muito apreciado, e muitos estavam dispostos a segui-lo; Além disso, eles de bom grado salvar Eyjolf
de que unluck “.

Quando vilania é chamado unluck, o último termo não deve ser tomado como uma desculpa; pelo contrário a palavra transmite
uma forte condenação do homem que é denunciado como sendo azarado. Quando o rei Hakon, na condenação mencionado
anteriormente de tomar vingança contra o homem errado, chama tal unluck ato, ele é a escolha do termo muito mais nítida que
ele pode encontrar em seu vocabulário, a palavra que vem mais próximo da idéia de pecado mortal. Unluck é o mal, e um
homem “azar” é o mesmo que um niding, ou em certos casos, um niding potencial. A maneira mais cego de recusar um homem
que apela para amizade, é dizendo: “Você não parece ser um homem de sorte ( úgæfusamligr), e é mais sábio não se
comunicam com você”; estas palavras simplesmente implicam moral, bem como receios prudenciais; para tirar a importação
completa da sentença devemos dar duas representações paralelas: você não tem sorte em suas ações, e não pode trazer
aqueles sobre você que não seja má sorte, - e: você não é para ser confiável, um homem pode esperar nada de você. E mesmo
quando Njal diz de seus filhos que eles não são homens de sorte, a sentença provavelmente tinha naquela época um tom mais
amargo do que agora em vez percebam; isso implica que os jovens querem sagacidade e prudência, e significa também que
eles são falta de auto-controle e contenção moral.

Os sintomas misteriosos de vilania estar no fato de que a sorte ea honra são idênticos. Sorte, é a combinação de Frith
e

154

honra visto do outro lado, e unluck, no velho sentido, é simplesmente o inverso do que o sentimento de parentesco
temos agora aprendi a entender.

É sorte que permite que os homens para manter sua Frith, sua amizade, para manter as suas promessas, e abster-se de
atos desonrosos. Mas a sorte é mais. Ele dá aos homens a vontade de agir moralmente, ou melhor, é moral em si vai.
Quando Hrut expressa suas dúvidas: “Eu não sei se nós dois terão sorte juntos”, ele está pensando em seu poder de ter e
manter o amor mútuo, e sua capacidade de criar Frith em sua casa, tanto quanto do seu poder de curtindo um ao outro e
ter filhos.

Na idéia germânica, a estimativa moral está sempre pronto para subir à superfície; na verdade, para a expressão de
bondade, piedade e retidão, os teutões não tenho palavras melhores do que sorte (Anglo-saxão sælig, gótico Sels e
termos semelhantes), que abraçam a idéia de riqueza e saúde, felicidade e sabedoria. Em períodos linguísticas
posteriores, o lado ético da idéia, muitas vezes torna-se dominante, e determina o uso da palavra em escritos cristãos.
Assim, o gótico Sels e o oposto unséls, são para o tradutor da Bíblia o melhor equivalente para o “bem” e “mal” do Novo
Testamento.
CAPÍTULO V

SORTE é a vida do clã

Sorte, é a expressão máxima e mais profunda do ser humano, e que atinge mais distante. Não podemos ficar atrás dele;
por mais longe que podemos ir para a alma humana, nunca pode obter vista de sorte por trás. Em primeiro lugar, o
sentimento de parentesco é um resultado de sorte, e quando Illwill e vilania irromper, esses transtornos provar que o
coração de que a família está arruinada, e então podemos com certeza absoluta prever que a vilania será seguido por
outros, e o trabalho de que a raça é estéril. Assim, naturalmente, as pessoas argumentaram, no caso de Sigurd Slembi,
quando, depois de ter matado seu irmão, ele reivindicou o título de rei: “Se você é verdadeiramente um filho do rei Magnus,
então o seu nascimento não teve sorte (e iflboding, úgiptusamligr), e, portanto, também ele caiu fora, se você ter
assassinado o seu irmão.”O unluck é de nenhuma maneira uma consequência que vem parando junto na esteira de crimes
ou desonra. A mente germânica realmente conta com o fato de que unluck mais cedo ou mais tarde irá surgir no lugar onde
desonra manifestou sua aparência, pela simples razão de que a concatenação de eventos não era dependente de Deus de
manter um equilíbrio rigoroso. Culpa e retribuição não são ligados por um elo intermediário, que talvez possa ser rompida.

Sorte, então, é o poder que inspira um homem e emana de sua pessoa, enchendo suas palavras e seus atos; que
compreende todas as exigências da família, as suas competências e possibilidades, suas realizações e sua esperança, o
seu gênio e caráter. Sorte contém a própria existência do clã; a família é chamada

156

kynsæll, sorte no parentesco, quando parentes são numerosos e novos membros estão constantemente a ser nascido para
preencher os lugares caindo vago. Em anglo-saxão, a mesma ideia é expressa por
tuddorspéd, o que significa sorte em prole e poder de coesão. Na sorte aí reside, além disso, a existência do ponto de
vista social, a estima para fora em que a família é realizada. parentes prósperas são ditos possuir homem-luck ( mannheill),
isto é, a sorte de ter a amizade e carinho dos outros, e sorte da fama ( orðheill), para que as pessoas falam bem, tanto na
boa vontade e com respeito, deles. Na Anglo-Saxon Gênesis, Deus promete filho de Abraão freondspéd, sorte em amigos,
ou, como poderíamos igualmente bem traduzi-lo, uma riqueza de amigos.

- Finalmente, sorte envolve honra, tanto que brilha no esplendor de renome, e aquilo que está comprimido para uma
potência de tensão na alma humana.

Sorte define seu selo sobre um homem exteriormente. De onde tinha os nórdicos sua agudeza de visão, o que lhes permitiu
apprize um homem de relance? Na primeira reunião que diria qualquer um: ele é uma sorte promissor homem e honra ( sæmligir
e hamingjusamligr), uma sorte é de se esperar de ( giptuvænligr), ou: ele traz a marca do unluck ( úgiptubragð). Em parte, a
força da intuição, como dizemos - ou, como os antigos colocá-lo, porque a mente do espectador disse a ele o que pensar do
estranho, - mas em parte em critérios externos; sorte manifestou-se abertamente no semblante, a marcha, o comportamento
do recém-chegado, tendo, e não menos em sua aparência bem nutrido, sua saúde, seu vestido, e suas armas. Apenas uma
família de riqueza e de velocidade é capaz de enviar seu filhote com roupas multicoloridas e com um machado esplêndido,
uma “herança” de uma arma.
Quando os filhos de Njal com seus amigos fizeram o seu rodada famoso dos estandes na Al-coisa para reunir apoiantes
para a ação decisiva, Skarphedin conseguiu abafar o ágio aurora de um grande homem após o outro, porque ele não pôde
reprimir seu sorriso irônico e amargo palavras de escárnio. O chefe afiado-avistados Snorri Godi descobriu o segredo do
fracasso de Skarphedin quando ele disse: “Doughty você olhar, Skarphedin, mas a sua sorte

157

. Está perto de seu fim, e eu acho que você tem, mas pouco de vida restante”Às vezes anteriores, quando as palavras ainda
manteve sua força original, a desgraça de um homem foi contido na única frase: sorte o abandonou.

Esta sorte - ou em outra palavra, hamingja - compreende tudo, corpo e alma, que compunham a humanidade de um
homem; e recolher o valor integral do termo, devemos ter em mente que este hamingja constitui um todo, homogênea por
toda parte. Embora possa se manifestar de diferentes formas, de acordo como ele faz o seu caminho para fora através dos
olhos, mãos, cabeça, através de gado ou armas, é um e indissolúvel. Atrás do homem visível, ou mais corretamente, atrás
do círculo visível de parentes, há uma soma espiritual da força, da qual os parentes são representantes. Em uma prova de
força, todo o hamingja está em jogo, e no resultado, verifica-se, seja mais forte e mais bonito em todos os seus membros,
ou paralisada por toda parte.

É esta força compacta que torna a sorte do rei tão invencível aos homens comuns. “Você não tem sorte para medir-se contra o
rei,” pode-se dizer; e isso significa, você não tem parentes suficiente, não sagacidade, coragem, guerra-velocidade suficiente;
seu poder para a vitória é muito ligeira, o seu dom da fertilidade muito fraco. Enquanto você dorme, hamingja do rei terá seu
por surpresa, cegar-lo e confundi-lo; sua hamingja vai colocar-se contra o seu na mente de outros homens e aleijar-lo, e antes
de vir para se enfrentam em luta aberta, você será um homem paralítico. Os nórdicos têm uma expressão, etja hamingju, literalmente,
para exortar sorte com um homem, como se poderia pedir um cavalo com ele, que fique um garanhão guerra morder e
experimentar a sua força contra o seu. De fato, cada prova de força entre os homens houve contenda entre duas potências de
sorte, um conflito espiritual. O resultado da luta dependia em grande medida sobre a rapidez e agilidade do homem, assim
como a sorte de um cavalo dependia da habilidade de seu dono para apoiá-lo e exortá-lo em; mas ainda havia algo mais forte
que encheu a cena, a luta entre os combatentes era apenas parte de uma competição travada em um maior campo de batalha
por poderes que nunca dormem.

“Você não tem sorte para medir-se contra o rei,”

158

disse Kveldulf a seu filho Thorolf, quando as relações entre o rei e o jovem chefe atraiu cada vez mais perto a um conflito
aberto. Mas muito antes que o tempo, o velho havia alertado seus filhos contra ter nada a ver com Harald:

“Minha mente me diz que parentes não vai ter sorte com este rei, e eu não se sairá ao encontro com ele.” A saga permite
que o irmão de Thorolf fazer uso da mesma expressão em sua explicação para o Rei, quando este é metade forçando-o a
seu serviço: “Thorolf era um homem muito mais notável do que eu, e ele não teve sorte para atendê-lo. Eu não irá
atendê-lo, pois sei
que eu não tenho sorte para render-lhe tal serviço como eu deveria desejar, e como pode ser justamente o esperado.”O
fato era que essas grandes yeomen não tinha a aptidão para tal posição, ou, o que vem a dar no mesmo, eles não tinha a
vontade de se adaptar a ele.

E aqui chegamos a uma peculiaridade profundamente enraizada na psicologia do personagem antiga. A ideia de que, se
um, mas sinceramente quer, então o poder virá, ou vice-versa, que o poder talvez possa estar lá, mas o vai faltar, não
tinha validade para o Northman. Todas as suas peculiaridades foram devido à natureza da sua sorte; obstinação, bem
como coragem, orgulho, bem como inclinação para servir o maior homem, violência e intratabilidade, bem como destemor.
Sorte é a natureza da mente, o caráter e vontade. Com as nossas ideias quanto aos efeitos recíprocos de desejo e
vontade, temos de novo e de novo nestas sagas antigas encontrar-nos face a face com enigmas insolúveis. Muitas vezes
parece como se os homens de bom grado renunciar empresas destrutivas, como se de bom grado limpar mal-entendidos
e inimizade, mas algo invisível leva seus esforços para perder a marca. Podemos dizer: eles não podem porque eles não
vão, ou eles não vão, porque eles não são capazes, por ambas as frases são igualmente verdadeiras. Quando nós, viz, que
será o seu próprio destino. É a vontade neles que os obriga-se contra o desejo e cálculo e traz os seus planos mais
graves a nada, porque a vontade tem a sua natureza, e não pode agir além

159

os limites desenhados para ele por seu próprio caráter. A sorte dos Sons do Kveldulf era uma vez por todas de tal
natureza que não poderia encaixar com o rei da; e, portanto, era melhor mantê-los separados. Não era tanto a diferença
de força que determinou as relações dos homens uns com os outros no mundo, mas bastante tanto a dissimilaridade de
caráter entre eles.

A sorte do cacique era de um volume muito diferente daquele do camponês. “Você é rico na sorte” (lit. sua sorte vai um
longo caminho), “e tudo acaba bem na sua mão”, diz Sæmund caracteristicamente ao velho Vatsdoela magnata
Ingimund, quando ele mesmo já não pode gerenciar seu parente teimoso Hrolleif e implora Ingimund para recebê-lo. O
segredo do poder do chefe de alcançar as mentiras impossíveis, no entanto, não na maior parte de sua sorte, mas em
seu caráter distintivo.

Esta peculiaridade de sorte constitui o fundamento natural da autoridade de um rei germânica e influência. Ele tem muito pouco
poder formal, ou quase nenhuma; se os homens irão obedecer aos seus mandamentos ou não depende de sua inclinação no
momento.

Os sulistas observado a anarquia que se exibido nas hostes germânicas, e deu-se toda tentativa de encontrar algum
sentido comum em princípios monárquicos os Teutões. Estes bárbaros, dizem os autores clássicos, mostram nenhum
respeito ao seu príncipe, que não saudá-lo; se a decisão do rei desagradar-los, então eles cercam sua tenda e forçá-lo com
gritos de alterar seus planos; eles trazem assuntos a guerra onde ele deseja a paz, e paz quando ele deseja a guerra; pode
acontecer, que em um ataque de insatisfação com ele, eles simplesmente expulsá-lo. - Por trás das palavras dos romanos
parece que estamos a travar uma pergunta irônica: o que diabos fazer tais criaturas quiser com um rei em tudo? Não temos
razão para desacreditar as observações de
nossas autoridades; eles são em sua maior parte feito com a inteligência que vem de uma mente culta, e com interesse
atento da mente cultivadas em bárbaros pressionando cada vez mais estreita nas fronteiras da civilização. É um outro
assunto, que o observador só vi os movimentos externos, e por sua própria cultura foi impedido de perceber o sistema
nervoso que os produziu. Estas declarações deve estar em alguma relação

160

ou outro ao fato de não menos inegável que as famílias reais germânicas possuía uma resistência notável. Encontramos
tribos deriva moda vagabundo sobre sobre a maior parte da Europa, agora lutando por suas vidas, agora sentado
confortavelmente à vontade em território conquistado, mas sempre, século após século, sob a mesma raça dos reis.

Procópio dá uma narrativa inestimável de experiências irregulares o Herules' no reinado, em que tanto a parte da frente e
o inverso de lealdade bárbaro estão retratados com a avidez de caricatura. O Herules, diz ele, um dia teve a idéia de
tentar o que era como viver sem um rei; por conseguinte, eles levaram a sua única personagem real eo matou. Mal eles
provaram a doçura da liberdade, no entanto, que eles descobriram que ele não concordava com eles. Lamentando o que
tinham feito, e sentir que eles devem voltar ao antigo estado de coisas a qualquer custo, eles enviaram uma embaixada
dos países do Mediterrâneo para o norte, para buscar-lhes rei do estoque antigo. Os embaixadores vão trapesing pela
Europa, e encontrar um príncipe na Escandinávia; Infelizmente, ele morre entre os seus dedos no caminho. impávido, que
voltaram para uma nova amostra, que eles conseguem levar com segurança até o sul. Enquanto isso, os outros em casa,
ter tempo de sobra para refletir, tomou-o em suas cabeças que em questão de tal importância que seria errado não
consultar Justiniano; e com certeza o suficiente, o imperador passou a conhecer um Herule nativa vivendo na corte de
Bizâncio, a quem ele podia-portanto, recomendo. Mas, assim como tudo está indo bem, vem uma mensagem para o efeito
que o escandinavo requisitado anteriormente está a caminho. O Herules, tendo colocado Justiniano e seus bons homens
para tal inconveniente, não pode fazer nada menos do que mostrar-se digno da confiança depositada neles; eles seguem
sua régua com entusiasmo no campo, pronto para colocar o final de canto para a direita sobre. Infelizmente, eles têm uma
noite tranquila para pensar questões sobre,

A história mais curiosa, este, mas um com o carimbo de

161

verossimilhança. Tais personagens caleidoscópicas são apenas para ser igualada nas contas dadas pelos europeus do
que eles próprios têm visto entre povos selvagens e bárbaros. A analogia com as pesquisas de etnólogos modernos
aumenta a probabilidade de que Procópio é meramente relativo fatos notórios simples, mas essa comparação também
sugere a possibilidade de que Procópio perdeu algum princípio oculto guiando os atos dos bárbaros. A explicação está,
em parte, nas relações políticas entre a Herules eo imperador de Bizâncio, em parte, e principalmente, na dependência
espiritual do povo sobre o rei direita; rei pela graça de Deus, como poderíamos dizer, ou pela graça de sorte, como o
Herules poderia ter dito. Jordanes formulou o princípio monárquico em sua forma simples, medieval:
Na Suécia, o rei e seu povo viveu uma vida aberta e honesta juntos, sem quaisquer ilusões. O parágrafo fundamental
na parte da lei Westgöta tratamento dos direitos e deveres do rei, corre: Os suecos superior são para levar o rei e para
expulsá-lo. E se compararmos esta máxima grávida com a descrição dada pelo historiador Snorri da coisa-reunião em
Upsala, podemos encontrar aqui uma ilustração histórica poderosa da regra. Nesta ocasião, Thorgny o Lawman aborda
o rei zangado como se segue: “Agora nós Yeomen vontade que você concorda com Olaf o grosso e casar com sua filha
para ele.

Mas se você não vai tê-lo como dizemos, então vamos todos ir contra você e te matar, e não sofrem você perturbar a lei
ea paz da terra. Assim, os nossos antepassados ​fizeram outrora; eles abatida cinco reis em um bem, porque eles estavam
inchados de orgulho arrogante, como está agora a nós. Escolha termos, de uma vez que você vai “.

Não há nada muito esplêndida sobre um royalty cujo representante deve sofrer uma tal forma de endereço. Mas quando
o homem da lei dá precedente histórico para tal obediência por parte do rei, ele é involuntariamente apresentando a
relação entre o rei e as pessoas de outro lado. Thorgny dá rei Olaf de

162

entender que tipo de antepassados ​eram dele, homens que foram a cada verão para fora em incursões e subjugadas as terras orientais: as fortalezas de barro
levantaram sobre na Finlândia, Esthonia e Curlândia estão ainda a ser visto; estes heróis, continua ele, não eram orgulhosos demais para ouvir os conselhos de
outros homens. Thorgny é perfeitamente certo. Mas se o miserável Olaf da Suécia tinha tomado depois que seus ancestrais, ele poderia seguramente ter pedido
conselhos de outros homens, sem medo de ser forçado a uma paz que foi contra a sua vontade. Infelizmente, sabemos pouco mais sobre estes antepassados ​de
Olaf de que Thorgny aqui nos diz; assim muito, no entanto, é bastante certo: não foram os camponeses que planejaram essas incursões e ravagings fora do país;
era o rei. Eric, o Vitorioso, Bjorn, e esses governantes conquista da Suécia que eles foram chamados, ganhou tanto honra e proveito das guerras; os camponeses,
sem dúvida, tem a sua quota de honra, e possivelmente também a sua parte do espólio, mas as vantagens de aquisições territoriais nunca pode ser tão
plenamente exploradas no trabalho de uma fazenda que puderem na corte do rei. O rei negligenciou nada de seu trabalho em casa por estar longe em
expedições, mas os camponeses poderia muito bem ter bastante trabalho próprio para mantê-los ocupados durante o verão. Pode ser, então, que outros homens
ouviu bem o suficiente e de boa vontade o suficiente para que aqueles reis disse. O rei negligenciou nada de seu trabalho em casa por estar longe em expedições,
mas os camponeses poderia muito bem ter bastante trabalho próprio para mantê-los ocupados durante o verão. Pode ser, então, que outros homens ouviu bem o
suficiente e de boa vontade o suficiente para que aqueles reis disse. O rei negligenciou nada de seu trabalho em casa por estar longe em expedições, mas os
camponeses poderia muito bem ter bastante trabalho próprio para mantê-los ocupados durante o verão. Pode ser, então, que outros homens ouviu bem o
suficiente e de boa vontade o suficiente para que aqueles reis disse.

Esta prova de força entre o porta-voz dos camponeses eo rei Upsala sobe para a posição de um símbolo do reinado
germânico, no qual a sua força peculiar e sua fraqueza peculiar são cada bem definida. Aqui, como em todos os lugares
entre os povos. do Norte, é iniciativa do rei que fornece em presas para as pessoas. Ele se levanta, e não para o olho do
cronista alienígena sozinho, como o conquistador, de quem emanam planos ,. e emanar sob a forma de comandos. Ele
comanda, mas ele não tem nada além do que deve chamar a sua personalidade para confiar para a execução dos seus
comandos. Não há estatutos, há prerrogativas reais para apoiá-lo quando ele começa a mostrar-se “redeless”. Todo o
seu poder reside no aperto firme de sorte superior; se isso falhar, mas um momento, então as pessoas vêm para a frente
com a sua:
163

e há pouco, em seguida, que o rei pode fazer isso não irá, naturalmente, ser incluídos sob o título de injustiça. Mas,
enquanto os planos do rei são apresentadas 'com a eficácia de sorte, os homens vão seguir a sua chamada, realizar seus
planos, apresentar sem protesto audível para arbitrariedades e interferência com as suas liberdades. Depois, há pouco
que não podem ser incluídos sob o título de “lei” ou justiça.

Num relance apressado, pode parecer como se o poder real foram algo flutuando livremente ao longo da vida das pessoas.
E, no entanto a verdade é que a monarquia é uma instituição que há revoluções, muito menos fantasias momentâneas, pode
abalar. Aquele que está sentado no assento do rei tem em seu poder para tornar-se o Estado, e, por outro lado, ele pode
tornar-se uma sombra impotente do estado; mas ele não pode apagar-se. Embora os direitos podem aumentar e diminuir, a
chefia permanece firme, porque a uma família representada pelo rei ou o chefe, possui uma sorte de caráter completamente
notório, não só mais forte e mais múltiplas, mas em sua essência fundamentalmente diferente da de todos os outros .

Quando o povo varrer o rei de lado, então a razão é que eles sentem o declínio de sua “velocidade”, o seu poder para a vitória,
mas a própria sorte, que a sorte da família a partir do qual sua influência pessoal brota, é uma coisa que eles não podem fazer
sem. Eles sabem que há perigo na empurrando-o para fora: ele tem algo peculiar nele que não pode ser encontrado em qualquer
outro lugar na terra, uma sorte para que eles confiam, e que com uma fé profundamente enraizada para baixo nos estratos
inferiores, onde não mentem única coragem vital mas o medo vital. O titular individual do título pode degenerar - mas o povo da
terra irá manter a sua estoque, no entanto. Eles devem ter um representante da hamingja superlativo com eles na luta, ou toda a
sua coragem será em vão. Uma criança pode realizar mais do que uma série de guerreiros corajosos e habilidosos. Little King
Ingi, pobre criança, estava na idade de dois envolto em uma dobra da capa de Thjostolf Mason, e levado sob a bandeira na linha
de frente dessa batalha que viria a decidir o seu direito a Noruega. A sorte estava evidentemente nele, para os homens
carregando-o no meio deles ganhou o dia; mas era muito

164

frágil para suportar todos os golpes duros; suas pernas e costas nunca soar depois.

Da mesma forma o franco rainha Fredegunda usado seu filho pequeno Chlotar como um escudo contra o infortúnio. Ela
tinha tido seu marido Chilperich mortos, a fim de definir o seu filho em seu lugar. Agora o vingador vem sobre ela, na pessoa
do sobrinho de Chilperich com numerosos aliados. Fredegunda apostou tudo em um único lance, arriscou um ataque ao
amanhecer, e ganhou a vitória; mas na verdade ela se teve realizadas pouco Chlotar em seu braço no meio do exército
durante a batalha.

Mas, em enfatizando assim a posição peculiar de sorte do rei, nós, os modernos, cujos pensamentos sempre se agrupam em
categorias, invariavelmente agrupar os reis teutões juntos como uma espécie, e registrar a sorte do rei como um item na cultura
germânica e, assim, podemos perder de vista do verdadeiro segredo que a sorte de cada rei era uma coisa para além de tudo o mais, e
devido a sua influência para os poderes individuais do seu próprio.

A história da realeza norueguesa, seus séculos de conflito com a velha chefia, como representado pelo “hersirs” ou
pequenos reis, pode servir como uma grande ilustração da individualidade de sorte do rei. Os reis da Noruega foram
famoso por seu poder e autoridade. Olaf Tryggvason governado, aparentemente, como um déspota constituiu-sell: ele
“forçado Noruega
Cristandade"; Aqueles que não como ele quis, ele mutilados, mortos ou enviados de cabeça para fora do país; ser
poderá definir o estranho expedição contra os Vends seguidos pelos chefes da Noruega e as suas frotas. Mas nas
sagas, Olaf não significa sempre aparece como triunfando sobre a vontade do povo e seus líderes.

Assim que os empreendimentos rei em países não no sentido mais estrito seu por herança, os chefes locais sair contra ele
como seus iguais, e oferecer condições. Quando Olaf Tryggvason aparece no Gula-coisa com a sua proposta para a
conversão, ele é dado esta resposta por Olmod Velho: “Se é a sua mente para nos forçar, e de usurpar nossa lei ( Eu. e. o
estado de direito em que vivemos) e fazer-nos sujeitos a você, então vamos resistir com toda nossa força, e deixar a vitória
decidir. Mas se você vai fazer valer a pena

165

enquanto para nós parentes, então você pode ganhar nossos serviços.”Eles preço sua lealdade a nada menos do que
uma aliança matrimonial com a casa da Noruega, e exigir a irmã do rei por seu parente Erling Skjalgson. E o rei de uma
só vez vê a honra de uma tal proposta. Olaf, em seguida, detém outra reunião com os camponeses para discutir a
questão da religião, e quando Olmod e Erling Skjalgson, novo irmão-de-lei de Olaf, com todo o círculo de seus parentes,
apoiar a proposta do rei, “ninguém se atreveu a falar contra -lo, e todas as pessoas foram feitas cristãos “foi nesta ocasião
que Erling Skjalgson recusou a oferta de um condado com as famosas palavras:‘Meus parentes foram hersirs’- Mais tarde,
Olaf de Saint foi igualmente obrigado a vir para.. um acordo com Erling,

O que vemos aqui é a prova de força entre os antigos reinos insignificantes e a nova soberania do país como um todo. E
os pequenos príncipes são, onde estão em seu próprio terreno, o mais forte. O povo seguiu-os, como parece, às cegas
“desejando que nenhuma outra coisa do que disse”, definindo seus ombros firmemente às demandas apresentadas pela
chefe, e, muitas vezes, na verdade, mantendo-os - para os homens fizeram o que fizeram na íntegra confiança na sorte
que inspirou seu chefe. Os yeomen confiável para sua sorte, porque havia sentido sua força em si mesmos. Estes
príncipes pertencia a uma raça que tinha para geração após geração formada no centro da vida de seu distrito; a família
tinha tido sorte e riqueza suficiente para levar até aventureiros solitários e dar-lhes um lugar em sua placa, e inspirá-los
com força para lutar suas batalhas; ele tinha poder suficiente para irradiar sorte sobre aqueles que cultivavam o solo e
conduzidos gado por conta própria. Fertilidade e amadurecimento escorria de seus campos para os dos outros, na esteira
desses parentes outros poderiam navegar com um vento cheio, na força destes homens nobres que conquistaram, em
sua sorte e sabedoria que foram acordados. O hersir não mais era um governante despótico do que era o rei do país,
talvez até menos;

166

ele tinha, mas pouco poder de comandar. Mas, na verdade, ele era mais poderoso do que um déspota. A sorte de sua
raça foi entrelaçada com as ações mais comuns das outras famílias, em suas ocupações pacíficas e suas brigas
internas. Ele julgou entre eles, e que ele poderia fazê-lo, porque a palavra tradicional da lei e seu espírito eram uma
força viva dentro dele. Ele era a personificação do espírito social, podemos dizer; mas sentimos agora claramente que
esta fórmula moderna é muito fiat para abarcar toda a sua influência; deve
ser substituído pelo velho ditado: ele tinha direito velocidades nele. Ele foi objeto de uma dependência tão profunda que jazia
enraizada no sell-suficiência de seus dependentes.

Harald Fairhair tinha feito Noruega um reino, e conquistou os príncipes locais. Mas para esmagá-los era mais do que ele ou
seus sucessores poderia fazer; a sorte dos usurpadores nem sequer ter sucesso na perfuração através daquela dos hersirs, de
modo a encontrar raiz no próprio povo. A velha relação entre os moradores e seus chefes era uma coisa que os sucessores de
Harald teve que deixar intocada, para que, na realidade, na medida em que considerava uma grande parte da Noruega, que
governou apenas indiretamente. Por um longo tempo Noruega continuou a ser um conjunto de terras, e os “povos” manteve o
velho relações sexuais com seus chefes, e só através deles o fizeram entrar em contacto com o soberano. Novamente e
novamente nós encontramos um toque de algo estranho, mesmo de indiferença, na sua atitude para com o rei “Outland”. O que
era ele para os camponeses? Eles não podiam sentir sua sorte movendo o chão sob eles, enquanto a sorte de seu hersir
manifestou-se em suas colheitas.

Não é fácil exagerar o sentimento de independência nas terras e os povos debaixo de Harald e sua dinastia, até o período
das grandes lutas para o trono. Mas quanto mais nós enfatizamos que, o mais aguçada a luz que jogar assim no poder de
um rei como Olaf Tryggvason. Sua marcha vitoriosa através da Noruega e sua expedição para Vendland para garantir o
dote de sua rainha aparecer em sua verdadeira magnificência contra esse pano de fundo. Diferente, mas não menos
visivelmente, o puissance do monarca revela-se na batalha de Stikle-

167

Stad, em que a soberania, apesar da queda do rei, apesar da vitória dos camponeses, celebra sua apoteose.
Comparando este encontro entre chefes e rei com essa outra cena entre Olaf Tryggvason e Erling no Gulathing, não
podemos deixar de ver que o status político da Noruega está mudando; o grande evento não é para ser entendido sem
levar em conta o crescimento do poder real sob a influência da história europeia. Mas a superioridade do Olaf é de muito
maior peso do que qualquer geração podem acumular-se, embora, com a pressa de um período de transição, revolução
pilha em cima revolução. Para ser firmemente estabelecida, a interpretação histórica desses anos, deve ser baseada em
uma compreensão solidária de veneração instintiva do povo para a sorte do soberano, e o soberano' é irrefletida
confiança em sua própria sorte. Através da interação entre essas tendências e idéias religiosas e políticas que vêm do
exterior, Noruega. cresce a partir de um reino Teutonic em um estado medieval e cristã. A morte de Olaf constitui um
ponto de viragem na história norueguesa, porque todas as correntes da época, nacional, bem como cosmo-política,
encontrar sua confluência no Olaf e levantá-lo em Santidade real.

A descrição de Snorri Sturluson do conflito entre o OLAF e os camponeses é uma contrapartida digna para sua imagem da
cena em Westfold. As palavras e os acontecimentos daqueles dias memoráveis ​têm um peso que vai muito para além do
momento, como se as grandes potências que carregam história em diante foram aqui encontrar expressão através de
homens e massas de homens. A descrição combina verdade interior, como só poderia ser solicitado pela intimidade
espiritual, com exatidão nos fatos externos, como única um relatório fiel pode preservar. A primeira coisa que nos
impressiona é a impotência completa dos camponeses e seus líderes; os homens correm aqui e ali, questionando,
desastrado, nenhum dos chefes ousa assumir a liderança, uma empurra a responsabilidade sobre o outro. O partido de
Olaf, na outra banda, tem todo o selo de calma, confiante de espera, ordem e sentido de unidade. Olaf possui essa
inspiração unificadora que carrega todo o exército em um aperto elástico, os chefes opostas são carentes de
168

garantia, e sentir sua fraqueza aguda. No exército dos camponeses, o fluxo de sorte ameaça cada momento para chegar a
um fim. Individualmente, cada um dos chefes mesquinhos pode ser mais forte do que o rei, mas juntos, eles não podem
prevalecer contra ele. Em casa, em seus distritos eles são iguais a qualquer coisa, mas eles contam por muito pouco fora.
Aqui o segredo da descida de Olaf vem à luz; a sorte do soberano tinha uma extensa caráter tal que possa irradiar-se
sobre toda a Noruega e poderia ser distribuído entre um exército inteiro sem vazando. A sorte de Olaf não estava
dependente de um determinado solo ou um corpo individual dos homens, mas poderia ser vitorioso onde quer que o rei
mostrou-se.

Parece uma contradição que a sorte do rei deve abarcar toda a Noruega, mas de repente perde sua força quando aplicado a um distrito limitado. Mas a
contradição só existe para nós, que julgam as duas sortes de acordo com força, e não vê que a diferença decisiva reside na sua personagem. A sorte do 'chefe
local era absoluta, mas só poderia responder à alma do vale, o distrito, e as pessoas; ele pode, é claro, também se estendem às áreas de pesca fora do território
da aldeia, ou expedições marítimas realizadas pelos próprios moradores; mas, a fim de cobrir outras terras e outras comunidades que teve primeiro a sofrer uma
transformação através da elaboração do poder estranho em si mesmo e assimilar isso. Toda a sorte está do seu próprio tipo. Para sair pesca com um criador de
gado' s especial sorte daria o mesmo resultado que se tentou capturar bacalhau com um arado; para governar e dar fertilidade no Oriente com uma sorte que
pertencia ao Ocidente não era menos às avessas; para defender ou conquistar a Noruega solicitou a sorte de um Harald. Earl Hakon, de uma ação poderosa
residente em Hladi, perto Drontheim, no final do século X, tinha, quando a dinastia de Harald estava em declínio, conseguiu usurpar o reinado da Noruega, e ele
usou seu poder com uma grande quantidade de insolência e arrogante, o que exasperou o povo. Seu domínio sobre a Noruega era inseguro, porque dependia de
sua perspicácia pessoal e força de caráter; mas apesar de todos inclinação para revolta, os noruegueses foram, no entanto, praticamente forçado para governar e
dar fertilidade no Oriente com uma sorte que pertencia ao Ocidente não era menos às avessas; para defender ou conquistar a Noruega solicitou a sorte de um
Harald. Earl Hakon, de uma ação poderosa residente em Hladi, perto Drontheim, no final do século X, tinha, quando a dinastia de Harald estava em declínio,
conseguiu usurpar o reinado da Noruega, e ele usou seu poder com uma grande quantidade de insolência e arrogante, o que exasperou o povo. Seu domínio
sobre a Noruega era inseguro, porque dependia de sua perspicácia pessoal e força de caráter; mas apesar de todos inclinação para revolta, os noruegueses
foram, no entanto, praticamente forçado para governar e dar fertilidade no Oriente com uma sorte que pertencia ao Ocidente não era menos às avessas; para
defender ou conquistar a Noruega solicitou a sorte de um Harald. Earl Hakon, de uma ação poderosa residente em Hladi, perto Drontheim, no final do século X,
tinha, quando a dinastia de Harald estava em declínio, conseguiu usurpar o reinado da Noruega, e ele usou seu poder com uma grande quantidade de insolência e arrogante, o que exasperou o po

169

para esperar a hora em que Olaf Tryggvason montou a sua sorte como um adversário digno ao dos condes de Hladi. Quando Olaf veio para a Noruega, foi
recebido, a saga diz, pelos camponeses com estas palavras: “... nós pensamos que, após a luta com os vikings Jomsburg, que nenhum cacique poderia comparar
com Earl Hakon na guerra velocidades e muitos outras qualidades que ele tinha que fazer dele um chefe; mas ... todos são agora crescido tão cansado de sua
insolência, que ele deve perder tanto reino ea vida assim que encontrá-lo. Acreditamos que isso vai acontecer com a sua ajuda e sorte, um homem de sorte como
você é que tem um porão de seu filho Erlend na primeira tentativa. Por isso, peço-vos ser líder para este alojamento “na frase:‘ acreditamos que isso vai acontecer
com a sua ajuda e sorte,’todos nós podemos, mas ler a explicação de um século ou mais da história da Noruega. E se quisermos determinar mais precisamente o
que constitui a sorte da casa de Harald, não temos nada a dizer, mas isto: A hamingja de um rei norueguês consiste em ser rei da Noruega, capaz de se sentar
agora em Viken, agora em Drontheim, capaz de alcançar a vitória com um exército de guerreiros Drontheim, bem como com um exército de guerreiros Viken,
capaz de marchar sobre a Noruega de um direito-lado para o outro em um tipo de conquista pacífica, como seu antepassado fez uma vez em pleno guerreira sério,
quando ele quebrou os pequenos reis à sua vontade. E a única explicação desta sorte é a história contando como Harald criou e seus filhos mantidos-lo. capaz de
ganhar a vitória com um exército de guerreiros Drontheim, bem como com um exército de guerreiros Viken, capaz de marchar sobre a Noruega de um direito-lado
para o outro em um tipo de conquista pacífica, como seu antepassado fez uma vez para valer guerreira cheia, quando ele quebrou os pequenos reis à sua
vontade. E a única explicação desta sorte é a história contando como Harald criou e seus filhos mantidos-lo. capaz de ganhar a vitória com um exército de
guerreiros Drontheim, bem como com um exército de guerreiros Viken, capaz de marchar sobre a Noruega de um direito-lado para o outro em um tipo de conquista
pacífica, como seu antepassado fez uma vez para valer guerreira cheia, quando ele quebrou os pequenos reis à sua vontade. E a única explicação desta sorte é a
história contando como Harald criou e seus filhos mantidos-lo.

Esta fé na sorte indivíduo como algo que é ao mesmo tempo uma vontade e um impulso, uma necessidade e um talento,
aparece com esplendor peculiar no último grande representante dessa dinastia. Sverri, o sacerdote desconhecido do Faroes,
teve uma briga de casal ao salário, quando desembarcou na Noruega para reivindicar a coroa em sua pretensão infundadas que
ele era descendente através
seu pai, Sigurd Mund, de Harald Fairhair. A fé submissa que saiu para cada pretendente se ele só poderia declarar-se um
descendente de Harald, teve, neste caso, a ser construída entre o povo pelo próprio usurpador. Por suas vitórias, ele teve
que criar, camada por camada, uma convicção nas mentes do hesitante que a sorte que manteve ele deve ser o decisivo,
Olaf própria. Seu gênio é mostrado no fato

170

que por todos os meios de eloqüência, artifícios, dolo, ou melhor, o engano, consegue forçar o testemunho de fatos tão longe
até seu próprio lado quanto possível, e martelar-o firmemente na mente das pessoas. E esta luta espiritual é o mais
impressionante, na medida em que se trata nunca mais claramente à consciência, mas é travada entre os sentimentos
instintivos do rei, bem como nas pessoas. Se Sverri se acreditava na sorte tradicional, ou só trabalhou na crença potencial
que ele sabia que estava dormente nas pessoas, é uma pergunta ociosa. Na história de cada fé chega um momento em que
ele pode ser usado como uma arma por personagens fortes, como fazem questão de visão suficiente em si não deve ser
restringida para baixo por suas limitações; o segredo de sua influência reside no fato de que eles são capazes de superar
seus semelhantes em seu raciocínio e, ao mesmo tempo tirar força de uma crença de que é tão instintiva e positivo em seu
caminho como a confiança cega da massa. Tal homem foi Sverri.

Sverri é o personagem mais interessante na história da Noruega, porque ele traduz a velha idéia de sorte do rei em
teorias modernas dos direitos e da natureza da realeza. Seu caráter como o porta-voz de uma era de transição revela-se
no contraste entre seus raciocínios explícitos e sua lógica subjacente. Assim que ele sai para justificar suas
reivindicações, ele deriva em uma interpretação dos Salmos de Davi como predições proféticas de seu próprio destino;
ele se chama o mensageiro de Deus, enviado para derrubar os insolents que se sentado no trono sem ser real nascido;
é apenas na teoria da predestinação eterna do rei em conselho de Deus, seu chamado e sua obrigação de atender a
chamada, sua perspectiva de ter um dia de prestar contas a Deus pelo talento que lhe foi confiada, que ele encontra
posição som, para si mesmo. Mas por trás dessa teorização, há a convicção de que cada possuidor de sorte do rei tem,
não o direito, mas o dever de exigir sua parte da realeza, e que tudo bem e direito na terra deve dar lugar a necessidade
do real de nascidos regra. “A lei de Olaf” é o símbolo de suas pretensões régias. Em outras palavras, a vida de Sverri
ainda centra sobre a presunção de que existe em cada descendente de Harald ou Olaf um poder que o obriga a ser rei
de

171

Noruega ou morrer. nascimento real não é uma vontade ou um dever, nem é uma vontade e um dever, mas ao mesmo tempo um dever com
a elasticidade da vontade nela, e uma vontade com a inclemência de um dever. Kingly nascimento é uma natureza essencialmente como
urgente como a que obriga uma planta para fixar suas raízes na terra, salvar que a planta pode cumprir o seu destino em muitos tipos de
solo, enquanto que a sorte sabe, mas um lugar para viver. O real vai, de acordo com Sverri, não pode ser imaginado salvar como o
resultado de um poder que strews real acções sobre isso, ações de dimensões soberanos, que não pode ser realizada por qualquer mas a
um, o descendente de Harald.

O padre das Ilhas Faroé forçou as pessoas a dizer: “Sverri é rápido de humor, Sverri é um conquistador”, e em troca a parte
contrária não poderia dizer: “muitos são rápidos de inteligência, muitos são vencedores”, eles tiveram a cair de volta em uma
denúncia de sua religião, dizendo: “é pelo poder do diabo que ele estabelece seus planos e luta suas batalhas.”
reinado de Harald nos mostra a essência da sorte e suas qualidades, enfatizou, à luz da história, a sua individualidade
absoluta, que não pode ser explicado, ou caracterizada, excepto em herança; o que temos derivado de nossos parentes de
idade; o que eles tinham poder de ser e de fazer. A diferença entre ricos e pobres consistiu, não no fato de que o último
tinha sido dado apenas uma pequena soma de sorte, mas que a sua sorte era pobre e inelástica, com poucas
possibilidades, e aqueles limitado e fraco. A sorte de um yeoman bem-to-do estava como ele próprio, amplo e seguro, rico
em gado e culturas, brilhando com roupas esplêndidas e armas; a do chefe acrescentou presente decisão a autoridade
maior, o amor de magnificência, o poder de conquista. Mas isso não nos dá o ponto essencial, a saber, que a sorte de cada
yeoman, cada chefe, era um personagem, com suas peculiaridades, sua força e fraqueza, suas excentricidades, e
vinculado ao longo de uma determinada propriedade. Mais uma vez, temos de descartar a forma singular, com sua
suposição tácita da comunidade nas coisas humanas, e em vez de sorte, usar o plural sortes de formulário, a fim de
enfatizar o fato de que esses personagens não são emanações de qualquer princípio primordial.

Ou, podemos, em lugar da palavra herança, defina a palavra

172

honra. Em honra, temos claramente que a sorte pode e deve ser capaz de efetuar, a fim de manter-se. A família tem
derivado sua fama de seus antepassados, a partir deles tem seus ideais, o padrão de todo o comportamento: como
ousada, ativa, firme, nobre, irreconciliáveis, generoso, que sorte em gado, em culturas, na vela, os parentes são ser estar.
A partir deles, também, a família herdou essa parte de sorte que é chamado de amizade e inimizade. Honra, e com isso
sorte, constitui, como já dissemos, uma imagem do mundo da família. Na qualidade de estima e posição social, contém
símbolos do entorno da família, vistos como personificações de amizade e ódio das parentes, sua condescendência e
dependência. Mas essas personificações não são tipos enfadonhos, assemelham-se até o último grau os inimigos e
amigos da família. A sorte reproduz as características bem definidas do seu ambiente.

A sentença, que kinskip é idêntico com a humanidade, que à primeira vista parecia uma metáfora útil, agora revelou-se como
nada mais que a verdade literal. Tudo o que encontramos em um ser humano tem o carimbo de parentesco. Em meras
aparências, um homem pode encontrar nenhum lugar no mundo, salvo como um parente, como membro de alguma família -
Somente a nidings são seres livres e solitários. Eo núcleo muito mais íntimo de um homem, sua consciência, seu julgamento
moral, bem como sua sabedoria e prudência, seu talento e vontade, têm uma certa selo família. Assim que o homem sai do
Frith e dissocia-se do círculo em que ele nasceu, ele não tem moral, nem qualquer consciência de direita, nem qualquer
orientação para seus pensamentos. Fora da família, ou nos intervalos entre as famílias, tudo está vazio. Sorte, ou como nós,
talvez, poderia dizer, vitalidade, não é uma forma de energia uniformemente distribuído; ele é associado com certos centros, e
enche existência como emanações estes pontos vitais, as famílias.

O poder para viver vem de dentro, derramando a partir de uma mola central no pequeno círculo, e daí absorvendo o mundo. A fim
de preencher o seu lugar como um homem, o indivíduo germânica deve antes de tudo ser um parente. A moralidade, senso de
certo e senso de lei que ele tem em seu lugar como membro de uma comunidade estado, como um de um grupo de guerreiros, ou
de uma sociedade religiosa, é
173

dependente de seus sentimentos como um parente; quanto maior o seu espírito de clã, o mais firme será o seu sentimento de comunidade,
por sua lealdade não pode ser outro que o sentido de Frith aplicada a um círculo mais amplo.

Uma comparação neste momento entre a antiga cultura e da civilização do nosso tempo vai trazer a natureza de sorte, para fazer a expansão, bem como para a
concentração. Nós, de nossa parte, deve ser sempre seres humanos antes que possamos ser parentes. Nossa felicidade no círculo mais estreito depende de uma
vida mais ampla fora, e nós temos que sair para o mundo para encontrar alimento para a nossa vida em casa. Não podemos ficar no mundo em tudo, nem
prosseguir a nossa ocupação, nem cultivar nosso egoísmo nem os nossos preconceitos familiares de modo a não entrar em conflito com o resto da humanidade, a
menos que assimilar-nos até certo ponto com o que chamamos humanidade. Entre nós, uma vida de parentesco só é possível quando o indivíduo se arrasta para
casa a riqueza da humanidade e define o carimbo de família sobre eles, e é a marca de uma natureza egoísta para coletar pensamentos e ideais no campo maior
da sociedade e pressa para casa para transformá-los em bênçãos familiares. Em nossa cultura, o one-sided vida familiar envolve uma limitação e uma consistente
redução de todo valor espiritual; não pode deixar de conduzir à pobreza de idéias e dulness em todos os sentimentos. Assim egoísmo familiar é um vício, pela
simples razão de que é impossível em si mesmo; ela só pode levar uma existência parasita. Sua condenação se encontra dentro de si mesmo; para um transporte
lógico para fora de seus princípios leva ao suicídio, da mesma forma como um estado de Amazonas ou um estado de homens castos seria aniquilar-se. não pode
deixar de conduzir à pobreza de idéias e dulness em todos os sentimentos. Assim egoísmo familiar é um vício, pela simples razão de que é impossível em si
mesmo; ela só pode levar uma existência parasita. Sua condenação se encontra dentro de si mesmo; para um transporte lógico para fora de seus princípios leva
ao suicídio, da mesma forma como um estado de Amazonas ou um estado de homens castos seria aniquilar-se. não pode deixar de conduzir à pobreza de idéias
e dulness em todos os sentimentos. Assim egoísmo familiar é um vício, pela simples razão de que é impossível em si mesmo; ela só pode levar uma existência
parasita. Sua condenação se encontra dentro de si mesmo; para um transporte lógico para fora de seus princípios leva ao suicídio, da mesma forma como um
estado de Amazonas ou um estado de homens castos seria aniquilar-se.

Para o antigo membro do clã, o curso encontra-se em uma direção oposta. É Frith que molda seu caráter, e uma
intensificação da Frith significa um aprofundamento de seu caráter. O reforço da manutenção de honra pessoal e familiar
envolve uma maior profundidade e maior tensão nos sentimentos morais e vontade moral, porque significa um
enriquecimento da consciência. O mais auto-centrado e sui generis um parente, mais forte sua personalidade e maior seu
valor como um homem.

Clan-sentimento é a base de toda a vida espiritual, e o único meio de entrar em contato com um mundo maior. A mesma
potência, que faz com que o indivíduo germânica um parente impede

174

de tornar-se um ser familiar limitada e nada mais. A força ea profundidade de Frith e honra molde os clãs juntos em
alianças e chamar comunidades maiores em existência. A coisa na comunidade para julgar e mediar, eo reino ou estado
para as empresas comuns, são instituições impostas pela natureza de sorte. Aquele que sentiu a força e profundidade de
Frith e honra desses homens não estará em perigo de menosprezar a família em sua visão histórica; mas, novamente, ele
não vai ser tentado a configurá-lo como unidade de existência, como o segredo que explica tudo na sociedade e na vida
de nossos antepassados.
CAPÍTULO VI

O MUNDO

Após observação a longo e atenta de um objeto, a pessoa começa a sentir a necessidade de vê-lo no seu contexto
adequado. As medidas formais da coisa em si devem ser expressos em dimensões relativas para torná-lo parte da
realidade do mundo.

Para aquele que com sem preconceitos mente re-experiências vingança como era, re-experiências honrar como uma força
motriz entre os homens, brutais e sublimes como realmente era; a ele nossos antepassados ​aparecerá com uma nova vida.
Eles vão começar a viver e se mover, despertar no observador uma simpatia distante do idealismo com que a idade moderna
enobrece a sua poética ou política idées fixes; e se pudéssemos atingir a ver esses homens, cuja vida em honra ea sorte que
aprendemos a conhecer, como uma parte do mundo, e considerar sorte como parte integrante das ideias dos homens da vida
em geral, a realidade de homens e a sua sorte seria reforçada.

Oriente-Garth - Anglo-Saxon Middan-geard, Old Icelandic Miðgarðr - foi o nome dado ao mundo os homens vivem, e
estende-se longe de todos os lados. Mais distante para fora, onde o céu se fundem em um com a terra homens pisar, ou o
mar que pescar em, existem os limites deste mundo dos homens. O caminho para lá é uma mais longa do que a
dona-de-casa geralmente acredita. Pode-se andar ou velejar dia após dia, cinco dias, ou ainda mais, talvez, antes de alcançar
as montanhas que fecham os homens em, ou o buraco profundo onde as águas derramam.

Lá fora, no limite de Middle-Garth, é a reunião

176

lugar de maneiras de baixo e de cima. Um deles se curva acentuada para trás, mas para onde ele leva nós nunca pode justamente
aprender. Parece que ninguém jamais passou dessa forma. Para a ponte - o arco-íris - agora chamado de Bifrost, agora Bilrost, está
tudo em chamas-suas cores podem ser vistos brilhando de longe - e é intransitável para salvar a todos aqueles que podem mover-se
incólume pelo fogo. Mas nós levá-la que ela conduz a um terreno mais alto, acima das cabeças dos homens que habitam-Garth
Oriente.

Por outro lado, um modo conduz para dentro do terceiro mundo, que se estende para fora a partir e tanto em menos de meia-garth;
a estrada encontra-se por vales profundos e obscuros, cheio do rugido de gelados, torrentes de espuma. É úmida e retumbante nas
profundezas, mas o terreno é firme; o caminho vai suportar um mortal, bem como homens mortos, e é muitas vezes viajou de que
não há necessidade de ser ignorante quanto a para onde ela leva, eo que pode ser encontrada no final da jornada.

Este terceiro mundo é, tanto quanto sabemos, de extensão infinita. Não há nada para impedir um aventureiro ousado, de forçar o seu
'muito à frente na terra que se espalha a partir-Garth Oriente. e para baixo na profundidade gelado, enquanto ele confia em sua própria
coragem para enfrentar o desconhecido, confia em sua própria força e sagacidade para limpar um caminho através de perigos e
dificuldades e tentações tudo ao contrário daqueles conhecidos na terra. Ele terá de ser um homem forte, por força aqui é medido por
um padrão muito mais elevado - e além disso, no entanto grande a sua força, ele só irá aproveitar-lo em coisas menores; o resto ele
deve ganhar através de ofício e sagacidade mãe. Mesmo aqui, no entanto, a quota humano normal de inteligência não será suficiente;
por tudo o que ele vê é de natureza alienígena agora; ele precisa ser um grande adivinho.
Eles dificilmente são muitos que se aventurar tão longe, e alguns desses aventureiros quem nada affrights, sem dúvida, nunca
mais voltar. Mas sempre havia o suficiente daqueles que fizeram para dar uma descrição testemunha ocular de Utgard, ou
Out-Garth, como este mundo é chamado no Norte.

Estas testemunhas oculares disseram que quando o limite de Middle-garth foi aprovada, a luz que brilha sobre a terra
desapareceu. Daylight dá lugar a um crepúsculo, com errante

177

brilha de luz que deslumbrar e confundir sem banir a escuridão. A estrada leva sobre, colinas rimy úmidas, onde os ventos gelados vêm
varrendo para baixo; através rios turbulentos com veneno e com espadas. Por volta de sentar monstro, criaturas. nem homem nem
animal, com os olhos aglare. Seus dardos relance diante uma luz estranha, como uma chama; suas mandíbulas emitem densas nuvens
de hálito acre, ferozes o suficiente para chamuscar o cabelo da cabeça de um homem e cegar os olhos. E suas garras são
concretizados na carniça onde se sentam. Mais distante para fora é o refúgio - assim é dito, pois ninguém parece ter chegado tão longe
- do gigante hræsvelgr águia, o devorador dos mortos; quando ele se levantar de um cadáver para swoop em cima de outro, as suas
penas levantar tão violenta uma tempestade como a varrer em cima própria terra.

Tudo é horrível, mal presságio, estranha; grávida de decepção para os olhos acostumados apenas para dimensões humanas. As
formas quase-humanas que se movem lá na névoa e melancolia são tão imensa quanto a ser dificilmente reconhecido como viver
até que seja tarde demais. O que parece talvez uma ravina pode provar ser a entrada de uma casa, com as pernas de um gigante
bestriding meio do caminho vale. Dentro da caverna, seus womenfolk sentar cuidando de um fogo, cinza, lank de cabelos, em uma
pose que revela a feiúra de cada membro. Os fluxos um andarilho tem para passar são de outro personagem do que as
águas-Garth Oriente; saindo para eles, ele encontra-los subindo sobre ele, coisas vivas e hostil da mente. E assim é com tudo lá,
tudo é instinto com uma vontade alheia. Nada é o que parece. Tudo é deslumbramento e ilusão. As coisas pareciam por sua vez,
mortos-vivos em um toque.

Apenas um gênio da sorte, capaz não apenas de ponta e enrolar o seu caminho, mas também para discernir as qualidades ocultas de que ele
atende, e enfrentá-lo com uma astúcia de seu próprio sobrenatural sábio; só isso pode aproveitar para trazer uma segurança através.

Tal é devido à sua Utgard do Northmen. Mais ao sul, na Dinamarca e na Suécia, onde as colinas e montanhas deu lugar
a campos largos e todos, mas impenetráveis ​bosques, o mundo deve ter tido um disfarce diferente. Posso imaginar que,
em alguns lugares, pode ser comparado a uma vasta clareira, com a escuridão crescente tudo sobre no tronco e ramos,
entrelaçada para

178

uma parede densa. Além é o lugar onde bandidos perambular com os lobos para empresa. Há também é névoa e
escuridão. E há caminhos que há estradas, sendo o contrário do que os pisado pelos pés dos homens. Grande
Pântano-águas estão lá, sob florestas de encantamento e mal-estar. Storms subir a partir dos lagos, quando o vento levanta
as águas e arremessa-los como boding nuvens sobre a terra, escurecendo o dia. Em Jarnvidr, a floresta de ferro, habitar
ela-gigantes deformadas com sua prole; criaturas com nariz e garra como afiados como espadas, e tão afiado para rasgar a
carne humana. Brood na ninhada as criaturas urso, lobos e
ogres juntos. Na escuridão pantanoso, onde cada ramo é uma garra de ferro que se encaixa para ele que passa, um homem pode
tropeçar cegamente, até que ele encontra o seu fim como alimento para alguma besta falta. Gado desviando lá voltar com as
marcas de ter sido soprou sobre, e estão aptos para nada depois disso.

