Você está na página 1de 140

Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI

Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

SUMARIO

1 OBJETIVO,5
1.2 ORIENTAÇÕES GERAIS,5
1.3 PROPOSTAS NÃO ATENDIDAS PELO CCA, PARA OS CASOS LISTADOS ABAIXO, O PARCEIRO
ORIENTA O CLIENTE A PROCURAR A AGÊNCIA DE VINCULAÇÂO,9
1.4 ATENDIMENTO DE DÚVIDAS/DISPONIBILIZAÇÃO DE INFORMES,10
1.5 SIGLAS E DEFINIÇÕES,10
2 ETAPAS DA PROPOSTA,10
2.1 INFORMAÇÕES BÁSICAS AOS PROPONENTES E CÁLCULO DO VALOR DE FINANCIAMENTO ,10
2.2 ENTREVISTA E CONSTATAÇÃO DE RENDA,11
2.3 RECOLHIMENTO DA PRIMEIRA PARCELA DA TARIFA DE AVALIAÇÃO DE BENS RECEBIDOS EM
GARANTIA,12
2.4 PESQUISA CADASTRAL DOS PROPONENTES CÔNJUGES/COMPANHEIRO E PROCURADORES,12
2.5 EXIGÊNCIAS E PESQUISA CADASTRAL DOS VENDEDORES E ANTIGOS PROPRIETÁRIOS PARA
CONTRATAÇÕES INDIVIDUAIS E EMPREENDIMENTOS, INCLUSIVE PARCERIAS ,14
2.6 AVALIAÇÃO DO IMÓVEL E ANÁLISE DE PROJETO – CONTRATAÇÃO INDIVIDUAL E
EMPREENDIMENTOS, INCLUSIVE PARCERIAS,16
2.6.4 CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO DA OBRA,19
2.7 CADASTRAMENTO DOS PROPONENTES/PARTICIPANTES E CÔNJUGES NO SICAQ ,19
2.8 AVALIAÇÃO DE RISCO HABITACIONAL,19
2.9 AVALIAÇÃO DE RISCO COMERCIAL PARA CONTRATAÇÃO COM PACOTE DE PRODUTOS (CONTA
CORRENTE, CHEQUE ESPECIAL E CARTÃO DE CRÉDITO) – CCSBPE E CCFGTS,20
2.10 CADASTRAMENTO DA PROPOSTA NO SIOPI OU CIWEB,20
2.10.4 NO CIWEB – CONCESSÃO EMISSÃO DE MINUTAS,20
2.11 SOLICITAÇÃO DE DÉBITO RECURSOS DA CV DO FGTS,20
2.12 DOCUMENTOS E FORMULÁRIOS,21
2.13 COBERTURA SECURITÁRIA,22
2.13.1 APÓLICES CCFGTS, CCSBPE, PRÓ-COTISTA E PMCMV,22
2.13.2 OPERAÇÃO ACIMA DO LIMITE DE COBERTURA AUTOMÁTICA,23
2.13.3 CAIXA SEGURADORA,23
2.13.4 PAN SEGUROS,24
2.13.5 TOKIO MARINE,24
2.14 GARANTIAS,27
2.14.1 IMÓVEIS ACEITOS COMO GARANTIA – CCFGTS, PMCMV, CCSBPE E PRO-COTISTA,27
2.14.2 IMÓVEIS NÃO ACEITOS COMO GARANTIA – CCFGTS, PMCMV, CCSPBE E PRÓ- COTISTA,27
2.15 PORTABILIDADE CONTA SALÁRIO PARA CAIXA – CCFGTS, CCSBPE E PRÓ-COTISTA,29
2.16 ACOMPANHAMENTO DA PROPOSTA DE FINANCIAMENTO PELA INTERNET – PROPOSTAS
CADASTRADAS NO SISTEMA SIOPI,29
2.17 TARIFA, TRIBUTOS E ENCARGO MENSAL,29
2.18 ENCAMINHAMENTO DAS PROPOSTAS À CAIXA,30
2.19 CONTRATAÇÃO,30
2.20 CONFORMIDADE DA GARANTIA – SOMENTE OPERAÇÕES ATENDIDAS PELA CEHOP,30
3 PREVENÇÃO A LAVAGEM DE DINHEIRO,31
4 ANEXOS,31
4.1 ANEXO I – CONDIÇÕES CCFGTS E PMCMV,32
4.1.5 DESCONTO PARA PAGAMENTO DE PARTE DO VALOR DO IMÓVEL – CCFGTS E PMCMV FAIXA
2,33
4.1.5.3 SISTEMÁTICA DE APURAÇÃO DO DESCONTO PARA PAGAMENTO DE PARTE DO VALOR DO
IMÓVEL – ÁREA URBANA CCFGTS E PMCMV FAIXA 2,33
4.1.6 DESCONTO PARA PAGAMENTO DE PARTE DO VALOR DO IMÓVEL – PMCMV FAIXA 1,5,38

43.000 v106 SICAQ 1


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.1.6.3 CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DO DESCONTO PMCMV FAIXA 1,5 ,38
4.1.6.4 SISTEMÁTICA DE APURAÇÃO DO DESCONTO PARA PAGAMENTO DE PARTE DO VALOR DO
IMÓVEL – ÁREA URBANA – PMCMV FAIXA 1,5,38
4.1.7 DESCONTO PARA REDUÇÃO NO VALOR DAS PRESTAÇÕES ,40
4.1.7.2 SISTEMÁTICA DE APURAÇÃO DO DESCONTO PARA REDUÇÃO DO VALOR DA PRESTAÇÃO PARA
PAGAMENTO À VISTA PELO FGTS,40
4.1.7.3 FERRAMENTA DE APOIO AO USUÁRIO PARA CÁLCULO DO DESCONTO ,41
4.1.8 GARANTIA,41
4.1.9 MODALIDADES, RECORTE TERRITORIAL, VALORES DE VENDA E COMPRA OU INVESTIMENTO,
VALOR DE FINANCIAMENTO (VF), QUOTA, PRAZOS E SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO ,41
4.1.10 QUOTA,49
4.1.10.2 AQUISIÇÃO DE IMÓVEL NOVO OU USADO,49
4.1.10.3 CONSTRUÇÃO EM TERRENO PRÓPRIO,49
4.1.10.4 AQUISIÇÃO DE TERRENO E CONSTRUÇÃO,49
4.1.10.8 RENDA E COMPROMETIMENTO DE RENDA,50
4.1.11 TAXA DE JUROS,50
4.1.11.2 PMCMV – AQUISIÇÃO DE IMÓVEL NOVO, AQUISIÇÃO TERRENO E CONSTRUÇÃO, CONSTRUÇÃO
EM TERRENO PRÓPRIO E AQUISIÇÃO DE IMÓVEL INTEGRANTE DE EMPREENDIMENTO
PRODUZIDO POR PJ DO RAMO DA CONSTRUÇÃO CIVIL, NO ÂMBITO DO PROGRAMA APOIO À
PRODUÇÃO DE HABITAÇÕES,50
4.1.11.3 CFGTS – AQUISIÇÃO IMÓVEL NOVO E USADO, AQUISIÇÃO DE TERRENO E CONSTRUÇÃO E
CONSTRUÇÃO EM TERRENO PRÓPRIO,51
4.1.12 TAXA PORTA DE NEGÓCIOS,52
4.1.13 RECURSOS PRÓPRIOS,53
4.1.14 DESPESAS, TAXAS, TARIFAS, TRIBUTOS E ENCARGO MENSAL – FINANCIAMENTO INDIVIDUAL E
FINANCIAMENTO VINCULADO A EMPREENDIMENTO, INCLUSIVE PARCERIAS ,53
4.1.14.1 ATÉ A CONTRATAÇÃO,53
4.1.14.1.1 TARIFA DE AVALIAÇÃO DE BENS RECEBIDOS EM GARANTIA,53
4.1.14.1.2 TARIFA DE ACOMPANHAMENTO DA OPERAÇÃO – TAO – CCFGTS E PMCMV,53
4.1.14.1.3 TARIFA PARA ANÁLISE DE APÓLICE INDIVIDUAL,53
4.1.14.1.4 SEGURO RCPM - PELOS VENDEDORES,55
4.1.14.2 NA FASE DE CONSTRUÇÃO – TAO - TARIFA DE ACOMPANHAMENTO DA OPERAÇÃO,55
4.1.14.3 ENCARGO MENSAL,55
4.1.15 CADASTRAMENTO DA PROPOSTA NO SIOPI,56
4.2 ANEXO II – CONDIÇÕES CCSBPE,58
4.2.1 EXIGÊNCIAS ESPECÍFICAS,58
4.2.1.1 PROPONENTE(S)/CÔNJUGE(S)/COMPANHEIRO(S),58
4.2.1.2 VENDEDOR DO IMÓVEL,58
4.2.1.3 IMÓVEL,58
4.2.2 GARANTIA,58
4.2.3 MODALIDADES, ENQUADRAMENTO, LIMITES DE VALOR DE FINANCIAMENTO (VF), VALOR DE
AVALIAÇÃO (VA) E PRAZOS DE AMORTIZAÇÃO:,58
4.2.4 MODALIDADES CONSTRUÇÃO,60
4.2.5 QUOTA,61
4.2.5.2 NAS MODALIDADES DE AQUISIÇÃO DE IMÓVEL NOVO OU USADO E LOTE URBANIZADO:,61
4.2.5.3 NA MODALIDADE DE CONSTRUÇÃO EM TERRENO PRÓPRIO,61
4.2.5.4 NA MODALIDADE AQUISIÇÃO DE TERRENO E CONSTRUÇÃO,61
4.2.5.6 NAS OPERAÇÕES COM INTERVENIENTE QUITANTE (OPERAÇÕES SUSPENSAS A PARTIR DE 25
SET 2017, EXCETO QUANDO O INTERVENIENTE QUITANTE FOR A CAIXA) ,62
4.2.6 FINANCIAMENTO DAS DESPESAS ACESSÓRIAS,62
4.2.7 RENDA E COMPROMETIMENTO DE RENDA,62
4.2.8 TAXAS DE JUROS,62
4.2.8.1 IMÓVEL RESIDENCIAL,62
4.2.8.2 IMÓVEL COMERCIAL,63
4.2.8.3 IMÓVEL COMERCIAL VINCULADO A EMPREENDIMENTO FINANCIADO NA CAIXA ,63

43.000 v106 SICAQ 2


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.2.8.4 TAXA PORTA DE NEGÓCIOS E TAXA PORTA DE NEGÓCIOS PLUS ,64
4.2.8.4.14 CONDIÇÕES DESTINADAS AOS CLIENTES DO SETOR PÚBLICO, DAS UNIDADES DE
EMPREENDIMENTOS CAIXA E DO SEGMENTO EXCLUSIVO,65
4.2.9 DESPESAS, TAXAS, TARIFAS, TRIBUTOS E ENCARGO MENSAL – FINANCIAMENTO INDIVIDUAL E
FINANCIAMENTO VINCULADO A EMPREENDIMENTO, INCLUSIVE PARCERIAS ,66
4.2.9.1 ATÉ A CONTRATAÇÃO,66
4.2.9.2 SEGURO RCPM - PELOS VENDEDORES,69
4.2.9.3 ENCARGO MENSAL,69
4.2.9.3.1 NA FASE DE CONSTRUÇAO, MENSALMENTE,69
4.2.9.3.2 NA FASE DE AMORTIZAÇÃO,69
4.2.10 RECURSOS PRÓPRIOS,69
4.2.11 CADASTRAMENTO DA PROPOSTA NO SIOPI:,70
4.2.12 PROPOSTA DE UNIDADES VINCULADAS A EMPREENDIMENTO CAIXA CADASTRADA NO
CIWEB,73
4.3 ANEXO III – PRÓ-COTISTA,76
4.3.1 EXIGÊNCIAS ESPECÍFICAS,76
4.3.1.1 PROPONENTES/CÔNJUGES/COMPANHEIRO,76
4.3.1.2 SITUAÇÕES EXCEPCIONAIS QUANTO À TITULARIDADE DE IMÓVEL ,76
4.3.1.3 VENDEDOR DO IMÓVEL,76
4.3.1.4 IMÓVEL,76
4.3.1.5 SE IMÓVEL NOVO,76
4.3.1.6 GARANTIA,76
4.3.2 MODALIDADES, LIMITES DE VALOR VENAL (VV), VALOR DE FINANCIAMENTO (VF) E PRAZOS DE
AMORTIZAÇÃO,77
4.3.3 QUOTA,78
4.3.3.5 AQUISIÇÃO DE IMÓVEL NOVO OU USADO,78
4.3.3.6 AQUISIÇÃO DE IMÓVEL NOVO OU USADO,78
4.3.3.7 CONSTRUÇÃO EM TERRENO PRÓPRIO,78
4.3.3.8 AQUISIÇÃO DE TERRENO E CONSTRUÇÃO,79
4.3.4 FINANCIAMENTO DAS DESPESAS ACESSÓRIAS,79
4.3.5 TAXA DE JUROS,79
4.3.6 TAXA PORTA DE NEGÓCIOS E TAXA PORTA DE NEGÓCIOS PLUS ,80
4.3.7 DESPESAS, TAXAS, TARIFAS, TRIBUTOS E ENCARGOS MENSAIS,81
4.3.7.1 ATÉ A CONTRATAÇÃO,81
4.3.7.1.4 SEGURO RCPM – PELOS VENDEDORES,82
4.3.7.2 ENCARGO MENSAL,82
4.3.7.2.1 NA FASE DE CONSTRUÇÃO, MENSALMENTE,82
4.3.7.2.2 NA FASE DE AMORTIZAÇÃO,82
4.3.8 RECURSOS PRÓPRIOS,82
4.3.9 CADASTRAMENTO DA PROPOSTA NO SIOPI,83
4.4 ANEXO IV – UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DA CV DO FGTS,85
4.4.2 EXIGÊNCIAS,85
4.4.2.3 REQUISITOS BÁSICOS DO IMÓVEL,85
4.4.3 LIMITES,86
4.4.4 REGULAMENTAÇÃO UTILIZADA,87
4.5 ANEXO V – RELAÇÃO DE DOCUMENTOS DOS PROGRAMAS CCFGTS, PMCMV, CCSBPE, PRO -
COTISTA,88
4.5.1 CCFGTS OU PMCMV – RELAÇÃO DE DOCUMENTOS,88
4.5.2 CCSBPE – RELAÇÃO DE DOCUMENTOS,92
4.5.3 PRÓ-COTISTA – RELAÇÃO DE DOCUMENTOS,95
4.6 ANEXO VI – CHECKLIST PROGRAMAS CCFGTS, PMCMV, CCSBPE E PRO-COTISTA,98
4.6.1 CCFGTS E PMCMV,98
4.6.2 CCSBPE,105
4.6.3 PRÓ-COTISTA,112
43.000 v106 SICAQ 3
Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.7 ANEXO VII – SIGLAS, CONCEITOS E CONSIDERAÇÕES SOBRE A DOCUMENTAÇÃO,119
4.7.1 SIGLAS E CONCEITOS,119
4.7.2 CONSIDERAÇÕES SOBRE A DOCUMENTAÇÃO,125
4.7.2.1 ALVARÁ JUDICIAL,125
4.7.2.2 CADASTRO DE PESSOA FÍSICA – CPF,125
4.7.2.3 CADASTRO NACIONAL DA PESSOA JURÍDICA – CNPJ,126
4.7.2.4 VALIDADE DAS CERTIDÕES,126
4.7.2.5 AUTENTICAÇÃO E VALIDAÇÃO DAS CERTIDÕES E DOCUMENTOS,126
4.7.2.6 CERTIDÃO ATUALIZADA DE INTEIRO TEOR DA MATRÍCULA,126
4.7.2.7 CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITO DO INSS – CND,126
4.7.2.8 CERTIDÃO SIMPLIFICADA DA JUNTA COMERCIAL,126
4.7.2.9 CERTIDÃO DE QUITAÇÃO DO CREA OU CAU,127
4.7.2.10 COMPROVANTE LOCAL DE RESIDÊNCIA OU OCUPAÇÃO PRINCIPAL,127
4.7.2.11 COMPROVAÇÃO DE NÃO TITULARIDADE DE FINANCIAMENTO E/OU PROPRIEDADE DE IMÓVEL
PARA FINS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DA CONTA VINCULADA DO FGTS ,127
4.7.2.12 CONTRIBUIÇÕES DEVIDAS AO INSS,127
4.7.2.13 CONTRIBUIÇÕES DEVIDAS AO FGTS,128
4.7.2.14 FORO E LAUDÊMIO,128
4.7.2.15 AQUISIÇÃO DE FRAÇÃO IDEAL,128
4.7.2.16 PROPRIEDADE DE FRAÇÃO IDEAL,128
4.7.2.17 SITUAÇÕES EXCEPCIONAIS QUANTO À TITULARIDADE DE IMÓVEL (A CONTRATAÇÃO OCORRE
SOMENTE NAS AGÊNCIAS),128
4.7.2.17.1 PROPONENTE SEPARADO JUDICIALMENTE E PROPRIETÁRIO DE IMÓVEL (PARA OS
PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA),128
4.7.2.17.2 USUFRUTUÁRIO (PARA OS PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA/SPBE),129
4.7.2.17.3 NU-PROPRIETÁRIOS (PARA OS PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO -COTISTA/SPBE),129
4.7.2.17.4 COMPROVAÇÃO DA PERDA DO DIREITO DE RESIDÊNCIA POR SINISTRO NO IMÓVEL (PARA OS
PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA/SPBE),129
4.7.2.17.5 PROPONENTE INCAPAZ (PARA OS PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA/SBPE),129
4.7.2.17.6 PROPONENTE DETENTOR DE QUOTA DE CONSÓRCIO IMOBILIÁRIO (PARA OS PROGRAMAS
CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA),129
4.7.2.17.7 DOADOR DE IMÓVEL (PARA OS PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA),129
4.7.2.17.8 TITULAR DE IMÓVEL FINANCIADO NA CAIXA – SFH – CCFGTS (PARA O PROGRAMA CCFGTS),129
4.7.2.17.9 ALIENAÇÃO DE IMÓVEL IMPEDITIVO À UTILIZAÇÃO DO FGTS PARA NOVA AQUISIÇÃO (PARA OS
PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA/SBPE),129
4.7.2.18 HABITE-SE,130
4.7.2.19 FORMAL DE PARTILHA,130
4.7.2.20 MO29300 – AUTORIZAÇÃO E DECLARAÇÃO PARA MOVIMENTAÇÃO E UTILIZAÇÃO DOS
RECURSOS DA CONTA VINCULADA DO FGTS (AQUISIÇÃO/CONSTRUÇÃO DE IMÓVEL
RESIDENCIAL – COM OU SEM FINANCIAMENTO) E PARA ENQUADRAMENTO NOS PROGRAMAS
CCFGTS, PMCMV, PRÓ-COTISTA OU AMC,130
4.7.2.21 PROCURAÇÃO,130
4.7.2.22 ANÁLISE JURÍDICA,131
4.8 ANEXO VIII – MODELO DE AUTORIZAÇÃO DE REQUISIÇÃO DE SALDO DEVEDOR CONTRATO
CAIXA (CLIENTE VENDEDOR),133
4.9 ANEXO IX – DECLARAÇÃO DO(S) VENDEDOR(ES),134
4.10 ANEXO X – FLUXOGRAMA DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO CCA,135
4.11 ANEXO XI – CONVÊNIO SECRETARIA DE HABITAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO/PROGRAMA
CASA PAULISTA – APOIO AO CRÉDITO HABITACIONAL,136
4.12 ALTERAÇÕES EM RELAÇÃO À VERSÃO ANTERIOR,137
5 ARQUIVAMENTO DE DOCUMENTOS,139

43.000 v106 SICAQ 4


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

1 OBJETIVO
1.1 Estabelecer as normas e procedimentos a serem observados pelo Correspondente CAIXA AQUI – CCA, no
atendimento a proponente pessoa física para financiamento habitacional.

1.2 ORIENTAÇÕES GERAIS


1.2.1 A originação e pré-contratação dos produtos e serviços pelo CCA é feita com a utilização do sistema CAIXA
AQUI WEB ou SICAQWEB, disponível no endereço http://www.caixaaqui.gov.br/ ou http://www.caixaaqui.com.br/.
1.2.2 O CCA organiza e encaminha o dossiê à CAIXA, envia por meio de sistema os dados para cadastramento do
cliente, a avaliação de risco de crédito e as pré-propostas de produtos comerciais para finalização da contratação
pela Agência/PA, após a verificação da conformidade pela CICOB/CEHOP.
1.2.3 Não é permitido aos sócios(s)/empregado(s) do CCA e seu(s) familiar(es), em operação(ões) prospectada(s)
no seu estabelecimento, figurar como:
 proponente/comprador;
 coobrigado;
 vendedor (inclusive sócio(s)/representante(s) legal(is) no caso de vendedor PJ);
 anuente;
 responsável técnico ou engenheiro/arquiteto, ou sócio de empresa de engenharia credenciada;
 procurador.
1.2.3.1 Considera-se familiar: o cônjuge, o companheiro ou o parente em linha reta ou colateral, por
consanguinidade ou afinidade, até o terceiro grau – pais, filhos, avós, netos, bisavós, bisnetos, irmãos, tios,
sobrinhos, enteados, sogros, genro/nora, cunhados, padrasto/madrasta.

1.2.4 CERTIFICAÇÃO CORRESPONDENTE ORIGINADOR DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO


1.2.4.1 Para os Correspondentes que atuam no Crédito Imobiliário, o parceiro deverá comprovar aptidão, de pelo
menos 01 empregado, em quaisquer dos exames de Certificação relacionados a seguir: CA300 – ABECIP,
CA400 – ABECIP ou CA600 – ABECIP.
1.2.4.2 A inscrição e orientações relativas ao Programa de Certificação CA 300 estão disponíveis no endereço
https://www.abecip.org.br/certificacoes/ca-300, do CA 400 estão disponíveis no endereço
https://www.abecip.org.br/certificacoes/ca-400 e do CA 600 estão disponíveis no endereço
https://www.abecip.org.br/certificacoes/ca-600.
1.2.4.3 O Correspondente deverá comprovar aptidão no exame de Certificação CA300 ou no Exame de Certificação
CA600 até 12 JUN 2015, sendo que, só poderão atuar nas operações do Crédito Imobiliário após esta data, os
parceiros que apresentarem tal qualificação.
1.2.4.3.1 A Certificação CA300 – ABECIP ou no Exame de Certificação CA600 – ABECIP é pré-requisito para os
correspondentes credenciados a partir de 01 ABR 2015.
1.2.4.4 A aptidão no exame e prazos de validade serão acompanhados pela Agência/PA.
1.2.4.5 Para efeito de comprovação da certificação, um empresário/empregado certificado somente pode
representar um único convênio.
1.2.4.6 Cabe ao Correspondente manter o cadastro dos integrantes da equip e certificados permanentemente
atualizado, contendo os dados sobre o respectivo processo de certificação, com acesso a consulta da CAIXA a
qualquer tempo.
1.2.4.7 Poderá ser admitida Certificação diversa da CA 300 ou CA 600, desde que organizada por entidade de
reconhecida capacidade técnica e homologada pela CAIXA e que aborde, no mínimo, o seguinte conteúdo : Sistema
Financeiro Nacional, Sistema Financeiro de Habitação, Sistema de Financiamento Imobiliário, Negócios e Garantias
Imobiliárias, Produtos para Pessoa Física, Seguros e Seguradoras, Código de Defesa do
Consumidor/Ouvidoria/Ética e Matemática Financeira.

1.2.5 É PERMITIDA A PROSPECÇÃO DE FINANCIAMENTO PARA:


a) aquisição de imóvel residencial urbano concluído, no SFH ou no SFI, em operações vinculadas a
empreendimentos, inclusive parcerias, (unidade complementar e alocação de recursos) e/ou operações
individuais de aquisição de imóvel novo ou usado ;

43.000 v106 SICAQ 5


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
b) imóvel objeto da proposta que esteja financiado na CAIXA.
 nas propostas individuais, exceto modalidade Aquisição de Terreno e Construção;
 para Alocação de Recursos de empreendimentos;
c) aquisição de imóvel comercial novo ou usado;
d) aquisição de lote urbanizado, aquisição de terreno e construção, construção em terreno próprio, residencial ou
comercial, vinculado a empreendimento, inclusive parcerias, (unidade agregada) ou não;
e) imóvel individual que envolva interveniente anuente ;
f) imóvel objeto da proposta oriundo de herança (ex.: Espólio) desde que nas situações a seguir:
 Transmissão através de herança aos vendedores atuais há mais de 360 dias, contados a partir da data de
avaliação de risco até a data do registro/averbação do Instrumento de Transmissão (Formal de Partilha,
Escritura Pública de Inventário, Alvará e Carta de Adjudicação Judicial) na Matrícula do imóvel; ou
 Imóvel com Instrumento de Transmissão Formal de Partilha, Escritura Pública de Inventário, Alvará ou Carta
de Adjudicação Judicial registrado a menos de 360 dias contados a partir da data de avaliação de risco até a
data do registro/averbação do Instrumento de Transmissão, desde que na matrícula já conste uma nova
transação imobiliária posterior ao registro do espólio;
g) imóvel da proposta esteja sob regime enfitêutico – foro e laudêmio, desde que observadas as regras no
item 4.7.2.14 deste MO; exceto para Alocação de Recursos;
h) aquisição de fração ideal remanescente pelo proponente que figurar como proprietário na mesma escritura
aquisitiva de imóvel quitado, observadas as regras do subitem 4.7.2.15;
i) imóvel com parte de área edificada não averbada, desde que não haja comprometimento da garantia sob os
aspectos físicos ou de mercado, sendo que no Laudo de Avaliação ou no Relatório de Valoração são
consideradas e informadas as áreas averbadas e/ou não averbadas, com o valor total do imóvel ;
j) vendedor(es) PJ cujo(s) sócio(s)/representante(s) legal(is) que irá(ão) assinar o contrato seja(m) brasileiro(s),
na modalidade individual.

1.2.5.1 EXIGÊNCIAS GERAIS PROPONENTE(S)/CÔNJUGE/COMPANHEIRO:


 idoneidade cadastral;
 capacidade civil;
 maioridade (18 anos completos);
 ser brasileiro nato ou naturalizado. Ao estrangeiro com cidadania portuguesa e beneficiário(a) do Estatuto de
Igualdade, cuja informação deve estar expressa no documento de identidade, com o númer o da Portaria do
Ministério da Justiça, será dado tratamento idêntico a brasileiro nato ou naturalizado ;
 capacidade econômico-financeira para arcar com o encargo mensal;
 pacto antenupcial para casamentos com regime de bens diferente de:
a) separação obrigatória de bens;
b) comunhão parcial de bens realizadas a partir de 26/12/1977;
c) participação final nos aquestos, o CCA deverá encaminhar o cliente à agência.

1.2.5.2 EXIGENCIAS ESPECÍFICAS


 Anexo I – CCFGTS e PMCMV;
 Anexo II – CCSBPE;
 Anexo III – PRÓ-COTISTA.
1.2.6 Informa aos proponentes:
1.2.6.1 As condições do Programa no qual foi efetuado o enquadramento, conforme anexos citados no subitem
anterior, observando que, se a proposta enquadrar no PMCMV e, concomitantemente, em outro Programa, deve ser
contratada no PMCMV;
1.2.6.2 As exigências para utilização dos recursos da Conta Vinculada do FGTS, se for o caso, conforme Anexo IV.

1.2.6.3 A renda familiar bruta mensal:

43.000 v106 SICAQ 6


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 Se CCFGTS e PMCMV:
 a renda mensal familiar bruta, sem deduções, auferida no mês da apuração de sua capacidade de pagamento
ou, no máximo, a do segundo mês anterior à apuração ;
 o prazo de validade do enquadramento da renda é limitado a180 dias;
 decorrido esse prazo ou na alteração de dados na avaliação de risco referentes à capacidade de pagamento
do tomador, deve solicitar atualização dos documentos comprobatórios de renda do (s) proponente(s) e
promover novo enquadramento;
 Se CCSBPE e PRÓ-COTISTA – a renda mensal familiar bruta dos participantes pactuantes de renda.
1.2.6.4 As propostas CCFGTS, CCSBPE e PRÓ-COTISTA, conforme o caso:
 A obrigatoriedade da contratação dos seguros MIP – Morte e Invalidez Permanente e DFI – Danos Físicos ao
Imóvel, sendo as taxas MIP variáveis em função da faixa etária dos proponentes pactuantes de renda ;
 O CESH da CAIXA Seguradora, da PAN Seguros e da Tokio Marine para escolha da seguradora pelos
proponentes. Informar que a apólice LAR+ oferece outras coberturas acessórias de natureza material para da nos
elétricos, pagamento de aluguéis, danos ao conteúdo, roubo/furto de conteúdo e assistência 24h, podendo as
condições dos seguros LAR e LAR+ serem consultadas no site da seguradora no endereço
http://caixaseguros.com.br e ainda, a possibilidade do mesmo apresentar uma apólice Individual de sua escolha a
ser analisada pela CAIXA, sendo cobrada uma tarifa para este fim, conforme Tabelas de Tarifas CAIXA que
poderá ser visualizada no endereço http://www.caixa.gov.br/, clicando em “downloads”, “Tabela de Tarifas –
Pessoa física e pessoa jurídica”, arquivo “Tabela_de_Tarifas_PF.pdf” ;
 As propostas PMCMV, a obrigatoriedade da contratação dos seguros MIP – Morte e Invalidez Permanente e
DFI – Danos Físicos ao Imóvel, sendo as taxas MIP variáveis em função da faixa etária dos proponentes
pactuantes de renda.
1.2.6.5 Para propostas CCFGTS, PMCMV, CCSBPE e Pró-Cotista podem ser financiadas as despesas acessórias –
custas cartorárias com o Registro do Imóvel e com o ITBI, nas condições estabelecidas nos Anexos I, II e III, sendo
este valor creditado na data de assinatura do contrato, sob bloqueio, em conta de livre movimentação 001 ou 013
aberta na CAIXA, em nome do (s) devedor(es), permanecendo bloqueado até a apresentação do registro do
contrato no RI à Agência/PA.

1.2.7 PORTA DE NEGÓCIOS CCFGTS, CCSBPE OU PRO-COTISTA

1.2.7.1 SE CCFGTS
 Verifica se os proponentes estão enquadrados na faixa de renda estabelecida para a Taxa Porta de Negócios –
R$ 5.000,01 a R$ 9.000,00, informa as condições para sua aplicação estabelecidas no subitem 4.1.12 do Anexo I
e consulta a intenção pela opção ou não.

1.2.7.2 SE CCSBPE
 Informa as condições para aplicação da Taxa Porta de Negócios ou Taxa Porta de Negócios Plus, conforme
subitem 4.2.7.3 do Anexo II, e verifica se o proponente quer optar por uma delas;
 Verifica se o proponente é vinculado ao Setor Público, mediante apresentação do contracheque e validação do
CNPJ do Órgão/Entidade na Receita Federal pelo endereço
http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoajuridica/cnpj/cnpjreva/cnpjreva_solicitacao.asp ou se é empregado,
aposentado ou pensionista CAIXA mediante apresentação do contracheque, e informa as condições para
aplicação da Taxa Setor Público;
 Informa, se proposta enquadrada na Taxa Porta de Negócios, Porta de Negócios Plus, Setor Público ou
empregado, aposentado ou pensionista CAIXA, que na apuração da capacidade de pagamento é considerado o
encargo mensal calculado com a taxa de juros balcão, ou seja, sem redutor .
1.2.7.3 Se PRÓ-COTISTA, informa as condições para aplicação da Taxa Porta de Negócios ou Taxa Porta de
Negócios Plus, conforme subitem 4.3.6 do Anexo III e verifica se o proponente quer optar por uma delas.

1.2.8 PROGRAMAS E MODALIDADES DISPONÍVEIS PARA PROSPECÇÃO NO CCA

43.000 v106 SICAQ 7


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

PF MODALIDADES PROGRAMA
CCFGTS – Programa Carta de
RESIDENCIAL URBANO Crédito FGTS

Aquisição de imóvel novo ou usado


Renda familiar bruta mensal de
R$ 465,00 a R$ 9.000,00 para Aquisição de terreno e construção e
financiamento de imóveis, cujo
Construção em terreno próprio
limite de enquadramento é
determinado pelo valor de venda e Aquisição de imóveis integrantes de empreendimentos PMCMV - Programa Minha Casa,
compra ou investimento e recorte produzidos por PJ do ramo da Construção civil, no Minha Vida:
territorial, conforme tabelas âmbito do Programa de Apoio à Produção de
Anexo I. item 4.1.9 Aquisição de Imóvel Novo,
Habitações (PMCMV Faixa 1,5)
Construção em Terreno Próprio,
Obs.1: Construção – propostas individuais com Aquisição de Terreno e
percentual de obra executado inferior a 70%. Construção e Aquisição de
FAIXA ESTENDIDA - RENDA ATÉ imóveis integrantes de
R$ 9 MIL Obs. 2: classificação em região metropolitana, região empreendimentos produzidos por
integrada do entorno e capital regional dos municípios , PJ do ramo da Construção Civil,
CONTRATAÇÕESSUSPENSAS A
com o enquadramento do Valor de no âmbito do Programa de Apoio
PARTIR DE 03/04/2017
Venda/Investimento, que está disponível no SIOPI. à Produção de Habitações
http://siopiweb.caixa.gov.br – Informe GEMCF (PMCMV Faixa 1,5);
2016/0001.
Parcerias – Imóvel na Planta –
Obs. 3: modalidades listadas no subitem 4.1.9. Programa Carta de Crédito FGTS
Associativo
RESIDENCIAL URBANO
Sem limite de renda, titular de CV Aquisição de imóvel novo ou usado
FGTS com:
Aquisição de Terreno e Construção
 Mínimo de 3 anos de trabalho
PRÓ-COTISTA – Programa de
sob o regime do FGTS; Construção em Terreno Próprio
Crédito Habitacional ao Cotista
 Contrato de trabalho ativo sob Obs. 1: Construção – propostas individuais com do FGTS.
regime do FGTS ou saldo em percentual de obra executado inferior a 70%;
CV, de no mínimo, 10% do valor
da avaliação do imóvel.
Obs. 2: modalidades listadas no subitem 4.3.2.
RESIDENCIAL URBANO RESIDENCIAL OU
COMERCIAL
Aquisição de imóvel novo ou usado
Aquisição de terreno e construção
CCSBPE – Programa Carta de
Sem limite de renda Construção em terreno próprio
Crédito SBPE
Aquisição lote urbanizado.
Obs.1: Construção – propostas individuais com
percentual de obra executado inferior a 70%.
Obs. 2: modalidades listadas no subitem 4.2.3.

1.2.9 A proposta que enquadrar no PMCMV e, concomitantemente, em outro Programa, deve ser priorizada a
contratação no PMCMV.

1.2.10 OPERAÇÕES COM INTERVENIENTE QUITANTE CCSBPE (OPERAÇÕES SUSPENSAS A PARTIR


DE 25 SET 2017, EXCETO QUANDO O INTERVENIENTE QUITANTE FOR A CAIXA)
1.2.10.1 A partir de 19/09/2016 as contratações de operações cujo Interveniente Quitante seja IF Bancária, podem
ser contratadas com quota de financiamento de até 80% do valor de avaliação da unidade para Carta de Crédito
Individual e Alocação de Recursos.
1.2.10.1.1 As matrículas das unidades devem estar individualizadas e a contratação é realizada como unidade
individual no SIOPI.
1.2.10.1.2 Os procedimentos para contratação no caso de Alocação de Recursos seguem obrigatoriamente
conforme os procedimentos para contratação de unidades individuais.
1.2.10.1.3 A contratação com recursos SBPE está condicionada à disponibilidade orçamentária.
1.2.10.2 As operações em que o Interveniente Quitante seja a Caixa, a quo ta de financiamento é de acordo com
item 4.2.3.

43.000 v106 SICAQ 8


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
1.3 PROPOSTAS NÃO ATENDIDAS PELO CCA, PARA OS CASOS LISTADOS ABAIXO, O PARCEIRO
ORIENTA O CLIENTE A PROCURAR A AGÊNCIA DE VINCULAÇÂO

1.3.1 PROPONENTES E CÔNJUGES, SE HOUVER:


 com idade entre 16 e 18 anos incompletos, mesmo com comprovante de emancipação ;
 representados por tutela ou curatela;
 representados por inventariante;
 proponente estrangeiros, mesmo com comprovantes de visto permanente no País ;
 que forem utilizar exclusivamente os recursos da CV FGTS para pagamento do preço total do imóvel ;
 analfabetos e deficientes visuais;
 cujo somatório dos prazos de construção, se for o caso, amortização e idade do proponente mais idoso ultrapasse
80 anos e 6 meses;
 que tenham endereço residencial ou comercial no exterior;
 que apresentem comprovantes de renda escritos em idioma estrangeiro, mesmo que acompanhados de tradução
oficial;
 que figure como participante do próprio financiamento habitacional, ou seja, que pretenda trazer o seu
financiamento habitacional de outra instituição financeira para a CAIXA – Portabilidade;
 que apresentem Carta de Consórcio para aquisição de imóvel ;
 que apresentem determinação ou alvará judicial para aquisição do imóvel ;
 que se enquadrem nas SITUAÇÕES EXCEPCIONAIS QUAN TO À TITULARIDADE DE IMÓVEL, descritas no
subitem 4.7.2.17;
 que os vendedores sejam ascendentes dos compradores;
 que os compradores sejam casados sob o regime de participação final dos aquestos ;
 cujo imóvel objeto do financiamento possua concessão de Direito Real de Uso.

1.3.2 VENDEDORES E CÔNJUGES, SE HOUVER:


 com idade entre 16 e 18 anos incompletos, mesmo com comprovante de emancipação ;
 representados por tutela ou curatela;
 representados por inventariante;
 analfabetos e deficientes visuais;
 vendedor(es) PF estrangeiros, mesmo com comprovantes de visto permanente no País, na modalidade individual ,
salvo a possibilidade prevista na alínea “d” do item 2.5.1.1;
 vendedor(es) PJ cujo(s) sócios/representantes legais sejam estrangeiros, na modalidade individual, salvo a
possibilidade prevista na alínea “d” do item 2.5.1.2;
 vendedor(es) PJ cujo(s) procuradores sejam estrangeiros, na modalidade individual;
 vendedor(es) PJ, na forma de cooperativa, na modalidade individual;
 que tenham endereço residencial no exterior;
 que os compradores sejam descendentes dos vendedores;
 que os vendedores sejam casados sob o regime de participação final dos aquestos ;
 vendedor(es) (se Instituição Financeira, bancária e não bancária) cujo título aquisitivo tenha sido oriundo de
LEILÃO, ARREMATAÇÃO ou ADJUDICAÇÃO.

1.3.3 IMÓVEL GARANTIA DA OPERAÇÃO NAS SITUAÇÕES:


 residencial contratação na modalidade LEILÃO, ARREMATADO ou ADJUDICADO (no caso de retomada de
garantia pela Instituição Financeira), na proposta atual;
 residencial pertencente ao ativo EMGEA/UNIÃO;

43.000 v106 SICAQ 9


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 em que a avaliação realizada pela Engenharia CAIXA ateste que o percentual de obra executado é igual ou
superior a 70%;
 com parte de área de uso comercial – imóvel misto, nas operações individuais de aquisição de imóvel novo ou
usado;
 oriundo de Espólio, exceto nas situações previstas no subitem 1.2.5, alínea “f”;
 com averbação de separação e/ou divórcio sem o formal de partilha averbado, exceto:
 se ex-cônjuges figurarem como vendedores na minuta/contrato;
 se o imóvel, objeto do financiamento, tiver sido adquirido por um dos ex-cônjuges com data anterior ao
casamento (regimes de comunhão parcial de bens ou separação total de bens), e aquele que for proprietário
figurar como vendedor;
 se o imóvel, objeto do financiamento, tiver sido adquirido por um dos ex-cônjuges com data posterior à
separação judicial ou divórcio, averbado na certidão de casamento (regimes de comunhão parcial de bens ou
separação total de bens), e aquele que for proprietário figurar como vendedor;
 Imóvel gravado com ônus referente a servidão e/ou incomunicabilidade e/ou impenhorabilidade, somente na
modalidade individual, se não houver parecer jurídico favorável e laudo de engenharia com aprovação da garantia ;
 Imóveis citados no item 2.14.2.

1.4 ATENDIMENTO DE DÚVIDAS/DISPONIBILIZAÇÃO DE INFORMES


ÁREA
DÚVIDAS/INFORMES N° HELP DESK/SITE
RESPONSÁVEL
Operacionalização no SICAQ
Produtos habitacionais e comerciais
0800 724 5555 CERAT
SIOPI – contratações Individuais
Navegação e operacionalização no SIOPIWEB
SIPAH/CIWEB – Contratações vinculadas a
Empreendimentos, inclusive parcerias 0800 724 0044 DATAMEC
Navegação e operacionalização nos sistemas

Informativos a rede parceiras https://expressoparceiros.caixa.gov.br GERPA

1.5 SIGLAS E DEFINIÇÕES


1.5.1 As siglas e definições constam no Anexo VII.

2 ETAPAS DA PROPOSTA

2.1 INFORMAÇÕES BÁSICAS AOS PROPONENTES E CÁLCULO DO VALOR DE FINANCIAMENTO


2.1.1 Simula operação no link simulador em um dos endereços :
 Site da CAIXA www.caixa.gov.br;
 SIOPI: http://siopiweb.caixa.gov.br;
 Portal de Empreendimento: https://www.portaldeempreendimentos.caixa.gov.br/ via SICAQ, pelo endereço
http://www.caixaaqui.gov.br no link simulador e informa o resultado.
2.1.2 Informa o resultado aos proponentes e esclarece que:
 os valores utilizados para cálculo do CET são referenciais e correspondem às condições vigentes na data do
cálculo;
 os resultados obtidos representam apenas uma simulação e não valem como proposta, estando os valores
sujeitos a alterações de acordo com a apuração da capacidade de pagamento e à aprovação da análise de crédito
a ser efetuada;
 podem ocorrer alterações das taxas, prazos máximos e demais condições, sem prévio aviso, estando a
contratação condicionada à disponibilidade de recursos para a região e ao atendimen to das exigências dos
Programas;

43.000 v106 SICAQ 10


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 independente da data de assinatura do contrato, a data do vencimento dos encargos mensais deve ser escolhida
entre os dias 01 e 25.
2.1.3 Verifica, com base na simulação realizada, as condições e exigências gerais e específicas para os
proponentes estabelecidas conforme o Programa.
2.1.4 Entrega a relação de documentos constantes do Anexo V e imprimir os formulários disponibilizados pela
Agência/PA de vinculação, constantes do Anexo VI para o(s) proponente(s) e vendedor(es), conforme
Programa/modalidade em que a proposta foi enquadrada – CCFGTS, PMCMV, CCSBPE ou PRÓ-COTISTA.

