Você está na página 1de 4

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

PJe - Processo Judicial Eletrônico

02/03/2018

Número: 0733806-72.2017.8.07.0016
Classe: PROCEDIMENTO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL
Órgão julgador: 3º Juizado Especial Cível de Brasília
Última distribuição : 18/09/2017
Valor da causa: R$ 5.000,00
Assuntos: Direito de Imagem
Segredo de justiça? NÃO
Justiça gratuita? NÃO
Pedido de liminar ou antecipação de tutela? NÃO
Partes
Procurador/Terceiro vinculado CLOVIS CRISTIANO GOMES LINO (AUTOR)
CLOVIS CRISTIANO GOMES LINO (AUTOR) ROSANE DO PERPETUO SOCORRO PINHEIRO SMITH
(ADVOGADO)
RADIO E TELEVISAO CAPITAL LTDA (RÉU) RADIO E TELEVISAO CAPITAL LTDA (RÉU)
Documentos
Id. Data da Documento Tipo
Assinatura
13233 09/02/2018 16:09 Sentença Sentença
092
Poder Judiciário da União
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS
TERRITÓRIOS

3JECIVBSB
3º Juizado Especial Cível de Brasília

Número do processo: 0733806-72.2017.8.07.0016


Classe judicial: PROCEDIMENTO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL (436)
AUTOR: CLOVIS CRISTIANO GOMES LINO
RÉU: RADIO E TELEVISAO CAPITAL LTDA

SENTENÇA

Dispensado o relatório, nos termos do artigo 38, "caput", da Lei Federal nº 9.099, de 26 de setembro de
1995.

DECIDO.

O feito comporta julgamento antecipado, conforme inteligência do art. 355, inciso I, do CPC.

Não merece prosperar a preliminar de falta de interesse processual. O interesse de agir reside no trinômio
necessidade, adequação e utilidade. No caso, o processo mostra-se como o meio necessário ao objetivo do
autor ante a alegação de violação de seus direitos, uma vez que não se permite a auto defesa dos direitos
senão por meio do Poder Judiciário. Além disso, a ação escolhida é adequada ao pedido e, sendo este
acolhido, por certo haverá utilidade para o requerente.

Quanto ao direito de reposta, assegurado pelo artigo 5º da Constituição Federal e pela Lei 13.188/2015,
trata-se de ação de rito especial, nos termos art. 5º, § 2º, da Lei 13.188/2015, não podendo a ação ser
processada neste juízo.

Passo ao exame do mérito em relação aos danos morais.

A relação jurídica estabelecida entre as partes é de natureza cível, devendo a controvérsia ser solucionada
sob o prisma do sistema jurídico instituído pelo Código Civil.

O autor pleiteia a reparação de danos morais que alega ter sofrido, em decorrência da violação aos seus
direitos da personalidade pela ré, que teria divulgado matéria jornalística com conteúdo difamatório.

Assinado eletronicamente por: GISELLE ROCHA RAPOSO - 09/02/2018 16:09:29 Num. 13233092 - Pág. 1
https://pje.tjdft.jus.br:443/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?nd=18020916092896100000012857960
Número do documento: 18020916092896100000012857960
O direito subjetivo reivindicado deve ser avaliado à luz do ordenamento constitucional, que, ao mesmo
tempo em que assegura a inviolabilidade à honra, à vida privada (art. 5º, X) e a proteção à imagem (art.
5º, XXVII), também prevê que a manifestação do pensamento, a expressão da informação, sob qualquer
forma, processo ou veículo não sofrerão nenhuma restrição (art. 220).

No caso em apreço, os direitos constitucionalmente protegidos devem ser sopesados a fim de um não
ultrapassar o limite do outro.

Impõe-se, assim, uma análise do conteúdo da referida publicação, a fim de perquirir se teria a ré agido de
forma apta a ensejar os danos aduzidos na exordial.

Da análise da matéria divulgada no programa “Cidade Alerta” é possível verificar que a reportagem
veiculada, narra que dois policiais militares, tenente Claiton e cabo Clóvis, estariam “destratando as
pessoas no aeroporto”; “partindo pra cima das pessoas”; “desrespeitando as pessoas”; “aumentando o
problema”; “causando muita confusão por lá”.

Verifico que a matéria jornalística em questão, ao veicular a notícia do modo como o fez, denegriu a
imagem do policial que estava realizando seu trabalho que consistia em controlar o trânsito nas
imediações do Aeroporto Internacional de Brasília.

Ademais, a requerida não juntou qualquer prova das alegações veiculadas na reportagem, não se
desincumbindo do ônus da prova, em afronta ao artigo 373, inciso II, do CPC.

Tenho, pois, que a ré ultrapassou o limite aceitável do exercício da liberdade de imprensa, mormente por
criar juízo de valor depreciativo sobre o ofendido, gerando ofensa moral e o consequente dever de
indenizar.

Entendo que, no caso, houve excesso no direito da ré de informar, razão pela qual deve o pedido de
indenização formulado pela parte autora ser julgado procedente.

Assim, levando em conta esses fatores, bem como que o valor da condenação deve servir de desestímulo
para esse tipo de conduta praticada pela réu, sem que, todavia, isso implique em enriquecimento indevido
do autor, fixo a indenização no montante de R$ 4.000,00 (quatro mil reais), quantia que considero
suficiente para cumprir a dupla função de compensar o prejuízo suportado pela vítima e penalizar o ato
ilícito praticado pela requerida, levando em conta a repercussão do dano e a dimensão do
constrangimento.

Ante o exposto, JULGO EXTINTO o processo, em relação ao pedido de resposta, sem exame do mérito,
com fundamento no art. 51, inciso II da Lei 9.099/95. Ainda, JULGO PARCIALMENTE PROCEDENTE
o pedido inicial e declaro extinto o processo, com resolução de mérito, o que faço com fundamento no art.
487, I, do CPC, para condenar a requerida a pagar ao autor o valor de R$ 4.000,00 (quatro mil reais), a
título de danos morais, corrigido monetariamente pelo INPC desde a sentença e acrescida de juros de 1%
desde 09/06/2017.

Sem condenação em custas processuais e honorários advocatícios, conforme determinação do artigo 55,
"caput", da Lei Federal nº 9.099/95.

Intimem-se.

Após o trânsito em julgado, arquivem-se.

Assinado eletronicamente por: GISELLE ROCHA RAPOSO - 09/02/2018 16:09:29 Num. 13233092 - Pág. 2
https://pje.tjdft.jus.br:443/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?nd=18020916092896100000012857960
Número do documento: 18020916092896100000012857960
BRASÍLIA, DF, 6 de fevereiro de 2018 09:16:41

Assinado eletronicamente por: GISELLE ROCHA RAPOSO - 09/02/2018 16:09:29 Num. 13233092 - Pág. 3
https://pje.tjdft.jus.br:443/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?nd=18020916092896100000012857960
Número do documento: 18020916092896100000012857960