Pode-se imaginar uma terceira concepção de Middle-Garth vigente, talvez, nas grandes planícies cujos limites foram formadas
por terra eo céu fechando diretamente no. A história de Hading e sua visita ao submundo, como recontada por Saxo, talvez
tenha venho de uma terra onde as paredes do mundo foram formados pelo horizonte. Um homem, então, ir - como muitos têm
ido em outros momentos - através da beira dos céus como meio, uma nuvem negra densa, uma massa sólida de escuridão, e
emerge em um território de planícies ampla expansão, onde tudo era bom e agradável aos olhos. Mas se nada aqui mostrou
temível e mau agouro, foi apenas que o perigo estava mais profundamente escondeu. Comum a todas as coisas do submundo
é esta qualidade do incalculável, olho confuso e ouvido. Um ramo se transforma em uma serpente como um agarra-lo, e atinge
um morto. Há criaturas que podem torcer o pescoço de um estranho por um simples olhar. Frutas e fluidos têm poder de
labirinto inteligência de um homem. Não há como saber a natureza das coisas, de modo a evitar consequências doentes por
medidas de contador.

Contrastava com o medo deste mundo Outland é o prazer em Garth Oriente. Aqui, os homens olham para os campos com
alegria em seus olhos. Lemos, no Beowulf, do mundo dos homens: “Aquele que sabia das coisas distantes acontecendo
em

179

os primeiros tempos dos homens, disse ele, que o Todo-Poderoso tinha feito a terra, os campos belos, rodeado por águas;
o Deus vitorioso tinha posto o sol ea lua para uma luz para iluminar os povos da terra, e adornada colo de terra com
galhos e folhas “, em contraste com o domínio de monstros, onde penhascos íngremes sair, mas ambiente entre para um
único homem para escolher o seu caminho, onde as estradas desconhecidos levam mais de precipícios íngremes, o
refúgio de trolls; um crescimento da floresta sem alegria paira sobre a rocha cinzenta; serpentes estranhas mover nas
águas, e trolls jazem esticado sobre as cabeceiras. Estas imagens na Beowulf ilustrar o contraste germânica entre a terra
eo Unland. Neste contexto, pouco importa que o poeta caracteriza a “terra” em palavras estrangeiras, e glorifica sua
suavidade, descrevendo-o como fundada na vontade de um deus além de seus limites, - estamos aqui apenas preocupado
com a distinção categórica: o lugar é lixo, a casa do mal e unluck, o outro a habitação do acolhimento das pessoas,
vivendo em sorte, em Frith, em homenagem. No lugar de “campos justo e brilhante” do poeta anglosaxon podemos definir,
simplesmente, termo mais sóbrio do Northmen

fjölnýt dobra, “A terra muito útil”. De que outra região, lemos que mesmo o hart perseguido por cães de caça na floresta produz a
sua vida ao invés de se aventurar em que a água; para o lugar não era heore. Podemos também deixar a palavra de idade, tal
como está, por qualquer substituto moderno nós escolhemos precisaria de uma carga de explicação a dar o seu peso adequado.
A palavra
heore, alemã moderna geheuer, old islandês hýrr, significa aquilo que é leve, suave, agradável, seguro; e o oposto unheore,
úhýrr é - não apenas algo duro e desagradável, mas - o estranho, mal-presságio; um lugar, um estado, uma atmosfera
falta em tudo o que os seres humanos precisam para viver; é o ar infeliz que os sufoca. Heore, em outras palavras, é
“sorte” no sentido antigo, e o que mais precisa ser dito? lugar Yonder é unheore; este lugar, a morada dos homens, é o
local alegre de sua casa. A floresta que paira sobre o pântano é chamado triste, vazio de que o prazer que é a marca
distintiva da vida humana.

Estranhamente, pode parecer. Para não faltaram


180

de coisas estranhas aqui em-Garth Oriente. Witch-folk e bruxaria se fizeram sentir com bastante frequência. No meio da
terra justo, em sua vida mais alegre, o maior e mais bela de todas as salas régias, onde regozijando soou mais alto, entre o
mais bravo dos homens, os maiores amantes da vida e escarnecedores de morte, - aqui, um dia, é empurrado na unheore na
forma de Grendel. Aqui é bruxaria, devilment, tudo o que bravos homens temem antes de tudo; morte em desonra, no terror
Craven, em repugnância; a saber, sem luta ou enterro.

Os antigos estão bem no seu caminho quando eles declaram que o mundo é grande, que um homem deve viajar dia e noite
para alcançar o bourne da morte e da própria encantamento; mas eles sabem, também, que esses poderes de fronteira são
bem capazes de chegar a mais a este mundo em si, às vezes. A maioria dos povos têm seus Hell-farers, que se
aventuraram ao ponto de ser engolido pela terra dos gigantes, retornando depois ao seu próprio a partir de uma terra
estranha; os nórdicos foram quase as únicas pessoas germânicas relacionar tais jornadas de aventura. Mas as histórias
derivam seu interesse e sua realidade, da experiência cotidiana. Um homem pode aprender a qualidade de lá “Unland”, mas
uma liga ou assim de sua casa; e o fato de que cada ouvinte deve ter tido alguma experiência de poderes misteriosos,
permitiu-lhe apreciar a verossimilhança do explorador'

Ele precisa de mais do que simples imaginação para colocar-se no mundo antigo e se sentir em casa, com sua-Garth
Oriente como o centro do universo. Não podemos reconstruir uma imagem a partir dos fatos à nossa disposição, como as
numerosas tentativas abortadas de traçar cosmos das nórdicos provar. É verdade que os gigantes viveram além do
horizonte - mas como vamos fazer isso de acordo com o seu roubar sobre em noites portas dos homens fora?
Oriente-Garth é propriamente apenas o mundo do dia; uma vez que o sol se pôs, e os homens se retiraram para suas
casas, a terra é entregue a coisas duras e selvagens. Na realidade, a terra não é o mesmo de noite como de dia, mais do
que é um homem de unluck, que vai sobre durante o dia com um rosto humano, aparentemente como seus companheiros,
mas rouba diante à noite na pele de um lobo e corre devoradores no exterior.

181

acorrentadas e ligado pela luz, sobe-se como o sol cresce fraco, a andar para trás em seu poder gigante. “Todos os mortos de Illwill crescer mais forte por noite do
que à luz do dia”. Talvez possamos tentar limpar a confusão e manter o sistema pelo segurando a idéia do mundo como estratificada; Utgard - Eu uso esse nome
islandês tarde por falta de uma melhor, já que palavras como “deserto”, “deserto”, “reino da morte” cada denotar mas um lado do desconhecido - Utgard se
estende, como se sabe, debaixo da terra e pode atirar para cima para ele através de inúmeras aberturas em qualquer momento. Aqui e ali, no meio dos campos
justas são gateways que levam para dentro da casa de monstros. Foi talvez através de um tal modo de entrada que este ou aquele empreendedor ousado
penetrou a região mais interna do reino da morte; pode-se, pelo menos, chegar o mais longe que forma pelo caminho mais longo através do horizonte. Mas esta
casa de gigantes sob nossos pés não é uma província da terra principal para além do horizonte. um pode ir para baixo na terra e depois para casa redonda pelas
fronteiras da terra - quem pode dizer? Ninguém nega isso, pois ninguém tem declarado que seja assim. Se a questão se colocar, seria certamente ser respondida
afirmativamente; mas essa afirmativa nasce dos pensamentos o problema suscita, não dado de si mesmo de antemão. A caverna na terra é a própria Utgard,
idêntico ao lugar além do horizonte. E o covil de monstros não deve sua existência a qualquer comunicação subterrânea com um mundo abaixo. A antiga visão do
mundo não vai encaixar com os nossos mapas geográficos, em que os diferentes países se encontram perfeitamente lado a lado com Mas esta casa de gigantes
sob nossos pés não é uma província da terra principal para além do horizonte. um pode ir para baixo na terra e depois para casa redonda pelas fronteiras da terra
- quem pode dizer? Ninguém nega isso, pois ninguém tem declarado que seja assim. Se a questão se colocar, seria certamente ser respondida afirmativamente;
mas essa afirmativa nasce dos pensamentos o problema suscita, não dado de si mesmo de antemão. A caverna na terra é a própria Utgard, idêntico ao lugar além
do horizonte. E o covil de monstros não deve sua existência a qualquer comunicação subterrânea com um mundo abaixo. A antiga visão do mundo não vai
encaixar com os nossos mapas geográficos, em que os diferentes países se encontram perfeitamente lado a lado com Mas esta casa de gigantes sob nossos pés
não é uma província da terra principal para além do horizonte. um pode ir para baixo na terra e depois para casa redonda pelas fronteiras da terra - quem pode
dizer? Ninguém nega isso, pois ninguém tem declarado que seja assim. Se a questão se colocar, seria certamente ser respondida afirmativamente; mas essa afirmativa nasce dos pensamentos o p
fronteiras lineares, porque o mundo antigo não foi medido com os olhos apenas como um plano externo mero sem
profundidade.

Ele precisa de algo mais do que imaginação e algo mais do que o poder construtivo para colocar Middle-Garth e Utgard
em sua devida relação de um para o outro. Re-experiência é necessária. Temos que construir um mundo novo, sem levar
em conta tudo o que aprendemos, independentemente do atlas e topografia. Com nós, o mundo é formado definindo
observações em seu lugar de acordo com a fita métrica e uma bússola, mas se quisermos construir Middle-Garth e
Utgard bem, então temos de tomar

182

experiências como um peso - e ter em mente, além disto, que há escalas e pesos padrão pode aqui vão; tudo deve ser pesado
na mão. As experiências são muito numerosas e variadas para ser expresso em números e as medições em todas. Eles
consistem não só das impressões produzidas pelo olho externo, mas têm também uma realidade interior. Quando aprendemos
que os antigos imaginou o limite do mundo como situar perto do lado de fora de sua aldeia, estamos aptos a conceber seu
horizonte como se estreitaram em conformidade; mas o ponto decisivo na sua visão do mundo está sim no fato de que o
conteúdo de seu horizonte era muito mais profundo do que pensamos. Quão grande é a aldeia? Reunião a pergunta em
palavras de nossa própria, mas tão perto os pensamentos dos próprios antigos como pode ser, a resposta deve executar;
Abriga nós mesmos, ele é preenchido com honra, com sorte, com fecundidade - e isto é igual a dizer, que é o mundo. Sim, a
vila é em si Middle-Garth. Como grandes, nós também pode perguntar, é a árvore sagrada que fica no centro da vila, a árvore
tutelar do clã? Em virtude de seu caráter sagrado e poder de bênção, carrega-se o mundo com as suas raízes e as máscaras
do mundo, com seus ramos. E assim, é a árvore do mundo, eo que importa se o olho pode levar à sua sombra visível num
relance?

A discussão de sorte e honra nos deu as experiências dos antigos teutões; precisamos apenas para deixá-los agir em
cima de nós em seu peso total. Nos seres humanos um lado, e vida humana, tão profundo como ele vai em sua
intensidade; por outro, os gigantes, os nidings desafortunados, a terra infeliz. Essa parte mais próxima de nós, o
playground dos homens, é impregnado em toda com sorte, com heore, enquanto Yonder aumenta unheore na densidade
e mal favor quanto mais nos movemos das casas dos homens. Mais distante para fora, ele preenche tudo o que há, até
que se torne personificada em formas materiais da zombando mimetismo, como se pode encontrar à noite ou na floresta.
Quem está lá, mas sabe o limite da sua terra, lá onde a sua sorte termina? Quem sabe, mas o limite da terra dos homens,
onde toda sorte termina? Será que não está, a cada momento, em meio a nossa sorte,

183

Tais experiências, avaliando pela profundidade e constituição, bem como por dimensões, sentindo noite como um limite de
natureza tal que formado por uma cadeia de montanhas, não podia estar à vontade em uma geografia determinada por
medidas de área superficial. realidade topográfica não está definido arbitrariamente de lado para dar lugar a uma
paisagem imaginária, mas para dar uma verdadeira semelhança do universo Teuton, deve ser adaptado para incluir
também a realidade espiritual - se é que podemos usar uma palavra como “adaptação” sem necessariamente supondo um
rearranjo consciente de observações. Na dúvida quanto à posição relativa dos dois reinos e a natureza de seus limites,
todos os acidentes de lugar deve dar lugar antes de a influência esmagadora de diferença em caráter. A terra de sorte é
um todo, o que não é e não pode ser quebrado por enclaves de unluck, unheore.
ser alcançado, passando para além dos marcos de-Garth Oriente. Longe de precisar de qualquer conexão subterrânea
entre a caverna debaixo da terra e da terra para além do horizonte, o fato é que na concepção dos teutões eles são um
eo mesmo lugar, também no sentido geográfico. Para ir para a noite está viajando em demônio da terra.

Apesar de todo o poder dos demônios e de Utgard, esta verdade ainda mantém boa, que Middle-Garth pertence aos homens, e
pertence a eles, porque eles são os mais fortes, os conquistadores. Quando bruxaria ventures para fora, para o domínio do sol,
se trata, mas de ser esmagado, e em sua queda glorificar a luz. O Beowulf não foi escrito com o objectivo de entorpecente
pobres vítimas para o sacrifício, preenchendo-los de antemão com um excedente de horror e pavor. Nas histórias germânicas e
canções, os homens fazer o trabalho de feitiçaria; eles dividi-la pequena, queimá-lo e enterrá-lo sob montes de pedras sólidas
de pedra, e regozijam-se ao vencidos fama.

Existe esta diferença importante entre o reino do sol e no escuro gelado, que no primeiro, os homens permanecem como
aqueles que lutam em seu próprio terreno, com uma série de aliados sobre eles; árvores e pedras, animais e armas, a
própria terra está do seu lado. Eles sabem tudo o que vêem, sabem que tudo é o que parece, sei que há ordem em que eles
podem confiar; eles

184

tem o segredo das coisas sobre eles, e pode, assim, forçar a natureza para fornecer ajuda. Se por algum descuido eles tropeçam,
eles podem subir para seus pés novamente; eles podem encontrar conselhos e remediar os danos feito, e em caso de necessidade
obter a restituição; mas lá longe, o passo em falso menor coloca-os à mercê de poderes desconhecidos. O tronco de árvore contra a
qual eles tropeçam prende-los rapidamente e joga-los para a pedra, a pedra novamente para seu vizinho, e este novamente
lança-los aos pés de algum vampiro, onde eles acabam carniça como sem derramamento de sangue, sugado. Lá fora, eles se
movem entre uma horda de bestas selvagens, não ousando por um momento de diminuir a vista, e além disso sem saber o que o
perigo ameaça; Aqui, a natureza lhes ordena boas-vindas a cada passo e coloca-se à sua disposição.

Eles sabem que a natureza de tudo, possuem o seu segredo, ou mais: eles mantêm a sua alma em sua mão. Eles sabem o seu direito
mundial para seus cantos mais íntimos, são íntimos com toda rastejando e andando as coisas que vivem em suas muitas habitações. Se um
animal pula através do caminho, eles sabem com um grau razoável de certeza de onde vem e para onde ele está vinculado, e por que ele
tomou esse caminho. Seu conhecimento é mais uma espécie de familiaridade pessoal do que qualquer sabedoria da natureza.

Há, naturalmente, uma série de coisas que um homem deve ver e saber o tempo que ele fica cara a cara com a natureza, o
próprio exigente tributo e tomar o que ele precisa. Ele deve saber, e sabe, onde encontrar as plantas e animais que lhe
fornecem alimentos e implementos; ele deve ser capaz de seguir as pegadas dos animais superiores e enganar-los por ofício.
E ele deve ter um conhecimento seguro de formas da natureza. e caprichos, de modo a tomar suas medidas em conformidade.
A escassez de comida não é incomum entre os mais pobres e não muito ricos - os primeiros deuses deu ao homem, entre uma
grande variedade de outros dons graciosos, o cinto que poderia ser desenhado apertado para aliviar as dores de uma barriga
com fome - e tinha essas strivers não foi capaz de se adaptar à natureza, explorar as suas fontes mais secretas de
abastecimento, e contar a marcha rítmica do
185

estações, sua saga em breve iria ter terminado. leis do jogo e medidas de protecção, por exemplo, devem a sua origem, sem
dúvida, a esses mesmos deuses que deram o cinto maravilhoso.

Naturalmente, no entanto, eles percebem muito mais do que é estritamente necessário para auto-preservação. Eles não se
contentam com a observação superficial do fato de que certos insetos ter visto asas; mas eles contam os pontos, segundo o
costume de gente simples no Norte, e notar a diferença em número como entre diferentes indivíduos, tomando medidas para a
hora de vir de acordo com a sugestão veiculada no número de pontos. A ciência natural que vive nestes homens não conhece
lacunas, para as suas observações não estão reunidos ao acaso, mas guiado desde o primeiro pela tradição. Os sentidos da
juventude não são apenas treinados e sintonizados para produzir o seu melhor, mas estão configurados para funcionar na
unidade. Os jovens são ensinados não apenas para armar ciladas, mas para ir invadindo-se e capturar via mais rápida, as
criaturas mais raras em vôo. Naturalmente, o observador' s conhecimento da natureza se estende somente até onde o olho ea
orelha pode alcançar; onde a observação cessa, há o seu conhecimento termina abruptamente. Quando as aves de arribação voar
para longe antes do inverno, e répteis procurar refúgio subterrâneo, então, apenas conjecturas pode ajudar a observação natural
sobre a abertura. Então o homem apresenta sua hipótese, e - perde todo o prestígio que suas observações ganharam com os
cientistas modernos. Nós venha preparado pela ignorância da cidade-morador de admirar o homem 'que sabe a natureza que o
rodeia, mas também com um cérebro alerta, a partir dos frutos de estudo à mão e livro-texto, para julgar os resultados de qualquer
conhecimento, e por isso estamos aptos a julgar a sabedoria do homem primitivo. Mas embora possamos conceder a verdade que
as hipóteses do observador primitiva da natureza não pode competir com a ciência empírica, ainda não é menos verdade que a
sua adivinhação traz a marca da sua familiaridade com a natureza; e quanto mais nós nos emancipar da autoridade de nossa
época, de se aventurar a considerar a sua sabedoria como relativo, e não como o padrão pelo qual todos os outros devem ser
julgados, mais fácil vamos encontrá-lo a respeitar os mitos simples, e

186

o caráter relativo e para a frente apontando que muitas vezes mostram. Corretamente visto, eles se escondem dentro de si uma
profundidade de conhecimento e discernimento.

Tem que ser assim; homens primitivos - no sentido de pessoas diariamente às voltas com a natureza, não no sentido mítico atribuído à palavra na ciência moderna
- homens primitivos deve conhecer seus arredores completamente. Tais pessoas não devem ser julgados apenas por suas expressões literárias da ciência natural.
Sem dúvida, sua familiaridade com a natureza é claramente indicado por suas histórias e mitos explicativos; como para onde as várias aves têm seus gritos
particulares, por que um tipo de criatura traz uma ninhada inteira de jovens de um nascimento ou estabelece um ninho cheio de ovos, enquanto outros suportes
sobre com seu único filho feio; em seus enigmas, como por exemplo a dos homens do norte sobre a aranha: uma maravilha, com oito pés, quatro olhos, e joelhos
mais elevados do que a sua barriga, ou do ptarmigan: play-irmãs que varrem toda a terra; escudo branco em tempo de inverno, mas o preto no verão. Mas esses
mitos e enigmas flutuar depois de tudo, mas na superfície do conhecimento dos homens, e só excepcionalmente dar qualquer indicação da profundidade para
baixo; eles dica aqui e ali com o que foi visto, mas dar nenhuma demonstração clara de como os homens viu. Os instrumentos de caça e métodos de caça de um
povo, o seu sentido de localidade e as suas medidas de protecção para o jogo são evidência de sua intimidade com as formas mais secretas da natureza. Talvez
também os seus jogos. Se quisermos perceber a sensibilidade infinita de cérebro do “homem selvagem”, e quão fielmente ele pode segurar este medley de
memória imagens claras e vivas, a melhor maneira é vê-lo em ação, dando exposições imitam de seu entorno; os gestos e só excepcionalmente dar qualquer
indicação da profundidade para baixo; eles dica aqui e ali com o que foi visto, mas dar nenhuma demonstração clara de como os homens viu. Os instrumentos de
caça e métodos de caça de um povo, o seu sentido de localidade e as suas medidas de protecção para o jogo são evidência de sua intimidade com as formas
mais secretas da natureza. Talvez também os seus jogos. Se quisermos perceber a sensibilidade infinita de cérebro do “homem selvagem”, e quão fielmente ele
pode segurar este medley de memória imagens claras e vivas, a melhor maneira é vê-lo em ação, dando exposições imitam de seu entorno; os gestos e só
excepcionalmente dar qualquer indicação da profundidade para baixo; eles dica aqui e ali com o que foi visto, mas dar nenhuma demonstração clara de como os
homens viu. Os instrumentos de caça e métodos de caça de um povo, o seu sentido de localidade e as suas medidas de protecção para o jogo são evidência de sua intimidade com as formas mais
de aves e animais, a sua marcha, seu medo, sua prudência, seus cuidados parentais - estes ele pode reproduzir com a
maior arte, ou o mais alto grau de naturalidade.

É uma causa de admiração para os observadores europeus que a intimidade do homem primitivo com as formas da
natureza raramente, ou nunca, incorpora-se na descrição impressionista ou representação. Parece como se a arte da
narrativa realista é sim uma exceção entre os povos iletrados da terra cujas canções e histórias foram recolhidas pelos
missionários e etno

187

logistas dos tempos modernos. E a nossa suposição de que o homem tem sido lento em adquirir a habilidade de coisas pintura
como eles são vistos, é confirmado pela poesia épica de raças que, como os gregos e os teutões, têm sido capazes de
transformar seu folk-poesia na literatura antes de sua pensamentos foram atraídos para canais filosóficas ou teológicas. A julgar
por Homer, o Beowulf eo Edda podemos, aparentemente, com perfeito direito declarar nossos antepassados ​com falta de
espontaneidade realista.

Em folk-poesia não encontramos reflexo da mudança e da vida de muitos sombreada por fora; aqui, tudo é arte, estilo. Terra pode ser chamado, talvez, o amplo, a
extrema-pathed, e esses epítetos são então repetidos com zelo wearying tão frequentemente como terra é mencionado no verso; dia invariavelmente amanhece
com a propagação seus dedos róseos Dawn-vermelho para fora do horizonte. Quando os nossos antepassados ​começou a descrever suas batalhas, eles podem
encontrar nada melhor para dizer do que o lobo ficou uivando em antecipação para o guerreiro se aproximando, o festeiro da besta cinza; o corvo se agitaram no
ar e gritou para baixo a seu irmão cinza, e, finalmente, chegou a hora em que a ave de carniça desceu em cima de sua presa e a besta cinza correu chapinhar no
sangue. Esta descrição esquemática é usado sem levar em conta o caráter ou o resultado da luta. Lobo e corvo se para a batalha e abate, se temos exércitos em
colisão e seus líderes que enchem os animais com alimentos, ou um par de homens descendo sobre um terceiro “dando-lhe aos lobos”; “Lá você pode ouvir os
corvos coaxar, águias coaxar feliz na sua alimentação: ouvir os lobos uivando sobre seu marido”, - assim, o poeta anuncia o assassinato de Sigurd por seus
irmãos-de-lei. Folk-poesia existe em cima regular, uma vez que foram cunhados fórmulas para as várias ações da vida, caça e batalha, festa e ir para a cama.
Pessoas, animais, coisas são distinguidos por epítetos que ostentam o selo de suas qualidades de uma vez por todos de pé. “Lá você pode ouvir os corvos
coaxar, águias coaxar feliz na sua alimentação: ouvir os lobos uivando sobre seu marido”, - assim, o poeta anuncia o assassinato de Sigurd por seus irmãos-de-lei.
Folk-poesia existe em cima regular, uma vez que foram cunhados fórmulas para as várias ações da vida, caça e batalha, festa e ir para a cama. Pessoas, animais,
coisas são distinguidos por epítetos que ostentam o selo de suas qualidades de uma vez por todos de pé. “Lá você pode ouvir os corvos coaxar, águias coaxar
feliz na sua alimentação: ouvir os lobos uivando sobre seu marido”, - assim, o poeta anuncia o assassinato de Sigurd por seus irmãos-de-lei. Folk-poesia existe em
cima regular, uma vez que foram cunhados fórmulas para as várias ações da vida, caça e batalha, festa e ir para a cama. Pessoas, animais, coisas são
distinguidos por epítetos que ostentam o selo de suas qualidades de uma vez por todos de pé.

Bois, invariavelmente, vêm “arrastar os pés”, se o espectador ter ou não ter qualquer oportunidade de observar sua -nay
marcha, eles devem arrastar os pés, mesmo 'quando eles aparecem em uma situação em que é impossível para eles para
mover as pernas;

188

não os pretendentes de Penélope perder a propriedade de seu marido por diária abate as suas ovelhas e as suas vacas
arrastando os pés? Quando um homem se levanta em uma montagem de falar, ele está lá como o veloz, ou o herói-orientador
carruagem. navio de um homem é swift-vela, marítima, bem como curva, straight-construído, muitos-frustrado; e ele pode, de
fato, quando elaborou o seu navio em terra, sentar-se ao lado das amarras do ofício-clivagem mar, e aqui recebem os
estrangeiros que vêm andando ao seu navio Swift-vela. É tão natural para Beowulf para caber o seu navio-atravessando mar
como na poesia islandês para os cavalos dos rolos ou adereços para galopar sobre o mar. O navio que transportou o corpo
morto de Scyld para o mar é chamado cobertas de gelo, mas
se um leitor moderno deve dali inferir que esse evento ocorreu durante o tempo de inverno, ele fingia mais
conhecimento do que o poeta do Beowulf possuía.

Um poema Inglês velho dá uma descrição pitoresca de guerreiros apressados ​para combater o seguinte: “Os guerreiros
apressou-se para a frente, os nobres, eles suportaram banners, os escudos soou. O lobo delgado na floresta se alegrou, ea
corvo negro cobiçosos de abate; Ambos sabiam que os combatentes tinham em mente para licitar-los para uma festa daqueles
condenados à morte; em seus saltos voou, ávidos de alimentos, a, águia cor de sujeira orvalho de penas”. Numa análise mais
aprofundada, encontramos convenção aparente em cada conexão única: assim e não de outra forma é um poeta necessárias
para descrever a configuração de um exército. As antecipações de aves e animais referido como tal comprimento não indicam
que a batalha é ser mais feroz, o número de mortos maior do que em outras batalhas, - não, lobo e águia são sempre ansioso
para a próxima festa. A águia aqui não é “orvalho de penas”, porque esta batalha particular, abre no início da manhã, ele vem
varrendo nas asas orvalhadas do meio-dia mais quente; orvalho faz parte da imagem em que um águia está em causa.

Na Islândia, o “observador empoleirado-pine”, a saber, uma águia, pode, apesar de sua situação elevada ainda rasgar os
corpos dos mortos, se necessário. Shaker de ramos, ou branch-scather, é a

189

epíteto apropriadamente dado ao vento no lamento de Gudrun sobre sua solidão, quando ela diz: “Lonely eu fiquei como um álamo
no bosque, desprovido de parentes como abeto de galhos, despojado de alegria como a árvore de folhas quando o scather de ramos
vem em um dia de sol quente”. Mas nos velhos tempos, não havia nada incongruente ao referir-se ao vento por esse mesmo nome
de branch-scather, quando ele veio rasgando sobre as águas e elevar as ondas.

Entre os povos germânicos, o rei é chamado de anel-breaker, strewer do tesouro ou furtherer de batalha, alimentador de
lobos; os homens são ALE-bebedores e receptores de anéis, portadores de armas, e eles estão mailclad se acontecer de
estar usando armadura no momento ou não. Assim, podemos encontrar o “king-dando tesouro guerra famoso ouvir com
prazer” à oferta de Beowulf lutar com Grendel, e outra vez que assistir ao “senhor-incitando batalha” ir para a cama.

Como a Valquíria diz para Helgi: “Parece-me que tenho outro trabalho para fazer do que beber cerveja com
bucklebreaking príncipe”, - assim Helgi chora ao seu irmão: “Ele mal cabe aos príncipes de quebra de anel brigar em
palavras, mesmo que seja em . rixa”Após o assassinato de Fafnir, as mamas nos arbustos fazer comentários sobre
Sigurd e Regin, e um diz:‘Se ele fosse sábio, o rei claspwasting, ele iria comer o coração da serpente’. E Gudrun, depois
do ato terrível que ela tem feito sobre seus filhos, aborda a malfadada Atli assim: “Tu,-espada dando rei, tens mastigado
os corações sangrentos de teus filhos no mel ... Nunca mais verás-los , os príncipes goldgiving, definindo eixos para as
suas lanças, escorando as crinas dos cavalos e delimitadora de distância.”e o mesmo poeta que faz Gudrun proferir estas
palavras, elogia a frieza de Gunnar na cova dos serpentes,

Nenhum leitor maravilha do dia de hoje olhar rodada ironicamente com sobrancelhas levantadas e dizer: “Onde é a simplicidade
muito elogiado, a inocência natural que ouviu falar de uma vez, e após o qual folk-poesia foi nomeado em contraste com a poesia
de arte? E se
190

haver algo da natureza em tudo nestes poemas, então as qualidades pelas quais nós geralmente reconhecem a inocência
natural deve ter sido infelizmente esmagado fora dele.”

Estilo, ou melhor, convenção, é a palavra adequada para estes poetas e sua técnica. Como, de fato, se deve traduzir para
qualquer língua moderna a descrição na Beowulf dos guerreiros que retornam à sala do rei? “Eles foram para lá, onde eles
aprenderam que o guardião de heróis, amargura do Ongentheow, o jovem, o bom guerreiro-chefe, dispensado anéis no meio
do burgo.” O leitor não deve tirar essas palavras a conclusão friamente lógico que um chefe anglo-saxão sentou-se durante
todo o dia em seu trono como um semeador, de tal modo que um estranho pode encontrar o seu caminho em ouvindo para o
tilintar incessante de ouro. Nem pode a passagem servir como base para a hipótese de que Hygelac tinha voltado
recentemente de uma expedição e agora estava distribuindo ordens de mérito, ou que era dia de pagamento. Por outro lado,
as linhas contêm mais do que uma indicação poética do lugar onde ele estava acostumado a exercer sua generosidade; eles
realmente implica que Hygelac está neste momento sentado em seu trono no salão. A sentença não pode ser processado
em qualquer outra língua diferente daquele em que foi escrito. O rei é ele que metes anéis, e o salão é o lugar onde ele se
liga homens a ele por presentes e hospitalidade.

E, no entanto, olhando muito tempo na convencional neste velho discurso poético, não podemos deixar de perceber que há algo
Astir abaixo dela. Mais perto conhecido dá uma forte impressão de que por trás desta arte convencional encontra-se uma rica
experiência repleta de vida. Estes poemas não pode ser classificado com o trabalho das escolas epigon que vivem em uma língua
em que a aceitação literária toma o lugar do bom senso e força. Nós sentimos que os homens que escreveram, assim, tinham os
olhos cheios de memória fotos. Eles possuíam uma riqueza de imaginação, mas uma imaginação enraizada nos sentidos. Seu
vocabulário mostra sinais de que os usuários das palavras viveram suas vidas na experiência em primeira mão. Mas nem esses
homens falam como artistas, escolhendo e rejeitando com delicadeza consciente de gosto entre as expressões

191

da língua; eles escolhem sem saber, estar-se no poder de suas imagens da memória.

Qualquer um que chegar a Homer de Xenofonte, e ao Edda. das sagas, provavelmente sempre lembrar de seu primeiro sentimento de admiração - a menos que
de fato ele teve a infelicidade de fazer a transição numa cadeira escolar bastante baixo, onde tudo grego parece muito o mesmo, como um padrão arbitrário de
palavras do vocabulário, se o linhas de correr para fora de corpo inteiro e são chamados de prosa, ou quebrar curto e tornar-se poesia. No momento em que
fechou um livro e abriu o outro, ele cruzou a linha de fronteira misteriosa, entrando em um mundo completamente diferente lit. As sagas e as obras dos
historiadores lidar com reis e camponeses e guerreiros; e eles dizem desses personagens com apenas que a familiaridade e apenas aquele grau de estranheza
que devemos esperar do período de tempo que existe entre eles e nós. Mas os outros? Onde vamos encontrar a chave que une estas notas espalhadas em um
sistema tônico? Não é o conteúdo que encontramos difícil, a alma de Homer é bastante familiar para nós. Mas as palavras têm muitas vezes algo estranho, quase
místico sobre eles, como se pertencessem a uma outra época. não o novato sente que estas palavras raras, algumas das significado desconhecido, são apenas
os destroços de uma língua fracassaram? Ele dificilmente será consciente de que o que o deixa em uma perda é um sentimento de heterogeneidade: estas
palavras arcaicas chamar para um ambiente completamente diferente do que a do comum e geral Helénica ou escandinavo dos quais eles sobem; eles apontam
de volta a um tempo em que não estava sozinho num mundo estranho, mas tinha sobre eles um a alma de Homer é bastante familiar para nós. Mas as palavras
têm muitas vezes algo estranho, quase místico sobre eles, como se pertencessem a uma outra época. não o novato sente que estas palavras raras, algumas das
significado desconhecido, são apenas os destroços de uma língua fracassaram? Ele dificilmente será consciente de que o que o deixa em uma perda é um
sentimento de heterogeneidade: estas palavras arcaicas chamar para um ambiente completamente diferente do que a do comum e geral Helénica ou escandinavo
dos quais eles sobem; eles apontam de volta a um tempo em que não estava sozinho num mundo estranho, mas tinha sobre eles um a alma de Homer é bastante
familiar para nós. Mas as palavras têm muitas vezes algo estranho, quase místico sobre eles, como se pertencessem a uma outra época. não o novato sente que
estas palavras raras, algumas das significado desconhecido, são apenas os destroços de uma língua fracassaram? Ele dificilmente será consciente de que o que o deixa em uma perda é um sentim
círculo de parentes conhecidos e sabendo, todos com o carimbo do mesmo antiga dignidade e poder. - O jovem leitor
vai sobre por um tempo com um sentimento de cisma interno, até hábito alivia a mente, e alivia-lo de seu desejo
doloroso para uma interpretação que deve ir além dos limites normais de exegese.

O jovem estudante não sabia o que significava a sua inquietude, ele não poderia traduzi-lo para perguntas, e menos ainda em
pensamentos. Mas, não obstante, ele estava certo quando sentiu a presença de

192

espíritos, onde seu professor aparentemente viram e ouviram nada. Muitas das palavras que lhe verificados na maravilha são
realmente relíquias de uma época em que o discurso foi cunhado após o outro sábio do que agora. Com todo o respeito para a
majestade de circunstância acidental, podemos afirmar com segurança, por exemplo, que os anglo-saxões não teria bateu em
cima de um exército de palavras para “mar” se não tivessem precisava deles. Há algo imposição de tal série como: borda, Egor,
flod, flot, geofon, HAF, Harn, azinheira, lago, mero, córrego, Sund, SAE. Muitas vezes, os poetas são acusados ​de criar uma
riqueza meretricious por meio de meios ilegais, um desejo de variedade levando-os a tomar palavras de conteúdo pobre e
fazê-los ficar para mais do que propriamente significa. Podemos tentar diluir a falange impressionante, tendo, digamos, corrente,

e dizendo, isso é realmente uma corrente, e apenas em um sentido mais solto aplicado para o mar; ou podemos dizer de
borda, que isso significa que, estritamente falando, disjuntores, e só é aplicável como um último recurso para o mar. Mas tal
conforto é falsa. Cada uma das palavras tiveram, sem dúvida, um significado próprio, mas apenas no sentido de que ele serviu
para indicar um todo, enfatizando alguma qualidade especial nele, ou a totalidade visto à luz de uma tal qualidade. Os poetas
nem sempre são tão culpados como nós torná-los, por seu método pode, ainda que possa degenerar em trick-obra estética
arbitrária, ainda reivindicar o apoio da tradição antiga, e justificação no carácter original da língua. As palavras antigas
invariavelmente teve um fundo profundo. O que entendemos como o sentido próprio surgiu pela especialização, uma certa
qualidade ou lateral de uma coisa que está sendo arrancado de toda original, e criado como uma idéia abstrata em si.
Aproximadamente expressa na nossa maneira diferente sintonia de linguagem, podemos dizer que o fluxo, por exemplo, não
representam uma corrente, mas para o mar como movido por uma corrente; a idéia abstrata de movimento sem uma coisa
mudou não ocorreria para as mentes dos antigos.

Esta riqueza de expressão é uma evidência, inter alia, do fato de que nos velhos tempos, os homens tinham idéias claras e precisas do
mundo e as coisas nele, e não poderia falar de-los a economizar nas palavras acentuadamente definitivas. Da mesma forma, a
caracterização

193

epítetos em Homer testemunham uma imagem mental clara e dominante. Ele chama os bois “pé-arrastando”, ou melhor,
“os bois, os que em caminhar imprensa uma perna contra a outra”; e tal expressão dificilmente ser usado a menos que
foram forçados a usá-lo, a não ser pela pressão de uma idéia em que molda as palavras de si. Como realismo pode ser
rastreada no vocabulário poético dos nórdicos, e de fato dos povos germânicos em geral. Aqui no Norte, há uma
preferência por expressões substantivas, onde os sulistas são pródigos de adjetivos: aqui encontramos menção de “o
branchscather, o anel-breaker, o battlewager”, enquanto que no sul, o príncipe iria ser referido pelo nome, e a qualidade
dada em um adjetivo. No entanto significativa esta diferença pode ser possivelmente como indicando o caráter da
linguagem, e assim, indiretamente, das pessoas envolvidas, revela a qualquer taxa de nenhuma grande divergência no
modo de pensamento. No que antecede, traduzido com propositadamente
adjetivos, a fim de chamar-se algo dessa sensibilidade ao valor de combinações que foi entorpecida pela sobre-literal
re-shaping de antigos poemas islandeses. Anel-breaker, ranger dos exércitos, por exemplo, não são títulos, como somos
levados a acreditar. Estas palavras, como todo o resto, degenerou sob o abuso a que foram submetidos pelas
queimaduras, mas não há nenhuma razão para supor que eles estão no Edda, ou mesmo nas obras dos poetas judiciais
anteriores, sem força de significado . As variações si mesmos contradizem tal idéia; quando encontramos, por exemplo,
agora hringbroti, “Anel-disjuntor”, agora hringdrifi, “Aquele que espalha anéis no exterior”, agora de novo outras
combinações, não temos o direito de acusar o poeta de ter um olho para prosódia. E em qualquer caso, as palavras devia
ter tido poder sugestivo.

No que diz respeito ao vocabulário poético 'escritores' a germânicas, podemos reunir, mas uma idéia aproximada. A sua riqueza
original e força, o seu carácter geral, não aparecem ao máximo nas versões um pouco tarde de segunda mão que agora se
apresentam como representantes únicos de grande cultura poética do norte da Europa. Aqui no Norte, temos muitas vezes para
procurar os antigos palavra-retratos entre uma série de metade incompreendido e

194

termos totalmente incompreendido que foram incluídos em algum manual scaldic ou outra, quando os poemas em que as
palavras estavam vivendo coisas desapareceram. Muitos uma expressão epical só se salvou do esquecimento pela clivagem
como um nome para um ser mítico. No manual do Snorri para poetas da corte que encontramos, por exemplo, a dica abrupta
que o modo de se referir a um dólar pode variar chamando o animal hornumskvali, “Aquele que se choca seus chifres”, ou
“aquele com chifres curvados para trás”. Da mesma forma, um urso pode ser sugerido como iugtanni, que deve implicar alguma
qualidade ou outro nos dentes da brutas, ou “bluetoothed”; outro de seus nomes é “passo-widener”, que deve ser projetado para
indicar a sua movimentação característica, ou suas pegadas, de forma um pouco semelhante como quando ele é mencionado
como “wide-way”. Nós encontramos o corvo chamado “orvalho de penas” e “early-insecto”, o falcão “weatherbleacher” - bleacher
levado passivamente, ou melhor, em um sentido neutro, como com “passo-widener” acima. O mesmo poder sugestivo é inerente
ao nome Duneyrr aplicado aos cervos, significado, provavelmente, “aquele que vigias sobre seixos com chocalho cascos”.

A agudeza de caracterização que estava nestes epítetos velhos é algo que só pode parcialmente apreciar hoje em dia. Os
vocábulos de nosso dicionário são sempre muito grande no escopo de significado, em comparação com os verbos e substantivos
que nossos antepassados ​tiveram à sua disposição. Nós não temos nenhuma palavra precisa o suficiente para caber que skvali o
qual foi utilizado para denotar uma colisão de chifres, e este um exemplo pode servir para mostrar como frouxamente todas as
traduções cobrir a forma original de expressão. Etimologia é muito desajeitado um expediente para prestar qualquer ajuda logo que
a busca é estendido além dos vocábulos mortos para a vida pensamento e sentimento que uma vez inspirou a língua e encheu as
palavras com as associações sutis. Podemos estabelecer, por análise de que a palavra slithherde - aplicada ao javali em
anglo-saxão - pode ser traduzida como “feroz”, mas o etymologist sabe tanto e tão pouco de sua vida real como o homem que
apenas ouve a palavra pronunciada. Nossos exemplos, então, não pode ter mais que indicações vagas de um mundo rico em
coisas vistas e ouvidas e provei, que agora está fechado para sempre.
195

Homer não é folk-poesia, a Ilíada ea Odisséia suportar marcas suficientemente evidentes de ter passado por uma civilização complexa. O Edda eo Beowulf não
são de forma poesia germânica primitiva; que encontramos em ambos excesso de requinte e decadência. Sem dúvida há na primeira como na segunda certa, não
negligenciável discernível convencionalismo, uma consequência necessária do fato de que a forma pertence a uma idade mais cedo do que o conteúdo. O estilo
das queimaduras, seja anglo-saxão ou da Islândia, não pode ser absolvido de maneirismo, mas a sua rigidez é nada mais que a antiga linguagem poética levada
às suas últimas conseqüências, e exibindo, assim, em alto relevo as tendências naturais do pensamento primitivo. O rigor do estilo é uma herança de tempos mais
antigos, e a heterogeneidade interna que sentimos em Homer, e, em menor grau, no Beowulf e alguns dos poemas Eddic, é devido à interferência de uma cultura
mais tarde mais realista e impressionista em seu modo de experiência. Devemos estar muito no errada foram nós culpar os rhapsodes de um dia mais tarde para
as contradições nessas imagens; a poesia que está por trás de Homer ea Edda, que 'que criou estas expressões como sua forma, não era nem um pouco mais
natural. É questionável se o poeta da Lay de Atli, que elogia o “anel espalhador” para “manter firme de seu ouro”, e chama Hogni “o piloto bold” no momento em
que ele reside mãos e pés atados, deve ser atribuído ao host epigon para estas linhas. Devemos estar muito no errada foram nós culpar os rhapsodes de um dia
mais tarde para as contradições nessas imagens; a poesia que está por trás de Homer ea Edda, que 'que criou estas expressões como sua forma, não era nem um
pouco mais natural. É questionável se o poeta da Lay de Atli, que elogia o “anel espalhador” para “manter firme de seu ouro”, e chama Hogni “o piloto bold” no
momento em que ele reside mãos e pés atados, deve ser atribuído ao host epigon para estas linhas. Devemos estar muito no errada foram nós culpar os
rhapsodes de um dia mais tarde para as contradições nessas imagens; a poesia que está por trás de Homer ea Edda, que 'que criou estas expressões como sua
forma, não era nem um pouco mais natural. É questionável se o poeta da Lay de Atli, que elogia o “anel espalhador” para “manter firme de seu ouro”, e chama
Hogni “o piloto bold” no momento em que ele reside mãos e pés atados, deve ser atribuído ao host epigon para estas linhas.

Como essa poesia fala, assim falou o povo fora do meio do qual o épico surgiu. As imagens poéticas em que a observação
aguçada e a tendência de associação de idéias são peculiarmente combinados, não são um produto de estilo, mas a expressão
inevitável do modo de pensamento destes homens distantes, espelhando estimativa dos seus heróis e de si mesmo das
pessoas. aparência dos homens para fora, suas roupas, seu modo de movimento, bem como a sua maneira de expressar-se,
são, na poesia heróica, determinada por um certo decoro poético; um herói que não pronuncia diante de seus sentimentos no
estilo tradicional, um herói, que se sofre a ser nomeado sem o título de atributos -Todos armados ou negrito, ou de cabelos
compridos que qualquer homem livre deve reclamar se ele tem alguma

196

auto-respeito - um tal pode ser comparado a um rei sentado em seu trono em sua camisola. O príncipe germânica deve ser
quaisquer que sejam as circunstâncias reais contente de espírito, alegre e gentil; quando Grendel oprime Heorot, Hrothgar é
tudo a mesma coisa o prazer de espírito Hrothgar, o bom rei, que em toda a sua tristeza não tinha nada a censurar-se. Um
homem deve ser eadig, firme em sua sorte; e quando Hrethel morre de tristeza pelo ato covarde de seu filho, o poeta não pode
alienar-lo do título eadig, mais do que Noah pode deixar de ser o homem de sorte, quando ele encontra-se embriagado com
vinho e envergonhados diante de seu filho. Encontra-se na natureza dos homens saudáveis ​para ser vitorioso, e nenhum perigo
pode privá-los de suas características humanas. Quando os heróis de Israel estão sentados na parede com medo de que o
amanhã é trazer, olhando para o acampamento ameaça dos assírios, o poeta anglo-saxão não pode deixar de imagem Judith
como dando “o victorfolk boa saudação”, e mais tarde chamando-lhes: “heróis do YE de vitória, eis que a cabeça de
Holofernes.” o decoro é muito mais profundo do que todos etiqueta poética ou social. Ela está relacionada com a solidez das
próprias pessoas, o que torna impossível para eles para adaptar o seu comportamento ao que uma única situação pode exigir.

poesia moderna toma como ponto de partida a fragmentária em manifestação humana; quaisquer que sejam os homens podem
ser ocupadas com um para o outro, se a discutir os assuntos mais profundos do coração e paixão, ou que exerçam uma
conversa todos os dias, se eles estão lutando ou fazendo amor, eles mostram apenas um pequeno segmento iluminado da alma
para o outro; o melhor
parte de sua vida da alma encontra-se na escuridão, apenas a adivinhado, ou acesa em lampejos ocasionais por uma luz fugaz. Mas
os heróis de antigamente são invariavelmente apresentados dentro a rodada. Eles são como aquelas figuras bem conhecidas em
pinturas primitivas, lado-on para quem vê, e ainda olhando para ele com os dois olhos. Eles não podem confiar em nós para
entender uma coisa apenas por implicação, porque eles são incapazes de fazê-lo eles mesmos; a consciência de toda a sua vida
anterior, as obrigações e os privilégios da sua posição, até mesmo de todo o passado da sua raça, é sempre no primeiro plano da
sua mente. Quando seu discurso um com

197

outros toques tais profundidades desproporcionais, que remontam às relações familiares e história familiar, indo além de todos
os limites da situação que trouxe para conversar, isso é apenas uma entre muitas expressões de seu senso de inteireza.
Quando retentores do rei levar a noiva de seu senhor para a câmara nupcial, sentem-se como shieldbearing, apesar de seus
escudos de madeira de tília são pendurados acima dos seus lugares no corredor. Quando os homens colocar pedra sobre
pedra e ver a parede gradualmente subindo, eles nenhum sentir a menos o aperto do punho da espada em suas mãos; É a
espada portadores que estão construindo. Quando eles se sentam para comer e beber, eles não podem por um momento
deixar de lado o seu valor e notoriedade, mesmo nesta ocupação comum de toda a humanidade. Mesmo que tiram toda a sua
armadura e ir para a cama, ele ainda deve ser o-mail folheados, espada em punho herói, cavalo-domesticação que
aconchega-se debaixo do cobertor. E sempre que um golpe, os ouvintes devem entender que não reside em que golpe toda a
tradição de uma raça, a impetuosidade de um herói, a sede indomável de vingança de um filho, ou mais corretamente, este
peso no golpe força a toda a título do herói, com espuma e antepassado, no verso.

Não são os homens sozinhos que empurram toda a sua personalidade aos espectadores a cada passo. Homer sabe que a rainha
descansando com seu marido no leito nupcial é sweepingrobed. Quando Judith deixa o acampamento dos assírios que carrega a
cabeça de seu inimigo, ela caminha para trás em toda a sua dignidade de rainha, como o sábio, o forte em ação, o
branco-marcada, como o-ring enfeitado; mas nem ela nem qualquer outra senhora germânica de nascimento elevado jamais iria
aparecer de outra forma, seja qual for o seu objetivo ou missão. Wealhtheow, rainha dos dinamarqueses, passeios goldbedecked
pelo corredor, saudando os homens; os nobres mãos dame primeiro o copo ao rei, finalmente ela vem, a rainha enfeitado-ring, o
forte de alma, para o lugar onde Beowulf senta, e cumprimenta o príncipe dos Geats sábio nas palavras.

E, como homens e mulheres são, por isso, é o mundo e com o qual eles vivem. A mesma solidez é evidente em tudo o que
se apresenta ao pensamento ou sentimento. O cavalo esperando pelo seus títulos está lá como o corredor veloz, e o
cavalo que corre

198

através das corridas simples como o fair-guará, single-hoofed como sempre é. Vindo de longe, vê-se não apenas a
porta e frente de uma casa, mas, ao mesmo tempo, o conjunto dos seus compromissos, o seu esplendor, e a vida
dentro. O castelo que os viajantes abordagem não é só alta-teto - de modo que os que estavam sentados nos bancos
não precisa se sentir o teto próximo acima de suas cabeças -, não só é grande - com sala de banco por um anfitrião
grande -; mas é iluminado com o brilho e reflexão de armas, e cheio de ouro e tesouros. O andarilho espies da estrada
longe do burgo de muros altos, vê - a partir da estrada na distância - salas elevando-se sobre tesouros, vê casas saltou
sobre o ouro vermelho. Não é de outra forma, podemos levá-lo, com as colinas que se erguem como bancos de azul no
horizonte; para quem os sabe de ter muitas vezes vagava lá,
colinas, os montes de caminhos obscuros. Ao pensar em seu país distante, o Northman provavelmente moldar suas
palavras tanto quanto aqueles do herói homérico: “entre Troy e Phtia existem duas montanhas obscuros e um mar que
ruge.” Quando um homem pula para o chão, ou cai sobre as costas, o local seu corpo cobre é ainda: a terra das muitas
estradas, o milho de suporte, a alimentação-muitos, ou a grandes. Então, falar os helenos, e os nórdicos dizer da serpente
que ser-se arrasta sobre o ventre da terra ampla.

Esta plenitude e abrangência da idéia não pertence exclusivamente ao discurso poético; é inerente à linguagem e deixa
sua marca em fraseologia legal até à Idade Média. O advogado que diz relva deve adicionar verde; assassinos, ladrões e
tal como o povo deve ser enterrado na praia “onde o mar encontra a relva verde”, como os decretos Lawbook
noruegueses. Ele não pode nomear ouro sem estilo-lo vermelho ou brilhando, nem prata, sem adição de branco; no
idioma preciso do direito, dia é dia brilhante e noite é darksome ou da noite escura.

Há, de Homer dois estratos, facilmente um distinguível de outro. Por um lado, que representado por comparações, as
imagens elaboradas introduzidas com um “gosto de ...“: “Como Leste e do Sul em rivalidade abalar os densos bosques
nas fendas da montanha, e faias e cinzas e esbelta de casca

199

cornel chicote uns aos outros no ruído temível com seus galhos projetando, enquanto clamor dos troncos estilhaçando
surge, então invadiram os troianos e aqueus juntos, e feriu o outro; nenhum pensou de voo”. O homem que fala tem,
assim, sua mente cheia de uma situação, uma imagem momentânea; a cena antes de seu olho interno se expande para
todos os lados, e abre vistas em redor, para outras visões novamente. O poeta recebe todas as associações de ideias, e
persegue em gozo calma a mais ampla dessas estradas a situação se abre para ele. Este é o espírito moderno da
experiência. É outro modo com as imagens contidas em expressões tais como “os bois-arrastando pé”, “a terra
muitos-pathed”, “a onda azul”; estes não são criaturas do momento, mas, pelo contrário, um produto de anos de
experiência. Aqui, não é o poeta que persegue, mas a idéia que atrai e obriga-o, estando arraigados longe para baixo na
profundidade de sua alma. A metáfora é mais antiga do que o símile. Ele fala de um tempo em que a alma nunca viveu em
impressões sensoriais individuais, quando ela poderia talvez, como wakefully como agora, aceitar tudo o que se
apresentava aos sentidos, mas sem parar na impressão isolado, em vez agitando suas experiências juntos em um
abrangente idéia. O homem da metáfora pode ser dito para se lembrar com todos os seus sentidos. Mas todas as suas
experiências de qualquer objeto dado exercer uma atração mútua de um para o outro, e entrar em uma unidade
indissolúvel. Cada nova observação é elaborado por aqueles anteriormente feitas e formas com eles uma unidade, de
modo que as imagens que vivem na alma, com toda a sua verdade natural, sua precisão e força, não são ideias
individuais, mas ideais universais,

Este modo de pensar chama os homens a conta em cada momento por suas ações e seu ser, reconhecendo nenhuma
distinção entre diferentes oficial e eus privadas, - tal como agora desfrutar. Os números nos encontramos com na poesia
antiga e na história antiga, não pode ser dividido em público e a personalidade privada, o homem do comum e do homem
da ocasião especial, em rei, marido, homem, juiz, conselheiro, guerreiro. Não se pode dizer “homem” sem pensar
“armada”; e, portanto, quando
200

pronunciamos a última palavra, o pensamento se acumula o todo. Há, portanto, nada artificial na expressão de Caedmon:
“o único armado e sua mulher, Eva”. Ele pode atacar estranhamente em nossos ouvidos para ouvir Jesus chamado de
“anel-doador” e seus discípulos referido como o guarda-costas, os guerreiros corajosos. Mas para a mente germânica era
impossível evitar essas expressões, enquanto o antigo círculo de pensamento permaneceu intacta. Não havia nenhum
pensamento real de Jesus como varrer todo o país sobre uma expedição de Viking; o poeta nem sequer dizer
“ring-doador” porque era o costume para rimar homem com generosidade. Jesus era o Senhor, os discípulos os homens;
Jesus era o homem de sorte, seus discípulos aqueles que participavam de sua sorte, e a relação entre o mestre e os
homens não poderia ser apreendido na qualidade de uma fração;

A idéia de um lobo ou de uma águia é composta de todas as experiências acumuladas em diferentes momentos anente a vida e
caráter, das criaturas nomeadas; seus hábitos e aparência, suas vontades e propensões. E para que o animal se destaca como um
todo inseparável, vivendo sua vida sem levar em conta o seu lugar em um sistema classificatório, possuindo os seus membros e as
suas qualidades de uma forma muito mais absoluto do que hoje em dia. Para o pensamento foi tão completamente dominado pela
idéia de totalidade, que carece de toda a tendência para tomar o mundo em secção transversal, analisando, por exemplo, o reino
animal em cabeças e corpos, pernas e cauda, ​ou a floresta em folha, ramo , tronco e raiz. As partes separadas simplesmente não
têm em si mesmos a realidade independente necessária para produzir tal palavra-fórmulas como: perna ou na cabeça. Uma cabeça
só é concebida como a cabeça de um animal particular, deve ser a cabeça de um cão, ou uma cabeça de lobo, ou alguma outra
variedade individual de cabeça. Mesmo um salto visto frente no caminho terá um caráter particular, será a pressa deste ou daquele
animal, não um movimento em geral.