2.2 ENTREVISTA E CONSTATAÇÃO DE RENDA


2.2.1 Efetua a entrevista no momento do recebimento da documentação para :
2.2.1.1 Certificar as informações prestadas pelos proponentes;
2.2.1.2 Constatar a renda pelas informações referentes à atividade desempenhada – tipo de atividade, local e
tempo de trabalho, forma de remuneração e rendimentos, conforme orientações descritas n o MO43062.
2.2.1.2.1 Para efeito de enquadramento nos Programas MCMV e CCFGTS, a apuração de renda para proponente
com vínculo empregatício deve ser, obrigatoriamente, efetuada por meio de contracheque, sem qualquer dedução,
bem como verificar as exigências descritas no subitem 4.1.9.
2.2.1.2.1.1 A existência de vínculo empregatício pode ser constatada pela Declaração de Imposto de Renda , CTPS
ou extrato de FGTS.
2.2.1.3 Caso conste na Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física, alguma fonte de renda de natureza
descontinuada, o proponente deve apresentar declaração de próprio punho com firma reconhecida em Cartório, na
qual confirme essa descontinuidade de renda.
2.2.1.4 Caso haja mais de uma renda, com ou sem vínculo empregatício, deve ser considerado o total das rendas,
observando:
 para renda proveniente de vínculo empregatício, o somatório do(s) contracheque(s);
 para renda proveniente de atividade sem vínculo empregatício, obrigatoriamente a Declaração de Imposto de
Renda, quando atender as regras de obrigatoriedade de Declaração à Receita Federal Brasileira, de acordo com a
legislação vigente, com exceção dos casos em que houve o propósito de restituir valor retido na fonte e na
inexistência desta, observar os procedimentos constantes no MO43062.
2.2.1.5 A existência de vínculo empregatício também deverá ser verificada nos casos em que o(s) proponente(s)
forem isento(s) de declarar Imposto de Renda e a apuração da renda deve se efetuada por meio de contracheque,
sem qualquer dedução, observando os demais procedimentos descritos no MO43062.
2.2.1.6 Confrontar a documentação apresentada e as informações prestadas pelos clientes para melhor qualificação
do cadastro dos proponentes.
2.2.1.7 Verificar o enquadramento da operação, da utilização da CV do FGTS e/ou do direito ao desconto de 0,5%
para operações CCFGTS ou PMCMV, conforme a simulação realizada anteriormente e condições estabelecidas nos
anexos I e IV.
2.2.1.8 Solicitar documentos adicionais se for o caso, para fins de comprovação das informações prestadas .
2.2.1.9 Para renda familiar adotar o somatório da renda bruta dos participantes da operação, sem qualquer
dedução.
2.2.1.10 Verificar a documentação entregue pelo(s) proponente(s) para conferência e ateste.
2.2.1.11 Informa ao proponente os sistemas de amortização disponíveis para a modalidade pretendida,
estabelecidos no item 4.1.9 e solicita a opção por um deles.
2.2.1.12 Informar aos proponentes as condições do financiamento pretendido e sobre a importância do pagamento
dos encargos em dia.
2.2.1.13 Informar, se opção pela Taxa Porta de Negócios, as condições para sua manutenção, conforme
subitem 4.1.12, se FGTS, subitem 4.2.7.3, se SBPE ou subitem 4.3.6, se PRÓ-COTISTA.
2.2.1.14 Informar a possibilidade de financiamento das despesas acessórias, conforme abaixo:
2.2.1.14.1 Para Aquisição de Imóvel Novo ou Usado o valor das despesas acessórias está limitado a 4% do valor do
financiamento, sendo que o valor do financiamento somado ao valor das despesas acessórias está limitado aos
parâmetros máximos do financiamento para a modalidade pretendida e condicionado a aprovação do crédito de
acordo com a capacidade financeira do tomador.
2.2.1.14.2 Para as modalidades Aquisição de Terreno e Construção Residencial e Construção em Terreno Próprio
Residencial o proponente pode financiar até 2% do valor do financiamento do imóvel para cobrir desp esas

43.000 v106 SICAQ 11


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
acessórias, limitado a quota estabelecida nos subitens item 4.2.4.1 ou 4.2.7.3.14.4 (condições Setor Público) e,
ainda, à quota estabelecida no SIRIC.
2.2.1.14.3 A liberação dos valores referentes às despesas acessórias, no caso da opção pelos proponentes,
ocorrerá após a entrega do contrato registrado no RI à CAIXA.

2.3 RECOLHIMENTO DA PRIMEIRA PARCELA DA TARIFA DE AVALIAÇÃO DE BENS RECEBIDOS EM


GARANTIA
2.3.1 Cadastra os dados dos proponentes no SICAQ, por meio do http://caixaaqui.caixa e anexa a matrícula do
imóvel no SIOPI, para permitir a emissão do boleto para cobrança da primeira parcela da Tarifa de Avaliação de
Bens Recebidos em Garantia.
2.3.2 Emite no SIOPI o boleto de cobrança informando o CPF/CNPJ de um dos proponentes, conforme orientações
dispostas na Cartilha Boleto de Engenharia disponibilizada no endereço https://siopiweb.caixa.gov.br/, no valor
constante na tabela de Tarifas da CAIXA disponível no site da Caixa, Tabela de Tarifas.
2.3.2.1 Caso no momento da emissão do boleto ainda não exista proponent e vinculado à proposta, informa o
CPF/CNPJ do vendedor, que deve estar cadastrado no SICAQ.
2.3.2.1.1 Solicita à Agência/PA de vinculação, no momento de Validação da Proposta, comando no SIOPI para
comprovação do pagamento do Boleto conforme orientações dispostas na Cartilha Boleto de Engenharia,
disponibilizada no endereço https://siopiweb.caixa.gov.br/.
2.3.3 Entrega ao(s) proponente(s) o boleto de cobrança e informa que:
 o boleto pode ser pago em qualquer Instituição Financeira ou Revendedor Lotérico;
 o pagamento do boleto não pode ser efetuado com cheque bancário;
 a avaliação do imóvel será solicitada automaticamente após a ver ificação do pagamento do boleto;
 deverá ser devolvido ao CCA, para compor o processo habitacional .
2.3.4 Solicita à agência de vinculação para que isente no SIOPI a cobrança da Tarifa de Avaliação de Bens
Recebidos em Garantia, conforme orientações dispostas na Cartilha Boleto de Engenharia, disponibilizada no
endereço https://siopiweb.caixa.gov.br/, para contratações:
 nos programas PMCMV, CCFGTS, CCSBPE e Pro Cotista, enquadrados na modalidade Construção em Terreno
Próprio, cuja tarifa é cobrada sobre cada parcela liberada.
2.3.5 Observa as condições abaixo:
 no caso de reaproveitamento de laudo, caso ocorra a sua expiração, não é cobrado do cliente outra Tarifa de
Avaliação de Bens Recebidos em Garantia;
 a avaliação do imóvel é solicitada automaticamente após a verificação do pagamento do boleto pelo(s)
proponente(s).

2.4 PESQUISA CADASTRAL DOS PROPONENTES CÔNJUGES/COMPANHEIRO E PROCURADORES


2.4.1 Efetua as pesquisas cadastrais para todos os proponentes e cônjuges/companheiros, se houver, nos sistemas
abaixo e anexa ao processo:
 No SICAQ: no menu “Pesquisa Cadastral”, conforme orientações contidas no Manual operacional do SICAQ,
disponível em https://expressoparceiros.caixa.gov.br. Nessa pesquisa serão consultados os seguintes cadastros
restritivos: SINAD, CADIN, SERASA, SICCF, SCPC e SICOW;
 Quando existirem restrições nos cadastros citados acima, o sistema apresentará telas contendo a descrição
das restrições;
 Verifica se há apontamento restritivo para proponentes, cônjuges, companheiros no SICOW – relativo ao
Cadastro de Empregadores autuados por Trabalho Escravo e informa ao participante com restrição o
impedimento para contratação de financiamento na Caixa ;
 No SICAQ: menu inicial, na opção Serviços ao Cliente, Negócios, Financiamento Habitacional, Pesquisa Cadastro
de Mutuários – será aberta página para acessar o SICDM – CADMUT. Nessa pesquisa serão consultados todos os
proponentes e cônjuges/companheiros para comprovar a inexistência de financiamento ativo no SFH e ainda
verificar se não são titulares de outro imóvel que seja impeditivo à contratação. Essa pesquisa tem validade de
180 dias;
 No SIACI/CIWEB: por meio de acesso ao Portal de Empreendimento
https://www.portaldeempreendimentos.caixa.gov.br. Nessa pesquisa serão consultados todos os proponentes e
cônjuges/companheiros para comprovar:

43.000 v106 SICAQ 12


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 a inexistência de financiamento ativo no SFH na Caixa ;
 identificar se os proponentes foram beneficiados com descontos do FGTS a partir de 02 Maio 2005,
observando as orientações contidas no Anexo IV – UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DA CV DO FGTS e ainda
a verificar se não são titulares de outro imóvel que seja impeditivo à contratação. Esta pesquisa tem validade
de 180 dias.
2.4.1.1 Imprime todas as pesquisas, apõe carimbo de ateste, data e assina aquelas que não contenham data de
emissão no documento impresso para composição do dossiê.
2.4.1.2 Preenche e assina, obrigatoriamente, o MO43047 – Apresentação de Propostas de Negócios e Ateste de
Verificação Documental e arquiva no dossiê antes do envio à conformidade.
2.4.2 Solicita pesquisa cadastral dos Procuradores do proponente/cônjuge/companheiro, se houver, por meio de
mensagem eletrônica à SR/Agência/PA de vinculação, pesquisa no sistema CONRES.
2.4.2.1 A mensagem eletrônica citada no item acima deverá conter informações do CCA solicitante da pesquisa,
código do convênio com a Caixa e os CPF/CNPJ a serem pesquisados.
2.4.2.2 A resposta da SR/Agência/PA de vinculação, emitida por meio de mensagem eletrônica, deve conter a data
da pesquisa, estar assinada pelo Gerente/Responsável pela Unidade e informar o CCA se poderá dar
prosseguimento à contratação a partir da verificação da existência ou não de apontamentos restritivos na pesquisa.

2.4.3 SE PMCMV OU CCFGTS


2.4.3.1 Comprova a inexistência de financiamento habitacional ativo no SFH , via SIACI/CIWEB.
2.4.3.1.1 Se verificada a existência de financiamento habitaciona l ativo no SFH a operação não poderá ser
contratada.
2.4.3.2 Verifica se os proponentes são titulares de outro imóvel residencial urbano.
2.4.3.2.1 Se verificada a existência de financiamento habitacional no SFH quitado ou titularidade de imóvel,
encaminha mensagem eletrônica à Agência/PA de vinculação do CCA solicitando pesquisa para identificar se os
proponentes foram beneficiários de desconto do FGTS e aguarda retorno.
2.4.3.2.2 Após o resultado da pesquisa verifica o correto enquadramento e exigências contidas no subitem 4.1.1.1.
2.4.3.2.3 Verifica se são titulares de outro imóvel, conforme Anexo I e, se houver utilização de recursos da CV
FGTS, comprova a inexistência de financiamento ativo no SFH e se o imóvel encontra-se em local impeditivo à
contratação, conforme Anexo IV.
2.4.3.2.3.1 Constatado impedimento, conforme anexos citados acima, solicita aos proponentes a comprovação da
alienação ou transferência do imóvel mediante apresentação da Certidão de Inteiro Teor da Matrícula do Imóvel
constando o registro da respectiva venda, ou:
 excepcionalmente, por meio de certidão negativa de propriedade emitida pelo RI no qual consta matriculado o
referido imóvel e de declaração de não titularidade de financiamento ativ o no SFH, firmada pela respectiva IF.
2.4.3.3 Para redutor de 0,5% na taxa de juros, solicita o extrato da CV do FGTS em que, pelo menos um dos
proponentes comprove a titularidade de Conta Vinculada do FTGS com, no mínimo, 3 anos de trabalho sob o
regime do FGTS, somado os períodos trabalhados, consecutivos ou não, na mesma empresa ou em empresas
diferentes.
2.4.3.3.1 Para trabalhador licenciado pelo INSS e, desde que não haja quebra de vínculo empregatício, o tempo é
contado da data de sua contratação pela empresa da qual s e licenciou, podendo ser somado a períodos relativos a
outros vínculos empregatícios
2.4.3.4 Colhe assinatura em campo específico e rubrica do(s) proponente(s) em todas as páginas do formulário
MO29300, o qual deve ser preferencialmente digitado referente às declarações de enquadramento no programa, ao
redutor de 0,5% na taxa de juros. segundo as exigências constantes no Anexo I, conforme o caso, antes do envio
do dossiê à verificação da conformidade.
2.4.3.4.1 Nas operações prospectadas por CCA, não é permitido a assinatura por procuração no MO29300,
devendo orientar o cliente a procurar a Agência/PA de vinculação.
2.4.3.4.2 No caso de utilização do saldo CV do FGTS, emitir obrigatoriamente o MO29300 pelo CIWEB, segundo as
exigências constantes no Anexo IV, conforme o caso, antes do envio do dossiê à verificação da conformidade.

2.4.4 SE CCSBPE
2.4.4.1 Verifica a existência de financiamento ativo na CAIXA e, em caso positivo, encaminha mensagem eletrônica
à Agência/PA de vinculação solicitando pesquisa para identificar se o financiamento está adimplente , não tenha

43.000 v106 SICAQ 13


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
sido objeto de acordo de parcelamento de débitos, incorporação de encargos em atraso ao saldo devedor e
execução extrajudicial ou judicial nos últimos 12 meses.
2.4.4.1.1 Caso o(s) proponente(s) for(em) utilizar recursos da CV FGTS, comprova a inexistência de financiamento
ativo no SFH e verifica se são titulares de outro imóvel, que se constitua em impedimento, conforme Anexo IV, em
caso positivo, solicita aos proponentes a comprovação da alienação ou transferência do imóv el mediante
apresentação dos documentos abaixo:
 Certidão de Inteiro Teor da Matrícula do imóvel constando o registro da respectiva venda ; ou
 excepcionalmente, por meio de certidão negativa de propriedade emitida pelo RI no qual consta matriculado o
referido imóvel e de declaração de não titularidade de financiamento ativo no SFH firmada pelo respectivo Agente
Financeiro.
2.4.4.2 Colhe assinatura em campo específico e rubrica do(s) proponentes em todas as páginas do MO29300,
gerado obrigatoriamente no CIWEB FGTS, antes do envio do dossiê à conformidade.
2.4.4.2.1 Nas operações prospectadas por CCA, não é permitido a assinatura po r procuração no MO29300,
devendo orientar o cliente a procurar a Agência/PA de vinculação.

2.4.5 SE PRÓ-COTISTA
2.4.5.1 Verifica se há financiamento ativo no SFH.
2.4.5.1.1 Se verificada a existência de financiamento habitacional ativo no SFH a operação não poderá ser
contratada.
2.4.5.1.2 Verifica se os proponentes possuem financiamento ou são titulares imóvel residencial urbano impeditivo à
contratação conforme Anexo III e, se houver utilização de recursos da CV do FGTS, verifica as condições no
Anexo IV.
2.4.5.1.2.1 Constatado impedimento, conforme anexos acima, solicita aos proponentes a com provação da alienação
ou transferência do imóvel mediante apresentação:
 Certidão de Inteiro Teor da Matrícula do Imóvel constando o registro da respectiva venda;
 Excepcionalmente, por meio da certidão negativa de propriedade emitida pelo RI no qual consta matriculado o
referido imóvel e de declaração de não titularidade de financiamento ativo no SFH firmada pelo respectivo Agente
Financeiro.
2.4.5.2 Colhe assinatura em campo específico e rubrica do(s) proponente(s) em todas as páginas do formulário
MO29300, o qual deve ser preferencialmente digitado referente às declarações de enquadramento no programa,
segundo as exigências constantes no Anexo III, conforme o caso, antes do envio do dossiê à verificação da
conformidade.
2.4.5.2.1 Nas operações prospectadas por CCA, não é permitido a assinatura por procuração no MO29300,
devendo orientar o cliente a procurar a Agência/PA de vinculação.
2.4.5.2.2 No caso de a utilização do saldo CV do FGTS, emite obrigatoriamente o MO29300 pelo CIWEB, segundo
as exigências constantes no Anexo IV, conforme o caso, antes do envio do dossiê à verificação da conformidade

2.5 EXIGÊNCIAS E PESQUISA CADASTRAL DOS VENDEDORES E ANTIGOS PROPRIETÁRIOS PARA


CONTRATAÇÕES INDIVIDUAIS E EMPREENDIMENTOS, INCLUSIVE PARCERIAS

2.5.1 EXIGÊNCIAS DO VENDEDOR DO IMÓVEL

2.5.1.1 PESSOA FÍSICA


a) idoneidade cadastral;
b) capacidade civil;
c) maioridade (18 anos completos);
d) ser brasileiro nato ou naturalizado. Ao estrangeiro com cidadania portuguesa e beneficiário(a) do Estatuto de
Igualdade, cuja informação deve estar expressa no documento de identidade, com o n úmero da Portaria do
Ministério da Justiça, será dado tratamento idêntico a brasileiro nato ou naturalizado ;
e) comprovação de estado civil;
f) pacto antenupcial para casamentos com regime de bens diferente da comunhão parcial e separação
obrigatória realizados a partir de 26/12/1977. Se regime de casamento de participação final nos aquestos,
encaminhar o cliente à agência.

43.000 v106 SICAQ 14


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
2.5.1.2 PESSOA JURÍDICA
a) idoneidade cadastral;
b) capacidade jurídica;
c) legitimidade da representação;
d) sócio/representante legal ser brasileiro nato ou naturalizado. Ao estrangeiro com cidadania portuguesa e
beneficiário(a) do Estatuto de Igualdade, cuja informação deve estar expressa no documento de identidade,
com o número da Portaria do Ministério da Justiça, será dado tratamento idêntico a brasileiro n ato ou
naturalizado.

2.5.2 PESQUISA CADASTRAL VENDEDORES, CONSTRUTORES, RESPONSÁVEL TÉCNICO PELA


EXECUÇÃO DA OBRA E IMÓVEL

2.5.2.1 ALOCAÇÃO DE RECURSOS, PROGRAMAS: IMÓVEL NA PLANTA, APOIO À PRODUÇÃO, LINHA


DE CRÉDITO PEC DESTINADA ÀS MPE E MGE (UNIDADES AGREGADAS OU
COMPLEMENTARES)
2.5.2.1.1 Dispensada no caso de operações vinculadas a Empreendimentos , inclusive parcerias, contratados com a
CAIXA por meio dos programas Imóvel na Planta, Apoio à Produção, Linha de Crédito PEC destinada às MPE e
MGE e Alocação de Recursos, tendo em vista que são efetuadas pela Superintendência Regional da CAIXA
responsável pela aprovação do Empreendimento , inclusive parcerias.
2.5.2.1.2 O MO30158, preenchido pela SR ou Agência de vinculação, substitui a documentação dos vendedores e
interveniente quitante para as contratações vinculadas à Alocação de Recursos.

2.5.2.2 PESQUISA CADASTRAL VENDEDORES PF E CÔNJUGES OU VENDEDORES PJ E SÓCIOS


REPRESENTANTES
2.5.2.2.1 Efetua pesquisa cadastral para todos os vendedores PF, Cônjuges, vendedores PJ e Sócios
Representantes nos sistemas abaixo:
 No SICAQ: no menu “Pesquisa Cadastral”, conforme orientações contidas no Manual operacional do SICAQ ,
disponível em https://expressoparceiros.caixa.gov.br. Nessa pesquisa deverá ser consultado para todos os
vendedores PF, Cônjuges, vendedores PJ e Sócios Representantes somente os cadastros restritivo s: CADIN,
SERASA e SICOW;
 Quando existirem restrições nos cadastros citados acima, o sistema apresentará telas contendo a descrição
das restrições;
 Verifica se há apontamento restritivo para vendedores PF, Cônjuges, vendedores PJ e Sócios
Representantes e procuradores no SICOW – relativo ao Cadastro de Empregadores autuados por Trabalho
Escravo, e informa ao participante com restrição o impedimento para contratação de financiamento na Caixa ;
 No SICAQ: menu inicial, na opção Serviços ao Cliente, Negócios, Fi nanciamento Habitacional, Pesquisa Cadastro
de Mutuários – será aberta página para acessar o SICDM – CADMUT. Nessa pesquisa deverão ser consultados
toda a cadeia de vendedores PF, se contratação PMCMV, a partir de 26/03/2009, devendo ser considerado
somente o primeiro financiamento do imóvel após a fase de construção, a fim de verificar se o mesmo foi objeto
de financiamento no PMCMV anteriormente;
 No FGE: acessar o endereço http://www.caixa.gov.br para verificar o Certificado de Regularidade do FGTS - CRF
do(s) vendedor(es) PJ, observadas as datas nos campos EMISSÃO e VALIDADE para apuração da vigência do
último CRF emitido para a empresa consultada.
2.5.2.2.2 Solicita por meio de mensagem eletrônica à SR/Agência/PA de vincul ação, pesquisa no sistema CONRES
para:
a) Vendedor(es) PF e cônjuge(s), se houver;
b) Vendedor(es) PJ, Sócio(s) Representante(s) e Representante(s) Legal;
c) Procurador(es) do(s) vendedor(es), se houver;
d) Construtores, Construtora e Sócios Representantes, Responsáv el Técnico pela execução da obra, se
prospecção nas modalidades Aquisição de Imóvel Novo, Aquisição de Terreno e Construção, Construção em
Terreno Próprio.
2.5.2.2.2.1 A mensagem eletrônica citada no item acima deverá conter informações do CCA solicitante da pesquisa,
código do convênio com a Caixa e os CPF/CNPJ a serem pesquisados.

43.000 v106 SICAQ 15


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
2.5.2.2.2.2 A resposta da SR/Agência/PA de vinculação, emitida por meio de mensagem eletrônica, deve conter a
data da pesquisa, estar assinada pelo Gerente/Responsável pela Unidade e , na existência de apontamento,
informar o CCA se poderá dar prosseguimento à contratação .
2.5.2.2.3 Para vendedor(es) PF efetua o cadastro no SICAQ quando não houver restrições cadastrais, conforme
orientações contidas no Manual Operacional do SICAQ.
2.5.2.2.4 Para vendedor(es) PJ solicita à SR/Agência/PA de vinculação o cadastramento no SICLI para que os
dados migrem para o SIOPI.
2.5.2.2.5 Efetua as mesmas pesquisas cadastrais previstas no subitem 2.5.2.2.1 para os proprietários anteriores PF
e PJ, nas situações abaixo:
 imóvel transacionado há menos de 360 dias contados a partir da data de avaliação de risco até a data de registro
do contrato/escritura na matrícula do imóvel em que conste a propriedade para o vendedor atual;
 houver averbações na matrícula do imóvel, indicativas da existência de ações restritivas que possam alcançar o
imóvel e inviabilizar a aquisição pelos atuais proponentes.
2.5.2.2.5.1 Deve ser apresentada a matrícula anterior nos casos em que o registro da transmissão ao vendedor
tenha ocorrido há menos de 360 dias e não constar os dados do proprietário anterior na matrícula do imóvel.
2.5.2.2.5.2 É dispensada a pesquisa cadastral em nome de Pessoa Jurídica de Direito Público (CAIXA, ou da
EMGEA, União, Estados, Distrito Federal, Municípios e suas autarquias).
2.5.2.2.6 Identificada restrição cadastral em nome do vendedor PF ou PJ, ou proprietários anteriores, se for o caso,
encaminha mensagem eletrônica à Agência/PA de vinculação para análise ou encaminhamento ao Jurídico, se for
necessário.
2.5.2.2.7 Imprimir a mensagem eletrônica com a autorização do Jurídico ou da Agência/PA enviada da caixa postal
da Agência/PA de vinculação, assinada por empregado CAIXA com função gerencial, e arquiva no dossiê.
2.5.2.3 Imprimir todas as pesquisas, incluindo a mensagem eletrônica com a pes quisa CONRES, quando houver,
apor carimbo de ateste, datar e assinar aquelas que não contenham data de emissão no documento impresso, para
composição do dossiê.
2.5.2.3.1 Preenche e assina, obrigatoriamente, o MO43047 – Apresentação de Propostas de Negócios e Ateste de
Verificação Documental e arquiva no dossiê antes do envio à conformidade.
2.5.2.3.2 A validade das pesquisas é de 30 dias.

2.6 AVALIAÇÃO DO IMÓVEL E ANÁLISE DE PROJETO – CONTRATAÇÃO INDIVIDUAL E


EMPREENDIMENTOS, INCLUSIVE PARCERIAS
2.6.1 A avaliação é dispensada para as operações vinculadas a Empreendimentos , inclusive parcerias, contratados
com a CAIXA por meio dos programas Imóvel na Planta, Apo io à Produção, Linha de Crédito PEC destinada às
MPE e MGE e Alocação de Recursos, visto que os imóveis já foram avaliados pela GIHAB.
2.6.2 A avaliação da engenharia é exigida, na modalidade individual, para os im óveis listados abaixo:
 Imóvel Novo – Laudo de Avaliação da Engenharia ou Relatório de Valoração;
 Imóvel Usado – Laudo de Avaliação da Engenharia ou Relatório de Valoração;
 Nas modalidades Construção em Terreno Próprio e na Aquisição de Terreno e Construção – formulários PFUI
Análise (entregue pelo engenheiro) e PFUI Proponente (entregue pelo proponente juntamente com a
documentação).
2.6.2.1 Confirmar o atendimento dos limites definidos para os Programas estabelecidos nos Anexos I, II ou III e IV,
este último no caso de utilização da CV do FGTS.
2.6.2.2 Entregar ao proponente a relação de documentação necessária conforme Anexo V e, após o recebimento da
documentação o CCA deverá solicitar a avaliação do imóvel.
2.6.2.3 As solicitações de avaliação de imóvel devem ser realizadas através do SIOPI, conforme orientações
disponíveis no Informe GEMPF 2014/0002 Melhorias avaliação do imóvel – acesso engenheiro SIOPI.
 Para solicitação da avaliação, obrigatoriamente, o endereço do imóvel deve estar atualizado/completo na
matrícula. Caso esteja desatualizado ou incompleto, o CCA deverá solicitar ao cliente Declaração/Certidão, com o
endereço completo e Inscrição do imóvel, emitida pela prefeitura /administração em papel timbrado e com
assinatura sob carimbo do responsável ou declaração/certidão emitida por meio digital(int ernet) ou o IPTU do ano
vigente, desde que conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel averbada na matrícula.
 Para as modalidades Aquisição de Terreno e Construção E Construção em Terreno Próprio, são aceitos, além dos
documentos citados na alínea acima, o Alvará de Construção desde que neste documento conste o endereço

43.000 v106 SICAQ 16


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
completo e inscrição do imóvel, emitida pela Prefeitura/Admi nistração em papel timbrado e com assinatura sob
carimbo do responsável.
2.6.2.3.1 Acessa no SIOPI a opção Serviços/Cadastro de Imóveis/Individual e cadastra o imóvel .
 Para o cadastramento do endereço do imóvel verificar orientações contidas no Informe GEMPF 2014/0042
TUTORIAL DE CADASTRAMENTO DE ENDEREÇOS SIOPI, disponível no SIOPI, após login e senha.
2.6.2.3.2 Seleciona no SIOPI a opção “Avaliação do Imóvel”, inicia procedimento de abertura de O.S., observando
as exigências no subitem 2.6.2, e anexa os documentos abaixo:
 a Certidão da Matrícula/Certidão de ônus do Imóvel atualizada Digitalizada;
 o formulário PFUI Proponente, preenchido e entregue pelo proponente em meio digital , arquivo extensão
“.xls ou .xlsx”, na opção PFUI – Proponente (planilha) para as modalidades de construção, conclusão, ampliação
ou melhoria;
 o formulário PFUI Proponente, preenchido, assinado e digitalizado, na opção PFUI – Proponente (assinado) para
as modalidades de construção, conclusão, ampliação ou melho ria;
 na opção Projeto Legal, projeto de arquitetura em meio digital, arquivo extensão “.pdf, .d wg ou .dwf”, para as
modalidades de construção, conclusão, ampliação ou melhoria. A aprovação do projeto somente será exigida na
primeira liberação de parcela;
 na opção “outros” anexa os documentos: e ART/RRT, se modalidades Aquisição de Imóvel Novo;
 na opção “outros” anexa o documento ART/RRT, se modalidade Construção, Conclusão, Ampliação, Melhoria.
Documentação dispensada quando tratar-se de Melhoria sem ampliação e sem alteração da estrutura.
2.6.2.3.2.1 A Análise do Projeto é solicitada automaticamente quando da solicitação da avaliação do imóvel, para as
modalidades Construção em Terreno Próprio e na Aquisição de Terreno e Construção.
2.6.2.3.3 Caso o usuário do CCA não consiga incluir todos os documentos no SIOPI deverá encaminhá -los ao
engenheiro responsável pela avaliação, via e-mail ou fax, conforme a proposta de financiamento pretendida .

2.6.2.4 ROTINA APÓS CADASTRADA A SOLICITAÇÃO DE AVALIAÇÃO NO SISTEMA


 após a verificação pelo sistema do pagamento do boleto da Tarifa de Avaliação de Bens Recebidos em Garantia
ou comando de isenção/comprovação de pagamento da tarifa:
 Caso o "Valor de Compra e Venda" seja menor que R$1.000.000,00 o SIOPI envia os dados para SIGDU que
gera a OS;
 Caso o "Valor de Compra e Venda" seja maior ou igual a R$1.000.000, 00 o SIOPI envia os dados para
triagem pela GIHAB de vinculação, que monitora a demanda, abre a OS no SIOPI que envia os dados para o
SIGDU;
 o SIGDU envia e-mail para a Empresa de Engenharia credenciada;
 o engenheiro recebe e-mail de convocação e tem 24h para recusa do serviço e, se não o fizer, o serviço será
considerado ACEITO e o SIOPI alterará o status da OS de CONVOCADA para EMITIDA;
 caso haja recusa do serviço pelo Engenheiro credenciado , a situação da OS será alterada de CONVOCADA para
CANCELADA e o CCA deverá fazer nova solicitação de OS;
 após aceite da convocação, o engenheiro procura o CCA solicitante da OS para retirar os projetos, se modalidade
Construção em Terreno Próprio ou Aquisição de Terreno e Construção;
 o engenheiro faz a vistoria, registra os dados da avaliação no SIOPI e preenche o formulário PFUI Análise
incluindo-o no SIOPI, se modalidades Construção em Terreno Próprio ou Aquisição de Terreno e Construção;
 o engenheiro faz a vistoria, registra os dados da avaliação no SIOPI e inclui o laudo de avaliação assinado e
digitalizado nesse sistema, para as demais modalidades;
 após o registro do laudo no SIOPI pelo engenheiro, a situação da OS será alterada de "Emitida" para "Laud o
Concluído";
 se Valor de Avaliação do Imóvel for maior ou igual a R$1.000.000,00(um milhão) e não tenha passado pela
triagem da GIHAB no momento de abertura da OS, o SIOPI encaminha mensagem automática à GIHAB de
vinculação para validação do referido Laudo.

2.6.2.5 ROTINA APÓS CADASTRADA A SOLICITAÇÃO DE AVALIAÇÃO NO SISTEMA E POSTERIOR


VALORAÇÃO DE IMÓVEIS PELOS PROFISSIONAIS CAIXA QUANDO HOUVER

43.000 v106 SICAQ 17


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 após a verificação pelo sistema do pagamento do boleto da Tarifa de Avaliação de Bens Recebidos em Garantia
ou comando de isenção/comprovação de pagamento da tarifa, o SIOPI envia os dados para SIGDU que gera a
OS;
 o SIGDU envia e-mail para a Empresa da Engenharia selecionada;
 o engenheiro recebe e-mail de convocação e tem 24h para recusa do serviço e, se não o fizer o se rviço será
considerado ACEITO e o SIOPI alterará o status para EMITIDA ;
 caso haja recusa do serviço por parte do Engenheiro credenciado, a situação da OS será alterada de
CONVOCADA para CANCELADA e o CCA deverá fazer nova solicitação de OS;
 o engenheiro credenciado confirma se todos os documentos exigidos foram inseridos no SIOPI;
 o engenheiro credenciado efetua a vistoria do imóvel e elabora o Relatório de Vistoria pelo SIMIL, imprime,
assina, digitaliza em formato “pdf” e efetua o upload no SIOPI;
 arquiteto ou engenheiro da CAIXA efetua no SIOPI o download do Relatório de Vistoria e emite o Relatório de
Valoração e efetua seu upload no SIOPI , devidamente assinado de digitalizado em formato “ pdf”;
 o arquiteto ou engenheiro da CAIXA registra os dados do Relatório do Vistoria no SIOPI, preenchendo o valor e a
data de avaliação e responde à pergunta: “imóvel válido como Garantia ou Construção Viável?” e preenche o
número do CPF do engenheiro credenciado/responsável técnico pela vistoria.
2.6.2.6 Solicitar nova análise e avaliação do imóvel antes do vencimento do prazo de validade, se verificada a
presença de fatores conjunturais que venham a influir no mercado imobiliário fragilizando a garantia da CAIXA.
2.6.2.7 Na avaliação de imóvel com parte de área edificada não aver bada, são consideradas e informadas as áreas
averbadas e/ou não averbadas, com o valor total do imóvel.
2.6.2.8 Verificar se a área total do imóvel, considerando a área averbada e não averbada, não ultrapassa a
permitida na Convenção de Condomínio, se houver.
2.6.2.9 Confirmar o atendimento dos limites definidos para as modalidades e para uso da CV FGTS, se houver ,
conforme Anexo IV.

2.6.3 UNIDADES NOVAS CONCLUÍDAS VINCULADAS A EMPREENDIMENTO


2.6.3.1 Para as contratações no PMCMV, CCFGTS e PRÓ-COTISTA, o CCA deve verificar a existência ou não de
pavimentação definitiva, conforme abaixo:
 até 12 unidades habitacionais construídas/concluídas: não é obrigatória para as operações contratadas até 31
DEZ 2018;
 mais de 12 unidades habitacionais construídas/concluídas: é obrigatória independente da linha de financiamento,
se Individual ou Alocação de Recursos.
2.6.3.2 Para as contratações na CCSBPE, independentemente da quantidade de unidades, observar:
 se a opção for Alocação de Recursos será obrigatória a pavimentação definitiva;
 para operações passíveis de enquadramento na modalidade alocação de recursos, caso o vendedor opte pelo
enquadramento no individual, é obrigatória que a matrícula da unidade a ser financiada esteja individualizada com
a averbação da construção e o Laudo de Avaliação deverá ser somente da unidade a ser contratada .
2.6.3.3 Os dados da avaliação de unidades vinculadas a empreendimentos contratados na Caixa são previamente
incluídas no SIPAH/CIWEB pela SR responsável pelo empreendimento.
2.6.3.4 Nestes casos, o CCA vincula a proposta no SIPAH/CIWEB à unidade a ser adquirida e prossegue a inclusão
no sistema.
2.6.3.5 Para unidades vinculadas a empreendimento não contratados na CAIXA, o CCA/Agência solicita a avaliação
de engenharia da unidade, observando as orientações con stantes no quadro a seguir:
Responsável pela
Empreendimento Situação das unidades Solicitação da avaliação/análise
avaliação/análise
Nova, livre de ônus;
A agência ou CCA demanda a
ou avaliação à empresa credenciada O profissional credenciado
Com até 12 de engenharia/arquitetura realiza a avaliação com
unidades Nova, hipotecada ou mediante Ordem de Serviço – emissão do Laudo de
alienada em outra O.S ou Autorização de Serviço – Avaliação
Instituição Financeira AS
Bancária/Não Bancaria

43.000 v106 SICAQ 18


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Nova, Livre de ônus A agência ou CCA demanda a


avaliação à empresa credenciada
de engenharia/arquitetura
ou mediante Ordem de Serviço –
O.S ou Autorização de Serviço –
Somente para SBPE - Para
Nova, Livre de ônus, mas operações passíveis de O profissional credenciado
que já tenha sido hipotecada enquadramento na modalidade realiza a avaliação com
Com mais de 12 ou alienada anteriormente alocação de recursos, caso o emissão do Laudo de
unidades vendedor opte pelo Avaliação.
ou enquadramento no individual é
obrigatória que a matrícula da
unidade a ser financiada esteja
Nova, Hipotecada ou individualizada com a averbação
alienada em outra Instituição da construção e o Laudo de
Financeira Bancária/Não Avaliação deverá ser somente da
Bancária unidade a ser contratada

2.6.3.5.1 Se UH nova concluída vinculada a empreendimento, a Agência ou CCA identifica previamente se o imóvel
faz parte de empreendimento com até ou mais de 12 unidades concluídas e observa as orientações constantes no
quadro acima.

2.6.4 CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO DA OBRA


2.6.4.1 Aprovado pela Engenharia da CAIXA e deve espelhar a realidade da obra.
2.6.4.2 O cronograma é parte integrante do Dossiê do Financiamento ao Tomador.
2.6.4.3 Os percentuais de obra são distribuídos no cronograma físico-financeiro, cujo percentual da última parcela
não pode ser inferior a 5%.

2.7 CADASTRAMENTO DOS PROPONENTES/PARTICIPANTES E CÔNJUGES NO SICAQ


2.7.1 Cadastrar os dados dos proponentes/participantes e cônjuges, se houver, n o SICAQ, disponível no endereço:
www.caixaaqui.gov.br ou www.caixaaqui.com.br, conforme orientações descritas no Manual Operacional do SICAQ,
observando que:
 deve sempre ser verificada a correta identificação e enquadramento da proposta bem como se a documentação
exigida foi toda entregue antes da inserção dos dados no sistema SICAQ ;
 para financiamentos vinculados a empreendimento, inclusive parcerias, a Agência/PA de relacionamento dos
proponentes na conclusão do cadastro no SICAQ deve ser, obrigatoriamente, a mesma do empreendimento ;
 para os demais financiamentos, na conclusão do cadastro no SICAQ, a Agência/PA de relacionamento dos
proponentes é de livre escolha;
 deve ser realizado o cadastramento de todos os participantes mesmo que não possuam renda.
2.7.2 Imprimir o cadastro e colhe assinatura dos proponentes/participantes e cônjuges, apor carimbo de ateste no
campo específico para assinatura do representante do CCA, data , assina e arquiva no dossiê antes do envio à
conformidade.

2.8 AVALIAÇÃO DE RISCO HABITACIONAL


2.8.1 Solicitar a avaliação de risco de crédito dos proponentes/participantes e cônjuges, se houver, informando
primeiro no SICAQ o proponente de maior renda, conforme or ientações e procedimentos constantes no Manual
Operacional do SICAQ.
2.8.1.1 A avaliação só deve ser solicitada quando o cadastro estiver completo e certificada a Agência/PA de
relacionamento com o correto enquadramento da operação de financiamento.
2.8.1.2 As demais orientações para avaliação de risco habitacional no SICAQ deverão ser verificadas no MO43062.
2.8.1.3 Se proposta enquadrada na Taxa Setor Público, Taxa Porta de Negócios ou Taxa Porta de Negócios Plus
informa na avaliação o valor da prestação necessária para o financiamento considerando a taxa de juros de balcão
nominal, ou seja, sem redutor.
2.8.1.4 Emitir o Relatório de Avaliação de Risco, verifica o resultado, informa aos proponentes, data, assina e
arquiva no dossiê da operação.

43.000 v106 SICAQ 19


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
2.8.1.5 As avaliações de risco de crédito de produtos comerciais podem ser realizadas em conjunto ou posteriores
(se Conta com CROT e Cartão de Crédito) à solicitação de avaliação de risco de crédito do financiamento
habitacional.
2.8.1.6 Após confirmada a aprovação da avaliação e sua propagação no SICAQ efetua o cadastramento da
proposta no sistema SIPAH/CIWEB ou SIOPI conforme o realizado na avaliação de risco.
2.8.1.7 Caso seja necessário efetuar o cancelamento da avaliação de risco, o CCA acessa o endereço
https://www.portaldeempreendimentos.caixa.gov.br, efetua o login, seleciona o sistema SIPAH > Avaliação da
operação (cancelamento da avaliação da operação) > informa o nº da avaliação (disponível no sistema SICAQ) e
CPF do cliente > Confirma.
2.8.1.8 Na situação Aprovada Condicionada, a proposta não foi aprovada nos parâmetros apresentados pelo
Correspondente, porém o sistema de risco propõe outros parâmetros para aprovação, o Correspondente deve
propor ao cliente a alteração da operação nos parâmetros informados na avaliação.
2.8.1.9 Quando houver necessidade de reavaliação do cliente, devido a alteração de dados, e a opçã o não estiver
disponibilizada no SICAQ, solicita à Agência a inserção do QV “Autoriza reavaliação com alteração de dados – PV”
para a solicitação de uma nova avaliação.
2.8.1.9.1 A alteração citada acima com autorização pela Agência somente é permitida ao CCA, uma ú nica vez.

2.9 AVALIAÇÃO DE RISCO COMERCIAL PARA CONTRATAÇÃO COM PACOTE DE PRODUTOS


(CONTA CORRENTE, CHEQUE ESPECIAL E CARTÃO DE CRÉDITO) – CCSBPE E CCFGTS
2.9.1 Solicitar a avaliação de risco de crédito do proponente de maior renda no SICAQ, conforme orientações e
procedimentos constantes no Manual Operacional do SICAQ.
2.9.2 Após confirmada a aprovação da avaliação, efetua a pré-abertura de conta corrente, cheque especial e
contratação do cartão de crédito, no sistema SICAQ, conforme manual operacional do SICAQ, para oper ações
CCFGTS com Taxa Porta de Negócios e CCSBPE com Taxa Porta de Negócios, Taxa Porta de Negócios Plus e
Taxa Setor Público.

2.10 CADASTRAMENTO DA PROPOSTA NO SIOPI OU CIWEB


2.10.1 As operações vinculadas a Empreendimentos, inclusive parcerias, contratados com a CAI XA por meio dos
programas Imóvel na Planta, Apoio à Produção, PEC MPE/MGE e Alocação de Recursos são originadas no SIOPI
para empreendimentos originados no SIOPI.
2.10.1.1 Para os empreendimentos originados no CIWEB, as operações a ele vinculadas permanecem no CIWE B.

2.10.2 NO SIOPI
2.10.2.1 Verificar a propagação/migração da proposta para o SIOPI e, nos casos em que a mesma não tenha sido
criada automaticamente, inclui a proposta individual em https://siopiweb.caixa.gov.br/, conforme cartilha passo a
passo para concessão disponível na tela inicial, após o login no sistema, clicando no Informativo GEMPF
2012/0009, verificar ainda orientações contidas no subitem 4.1.15, do Anexo I, no subitem 4.2.10, do Anexo II e no
subitem 4.3.9, do Anexo III.

2.10.3 NO CIWEB – PORTAL DO EMPREENDIMENTO


2.10.3.1 Verificar a propagação da proposta no SIPAH conforme orientações na opção AJUDA disponível no menu
principal do Portal de Negócios da Habitação no endereço https://www.portaldeempreendimentos.caixa.gov.br .
2.10.3.2 Utilizar, para cadastramento, os dados do Parecer Contratação Alocação de Recursos CCA, recebido da
SR de Vinculação, no caso de unidade vinculada ao programa Alocação de Recursos.

2.10.4 NO CIWEB – CONCESSÃO EMISSÃO DE MINUTAS


2.10.4.1 A inclusão do coobrigado sem renda, exclusivamente no caso de união estável, ocorre no SIACI
Concessão: clicar na aba participantes, marcar no check box o participante que deseja incluir (coobrigado) e
proceder à ação pertinente (associar).

2.11 SOLICITAÇÃO DE DÉBITO RECURSOS DA CV DO FGTS


2.11.1 Solicitar aos proponentes, caso pretendam utilizar recursos da CV FGTS, extrato com o valor do saldo
atualizado de suas contas vinculadas do FGTS.
2.11.2 Confirmar o enquadramento dos proponentes nas condições estabelecidas no Anexo IV.

43.000 v106 SICAQ 20


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
2.11.3 Verificar se os proponentes irão utilizar valores aplicados em FMP e, em caso positivo, solicita aos
proponentes que efetuem seu resgate, na agência de vinculação, antes da realização do débito.
2.11.4 Solicitar aos proponentes a apresentação dos extratos com os valore s resgatados e verifica:
 titularidade e dados das contas vinculadas;
 dados pessoais dos proponentes;
 tipo de conta compatível com o débito para utilização na moradia própria ;
 confirma se o valor a ser utilizado das contas vinculadas do FGTS é menor ou igua l ao valor do saldo existente
nessas contas;
 saldo disponível para débito (verificar casos em que há retenção);
 se o valor a ser utilizado das contas vinculadas do FGTS é menor ou igual ao valor do saldo existente ;
 endereço correto do imóvel objeto da operação, de acordo com a matrícula do imóvel e verifica se é o mesmo
cadastrado no contrato (prevalecendo o endereço da matrícula);
 dados das contas que serão debitadas;
 se contrato feito no SIACI/CIWEB, insere o número do contrato gerado no SIACI/CIWEB ;
 se contrato feito no SIOPI, insere o número do contrato SIACI/CIWEB, constante no SIOPI.
2.11.4.1 Preencher, obrigatoriamente, no CIWEB FGTS Moradia Própria em http://ciweb.extranet.caixa/caixa a
Autorização para Movimentação de Conta Vinculada do FGTS – MO29300, informa o local e data, colhe assinaturas
em campo específico e rubrica em todas as páginas do(s) proponente(s) titulares da CV FGTS, apor carimbo de
ateste no campo específico “Assinatura CAIXA/CCA”, assina e arquiva no dossiê.
2.11.4.1.1 Nas operações prospectadas por CCA, não é permitido a assinatura por procuração no MO29300,
devendo orientar o cliente a procurar a Agência/PA de vinculação.

2.11.5 PARA OS FINANCIAMENTOS ORIUNDOS DE EMPREENDIMENTOS, INCLUSIVE PARCERIAS,


HABITACIONAIS E ALOCAÇÃO DE RECURSOS
 efetuar o débito do FGTS através do Portal de Empreendimentos –
https://www.portaldeempreendimentos.caixa.gov.br/, conforme orientações contidas na cartilha Modulo de
Operacionalização no SIACI/CIWEB para utilização do FGTS, emitir DAMP eletrônico, em campo específico e
rubrica em todas as páginas do(s) proponente(s) titulares da CV FGTS, apor carimbo de ateste no campo
específico “Assinatura CAIXA/CCA”, assina e arquiva no dossiê.

2.11.6 PARA OS FINANCIAMENTOS INDIVIDUAIS


 efetuar o débito do FGTS somente após a criação da proposta no SIOPI no endereço
https://www.ciweb.caixa.gov.br/sso, https://www.portaldeempreendimentos.caixa.gov.br/sso , conforme orientações
descritas na cartilha Módulo de Operacionalização no SIACI/CIWEB para utilização do FGTS, emit ir DAMP
eletrônico, em campo específico e rubrica em todas as páginas do(s) proponente(s) titulares da CV FGTS, apor
carimbo de ateste no campo específico “Assinatura CAIXA/CCA”, assina r e arquivar no dossiê.
2.11.6.1 Excepcionalmente é permitida ressalva no verso da DAMP/MO29300, devidamente assinada pelo CCA sob
carimbo, para os casos abaixo:
 data de nascimento;
 nome do trabalhador (desde que não descaracterize o registro anterior do nome. Exemplo: nome de
casada/solteira, abreviação de sobrenome);
 logradouro do Imóvel (não inclui o nº do Lote, casa, bloco, apartamento ou CEP);
 bairro do imóvel;
 município do imóvel.
2.11.7 No caso de cancelamento de DAMP, por solicitação do cliente fundista ou por informação inexata ou falsa
declarada no MO29300, deverá ser exigido do cliente o MO29199 preenchido e assinado.
2.11.8 Antes de confirmar a assinatura da proposta no SIOPI, verificar se o DAMP foi cancelado pela GIFUG, em
caso positivo e se for o caso, efetuar novo débito.

2.12 DOCUMENTOS E FORMULÁRIOS

43.000 v106 SICAQ 21


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
2.12.1 Nas propostas em que seja identificada a necessidade da assinatura de Interveniente Anuente, verifica a
definição descrita no item 4.7.1 e, em caso de dúvida, solicita orientação para a Agência de vinculação.
2.12.1.1 Solicitar ao interveniente anuente a mesma documentação solicitada ao vendedor, conforme Anexo V, não
sendo necessário efetuar as pesquisas cadastrais, e efetua o cadastramento no sistema, conforme item 2.7.
2.12.2 Nas propostas individuais, se CCFGTS, PMCMV, PRO-COTISTA ou CCSBPE, em que seja identificado que o
imóvel objeto da transação apresenta saldo devedor em uma IF bancária/não bancária ou construtora, o CCA deve
adotar os procedimentos descritos abaixo, previamente ao início da avaliação de risco da proposta habitacional :
 Se a IF for a CAIXA, o CCA providencia autorização do vendedor, datado e assinado, conforme modelo do
Anexo VIII, solicita por email à Agência de vinculação, o valor do saldo devedor do imóvel para a CAIXA,
informando a autorização do cliente, e anexa o email de respo sta ao dossiê;
 Se a IF não for CAIXA, o CCA entrega ao vendedor o formulário MO30447 para que este solicite à IF bancária/não
bancária ou construtora o valor do saldo devedor, conforme o modelo, e anexa r ao dossiê;
 Não é permitido ao CCA solicitar à Agência de vinculação o valor do saldo devedor do imóvel à outra IF
bancária/não bancária ou construtora.
2.12.3 Receber os documentos e formulários e verifica se todos os campos estão preenchidos.
2.12.4 Adotar os procedimentos abaixo utilizando os carimbos confeccionados pelo CCA nos modelos estabelecidos
pela CAIXA:
 “ateste de propostas” em todos os campos específicos para ass inatura do representante do CCA nos formulários,
declarações e pesquisas que não tenham data e que compõem o dossiê encaminhado à CAIXA ;
 preenche e assina, obrigatoriamente, o MO43047 – Apresentação de Propostas de Negócios e Ateste de
Verificação Documental, atestando a veracidade das cópias dos documentos.
2.12.5 Os formulários e declarações devem ser datados e ass inados pelos proponentes e empregado responsável
pelo atendimento no CCA, antes do encaminhamento do dossiê à CICOB /CEHOP para verificação da conformidade
da operação.
2.12.5.1 É de responsabilidade do CCA a verificação da veracidade das informações prestadas pelo s proponentes,
participantes, vendedores e cônjuges e o zelo pelo sigilo da informação e pela documentação recebida.
2.12.6 O CCA efetua o cadastramento da proposta individual no sistema SIOPI, conforme descrito no item 2.10.2.
2.12.6.1 Os dados referentes à qualificação da IF bancária/não bancária ou construtora, a apresentação da
procuração e os representantes que assinarão o contrato serão preenchidos pelo CCA no SIOPI e serão verificados
pela Agência/PA, após o retorno do contrato pela c onformidade.
2.12.7 O CCA efetua o cadastramento da proposta vinculada a empreendimento , inclusive parcerias, no sistema
SIOPI/CIWEB, conforme descrito no item 2.10.3.
2.12.7.1 Os dados referentes à qualificação da IF bancária/não bancária ou construtora, a apresentação da
procuração e o(s) representante(s) que assinarão o contrato serão preenchidos pelo CCA no SIOPI e serão
verificados pela Agência/PA, após o retorno do contrato da conformidade.
2.12.7.2 Para as propostas da modalidade Alocação de Recursos, o CCA preenche os dados referentes a
qualificação da IF bancária/não bancária ou construtora de acordo com o Parecer SR/Agência, MO30158, cujo
preenchimento é de responsabilidade da agência/SR de vinculação do empreendimento.

2.13 COBERTURA SECURITÁRIA

2.13.1 APÓLICES CCFGTS, CCSBPE, PRÓ-COTISTA E PMCMV


2.13.1.1 É obrigatória a contratação dos seguros MIP e DFI , ou apenas MIP, se modalidade Lote Urbanizado, sendo
as taxas MIP variáveis em função da faixa etária dos proponentes pactuantes de renda .

43.000 v106 SICAQ 22


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
2.13.1.2 As opções de seguro oferecidas aos proponentes são:

PROGRAMAS SEGUROS

CCFGTS, CCSBPE E PRÓ COTISTA Caixa Seguradora LAR


Caixa Seguradora LAR+
Tókio Marine
Pan Seguros
PMCMV Caixa Seguradora
American Life
Pan Seguros
2.13.1.2.1 É permitida a contratação de outra Apólice Individual de escolha do(s) proponente(s), diferente das
listadas no item 2.13.1.2, desde que atendidas as condições básicas definidas pela SUSEP .
2.13.1.3 Para propostas Caixa Seguradora e American Life em que o proponente mais idoso participante da
composição da renda possua mais de 60 anos, e que a sua idade, somada aos prazos de con strução, amortização
e renegociação, ultrapasse 80 anos e 6 meses, é necessário orientar o cliente a procurar a agência de vinculação,
conforme subitem 1.3.1.
2.13.1.3.1 Para contratações com a Tokio Marine não é permitida a extrapo lação do prazo citado no item acima.
2.13.1.4 As principais condições das apólices constam em cláusulas específicas dos contratos emitidos pelo SIOPI
ou CIWEB.

2.13.2 OPERAÇÃO ACIMA DO LIMITE DE COBERTURA AUTOMÁTICA


2.13.2.1 É necessária a autorização da Seguradora para operação acima do limite de cobertura automática,
conforme tabela abaixo:
CAIXA
COBERTURA SEGURO SEGURADORA (LAR PAN SEGUROS TOKIO MARINE
OU LAR+)
Para a totalidade dos financiamentos
Até R$ Até R$
concedidos a cada segurado para as MIP Até R$ 2.500.000,00
1.000.000,00 2.000.000,00
coberturas básicas de natureza pessoal
Por imóvel, independentemente do número de
Até R$ Até R$
segurados para as coberturas básicas de DFI Até R$ 5.000.000,00
5.000.000,00 20.000,000,00
natureza material.

2.13.2.2 Não haverá cobertura securitária da PAN Seguros para valor MIP acima de R$2.000.000,00 e DFI acima de
R$5.000.000,00.

2.13.3 CAIXA SEGURADORA


2.13.3.1 A Caixa Seguradora possui dois tipos de apólice: LAR e LAR+, sendo que a apólice LAR+, oferece, além
do MIP e DFI, as coberturas acessórias de natureza material para danos elétricos, pagamento de aluguéis, danos
ao conteúdo e roubo/furto de conteúdo e assistência 24h , cujas condições podem ser consultadas no site da
seguradora http://caixaseguros.com.br.
2.13.3.2 A DPS possui validade de 210 dias e é exigida somente para as operações acima do limite de cobertura
automática, conforme subitem 2.13.2.1 e são acatadas nos sistemas SIOPI/SIPAH-CIWEB somente se a operação
foi aprovada pela Caixa Seguradora.
2.13.3.2.1 Se extrapolado o limite e, após o resultado da Avaliação de Risco da Operação, deve ser preenchido o
formulário da DPS, na presença de todos os participantes de renda, conforme “Passo a passo do Sistema DPS”,
disponível no endereço https://dps.caixaseguros.com.br.
2.13.3.2.2 Encaminhar a seguinte documentação para subscricao.supre@caixaseguros.com.br:
 DPS, devidamente assinada por cada pactuante de renda, dentro do prazo de validade;
 Ficha Cadastro; e
 Laudo de Avaliação ou Relatório de Valoração efetuado pela engenharia da CAIXA .

43.000 v106 SICAQ 23


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
2.13.3.2.2.1 Informar na mensagem de encaminhamento:
 Convênio/código, nome, fax e email do CCA;
 nome e telefone do contato do CCA;
 origem de recursos, modalidade, valor e prazo do financiamento e valor de avaliação do imóvel;
 percentual de financiamento de cada proponente .
2.13.3.2.2.2 O arquivo deve possuir no máximo 2Mb e, caso ultrapassar esse tamanho, subdivi dir em várias
mensagens complementares.
2.13.3.2.3 Confirma a aceitação ou recusa da proposta pela Seguradora mediante recebimento do ofício, que é
expedido no prazo de até 15 dias corridos, a partir do recebimento da documentação completa e legível.
2.13.3.2.4 A resposta da Caixa Seguradora pela análise da DPS é imediata (aceitação automática/necessidade de
avaliação médica), conforme segue:
 agravado 0 = indica que não haverá agravamento nas taxas do seguro;
 agravado 1 = indica que haverá um percentual de 25% de agravamento;
 agravado 2 = indica que haverá um percentual de 50% de agravamento;
 pendente de Análise Médica e Análise Médica (adm) = indica que a DPS será analisada pelos médicos da
Seguradora, com retorno do enquadramento do risco em até D+3 dias.
2.13.3.2.4.1 Nos casos de agravado 1 e 2, incidirá o percentual de 25% e 50%, respectivamente, nas taxas de
seguro MIP, devendo ser feito ajuste no valor a ser contratado.
2.13.3.2.5 Arquivar a DPS original devidamente assinadas por todos os pactuantes de renda , no dossiê único.
2.13.3.2.6 Eventuais dúvidas devem ser direcionadas à Central de Relacionamentos da CAIXA Seguradora, no
número 0800 7024022, opção 2, opção 8.

2.13.4 PAN SEGUROS


2.13.4.1.1 O valor máximo de cobertura pela Seguradora é de R$2.000.000,00 para MIP e R$5.000.000,00 para
DFI, conforme subitem 2.13.2.2.
2.13.4.1.2 A Proposta de Adesão e a DPS, que tem validade de 210 dias, são exigidas somente para as operações
acima do limite de cobertura automática, conforme subitem 2.13.2.1, e devem ser preenchidas na presença dos
pactuantes de renda, no endereço http://dpspan.delphos.com.br.
2.13.4.1.2.1 O cadastramento da senha e o acesso ao site devem ser solicitados à Agência/PA de vinculação.
2.13.4.1.3 Nos casos em que houver algum apontamento nas respostas fornecidas pelo proponente na DPS,
encaminhar os seguintes documentos para subscricao.panseguros@grupopan.com:
 DPS;
 Proposta de Adesão; e
 Laudo de Avaliação ou Relatório de Valoração efetuado pela engenharia da CAIXA.
2.13.4.1.3.1 A Seguradora terá prazo de 15 dias para manifestar-se sobre a aceitação ou recusa da cobertura,
contados da data do recebimento da documentação, e as contratações somente serão acatadas nos sistemas
SIOPI/SIPAH-CIWEB se aprovadas pela Seguradora.
2.13.4.1.4 A Proposta de Adesão e a DPS originais, e a aceitação da seguradora, se for o caso, devidamente
assinadas por todos os pactuantes de renda, devem ser arquivadas no dossiê.

2.13.5 TOKIO MARINE


2.13.5.1.1 A contratação da cobertura securitária acima dos limites estabelecidos no quadro abaix o é precedida,
obrigatoriamente, de análise e aceitação da DPS pela Seguradora, que tem validade de 210 dias:
EXIGÊNCIA DE APRESENTAÇÃO DA DPS SEGURO TOKIO MARINE
Para a totalidade dos financiamentos concedidos Acima de
a cada segurado para as coberturas básicas de MIP
natureza pessoal R$ 1.000.000,00

Por imóvel, independentemente do número de Acima de


segurados para as coberturas básicas de DFI
natureza material. R$ 1.500.000,00

43.000 v106 SICAQ 24


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
2.13.5.1.2 Preencher a DPS dos pactuantes de renda, no endereço http://dpstokio.delphos.com.br.
2.13.5.1.3 O cadastramento da senha e acesso ao site devem ser solicitados à Agência/PA de vinculação.
2.13.5.1.4 Para que a migração para o SIOPI/SIPAH-CIWEB seja feita no primeiro dia útil subsequente, o
preenchimento da DPS deve ser finalizado até as 20h (horário Brasília), observado que, se finalizado após esse
horário, a migração ocorrerá somente no segundo dia útil subsequente e, se efetuado em dia não útil, a migração
ocorrerá no primeiro dia subsequente.
2.13.5.1.5 Se todas as perguntas da DPS forem respondidas com “NÃO” (declaração negativa), a proposta é
considerada automaticamente aceita e confirmada por mensagem eletrônica ao empregado que efetuou o
preenchimento da DPS, em até 24 horas.
2.13.5.1.6 Se for respondida “SIM” (declaração positiva) em alguma das perguntas dos itens 1, 2 e 3 da DPS, a
cobertura estará automaticamente declinada e a negativa é enviada por mensagem eletrônica ao empregado que
efetuou o preenchimento da DPS, em até 24 horas.
2.13.5.1.6.1 Excepcionalmente, caso seja de interesse do proponente, a Seguradora poderá analisar a
possibilidade de aceitação de cobertura, mediante encaminhamento, pelo CCA, da DPS e da documentação do
item 4.5.2 do anexo V, por meio do endereço Seguro.habit.CEF@tokiomarine.com.br.
2.13.5.1.7 Se for respondida “SIM” (declaração positiva) para a pergunta do item 4 da DPS, a aceitação também
estará condicionada à avaliação da Seguradora, conforme procedimentos do subitem 2.13.5.1.6.1, e a resposta é
emitida em até 48h, a partir do recebimento do último documento solicitado para a análise.
2.13.5.1.8 Aguardar o resultado, caso seja indicada a necessidade de avaliação médica.
2.13.5.1.9 Se extrapolado o limite de cobertura automática do subitem 2.13.2, encaminhar mensagem para
Seguro.habit.CEF@tokiomarine.com.br, informando:
 no campo assunto: CAIXA – Tokio Marine (nome do proponente);
 no corpo da mensagem: número do CPF dos proponentes, VF, VA, prazo de amortização e percentual de renda de
cada participante.
2.13.5.1.9.1 Anexa à mensagem a seguinte documentação digitalizada e compactada:
 DPS devidamente assinada por cada pactuante de renda, dentro do prazo de validade;
 Laudo de Avaliação ou Relatório de Valoração efetuado pela engenharia da CAIXA .
2.13.5.1.9.2 Os arquivos devem ter no máximo 1 MB e, se superiores, devem ser divididos e encaminhados por
mais de uma mensagem, informando o que segue:
 campo assunto: CAIXA – Tokio Marine (nome do proponente) Mensagem xx de yy, sendo:
 xx – número da mensagem encaminhada;
 yy – número total de mensagens encaminhadas para determinada proposta;
 exemplo: Encaminhamento de arquivo com 3 MB, divido em 03 mensagens:
 CAIXA – Tokio Marine (nome do proponente) 01/03;
 CAIXA – Tokio Marine (nome do proponente) 02/03; e
 CAIXA – Tokio Marine (nome do proponente) 03/03.
2.13.5.1.10 Providencia documentação complementar, caso solicitado.
2.13.5.1.10.1 Aguarda mensagem eletrônica com o resultado da análise e confirma a aceitação ou recusa, não
podendo ser contratada a operação cuja cobertura tenha sido recusada pela Seguradora.
2.13.5.1.11 Arquivar no dossiê único a DPS original, devidamente assinada por todos os pactuantes de renda, e a
aceitação da seguradora, se for o caso.

2.13.6 APÓLICE INDIVIDUAL DE ESCOLHA DO PROPONENTE


2.13.6.1 O(s) proponente(s) tem o direito de optar por apólice diferente relacionadas no item 2.13.1.2 condicionada
à aprovação pela CAIXA.
2.13.6.2 A análise é efetuada pela GEMPF ou GEMCF (se PMCMV), no prazo de até 15 dias corridos e a aceitação
está condicionada ao atendimento das disposições do CMN e do CNSP e das condições a seguir:
 a apólice deve ser única e prever, no mínimo, as coberturas d e sinistro por MIP e DFI com apresentação do
CESH;
 a IF deve figurar como beneficiária direta;

43.000 v106 SICAQ 25


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 o prazo de vigência deve ser equivalente ao prazo total do financiamento e de renegociação.
2.13.6.3 O DFI deve contemplar cobertura para os danos provenientes de:
 incêndio, raio, explosão, vendaval;
 desmoronamento total;
 desmoronamento parcial, assim entendido a destruição ou desabamento de paredes, vigas ou outro elemento
estrutural;
 ameaça de desmoronamento, devidamente comprovada;
 destelhamento;
 inundação ou alagamento, ainda que decorrente de chuva.
2.13.6.4 Deve constar na apólice cláusula que preveja a necessidade de desocupação do imóvel por inabitabilidade,
em decorrência de sinistro coberto pela seguradora nos riscos de DFI e indenização correspondente aos encargos
mensais do financiamento, respeitado o limite da cobertura.
2.13.6.5 Receber a minuta da apólice individual, recolher a tarifa do cliente, conforme Tabelas de Tarifas
2.13.6.6 CAIXA que poderá ser visualizada no endereço http://www.caixa.gov.br/, clicando em “downloads”, “Tabela
de Tarifas – Pessoa física e pessoa jurídica”, arquivo “Tabela_de_Tarifas_PF.pdf” , Habitação, “Tarifa para análise
de apólice de seguros”.

2.13.7 SEGURO RCPM – AQUISIÇÃO DE IMÓVEL NOVO – PMCMV, CCFGTS, CCSBPE E PRÓ-COTISTA –
(INCLUSIVE ALOCAÇÃO DE RECURSOS)
2.13.7.1 Seguro para Aquisição de Imóvel Novo, inclusive Alocação de Recurs os, obrigatório para as contratações
no PMCMV e opcional para contratações na CCFGTS, Pró-Cotista e CCSBPE, para contratação pelos vendedores,
até a assinatura do contrato, na alíquota de 1% aplicada sobre 20% do valor de Avaliação do Imóvel.
2.13.7.2 O RCPM tem por objetivo o pagamento de indenizações previstas na apólice decorrentes de reclamações
que tenham sido originadas a partir de vícios construtivos.
2.13.7.3 A vigência do RCPM é de até 5 anos, a partir da data de emissão do habite-se e as apólices devem ser
apresentadas pelo vendedor até a data de assinatura do contrato.
2.13.7.4 O valor de cobertura da apólice é de 20% do valor de avaliação do imóvel.
2.13.7.5 O vendedor pode optar por uma das seguradoras:
 ARGO Seguros Brasil S.A;
 Seguradora BERKLEY Brasil.
2.13.7.5.1 A contratação é efetuada através do site da Par Corretora, no endereço http://rcpm.parcorretora.com.br/.
2.13.7.5.2 O vendedor pode optar por apólice diferente das oferecidas pela CAIXA, desde que contenham as
condições e coberturas exigidas pela CAIXA.
2.13.7.6 O vendedor apresenta, até a assinatura do contrato, Apólice contratada acompanhada de Folha de Rosto
emitida pela seguradora e Comprovante de Pagamento do Seguro.
2.13.7.7 O Seguro RCPM deve ser contratado na modalidade Individual , em que é contratada uma apólice para
cada unidade habitacional, obrigatoriamente em operações individuais.
2.13.7.8 O CCA confere endereço do imóvel e valor da cobertura, e anexa os documentos ao dossiê.

2.13.7.9 SEGURO RCPM – APÓLICE INDIVIDUAL DE ESCOLHA DO VENDEDOR


2.13.7.9.1 O vendedor tem o direito de optar por apólice diferente das oferecidas pela CAIXA , desde que
contenham as condições e coberturas exigidas pela CAIXA.
2.13.7.9.2 A análise quanto à possibilidade de aceitação de apólice diferente das oferecidas pela CAIXA é efetuada
pelo gestor do produto no prazo de até 15 dias corridos e a aceitação está condicionada ao atendimento das
disposições do CMN e do CNSP.
2.13.7.9.3 O CCA encaminha o cliente à agência para que este recolha a tarifa para análise da apólice, conforme
Tabela de Tarifas, e devolva o comprovante devidamente autenticado.
2.13.7.9.4 Encaminha mensagem eletrônica à agência de vinculação com a apólice e comprovante de pagamento
da tarifa e aguarda análise.
2.13.7.9.5 Recebe o resultado da análise e comunica aos proponentes.

43.000 v106 SICAQ 26


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
2.13.7.9.6 Se aprovado, o vendedor apresenta, até a assinatura do contrato, Apólice contratada acompanhada de
Folha de Rosto emitida pela seguradora e Comprovante de Pagamento do Seg uro.
2.13.7.9.7 O CCA confere endereço do imóvel e valor da cobertura, e anexa os documentos ao dossiê .

2.14 GARANTIAS

2.14.1 IMÓVEIS ACEITOS COMO GARANTIA – CCFGTS, PMCMV, CCSBPE E PRO-COTISTA


2.14.1.1 Para CCFGTS, PMCMV e PRO-COTISTA são aceitos imóveis conforme exigências abaixo, pa ra CCSBPE
verificar subitem 4.2.1.3:
 de madeira, casa pré-fabricada ou provenientes de outras tecnologias construtivas ;
 destinado à residência dos proponentes, conforme declaração firmada nos termos do MO29300;
 situado em área urbana e no município onde o(s) proponente(s):
 trabalha, incluindo os municípios limítrofes ou integrantes da mesma região metropolitana e/ou;
 reside, incluindo os municípios limítrofes ou integrantes da mesma região metropolitana;
 onde pretende trabalhar e/ou residir, se CCFGTS ou PMCMV por meio da apresentação dos documentos
citados na linha 16, subitem 4.6.1;
 se imóvel novo, atender ao disposto no Informe GEMPF 2014/0030 - documento Condições Mínimas do Imóvel,
disponível no SIOPI http://siopiweb.caixa.gov.br, para aquisição individual e empreendimento, inclusive parcerias;
 se proposta PMCMV, não ter sido objeto de financiamento anterior neste programa ;
 possuir vias de acesso, soluções para abastecimento de água, energia elétrica e esgoto pluvial e sanitário ;
 estar regularizado junto ao RI;
 estar livre e desembaraçado de quaisquer ônus;
 se modalidade Aquisição, ser de propriedade de terceiros ;
 se modalidade Construção em Terreno Próprio, deve estar em nome de todos os proponentes que participarão do
financiamento, independentemente de pactuação de renda;
 terreno gravado com ônus, nos casos de servidão e/ou incomunicabilidade e/ou impenhorabilidade , na
modalidade individual (o que exigirá a emissão de parecer jurídico e laudo de engenharia com aprovação da
garantia;
 quando o ônus for decorrente de financiamento para a produção do empreendimento , inclusive parcerias;
 quando o ônus for decorrente de financiamento na CAIXA ou em outro agente financeiro, a operação pode ser
contratada mediante Aquisição de Unidade com quitação concomitante;
 ser aceito como garantia pela CAIXA, conforme laudo de engenharia ;
 financiado em outra IF bancária/não bancária ou Construtora desde que haja, concomitantemente à concessão do
novo financiamento, a liberação do ônus sobre a garantia, não sendo aceito imóvel em fase de construção;
 imóvel ou terreno, objeto da proposta de financiamento, do poder público local, das contratações de
financiamentos oriundas de empreendimentos, inclusive parcerias financiadas pela CAIXA na modalidade Imóvel
na Planta, Apoio a Produção, PEC MPE/MGE e Alocação de Recursos; ou de operações enquadradas no
Programa Minha Casa Minha Vida, conforme item 4.7.2.23 do ANEXO I.

2.14.2 IMÓVEIS NÃO ACEITOS COMO GARANTIA – CCFGTS, PMCMV, CCSPBE E PRÓ- COTISTA
 gravado com ônus, exceto os casos de servidão, incomunicabilidade e/ou impenhorabilidade , para o qual é
necessário emissão de parecer jurídico e laudo de engenharia com aprovação da garantia;
 adquirido por meio de dote;
 imóvel em inventário;
 gravado com cláusula de usufruto, exceto quando o seu detentor renunciar a esse direito em Cartório ;
 construído ou a ser construído em terreno não desmembrado ou que não constitua unidade autônoma ;
 com destinação agrícola, inclusive sítios, glebas ou granjas;
 com características de imóvel multifamiliar;

43.000 v106 SICAQ 27


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 com concessão de Direito Real de Uso;
 próprio da União, Estado, Município ou Autarquia;
 que já tenha sido de propriedade do proponente nos últimos 2(dois) anos contados a partir da data de avaliação
de risco da proposta de financiamento a ser concedida na CAIXA até a data de registro do contrato/escritura na
matrícula do imóvel;
 cujo vendedor do imóvel ou terreno seja pessoa jurídica e o proponente do financiamento seja sócio ou
representante legal da empresa vendedora;
 cujo vendedor/doador do imóvel ou terreno objeto da proposta de financiamento seja o poder público local, à
exceção das contratações de financiamentos oriundas de empreendimentos ou de operações enquadradas no
PMCMV; inclusive parcerias financiadas pela CAIXA na modalidade Imóvel na Planta, Apoio a Produção, PEC
MPE/MGE e Alocação de Recursos; ou de operações enquadradas no Programa Minha Casa Minha Vida,
conforme item 4.7.2.23 do ANEXO I.
 sedes de delegação estrangeira, associações, sindicatos ou emissoras de rádio e televisão ;
 igrejas e templos de qualquer natureza, hospitais, clínicas, escolas, clubes, casas de espetáculos ou similares ;
 que pela sua natureza se constitua em garantia precária, assim definido em laudo de engenharia da CAIXA ou em
que haja caracterização de vício de construção grave que motive a não aceitação do imóvel como garantia;
 vinculado a empreendimento ou módulo vertical que apresente unidades em fase de construção, condição
verificada na avaliação do imóvel, devendo a proposta ser enquadrada como Imóvel na Planta;
 fração ideal de terreno com características de loteamento ou desmembramento irregular;
 localizado em condomínio com características de loteamento ou desmembramento irregular;
 relacionado, direta ou indiretamente, às operações enquadradas como empreendimento com problema, ou
empreendimento com obras paralisadas sem perspectiva de continuidade ou com vício de construção pendente de
solução;
 vinculado a empreendimento com problema, pertencente ao ativo EMGEA/UNIÃO;
 sem nenhuma área averbada.
2.14.2.1 As contratações de financiamento para imóveis novos localizados no Distrito Federal e na região do
Entorno do DF relacionadas abaixo, estão condicionadas a:

NOME DO MUNICÍPIO
Abadiânia/GO Luziânia/GO
Água Fria de Goiás/GO Mimoso de Goiás/GO
Águas Lindas de Goiás/GO Novo Gama/GO
Alexânia/GO Padre Bernardo/GO
Cabeceiras/GO Pirenópolis/GO
Cidade Ocidental/GO Planaltina/GO
Cocalzinho de Goiás/GO Santo Antonio do Descoberto/GO
Corumbá de Goiás/GO Valparaíso de Goiás/GO
Cristalina/GO Vila Boa/GO
Formosa/GO

 Apresentação da Declaração de Capacidade de Atendimento das Ligações Individuais emitida pela SANEAGO em
modelo próprio da concessionária;
 Apresentação de Declaração do Construtor, modelo CAIXA, sobre a execução/existência dos elementos
construtivos exigidos para essas regiões:
 impermeabilização dos baldrames, radier, sapata corrida ou outro tipo de fundação ;
 impermeabilização das 3 primeiras fiadas de alvenaria;
 vergas e contra-vergas nos vãos de janelas e portas;
 cintas de amarração superior nas paredes;
 tratamento contra cupim em todo tipo de madeira aplicada na estrutura da cobertura e das esquadrias
(folhas, caixilhos, marcos);

43.000 v106 SICAQ 28


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 contra-marcos e alizares.
2.14.2.1.1 Essa verificação é feita na vistoria do imóvel, pela engenharia da CAIXA, do atendimento das exigências
técnicas estabelecidas para os imóveis localizados no Distrito Federal e Região do Entorno do DF.

2.14.2.2 QUALIFICAÇÃO/CERTIFICAÇÃO DO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO UTILIZADO NA OBRA


2.14.2.2.1 Informar ao cliente que para as modalidades Aquisição de Imóvel Novo, Aquisição de Terreno e
Construção, Construção em Terreno Próprio é obrigatória a utilização de materiais cujas especificações técnicas
cumpram as normas fixadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e, conforme regulamentação,
sejam:
 qualificados pelo Sistema de Qualificação de Materiais, Componentes e Sistemas Construtivos (SiMaC), no âmbito
do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQPH) da Secretaria Nacional de Habitação do
Ministério das Cidades; ou
 certificados por Organismo de Certificação de Produto (OCP), acreditado pelo INMETRO definições ficam no item
de mesmo nome, no âmbito do Sistema Brasileiro de A valiação de Conformidade (SBAC).
2.14.2.2.2 Informar ao proponente que as relações dos materiais qualificados ou certificados citados acima estão
disponíveis, respectivamente, nos sites:
 Ministério das Cidades http://www.cidades.gov.br/pbqp-h/projetos_simac_psqs.php#top, sendo a consulta
efetuada pelo Responsável Técnico pela execução da obra, vendedor(es) ou proponente (s), na forma abaixo:
 Seleciona no campo “Programas Setoriais de Qualidades – PSQs” o material a ser consultado e no campo
“Documentos Relacionados” abre o arquivo “Classificação das Empresas” ou, se não localizado este, o
arquivo “Relatório Setorial” para consulta aos materiais e verificação da sua qualificação ;
 Inmetro http://www.inmetro.gov.br/prodcert/produtos/busca.asp .
2.14.2.2.3 O cumprimento das condições acima é atestado mediante declaração preenchida pelo:
 Responsável Técnico pela execução da obra ou, alternativamente, pelo(s) vendedor(es) do imóvel, na modalidade
Aquisição de Imóvel Novo;
 Responsável Técnico pela execução da obra ou pelo(s) proponente(s), nas modalidades Aquisição de Terreno e
Construção, Construção em Terreno Próprio e Conclusão, Ampliação ou Melhoria.

2.15 PORTABILIDADE CONTA SALÁRIO PARA CAIXA – CCFGTS, CCSBPE E PRÓ-COTISTA


2.15.1 Para contratações CCFGTS, CCSBPE e PRÓ-COTISTA com previsão de conta salário, descritas nos
Anexos I, II e III, a solicitação à Agência/PA para a portabilidade para a CAI XA é efetuada após a verificação da
conformidade da operação pela CICOB /CEHOP e abertura de conta pela Agência/PA.

2.16 ACOMPANHAMENTO DA PROPOSTA DE FINANCIAMENTO PELA INTERNET – PROPOSTAS


CADASTRADAS NO SISTEMA SIOPI
2.16.1 Informar ao proponente que poderá acompanhar a sua proposta de financiamento pela Internet, acessando a
página da CAIXA: https://siopiweb.caixa.gov.br/siopiweb/mantemPropostaInternet.do?method=i niciarCasoUso ou
www.caixa.gov.br – Habitação – Acompanhe seu financiamento.
2.16.2 Para que o proponente visualize as etapas de sua proposta é pré -requisito que o CCA ou a Agência
responsável pela proposta de financiamento tenha cadastrado o seu e-mail pessoal no Cadastro CAIXA
(Pré-SICLI ou SICLI) e a proposta de financiamento tenha sido criada no SIOPI.
2.16.3 Propostas operacionalizadas no SIACI/CIWEB – Portal de Empreendimentos – NÃO podem ser
acompanhadas pela Internet.
2.16.4 A partir da criação da proposta no SIOPI, o cliente recebe, automaticamente, código da proposta, bem como,
orientações para acompanhamento.
2.16.5 O proponente acessa a página de acompanhamento informando, na tela de acesso, o número de sua
proposta de financiamento recebida no e-mail, CPF e data de nascimento.
2.16.6 Para esclarecimento de dúvidas sobre as informações constantes na página de ‘Acompanhamento da
Proposta de Financiamento’, o proponente deverá entrar em contato com o CCA ou com a Agência/PA onde
entregou a sua documentação.
2.16.6.1 O Correspondente solicita esclarecimentos, caso existam, à agência de vinculação da proposta.

2.17 TARIFA, TRIBUTOS E ENCARGO MENSAL

43.000 v106 SICAQ 29


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
2.17.1 TARIFA PARA ANÁLISE DE APÓLICE INDIVIDUAL – CCFGTS, PMCMV, CCSBPE E PRÓ COTISTA
 Devida, conforme Tabelas de Tarifas CAIXA que poderá ser visualizada no endereço http://www.caixa.gov.br/,
clicando em “downloads”, “Tabela de Tarifas – Pessoa física e pessoa jurídica”, arquivo
“Tabela_de_Tarifas_PF.pdf”, Habitação, “Tarifa para análise de apólice de seguros”, na apresentação de outra
apólice que não seja CAIXA Seguradora ou PAN Seguros ou Tokio Marine;
 Devida, conforme Tabelas de Tarifas CAIXA, visualizada no endereço: http://www.caixa.gov.br/, clicando em
“downloads”, “Tabela de Tarifas – Pessoa física e pessoa jurídica”, arquivo “Tabela_de_Tarifas_PF.pdf”,
Habitação, “Tarifa para análise de apólice de seguros”, na apresentação de outra apólice que não seja CAIXA
Seguradora, PAN Seguros ou American Life, se contratação no PMCMV.

2.17.2 VENCIMENTO DO ENCARGO MENSAL


2.17.2.1 Orienta que o encargo mensal vence a partir do mês subsequente ao da contratação, no dia
correspondente ao da assinatura do contrato pelos proponentes na Agência/PA.

2.18 ENCAMINHAMENTO DAS PROPOSTAS À CAIXA


2.18.1 Encaminha à CICOB o dossiê da proposta habitacional assinado pelo CCA, exceto as atendidas pela
CEHOP, para verificação da conformidade conforme abaixo:
 Digitaliza os documentos integrantes do dossiê no SICTD INTERNET: https:\\digitalizar.caixa.gov.br, conforme
orientações contidas na cartilha – Manual Usuário CCA disponível no SICTD.
2.18.1.1 Cabe ao CCA encaminhar o dossiê físico à Agência/PA de contratação, impreterivelmente no 1º dia útil
subsequente ao recebimento do Parecer Conforme emitido pela CICOB.
2.18.2 Encaminha para a CEHOP os processos digitalizados, via SICAQ- SISDU:
 todas as unidades habitacionais de empreendimentos, inclusive parcerias e alocação de recursos;
 operações individuais, vinculadas às Grandes Empresas;
 todas as operações individuais no âmbito do SFI.
2.18.2.1 As orientações para o envio da documentação digitalizada deverão ser verificadas no SIOPI, Informe
2014/0005 – TUTORIAL DE DIGITALIZAÇÃO DE DOCUMENTOS PELOS CCA E TRANSMISSÃO VIA SISTEMA
CAIXA AQUI (SICAQ) – SISDU.
2.18.2.2 Cabe ao CCA encaminhar o dossiê físico à Agência/PA de contratação, impreterivelmente no 1º dia útil
subsequente à confirmação de recebimento dos arquivos de imagem consistentes na CEHOP.
2.18.3 Recebe parecer da CICOB /CEHOP com o resultado da análise de Conformidade, por meio de mensagem
eletrônica.
2.18.4 Os dossiês com parecer inconforme, que estão na CICOB /CEHOP, devem ser regularizados, pelo CCA, em
até 30 dias corridos a partir da data do primeiro parecer emitido pela CICOB e até 60 dias corridos a partir da data
do primeiro parecer emitido pela CEHOP.
2.18.5 Os parceiros vinculados às Pequenas, Médias e Grandes Empresas conforme cronograma do
Informe 2014/0017 de migração das atividades de conformidade Empr eendimentos disponível no SIOPI, deverão
encaminhar os dossiês físicos para a Agência/PA cuja conformidade foi verificada pela CEHOP.