Assim, não é o conto de fadas só que vive sobre a arte de evocar um organismo inteiro de uma única garra, um fio de cabelo,
um fio. O velho provérbio: “onde eu vejo os ouvidos, não espero o lobo”, realizada bom entre os homens primitivos em um
muito mais literal

201

sentido do que com a gente; no primeiro vislumbre dessas duas orelhas, o lobo saltou, correu, trazendo consigo uma atmosfera
inteira, definindo todos os sentidos para o trabalho, de modo que o olho viu o seu trote, seu olhar furtivo por trás, o amarelo sujo de
sua pele; de modo que o nariz perfumado que, a mão sentiu uma sensação de cócegas como de cabelo eriçado. E não só trazer sua
atmosfera quando se trata, mas ele se espalha um ambiente inteiro sobre ele. Ele entra em cena como um personagem, e irradia
seus hábitos, sua maneira de vida fora em um pequeno mundo próprio.

É, mas raramente que encontramos, na língua popular, qualquer menção de tais generalidades como “árvore” ou “besta”. A terra tem as
suas crescimentos de carvalho, faia, freixo, ulmeiro, abeto; Seus habitantes, lobo, urso, cervos, águia, corvo, serpente. A maldição de
proscrição, na Escandinávia, é válido “, tanto quanto
abeto cresce”. O provérbio no sentido de que a carne de um homem é veneno corre de outro homem, em seu equivalente norte
assim: “o que é raspada uma carvalho tudo é para o bem do outro.” "O abeto
que está sozinho vai apodrecer”, nem casca nem folha pode protegê-lo. É um bom presságio quando o lobo se ouve
uivando sob os ramos da cinza. A grande árvore-mundo não é chamado de
árvore de Yggdrasil, mas o cinza de Yggdrasil. E a poesia mantém, aqui como em outros lugares, o antigo senso de realidade.
Sigrun fica esperando em vão pelo túmulo do Helgi: “Agora ele estava vindo um que tinha em mente para vir; não há esperança
agora, pela águias sentar já empoleirado na cinza
e dormir é em seus olhos.”“Lonely sou eu agora como o trêmulo sobre o projeto de lei”(quando os seus companheiros murcharam um por um)
- executa assim plaint de Gudrun.
Na língua falada nas estepes, as charnecas, nas florestas, termos específicos e classificar jogar, mas uma parte
insignificante. Os termos gerais cair completamente para o fundo; eles formam, mas a sombra da realidade, não o caule
da própria realidade, como eles estão conosco. As manifestações individuais estão tão abruptamente um contra outro,
levantai-lo independentemente do solo natural, que eles não podem ter contato imediato com o outro; e, portanto, o
arranjo sistemático em animais e plantas, em espécies e classes que para nós é de interesse primário, não tem
fundamento em tudo.

202

Integridade e independência, estas são as duas principais qualidades de imagens no modo simples de pensamento que ainda mostra através das ramificações
da poesia heróica, e para o qual encontramos paralelos sobre nós entre os povos não-europeus. Nossas palavras são ampla e vaga, porque nós ver e sentir
coisas vagamente e, consequentemente, nos preocupar mais com a interação dos fenômenos do que com objetos reais. O nosso mundo é construído sobre
generalidades e abstrações, e as realidades da vida recuar para trás os “fatos” incolores, como lhes chamamos, de causa e efeito, as leis e as forças e
tendências. As palavras de corridas antigas e primitivas são estreitas e preciso, respondendo à experiência de homens que não correm os olhos sobre a
natureza, mas olhou atentamente para cada objeto e levou em suas características, até que cada item estava diante de seus olhos interiores em sua plenitude,
como uma coisa única. Este definiteness de experiência dificulta seriamente análise e classificação, mas isso não significa que a vida espiritual é mantido até
uma simples verificação dos factos reais, ou que as idéias são um mero reconhecimento das impressões. Pelo contrário, as idéias têm, para estes pensadores, a
força e influência que pode às vezes levar estranhos para considerar os bárbaros como os filósofos todos; A verdade, porém, é que eles são distintos dos
filósofos pela própria força e poder e da realidade de suas idéias. ou que as idéias são um mero reconhecimento das impressões. Pelo contrário, as idéias têm,
para estes pensadores, a força e influência que pode às vezes levar estranhos para considerar os bárbaros como os filósofos todos; A verdade, porém, é que
eles são distintos dos filósofos pela própria força e poder e da realidade de suas idéias. ou que as idéias são um mero reconhecimento das impressões. Pelo
contrário, as idéias têm, para estes pensadores, a força e influência que pode às vezes levar estranhos para considerar os bárbaros como os filósofos todos; A
verdade, porém, é que eles são distintos dos filósofos pela própria força e poder e da realidade de suas idéias.

As concepções que compõem o corpo de nossa vida espiritual, tais como cor, beleza, cavalo, homem, existem por si mesmos, nos
intervalos entre as coisas do mundo, e as nossas sensações são, mas as estacas em que eles estão pendurados. Na mente
primitiva, cada idéia está firmemente ligado a um objeto; a coisa é vista em sua perspectiva, como se fosse. Respondendo ao âmbito
estrito da palavra, encontramos uma profundidade vertiginosa em sua idéia, já que isso por si só inclui tudo o que pode ser
considerado o objeto nomeado. O significado não se restringe a cobrir apenas o corpo de coisas, mas abraça a sua alma, na mesma
intensidade. Na ideia de “carvalho” encontra-se tudo o que se possa pensar quercus; a partir do próprio carvalho à medida que sobe
antes do olho, ou pode ser sentida com as mãos, de seu discurso, sua forma, sua maneira peculiar de se mover, sua fertilidade, e
similares, para “oakness”, o estado de ser carvalho, a qualidade

203

o que torna uma uma árvore de carvalho. Tão abrangente é o pensamento, e tão intimamente enrolado sobre a realidade. A
profundidade total da palavra não é atingido até que chegamos ao estado de puro ser, um ser que em relação a espiritualidade tem
toda pretensão de admissão entre a empresa das maiores idéias, mas que difere, no entanto, a partir de nossos resumos
veneráveis ​em ter um caractere acentuado; um ser puro, em que se encontram predestinadas as qualidades de folhas de lóbulos,
galhos retorcidos, crescimento de largo coroado, comestíveis shell-frutas.

Esforçando-se agora para rastrear esses pensamentos, pode ser que o esforço nos sentimos na tarefa involuntariamente aplica-se a
nossa estimativa desses pensadores antigos, e nos induz a pensar neles como raciocinadores profundas. E ainda há um perigo maior
que o movimento de nossos pensamentos podem ser transferidos para as ideias que estão a seguir, de modo que nós imaginamos
idéias primitivas
como algo complexo ou complicado. Para nós que se esforçam para pensar novamente os estranhos pensamentos de um estranho, a dificuldade está em
primeiro lugar em manter firme da unidade e da proibição de qualquer suspeita de devaneio e profundidade. idéia primitiva não é criado por uma reflexão em que
algo é abstraído da realidade, nem por uma análise perder os elementos separados de sua conexão e reorganizando-os em categorias lógicas - pelo contrário,
depende de uma visão total, cuja natureza é inimiga para todas as análises. Chamamos a idéia de carvalho primitiva - oakness dois lados, mas com justificação
apenas condicional, na medida em que as idéias dos povos primitivos não contêm qualquer coisa que possa ser adequadamente chamado dualista. Ele aponta
simultaneamente para fora em direção a algo espiritual e algo material, mas não tem costura nele onde a matéria eo espírito se encontram. Idéia e realidade,
aquilo que é percebido eo que é sentida, são idênticos; são, por assim dizer, dois pólos opostos da concepção. Podemos começar com o concreto; com um lobo,
uma pedra; e, gradualmente, através de seu caráter e qualidades, a sua natureza má e boa vontade, a sua mobilidade e peso, chegar às qualidades de wolfness e
stoneness, tão sutil quanto qualquer filósofo poderia girá-lo, e ainda, ao mesmo tempo tão forte em sua realidade como qualquer impressão sensorial. E podemos
começar com uma “força”, sua mobilidade e peso, chegar às qualidades de wolfness e stoneness, tão sutil quanto qualquer filósofo poderia girá-lo, e ainda, ao
mesmo tempo tão forte em sua realidade como qualquer impressão sensorial. E podemos começar com uma “força”, sua mobilidade e peso, chegar às qualidades
de wolfness e stoneness, tão sutil quanto qualquer filósofo poderia girá-lo, e ainda, ao mesmo tempo tão forte em sua realidade como qualquer impressão
sensorial. E podemos começar com uma “força”,

204

a força de ser um lobo, uma pedra, e através dos efeitos produzidos por essa força chegar mais uma vez para os objetos
sólidos antes de nós. Nós podemos avançar ou retroceder de pólo a pólo, sem qualquer cambalhota, sem sequer a pequena
hop menos. A conexão é ininterrupta, porque o pensamento nunca em qualquer ponto perde a preensão da idéia de uma
limitação no caráter e forma.

As coisas do nosso mundo são planas e uma silhueta semelhante a tal ponto que eles sombra em um outro e se fundem em
tais entidades vagas como “natureza” ou “mundo”. fatos primitivos são objetos allround e formas que se destacam livre do
fundo, e quando nossa frase abrangente “todo o mundo” é traduzida em idade Norse, que assume esta forma: “Tanto quanto
os homens cristãos vão à igreja, homens pagãos adoram, fogo irrompe, terra dá frutos, filho chama mãe, mãe amamenta o
filho, os que acendem fogo, avanços navio, escudos flash, sol brilha, montes de neve, abeto cresce, falcão voa o dia de
primavera-tempo, quando o vento está cheio sob suas asas , abóbadas céu, a terra é povoado, vento uiva, a água flui para o
mar, Carles colher o milho “.

Assim, somos levados a ver que a forma primitiva de retratar a vida é realista no verdadeiro sentido da palavra. O formulæ épico,
como somos capazes de chamá-los, pintar o mundo como ele é, mas o seu mundo é muito diferente do lugar em que nos
movemos e temos nosso ser. Os homens primitivos diferem dos europeus não em teorias sobre a realidade, mas na própria
realidade.
CAPÍTULO VII

Vida e alma

É um fato triste que as pesquisas modernas em pensamento primitivo levaram-nos cada vez mais longe de qualquer real compreensão de culturas e religiões
estrangeiras. E a razão não é difícil de encontrar. O Europeu é dificultada pela sua fé ingênua em seu próprio sistema e sua própria lógica como a medida de
todas as coisas; o missionário e etnólogo invariavelmente tentar forçar um esquema de ready-made em culturas de radicalmente diferentes padrões, da mesma
forma como linguistas anteriormente arranjado todas as línguas após o esquema de gramática latina; assim como a introdução de gerúndio e supino e ablativo só
serviu para obscurecer a estrutura de línguas indígenas ou australianos, por isso o nosso dualismo rígido não pode deixar de distorcer psicologia primitiva. Os
escandinavos, os gregos, os hindus, os israelitas, bem como os índios e os australianos foram examinados pelo catecismo: o que você acha sobre a alma, como
você concebe a interação entre corpo e alma, o que acontece com a alma quando se deixa o corpo, como se o dualismo helênico e europeu, uma vez que está
incorporada no catecismo e os manuais de psicologia estavam na raiz de toda a experiência. Por tal exame de fora, fatos pode sem dúvida ser trazido à luz, mas
os fatos são muitas vezes pior do que falsa, porque eles são arrancados de sua coerência natural. Sem uma compreensão do pensamento primitivo como um
todo coerente, falar de vida e morte, a alma eo corpo dos nossos antepassados ​seria incompreensível. o que acontece com a alma quando se deixa o corpo,
como se o dualismo helênico e europeu, uma vez que está incorporada no catecismo e os manuais de psicologia estavam na raiz de toda a experiência. Por tal
exame de fora, fatos pode sem dúvida ser trazido à luz, mas os fatos são muitas vezes pior do que falsa, porque eles são arrancados de sua coerência natural.
Sem uma compreensão do pensamento primitivo como um todo coerente, falar de vida e morte, a alma eo corpo dos nossos antepassados ​seria incompreensível.
o que acontece com a alma quando se deixa o corpo, como se o dualismo helênico e europeu, uma vez que está incorporada no catecismo e os manuais de
psicologia estavam na raiz de toda a experiência. Por tal exame de fora, fatos pode sem dúvida ser trazido à luz, mas os fatos são muitas vezes pior do que falsa,
porque eles são arrancados de sua coerência natural. Sem uma compreensão do pensamento primitivo como um todo coerente, falar de vida e morte, a alma eo
corpo dos nossos antepassados ​seria incompreensível. porque eles são arrancados de sua coerência natural. Sem uma compreensão do pensamento primitivo como um todo coerente, falar de vid

Todos os povos reconhecer um corpo e uma alma, ou melhor, um material e um lado espiritual para tudo o que existe. O pássaro tem
um

206

corpo que é levantado no ar, e ele tem uma alma que lhe permite voar, bem como para atacar com seu bico. Assim também a
pedra é um corpo, mas neste corpo há uma alma que quer, e permite que a pedra para fazer mal, a morder e atacar e esmagar;
uma alma que lhe confere a sua dureza, o seu movimento de rolamento, o seu poder de profetizar o tempo ou mostrando o
caminho.

Até agora - na medida do estabelecimento de alma e corpo como duas metades de existência - que pode ir com segurança em nossa
análise do modo antigo de pensar. Mas assim que nós nos esforçamos para dar a cada metade a sua participação adequada e
delimitar o seu âmbito de influência como contra os outros de, caímos de uma dificuldade para outro. Se começarmos pela busca da
alma no corpo, podemos dividir e dissecá-lo no sentido do comprimento e do outro lado, nunca podemos alcançar a definir o nosso
dedo sobre o local onde ele não é, nem no local onde se exclusivamente reside. E se continuar a examinar as qualidades da coisa, um
por um, como um teste na esperança de obter a coisa separados em um lado ativo, a iniciativa, a da alma, e, obediente, parte
executiva mais lento, que do corpo, vamos acabar com tanta certeza nas definições arbitrárias; veremos em breve encontrar-nos
obrigados a distinguir na nossa própria responsabilidade, se quisermos preservar o sistema. Não há nenhuma costura de ser
encontrado. A indicação fiável do que é a alma eo que é corpo em pedra ou pássaro de acordo com o pensamento primitivo é uma
coisa impossível descobrir.

Não é difícil, no entanto, para encontrar a alma; onde quer que entender, seja pedra ou animal ou árvore, que se apoderam dele.
Ele vem em nossa direção consciente de si mesma, como uma coisa que sabe e testamentos, age e sofre - em outras palavras,
como uma personalidade. Podemos acrescentar, tanto quanto o Teutous estão em causa, que o corpo é a sede de uma alma. Isto
é, que não reside em um pouco mannikin, que anima e coloca em movimento, guias e dirige, e em certas ocasiões, impaciente do
seu meio desajeitado, estabelece nua para o mundo e resolve as coisas por conta própria. Há sim
sem dúvida, algo na ideia de que keensighted popular ter visto um pouco sprite, ou um pequeno animal de deixar o corpo, e
deslizar novamente quando se pensava que ninguém estava olhando; e este sprite pequeno era a alma. Mas na tentativa de
compreender a

207

alma e desenhá-lo para a luz, para que possamos observar a sua forma e outras peculiaridades, vamos logo descobrir que ele zomba
de nós por escorrendo para fora através das malhas da web que se teceu em deixar-se aparecer como um ser pessoal, em humanos
moldar ou a semelhança de um animal. A alma que era, mas agora de modo firme em qualidades, tão grande na personalidade, se
dissolve em uma névoa de poder; moldando-se a e enchendo o espaço que pode ser, ou melhor, mesmo sem a limitação de
independência, de modo que possa ser assimilado por outras almas como uma qualidade. A alma de um homem pode residir em uma
pedra ou uma espada, pode entrar como uma potência em um fellowman por um toque ou uma respiração, aumentando a força do
receptor ou astúcia. A alma que foi apenas um momento atrás tão independente revela-se como uma coisa neutra que é o oposto
polar da personalidade.

Mas mesmo agora seus truques não estão no fim. Passo a passo, ou graus, ele escapa entre os dedos a formas mais
e mais espiritual da existência; poder, qualidade, vontade, influência -
Não há nenhum lugar ele pode ser parado. Estamos sempre atrás, agarrando apenas a sua transformação; e quando temos a
persegui-lo através de todas as existências, desde que fica na transição a partir de material para espiritual, através dos
refinamentos mais e mais espirituais, até o limite onde pensamos que podemos verificá-lo à beira do nada absoluto, ele muda
em mais de um estado de nossa linguagem não pode expressar, mas que podem ser mais quase prestados por nossa energia
palavra, ou mesmo princípio. Ela se manifesta de repente como a vida. E se, em seguida, são ousados ​e astuto o suficiente
para se agarrar a ele a fim de arrancá-lo do seu corpo e mantê-lo rápido, bloqueá-lo afastado para ver o que acontece com a
coisa sem ele, então nós achamos que era existência em si, a própria sendo, que segurou. Era a alma que fez a pedra dura, eo
pássaro voando, mas também era a alma que permitiu pássaro e pedra para ser em tudo. Sem alma, sem ser; de tirar a vida
de uma pedra é o mesmo que fazer isso desaparecer no nada absoluto.

Mas isso é mais do que mentiras em nosso poder. Rasgar existência - isso não podemos fazer. Mas podemos apegar. Apesar de todas as
suas transformações, a alma não é crescido muito espiritual para mãos humanas

208

compreender. E se esmagá-la em nossos dedos, vamos encontrar mais cedo ou mais tarde que dói. Em pouco tempo, a vida dá à luz a
um disco objeto cortante, afiada entre nossos dedos. Se tivermos coragem e inteligência suficiente para seguir a alma em todas as suas
formas e segurá-la sem ceder, então deve em algum momento ou outro retomar a sua primeira forma e responder com toda a sua
personalidade. Em seguida, ele deve ficar para trás, não apenas visível e material, mas na forma em que aparece como uma parte do
mundo.

Só então é a transformação completa. Agora que aprendemos o segredo da vida na experiência primitiva. A alma é algo
mais do que o corpo, como é visto e sentido na realidade de preenchimento de espaço, mas não é nada fora do material.
Quando não podemos encontrar o limite entre o interior eo exterior, não há nada a ser feito, mas dar verdade o crédito, e
dizer que o corpo é uma parte da alma, ou mesmo a própria alma. No momento em que agarrar uma pedra firmemente na
mão, nós agarrou a alma da pedra, é a alma que pode sentir. É sempre possível para o corpo para ser sugado pela alma
e desaparecer, a emergir para a luz novamente em outro momento. O espiritual pode deixar o material para revelar-se sob
outras formas; mas quando aparece e permite-se ser visto, ouvido, sentido, então a manifestação ocorre em virtude de
que a natureza da alma possui. No entanto longe ele pode ir, ele ainda tem a matéria ligada nele. Até certo ponto, é
possível falar de alma e corpo, mas a distinção não vai tão profundo que é possível arrancar um do outro.

A alma não pode ser preso em qualquer um dos nossos formulæ estreita. A linguagem nos dá uma dica para construir nossos
pensamentos de largura, e ao mesmo tempo um aviso para não trazer muitos desses distinções que são tão úteis em nosso mundo.
Temos de começar com o material, passar por
- Não round - personalidade com a sua vontade e sentimentos, desde que fora para o neutro, o que chamamos de vida, ainda mais
uma vez ao longo da vida para o ideal, a existência, sendo, e somente lá, no poder simples de ser, podemos encontrar o limite da
alma.

Mas quando atingimos até agora, para o fundo da única alma, a maneira pára de repente, apenas no ponto onde

209

à nossa imaginação todas as estradas se encontram. Quando, em nossa própria filosofia, chegamos a profundidade a que
chamamos vida ou existência, sentimo-nos em pé na entrada para a origem de tudo, o bem-mola que se abre para uma rede
de canais de alma para alma. A vida é para nós uma força incolor que é capaz de inspirar qualquer número de formas
diferentes, e nosso problema da vida reside em explicar como a um e tudo se transforma as formas múltiplas do mundo. É
outro modo com o pensador prático. Para ele, todo o pensamento cessa neste momento. Entre as almas, não está definido que
mais impenetrável de todas as barreiras, uma lacuna, um vazio, o nada. A separação é absoluta, desde o fato de que ele não
consiste em uma parede construída pelo próprio pensamento, mas na falta de tudo conjectura e na falta de tudo incentivo para
especular, porque todas as coisas do mundo são completos em si mesmos. Involuntariamente sentimos que na vida palavra, ou
a existência como nós deveria dizer, aí reside um convite a especular sobre a condição comum de tudo o que existe. Mas, na
cultura primitiva, essa pergunta nunca pode surgir para exigir uma resposta, porque ele pode encontrar nenhum ponto de apoio
na base dada.

Vida, existência, tão grande é a idéia da alma, mas a extensão dessa sentença só é realizado quando podemos transformá-lo
sobre: ​alma, tão estreita é a idéia da existência. A vida não é uma coisa comum, algo de conexão, mas sim aquele que faz a
maior distinção do mundo; não um apoio universal, mas uma qualidade individual. A vida é sempre determinado como a
personagem. Ele explica, nay em vez disso, ele contém tudo o que distingue o possuidor de vida de todos os outros seres, que
contém todas as suas qualidades e habilidades, todas as suas tendências e necessidades, ele contém o mesmo com a estrutura
de seu corpo.

Qual a profundidade da distinção é entre os nossos pensamentos e os outros sobre este ponto só se torna claro para nós,
talvez, quando vemos que a alma primitiva atinge mais longe do que a mera pessoa, de modo a abraçar também a esfera da
vida. Não só o modo de vida de um animal, mas também a sua área da vida pertence à sua alma. Poesia mantém uma
reflexão distinta desta ideia de totalidade. O corvo não pode aparecer sem trazer consigo a idéia de escuridão, de
dewy-wingedness; mas não menos seguramente
210

isso traz consigo uma atmosfera toda a carniça. O poeta do anglo-saxão Genesis é totalmente no poder do antigo modo de pensar a este respeito. Em sua fonte
afirma-se que Noé enviou primeiro a sair um corvo da arca, mas ele voou para trás e para a frente até a terra cresceu seca, e isto constitui de si mesmo a seguinte
explicação em sua alma: “Noah pensou que se encontrou nenhuma terra em seu vôo, que seria imediatamente vêm voando de volta sobre as águas largas, mas
esta esperança falhou; assentou-se de bom grado, o escuro de penas, em cima de um cadáver flutuando, e procurou mais longe.”Blackness, a concupiscência dos
carniça, o devorador de cadáveres, até mesmo o próprio cadáver, fazem parte da alma do corvo. Quando o corvo é chamado cobiçosos de batalha, cobiçosos de
abate, isso significa, na realidade, que, assim como um corvo pertence adequadamente para a batalha, então batalha, ou melhor, abate, faz parte da vida do corvo.
O lobo, também, é de natureza carniça, é chamado a besta carniça, mas para isso é preciso acrescentar algo mais, o que é expresso em nome de Heath-walker,
heath-pisa. O deserto é uma parte de sua alma. Ou as palavras adicionais “na floresta” seguir de si, logo que a criatura é chamada; o lobo se alegrou na floresta, o
lobo uivou na floresta, ou melhor, o lobo cinzento na floresta correu sobre a charneca entre os caídos. Ou as palavras adicionais “na floresta” seguir de si, logo que
a criatura é chamada; o lobo se alegrou na floresta, o lobo uivou na floresta, ou melhor, o lobo cinzento na floresta correu sobre a charneca entre os caídos. Ou as
palavras adicionais “na floresta” seguir de si, logo que a criatura é chamada; o lobo se alegrou na floresta, o lobo uivou na floresta, ou melhor, o lobo cinzento na
floresta correu sobre a charneca entre os caídos.

O abismo entre almas é intransitável, chegando até a própria raiz do mundo. Todos os seres subir para cima a partir do solo
final, separar de cima para baixo. Nenhuma ponte é construída em qualquer ponto. Há algo enganador para nós no fato de
que todas as coisas, mesmo que chamamos sem vida, tinha uma alma, e, consequentemente, uma vida. Pode parecer-nos
como se a distância entre as diferentes existências era então bastante menor do que agora, vendo que todas as coisas
estavam unidos na posse de vontade e sentimento, nay mesmo entendimento eo poder de expressão. Mas esta vida não era,
como nós naturalmente imaginar, uma essência comum, e longe de trazer as mil coisas mais perto um do outro manteve-los
rigorosamente separados.

A vida é vontade. Tudo o que é, age porque sente um impulso, sente prazer neste e desprazer na outra. A alma da
pedra, bem como a da árvore e do animal, é preenchido

211

com o desejo e propósito e preferência, mas a vontade da pedra não é o animal de e nem é a do ser humano. Man teve
breve para descobrir que cada um de seus ambientes ama e odeia a seu modo, de acordo com seus princípios inatacáveis
​- segundo sua própria espécie. É esta descoberta que fez o homem tão atento e sensível a todas as manifestações das
almas que o rodeavam. Ai daquele que pensou que as coisas tinham vontade humana e poder humano! Aquele que é lutar
o seu caminho para a frente, e ser capaz de entregar ao dia seguinte suas conquistas de hoje, ele precisa antes de tudo
para entender o que é o seu entorno vontade; toda a educação é dirigido no sentido de dar a novatos alma-conhecimento,
e, assim, permitindo-lhes ocupar a batalha do mundo. Há então, no ser humano, um forte sentido da diferença entre as
paixões e o sell-controle em si mesmo e os poderes espirituais que se chocam com ele por todos os lados. Na variedade
de seus processos rituais, o homem primitivo manifesta o seu poder de distinguir entre as diferentes vontades que operam
em seu mundo. As cerimônias para a obtenção de uma chuva abundante de chuva não são as mesmas que ele emprega
quando ele quer assegurar a boa vontade do búfalo, e os ritos búfalo diferem em sua vez de seus endereços para outros
animais. Nós estamos iludidos pela nossa língua e nossa propensão para usar todas as palavras abstratas no singular;
mas a nossa forma singular “vontade” é o resultado de um trabalho de pensamento que não foi realizada em tudo naqueles
tempos, quando a árvore e do animal e da pedra eram realidades, e não, como eles estão agora, meras sombras na fundo
da natureza. Nós interpretar mal o que chamamos de personificação do homem natural da natureza, porque vemos a
mitologia à luz da filosofia helenística; nossa linguagem poética, bem como a nossa
terminologia científica, é descendente de antropomorfismo de Alexandria, e todas as especulações europeias sobre mitos
e lendas foram dominados pela mentalidade dos estóicos e neoplatônicos que tentou converter os pensamentos gregos
originais sobre a natureza eo homem em um sistema racionalista e sentimental. palavras primitivas que os europeus
traduzem “alma” levar em uma grande parte do significado

212

coberto por nossas palavras “existência” ou “ser”, mas por outro lado, toda a existência primitiva é a vida.

Se quisermos saber como despótico é a vida no Médio-Garth, devemos fazer bem para perguntar por exemplo, se a pedra não é
uma coisa morta. A julgar por todas as analogias de outros povos, e das sugestões contidas na poesia Teutonic e os costumes,
nossos antepassados ​teria sacudido este paradoxo com um gesto de desagrado, como uma coisa não apenas ocioso, mas
completamente sem sentido. Morte, neste contexto, não tinha nenhum significado para eles. Eles não se opõem à idéia, pois eles
simplesmente não conseguem entender o que estava em questão.

A tarefa do homem tem sido a pensar o seu caminho para a frente para a concepção de falta de vida, e ele encontrou a tarefa um duro, de fato. Novamente e
novamente ele manifesta o seu espanto com os fenômenos que parecem se opor à realidade da vida. Ele prefere lutar com hipóteses de transformação,
metamorfose, a mudança de vida em formas que agem em outro sábio. E as estradas aqui são longos. Leva séculos antes que ele explorou-los tão longe que ele
é forçado a girar sobre e enfrentar o problema como um inimigo implacável. Quanto mais perto ele pressiona em cima dele, mais ele se coloca em oposição
teimosa; ele nega a morte, declara-se uma impossibilidade. Ele não vai nem admitir que a terminação da vida faz parte da ordem das coisas; diante dos fatos, ele
recorre a explicação de que a “morte” veio ao mundo através de um mal-entendido. Agora é uma agressão violenta por parte de algo fora de casa dos homens, o
que tem provocado esta perturbação no estado original das coisas; agora é própria tolice do homem que é a culpa, em que alguns corrida longa passado, fez um
passo em falso em algum momento crítico, e pela negligência de alguma regra de vida reduzida a vitalidade geral. E só muito lentamente é essa “morte”, que para
ele é e continua a ser uma única parecendo, aprofundou-se no sentido de uma aniquilação; isto é, ele empurra a vida sobre o ponto saliente, e despeja-lo em um
nada, que ele uma e outra vez concebe como algo positivo, um nada em ser, um buraco enorme. A própria morte, ele nunca encontrou. s própria tolice que é a
culpa, em que alguns corrida longa passado, fez um passo em falso em algum momento crítico, e pela negligência de alguma regra de vida reduzida a vitalidade
geral. E só muito lentamente é essa “morte”, que para ele é e continua a ser uma única parecendo, aprofundou-se no sentido de uma aniquilação; isto é, ele
empurra a vida sobre o ponto saliente, e despeja-lo em um nada, que ele uma e outra vez concebe como algo positivo, um nada em ser, um buraco enorme. A
própria morte, ele nunca encontrou. s própria tolice que é a culpa, em que alguns corrida longa passado, fez um passo em falso em algum momento crítico, e pela
negligência de alguma regra de vida reduzida a vitalidade geral. E só muito lentamente é essa “morte”, que para ele é e continua a ser uma única parecendo,
aprofundou-se no sentido de uma aniquilação; isto é, ele empurra a vida sobre o ponto saliente, e despeja-lo em um nada, que ele uma e outra vez concebe como
algo positivo, um nada em ser, um buraco enorme. A própria morte, ele nunca encontrou. e despeja-lo em um nada, que ele uma e outra vez concebe como algo positivo, um nada em ser, um bura

213

Assim, não é por qualquer dedução de si mesmo aos outros que o homem estabelece uma base da vida sob existência. Quando ele
diz que a vida, ele não pronunciar a palavra como uma descoberta da extensão do que ele imagina. A vida é uma condição sine qua
non para tudo. O homem não tem vida mais descobriram que ele tenha descoberto luz. No pensamento moderno, falta de vida ainda
é apenas uma modificação de vida alcançada por gradualmente deixando de fora as qualidades mais importantes de ser orgânico,
como mover e sentimento; tentamos reduzir a vida em falta de vida, mas tudo o que podemos alcançar é uma negação, nunca são
capazes de estabelecer uma existência de outra ordem, e consequentemente as características da vida transformar-se, logo que
começamos a especular sobre a matéria e morte. A grande diferença entre especulação primitiva e pensamento moderno não
consiste em nossa existência dizendo onde os decisores mito dizer que a vida, mas em nossa estendendo um tipo de vida a todas as
coisas, e assim tornando a vida a base para uma hipótese de unidade. filosofia Europeia emancipou pensamento a partir da
experiência, a tal ponto que se torna possível imaginar toda a natureza, à semelhança do homem. Nós descobrimos, ou melhor,
aprendi com os gregos e levou a
descoberta mais longe, que é a vida humana e da existência humana que reside na planta e pedra. Durante os últimos
três séculos, a tarefa da filosofia e da ciência tem sido privar vida e existência dos recursos humanos mais proeminentes e
reduzi-los a ideias incolores vagas aplicáveis ​a todos os organismos e, em um sentido mais amplo para todos os
fenômenos, mas, mesmo se a vida e existência mudaram nome e agora são chamados de força ou tendência ou lei, eles
não mudaram de caráter e, no formulæ dos evolucionários - para citar apenas um exemplo, na luta pela existência e os
gemidos da natureza - pura antropomorfismo trata de a superfície. Por força deste antropomorfismo nós estabelecemos
uma relação interna entre todas as coisas do mundo. Todas as questões são, portanto, recolheu em um problema: a
origem ea natureza da vida, o significado do mundo. Aqui a diferença vem em que o torna tão difícil para os homens
modernos para entender os pensamentos e os problemas da cultura primitiva. Vida, existência, que é, alma, corpo são
naturalmente usado por nós na forma singular, transmitindo uma

214

generalização da experiência que não tem contrapartida nos tomadores de mito. Para a vida do homem primitivo não é um, mas
legião, as almas não são apenas muitos, mas eles são múltiplas.

A fim de entender os pensamentos de povos estrangeiros, devemos necessariamente converter a sua auto-revelação em nossos
próprios termos, mas nossas palavras estão aptos a realizar tal peso de idéia preconcebida como para esmagar o mito frágeis ou
filosofia no próprio ato de explicação . Se queremos abrir uma comunicação real com nosso semelhante, devemos tomar cuidado para
reavaliar nossas palavras antes de bater palmas los em sua experiência. Na medida do possível, devemos segurar o nosso formulæ
set até que andaram em volta do objeto que ele é confrontado com e olhou para ele de todos os lados. Mas a análise não vai levar-nos
a todos o caminho para a intimidade. A cultura não é uma massa de crenças e idéias, mas uma harmonia equilibrada, e nossa
compreensão depende da nossa capacidade de colocar cada idéia em seu entorno adequadas e determinar seus rolamentos sobre
todas as outras idéias.

idéias primitivas sobre a vida e existência não são nem congruente com os nossos conceitos nem diametralmente oposta
à nossa ciência e psicologia. A crença nas almas não inclui personificação de objetos naturais, mas por outro lado, não
exclui a possibilidade de que Sol ea Terra pode assumir uma aparência semelhante à humana. Na Escandinávia, a
natureza é povoado por poderes em forma humana. Se da terra e fora das colinas diante elfo e anão de pares, uma série
de gigantes abaixo das montanhas, das filhas do mar resposta de Ran, essas atraentes e de coração duro de onda
donzelas, com sua mãe cruel, e em casa no salão da profunda senta venerável Ægir. Ao longo dos céus vão sol e da lua;
Alguns realmente declarar que os dois unidade em carros com cavalos atrelados a seus carrinhos; o sol é perseguido por
dois lobos ávidos de engolir seu corpo brilhando.

Na série antiga Norse de pequenos poemas chamado os enigmas da Heidrek a onda-donzelas jogar com a liberdade
quase de ninfas.
215

Quem são as donzelas que vêm de luto; muitos homens têm entristecido pela sua vinda e, assim, eles conseguem
viver.

Quem são as donzelas que vêm agrupando muitos juntos, eles têm fechaduras justas envolto em um lenço branco; há
maridos têm essas mulheres.

Quem são as viúvas que vêm todos juntos? Raramente são eles misericordioso para voyagers; no vento devem manter vigília.

Quem são as donzelas que vêm em turnos de disjuntores em movimento no meio do fiorde; as mulheres whitehooded encontrar uma cama dura,
mas pouco eles jogam em um ambiente calmo.

Mas estes versos expressam apenas metade dos pensamentos dos norte-homens; os outros meias mentiras indicados nos nomes suportados por aqueles cruéis
louros: um foi chamado de “Heaving”, outro “Céu-brilhante”, um terceiro “Mergulhando”, uma quarta “Cold” e um quinto “Bloody-cabelo” . E essas duas metades
devem ser unidas, se quisermos obter o verdadeiro valor das antigas descrições do mar. Os leitores modernos inconscientemente re-modelo as fotos dos enigmas
sob a influência da poesia contemporânea da natureza. Nossa prestação muda a perspectiva da cena, porque as nossas palavras são repletas de outras
associações, e quando se juntou juntos eles criam uma atmosfera estranha aos antigos poemas. Ao ler estas descrições das ondas quebrando na praia ou das
ondas perseguindo um ao outro em longas filas, nós apreciar a vista de formas claras, e nós farejar no pulverizador de sal dos disjuntores, mas esta reconstrução
do nosso é ao mesmo tempo muito plástico e muito impressionista, porque de acordo com o nosso modo de experiência é a enorme sensação do momento que
busca uma saída em imagens poéticas. As palavras antigas não se reproduzem as impressões dos humores do momento, e, a fim de recuperar a profundidade da
imagem velha que deve substituir as alusões modernos e seus valores emocionais com as dicas veiculadas nos nomes dos wave-donzelas, mergulhando ou frio
ou Bloody-cabelos, que quebrar a imagem bonita de ninfas-limbed limpo e, ao mesmo tempo banir todas as emoções despertadas pela beleza momentânea do
mar. “Muito tem Ran reft de mim; o mar tem dividido os laços de minha corrida”, assim mas esta reconstrução do nosso é ao mesmo tempo muito plástico e muito
impressionista, porque de acordo com o nosso modo de experiência é a enorme sensação do momento que busca uma saída em imagens poéticas. As palavras
antigas não se reproduzem as impressões dos humores do momento, e, a fim de recuperar a profundidade da imagem velha que deve substituir as alusões
modernos e seus valores emocionais com as dicas veiculadas nos nomes dos wave-donzelas, mergulhando ou frio ou Bloody-cabelos, que quebrar a imagem
bonita de ninfas-limbed limpo e, ao mesmo tempo banir todas as emoções despertadas pela beleza momentânea do mar. “Muito tem Ran reft de mim; o mar tem
dividido os laços de minha corrida”, assim mas esta reconstrução do nosso é ao mesmo tempo muito plástico e muito impressionista, porque de acordo com o
nosso modo de experiência é a enorme sensação do momento que busca uma saída em imagens poéticas. As palavras antigas não se reproduzem as impressões
dos humores do momento, e, a fim de recuperar a profundidade da imagem velha que deve substituir as alusões modernos e seus valores emocionais com as dicas veiculadas nos nomes dos wave

216

Egil geme quando seu filho foi afogado, e suas palavras podem ser tomadas no sentido de que ele tem visto Ran de pé
como uma mulher temível com as mãos agarrando o que lhe pertencia. “Moça do Ægir”, ele grita com ela em seu desafio
desafiador. Mas os poetas poderia, mesmo em tempos históricos final, falar de Ran e Ægir como o mar eram, sem
velando sua personalidade. “O cavalo do mar-montes rasga o peito para fora da boca de Ran branco”, diz um discurso
escaldadura de um navio arar seu caminho através do mar; outro descreve um navio que mergulha fortemente, nestas
linhas: “O Ran molhado-cool leva tempo após o tempo do vaso para baixo a mandíbula de Ægir.” O poeta do Lay de
Helgi agora ouve (ou seja, do frio) irmã e longos quilhas de Kolga correndo junto com um rugido de disjuntores, e no
momento seguinte vê Ægir'

Da mesma forma Terra é ao mesmo tempo uma mulher, gritando, ameaçando ou conceber e dar à luz a crianças, em outro
momento, ela é capaz de esmorecer ou de enterrar os homens em seu ventre. Um momento de um rio sobe como um homem para
desafiar o wader, no momento seguinte ele corre como uma inundação no seu inimigo e afoga-lo em sua fúria das águas. Em um
poema laudatório sobre
Earl Hakon, Hallfred procura impressionar seus ouvintes que o chefe arrivista do Norte tem realmente conquistou a
Noruega, e pelas suas vitórias estabeleceu seu direito de governar o país, apesar das reivindicações hereditárias da casa
real caído; e ele não se contenta até que ele tenha torcido o fato de cerca e mostrado em quatro poses diferentes. O tema
principal é que o Earl ganhou Terra e atraído em uma aliança firme. O guerreiro estava relutante em deixar E é irmã justo
sentar-se sozinho, e ele usou o discurso do espada da verdade em cima de folhas de cabelos Terra, a noiva prometida de
Odin. Assim, foi concluído o casamento, eles entraram em um compacto que o conde, sábio em conselho, ganhou por
sua noiva, a única filha de Onar, a mulher vestida de floresta. Ele tem atraído a filha de recursos ampla de Báleyg com as
palavras convincentes de aço.

217

em que a Terra entrou com outras potências; e apesar de Onar e Aud e Báleyg são pouco mais que nomes para nós
agora, não precisamos dúvida de que essas pessoas e suas relações com a Terra foi fundado na crença antiga e
verdadeiros mitos. não Hallfred não forçar a língua quando ele representa Noruega como uma noiva real digno de ser
cortejada por um conde ambicioso como Hakon, mas os atributos da rainha não são os de uma mulher humana. A filha de
Onar é a “floresta-folheados”, a mulher de Báleyg é “de recurso lavradas largo”, a noiva de Odin é “frondosa de cabelos”,
e neste embelezamento Hallfred ademais, os convencionalismos do discurso poético.

A mesma versatilidade e destreza em malabarismo com as palavras tradicionais é mostrado por uma fellowpoet, Eyvind, nas
canções zombando ele canta de Harald Greyskin, o rei avarento, o qual, segundo o costume de pequenas freeholders,
escondeu seus tesouros na terra. Nos dias de bom rei Hakon, ele chora, os anéis brilhou sobre os braços de seus guerreiros e
queimaduras; o ouro é o sol que deve brilhar nas Falcão-montes - o braço do guerreiro, onde o falcão de caça empoleirada -;
mas agora encontra-se escondido na carne da mãe de Thor.

A poesia cortês da Noruega é pouco ilustrativo da antiga imaginação Teutonic em geral; as metáforas eram poetas como
Hallfred e Eyvind mais como partes do discurso que poderiam ser misturados livremente por um escaldão ambicioso para
mostrar sua criatividade. Não é só que a arte se degenerou em artifício; os poetas muitas vezes manipular as palavras
para produzir novos efeitos e surpreendentes. O contraste entre o sol dourado sobre as colinas e do útero escuro da terra
é um conceito muito o que prova que Eyvind é um poeta moderno, com uma imaginação tocado pela civilização ocidental.
Mas essas queimaduras medievais da Noruega não pode cortar-se solte da linguagem tradicional preparado para eles por
homens do passado; eles tentam resolver suas fantasias e conceitos individuais no material que estava em suas mãos,

Quando a terra é chamado a esposa de Odin, a mãe de Thor, quando o vento é denominado filho de Fornjót eo mar é
concebida

218

como Ran, a esposa de Ægir, os mitos não são antropomorfismo ou personificação, no sentido moderno e de
Alexandria. Human-semelhança se une às outras qualidades de fenômenos naturais ou, mais verdadeiramente
expressa, aparência humana entra como uma qualidade entre outras qualidades na alma da terra, vento e mar, mas
não no mínimo interferir com o funcionamento impessoais de as forças da natureza. Não há contradição entre sujeito e
verbo na descrição da escaldadura das tempestades de inverno: “Sons do Fornjót começou a girar”, nem há realmente qualquer
violação do senso comum em uma cena tempestade como esta: “As rajadas cardada e entrelaçou as filhas de
tempestade-contente de Ægir. ”a lua dá à luz, a terra é uma mãe, pedras trazer jovens para o mundo, e que está a dizer que
esses seres gerar, conceber e são entregues, por assim toda a procriação ocorre sob o sol. Mas isso não implica que a terra
deve transformar-se a um ser humano e buscar um sofá para trazer seus filhos. O pouco que sabemos a respeito de relações
práticas dos nossos antepassados ​com o mundo sobre eles indica, como em breve irá aparecer, que não apelar para os objetos
da natureza como pseudo-personalidades; como seus irmãos primitivos em todo o mundo, eles tentaram conquistar a amizade
eo poder de animais e árvores e pedras por meios muito mais seguras. Quando o poeta deixa Frigg enviar mensageiros a ponto
de fogo e água, ferro e todos os tipos de minério, a pedras, terra, árvores, doenças, animais, pássaros, fazer com que eles juram
que nunca irá prejudicar Balder, ele tem claramente nenhuma idéia em sua mente de tais mensageiros saindo para bater nas
portas das ninfas e demônios; seus ouvintes devem ter sido familiarizado com um método de apelar diretamente para as
próprias coisas, para as almas.

Para obter toda a idéia, pois viveu nas mentes dos teutões devemos tentar fundir elementos que são incompatíveis em nosso
pensamento, e ainda mais se deve descartar o nosso hábito de olhar a natureza à luz do momento. A palavra
“tempestade-contente” aplicado a filhas de Aegir, que agora chama-se a nossa fantasia a brincadeira das ondas, tinha um
significado mais intenso e muito menos instantânea, como nós, em parte, compreender, comparando-à guerra-alegria de
heróis em poesia antiga. Os substitutos modernos nunca pode capturar a energia das palavras Teutônicos;

219

não é o suficiente para acrescentar que o adjetivo antigamente era mais poderoso ou que a alegria da batalha foi mais
violento. Para o nosso sentimento, o êxtase da luta surge da colisão entre os guerreiros; na psicologia antiga, alegria de
batalha e a batalha em si é uma qualidade permanente no homem ou parte de sua alma. Da mesma forma,
tempestade-alegria é uma qualidade inerente à alma ou a natureza das ondas. Quando a onda é chamado de frio ou Ran é
chamado wet-legal, os adjetivos não quero dizer que a mulher é fria como o mar, mas que ela tem o frio da salmoura nela; a
frieza tremendo pertence a sua alma, assim como velhice ou de longa vida pertence à natureza do urso, razão pela qual ele
é chamado em anglo-saxão - e ainda na fala popular

- “O velho e terrível”.

Podemos juntar alma primitiva, mas nunca podemos ter sucesso em expressar a sua unidade de vida em nossa língua, porque as
nossas palavras são modeladas em cima totalmente diferentes idéias, e resistir a todas as tentativas de desligá-los em outro avião
e juntá-las em um novo padrão. Mas para entender os caminhos do homem primitivo devemos até certo ponto ser capaz de
realizar a sua experiência. Devemos ver que a alma ou ideia da Terra é um todo, abrangendo desde a ser manypathed à
maternidade sem uma pausa. O Hel do Norte é a morte, assim como neutro como somos capazes de pensar morte, mas Hel
também é um reino para os mortos, e ela é uma pessoa real, não uma personificação pálida, aquele que age como a morte e é
putrefação si, azul e negro de tonalidade. Hildr significa batalha, que é o choque de armas, a massa crescente de homens de
combate, e isso significa battlemaiden também.

Antropomorfismo tem sua raiz na experiência primitiva, porque a personalidade reside no ser de cada alma desde o início, mas
não pode fazer o seu caminho através de até pensamento é emancipado da experiência. Não até que o homem está tão
firmemente estabelecida em seu lugar que ele não precisa ser fixação seu entorno cada momento com um olhar dominante,
não até que ele começa a olhar a sua própria natureza mais conscientemente no rosto e começa a especular sobre a
processos em curso no seu interior, se a inclinação surgir para humanizar o universo. Em seguida, ele se torna uma natureza-poeta.
Somente quando esse ponto de vista

220

é atingido pode se aventurar para enfrentar o seu meio ambiente como seu igual, impondo-lhe para fora o mesmo tratamento
que ele próprio aprecia e arcos para. Antes dessa revolução que ele sabia muito bem que, a fim de explorar a boa vontade da
natureza e guarda contra o seu poder para prejudicar, era necessário conhecer o caráter de almas. Antropomorfismo verdadeira
e própria nasce quando o homem ensconces-se em cidades ou castelos, fechando a natureza por meio de paredes espessas, e
limitando-se a relações sociais com seus semelhantes.

A grande mudança ocorre no momento em que a personalidade, de estar dependente das qualidades naturais, vira-se para
agir de preconceitos puramente humanas. Quando a alma é emancipado, de modo a ficar acima de seus fenômenos, então, e
só então, é um ser humano. Quando ninfas não ondulação, quando a terra já não pode esconder seus filhos em si, quando o
sol se levanta em uma carruagem, guiando um par brilhante de cavalos, que ele pode colocar em estável em conjunto com
todas as qualidades de sol, então a natureza é quebrada, e personificação nasce.

É uma questão difícil para nós obter tais idéias incondicionais como vida e existência reduzida a pequena circunferência eles
devem ter, a fim de ser aplicada à alma do passado, sem deixar que a profundidade desaparecem ao mesmo tempo. Talvez
possamos chegar mais próximo aos velhos pensamentos dizendo que a vida e existência eram naqueles dias natureza - natureza
entendida no sentido de idade, como algo incluído desde o nascimento ou a partir da primeira origem de uma coisa, algo que vai
com ele inseparavelmente, e determina não só a sua aparência, mas também a sua essência e características. A natureza só
pode produzir certos resultados definitivos, nomeadamente aqueles que se encontram em si, como por exemplo, quatro pernas
de que tipo, em particular um lobo tem, em conjunto com tal e tal cheiro, maxilas que abrem e fecham em tais e de tal maneira ,
uma tendência a ladrões e esgueirando sobre em lugares selvagens. Outra natureza só pode produzir algo áspero, duro e
pesado, que em determinadas circunstâncias vai rolar para baixo e morder os dedos de um homem de pé em seu caminho. Mas,
então, também, é inerente à natureza que não pode abster-se

221

de produzir os seus efeitos. Wolfness pode de fato existir como alma, mas mais cedo ou mais tarde, deve manifestar-se como um
animal morder.

Onde quer que o caráter é diferente, a ser a alma são divididos pelo abismo intransponível que separa vida representa. O
incombinability de natureza supera e obscurece todos externo, bem como todos semelhança interior. A natureza da
árvore, seu caráter, serão julgados a partir de sua aparência: se tem casca áspera ou lisa, folhas redondas ou longo, se
fotografar até uma altura ou espalhar amplamente ao redor, mas também de suas maneiras: uma árvore tem casca que
brilha no mau tempo, que de outra ficará escuro e ameaçador; uma árvore agita suas folhas, mesmo quando o tempo está
calmo, outro arremessa seus braços sobre descontroladamente em uma tempestade, mas caso contrário paira
devidamente caídas. Há neste hábito da árvore uma revelação de sua alma mais profunda, e muita sorte de sabedoria
consiste em ser capaz de ler a alma de uma árvore de seu comportamento.
E, finalmente, a utilidade de uma árvore é parte de sua alma. É a natureza de carvalho a navegar, como no de cinzas para
formar spearshafts. A classificação específica de árvores e arbustos nas línguas antigas é baseada em sua importância
para a vida humana; eles são divididos em árvores com madeira dura e árvores com macio; a estéril e o rolamento, tais
como frutos expressos para homens e animais; talvez também para aqueles bom para o fogo e as que queimam
lentamente. Do catálogo rúnico anglo-saxão ganhamos uma imagem, fraco e fractional que seja, das almas de árvores. O
teixo é “áspero no lado externo, duro, firme no solo, alimentador de fogo, enraizado”- e algo mais que não entendemos. A
bétula é “infrutífera, mas tendo filiais sem filhos; é justo em galhos, alegremente enfeitada como à coroa, inchaço com folha,
intimamente sensível ao ar”. O carvalho serve “os filhos dos homens para a alimentação da carne, muitas vezes viagens
pelo mar, ea onda coloca a sua firmeza de núcleo para o teste”. A cinza é “muito alta, caro aos homens, firmemente que
detém o seu lugar no chão, mesmo que muitos homens fazem ataque contra ela” - e, devemos acrescentar, ou o significado

222

será apenas parcial, ele possui o seu próprio robustamente, seja enraizada no solo rochoso, ou como uma lança de freixo, na
mão do guerreiro.

Stones, também, têm a sua natureza, que lhes atribui a lentidão-ness e sua dureza, bem como o seu poder de mover às
vezes, seu entusiasmo em morder, seu poder para esmagar - cada pedra de acordo com seu tipo O sentido infalível de
localidade entre essas pessoas é devido ao fato de que eles sabem de sua infância cada árvore, cada pedra, cada pequena
elevação do terreno; eles estão acostumados a realizar o que eles têm visto uma vez com tanta precisão impresso na sua
memória que nenhuma variação ligeira lhes escapa, e a menor mudança é notado. Então, também eles sabem muito bem que
as pedras no terreno aberto tem seu caráter diferente, manifesta não apenas na sua forma, mas também em suas 'formas'
talvez no poder de apontar a estrada.

As montanhas e colinas que formam o horizonte tem, como aquele que eles observaram ano após ano vai saber, cada
um suas próprias peculiaridades, todos eles são suscetíveis ao que acontece no ar, mas não profetizar o dia para vir,
seu clima e seus eventos da mesma forma, talvez nem sempre com a mesma sabedoria. Vários deles são confiada a
tarefa de apontar a hora do dia, de acordo como o sol é sobre este ou aquele ponto do horizonte, por isso os homens
repartir seu trabalho diário e as suas horas de descanso, e sua natureza é indicado por nomes como o monte de
meio-dia eo pico da Even.

Nossos antepassados, ao que parece, seguido com confiança especial os conselhos e advertências declarados pela
água corrente; e há indícios de que eles lêem com visão afiada as almas através do formulário e os movimentos dos
córregos da montanha, talvez também ouviu peculiaridades de voz nas águas. Um poeta que se sentia além da
sabedoria infantil do mundo, o bispo Bjarni Kolbeinson, defende-se, na Jómsvíkingadrápa, expressamente contra a
suspeita de ter tirado sua sabedoria “abaixo cachoeiras”; como se a sua consciência se contorcia sob todo o paganismo
ele deve deixar passar seus lábios quando ele fez poemas na forma antiga. O que Plutarco relata a Suevi de Ariovistus é
talvez mais amplamente aplicável; eles profetizaram dos remoinhos de córregos, e
223

a partir das curvas e formação de espuma das águas. De qualquer forma, mesmo que a sentença nasceram como um todo no
cérebro de Plutarco, e não autorizada palavra por palavra nos pensamentos dos bárbaros si, pode sem dúvida ser tomado como
expressar o elemento essencial na mente de um observador germânica observando atentamente debaixo de uma cachoeira.