2.19 CONTRATAÇÃO
2.19.1 Agendar com os proponentes e Agência/PA, após a aprovação e validação da proposta pela CICOB
/CEHOP, a data para contratação dos produtos da área comercial.
2.19.2 Agendar com os proponentes, vendedores, participantes, cônjuges e Agência/PA, após a emissão do parecer
conforme pela CICOB/CEHOP e contratação dos produtos comerciais, se houver, a data para a assinatura do
contrato habitacional, observando a data de validade do parecer, e acompanha a assinatura do contrato.
2.19.3 No caso de proposta vinculada a empreendimento, inclusive parcerias, verifica com a Agência/PA a data
definida para a assinatura.

2.20 CONFORMIDADE DA GARANTIA – SOMENTE OPERAÇÕES ATENDIDAS PELA CEHOP


2.20.1 O CCA encaminha à CEHOP, via SICAQ-SISDU, o contrato registrado e a matrícula individual atualizada,
emitida pelo Cartório de Registro de Imóveis, com data atual, e páginas do contrato registrado, contendo os dado s
necessários à verificação da conformidade:
 nome e CPF do proponente/participante(s) e cônjuge/companheiro(s);

43.000 v106 SICAQ 30


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 endereço do imóvel;
 registro da compra e venda;
 cancelamento de hipoteca/ônus, nos casos em que o Interveniente Quitante for outra IF diferente da Caixa e
Portabilidade; 
 averbação da garantia em favor da CAIXA; 
 páginas do contrato contendo: Quadros “A” a “F”(se houver) e cláusulas/itens iniciais do contrato até
“DESTINAÇÃO DOS RECURSOS/LEVANTAMENTO DOS RECURSOS/LEVANTAMENTO DOS RECURSOS E
EXECUÇÃO DA OBRA. 
2.20.2 Para os casos de imóvel em construção, o CCA encaminha à CEHOP as páginas da matrícula mãe onde
constam:
 abertura da matrícula, contendo todos os dados do imóvel e do proprietário;
 registro ou averbação com a última atualização do endere ço, da numeração predial e do respectivo complemento;
 cancelamento de hipoteca/ônus, nos casos em que o Interveniente Quitante for outra IF diferente da Caixa; 
 registro da compra e venda;
 averbação da garantia em favor da CAIXA;
 páginas do contrato contendo: Quadros “A” a “F”(se houver) e cláusulas/itens iniciais do contrato até
“DESTINAÇÃO DOS RECURSOS/LEVANTAMENTO DOS RECURSOS/LEVANTAMENTO DOS RECURSOS E
EXECUÇÃO DA OBRA. 
2.20.3 As garantias de operações de empreendimentos prospectadas pelo CCA podem ser encaminhadas
diretamente pelo CCA à CEHOP para verificação da conformidade.
2.20.4 As orientações para o envio da documentação digitalizada deverão ser verificadas no SIOPI, Informe
2014/0046- SISDU Tutorial CCA – Garantias – Digitalização e Transmissão para a CEHOP via CAIXA Aqui SICAQ-
SISDU.
2.20.5 Recebe da CEHOP resultado da análise de Conformidade da Garantia, por meio de mensagem eletrônica.

3 PREVENÇÃO A LAVAGEM DE DINHEIRO


3.1 Observa as disposições constantes na Cartilha de Prevenção à Lavagem de Dinheiro - MO43030, com especial
atenção para a identificação de situações suspeitas e a sua informação à agência de relacioname nto, a exemplo de:
 transação imobiliária incompatível com o patrimônio, a atividade principal desenvolvida ou a capacidade financeira
das partes;
 transação imobiliária cujo valor em contrato se mostre divergente da base de cálculo do ITBI recolhido;
 transação imobiliária cujo pagamento ou recebimento seja realizado por terceiros;
 transação imobiliária ou proposta cujo comprador tenha sido anteriormente dono do mesmo imóvel;
 transações imobiliárias ou propostas que, por suas características, no que se refer e às partes envolvidas, valores,
forma de realização, instrumentos utilizados ou pela falta de fundamento econômico ou legal, possam configurar
indícios de crime;
 transação imobiliária cujo pagamento ou recebimento envolva pessoa física ou jurídica estrang eira ou com
domicílio/sede em outro país;
 resistência em prestar as informações necessárias para a formalização da transação imobiliária ou do cadastro,
oferecimento de informação falsa ou prestação de informação de difícil ou onerosa verificação.

4 ANEXOS
Páginas subsequentes.

43.000 v106 SICAQ 31


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.1 ANEXO I – CONDIÇÕES CCFGTS E PMCMV


 Encontram-se suspensas a partir de 03/04/2017 as contratações no programa CCFGTS – Faixa Estendida
constantes no item 4.1 deste Manual.

4.1.1 EXIGÊNCIAS ESPECÍFICAS


 verificar as exigências gerais para os proponentes/cônjuges/companheiros no subitem 1.2.5.1.

4.1.1.1 PROPONENTES/CÔNJUGE/COMPANHEIRO – CCFGTS E PMCMV


 Não ser detentor de financiamento habitacional ativo nas condições do SFH, inclusive de AMC, em qualquer parte
do País, independente do percentual de propriedade.
 Não ser proprietário, cessionário ou promitente comprador de outro imóvel residencial urbano concluído ou em
construção, em um dos locais abaixo:
 no município de domicílio, incluindo os limítrofes e integrantes d a mesma região metropolitana;
 no município de exercício de ocupação principal, incluindo os limítrofes e integrantes da mesma região
metropolitana;
 no município onde pretende trabalhar e/ou residir.
 Não ser titular de direito de aquisição de imóvel residen cial urbano concluído ou em construção, no atual local de
domicilio nem onde pretenda fixá-lo, inclusive no PAR, a menos que comprove desistência do PAR ;
 É vedada a concessão de novo desconto a proponente beneficiado com subsídio concedido pelo FGTS, a par tir de
02 MAIO de 2005, exceto se o financiamento anterior foi para AMC ;
 Ao proponente beneficiado para o PMCMV observar ainda as condições abaixo :
 Não ter recebido desconto/subsídio concedido pelo FGTS, a partir de 02 MAI 2005, exceto se o
financiamento anterior foi para AMC;
 Não ter qualquer contratação com cobertura FGHab;
 Não ter qualquer contratação no PMCMV com ou sem desconto/subsídio.

4.1.1.2 SITUAÇÕES EXCEPCIONAIS QUANTO À TITULARIDADE DE IMÓVEL


 para a concessão das operações com as situações excepcionai s contidas no subitem 4.7.2.17, o CCA deve
orientar o cliente a se dirigir a uma Agência/PA da CAIXA para atendimento.

4.1.2 VENDEDOR DO IMÓVEL – CCFGTS E PMCMV


 verificar exigências gerais nos subitens 2.5.1 e 2.13.7.

4.1.3 IMÓVEL – CCFGTS E PMCMV


 verificar exigências gerais no subitem 2.14.1;
 Nas operações enquadradas no Programa Minha Casa Minha Vida, são aceitos como garantia imóveis de
propriedade do Poder Público local, ou por ele doado, desde que haja prévia análise do Jurídico Regional, na
forma do subitem 4.7.2.23.

4.1.3.1 SE IMÓVEL NOVO


4.1.3.1.1 Alem das exigências estabelecidas no item 4.1.3 deve ser Produzido/construído por pessoa jurídica do
ramo da construção civil, condição a ser verificada conforme estabelecido no item 4.1.3.1.2, observando que:
 excetuam-se desta regra os empreendimentos estruturados sob o amparo dos programas de Financiamento às
Pessoas Físicas contratados sob a forma Associativa.
4.1.3.1.2 A verificação da origem de produção/construção do imóvel é efetuada por meio da documentação abaixo:
 cartão do CNPJ, com o Código e Descrição da Atividade Econômica (CNAE), principal ou secundária: 41.20 -4-00
Construção de Edifícios e situação cadastral Ativa;
 ART/RRT, contendo os dados do Responsável Técnico, da empresa Produtora/Construtora e identificação da
Obra.
43.000 v106 SICAQ 32
Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.1.3.1.3 Para imóveis que possuam Alvará de Construção emitido até 30 JUN 2017 é dispensada:
 a produção/construção do imóvel por pessoa jurídica do ramo da construção civil;
 a apresentação do Cartão do CNPJ.

4.1.4 DESCONTOS
4.1.4.1 Concedido na CCFGTS, PMCMV Faixas 1,5 e 2 sob a forma de desconto para redução no valor das
prestações ou para pagamento de parte da aquisição ou construção do imóvel, com caráter pessoal e intransferível,
concedido ao beneficiário final PF.
4.1.4.2 Na CCFGTS o desconto é concedido com recursos do FGTS, uma única vez por beneficiário, se a
concessão do desconto ocorreu a partir de 02 MAI 2005.
4.1.4.3 No PMCMV é concedido com recursos do FGTS e da União, uma única vez por imóvel e por beneficiário.
4.1.4.4 Pode ser concedido a beneficiário de descontos concedidos a qualquer tempo pelo FGTS, desde que a
concessão anterior tenha sido na modalidade AMC, ou anterior a 02 MAI 2005.

4.1.5 DESCONTO PARA PAGAMENTO DE PARTE DO VALOR DO IMÓVEL – CCFGTS E PMCMV FAIXA 2
4.1.5.1 Somente é concedido a proponentes com renda familiar bruta mensal até R$ 4.000,00, observados os
limites máximos de renda de cada grupo estabelecidos nos itens 4.1.5.3.3 (Grupo I), 4.1.5.3.4 (Grupo II) e 4.1.5.3.5
(Grupo III), para as modalidades:
 Aquisição de Imóvel Novo;
 Aquisição de Terreno e Construção;
 Construção em Terreno Próprio;
 Aquisição de Imóvel Usado.
4.1.5.1.1 O valor de desconto apurado conforme subitem 4.1.5.3 será concedido, integralmente, à família com renda
familiar bruta mensal até R$ 4.000,00, se:
 houver mais de 01 proponente no financiamento; ou
 houver 01 ou mais proponente no financiamento e possuir(em) dependente(s).
4.1.5.1.2 A SE 238 é demonstrada de forma automática nos sistemas SIOPI e CIWEB, permitindo a concessão
integral do desconto, caso seja informado “SIM” para a pergunta: “Tem mais de um participante ou tem dependente .
4.1.5.1.3 Nos financiamentos com 01 proponente e este não possuir dependente, o desconto será de 70%, do valor
apurado no item 4.1.5.3.
4.1.5.1.4 No caso de transferência ou liquidação antecipada dos contratos de financiamento imobiliário assinados a
partir de 04/01/2016, até o 5º ano de vigência do contrato, o desconto, deverá ser re stituído proporcionalmente,
com a aplicação da fórmula a seguir:

R = [(D/60) x P] x F

Onde:
R = valor do desconto a ser restituído
D = valor do desconto originalmente concedido
P = número de prestações antecipadas limitada a sexagésima prestação
F = TR (taxa referencial) acumulada entre a data de assinatura do contrato de financiamento e a data do evento

4.1.5.1.4.1 Os contratos assinados a partir de 04/01/2016, com utilização do código de legislação 489,
enquadramento no MO43000 060 não é devida a devolução do desconto conforme subitem 4.1.5.1.4
4.1.5.2 Os dados do proponente beneficiário do desconto são cadastrados automaticamente no SICDM, informando
a condição de BENEFICIÁRIO DO DESCONTO DO FGTS.

4.1.5.3 SISTEMÁTICA DE APURAÇÃO DO DESCONTO PARA PAGAMENTO DE PARTE DO VALOR DO


IMÓVEL – ÁREA URBANA CCFGTS E PMCMV FAIXA 2

43.000 v106 SICAQ 33


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.1.5.3.1 Calculado mediante enquadramento da renda familiar mensal bruta dos proponentes, considerando o
recorte territorial do imóvel e as modalidades operacionais.
4.1.5.3.1.1 Os Recortes Territoriais são delimitados conforme tabela abaixo:

ÁREAS RECORTE TERRITORIAL


1 -Capitais estaduais, classificadas pelo IBGE como metrópoles
-Demais capitais estaduais e municípios com população maior ou igual a 250 mil habitantes, classificadas pelo IBGE
como capitais regionais;
2
-Municípios com população maior ou igual a 100 mil habitantes integrantes das RM das capitais estaduais, de
Campinas/SP, da Baixada Santista e das RIDE de capital
-Municípios com população igual ou maior que 100 mil habitantes;
-Municípios com população menor que 100 mil habitantes integrantes das RM das capitais estaduais, de Campinas,
3
da Baixada Santista e das RIDE de Capital;
-Municípios com população menor que 250 mil habitantes classificados pelo IBGE como capital regional
4 -Municípios com população maior ou igual a 50 mil habitantes e menor que 100 mil habitantes
5 -Municípios com população entre 20 mil habitantes e 50 mil habitantes
6 -Demais municípios

4.1.5.3.1.2 O cálculo e concessão do desconto considerará 3 grupos de modalid ades operacionais:

GRUPOS MODALIDADES OPERACIONAIS


- Aquisição de Imóvel Novo;
1 - Aquisição de Terreno e Construção;
- Construção em Terreno Doado pelo Poder Público Local .
- Construção em Terreno Próprio
2 - Construção em qualquer outro caso onde o Te rreno não seja custo incidente para o(s)
proponente(s)
3 - Aquisição de Imóvel Usado

4.1.5.3.2 As tabelas a seguir, demonstram os valores do desconto, conforme recorte territorial e o intervalo de
renda familiar bruta mensal:

Renda familiar bruta mensal Renda familiar bruta mensal


Até R$ 1.800,00 equivalente a R$ 2.350,00
RECORTE
D1 D2
TERRITORIAL
VALORES DE DESCONTO – MÁX (R$) VALORES DE DESCONTO – MÁX (R$)
ÁREAS
CENTRO- CENTRO-
DF, RJ E SUL, ES NORTE E DF, RJ E SUL, ES E NORTE E
OESTE, OESTE,
SP E MG NORDESTE SP MG NORDESTE
EXCETO DF EXCETO DF

1 29.000 26.365 23.200 23.200 14.765 11.250 11.075 11.075


2 27.420 23.200 21.090 21.090 11.810 11.075 10.945 10.945
3 20.035 18.980 17.925 16.875 10.885 2.955 2.795 2.625
4 15.815 15.290 14.765 14.765 2.195 2.120 2.045 2.045
5 11.600 11.600 11.600 11.600 1.755 1.755 1.755 1.755
6 10.545 10.545 10.545 10.545 1.170 1.170 1.170 1.170

43.000 v106 SICAQ 34


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Renda familiar bruta mensal equivalente a Renda familiar bruta mensal entre
R$ 2.790,00 R$ 3.275,01 a R$ 4.000,00
RECORTE
D3 D4
TERRITORIAL
VALORES DE DESCONTO – MÁX (R$) VALORES DE DESCONTO – MÁX (R$)
ÁREAS
CENTRO- CENTRO-
DF, RJ E SUL, ES NORTE E DF, RJ E SUL, ES E NORTE E
OESTE, OESTE,
SP E MG NORDESTE SP MG NORDESTE
EXCETO DF EXCETO DF

1 6.115 2.505 2.415 2.415 2.585 2.505 2.415 2.415


2 4.895 2.415 2.350 2.350 2.535 2.415 2.350 2.350
3 2.320 2.290 2.255 2.255 2.320 2.290 2.255 2.255
4 2.195 2.120 2.045 2.045 2.195 2.120 2.045 2.045
5 1.755 1.755 1.755 1.755 1.755 1.755 1.755 1.755
6 1.170 1.170 1.170 1.170 1.170 1.170 1.170 1.170

4.1.5.3.3 GRUPO 1 – concessão de desconto


4.1.5.3.3.1 Para famílias com renda bruta mensal até R$ 1.800,00, enquadradas na modalidade operacional
definida como GRUPO1, item 4.1.5.3.1.2 o valor do desconto está estabelecido no item 4.1.5.3.2 , coluna D1.
4.1.5.3.3.2 Para famílias com renda bruta mensal entre R$ 1.800,01 a R$ 2.349,99, enquadradas na modalidade
operacional definida como GRUPO1, item 4.1.5.3.1.2, o valor do desconto é calculado de acordo com a fórmula:

D= D1 – (D1 – D2) x (R – 1800) / 550

Onde:
D= valor do desconto a ser concedido;
D1 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal limitada a R$ 1.800,00, fixados na
tabela constante do item 4.1.5.3.2;
D2 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal equivalente a R$ 2.350,00,
fixados na tabela constante do item 4.1.5.3.2; e
R = renda familiar bruta mensal do(s) beneficiário(s).

4.1.5.3.3.3 Para famílias com renda bruta mensal equivalente a R$ 2.350,00, enquadradas na modalidade
operacional definida como GRUPO1, item 4.1.5.3.1.2, o valor do desconto é o constante na tabela do
subitem 4.1.5.3.2, coluna D2.
4.1.5.3.3.4 Para famílias com renda bruta mensal de R$ 2.350,01 a R$ 2.789,99, enquadradas na modalidade
operacional definida como GRUPO1, item 4.1.5.3.1.2, o valor do desconto é calculado de acordo com a fórmula:

D= D2 – (D2 – D3) x (R – 2350) / 440

Onde:
D = valor do desconto a ser concedido;
D2 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal equivalente a R$ 2.350,00,
fixados na tabela constante do item 4.1.5.3.2;
D3 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal equivalente a R$ 2.790,00,
fixados na tabela constante do item 4.1.5.3.2;
R = renda familiar bruta mensal do(s) beneficiário(s).

43.000 v106 SICAQ 35


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.1.5.3.3.5 Para famílias com renda bruta mensal equivalente a R$ 2.790,00, enquadradas na modalidade
operacional definida como GRUPO1, item 4.1.5.3.1.2, o valor do desconto é o constante na tabela do
subitem 4.1.5.3.2, coluna D3.
4.1.5.3.3.6 Para famílias com renda bruta mensal de R$ 2.790,01 a R$ 3.274,99, enquadradas na mo dalidade
operacional definida como GRUPO1, item 4.1.5.3.1.2, o valor do desconto é calculado de acordo com a fórmula:

= D3 – (D3 – D4) x (R – 2790) / 485

Onde:
D = valor do desconto a ser concedido;
D3 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal equivalente a R$ 2.790,00,
fixados na tabela constante do item 4.1.5.3.2;
D4 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal situada no intervalo entre R$
3.275,00 a ou R$ 4.000,00, fixados na tabela constante do item 4.1.5.3.2;
R = renda familiar bruta mensal do(s) beneficiário(s)

4.1.5.3.3.7 Para famílias com renda bruta mensal de R$ 3.275,01 a R$ 4.000,00, enquadradas na modalidade
operacional definida como GRUPO1, item 4.1.5.3.1.2, o valor do desconto é o constante na tabela do item 4.1.5.3.2,
coluna D4.

4.1.5.3.4 GRUPO2 – concessão de desconto


4.1.5.3.4.1 Para famílias com renda bruta mensal até R$ 1.800,00, enquadrados na modalidade operacional
definida como GRUPO2, item 4.1.5.3.1.2 os valores de desconto são os relacionados abaixo:

Renda familiar bruta mensal até R$ 1.800,00


RECORTE TERRITORIAL VALORES DE DESCONTO – MÁX (R$)
ÁREAS
DF, RJ E SP SUL, ES E MG CENTRO-OESTE, EXCETO DF NORTE E NORDESTE

1 23.200 21.092 18.560 18.560


2 21.936 18.560 16.872 16.872
3 16.028 15.184 14.340 13.500
4 12.652 12.232 11.812 11.812
5 9.280 9.280 9.280 9.280
6 8.436 8.436 8.436 8.436

4.1.5.3.4.2 Para famílias com renda bruta mensal de R$ 1.800,01 a R$ 2.350,00, enquadrados na modalidade
operacional definida como GRUPO2, item 4.1.5.3.1.2, o desconto é calculado de acordo com a fórmula:

D= [D1 – (D1 – D2) x (R – 1800) / 550] x 0,8

Onde:
D= valor do desconto a ser concedido;
D1 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal limitada a R$ 1.800,00, fixados na
tabela constante do item 4.1.5.3.2;
D2 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal equivalente a R$ 2.350,00,
fixados na tabela constante do item 4.1.5.3.2; e
R = renda familiar bruta mensal do(s) beneficiário(s).

4.1.5.3.4.3 Para famílias com renda bruta mensal de R$ 2.350,01 a R$ 2.789,99, enquadrados na modalidade
operacional definida como GRUPO2, item 4.1.5.3.1.2, o desconto é calculado de acordo com a fórmula:

43.000 v106 SICAQ 36


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

D= [D2 – (D2 – D3) x (R – 2350) / 440] x 0,8

Onde:
D = valor do desconto a ser concedido;
D2 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal equivalente a R$ 2.350,00,
fixados na tabela constante do item 4.1.5.3.2;
D3 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal equivalente a R$ 2.790,00.
fixados na tabela constante do item 4.1.5.3.2;
R = renda familiar bruta mensal do(s) beneficiário(s).
4.1.5.3.4.4 Para famílias com renda bruta mensal de R$ 2.790,01 a R$ 3.274,99, enquadradas na modalidade
operacional definida como GRUPO2, item 4.1.5.3.1.2, o valor do desconto é calculado de acordo com a fórmula:

D= [D3 – (D3 – D4) x (R – 2790) / 485] x 0,8

Onde:
D = valor do desconto a ser concedido;
D3 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal equivalente a R$ 2.790 ,00,
fixados na tabela constante do item 4.1.5.3.2;
D4 = valores do desconto a serem concedidos a famílias com renda bruta mensal situada no intervalo entre R$
3.275,00 a R$ 4.000,00, fixados na tabela constante do item 4.1.5.3.2;
R = renda familiar bruta mensal do(s) beneficiário(s)
4.1.5.3.5 GRUPO3 – concessão de desconto
4.1.5.3.5.1 Para famílias com renda bruta mensal até R$ 1.800,00, enquadrados na modalidade operacional
definida como GRUPO3, item 4.1.5.3.1.2, os valores de desconto são os relacionados abaixo:

Renda familiar bruta mensal até R$ 1.800,00


RECORTE TERRITORIAL VALORES DE DESCONTO – MÁX (R$)
ÁREAS
DF, RJ E SP SUL, ES E MG CENTRO-OESTE, EXCETO DF NORTE E NORDESTE

1 8.700 7.909 6.960 6.960


2 8.226 6.960 6.327 6.327
3 6.010 5.694 5.377 5.062
4 4.744 4.587 4.429 4.429
5 3.480 3.480 3.480 3.480
6 3.163 3.163 3.163 3.163
4.1.5.3.6 A verificação do número de habitantes, bem como a classificação em regiã o metropolitana, região
integrada do entorno e capital regional, dos municípios será com base na mais recente estimativa de população
disponível no sítio eletrônico do IBGE, cuja relação dos municípios com o seu respectivo enquadramento está
disponível na em página inicial do SIOPI.
4.1.5.3.7 O Desconto é concedido no valor máximo definido nos quadros acima, independentemente da capacidade
de pagamento do proponente apurada na avaliação de risco de crédito, limitado ao valor de co mpra e venda ou
investimento do imóvel, observado o VF mínimo definido para cada modalidade.
4.1.5.3.8 É permitida, se opção do proponente, a contratação de financiamento nas condições estabelecidas no
MO43000 060 observando o que segue:
Contratação com Enquadramento no MO 43000 060
MUNICÍPIOS
Opção do cliente
Para operações de crédito com PJ, contratadas até 30
Enquanto houver unidades a serem comercializadas
abril de 2016, as unidades produzidas poderão ser
no empreendimento
comercializadas com as PF, exclusivamente nos

43.000 v106 SICAQ 37


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
casos de municípios, onde o valor de enquadramento
dos imóveis, foi reduzido.
Exclusivamente para operações de crédito com PF
nos Municípios onde o valor de venda ou investimento 31 DEZ 2017
dos imóveis foi reduzido
4.1.5.3.8.1 Para enquadramento no MO43000 060 é utilizado um dos códigos de Legislação abaixo:
 489 caso o cliente não tenha sido beneficiado com subsídio, se CCFGTS ou PMCMV;
 491 caso o cliente já tenha sido beneficiado com subsídio, se CCFGTS.

4.1.6 DESCONTO PARA PAGAMENTO DE PARTE DO VALOR DO IMÓVEL – PMCMV FAIXA 1,5
4.1.6.1 Somente é concedido à proponente(s) com renda familiar bruta mensal até R$ 2.600,00, observado os
limites máximos de renda de cada grupo estabelecidos nos itens 4.1.6.4.2, 4.1.6.4.3 e 4.1.6.4.4 para aquisição de
imóvel integrante de empreendimentos produzidos por pessoas jurídicas do ramo da construção civil, no âmbito do s
Programas Apoio à Produção de Habitações ou Parcerias – Imóvel na Planta – Carta de Crédito FGTS Associativo.
4.1.6.1.1 O valor do desconto apurado conforme item 4.1.6.4 será concedido, integralmente, à família com renda
familiar bruta mensal até R$ 2.600,00, se:
 houver mais de 01 proponente no financiamento, ou
 houver 01 ou mais proponente no financiamento e possuir(em) dependente(s).
4.1.6.1.2 Nos financiamentos com 01 proponente e este não possuir dependente(s), o desconto será de 70%, do
valor apurado nos itens 4.1.6.4.2, 4.1.6.4.3 e 4.1.6.4.4.
4.1.6.1.3 No caso de transferência ou liquidação antecipada do financiamento imobiliário, até o 5º ano de vigência
do contrato, o desconto, deverá ser restituído proporcionalmente, com a aplicação da fórmula a seguir:

R = [(D/60) x P] x F

Onde:
R = valor do desconto a ser restituído
D = valor do desconto originalmente concedido
P = número de prestações antecipadas limitada a sexagésima prestação
F = TR (taxa referencial) acumulada entre a data de assinatura do contrato de financiamento e a data do evento
4.1.6.2 Os dados do(s) proponente(s) beneficiário(s) do desconto são cadastrados automaticamente no SICDM,
informando a condição de BENEFICIÁRIO DO DESCONTO DO FGTS.

4.1.6.3 CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DO DESCONTO PMCMV FAIXA 1,5


4.1.6.3.1 Os descontos serão concedidos, exclusivamente, para aquisição de imóveis integrantes de
empreendimentos produzidos por pessoas jurídicas do ramo da construção civil, no âmbito do s Programas Apoio à
Produção de Habitações ou Parcerias – Imóvel na Planta – Carta de Crédito FGTS Associativo.

4.1.6.4 SISTEMÁTICA DE APURAÇÃO DO DESCONTO PARA PAGAMENTO DE PARTE DO VALOR DO


IMÓVEL – ÁREA URBANA – PMCMV FAIXA 1,5
4.1.6.4.1 Calculado mediante enquadramento da renda familiar bruta mensal do(s) proponente(s ), considerando o
recorte territorial do imóvel.
4.1.6.4.1.1 O cálculo e a concessão do desconto considerarão a modalidade operacional imóvel novo produzido por
pessoa jurídica do ramo da construção civil.
4.1.6.4.2 Ficam definidos, na forma da tabela a seguir, os valores do desconto aplicáveis aos imóveis cujo valor de
venda e compra ou investimento esteja enquadrado nos limites estabelecidos no item 4.1.9, PMCMV Faixa 1,5,
destinados, exclusivamente, a pessoas físicas, cuja renda familiar bru ta mensal esteja limitada a R$ 1.600,00.

43.000 v106 SICAQ 38


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Renda familiar bruta mensal - Até R$ 1.600,00


RECORTE TERRITORIAL VALORES DE DESCONTO – MÁX (R$)
ÁREAS CENTRO-OESTE, NORTE E
DF, RJ E SP SUL, ES E MG
EXCETO DF NORDESTE

- Capitais estaduais classificadas pelo IBGE como


47.500 42.220 36.945 36.945
metrópoles
- Demais capitais estaduais e municípios com
população maior ou igual a 250 mil habitantes
classificados pelo IBGE como capital regional;
- Municípios com população maior ou igual a 100 42.220 36.945 31.665 31.665
mil habitantes integrantes das RM de capitais
estaduais, de Campinas/SP, da Baixada Santista
e RIDE de Capital
- Municípios com população igual ou maior que
100 mil habitantes;
- Municípios com população menor que 100 mil
habitantes integrantes das RM das capitais 31.665 26.390 23.220 21.110
estaduais, de Campinas/SP, da Baixada Santista
e das RIDE de Capital, municípios com população
menor que 250 mil habitantes classificados pelo
IBGE como capitais regionais
- Municípios com população maior ou igual a 50
20.055 19.530 19.000 19.000
mil habitantes e menor que 100 mil habitantes
- Municípios com população entre 20 mil
12.665 12.665 12.665 12.665
habitantes e 50 mil habitantes
- Demais municípios 11.610 11.610 11.610 11.610
4.1.6.4.3 Nos casos de financiamentos destinados a pessoas físicas, cuja renda familiar bruta mensal esteja situada
no intervalo entre R$ 1.600,01 a R$ 2.349,99, o desconto será calculado de acordo com a aplicação da fórmula a
seguir especificada:

D=D1 – (D1 – D2) x (R – 1.600) / 750

Onde:
D = valor do desconto;
D1 = valores fixados pela tabela do item 4.1.6.4.2;
D2 = valores fixados pela tabela do item 4.1.6.4.4;
R = renda familiar bruta mensal.
4.1.6.4.4 Nos casos de financiamentos destinados a pessoas físicas, com renda familiar bruta mensal situada no
intervalo entre R$ 2.350,00 a R$ 2.600,00, o desconto será de acordo com tabela a seguir:

Renda familiar bruta mensal entre:

RECORTE TERRITORIAL
R$ 2.350,00 a R$ 2.600,00
VALORES DE DESCONTO – MÁX (R$)
ÁREAS
DF, RJ E SUL, ES CENTRO-OESTE, NORTE E
SP E MG EXCETO DF NORDESTE

- Capitais estaduais classificadas pelo IBGE como


15.835 12.665 11.610 11.610
metrópoles
- Demais capitais estaduais;
- Municípios com população maior ou igual a 250 mil
habitantes classificados pelo IBGE como capitais 12.665 11.610 10.980 10.980
regionais;
- Municípios com população maior ou igual a 100 mil

43.000 v106 SICAQ 39


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
habitantes integrantes das RM de capitais estaduais,
de Campinas/SP, Baixada Santista e RIDE de Capital
- Municípios com população igual ou maior que 100 mil
habitantes;
- Municípios com população menor que 100 mil
habitantes integrantes das RM das capitais estaduais, 10.980 3.745 3.545 3.545
de Campinas/SP, da Baixada Santista e das RIDE de
Capital, - Municípios com população menor que 250 mil
habitantes classificados pelo IBGE como capitais
regionais
- Municípios com população maior ou igual a 50 mil
2.780 2.710 2.635 2.635
habitantes e menor que 100 mil habitantes
- Municípios com população entre 20 mil habitantes e
1.825 1.825 1.825 1.825
50 mil habitantes
- Demais municípios 1.295 1.295 1.295 1.295
4.1.6.4.5 A verificação do número de habitantes, bem como a classificação em região metropolitana, região
integrada do entorno e capital regional, dos municípios será com base na mais recente estimativa de população
disponível no sítio eletrônico do IBGE, cuja relação dos municípios com o seu respectivo enquadramento está
disponível na em página inicial do SIOPI.
4.1.6.4.6 O Desconto é concedido no valor máximo definido nos quadros acima, independentemente da capacidade
de pagamento do proponente apurada na avaliação de risco de crédito, limitado ao valor de compra e venda ou
investimento do imóvel, observado o VF mínimo definido pa ra cada modalidade.

4.1.7 DESCONTO PARA REDUÇÃO NO VALOR DAS PRESTAÇÕES


4.1.7.1 Desconto destinado a reduzir o valor da prestação por meio da redução da taxa de juros do financiamento e
dispensa do pagamento da TA mensal pelos devedores, concedido aos proponentes PF co m renda familiar bruta
mensal até R$ 4.000,00, para todas as modalidades:
 Aquisição de Imóvel Novo;
 Aquisição de Terreno e Construção;
 Construção em Terreno Próprio;
 Aquisição de Imóvel Usado.
4.1.7.1.1 Para o PMCMV Faixa 1,5, o desconto é concedido aos proponentes PF com renda familiar bruta mensal
até R$ 2.600,00, para aquisição de imóveis integrantes de empreendimentos produzidos por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito dos Programas de Apoio à Produção de Habitações ou Parcerias – Imóvel na Planta –
Carta de Crédito FGTS Associativo.
4.1.7.1.2 O desconto referente à redução da taxa de juros e o pagamento da TA são suportados pelo FGTS.
4.1.7.1.2.1 A taxa de juros com desconto para redução da prestação corresponde à diferença entre a taxa de juros
sem desconto e o desconto concedido para redução da prestação:
Renda familiar bruta Taxa de Juros Redução na taxa Taxa de juros com desconto
Modalidades
mensal sem desconto de juros p/ redução da prestação
Até R$ 2.600,00 7,16% a.a. 2,16% a.a. 5,0% a.a. Item 4.1.7.1.1
Até R$ 2.600,00 7,16% a.a. 1,66% a.a. 5,5% a.a. Todos os Grupos
De R$ 2.600,01 a R$
7,16% a.a. 1,16% a.a. 6,0% a.a. Todos os Grupos
3.000,00
De R$ 3.000,01 a R$
7,16% a.a. 0,16% a.a. 7,00% a.a. Todos os Grupos
4.000,00

4.1.7.2 SISTEMÁTICA DE APURAÇÃO DO DESCONTO PARA REDUÇÃO DO VALOR DA PRESTAÇÃO


PARA PAGAMENTO À VISTA PELO FGTS
4.1.7.2.1 O desconto referente a redução da taxa de juros para pagamento à vista na data da contratação pelo
FGTS a IF é obtido pela diferença de cálculo entre o fluxo teórico do financiamento à taxa de juros a ser contratada
e o fluxo teórico do financiamento à taxa de juros acrescida do percentual de redução na taxa de juros, ambos no
prazo contratado.

43.000 v106 SICAQ 40


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.1.7.2.2 A TA para pagamento à vista na data da contratação pelo FGTS a IF é obtida mediante cálculo, na data da
concessão pelo prazo contratado da operação, trazido ao valor presente à taxa referencial SELIC divulgada pelo
Conselho Curador do FGTS.
4.1.7.2.2.1 A taxa SELIC a ser utilizada no exercício de 2017 10,48% (dez inteiros e quarenta e oito centésimos por
cento) ao ano.
4.1.7.2.2.2 O somatório da TA e do Diferencial de Juros pagos à vista é limitado a 75% do valor do financiamento
concedido ao beneficiário e, ainda, aos seguintes valores por contrato:

Renda familiar bruta mensal Valor máximo do desconto


Até R$ 2.600,00 R$ 21.000,00
De R$ 2.600,01 a R$ 3.000,00 R$ 19.000,00
De R$ 3.000,01 a R$ 4.000,00 R$ 15.000,00
4.1.7.2.3 O desconto para redução do valor da prestação é devolvido ao FGTS, pela CAIXA, na ocorrência de
liquidação antecipada da dívida, amortização extraordinária, transferência da dívida ou redução de prazo de
amortização, acrescido da atualização pelo mesmo índice aplicado às contas vinculadas do FGTS.

4.1.7.3 FERRAMENTA DE APOIO AO USUÁRIO PARA CÁLCULO DO DESCONTO


 simulador disponibilizado na internet no endereço https://siopiweb.caixa.gov.br.

4.1.8 GARANTIA
4.1.8.1 Alienação fiduciária do imóvel, constituída pelo terreno e benfeitorias existentes ou a serem construídas ,
com código de garantia:
 0426 (imóveis residenciais);
 0427 (outros imóveis).

4.1.9 MODALIDADES, RECORTE TERRITORIAL, VALORES DE VENDA E COMPRA OU INVESTIMENTO,


VALOR DE FINANCIAMENTO (VF), QUOTA, PRAZOS E SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO
4.1.9.1 Capitais estaduais classificadas pelo IBGE como metrópoles:

VALOR DE VENDA/INVESTIMENTO PRAZO


MÁXIMO (R$ 1,00) AMORT
VF
PROGRAMA MODALIDADES
Centro MÁX
DF, RJ e SUL, ES Norte e
Oeste, MÍN MÁX
SP e MG Nordeste
exceto DF
FAIXA 1,5
Aquisição imóvel integrante
de empreendimentos
produzidos por PJ do ramo
da construção civil, no
âmbito dos Programas: SAC
Apoio a Produção de 144.000 133.000 128.000 128.000
Habitações ou 80%
PMCMV 120 360
Parcerias – Imóvel na Planta
Carta de Crédito FGTS
Associativo
SFA/TP
FAIXAS 2 e 3 80%
Aquisição imóvel novo
Construção terreno próprio
240.000 215.000 190.000 190.000
Aquisição de terreno e
construção

CCFGTS HABITAÇÃO POPULAR - RENDA ATÉ R$ 7 MIL 360

43.000 v106 SICAQ 41


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

SAC 120
80%
SFA/TP
Aquisição imóvel novo 80%
Construção terreno próprio
Imóvel
Aquisição de terreno e 240.000 215.000 190.000 190.000 Usado:
construção
SAC
Aquisição imóvel usado
50%
SFA/TP
40%

CONTRATAÇÕESSUSPENSAS A PARTIR DE 03/04/2017


FAIXA ESTENDIDA - RENDA ATÉ R$ 9 MIL

Aquisição imóvel novo


Construção terreno próprio
300.000 268.000 237.000 237.000
Aquisição de terreno e
construção

4.1.9.2 Demais capitais estaduais e municípios com população maior ou igual a 250 mil habitantes classificados
pelo IBGE como capital regional, municípios com população maior ou igual a 100 mil habitantes integrantes das
Regiões Metropolitanas das capitais estaduais, de Campinas/SP, da Baixada Santista e das Regiões Integradas de
Desenvolvimento – RIDE de capital:

VALOR DE VENDA/INVESTIMENTO PRAZO


MÁXIMO (R$ 1,00) AMORT
VF
PROGRAMA MODALIDADES
Centro MÁX
DF, RJ e SUL, ES Norte e
Oeste, MÍN MÁX
SP e MG Nordeste
exceto DF
FAIXA 1,5
Aquisição imóvel integrante
de empreendimentos
produzidos por PJ do ramo
da construção civil, no SAC
âmbito dos Programas: 80%
Apoio a Produção de 133.000 128.000 122.000 122.000
Habitações ou
PMCMV 120 360
Parcerias – Imóvel na Planta
Carta de Crédito FGTS
Associativo
SFA/TP
FAIXAS 2 e 3 80%
Aquisição imóvel novo
Construção terreno próprio
230.000 190.000 180.000 180.000
Aquisição de terreno e
construção

CCFGTS HABITAÇÃO POPULAR - RENDA ATÉ R$ 7 MIL 360


120

43.000 v106 SICAQ 42


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Aquisição imóvel novo


Construção terreno próprio
Aquisição de terreno e 230.000 190.000 180.000 180.000
construção
SAC
Aquisição imóvel usado 80%
SFA/TP
80%
CONTRATAÇÕESSUSPENSAS A PARTIR DE 03/04/2017 Imóvel
FAIXA ESTENDIDA - RENDA ATÉ R$ 9 MIL Usado:
SAC
50%
SFA/TP
40%
Aquisição imóvel novo
Construção terreno próprio
287.000 237.000 225.000 225.000
Aquisição de terreno e
construção

4.1.9.3 Municípios com população igual ou maior que 100 mil habitantes, municípios com população menor que 100
mil habitantes integrantes das RM das capitais estaduais, de Campinas /SP, da Baixada Santista e das RIDE de
Capital, municípios com população menor que 250 mil habitantes classificad os como capital regional:

VALOR DE VENDA/INVESTIMENTO PRAZO


MÁXIMO (R$ 1,00) AMORT
VF
PROGRAMA MODALIDADES
Centro MÁX
DF, RJ e SUL, ES Norte e
Oeste, MÍN MÁX
SP e MG Nordeste
exceto DF
FAIXA 1,5
Aquisição imóvel integrante
de empreendimentos
produzidos por PJ do ramo
da construção civil, no
âmbito dos Programas: SAC
Apoio a Produção de 122.000 117.000 112.000 106.000
80%
Habitações ou
Parcerias – Imóvel na Planta
PMCMV – Carta de Crédito FGTS 120 360
Associativo
FAIXAS 2 e 3
SFA/TP
80%
Aquisição imóvel novo
Construção terreno próprio
180.000 170.000 165.000 160.000
Aquisição de terreno e
construção

CCFGTS HABITAÇÃO POPULAR - RENDA ATÉ R$ 7 MIL SAC 120 360

43.000 v106 SICAQ 43


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
80%
SFA/TP
Aquisição imóvel novo 80%
Construção terreno próprio
Aquisição de terreno e Imóvel
180.000 170.000 165.000 160.000 Usado:
construção
Aquisição imóvel usado SAC
50%
SFA/TP
CONTRATAÇÕESSUSPENSAS A PARTIR DE 03/04/2017 40%

FAIXA ESTENDIDA - RENDA ATÉ R$ 9 MIL

Aquisição imóvel novo


Construção terreno próprio
225.000 212.000 206.000 200.000
Aquisição de terreno e
construção

4.1.9.4 Municípios com população maior ou igual a 50 mil habitantes e menor que 100 mil habitantes:
VALOR DE VENDA/INVESTIMENTO PRAZO
MÁXIMO (R$ 1,00) AMORT
VF
PROGRAMA MODALIDADES
Centro MÁX
DF, RJ e SUL, ES Norte e
Oeste, MÍN MÁX
SP e MG Nordeste
exceto DF
FAIXA 1,5
Aquisição imóvel integrante
de empreendimentos
produzidos por PJ do ramo
da construção civil, no
âmbito dos Programas:
106.000 101.000 96.000 90.000 SAC
Apoio a Produção de
80%
Habitações ou
Parcerias – Imóvel na Planta
PMCMV – Carta de Crédito FGTS 120 360
Associativo
FAIXAS 2 e 3
SFA/TP
80%
Aquisição imóvel novo
Construção terreno próprio
145.000 140.000 135.000 130.000
Aquisição de terreno e
construção

CCFGTS HABITAÇÃO POPULAR - RENDA ATÉ R$ 7 MIL SAC 120 360

43.000 v106 SICAQ 44


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
80%
SFA/TP
80%
Aquisição imóvel novo Imóvel
Construção terreno próprio Usado:
Aquisição de terreno e 145.000 140.000 135.000 130.000
construção SAC
50%
Aquisição imóvel usado
SFA/TP
40%

CONTRATAÇÕESSUSPENSAS A PARTIR DE 03/04/2017


FAIXA ESTENDIDA - RENDA ATÉ R$ 9 MIL

Aquisição imóvel novo


Construção terreno próprio
181.000 175.000 168.000 162.000
Aquisição de terreno e
construção

4.1.9.5 Municípios com população entre 20 mil habitantes e 50 mil habitantes:

VALOR DE VENDA/INVESTIMENTO PRAZO


MÁXIMO (R$ 1,00) AMORT
VF
PROGRAMA MODALIDADES
Centro MÁX
DF, RJ e SUL, ES Norte e
Oeste, MÍN MÁX
SP e MG Nordeste
exceto DF
FAIXA 1,5
Aquisição imóvel integrante
de empreendimentos
produzidos por PJ do ramo
da construção civil, no
âmbito dos Programas:
Apoio a Produção de 85.000 80.000 80.000 74.000
Habitações ou SAC
Parcerias – Imóvel na Planta 80%
– Carta de Crédito FGTS
PMCMV Associativo 120 360
FAIXAS 2 e 3
SFA/TP
80%

Aquisição imóvel novo


Construção terreno próprio
110.000 105.000 105.000 100.000
Aquisição de terreno e
construção

CCFGTS HABITAÇÃO POPULAR - RENDA ATÉ R$ 7 MIL SAC 120 360

43.000 v106 SICAQ 45


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
80%
SFA/TP
Aquisição imóvel novo 80%
Construção terreno próprio Imóvel
Aquisição de terreno e 110.000 105.000 105.000 100.000 Usado:
construção
SAC
Aquisição imóvel usado
50%
SFA/TP
40%
CONTRATAÇÕESSUSPENSAS A PARTIR DE 03/04/2017
FAIXA ESTENDIDA - RENDA ATÉ R$ 9 MIL

Aquisição imóvel novo


Construção terreno próprio
137.000 131.000 131.000 125.000
Aquisição de terreno e
construção

4.1.9.6 Demais Municípios:

VALOR DE VENDA/INVESTIMENTO PRAZO


MÁXIMO (R$ 1,00) AMORT
VF
PROGRAMA MODALIDADES
Centro MÁX
DF, RJ e SUL, ES Norte e
Oeste, MÍN MÁX
SP e MG Nordeste
exceto DF
FAIXA 1,5
Aquisição imóvel integrante
de empreendimentos
produzidos por PJ do ramo
da construção civil, no
âmbito dos Programas: SAC
Apoio a Produção de 74.000 80%
Habitações ou
PMCMV Parcerias – Imóvel na Planta 120 360
– Carta de Crédito FGTS
Associativo SFA/TP
FAIXAS 2 e 3 80%

Aquisição imóvel novo


Construção terreno próprio
95.000
Aquisição de terreno e
construção

HABITAÇÃO POPULAR - RENDA ATÉ R$ 7 MIL SAC


80%
SFA/TP
Aquisição imóvel novo 80%
Construção terreno próprio
CCFGTS Imóvel 120 360
Aquisição de terreno e 95.000 Usado:
construção
SAC
Aquisição imóvel usado
50%
SFA/TP

43.000 v106 SICAQ 46


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
40%
CONTRATAÇÕESSUSPENSAS A PARTIR DE 03/04/2017
FAIXA ESTENDIDA - RENDA ATÉ R$ 9 MIL
Aquisição imóvel novo
Construção terreno próprio
118.000
Aquisição de terreno e
construção
4.1.9.7 O enquadramento, se imóvel novo ou usado, é realizado pelo valor de venda e compra.
4.1.9.7.1 O enquadramento para as modalidades de construção é realizado pelo valor do orçamento aprovado pela
CAIXA.
4.1.9.8 A Faixa Estendida é aplicada somente para as operações do programa CCFGTS, desde que observadas as
seguintes condições:
 O limite máximo de renda familiar bruta mensal de até R$ 9 mil;
 O(s) proponente(s) possuir(em) capacidade de pagamento aprovada no SIRIC;
 O valor de venda/investimento máximo para cada município, definidos para a Faixa Estendida.
4.1.9.8.1 Na opção pelo(s) proponente(s) por imóvel enquadrado na Faixa Estendida não será concedido
descontos/subsídios.
4.1.9.9 O CCA deve informar ao proponente os sistemas de amortização disponíveis e solicitar a opção por um
deles.
4.1.9.10 É permitida, se opção do proponente, a contratação de financiamento nas condições estabelecidas no
MO43000 versão 060 observando o que segue:
Contratação com Enquadramento no MO43000 060
MUNICÍPIOS
Opção do cliente
Para operações de crédito com PJ, contratadas até 30
abril de 2016, as unidades produzidas poderão ser
Enquanto houver unidades a serem comercializadas no
comercializadas com as PF, exclusivamente nos casos
empreendimento
de municípios, onde o valor de enquadramento dos
imóveis, foi reduzido.
Para operações de crédito com PJ, contratadas a partir
de 31 MAI 2017 a 31 DEZ 2017, as unidades produzidas
Enquanto houver unidades a serem comercializadas no
poderão ser comercializadas com as PF, exclusivamente
empreendimento (HH178)
nos casos de municípios, onde o valor de
enquadramento dos imóveis foi reduzido
Exclusivamente para operações de crédito com PF nos
Municípios onde o valor de venda ou investimento dos 31 DEZ 2017
imóveis foi reduzido

4.1.9.10.1 Para enquadramento no MO43000, versão 060 é utilizado os Códigos de Legislação:


 489 caso o cliente não tenha sido beneficiado com subsídio, se CCFGTS ou PMCMV;
 491 caso o cliente já tenha sido beneficiado com subsídio, se CCFGTS.
4.1.9.11 É permitida, se opção do(s) proponente(s), a contratação de financiamento com as quotas vigentes até dia
21 AGO 2017, constantes no MO43000 versão 096, desde que o(s) proponente(s) possua(m) avaliação de risco
cadastrada até dia 11 AGO 2017 e a mesma esteja válida.
4.1.9.12 É permitida a contratação com as quotas para imóvel usado constantes no MO43000 099 até o dia 28 DEZ
2017, desde que o(s) proponente(s) possua(m) avaliação de risco cadastrada até o dia 22 SET 2017 e a mesma
esteja válida.
4.1.9.12.1 Para enquadramento nas condições no MO 43000 096 e MO 43000 099 devem ser utilizados os códigos
de Legislação abaixo:

43.000 v106 SICAQ 47


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

DATA AVALIAÇÃO MANUAL DE


PRAZO DE CÓDIGO DE
ENQUADRAMENTO DA
DE RISCO CONTRATAÇÃO LEGISLAÇÃO
QUOTA

Até a validade da 521 – faixa estendida


Até 11/08/2017 MO43000 096
avaliação de risco 520 – demais faixas
Até 22/09/2017 MO43000 099 Até 28/12/2017 522
4.1.9.13 Para propostas assinadas até o dia 28 DEZ 2017 fica dispensada a cobrança da Tarifa de Avaliação de
Bens Recebidos em Garantia e Tarifa de Acompanhamento da Operação para empregado, aposentado ou
pensionista CAIXA.
4.1.9.13.1 Para efetivação da dispensa das tarifas deve ser cadastrado um dos Códigos de Exceção abaixo, na Tela
“Complementa Dados” do SIOPI:
CÓDIGO DE
PROGRAMA ENQUADRAMENTO
EXCEÇÃO
CCFGTS/PMCMV Contrato que não possui 03 anos de FGTS 681
Contrato com 03 anos de FGTS –imóvel novo ou em
CCFGTS/PMCMV 682
construção
CCFGTS Contrato com 03 anos de FGTS – Imóvel Usado 683

4.1.9.14 A partir de 01 JAN 2019, quando houver 2 (duas) ou mais unidades habitacionais construídas em um
empreendimento, será obrigatória:
 a existência de pavimentação definitiva;
 a existência ou compromisso do poder público local de instalação ou de ampliação dos equipamentos e serviços
relacionados à educação, à saúde, ao lazer e ao transporte público;
 a produção por pessoas jurídicas do ramo da construção civil, excetuando -se os empreendimentos estruturados
sob o amparo dos Programas de financiamento às pessoas físicas, contratados sob a forma associativa.
4.1.9.14.1 É permitida até 31 DEZ 2018 a contratação de imóvel novo produzido por Pessoa Física desde que o
imóvel atenda as condições abaixo:
 Alvará de Construção emitido até 30 JUN 2017;
 vistoria realizada e aprovada pela CAIXA.
4.1.9.14.2 A pavimentação definitiva não é obrigatória para as unidades contratadas até 31 DEZ 2018 na
modalidade individual, desde que integrem empreendimento com no máximo 12 unidades .
4.1.9.15 O valor de financiamento mínimo é estabelecido abaixo:

PROGRAMAS VALOR MÍNIMO FINANCIAMENTO

Individual e Alocação de Recursos: R$ 50.000,00


CCFGTS e PMCMV
Unidades vinculadas a empreendimento: R$ 50.000,00

4.1.9.16 O prazo de amortização é contado da data de assinatura do contrato.


4.1.9.17 Nas modalidades de Construção o prazo de amortização é contado da data do término do prazo de
construção ou da conclusão da obra, o que ocorrer primeiro.
4.1.9.18 O prazo de construção é de 2(dois) até 24(vinte e quatro) meses, contados da data da assinatura do
contrato.
4.1.9.18.1 Findo o prazo de construção estabelecido no cronograma e não concluída a obra, o valor remanesce nte
dos recursos da conta vinculada do FGTS, se houver, é restituído à C onta Vinculada do FGTS dos devedores.
4.1.9.19 Os devedores devem concluir a obra com recursos próprios em espécie nos 6 meses subsequentes ao
prazo fixado para o seu término e apresentar a doc umentação exigida para a liberação da última parcela.
4.1.9.20 O cumprimento do cronograma é verificado mediante vistorias realizadas pela engenharia da CAIXA,
exclusivamente para efeito de medição do andamento da obra e verificação da aplicação dos recursos, sem
qualquer responsabilidade técnica pela edificação.

43.000 v106 SICAQ 48


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.1.9.21 Não é permitido ao CCA dar continuidade em propostas na modalidade individual, cuja avaliação realizada
pela Engenharia CAIXA, ateste que o percentual de obra executado é igual ou superior a 70%, devendo estas ser
encaminhadas para a Agência/PA de vinculação.
4.1.9.22 A partir de 25 SET 2017, estão suspensas as contratações envolvendo Interveniente Quitante, exceto
quando tratar-se de Interveniente Quitante CAIXA.
4.1.9.22.1 As contratações em andamento com Interveniente Quitante que não seja a CAIXA devem ser finalizadas
– contrato assinado, até dia 28 DEZ 2017, impreterivelmente.
4.1.9.22.2 Para operações com Interveniente Quitante a soma dos valores de FINANCIAMENTO+FGTS+SUBSÍDIO
do contrato a ser firmado na CAIXA deve ser maior ou ig ual ao valor do saldo devedor a ser liquidado junto ao
Interveniente Quitante.
4.1.9.22.3 O valor remanescente após a liquidação do saldo devedor junto ao Interveniente Quitante, se houver, é
repassado ao (s) vendedor(es) após a entrega do contrato registrado.

4.1.10 QUOTA
4.1.10.1 A quota é definida em função do sistema de amortização , modalidade e localização do imóvel, como
descrito nos quadros do item 4.1.9.

4.1.10.2 AQUISIÇÃO DE IMÓVEL NOVO OU USADO


4.1.10.2.1 O percentual da quota de financiamento definido no item 4.1.10 é aplicado sobre o menor dos valores
entre a venda e compra e a avaliação total do imóvel efetuada pela CAIXA, limitada, ainda, a quota estabelecida
pelo Sistema de Risco de Crédito da CAIXA.
4.1.10.2.2 O proponente pode financiar até 4% do valor do financiamento do imóvel para cobrir despesas
acessórias, limitado a quota estabelecida no item 4.1.9, e, ainda, a quota estabelecida pelo Sistema de Risco de
Crédito da CAIXA.

4.1.10.3 CONSTRUÇÃO EM TERRENO PRÓPRIO


4.1.10.3.1 O percentual da quota de financiamento definido no item 4.1.10 é aplicado sobre o menor dos valores
entre a avaliação do imóvel pela CAIXA, considerado pronto, e do orçamento aceito pela CAIXA, constante no
Laudo de Análise Individual, limitado, ainda, ao menor dos valores entre :
 quota estabelecida pelo Sistema de Risco de Crédito da CAIXA ;
 limite definido para a modalidade em função da localização do imóvel.
4.1.10.3.2 O proponente pode financiar até 2% do valor do financiamento do imóve l para cobrir despesas
acessórias, limitado a quota estabelecida no subitem 4.1.9, e, ainda, à quota estabelecida no SIRIC.
4.1.10.3.3 Para a CCFGTS é permitido o financiamento de até 30% do custo/orçamento para pagamento de obra
executada sendo a análise efetuada pelo Gerente Concessor da Agência de forma que os recursos sejam
direcionados para cobrir despesas vinculadas a obra, mediante verificação do orçamento realizado e a realizar,
definido para a obra pela engenharia da CAIXA.
4.1.10.3.3.1 Neste caso, valor de financiamento será limitado ao somatório dos itens abaixo, observado o limite
estabelecido no item 4.1.10.3.1:
 obra a executar;
 obra executada limitada a 30% do custo/orçamento.
4.1.10.3.4 O proponente deve apresentar o orçamento total da obra, incluindo os serviços já executados com
indicação no cronograma físico-financeiro do percentual de obra executada.
4.1.10.3.5 Os recursos da CV do FGTS, se houver utilização, são remunerados pelo mesmo índice aplicado aos
depósitos de poupança a partir da data de assinatura do contrato até a liberação da última parcela de obra, sendo a
remuneração utilizada para dedução do encargo mensal, após o término da obra.

4.1.10.4 AQUISIÇÃO DE TERRENO E CONSTRUÇÃO


4.1.10.4.1 O percentual da quota de financiamento definido no item 4.1.9 é aplicado sobre o valor do orçamento
aprovado pela CAIXA, acrescido do menor dos valores, entre o valor de venda e compra e o valor de avaliação do
terreno constante no Laudo de Análise individual, limitado, ainda, ao menor dos valores entre:
 avaliação do imóvel pela CAIXA, considerado pronto;
 quota estabelecida pelo Sistema de Risco de Crédito da CAIXA ;

43.000 v106 SICAQ 49


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 limite definido para a modalidade em função da localização do imóvel.
4.1.10.4.2 O proponente pode financiar até 2% do valor do financiamento do imóvel para cobrir despesas
acessórias, limitado a quota estabelecida no item 4.1.9 e, ainda, à quota estabelecida no SIRIC.
4.1.10.4.3 Para a CCFGTS é permitido o financiamento de até 30% do cus to/orçamento para pagamento de obra
executada sendo a análise efetuada pelo Gerente Concessor da Agência de forma que os recursos sejam
direcionados para cobrir despesas vinculadas a obra, mediante verificação do orçamento realizado e a realizar,
definido para a obra pela engenharia da CAIXA.
4.1.10.4.3.1 Neste caso, valor de financiamento será limitado ao somatório dos itens abaixo, observado o limite
estabelecido no item 4.1.10.4.1:
 obra a executar;
 obra executada limitada a 30% do custo/orçamento.
4.1.10.5 O proponente deve apresentar o orçamento total da obra, incluindo os serviços já executados com
indicação no cronograma físico-financeiro do percentual de obra executada.
4.1.10.6 Os recursos da CV do FGTS, se houver utilização, são remunerados pelo mesmo índice aplicado aos
depósitos de poupança a partir da data de assinatura do contrato até a liberação da última parcela de obra, sendo a
remuneração utilizada para dedução do encargo mensal, após o término da obra .
4.1.10.7 Não é permitida a contratação nessa modalidade para quitação de financiamento do terreno com
Interveniente Quitante.

4.1.10.8 RENDA E COMPROMETIMENTO DE RENDA


4.1.10.8.1 Considerada a renda familiar bruta mensal, sem deduções, auferida no mês da apuração de sua
capacidade de pagamento, ou, no máximo, a do seg undo mês anterior ao da apuração de sua capacidade de
pagamento, bem como as exigências descritas no subitem 2.2.1.2.1.
4.1.10.8.2 O prazo de validade do enquadramento da renda é estabelecido no MO43062.
4.1.10.8.3 Decorrido esse prazo ou na alteração de dados na avaliação de risco referentes à capacidade de
pagamento do tomador, deve solicitar atualização dos documentos comprobatórios de renda do (s) proponente (s) e
promover novo enquadramento.
4.1.10.9 O comprometimento de renda é considerado conforme tabela abaixo:
SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO COMPROMETIMENTO DE RENDA
SAC até 30%
SFA/TP até 30%

4.1.11 TAXA DE JUROS


4.1.11.1 Em função da renda familiar bruta sem deduções conforme abaixo :

4.1.11.2 PMCMV – AQUISIÇÃO DE IMÓVEL NOVO, AQUISIÇÃO TERRENO E CONSTRUÇÃO, CONSTRUÇÃO


EM TERRENO PRÓPRIO E AQUISIÇÃO DE IMÓVEL INTEGRANTE DE EMPREENDIMENTO
PRODUZIDO POR PJ DO RAMO DA CONSTRUÇÃO CIVIL, NO ÂMBITO DO PROGRAMA APOIO À
PRODUÇÃO DE HABITAÇÕES

TAXA DE JUROS % a.a

PMCMV – RENDA FAMILIAR BRUTA COM DESCONTO


(R$) – sem deduções
SEM REDUTOR 0,5% COM REDUTOR 0,5%

Nominal Efetiva Nominal Efetiva

FAIXA 1,5

465,00 a 2.600,00 5,0000 5,1162 4,5000 4,5940

FAIXA 2

43.000 v106 SICAQ 50


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

465,00 a 2.600,00 5,5000 5,6408 5,0000 5,1162


2.600,01 a 3.000,00 6,0000 6,1678 5,5000 5,6408

3.000,01 a 4.000,00 7,0000 7,2290 6,5000 6,6972


SEM DESCONTO
FAIXA 3

SEM REDUTOR 0,5% COM REDUTOR 0,5%

3.600,01 a 7.000,00 Nominal Efetiva Nominal Efetiva

8,1600 8,4722 7,6600 7,9347

4.1.11.3 CFGTS – AQUISIÇÃO IMÓVEL NOVO E USADO, AQUISIÇÃO DE TERRENO E CONSTRUÇÃO E


CONSTRUÇÃO EM TERRENO PRÓPRIO

TAXA DE JUROS % a.a

SEM DESCONTO
COM DESCONTO
CCFGTS Renda Familiar beneficiado a partir de 02/05/05
Bruta – R$ sem deduções
SEM REDUTOR COM REDUTOR SEM REDUTOR COM REDUTOR
0,5% 0,5% 0,5% 0,5%
Nom. Efet. Nom. Efet. Nom. Efet. Nom. Efet.
465,00 a 2.600,00 5,5000 5,6408 5,0000 5,1162
2.600,01 a 3.000,00 6,0000 6,1678 5,5000 5,6408 7,1600 7,3997 6,6600 6,8671
3.000,01 a 4.000,00 7,0000 7,2290 6,5000 6,6972
SEM DESCONTO
SEM REDUTOR COM REDUTOR SEM REDUTOR COM REDUTOR
0,5% 0,5% 0,5% 0,5%
4.000,01 a 7.000,00 8,1600 8,4722 7,6600 7,9347 8,1600 8,4722 7,6600 7,9347
Renda até 9.000,00
CONTRATAÇÕESSUSPENSAS 9,1600 9,5545 8,6600 9,0121 9,1600 9,5545 8,6600 9,0121
A PARTIR DE 03/04/2017

TAXA PORTA DE NEGÓCIOS


SEM REDUTOR 0,5% COM REDUTOR 0,5%
Porta de Porta de
Balcão Balcão
Negócios Negócios
NOM. EFET. NOM. EFET. NOM. EFET. NOM. EFET.
5.000,01 a 7.000,00 8,1600 8,4722 7,6949 7,9722 7,6600 7,9347 7,1928 7,4347
7.000,01 a 9.000,00
CONTRATAÇÕESSUSPENSAS 9,1600 9,5545 8,6991 9,0545 8,6600 9,0121 8,1970 8,5121
A PARTIR DE 03/04/2017
4.1.11.3.1 No enquadramento do(s) proponente(s) na Faixa Este ndida, deverão ser adotadas as taxas de juros
definidas para renda familiar bruta mensal até R$ 9.000,00.
4.1.11.3.2 A contratação para renda familiar bruta de R$ 5.000,01 até R$ 9.000,00 e com opção pela Porta de
Negócios, é permitida somente na CCFGTS.

43.000 v106 SICAQ 51


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.1.11.4 O redutor de 0,5% concedido na taxa de juros para os proponentes que comprovem a titularidade de Conta
Vinculada do FGTS com, no mínimo, 36(trinta e seis) meses de trabalho sob o regime do FGTS, somado os
períodos trabalhados, consecutivos ou não.
4.1.11.4.1 Pelo menos um dos participantes da operação tem que comprovar, no mínimo, 36 (trinta e seis) meses
de trabalho sob o regime do FGTS, na mesma empresa ou em empresas diferentes, consecutivos ou não.
4.1.11.4.2 Para trabalhador licenciado pelo INSS e, desde que não haja quebra de vínculo empregatício, o tempo é
contado da data de sua contratação pela empresa da qual se licenciou, podendo ser somado a períodos relativos a
outros vínculos empregatícios.

4.1.12 TAXA PORTA DE NEGÓCIOS


4.1.12.1 A taxa Porta de Negócios pode ser aplicada para o Programa CCFGTS para as modalidades e rendas
familiares brutas abaixo:

MODALIDADES – CCFGTS RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL – Sem Deduções


Aquisição de Imóvel Novo ou usado R$ 5.000,01 a R$ 9.000,00
Construção em Terreno Próprio CONTRATAÇÕESSUSPENSAS PARA A FAIXA ESTENDIDA A
Aquisição de Terreno e Construção PARTIR DE 03/04/2017

4.1.12.2 A Taxa Porta de Negócios é concedida ao proponente que possua ou adquira individualmente ou em
conjunto, o pacote de produtos listados abaixo até a assinatura do financiamento e mantê -los durante a vigência do
contrato habitacional:
 abertura de conta corrente, caso não seja correntista;
 contratação de cheque especial;
 contratação de, no mínimo, 02 cartões de crédito, sendo um deles necessariamente na bandeira ELO;
 autorização para débito do encargo mensal em conta corrente ou folha de pagamento na data do vencimento ;
 transferência do crédito de salário para a CAIXA por meio da conta salário.
4.1.12.3 O débito em folha de pagamento está condicionado à existência de convênio Folha de Pagamento firmado
entre a CAIXA e o Órgão ou Entidade de vinculação do proponente.
4.1.12.4 A taxa de juros a ser considerada na avaliação de risco é a nominal de balcão.
4.1.12.5 O cliente perde a Taxa Porta de Negócios, retornando à taxa de juros de balcão, nas ocorrências abaixo :
 cancelamento de qualquer item do pacote de produtos;
 não pagamento do encargo mensal até o último dia útil anterior ao vencimento do encargo mensal subseq uente.
4.1.12.6 Não havendo saldo suficiente na conta corrente ou na impossibilidade de débito do encargo mensal na
referida conta ou em folha de pagamento, o cliente deve efetuar o pagamento até o último dia anterior ao
vencimento do encargo subsequente, por meio de crédito dos recursos na conta corrente ou pelo pagamento via
boleto, mediante emissão da segunda via de carnê de pagamento.
4.1.12.7 Verificado o não pagamento do encargo até o último dia útil anterior ao próximo vencimento, a aplicação da
taxa Porta de Negócios é cancelada, retornando à taxa de juros de balcão sendo que, se mantido o pagamento dos
encargos em dia por, no mínimo, 6 meses consecutivos, o cliente pode apresentar requerimento para retorno da
Taxa de Juros Porta de Negócios.
4.1.12.8 O encerramento da conta corrente implica na perda definitiva da Taxa Porta de Negócios.
4.1.12.9 Se extinto um dos cartões de crédito durante o contrato a Taxa Porta de Negócios pode ser mantida se o
cliente adquirir, ativar e desbloquear um novo cartão logo após a ocorrência.
4.1.12.10 O cancelamento do cheque especial, cartão de crédito e/ou conta salário implica na perda da Taxa Porta
de Negócios, passando a ser aplicada a taxa de juros de balcão.
4.1.12.11 Para contratos com débito dos encargos em folha de pagamento na ocorrência de cancelamento do débito
em folha o devedor deve apresentar de imediato requerimento formal para que os encargos sejam debitados em
conta corrente na CAIXA.
4.1.12.12 É facultado ao proponente solicitar, após decorridos 6 meses, por meio de requerimento formal, o retorno
da Taxa Porta de Negócios desde que retorne à condição de titular ativo dos produtos/serviços cheque Especial,
cartão de Crédito, débito em conta corrente ou folha de pagamento e retorne com a conta salário na CAIXA.

43.000 v106 SICAQ 52


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.1.13 RECURSOS PRÓPRIOS
4.1.13.1 O valor de recursos próprios é representado pelas diferenças entre os valores abaixo :

MODALIDADES RECURSOS PRÓPRIOS


Aquisição de Imóvel Novo ou Usado de venda e compra e o VF
Construção em Terreno Próprio de orçamento aprovado pela CAIXA e o VF
do VF e o somatório do valor de venda e compra do terreno e o do orçamento
Aquisição de Terreno e Construção
aprovado pela CAIXA

4.1.14 DESPESAS, TAXAS, TARIFAS, TRIBUTOS E ENCARGO MENSAL – FINANCIAMENTO INDIVIDUAL


E FINANCIAMENTO VINCULADO A EMPREENDIMENTO, INCLUSIVE PARCERIAS

4.1.14.1 ATÉ A CONTRATAÇÃO

4.1.14.1.1 TARIFA DE AVALIAÇÃO DE BENS RECEBIDOS EM GARANTIA


4.1.14.1.1.1 Devida nas modalidades de aquisição de Imóvel novo ou usado, conforme Tabela de Tarifas da CAIXA,
não passível de devolução.
4.1.14.1.1.1.1 Para propostas assinadas até dia 28 DEZ 2017, fica dispensada a cobrança da Tarifa de Avaliação
de Bens Recebidos em Garantia para empregado, aposentado ou pensionista CAIXA.
 A cobrança da tarifa é efetuada da seguinte forma:
 R$750,00 na entrega da documentação, com pagamento por meio de boleto de cobrança;
 valor remanescente da tarifa na data de assinatura do contrato.
4.1.14.1.1.2 Para dispensa da cobrança da Tarifa acima deve ser cadastrado na tela “Complementa Dados” do
SIOPI o código de exceção informado no item 4.1.9.13.1.

4.1.14.1.2 TARIFA DE ACOMPANHAMENTO DA OPERAÇÃO – TAO – CCFGTS E PMCMV


4.1.14.1.2.1 Devida para a modalidade de Aquisição de Terreno e Construção, no percentual estabelecido na tabela
de tarifas da CAIXA, disponível endereço http://www.caixa.gov.br/ , clicando em “downloads”, “Tabela de Tarifas –
Pessoa física e pessoa jurídica”, arquivo “Tabela_de_Tarifas_PF.pdf”, o qual incide sobre o valor da parcela de
financiamento liberada para pagamento do terreno;
4.1.14.1.2.2 O cliente deve depositar a TAO nas respectivas contas para débito, at é a data da contratação.
4.1.14.1.2.3 Para propostas assinadas até o dia 28 DEZ 2017 fica dispensada a cobrança da TAO para empregado,
aposentado ou pensionista CAIXA, mediante o cadastramento na tela “Complementa Dados” do SIOPI, do Código
de Exceção estabelecido no item 4.1.9.13.1.

4.1.14.1.3 TARIFA PARA ANÁLISE DE APÓLICE INDIVIDUAL


4.1.14.1.3.1 Devida, conforme Tabela de Tarifas da CAIXA, na opção por outra apólice que não seja CAIXA
Seguradora (LAR ou LAR+), PAN Seguros, Tókio Marine, se CCFGTS ou CAIXA Seguradora, American Life ou PAN
Seguros, se PMCMV.
4.1.14.1.3.2 Primeiros prêmios de seguro, devido no ato da contratação – MIP e DFI
4.1.14.1.3.2.1 O valor do MIP é obtido mediante a aplicação das taxas constantes nas tabelas abaixo, sobre o Valor
Financiamento na contratação considerando a faixa etária dos proponentes e calculado proporcionalmente em
função da pactuação de renda dos participantes:
 PARA CCFGTS:
IMÓVEL RESIDENCIAL

Faixa Taxa MIP – CAIXA SEGURADORA (LAR ou LAR+)


Etária inicial TAXAS APLICADAS NA MUDANÇA DE FAIXA ETÁRIA – %
(anos) %
18 -25 26-30 31-35 36-40 41-45 46-50 51-55 56-60 61-65 66-70 71-75 76-80
anos anos anos anos anos anos anos Anos anos anos anos anos
18-25 0,0115 0,0115 0,0119 0,0169 0,0211 0,0254 0,0336 0,0525 0,1015 0,1807 0,2129 0,2824 0,2589
26-30 0,0121 - 0,0121 0,0174 0,0222 0,0286 0,0359 0,0563 0,1093 0,1807 0,2307 0,2824 0,2824

43.000 v106 SICAQ 53


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

31-35 0,0178 - - 0,0178 0,0229 0,0302 0,0404 0,0600 0,1171 0,1946 0,2307 0,3060 0,2824
36-40 0,0234 - - - 0,0234 0,0312 0,0426 0,0675 0,1249 0,2085 0,2484 0,3060 0,3060
41-45 0,0318 - - - - 0,0318 0,0439 0,0713 0,1405 0,2224 0,2662 0,3295 0,3060
46-50 0,0448 - - - - - 0,0448 0,0675 0,1327 0,2085 0,2484 0,3295 0,3295
51-55 0,0751 - - - - - - 0,0751 0,1327 0,2308 0,2662 0,3060 0,3295
56-60 0,1561 - - - - - - - 0,1561 0,2641 0,3372 0,4236 0,3766
61-65 0,2781 - - - - - - - - 0,2781 0,3372 0,4472 0,4236
66-70 0,3549 - - - - - - - - - 0,3549 0,4472 0,4472
71-75 0,4707 - - - - - - - - - 0,4707 0,4472
76-80 0,4707 - - - - - - - - - - - 0,4707
MIP – PAN SEGUROS RESIDENCIAL
FAIXA ETÁRIA TAXA(%) FAIXA ETÁRIA TAXA(%) FAIXA ETÁRIA TAXA(%)
18 a 25 anos 0,00929 41 a 45 anos 0,02519 61 a 65 anos 0,25065
26 a 30 anos 0,00929 46 a 50 anos 0,03860 66 a 70 anos 0,27511
31 a 35 anos 0,01159 51 a 55 anos 0,06760 71 a 75 anos 0,39351
36 a 40 anos 0,01536 56 a 60 anos 0,12638 76 a 77 anos 0,45716
78 a 80 anos 0,46892
MIP – TOKIO MARINE – IMÓVEL RESIDENCIAL
FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA
18 a 30 anos 0,000100 46 a 50 anos 0,000388 66 a 70 anos 0,002798
31 a 35 anos 0,000127 51 a 55 anos 0,000678 71 a 75 anos 0,004055
36 a 40 anos 0,000170 56 a 60 anos 0,001266 76 a 80 anos e 06 0,004765
meses
41 a 45 anos 0,000269 61 a 65 anos 0,002509

 PARA PMCMV:

MIP – CAIXA SEGURADORA – IMÓVEL RESIDENCIAL


FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA
18 a 30 anos 0,0100 46 a 50 anos 0,0370 66 a 70 anos 0,2129
31 a 35 anos 0,0115 51 a 55 anos 0,0680 71 a 75 anos 0,3765
36 a 40 anos 0,0160 56 a 60 anos 0,0698 76 a 80 anos e 06 meses 0,4707
41 a 45 anos 0,0250 61 a 65 anos 0,1365
MIP – AMERICAN LIFE – IMÓVEL RESIDENCIAL
Faixa Etária Taxa Faixa Etária Taxa Faixa Etária Taxa
18 a 25 anos 0,008641 41 a 45 anos 0,024942 61 a 65 anos 0,125415
26 a 30 anos 0,008870 46 a 50 anos 0,035496 66 a 70 anos 0,192674
31 a 35 anos 0,011244 51 a 55 anos 0,062068 71 a 75 anos 0,341506
36 a 40 anos 0,014822 56 a 60 anos 0,084372 76 a 80 anos e 06 meses 0,425126
MIP – PAN SEGUROS – IMÓVEL RESIDENCIAL
Faixa Etária Taxa Faixa Etária Taxa Faixa Etária Taxa
18 a 25 anos 0,00839 41 a 45 anos 0,02469 61 a 65 anos 0,13095
26 a 30 anos 0,00863 46 a 50 anos 0,03625 66 a 70 anos 0,20278
31 a 35 anos 0,01101 51 a 55 anos 0,06503 71 a 75 anos 0,38323
36 a 40 anos 0,01458 56 a 60 anos 0,07708 76 a 80 anos e 06 meses 0,45668

43.000 v106 SICAQ 54


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.1.14.1.3.3 O valor do DFI é obtido mediante a aplicação das taxas abaixo sobre o valor da avaliação total da
garantia efetuada pela CAIXA:
 PARA CCFGTS:
DFI IMÓVEL RESIDENCIAL
CAIXA SEGURADORA – LAR 0,0000780
CAIXA SEGURADORA – LAR+ 0,0001280
PAN Seguros 0,0000660
TOKIO MARINE 0,0000650

 PARA PMCMV:
DFI IMOVEL RESIDENCIAL
CAIXA SEGURADORA 0,000073
AMERICAN LIFE 0,00007264
PAN SEGUROS 0,0000720

4.1.14.1.3.4 Para as operações contratadas com a Apólice CAIXA Seguradora LAR+ o DFI contempla, ainda, as
coberturas acessórias de natureza material para danos elétricos, pagamento de aluguéis, danos ao conteúdo,
roubo/furto de conteúdo e assistência 24h podendo as condições dos seguros LAR e LAR+ serem consultadas no
site da seguradora no endereço http://caixaseguros.com.br.

4.1.14.1.4 SEGURO RCPM - PELOS VENDEDORES


4.1.14.1.4.1 Seguro de Responsabilidade Civil, Profissional e Material – RCPM, contratado pelo vendedor na
Aquisição de Imóvel Novo, inclusive Alocação de Recursos, obrigatório a partir de 01 MAR 2016 para operações
enquadradas no PMCMV e, opcional, para os demais programas, contratado até a assinatura do contrato, na
alíquota de 1% aplicada sobre 20% do valor de Avaliação do Imóvel .
4.1.14.1.4.2 Verificar, ainda, as exigências contidas no subitem 2.13.7.

4.1.14.2 NA FASE DE CONSTRUÇÃO – TAO - TARIFA DE ACOMPANHAMENTO DA OPERAÇÃO


4.1.14.2.1 Devida à razão de 1,5% sobre o valor de cada parcela do financiamento liberada, debitada da conta OP
001 ou 013.
4.1.14.2.2 Dispensada no caso de financiamento vinculado a empreendimento, inclusive parcerias, uma vez que a
construtora/tomador paga mensalmente a TCCMO.
4.1.14.2.3 TA – Tarifa de Administração – CCFGTS, PMCMV e PARCERIAS – IMÓVEL NA PLANTA – PROGRAMA
CARTA DE CRÉDITO FGTS ASSOCIATIVO – cobrada para adquirentes com renda familiar bruta mensal superior à
R$ 4.000,00, e para adquirentes do CCFGTS e Parcerias – Imóvel na Planta – Programa Carta de Crédito FGTS
Associativo que obtiveram desconto do FGTS a partir de 02 MAI 2005, conforme Tabelas de Tarifas CAIXA que
poderá ser visualizada no endereço http://www.caixa.gov.br/, clicando em “downloads”, “Tabela de Tarifas – Pessoa
física e pessoa jurídica”, arquivo “Tabela_de_Tarifas_PF.pdf” .
4.1.14.2.4 Juros e atualização monetária.
4.1.14.2.5 Prêmio de seguro MIP.
4.1.14.2.6 O cliente deve depositar os valores referentes à TAO nas respectivas contas para débito, não sendo
devida quando não houver crédito de parcela no mês .
4.1.14.2.7 Para propostas assinadas até o dia 28 DEZ 2017 fica dispensada a cobrança da TAO para empregado,
aposentado ou pensionista CAIXA, mediante o cadastramento na tela “Complementa Dados” do SIOPI, do Código
de Exceção estabelecido no item 4.1.9.13.1.

4.1.14.3 ENCARGO MENSAL

4.1.14.3.1 NA FASE DE CONSTRUÇÃO – CCFGTS E PMCMV


 parcela de atualização monetária – CCFTS e PMCMV;
 parcela de juros – CCFTS e PMCMV;
 taxa de administração mensal -TA – CCFTS e PMCMV:

43.000 v106 SICAQ 55


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 prêmios de seguros – CCFGTS e PMCMV.

4.1.14.3.2 NA FASE DE AMORTIZAÇÃO – CCFGTS E PMCMV;


 Prestação de amortização e juros – CCFGTS e PMCMV;
 Tarifa de Administração – TA – Tarifa de Administração – CCFGTS, PMCMV e PARCERIAS – IMÓVEL NA
PLANTA – PROGRAMA CARTA DE CRÉDITO FGTS ASSOCIATIVO – cobrada para adquirentes com renda
familiar bruta superior à R$ 4.000,00, e para adquirentes do CCFGTS e Parcerias – Imóvel na Planta – Programa
Carta de Crédito FGTS Associativo que obtiveram desconto do FGTS a partir de 02 MAI 2005, conforme Tabelas
de Tarifas CAIXA que poderá ser visualizada no endereço http://www.caixa.gov.br/, clicando em “downloads”,
“Tabela de Tarifas – Pessoa física e pessoa jurídica”, arquivo “Tabela_de_Tarifas_PF.pdf” :
 Prêmios mensais de seguros CCFGTS e PMCMV.

4.1.15 CADASTRAMENTO DA PROPOSTA NO SIOPI


4.1.15.1 Verifica a propagação/migração da proposta para o SIOPI e, nos casos em que a mesma não tenha sido
criada automaticamente, inclui a proposta individual em https://siopiweb.caixa.gov.br/, conforme cartilha passo a
passo para concessão disponível na tela inicial, após o login no siste ma, clicando no Informativo
GEMPF 2012/0009.
4.1.15.2 Informa no SIOPI, uma vez que tais condições somente serão verificadas de forma automática quando da
migração do contrato do SIOPI para o CIWEB:
 PMCMV:
 o enquadramento no PMCMV;
 atendimento das exigências dos proponentes e do imóvel quanto ao direito ao desconto para redução no
valor das prestações e para pagamento de parte do valor do imóvel, a fim de que o sistema enquadre a
operação com a taxa de juros com direito a desconto e sem cobranç a mensal da taxa de administração,
conforme a renda;
 CCFGTS:
 o enquadramento no CCFGTS;
 atendimento das exigências dos proponentes e do imóvel quanto ao direito ao desconto para redução no
valor das prestações e para pagamento de parte do valor do imóvel, a fim de que o sistema enquadre a
operação com a taxa de juros com direito a desconto e sem cobrança mensal de tarifa de administração,
conforme a renda; ou
 não atendimento das exigências dos proponentes e/ou do imóvel quanto ao direito ao desconto para r edução
no valor das prestações e para pagamento de parte do valor do imóvel, a fim de que o sistema enquadre a
operação com a taxa de juros sem direito a desconto e com cobrança mensal da TA.
4.1.15.3 Na tela CONCESSÃO Consulta Subsídios Concedidos, observa se:
 resultado da pesquisa: Não consta subsídio;
 resultado da pesquisa: Consta subsídio não impeditivo;
 resultado da pesquisa: Consta subsídio impeditivo.
4.1.15.3.1 Se resultado “Consta subsídio não impeditivo”, o desconto anterior foi concedido para beneficiário:
 de modalidade Material de Construção;
 de contrato antes de 02/05/2005;
 de contrato cancelado.
4.1.15.3.2 A pesquisa é efetuada para propostas nas situações: “Ativa” e “Em Negociação”.
4.1.15.3.3 Se a proposta estiver em outra situação, o SIOPI exibe mensagem de “Operação não perm itida”.
4.1.15.3.4 A pesquisa válida fica com situação “Ativa”.
4.1.15.3.5 Se for incluído ou excluído participante(s) na proposta, a pesquisa fica com situação “Cancelada por
alterações nos participantes”.
4.1.15.4 Só permite contratação para itens de produtos do PMCMV em propostas criadas com resultados de
pesquisa de “Não consta subsídio” e “Consta subsídio não impeditivo”.
4.1.15.4.1 As propostas criadas em itens de produtos CCFGTS, fora do PMCMV, são enquadradas nas condições
pertinentes.