Em nossas mentes, os animais são catalogados de acordo com seus dentes e estrutura morfológica, e levamos nossos
sistemas zoológicos ou botânicos conosco quando nos propusemos a investigar o mundo como ele é visto por um hindu
ou um budista, por um australiano ou um índio . Com uma ingenuidade encantadora que dividir-se em fragmentos de
informações obtidas de outros povos, para torná-lo ir em categorias pré-feitos, tornando absurdo ou a superstição de
todas as mitologias do mundo. O que é procurado em todas as partes do mundo é paciente estudo da experiência
primitiva e não europeu. O etnólogo precisa aprender arco para ver eo que ver; ele deve observar cada animal com os
olhos dos nativos sem qualquer referência ao seu próprio livro, e, assim, juntar uma nova zoologia e botânica e
mineralogia, ou melhor, como muitos zoologies e aspectos botânicos como existem diferentes observadores. Nas
pradarias da América do Norte, ele deve descartar sua noção popular da diferença radical entre voando e correndo
criaturas, ao saber que o corvo e os búfalos estão relacionadas, da mesma forma como o lobo eo de saúde no Norte da
Europa, porque é uma característica inerente do caráter do corvo a pairar sobre as manadas de búfalos e indicar sua
presença. Entre os escandinavos ser necessário peça lentamente junto a sua visão da lua por aprender que marcha,
conta os anos, ele determina sorte e unluck, e ele envia doença. Para entender o que um Teuton entende por “carvalho”
devemos simplesmente aprender que a navegabilidade pertence a suas qualidades, bem como o seu tronco retorcido e
frutas comestíveis.

Não há outro caminho para fora do que recolhendo fatos fragmentada e combiná-los em uma nova totalidade; tomando
todas as dica que cai da boca do estranho quando ele está olhando para as coisas, sem qualquer distinção entre
magisterial

224

detalhes de acordo como eles se com as nossas ideias ou confronto com a nossa filosofia natural. No Norte da Europa, o
nosso material é escassa e fragmentária, mas, no entanto, somos capazes de remendar uma semelhança junto dos restos do
discurso poético e legal. Como para o mar, aprendemos que é frio, sal e largura; Além disso, é chamado pelo islandês carvão
azul, pela anglosaxon fealu, pousio em palavras que sugerem outras associações do que os de meros matizes. inculto

possivelmente transmite uma intimação da esterilidade do fundo, como os epítetos gregos. É cruel, e, possivelmente,
carvão-azul carrega algum indício de seu poder mortal. É o caminho da terra de gaivotas, cisnes e gansos, a terra de
focas, baleias e enguias, a estrada do navio e o marítimo. E a estes epítetos deve ser adicionado a imagem de Ægir, o
homem do mar e, correndo, a mulher do fundo do mar. Terra é grande, grande, grande, espaçoso; afirma-se como
inamovível constante. É o chamado green - mesmo os evergreen

- e o crescimento-doação, tendo, nutritivo; “Tão grande como o mundo cresce” é uma expressão norte para “todo o
mundo”.

Mas também é parte da natureza da terra para ser farable; na oferta de trilhas e espaço stepping livre para os pés dos homens que ganha o
nome: estrada ou estradas; e aqui podemos ver com nossos próprios olhos quão profundas são as palavras descem ao pensamento diário.
No verso Odin pode dizer, referindo-se a suas experiências quando ele se arrastou através de uma fissura na montanha para atrair Gunnlod,
a noiva gigante, que
sobre e sob ele quedaram-se “as estradas dos gigantes”, e no discurso diário Noruega é simplesmente os norte-maneiras,
e do Leste-maneiras denotar Rússia. “Faixas verdes” é um nome norueguês designando Middle-Garth em contraste com
o Utgard estéril; no composto duas qualidades da terra juntar-se: sua fecundidade e sua farability, o lingotamento eo
widepathed. Para essas intimações deve ser adicionado as dicas de vida prática. Ouvimos que os homens chamados no
poder da terra em casos de necessidade, quer para afastar os efeitos da bebida forte ou para proteger contra as más
influências. Em uma fórmula anglo-saxão, a direção é dada para tirar terra na mão e terra lugar certo sob o pé direito e
dizer: “A Terra tem poder contra todos os tipos de seres, contra a inveja e esquecimento, contra a língua

225

de um homem poderoso”. Os versos são incluídos em algumas instruções para os agricultores quando suas abelhas invadiram,
mas o assunto deles parece sugerir sua aplicabilidade a muitas outras circunstâncias da vida. Possivelmente, a ideia de firmeza e
da fecundidade da terra se encontram neste encantamento. Finalmente terra é uma mulher que concebe e dá à luz, que esconde
os homens e as coisas no seu colo ou em seu corpo.

Em bearness, wolfness, ravenness, em oakness, beechness, elmness, a alma termina em um lado. Mas quando nos voltamos sobre
a olhar para o limite da alma no lado exterior, em direção à luz, logo descobrimos que o caminho é mais longo do que pensávamos.
Os dois flancos da natureza, aquele que vai para baixo em existência, e que sai para a manifestação, têm de ser exatamente o
mesmo comprimento; tanto quanto a natureza vai - isto é, tanto quanto qualidades e aparência são os mesmos, - a vida é idêntica.
Todos os lobos, todos os carvalhos, todas as pedras, têm a mesma alma. E não só são todos membros de uma co-participantes de
classe de um determinado tipo de alma, os acionistas, por assim dizer, em um fundo de força vital, mas eles são idênticos tanto em
corpo e alma, para que eles sofrem uma sofrimentos uns dos outros e sentir-se um outra é ofensas e raiva e boa vontade.
pensamento primitivo respeita separação, no espaço como uma circunstância acidental insignificante; poderíamos ser tentados para
expressá-lo assim: ele se sente a solidez da matéria, do corpo, mas é cego para a sua extensão no espaço, e talvez essa expressão
é mais do que uma imagem paradoxal.

Na experiência primitiva de vida, identidade tem um fundamento mais profundo do que mera continuidade. Nós
combinamos as nossas sensações distintas e fazer um inteiro deles por conjecturar que o mundo está cheio de seres
individuais e cada indivíduo vive uma vida linear própria; quando o animal desliza para fora do nosso ponto de vista
imaginamos que trilhas uma linha de existência em algum lugar escondido entre as mil coisas da terra até que reaparece
em nosso caminho. O universo é atravessada por milhares e milhares de fios, cada uma fiada por um indivíduo isolado. De
acordo com a experiência primitiva, os fatos se organizam em um padrão diferente. Todos os ursos são a mesma alma eo
mesmo corpo, e cada nova aparência de um urso

- se

226

que haver outras que nós vimos ontem, ou o mais distante de tudo entre os parentes, como nós consideramos isso - é
uma nova criação da alma. Um urso é um novo nascimento cada vez que ela aparece de novo, para a conexão profunda
na existência da alma é uma fonte constante de regeneração. Em nossa observação, animais ou são contados ou eles são
agrupados em um gênero coletiva ou tipo; falamos de um lobo, de lobos e do lobo; mas na linguagem primitiva e poesia, o
animal não é nem este lobo particular, nem a lobo que coroa um capítulo da história natural, mas lobo simplesmente. É
este indivíduo e personalidade ainda abrangente que constitui o objecto
dos versos gnomic anglo-saxões como esta descrição do urso: o urso deve ser velho e terrível, ou parafraseado em
palavras modernas: a velhice e terror é a sua natureza ou alma.

Os contos populares mantiveram o antigo modo de dizer, e ao abrigo da linguagem tradicional ainda persiste um vago
reflexo da velha idéia: o lobo que engoliu Chapeuzinho Vermelho-capa não é certamente uma besta particular, que tinha
tomado a sua estação em que parte da madeira, mas o lobo da madeira.

O sol também é o mesmo de dia para dia, pois não há mais do que um sol-alma; mas quando se diz em linguagem jurídica
de alguma coisa ou outra concordou em que deve ser realizada antes do quinto sol ou no dia em que cinco sóis chegou ao
fim no céu, em seguida, as palavras realmente significam que não vem um sol a-dia, outra amanhã to-e, finalmente, um
quinto a brilhar sobre a conclusão do empreendimento. E isso não é uma questão para admirar a encontrar-se, de repente,
em um ritual ou uma história, cara trouxe a cara com toda uma série de deuses-sol. Cada dia é um nascimento fresco, mas
todos os dias são, no entanto Dagr, filho de Delling, para falar a linguagem do mito do Norte, assim como o inverno é o filho
de Vindsvalr e verão o filho de Svasudr. Os mitos são simples declarações de fato quando eles criam, como às vezes, um
grande ser, o chefe de todos os ursos ou o pai do sol e da lua, que incorpora a vida de bearness ou sunness e envia seus
mensageiros para o mundo. Mas quando nos aproximamos da idéia mítica do ponto de vista do pensamento poético, não
precisamos lembrando que fathership é coelo tote

227

diferente da nossa geração que pressupõe vida individual como a linha na qual existência é construída. O “Vento-frio”,
que é o pai de inverno eo “Sweet-brisa”, que é o pai de verão são nada mais que a alma eterna que explode em aparição
no momento adequado.
CAPÍTULO VIII

THE ART OF LIFE

Não é de admirar, então, que a vida em-Garth Médio parece tão seguro, apesar de todos os perigos e acontecimentos imprevistos.
O homem está firme e auto-confiança em seus pés, impávido diante de todos aqueles seres Utgard que de vez em quando vêm
itinerante sobre a terra; ele está lutando em seu próprio terreno, e com uma série de aliados sobre ele.

Vimos homem tropeçando cegamente fora dos limites de seu mundo; cada passo foi o de adivinhação em um crivo, crivos do tipo que
gigantes propor, quando a vida depende da sua solução. Lá fora, um herói raramente talentoso pode conseguir ganhar com segurança
através de alguns dias e chegar em segurança para casa, mas viver lá é impossível. Se Middle-Garth tinha sido assim constituído que os
homens foram forçados a sentir o seu caminho, assim, cegamente, em seguida, os gigantes que dominam sobre terra até o fim de todas as
coisas.

Não existe tal tropeço agora. Homens conhecer a alma de todas as coisas, saber o que está em cada ser da vontade, o bem eo
mal, eles sabem a natureza do ódio e da natureza do amor, eles podem utilizar boa vontade e se proteger contra o poder de
prejudicar, eles podem se transformar de lado no lugar apropriado, e agarrar uma coisa no momento certo. Em virtude de sua
sabedoria que pode governar, e onde o poder não é suficiente eles podem colocar seu plano astuto com certeza, sem medo de
sua faltando seu objetivo, uma vez que 'faria tantas vezes na terra além de demônios. Eles podem forçar as almas de coisas para
servi-los, fazendo-os amigável. Plantas que abrigam um hostil vai, e infalivelmente comer até os ignorantes de dentro se tornar,
para quem conhece a sua

229

alma, fontes de força e cura, se devidamente tratados durante o crescimento, ou sabiamente manipulados depois de serem
arrancadas. Homem tomou as pedras em seu serviço, fez-los em instrumentos que toda a vontade prejudicial e aniquilador é
dirigida para fora, e toda a boa vontade dentro em direção ao usuário, para que ele possa confiantemente utilizá-las e atingir seu
fim. Ele é cercado por almas domesticados.

Talvez não exista alma que pode testemunhar mais fortemente à sabedoria do homem do fogo. O que tem sido, eo que ele ainda pode ser, podemos aprender com
os nomes dados que às vezes. Ele compartilha o nome frekr com o lobo e é assim trazido para empresa com a besta “sem-vergonha, voraz”; cruel e ganancioso,
executa outro de seus personagens. E agora, qual é a melhor coisa do mundo? “O fogo é melhor entre os filhos dos homens, ea visão do sol, a saúde ea vida sem
culpa” - de tal série terminando com a melhor coisa na vida, honra irrepreensível, o fogo pode prender seus próprios. “Guardas de incêndio, ou auxílios, contra a
doença”, corre outra serra antiga, e quem sabe algo de folk-vida, ea parte não tocada pelo fogo no bem-estar dos homens e dos animais, sabe a profundidade do
significado coberto por este pequeno frase. O fogo é mesmo o consolador da vida, diz o discurso poético. E esta transformação do elemento inquieto é devido ao
próprio homem; os homens estão cada vez domar a chama de novo e de novo, consagrando-lo e dedicar-lo para usar em-Garth Oriente. Os ritos desta antiga
consagração foram perdidos, mas a partir de costumes posteriores das pessoas que podem, pelo menos formar uma idéia de seu caráter. Em certos festivais, ou
quando a queda de sorte a entender que a renovação era necessária, o fogo se apagou em cada coração; os habitantes da cidade montado e chamou fogo novo à
vida por meio da antiga e venerável broca de fogo que permite madeira geram fogo de madeira. E do recém-nascido bênção chama se espalhou para parar e
celeiro, e vida nova acendeu na lareira. os habitantes da cidade montado e chamou fogo novo à vida por meio da antiga e venerável broca de fogo que permite
madeira geram fogo de madeira. E do recém-nascido bênção chama se espalhou para parar e celeiro, e vida nova acendeu na lareira. os habitantes da cidade
montado e chamou fogo novo à vida por meio da antiga e venerável broca de fogo que permite madeira geram fogo de madeira. E do recém-nascido bênção
chama se espalhou para parar e celeiro, e vida nova acendeu na lareira.
Mas quando tudo está dito, os moradores de-Garth Oriente não são dependentes da boa vontade nas almas; eles não são
apenas os astutos que sabem como explorar a fraqueza ou a generosidade de outro; eles podem forçá-lo a obedecer a sua
vontade. O caçador

230

pode dominar o jogo que ele persegue, para que ele não escapar dele, mas, pelo contrário, vem em seu caminho de seu próprio livre arbítrio; carrega-lo sem
rancor, e não planeja vingança do seu ataque. É muito longe de alma para alma, há um grande abismo entre o homem e as coisas em torno dele, e ninguém pode,
em virtude da vida que está nele, influenciar diretamente outro ser de modo a elevar-se impulsos e tendências fora de sua alma. Mas o mais fácil, então, é para
roubar em uma alma alienígena, e defini-lo em movimento por seus próprios membros e de sua própria força. Aparência e qualidades não são, como vimos, os
resultados acidentais da natureza, e, portanto, ao aceitar uma das peculiaridades da alma, um reúne-se a alma em sua totalidade, e torna a própria vontade. Se
um pode, mas estabelecer uma conexão com a alma em um único ponto, um tem o todo; a vida é tão completamente inerente a um pequeno fragmento
rasgado-off do corpo como na pulando, espionagem, organismo dispostos, e pode-se assimilar essa pequena seção em si mesmo, ao comê-lo ou ligação para o
corpo, o então uma suga toda a alma. Mas o fim pode ser alcançado de forma tão eficaz por meios espirituais; pela reprodução mímica das maneiras e
comportamento do corpo, a pessoa adquire a natureza, e torna-se possuído de toda a grande alma encorpado - ou desenha-lo, pelo menos, metade do caminho
em si mesmo. Pode-se entrar na natureza de uma besta, prosseguindo os seus objectivos com os seus gestos, imitando seu roubo para fora em busca de presas,
o seu grito, seu salto, o seu modo de comer, talvez até mesmo o seu acasalamento. E pode-se então, a partir de dentro, dobre a besta a sua vontade. Na verdade,
a “idéia” em si, como diríamos, é realmente suficiente para ganhar um domínio sobre a alma, se puder, mas essa é a idéia fixa de uma forma passível de
tratamento. Possivelmente o nome é um símbolo tão verdadeiro em que a alma é fechado; então é um charme para vencer o inimigo. Algum ser perigosa ou outros
se coloca em forma de um homem, abre suas mandíbulas para engoli-lo, olha pra ele como se para transformá-lo em pedra; mas ele lança o seu “eu sei o seu
nome” contra o monstro, e se é verdade que ele domina seu nome, ele afunda impotente ou rouba carrancudo. Mas o domínio implica que ele conhece todos que o
nome significa: os caminhos do Algum ser perigosa ou outros se coloca em forma de um homem, abre suas mandíbulas para engoli-lo, olha pra ele como se para
transformá-lo em pedra; mas ele lança o seu “eu sei o seu nome” contra o monstro, e se é verdade que ele domina seu nome, ele afunda impotente ou rouba
carrancudo. Mas o domínio implica que ele conhece todos que o nome significa: os caminhos do Algum ser perigosa ou outros se coloca em forma de um homem,
abre suas mandíbulas para engoli-lo, olha pra ele como se para transformá-lo em pedra; mas ele lança o seu “eu sei o seu nome” contra o monstro, e se é verdade
que ele domina seu nome, ele afunda impotente ou rouba carrancudo. Mas o domínio implica que ele conhece todos que o nome significa: os caminhos do

231

besta, sua ferocidade e sua esquiva; masterização implica o conhecimento real e familiaridade ou, em outras palavras, o poder.

Mas quem conhece a natureza das coisas e entende como evitar conflitos, também pode agir-se e explorar o mundo. Não só
ele pode ligar e vaca seu redor por um tempo, ele também é capaz de estabelecer uma sensação duradoura de solidariedade,
de modo a construir Frith entre ele e os seres ao seu redor. Ele pode unir-se com uma alma fora do círculo da humanidade,
impondo-lhe certas obrigações para com ele, com uma responsabilidade recíproca em nenhum inferior sábio para a honra do
círculo de parentes. Isso pode, no entanto, só pode ser alcançado por sua mente mescla, como a velha frase é executado,
com o animal. Ele engrafts sobre si a alma de sua alma, de modo a provocar entre os dois tipos de vida de uma identidade
semelhante ao que liga todos os indivíduos da espécie animal em união corporal. Essa união ocorre pela transferência de
almas fragmentos, e onde quer que ocorra deve trazer transferência total e completa da natureza alienígena para o irmão
adotivo. Homem adota a alma de seu novo parente, adquirindo tanto direito eo poder de usar a sua sorte quando surge
necessidade. Entre os povos germânicos, mas nós achamos algumas relíquias espalhadas do momento em que os homens
uniram-se com animais, mas a direita para baixo em tempos históricos, encontramos evidências de um sentimento de
adoptivos
fraternidade, e que, além disso, muito forte. No bairro de Homestead Eric do Red na Groenlândia, apareceu um inverno
um grande urso branco que devastou ao redor, e quando Thorgils, em seguida, um convidado em Brattahlid, matou a fera
para salvar a vida de seu pequeno filho, ele ganhou o elogio de todos os homens . Apenas Eric ficou em silêncio, e
embora ele não fez objeção à disposição habitual do corpo para fins úteis, entendeu-se que ele estava irritado com ação
Thorgils'. Alguns disseram que Eric tivesse guardado “antiga fé” na besta. E a saga sugere que a relação entre os dois
homens era de que dia ainda mais frio do que antes; de fato, Eric tentou levar Thorgils em perigo de vida.

O lobo foi geralmente considerado como uma besta estranha, unheore e pertencente ao Utgard, mas como parte da
batalha

232

o animal entrou na alma do guerreiro profissional. A linguagem tinha necessidade de duas palavras, Vargr ( Anglo-saxão vearg) e
úlfr (anglo-saxónica Vulf); Vargr é a besta demônio, e nenhum homem poderia ser Vargr a menos que ele era desprovido de
Frith, entregue a trolls e itinerante beastlike na floresta; lobo, por outro lado, é um amigo do rei, e seu nome é frequentemente
suportado entre os homens. Para ser fiel ao sentido antigo, tínhamos talvez melhor dizer que a linguagem necessária duas
palavras, porque havia dois seres, o animal que entra em liga com o homem, e as feras dos trolls. O uso de Lobo como um
título de honra para os guerreiros e como nome de um homem, e mais ainda a existência de Ylfing ou Vylfing como um nome
de família, implica que os homens pudessem contrair aliança com a besta, superar a estranheza do animal e desenhá-la numa
aliança firme; esses homens-lobo certamente teve lobo-natureza, a força de um lobo e parte de seus hábitos. É uma
suposição justa de acordo com as sugestões da literatura antiga que os Ylfings eram homens-lobos reais, e, possivelmente,
algumas frases em um dos poemas Eddie remetem a um meio esquecida realidade: No Lay de Helgi o jovem príncipe que é
um “descendente da Ylfings” uma vez, quando ele andou no disfarce, faz alusão a si próprio como o lobo cinzento. Ketil Hæing
(o salmão) pertencia a uma corrida das Lofoten, onde as pessoas, em grande medida dependia da generosidade do mar para
a sua vida. Seu nome é explicada por um mito na saga da família, um sinal certo de que havia alguma relação interna entre o
homem e os peixes. Talvez nós também pode ver um reflexo do lendário fato todos os dias na história de OTR, o pescador,
que foi capaz de mudar-se em uma lontra para pescar em suas refeições. As palavras em que o Volsungasaga descreve a
natureza deste Otr são muito exigentes para parecer totalmente dependente tarde Romancing; provavelmente o autor
agradece à sabedoria popular, se não a antiga tradição. “Otr foi um grande pescador, mais hábil do que os outros homens; ele
tomou a forma de uma lontra e mergulhou no rio e peixes capturados com a boca .... Ele tinha em grande medida os hábitos
do animal, e utilizado para comer em solidão com os olhos fechados, para que ele não deve descobrir como o seu alimentos
diminuiu “. no Ynglingasaga o autor inseriu acidentalmente uma estranha

233

fragmento de uma lenda da família a respeito de um homem pardal. Nós aprendemos que o rei Dag era sábio o suficiente para
entender a linguagem dos pássaros, e ainda que ele possuía um pardal que voou longe, trazendo informações de volta para seu
mestre. Em uma de suas andanças o pardal estabeleceu-se em um campo para bicar as espigas de milho, após o que o camponês
pegou uma pedra e matou-o. Quando Dag descobriu no que pousar o pássaro tinha perdido a sua vida, ele partiu em uma
expedição vingador e perseguidos do país do matador cruelmente.
Em virtude de seu domínio sobre a natureza, o homem também pode combinar almas, e enxertar a essência de uma sobre a outra. Assim, ele inspira aquilo que
as mãos tenham trabalhado, e prepara seus implementos com qualidades calculados para torná-los úteis em seu chamado. Quando seja prende um punhado de
penas para sua flecha, ele dá seu vôo a precisão de um pássaro, talvez também algo da força de um pássaro em mergulhando sobre a presa; tão certo como ele
se dá um toque de bird-natureza fixando penas sobre o seu corpo. Ou ele pode, na força de sua faculdade artística, contentar-se com uma apresentação da
natureza. Ele cinzela uma serpente em sua espada, estabelece “um verme pintado de sangue ao longo da borda” para que “enrola sua cauda em volta do pescoço
da espada”, e então permite que a espada “mordida”. Ou seja possível utilizar outra forma de arte, ele pode “cantar” uma certa natureza em sua arma. Ele
tempera-o no fogo, forja-lo com arte e artesanato, aguça-lo, ornamentos de TI, e “coloca nele a palavra” que será uma serpente a morder, um fogo para comer o
seu caminho. Assim também ele constrói o seu navio com a experiência de uma empresa de construção naval, pinta-lo, define talvez uma besta na proa, e ordena
que ela deve trilhar de pé firme como um cavalo em cima da água. Naturalmente, as meras palavras não são suficientes, se não houver sorte neles; eles só terão
efeito se o alto-falante pode torná-los inteiros. Como ele consegue fazer isso é uma questão muito profunda para entrar aqui, mas como nós aprendemos a
conhecê-lo, talvez possamos apoderar-se de um pequeno segredo após o outro. um fogo para comer o seu caminho. Assim também ele constrói o seu navio com
a experiência de uma empresa de construção naval, pinta-lo, define talvez uma besta na proa, e ordena que ela deve trilhar de pé firme como um cavalo em cima
da água. Naturalmente, as meras palavras não são suficientes, se não houver sorte neles; eles só terão efeito se o alto-falante pode torná-los inteiros. Como ele
consegue fazer isso é uma questão muito profunda para entrar aqui, mas como nós aprendemos a conhecê-lo, talvez possamos apoderar-se de um pequeno
segredo após o outro. um fogo para comer o seu caminho. Assim também ele constrói o seu navio com a experiência de uma empresa de construção naval,
pinta-lo, define talvez uma besta na proa, e ordena que ela deve trilhar de pé firme como um cavalo em cima da água. Naturalmente, as meras palavras não são
suficientes, se não houver sorte neles; eles só terão efeito se o alto-falante pode torná-los inteiros. Como ele consegue fazer isso é uma questão muito profunda para entrar aqui, mas como nós apr

O poeta é um grande homem de sorte. Ele tem mais palavra-sorte do que outros homens - isso é evidente não só no ringue de suas
palavras, mas também em seu efeito sobre os homens e naturezas. Nós, na nossa um-

234

sidedness, estão inclinados a ver apenas o lado estético da sua produção; como se toda a sua arte consistia em descrever como
a serpente batalha feriu das mãos do guerreiro e mordeu profundamente no cérebro de seu inimigo, como a guerra de chama
brilhou como o herói virou-a no alto, e mordeu seu homem até a morte em cada sopro, como as aves de batalha voaram
cantando a partir da proa, como os cavalos marinhos, a onda-gangers, pisado os peixes-prados. Tais imagens não devem ser
assim menosprezado. “Sea-horse” não é uma comparação, o poeta não diz o navio é como - não, o navio é a coisa que ele diz; o
navio não passar por cima das ondas como um trota cavalo ao longo da estrada firme, mas o cavalo mar pisa a onda com um
passo infalível. O retrato poético do guerreiro como a árvore da batalha, que serve como o estofamento em cada linha para o
escaldão sedulous, parece pertencer ao Norte; de qualquer modo, não existe certo vestígio da figura na poesia de outros povos
germânicos. Mas se especialmente escandinavo ou não, ele tem a autoridade de idade. poetas posteriores ter prazer na imagem
de guerreiros como árvores, de pé na tempestade da batalha e agitando os braços freneticamente enquanto a morte de orvalho
derrama para baixo do tronco; a própria paráfrase diz que não há mais do que isso, o guerreiro é a árvore grosso-originado,
enraizado-rápido que é capaz de resistir a muitos um corte do machado sem tombar. A descrição das cinzas no catálogo rúnico é
talvez o melhor comentário aqui; “Firmes no chão, segurando seu lugar, embora muitos homens fazem ataque”, palavras que
levam a sua luz do jogo duplo de pensamento entre o cinza resistente como uma árvore e a lança de freixo invencível. Sem
dúvida, que o poeta era um grande homem de sorte que primeiro inspirou o seu chefe com uma alma que tinha pela sua
qualidade dominante a firmeza teimosamente balanço das cinzas. A beleza da figura poética reside na sua verdade; pois, se a
metáfora não conseguiu expressar uma realidade, não tinha justificação poética.

Através de inúmeras parentescos, naturezas estão unidos desta maneira e que, até que o mundo está pendurado em uma teia de Frith.
Assim, o homem chama almas em seu círculo. Para a presente época, o grito de guerra é: regra. Seja dono da terra, subjugar criação é
235

o relógio palavra que atravessa nosso tempo, e parece que este mandamento simpaticamente atinge o coração nota da nossa cultura e sempre define o ritmo não
só por suas ações, mas também por suas especulações. Todas as hipóteses anente passado as idades na história da nossa dobradiça corrida na suposição de
que o homem fez seu caminho através de uma batalha eterna, e que a civilização é o resultado da luta do homem pela existência. Mas a civilização moderna, com
seu grito para o domínio e sua visão da vida como um conflito contínuo é muito estreito uma base para hipóteses de fazer história inteligível. A teoria da evolução
de uma luta abrangente para o alimento e sobrevivência é apenas um mito etiológico, como os etnólogos têm, um artifício simples de explicar moderna civilização
européia jogando nossa história, seus concorrentes e seu interesse exclusivo em progresso material de volta na tela do passado. Quando as culturas antigas e
primitivas são apresentados à luz dos problemas econômicos modernos, todas as proporções e perspectivas são perturbados; alguns aspectos são jogados em
relevo, outros aspectos são empurrados para a sombra, sem levar em conta a harmonia inerente à vida moral e intelectual de outros povos; ea vista como um todo
é muito mais falsificada por tal jogo caprichoso de holofotes do que por qualquer distorção deliberada dos fatos. sem levar em conta a harmonia inerente à vida
moral e intelectual de outros povos; ea vista como um todo é muito mais falsificada por tal jogo caprichoso de holofotes do que por qualquer distorção deliberada
dos fatos. sem levar em conta a harmonia inerente à vida moral e intelectual de outros povos; ea vista como um todo é muito mais falsificada por tal jogo
caprichoso de holofotes do que por qualquer distorção deliberada dos fatos.

A nota-chave da cultura antiga não é conflito, nem é o domínio, mas conciliação e amizade. Homem se esforça para fazer
a paz com os animais, as árvores e os poderes constituídos, ou ainda mais profundo, ele quer atraí-los para si mesmo e
torná-los parentes de seus parentes, até que ele é incapaz de desenhar uma linha rápida entre sua própria vida e que da
natureza circundante. A cultura é muito complexo - e, podemos acrescentar muito inútil - uma coisa a ser explicada pelo
trabalho do homem para as exigências e doces da vida, eo jogo de seu intelecto e imaginação nunca - até tempos recentes,
talvez - foi dominada pela busca de alimentos ou roupas. A luta pelo pão de cada dia e para a manutenção da vida até o dia
seguinte é geralmente um muito interessado na sociedade cedo, e parece que o esforço exige o exercício de todas as
faculdades e poderes. Mas como uma criatura lutando por comida, o homem é um economista pobres; de qualquer forma ele é
uma mão ruim

236

a limitar seus gastos de energia para as necessidades do dia. Há mais do que o esforço em seu trabalho; há uma força
overshooting, evidência de que a energia que o impulsiona é algo mais complexo do que o mero instinto da existência. Ele
é instigado por um impulso irresistível para assumir toda a natureza em si mesmo, para torná-lo, por sua simpatia ativa,
algo humano, para torná-lo heore.

O homem primitivo nunca foi capaz de limitar as suas necessidades ao que é estritamente necessário. Suas amizades
entre as almas não estão confinadas às criaturas que são úteis para o seu corpo ou perigosa à sua vida. Quando vemos
como o homem em sua poesia, seus mitos e lendas cria uma contrapartida imaginativa de seu entorno, como ele
organiza sua vida cerimonial, às vezes, na verdade toda a sua vida, de acordo com os céus e seu movimento, como em
seus festivais ele dramatiza a toda criação de seu mundo limitado através de uma longa série de cenas rituais,
ganhamos alguma idéia o quanto era importante para ele para sustentar sua existência espiritual. Seu círculo de amigos
se estende desde as altas luzes do céu para o worm burrowing no solo; que inclui não só o bug que pode ser bom para
comer, mas também insetos inócuos que nunca entrou em sua lista de iguarias;
Os traços transmitidas de nossos antepassados ​de sua vida ritual são leves e poucos, mas suficientemente numerosos
para nos mostrar que falaram com as coisas do alto e baixo. Eles foram capazes de fazer amigos entre as criaturas que
pulam e crescentes, como vimos mal. Sua vida era tanto uma vida de sol e uma vida lua. O sol tinha entrado em sua alma
a tal ponto que as ações foram orientadas de leste a oeste. Se houver de ser sorte em uma empresa que deve ser feito
sunwise, de leste a oeste. O rei sueco teve de montar o seu “Eriksgata” - uma espécie de marcha triunfal de cidade em
cidade em todo o reino -sunwise pela terra; e sunwise, podemos presumir, homens carregaram o fogo ao consagrar um
novo herdade e desenho deserto em sua sorte. Quando a Islândia em curso

237

de tempo tinha crescido mais densamente povoada, e a terra não era tão abundante, foi decidido que nenhum homem deve tomar mais terra do que ele poderia
bússola com fogo em um dia. O procedimento foi acender um fogo enquanto o sol estava no leste, seguir em frente e acender outro à vista do primeiro, e assim
continuar até o último fogo inflamado com o sol no oeste. Mesmo para baixo para assuntos da vida cotidiana a lei do sol é válido. Sunwise o chifre é passar de
mão em mão em volta do salão. Em circunstâncias normais, ao que parece, os homens andaria sunwise em volta da casa, a julgar por uma passagem na saga
dos filhos de Droplaug. Grim e Helgi perdido o seu caminho em uma nevasca, e não tinha idéia de seu paradeiro, quando de repente veio em cima de uma
parede da casa; eles caminharam sunwise rodada o local e descobriu que ele era o lugar do sacrifício de Spakbessi. Sua curta, portanto, foi, de acordo com a
visão de Bessi, a causa da tempestade de continuar por uma quinzena. Se podemos acreditar que o escritor saga sabia o que ele estava falando, ele deve ser o
movimento real sobre o templo que deu o tempo tão poderoso impulso para a frente que dificilmente poderia parar. Por outro lado, indo contra o sol, os homens
podem jogar natureza sobre si mesma de tal modo que ele quebra e é colocado fora do comum. Na Islândia, aprendemos, bruxas foram capazes de causar
deslizamentos de terra destrutivos por andar em volta da casa. A feiticeira Groa, que tinha um rancor contra os poderosos filhos de Ingimund, preparou um
banquete de morte e enviou um convite gracioso para suas vítimas, mas como sempre, a sorte e sabedoria da família revelou-se demasiado forte, e os
convidados foram impedidos por sonha de participar. Depois do sol Groa andou em volta de sua casa, contra-sunwise, olhou para o topo da montanha e acenou
um pano em que seu ouro foi presa, e com um suspiro: “É difícil ficar contra a sorte desses filhos de Ingimund”, e o desejo: “Que que agora vir a passar, que foi
preparado “, ela fechou a porta atrás dela. Então veio um deslizamento de terra para baixo em cima da casa, e todos pereceram. O mesmo dispositivo foi usado
por Audbjorg, para vingar a degradação do seu filho sobre Berg Shortshanks. Ela não podia dormir por agitação durante a noite. Ele estava calmo, com uma
geada clara. Ela saiu, e foi contra-sunwise rodada Então veio um deslizamento de terra para baixo em cima da casa, e todos pereceram. O mesmo dispositivo
foi usado por Audbjorg, para vingar a degradação do seu filho sobre Berg Shortshanks. Ela não podia dormir por agitação durante a noite. Ele estava calmo,
com uma geada clara. Ela saiu, e foi contra-sunwise rodada Então veio um deslizamento de terra para baixo em cima da casa, e todos pereceram. O mesmo
dispositivo foi usado por Audbjorg, para vingar a degradação do seu filho sobre Berg Shortshanks. Ela não podia dormir por agitação durante a noite. Ele estava
calmo, com uma geada clara. Ela saiu, e foi contra-sunwise rodada

238

sua própria herdade, levantou a cabeça e cheirou a cada trimestre do horizonte. Imediatamente o tempo mudou, uma deriva, em
conjunto, o vento trouxe um degelo, e uma avalanche desceu sobre habitação de Berg, de modo que doze homens encontraram a
morte.

Para quem compreendeu o negócio, este movimento contra-sunwise não precisa, talvez, ter efeito não natural; pode até, se
sabiamente dirigida para um determinado fim, fazer o bem. De qualquer forma, nós lemos de um homem que acalmou uma
tempestade, caminhando contra o sol em torno de um círculo formado por seus companheiros; que ele deve achar que é necessário
falar irlandês enquanto fazê-lo, é provavelmente nada mais do que uma indicação de que a cultura adequada estava no fim, e que
venha o tempo para o misticismo para substituir a cultura significado simples levara com ele para a sepultura, por seu abracadabra
prático ou especulativo. A ação em si pode muito bem ter a sua autoridade na cultura.
A estreita associação entre o homem eo sol também é indicado pelo costume legal. actos jurídicos e pechinchas não
eram válidos a menos que tinha sido realizado à luz do sol ou à luz do dia. É ilegal fazer um juramento de noite depois
que o sol se passou a seguir a madeira, para citar um exemplo sueco. Matar por noite, foi considerado assassinato, ea
razão não é para ser procurada no segredo do ato. O que foi feito no escuro é inteiramente diferente em seu caráter do
que foi realizado em aliança com o sol ou no espírito e poder do sol. Para pegar o peso total - podemos dizer que a força
psicológica - da dizendo “matar noite é assassinato” devemos lembrar que o assassinato é um ato desonroso, ação de
um niding, e mina a constituição moral do executor; divulga, alguma tensão mórbida em seu caráter ou, como os antigos
diria, alguns mácula em sua alma. Consequentemente actos praticados em tempo de noite falta o som, a iniciativa
honrosa que precisa a sorte completa do fazedor, e no enfraquecimento temporário um elemento demônio pode
inserir-se.

No que diz respeito à lua, Tácito nos informa que serviu para regular as assembléias populares; em homens lua nova e
cheia reunidos na lei-coisa “pois em todas as empresas que consideram este como o melhor começo.” observações de
César também, anente

239

a escolha germânica de dias, é, evidentemente, muito significativo: “Ariovistus e seu povo sabia, desde as advertências
proféticas das mulheres, que não podia esperar para a vitória se abriu a batalha antes da lua nova.” Poderíamos
facilmente adicionar a estes ocasional dicas de superstição popular moderna com suas centenas de regras para o que
deve ser feito no momento da lua crescente, eo que ser adiada até que a lua está em declínio; e com cuidado, podemos
tirar tanta sabedoria deste densamente enlameado, que a influência da lua não se restringiu à questão de vida pública,
mas penetrou toda a vida, mesmo em assuntos cotidianos. Infelizmente, porém, a visão sobre o ser da lua é perdido e seu
caráter está agora como um enigma escuro. Somente isso nós sabemos, que era a lua-ano-caixa - que determinou a
passagem do tempo e dias, e assim deu dia sua força, dando-la da sua alma; a sorte de tempo, portanto, subia e descia
com a da lua.

Não podemos estar em dúvida quanto à importância dos pensamentos Sunwise em movimento; os homens aceitam e
corrigir a natureza do sol em si mesmos. Nesse sentido eles devem ter se reuniram enormes poderes e muita sorte; mas
se eles ganharam boa sorte por tal amizade, eles necessariamente adquirir algo mais, a saber, a paz de espírito. Que os
antigos sentia veneração pelo sol, temia-o e procurou mobilizar a sua força, que pretendiam usá-lo para sua vantagem,
ganhar seu favor e forçá-lo em menos de sua própria vontade - tudo isso é verdade, pois é tudo o que se ea mesma
coisa; o que os homens se esforçam para, eo que eles atingir, é Frith e responsabilidade mútua. Sem amassar naturezas
juntos sem parentesco é possível. Os homens fazem nave parte de si mesmos por enxerto de sua própria vida sobre o
elemento alienígena, ou, o que é a mesma coisa para eles,

Mas o homem tem um objectivo mais vasto à vista quando be conclui amizade e se mistura mente com as almas ao seu
redor. Tecendo uma teia de comunidade se introduz a paz ea ordem no mundo. Os homens do norte dizer que houve uma
época em que o mundo era unheore, os gigantes governaram como quisessem, espalhando-se como mestres, em toda a
existência. Mas
240

uma raça de seres poderosos e sábios desceu sobre eles, e agora o spawn dos ogros sentar além da fronteira, roendo ossos e
morder suas unhas. Assim terra é marcado fora de Unland, heore de unheore. Mas até hoje a fronteira só é realizada pela vigilância
estrita. Os deuses, diz-se, instituiu o primeiro massacre dos monstros, matou o gigante primordial, para que os hosts da ninhada
foram afogado em seu sangue, e varreu o resto para fora da-Garth Oriente. Mesmo agora Thor, o guardião do Médio-Garth, ainda
faz seus ataques exterminação; ainda há perigo, mesmo para o sol ea lua; ora um, ora outro morador em Utgard tem procurado
unir-los sob a sua vontade gigante. A presente ordem e beleza deste “mundo justo” não instituiu-se; Ela é provocada pelo cuidado
de algum deus ou herói. E nesta vista os nórdicos estão em conformidade com os povos em outras partes do mundo. O poeta do
Voluspá, que era um filósofo medieval com idéias próprias, mas inspirou-se em mitos antigos para o seu material - resgatou uma
conta do estado dos céus como era antes dos poderes organizar havia se manifestado: “O sol sabia que não onde estavam seus
salões, a lua não sabia o que força (ou seja, sorte, determinação) que tinha. As estrelas não sabia onde estavam seus lugares.”
determinação) que tinha. As estrelas não sabia onde estavam seus lugares.” determinação) que tinha. As estrelas não sabia onde
estavam seus lugares.”

Na forma lendária que os mitos assumiu quando eles foram reduzidos a histórias pela filosofia de uma nova religião,
parece como se o julgamento fatídico de força ocorreu entre deuses e gigantes, enquanto os habitantes da terra foram
deixados para olhar para com a respiração suspensa. O poeta dá sua narrativa na forma passado como se fosse algo
longo e feito com; da forma das palavras, pode parecer como se os ouvintes desfrutado de um acentuado senso de
segurança, chamando-se a memória de um momento em que o destino do mundo estava em jogo e, em seguida, virou
para o lado correto. Mas a forma literária que os mitos adquiridos nas mãos dos poetas durante a era Viking e mais tarde
obscurece o significado real que estava claro para os ouvintes, quando as lendas foram recitados na festa e ilustrado, ou
melhor, suplementada, por ritos e observâncias cerimoniais. A luta é travada no dia a dia no meio

241

do mundo humano, ninguém tem certeza de manter a luz eo calor, a menos que ele e seus companheiros por alguma
cerimónia ou outro são sempre fortalecendo o vínculo entre eles e as luzes altas-se saindo. Se a aliança falhar, mas por um
momento, em seguida, os corpos celestes vão perder o seu caminho, e em seguida, define no estado que o poeta do Voluspá
ainda sabia, e poderia descrever.

E o perigo que paira tão ameaçadoramente no céu encontra-se realmente em espera para cada alma-Garth Oriente. Por trás de toda
a segurança não é este grave fato, que a natureza tem potencial hostilidade neles; eles podem correr solta, eles podem se tornar
unheore. E eles fazem isso às vezes, quando os homens não conseguem manter-se e sua sorte, e assim a sua aliança com seu meio
ambiente; em seguida, o solo úmido cresce estéril, em seguida, o gado perde seu poder de ceder, e as árvores se tornam portadores
de má sorte; o movimento de peixes em cardumes densos para o mar, enquanto as águas arremessar a destruição sobre a terra. Se
a paz do mundo deve ser mantida, deve haver uma grande auto-contenção entre os homens, e, ao mesmo tempo grande vigilância e
cuidado para fazer tudo o que é apropriado em cada festival e início ritual.

Sem esta conexão íntima entre o homem e as outras naturezas sobre ele nem ele nem Middle-Garth poderia existir. Os
mitos nos dizem, se lido corretamente, que o homem criou um mundo habitável bem ordenada no meio do caos, e que
para viver e prosperar ele deve para sempre manter a sua comunhão com cada alma e assim constantemente recriar a
ordem fixa
do mundo. O homem primitivo nunca pensei apontando triunfalmente a uma ordem eterna das coisas; ele teve a sensação
de segurança, mas apenas porque ele sabia como a regularidade do mundo foi provocada, e, assim, poderia dizer como ele
deve ser mantido.

O homem nunca é capaz de abraçar todos os seres e desenhar todo o ciclo de criação em sua simpatia e compreensão. Os seres
deixado de fora do cluster nas fronteiras da realidade como uma força ameaçadora e inquietante. Através de todas as culturas
corre um abismo separando a realidade acolhedora e amigável do fato estranho frio - o conhecido do desconhecido, ou nas
palavras do inglês antigo, o heore do unheore. E profundamente enraizada em toda a humanidade

242

é o medo do desconhecido, um sentimento que, embora aparentemente simples e clara o suficiente, leva para baixo, em
um exame mais minucioso, a profundidade da profundidade. Superior encontra-se o medo de uma vontade que nenhuma
obrigação impede de prejudicar e molestar; mal escondido sob este temor superficial encontra-se a ansiedade quanto ao
que a coisa estrangeiro pode bater em cima, o que pode ter força para fazer, a inquietude inquieto que vem de estar sem
meios para estimar o perigo. Mas esse medo do desconhecido se estende, na realidade, muito além de um sentido de
vida ameaçador perigo e membro, que se abre para uma expectativa dolorosa onde o desespero é a cada momento a
ponto de sair; para onde as almas não são, de alguma forma ou de outra soldadas entre si, o homem deve estar
preparado para encontrar ações marcantes com a força de uma catástrofe. As forças que emanam da fonte estrangeira
são de outro tipo,

A linha de demarcação é executado através de todas as culturas, mas seus lugar mudanças de um povo a outro, e nunca
é possível estabelecer uma regra como a que os seres serão encontrados em ambos os lados da fronteira. Naturalmente,
o deserto eo semeada, as montanhas ásperas ou bosques selvagens e o lea agradável, com seus tipos, são separadas
por uma borda afiada. Mas a razão pela qual um animal é atraído para a comunhão e outro é deixado de fora como
unheore deve ser procurada na experiência individual de cada corrida. Em um lugar a cobra é um animal sagrado, em
outro lugar, é um animal estranha; assim, no norte da Europa, onde a contorcer-se, atingindo réptil foi realizada em
execração e colocado em terra demônio. mitologia depois faz uma família de Fenrir, a serpente de Middle-Garth, e Hel ou
morte, e nomes como sua mãe Angrboda, uma ogra;

O abismo se estende para o mundo dos seres humanos. Própria humanidade é composta de todas as famílias e tribos com as
quais o nosso povo tem relação sexual, de companheirismo significa constante

243

mistura de Frith, a honra ea sorte; fora do âmbito dos “estranhos” multidão, e os estrangeiros são outro tipo de homens,
porque suas mentes e maneiras são desconhecidos. Quando eles são chamados de feiticeiros a palavra enfatiza apenas
o fato de que as suas obras são como as obras de demônios e trolls, escuros e caprichosas, admitindo nenhum cálculo
certeza. O único meio de superar a maldade de estranhos é anexando a sua sorte e honra, e misturando mente;
misturando mentes a vontade e sentimento nas duas partes são ajustados, e, doravante, seus atos de bloqueio em vez de
correr de forma contraditória. Entre os homens podem estar lutando,
comunidade pode ser suspenso por inimizade, mas a luta é humano e continuado pelas regras de honra; contra estranhos
homens têm guerra perpétua, ea guerra deve ser ajustado para o engenho diabólico dos demônios. Rumo vermes ou
selvagem bestas homens não podem sentir responsabilidade ou generosidade.

Isso Utgard está cheio de bruxaria e unheore, é conhecido por todos, e todos temem com que o homem olha para fora sobre
os limites da vida humana, é, afinal, de um tipo diferente do medo da bruxaria homebred. Para quando um membro da
comunidade separa-se da relação espiritual com seus irmãos, ou quando o trabalhador de coisas unheore se estabelece
dentro do limite entre a terra eo Unland, sua presença encontra-se como um pesadelo em todo o pensamento, paralisando
tanto vontade e poder. Suas ações, até mesmo os seus próprios pensamentos, são um perigo constante para a sorte dos
habitantes; eles infalivelmente fará com que a contenda entre vizinhos, e murcham-se a fertilidade da terra. Sua presença é
uma violação no cosmos, e tão destrutiva da segurança espiritual como o sol ou a Terra seria se eles se soltou da amizade
do homem e correu selvagem. Para defender o mundo, o homem deve destruir e aniquilar todos os feiticeiros, com suas
casas e todos os seus bens. A fronteira que separa os mágicos da humanidade é tão nítida, porque é independente de todas
as estimativas externas mesquinhos de preto e branco; ele nunca pode ser apagada, por mais que os atos e poderes do
mago pode se assemelham aos do homem todos os dias, e não pode se tornar mais acentuada pelo fato de que as artes do
mágico ir longe no escuro.

244

Vemos na literatura do Norte que as práticas do assistente não diferem acentuadamente a partir dos processos rituais de
homens comuns; quando ocorrer mudanças si ou transforma as coisas fora de reconhecimento ou práticas ilusões ópticas, ele
pode saber algum truque especial chamou-se talvez de povos vizinhos - os lapões, por exemplo -, mas geralmente ele trabalha
ao longo das linhas estabelecidas pela experiência de sua raça. Ele é odiado porque ele pratica seus truques no espírito das
trevas e reclusão; ele é um estranho que está fora dos limites da Frith, e, portanto, suas ações estão em todos os casos cheio
de unheore, e quando eles são ainda marcado por uma crueldade incrível, essas qualidades são apenas uma manifestação
necessária da natureza da sua vontade.

É uma coisa penosa para ser um ser humano, muito mais do que se poderia estar predispostos, a partir de necessidades humanas e as condições humanas, a
acreditar. As demandas de cada dia em relação à alimentação, habitação, fogo, roupas, armas wherewith para enfrentar um inimigo, implementa para fins
necessários, podem, pela sua incessante incitando, manter os homens vão; mas a luta para o alimento não pode produzir que a incitação do sangue nas veias que
leva um homem além de si mesmo. Pode parecer uma tarefa dura o suficiente para ter de obrigar o sol ea lua para segurar o seu curso, mantenha as comportas
da chuva adequadamente aberta, ligar o peixe para a costa, equipar as madeiras com folha na primavera, e manter a harmonia do o mundo; mas essa tarefa, no
entanto, é completamente ofuscada por outra, muito mais difícil e ainda mais impossível a empurrar de lado: para manter os pensamentos em seus cursos e
manter a alma juntos. O deus que traz o universo em forma é apenas uma grande máscara; e por trás da máscara é um homem que trabalha no não menos
grandiosa tarefa de criar uma unidade clara e coerente a partir da massa de sua experiência. A ansiedade que impulsiona o homem a se entrelaçam natureza com
sua própria vontade e sentimento é mais profundo do que todos temem por sua segurança física, pois é o medo do caos interior. Nós, europeus, nascem no final
do dia no sentido de que os nossos artifícios sociais e científicos são removidos por várias etapas a partir da experiência direta do mundo; nossa psicologia e
nossa filosofia são construídas por modificações escolares e por trás da máscara é um homem que trabalha no não menos grandiosa tarefa de criar uma unidade
clara e coerente a partir da massa de sua experiência. A ansiedade que impulsiona o homem a se entrelaçam natureza com sua própria vontade e sentimento é
mais profundo do que todos temem por sua segurança física, pois é o medo do caos interior. Nós, europeus, nascem no final do dia no sentido de que os nossos
artifícios sociais e científicos são removidos por várias etapas a partir da experiência direta do mundo; nossa psicologia e nossa filosofia são construídas por
modificações escolares e por trás da máscara é um homem que trabalha no não menos grandiosa tarefa de criar uma unidade clara e coerente a partir da massa
de sua experiência. A ansiedade que impulsiona o homem a se entrelaçam natureza com sua própria vontade e sentimento é mais profundo do que todos temem
por sua segurança física, pois é o medo do caos interior. Nós, europeus, nascem no final do dia no sentido de que os nossos artifícios sociais e científicos são removidos por várias etapas a partir d
245

do pensamento feito pelos gregos primitivos e israelitas e Teutons cujos sucessores e legatários espirituais nós somos. O homem moderno, que se julga muito
mais sábio do que seus antepassados, deriva a maior parte de sua força desde aquela parte de seu trabalho espiritual que ele é o mais apto a prender por
desacato tão infantil ou “supersticiosos”. Nós acordado em um mundo iluminado, onde tudo o que precisamos é acender uma chama ou acender a luz quando o
sol está fora do céu e da lua é na estação escura; nos encontramos sentado em uma despensa bem abastecido, onde só temos que buscar a comida que
queremos. Nós fizemos nós mesmos independente do ritmo de natureza entre riqueza e escassez, crescimento e declínio; e os caprichos da natureza não
afligir-nos directamente, mas só vêm disfarçados como crises econômicas, as tempestades na esfera social. Nós olhar para o mundo como uma máquina fácil de
longo curso regular, e toda esta ordem de coisas que tomamos como uma questão de disciplina. Enquanto estamos aqui no centro comum de inúmeros círculos
onde o sol ea lua e as estrelas, verão e inverno, dia e noite, bestas grandes e pequenos, pássaros, peixes, movimento sem cessar, sem quebrar para fora, nunca
nos ocorre para entrar essa regularidade entre os grandes feitos dos nossos antepassados; muito menos nos damos conta de que, sem eles aqui teria sido um
caos que nós, pobres coitados havia girou, para o fundo. nunca nos ocorre para entrar neste regularidade entre os grandes feitos dos nossos antepassados; muito
menos nos damos conta de que, sem eles aqui teria sido um caos que nós, pobres coitados havia girou, para o fundo. nunca nos ocorre para entrar neste
regularidade entre os grandes feitos dos nossos antepassados; muito menos nos damos conta de que, sem eles aqui teria sido um caos que nós, pobres coitados
havia girou, para o fundo.

O homem nasce em um oceano enorme de sons e imagens que se atira contra ele fragmentada, sem coesão ou unidade,
e é deixado a ele para organizar a massa brotando em formas e estruturas. Ele deve criar sol e da lua, nuvens e chuva,
animais e árvores em personalidades coerentes e forma um curso para todas essas aparições momentâneas abruptas
para que possam fundir-se em uma forma reconhecível contínua Todas essas peepings fora da cabeça e whiskings de
caudas, lampejos de olhos e movimentos fugazes tem que ser peneirada e classificada em corpos e rotulado lobo, raposa,
o texugo. O trabalho de estabelecer a ordem e harmonia exige seleção e eliminação, bem como adição; não podemos
fazer um sol ou um animal que inclui todo o corpo de experiência; para que corajosamente ignorar parte dos fatos ou, por
vezes, fazer dois seres

246

que se sobrepõem uns aos outros, como os teutões fez com o lobo, e como fazemos agora com a flor da beleza e a flor da
botânica. Mas para criar uma unidade que deve também, necessariamente, fornecer alguns links de ligação que podem ser
chamados de teoria, mas são para nós parte da experiência. As massas escuras clivagem para topos de montanhas podem ser
reconhecidos como pertencentes aos montes, como parte de sua natureza ou alma - esta será muitas vezes a visão primitiva; ou as
nuvens pode ser cortado a partir de seus lugares de descanso e combinado com o vapor subindo de uma chaleira de ebulição a
uma entidade separada semelhante à água - experiência assim moderno, que sacrifica um ponto muito importante da realidade
para ganhar coerência em outro ponto. De acordo com nossa classificação, fogo e matéria são mantidos separados, e nós
corajosamente ignorar o fato de que certas pedras greve faíscas e certos tipos de madeira produtos fogo quando esfregado. Os
homens primitivos organizar os fatos em um outro padrão, dizendo que o fogo pertence à natureza ou a alma da árvore e pedra - as
faíscas são concebidos e gerado pela broca de fogo; consequentemente, existe uma afinidade inata entre pedras e árvores, por um
lado e o fogo que desce do céu, por outro.

Em nossa concepção de homens e animais que prender sobre a coerência do corpo para fora e continuidade, criando assim
uma massa de indivíduos isolados, onde o homem primitivo vê manifestações de grandes almas ou idéias. Em nosso mundo, a
realidade do homem é determinado pelo estatuto circunscrita e isolada de seu corpo e sua alma é composta de pensamentos e
sentimentos confinados a seu cérebro isolado. A solidão do ser humano é tão forte em nossa cultura e tão proeminente em
nossa experiência que nós calúnia sobre todos os outros fatos, tais como a
influência espiritual de sua presença, o poder de suas palavras e a concatenação inevitável do destino entre os indivíduos que
faz uma família, e muitas vezes um corpo ainda maior de homens, sofrer pela imprudência e culpa de um pecador. Para nós, o
indivíduo é a realidade com base no qual todas as questões práticas e teóricas devem ser resolvidos, e olhamos para todos os
outros fatos como secundário, preparado para lidar com eles como problemas, e nós vamos sobre a luta contra eles,
acumulando um solução sobre o topo do outro, mesmo quando

247

eles provam insolúvel. Por outro lado, a cultura primitiva reúne toda a massa de fatos para a realidade chamado homem,
e constrói uma “alma” em que o poder das palavras e emanação espiritual, a força “sugestiva” e o toque das mãos estão
incluídos, bem como forma e características, em que a solidariedade de muitos é reconhecida, bem como a
responsabilidade do indivíduo.
CAPÍTULO IX

A alma do homem

No meio do mundo das almas se homem, e ele está lá em virtude de uma alma, uma vida. Esta alma pode suportar precisamente os
mesmos antíteses como as outras almas ou naturezas em Middlegarth. Pode-se muito bem começar no enigma moda anglo-saxão,
dizendo: “Eu sei uma coisa estranha: é invisível, ainda fica para trás diante dos olhos de todos os homens no salão; não é mais do que
seis pés de altura, e ainda assim ninguém pode ver mais de um fim de tudo; ele pode ser sentida com as mãos e sem mãos, e ainda
assim ninguém pode agarrar e segurar-lo rapidamente; ele vai sobre saúde e onda de quebra tão rapidamente quanto nuvem antes da
tempestade, e um cão pode ultrapassá-la; ele voa no ar, e ainda encontra-se dormindo no corredor”Ele é obrigado a matéria, e livres
para se movimentar, apesar de tempo e espaço e gravidade. É sem forma como o calor que passa em um aperto da mão de um braço
para o outro, e invisível quando ele se espalha como uma força de um guerreiro para todo o seu exército e inspira-los todos como um
só homem. E é obrigado, mais cedo ou mais tarde a tomar forma.

Se quer saber o que a vida humana é, devemos antes de tudo descartar nossas noções preconcebidas sobre a alma eo corpo
e seu antagonismo e simplesmente olhar para os sinais distintivos da natureza humana, ou em outras palavras, por seus
modos de manifestação.

Podemos chamá-la pelo nome de Megin; nesta palavra encontra-se uma idéia do poder, e nesta palavra todos os seres vivos se
encontram. A alma da terra, a sua Megin, é frequentemente mencionada como uma essência caro. Uma bebida com o qual
terra-Megin foi misturado é

249

mais forte do que qualquer outro licor, enquanto que a terra-Megin por outro lado parece conter um reforço espiritual para
neutralizar o efeito muito poderoso de cerveja. “O tempo também tem a sua Megin”, o Megin do clima é as nuvens, diz-se.
Nos primeiros dias, antes que o mundo estava totalmente em ordem, a lua eo sol existia, mas não sabia que a sua alma, a
sua Megin, eles não sabiam o que era o seu poder, a sua finalidade, a sua carreira.

Estas sugestões nos ajudarão a compreender Megin do homem. Megin homem é seu poder - e em primeiro lugar a sua
força física. Mas há algo além muscular em Megin do homem; há poder, ação, vitória. E, finalmente, Megin atinge-se na
força da alma, de modo que quem perder a sua Megin vai cair inconsciente, como devemos chamá-lo.

Aquilo que distingue o deus ou ase --- de todos os outros seres é, naturalmente, o fato de que ele tem Ásmegin, a alma
de um ase, ou deus, com suas poderosas qualidades. “Se você crescer, Vimur, então meu asemegin cresce tão alto
quanto o céu”, exclama Thor quando ele está a meio caminho no rio Utgard e incha até que espumas sobre seus ombros.
Thor teve, no curso de suas andanças perigosos, muita ocasião para colocar em seu asemegin cheia, quando os poderes
gigantes reuniram densamente sobre ele, e entendemos que sua divindade inchou-se não só na força maravilhosa e ira,
mas também na divina grandeza de estatura.

Mais uma vez, a alma é chamada pelo nome de fjör, uma palavra que praticamente extinguiram-se com a passagem do velho
mundo. Fjör é a vida, o que permite um homem de andar e falar e têm o seu lugar na luz. Fjör é também a alma, aquela alma
que define sobre suas próprias maneiras depois da morte. Fjör é o self, o que faz do homem um homem, é o próprio homem, e
pode, portanto, ser aplicado ao corpo, mesmo após a morte tenha tocado. E é sorte de ouvir o seu homem, dando asas à sua
sagacidade, dando-lhe pensamentos, sustentando-o, e equipando seus planos com o progresso.
Quando Hakon Athelstansfostri voltou para seu próprio país como pretendente à coroa, pareceu por um tempo como se
os elementos que dominá-lo; sua frota estava dispersa, e o boato espalhado que Hakon foi perdida

250

com isso. Rei Eric levou a mensagem como uma certeza bem-vindo, mas Gunhild, sua rainha, sacudiu a cabeça; ela era
uma mulher sagaz e sabia que Hakon teve fjör, - e como ficou provado, ele chegou na Noruega com seu navio e salvo.

A alma é chamado hugr, Anglo-saxão hygi, indicando que, assim como o desejo e inclinação, como coragem e pensamento.
Ela inspira o comportamento de um homem, suas ações e seu discurso são caracterizados de acordo com se eles procedem
de toda hugr, negrito hugr, ou abatido
hugr. Ele reside nele e exorta-o diante; assim termina Loki, quando ele disse que seu digamos entre os deuses: “Agora eu tenho falado que minha hugr me pediu
para dizer,” assim também Sigurd quando ele matou a serpente: “Meu hugr pediu-me para ele” Senta-se dentro , dar conselho ou advertência; “Minha hugr me
diz,” é um argumento de peso, para quando o hugr disse uma coisa, o assunto é muito bem resolvido. “Ele me parece pouco confiável, você vai ver que ele em
breve vai virar o lado do mal para fora; é contra minha vontade que ele está com você, para o meu hugr diz-me o mal sobre ele “, assim Ingolf exorta seu irmão a
se afastar um vagabundo que vem para o lugar. Um inverno passou, e Ingolf poderia dizer que tudo tinha caído para fora como seu hugr tinha avisado. E Atli
Hasteinson, de raça nobre, com confiança dá indicações para a sua casa depois da luta com Hrafn: “Você, meu filho, vai vingar seu pai, se você tomar depois que
seu parente, e meu hugr me diz que você vai se tornar um homem famoso, e seus filhos depois de ti “E quando o hugr é desconfortável, como quando se pode
dizer com Gudrun:“. Longo Hesitei, longa eram meus hugrs divididos em mim “, então a vida não é saudável. Mas quando um homem tem seguido o bom
conselho a partir de dentro, e alcançou seu fim, então não sobe um grito de triunfo de sua alma, é o seu hugr rindo em seu breast.- De vez em quando, a alma
tem o seu conhecimento diretamente, como devemos dizer; às vezes, adquiriu-o por espiar a terra, e então ele pode chance que o inimigo tem visto hugr de seu
oponente vindo em sua direção, seja em forma humana ou na forma de uma besta. Ele sonha em lobos, e é dito que é os hugrs de homens que ele viu. e seus
filhos depois de ti “E quando o hugr é desconfortável, como quando se pode dizer com Gudrun:‘ Longo Hesitei, longa foram meus hugrs divididos em mim’, então
a vida não é saudável. Mas quando um homem tem seguido o bom conselho a partir de dentro, e alcançou seu fim, então não sobe um grito de triunfo de sua
alma, é o seu hugr rindo em seu breast.- De vez em quando, a alma tem o seu conhecimento diretamente, como devemos dizer; às vezes, adquiriu-o por espiar a
terra, e então ele pode chance que o inimigo tem visto hugr de seu oponente vindo em sua direção, seja em forma humana ou na forma de uma besta. Ele sonha
em lobos, e é dito que é os hugrs de homens que ele viu. e seus filhos depois de ti “E quando o hugr é desconfortável, como quando se pode dizer com Gudrun:‘
Longo Hesitei, longa foram meus hugrs divididos em mim’, então a vida não é saudável. Mas quando um homem tem seguido o bom conselho a partir de dentro, e
alcançou seu fim, então não sobe um grito de triunfo de sua alma, é o seu hugr rindo em seu breast.- De vez em quando, a alma tem o seu conhecimento diretamente, como devemos dizer; às vez

Finalmente, encontramos a alma como modificação, como os anglo-saxões têm. mod de um homem é sua mente, a vontade ea
força dele,

251

a longo lembrança, o que mantém ambos lesão e amizade vivos no primeiro plano de sua consciência, e a ousadia, que não
sofrerá vontade e memória para consumir o outro na indecisão. Mod é muito apropriadamente a alma em seu estado
totalmente desperto. Quando Thor é completamente si mesmo, ele aparece em sua Mód piedosa ( ásmóðr); os gigantes
colocar em Mód diabólico quando assumem sua natureza integral. Quando os deuses contratou um construtor para levantar
uma parede rodada Asgard, e prometeu-lhe o sol ea lua com Freyja no negócio para o trabalho se fosse concluído antes do
primeiro dia do verão, eles não sabiam com quem estavam lidando. O trabalho continuou com excelente pressa, garanhão do
construtor chamou fragmentos inteiros de rocha juntos na noite, o próprio mestre empilhá-los solidamente durante o dia.
Quando ele tinha cercaram quase tão redonda que eles poderiam começar a tomar medidas para o gateway, os deuses
realizaram um conselho, e ocorreu-lhes, então, que Loki tinha sido o intermediário quando o acordo foi feito. E Loki foi forçado
a prometer que iria encontrar uma maneira de sair da dificuldade. Assim aconteceu que o cavalo do estranho entrou no cio, e
correu para longe em perseguição de um relinchos na floresta. Seu mestre correu toda a noite, mas não conseguiu pegá-lo, e
no dia seguinte
ele ficou olhando para a abertura; Havia apenas dois dias de agora até o verão e sem esperança de terminar o trabalho - então ele
explodiu em Mod gigante. Mas quando os deuses estavam cientes de que ele era um gigante montanha que tinha vindo, eles
renunciado a todas as perguntas de um compacto e pediu Thor para liquidar a conta com um golpe de seu martelo. Para assumir Mod
gigante ou trazê-lo em jogo é entendida como implicando todas essas peculiaridades - violência e ferocidade, bem como recursos -

que mostrar a ele um ser de terra demônio.

Somos levados mais e mais em direção ao centro mais sagrado da alma. A vida é reconhecida pela honra. Aprendemos
como intimamente ligados são sorte e honra, ou melhor, temos visto que os dois são apenas os lados da mesma coisa. Os
antigos eram bastante certeza de que no momento em que permitiu a sua boa reputação entre os homens a declinar, no
momento em que negligenciou a reputação de seus antepassados, quando não conseguiu manter

252

sua própria fama feira, quando cometeram qualquer ato desonroso - então a sua sorte iria adoecer. Sua certeza foi baseada na
experiência. Eles haviam percebido a importância de um devido respeito pela honra em seu efeito sobre a saúde ea iniciativa da
próxima geração, a sua estatura, músculos e coragem; eles sabiam que, de fato, que desonra poderia matar uma criança no
ventre de sua mãe e tornar as mulheres estéreis. Honor foi nada menos do que a própria vida, e se um homem manteve sua alma
em um estado abafou-metade, em seguida, seus descendentes seriam prejudicados em seu crescimento, que vem ao mundo
como fracos, aleijado e sem ousadia. Se, por outro lado, um homem havia nutrido sua alma e enriquece sua vida, ganhando o
domínio sobre a honra dos outros, em seguida, heróis seriam nascidos na sua casa, os homens desejosos de olhos e poderosas
de força, crianças que chegaram após armas antes que eles estavam bem fora do berço. Noite de idade, o herói aparece no
e-mail, um seria justificado em dizer de um Ylfing; mais em estilo todos os dias, talvez, podemos ler que o menino severamente
puxou o castigador pela barba, e conseguiu o seu primeiro assassinato em uma idade quando outras crianças segurar por
avental-cordas de suas mães. Ou talvez não haveria tanta força nas crianças que eles próprios ansiava vida. Lemos sobre um
menino chamado Thorstein, filho de Asgrim, um homem proeminente da Telemark, que era para ter sido exposto a perecer no
nascimento; mas, entretanto, enquanto o escravo estava se preparando para levar a cabo a criança e enterrá-lo, todos os
presentes ouviram o menino cantar: “Deixe-me ir para a minha mãe; está frio aqui no chão; o outro lugar é apropriado para um
menino que seu pai' s lareira? Deixe que repassada de aço, deixar o relvado em paz -. Eu tenho um futuro entre os homens”

Mas mesmo que as crianças podem ser um indicador seguro do estado da alma, isso não significa que um tem que
esperar para a próxima geração de ver como desonra rói a raiz vital. Para o islandês, as duas combinações: “preservar a
honra” e “preservar a sorte” são sinônimos; quando ele diz: “Eu não acho que eu posso manter minha honra se eu
sentar ocioso neste assunto”, então suas palavras têm um peso que prova.

253

que esta frase, para o coração se não para o cérebro, é igual a evitar a morte, mantendo sua existência.

Honor tem a realidade da vida, ou alma, e, portanto, a amargura da morte é removido por uma esperança da ressurreição na fama. O
herói se alegrou a pensar não só que assim e assim muitos iriam proferir o seu nome a seguir; sua fé confiante no futuro estava na
certeza de que nesta nomeação e este louvor seu eu mais profundo espalhar-se, governando e desfrutar, viver a vida. Quando os
homens do norte dizer: “Kine morrer, parentes morrer, o homem também deve morrer; isso eu sei que nunca morre, renome do
homem morto “, ou quando Beowulf conforta o rei na sua angústia com a sua:“A tristeza não, sábio
homem; que é melhor para vingar um parente do que a tristeza muito por ele; cada um de nós deve ver o fim de sua vida neste
mundo; deixá-lo que pode, ganhar fama antes da morte, esta é a maior alegria para um guerreiro quando a vida termina “, as
palavras, no momento em que eles foram pronunciados, talvez não significar nada mais do que cerca de ler para eles quando
repetimos as linhas ; mas eles têm seu poder para que a idade de uma realidade que vai muito além do que podemos imaginar
em fama póstuma, uma realidade que só podemos apreciar adequadamente ', substituindo a palavra como re-nascimento, ou
ressurreição.

Para viver em seguir fama, e de preferência por tanto tempo quanto o mundo deve durar, era a maior ambição do
Northman. A palavra vem aos lábios de si mesmo nos momentos mais solenes da vida: quando Hoskuld acolhe seu filho
com uma bênção na nova herdade do filho, seus desejos para o bem-estar moldar-se finalmente assim: “Isso eu
certamente acredito, que seu nome será longa suportar.”E em toda a região germânica corre esta sede de fama. O grito
de honras póstumas, por algo que deve durar além do dia do herói, ressoa como insistentemente através dos versos
cristãos da Heliand como sempre fez desde os lábios de qualquer poeta heróico. “É o prazer do homem para se manter
firme com o seu senhor, de bom grado a morrer com ele. Isso tudo vamos, segui-lo em sua ida, contando a nossa vida de
pouco valor, e morrer com o rei em uma terra estranha. Então, pelo menos não será deixado nos honra e boa fama entre
os

254

que virão depois de nós “, - assim, Thomas incentiva os outros discípulos. O anglo-saxão Marítimo, que não consegue obter o seu Cristo para comandar as
ondas, se aqueles dentro ou aqueles sem, se agarra à mesma fé no julgamento passou sobre os mortos. Para ele, o mundo inteiro está triste e sem
esperança, como um caos de labuta, sofrimento, quer, esperanças quebradas e de despedida onde se procuravam reunião. Ele pode encontrar nada
duradouro. Doença e idade e batalha vie um com o outro em saquear a humanidade. Há, então, nada mais para construir em cima, mas o louvor da
posteridade. Seu conselho é: fazer uso do tempo antes do final vem, para Manly saindo contra os inimigos e demônios, que os filhos dos homens pode
louvar-te, e a tua fama viver entre os anjos. Late-nascido como ele é, ele considera a idade viril do mundo como no fim; o momento em que os homens
viviam e tinham fé na vida, deu jóias e prosperaram na sorte, porque eles eram fortes, que o tempo é para sempre passado e ido - assim corre o seu
lamento. E com a inconsistência de amargura ele traz a sua acusação contra a própria existência, e mantém-se a sua miséria unalleviated diante dos olhos
de todos. Mas, embora os cínicos de todos os tempos são iguais, sua renúncia ainda traz a marca da sua idade e lugar. Um diz: Bem, vamos comer e
morrer, outro: Vamos pensar e morrer, o Seafarer diz: Vamos morrer e ser lembrado. sua demissão ainda traz a marca da sua idade e lugar. Um diz: Bem,
vamos comer e morrer, outro: Vamos pensar e morrer, o Seafarer diz: Vamos morrer e ser lembrado. sua demissão ainda traz a marca da sua idade e lugar.
Um diz: Bem, vamos comer e morrer, outro: Vamos pensar e morrer, o Seafarer diz: Vamos morrer e ser lembrado.

Se tomarmos a palavra fama como significando algo deitado unicamente na boca dos outros, algo que depende da boa
vontade de pessoas estranhas e seu poder de apreciar o que foi ótimo, então seria depois de tudo ter sido muito incerto um
valor conciliar a Teuton com morte, ou até mesmo fazer da morte um ganho. A alegria em um grande renome tiveram sua força
indomável e seu valor ideal a partir do fato de que ele foi baseado em uma realidade. A vida de fama após a morte era uma
vida real.

É muito fácil para nós entender o entusiasmo no orgulho da morte dos antigos. Somos rápidos para ver o que está em chamas e
brilhante nas palavras, mas dificilmente são capazes agora de sentir o seu poder de espalhar o calor. O leitor moderno provavelmente
pensa que ele está mostrando o poeta possível honra em tomar as palavras em um sentido tão espiritual quanto pode ser, mas na
verdade, ele está apenas matando a sua verdadeira vida, a sua admiração ideal. Outro
255

expressão do valor do nome é encontrado na antiga exortação aos guerreiros, como a encontramos na Norse hirðskrá --- a lei
dos guarda-costas do rei -: “Tenha em mente que ser quem uma vez morre como um niding, ele nunca terá um outro tempo ( ou
seja novamente) tornar-se um homem corajoso, mas como ele morre com esse nome, assim com que a fama deve sua memória
viva.”Aqui, o velho senso de realidade ainda fala caro. Se pudermos trazer-nos, com a nossa mente preenchido com esses
louvores de fama após a morte, de aproveitar esta exortação, literalmente, tal como está, então vamos nos sentir tanto a
solenidade e seriedade vital do antigo anseio de grande renome.

O nome, então, sai dele que carrega-lo como um conquistador, e coloca o mundo a seus pés, avança sem ser detido pela vida ou
morte, porque tem em si mesmo, ou melhor, é em si mesma, a alma. Se o homem morre no corpo, em seguida, todos os contratos de
vida em sua honra, sua fama após a morte, o seu nome, e vive sua vida ali imperturbável; ele pode a qualquer momento preencher
um novo corpo e inspirar-lo a uma vida em honra e sorte. Quando o nome é dado a um parente, a alma emerge para a luz de novo,
como se nada tivesse acontecido. Ele já voltou, disse que os homens.

Outra palavra que designa a alma humana é Icelandic ALDR, Anglo-saxão ealdor, que, do ponto de vista das nossas línguas. deve,
em alguns lugares ser processado por “idade, tempo de vida” e em outros lugares simplesmente por “vida”. Os textos falam de
perder idade, apostando idade, com as idades de outro homem. Um homem pode arriscar sua ALDR e perdê-lo, ele pode tomar
ALDR de outro homem com ele na batalha. ALDR é o fjör residente no peito, que a espada pode forçar seu caminho para morder.
Mas esta alma, ou a vida, não existe apenas em uma generalidade pálido, como um quadro branco no qual o mundo lança sua
sombra. Ele tem alguns conteúdos, é um destino. De acordo com a configuração da Helgi, os norns chegou à herdade do herói na
noite de seu nascimento e criado, ou formado, a sua idade; que ordenou-lhe tornar-se o rei mais famoso, o maior no renome entre
os príncipes.

A idade de um homem é determinada desde o seu nascimento, dizem os nórdicos, significando assim, a história desse um, como
diríamos, ou de um destino, como eles mesmos iria colocá-lo, é uma coisa dada;

256

através de tais e tais acontecimentos, ele deve ser levado ao seu fim. Pode-se reconhecer um herói do passado em sua
contemporânea, por sua coragem, e pelos conteúdos e força de sua honra, mas também sua carreira fornece a sua prova,
e isso talvez das mais claras, como para a ligação entre passado e presente. Quando sabemos que tipo; de uma alma
existe em um homem, podemos dizer com certeza imediata que o espera, e que seu fim será. o destino de um homem é
predeterminado, e com ele a amigos e inimigos, aliança e conflito, tradição e objetivo; e com as características de uma
raça segue-se, na repetição rítmica, a mesma história. Atil Hasteinson recusou, após a luta com Hrafn, um convite
amigável de Onund:

ele preferia ir para casa, para com toda a probabilidade que se seguiria o seu nome que ele deveria morrer de seus ferimentos,
como fez o pai de seu pai, Earl Atli, cujo nome e vida que ele deu.

O comentário mais verdadeira é fornecido por este parágrafo no Snorra Edda: “Bons norns de nobre nascimento criar uma boa ALDR,
mas se os homens caem em unluck, norns doentes estavam no trabalho.” Os norns estavam no coração nada mais que a manifestação
dos parentes de sorte e história.

Nossa palavra destino é dificilmente aplicável aos pensamentos dos antigos quanto à vida e seu curso em tanto como nós
principalmente apreender o destino como uma força misteriosa e incalculável; o destino de nossos antepassados ​era um ser com
impulsos, paixões, peculiaridades: a tendência de sempre escolher
um lado particular de uma coisa, para escolher o combate ea decisão de armas ao invés de discussão, ou sempre que olhar
sobre a possibilidades de negociação; a tendência, em vez de matar um homem demais de um muito poucos, ou uma
inclinação sempre para fazer o que serve um mínimo. Nós temos sempre de lidar com um destino individual, que pertence a
um único homem, e o distingue de todos os outros, e esse destino pode razoavelmente reivindicar ser chamado de nada
menos do que alma. Ele pode avançar para fora dele e comunicar-se aos outros, e pode encontrar um re-nascimento
individual. De acordo com as passagens de prosa do Lays Helgi no Edda, Helgi Sigmundson e seu amor, Sigrun, é suposto
ser reencarnações de Helgi Hjorvardson e Svava, e, em seguida, para renascer-se

257

nas pessoas de Helgi Hadingjaskati ea filha de Kara Halfdan. Temos aqui três lendas paralelas, de um herói cujo ritmo
forte e precipitada de vida se deve a uma mulher semi-sobrenatural. Helgi Hjorvardson é despertado para a ação pela
valkyrie Svava, e consagrada à morte por voto imprudente de seu irmão para enganá-lo do direito de seu amor. Helgi
Hundingsbane, no curso de suas expedições guerreiras, vence o amor e proteção de Sigrun, filha de Hogni, mas por
causa dela, ele é levado a matar Hogni e, assim, prepara sua própria queda. A terceira lenda é conhecido apenas a partir
de uma reminiscência vaga em uma saga mítica onde Helgi, atingindo muito alto, feridas seu amor e protetora, e, assim,
perde sorte e vida para si mesmo. Como as partes separadas desta trilogia se uns aos outros no que diz respeito origem
e contato não sabemos; par. Helgi e Svava não entrar na vida de novo, mas a vida renasce o grupo, herói e donzela
valkyrie, e seu amor com seu resultado trágico.

Quem interpolados estas passagens de prosa para os poemas dificilmente se chegaram pela especulação neste hipótese de
re-nascimento; mas se houve algum germe da combinação nas lendas-se ou não, estas linhas de prosa têm a sua autoridade
no pensamento antigo. A vida é conhecido por suas obras. A alma tem um curso de vida inerente a ela, como uma de suas
qualidades. O destino, ou como poderíamos também dizer, história, não é, mais do que sorte, uma coisa deitado fora um
homem; nem meramente pendurar sobre ele como um resultado necessário do seu caráter. É a própria sorte, é a sua
natureza. Ela nasce fora dele, da mesma forma como fecundidade e vitória. É sobre esta identidade entre destino e vontade
que o fatalismo corajoso do Northmen depende.

E por isso não é de resignação que um Atli fala como ele faz. O Northmen não deixar-se arrastado pelo destino, que foi
de boa vontade, escolheu-se o que eles sabiam era o seu destino, escolheu o inevitável da sua própria vontade, por mais
paradoxal que possa parecer. O destino era para eles um homem necessidade não podia evitar, mas eles sentiram que,
no entanto, como uma questão de vontade. Levaram-se os conselhos e planos de seus parentes

258

como calorosamente como a sua própria, e da mesma maneira que eles viveram o destino de seus antepassados ​com
apetite ansioso. Eles agarrou firmemente ao seu destino com uma vontade que é a vontade do próprio destino - aqui está o
segredo do seu sentido robusto de vida, o contentamento imperturbável com a solidez da existência que os impede de
sempre indo para as profundezas para procurar tesouros, enquanto por outro lado, eles nunca pensam de sonhar e
consolando-se longe do que é e deve ser.
Nome e destino interpenetram. O nome era um encanto poderoso, porque ele carregou a história não só do portador,
mas de seus antepassados ​e de todo o clã. Deeds jazem escondidos em seu som e eles podem florescer fora em uma
disso, para que o nome se torna um épico em breve. Tais nomes como Bow-portador, Sigurd Fafnirsbane ou Hroerek
Flinger da pulseira são os núcleos de lendas familiares.

Mas ainda há um lado inteiro da alma intocada. Natureza precisa de um corpo. Quando a mãe tinha dado à luz o seu filho, ele foi levado para o pai, para que ele
pudesse ver qual dos antigos parentes-se que agora apareceu à luz novamente. Possivelmente seus olhos penetrantes podiam discernir o caráter do partido nos
movimentos da criança. Algumas crianças veio ao mundo com os punhos cerrados, outros deu o grito de um herói logo no início da sua carreira. A criança parece
promissor, os homens dizem, ele vai ser um companheiro difícil, mas fiel à sua Mends. Mas em primeiro lugar, o pai examinou a criança recém-nascida por
semelhança em características, olhos, e construir. A alma não alterou. membros poderosos, olhos afiados, cabelo de ondulação justo não eram atributos
acidentais do herói-alma mais do que a dureza e frio de uma pedra são qualidades acidentais do corpo que uma pedra-soul leva para a sua roupa. É uma
expressão de pé nas sagas, que o jovem chefe de ser distingue-se por seus olhos. Ele tem olhos aguçados, ele aguça os olhos à maneira dos verdadeiros
príncipes de guerra, - assim, lemos sobre Helgi Hundingsbane. Assim também do nascimento de Sigurd Fafnirsbane: O rei ficou feliz quando viu os olhos afiados
em sua cabeça, e disse que nenhum seria igual a ele. Estes olhos estão em poesia patente do chefe de nobreza: um olhar que poderia domar ou de vaca homens
e animais. assassino de Sigurd tinha que ir para fora da câmara Ele tem olhos aguçados, ele aguça os olhos à maneira dos verdadeiros príncipes de guerra, -
assim, lemos sobre Helgi Hundingsbane. Assim também do nascimento de Sigurd Fafnirsbane: O rei ficou feliz quando viu os olhos afiados em sua cabeça, e
disse que nenhum seria igual a ele. Estes olhos estão em poesia patente do chefe de nobreza: um olhar que poderia domar ou de vaca homens e animais.
assassino de Sigurd tinha que ir para fora da câmara Ele tem olhos aguçados, ele aguça os olhos à maneira dos verdadeiros príncipes de guerra, - assim, lemos
sobre Helgi Hundingsbane. Assim também do nascimento de Sigurd Fafnirsbane: O rei ficou feliz quando viu os olhos afiados em sua cabeça, e disse que nenhum
seria igual a ele. Estes olhos estão em poesia patente do chefe de nobreza: um olhar que poderia domar ou de vaca homens e animais. assassino de Sigurd tinha
que ir para fora da câmara

259

duas vezes sem conseguir seu objetivo, para os olhos do Volsung eram tão interessado que muitos não ousou olhar para
eles. Os cavalos correu para o lado e não pisar Svanhild, desde que seus olhos estavam abertos. descrição do Saxo de
Olo Vigetus é um estudo no olhar heróico: seus olhos eram tão afiada que feriram o inimigo mais difícil do que as armas
de outros homens; o mais ousado se encolheu sob seu olhar. Ele vem, desconhecido, a corte do rei. A filha do rei estava
acostumado, ao passar em volta do salão, para observar os convidados; a partir das características de seus rostos ela
podia ler a sua qualidade e em pé. Mas à vista do semblante de Olo, ela cai três vezes desmaiando no chão. “Aqui é um
herói real-nascido”, diz ela, e todos clamam a ele de jogar de lado sua capa. Quando ele obedece,

Saxo, moderno como ele é, se pergunta a perspicácia da garota; De qualquer forma, ele acha que, assim, com uma peça notável
de adivinhação, para colocá-lo, por assim dizer, entre aspas com um “os homens acreditavam” que ela podia ler a posição do
convidado de seus recursos. Mas como uma questão de fato não precisava de grande arte de apontar um rei. É impossível para
ele para se disfarçar. Deixe-o colocar sobre a túnica de um escravo, e um lenço sobre a cabeça, e pôs-se a girar um moinho; ele
vai ainda ser visto que a moça tem olhos afiados, este sangue jovem é nunca vir das ações da Cottar; ele não pode ajudar a
transformar a fim de que as pedras voam em pedaços e o invólucro é arremessado. Tal aparência, e tal força, pertencem uma vez
por todas a sua sorte, sua natureza. Alto, imponente, bonito - bonito, isto é, sem o trabalhador' s características do tipo camponês
- ele deve ser para ser um chefe, e não poderia ser de outra forma se cacique fosse. Quando a alma renasce, ele molda uma
forma humana sobre si mesmo com tais membros, tais olhos, como o cabelo, pois não pode fazer o contrário. Ou deixe-nos talvez
melhor dizer, que a própria alma é de cabelos amarelos, olhos azuis e forte de tendões - este, afinal, é o verdadeiro significado.
Todas estas determinações individuais do ser de um fusível alma em uma única palavra: sorte. A alma é sorte no
totalizante

260

sentido de que se abre diante de nós quando seguimos pacientemente sua actividade em todo o círculo completo. Quando a sorte está no
fim, então, nós sabemos, a própria vida é encerrado, não porque era dependente de certas condições externas, mas porque era a própria
existência que cessou quando a sorte se interrompeu. Para ser na sorte, para mostrar-se na sorte significa o mesmo que dar um passo
adiante em luz e vida.

Este poder revitalizante do homem, que assim se manifesta sob diferentes aspectos é, de acordo com nossa terminologia,
apropriadamente chamado de alma, mas podemos chamá-lo de vida ou existência sem alterar o ponto de vista. Aqui a diferença
radical entre a experiência primitiva e moderno se faz sentir. Quando colocamos a nossa reflexão para explorar as instalações
que se encontram na parte inferior da nossa conversa do poder que se move em nós e nos move, ele surge com a idéia de um
fluxo claro, transparente levando-se em seus sentimentos e estados de espírito do curso; a vida é algo que temos em comum
com todas as outras criaturas, e torna-se a vida do homem, assumindo ou evoluindo elementos puramente humanos. É outro
modo com o qual a vida furo para a frente as acções dos nossos fore-pais; vida para eles era puramente humana, e não apenas
uma mera humana, mas uma coisa pessoal, tão pessoal como um apelido. Força e efeito são a nossa experiência tão distantes
que podemos interpolar a questão: vamos ver o efeito que vem dessa força; à experiência primitiva, poder e seu resultado é um,
e crescer juntos.

Assim que substituir nossa “alma” pela palavra hamingja, o pensamento é traduzido de nossa visão clara da vida com a visão
cheia de sangue e muscular do passado. Hamingja é uma natureza que apenas pode actuar na sua forma essencialmente
determinada, e apenas para a extremidade que se encontra, por si só. Hamingja é um personagem que só pode manifestar-se
como estas ou aquelas pessoas particulares, mas deve, por outro lado produzir seu efeito predeterminado; esta honra especial,
vontade e destino, e deve criar estas ou aquelas personalidades, nas suas relações peculiares dentro e sem. Por isso, vem
agora como um homem, agora como algo humano, agora como uma personalidade, agora como uma força - e sempre é em si
nunca mais e nunca menos. Quer se trate de março na cabeça de um exército, em manifestação corporal de um tipo ou outro,

261

ou que emanam do homem no solo e fazer os germes brotar através do molde, não faz diferença para a sua natureza.
Sorte constitui, como sabemos, um todo perto, tanto ao longo e indivisível. Portanto, cada qualidade de homem possui
toda a força do hamingja; fama após a morte traz em si uma alma viva ou um ser humano vivo. Neste homogeneidade da
vida está implícito a condição necessária para expressões como o Inglês Antigo: “Os pagãos caiu frithless no campo de
batalha”, e essas passagens não são compreendidos “O tempo veio para que ele sofra uma separação de Frith.” quando
tomado unilateralmente como prova de que a vida na terra foi, para os antepassados ​dos anglo-saxões, em primeiro lugar,
uma vida comum, um Frith; nem podem ser tomadas como exemplos de uso poético da Frith no sentido de alma. A
explicação está mais profunda;

Aqui, os contrastes que são de primordial importância para nós perder a sua autoridade. Corpo - alma, neutro - pessoal, -fraction
todo, essas definições têm um lugar no pensamento antigo, mas eles não são fundamentais. Quando lemos de hugr de um
homem que cumpre o seu inimigo na forma de um lobo voraz, então sabemos que é uma alma pessoal; Se somos informados de
que um homem tem um
hugr negrito, então sabemos ou pensamos que sabemos, que é uma qualidade de caráter que é falado. Mas em outros casos
que são torturados, talvez, por uma desagradável sensação de dúvida; Se um homem se sente impulsionado por sua hugr, ou
advertido por sua hugr, é então o espírito - sua mente, como diríamos - ou um espírito - seu gênio, em outras palavras - que fala
dentro de si? Enquanto nós é um dado adquirido que os dois se excluem, só podemos hesitante pesar pró et contrapartida na
leitura de um versículo como o que Gro canta sobre seu filho: “Se os inimigos barrar seu caminho, com o mal em mente, então
deixe sua hugr mudar ao longo, para o seu serviço, e sua mente se voltou para a paz.” Agora tudo ou- ou desaparece; hugr está
em toda parte tão pessoal como é impessoal.

O pensamento antigo não oscile sobre o contraste entre a alma eo corpo. Há um contraste entre o material

262

ea existência espiritual, e a divergência entre as duas formas de manifestação humana é grande o suficiente para definir
pensamentos em movimento, mas não grande o suficiente para variar-los em duas matrizes hostis. A tensão entre a existência
do espiritual e detecção do tangível ainda não está crescido tão forte que os dois pólos vai chamar separadamente experiências
para eles e mantê-los rapidamente em dois grupos, de modo a fazer uma violação ou um problema. Para os homens modernos
que estão sob a influência da filosofia helenística e religião, parece que os homens primitivos saltar para trás e para a frente ao
longo de um buraco de contradição contradição, mas não havia golfo e nenhuma contradição em si. A conexão tem tal solidez
que ele pode ficar qualquer que seja fatos pressão pode trazer para cima dele. Enquanto olhamos para o corpo, podemos habitar
como continuamente e, como unilateralmente como nós escolhemos em cima das limitações corporais do homem; e se olharmos
para o homem do ponto de vista espiritual, não precisamos proteger rodada nossa descrição da alma caprichosa com
qualificações através medo de que nossas antigas palavras devem se levantar e testemunha contra nós. Na verdade, é somente
quando nós temos dado a cada um seu devido, plena e uncurtailed o que merece, que podemos manter o equilíbrio entre eles.

Ninguém contesta o poder da alma separar-se do corpo, a fim de viver uma existência livre e desimpedida, enquanto o
corpo aparentemente, e, talvez, também, na realidade, está ocioso como uma casa sem um inquilino. A alma pode ir para
onde ele vai, estabelecido em seus próprios recados, espiar, preparação e também agindo em nome de toda a pessoa. Há
uma história para o ponto sobre o rei franco Gunnthram. Uma vez, ela é contada, enquanto a caça para fora, ele foi
ultrapassado por grande cansaço, e deitou-se para dormir ao lado de um córrego; quando ele acordou, ele ainda se
lembrava de como ele tinha atravessado um rio por uma ponte de ferro em uma montanha onde estavam grandes
tesouros de ouro. A alma mal visto corretamente, pois quando os homens foram para cavar no lugar o rei tinha salientado,
eles encontraram um enorme tesouro. Mas aquele que sentou-se com o rei'
263

uma espada em todo o riacho, quando ao mesmo tempo desapareceu do outro lado da ponte e em um pequeno buraco no lado da montanha,
voltando pouco depois da mesma maneira.

Sabemos que a alma - pelo menos agora e, em seguida, -pode ir para onde vai; mas também sabemos que ele carrega o corpo nele.
Se a cobra real tinha conhecido ninguém forte o suficiente para fazê-lo mal, em seguida, o rei teria visto as marcas em seu corpo
quando ele acordou. A qualquer momento, esta alma pode explodir para fora dentro de um corpo, uma vez que foram virar do
avesso, e que mostra exteriormente a matéria que no seu estado arejado traz dentro. E então ele aparece não apenas como uma
visão, uma imagem da pessoa, mas como um corpo duro e rápido, poderoso, um corpus certamente não deve ser passada através
sem perceber. fylgia de um homem -como a alma é chamada neste estado pelos islandeses - tanto pode greve com suas armas e
esmagar com seus braços, de modo a tirar o fôlego de um homem. É contada de dois camponeses islandeses que eles encontraram
uma noite em forma animal entre suas herdades e combateram as discussões do dia; e quando acordou de manhã, cada um se
deitou com membros agredidas pensando sobre os acontecimentos da noite.

As histórias fylgia Norte indicam claramente o suficiente para que a alma tem uma vantagem sobre a pessoa como um
todo; ele pode escolher o que forma vai demorar. Quando o corpo está em repouso, a alma vê sua chance de assumir
outra forma do que suas roupas de costume, um mais adequado para as necessidades do momento. Ouvimos falar de
homens que tomam a forma de aves, seja para viajar através do ar, ou para ganhar uma entrada através de aberturas para
não ser alcançado a partir de qualquer estrada, mas “estrada das abelhas”. Quando o abate de Gunnar e Hogni era
iminente, Kostbera, a esposa de Hogni, tinha sonhos da alma de Atli que entram no hall de aviso. “Methought vi uma mosca
águia e até o final do corredor; amargo é o que nos espera agora; ele estava pingando sangue; Eu vi de seus olhares
ameaçadores de que era a forma do Atli “, diz o verso no Atlamál, e as palavras,

Gunhild, a rainha do rei norueguês Eric Bloody-machado, era uma mulher inteligente e indomável, cujo hugr forte
tão comovido

264

a imaginação de seus contemporâneos que ela passou para a história como um ser metade sobrenatural. Aconteceu que
Egil, que não era amigo do rei, naufragou na costa e forçados a atirar-se sobre a hospitalidade do rei. Egil não tinha outra
maneira de comprar a boa vontade de Eric do que compondo um poema laudatório, mas durante a noite, quando ele
estava sentado trabalhando em seu Hofudlausn - o poema para salvar sua cabeça - ele foi importunado por um pássaro
que manteve twittering na janela , e escritores tarde saga mantê-lo fora de dúvida que a ave não era outro senão o hugr
da rainha implacável.

Onde era necessário força, a alma viria correndo-se na forma de um urso, e com a força de um urso. “Este Hjoryard e
seus homens ver, que um grande urso vai diante do rei Hrolf e os seus homens e sempre mais próximo do rei; ele mata
mais homens com sua pata que cinco dos campeões do rei. Espada e seta desviar dele, mas seja a cavalo ou homem
que vem em seu caminho, ele ataca-los e esmaga com os dentes.”O urso foi Bodvar Bjarki, cujo corpo estava sentado em
casa, no hall, dormindo.

Sem dúvida, este poder de assumir uma outra forma é algo peculiar à alma como distinta do corpo. O transe, ou morte
temporária, do corpo, é uma condição necessária para dar a alma total liberdade para explorar essa outra natureza e
utilizar todas as qualidades que se encontram em
a forma adotada: sua manifestação maciça, seus poderes peculiares, sua rapidez e selvageria. Assim que Bodvar acordou e
chamou seu corpo heróica sobre ele, o urso desapareceu. Mas nós inconscientemente apresentar nossos preconceitos em
traduzir essas reminiscências da experiência antiga em nossos modos de pensamento. O hugr não poderia assumir o corpo
de um urso, a menos que sua sorte tinha algo de urso natureza nele. Os elementos de que a alma se constrói um corpo

- HAMR, como é chamado - não forem tomadas de fora; eles se encontram dentro dele e são igualmente presente no corpo
todos os dias; aquele que realmente apareceu como lobo, como o urso, como boi, como águia, teve o carácter de marcas de lobo,
o urso, boi ou águia nele sempre. Sua sorte foi de tal sorte a implicar uma relação essencial entre ele e sua besta; ele usou sua
força, sua coragem,

265

sua selvageria, o seu ofício, seu poder de adivinhação e seu poder de rastreamento, também à luz do dia e em seu próprio corpo. E quando a forma humana
encontra-se ligado no sono, as outras peculiaridades que estão contidos em sua natureza pode realizar-se em forma exterior; talvez tivéssemos dizer melhor,
quando as outras potências evoluir suas qualidades que dá forma, forma humana é obrigado a ser suspenso. E, olhando mais de perto esses representantes
genuínos da força da alma como Bodvar, podemos ainda, apesar do fato de que a história tem sido reft do seu solo vivo, descobrir as marcas de nascença. O
nome do Bjarki nada mais é do urso, e a história de sua origem ainda se mantém, talvez, algum traço sombrio de ele ter pertencido a um clã urso, que tinha
estabelecido um estado de Frith com o urso, como teve a Ylfings com o lobo, e cultivada este frith como a sua sorte mútua, constantemente assimilar algo da
natureza do animal em si mesmos. O nome de seu pai era Bjorn (urso), sua mãe se chamava Bera, o que significa uma ursa e seu pai andou na forma de um urso
no momento que o filho foi gerado. A história do destino infeliz de seu pai quando ele estava enfeitiçado por uma madrasta por conta de sua virtude, é temperada
com o romance e imaginação, mas não é um urso na história dos tempos antigos. Se a forma em que é transmitida a nós não é nada mais do que um conto
medieval, a história é moldado sobre um tipo de lenda da família familiar aos nossos antepassados. Não é de todo improvável que Bodvar pode ter tido a sua
marca em algum lugar sobre o seu corpo, como os merovíngios tinham suas javali cerdas nas costas. s nome era Bjorn (urso), sua mãe se chamava Bera, o que
significa uma ursa e seu pai andou na forma de um urso no momento que o filho foi gerado. A história do destino infeliz de seu pai quando ele estava enfeitiçado
por uma madrasta por conta de sua virtude, é temperada com o romance e imaginação, mas não é um urso na história dos tempos antigos. Se a forma em que é
transmitida a nós não é nada mais do que um conto medieval, a história é moldado sobre um tipo de lenda da família familiar aos nossos antepassados. Não é de
todo improvável que Bodvar pode ter tido a sua marca em algum lugar sobre o seu corpo, como os merovíngios tinham suas javali cerdas nas costas. s nome era
Bjorn (urso), sua mãe se chamava Bera, o que significa uma ursa e seu pai andou na forma de um urso no momento que o filho foi gerado. A história do destino
infeliz de seu pai quando ele estava enfeitiçado por uma madrasta por conta de sua virtude, é temperada com o romance e imaginação, mas não é um urso na
história dos tempos antigos. Se a forma em que é transmitida a nós não é nada mais do que um conto medieval, a história é moldado sobre um tipo de lenda da família familiar aos nossos antepass

Em tempos de atraso, quando a antiga realidade foi enfraquecido em algo metade imaginação e literatura caiu sob a
influência da poesia medieval, o HAMR foi por vezes descrito como uma pele em que os deslizamentos metamorfo e que
ele deixa para trás quando se retorna ao seu próprio corpo. Mas esta presunção se senta frouxamente na idéia original
que vem à luz em toda a língua viva. Originalmente, a HAMR era, como o poeta do Atlamál ainda é a metade consciente, a
própria alma, o hugr ou hamingja. O homem que sofreu scathe em sua sorte, e, portanto, não tem mais seu Megin
completo, é hamstoli, ou seja roubado de sua HAMR; ele não consegue lembrar, entender ou sonho. Quando

266

um homem tomou em sua HAMR ele assumiu toda a sua força e colocar todos os seus poderes para requisição. Nem todos
tinham esse poder de “ham” ( hamask) no mesmo grau; o homem forte, ele que tinha muito e poderoso sorte e poderia,
portanto, enviar a sua vontade, bem como sua hugr no exterior em formas poderosas, foi chamado hamramr, ou seja forte da
alma. As pessoas comuns têm, neste ponto, preservou a antiga fé que personagens fortes são capazes de mostrar-se em
vários lugares ao mesmo tempo, e de acordo com a evidência inconfundível de vezes viking, a ser hamramr significava ter o
poder de tomar em outro moldar e aparecem como um animal - este é o mais alto grau do poder em questão, - mas
certamente também era uma qualidade que
fez-se aparente quando o homem estava na sua forma normal do corpo, como a violência na batalha, como invulnerabilidade,
insensibilidade à dor, e uma maior resistência física. “Então eles pegaram suas espadas e mordeu as bordas dos escudos, deu
a volta ao navio, ao longo de um baluarte e de volta ao longo do outro, e mataram todos os homens; depois, eles foram
uivando-se em terra,”- esta é a natureza Bodvar, agindo em plena luz do dia. Esses guerreiros sombrios foram chamados berserkir

árido ulfhednir, porque usavam peles de urso e peles de lobo como uma vestimenta exterior, e este accoutrement sem dúvida
tem a ver com a sua força e ferocidade. De um homem chamado Odd é dito que ele cruzou a Islândia em uma única noite
desde o ponto extremo norte ao Southland, quando sua irmã precisava de sua ajuda urgentemente; se ele trotava como um
urso, seja ele voou, ou usado suas pernas, não sabemos; uma coisa é o suficiente; era o fato de que ele era hamramr que lhe
deu a velocidade.

Em tempos cristãos a palavra hamramr foi degradado para servir como um adjetivo branding, e em seu declínio que partilhava o
mesmo destino fjölkunnigr, mais tarde utilizado daqueles indivíduos que mantiveram com as práticas antigas e assim se tornou
feiticeiros. Corretamente, fjölkunnigr, ou “muito conhecimento”, não significava nada mais do que: capaz de usar a sorte no sábio
colector, como um homem seria naturalmente quando possuidor de conhecimento das coisas do passado, e de tal visão e
simpatia como lhe permitiu tirar força das almas sobre ele.

No momento em que Olaf Tryggvason percorri o país

267

para levar a luz de Cristo em todas as casas e corações noruegueses, havia um homem no extremo Norte chamado Raud,
que corajosamente defendeu-se contra a conversão real, definindo tempestades para proteger a costa. Durante uma
semana inteira frota do rei lutou contra o vento na boca do fiorde sem fazer progressos, mas finalmente as rajadas pagãs
foram superados por uma aplicação liberal de velas e cruzes e água benta, eo rei conseguiu capturar Raud e expedição -lo
para o inferno quando ele provou ser muito obstinado para mudar sua fé no local. Os pagãos resistente foi ridicularizada
pelos seguidores do rei - ou pelo seu biógrafo piedosa - como fjölkunnigr; mas Olaf, que desafiou a tempestade até que
obedeceu, que enviou seu sorte para ajudar seus amigos e ter a sabedoria dos pensamentos de seus inimigos, ou mesmo,
por vezes, apareceu corporal para virar uma arma mortal lado da cabeça de seu servo em perigo, deve ter sido tão
hamramr e fjölkunnigr como qualquer outra, como é natural, mas em um homem que vem de bom estoque real. E o
by-name fjölkunnigr é devolvido com a devida justiça pelos adversários do rei mais cristã, quando foram misteriosamente
dominado por sua “sorte e hamingja”. Ambas as partes estavam certos. No caso de estranhos e cujos poderes e caminhos
são de outro tipo,

fjölkyngi deve ser mesmo a feitiçaria, e é, portanto, nenhuma torção de palavras quando cristãos e pagãos acusado um
ao outro de práticas desleais. Quando hamingja Christian eo deus cristão permaneceu na posse do campo, os homens
da nova fé, naturalmente, virou a palavra totalmente contra seus inimigos e fez dela um por palavra de reprovação para
as pessoas da antiga fé.

Fica assim claro que não há contradição entre a vida neutro, o poder espiritual que um homem irradia para o seu
entorno, ea alma pessoal que estabelece em suas próprias pernas e agarra as coisas com suas mãos. Os dois são
apenas pólos opostos da mesma sorte. Vimos como hamingja de um homem pode sair e deitou-se como uma névoa em
cima de outra mente, sombra sua clarividência, sufocar a sua iniciativa e sugar a força de seus planos; e não temos
necessidade alguma de imaginar o agente activo como um homem, sufocando com as mãos, sugando com os lábios ou
pisar com os pés. hamingja do rei passa como um
268

o calor de sua mão para o guerreiro cuja mão ele agarra; sua hamingja entra como uma força em homens e enche seus
corpos, penetrando nas articulações ultraperiféricas, e destes mais em suas armas. -se Foresight é hamingja, que se eleva
a partir da profundidade da alma e se espalha para fora nele que profetiza; “Eu sei da minha visão e de nossa ættarfylgja ( isto
é, o hamingja do clã) que grande tristeza vai crescer para nós a partir deste casamento”- adverte assim Signy, na
Volsungasaga, quando o casamento com Siggeir é proposto. Mas a qualquer momento o hamingja pode surgir em toda a
sua personalidade; -, mas uma pequena mudança no modo de observação, e muda de uma coisa em um alguém. Da
mesma forma, hugr do Northman muitas vezes passa a idéia de mente, vontade, desejo, pensamento, ao que entendemos
por alma, em todas as suas nuances de significado, de modo que tal manifestação do homem fora de si mesmo como
descrito no a lenda de Gunnthram, bem pode ser estabelecido nas palavras: “é, um hugr nós nos encontramos” “Essas são
hugrs dos homens”, diz um homem que tem visto os seus inimigos em um sonho, e este, em sóbrio palavras, significa que
as almas dos inimigos roubar sobre ele, observando, à espreita, preparando-se.

Além disso não existe qualquer contrapartida entre o HAMR e o MOD e Megin. O gigante é instantaneamente reconhecido
quando ele coloca em Mód sua completo de gigante, selvagem, furiosa alma dos ogros, assim como Thor é capaz de
out-torre o inchaço poderoso do rio quando ele coloca em Megin do seu deus. A expressão metafórica, que o espírito tem o
corpo ligado nela - se metafórica que seja - está em perigo de empurrar em cima da verdade uma aparência de
profundidade; mas quando nós fizemos tudo para remover a tentação de tomar as palavras como um pedaço de inteligência
moderna, eles contêm apenas o que deve ser dito. E temos, sem dúvida, o direito de usar apenas como uma forma de
expressão como esta, que os ursos sorte neutros em que a personalidade como uma qualidade entre todas as suas
qualidades, ou melhor talvez, que é impregnado com uma personalidade,

A vida é um todo homogêneo, mas é distribuído em partes. A alma pode ser espalhados em pequenas partículas. Se alguém tem
uma grande alma, como o fez um homem um rei, então ele pode compartilhar

269

a sua alma entre os seus guerreiros, para que uma parte vai para o leste para reprimir uma revolta, um outro para o oeste em uma expedição no mar, um terceiro
sobre alguma missão de paz em outro lugar. Sem dúvida, as pessoas teria considerado isso como um sinal lamentável de falta de força espiritual no seu príncipe
se uma dessas almas enviados - se ele tinha na época três ou sete exércitos no campo - faltou visão ou audição, a sabedoria ou o poder de ação . Cada um de
seus “Redes” - ou pensamentos e conselhos poderosos - na verdade, deve ser equipado com olhos e ouvidos. A toda alma em massa está impregnada com a
humanidade, da mesma forma que uma pedra é com dureza, a árvore com treeness, para que o homem é mortalmente vulnerável em cada pequena parte de sua
honra. É possível matar um homem corporal, matando um de seus “Redes”. Se um chefe ser dividido temporariamente em quatro partes, em seguida, sem dúvida,
o corpo estará presente como um todo com uma destas tetrarcas; mas isso não implica que os outros três devem permanecer incógnito ou invisível, ou que são,
no mínimo grau inferior a todo o homem na plenitude de qualidades. Cada um deles pode muito bem assumir o cabelo agitando, olhos penetrantes, tez fresca e
membros imponentes de sorte do chefe. Podemos, se quisermos, creditar o homem com quatro almas. Mas cada um destes quatro, no entanto, contém a cada
momento seus companheiros de almas, e é responsável por eles em todos os pontos. De fato, na fundação mais profunda da questão que eles não são separados
em tudo. Separação, no espaço não conta para nada, ou quase nada. ou que são, no mínimo grau inferior a todo o homem na plenitude de qualidades. Cada um
deles pode muito bem assumir o cabelo agitando, olhos penetrantes, tez fresca e membros imponentes de sorte do chefe. Podemos, se quisermos, creditar o
homem com quatro almas. Mas cada um destes quatro, no entanto, contém a cada momento seus companheiros de almas, e é responsável por eles em todos os
pontos. De fato, na fundação mais profunda da questão que eles não são separados em tudo. Separação, no espaço não conta para nada, ou quase nada. ou que
são, no mínimo grau inferior a todo o homem na plenitude de qualidades. Cada um deles pode muito bem assumir o cabelo agitando, olhos penetrantes, tez fresca
e membros imponentes de sorte do chefe. Podemos, se quisermos, creditar o homem com quatro almas. Mas cada um destes quatro, no entanto, contém a cada
momento seus companheiros de almas, e é responsável por eles em todos os pontos. De fato, na fundação mais profunda da questão que eles não são separados em tudo. Separação, no espaço
As palavras Megin, modificação, fjör e os outros fazer o serviço, ilustrando as formas e condições do hamingja, mas seria
totalmente arbitrário para limitar a descrição da alma para enumerar uma série de termos “animistas”. O mesmo significado
abrangente de “vida” como “alma” reside em todas as palavras que descrevem processos de mente. islandês heipt significa
inimizade ou ódio, e é ódio sentiu, bem como pensamentos hostis e desejos enviados para entrar na mente do inimigo como
uma força opressiva, ou despachado à emboscada para o homem odiado; ela se manifesta como batalha e golpes poderosos. Munr
( Anglo-saxão myne) significa amor e prazer, mas é amor como uma manifestação da alma; quando o herói em seu carrinho de
mão lamenta - como Helgi em

270

o poema Eddic - que ele perdeu a alegria e terra ( munar ok landa), munr não é para ser entendida como a alegria da vida,
mas a vida que é em si de alegria. E em outros lugares que não pode pegar o peso da palavra sem torná-lo como alma ou
vida. Ydun que manteve as maçãs da juventude é chamada por um poeta: a donzela que aumentou o mun dos deuses - que,
administrando a comida imortal preservados os deuses de velhice e fraqueza. Na realidade, nem uma única palavra que
denota processos mentais podem ser adequadamente prestados em frases da psicologia moderna sem ser nem
indevidamente alargado ou indevidamente estreitou.
CAPÍTULO X

A alma do homem é a alma do clã

A antiga visão de vida leva necessariamente pensou além do indivíduo; um olha sempre por entre a família a encontrar as
fontes de sua vontade e seu destino. Essa honra que o indivíduo lega ao seu sucessor com a oração para tê-lo exaltado
como uma bandeira na luz, é, afinal, apenas a parcela de um indivíduo de que a honra que todos os parentes se combinam
para proteger e unir-se em apreciar. Desta forma grandiosa no objetivo e destino e vontade, ser nunca contentar-se com
menos de um reino, sempre constrangido a conhecer sua fama o maior dentro do horizonte, - isto é, de facto, não menos do
que os olhos aguçados, algo pertencente a um círculo completo de homens. O olho do pai se alegra quando ele vê a si
mesmo e seus parentes novamente em seus filhos, quando, como a frase é executado, ele pode “ver a sorte da família” em
seu filho.

todos eles tinham uma hugr em comum, partilhada uma mente entre eles. As paredes do cérebro formado nenhum limite para
os pensamentos; o que foi aquecido na mente de um parente não veio para os outros com o frio de estranheza. Eles eram um
só corpo, tanto quanto sua Frith e honra estendida. Os parentes eram idênticas, tão certo como os veados único pulando em
todo o caminho foi idêntico com todo o seu companheiro de veados, e deu à luz em si toda a natureza de veados, todo grande
cervo-alma. E a dor que corria ao redor da cerca de parentes quando um stave em que sofreu um golpe era algo mais do que
um sofrimento espiritual. Membros, bem como hugr notificou quando um infortúnio tinha por acaso, muito antes de qualquer
mensageiro veio correndo com a notícia. o

272

mesmo perigo de morte ameaçava todos eles. Eles tinham uma vida juntos. Pode-se dizer de dois contemporâneos, pai e filha,
que tinham uma vida e, portanto, morreu no mesmo dia. Esta comunidade de vida não passa de uma forma mais forte do que
é encontrado entre todos os parentes. É verdade, toda a família não iria morrer com o pai, não imediatamente, de qualquer
forma, mas já sabemos muito bem quão fatalmente o afastamento de um afetado o futuro de todos os membros da família,
como cuidadoso tudo tinha que ser no que diz respeito para a sua saúde espiritual, como avidamente procuraram após
aumento de alma, “restituição”. Os Frith-companheiros de um homem morto eram “fey”, e sua vida só poderia ser salvo por
combater energicamente os germes de morte no organismo do clã.