43.000 v106 SICAQ 56


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.1.15.5 Se proponente com Taxa Porta de Negócios:

TAXA PORTA DE NEGÓCIOS


 clicar no ícone Convênio;
 selecionar o Tipo de Convênio 27 – Convênio FGTS;
 selecionar o código do convênio = 2000000000 – PACOTE DE SERVIÇOS – FGTS;
 selecionar a Empresa Secundária/Subsidiária: FGTS PACOTE MAIS SALÁRIO;
 marcar no campo TIPO DE CONCESSÃO E SITUAÇÃO ESPECIAL a opção 112 – Convênio SBPE com débito
em conta ou em folha de pagamento – Situação especial 132 – débito em conta corrente ou Situação especial
136 – débito em folha observando que:
 Para contratos com opção pela folha de pagamento com modalidade de construção o cadastramento da
situação 136 só pode ser efetuado quando da conclusão da obra devendo ser inicialmente ser cadastrada a
situação especial 132.
 marcar a opção SIM no campo PACOTE BÁSICO DE PRODUTOS – na pergunta: Algum participante possui
pacote básico de produtos;
 marcar CONDIÇÃO ESPECIAL, se for o caso.
4.1.15.6 CCA digita o seu código com dígito verificador na tela Complementa Dados.
4.1.15.7 No caso de vendedor sem conta na CAIXA ou em outro banco informa no SIOPI, a conta OP 093 – Cheque
Ordem de Pagamento da Agência/PA para o vendedor .
4.1.15.8 No campo Descrição do Imóvel, para imóveis com parte de área edificada não averbada ou Melhoria sem
ampliação, informa só a área efetivamente averbada constante na matrícula do imóv el e, no campo Avaliação, o
valor total do imóvel informado no Laudo de Avaliação ou Relatório de valoração da CAIXA.
4.1.15.9 Se na matrícula do imóvel constar apenas a descrição da unidade sem especificar a área, informa só a
descrição e o VA total do imóvel.
4.1.15.10 Para Conclusão, Ampliação ou Melhoria informa, no mínimo, 2 parcelas de obra, independentemente do
percentual de obra a executar, devendo para última parcela ser informado o percentual de, no mínimo, 5%.
4.1.15.11 Para Construção em Terreno Próprio ou Aquisição de Terreno e Construção informa o percentual de, no
mínimo, 5% para a última parcela.
4.1.15.12 Se Imóvel Financiado em outra IF bancária/não bancária, Construtora ou Consórcio cadastra o SD
posicionado para a data agendada da assinatura contratual.
4.1.15.13 Para contratos com assinatura agendada entre os dias 26 a 31, adota os procedimentos abaixo :
 na tela “complementa dados” opção “altera data de vencimento do primeiro encargo” clica em “ SIM”;
 na opção “data alterada de vencimento do primeiro encargo” informa nova data, entre os dias 1 e 25, e clica em
salvar.
4.1.15.14 Se solicitada alteração da data do 1º vencimento da prestação, informa a nova data de vencimento para
que o primeiro boleto seja gerado com a data escolhida, exceto para contratos com convênio para débito em folha
de pagamento para os quais não é permitida a alteração.
4.1.15.15 Emitir o espelho da proposta ou o relatório de operações imobiliárias, confere os dados e arquiva no
dossiê único.
4.1.15.16 A impressão do contrato e entrega aos proponentes para registro no RI deverá ser feita , obrigatoriamente,
por empregado CAIXA na agência/unidade responsável pela proposta .

43.000 v106 SICAQ 57


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.2 ANEXO II – CONDIÇÕES CCSBPE

4.2.1 EXIGÊNCIAS ESPECÍFICAS


 exigências gerais para os proponentes /cônjuges/companheiros, verificar subitem 1.2.5.1.

4.2.1.1 PROPONENTE(S)/CÔNJUGE(S)/COMPANHEIRO(S)
4.2.1.1.1 Não possuir financiamento habitacional inadimplente na CAIXA, sendo considerado adimplente o contrato
que, nos últimos 12 meses, teve todos os encargos pagos e não foi objeto de acordo para parcelamento de débitos,
incorporação de encargos em atraso ao SD e/ou execução extrajudicial ou judicial do contrato.

4.2.1.2 VENDEDOR DO IMÓVEL


 verificar exigências gerais nos subitens 2.5.1 e 2.13.7.

4.2.1.3 IMÓVEL
 estar localizado em área urbana;
 possuir vias de acesso, soluções para abastecimento de água, energia elétrica e esgoto pluvial e sanitário ;
 estar regularizado junto ao RI;
 ser de propriedade de terceiros;
 ser aceito pela CAIXA como garantia;
 estar livre e desembaraçado de quaisquer ônus;
 ser de madeira, casa pré-fabricada ou provenientes de outras tecnologias construtiva ;
 ser financiado em outra IF não bancária ou Construtora desde que haja, concomitantemente à concessão do novo
financiamento, a liberação do ônus sobre a garantia não sendo aceito imóvel em fase de construção.

4.2.2 GARANTIA
4.2.2.1.1 Alienação fiduciária do imóvel, constituída pelo terreno e benfeitorias ex istentes ou a serem construídas,
com código de garantia:
 0426(imóveis residenciais);
 0427(outros imóveis).

4.2.3 MODALIDADES, ENQUADRAMENTO, LIMITES DE VALOR DE FINANCIAMENTO (VF), VALOR DE


AVALIAÇÃO (VA) E PRAZOS DE AMORTIZAÇÃO:
VALOR DE FINANCIAMENTO (R$) PRAZOS
OPERAÇÃO MODALIDADES ENQUADRAMENTO QUOTA AMORTIZAÇÃO
MÍNIMO MÁXIMO (MESES)

VA até SAC
SAC: até 80%
R$1.500.000,00 Mínimo: 180
Aquisição Imóvel SFA/TP: até 50%
Até 31.12.2017 ou
Novo
SAC até 80%
120 meses, se VF
Operações com
SFH igual ou superior a
Interveniente
Observada a R$ 100 mil
Quitante 80.000,00
Imóvel quota
Residencial Máximo: 420
Aquisição Imóvel VA até: SAC até 50%
Usado SFA/TP até 40%
MG/RJ/SP e DF
SFA/TP
R$ 950.000,00
Imóvel Adjudicado SAC até 80%
Mínimo: 180
CAIXA e EMGEA Demais Estados:
SFA/TP até 70%
Máximo: 240
R$ 800.000,00

43.000 v106 SICAQ 58


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

SAC

Mínimo: 156

VA até: Máximo: 420

MG/RJ/SP e DF Operações
Vinculadas a
R$ 950.000,00 Empreendimento:
Demais Estados: SAC: até 80% 150.000,00 Mínimo: 120
Aquisição Terreno e SFA/TP: até 50%
Construção R$ 800.000,00 Operações Máximo: 420
Inclusive Vinculadas a
Construção Terreno Operação Operações Empreendimento: SFA/TP
Próprio Vinculada a Vinculadas a
Empreendimento: Empreendimento 100.000,00 Mínimo: 156

VA até Máximo: 240

R$1.500.000,00 Operações
Vinculadas a
Até 31.12.2017 Empreendimento:

Mínimo: 120

Máximo: 240

VA acima de: SAC: até 80%


SFA/TP: até 50%
Aquisição Imóvel R$ 1.500.000,00
SAC até 80%
Novo Até 31.12.2017 Operações com
Interveniente
Quitante

Aquisição Imóvel VA acima de: SAC: até 50%


Usado SFA/TP: até 40%
MG/RJ/SP e DF

R$ 950.000,00
SAC
Demais Estados SAC até 80%
Imóvel Adjudicado Mínimo: 120
CAIXA e EMGEA R$ 800.000,00 SFA/TP até 70% Limitado a
3.000.000,00, Máximo: 420
80.000,00
observada a SFA/TP
VA acima de: quota
Mínimo: 120
MG/RJ/SP e DF
SFI
Máximo: 240
R$ 950.000,00
Imóvel
Residencial Demais Estados: SAC até 80%
Aquisição Terreno e SFA/TP até 50%
Construção R$ 800.000,00
Inclusive
Construção em Operação Operações
Terreno Próprio Vinculada a Vinculadas a
Empreendimento: Empreendimento
VA acima de:

R$1.500.000,00

Até 31.12.2017

SAC

Mínimo: 120
Limitado a
Aquisição de Lote SAC até 40% 1.000.000,00, Máximo: 216
Qualquer Valor 100.000,00
Urbanizado SFA/TP até 30% observada a SFA/TP
quota
Mínimo:120

Máximo: 144

Aquisição Imóvel
SAC: até 50%
Novo

Aquisição Imóvel
SAC: até 40%
Usado
SFI Limitado a SAC
Aquisição Lote 1.500.000,00,
Imóvel Qualquer valor SAC: até 40% 50.000,00 Mínimo: 120
Urbanizado observada a
Comercial quota Máximo: 240
Aquisição Terreno e
Construção
SAC: até 50%
Construção Terreno
Próprio

43.000 v106 SICAQ 59


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.2.3.1 O valor de financiamento máximo está limitado:
 a quota determinada pelo Sistema de Risco da CAIXA limitado à quota estabelecida para a operação ;
 a capacidade de pagamento do proponente apurada pelo Sistema de Risco de Crédito da CAIXA.
4.2.3.2 É permitida, se opção do(s) proponente(s), a contratação de financiamento com as quotas vigentes até dia
21 AGO 2017, constantes no MO43000 versão 096, desde que o(s) proponente(s) possua(m) avaliação de risco
cadastrada até dia 11 AGO 2017 e a mesma esteja válida.
4.2.3.3 É permitida a contratação com as quotas para imóvel usado constantes no MO43000 099 até o dia 28 DEZ
2017, desde que o(s) proponente(s) possua(m) avaliação de risco cadastrada até o dia 22 SET 2017 e a mesma
esteja válida.
4.2.3.4 Para enquadramento nas condições no MO 43000 096 e MO 43000 099 devem ser utilizados os códigos de
Legislação abaixo:

DATA AVALIAÇÃO MANUAL DE


PRAZO DE CÓDIGO DE
ENQUADRAMENTO DA
DE RISCO CONTRATAÇÃO LEGISLAÇÃO
QUOTA

Até a validade da 521 – faixa estendida


Até 11/08/2017 MO43000 096
avaliação de risco 520 – demais faixas
Até 22/09/2017 MO43000 099 Até 28/12/2017 522
4.2.3.5 Para operações vinculadas a empreendimento, comerciais ou mistas, contratadas até 08 DEZ 14, conforme
HH178, nas modalidades de agregação ou desligamento, a quota é de até 70% aplicada sobre o menor dos valores
entre avaliação ou compra e venda.
4.2.3.6 Nas modalidades de aquisição o prazo de amortização é contado a partir da assinatura do contrat o e na de
Construção a partir do término do prazo de construção ou conclusão da obra, o que ocorrer primeiro.
4.2.3.7 Nas modalidades de aquisição no SFH, é possível a contratação com Prazo Amortização maior ou igual a
120 meses para as operações com VF maior ou igual a R$ 100.000,00, por meio de código de exceção "619" no
SIOPI.
4.2.3.8 A partir de 25 SET 2017, estão suspensas as contratações envolvendo Interveniente Quitante, exceto
quando tratar-se de Interveniente Quitante CAIXA.
4.2.3.8.1 As contratações em andamento com Interveniente Quitante que não seja a CAIXA devem ser finalizadas –
contrato assinado, até dia 28 DEZ 2017, impreterivelmente.
4.2.3.8.2 Nas operações com Interveniente Quitante a soma do FINANCIAMENTO+FGTS do contrato a ser firmado
na CAIXA deve ser maior ou igual ao valor do saldo devedor a ser liquidado junto ao Interveniente Quitante.
4.2.3.8.3 O valor remanescente após a liquidação do saldo devedor junto ao Interveniente Quitante, se houver, é
repassado ao (s) vendedor(es) após a entrega do contrato registrado.
4.2.3.9 Nas operações de unidades vinculadas a empreendimentos contratados no Apoio a Produção – SBPE é
permitido financiamento de unidade residencial com valor de avaliação de até R$ 3.000,000,00.
4.2.3.9.1 Nessas contratações, o valor mínimo de financiamento é de R$ 100.000,00, enqua nto o prazo mínimo de
amortização é de 120 meses.

4.2.4 MODALIDADES CONSTRUÇÃO


4.2.4.1 O prazo de construção é de 2 até 24 meses, contados da data de assinatura do contrato, podendo
excepcionalmente ser prorrogado por até 6 meses.
4.2.4.2 Para as operações de imóvel residencial com antecipação de parcela de financiamento, o prazo é de 3 até
24 meses, contados da data de assinatura do contrato, podendo excepcionalmente ser prorrogado por até 6 meses.
4.2.4.3 Findo o prazo de construção estabelecido no cronograma e não concluída a obra , o valor remanescente dos
recursos da conta vinculada do FGTS, se houver, é restituído à Conta Vinculada do FGTS dos devedores.
4.2.4.4 Os devedores devem concluir a obra com recursos próprios em espécie nos 6 meses subsequentes ao
prazo fixado para o seu término e apresentar a documentação exigida para a liberação da última parcela.
4.2.4.5 Na Aquisição de Terreno e Construção de imóvel Residencial/Comercial o valor do terreno é creditado na
conta do vendedor e o valor da parcela de obra executada é creditada na conta do devedor, ambos sob bloqueio na
data da contratação e liberados após a entrega do contrato registrado.

43.000 v106 SICAQ 60


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.2.4.6 Na Aquisição de Terreno e Construção de Imóvel Residencial com antecipação das 2 primeiras parcelas
(limitado a 20%) o valor do terreno é creditado na conta do vendedor e a antecipação das parcelas na conta do
devedor, ambos sob bloqueio na data da contratação e liberados após a entrega do contrato registrado.
4.2.4.7 Na Construção em Terreno Próprio de Imóvel Residencial com antecipação das 2 primeiras parcelas
(limitado a 20%), a parcela de obra executada e a parcela de antecipação são creditadas na conta de livre
movimentação do proponente sob bloqueio na data da contratação e liberadas após a entrega do contrato
registrado.
4.2.4.8 Para cadastramento no SIOPI das modalidades Construção em Terreno Próprio de Imóvel Residencial ou
Aquisição de Terreno e Construção de Imóvel Residencial com antecipação de recursos , deverá ser informada a
situação especial 306.
4.2.4.9 As informações referentes a antecipação de parcelas de financiamento estão disponíveis no endereço
https://expressoparceiros.caixa.gov.br.
4.2.4.10 O cumprimento do cronograma é verificado mediante vistorias pela engenharia da CAIXA, exclusivamente
para efeito de medição do andamento da obra e verificação da aplicação dos recursos, sem qualquer
responsabilidade técnica pela edificação.
4.2.4.11 Não é permitido ao CCA dar continuidade em propostas que a avaliação realizada pela Engenharia CAIXA
ateste que o percentual de obra executado é igual ou superior a 70%, devendo estas serem encaminhadas para a
Agência/PA de vinculação.

4.2.5 QUOTA
4.2.5.1 A quota é variável em função do enquadramento e modalidade, conforme quadro contido no subitem 4.2.3.
4.2.5.1.1 Para contratações enquadradas nas condições Setor Público as quotas a serem observadas são as
estabelecidas no subitem 4.2.7.3.14

4.2.5.2 NAS MODALIDADES DE AQUISIÇÃO DE IMÓVEL NOVO OU USADO E LOTE URBANIZADO:


4.2.5.2.1 O percentual definido nos subitens 4.2.3 ou 4.2.7.3.14 (condições Setor Público) é aplicado sobre o menor
dos valores entre a venda e compra e a avaliação total do imóvel efetuada pela CAIXA, limitada, ainda, à qu ota
estabelecida pelo Sistema de Risco de Crédito da CAIXA.

4.2.5.3 NA MODALIDADE DE CONSTRUÇÃO EM TERRENO PRÓPRIO


4.2.5.3.1 O percentual definido nos subitens 4.2.3 ou 4.2.7.3.14 (condições Setor Público) é aplicado sobre o menor
dos valores entre, a avaliação do imóvel pela CAIXA considerado pronto e o somatório dos valores do terreno e do
orçamento aceito pela CAIXA, constante do Laudo de Análise Individual, limitado, ainda, ao menor dos valores
entre:
 valor do orçamento da obra aprovado pela CAIXA;
 quota estabelecida pelo Sistema de Risco de Crédito da CAIXA.
4.2.5.3.1.1 O proponente deve apresentar o orçamento total da obra, incluindo os serviços já executados com
indicação no cronograma físico-financeiro do percentual de obra executada.
4.2.5.3.2 É permitido o financiamento de até 30% do custo/orçamento para pagamento de obra executada sendo a
análise efetuada pelo Gerente Concessor da Agência de forma que os recursos sejam direcionados para cobrir
despesas vinculadas a obra, mediante verificação do orçamento realizado e a realizar, definido para a obra pela
engenharia da CAIXA.
4.2.5.3.2.1 Neste caso, valor de financiamento será limitado ao somatório dos itens abaixo, observado o limite
estabelecido no item 4.2.4.3.1:
 obra a executar;
 obra executada limitada a 30% do custo/orçamento.

4.2.5.4 NA MODALIDADE AQUISIÇÃO DE TERRENO E CONSTRUÇÃO


4.2.5.4.1 O percentual definido nos subitens 4.2.3 ou 4.2.7.3.14 (condições Setor Público) é aplicado sobre o valor
do orçamento aprovado pela CAIXA acrescido do menor dos valores atribuídos ao terreno, entre o proposto e o
avaliado para o terreno, constante no Laudo de Análise Individual, limitado, ainda, ao menor dos valores entre:
 avaliação do imóvel pela CAIXA, considerado pronto;
 quota estabelecida pelo Sistema de Risco de Crédito da CAIXA.

43.000 v106 SICAQ 61


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.2.5.4.2 O proponente deve apresentar o orçamento total da obra, incluindo os serviços já executados com
indicação no cronograma físico-financeiro do percentual de obra executada.
4.2.5.4.3 É permitido o financiamento de até 30% do custo/orçamento para pagamento de obra executada sendo a
análise efetuada pelo Gerente Concessor da Agência de forma que os recursos sejam direcionados para cobrir
despesas vinculadas a obra, mediante verificação do orçamento realizado e a realizar, definido para a obra pela
engenharia da CAIXA.
4.2.5.4.3.1 Neste caso, valor de financiamento será limitado ao somatório dos itens abaixo, observado o limite
estabelecido no item 4.2.4.4.1:
 obra a executar;
 obra executada limitada a 30% do custo/orçamento.
4.2.5.5 Nas modalidades Aquisição de Terreno e Construção e Construção em Terreno Próprio, os recursos da
Conta Vinculada do FGTS, se houver utilização, são remunerados pelo mesmo índice aplicado aos depósitos de
poupança a partir da data de assinatura do contrato até a liberação da última parcela de obra, sendo a
remuneração utilizada para dedução do encargo mensal, após o término da obra.
4.2.5.5.1 Nas modalidades de Aquisição de terreno e Construção e Construção em Terreno Próprio de imóveis
residenciais com antecipação de recursos não é permitida a utilização de FGTS.

4.2.5.6 NAS OPERAÇÕES COM INTERVENIENTE QUITANTE (OPERAÇÕES SUSPENSAS A PARTIR DE 25


SET 2017, EXCETO QUANDO O INTERVENIENTE QUITANTE FOR A CAIXA)
4.2.5.6.1 É permitido o financiamento com a quota máxima de 80% do valor da avaliação da unidade.
4.2.5.6.1.1 Não é permitida a contratação com Interveniente Quitante na modalidade Aquisição de Terreno e
Construção, para quitação do terreno.

4.2.6 FINANCIAMENTO DAS DESPESAS ACESSÓRIAS


4.2.6.1 É permitido o financiamento das despesas acessórias para as modalidades abaixo :

FINANCIAMENTO DESPESAS ACESSÓRIAS


Aquisição de Imóvel Novo ou Usado
SFH Aquisição de Terreno e Construção Residencial
Construção em Terreno Próprio Residencial

SFI Aquisição de Lote Urbanizado

4.2.6.1.1 Para Aquisição de Imóvel Novo e Usado, o proponente pode financiar até 4% do valor do financiamento do
imóvel para cobrir despesas acessórias, limitado à quota estabelecida nos subitens item 4.2.4.1 ou 4.2.7.3.14
(condições Setor Público) e, ainda, à quota estabelecida pelo Sistema de Risco de Crédito da Caixa.
4.2.6.1.2 O proponente pode financiar até 2% do valor do financiamento do imóvel para cobrir despesas acessórias,
limitado a quota estabelecida nos subitens item 4.2.4.1 ou 4.2.7.3.14 (condições Setor Público) e, ainda, à quota
estabelecida no SIRIC.

4.2.7 RENDA E COMPROMETIMENTO DE RENDA


4.2.7.1 Considerada a renda total dos proponentes limitado à capacidade de pagamento apurada pelo Sistema de
Risco de Crédito da CAIXA, conforme abaixo:

SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO COMPROMETIMENTO DE RENDA


SAC até 30%
SFA/TP até 25%

4.2.8 TAXAS DE JUROS

4.2.8.1 IMÓVEL RESIDENCIAL

43.000 v106 SICAQ 62


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Taxa de Juros Balcão Taxa Porta de Negócios Taxa Porta de Negócios Plus
MODALIDADES % (a.a.) % (a.a.) % (a.a.)
Nominal Efetiva Nominal Efetiva Nominal Efetiva
SFH
Aquisição Imóvel
Novo/Usado
Aquisição Terreno e 10,4815 11,00 10,2541 10,75 9,7978 10,25
Construção
Construção em
Terreno Próprio

SFI
Aquisição de Imóvel
Novo/Usado
Aquisição Terreno e 11,6117 12,25 11,1610 11,75 10,7085 11,25
Construção
Construção em
Terreno Próprio
Aquisição de Lote
Urbanizado

4.2.8.1.1 Para as operações enquadradas nas condições Setor Público as taxas de juros são as constantes no
subitem 4.2.7.3.14.

4.2.8.2 IMÓVEL COMERCIAL

Taxa de Juros Taxa Porta de Taxa Porta de


Balcão Negócios Negócios Plus
MODALIDADES VA/VF
% (a.a.) % (a.a.) % (a.a.)
SFI (R$)
Nomina
Efetiva Nominal Efetiva Nominal Efetiva
l
Aquisição Imóvel
Novo/Usado
VA – Qualquer valor
Aquisição Lote
Urbanizado VF – conforme capacidade do
proponente 14,0579 15,00 13,6171 14,50 13,1746 14,00
Aquisição Terreno e
Construção (limitado à quota estabelecida
para a operação)
Construção Terreno
Próprio

4.2.8.3 IMÓVEL COMERCIAL VINCULADO A EMPREENDIMENTO FINANCIADO NA CAIXA

Taxa Porta de Taxa Porta de


Taxa de Juros Balcão
Negócios Negócios Plus
(% (a.a) + TR)
(% (a.a) + TR) (% (a.a) + TR)
MODALIDADES
SFI

Nominal Efetiva Nominal Efetiva Nominal Efetiva

43.000 v106 SICAQ 63


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

PRIVADO 11,6117 12,25 11,1610 11,75 10,7085 11,25


Aquisição
Imóvel Novo
Aquisição
Terreno e
Construção SERVIDOR
11,6117 12,25 10,7085 11,25 10,2541 10,75
PUBLICO

4.2.8.4 TAXA PORTA DE NEGÓCIOS E TAXA PORTA DE NEGÓCIOS PLUS


4.2.8.4.1 A Taxa Porta de Negócios é concedida para as operações ao proponente que possua ou adquira,
individualmente ou em conjunto, o pacote de produtos listados abaixo, até a ass inatura do financiamento
habitacional e mantê-los durante a vigência do contrato habitacional:
 abertura de conta corrente, caso não seja correntista;
 contratação de cheque especial;
 contratação de, no mínimo, 02 cartões de crédito, sendo um deles necessari amente na bandeira ELO;
 autorização para débito do encargo mensal do financiamento em conta corrente ou folha de pagamento na data de
vencimento.
4.2.8.4.2 Se além do pacote de produtos descrito no item anterior o proponente optar pela marcação da conta para
crédito do salário na CAIXA será concedido um redutor na taxa de juros vigente enquadrando -o na taxa na
modalidade Porta de Negócios Plus.
4.2.8.4.2.1 No caso de financiamento para aquisição de imóvel comercial a opção de marcação da conta salário na
CAIXA poderá ser substituída por aplicação financeira, a ser negociada pela agência concessora.
4.2.8.4.3 O débito em folha de pagamento está condicionado à existência de convênio Folha de Pagamento firmado
entre a CAIXA e o Órgão ou Entidade de vinculação do proponente.
4.2.8.4.4 A taxa de juros a ser considerada na avaliação de risco é a nominal de balcão.
4.2.8.4.5 O devedor perde a Taxa Porta de Negócios nas ocorrências abaixo :
 cancelamento de qualquer item do pacote de produtos;
 não pagamento do encargo até o último dia útil anterior ao venc imento do encargo mensal subsequente.
4.2.8.4.6 O devedor perde a Taxa Porta de Negócios Plus nas ocorrências abaixo :
 cancelamento de qualquer item do pacote de produtos;
 cancelamento do crédito do salário na CAIXA;
 não pagamento do encargo até o último dia útil anterior ao venc imento do encargo mensal subsequente.
4.2.8.4.7 Não havendo saldo suficiente na conta-corrente ou na impossibilidade de débito do encargo mensal na
referida conta ou em folha de pagamento, o devedor deve efetuar o seu pagamento até o último dia anterior ao
vencimento do encargo subsequente, por meio de crédito dos recursos na conta corrente ou pelo pagamento via
boleto, mediante emissão da segunda via de carnê de pagamento.
4.2.8.4.8 Verificado o não pagamento do encargo até o último dia útil anterior ao vencimento do encargo mensal
subsequente, a aplicação da taxa Porta de Negócios ou Porta de Negócios Plus é cancelada, retornando à taxa de
juros de balcão sendo que, se mantido o pagamento dos encargos em dia por, no mínimo,6 meses consecutivos, o
devedor pode apresentar requerimento formal para retorno da Taxa de Juros Porta de Negócios ou Porta de
Negócios Plus.
4.2.8.4.9 O encerramento da conta corrente implica na perda definitiva da Taxa Porta de Negócios ou da Taxa Porta
de Negócios Plus.
4.2.8.4.10 Se extinto um dos cartões de crédito, durante o financiamento habitacional, a Taxa Porta de Negócios ou
Taxa Porta de Negócios Plus pode ser mantida se o devedor adquirir um novo cartão logo após a ocorrência.
4.2.8.4.11 O cancelamento do cheque especial, cartão de crédito, débito em conta corrente/folha de pa gamento
e/ou conta salário, esta última no caso de Taxa Porta de Negócios Plus, implica na perda da Taxa Porta de
Negócios ou da Taxa Porta de Negócios Plus, passando a ser aplicada a taxa de juros de balcão.

43.000 v106 SICAQ 64


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.2.8.4.12 Para contratos com débito dos encargos em folha de pagamento, se ocorrer o cancelamento do débito
em folha, o devedor deve apresentar de imediato requerimento formal para que os encargos sejam debitados em
conta corrente na CAIXA.
4.2.8.4.13 É facultado ao proponente solicitar, por meio de requerimento formal, o retorno da Taxa Porta de
Negócios ou Porta de Negócios Plus, desde que esteja adimplente e volte à condição de titular ativo por, no mínimo
6 meses, dos produtos/serviços: cheque especial, cartão de crédito, débito em conta corrente ou folha de
pagamento e conta salário, este último, no caso da taxa Porta de Negócios Plus .

4.2.8.4.14 CONDIÇÕES DESTINADAS AOS CLIENTES DO SETOR PÚBLICO, DAS UNIDADES DE


EMPREENDIMENTOS CAIXA E DO SEGMENTO EXCLUSIVO
4.2.8.4.14.1 São oferecidas condições diferenciadas para financiamento de imóvel resid encial firmado com:
4.2.8.4.14.1.1 SETOR PÚBLICO (SETOR PÚBLICO ESFERAS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL, empresa da
administração público-indireta federal, Sistema Petrobrás e empregado/aposentado ou pensionista CAIXA):
 agentes públicos, servidores públicos e empregados públicos vinculados a Órgãos ou Entidades do Setor Público,
ativos ou inativos sendo que, no caso de inativos, o benefício será concedido somente aos que continuem
recebendo pela mesma fonte pagadora de quando eram ativos ;
 empregados das empresas da administração público-indireta federal: autarquias, fundações públicas, empresas
públicas e sociedade de economia mista ativos ou inativos sendo que, no caso de inativos, o benefício somente
será concedido aos que continuem recebendo pela mesma fonte pagadora de quando eram ativos;
 empregados/aposentados ou pensionistas CAIXA.
4.2.8.4.14.1.2 SEGMENTO EXCLUSIVO:
 Cliente com volume de aplicações igual ou superior a R$ 1.000.000,00 .
4.2.8.4.14.1.3 UNIDADES DE EMPREENDIMENTOS FINANCIADOS NA CAIXA:
a) Para proponentes de operações de financiamento de unidades residenciais prontas ou em construção
vinculadas a empreendimentos financiados pela CAIXA. Condições prorrogadas até 30/11/2018.
 Equiparação com as condições oferecidas ao servidores públicos;
 Opção de incorporar ao saldo devedor do financiamento até três dos primeiros encargos, no ato da
assinatura do contrato.
4.2.8.4.14.2 A lista das subsidiárias da Petrobras pode ser consultada no link http://www.petrobras.com.br/pt/quem-
somos/principais-subsidiarias/.
4.2.8.4.14.3 A vinculação do proponente ao Setor Público é confirmada mediante apresentação do contracheque e
validação do CNPJ do Órgão ou Entidade no Site da Receita Federal
http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoajuridica/cnpj/cnpjreva/cnpjreva_solicitacao.asp .
4.2.8.4.14.4 Enquadram-se nas esferas federal, estadual e municipal os seguintes órgãos : Judiciário, Ministério
Público, Tribunal de Contas, Procuradoria Pública e Defensoria Pública.
 para enquadramento na Taxa Setor Público o proponente deve optar pela Taxa Porta de Negócios ou Porta de
Negócios Plus cujas disposições para contratação e manutenção estão estabelecidas no subitem 4.2.7.3, e suas
condições estabelecidas no quadro abaixo:

CONDIÇÕES SETOR PÚBLICO , UNIDADES DE EMPREENDIMENTOS CAIXA E SEGMENTO EXCLUSIVO PARA AQUISIÇÃO
IMÓVEL RESIDENCIAL
SFH – Aquisição de Imóvel Novo, Imóvel Usado, Aquisição de T erreno e Construção e Construção Terreno Próprio
SFI – Aquisição de Imóvel Novo, Imóvel Usado, Aquisição de Terreno e Construção. Construção Terreno Próprio e Aquisição
Lote Urbanizado

Taxas de Juros % (a.a.)


Prazo Máximo de
Enquadramento Porta de Comprometimento de
Porta de Quota (%) Amortização (em
SFH Balcão Negócios Renda
Negócios meses)
Plus
Imóvel Novo e NOMINAIS Imóvel Novo e
Operações Operações SAC
Vinculadas a 10,4815 9,7978 9,3396 Vinculadas a SAC: até 30%
Empreendimento Todas
EFETIVAS Empreendimento Modalidades: 420
SFA/TP: até 25%
VA até
SAC até 80%
R$1.500.000,00 11,00 10,25 9,75 SFA/TP até 50%

43.000 v106 SICAQ 65


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Até 30/11/2018 Imóvel Usado: SFA/TP


Imóvel Usado SAC até 50% Todas
Aquisição de Terreno SFA/TP até 40% Modalidades: 240
e Construção
Adjudicado/leilão
Construção em CAIXA/EMGEA:
Terreno Próprio
SAC até 80%
VA até: SFA/TP até 70%
R$ 950.000,00 – Aquisição de
MG, RJ, SP e DF Terreno e
Construção e
R$ 800.000,00 para Construção em
os demais Estados Terreno Próprio:
SAC até 80%
SFA/TP até 50%
SAC até 80%
Operações com
Interveniente
Quitante

Taxas de Juros % (a.a.)


Prazo Máximo de
Porta de Comprometimento de
Enquadramento SFI Porta de Quota(%) Amortização (em
Balcão Negócios Renda
Negócios meses)
Plus
NOMINAIS Imóvel Novo e
Operações
11,6117 10,7085 10,2541 Vinculadas a
EFETIVAS Empreendimento

Imóvel Novo SAC até 80%


SFA/TP até 50%
VA acima de
Imóvel Usado:
R$1.500.000,00
SAC até 50%
Até 31/12/2017
SFA/TP até 40%
Operações SAC
Vinculadas a
Adjudicado/leilão
Empreendimento CAIXA/EMGEA: Lote Urbanizado:
216
VA acima de SAC até 80%
SFA/TP até 70% Demais
R$1.500.000,00 Modalidades: 420
Aquisição de
Até 30/11/2018
Terreno e SAC: até 30%
Imóvel Usado Construção e
Construção em SFA/TP: até 25% SFA/TP
Aquisição de Terreno
12,25 11,25 10,75, Terreno Próprio: Lote Urbanizado:
e Construção
SAC até 80% 144
Construção em
Terreno Próprio SFA/TP até 50% Demais
Modalidades: 240
VA acima de:
R$ 950.000,00 – Lote Urbanizado:
MG, RJ, SP e DF
SAC até 60%
R$ 800.000,00 para SFA/TP até 40%
os demais Estados

SAC até 80%


Operações com
Interveniente
Quitante

4.2.9 DESPESAS, TAXAS, TARIFAS, TRIBUTOS E ENCARGO MENSAL – FINANCIAMENTO INDIVIDUAL


E FINANCIAMENTO VINCULADO A EMPREENDIMENTO, INCLUSIVE PARCERIAS

4.2.9.1 ATÉ A CONTRATAÇÃO

43.000 v106 SICAQ 66


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.2.9.1.1 Tarifa para Análise de Apólice Individual – devida, conforme Tabela de Tarifas da CAIXA, na opção por
outra apólice que não seja CAIXA Seguradora (LAR ou LAR+) ou PANSeguros ou Tokio Marine.
4.2.9.1.2 Tarifa de Avaliação de Bens Recebidos em Garantia – devida, conforme Tabela de Tarifas da CAIXA, não
sendo passível de devolução.
4.2.9.1.2.1 A cobrança é efetuada da seguinte forma:
 R$ 750,00 na entrega da documentação, com pagamento por meio de boleto de cobrança;
 valor remanescente da tarifa na data de assinatura do contrato.
4.2.9.1.2.2 Dispensada no caso de financiamento vinculado a Empreendimento, inclusive parcerias, uma vez que o
pagamento da avaliação do imóvel é efetuado pela construtora/tomador;
4.2.9.1.3 Primeiros prêmios de seguro – MIP e DFI, devido no ato da contratação, considerando a faixa etária dos
proponentes e calculado proporcionalmente em função da pactuação de renda dos participantes, sendo que o
seguro DFI não é devido nos financiamentos vinculados a empreendimentos, inclusive parcerias, durante a fase de
construção, e para conforme tabelas abaixo:

IMÓVEL RESIDENCIAL

Faixa Taxa MIP – CAIXA SEGURADORA – LAR ou LAR+


Etária inicial TAXAS APLICADAS NA MUDANÇA DE FAIXA ETÁRIA – %
(anos) %
18 -25 26-30 31-35 36-40 41-45 46-50 51-55 56-60 61-65 66-70 71-75 76-80
anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos
18-25 0,0115 0,0115 0,0119 0,0169 0,0211 0,0254 0,0336 0,0525 0,1015 0,1807 0,2129 0,2824 0,2589
26-30 0,0121 - 0,0121 0,0174 0,0222 0,0286 0,0359 0,0563 0,1093 0,1807 0,2307 0,2824 0,2824
31-35 0,0178 - - 0,0178 0,0229 0,0302 0,0404 0,0600 0,1171 0,1946 0,2307 0,3060 0,2824
36-40 0,0234 - - - 0,0234 0,0312 0,0426 0,0675 0,1249 0,2085 0,2484 0,3060 0,3060
41-45 0,0318 - - - - 0,0318 0,0439 0,0713 0,1405 0,2224 0,2662 0,3295 0,3060
46-50 0,0448 - - - - - 0,0448 0,0675 0,1327 0,2085 0,2484 0,3295 0,3295
51-55 0,0751 - - - - - - 0,0751 0,1327 0,2308 0,2662 0,3060 0,3295
56-60 0,1561 - - - - - - - 0,1561 0,2641 0,3372 0,4236 0,3766
61-65 0,2781 - - - - - - - - 0,2781 0,3372 0,4472 0,4236
66-70 0,3549 - - - - - - - - - 0,3549 0,4472 0,4472
71-75 0,4707 - - - - - - - - - 0,4707 0,4472
76-80 0,4707 - - - - - - - - - - - 0,4707

IMÓVEL COMERCIAL
Faixa MIP – CAIXA SEGURADORA – LAR
Taxa
Etária
inicial TAXAS APLICADAS NA MUDANÇA DE FAIXA ETÁRIA – %
(anos
%
)
18 -25 26-30 31-35 36-40 41-45 46-50 51-55 56-60 61-65 66-70 71-75 76-80
anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos
0,011 0,011 0,011 0,017 0,021 0,025 0,033 0,052 0,101 0,181 0,213 0,283 0,259
18-25
5 5 9 0 1 5 8 7 9 4 7 5 9
0,012 0,012 0,017 0,022 0,028 0,036 0,056 0,109 0,181 0,231 0,283 0,283
26-30 -
1 1 5 3 7 0 5 7 4 6 5 5
0,017 0,017 0,023 0,030 0,040 0,060 0,117 0,195 0,231 0,307 0,283
31-35 - -
8 9 0 3 5 3 5 4 6 1 5
0,023 0,023 0,031 0,042 0,067 0,125 0,209 0,249 0,307 0,307
36-40 - - -
4 5 3 8 8 4 3 4 1 1
0,031 0,031 0,044 0,071 0,141 0,223 0,267 0,330 0,307
41-45 - - - -
8 9 1 6 0 3 2 7 1
0,044 0,045 0,067 0,133 0,209 0,249 0,330 0,330
46-50 - - - - -
8 0 8 2 3 4 7 7
0,075 0,075 0,133 0,231 0,267 0,307 0,330
51-55 - - - - - -
1 3 2 7 2 1 7

43.000 v106 SICAQ 67


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

IMÓVEL COMERCIAL
Faixa
Taxa MIP – CAIXA SEGURADORA – LAR
Etária
inicial TAXAS APLICADAS NA MUDANÇA DE FAIXA ETÁRIA – %
(anos
%
)
18 -25 26-30 31-35 36-40 41-45 46-50 51-55 56-60 61-65 66-70 71-75 76-80
anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos
0,156 0,156 0,265 0,338 0,425 0,378
56-60 - - - - - - -
1 7 2 4 2 0
0,278 0,279 0,338 0,448 0,425
61-65 - - - - - - - -
1 1 4 9 2
0,354 0,356 0,448 0,448
66-70 - - - - - - - - -
9 2 9 9
0,470 0,472 0,448
71-75 - - - - - - - - -
7 5 9
0,470 0,472
76-80 - - - - - - - - - - -
7 5

MIP – PAN SEGUROS RESIDENCIAL


FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA
18 a 25 anos 0,00929 41 a 45 anos 0,02519 61 a 65 anos 0,25065
26 a 30 anos 0,00929 46 a 50 anos 0,03860 66 a 70 anos 0,27511
31 a 35 anos 0,01159 51 a 55 anos 0,06760 71 a 75 anos 0,39351
36 a 40 anos 0,01536 56 a 60 anos 0,12638 76 a 77 anos 0,45716
78 a 80 anos 0,46892

MIP – PAN SEGUROS COMERCIAL


FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA
18 a 25 anos 0,01014 41 a 45 anos 0,02810 61 a 65 anos 0,14300
26 a 30 anos 0,01014 46 a 50 anos 0,04000 66 a 70 anos 0,22100
31 a 35 anos 0,01312 51 a 55 anos 0,07000 71 a 75 anos 0,39500
36 a 40 anos 0,01715 56 a 60 anos 0,09800 76 a 77 anos 0,47070
78 a 80 anos 0,47070

MIP – TOKIO MARINE – RESIDENCIAL


FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA
18 a 30 anos 0,000100 46 a 50 anos 0,000388 66 a 70 anos 0,002798
31 a 35 anos 0,000127 51 a 55 anos 0,000678 71 a 75 anos 0,004055
36 a 40 anos 0,000170 56 a 60 anos 0,001266 76 a 80 anos e 06 0,004765
meses
41 a 45 anos 0,000269 61 a 65 anos 0,002509

MIP – TOKIO MARINE – COMERCIAL


FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA
18 a 30 anos 0,0001004 46 a 50 anos 0,0003891 66 a 70 anos 0,0028086
31 a 35 anos 0,0001279 51 a 55 anos 0,0006804 71 a 75 anos 0,0040704
36 a 40 anos 0,0001704 56 a 60 anos 0,0012708 76 a 80 anos e 6 0,0047831
meses
41 a 45 anos 0,0002704 61 a 65 anos 0,0025185

43.000 v106 SICAQ 68


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.2.9.1.3.1 O valor do DFI é obtido mediante a aplicação das taxas abaixo sobre o valor da avaliação total da
garantia efetuada pela CAIXA:

DFI IMÓVEL RESIDENCIAL IMÓVEL COMERCIAL


CAIXA SEGURADORA – LAR 0,0000780 0,0000838
CAIXA SEGURADORA – LAR+ 0,0001280 Apólice não prevê cobertura para imóvel comercial
PAN Seguros 0,0000660 0,0000780
TOKIO MARINE 0,0000650 0,0000698

 para as operações contratadas com a Apólice CAIXA Seguradora LAR+ o DFI contempla, ainda, as coberturas
acessórias de natureza material para danos elétricos, pagamento de aluguéis, danos ao conteúdo , roubo/furto de
conteúdo e assistência 24h, podendo as condições dos seguros LAR e LAR+ serem consultadas no site da
seguradora no endereço http://caixaseguros.com.br.
4.2.9.1.3.2 Não é previsto o seguro DFI para a modalidade Aquisição de Lote Urbanizado.

4.2.9.1.4 TARIFA DE COBERTURA DE CUSTOS À VISTA


4.2.9.1.4.1 Devida ao mutuário adquirente de unidade vinculada a empreendimento financiado pela CAIXA,
conforme Tabela de Tarifas da CAIXA disponível em http://novoportfolio.caixa/, Tabela de Tarifas, não sendo
passível de devolução.
4.2.9.1.4.2 A cobrança é efetuada à vista na data de assinatura do contrato.

4.2.9.2 SEGURO RCPM - PELOS VENDEDORES


4.2.9.2.1 Seguro opcional contratado, até a assinatura do contrato, na alíquota de 1% aplicada sobre 20% do valor
de Avaliação do Imóvel para a modalidade Aquisição de Imóvel Novo, verificar, ainda, as exigências contidas no
subitem 2.13.7.