Em uma história Welsh, o rei diz a um parente desconhecido: “Quem é você, para o meu coração bate em sua direção, e eu sei
que você está do meu sangue.” Estas palavras podem ser a expressão mais simples de um sentimento todos os dias, ea data de
um momento em que cada parente sabia por experiência a batida peculiar de Frith em seu peito. “O hugr disse a ele,” um
Northman poderia ter dito, pois sentia pelos movimentos na sorte dentro dele, que a sorte da sorte dele se aproximava, como
também ele iria perceber a aproximação de um inimigo por uma sorte estranha “deitado em cima ”dele e desativá-lo. Uma boa
mulher, Orny, a filha do cacique distinto Geitir, tinha sido seduzido por um hóspede da Noruega, e quando a criança nasceu, seu
irmão ordenou que ele fosse levado para fora e deixou para o seu destino. Mas o menino foi encontrado por um vizinho e adotado
por ele, e em seus primeiros anos ele correu sobre as propriedades rurais, e também pode vir como um convidado para
Krossavik, a casa de sua mãe. Um dia, ele veio correndo de cabeça na sala, como uma criança pode fazer, e
caiu estendido no chão; então é por acaso que seu avô começou a rir, enquanto Orny explodiu em lágrimas. Pouco
Thorstein foi direto até Geitir, e desejou saber o que ele estava rindo. Mas o velho disse: “Foi porque eu vi algo que você
não viu; quando você entrou, um urso branco correu diante de seus pés, e que foi que você tropeçou, porque ele parou de
repente à vista de mim; Eu deveria gosta, você deve ser de maior natalidade do que você é levado para ser.”Esta visão de
fylgia do menino

273

foi suficiente para despertar o sentimento de parentesco em Geitir, e quando o menino estava prestes a ir para casa à noite, o
velho ordenou-lhe voltar muitas vezes, e acrescentou: “Eu diria que você tem parentes aqui”

Parentes fazer uma alma juntos - e ainda assim eles eram naturalmente assim ou assim muitos indivíduos. O clã não é
um todo no sentido de que pode ser comparado a um ser com muitas cabeças. Nem os parentes permanecem como
acionistas em um fundo de vida que eles concordam em administrar. A comunidade fica muito mais profunda, tão
profunda que todo o conflito entre o indivíduo e o clã como um todo está fora de questão. Também não podemos
encontrar a verdade em um compromisso que reduz as reivindicações de um lado ou do outro. Os indivíduos são cada
uma realidade separada, cada um é uma pessoa, e ambos realidade e personalidade são tão marcante que eles podem
vir a ficar contra o outro como vontade contra vontade. Mas a personalidade que torna a um parente de um personagem é
a mesma que dá seu irmão e seu filho sua nitidez silhueta-like. Os parentes próprio um ao outro, eles são uns dos outros,

A única maneira de re-experimentar as peculiaridades desta alma comum é, provavelmente, para ver como a unidade da vida
afeta ações práticas dos homens. No estado social das parentes de dependência mútua, como em sua independência
individual, o pensamento é de vital e fielmente ilustrado. A comunidade antiga permite que a personalidade nenhuma
importância em si mesmo. Um homem pensar e agir por si só é uma concepção moderna. Em tempos antigos, o solitário não
tinha possibilidades. Suas idéias, embora no valor de gênio, pereceria, assim como ele próprio pereceu, sem deixar vestígios.
O abeto que está sozinho decai, nem casca nem folha vesti-lo, diz o Hávamál; e as palavras suportar este significado literal,
que a árvore que está sozinho no campo pode só fade, ele usa toda a sua força para retardar a ação de decomposição do
vento e apodrecer um pouco. O indivíduo não poderia existir salvar como escravo ou niding, em quem somente a parte animal
da vida humana permanecia, e quase isso. Um liberto era a criatura imperfeita ele era, porque ele não teve adequadamente
qualquer clã. o

274

homem de família é livre; porque ele está em cima do muro de parentes, ele não tem peso esmagando-o de cima; é
contrário com o liberto, ele está sozinho, e, portanto, deve ter um poder acima dele.

E para ficar em cima do muro de parentes, significa formar parte de uma ordem sólida, que nenhum gênio e nenhuma força da mente
pode mudar. Nós temos realmente nenhuma palavra para medir tais hábitos como dobrar a vontade de cada homem da maneira que
não iria, como se agisse por conta própria. O que queremos é uma palavra para expressar uma lei que funciona a sua vontade não por
dificultar ou reprimir os planos do indivíduo, mas emprestando-se como uma força e uma iniciativa nos pensamentos e ambições de
cada homem voluntarioso que está sob a influência de a regra. Frith estabelece a relação de parentes nos planos enquanto eles ainda
estão no processo de concepção, e quando isso acontece, como for
muito bem fazer, que um membro de um clã é inspirado com um espírito de oposição contra o parente mais próximo, o seu desejo refratário vem ao
mundo com a vontade de seus antagonistas embutida nele como seu eu mais íntimo. Uma mudança na honra herdada, o que os antepassados ​de um
tinha considerado como certo, e útil e necessário - se a mudança fosse um afectar as relações com os homens, ou uma alteração do que chamamos de
métodos de trabalho, costumes sagrados - tal alteração não era a ser efectuada por vontade de um homem. Em certo sentido, as leis que regem nossas
relações com nossos semelhantes são mais rígidos e menos plástico do que as regras sociais da sociedade antiga, mas eles correspondentemente deixar
um caminho aberto para artifício e persuasão. Nós podemos contornar a lei, se for muito estreito para ter espaço para a consciência, podemos torná-lo
lip-service e sem quebrá-lo salvar nossas almas; podemos manter a nossa posição na humanidade, vivendo uma vida externa oficial, e, assim, salvar-nos
de isolamento espiritual, e ganhar que o contato com a comunidade do entorno que é necessário se um homem está em silêncio para continuar com seu
próprio trabalho. Naqueles tempos, um homem não podia, seja por ofício ou desafio, romper as leis constitucionais de vida sem ser estrangulada no
processo. Um homem ficou em cima do muro de parentes, e só isso romper as leis constitucionais de vida sem ser estrangulada no processo. Um homem
ficou em cima do muro de parentes, e só isso romper as leis constitucionais de vida sem ser estrangulada no processo. Um homem ficou em cima do
muro de parentes, e só isso

275

o que pode ser alcançado sem quebrar a cadeia era alcançável em tudo.

Mas por outro lado, seria temerário e contrário a toda experiência estávamos a concluir que o membro do clã é
necessariamente mais maçante e menos de um personagem do que os indivíduos isolados dos tempos modernos, ou que
ele tem menos possibilidades de trabalhar para fora o que chamamos de seu personalidade. Enquanto a força está voltada
para fora e não atacar o frith inatacável e honra, o clã não tem escolha, salvo entre defender os membros indisciplinados e
cortá-los de si mesma, e um estoque saudável será lenta a sangrar em si. Enquanto as empresas do indivíduo são
inspirados pela honra e “destino” que está dentro dele, e sua ambição é o prolongamento de ações de seus antepassados,
ele pode deixar-se ir e arraste seus parentes junto com ele. Frith estabelece os parentes à mercê do indivíduo - e sua
iniciativa. Ele pode estragar honra, tanto quanto lhe agrada; os outros não têm escolha a não ser seguir; eles não podem
forçá-lo para baixo, eles não têm nada a confiar em contra ele além do poder das palavras para persuadir; eles podem
tentar convencê-lo mais, mas se ele não ser passível de razão, então eles são obrigados a entrar em suas empresas e
fazer-se participantes, tanto na responsabilidade e no risco. O fato de ele ser uma parte do próprio alma lhe permite coagir
toda a alma. O homem que tem dez vezes ou alma cem não só possui uma força interior que é carente de um homem cuja
vida está confinada ao seu próprio corpo único, mas ele também tem oportunidades mais profundas de se tornar um
personagem rico e multifacetado.

Frith era um direito constitucional mais difícil do que podemos facilmente encontrar hoje em dia, mas, novamente, foi um poder que poderia
ser usado, tanto para o bem como o mal. Um homem pode forçar seu caminho para o centro da sorte e sorte apropriado para si mesmo,
ele pode assimilar as almas dos outros e torná-los dependentes de sua própria, e em seguida arremessar homens para a frente para
qualquer objeto que quiser, contanto que ele tem a certeza de ele e sua sorte. Não há praticamente nenhuma autoridade formal que o
homem forte pode assumir e
276

inspiram com seus dons peculiares, sua coragem, sua iniciativa, sua arte, sua inteligência, sua auto-suficiência insolente; mas ele tem o
que é melhor; ele faz com que as outras partes de seu pensamento e vontade, e digere-los por assim dizer, em sua alma; o homem forte
usa seus companheiros como seus próprios membros.

A autoridade em tal um clã da sociedade é de um tipo peculiar, ele está aqui, ele está lá, é em todos os lugares, e nunca dorme.
Mas não há poder absolutamente dominante. O círculo pode, talvez, ter seu líder-em-chefe, mas ele não pode forçar ninguém a
sua vontade. Na Islândia, esta falta de subordinação aparece à luz mais crua. Islândia tinha homens que de bom grado pagos fora
de seu próprio bolso para as extravagâncias de seus parentes inquietas, se só eles poderiam manter a paz e evitar derramamento
de sangue fútil; mas a sua pacificação era um patchwork eterna. Não havia nenhum poder sobre aqueles que não procurou a
direita. A tomar medidas firmes contra eles era uma coisa até mesmo o mais resoluto dos seus parentes nunca poderia fazer, pois
era fora de questão para o clã renegar seus membros indisciplinados e deixá-los à mercê de seus inimigos. Quando Chrodin, um
homem de estoque nobre, foi escolhido, pela sua inteligência e maneiras temente a Deus, ser majordomo na Áustria, ele recusou
com estas significativas palavras: “Eu não posso trazer a paz na Áustria, principalmente porque todos os grandes homens no país
são meus parentes. Eu não pode intimidar-los e não pode ter qualquer um executado. Não, devido à sua própria parentesco eles
vão levantar-se e agir em desafio.”

alma primitiva é geralmente descrita pelos historiadores europeus como algo pertencente exclusivamente à mitologia e religião;
mas para pegar seu verdadeiro caráter, devemos reconhecer que é uma entidade psicológica também. É tão longe de ser
dependente de especulação e crença de que é antes de tudo um objeto da experiência, uma realidade quotidiana. O escravo
não tem alma, os nossos antepassados ​dizer; e eles sabem, porque eles viram que está faltando nele. Quando um escravo se
encontra em uma situação perigosa, não se fica cego, para que ele corre para baixo e mata-se fora de puro medo da morte.
Como um homem sem alma naturalmente se comportam podemos aprender com a história da luta de Orlygsstad, onde o sábio
e nobre chefe Arnkel encontrou a morte. Quando

277

Arnkel inesperadamente encontrou-se atacado por uma força superior mandou para casa seu encalço para levar ajuda. Na
estrada o mensageiro foi abordado por um companheiro de servo - e voluntariamente caiu para ajudá-lo com uma carga de
feno. Não até a noite, quando aqueles em casa perguntou onde Arnkel era, ele acordar e lembrar que seu mestre estava
lutando com Snorri no Orlygsstad. Não há necessidade de qualquer hipótese quanto à alma e vida para deixar claro o fato de
que o escravo não tinha hugr e hamingja; sua desumanidade é discernível pela falta de brilho de seus olhos. A única
possibilidade de um escravo a subir em algo parecido com um ser humano é por inspiração de sorte e vida de seu mestre, e,
portanto, fidelidade e devoção são as virtudes mais nobres de um servo.

Uma excelente ilustração da forma como um escravo é capaz de refletir seu mestre é dado em um conto de Landnáma. Um
outono um corpo de homens que naufragaram na costa da Islândia procuraram refúgio em uma fazenda afastada
pertencente a Geirmund, um chefe nobre de nascimento real. O mordomo servo convidou toda a empresa para passar o
Inverno como convidados de Geirmund, e ao ser perguntado por Geirmund como ele se atreveu a encher a casa com
estranhos ele respondeu: “Contanto que há homens neste país as pessoas não vão esquecer que tipo de homem você era,
desde o seu escravo ousou fazer tal coisa sem pedir o seu consentimento.”
unidade absoluta, comunidade de vida dentro do clã, deve encontrar a sua justificação na dessemelhança absoluta, diferença
essencial de todos os outros círculos. “Nossa” vida não só é peculiar em seu caráter, ele tem seu próprio tronco, sua própria raiz, e
bebidas de seus próprios poços. Não parece, mas uma inferência possível viz. que os nossos antepassados ​estreitou a humanidade
para baixo a seu próprio círculo e olhou para todas as pessoas fora do seu frith como não-humano; mas essa inferência que
pressupõe o nosso pálido, mas extensa categoria humanidade, não se sustenta bem em cultura antiga ou primitivo. A questão de
seres humanos e seres não humanos, a vida humana e vida não humana estava fora do avião, onde seus pensamentos se mudou;
o problema não pode ser configurado na forma que involuntariamente assume para nós, e menos ainda poderia ser respondida.

278

O mundo antigo foi dividido de forma diferente da nossa. A diferença não reside tanto no fato de que os limites correu de
outra forma, como no fato de que eles eram de outra espécie. De um lado, o homem foi separado da natureza por um
profundo sentimento de estranheza, que ele poderia romper em certos pontos, mas nunca conseguiu superar. Por outro lado,
quando ele tem superado o fosso entre ele e as almas de seus arredores, a estranheza é convertido em estreita amizade. Se
ele superou sua aversão em relação a este ou aquele animal, ele imediatamente vai para o outro extremo e chama a besta
seu irmão, e isso com uma seriedade unfigurative que mostra claramente que ele não considera a dignidade humana como
um privilégio de classe que fecha criaturas certo duas patas como uma casta à parte e atribui a eles uma posição acima de
todas as outras criaturas. Ele não sente a distância entre ele e o urso como maior do que entre urso e lobo; cada um dos três
é uma existência independente, e suas relações uns com os outros pode, portanto, nunca ser expressa em qualquer
constelação fixa como com a gente ', que invariavelmente definir o homem mais alto e nunca entre os dois. Os vivos e não
vivos coisas do mundo não formam uma escala começando do mundo inorgânico e subindo graus para o homem como a
coroa da criação. A natureza é para o homem primitivo um reino repleto de almas livres auto-existente, humanos e
não-humanos, que são todos na mesma linha da existência e podem entrar em todos os tipos de combinações através de
laços de amizade ou parentesco. Entre os povos primitivos um verme mais longe é e não mais perto do homem do que um
tigre - nenhum ser é classificada de antemão um preço tão baixo na escala. O escravo não resiste a humanidade fora em
nosso sentido da palavra, só que ele não tem vida própria e por isso não conta como uma alma. Sua existência é tão
levemente marcado que se não pode mesmo fazer errado e não pode ser convocado para a conta, enquanto que os animais,
por outro lado, não são excluídos da honra de ser chamado para defender suas ações e sofrer julgamento.

Quando atravessamos a fronteira que separa a nossa civilização de cultura primitiva, passamos para um mundo completamente
diferente. O mundo habitado por almas não forma uma grande avião em

279

que criatura toca borda criatura a borda como em nosso universo, onde as coisas e seres são vistos principalmente de fora como corpos
de enchimento de espaço. horizonte dos nossos pais era aparentemente muito mais limitada do que a nossa, o pensamento chegou mais
cedo para as paredes do mundo; mas o círculo menor realizou muito mais do que poderia esmagar em uma área correspondente. Na
realidade, a capacidade de-Garth Oriente é ilimitado, para este folk-casa é composta de uma série de mundos sobrepostos uns aos
outros, e, portanto, não depende de espaço para a sua extensão.

In-Garth Oriente, os animais não funcionam dentro e fora um entre o resto aglomerando para elbowroom. O lobo é chamado
heath-walker, porque a saúde é parte de sua alma, mas isso não significa necessariamente torná-lo parecido com o veado, que
é chamado de Heath-pisa. O refúgio do lobo não é
necessariamente a mesma que a do cervo, no entanto perto que pode coincidir geograficamente. A saúde, como saúde, era
uma coisa por si só, uma alma independente, bem como um espaço; mas quando dizemos heath-walker, ou heath-pisa, temos
apenas chegar a ele através do animal que preenche o primeiro plano, agora pelo cinza, carniça de comer, “bold” lobo - quando
a saúde é um atributo de unluck, -agora através do “coroada de chifre”, “abrigo de procura de carvalho”, “cabeça para trás,
curvando” veados - e a saúde é, em seguida, uma alma-qualidade.

Na esfera que é demitido sumariamente por nós com o dia fórmula e noite houve espaço para um número de almas
reunidos uns aos outros como seres independentes toda a todo em vez de limitar o outro. Primeiro dia e noite ali vivem.
Dia é a luz ou brilhando uma ea bela, mas ele tem outras características, como os íntimos linguagem anglo-saxões,
chamando-o ruidoso ou o tempo de movimentado, o tempo de homens sendo Astir. Independentemente da luz e do dia o
sol tem sua ida entre os homens, e sua natureza individual é expressa nos nomes: sempre brilhando, terror dos gigantes,
fugitivo. O sol impulsiona seus corcéis, Arvakr e Alsvinnr, com o mesmo direito que dia dirige seu Skinfaxi - para enfatizar
sua independência mútua na linguagem mítica. A essência da noite é trevas e escuridão, sono e sonho, mas a sua
natureza

280

também inclui a ansiedade e o estranho - por isso, é derivado da casa dos gigantes. Mas sua alma vai ainda mais longe;
domínio sobre o tempo deve ter sido parte da noite de sorte, já que nossos pais contados pelas noites. Lua, também, é um
Hastener, mas tem outros poderes próprios; ele conta os anos e afasta os maus pensamentos; e, assim, é completamente
diferente da outra fonte de luz.

Ao lado destas grandes deuses devem ser adicionados uma série de divindades menores, o que para nós são apenas
nomes para salvar alguns pedaços de mitos. Ny, o enceramento, lua brilhando brilhantemente, e Nid, a lua escura ou a
noite sem lua, viver como “anões” no catálogo de seres mitológicos menores de um antiquário. Não devemos admirar
encontrar as fases da lua como seres além da própria lua e ter sua própria natureza; sua antiga independência deixou sua
marca levemente nos versos do Voluspá sobre os deuses que deram Noite e Nid seus nomes, e no ensino da
vafþrúðnismál como aos deuses que criaram Ny e Nid como um meio de contar os anos. De Bil e Hjuki, dois seres ligados
com a lua, devemos saber nada se não tivessem escorregado para a história porque em tempos homens literários
conseguia se lembrar de uma lenda do seu passado, quando eles foram para o bem e foram roubado pela lua. É possível
que Bil representa a relação entre a lua e a fraqueza da mulher - embora isso não passa de um palpite sugerido pelos
mitos de outros povos.

Sob os céus tarifa rugindo tempestades, neve condução, e estes não são apenas funcionários que realizam a vontade de
uma maior, mais do que Ny e Nid; eles são almas independentes, cuja natureza é indicado por nomes como: viajante
turbulento ou disjuntor de árvores, e eles têm a sua própria origem, sendo chamado Filhos de Fornjót. No entanto, o
próprio céu tem como Megin luz e ampla medida, nuvens, tempestade e clima difícil, clareza e deriva e calor próximo,
como podemos ver pelos nomes aplicadas a ele na poesia; possivelmente também o sol fazia parte de seu poder. E da
mesma forma como a lua, como a folha de cálculo de tempo, incluído as horas de luz e do dia em si, sem invadir a sua
independência como almas; este lado do
281

A personalidade de lua é expressa em um mito que faz Day filho de noite por dellingr.

Para uma mente moderna abordar a questão na certeza de que as partes de existência são articulados um no outro, é
perigoso se aventurar-Garth Oriente. Se não se pode mudar de ser e tornar-se como uma das naturezas neste reino, então
é esmagado entre a alma-colossos que preencher esse pouco espaço. As almas vêm, crescendo em ritmo acelerado, com
um poder ilimitado de preencher novos espaços, e sobrecarregar o inexperiente de todos os lados. Tão grande é a
independência de cada alma, que as almas recalcitrantes não são sequer fundidos por ter uma origem comum; se alguma
vez alguma coisa veio a ser - se não em vez todas as coisas simplesmente foram desde o dia -então começando e sol, lua
e noite tanto surgiu de forma independente. o

condição necessária para encontrar-se em casa em-Garth Oriente é para ver tudo, cada coisa por si só, como formadoras de mundo e de
enchimento mundo, e não como parte de um mundo. Nem animal nem árvore, o céu nem a terra é considerada como ocupando uma parte
maior ou menor do espaço na existência, mas como um grande ou um pequeno mundo.

Da mesma forma, as almas se sobrepõem um ao outro entre os homens. Cada clã continha a sorte ea alma de clãs vizinhos,
e por sua vez foi contido por seus amigos, sem a menor arriscando a sua independência como uma pessoa. Onde as pessoas
se reúne pessoas ou tribo se reúne tribo eles não são superfícies homens-cheias atravessado por uma linha política ou
linguística; os dois círculos têm uma fronteira terrestre entre eles, mas essa linha de demarcação é apenas a borda superior
do seu contato mútuo. Abaixo sobressair amizade e inimizade, a relação sexual e contenda, com todos os tons que o
personagem de honra ea sorte dá a esses relacionamentos. Para aquele que, se uma alma, que se refere aos outros como
almas, amigos não são algo fora dele; sua auto, sua honra, seu trabalho, seus antepassados ​entrar em-lo como parte de sua
natureza. E os outros ainda possuí-lo e sua, não como afluente ou assunto, mas como conteúdo de honra. cada povo

- maior ou menor de acordo com a intensidade da relação sexual - é o mundo, o seu popular retoma a

282

terra, em parte como terra habitada, em parte como terrenos baldios, e enche-lo aos seus limites mais distantes. Nosso povo é
meio-Garth, e aquilo que está além é Utgard.

Além disso, a própria Terra não é uma área em que muitas tribos se reúnem, mas como vimos, um ser vivo conceber do
arado e do semeador, uma mulher e ainda a ampla, área verde de terra e “estradas”. E este amplo, repleto, terra imóvel
faz parte da alma de cada tribo, não uma mãe comum de todos, como é visto nas lendas e cultos, quando toda a tribo,
conta sua história pessoal da origem da terra, sem questionar o direito de seus vizinhos a dar o seu relato de como o
mundo, ou melhor, como seu mundo surgiu. Por isso, é entre os povos primitivos cujo cosmogonias são mais conhecidos,
e por isso foi entre os povos antigos do norte, como o espírito de seus mitos ea diversidade das suas tradições dão
testemunho.

A questão de ser humano - ser não humano desaparece, assim, em face do simples fato de que tudo o que não é a nossa vida é
uma outra alma, chamar-lhe o que quisermos. Os estrangeiros não têm valor legal. Em tempos posteriores, eles foram concedido
apenas um reconhecimento ilusória na lei e julgamento, em tempos mais antigos a sua vida e para a direita era uma questão de
indiferença. Um não matar um animal, ou cortar uma árvore, por pura preguiça, sem alguma razão ou outra, se este consistir na
nocividade da coisa enquanto viver ou na sua utilização quando mortos, e entender essas restrições devemos lembrar que os
homens primitivos são muito mais cuidadosos sobre destruindo almas
do que os homens da civilização que se sentem sem qualquer que seja responsabilidade para com as criaturas redondas-los,
porque eles reconhecem apenas o seu valor como coisas. Da mesma forma anteriormente um dificilmente derrubar um bárbaro
para simplesmente existente. Mas matar um estranho não diferem em caráter de violar uma das inúmeras almas não-humanos na
existência.

Dentro do horizonte enevoado formado pelas hordas do resmungando ou homens sem palavras, ergue-se uma comunidade
onde o indivíduo tem um determinado valor legal, caracterizando-o como um ser do mesmo tipo como o ser que ele ataca. O
membro

283

de uma comunidade tem o direito de possuir o seu próprio em paz. Sua vida é caro. Mas dentro do círculo estreito que é
mantido unido por uma lei-coisa comum, chefe comum, guerra comum e da paz, o homicídio é, afinal, não um crime contra a
própria vida, nem mesmo a ser considerada como algo antinatural.

Por outro lado, a partir do momento em que entrar no clã, a sacralidade da vida sobe na inviolabilidade absoluta, com o seu juízo
sobre o derramamento de sangue como sacrilégio, cegueira, suicídio. A reacção vem de repente e como inequivocamente como
quando o nervo é tocado por uma agulha. Com este ligeiro movimento da sociedade sobre a clan temos atravessado o abismo
mais profundo na existência.

Assim é a vida na experiência primitiva - não um mero organismo, não uma coleção de peças mantidas juntas por algum princípio unificador, mas uma alma única
aparente em cada uma de suas manifestações. O ser é tão homogênea e pessoal que todas as suas partículas, bem como todas as suas qualidades e
características, envolver toda a criatura. Quando um homem agarra um punhado de terra, ele tem na mão a sua amplitude e sua firmeza e sua fecundidade;
podemos explicar o fato, dizendo que um grão de solo contém sua alma e essência; ou podemos dizer que o fragmento é o todo - ambas as expressões estão
certos e ambos estão errados na medida em que o fato não é expresso em nossa língua, mas apenas para ser obtido em pelo ressurreição de uma experiência
estranha para nós. Quando um homem come um animal ou bebe seu sangue, ele assimila bearness ou wolfness, e pelo seu ato, ele não só assume a ferocidade
e coragem da besta, mas seus hábitos e forma bem; a forma corpórea do animal entra em sua constituição, e pode forçar-se para fora em alguns momentos,
talvez até mesmo para completar a transformação. Você não pode imitar as cabriolas de um animal, mas um ajuste interno ocorre, mais do que você pode se
comportar como uma mulher sem induzir um estado de espírito de sentir feminina, pela imitação dramática o dançarino evoca o ser que se expressa nesses
movimentos, e toma sobre si a responsabilidade de dar-lhe poder para se manifestar. Conta-se de um islandês que ele matou um homem-comer talvez até mesmo
para completar a transformação. Você não pode imitar as cabriolas de um animal, mas um ajuste interno ocorre, mais do que você pode se comportar como uma
mulher sem induzir um estado de espírito de sentir feminina, pela imitação dramática o dançarino evoca o ser que se expressa nesses movimentos, e toma sobre
si a responsabilidade de dar-lhe poder para se manifestar. Conta-se de um islandês que ele matou um homem-comer talvez até mesmo para completar a
transformação. Você não pode imitar as cabriolas de um animal, mas um ajuste interno ocorre, mais do que você pode se comportar como uma mulher sem induzir
um estado de espírito de sentir feminina, pela imitação dramática o dançarino evoca o ser que se expressa nesses movimentos, e toma sobre si a
responsabilidade de dar-lhe poder para se manifestar. Conta-se de um islandês que ele matou um homem-comer

284

suportar para vingar seu pai e irmão; e para tornar a vingança completa, ele comeu o animal. A partir desse momento, ele
foi bastante difícil de gerir, e sua natureza sofreu uma mudança que não era nada mais do que a bearness trabalhando
dentro dele. E da mesma forma, golpeando-se amizades, os homens são de vital associado, mais ou menos fortemente,
com seus semelhantes; como os irmãos do clã não são apenas uma alma, mas um osso, uma só carne, em um sentido
literal que escapa cérebros modernos, então a alma do clã é realmente malha com as almas de seus vizinhos e amigos,
para citar uma expressão de velho Testamento, que já perdeu a força que originalmente realizada entre os israelitas, bem
como entre os teutões.
CAPÍTULO XI

NASCIMENTO

No círculo de amigos, a alma exibe suas características e sua força, mas o hamingja do clã não se restringe ao que cerca
humana que agora inclui o campo sagrado. A alma não é uma coisa nasce com cada geração e renovada a cada ninhada
de parentes que os passos em Atinge a frente.; ele irá, tão certo como qualquer coisa é certa, fluir através de filhos
desses filhos que todos os bons parentes esperança e esperar que vai seguir um outro. E atinge trás sobre a parte
conhecida do passado, abraçando todos os ex-kin, e estende-se por trás deles na escuridão primitiva de onde veio seus
pais.

A alma que trabalha incansavelmente na geração atual é um legado dos antepassados ​que fizeram isso por sempre deixá-lo ter
seu próprio caminho, nunca mais sofrimento que a fome, mas voluntariamente recolhendo honra juntos para que a hamingja foi
para sempre crescendo além de suas ex-limites .

De onde tinha Harald Fairhair obteve sua sorte real, sua alma régia, com sua ampla expansão avidez, seus planos para a
Noruega unidos em um só, e com o poder de realizar sua vontade? A questão foi apresentada no passado, e tem também -
pelo menos em parte - foram respondidas. Segundo a lenda, as fundações da sua alma foram estabelecidas com a sorte de
muitos tipos. Ele próprio era um filho de Halfdan, um príncipe de distinção considerável em um pequeno caminho, vitorioso e
muita sorte em colheitas. Halfdan era casado primeiro com uma filha de Harald Goldbeard de Sogn, e sobre o nascimento do
primeiro filho, o pai da mãe levou o menino para sua casa, deu-lhe o seu

286

nome e seu reino e trouxe-o para cima. Este Harald morreu jovem, quase ao mesmo tempo como seu xará, eo nome
depois passou - juntamente com a alma - para seu irmão mais novo, apesar do fato de que o último nasceu de uma mãe
diferente, que era uma mulher da raça poderosa de chefes de Hadaland. Assim, a partir de várias fontes diferentes,
reuniu-se a fundação de grande sorte de Harald como rei. Nós temos todo o direito de dizer que o primeiro rei da
Noruega era um personagem muito complexo.

A corrida de Halfdan se tornou o maior na Noruega, porque seus membros tinha entendido como desenhar outras
fontes de vida para o seu próprio, e se enchem de hamingja a ponto de transbordar.

Os antigos antepassados ​viviam em sua posteridade, encheu-se com a sua vontade, e fez suas realizações através deles
de novo. Uma referência de desprezo aos que partiram realmente atinge uma alma vivente; por enquanto o transmigrante
alma simplesmente se repete, e, economiza-se por uma e outra vez vir a existir quando ele desliza de um corpo para
outro, os parentes são realmente seus pais e os pais de seus pais, e mantê-los por seu ser. Uma vez que é a mesma
alma que animou os antepassados ​e que agora faz portadores de honra e frith fora da geração viva, o presente não exclui
o passado. A identidade do hamingja que leva o clan inclui todo o partido.
Há de fato realmente nenhuma pergunta aqui de passado e presente, no mesmo sentido intransigente quanto a nós, que sempre
mover-se com rostos metade enterradas em uma nuvem escura, e uma sensação pegajosa sobre o pescoço. Tempo jaziam
espalhados sobre as pessoas de idade. O passado foi para o norte para eles, e que para vir foi ao sul, o tempo presente era tão leste
e oeste: todos de uma forma igualmente próximo, todos de uma forma igualmente presente. E para a direita como para a esquerda,
para a frente e para trás, o horizonte era limitado pela sorte do círculo; tempo foi penetrado todo pela sua inundação, uma vez que
fluiu sobre os homens e por meio de homens, enchendo-os e espaço sobre eles; sempre e em toda parte com a força do movimento
na mesma, sempre e em toda parte com a plenitude

287

expansão, uma e outra vez cristalizando em um ser humano, que viveu seu tempo à luz a cair para trás novamente e ser mantido até
que um outro tempo. Para o hamingja, presente e no passado não são estratos sobrepostos, mas uma existência duplo, através das
paredes do espírito da qual o homem passa para lá e para cá, sem obstáculo.

Quando um novo homem entrou na família, os homens do norte disse expressamente: nosso Parente nasce de novo,
assim e assim voltou. E eles confirmaram a sua palavra, dando o nome antigo para o jovem. Thorstein consagra seu filho
para a vida com as palavras: “Este menino será chamado Ingimund, e eu olho para hamingja para ele por causa do
nome.” A alma e sorte do velho avô, Ingimund, agora é entrar na vida de novo, a nova atividade na luz. Mais tarde na
história é-nos dito que este Ingimund mais jovem traz a reencarnação de seu tio Jokul, ao proferir estas palavras
proféticas sobre seu segundo filho: “Este menino olha como alguém que vai ser rápido para compromisso: olhos aguçados
que ele tem; se ele vive, ele certamente vai ganhar o domínio de muitos um um, e não é fácil de obter com, mas é
verdade para os amigos e parentes - um grande campeão, se meus olhos podem ver;

A firmeza deste costume em matéria de nomes mostra que os antigos significava que eles disseram. Os nomes não
foram gastos de forma imprudente; a família tinha um certo estoque de denominações regulares que foram suportados
por sua vez. As crianças foram nomeados após um parente falecido, e assumiu o nome vago. É uma coisa perfeitamente
concebível em si que Olaf Geirstadaalf foi enterrado em Geirstad e mais tarde, cerca de 1020, visitou a sua própria
sepultura, ou, como nós também pode colocá-lo, que Olaf de Saint vez tinha sido chamado Olaf Geirstadaalf e, se
quisesse , podia lembrar sua morada em Geirstad. Homens perguntou Olaf uma vez, quando ele andava passado
carrinho de mão do seu parente, se fosse verdade que ele foi enterrado lá; rumor declarou que tinha lá pronunciou as
palavras: “Aqui eu ter sido, e aqui eu entrei.” - O mesmo modo de unecclesiastical de pensamento obtido na Islândia.

288

eles viram a proeza de sobrinho de Kolbein, Thorgils Skardi; aqui eles tinham toda a aquele homem muito admirado diante
deles, sua simpatia, a sua generosidade, seu prazer em feasting- seu caráter chieftainly completamente.

Enquanto os homens do norte em nomear novos parentes após a idade de estresse lay na individualidade do re-nascido, os
restantes povos germânicos seguir um costume diferente, o descendente de uma raça não ser chamado diretamente após
seu antecessor, mas deu um nome que assimila porções do nome-prima da parentes; e a partir de todas as aparências, o
método nórdico é devido a uma limitação do princípio subjacente. O clã tinham dois ou mais apelativos em que viu
expressou a sua vontade e honra; os parentes deu um ou outro destes sinais da família,
estendido para formar um nome por meio da adição de uma palavra, tais como forte ( negrito), poderoso ( ric), por sorte
(vermelho e outros) ou berht, ou seja radiante, para ser reconhecido de longe. Os príncipes de Kent foram chamados
Eormenric, Eormenred, Eorconberht, Eorcongote e Æthelbeorht, Æthelred, suas mulheres Eormenbeorh, Eormenhild,
Eormengyth; eormen e eorcon são as duas palavras indicando algo grande ou impor na sorte do estoque Kentish. A
corrida orgulhoso e antigo que ocupou o trono de Essex-se chamado após o saxofone, ou espada curta, após sige, vitória,
e SAE, o que provavelmente é nada mais do que mar; havia Sæbeorht, Sæweard, Seaxred, Seaxheald, Sigebeorht,
Sigeheard, Sigebeald. Entre os saxões ocidentais, encontramos Coen, Cuta e ceol predominante, indicativo de progresso,
de renome e marítimo - ceol

é provavelmente quilha ou navio -: Cuthwulf, Cuthgisl, Cuthred, Cuthwine, Ceolric, Ceolwulf, Ceolweald. Os reis da
Nortúmbria proclamou os seus deuses - OS - e os seus lugares santos ou coisas

- ealh - em seus nomes: os homens foram chamados Oslaf, Oswulf, Oslac, Osweald, Ealhred, Ealhric, as
mulheres Ealhfrith, Ealhfled.

No Beowulf, a memória dos Scyldings antigos é preservada: Heorogar com seus irmãos Hrothgar e Helgi, ea geração
posterior de Heoroweard, Hrethrek, Hrothmund e Hrothulf; estes tiveram para o seu nome de marca de espada, heoru, e
notoriedade, hroth, hreth. A casa franca dos merovíngios estava orgulhoso de sua chlod e seu filho, de renome e batalha.

289

A marca dos ostrogodos foi, tanto quanto se pode ver, em primeiro lugar, a antiga sagrado
Amal, mas para além disso, houve o sinal real de Theod, não só significando pessoas, mas também em um sentido mais
amplo grandeza indicando, que superou medida ordinária: Theodomer, Teodorico, Amalaric, e as mulheres, como
Amalafred, Amalaberg. Desde o primeiro século, os primórdios da história da Europa do Norte, encontramos, por meio de
anais do sul, um par de nomes transmitida entre os nascidos pela família real do Cherusci:

Segestes, Segimundus e Segimerus são os nomes dos três parentes em seu


forma romana; talvez possamos nestes nomes discernir a palavra para a vitória.

A diferença entre o antigo método, pan-germânica de nomear e que os nórdicos indica talvez uma brecha no modo de
pensamento, uma revolução, em que o indivíduo foi trazido para a frente e deu uma mão livre para fazer - no decorrer do
tempo - a mais de si mesmo. Mas em todas as mudanças espirituais o novo está contido completamente no velho eo velho
não prejudicados na nova; a diferença no início encontra-se em um ligeiro deslocamento do acento. O contraste entre os
dois sistemas certamente não significa nada mais do que uma divergência na ênfase colocada sobre pessoal e geral. O
período que fomentou o novo sistema de nomenclatura dificilmente teria sido precedido por um momento em que o ancestral
falecido não foi reconhecido na criança recém-nascido. Então, assim como mais tarde, os homens acreditavam no homem
de viver depois da morte; mas no re-nascimento da família, o pensamento morava mais na idéia de sua reencarnação, do
que a de dele vindo novamente. Os mortos continuaram a sua vida até que eles foram esquecidos, ou, por assim dizer
dissolvido na sorte, e, entretanto, a regeneração da inesgotável continuou.

Em caso de nascimento de uma criança, a sorte do parentes irrompe novamente em um novo indivíduo. Possivelmente, o evento
pode ter uma ocasião externo em que uma porção de sorte foi deixado vago; mas a morte e nascimento, a visão mais profunda, não
fique em qualquer relação tão simples um para o outro. A vida não simplesmente mergulhar no reservatório de alma pode fazer suas
águas escorrer para trás em um sucessor. Quando alguém nasce, é o bem-primavera.
290

de sorte que transborda, e se um homem morto é trazer tal excesso, que deve ser em virtude de tudo o que honra que ele tem em si
mesmo, ou que o vingador da sua morte traz consigo. Quando a corrida aumenta a sua honra, em seguida, parentes levantar-se e
fazer a cerca em geral. A vontade não é compartilhada entre um grande número de indivíduos, mas cresce, de modo que haja mais
vontade e necessidade de mais instrumentos para a realização de seu trabalho.

Quando os homens de uma raça são ricos em honra e sorte, suas mulheres ter filhos. A sorte deve passar através da mãe para ganhar força para a vida; mas o
fato de que a mulher traz à luz o seu filho não é o suficiente para inspirar-lo com vida e dar-lhe uma quota de sorte. No Norte, a criança foi imediatamente trazido
para o dono da casa, e aceito por ele com um nome. Lemos, por exemplo: “Este menino será chamado Ingimund, depois que o pai de sua mãe, e eu olho para dar
sorte nele por causa do nome.” Ou “Este menino será chamado Thorstein, e eu desejo que a sorte pode ir com o nome.”O significado
deste‘procurar’,‘desejo’encontra-se a meio caminho entre um‘eu sei’, e um“eu decreto, eu vou, eu dar-lhe aqui tal e parcela tão definitiva de sorte, tenho a honra de
dar-lhe o nascimento.”o pai pode dizer isso, porque ele tem, com o nome, a própria alma em sua boca, e respira-lo para a criança; ele inspira-lo com que a sorte,
que o caráter ea vontade, que força e que a aparência que se encontram na alma que paira sobre ele. Com o nome, sorte e vida, e, portanto, também Frith e a
dignidade de um parente entrou em criança. Não até então tinha uma alma viva. Aqui e ali nas leis encontramos indícios de uma época em que a vida de uma
criança foi calculada a partir do dia em que foi dado um nome. Na Inglaterra, mesmo depois que a lei tinha avançado ao ponto de colocar a criança igual ao homem
adulto, era necessário para invalidar expressamente todas as distinções anteriores, adicionando: se tem um nome ou não. Entre os francos, a criança ainda não
nomeou ainda foi mantido em uma categoria por si só, com uma multa menor para a sua morte do que para seres humanos reais. ele inspira-lo com que a sorte,
que o caráter ea vontade, que força e que a aparência que se encontram na alma que paira sobre ele. Com o nome, sorte e vida, e, portanto, também Frith e a
dignidade de um parente entrou em criança. Não até então tinha uma alma viva. Aqui e ali nas leis encontramos indícios de uma época em que a vida de uma
criança foi calculada a partir do dia em que foi dado um nome. Na Inglaterra, mesmo depois que a lei tinha avançado ao ponto de colocar a criança igual ao homem
adulto, era necessário para invalidar expressamente todas as distinções anteriores, adicionando: se tem um nome ou não. Entre os francos, a criança ainda não
nomeou ainda foi mantido em uma categoria por si só, com uma multa menor para a sua morte do que para seres humanos reais. ele inspira-lo com que a sorte,
que o caráter ea vontade, que força e que a aparência que se encontram na alma que paira sobre ele. Com o nome, sorte e vida, e, portanto, também Frith e a
dignidade de um parente entrou em criança. Não até então tinha uma alma viva. Aqui e ali nas leis encontramos indícios de uma época em que a vida de uma criança foi calculada a partir do dia em

Ele seria considerada como uma lesão vital se outro agindo sob a sua responsabilidade deu um nome para a criança e,
assim carimbada a sua mente e corpo e destino; e na germânica

291

consciência de direito e direito, há um ódio profundamente enraizada de quem se atreve a dar a um homem um apelido e, assim,
plantar novas qualidades da alma nele. Por outro lado, pode-se dizer que um cognome traz sorte, na medida em que aumenta a
distinção honrosa do receptor; a profundidade deste orgulho ainda é perceptível na “superstição” dos tempos final que um
homem com dois nomes viveram mais tempo do que um homem com um.

Um menino que começou sua carreira com um nome de ricos e poderosos, que seu pai ou avô ou outro parente tinha
enchido com honra e progresso, tinha uma grande vantagem para começar. Cristãos sinceros como o Rei Magnus e seu
verdadeiro homem Thorstein Siduhallson não perdeu 'um pingo de sua confiança nas bênçãos de um bom nome. Thorstein
vem em seu caminho para casa de uma peregrinação ao seu rei, quando este se encontra no momento da morte, e já
estabeleceu sua casa em ordem e deu dons aos homens. Nada é deixado para o final de canto, mas o próprio Thorstein
não cuida de mercadorias: “Mas isso eu, que você deve me dar o seu nome” As respostas Rei: “você tem em muitos sábios
merecia de mim o que é melhor, e eu dar-lhe de bom grado este nome para o seu filho. Mesmo que eu não ter sido muito
grande rei, ainda há pouca coisa para um yeoman simples para nomear seus filhos alterar mim, mas desde que eu ver que
isso significa algo para você, eu vou conceder sua oração. Meu hugr me diz, que não haverá tristeza e honra no nome.”A
criança recebe com o nome de um fragmento de sorte do rei, mas isso ele deve saber, que a sorte do rei é forte, tão forte
que um mortal comum faria quase não têm poder para levá-lo com segurança através.
O ato do pai é claramente apenas 'tanto um ato de nascimento, como é a entrega da mãe. A pouca possibilidade vazia tinha em
si nenhuma parte na corrida, não tinha direito a ser chamado parente; e se mostrou más tendências, em outras palavras,
parecia provável que se torne um niding - como pode ser percebido a partir de tais sinais de certeza como deformidade, ou
qualidades físicas alienígenas para o estoque, - então ele simplesmente não serão autorizados a entrar na sorte , mas foi
colocado fora vida, até a bagatela de mobilidade nele também desapareceu. Ele foi levado a cabo a perecer. o germânica

292

pai teria olhou de soslaio para tão pouco razoável uma acusação como que ele tinha realizado um ser vivo; e se a questão foram
abordados em um momento, quando ele teve a chance de estar inclinado a discuti-lo, ele sem dúvida teria definido juízo errantes
é a frase-fabricante de direitos com um golpe de seu machado. Ele sabia muito bem o que era a vida vale a pena. Se a criança
tinha a menor participação no Frith, em seguida, sua separação deve ter causado uma brecha que exigia atenção cuidadosa e
precisa.

Tão eficaz uma parte é a do pai em fazer um ser humano do recém-nascido, que poderíamos ser tentados a considerar a
consagração como si o nascimento real. O que pode ser o valor de simplesmente ter nascido, quando a criança, até adotada pelo
pai ou parente do sexo masculino, é, afinal, mas uma coisa que não precisa mesmo de matar, mas pode simplesmente empurrado
para fora como não pertencentes à humanidade em tudo? Pode ser difícil o suficiente para nós para harmonizar veto absoluto do
pai com elogios dos antigos de origem nobre, e sua suspeita carrancuda de homens que tinham a chorar em voz alta o nome de
seu pai que sua mãe não deve ser mencionado.

Para os nórdicos, alta de nascimento era a única qualificação para honra e respeito, ou num sentido mais profundo, a
única condição que permitiu a um homem possuir a habilidade e autoconfiança que honra e respeito pressuposta. Sem
falsa pretendente poderia permanecer muito tempo não descoberto; o changeling não conseguia esconder o fato de que
ele não tinha uma alma, como vã tentativa da testemunha Rainha Hagny para trocar seus dois filhos, pretas feias para
uma criança escrava justo. As duas crianças escravas espúrias estava um dia jogar na palha no chão, enquanto Leif, o
changeling, sentou-se no trono jogando com um anel de dedo; em seguida, disse um dos irmãos: “Vamos e levar o anel
para longe dele;” o outro ácaro preto estava pronto o suficiente para tentar, mas Leif única chorou. Nesta pequena cena,
Bragi o Scald encontra indicação suficiente do estado real das coisas; ele diz a rainha:

Nesta história, vemos que o que foi a fundação em silêncio para o julgamento dos homens do Northmen enfatizado com
polêmica

293

força; na vida cotidiana, é aparente no desprezo do baixo-nascido, maravilha na capacidade de um arrivista, e acima de
tudo, no respeito incondicional pago por homens livres para um com tradição por trás dele. Uma coisa é certa: nenhum
homem poderia ser corajoso e hábil a menos que ele veio de uma ação corajosa e forte. Aquele que nasceu de uma grande
sorte, tinha uma garantia para a sua vida que aquele que viu a luz em circunstâncias mais pobres nunca poderia ter, ele
poderia agarrar com as mãos mais cheios, sem medo de deixar cair. Ele tinha certeza de ter qualidades tais e tais de sorte -
aqueles que se referiam à hamingja de sua raça e ele sempre escolher com certeza infalível a decisão que era o único
direito e único possível em qualquer assunto.
Glum, o velho homem de sorte, teve uma vez uma experiência que lhe ensinou que uma falha de nascimento, embora bem escondido, pode sempre sair no
momento crítico e pensamentos de uma virada. No clã Thvera, que traçou sua descida de volta para Viking Kari, um dos grandes começos na genealogia da
Noruega, e foi conectado no lado da roca com os reis da Noruega, não tinha vindo uma linhagem de sangue de escravos; um homem a quem Glum tinha dado sua
liberdade, e que de alguma maneira ou outra conseguiu levantar-se para uma posição de riqueza, tinha casado com uma parenta - seu nome não é indicado - do
homem que o havia libertado. Seu filho, Ogmund, era um jovem promissor, quem Glum levou em sua casa e considerado como o igual de seus próprios filhos.
Quando chegou a hora, Ogmund também foi para o exterior, a bordo de seu próprio navio, como montado o cadete de uma grande casa; e na montagem sábio
também, ele anunciou sua chegada nos fiordes Noruega batendo um longship e enviá-lo para o fundo. O navio pertencia, para Earl Hakon, que estava
naturalmente irritado com a notícia, e não exortou os sobreviventes do naufrágio de lidar cuidadosamente com o agressor. Ogmund recebeu um golpe que o
afastou de sua cama a maior parte do inverno. E agora parecia como se tivesse de repente perdeu toda a sua nobreza. Ele viu seu parente Vigfus Glumson como
um dos retentores de Hakon, e sabia que o conde seria vingar-lhe se alguma coisa acontecesse a um dos escandinavos; e ele dificilmente poderia reconciliá-lo
com o seu dever de Glum para trazer e não exortou os sobreviventes do naufrágio de lidar cuidadosamente com o agressor. Ogmund recebeu um golpe que o
afastou de sua cama a maior parte do inverno. E agora parecia como se tivesse de repente perdeu toda a sua nobreza. Ele viu seu parente Vigfus Glumson como
um dos retentores de Hakon, e sabia que o conde seria vingar-lhe se alguma coisa acontecesse a um dos escandinavos; e ele dificilmente poderia reconciliá-lo
com o seu dever de Glum para trazer e não exortou os sobreviventes do naufrágio de lidar cuidadosamente com o agressor. Ogmund recebeu um golpe que o
afastou de sua cama a maior parte do inverno. E agora parecia como se tivesse de repente perdeu toda a sua nobreza. Ele viu seu parente Vigfus Glumson como
um dos retentores de Hakon, e sabia que o conde seria vingar-lhe se alguma coisa acontecesse a um dos escandinavos; e ele dificilmente poderia reconciliá-lo
com o seu dever de Glum para trazer

294

infortúnio Vigfus. Assim, ele argumentou, e deixou o golpe vingados. Vigfus, no entanto, pensava o contrário; suas
tesouras retorta através da justificação do Ogmund direita para baixo para o local doente: “Nem eu nem meus cuidados
pai ter você cuidando de mim se eu não fazê-lo eu mesmo; é outras coisas que te ensinar a ser tão cauteloso; como seria
de esperar, você toma após o estoque escravo em vez de depois os homens de Thvera “E desabafo amargo de Glum
contra Ogmund após seu retorno é uma antístrofe mais forte a este:“. O apelo tem você para guardá-lo, se ele não se
guardam ; em vez eu tinha visto que ambos mortos, e você vingado.”E ele chama a atenção para a antiga verdade que a
raça não-livre está sempre aquém da masculinidade. - Era a marca de nascimento do descendente do escravo, que viu a
coisa menor primeiro, e cresceu em seus olhos,

Homens do Norte tinha um olho afiado para sinais psicológicos de raça mista; um ditado muitas vezes em seus lábios era:
“Quem é você tomar depois?” E não temos razões para supor que se tratava apenas de um lado, que contou. Os oponentes
de Thorolf, os Filhos de Hilderid já mencionado, nunca superou a deficiência no seu nascimento, que sua mãe era de uma
raça inferior ao seu pai; era uma falha visto claramente em cada palavra que falou, quando eles roubaram para o corredor de
trás, logo que Thorolf tinha saiu da frente, e explicado e interpretado a ação do inimigo, enquanto Thorolf deixar seu ato levar
a sua própria interpretação . As sagas também têm um argumento, no sentido de que malandragem de um homem é devido
ao sangue da mãe.

Entre os outros povos germânicos pode ser difícil, talvez para encontrar qualquer testemunho mostrando diretamente o
julgamento do dia em conta o mestiço. Mesmo nos dias do Rei Gunnthram, no entanto, um bispo, Sagitário, cujos olhos
tinham sido abertos pela adversidade e perda do cargo, pode perceber que a indiferença de nascimento foi um fator no
declínio moral das pessoas: “Como deve Sons de um rei que nunca vir a governar quando sua mãe veio direto do banco de
escravos em, cama do rei?”Este era o seu tema eterno quando a conversa se transformou em questão de importação sério.
As experiências dos pobres
295

Sagitário eram apenas da própria espécie que geralmente dá o sofredor a visão mais imparcial do seu adversário; ele havia sido privado de seu escritório, sem ter
qualquer justiça própria para definir se contra a injustiça. Gregory, por outro lado, que encontrou um lugar para o seu excêntrico irmão-prelado em seu panorama
da sociedade franco, parece mais historicamente no assunto: “Sagitário não refletem que os filhos do rei hoje em dia todos os que pode chamar o rei pai são
contados , qualquer que seja o nascimento de sua mãe.”Mas mesmo se nós não tivemos a oportunidade de sentença proferida em palavras definitivas ouvir,
podemos lê-lo no comportamento prático dos homens. Não demorou muito para perceber a importância do nascimento, fora da Escandinávia também. Este
refinamento do sentimento seria naturalmente aparecem em sua forma mais forte como Illwill pública contra o casamento com os inferiores. E dizem-nos, de fato,
dos saxões, que fizeram a igualdade de nascimento uma condição legalmente indispensável entre as partes que entram em matrimônio; nenhum casamento foi
sofrido para colmatar o fosso entre nobre e livre, mais do que entre nascido livre e liberto, ou liberto e escravo. Nossa autoridade aqui, uma biografia clerical do
século IX, compilado por um monge cujo conhecimento etnográfico é restrita a uma boa página de excertos, é uma dessas fontes cujas sentenças não estão a ser
estimado palavra por palavra, mas tomado nenhum casamento foi sofrido para colmatar o fosso entre nobre e livre, mais do que entre nascido livre e liberto, ou
liberto e escravo. Nossa autoridade aqui, uma biografia clerical do século IX, compilado por um monge cujo conhecimento etnográfico é restrita a uma boa página
de excertos, é uma dessas fontes cujas sentenças não estão a ser estimado palavra por palavra, mas tomado nenhum casamento foi sofrido para colmatar o fosso
entre nobre e livre, mais do que entre nascido livre e liberto, ou liberto e escravo. Nossa autoridade aqui, uma biografia clerical do século IX, compilado por um
monge cujo conhecimento etnográfico é restrita a uma boa página de excertos, é uma dessas fontes cujas sentenças não estão a ser estimado palavra por
palavra, mas tomado em bloco à discrição; se as palavras se referem a uma lei escrita ou um não-escrita, quer se apliquem a muitos dos saxões ou apenas uma
panelinha em algum determinado momento, deve ser deixada em aberto. Em todos os eventos, tais pedantismo de classe não é uma característica geral Teuton,
mas a casta sentimento Saxon provavelmente pode apontar indiretamente a uma relação marcada em nossos antepassados ​para a importância de sangue. E os
saxões em outros lugares se mostram como formalistas finicking que seria, sem dúvida, ser o primeiro a fazer um dogma de som fora do refinamento.

Há duas coisas em que tudo de bom estoque germânica é acordados: a de que uma mulher livre entregando-se a um escravo
se torna uma presa para a irrealidade da existência de escravos e perde sua alma, e que uma mulher não-livre dá-lhe crianças
espírito de seu espírito escravo. Na Suécia, a igreja, com o seu ódio de adultério e sua desaprovação da escravidão, havia
entrado protesto contra a prevalecente

296

Visão. Em seguida, a lei pode correr, que a verdadeira união sempre garante a liberdade da criança. Mas em todos os lados do
parágrafo estende a velha concepção do homem como aquele que fica a cargo e tem sua validade a partir de uma clã e a honra
de um clã. As palavras acontecer para ficar no mesmo capítulo com uma frase de idade em que uma idade mais adiantada
expressou sua condenação da mulher: a mulher que entra em matrimônio com um escravo deve ir para trás, ou melhor, de volta
acima de tudo, para fora de seu clã; a palavra para trás indica um modo de azar de saída envolvendo desgraça e perda de
status humano.

Um homem livre tem, naturalmente, o direito de usar sua escrava que lhe agrada, mas as crianças gerado no canto dos
escravos será unfree, sem direito a andar, sentar ou herdar com os filhos de uma mulher livre. Essa criança senta-se no
canto e come de sua tigela entre os escravos, como se diz na lei da Noruega; a mesma coisa pode ser expressa como na
Dinamarca: Se um homem gerei um filho com sua escrava mulher, ea criança não libertou, então o pai não pagará mais
em multa por seus atos do que para as de qualquer outro escravo. É a mulher que bate o filho; encontramos isso também
nas palavras com as quais os lombardos tornaram a idéia de direito de um homem para se casar com sua escrava; ele
deve primeiro dar-lhe sua liberdade, e criá-la ao pé de uma esposa legítima; em seguida, seus filhos será legítimo e livre
de herdar; virdibora, nobre nascido, ou

viderbora, re-nascido, claramente encarna o pensamento dela em movimento de uma existência para outra, em um que é
realmente a vida.
Em toda a lei germânica, tanto quanto temos qualquer prova, é feita distinção entre as crianças nascidas dentro do
casamento e do ilegítimo, embora este último ser tanto livre-nascido e reconhecido pelo pai. Entre os lombardos, como entre
os nórdicos, tanto dinamarqueses, suecos e noruegueses, a regra para o filho ilegítimo executado: não como os outros, não
têm direito a partes iguais de herança, ou mais fortemente: deixá-lo ter um presente de seu pai, e ir contente com isso para
o seu próprio. Qualquer que tenha sido a posição do livre-nascido ilegítima no clã entre os diferentes povos, há um
sentimento profundamente enraizado que

297

ele não tem algo que os outros têm, ou um medo de que ele não seja tão forte como os seus parentes, e não a rocha que
a fé incondicional pode construir sem medo, ou que uma herança não seria seguro em suas mãos. Possivelmente tal
sentimento de diferença não foi sempre ou em todos os lugares sofreu para tornar o fator decisivo na organização social
da posição de um bastardo, mas tem em todos os lugares contribuiu para o julgamento passou sobre ele, se não como
medo, então, pelo menos, como precaução. Há em uma saga islandesa uma cena todos os dias e uma passagem de
palavras que indicam a fraqueza essencial uma filha ilegítima viz, que ela possivelmente não pode ser capaz de passar
para o marido o frith completo e honra de seu pai. Na última batalha entre os dois Helgis, Helgi Droplaugson e Helgi
Asbjornson, este último foi fielmente apoiado por seu filho-de-lei, Hjarrandi. O outro Helgi tauntingly gritou para seu
adversário jovem e vigoroso: “Ei, como você teria colocado sobre você, se tivesse sido uma filha nascida livre de Helgi
Asbjornson você tinha tomado por mulher.” As palavras certamente teve sua picada, para eles incitado Hjarrandi, de
modo que ele caiu ainda mais violentamente. Embora o discurso é completamente islandês na sua forma e não a ser
utilizada também indiscriminadamente, ele joga com uma incerteza que está presente sob as disposições legais que
estabelecem o lugar do bastardo no extremo limite da linha de parentes. Sobre este ponto, a igreja,

Com toda a certeza, um homem nasce para ser o que ele é. Entre o casamento e as relações mais frouxas, entre crianças cujos
pais eram de igual valor e aqueles cuja mãe não era uma boa esposa, entre o nascimento e meia nascimento é desenhada uma
das linhas mais nítidas no pensamento germânico, um limite nunca mais velada. Seja qual for Tácito pode ter imaginado fora de
sua própria cabeça como a solenidade com que uma mulher bárbaro tomou a mão de seu noivo e mentalmente analisou os
perigos ela estava determinada a compartilhar com ele, sua descrição do contrato de casamento é, pelo menos de acordo com
tudo depois autoridades

298

enfatizando a cerimônia de casamento como um ato principal na vida de nossos antepassados. O contrato foi um evento,
a influência social e jurídica da qual foi enfatizado pelo cerimonial detalhada; concluiu-se com o mesmo cuidado
pensativo como um tratado de paz, onde a fundação foi firmemente colocado por soldagem juntos dois clãs inteiros e sua
sorte; ele foi preparado com cuidado por uma série de atos solenes, a formalidade de que estava em proporção com a
importância jurídica do processo.

Não podemos ganhar uma compreensão real através da harmonização e em quadratura com os fatos. Novamente e novamente ele será
encontrado que as nossas palavras são demasiado estreitas ou que as ideias que as palavras chamam-se em nossas mentes são
incongruentes com os pensamentos que traziam as instituições antigas. Damos o ato de dar à luz uma validade absoluta que o momento
não possuía nos tempos antigos,
porque a nossa concepção da vida como algo puramente físico é totalmente diferente da idéia primitiva de um ser
humano. A palavra moderna de nascimento deve ser esticado ao máximo de sua possibilidades, de modo a abranger
toda a concepção de peso de raça, reprodução e família. O nascimento não é o único parto e não apenas a cerimônia
de nomeação, mas algo mais extenso - é passado irrompendo de novo.

Estado social da criança depende do processo completo de sua vinda ao mundo, e no mundo de seus parentes, um
processo que começa com dores de parto da mãe e termina com o reconhecimento solene do pai da criança, como
admitiu no clã. É impossível concluir directamente a partir do grito de uma mulher que uma criança está nascendo; mas a
distinção não é entre a entrega e dando alma, mas entre a dupla ato de dar à luz e nomear pelo qual um ser humano
nasce, eo quarto trazendo insignificante que há nascimento em tudo. O único lugar onde se pode ver o que ocorre é no
próprio clã, e ali de pé, como um parente entre parentes, temos, em um caso, a felicidade de ver um parente vir ao
mundo, na outra, nós são apenas espectadores de um acontecimento sem importância,

299

O filho herda o nascimento e sorte de sua mãe, mas sua primogenitura materna não é derivado de que pouca momento em que a mãe age e o pai espera; isso
depende totalmente tanto sobre a vida que seus nomes pai nele. Voltando ao longo da história para encontrar o momento onde o ato de nascimento deriva seu
peso e seu poder, fazemos uma pausa pela primeira vez na noite, quando o par solenemente começar sua vida juntos; o fato de sua indo abertamente para
descansar em conjunto é mais do que um sinal meramente legal de que sua conexão é ter todos os efeitos de um casamento. Mas então também veremos que a
relação sexual antes do líder para o sofá, a “ale”, é enfatizada como um sinal certo da profundidade e autenticidade da aliança. Desde o ale somos levados mais
para o negócio feito de antemão, o contrato juridicamente vinculativo selado com presentes, e dado a entender que esta compra é o sinal de que os dois são
casados ​na verdade; o elevado estado social da mãe depende do fato de que ela é honrosa comprado com o presente nupcial. Mas mesmo aqui não estamos no
final da matéria, a nobreza de uma mulher verdadeiramente conjugal brilha na manhã após a noite de núpcias, quando o marido honra seu cônjuge, dando-lhe a
parte de uma verdadeira esposa; muito justamente, o “dom da manhã” é contado na lei Lombardic como a bênção final que libera uma escrava de seu estado de
escravidão e faz dela uma mulher “nascido”. Cada uma dessas cerimônias podem por si só ser tomado como o fundamental e o decisivo, sem, no mínimo diminuir
a importância do repouso; para todos eles se apresentam como provas do fato de que uma mudança foi feita nas mentes e as almas das partes envolvidas. Antes
da aliança foi feita, os dois círculos familiares eram estranhos, agora, eles estão unidos por uma fusão de sorte e vontade; em ambos os lados houve uma
assimilação por cada uma alma do outro, de modo que o hamingja de ambos é reforçada pelo negócio. No momento em que o pai toma para si a sorte de sorte do
outro e une-lo com a sua, a base da vida de um filho legítimo é colocado. E assim, de fato, o garoto pode ser chamado de uma corda, uma corda close-trançado;
mas ele não está torcido de duas vertentes deitado frouxamente ao lado do outro; a sorte é um em ambos os lados houve uma assimilação por cada uma alma do
outro, de modo que o hamingja de ambos é reforçada pelo negócio. No momento em que o pai toma para si a sorte de sorte do outro e une-lo com a sua, a base
da vida de um filho legítimo é colocado. E assim, de fato, o garoto pode ser chamado de uma corda, uma corda close-trançado; mas ele não está torcido de duas
vertentes deitado frouxamente ao lado do outro; a sorte é um em ambos os lados houve uma assimilação por cada uma alma do outro, de modo que o hamingja de
ambos é reforçada pelo negócio. No momento em que o pai toma para si a sorte de sorte do outro e une-lo com a sua, a base da vida de um filho legítimo é
colocado. E assim, de fato, o garoto pode ser chamado de uma corda, uma corda close-trançado; mas ele não está torcido de duas vertentes deitado frouxamente
ao lado do outro; a sorte é um
300

por toda parte, a do pai e a da mãe em um. Na realidade, o hamingja que agora inspira o filho é totalmente ativo no pai;
o pai com seu clã já se assemelha parentes da mãe e leva atrás deles; e ele deve fazê-lo, tão certo como ele tem muito
de seus parentes-in-law honra em si mesmo que se pode sofrer com eles e ficar com eles sob um escudo. O princípio
de nascimento e nomeação do Norte é, portanto, totalmente explicado na cena simples, onde o pai, ou quem quer que
dá nome ao filho, decide sobre qualquer um de seus ex-parentes ou um dos círculo da esposa, e corrige a posição da
criança no clã pronunciando a bênção: “Deixe o menino tomar o seu nome e sorte!”

Mas para entender completamente o efeito do casamento legal é necessário ter em mente que o direito eo poder de
chamar uma criança após a lei irmãos-em-não é, não pode ser restrito ao homem que realmente se casou com uma
mulher do outro clã. A fusão de alma e sorte e história que é efectuada por um dos amigos de acasalamento deve passar
por toda a corrida e trabalhar uma mudança em todos os membros que têm uma alma juntos. Em outras palavras, a
criança não é nomeado depois que o pai ou o irmão de sua mãe, mas nele todo o clã regenera o hamingja de seus
irmãos-de-lei.

Por isso, é natural que as genealogias das famílias antigos eram em si uma história ou um epos, e ao mesmo tempo um
retrato de um personagem. E, embora os registros são para nós, mas catálogos esvaziados das memórias ricas que se
agarrava aos nomes para os portadores originais, podemos ainda no cruzamento e agrupamento de nomes antigos e novos
vislumbres de captura de vida e crescimento, e até mesmo re-experimentar algo dessa seriedade que para a corrida em si
feito o acerto de contas de uma só vez um negócio sério e uma edificação.

A história conhece pouco sobre o rei Penda de Mércia, e menos ainda de seu pai, o rei Pybba. Devemos contentar-nos
com alguns fatos da história eclesiástica, assim como pode ir a um versículo do Livro de Crônicas, de um rei que fez o
que era mau aos olhos do Senhor. Apenas um único traço de

301

expressão humana é preservada nesta máscara; pagãos como ele era, ele usou nenhuma arma contra os cristãos, mas
escárnio, quando não agir de acordo com sua fé, nos é dito, e neste careta de desprezo que parecem reconhecer um dos
personagens marcantes, que pode justamente encontrar um lugar ao lado de uma Harald, um Earl Hakon, um
Chlodevech. Mas mesmo que Penda foi o fundador de um reino, e um que, como Harald, elevou a chefia de classificação
real, pereceu com seus pais; cultura atirou no chão, ao seu acórdão inabalável, como um daqueles que não foi levado
pela maré, mas deixou alto e seco pela corrente da civilização. Na Inglaterra, a nova idade e o novo espírito não eram,
como na Noruega, construído na antiga; cada jogo há martelado para apoiar o novo servidos ao mesmo tempo para
manter o velho do andar. Com o último dos pagãos caiu o próprio reino, e se levantou novamente, foi com o primeiro rei
cristão de Mércia. Mas se o reino de Mércia ficou rápido após a queda de seu rei e sua cultura, se ele passou incólume
pela crise que segue a um período de criação, quando a manutenção deve tomar o lugar do equilíbrio natural do
progresso, e se, após a crise, afirmou-se como uma grande potência, então era porque esses guerreiros implacáveis,
Penda e seus parentes, tinham também sido homens sábio em conselho, que lançaram as bases do seu som sorte real e
profundo. Esta corrida teve, como a de Halfdan na Noruega e que dos merovíngios no reino franco, a inteligência para
conduzir a grande sorte do mundo circundante em suas próprias almas, e dar à luz a sua hamingja novo e de novo, não
só mais forte,
a decisão sorte de novas regiões. Um sinal claro do poder esses príncipes de Mercia possuía para apoiar o seu
crescimento espiritual através da aquisição de sorte de fora é visto na aliança com a casa real dos saxões ocidentais.
Quando as duas famílias primeira casaram não é conhecido; só isso é certo, que a irmã de Penda foi casada com o rei
Coenwealh de Wessex. E agora vemos que um dos irmãos de Penda já foi nomeado depois que seu irmão-de-lei; ele é
chamado Coenwealh, e apesar do fato de que a paz foi logo quebrado

302

entre eles, quando o Saxon Ocidente rejeitará sua esposa, ramo da família de Coenwealh ainda continuou a usar apenas
nomes Ocidente saxões. Além disso, o novo hamingja foi transmitida para dois dos netos de Penda, filho de Wulfhere
Coenred, eo filho de Æthelred Ceolred, apesar do fato de que sua mãe era de Kent, eo outro é um Northumbrian.

Norte, também podemos seguir as aspirações do clã; conflitos ferozes de Penda com os reis piedosos de Northumberland,
Oswald e Oswiu, estão de alguma forma relacionados com o fato de que dois de seus filhos tinha filhas casadas do Rei
Oswiu. E até mesmo na mesma geração não aparecer na genealogia de Mércia esses nomes Northumbrian peculiares que
falam de uma família que estava orgulhoso de seus deuses; O irmão de Penda Eowa chama seus filhos Alwih e Osmod. o

æthel, também, que aparece no nome de um dos filhos de Penda, Æthelred, é da posição velha em Northumbria, mas,
devido ao seu carácter geral, não é uma marca familiar distinta.

Outra raça ambicioso cuja lista de nomes ainda testemunha o poder enriquecedora de sorte, é que dos merovíngios. Seu
primeiro nome histórico é Childeric. Este rei vem mais próximo classificando como a Harald Fairhair dos francos, e como o
fundador Norse de um reino, teve parte de sua sorte de um reino vizinho. Ela está relacionada, em forma de história, que
ficou por algum tempo no Oriente, em "Turíngia" na corte do Rei “Basino”, e que a rainha do Oriente, venceu por
admiração de sua galanteria, seguiu para a França e tornou-se a mãe do próximo grande homem na corrida, Chlodevech.
O que este mito pode significar, traduzido em modernas proporções históricas, não sabemos, mas que ele tem algum
significado é indicado pelos nomes das filhas de Childerico Audefleda e Albofleda, uma vez que encontrar em outro lugar
uma

alva e um aud apontando para o mesmo Turíngia mística com o seu ainda mais Rei Basino mística. Mais tarde,
Childerico aliou com Teodorico, o Grande, e deu-lhe uma de suas filhas em casamento; Chlodevech, como um
historiador afirma expressamente, olhou para grandes coisas de esta aliança, e apressou-se, portanto, para incorporar
a sorte em sua família, nomeando seu filho após o grande rei

303

dos godos. As gerações seguintes são distinguidos pela aliança com a casa real da Borgonha; nomes com Gunn, como
Gunnthram, e chrote, como Chrotesind, são o símbolo da união. O que as restantes combinações de nomes, tais como
Ingomar, Chramn, ou Charibert, significam na história da raça que são incapazes de explicar; pode-se dizer em uma
suposição de que eles aparecem nos anais da família, em parte, como um memorial para os clãs francos rivais que foram
gradualmente engolido pela linha do conquistador. Todos esses nomes adotados indicam em primeiro lugar aliança, mas,
posteriormente, a usurpação de sorte e vontade; com tanta alma borgonhesa neles como tinha os merovíngios, os homens
poderiam sentar-se com segurança em lugares estranhos, sem medo de sorte não-los na terra estranha.
Em face desses realistas de idade, que absorveram sorte alienígena e direita alienígena em sua própria carne e sangue, nossas
concepções fracos de aquisição por casamento e herança revelar-se insuficiente. Nossas palavras e pensamentos nos permitir apenas
por uma maneira muito rotunda para alcançar o tipo de soulhistory que se encontra nestes registros familiares; mas quando uma vez
que nós nos permitimos ser conduzidos até agora, a genealogia não saltarei como a expressão dizendo tudo, e dizendo tudo da
maneira correta, como a ilustração autêntica de nascimento, que não pode ser totalmente substituído por qualquer outro, pois a própria
razão que a sucessão de nomes é uma série de marcos deixados pelo próprio fluxo da vida. E o símbolo que chama-se diante de
nossos olhos não é um pai que desde o seu lugar na ordem da corrida lança um olhar busca ao longo das duas estradas que atendem
nele, na esperança de seu encontrar alguém que pode fornecer um nome para seu filho; vemos um homem sentado, inspirado por uma
sorte que é verdadeiramente seu, se ele próprio ou de outra trouxeram a mais recente adição a isso, tendo este hamingja e determinar
a “idade”, ou o destino, de seu filho.

“Eu desejo que" este menino sorte do nome,”Esta é uma palavra poderosa para efetuar apenas o que está nele, segundo o
velho modo de falar. Aquele que profere sabe que ele pode fazer suas palavras “todo”, ou real. A ideia antiga não tinha respeito
por meia ou condicionais resultados; se o pai não poderia dar sua vida real criança, ea vida intacta, então ele tinha efetuado
nada. Ele pode

304

fato também ter algo de si mesmo e de sua alma para dar à luz a um ser humano depois que ele tinha envelhecido.
Quando os islandeses relatar a história com um propósito que conta como Harald Fairhair forçado Æthelstan a adotar um
de seus filhos, deixando o mensageiro definir a criança no joelho do rei Inglês, estas palavras aumento de si para os lábios
do narrador: “a criança agora é tomado em seu joelho e você deve temer e honrá-lo como você temer e honrar o seu
filho.” Qualquer que seja o autor e seu círculo pode ter significado por estas palavras, a força deles remonta à experiência
que um ato tal como a que a Norseman enganado Æthelstan em fazer realmente torcido um fio entre o homem sentado lá
e a criança sentada no joelho; esta cerimônia pode efetuar uma mudança nas partes interessadas, não só a criação de
novas responsabilidades,

Sem dúvida, a alma poderia ser renovado em um homem, de modo que ele nasceu em outro clã do que a que ele pertencia
originalmente. Por essa aprovação, o novo membro da adquiriu uma nova sorte, novos planos, novas metas na frente dele,
ele tinha memórias e antepassados ​em comum com seus novos parentes, receberam a sua Frith em sua mente, sua
vontade de vingança, sua honra. Mesmo através da Latin pomposo de Cassiodoro podemos ouvir um eco da dependência
germânica em um modo adoptada; esta pena dos condutores de toques de Teodorico casualmente na memória de
Gensemund, “um homem cuja elogios do mundo inteiro deveria cantar, um homem só fez filho por adoção nos braços do
Rei, ainda que exibiu tal fidelidade aos Amals que ele transferiu até mesmo para seus herdeiros, embora ele próprio era
procurado para ser coroado. Pelo que a sua fama viver para sempre,

Obviamente, então, o homem deve ter sido re-nascido completamente, e recebeu uma alma inteiramente novo. A mudança
deve ter ocorrido nele, um nascimento que não só afetou seu modo de pensar, mas também o que deve chamar seu
personagem.

A meia-nascido foi, então, não excluídos da possibilidade de ser totalmente carregado, ele poderia ser renovado, ou melhor, nascer, tão
completamente que não havia, na realidade, nada mais quer do corpo velho
305

ou da antiga alma. Tal re-nascimento estava no ato de adoção, a estar no joelho, ou como os suecos chamou, de estar no
colo. Quando a Lei Uppland em um parágrafo admite filhos legítimos à plena honra no casamento posterior dos pais, mas
no título desse número chama de “lap-filhos”, temos aqui novamente um daqueles exemplos característicos da
contradição entre o antigo palavras -time e os pensamentos da Idade Média. Nas leis norueguesas, encontramos adoção
descrito no seu conteúdo dramático completo; um boi de três anos de idade foi abatido, e um sapato foi feita a partir da
pele de seu pé direito; a uma festa solene o sapato foi colocada na parte principal do quarto, e um por um dos membros
do pé definido família nela; primeiro o pai adotando, então o filho adotivo, e depois dele os parentes restantes. A partir
desse momento, o filho tinha em si a plenitude da vida da família, como pode ser visto claramente as consequências
legais atribuídas ao ato; ele herda, vinga, traz processos, é um deles. A fórmula em que o pai confirmou a dignidade deste
parente contém, em palavras velhas, que a unidade de alma que nós expressa por sorte e honra e Frith: “Eu levar este
homem para os bens que eu lhe der, ao presente e de reembolso, a cadeira e assento , multar e anéis, e pleno direito do
homem, como se sua mãe tinha sido comprado com presente nupcial “.

A mesma coisa pode ser expressa em sueco, dizendo: Até um homem é adotado, ele não pode estar entre os jurados,
pode não fechar um negócio, e tudo o que é feito com ele é feito como a um escravo; mas quando ele foi devidamente
adotada, quando os parentes ter proferido o seu solene: “nós levá-lo para o clã com a gente”, então ele pode tanto ataque
e defender a lei e pode tomar o seu lugar entre os compurgators quando sua família testemunha em um processo entre os
homens. E quando a adoção foi concluída em devida forma, em seguida, o adotado nasce, tanto quanto aquele que tem
ficado nu e chutar entre os joelhos de uma mulher high-nascido; tudo o que ele pode ter sido, escravo ou homem livre,
ninguém pode distinguir entre ele e os outros da raça. Ele não é diferente de seus irmãos em nascer de um pai sem mãe,
pois em caso de uma completa

306

adoção a sorte da mulher e seus parentes foi incluído na alma que o pai nomeado para ele. O membro adotada
recebeu uma alma toda e um passado.

Na Noruega, foi necessário que todos os parentes devem estar presentes na cerimônia de adoção, e passo para o sapato, a
fim de que eles possam um por um lado para o novo homem direito à vida e uma participação nos direitos da vida; crianças
ainda não de uma idade para participar da cerimônia por si só, confirmou a adoção de seu irmão, sentando-se no braço de
seu pai quando ele entrou no sapato. A mesma condição para a validade da adoção provavelmente foi exigido por outros
povos germânicos, embora não podemos concluir que ele sempre restringiu o direito do pai da mesma forma como na
Noruega. O objeto principal da cerimônia não é para anunciar a mudança de estado do novo homem, mas para fazer a
própria mudança real, para que pudesse enfrentar o mundo como um fato que todos devem se sentir. A criança não se sentar
no seu pai' s braço para descobrir como um anúncio; ele irradiava sorte em seu novo irmão, e ele seria, quando ele veio a
propriedade do homem, sentir o parentesco que ele tinha, sem saber estabelecido. Consequentemente, o anúncio público na
lei-coisa, exigido por lei dinamarquesa e sueca, não era em si mesmo mais eficaz do que o ato de um pai empreendeu a si
mesmo, quando ele teve muita sorte concentrado em si mesmo.
Ao lado de verdadeiros parentes parece haver uma classe de homens que têm vida, que atuam na sorte, cuja honra é
guardado pelo clã, mas que ainda falta algo. Quando a escrava enviada para o pai no momento da sua entrega, e ele
consentiu em vir, a fim de receber a criança e o nome, como fez Hoskuld com seu filho Olaf, em seguida, o menino
estava livre, e de fortaleza, como Olaf fez, ascensão à fama; mas ele foi afinal forçado a ficar de lado na divisão de
herança, com nada, mas o seu dom, o que seu pai lhe tinha dado para fora do todo. E assim as leis realmente descrever
a condição do filho ilegítimo, tanto no sul e norte. O pai poderia, se quisesse, levantando a seu filho na vida, mas depois
de sua morte o bastardo não tinha nenhum direito sobre a propriedade da família. Do ponto de vista germânica,

307

parentes, que não herdam, mas ainda pode receber uma parte da herança como um dom; que têm honra suficiente para prestar juramento, que
tomam parte na busca de uma causa, e ter uma participação em multas, bem como na doação no casamento de seus parentas, mas sempre no
passado, por si só, com uma porção inferior àquela Do resto; irmãos, que pode de fato ser confiada a responsabilidade de manter a honra da
família, mas apenas quando há melhor homem é deixado vivo. Sua posição é um compromisso contra o espírito da época. Devemos, no entanto,
fazer uma pausa no fato de que uma posição tão metade foi possível em sociedades baseadas na cultura antiga, e vivendo na honra antiga como a
base de toda a humanidade. Talvez possamos ler o destino destes meia-nascido e a causa de sua fraqueza nas antigas palavras usadas na
Noruega, com referência a um filho adotado quando ele sofre o processo completo de adopção: “Esse homem deve ser levado às voltas de homens
e as mulheres.”Se o sentido é que ele está, assim, plenamente estabelecida no lado do pai da mãe, bem como, em seguida, a sentença indica
certamente o suficiente a incapacidade psicológica que distinguiu a não adotado a partir de seus irmãos. Nos termos legais dos lombardos, o filho
legítimo é distinto, como então a sentença indica certamente o suficiente a incapacidade psicológica que distinguiu a não adotado a partir de seus
irmãos. Nos termos legais dos lombardos, o filho legítimo é distinto, como então a sentença indica certamente o suficiente a incapacidade
psicológica que distinguiu a não adotado a partir de seus irmãos. Nos termos legais dos lombardos, o filho legítimo é distinto, como fulborn, do filho
ilegítimo mas reconhecido, e uma vez que a palavra claramente remonta a uma época em que a diferença era uma realidade e não uma distinção
jurídica, não podemos ficar longe do significado literal: totalmente nascido, em contraposição ao nascer incompleta. As palavras “levaram às voltas
de homens e mulheres” não, talvez, realizar o significado que a cerimônia contou com a assistência do corpo da mulher, mas eles implicam que os
adotantes pediram o consentimento de seus irmãos-de-lei para introduzir o novo parente para o pleno direito que a aliança matrimonial parecia si.

Devido à luz significa uma infusão de hamingja existem vários graus de nascimento ou adopção possível. O
bairn-promoção escandinavo estava em sua essência mais íntima um ato de adoção, embora o ato não foi realizado até
agora que rompeu o vínculo que ligava a criança com a raça de seu pai e irmãos. O filho adotivo sentiu Frith em direção
ao seu fosterfather, de modo que ele se sentiria um prejuízo para o último como um prejuízo para si mesmo, e

308

mantido seu direito o que quer que os outros possam pensar do caráter desse direito. A piedade de Vigfus Glumson para uma
Hallvard, cujo personagem pode no máximo ser descrito como duvidoso, não é exemplo exagerado da intensidade desse
sentimento. Hallvard foi considerado como um natureza agarramento, e foi sussurrou que ele tinha poucos escrúpulos quanto aos
meios que ele empregadas; havia muito para sugerir que metade uma pontuação de ovelhas e um porco gordo tinha encontrado seu
caminho para a sua herdade, e é certo que eles nunca encontraram seu caminho de lá novamente. Seu fim era um miserável um;
quando o filho do proprietário ofendido veio a ele em uma missão da lei, ele viu à primeira vista que a cabeça do ladrão estava solto
em seus ombros, e sabiamente poupado
-se o problema de convocando-o. Glum deixá-lo deitar na cama, ele mal feito, sem uma multa honesto para facilitar o travesseiro;
mas Vigfus, que tinha sido no estrangeiro, enquanto o assunto foi decidido, não poderia descansar até que ele conheceu o matador
de Hallvard, e dada a sua vingança pai adotivo em seu túmulo.

Onde Frith foi tirada em, hugr e mente deve certamente seguir depois; a garantia, ou melhor, a experiência, desta
alma-mudança é petrificado no provérbio: um homem toma depois de seu pai adotivo para uma quarta de si mesmo.

Adoção plena e completa envolve uma mudança radical no filho, de modo que todos os seus pensamentos são dadas
uma nova direção, e o destino, ou ALDR, que foi implantado em-lo em seu primeiro nascimento é trocado por que de
seus novos amigos. Sua antiga passado, mesmo a seus antepassados, é eliminada e uma nova descida é infundida ele
através da hamingja que agora o envolve. Mas as formas mais fracas de adoção implica apenas uma adição de
passado e presente ao hamingja que chegou até ele através de herança normal. Hakon Æthelstansfostri não renunciar
ao seu direito à sorte dos reis noruegueses, e, provavelmente, a adoção de Gensemund na família dos Amals foi mais
quase relacionados ao bairnfostering escandinava do que para a configuração sueco no colo ou o norueguês líder no
sapato .

Devemos sem hesitação aceitar a idéia de que um ser humano pode nascer várias vezes; ea conseqüência que
nossos pensamentos provocando apresentadas, que um indivíduo faria

309

em seguida, ter mais duas ou mesmo pais, podemos seguramente compreender; as palavras não queimar. O filho adotivo
sentiu que o homem em cuja casa ele tinha crescido era seu pai, e ele sentiu que na casa onde seus irmãos estavam, ele
também tinha um pai. Mas ele não se importava com a relação da mesma forma como nós; ele não disse o que dizemos,
porque não lhe ocorreu para levar os dois juntos e dizer: um-dois. E se saberia como seu pensamento correu, temos
apenas a ouvir com compreensão quando o filho chama seu pai, e um pai a seu filho, com o nome de freónd, parente.
Este nome foi a nota fundamental em todas as designações familiares mais próximos, da mesma forma como nós, por
outro lado têm agora pai, mãe, filho, irmão, conforme as circunstâncias, como a nota fundamental na palavra relativa.
Parentesco consiste em ter uma quota-parte do hamingja, não em ter sido carregado, e, por conseguinte, a paternidade
foi obscurecido por Frith, e deriva a sua força da ligação que une todos os membros do clã; o gerador que geram em
virtude de seu parentesco, e, portanto, se trata de que “parente” tem um anel de intimidade e é a palavra mais adequada
para expressar o sentimento de confiança e orgulho no progenitor para com seus gerado. Um pai islandês ou norueguês
vai apresentar o seu aviso ou incentivo ou elogio com o “parente” íntima; “Thorstein, parente, ir com seus irmãos,

Em todas as aparências, a vida de Hakon Æthelstansfostri é uma ilustração à força do poder de formulário. Harald
Fairhair gerou a ele com Thora Mostrstong, ela é contada. Quando a mãe sentiu que sua hora estava à mão, ela
apressou-se em direção ao norte pelo mar de Mostr para Sæheim, onde o rei era então. A criança havia de nascer na
casa do rei Harald e em suas mãos. Mas ela não chegou até agora, para a caminho, quando o navio colocar, como de
costume com viagens por inércia, para passar a noite em terra, ela deu à luz seu filho em uma pedra pela fase de
aterragem. No lugar de Harald, era amigo do rei perto e irmão-de-lei, Earl Sigurd, que plantou o nome do filho, e ele
chamou-o após seu próprio pai, o velho conde de
310

Halogaland. A criança nasceu assim em linha reta no lado da mãe da família Harald, e nunca, talvez, tornou-se adequadamente relacionada com parentes de
Thora. Mais tarde, Harald, sem dúvida, reconheceu o rapaz como seu, e aceitou-o com plena validade como seu parente, desde que ele deixá-lo ser educado nas
cortes reais com sua mãe. Quando Hakon, um jovem de quinze anos, que professa o cristianismo, voltou para casa desde a permanência misteriosa com seu pai
adotivo Æthelstan a almejar o seu direito de herança, seu primeiro pensamento foi para ir direto para Earl Sigurd, e ao longo de todo seu reinado problemático o
conde de Hladi era tudo para ele que um parente poderia ser. solidariedade de Sigurd é incondicional, é independente dos humores, inatacável por qualquer coisa
que poderia vir entre, mesmo no momento em que Hakon' de novo a fé está em nítido oposição ao velho modo de pensamento em que o conde e seu círculo;
assistência do conde não é limitado por qualquer possibilidade de sua adoção de uma posição diferente, e quando ele protesta com o jovem rei para alienar os
yeomen orgulhosos da Noruega por seu excesso de zelo por Cristo, suas palavras nunca são afiadas com qualquer sugestão de que ele mesmo poderia passar
para os adversários do rei. Quando o filho mais velho de Earl Sigurd nasceu, Hakon batizado e lhe deu seu próprio nome; eo menino cresceu para se tornar que
Earl Hakon que por um tempo conseguiu encher o trono de Harald Fairhair. e quando ele protesta com o jovem rei para alienar os yeomen orgulhosos da Noruega
por seu excesso de zelo por Cristo, suas palavras nunca são afiadas com qualquer sugestão de que ele próprio pode passar para os adversários do rei. Quando o
filho mais velho de Earl Sigurd nasceu, Hakon batizado e lhe deu seu próprio nome; eo menino cresceu para se tornar que Earl Hakon que por um tempo
conseguiu encher o trono de Harald Fairhair. e quando ele protesta com o jovem rei para alienar os yeomen orgulhosos da Noruega por seu excesso de zelo por
Cristo, suas palavras nunca são afiadas com qualquer sugestão de que ele próprio pode passar para os adversários do rei. Quando o filho mais velho de Earl
Sigurd nasceu, Hakon batizado e lhe deu seu próprio nome; eo menino cresceu para se tornar que Earl Hakon que por um tempo conseguiu encher o trono de
Harald Fairhair.
CAPÍTULO XII

MORTE E IMORTALIDADE

Na unidade entre o indivíduo e sua família, todos os pensamentos de morte da mesma forma atender. Para o Northman, um
nome, uma reputação foi suficiente para tirar a amargura da morte, porque a fama após a morte era uma vida real, a vida no
contínuo sorte ea honra de parentes.

Não entrou em um toque de algo moderno em clamor do Northmen para a vida; sentimos um novo tempo através dele. A
palavra fama adquiriu um anel espiritual na era viking, e não se pode negar que a fama após a morte tenha comprado seu
delicado brilho ao custo de vida interior, substancial; é subido tão alto como quase rasgar as raízes que lhe deram alimento
terrestre. E como sempre acontece quando uma cultura começa a limpar os seus valores para superspiritualism, os ideais
terminou em algo overstrained e vacilante; o grito de fama se torna mais e mais extenuante, como se o pregoeiro estavam
tentando clamor si mesmo. No lugar dos heróis dos velhos tempos de honra, temos agora os atletas no campo de honra, que
correm sobre o país em busca de renome, e gemer no cansaço da vida quando eles podem encontrar nenhum com quem
para medir sua força. O tom tenso no grito para a fama durante os séculos beirando o Idade Média sugere que os guerreiros
errantes tinha parcialmente perdido o contato com as realidades da vida. E ainda assim eles não eram tão moderna como a
compreender a idéia de que a verdadeira e única imortalidade consistia em falar das pessoas de um após a morte. A fama e
honra que era consolar um homem na morte deve ter uma força convincente, não só para gerar

312

canções, mas também para gerar um sucessor em quem a honra brilhou de novo.

Outra característica da idade Viking é a ansiedade brotamento para o indivíduo re-nascimento. Na abertura da saga Vatsdoela
somos informados de como a famosa família de Ingimund foi fundada pela soldagem de um clã norueguês com a sorte de
uma corrida real de Gautland mais a leste. A união é datado a partir de uma luta entre o jovem norueguês Thorstein e um
descendente dos reis Gautland chamados Jokul; antes de morrer, Jokul solicita seu matador para se casar com sua irmã e
reviver o nome na prole desta aliança “e eu olho para abençoar a mim mesmo a partir deste”, acrescenta. Assim se trata de
que o nome Jokul corre na família Vatsdoela. O mesmo tema ocorre em outra saga, a Svarfdoela, onde Thorolf, um jovem
corajoso de Naumudal, que em sua expedição primeira viking recebe uma ferida mortal, em seus momentos finais pede seu
irmão Thorstein para transmitir o seu nome à posteridade: “Meu nome viveu, mas um pouco hora, e, portanto, eu deveria ser
esquecido assim que você se foi, mas eu vejo que você vai aumentar a família e se tornar um grande homem de sorte.
Desejo-lhe deixaria um filho ser chamado Thorolf, e todas as qualidades de sorte ( heillir) que tive, aqueles que eu lhe darei;
então eu acho que o meu nome, viver tanto tempo quanto os homens habitar no mundo “e Thorstein responde:“. Este terei
prazer em prometer-lhe, para eu olhar que ela será a nossa honra, e boa sorte deve ir com o seu nome, desde como é no
clã.”ele mantém a sua promessa, eo novo Thorolf torna-se como seu parente.

Estes contos são romantismo convencional, e, tanto quanto o Vatsdoela está em causa a história nada mais é que uma
reflexão tardia para explicar a aliança real entre um norueguês e uma casa Gautland. Mas esse romantismo reflete
algumas tendências da era da saga. Há, sem dúvida, na ânsia da do Thorolf e Jokul de ter seu nome e fama restaurado
para o
acender uma paixão egoísta, algo que se aproxima a fome ansiosa por um futuro e uma esperança, que sabemos de outros
tempos e lugares. Mas sua ganância de vida está satisfeito na certeza de que sua honra e sorte não serão impedidos de
'murchar. Eles são totalmente conteúdo para voltar a viver a sua vida em outro homem, eo

313

questão da sua própria identidade simplesmente não pode penetrar através da massa das antigas instalações. Nas palavras de Thorolf:
“Para ele (seu homônimo que é ser) Vou dar toda a sorte que eu tive; então eu acho que o meu nome, viver tanto tempo quanto os
homens habitar no mundo,”nós temos de uma forma dois diferentes modos de pensamento colocado um sobre o outro; as velhas idéias
de sorte e alma formam o padrão em que novos pensamentos sobre a imortalidade pessoal do herói involuntariamente se encaixam
quando eles vêm para exigir expressão.

Imortalidade, portanto, consiste em permanecer na sorte e honra, e sabendo que segura; deixe o pensamento de seu próprio
bem-estar surgir como potente como ele vai, ele não pode tomar esta forma: o que é tornar-se da mim? Enquanto a vida está
inseparavelmente ligada com um todo, de modo que o indivíduo não pode existir em todos, como indivíduo, o aguilhão que deve
definir o pensamento da própria encarnação em movimento está faltando. Os mortos, bem como os que vivem vidas Kinsman em
seus parentes; ele acha que seus pensamentos e sua honra, ele quer a sua vontade, ele sente os seus sentimentos, ele é o seu
corpo. Ele é aquecido através pela honra-refrescante coração fundada por ele mesmo, ele é alimentado com sorte, e ele age com
eles, pensa e conselhos. E assim o dilema: ser ou não ser, é eliminado de antemão.

Quando um homem recebeu a garantia de que sua sorte e honra estão em guarda, e ele fecha os olhos, ele sai para o lugar
onde seus parentes moram, - “estabelece para visitar seus parentes”, como Egil diz de seu filho - e chega lá em toda a sua
pessoa, completo, com corpo e alma e equipamento inteiro. Não como um espírito que lançou seu caso de lado e vem com os
dentes batendo roubar no caminho para Hel, mas como um ser humano, com a natureza humana. O homem inteiro
simplesmente continua sua vida, em condições um pouco diferentes, mas sempre em sorte, provavelmente um pouco menos
do que antes, talvez também em certos aspectos um pouco mais forte. Ele monta em seu cavalo e carrega sua espada, que
ele pisca no Conselho armado onde os mortos montar, e para os seus passos inquietos sobre ele precisa de um equipamento
de sólidos, uma arma bem forjada bem equilibrado para a mão, como ele é utilizado para. Ele é uma pessoa sólida, que se
pode sentir e lutar com. Não devemos, é verdade, caracterizá-lo completamente de

314

os fantasmas comicamente terríveis que vão assombrar sobre em várias das sagas islandesas, companheiros que torcem o
pescoço das pessoas, ou talvez até mesmo correm sobre a sua própria cabeça em suas mãos, usando-a para bater nas portas
das pessoas. Indiretamente, no entanto, esses fantasmas não revelar algo da natureza dos mortos; este Glam, que cavalga
sobre o telhado de uma casa até que todas as vigas ranger, e chega perto de quebrar braços e pernas de Grettir; este Thorolf
Boegifot, que corre atrás os pastores e os bate preto e azul, tem pouca realidade sobre eles, mas eles têm uma realidade por
trás deles; eles são descendentes dos que partiram tangíveis, que eram capazes de se confrontar com os homens vivos, e
talvez não cederia até que suas costas estavam quebradas ou suas cabeças cortadas.

Em uma única ocasião - na história de Hermod - lê-se que o piso mortos muito mais leve na ponte de Hel do que os
vivos. Quando Hermod é despachado para buscar o deus Balder dos mortos, seus passos firmes na ponte que leva ao
vale da morte preencher o goleiro ponte com admiração. “Ontem”, diz ela, “quatro exércitos de homens mortos montou
sobre a ponte, mas
eles fizeram menos ruído do que o passo do seu cavalo único; nem é o seu rosto como o rosto de um homem morto.”Mas
esta observação é, provavelmente, apenas relativamente válido. A julgar pelas experiências da vida que se aventuraram
para o submundo, ambas as estradas e pontes foram finos e sólida, evidentemente construído com vista a bons passos
de som, contra o verdadeiro espírito mundos, onde tudo é um-aljava. O poeta do leigo de Eric atinge seu efeito
introdutório por meio perfeitamente legítimos, quando ele deixa Odin arranque do sono nas etapas retumbante de Eric
Bloody-machado e seus homens: “Que sonhos são estes? Methought foi na madrugada, quando eu fiz o quarto na Valhal
para aqueles morto nos braços; Acordei as einheries, ordenou-lhes surgem, espalhar palha nos bancos e enxaguar os
ale-canecas; Valquírias deve levar o vinho ao redor,

315

paredes gemer de empena de Gable,”vem a resposta,‘como se fosse Balder voltando para as salas de Odin.’

Nos versos onde morto Helgi é visitado em seu túmulo por Sigrun, a idéia da era viking quanto à realidade dos mortos
encontrou sua expressão ideal. escrava de Sigrun passou uma noite após o carrinho de mão, e vi Helgi montando para o
monte com uma série de homens. Ela disse Sigrun o que tinha visto. Sigrun foi para o monte para Helgi: “rei sem vida, um
beijo em primeiro lugar, antes que você lançar correio manchada de sangue. Seu cabelo é grosso com rime, Helgi. Você
está encharcada com o orvalho de sangue. Suas mãos estão úmidas e frias. Diga-me o que devo fazer “-“Agora vamos
provar o copo, embora eu ser expulso de luxúria e terra, sem a cantar um lamento, embora as feridas brilho vermelho no
meu peito.; agora é a mulher vir - e fechou a porta atrás dela -into monte de enterro para mim, que estou morto “-“Aqui eu
espalhar um bom sofá, Helgi, sem sofrimento.;

Este Helgi e este Sigrun personificar, na transfiguração poética, os pensamentos de tempos Viking quanto à relação entre
a morte ea vida. Homens pensou dos mortos como como Helgi, e como Sigrun homens mantiveram uma base prática para
eles, embora é claro que seria apenas as exceções que sentiram qualquer chamada para ir para a cama com eles. Tudo o
que estes dois dizer um ao outro é marcada ao longo do romântico, qualquer coisa, mas a ternura amor germânica que os
une. É, por assim dizer, um novo sentimento que dá cor às palavras, mas o que lhes dá vida, e que torna a reunião do par
tão natural e simples, é ideias irrefletido do poeta dos mortos. Não há nada nestes versos que sugerem que ele está
exteriormente repetindo uma lição literária.

Um homem continua a ser o homem que ele era em relação à forma e forma - um pouco reduzida, talvez, mas não mudou. E da
mesma forma, é claro, ele iria manter o seu frescor da alma, tão certo como ele era um homem morto honesto; ele permaneceu
como ele, com a mesma honra completo, os mesmos preconceitos, o mesmo orgulho da família e as mesmas restrições
familiares, bem como a mesma

316

respeito pelas realidades da vida. Aqui reside a fraqueza dos fantasmas islandeses cômicos - eles diferem de seus
antepassados ​em ter perdido algo, e esse algo é nada mais do que a humanidade; a honra ea sorte que calar a atividade
dos mortos no círculo onde sobreviver movimento parentes e sintonizar os feitos dos mortos para as aspirações da vida,
desvaneceram-se neles. O autor da saga Eyrbyggja está em terreno mais seguro. Ele conta como um grupo de homens que
tinham sido abafadas no fiorde, incomodaram de estar por vir à noite para sentar-se pelo fogo. Finalmente um homem sábio
bater em cima do dispositivo de usar a força da lei contra os intrusos. Os homens mortos em silêncio ouviu o filho da casa
enquanto ele trouxe a convocação para a entrada unrightful da casa, mas assim que o julgamento tinha sido passado sobre
eles um por um eles se levantou do assento quente pelo fogo e saiu para o frio.

- O homem morto manteve sua lealdade para com a casa e seu interesse em tudo o que foi sobre a herdade. Muito
naturalmente, em seguida, ele iria escolher-se um bom lugar de habitação com uma ampla perspectiva, livre sobre o bairro e
sua casa. Ou ele pode querer ser o mais próximo possível da casa, de modo a ser capaz constantemente para assistir ao seu
trabalho habitual. Thorkel Farserk era um homem muito poderoso, tanto no espírito e no corpo; ele tinha viajado com Eric, o
Vermelho para a Groenlândia, e uma vez, quando Eric veio visitá-lo em sua casa e nenhum barco navegabilidade estava em no
momento, ele nadou até uma ilha no fiorde para buscar uma ovelha para o alimento. Não é à toa que ele foi em paz sobre sua
herdade após a morte, e fez-se útil.

Uma boa ilustração da unidade do homem morto com o seu passado é encontrada à luz de um lado, mas clara do
Humoresque, quando lemos na saga de Kar do Grettir atividade do velho após a morte: ele habitou em um carrinho de mão
sólida reforçada com baulks de madeira e, a partir daqui levou a pequena guerra com os camponeses do distrito, para que, em
companhia de seu filho vivo, Thorfin, ele estendeu a propriedade da família de uma única herdade até que cobriu toda a ilha de
Haramarsey, perto de South Moeri. Naturalmente, nenhum dos camponeses que gostava de proteção de Thorfin

317

sofreu qualquer perda. Kar estava perseguindo uma política de família exclusiva, apenas com as médias mais altas agora à sua disposição.

E o que era a marca do homem livre de nobreza, a sua “alegria”, foi com sua sorte no maior existência. Pode-se ouvir o
homem morto cantando de seu carrinho de mão ou seu navio sobre sua riqueza e sua fama, em versos como que conhecido
por ter sido cantada pelo barrowdweller Asmund de Langaholt. Este homem distinto tinha sido enterrado em seu navio, ea
família teve com cuidado pensativo dado a ele um escravo fiel a compartilhar a sepultura, mas esta empresa provando de
maneira nenhuma para o seu gosto, ele pediu para ter o grizzler retirado. E então ele foi ouvido a cantar com a jactância
orgulhosa de vida: “Agora eu só homem do navio; quarto melhor ternos de batalha não vai de aglomeração de empresa de
base. I orientar meu navio, e isso vai demorar muito a mente dos homens.”

'O que a vida realmente é, só com razão aprendem vendo sua dissolução. É a natureza da saúde a ser friamente inacessível, e é,
portanto, da necessidade, e não por inclinação, que o psicólogo vai para a mente doente, a fim de aprender o que está se
movendo na som. Se nós não sabemos as idéias de diferentes povos em relação à morte, devemos na maioria dos casos,
provavelmente, ser incapaz de determinar seus pontos de vista da vida. Dissolução nos mostra, não só o que a vida vale a pena
para eles, mas também em que esta vida consiste.

Nós não encontrar, entre nossos antepassados, qualquer medo do fim da vida. Passaram com uma risada de desafio através do
inevitável, somos informados; ou eles enfrentaram o pensamento de um final terrena com uma indiferença convencido, mostrando
claramente que eles não atribuem grande
importância a esse evento. A vida era tão forte em sua realidade de que a morte simplesmente não poderia contar contra ele, e
não podia de forma alguma exercer a mínima pressão sobre suas exigências. Defiance fazia parte da honra e do que foi exigido
de um homem, e que são, portanto, obrigados a procurar as raízes desse desprezo pela morte nas profundezas da alma. E a

318

apreciação do Norte de vida está completa e totalmente mostrado na imagem dada por Tácito dos jovens: “Se sua pátria
crescer ocioso em paz longa e inação, então a maioria dos jovens nobres buscar seu caminho para tais povos, como estamos
em guerra, porque esses homens não são, por natureza, dado a paz e tranquilidade, e porque é mais fácil para ganhar
notoriedade, onde perigos jogar uns contra os outros - sem dúvida, um dos menos romântica de descrições psicológicas de
Tácito, e mais genuíno como ao seu conteúdo. Estes “jovens de alto-nascido”, então, não teria vivido em um ambiente onde a
morte foi considerada como um objeto de medo, uma coisa que roubou-se atrás dos homens e respirava com frieza em seus
pescoços.

Quando um homem recebeu sua ferida final, e percebeu que seu tempo chegou, ele caminhou com passos firmes para o carrinho de mão, e instalou-se lá para o
futuro, bem contente com o equipamento de seus parentes lhe dera lá. Mas é ele não depois de tudo se tornar um homem de menos momento que ele estava na
carne? Naturalmente, ele precisaria ter a sua sorte unimpaired, a fim de continuar a sua vida dentro dos portais do túmulo, mas isso não implica que ele levou
tudo com ele. Será que ele afinal se tornam mais fracos na força física? Será que a sua sabedoria, sua previsão, pia? Será que vai haver menos atividade nele?
As respostas para as nossas perguntas são perplexingly contraditórias. Encontramos indícios de que a morte poderia dar a um homem sabedoria mais profunda e
maior visão no futuro. Por que Odin sair e questionar a Sybil morto, como ele faz no poema Eddic Vegtamskvida, se não fosse que os mortos às vezes estava no
estágio mais elevado de percepção? E a viagem de Odin ao reino dos mortos foi, sem dúvida, modelada sobre a vida real. Old Kar parece ter aumentado sua
vitalidade depois de se instalar em seu túmulo, mas em outros momentos, é claro que um homem forte mostra uma vez marcada cair após sua morte. Às vezes a
vida no trânsito caiu para uma medida decididamente inferior da felicidade. Quando Helgi atende Sigrun no carrinho de mão, ele fala como se esta reunião com
toda a sua alegria era algo que ele roubou de vida; ele vai ter a felicidade, apesar de ele ser expulso de luxúria e terra. Mas, por outro lado, as fotos de Valhal
sugerem uma tendência para inverter a vida ea morte, Old Kar parece ter aumentado sua vitalidade depois de se instalar em seu túmulo, mas em outros
momentos, é claro que um homem forte mostra uma vez marcada cair após sua morte. Às vezes a vida no trânsito caiu para uma medida decididamente inferior
da felicidade. Quando Helgi atende Sigrun no carrinho de mão, ele fala como se esta reunião com toda a sua alegria era algo que ele roubou de vida; ele vai ter a
felicidade, apesar de ele ser expulso de luxúria e terra. Mas, por outro lado, as fotos de Valhal sugerem uma tendência para inverter a vida ea morte, Old Kar
parece ter aumentado sua vitalidade depois de se instalar em seu túmulo, mas em outros momentos, é claro que um homem forte mostra uma vez marcada cair
após sua morte. Às vezes a vida no trânsito caiu para uma medida decididamente inferior da felicidade. Quando Helgi atende Sigrun no carrinho de mão, ele fala
como se esta reunião com toda a sua alegria era algo que ele roubou de vida; ele vai ter a felicidade, apesar de ele ser expulso de luxúria e terra. Mas, por outro lado, as fotos de Valhal sugerem um

319

e consideram-o estado depois, como um acessório do sentido de vida. Nos campos da morte não cresce uma colheita
inesgotável de honra; este deve ser o significado da batalha diária fora dos portões de Valhal, e, portanto, temos a
expressão clara e forte a convicção de que a existência não perde em qualidade. Nos corredores da morte do intercurso
alegre continua, a vida em honra e Frith com alegria; tudo o que temos verificado que a vida, no sentido eminente,
dependia, o herói leva com ele pela porta da sepultura.