4.2.9.3 ENCARGO MENSAL

4.2.9.3.1 NA FASE DE CONSTRUÇAO, MENSALMENTE


 Tarifa de Reavaliação de Bens Recebidos em Garantia;
 encargo mensal (parcela de atualização monetária, parcela de juros, Tarifa de Administração e prêmios de
seguros);
 para contratos vinculados a empreendimento, inclusive parcerias, é devido somente o encargo mensal (parcela de
atualização monetária, parcela de juros, Tarifa de Administração e prêmios de seguros).

4.2.9.3.2 NA FASE DE AMORTIZAÇÃO


 prestação de amortização e juros;
 tarifa de administração – TA;
 prêmios mensais de seguro.

4.2.10 RECURSOS PRÓPRIOS


4.2.10.1 Na Aquisição de Imóvel Novo ou Usado são representados pela diferença entre o valor de venda e compra
e o Valor do financiamento.
4.2.10.2 Na Construção em Terreno Próprio são representados pela diferença entre o orçamento aprovado pela
CAIXA e o Valor de Financiamento.
4.2.10.3 Na Aquisição de Terreno e Construção são representados pela diferença entre o Valor de Financiamento e
o somatório do valor de venda e compra do terreno e o do orçamento aprovado pela CAIXA.
4.2.10.4 É permitida a utilização dos recursos da CV do FGTS, nas modalidades Aquisição de Imóvel Novo e
Usado, Aquisição de Terreno e Construção e Construção em Terreno Próprio, desde que atendidas as condições
descritas no Anexo IV.

43.000 v106 SICAQ 69


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.2.11 CADASTRAMENTO DA PROPOSTA NO SIOPI:
4.2.11.1 Os procedimentos para cadastramento de propostas - Alocação de Recursos - Operações Com
Interveniente Quitante, seguem os mesmos procedimentos para cadastramento de unidades individuais.
4.2.11.2 Verificar a propagação/migração da proposta para o SIOPI e, nos casos em que a mesma não tenha sido
criada automaticamente, inclui a proposta individual em https://siopiweb.caixa.gov.br/ , conforme cartilha passo a
passo para concessão disponível na tela inicial, após o login no sistema, clicando no Informativo GEMPF
2012/0009.
4.2.11.3 Se proponente com Taxa Porta de Negócios ou Taxa Porta de Negócios Plus:

TAXA PORTA DE NEGÓCIOS OU TAXA PORTA DE NEGÓCIOS PLUS


 clicar no ícone Convênio;
 selecionar o Tipo de Convênio 90 – SBPE – Débito em Conta
 selecionar o Código de Convênio = 10000000095 – PACOTE BÁSICO E PACOTE PLUS
 selecionar a Empresa Secundária/Subsidiária:
 PACOTE BÁSICO – se contratação com Conta Corrente, Cheque Especial, 2 Cartões de Crédito e débito em
conta ou em folha;
 PACOTE PLUS – se contratação com Conta Corrente, Cheque Especial, 2 Cartões de Crédito, débito em conta
ou em folha e Conta Salário;
 marcar no campo TIPO DE CONCESSÃO E SITUAÇÃO ESPECIAL a opção 112 – Convênio SBPE com débito
em conta ou em folha de pagamento – Situação especial 132 – débito em conta corrente ou Situação especial
136 – débito em folha observando que:
Para contratos com opção pela folha de pagamento com modalidade de construção o cadastramento da situação
136 só pode ser efetuado quando da conclusão da obra devendo ser inicialmente ser cad astrada a situação
especial 132.
 marcar a opção SIM, no campo PACOTE BÁSICO DE PRODUTOS – na pergunta: Algum participante possui
pacote básico de produtos;
 marcar CONDIÇÃO ESPECIAL, se for o caso.
 Se Imóvel Comercial
 clica no ícone Convênio;
 seleciona o Convênio Tipo 90:
 pacote = Código 140 – Conta Corrente, Cheque Especial e Cartão de Crédito + débito em conta ou em folha de
pagamento;
 pacote Plus = Código 150 – Conta Corrente, Cheque Especial, Cartão de Crédito, débito em conta ou em folha
+ Conta Salário ou Aplicação Financeira.
 No campo Forma de Pagamento seleciona o campo Débito em conta corrente SE 132 ou débito em folha de
pagamento – SE 136 observando o que segue:
Para contratos com opção pela folha de pagamento com modalidade de construção o cadastramento da situação
136 só pode ser efetuado quando da conclusão da obra devendo ser inicialmente ser cadastrada a situação
especial 132.
 Incluir o TC 112;
 Seleciona no item Condições contratuais, aba Demais condições, o campo com o título Pacote Básico de
Produtos.
Para os contratos com antecipação de recursos na modalidade aquisição de terreno e construção e construção
em terreno próprio (somente residencial):
 Incluir a situação especial 306.

4.2.11.4 Se proponente com Taxa de Juros Setor Público, inclusive Empregados/Aposentado ou Pensionista CAIXA
e Sistema Petrobrás sem conta salário na CAIXA cadastra as informações a seguir:

SETOR PÚBLICO COM CONTA SALÁRIO – inclusive Empregados CAIXA


 clicar no ícone Convênio;

43.000 v106 SICAQ 70


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

 selecionar o Tipo de Convênio 24 – Acordo de Cooperação SBPE;


 selecionar o código de convênio 1000000020 – SETOR PÚBLICO COM CONTA SALÁRIO;
 selecionar a Empresa Secundária/Subsidiária de acordo com a esfera a que o(s) pro ponente(s) está(ao)
vinculados: MUNICIPAL CONTA SALÁRIO, FEDERAL COM CONTA SALÁRIO, ESTADUAL COM CONTA
SALÁRIO OU EMPREGADO/APOSENTADO OU PENSIONISTA CAIXA COM CONTA SALÁRIO.
 Obs: Para servidores vinculados ao Sistema Petrobras Federal, Judiciário, Ministério Público, Procuradoria
Pública e Defensoria Pública – todas as esferas, deve ser selecionada a opção SETOR PÚBLICO FEDERAL.
 marcar no campo TIPO DE CONCESSÃO E SITUAÇÃO ESPECIAL a opção 112 – Convênio SBPE com débito
em conta ou em folha de pagamento – Situação especial 132 – débito em conta corrente;
 marcar a opção SIM no campo PACOTE BÁSICO DE PRODUTOS – na pergunta: Algum participante possui
pacote básico de produtos;
 marcar CONDIÇÃO ESPECIAL, se for o caso;
Para os contratos com antecipação de recursos na modalidade aquisição de terreno e construção e construç ão
em terreno próprio (somente residencial):
 incluir a situação especial 306.

4.2.11.5 Se proponente com Taxa de Juros Setor Público, inclusive Empregados/Aposentados ou Pensionistas
CAIXA com conta salário na CAIXA, cadastra as informações a seguir:

SETOR PÚBLICO COM CONTA SALÁRIO – inclusive Empregados CAIXA


 clicar no ícone Convênio;
 selecionar o Tipo de Convênio 24 – Acordo de Cooperação SBPE;
 selecionar o código de convênio 1000000020 – SETOR PÚBLICO COM CONTA SALÁRIO;
 selecionar a Empresa Secundária/Subsidiária de acordo com a esfera a que o(s) proponente(s) está(ao)
vinculados: MUNICIPAL CONTA SALÁRIO, FEDERAL COM CONTA SALÁRIO, ESTADUAL COM CONTA
SALÁRIO OU EMPREGADO/APOSENTADO OU PENSIONISTA CAIXA COM CONTA SALÁRIO.
 Obs: Para servidores vinculados ao Sistema Petrobras Federal, Judiciário, Ministério Público, Procuradoria
Pública e Defensoria Pública – todas as esferas, deve ser selecionada a opção SETOR PÚBLICO FEDERAL.
 marcar no campo TIPO DE CONCESSÃO E SITUAÇÃO ESPECIAL a opção 112 – Convênio SBPE com débito
em conta ou em folha de pagamento – Situação especial 132 – débito em conta corrente;
 marcar a opção SIM no campo PACOTE BÁSICO DE PRODUTOS – na pergunta: Algum participante possui
pacote básico de produtos;
 marcar CONDIÇÃO ESPECIAL, se for o caso.
Para os contratos com antecipação de recursos na modalidade aquisição de terreno e construção e construção
em terreno próprio (somente residencial):
 inclui a situação especial 306.

4.2.11.6 Se proponente de unidade vinculada a empreendimento fin anciado na CAIXA sem conta salário, cadastra
as informações abaixo:

UNIDADE VINCULADA A EMPREENDIMENTO CAIXA SEM CONTA SALARIO

clica na tela concessão – dados do convênio;


seleciona o Tipo de Convênio = 90 – DEBITO EM CONTA CORRENTE
seleciona o Código de Convênio = 3000000080 – SBPE COND ESP UNIDADE EMPREENDIMENTO;
Empresa Secundária/Subsidiária:
· SBPE COND ESP UND EMPREEND PORTA NEGOCIO BÁSICO
TIPO DE CONCESSÃO E SITUAÇÃO ESPECIAL
· Tipo de Concessão: 112 – Redução de Taxa de Juros – Débito em Conta
· Situação Especial: 132 – DEBITO EM CONTA CORRENTE

43.000 v106 SICAQ 71


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

PACOTE BÁSICO DE PRODUTOS


· Selecione a opção SIM
O PACOTE BÁSICO ESTÁ ASSOCIADO AO PARTICIPANTE
· Definir o participante que possui o pacote básico
CONDIÇÃO ESPECIAL*
· Selecionar a opção: Não deseja Condição Especial
Na tela CONCESSÃO – Valores da Operação – incluir no campo “Carência Feirão” o prazo de carência, “1”, “2”
ou “3”, quando o cliente fizer a opção pela suspensão de até três dos primeiros encargos;
- deixar em branco, ou informar “0”, quando o cliente não optar pela suspensão.

4.2.11.7 Se proponente de unidade vinculada a empreendimento financiado na CAIXA com conta salário, cadastra
as informações abaixo:

UNIDADE VINCULADA A EMPREENDIMENTO CAIXA COM CONTA SALARIO

clica na tela concessão – dados do convênio;


seleciona o Tipo de Convênio = 90 – DEBITO EM CONTA CORRENTE
seleciona o Código de Convênio = 3000000080 – SBPE COND ESP UNIDADE EMPREENDIMENTO;
Empresa Secundária/Subsidiária:
· SBPE COND ESP UND EMPREEND PORTA NEGOCIO PLUS
TIPO DE CONCESSÃO E SITUAÇÃO ESPECIAL
· Tipo de Concessão: 112 – Redução de Taxa de Juros – Débito em Conta
· Situação Especial: 132 – DEBITO EM CONTA CORRENTE
PACOTE BÁSICO DE PRODUTOS
· Selecione a opção SIM
O PACOTE BÁSICO ESTÁ ASSOCIADO AO PARTICIPANTE
· Definir o participante que possui o pacote básico
CONDIÇÃO ESPECIAL*
· Selecionar a opção: Não deseja Condição Especial
Na tela CONCESSÃO – Valores da Operação – incluir no campo “Carência Feirão” o prazo de carência, “1”, “2”
ou “3”, quando o cliente fizer a opção pela suspens ão de até três dos primeiros encargos;
- deixar em branco, ou informar “0”, quando o cliente não optar pela suspensão.

4.2.11.8 Para operação com imóvel financiado em IF não bancária, Construtora devem ser observadas as
orientações abaixo:
 na etapa “Cadastro do Imóvel”, informa nos “Dados Adicionais” a situação de “Aquisição de Imóvel Financiado”;
 na etapa “Incluir Financiamento Anterior”, em “Dados do Agente Financeiro”, seleciona “3 – Outra Instituição
Bancária” ou “4 – Outra Instituição Não Bancária”, de acordo com a Instituição de origem do contrato anterior;
 Informar o valor do SD no campo próprio na etapa “Detalhar Financiamento Anterior”, que está limitado ao valor
do VF.
4.2.11.9 O CCA digita o seu código com dígito verificador na tela Complementa Dados.
4.2.11.9.1 No caso de vendedor sem conta na CAIXA ou em outro banco, informa no SIOPI a conta OP 093 –
Cheque Ordem de Pagamento da Agência/PA para o vendedor.
4.2.11.10 No campo Descrição do Imóvel, para imóveis com parte de área edificada não averbada ou reforma sem
ampliação, informa só a área efetivamente averbada constante na matrícula do imóvel e, no campo Avaliação, o
valor total do imóvel informado no Laudo de Avaliação ou Relatório de valoração da CAIXA.

43.000 v106 SICAQ 72


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.2.11.11 Se na matrícula do imóvel constar apenas a descrição da unidade sem especificar a área, informa só a
descrição e o VA total do imóvel.
4.2.11.12 Para Construção em Terreno Próprio ou Aquisição de Terreno e Construção informa o percentual de, no
mínimo, 5% para a última parcela.
4.2.11.13 Se imóvel financiado em outra IF não bancária, Const rutora ou Consórcio cadastra o SD posicionado para
a data agendada da assinatura contratual.
4.2.11.14 Para contratos assinados entre os dias 26 a 31, adota os procedimentos abaixo:
 na tela “complementa dados” opção “altera data de vencimento do primeiro encargo” clica em “SIM”;
 na opção “data alterada de vencimento do primeiro encargo” informa nova data, entre os dias 1 e 25, e clica em
salvar.
4.2.11.15 Se solicitada alteração da data do 1º vencimento da prestação, informa a nova data de vencimento para
que o primeiro boleto seja gerado com a data escolhida, exceto para contratos com convênio para débito em folha
de pagamento para os quais não é permitida a alteração.
4.2.11.16 Se proposta aprovada pela seguradora com limite superior ao de cobertura automática seleciona:

PROPOSTA APROVADA PELA SEGURADORA – ACIMA DO LIMITE APÓLICE


Se CAIXA Seguradora seleciona:
 LAR imóvel residencial – apólice 61172 – SBPE LIM. APOL. EXCEDIDO;
 LAR imóvel comercial – apólice 61173 – SBPE LIM. APOL. EXCEDIDO;
 LAR+ – apólice 61182 – SBPE LIM, APOL EXCEDIDO;
 Imóvel Residencial LAR ou LAR + -Código de Exceção 165 – APO SBPE RES. VA OU VF > LIMITE AUTOR
SEGURADORA;
 Imóvel Comercial LAR - Código de Exceção 166 – APO SBPE RES. VA OU VF > LIMITE AUTOR
SEGURADORA.
Se Tokio Marine seleciona:
 Apólice residencial 68432 – LIM. APOL. EXCEDIDO
 Apólice comercial 68433 – LIM. APOL. EXCEDIDO
 Código de Exceção:
 Imóvel Residencial 165 – APO SBPE RES. VA OU VF > LIMITE AUTOR SEGURADORA
 Imóvel Comercial 166 – APO SBPE COM. VA OU VF > LIMITE AUTOR SEGURADORA

4.2.11.17 Emitir o espelho da proposta ou o relatório de operações imobiliárias, confere os dados e arquiva no
dossiê único.
4.2.11.18 A impressão do contrato e entrega aos proponentes para registro no RI deverá ser feita, obrigatoriamente,
por empregado CAIXA, na agência/unidade responsável pela proposta.

4.2.12 PROPOSTA DE UNIDADES VINCULADAS A EMPREENDIMENTO CAIXA CADASTRADA NO CIWEB


4.2.12.1 Se proponente com Taxa Porta de Negócios ou Taxa Porta de Negócios Plus, cadastra as informações:

TAXA PORTA DE NEGÓCIOS OU TAXA PORTA DE NEGÓCIOS PL US

 clica no link Convênio;


 seleciona o Convênio Tipo 90 – Convênio Débito em Conta;
 digita o código, de acordo com o tipo de pacote:
 pacote = Código 95 – Conta Corrente, Cheque Especial e Cartões de Crédito + débito em conta ou em folha;
 pacote Plus = Código 100 – Conta Corrente, Cheque Especial e Cartões de Crédito + débito em conta ou em
folha + Conta Salário.

4.2.12.2 Se proponente com Taxa de Juros Setor Público, cadastra as informações:

43.000 v106 SICAQ 73


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

SETOR PÚBLICO e SISTEMA PETROBRÁS

Conta Corrente
Conta Corrente Cheque Especial, Cartões de Conta Corrente Cheque Especial, Cartões de Crédito.
Crédito e Débito em Conta Débito em Conta e Conta Salário
 clica no link Convênio;  clica no link Convênio;
 seleciona o Convênio Tipo 24 – Acordo de Serviço  seleciona o Convênio Tipo 24 – Acordo de Serviço Novo
Novo SBPE; SBPE;
digita o código do Setor Público de vinculação:  digita o código do Setor Público de vinculação:
 Sistema Petrobras Federal, Judiciário,  Sistema Petrobras, Federal, Judiciário, Ministério
Ministério Público, Procuradoria Pública e Defensoria Público, Procuradoria Pública e Defensoria Pública – todas
Pública – todas as esferas = Código 1000-6; as esferas = Código 2000-1;
 Estadual = Código 1100-2;  Estadual = Código 2100-8;
 Municipal = Código 1200-9;  Municipal = Código 2200-4;
 no campo Forma de pagamento seleciona o campo  inclui o TC 112;
Débito em conta corrente – SE132
 seleciona no item Condições contratuais aba demais
 inclui o TC 112; condições, o campo com o título Pacote Básico de
Produtos.
 seleciona no item Condições Contratuais, aba
Demais Condições, o campo com o título Pacote
Básico de Produtos.

4.2.12.3 Se Empregado/Aposentado ou Pensionista CAIXA, cadastra as informações:

EMPREGADO/APOSENTADO OU PENSIONISTA CAIXA

clica no link Convênio;


seleciona o Convênio Tipo 24 – Acordo de Serviço Novo SBPE;
digita o código conforme abaixo:
pacote = Código 1300-0 -Conta Corrente, Cheque Especial, Cartões de Crédito + débito em conta ou em Folha
de pagamento;
pacote Plus = Código 2300-0 -Conta Corrente, Cheque Especial, Cartões de crédito + débito em conta ou em
folha + Conta Salário.
no campo Forma de pagamento seleciona o campo Débito em conta corrente – SE 132 ou Débito em folha de
pagamento – SE137 observando o que segue:
Para contratos com opção pela folha de pagamento com modalidade de construção o cadastramento da situação
137 só pode ser efetuado quando da conclusão da obra devendo inicialmente ser cadastrada a SE 132.
se a opção for folha de pagamento informa a matrícula do proponente e seleciona o participante vinculado ao
Convênio;
Inclui o TC 112;
seleciona no item Condições contratuais, aba demais condições, o campo com o título Pacote Básico de
Produtos.

4.2.12.4 Se proponente de unidade vinculada a empreendimento financiado na CAIXA sem conta salário, cadastra
as informações abaixo:

UNIDADES VINCULADA A EMPREENDIMENTO CAIXA SEM CONTA SALARIO

clica no ícone Convênio;


seleciona o Tipo de Convênio 90 – DEBITO EM CONTA CORRENTE
seleciona o Código de Convênio 25000 - SBPE CONDICOES ESPECIAIS EMPREEND. PORTA NEGOCIOS;

43.000 v106 SICAQ 74


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

marca no campo TIPO DE CONCESSÃO E SITUAÇÃO ESPECIAL a opção 112 - Redução de Taxa de Juros -
Débito em Conta – Situação especial 132 – débito em conta corrente;
marca a opção SIM no campo PACOTE BÁSICO DE PRODUTOS – na pergunta: Algum participante possui pacote
básico de produtos;
Seleciona o participante associado ao PACOTE BÁSICODE PRODUTOS;
marca CONDIÇÃO ESPECIAL, se for o caso;
Para os contratos com antecipação de recursos na modalidade aq uisição de terreno e construção e construção
em terreno próprio (somente residencial):
inclui a situação especial 306.
No campo CARÊNCIA – incluir o prazo de carência, “1”, “2” ou “3”, quando o cliente fizer a opção pela suspensão
de até três dos primeiros encargos;
- deixar em branco, ou informar “0”, quando o cliente não optar pela suspensão.

4.2.12.5 Se proponente de unidade vinculada a empreendimento financiado na CAIXA com conta salário, cadastra
as informações abaixo:

UNIDADES VINCULADA A EMPREENDIMENTO CAIXA COM CONTA SALARIO

clica no ícone Convênio;


seleciona o Tipo de Convênio 90 – DEBITO EM CONTA CORRENTE
seleciona o Código de Convênio 26000 - SBPE CONDICOES ESPECIAIS EMPREEND. PORTA NEGOCIOS;
marca no campo TIPO DE CONCESSÃO E SITUAÇÃO ESPECIAL a opç ão 112 - Redução de Taxa de Juros -
Débito em Conta – Situação especial 132 – débito em conta corrente;
marca a opção SIM no campo PACOTE BÁSICO DE PRODUTOS – na pergunta: Algum participante possui pacote
básico de produtos;
Seleciona o participante associado ao PACOTE BÁSICODE PRODUTOS;
marca CONDIÇÃO ESPECIAL, se for o caso;
Para os contratos com antecipação de recursos na modalidade aquisição de terreno e construção e construção
em terreno próprio (somente residencial):
inclui a situação especial 306.
No campo CARÊNCIA – incluir o prazo de carência, “1”, “2” ou “3”, quando o cliente fizer a opção pela suspensão
de até três dos primeiros encargos;
- deixar em branco, ou informar “0”, quando o cliente não optar pela suspensão.

43.000 v106 SICAQ 75


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.3 ANEXO III – PRÓ-COTISTA

4.3.1 EXIGÊNCIAS ESPECÍFICAS


 exigências gerais para os proponentes /cônjuges/companheiros, verificar subitem 1.2.5.1.

4.3.1.1 PROPONENTES/CÔNJUGES/COMPANHEIRO
 não ser detentor de financiamento habitacional ativo nas condições do SFH, em qualquer parte do País,
independente do percentual de propriedade;
 não ser proprietário, cessionário ou promitente comprador de outro imóvel residencial urbano, concluído ou em
construção em um dos locais abaixo:
 no município de domicílio, incluindo os limítrofes e integrantes da mesma região metropolitana ;
 no município de exercício de ocupação principal, incluindo os limítrofes e integrantes da mesma região
metropolitana;
 não ser titular de direito de aquisição de imóvel residencial urbano, concluído ou em construção, no atual local de
domicilio nem onde pretenda fixá-lo, inclusive no PAR.
4.3.1.1.1 Pelo menos um dos participantes da operação tem que comprovar as condições abaixo :
 mínimo de 3 anos de trabalho sob o regime do FGTS, na mesma empresa ou em empresas di ferentes,
consecutivos ou não;
 contrato de trabalho ativo sob regime do FGTS ou saldo em CV FGTS, na data de concessão do financiamento,
correspondente a, no mínimo,10% do VA do imóvel.
4.3.1.1.1.1 Para trabalhador licenciado pelo INSS sem quebra de vínculo empregatíc io, o tempo é contado a partir
da data de sua contratação pela empresa da qual se licenciou, podendo ser somado a períodos relativos a outros
vínculos empregatícios.

4.3.1.2 SITUAÇÕES EXCEPCIONAIS QUANTO À TITULARIDADE DE IMÓVEL


 para a concessão das operações com as situações excepcionais contidas no subitem 4.7.2.17, o CCA deve
orientar o cliente a se dirigir a uma Agência/PA da CAIXA para atendimento.

4.3.1.3 VENDEDOR DO IMÓVEL


 verificar exigências gerais nos subitens 2.5.1 e 2.13.7.

4.3.1.4 IMÓVEL
 verificar exigências gerais no subitem 2.14.1.

4.3.1.5 SE IMÓVEL NOVO


4.3.1.5.1 Alem das exigências estabelecidas no item 4.3.1.4 deve ser Produzido/construído por pessoa jurídica do
ramo da construção civil, condição a ser verificada conforme estabelecido no item 4.3.1.5.2, observando que:
 excetuam-se desta regra os empreendimentos estruturados sob o amparo dos pr ogramas de Financiamento às
Pessoas Físicas contratados sob a forma Associativa.
4.3.1.5.2 A verificação da origem de produção/construção do imóvel é efetuada por meio da documentação abaixo:
 cartão do CNPJ, com o Código e Descrição da Atividade Econômica (CNAE) , principal ou secundária: 41.20-4-00
Construção de Edifícios e situação cadastral Ativa;
 ART/RRT, contendo os dados do Responsável Técnico, da empresa Produtora/Construtora e identificação da
Obra.
4.3.1.5.3 É dispensado o cumprimento das exigências citadas nos itens 4.3.1.5.1 e 4.3.1.5.2 desde que
apresentado Alvará de Construção emitido até 30 JUN 2017.

4.3.1.6 GARANTIA
4.3.1.6.1 Alienação fiduciária do imóvel, constituída pelo terreno e benfeitorias existen tes ou a serem construídas.

43.000 v106 SICAQ 76


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.3.2 MODALIDADES, LIMITES DE VALOR VENAL (VV), VALOR DE FINANCIAMENTO (VF) E PRAZOS
DE AMORTIZAÇÃO

PRAZOS
VALOR FINANCIAMENTO
MODALIDADES VALOR VENAL AMORTIZAÇÃO
(R$)
(em meses)
MG, RJ, SP e DF Mínimo Máximo Mínimo Máximo
Até R$ 950.000,00

DEMAIS ESTADOS
Aquisição de Imóvel Novo Até R$ 800.000,00
Aquisição de Imóvel Usado Limitado à
Aquisição de Imóvel Novo e SAC SAC
quota
Aquisição de Terreno e Operação vinculada ao Apoio a estabelecida 60 360
Construção Produção ou Associativo 50.000,00 para a
operação SFA/TP SFA/TP
Construção em Terreno Até R$ 1.500.000,00 conforme
Próprio 60 240
subitem 4.3.3
(até 31/12/2017)

Considerado o maior valor entre a


avaliação efetuada pela CAIXA e o
valor de compra e venda

4.3.2.1 O valor de financiamento máximo está condicionado, ainda, à capacidade de pagamento do proponente
apurada pelo Sistema de Risco de Crédito da CAIXA.
4.3.2.2 Nas modalidades de aquisição o prazo de amortização é conta do a partir da assinatura do contrato e nas de
Construção a partir do término do prazo de construção ou conclusão da obra, o que ocorrer primeiro.
4.3.2.3 O prazo de construção é de até 24(vinte e quatro) meses, contados da data da assinatura do contrato.
4.3.2.4 Findo o prazo de construção estabelecido no cronograma e não concluída a obra, o valor remanescente dos
recursos da conta vinculada do FGTS, se houver, é restituído à Conta Vinculada do FGTS dos devedores.
4.3.2.5 Os devedores devem concluir a obra com recursos próprios em espécie nos 6 meses subsequentes ao
prazo fixado para o seu término e apresentar a documentação exigida para a liberação da última parcela.
4.3.2.6 O cumprimento do cronograma é verificado mediante vistorias realizadas pela engenharia da CAIXA,
exclusivamente para efeito de medição do andamento da obra e verificação da aplicação dos recursos, sem
qualquer responsabilidade técnica pela edificação.
4.3.2.7 Não é permitido ao CCA dar continuidade em propostas que a avaliação realizada pela Engenharia CAIXA
ateste que o percentual de obra executado é igual ou superior a 70%, devendo estas ser encaminhadas para a
Agência/PA de vinculação.
4.3.2.8 A partir de 25 SET 2017, estão suspensas as contratações envolvendo Interveniente Quitante, exceto
quando tratar-se de Interveniente Quitante CAIXA.
4.3.2.8.1 As contratações em andamento com Interveniente Quitante que não seja a CAIXA devem ser finalizadas –
contrato assinado, até dia 28 DEZ 2017, impreterivelmente.
4.3.2.8.2 Para operações com Interveniente Quitante a soma dos valores de FINANCIAMENTO+FGTS+S UBSÍDIO
do contrato a ser firmado na CAIXA deve ser maior ou igual ao valor do saldo devedor a ser liquidado junto ao
Interveniente Quitante.
4.3.2.8.3 O valor remanescente após a liquidação do saldo devedor junto ao Interveniente Quitante, se houver, é
repassado ao (s) vendedor(es) após a entrega do contrato registrado.
4.3.2.9 É permitida até 31 DEZ 2018 a contratação de imóvel novo produzido por Pessoa Física desde que o imóvel
atenda as condições abaixo:
 Alvará de Construção emitido até 30 JUN 2017;
 vistoria realizada e aprovada pela CAIXA.

43.000 v106 SICAQ 77


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.3.3 QUOTA
4.3.3.1 Observado o limite de quota definido pelo SICAQ na análise de risco de crédito e o limite de financiamento
definido para o programa, aplica-se sobre o menor valor entre a avaliação efetuada pela CAIXA e a compra e venda
os percentuais:
 Considerada a renda total do proponente, o comprometimento de renda está limitado a capacidade de pagamento
apurada pelo Sistema de Risco de Crédito da CAIXA .
QUOTA
MODALIDADE SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO COMPROMETIMENTO RENDA
(%)
Imóvel Novo
80 Aquisição de Terreno e Construção
Construção em Terreno Próprio SAC 30
50 Imóvel Usado
80 Adjudicados/Leilão – CAIXA/EMGEA
Imóvel Novo
70 Aquisição de Terreno e Construção
Construção em Terreno Próprio SFA/TP 25
40 Imóvel Usado
70 Adjudicados/Leilão – CAIXA/EMGEA

4.3.3.2 É permitida, se opção do(s) proponente(s), a contratação de financiamento com as quotas vigentes até dia
21 AGO 2017, constantes no MO43000 versão 096, desde que o(s) proponente(s) possua(m) avaliação de risco
cadastrada até dia 11 AGO 2017 e a mesma esteja válida.
4.3.3.3 É permitida a contratação com as quotas para imóvel usado constantes no MO43000 099 até o dia 28 DEZ
2017, desde que o(s) proponente(s) possua(m) avaliação de risco cadastrada até o dia 22 SET 2017 e a mesma
esteja válida.
4.3.3.4 Para enquadramento nas condições no MO 43000 096 e MO 43000 099 devem ser utilizados os códigos de
Legislação abaixo:

DATA AVALIAÇÃO MANUAL DE


PRAZO DE CÓDIGO DE
ENQUADRAMENTO DA
DE RISCO CONTRATAÇÃO LEGISLAÇÃO
QUOTA

Até a validade da 521 – faixa estendida


Até 11/08/2017 MO43000 096
avaliação de risco 520 – demais faixas
Até 22/09/2017 MO43000 099 Até 28/12/2017 522

4.3.3.5 AQUISIÇÃO DE IMÓVEL NOVO OU USADO

4.3.3.6 AQUISIÇÃO DE IMÓVEL NOVO OU USADO


4.3.3.6.1 O percentual definido no item 4.3.3.1 está limitado à quota estabelecida pelo SIRIC e é aplicado sobre o
menor dos valores entre:
 venda e compra;
 avaliação total do imóvel efetuada pela CAIXA.

4.3.3.7 CONSTRUÇÃO EM TERRENO PRÓPRIO


4.3.3.7.1 O percentual definido no item 4.3.3.1 está limitado à quota estabelecida pelo SIRIC e é aplicado sobre o
menor dos valores entre:
 avaliação do imóvel pela CAIXA, considerado pronto;
 somatório dos valores do terreno e do orçamento aceito pela CAIXA, constante do Laudo de Análise Individual .
4.3.3.7.1.1 Deve ser observado, ainda, que o valor do financiamento não pode ultrapassar o valor do orçamento da
obra aprovado pela CAIXA.

43.000 v106 SICAQ 78


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.3.3.7.2 É permitido o financiamento de até 30% do custo/orçamento para pagamento de obra executada sendo a
análise efetuada pelo Gerente Concessor da Agência de forma que os recursos sejam direcionados para cobrir
despesas vinculadas a obra, mediante verificação do orçamento realizado e a realizar, definido para a obra pela
engenharia da CAIXA.
4.3.3.7.2.1 Neste caso, valor de financiamento será limitado ao somatório dos itens abaixo, observado o limite
estabelecido no item 4.3.3.4.1:
 obra a executar;
 obra executada limitada a 30% do custo/orçamento.

4.3.3.8 AQUISIÇÃO DE TERRENO E CONSTRUÇÃO


4.3.3.8.1 O percentual definido no item 4.3.3.1 está limitado à quota estabelecida pelo SIRIC e é aplicado sobre o
menor dos valores entre:
 valor do orçamento aprovado pela CAIXA acrescido do menor dos valores atribuídos ao terreno, entre o proposto
e o avaliado para o terreno, constante no Laudo de Análise Individual ;
 avaliação do imóvel pela CAIXA, considerado pronto.
4.3.3.8.2 É permitido o financiamento de até 30% do custo/orçamento para pagamento de obra executada sendo a
análise efetuada pelo Gerente Concessor da Agência de forma que os recursos sejam direcionados para cobrir
despesas vinculadas a obra, mediante verificação do orçamento realizado e a realizar, definido para a obra pela
engenharia da CAIXA.
4.3.3.8.2.1 Neste caso, valor de financiamento será limitado ao som atório dos itens abaixo, observado o limite
estabelecido no item 4.3.3.5.1:
 obra a executar;
 obra executada limitada a 30% do custo/orçamento
4.3.3.9 Na Aquisição de Terreno e Construção e, Construção em Terreno Próprio o pr oponente deve apresentar o
orçamento total da obra, incluindo os serviços já executados com indicação no cronograma físico -financeiro do
percentual de obra executada.
4.3.3.10 Nas modalidades Aquisição de Terreno e Construção e Construção em Terreno Próprio, os rec ursos da
Conta Vinculada do FGTS, se houver utilização, são remunerados pelo mesmo índice aplicado aos depósitos de
poupança a partir da data de assinatura do contrato até a liberação da última parcela de obra, sendo a
remuneração utilizada para dedução do encargo mensal, após o término da obra.
4.3.3.11 Não é permitida a contratação com Interveniente Quitante na modalidade Aquisição de Terreno e
Construção, para quitação do terreno.

4.3.4 FINANCIAMENTO DAS DESPESAS ACESSÓRIAS


4.3.4.1 É permitido o financiamento das despesas acessórias para as modalidades abaixo:

FINANCIAMENTO DESPESAS ACESSÓRIAS


Aquisição de Imóvel Novo ou Usado
SFH Aquisição de Terreno e Construção Residencial
Construção em Terreno Próprio Residencial
SFI Aquisição de Lote Urbanizado

4.3.4.1.1 Para a modalidade Aquisição de Imóvel Novo e Usado, o proponente pode financiar até 4% do valor do
financiamento do imóvel para cobrir despesas acessórias, limitado a quota estabelecida no subitem 4.3.3 e, ainda, à
quota estabelecida pelo Sistema de Risco de Crédito da CAIXA.
4.3.4.1.2 Para as modalidades Aquisição de Terreno e Construção Residencial e Construção em Terreno Próprio
Residencial o proponente pode financiar até 2% do valor do financiamento do imóvel para cobrir despesas
acessórias, limitado a quota estabelecida nos subitens item 4.2.4.1 ou 4.2.7.3.14.4 (condições Setor Público) e,
ainda, à quota estabelecida no SIRIC.

4.3.5 TAXA DE JUROS

43.000 v106 SICAQ 79


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

TAXA DE JUROS BALCÃO TAXA PORTA DE NEGÓCIOS TAXA PORTA DE NEGÓCIOS


IMÓVEL RESIDENCIAL (% A.A.) (% A.A.) PLUS (% A.A.)
MODALIDADES
NOMINAL EFETIVA NOMINAL EFETIVA NOMINAL EFETIVA
Aquisição Imóvel
Novo/Usado
Aquisição de Terreno e
8,66 9,012 8,0465 8,35 7,5810 7,85
Construção
Construção Terreno
Próprio

4.3.6 TAXA PORTA DE NEGÓCIOS E TAXA PORTA DE NEGÓCIOS PLUS


4.3.6.1 A Taxa Porta de Negócios é concedida para as operações de imóvel residencial ao proponente que possua
ou adquira, individualmente ou em conjunto, o pacote de produtos listados abaixo, até a assin atura do
financiamento habitacional e mantê-los durante a vigência do financiamento habitacional:
 abertura de conta corrente, caso não seja correntista;
 contratação de cheque especial;
 contratação de, no mínimo, 02 cartões de crédito, sendo um deles necess ariamente na bandeira ELO;
 autorização para débito do encargo mensal do financiamento em conta corrente ou folha de pagamento na data de
vencimento.
4.3.6.1.1 Se além do pacote de produtos descrito no item anterior o proponente optar pela marcação da conta para
crédito de salário na CAIXA, o contrato é enquadrado na Taxa Porta de Negócios Plus.
4.3.6.2 O débito em folha de pagamento está condicionado à existência de convênio Folha de Pagamento firmado
entre a CAIXA e o Órgão ou Entidade de vinculação do proponente.
4.3.6.3 A taxa de juros a ser considerada na avaliação de risco é a nominal de balcão.
4.3.6.4 O devedor perde a Taxa Porta de Negócios nas ocorrências abaixo :
 cancelamento de qualquer item do pacote de produtos/serviços definido nos subitem 4.3.6.1;
 não pagamento do encargo até o último dia útil anterior ao vencimento do encargo mensal subseq uente.
4.3.6.5 O devedor perde a Taxa Porta de Negócios Plus nas ocorrências abaixo :
 cancelamento de qualquer item do pacote de produtos definido nos subitem 4.3.6.1;
 cancelamento do crédito do salário na CAIXA;
 não pagamento do encargo até o último dia útil anterior ao vencimento do encargo mensal subsequente.
4.3.6.6 Não havendo saldo suficiente na conta corrente ou na impossibilidade de déb ito do encargo mensal na
referida conta ou em folha de pagamento o devedor deve efetuar o seu pagamento até o último dia anterior ao
vencimento do encargo subsequente, por meio de crédito dos recursos na conta corrente ou pelo pagamento via
boleto, mediante emissão da segunda via de carnê de pagamento.
4.3.6.7 Verificado o não pagamento do encargo até o último dia útil anterior ao vencimento do encargo mensal
subsequente a aplicação da taxa Porta de Negócios ou Porta de Negócios Plus é cancelada, retornando à taxa de
juros de balcão sendo que, se mantido o pagamento dos encargos em dia por, no mínimo, 6 meses consecutivos, o
devedor pode apresentar requerimento formal para retorno da Taxa de Juros Porta de Negócios ou Porta de
Negócios Plus.
4.3.6.8 O encerramento da Conta Corrente implica na perda definitiva da Taxa Porta de Negócios ou da Taxa Porta
de Negócios Plus.
4.3.6.9 Se extinto um dos cartões de crédito durante o financiamento habitacional a Taxa Porta de Negócios ou
Taxa Porta de Negócios Plus pode ser mantida se o devedo r adquirir um novo cartão logo após a ocorrência.
4.3.6.10 O cancelamento do cheque especial, cartão de crédito, débito em conta corrente/folha de pagamento e/ou
conta salário, esta última no caso de Taxa Porta de Negócios Plus, implica na perda da Taxa Porta de Ne gócios ou
da Taxa Porta de Negócios Plus, passando a ser aplicada a taxa de juros de balcão.
4.3.6.11 Para contratos com débito dos encargos em folha de pagamento , na ocorrência de cancelamento do débito
em folha, o devedor deve apresentar de imediato, requerimento formal para que os encargos sejam debitados em
conta corrente na CAIXA.
4.3.6.11.1 É facultado ao proponente solicitar, por meio de requerimento formal, o retorno da Taxa Porta de
Negócios ou Porta de Negócios Plus desde que esteja adimplente e volte à condição de titular ativo por no mínimo

43.000 v106 SICAQ 80


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
6 meses, dos produtos/serviços: cheque especial, cartão de crédito, débito em conta corrente ou folha de
pagamento e conta salário, este último no caso da taxa Porta de Negócios Plus.

4.3.7 DESPESAS, TAXAS, TARIFAS, TRIBUTOS E ENCARGOS MENSAIS

4.3.7.1 ATÉ A CONTRATAÇÃO


4.3.7.1.1 Tarifa de Avaliação de Bens Recebidos em Garantia – devida, nas modalidades Aquisição de Imóvel Novo
ou Usado, conforme Tabela de Tarifas da CAIXA, não sendo passível de devolução.
4.3.7.1.1.1 A cobrança é efetuada da seguinte forma:
 R$ 750,00 na entrega da documentação, com pagamento por meio de boleto de cobrança;
 valor remanescente da tarifa na data de assinatura do con trato.
4.3.7.1.1.2 Dispensada no caso de financiamento vinculado a Empreendim entos, inclusive parcerias, uma vez que o
pagamento da avaliação do imóvel é efetuado pela construtora/Tomador.
4.3.7.1.2 Tarifa para Análise de Apólice Individual – devida, conforme Tabela de Tarifas da CAIXA, na opção por
outra apólice que não seja CAIXA Seguradora (LAR ou LAR+) ou PANSeguros ou Tokio Marine.
4.3.7.1.3 Primeiros prêmios de seguro – MIP e DFI, devido no ato da contratação, considerando a faixa etária dos
proponentes e calculado proporcionalmente em função da pactuação de renda dos participantes, sendo que o
seguro DFI não é devido nos financiamentos vinculados a empreendimento s, inclusive parcerias, durante a fase de
construção, e para conforme tabelas abaixo:

IMÓVEL RESIDENCIAL
Faixa
Taxa MIP – CAIXA SEGURADORA (LAR ou LAR+)
Etária
inicial TAXAS APLICADAS NA MUDANÇA DE FAIXA ETÁRIA – %
(anos
%
)
18 -25 26-30 31-35 36-40 41-45 46-50 51-55 56-60 61-65 66-70 71-75 76-80
anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos
0,011 0,011 0,011 0,016 0,021 0,025 0,033 0,052 0,101 0,180 0,212 0,282 0,258
18-25
5 5 9 9 1 4 6 5 5 7 9 4 9
0,012 0,012 0,017 0,022 0,028 0,035 0,056 0,109 0,180 0,230 0,282 0,282
26-30 -
1 1 4 2 6 9 3 3 7 7 4 4
0,017 0,017 0,022 0,030 0,040 0,060 0,117 0,194 0,230 0,306 0,282
31-35 - -
8 8 9 2 4 0 1 6 7 0 4
0,023 0,023 0,031 0,042 0,067 0,124 0,208 0,248 0,306 0,306
36-40 - - -
4 4 2 6 5 9 5 4 0 0
0,031 0,031 0,043 0,071 0,140 0,222 0,266 0,329 0,306
41-45 - - - -
8 8 9 3 5 4 2 5 0
0,044 0,044 0,067 0,132 0,208 0,248 0,329 0,329
46-50 - - - - -
8 8 5 7 5 4 5 5
0,075 0,075 0,132 0,230 0,266 0,306 0,329
51-55 - - - - - -
1 1 7 8 2 0 5
0,156 0,156 0,264 0,337 0,423 0,376
56-60 - - - - - - -
1 1 1 2 6 6
0,278 0,278 0,337 0,447 0,423
61-65 - - - - - - - -
1 1 2 2 6
0,354 0,354 0,447 0,447
66-70 - - - - - - - - -
9 9 2 2
0,470 0,470 0,447
71-75 - - - - - - - - -
7 7 2
0,470 0,470
76-80 - - - - - - - - - - -
7 7

MIP – PAN SEGUROS RESIDENCIAL


FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA
18 a 25 anos 0,00929 41 a 45 anos 0,02519 61 a 65 anos 0,25065

43.000 v106 SICAQ 81


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

26 a 30 anos 0,00929 46 a 50 anos 0,03860 66 a 70 anos 0,27511


31 a 35 anos 0,01159 51 a 55 anos 0,06760 71 a 75 anos 0,39351
36 a 40 anos 0,01536 56 a 60 anos 0,12638 76 a 77 anos 0,45716
78 a 80 anos 0,46892

MIP – TOKIO MARINE – RESIDENCIAL


FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA FAIXA ETÁRIA TAXA
18 a 30 anos 0,000100 46 a 50 anos 0,000388 66 a 70 anos 0,002798
31 a 35 anos 0,000127 51 a 55 anos 0,000678 71 a 75 anos 0,004055
36 a 40 anos 0,000170 56 a 60 anos 0,001266 76 a 80 anos e 06 0,004765
meses
41 a 45 anos 0,000269 61 a 65 anos 0,002509

4.3.7.1.3.1 O valor do DFI é obtido mediante a aplicação das taxas abaixo sobre o valor da avaliação total da
garantia efetuada pela CAIXA:

DFI IMÓVEL RESIDENCIAL IMÓVEL COMERCIAL


CAIXA SEGURADORA – LAR 0,0000780 0,0000838
CAIXA SEGURADORA – LAR+ 0,0001280 Apólice não prevê cobertura para imóvel comercial
PANSeguros 0,0000660 0,0000780
TOKIO MARINE 0,0000650 0,0000698

4.3.7.1.3.1.1 Para as operações contratadas com a Apólice CAIXA Seguradora LAR+ o DFI contempla, ainda, as
coberturas acessórias de natureza material para danos elétricos, pagamento de aluguéis, danos ao conteúdo,
roubo/furto de conteúdo e assistência 24h, podendo as condições dos seguros LAR e LAR+ serem consultadas no
site da seguradora no endereço http://caixaseguros.com.br.