Valhal pertence a uma esfera particular da cultura. A vida ativa, turbulento dos einheries é dificilmente imaginável sem o
ritmo exaltado e apressada de vida em dias viking, onde tais ideais como a honra e fama depois da morte foram
forçados-se a tal ponto que a raiz não poderia apoiá-los, e eles floresceram até a morte. Mas Valhal não poderia ser
construída frouxamente acima da terra, ele deve ter a sua fundação profundamente colocada em sentimentos populares.
Antes da consagração poética de um céu de batalha deve haver uma fé direta no futuro, e isso não é uma fé vaga nas
nuvens, mas uma convicção certeza que o homem encontra-se novamente no monte de enterro. A partir da história na
Eyrbyggja do final de Thorstein Cod-bite podemos formar
uma idéia de como o dogma einherie apareceu como um mito familiar. é dito que a mesma noite Thorstein foi afogado,
um pastor viu Helgafell aberta: no interior da colina queimado grandes incêndios - como no hall, é claro - e veio um som
de alegria e o chocalho de chifres de beber; ouvir atentamente, o homem podia distinguir vozes licitação Thorstein e seus
companheiros bem-vindos, e convidando-o a sentar-se no trono oposto seu pai. Este pastor nos traz uma mensagem de
um mundo cotidiano e um hábito diário de espírito, o que, mas para ele teria sido perdido sem deixar rasto. Ele nos dá, ao
mesmo tempo os meios de compreender o que é que faz com que os einheries essas figuras poderosas, e as histórias de
sua vida com mitos Odin em vez de poesia. Mas por outro lado, é fácil ver por que a crença em Valhal veio a ser algo
totalmente diferente de suas instalações. A fé confiante tornou-se consciente de si mesmo. Antes da alegria dos
guerreiros

320

no combate e beber no corredor da morte - mandream -Pode-se um maior prazer da vida, não tinha que vir um reflexo em
que o valor da vida, foi solto da própria vida, e considerado independente. A atitude undismayed para a morte sofreu o
mesmo processo que honra e fama póstuma; de serem realidades, eles se tornaram valores ideais, e terminou como
qualidades de um virtuoso.

E agora, por outro lado, tocando lamento de Helgi para o que perdeu! A cena pertence sim para germânicas Idade Média
que a antiguidade nórdica, podemos razoavelmente dizer. sentimento do herói, sua morada melancólica sobre sua perda
e saudade é mediæval em seu tom. Mas a melancolia é, contudo, garantido no pensamento do antigo regime. O
elemento moderno reside no fato de que o contraste entre quebras passadas e presentes para fora em um modo lírico. O
contraste não vem com o poeta Helgi, mas assume um novo aspecto, porque os homens se tornam conscientes de si
mesmos e seus sentimentos. Não podemos descartar o contraste completo, organizando as histórias em perspectivas
históricas. Na realidade, a mais brilhante ea vista mais escura do estado após a morte não são tão afastados que eles
podem enfrentar um ao outro na hostilidade; complementam um ao outro, eles se revezar a sobrepor-se uns aos outros.
A dificuldade que sentimos não reside nas respostas, mas na questão. É natural para nós para colocar o problema em
geral: é a morte uma benção ou uma calamidade? vai morte melhorar a condição de um homem ou não? e nós transferir
o nosso problema para a discussão dos povos primitivos e antigos e sua “visão da morte”. Os teutões não tinha solução
sempre válida permanente, porque não tinha problema eterna; a morte é para eles apenas uma variedade de vida
depende das forças que agem à luz do sol. O homem morto vive em seus parentes, em todos os sentidos da palavra: a
sua sorte é incorporado em quem ele sobreviver, ea vida que leva no túmulo e no bairro da sepultura tem agora como
antigamente sua origem na sorte de parentes. Isso significa uma diferença, certamente,

321

em um círculo de inimigos golpeado para baixo, com cujo sangue quente ele aspergiu a si mesmo, e cuja honra que ele tem
usado como alimento para o seu próprio. Mas quando tudo estiver dito e feito, o herói que leva uma série de inimigos com ele
para a sepultura não pode-se determinar se ele está a desfrutar de sua riqueza. Seu poder de utilizar a abundância ganhou
depende de quão longe os parentes sobreviventes pode assimilar o excedente e salvá-lo de apodrecer em estagnação.
Um homem, então, morreu como seu poder de vida permitiu-lhe. O grande homem de sorte deslizou com uma pequena colisão através
do recife, e navegou por diante. Inferiores, gente pobre, pode se encontram presos, a afundar e desaparecer. Ele, que tinha muita gente
de alma poderia, de acordo com cálculos humanos, vive para sempre; os pobres de alma estava em perigo ferida de usar o seu estoque
neste mundo.

A fé na sorte correndo no clã pode levar a uma organização de classe, logo que as circunstâncias externas dirigir a tendência humana
para tirar conclusões para um sistema social. Os homens orgulhosos de sorte encontrar a unidade em um sentimento comum de
parentesco na vida, os tipos mais baixos juntar-se, ou são jogados juntos, em uma classe média espiritual, ea meio caminho entre os
dois não podem talvez surgir uma propriedade tampão de nobreza intermediário, visando cima , mas movendo-se inevitavelmente
para baixo. E com esta organização de classe segue uma distribuição justa da vida aqui e no futuro a vida tanto para alta e baixa, em
estreita concordância com as qualificações de nascimento. Ao longo desta estrada é possível chegar a uma firme do sistema e clara
como a que obteve entre alguns dos Islanders dos Mares do Sul, antes de democracia europeia entrou em cena e em ruínas

isto. Entre os ilhéus Tonga, imortalidade cessado a meio caminho entre as primeira e terceira ordens de classificação; ou
seja: a primeira classe, as famílias dos comandantes, seria plenamente o direito à vida no submundo; A segunda classe de
vida depois da morte dependeria de uma espécie de nobreza pessoal, no caso do homem chefe de uma família no serviço
real na corte, com sucessão de carência no filho mais velho após a morte do pai - quase na moda Inglês. Nossos estados de
autoridade, é verdade, que entre os excluídos houve alguns que preferiram a incerteza de confiar em si mesmos para a
exclusão segura e ordenada; o sistema antigo, então, não foi totalmente superada.

322

O Northmen nunca alcançou a um sistema de imortalidade dispostos em tais linhas bonitas. Encontramos aqui e ali uma
classe-formação incipiente, como por exemplo, quando certas leis definir uma escala de multas por homicídio culposo, de
acordo com a posição social dos feridos; os chefes talvez pudesse ser chamados de homens de descendência piedosa,
mas a grande seria ainda quase qualquer lugar chegaram ao ponto de ocupar sua posição em virtude de pertencer a uma
categoria. E o processo de desenvolvimento certamente tinha nenhum lugar avançou para a fase de estabelecer o
controle estatal e regulamentação da vida futura, quando que o desenvolvimento em si terminou abruptamente. O atual
arranjo em tempos Viking de salas régias para os homens mortos sob os braços, para homens afogados, para perfilhos
honestos de solo, tem suas raízes na crença popular: foi dado como certo que os homens na vida futura iria encontrar um
outro, beber e julgar uns com os outros, e não tinha perdido a necessidade de formas definidas e reconhecidas costume
que tinha regulamentou as reuniões na lei-coisa; mas a idéia de um reino para os mortos nunca foi além da imaginação
dos poetas disparados pelo contato com a escatologia cristã. Cada um tinha para organizar o seu próprio futuro, e
receberia a seguir de acordo com seus meios e poder, enquanto aqui. Ele ainda tinha que depender da sorte do clã. O rei
viveu uma vida real em seu carrinho de mão; sorte delgado do trabalhador diarista a, provavelmente, mas apenas
aproveitar para ganhar-lhe algum pequeno espaço de existência sombria na sepultura. De todos nós podemos aprender
dos pensamentos da vida cotidiana no Norte, cada clã tinha seus próprios Hades privadas;

O rei senta-se como um rei em seu túmulo, e governa com toda a probabilidade, como rei de lá, assim como na vida, ele estava
sentado em sua sala e em virtude de seus parentes governado a partir de lá, ao mesmo tempo, deixando seu ato clan-luck sobre os
vizinhos sobre ele. Ele é rei na morte em virtude do que ele é, não do que ele era. E o que ele é depende inteiramente da atividade
de seus parentes.
CAPÍTULO XIII

O NIDING

A morte não era perigoso - para aqueles que tinham algo para viver.

Morte realizada mais possibilidades do que jamais pode abraçar conosco; que abriu perspectivas de bem-estar amplo, bem como todos os possíveis grau de física
e pobreza espiritual, ele abriu a vista do poder como da extinção total. Em face de modo arbitrário um mestre que se poderia pensar que haveria espaço para
muitos tipos de sentimento, para a mais ousada confiança como para o mais miserável das Lamentações; mas toda a evidência vai mostrar que as flutuações não
eram grandes, e temos plena autoridade para falar de serenidade em face da morte como uma marca da cultura germânica. Não há nada que sugira que o
sentimento nunca afundou abaixo dos levando as coisas desapaixonados como eles vêm. Em todos os monumentos preservados existe, até onde eu sei, nenhum
traço de medo com a mudança, e menos ainda qualquer grito de horror. A partir da equanimidade da atitude germânica, onde a vida ea morte pesam de modo
quase igual que uma transposição dificilmente pode trazer qualquer abalo violento da alma, não é, então, muito longe a temer, ou melhor Illwill para a grande
mudança que se destaca de modo grosseiramente entre muitos outros povos, uma falta de vontade para a morte como algo não natural, uma coisa só pode ser
explicado como resultante de dolo por parte de outros seres humanos ou espirituais. Em um exame mais atento, no entanto, não é, afinal, uma relação mais
próxima entre os dois modos de encarar a morte do que parece à primeira vista. Eles podem afinal ser rastreada até a mesma alma estrato. O mais contente do
negrito admitir para os miseráveis ou melhor Illwill para a grande mudança que se destaca de modo grosseiramente entre muitos outros povos, uma falta de
vontade para a morte como algo não natural, uma coisa só pode ser explicado como resultante de dolo por parte de outros seres humanos ou espirituais. Em um
exame mais atento, no entanto, não é, afinal, uma relação mais próxima entre os dois modos de encarar a morte do que parece à primeira vista. Eles podem afinal
ser rastreada até a mesma alma estrato. O mais contente do negrito admitir para os miseráveis ou melhor Illwill para a grande mudança que se destaca de modo
grosseiramente entre muitos outros povos, uma falta de vontade para a morte como algo não natural, uma coisa só pode ser explicado como resultante de dolo por
parte de outros seres humanos ou espirituais. Em um exame mais atento, no entanto, não é, afinal, uma relação mais próxima entre os dois modos de encarar a
morte do que parece à primeira vista. Eles podem afinal ser rastreada até a mesma alma estrato. O mais contente do negrito admitir para os miseráveis não é, afinal, uma relação mais próxima entr

324

que correm sobre a tremer por suas vidas, que a transição real de um estado para o outro envolve um certo risco.

A antiga língua tem uma palavra especial para o homem que tem o germe da morte já nele, aquele a quem a morte já
tocou: ele é chamado de “enigmático” (Anglo-saxão fæge, islandês
feigr). Um homem Fey não faz um bom companheiro; não há nenhuma sorte em ele. Tal pessoa é conhecida, de fato, pelo fato de que seus conselhos virar errado,
sua sagacidade falha, ele não pode nem mesmo fazer uso da sabedoria dos outros. Quando os inimigos de Njal montou-se à vista de sua casa, o velho ordenou a
seus filhos e seus seguidores dentro de casa. Skarphedin, que não gostava de ser trancado em um edifício inflamável em vez de lutar em campo aberto, balança a
cabeça para a demanda de seu pai: “Nosso pai está marcado para morrer agora” parece-lhe, e ele acrescenta resignadamente: “eu ainda . pode muito bem humor
meu pai neste por ser dentro de casa com ele, porque eu não tenho medo da minha morte”para isso pode vir mesmo um tão sábio em conselho, de modo
clarividente, aquele cuja desenvoltura nunca deixou antes; a morte se aproximando de modo escurece seus olhos que ele não pode prever a casa fosse disparado
sobre sua cabeça. No capítulo anterior foi dito como a mulher orgulhosa Thurid, a Grande viúva, trouxe uma vingança improvável sobre os assassinos de um
parente de seu marido; seus esquemas profundas foram apressou-se pela cegueira colossal de seu adversário, Sigurd; ele teria seu irmão Thord casar com ela,
apesar de todos os escrúpulos, e ele iria visitá-la, apesar de todas as representações urgentes. “Você deve ser Fey, que se apressar em como essa”, diz Thord
resignado. O personagem estranha de feydom também é claramente evidente na estreita relação que tem com Outlawry as duas palavras são muitas vezes
classificadas em conjunto. Assim Fey vem naturalmente para significar infeliz, inútil e covarde - de fato: luckless. seus esquemas profundas foram apressou-se
pela cegueira colossal de seu adversário, Sigurd; ele teria seu irmão Thord casar com ela, apesar de todos os escrúpulos, e ele iria visitá-la, apesar de todas as
representações urgentes. “Você deve ser Fey, que se apressar em como essa”, diz Thord resignado. O personagem estranha de feydom também é claramente
evidente na estreita relação que tem com Outlawry as duas palavras são muitas vezes classificadas em conjunto. Assim Fey vem naturalmente para significar
infeliz, inútil e covarde - de fato: luckless. seus esquemas profundas foram apressou-se pela cegueira colossal de seu adversário, Sigurd; ele teria seu irmão Thord
casar com ela, apesar de todos os escrúpulos, e ele iria visitá-la, apesar de todas as representações urgentes. “Você deve ser Fey, que se apressar em como
essa”, diz Thord resignado. O personagem estranha de feydom também é claramente evidente na estreita relação que tem com Outlawry as duas palavras são muitas vezes classificadas em conju
A morte é sério, isso os homens do norte nos dão claramente a entender. E até mesmo a alegria no arvel, ou festa de
sucessão, é em si mesma evidência de perigo próximo. O momento da morte equivale a uma crise, o que pode levar a piores
resultados, a menos que ser tomadas as devidas precauções. Todos aqueles que se juntaram em Frith com o suporte partiu
prestes a ponto de infortúnio. Desprezo da morte é baseada única e exclusivamente sobre o fato de ter tudo

325

medidas para garantia em seu poder. O escarnecedor da morte é de uma só com ele que teme-lo em relação a própria morte
como uma irrupção na sorte, uma ofensa contra a vida, que deve ser reparado o mais rápido possível. E quando não há
ninguém que pode ser chamado a prestar contas, pode acontecer que o medo toma a forma de fúria, até mesmo ao ponto de
se apressar contra o invisível. O canto fúnebre de Egil contém uma confissão comovente que o terror está apenas fora da porta
e pode a qualquer momento fazer-se sentir como o superior.

Em casos normais, a morte significa um encalhe de vida, e se o indivíduo acometido pela mudança, bem como seus
parentes, deve ficar à tona novamente e navegar sem danos, deve haver reparação de algum tipo ou de outro, para remover
os germes de unluck. Se fosse uma morte que chamou de vingança, ea vingança não foram tomadas, então o futuro
apareceu escuro para o partido.

A terrível ameaça à espreita na morte se manifesta na história de Hjorleif, que foi assassinado por seus próprios escravos, pouco depois de ter resolvido na
Islândia. O jovem norueguês que desembarcou na Islândia juntamente com seu irmão de criação Ingolf, poderia reivindicar a ser contada entre os grandes
homens de sorte. Ele era descendente de uma família de alta posição, e tinha-se aumentado a sua herança de honra por expedições anuais ao longo de sua
juventude. Imediatamente após o desembarque na nova casa que ele construiu para si uma casa e lá permaneceu em silêncio durante o inverno; mas no início
da primavera começou a cultivar a terra, e tenham apenas um boi, ele colocou seus escravos irlandeses para puxar o arado. Eles cansado do trabalho, e matou
o boi, a fim de atrair seu mestre afastado na perseguição do urso deveria estar rondando o local. Enquanto ele estava sozinho na floresta que caiu sobre ele eo
matou, e seu corpo foi deixado deitado na aberto até Ingolf veio e fez um túmulo para ele na primavera. “Destino miserável de um homem corajoso, que os
escravos deveriam ser sua ruína;” este lamento de Ingolf do diz-nos que uma grande desgraça que aconteceu, mas se o escritor saga tinha deixado o assunto
aqui, nossa suposição de longo alcance mais distante dificilmente teria atingido o extensão da dor que pesava sobre Ingolf. A terra estava desolada quando
Ingolf encontrou, os escravos tendo nossa suposição de longo alcance mais distante dificilmente teria atingido a extensão da dor que pesava sobre Ingolf. A
terra estava desolada quando Ingolf encontrou, os escravos tendo nossa suposição de longo alcance mais distante dificilmente teria atingido a extensão da dor
que pesava sobre Ingolf. A terra estava desolada quando Ingolf encontrou, os escravos tendo

326

fugiu depois de cometer o crime, e desolado permaneceu por um tempo muito longo, por Hjorleif tornou-se um duende do
mal assombra o bairro e torná-lo inseguro - unheore - de modo que ninguém poderia morar lá.

Pode ser, então, que em nosso perguntar após a morte, não toquei o verdadeiro objetivo, ao utilizar a palavra morte em nosso
próprio senso, como implicando o silêncio do coração. Nós só chegaram a possibilidade de morte, e não a própria morte. Para
existir em um clã significava ter uma participação em uma vida individual, com sua soma de diversão e atividade; ea posse
comum da vida, portanto, não foi quebrado pela conclusão da sua existência a esta luz, se o homem morto deixou parentes atrás
dele para manter sua honra e manter a conexão com todos os seus companheiros, tanto aqueles que estão aqui e aqueles em
outros lugares. Mas a comunhão poderia separar. O isolamento do niding era uma coisa que alugar a artéria vital em dois e
arrancadas toda a esperança; e olhando agora, nós podemos
discernir o suficiente do medo da morte entre os nossos antepassados, o suficiente de que o terror estéril da morte que
sufoca tudo o que há de nobreza no homem e deixa apenas o grito de pânico da besta nele, ou talvez brutaliza-lo além da
besta.

O niding é aquele que justamente deve ter o nome do morto, pois ele é o exato oposto do ser humano vivo. Em sua vida, o
hamingja humano transforma seu avesso. Suas armas não têm nenhuma mordida. Seu navio pode nunca encontrar um
vento. A corrente de poder que deu sucesso ao cultivo do solo pára: seus campos queimar seca, o gado cair morto.

Nos maldições sobre aqueles que pecaram contra a vida, encontramos a imagem da niding claramente traduzida. “Deixe o navio
nunca mais passo que avanços sob você, mesmo que o vento sopra almejada por trás. Que o cavalo não executar que é
executado em você, mesmo que você estar fugindo salto em salto antes de seus inimigos. Que a espada você desenhar Nunca
morda, salvar quando ele desce rapidamente em sua própria cabeça.”Assim Sigrun diz a seu irmão Dag, quando ele matou seu
cunhado.

A dedicação correspondente à “vida” de um niding é encontrado disfarçado no primeiro livro de Saxo, onde a maldição
é invocada

327

sobre Hading por uma mulher, depois que ele “com muitos traços havia matado um animal de espécie desconhecida”: “Se você
caminhar a pé ao longo da vela mão ou de elevação no mar, o ódio dos deuses deve segui-lo, e em todos os lugares que você deve
ver os elementos se opõem a seu objetivo. Em terra o seu pé tropeçarão, no mar você que ele deve caiu sobre; uma tempestade
eterna uivareis sobre você onde ir, e nunca terá o degelo de gelo de suas velas. No telhado deve dar-lhe abrigo - se você rastejar sob
o mesmo, ela cairá antes do vendaval. Seu rebanho perecerá de congelamento. Todas as coisas devem desaparecer e lamentar que
a sua respiração tocou-los. Você deve ser evitado como um atingidas com a praga, - no homem doente deve ser mais falta do que
você “.

A história, tal como está aqui, não está claro para nós; possivelmente, o fato era que Hading e da besta, ou mais
provavelmente a sociedade e a besta, tinha obrigações mútuas; de Hading “unluck” consistiria, então, em seu ter, voluntária
ou involuntariamente, quebrado em cima de algo inviolável, sobre a qual a vida eo bem-estar naquela terra dependia. Em
todo o caso, a descrição dos efeitos da escritura dar como boa uma caracterização da maldição externa de vilania como
poderia ser dada: sorte na batalha, na indústria, sorte do vento, todos se foram. Tudo o que o homem toca cai aos pedaços,
no lugar da vida, morte sai dele.

Os planos da niding são fúteis. Mesmo que eles aparecem som e sábio o suficiente, e aparentemente colocada com toda a
malícia, toda a tensão saiu deles. Ele vai provar no caso em que a despeito de todo cálculo humano que, como suas armas,
contra-atacar em seu próprio rosto, em vez de para a frente. Esta realidade da morte espiritual farpas o ponto de tal maldição
que a velha chama para baixo em cima Grettir em sua proscrição: “Aqui eu declarar sobre você que você será abandonado por
sorte, da fortuna e da bênção e toda a força da guarda e sagacidade, a mais por todo o seu tempo de vida.” 'Quando Grettir
inicia-se com as palavras como se picado por uma serpente, não é tanto porque ele sabe que se pode esperar todos os tipos de
artes de tal uma bruxa-mulher, mas sim porque ela, com uma visão diabólica, golpeia com suas palavras poderosas em seu
ponto vulnerável, e com uma picada venenosa, paralisa sua resistência contra todos bruxaria. Ela começa por
328

resumindo bastante sobriamente seu estado atual: “Esses homens (Grettir e seu irmão) pode ainda ser infeliz em sua ousadia;
aqui bons termos são oferecidos, mas eles empurrou-los de lado, e nada leva mais certamente para o mal do que ser incapaz
de aceitar bom “Aproximadamente traduzida em discurso moderno:“. Você pode ver o que está acontecendo com ele; ele está
fora de si, ele é marcado.”Aqui ela atinge o fora da lei, a sociedade de homem declarou um niding, e tudo o que ela precisa
agora de fazer é deixar as palavras fixos na ferida e deixá-los ato de si mesmos. Quando em um jovem saga lemos que um
certo bandido viu tudo com antecedência, mas não podia fazer nada por ela, esta é apenas uma nova prova de quão
instintivamente certeza um dos homens compreensivos tinha na Islândia do que foi proferida: a sentença contém o negativo
para a sorte orgulhoso dos filhos de Ingimund.

Para os olhos do niding, todas as coisas são envolto em uma névoa. Ele não sabe o que virá das suas ações. Seus atos não
são cobrados com o poder sorte de vontade que os guia para o seu objetivo. A marca da nìding é que, com ele, ousadia e sorte,
poder e sucesso não caminham juntos. Quando um homem perde o equilíbrio e está a ponto de escorregar da vida humana, o
seu habitus moral é apropriadamente expressa nas palavras: “Ele era corajoso o suficiente, mas nenhum homem de sorte.”

Mas a fenda na niding é ainda mais profundo, ele quebra a alma, para que a vontade e hugr não pode alcançar o outro.
Lemos em uma saga islandesa de um bandido que se poderia dizer: “Vai contra a minha vontade de partilhar em
pilhagens e danos com esses maus cumpridores” - e ainda assim ele ficou com eles. A fonte de sorte é seca-se
completamente. O niding não tem poder sobre si mesmo. Ele não tem honra, e assim todo o julgamento moral é nula. Ele
torna-se um covarde, e ele cresce malicioso. Tudo o que um homem honesto evita será hábito e costume a um niding;
para quebrar juramentos e promessas, para matar mulheres e desarmado, para assassinar em melancolia e escuro, a
trair aqueles que confiam nele, para violar Frith. Ele não tem Frith. Todos são seus inimigos. Sua amizade é como a dos
lobos, que são executados em bandas juntos, mas rasgar uns aos outros em tempos de necessidade.

329

distinção entre o homem proscrito e animais fora da lei, a posição assim: “homem Friendless, azarado leva lobos para seus
companheiros, os animais traiçoeiros, muitas vezes seu companheiro rasga-lo em pedaços. Ele enterra mortos em si e uivos com
fome. Ele envia-se nenhuma queixa, nenhum choro de aflição sobre a morte, o lobo cinzento; nay, sempre que desejar mais “Ou,
como nós encontramos no Velho islandês com ênfase ainda mais acentuada da falta de sentimento Frith:“. Será que somos para
nós mesmos suportar como lobos, discutindo uns com os outros, como os cães dos norns, os glutões, gerada de resíduos de
largura?”

O niding hacks sobre ele em uma fúria cega de destruição. registros suecos velhos de julgamentos mostrar-lhe ainda em todo o
seu horror como a besta etos-abandonado ele é, quando ele atira sua saliva em cheio no rosto do Deus vivo, jura como se tivesse
todos os demônios em sua chamada, e os desafios todos sem acepção de pessoas. Houve um desses em um momento que
forçou um padre para dar-lhe cerveja e partiu ao adro da igreja com a caneca, para beber a todos os demônios que ele poderia
nomear, e oferecer para combatê-los. Ele está relacionado de outro que, quando capturado, ele admitiu livremente todos os seus
mis-obras, e só foi atormentado pelo pensamento de todo o mal não confirmadas que agora ele estava impedido de realizar; se
ele só poderia ter conseguido ganhar sua liberdade por uma única semana, para organizar as coisas de modo que ele tinha algo a
morrer com, ele teria sido conteúdo. Tal loucura do mal é o estado do velho fora da lei; e, apesar de seus sintomas entre os
camponeses de Smaland nos séculos 17-18 pode ser regulada por um pouco de outras condições - Christian se nós gostamos de
chamá-los assim - a, natureza da loucura ainda permanece inalterado.
Comparado com o desespero congelado desta unheore niding horror, os bandidos islandeses parecem quase pálido. Como é
natural, mas, uma saga não é escrita sobre uma amostra de refugo humano; nenhum patos é para ser extraído da vileness e
destreza bestial; o pathos da vida em si é, como os registros de julgamentos dizer claramente, muito difícil para qualquer
idealização para trabalhar nele. As histórias de ladrões islandeses têm origem em sentimentos de parentesco e amizade,
representando, ou glorificar, o elemento humano na pária, e aproximando-se cada vez mais o tipo moderno de

330

lendas bandido, em que a exceção reivindica um certo romance pura e simplesmente em virtude de sua posição
excepcional.

O maior, em seguida, é o efeito sobre o leitor da descoberta de que os narrators não podes
limpar seus heróis da marca de Cain! Tão profundamente enraizado é o sentimento que a transição para o estado de
outlawry é uma alteração de caráter, que os islandeses, mesmo nos dias de arte românticas epigon, não pode segurar um
personagem inalterada através de sua passagem além do limite. Sem Norseman saudável se comporta como Gunnar de
Hlidarendi quando foi sobre a Islândia como um bandido que tinha quebrado suas próprias promessas: ele aceita o convite
Olaf do pavão em busca de segurança em sua herdade, e quando chegar a hora, ele permanece em casa, simplesmente
porque ele falta a vontade de ir; ou, expresso em termos de história literária, nenhum contador de histórias pensaria em
atribuir a um homem de sorte a instabilidade que era característica do niding. E um herói popular, admirada como Grettir
perde eticamente - no velho sentido da palavra, é claro - no curso de sua ilegalidade. Na luz de embelezamento simpatia, o
elemento trágica só aparece mais amargo, quando um homem inicia roubo base e vilania com um misto em que os dois
componentes: auto-escárnio e reconhecimento da inutilidade da resistência, acentuam o outro.

Auto-afirmação só é encontrada onde a sorte é, onde existe uma honra lutar, e onde a luta leva a um aumento de honra.
Com a niding, que vive, mas uma ficção da vida humana, batalha e defesa são apenas uma mordida cego e tirando e
rosnando como de um animal, ou melhor, a partir de certos animais, os animais niding. Quanto mais se afadiga, maior
desonra que ele traz sobre si. Nem mesmo o último recurso aberto a qualquer homem vivo, de ganhar honra no desafio
com a sua morte, está aqui disponível; não há honra suficiente nele para fazê-lo digno de vingança. Para matá-lo é
simplesmente colocando-o fora do prejuízo.

Sem Frith e sem alegria - aqui nós temos o final da saga do niding; estes dois “withouts” consertar o abismo entre
parentesco e nidinghood. Sem a vida que consiste no sentimento de parentesco, na lembrança tácita da história de
Kin-sorte em si mesmo e de parentes, na fé do orgulho da família no futuro,

331

ninguém pode ter os sinais de vida: o bem-estar de conversar quando esticada no banco, ea metade de desprezo, meio
regozijando-se gargalhadas, produzido, aparentemente, pelo simples movimento, quando um homem “orgulhoso de sua força”
irrompe a correr. Um homem não pode encher os pulmões de uma gargalhada quando as artérias fechar suas válvulas. No
niding, a artéria vital é rompida e, portanto, todo o poder de alegria rapidamente se esvai.
Morte, justamente considerado, significa um estado sem sorte. Devemos lembrar que a palavra é para ser tomado absolutamente,
de modo que não há espaço para estados intermediários eo pensamento de uma forma de transição não pode encontrar um
caminho. Os homens pobres de baixo grau tinha, mas uma sorte muito fino, de modo fino que visto de cima talvez fosse invisível
por completo, mas nenhum poderia ser chamado de um homem de unluck enquanto ele possuía casa e casa e parentes, e ainda
sentia-se como o defensor da honra. Como má um homem pode ser sem cair fora da humanidade eu não sei; a fronteira estava,
provavelmente, agora maior, agora mais baixo, de acordo com o estado de coisas na sociedade. Mas mesmo o mosto muito mais
pobre, tão certo como eles estavam vivos, possuem uma sorte em que viviam, e que eles cultivada com intensidade religiosa.
Nem mesmo escravos pode ser tomado como uma espécie de forma de transição, pois eles são total e completamente fora de
todas as formas de sorte. Eles não têm vida em si mesmos, mas são inspirados pelo poder do seu proprietário, e manter-se em
equilíbrio, enquanto ele é sofrido para agir através deles. Não há nenhum outro estado intermediário, mas aquela em que os
jovens encontraram-se no tempo decorrido entre a morte de seu pai ea tomada de vingança; um período em que eles foram sobre
como sombras, em todo o ghastliness de uma vida sombra, fazendo círculos largos para evitar qualquer reunião de homens. A
transição, que com a firmeza ea inevitabilidade do tempo se completa apenas por ser deixado a si mesmo, é o único estado
intermediário entre a sorte e unluck.

Nas línguas modernas, o infortúnio tem algo de positivo sobre ele. Nossa civilização tem imbuído calamidade com uma espécie de
nobreza, ou pelo menos vestida com um pathos sentimental. Mas, em tempos antigos, unluck, ou infelicidade, como os islandeses
chamam

332

-lo, foi totalmente mal, um desnudamento, e um negativo onde todos idealidade afundou através sem encontrar
posição. O medo da morte consiste em sua humanidade aniquilador e definindo outra coisa em seu lugar. O niding não
é um mero nada que se pode atravessar incólume, como um corta um espírito. Para a mente germânica ele era
abominável, o mais desprezível de todos os seres, mas ele era ainda mais temido do que abominava.

poderes poderosos são soltos nele. Ele não podia domá-los se ele faria. Mas ele não vai. Aquele que é desprovido de
honra não tem vontade no sentido humano; mas, em seguida, há um outro tipo de vontade, ou melhor, um impulso, que o
segura e rege-lo. Nossos antepassados ​encontraram o oposto de não excederá, em negligência e falta de força de
vontade, mas de algo que deve sim ser chamado de feitiçaria, o sentido, a maldade louco que é acompanhado por
misteriosos poderes do mal. Sabemos das sagas que uma atmosfera de medo environed esses assistentes reais e
bruxas; e sabemos que o elemento diabólico neles não estava em tais artes simples como a de agir à distância, enviando
a sua vontade através do ar, mudando sua forma e viajando através do tempo, bem como espaço. Se suas ações e
movimentos são externamente mais ou menos semelhantes aos dos seres humanos é realmente irrelevante, porque eles
invariavelmente ocorrem em outras dimensões do que o ser humano, e são inspirados por outros e alienígenas motivos. A
principal característica do assistente é o aimlessness mal que marca todo o seu modo de ação, em contraste com o
homem que está consciente de seu objetivo em tudo o que faz, seja para o bem ou para o mal. armas de um homem pode
de fato ter a particularidade de que nenhuma ferida deles pode curar; mas é a sorte que lhe dá o poder, e sorte pode ser
adquirida a partir do sangue do proprietário, quando ele é morto por vingança. Um assistente, por outro lado, tem veneno
da alma, tanto em sua mão e em suas armas, e seu sangue é uma peste que se deve tomar cuidado de tocar com as
mãos ou as roupas de um.
333

todos os espectadores. Ele pode ser exterminados, mas venenosa como ele é, a sua destruição deve ser preparado e
realizado com o maior cuidado, para que se possa ir para casa depois com a garantia de que nenhum de seu veneno foi
deixado em um de roupas, e que ele é completamente apagado da face da terra. Homens tentam queimá-lo a pó, a
empilhar um monte de pedras em cima dele, transfix-lo com uma estaca no chão, ou afogá-lo longe da terra -no medida de
precaução é muito grande.

O medo do assistente, a natureza do ódio, a vontade de tê-lo exterminados - todos estes são aplicáveis ​ao niding. Os
camponeses ainda mantiveram o seu medo dos vagabundos misteriosos no mundo humano, cuja simples presença traz
infortúnio. Quando um ladrão, um assassino, uma prostituta, uma bruxa, ou seja, na língua antiga, nidings, olhar para o peito
nu de uma criança, a criança vai cair em um declínio; ou, ainda mais perto do velho modo de pensamento, se uma prostituta
atacar um homem, ele nunca vai depois ser capaz de se defender contra um inimigo; tudo o que está nele é envenenado pela
praga. A maldição de Hading não reside apenas no fato de que onde quer que vá ele carrega com ele a desgraça que cai
sobre os outros por engano, - ele simplesmente exala peste. A infecciosidade do niding é a realidade da vida por trás da lei' s
anátema do criminoso. Nenhum pode ter relações sexuais com ele, sentar ou dormir na mesma casa com ele, e esta proibição
decorre do fato mais profundo que as pessoas não permitirá que sua empresa para envenenar o seu pão e lugar para dormir.

A marca distintiva da niding é que nunca se sabe o que vai fazer; nele aparece a mesma insegurança que imprime a
caráter demoníaco do gigante. Nada nele, nada sobre ele é o que parece, mas sempre algo mais. Fora da lei, ou o
disjuntor da paz, e unheore são palavras que sugerem um ao outro quando as pessoas falam. Quando o poeta
anglosaxon trata de descrever o destino de Ismael, que era o adversário de seus parentes, ele o chama unheore e
batalha-selvagem. O homem de unluck é considerado com a mesma mistura de ódio, desprezo e horror como os
verdadeiros gigantes da Utgard, por nenhuma outra razão do que ele pertence à série de monstros. Um essencial

334

mudança ocorreu nele; o sangue saudável secou-se, e fluidos perigosos tomaram seu lugar; veneno em vez de
sangue flui em suas veias, como acontece com os gigantes.

Ela está relacionada de um homem forte chamado Thorstein Oxfoot, que ele teve uma briga feia com uma giganta, e após esse
tempo ele era um pouco estranho, com um toque de algo estranho sobre ele. O narrador deixa uma questão aberta se seu
infortúnio se levantou do seu ter engolido um pouco de sua saliva durante a luta, ou se era uma doença que data desde os
primeiros dias, quando foi realizada a perecer como uma criança. É interessante notar que o estado de uma criança que não
tenha sido regularmente nascido em uma clã é colocado em uma linha com os poderes que estão no exterior no mundo da
noite.

Utgard, em seguida, é não só um poder de pé sem e pressionando sobre a vida humana; ele empurra-se em casa e casa,
se os homens não for cuidadoso. Não é de admirar que a luta contra uma coisa tão horrível deve ser feito com a maior
força. Se o maligno ser um rei, então tanto o maior perigo para o seu entorno para que minta no centro de sorte como
uma venenosa
verme remoendo o tesouro dos reis. É uma questão que afeta toda quando a sua sorte é dissolvido, e - como se lê na
maldição de Busla sobre o rei Hring - “montanhas cambalear, o mundo está perturbado, o tempo fica doente, e essas
coisas acontecem que não deveria.” Para evitar ser sufocada na respiração que sai dele, e vendo todas as posses
murchas na geada e rime e esterilidade, não há outro caminho, mas a apagar-lo da terra. E ele estava realmente
devastado pelas raízes.

CAPÍTULO XIV

O reino dos mortos INFELIZ

No exército de mortos, então, encontramos tudo em quem a vida é achado em falta. Há aqueles que são luckless por natureza -
aleijados, covardes e tolos para o primeiro essencial da sorte foi um corpo sadio e inteligência sãs. Mesmo nos tempos modernos, os
camponeses do norte ter sido inclinado a colocar o deformado na mesma classe de mau agouro como ladrões e assassinos honourless;
e quando em tempos de cuidados antigamente foi tomada como medida do possível, para evitar a entrada de tais seres miseráveis ​em
existência em tudo, era porque qualquer falta do caráter humano externo completo foi considerado como um crime, e não como uma
desgraça no moderno sentido. Outros ainda, nasceram sorte, e, em seguida, um belo dia antes que eles estavam cientes, veio o gigante
empurrando a cabeça para cima no meio da sua sorte. Morte poderia saltar de repente, para que o homem sem aviso sentiu sua alma
separar. A derrota foi perigo suficiente. Se o homem forte conheceu um forte, que o levou de repente fora da terra e sorte, então ele
afundou, com certeza e além da ajuda, para a propriedade base de uma niding, gradualmente perdendo tanto vontade e poder de
afirmar-se. Entre o derrotado e capturado, toda a nobreza foi forçado a sair por temor servil e inatividade. Há uma força da realidade nas
palavras de Fafnir quando ele lembra Sigurd que seu pai caiu vingados, e que sua mãe tinha sido levado como escravo: “Se você
tivesse crescido no círculo de parentes, pode-se vê-lo em golpes poderosos; Agora, você é um escravo e um cativo, e os homens
sabem que um em títulos está sempre tremendo.” gradualmente perdendo tanto vontade e poder de afirmar-se. Entre o derrotado e
capturado, toda a nobreza foi forçado a sair por temor servil e inatividade. Há uma força da realidade nas palavras de Fafnir quando ele
lembra Sigurd que seu pai caiu vingados, e que sua mãe tinha sido levado como escravo: “Se você tivesse crescido no círculo de
parentes, pode-se vê-lo em golpes poderosos; Agora, você é um escravo e um cativo, e os homens sabem que um em títulos está
sempre tremendo.” gradualmente perdendo tanto vontade e poder de afirmar-se. Entre o derrotado e capturado, toda a nobreza foi forçado a sair por temor servil e
- Quando o poeta norueguês, preenchido com a convicção cristã da incerteza das coisas terrenas,

336

procura uma instância da vida mostrando a falsidade das riquezas, ele diz: “Eles não acreditavam, Unnar e Sævaldi, que a
sorte poderia falhar, mas eles tornou-se nu e desprovido de tudo”, e o pensamento de sua própria velocidade rasga-lo de
cabeça na linha concluindo: “e eles correram como lobos para a floresta.”

Dificilmente podemos admirar, então, na ânsia inquieta com a qual Earl Hakon os impulsos mais jovens de lado o
pensamento de infelicidade quando Olaf espiritualmente segue a sua vitória sobre ele, dizendo: “Não é mentira que você
parentes são homens bonitos, mas não há . um fim de sua sorte (hamingja)”‘não’, responde Hakon,“não, isso não é
unluck (unhamingja) que há de vir sobre nós, ele tem sido assim, que os chefes têm tomado a vitória por turnos; Estou
ainda quase não cresceu além anos da criança, e nós não estávamos preparados para ter que ficar na defesa; nós não
olhar para conflitos, e pode ainda acontecer que provar mais sorte outra vez.”A falta de ar febril destas palavras revela um
medo à espreita, que as experiências do
passado ter carimbado para dentro da alma. E, por outro lado, se o naufrágio de vida não eram tão inconfundível um fato, não
teria havido nenhum espaço para o paradoxo de que os homens, por vezes, perdeu sua liberdade e ainda parecia reter algo
de sua sorte. “Ela era empregada doméstica de lavagem da rainha - ou escrava - e ainda não completamente infeliz”, diz uma
versão nórdica referindo-se Alfhild, amante de Olaf e mãe de Magnus, o Bom.

Ou a queda pode vir furtivamente, como quando poderes e fortuna em alguma forma inexplicável secou, ​e um homem
sentiu seu salto e seu golpe cair já ampla de sua marca. Na descrição do Beowulf do rei Heremod sentimos a crescente
mal-estar do corpo-guarda, como eles vêem o dia niding careta por dia mostrando através dos recursos do príncipe: “Ele
não cresceu para a alegria do Scyldings, mas para abate e morte amarga para os dinamarqueses. Inchado com ira que
causou a ruína de seus placa-companheiros, seu ombro-companheiros, até que ele passou, o rei orgulhoso, solitário deste
mundo alegre. E ainda o poderoso Deus o ressuscitou alta acima de todos os homens e fortalecê-lo com poder e comando
feliz, mas em seu peito cresceu pensamentos de sangue feroz. Ele não deu anéis para seus Danes, como

337

era devido. Joyless ele esperou o momento em que ele reuniu a colheita de seus atos: a guerra de longa duração na terra “, - quando
ele, como ele é, na verdade, afirmou,‘caiu entre os gigantes’, a turba de Utgard, e terminou sua vida como um niding.

Da Islândia, temos, na saga Grettir, a história de uma esterilidade homem em quem cresceu desde os tempos primitivos. Ele era forte e perspicaz o suficiente para
toda a aparência, sem medo e ativa, mas seus conselhos e suas ações sempre ia além, para que os resultados se encolheu sobre si mesmo. Parece como se a
sua grande luta com o monstro Glam formou o início da sua unluck, e isso também é um bom pensamento de idade, que encontra naturalmente expressão na
maldição da criatura morrer, quando ele declara que de seu conquistador cada plano deve partir thenceforward recorrer a desgraça e desonra. Mas, mesmo antes
deste evento fatídico as marcas eram visíveis em Grettir. Existe um registro das palavras de seu tio falou antes do combate com o monstro: “Ela realmente é dito
que a sorte é uma coisa, rapidez outro”, e novamente: “Há homens que vêem um pouco à frente, mas não pode proteger contra o que vêem.” E muito mais cedo,
mesmo ainda, homens sábios, como Thorarin o Sábio tinha visto o suficiente para ter cuidado com o companheiro selvagem com sua força de ferro; quando seu
filho adotivo Bardi contratou a ajuda de Grettir por sua grande expedição de vingança, Thorarin protesta sinceramente: “É verdade, Grettir é um homem muito
além de outros, e as armas vai ser lento para morder-lhe se a sua sorte detém, mas eu tenho nenhuma fé em que a sorte; e fosse bem para você não ter apenas
homens de má sorte em sua seguinte.”E isso foi resolvido como Thorarin aconselhou. s ajuda para sua grande expedição de vingança, Thorarin protesta
sinceramente: “É verdade, Grettir é um homem muito além de outros, e as armas vai ser lento para morder-lhe se a sua sorte detém, mas eu não tenho fé em que
a sorte; e fosse bem para você não ter apenas homens de má sorte em sua seguinte.”E isso foi resolvido como Thorarin aconselhou. s ajuda para sua grande
expedição de vingança, Thorarin protesta sinceramente: “É verdade, Grettir é um homem muito além de outros, e as armas vai ser lento para morder-lhe se a sua
sorte detém, mas eu não tenho fé em que a sorte; e fosse bem para você não ter apenas homens de má sorte em sua seguinte.”E isso foi resolvido como Thorarin
aconselhou.

Como Glam havia profetizado, por isso surgiu. Quando Grettir uma vez, em um momento crítico, salvou a vida ea saúde de
seus companheiros por nadando para o continente da Noruega e trazendo de volta fogo para as rochas periféricas onde
eles estavam perto de perecer, ele trouxe, contra a sua vontade, uma desgraça que ele ganhou muitos inimigos amargos na
Islândia. Quando ele veio correndo para dentro da casa, coberto com gelo, as pessoas pensavam dele um monstro, e pôs
sobre com paus e marcas da lareira, para que ele mal conseguiu escapar com as brasas que havia tomado, mas as faíscas
tinham apanhado a palha sobre
338

o chão, e pela manhã nada restou do lugar, mas um monte de cinzas. E entre aqueles queimados até a morte dois filhos
de Thorir Skeggjason de Adaldal, um poderoso yeoman islandês. Grettir obtém a permissão do rei Olaf para limpar-se de
suspeitas pela provação de fogo, mas na realização do teste, o seu “unluck” foge com ele, e ele parece um menino que
troça dele, derrubando-o, e esta na casa de Deus. Mais uma vez a palavra melancolia é falado sobre ele: “Você é um
homem de dores de má sorte, Grettir, e não vai ser fácil de alterá-lo.” E agora ele deriva irresistivelmente em infinitas
outlawry, mais e mais para nidinghood, até que ele termina como a infeliz vítima de feitiçaria.

Esta exibição do crescimento de nidinghood em Grettir é um dos maiores e mais pungentes peças de evidência quanto ao poder
do medo mortal sobre as mentes dos homens. Um pode ir tão longe como para admirar o freebooter, mas não se podia arrancar
os pensamentos e palavras em que admiração devem ser vestidas para fora do solo profundo de tristeza estranha em que foram
enraizados.

Típico também, de modos norte do pensamento é a indisposição para parar em uma determinada ação como o ponto de partida
nidinghood; os homens se sentiram constrangidos remontar e encontrar os sintomas em atos anteriores. Assim, quando Sigurd
Slembi, o pretendente norueguês do século 12, veio para reivindicar a coroa para que ele se considerava único herdeiro após a
morte de seu irmão, sua ação azar ao mesmo tempo define o pensamento popular de seu nascimento: “Se você é realmente um
filho de Magnus e Thora, então o seu nascimento foi infeliz, e assim também caiu fora, se você tiver matado o seu irmão “é
verdade, o ato único, ou abster-se de ação -. um assassinato, o comportamento covarde, quebra de juramento, assassinato
impune, roubando - formar um começo absoluto, dando origem a nidinghood na vida da pessoa em causa; é a fonte de sua
unluck, como os homens dizem na Noruega. O Northman iria entender completamente, e concordo plenamente com, a
pronunciação do anglo-saxão anente esses retentores do rei do que por seu vôo de base trazido vergonha sobre sua raça;
quando ele diz: “Não será mais qualquer de seu clã agora agarrar com alegria para o ouro”, este “agora” atingiria a orelha do
Northman com todo o seu peso fatídico. Mas

339

a “fonte” define pensamentos sobre o olhar-out para os sintomas anteriores. Foi infelicidade do homem que ele não conseguiu
tomar vingança, mas por que não era vingança tomadas? Bem, não há tempo para pedir uma resposta, para que todos se lembrar
de uma só vez algo que aconteceu há muito tempo. todo o passado da niding se levantou para testemunhar contra ele, pois
nidinghood, quando tudo estiver dito e feito, é apenas o resultado de uma falha interna na sorte. Ele nunca teria cometido esse
primeiro vilania dele, se ele não tivesse sido interiormente marcado por sua constituição. O que os homens do norte dizer com fonte
é realmente esta: neste momento o vilania que se escondeu dentro dele veio à tona neste ato, ea partir deste ato toda a sua vida foi
infectado.

Além disso, a morte pode facilmente atacar por trás sobre o fazedor de atos bastante inofensivos. Se o clã não têm força para
realizar a causa de sua parente pela força das armas, ou na pior das hipóteses com uma multa, e, portanto, compra paz,
sacrificando o culpado, então ele se torna um niding desesperada e um homem-lobo por tais atos honrosos de agressão como
homicídio ou violento ataque abertos sobre bens do seu próximo. E o perigo está à espreita para um homem além da sepultura,
bem como aqui. Um herói que prefere a morte a uma vida de vergonha, e enterra-se sob sua honra e sua sorte, não tem de modo
algum assegurada sua existência para sempre. Se ele ser abandonado por seus parentes, ou caímos como a última de suas
“pessoas”, de modo que ninguém é deixado para assumir a herança, então não há qualquer perigo de sua transformando o mal, e
assombrando homens e animais como um demônio mais terrível em proporção à sua força nos dias de sua vida. Não é apenas o
pensamentos da vida que estão perplexos com a dor quando o clã é obrigado a deixar um dos seus membros sem vingança -
quando eles devem deixá-lo mentir profano, como disse o nórdicos, com uma palavra insinuando que o vingados é privado
de sua dignidade e valor.

O homem morto adoece e pinheiros acabar com a vida, e para o futuro diante de si quando a vida pára é tão horrível, que o
medo da família de extinção pode ao longo de muitos séculos competir com todos os terrores do inferno e privá-los de seu
poder sobre homens almas. E o perigo vai em todas as vezes ser igualmente grandes, no entanto muitos anos felizes do
homem morto pode ter

340

atrás dele. Há nidings além, no mundo da noite, que uma vez foram honesto mortos; eles não encontraram reencarnação,
porque o clã diminuiu e tornou-se extinto; eles não foram mantidos vivos por parentes inteligentes e cuidadosos, e em
seguida, vem o momento em que os homens aprendem quem foi que morava no local em dias anteriores.

Não há terror na morador de um carrinho de mão quando ele pode ser provado ser um parente. Na saga, Hervor sai com confiança para seu pai carrinho de mão
Angantyr e cumprimenta-lo como um dos seus próprios; eo guerreiro mortos não se esqueceu do seu Frith e sua honra; ele dá avisos amigáveis ​e entrega a
espada maravilhosa como um dom gratuito. Se, por outro lado, lá estava estranhos no carrinho de mão, quem ninguém vivo poderia contar como parentes, então
o lugar era simplesmente inseguro e unheore. Nas histórias de dragão, encontramos, sob o vestido um pouco estranho, experiências caseira do fato de que cada
herói solitário ou esquecido assume hábitos de ferocidade. O dragão cruel que provou a morte de Beowulf estava meditando sobre os restos de um clã extinta. O
último homem da tribo escondeu o seu tesouro na caverna com um lamento para os heróis nobres quem a morte em batalha tinha levado até o último homem,
mas um; lá ele terminou sua vida, e o velho inimigo, o caminhante no crepúsculo, deitou-se sobre o ouro que guarda o tesouro que foi inútil para si mesmo.
Podemos concluir com segurança que, a princípio, o hider do próprio tesouro, ou aqueles mais próximos a ele, uma vez que tão nobre e corajosa, encheu o lugar
do monstro. Os escandinavos estão bastante familiarizados com a idéia de um homem morto se transformando em um troll sobre os bens dele, e guardando
ciosamente o ouro com veneno de seu niding. o hider do próprio tesouro, ou aqueles mais próximos a ele, uma vez que tão nobre e corajosa, encheu o lugar do
monstro. Os escandinavos estão bastante familiarizados com a idéia de um homem morto se transformando em um troll sobre os bens dele, e guardando
ciosamente o ouro com veneno de seu niding. o hider do próprio tesouro, ou aqueles mais próximos a ele, uma vez que tão nobre e corajosa, encheu o lugar do
monstro. Os escandinavos estão bastante familiarizados com a idéia de um homem morto se transformando em um troll sobre os bens dele, e guardando
ciosamente o ouro com veneno de seu niding.

A simples separação da família e da terra é suficiente para pôr em risco a própria vida; nenhum homem poderia viver mais do que um
determinado período de tempo após a loja da alma em si mesmo. “Ele está doente para viver em Unland”, disseram os homens do
norte, ea palavra traz consigo mais do que uma indicação do caráter de mal-estar. Os antigos não tinha dúvida de sua saudade, mas
uma palavra tão popular não é calculado para dar alguma idéia sobre o que foi que subia e descia na mente de um exílio quando ele
sentou-se, como Hengest - no Beowulf - longe de seu ancestral assento “e pensamento de casa”.

341

Os islandeses disse que landmunr estava em jogo no convidado, e com esta palavra, a saudade de casa é imediatamente
desenhado em cima de um fundo cultural definitiva; por esta munr ( anglosaxon myn) contém em si não só os significados de
amor e vontade, denota um todo, que essas qualidades se encaixam: alma, a vida. E estamos ainda mais perto trazido para a
realidade através da utilização anglosaxon de feasceaft de um exile. A falta de alegria que se encontra nesta palavra não é do
tipo suave melancolia que inspira poetas, é uma doença da hugr, o que torna a solidão uma coisa simplesmente feio e nada
mais. Feasceaft é uma palavra que se encaixa igualmente bem aplicada ao fora da lei, e o monstro Grendel si mesmo, o
morador em Utgard.
Banimento foi uma amputação, apenas o pior em que não era um membro, mas todo o homem que foi amputada; e um
homem de uma das tribos germânicas tomadas por força do círculo de seus parentes e estabelecidos em alguma cidade do
interior civilizado como o convidado do povo romano
- como os chefes Sigambrian foram por Augusto - poderia muito bem chegar ao ponto de preferir a morte. Ou ele talvez
tirar sua própria vida, com medo da morte, porque ele viu nenhuma outra maneira de escorregar de volta à vida de novo, do
que deixando seu retorno alma ao seu ambiente adequado? Os povos do sul compreendido, mas pouco dos sentimentos de
um par de chefes nativos, e não se importava para entender mais; eles sabiam que os bárbaros não podiam suportar o
Estado e se mataram “de desgosto da vida”, como diz Dio Cassius. Mas seus sofrimentos se tornam mais aguda quando
temos a frase traduzida para a língua daqueles expulso.

Outlawry, então, é uma arma terrível nas mãos da sociedade contra os criminosos que não vai fazer bem. A arma atinge
tão difícil, porque ele ataca o próprio nervo da própria vida. O bandido é empurrado para fora, não de sociedade, mas da
vida. Mas, novamente, o efeito da sentença depende inteiramente de parentes do condenado, se eles vão executar a
maldição, cortando sua artéria vital. Pois, embora todo o mundo conhecido excomungar um homem e declará-lo entregue
a todos os espíritos malignos, não tem o menor efeito sobre o seu bem-estar espiritual, enquanto seus parentes mantê-lo
e sofrer-lhe de beber de sua fonte

342

da vida - sempre desde que os parentes si mesmos têm uma sorte forte o suficiente para afastar a força poderosa de
palavras que derrama sobre eles.

Entre os nossos antepassados, podemos encontrar exemplos sublimes de submissão à vontade geral, lado a lado com desprezo surpreendente para a lei ea
ordem. A sua consciência social era mais ativo e, portanto, mais elástica do que pode estar entre pessoas que acomodar um juiz em cima de um códice e
coloque um policial regular, atrás do infrator, pronto para lidar com ele de acordo com as instruções. Hoje em dia as idéias de direita são mais ou menos uniforme
ao longo de toda a população; o medo da justiça dificilmente alcança a qualquer coisa que possa ser adequadamente chamado de veneração, e desafio diminui
em grande parte a um aproveitamento incerto de circunstâncias e procurando loop-buracos em parágrafos legais. Na sociedade germânica, os meios de lei foram
adaptações jurídicas de formas cotidianas e chamou a sua força a partir da experiência interior das partes em lei. Consequentemente, os sentimentos dos
homens face a face com a condenação legal eram de caráter mais amplo e mais plástico do que nos dias de hoje. Os homens podiam se sentem escravizados
por uma palavra, e que podiam com desprez