4.3.7.1.4 SEGURO RCPM – PELOS VENDEDORES


4.3.7.1.4.1 Seguro opcional contratado, até a assinatura do contrato, na alíquota de 1% aplicada sobre 20% do
valor de Avaliação do Imóvel para a modalidade Aquisição de Imóvel Novo, verificar, ainda, as exigências contidas
no subitem 2.13.7.

4.3.7.2 ENCARGO MENSAL

4.3.7.2.1 NA FASE DE CONSTRUÇÃO, MENSALMENTE


 Tarifa de Reavaliação de Bens Recebidos em Garantia;
 encargo mensal (parcela de atualização monetária, parcela de Juros, Tarifa de Administração e prêmios de
seguros);
 para contratos vinculados a empreendimento, inclusive parcerias, é devido somente o encargo mensal (parcela de
atualização monetária, parcela de juros, Tarifa de Administração e prêmios de seguros).

4.3.7.2.2 NA FASE DE AMORTIZAÇÃO


 prestação de amortização e juros;
 tarifa de administração – TA;
 prêmios mensais de seguro.

4.3.8 RECURSOS PRÓPRIOS


4.3.8.1 Na Aquisição de Imóvel Novo ou Usado são representados pela diferença entre o valor de venda e compra e
o Valor do financiamento.

43.000 v106 SICAQ 82


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.3.8.2 Na Construção em Terreno Próprio são representados pela diferença entre o orçamento aprovado pela
CAIXA e o Valor de Financiamento.
4.3.8.3 Na Aquisição de Terreno e Construção são representados pela diferença entre o Valor de Financiamento e o
somatório do valor de venda e compra do terreno e o do orçamento aprovado pela CAIXA.
4.3.8.4 É permitida a utilização dos recursos da CV do FGTS, nas modalidades Aquisição de Imóvel Novo e Usado,
Aquisição de Terreno e Construção e Construção em Terreno Próprio, desde que seja observado o enquadramento
da operação nas condições de utilização do saldo da CVFGTS descritas no anexo IV, inclusive quanto ao valor
possível de utilização dos recursos.

4.3.9 CADASTRAMENTO DA PROPOSTA NO SIOPI


4.3.9.1 Verificar a propagação/migração da proposta para o SIOPI e, nos casos em que a mesma não tenha sido
criada automaticamente, inclui a proposta individual em https://siopiweb.caixa.gov.br/, conforme cartilha passo a
passo para concessão disponível na tela inicial, após o login no sistema, clicando no Informativo
GEMPF 2012/0009.
4.3.9.2 Se proponente com Taxa Porta de Negócios ou Taxa Po rta de Negócios Plus:

TAXA PORTA DE NEGÓCIOS OU TAXA PORTA DE NEGÓCIOS PLUS


 clicar no ícone Convênio;
 selecionar o Tipo de Convênio 90 – SBPE/Pró-Cotista – Débito em Conta;
 selecionar o Código de Convênio = 10000000095 – PACOTE BÁSICO E PACOTE PLUS;
 selecionar a Empresa Secundária/Subsidiária:
 PACOTE BÁSICO - se contratação com Conta Corrente, Cheque Especial, Cartão de Crédito e débito em conta
ou em folha;
 PACOTE PLUS - se contratação com Conta Corrente, Cheque Especial, Cartão de Crédito, débito em c onta ou
em folha e Conta Salário;
 marcar no campo TIPO DE CONCESSÃO E SITUAÇÃO ESPECIAL a opção 112 - Convênio Pró-Cotista com
débito em conta ou em folha de pagamento – Situação especial 132 – débito em conta corrente ou Situação
especial 136 – débito em folha observando que:
Para contratos com opção pela folha de pagamento com modalidade de construção o cadastramento da situação
136 só pode ser efetuado quando da conclusão da obra devendo ser inicialmente ser cadastrada a situação
especial 132.
 marcar a opção SIM, no campo PACOTE BÁSICO DE PRODUTOS – na pergunta: Algum participante possui
pacote básico de produtos;
 marcar CONDIÇÃO ESPECIAL, se for o caso.

4.3.9.3 Para operação com imóvel financiado em IF bancária/não bancária, Construtora devem ser observa das as
orientações abaixo:
 na etapa “Cadastro do Imóvel”, informa nos “Dados Adicionai s” a situação de “Aquisição de Imóvel Financiado” ;
 na etapa “Incluir Financiamento Anterior”, em “Dados do Agente Financeiro”, seleciona “3 – Outra Instituição
Bancária” ou “4 - Outra Instituição Não Bancária”, de acordo com a Instituição de origem do contrato anterior ;
 Informa o valor do SD no campo próprio na etapa “Detalhar Financiamento Anterior”, que está limitado ao valor do
VF.
4.3.9.3.1 CCA digita o seu código com dígito verificador na tela Complementa Dados.
4.3.9.3.2 No caso de vendedor sem conta na CAIXA ou em outro banco, informa no SIOPI a conta OP 093 Cheque
Ordem de Pagamento da Agência/PA para o vendedor .
 No campo Descrição do Imóvel, para imóveis com parte de área edificada não averbada informa só a área
efetivamente averbada constante na matrícula do imóvel e, no campo Avaliação, o valor total do imóvel informado
no Laudo de Avaliação ou Relatório de valoração da CAIXA.
4.3.9.4 Se na matrícula do imóvel constar apenas a descrição da unidade sem especificar a área, informa só a
descrição e o VA total do imóvel.
4.3.9.5 Para Construção em Terreno Próprio ou Aquisição de Terreno e Construção informa o percentual de, no
mínimo, 5% para a última parcela.

43.000 v106 SICAQ 83


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.3.9.6 Se imóvel financiado em outra IF bancária/não bancária, Construtora ou Consórcio cadastra o SD
posicionado para a data agendada da assinatura contratual.
4.3.9.7 Para contrato assinado entre os dias 26 e 30/31, adota o procedimento abaixo:
 na tela “complementa dados” opção “altera data de ve ncimento do primeiro encargo” clica em “ SIM”
 na opção “data alterada de vencimento do primeiro encargo” informa nova data, entre os dias 1 e 25, e clica em
salvar.
4.3.9.8 Se solicitada alteração da data do 1º vencimento da prestação, informa a nova data de vencimento para que
o primeiro boleto seja gerado com a data escolhida, exceto para contratos com convênio para débito em folha de
pagamento para os quais não é permitida a alteração.
4.3.9.9 Emitir o espelho da proposta, confere os dados e arquiva no dossiê único.
4.3.9.10 A impressão do contrato e entrega aos proponentes para registro no RI deverá ser feita, obrigatoriamente,
por empregado CAIXA na agência/unidade responsável pela proposta.

43.000 v106 SICAQ 84


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.4 ANEXO IV – UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DA CV DO FGTS


4.4.1 Estabelecer as condições e procedimentos para a utilização dos recursos da conta vinculada do FGTS na
aquisição e na construção de imóvel residencial urbano concluído, pelo proponente titular que atende as exigências
previstas na legislação do FGTS, cuja operação pleiteada se enquadra nas condições d o SFH.

4.4.2 EXIGÊNCIAS
4.4.2.1 O proponente deve atender às seguintes condições:
 possuir três anos de trabalho sob o regime do FGTS, somando -se os períodos trabalhados, consecutivos ou não,
na mesma ou em diferentes empresas;
 não ser detentor de financiamento ativo no SFH firmado em qualquer parte do País, exceto na situação prevista
no primeiro marcador do item 4.4.2.2;
 não ser proprietário, possuidor, promitente comprador, usufrutuário, cessionário de outro imóvel residencial,
urbano, concluído ou em construção:
 localizado no município em que exerce sua ocupação principal, nos municípios limítrofes e na região
metropolitana;
 localizado no atual município de sua atual residência – municípios limítrofes e região metropolitana da residên cia.
 O atendimento dos requisitos é exigido também do co-adquirente que utilizará o FGTS;
 O imóvel a ser adquirido deve destinar-se, obrigatoriamente, à instalação de residência do (s) adquirente (s), que
está(ão) utilizando os recursos;
 O não atendimento de qualquer uma das condições acima, cumulativas ou não, impedirá o uso dos recursos da
conta vinculada do FGTS.
4.4.2.2 Não configura situação impeditiva ao uso do FGTS na aquisição de moradia própria :
 a titularidade de financiamento do SFH, na modalidade mate rial de construção para conclusão/ampliação/reforma,
dentro do programa Carta de Crédito FGTS, ativo ou inativo, cujo destino da aplicação dos recursos não tenha
sido em imóvel de sua propriedade ou que, sendo de sua propriedade, o trabalhador já o tenha alienado, exceto
se o referido imóvel não estiver localizado no município de residência ou de ocupação laboral principal, incluindo
os limítrofes e região metropolitana;
 a promessa de compra e venda referente a imóvel concluído ou em construção, desde que seja este imóvel o
objeto da aquisição com recursos do FGTS;
 a propriedade de cota de Consórcio Imobiliário contemplada ou não, que não tenha sido utilizada para aquisição
de imóvel residencial urbano em localidade impeditiva;
 a propriedade de imóvel do tipo Flat ou Apart Hotel que esteja qualificado, na matrícula do imóvel e/ou IPTU, e/ou
convenção de condomínio como comercial, desde que não tenha sido objeto de utilização da CV do FGTS a partir
de 30 AGO 2017.
 a propriedade de imóvel rural;
 a propriedade de imóvel comercial;
 ser proprietário ou promitente comprador de fração ideal igual ou inferior a 40% de um ou mais imóveis, desde
que não ultrapasse esse percentual em cada imóvel.

4.4.2.3 REQUISITOS BÁSICOS DO IMÓVEL


 Se Programa Pró-Cotista, valor de avaliação, a partir de 23 JAN 2017, na data da contratação da utilização do
FGTS:
 até R$950.000,00 para os Estados de MG, RJ, SP e DF;
 até R$800.000,00 para os demais Estados.
 Se Programa CCSBPE no SFH, valor de avaliação, a partir de 2 0 FEV 2017 até 31 DEZ 2017, na data da
contratação da utilização do FGTS:
 Se Imóvel Novo e Operações Vinculadas a Empreendimento:
 Valor de avaliação até R$1.500.000,00;
 Se Imóvel Usado, Aquisição de Terreno e Construção e Construção em Terreno Próprio:

43.000 v106 SICAQ 85


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 Valor de Avaliação até R$950.000,00 para os Estados de MG, RJ, SP e DF;
 Valor de Avaliação até R$800.000,00 para os demais Estados.
 ser residencial urbano;
 destinar-se à moradia do titular da conta vinculada;
 apresentar, na data de avaliação, plenas condições de habitabilidade e aus ência de vícios de construção;
 estar matriculado no RI competente e sem registro de gravame que resulte em impedimento à sua
comercialização;
 não ter sido objeto de utilização do FGTS em aquisição anterior, há menos de três anos, ou seja, se utilizado, em
31.08.2010, somente poderá ocorrer nova utilização a partir de 01.09.2013 , sendo esta condição comprovada,
caso não conste na matrícula do imóvel, por meio de declaração formal constante no Anexo IX, emitida pelo
vendedor, informando sob as penas da lei, que a aquisição anterior não foi efetivada com a utilização de recu rsos
da conta vinculada do FGTS;
 na aquisição de imóvel construído com recursos da conta vinculada do proponente, o interstício de três anos é
contado a partir da data de registro do contrato;
 situado em área urbana e em uma das localidades em que o proponente comprovar :
 ocupação laboral, incluindo os municípios limítrofes ou integrantes da mesma Região Metropolitana ; ou
 residência há mais de 01 (um) ano, incluindo os municípios limítrofes ou integrantes da mesma Região
Metropolitana.
 OBS1: As Regiões Metropolitanas e seus municípios são definidos pelo IBGE, e são verificadas no site
http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/territorio/, sendo que os municípios limítrofes encontram-se relacionados nas
opções Território-AZ ou Território-UF, ou nos sites dos Governos Estaduais que disponibilizem tal informação ;
 a relação dos municípios com as regiões metropolitanas está disponível no SIOPI. http://siopiweb.caixa.gov.br, –
Informe GEMCF 2016/0010.
4.4.2.3.1 Caso o imóvel esteja localizado em município diferente dos especificados no décimo marcador 1 do
item 4.4.2.3, acima, o(s) proponente(s) deve(m) declarar para qualquer parte do país:
 não ser proprietário, possuidor, promitente comprador, usufrutuário ou cessionário de imóvel residencial,
concluído ou em construção; e
 não ser titular de financiamento ativo no âmbito do SFH.
4.4.2.3.1.1 Nesse caso, o trabalhador deve comprovar residência atual no município onde pretende
adquirir/construir o imóvel, independentemente do tempo em que lá resida.
4.4.2.4 Na divergência de informações da destinação do imóvel entr e a matrícula do imóvel e o IPTU, prevalecerá
aquela que for comprovada em vistoria técnica.
4.4.2.4.1 Caso venha a ser detectado pelo Agente Operador do FGTS, posteriormente e a qualquer tempo, por
denúncia, ou no ato de fiscalização, que o imóvel adquirido nunca serviu de moradia ao trabalhador, o ilícito será
noticiado ao Ministério Público e à Polícia Federal, na forma da Lei, e será promovida a cobrança ao trabalhador do
valor utilizado de forma indevida.

4.4.3 LIMITES
a) de avaliação máxima do imóvel dentro do SFH, a partir de 23 JAN 2017, se Programa Pró-Cotista:
 até R$ 950.000,00 para imóveis localizados nos Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e
Distrito Federal;
 até R$ 800.000,00 para imóveis localizados nos demais Estados.
b) de avaliação máxima do imóvel dentro do SFH, a partir de 20 JAN 2017 até 31 DEZ 2017, se Programa
CCSBPE:
 até R$ 1.500.000,00 para imóveis novos e operações vinculadas a empreendimento;
 até R$ 950.000,00 para imóveis usados, Aquisição de Terreno e Construção, Construção em Terreno Pr óprio,
localizados nos Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal;
 até R$ 800.000,00 para imóveis usados, Aquisição de Terreno e Construção, Construção em Terreno Próprio,
localizados nos demais Estados.
c) o valor do FGTS a ser utilizado na aquisição somado ao valor do financiamento está limitado ao menor dos
dois valores entre a compra e venda e a avaliação do imóvel efetuada pela CAIXA;

43.000 v106 SICAQ 86


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
d) exemplos de Operação Permitida:
 exemplo 1:
 Valor de avaliação = R$150.000,00;
 Valor de compra e venda = R$160.000,00;
 Valor a ser considerado para uso do FGTS: R$150.000,00;
 exemplo 2:
 Valor de avaliação = R$200.000,00;
 Valor de compra e venda = R$180.000,00;
 Valor a ser considerado para uso do FGTS: R$180.000,00.

4.4.4 REGULAMENTAÇÃO UTILIZADA


4.4.4.1 Devem ser observadas as demais condições estabelecidas no MMP-FGTS, Manual de Moradia Própria –
http://www.caixa.gov.br/Downloads/fgts-moradia/MANUAL_DA_MORADIA_PROPRIA_versao_24022017.pdf.

43.000 v106 SICAQ 87


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.5 ANEXO V – RELAÇÃO DE DOCUMENTOS DOS PROGRAMAS CCFGTS, PMCMV, CCSBPE, PRO-
COTISTA

4.5.1 CCFGTS OU PMCMV – RELAÇÃO DE DOCUMENTOS

CCFGTS OU PMCMV

PROPONENTE/CÔNJUGE

Documento oficial de identificação, original e cópia

Comprovantes de rendimentos, original e cópia

Se casado a partir de 26/12/77 – exceto comunhão parcial ou separação obrigatória


Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis, original e cópia.

PROPONENTE/CÔNJUGE ENQUADRAMENTO NO PROGRAMA

Última declaração do Imposto de Renda e recibo de entrega à Receita Federal (Se apresentada DIRPF retificadora
fora do prazo, apresentar também a DIRPF que se refere a retificação)
 Se tem direito a 100% do desconto (fator social)
 Se casado: certidão de casamento e documentos pessoais do Cônjuge;
 Se união estável reconhecida em cartório: escritura de união estável e documentos pessoais do(a) companheiro(a);
 Se filho menor de 21 anos ou menor de 24, que estiver cursando a faculdade: certidão de nascimento, acompanhada, se for
o caso, de declaração da faculdade de que o filho está cursando e documentos pessoais do filho;
 Se guarda judicial de parente de até 21 anos de idade ou até 24, se estiver cursando a faculdade, ou, ainda, de qualquer
idade quando incapacitado, física ou mentalmente, para o trabalho: decisão judicial de concessão da guarda, acompanhada
da declaração da faculdade, se for o caso, ou da declaração médica de incapacidade física/mental para o trabalho e
documentos pessoais de quem o(s) proponente(s) detém a guarda;
 Se residência compartilhada com parente até 3º grau: declaração desse parente informando que não recebe nenhum tipo de
renda, declaração de parentesco assinada por ambos, comprovante de residência do parente e documentos pessoais;
 Se residência compartilhada com pessoa absolutamente incapaz, da qual o(s) proponente(s) seja(m) tutor ou curador:
decisão judicial que tenha nomeado o(s) proponente(s) tutor/curador;
 Se aquisição de imóvel, objeto do financiamento pretendido, em conjunto com uma ou mais pessoas, com quem o(s)
proponente(s) compartilhe(m) ou pretenda(m) compartilhar residência: comparecimento como participante(s) do contrato de
financiamento.
 Imóvel localizado onde o proponente pretende trabalhar e/ou residir - apresentar um dos documentos abaixo referentes
ao município onde pretende adquirir o imóvel:
 Recibo de condomínio, aluguel ou escola, contrato de locação registrado;
 Conta de água, luz, telefone ou gás, extrato de conta bancária ou declaração de instituição financeira, fatura de cartão de
crédito;
 Contracheque ou comprovante de rendimento mensal;
 Carteira de trabalho – folhas da identificação civil e do contrato de trabalho;
 Declaração do empregador – com endereço e telefone da empresa.
Obs: Data emissão do documento: Até 02 meses anteriores à data de avaliação de risco

PROPONENTE/CÔNJUGE - REDUÇÃO TAXA JUROS

Extratos atualizados do(s) titular (es) das contas vinculadas do FGTS para comprovação do tempo mínimo de 3
anos de trabalho sob o regime do FGTS.

VENDEDOR

Pessoa Física, inclusive cônjuge::


 Documento oficial de identificação, original e cópia;
 Opção de Venda e Compra;
 Comprovante estado civil, original e cópia;

43.000 v106 SICAQ 88


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

 CPF, se PMCMV;
 Declaração de não utilização dos recursos da conta vinculada do FGTS no i móvel, nos últimos 03 anos, quando
tal informação não constar na matrícula do imóvel.
OBS: Dispensada quando tratar-se de imóvel transacionado há mais de 03 anos.
Se casado a partir de 26/12/77 – exceto comunhão parcial ou separação obrigatória
Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis, original e cópia.
Se aquisição de imóvel novo:
Seguro RCPM – seguro obrigatório, a partir de 01/03/2016, se PMCMV; e opcional para contratos CCFGTS,
assinados a partir de 05/10/2015: apólice contratada, Folha de R osto emitida pela Seguradora e Comprovante de
Pagamento do referido seguro.
Pessoa Jurídica:
Documento oficial de identificação (representantes legais) , original e cópia
CNPJ, se PMCMV
Opção de Venda e Compra
Se Cia. Ltda.: Contrato Social e alterações registradas, original e cópia
Se S/A: Estatuto Social com última alteração e Ata Eleição última Diretoria publicada no D.O.U. original e cópia
Se Firma Individual: Documento constituição e alterações registrados, original e cópia
Certidão Simplificada/Ficha Cadastral da Junta Comercial ou “Ficha de Breve Relato – FBR” com prazo máximo de
emissão de 180 dias
Se aquisição de imóvel novo
Seguro RCPM – seguro obrigatório, a partir de 01/03/2016, se PMCMV; e opcional para contratos CCFGTS,
assinados a partir de 05/10/2015: apólice contratada, Folha de Rosto emitida pela Seguradora e Comprovante de
Pagamento do referido seguro.
Se imóvel vendido/doado pelo Poder Público local (PMCMV)
 Lei Autorizativa promulgada pelo Poder Público local;
 Nota Jurídica autorizando a operação;
 Certidão/diploma expedido pelo TRE, atestando a eleição do representante do Poder Público local;
 Termo de Posse do representante do Poder Público local;
 Documentos pessoais do representante do Poder Público;
 CRP – Certidão de Regularidade Previdenciária do Poder Público local.
Pessoa Jurídica, se imóvel em construção, integrante de empreendimento produzido por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à Produção ou PEC MPE/MGE:
VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ , se SOCIEDADE ANÔNIMA
 Alterações contratuais posteriores à contratação inicial registrados/arquivados na Junta Comercial, se
houver;
 Ata de nomeação da Diretoria atual, quando houver alteração na Diretoria.
VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ, se SOCIEDADE LIMITADA OU OUTRAS
FORMAS
 Alterações posteriores à contratação inicial, registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver.
DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ,
SÓCIOS DA PJ)
 Procuração por instrumento público, se houver, bem como seu eventual substabelecimento, devidamente
acompanhado de suas certidões, atualizados e em seu prazo de validade, com poderes específicos para os
atos a serem praticados;
 Cópia de documento de Identidade ou documento oficial que contenha foto;
 Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou documento oficial original que contenha referido cadastro.
DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ)

43.000 v106 SICAQ 89


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

 Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos Federais e à Dívida Ativa da União ou Certidão Positiva
com Efeitos de Negativa extraída da INTERNET no site da Receita Federal no endereço
http://www.receita.fazenda.gov.br ou apresentação da certidão emitida pelas Delegacias Regionais da
Receita Federal.
Se imóvel vendido/doado pelo Poder Público local (PMCMV)
Lei Autorizativa promulgada pelo Poder Público local;
 Nota Jurídica autorizando a operação;
 Certidão/diploma expedido pelo TRE, atestando a eleição do representante do Poder Público local;
 Termo de Posse do representante do Poder Público local;
 Documentos pessoais do representante do Poder Público;
 CRP – Certidão de Regularidade Previdenciária do Poder Público local.
Seguro
 Seguro RCPM – seguro obrigatório, a partir de 01/03/2016, se PMCMV; e opc ional para contratos CCFGTS,
assinados a partir de 05/10/2015: apólice contratada, Folha de Rosto emitida pela Seguradora e
Comprovante de Pagamento do referido seguro.
Pessoa Jurídica, se imóvel novo (concluído), integrante de empreendimento produzido po r PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à Produção ou PEC MPE/MGE:
1) VENDEDORES, se SOCIEDADE ANÔNIMA
 Alterações contratuais posteriores à contratação inicial registrados/arquivados na Junta Comercial, se
houver;
 Ata de nomeação da Diretoria atual, quando houver alteração na Diretoria.
2) VENDEDORES, se SOCIEDADE LIMITADA OU OUTRAS FORMAS
 Alterações posteriores à contratação inicial, registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver.
3) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
 Procuração por instrumento público, se houver, bem como seu eventual substabelecimento, devidamente
acompanhado de suas certidões, atualizados e em seu prazo de validade, com poderes específicos para os
atos a serem praticados;
 Cópia de documento de Identidade ou documento oficial que contenha foto;
 Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou documento oficial original que contenha referido cadastro.
4) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
 Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos Federais e à Dívida A tiva da União ou Certidão Positiva
com Efeitos de Negativa extraída da INTERNET no site da Receita Federal no endereço
http://www.receita.fazenda.gov.br ou apresentação da certidão emitida pelas Delegacias Regionais da
Receita Federal.

IMÓVEL NOVO

Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula;


Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e Reipersecutórias – exigida caso não esteja contemplada na Certidão
Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula, e
Declaração/Certidão, em papel timbrado e com assinatura sob carimbo do responsável, emitida pela
prefeitura/administração com o endereço completo e Inscrição do imóvel, se endereço do imóvel
incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Mat rícula ou o IPTU do ano vigente, desde que
conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel averbada na matrícula.
ART – Anotação Responsabilidade Técnica de execução de obra e de projeto , contendo os dados do Responsável
Técnico, da empresa Produtora/Construtora e identificação da Obra, ou;
RRT – Registro Responsabilidade Técnica, contendo os dados do Responsável Técnico, da empresa
Produtora/Construtora e identificação da Obra;
Cartão do CNPJ, com o Código e Descrição da Atividade Econômica (CNAE), principal ou secundária: 41.20-4-00
Construção de Edifícios e situação cadastral Ativa;
Alvará de Construção emitido até 30 JUN 2017, para dispensa da comprovação de ter sido produzido/construído por
Pessoa Jurídica do ramo da construção civil;
43.000 v106 SICAQ 90
Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Síntese do Memorial Descritivo – 2 vias.

Habite-se, caso sua data não conste na matrícula.

Para o DF e regiões do Entorno/DF:


Declaração de Capacidade de Atendimento das Ligações Individuais emitida pela SANEAGO, em modelo próprio da
concessionária.
Declaração do Construtor sobre a execução/existência dos elementos construtivos exigidos para essas regiões.
Se imóvel, novo (concluído) ou em construção, integrante de empreendimento produzido por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à Produção ou PEC MPE/MGE :
 Certidão negativa de ações reais, pessoais reipersecutórias e quaisquer outros ônus relativos à unidade que
está sendo financiada ou cópia da matrícula contendo a certificação formal do RI, ambas com validade de 30
dias;
 Certidão Negativa de Tributos incidentes sobre o imóvel – Prefeitura, emitida 01 vez no ano civil;
 Quando se tratar de unidade nova com obra concluída, apresentação do “Habite -se” e Certidão Negativa de
Débitos do INSS no CEI da obra registrado na matrícula. Excepcionalmente pode ser apr esentado a cópia do
“Habite-se” e da Certidão Negativa de Débitos do INSS no CEI da obra com o protocolo de intenção de
registro no RI.

IMÓVEL USADO

Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula;


Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e Reipersecutór ias – exigida caso não esteja contemplada na Certidão
Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula; e
Declaração/Certidão, em papel timbrado e com assinatura sob carimbo do responsável, emitida pela
prefeitura/administração com o endereço completo e Inscrição d o imóvel, se endereço do imóvel
incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula ou o IP TU do ano vigente, desde que
conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel averbada na matrícula.

OBRA – AQUISIÇÃO TERRENO E CONSTRUÇÃO, CONSTRUÇÃO TERRENO PRÓPRIO

ART – Anotação Responsabilidade Técnica de execução de obra e de projeto ou;


RRT- Registro Responsabilidade Técnica.

RESPONSÁVEL TÉCNICO

Registro no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura – CREA ou;


Registro no Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil – CAU/BR ou do Distrito Federal – CAUs, original e
cópia ou Certidão de Registro e Quitação do CREA ou CAU/BR, atualizada, acompanhada de um documento oficial
com foto – original e cópia.

INTERVENIENTE QUITANTE

Documento oficial de identificação dos representantes do Agente Financeiro/Construtora que comparecerá no


contrato, cópia autenticada.
Documento dispensado para Instituição Financeira Bancária

Procuração outorgando poderes aos representantes legais do Intervenie nte Quitante.

(*) é facultado à agência/CCA solicitar documentos adicionais .

SAC CAIXA: 0800 726 0101 (informações, reclamações, sugestões e elogios)


Para pessoas com deficiência auditiva ou de fala: 0800 726 2492
De Olho na Qualidade (exclusivo Minha Casa, Minha Vida): 0800 721 6268
Ouvidoria: 0800 725 7474
caixa.gov.br

43.000 v106 SICAQ 91


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.5.2 CCSBPE – RELAÇÃO DE DOCUMENTOS


PROPONENTE/CÔNJUGE

Documento oficial de identificação, original e cópia

Comprovantes de rendimentos, original e cópia

Se casado a partir de 26/12/77 – exceto comunhão parcial ou separação obrigatória :


Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis, original e cópia.
PROPONENTE/CÔNJUGE – USO DOS RECURSOS DA CV FGTS
Última declaração do Imposto de Renda e recibo de entrega à Receita Federal (Se apresentada DIRPF retificadora
fora do prazo, apresentar também a DIRPF que se refere a retificação)
VENDEDOR
Pessoa Física:
Documento oficial de identificação, original e cópia
Declaração de não utilização da CV do FGTS no imóvel, nos últimos 03 anos, quando tal informação não constar na
matrícula do imóvel
OBS.: Dispensada quando tratar-se de imóvel transacionado há mais de 03 anos.
Opção de Venda e Compra
Comprovante estado civil, original e cópia
Se casado a partir de 26/12/77 – exceto comunhão parcial ou separação obrigatória
Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis, original e cópia
Pessoa Jurídica:
Documento oficial de identificação (representantes legais) , original e cópia
Opção de Venda e Compra
Se Cia. Ltda.: Contrato Social e alterações registradas, original e cópia
Se S/A: Estatuto Social com última alteração e Ata Eleição última Diretoria publicada no D.O.U. original e cópia
Se Firma Individual: Documento constituição e alterações registrados, original e cópia
Certidão Simplificada – Ficha Cadastral da Junta Comercial ou “Ficha de Breve Relato – FBR” com prazo máximo
de emissão de 180 dias
SEGURO RCPM (imóvel novo) – Apólice contratada acompanhada de Folha de Rosto emitida pela seguradora e
Comprovante de Pagamento do Seguro – OPCIONAL, conforme subitem 2.13.7.
Pessoa Jurídica, se imóvel em construção, integrante de empreendimento produzido por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à Produção ou PEC MPE/MGE:
1) VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ, se SOCIEDADE ANÔNIMA
Alterações contratuais posteriores à contratação inicial registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver;
Ata de nomeação da Diretoria atual, quando houver alt eração na Diretoria.
2) VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ, se SOCIEDADE LIMITADA OU OUTRAS FORMAS
Alterações posteriores à contratação inicial, registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver.
3) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ, SÓCIOS
DA PJ)
Procuração por instrumento público, se houver, bem como seu eventual substabelecimento, devidamente
acompanhado de suas certidões, atualizados e em seu prazo de validade, com poderes específicos para os atos
a serem praticados;
Cópia de documento de Identidade ou documento oficial que contenha foto;
Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou documento oficial original que contenha referido cadastro.
4) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ)

43.000 v106 SICAQ 92


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos Federais e à Dívida Ativa da União ou Certidão Positiva com
Efeitos de Negativa extraída da INTERNET no site da Receita Federal no endereço
http://www.receita.fazenda.gov.br ou apresentação da certidão emitida pelas Delegacias Regionais da Receita
Federal.
Pessoa Jurídica, se imóvel novo (concluído), integrante de empreendimento produzido por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à Produção ou PEC MPE/MGE:
1) VENDEDORES, se SOCIEDADE ANÔNIMA
Alterações contratuais posteriores à contratação inicial registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver;
Ata de nomeação da Diretoria atual, quando houver alteração n a Diretoria.
2) VENDEDORES, se SOCIEDADE LIMITADA OU OUTRAS FORMAS
Alterações posteriores à contratação inicial, registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver.
3) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
Procuração por instrumento público, se houver, bem como seu eventual substabelecimento, devidamente
acompanhado de suas certidões, atualizados e em seu prazo de validade, com poderes específicos para os atos
a serem praticados;
Cópia de documento de Identidade ou documento oficial que contenha foto;
Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou documento oficial original que contenha referido cadastro.
4) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos Federais e à Dívida Ativa da União ou Certidão Positiva com
Efeitos de Negativa extraída da INTERNET no site da Receita Federal no endereço
http://www.receita.fazenda.gov.br ou apresentação da certidão emitida pelas Delegacias Regionais da Receita
Federal
IMÓVEL NOVO
Certidão Atualizada de Inteiro Teor da matrícula;
Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e Reipersecutórias – exigida caso não esteja contemplada na Certidão
Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula;
Síntese do Memorial Descritivo – 2 vias; e
Declaração/Certidão, em papel timbrado e com assinatura sob carimbo do responsável, emitida pela
prefeitura/administração com o endereço completo e Inscrição do imóvel, se endereço do imóvel
incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Mat rícula ou o IPTU do ano vigente, desde que
conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel averbada na matrícula.
DF e regiões do Entorno/DF:
Declaração de Capacidade de Atendimento das Ligações Individuais emitida pela SANEAGO, em modelo próprio da
concessionária;
Declaração do Construtor sobre a execução/existência dos elementos construtivos exigidos para essas regiões.
Se imóvel, novo (concluído) ou em construção, integrante de empreendimento produzido por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à Produção ou PEC MPE/MGE:
Certidão negativa de ações reais, pessoais reipersecutórias e quaisquer outros ônus relativos à unidade que está
sendo financiada ou cópia da matrícula contendo a certificação formal do RI, ambas com validade de 30 dias;
Certidão Negativa de Tributos incidentes sobre o imóvel – Prefeitura, emitida 01 vez no ano civil;
Quando se tratar de unidade nova com obra concluída, apresentação do “Habite-se” e Certidão Negativa de Débitos do INSS
no CEI da obra registrado na matrícula. Excepcionalmente pode ser apresentado a cópia do “Habite-se” e da Certidão Negativa
de Débitos do INSS no CEI da obra com o protocolo de intenção de registro no RI.
ART – Anotação de Responsabilidade Técnica de execução de obra e de projeto ou;
RRT – Registro de Responsabilidade Técnica.

IMÓVEL USADO

Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula;


Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e Reipersecutórias – exigida caso não esteja contemplada na
Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula; e

43.000 v106 SICAQ 93


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Declaração/Certidão, em papel timbrado e com assinatura sob carimbo do responsável, emitida pela
prefeitura/administração com o endereço completo e Inscrição do imóvel, se endereço do imóvel
incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Ma trícula ou o IPTU do ano vigente, desde que
conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel averbada na matrícula.
OBRA – Aquisição Terreno e Construção, Construção Terreno Próprio
ART – Anotação de Responsabilidade Técnica de execução de obra e de projeto ou;
RRT – Registro de Responsabilidade Técnica.
RESPONSÁVEL TÉCNICO
Registro no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura – CREA ou;
Registro no Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil – CAU/BR, original e cópia ou;
Certidão de Registro e Quitação do CREA ou CAU/BR, atualizada, acompanhada de um documento oficial com foto
– original e cópia.

INTERVENIENTE QUITANTE

Documento oficial de identificação dos representantes do Agente Financeiro/Construtora que comparecerá no


contrato, cópia autenticada
Documento dispensado para Instituição Financeira Bancária

Procuração outorgando poderes aos representantes legais do Interveniente Quitante.

CCSBPE – PROPOSTA COM SEGURADORA TÓKIO MARINE


Documentação a ser apresentada caso na Declaração Pessoal de S aúde – DPS tenha sido respondido “SIM” nos
itens 1, 2, 3 ou 4
Apresentar a documentação referente à ocorrência relatada :
Doenças Neoplásicas: laudo médico informando a data do diagnóstico da doença neoplásica e quais os
tratamentos realizados. No laudo deverá ser informado em que data foi concluído o tratamento e se foram
observadas recidivas ou metástases na evolução clínica da doença até o momento e enviar os Exames
Complementares recentes realizados
Diabete: laudo médico mencionando desde quando o proponente é portador de diabetes, tratamentos que realiza e
se há alguma complicação orgânica em função da doença. Anexar exames de glicemia, hemoglobina glicosilada
recentes.
Cirurgias: laudo médico esclarecendo a data da cirurgia, diagnóstico pós -operatório e condições clínicas atuais do
proponente. Anexar exame anatomopatológico
Cirurgia Cardíaca: laudo médico esclarecendo a data da cirurgia, diagnóstico pós -operatório e evolução do ponto
de vista cardiológico até o momento e tratamento que realiza. Esclarec er se o proponente é portador de hipertensão
ou diabetes
Hipertensão Arterial: enviar exames recentes realizados: ecocardiograma, teste ergométrico. Anexar exames de
fundo de olho e exames laboratoriais: ureia, creatinina.
Doença Oftalmológica: Laudo informando as condições oftalmológicas com exames de fundo de olho e acuidade
visual em cada olho isoladamente.
Ortopedia: laudo informando as condições ortopédicas do proponente e as sequelas, se existirem
Obesidade: teste ergométrico, colesterol (total e frações) triglicérides e glicemia. Informar a medida da
circunferência abdominal
Demais doenças declaradas: laudo médico esclarecendo o diagnóstico da doença declarada, tratamento que
realiza e condições clínicas atuais do proponente.
Observação: A apresentação destes exames não impede a solicitação de outros complementares
(*) é facultado à Agência/PA/CCA solicitar documentos adicionais
SAC CAIXA: 0800 726 0101 (informações, reclamações, sugestões e elogios)
Para pessoas com deficiência auditiva ou de fala: 0800 726 2492
De Olho na Qualidade (exclusivo Minha Casa, Minha Vida): 0800 721 6268
Ouvidoria: 0800 725 7474
caixa.gov.br
43.000 v106 SICAQ 94
Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.5.3 PRÓ-COTISTA – RELAÇÃO DE DOCUMENTOS

PRÓ-COTISTA

PROPONENTE/CÔNJUGE

Documento oficial de identificação, original e cópia

Comprovantes de rendimentos, original e cópia

Se casado a partir de 26/12/77 – exceto comunhão parcial ou separação obrigatória :


Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis, original e cópia.

PROPONENTE/CÔNJUGE – ENQUADRAMENTO NO PROGRAMA

Última declaração do Imposto de Renda e recibo de entrega à Receita Federal (Se apresentada DIRPF retificadora
fora do prazo, apresentar a DIRPF que se refere a retificação)

PROPONENTE/CÔNJUGE – COMPROVAÇÃO TITULARIEDADE CONTA VINCULADA FGTS

Extratos atualizados das contas vinculadas para comprovação do tempo mínimo de 3 anos de trabalho sob o regime
do FGTS e, ainda, a existência de 10% do valor de avaliação do imóvel quando não comprovar trabalho ativo sob
regime do FGTS);

VENDEDOR

Pessoa Física:
Documento oficial de identificação, original e cópia
Declaração de não utilização da CV do FGTS no imóvel, nos últimos 03 anos, quando tal informação não constar na
matrícula do imóvel
OBS.: Dispensada quando tratar-se de imóvel transacionado há mais de 03 anos.
Opção de Venda e Compra
Comprovante estado civil, original e cópia
Se casado a partir de 26/12/77 – exceto comunhão parcial ou separação obrigatória
Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis, original e cópia.
Pessoa Jurídica:
Documento oficial de identificação (representantes legais) , original e cópia;
Opção de Venda e Compra
Se Cia. Ltda.: Contrato Social e alterações registradas, original e cópia;
Se S/A: Estatuto Social com última alteração e Ata Eleição última Diretoria publicada no D.O.U. original e cópia;
Se Firma Individual: Documento constituição e alterações registrados, original e cópia;
Certidão Simplificada/Ficha Cadastral da Junta Comercial ou “Ficha de Breve Relato – FBR” com prazo máximo de
emissão de 180 dias.
SEGURO RCPM (imóvel novo) – Apólice contratada acompanhada de Folha de Rosto emitida pela seguradora e
Comprovante de Pagamento do Seguro – OPCIONAL, conforme subitem 2.13.7.
Pessoa Jurídica, se imóvel em construção, integrante de empreendimento produzido por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à Produção ou PEC MPE/MGE:

1) VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ, se SOCIEDADE ANÔNIMA


Alterações contratuais posteriores à contratação i nicial registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver;
Ata de nomeação da Diretoria atual, quando houver alteração na Diretoria.

2) VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ, se SOCIEDADE LIMITADA OU OUTRAS FORMAS


Alterações posteriores à contratação inicial, registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver.

43.000 v106 SICAQ 95


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

3) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ, SÓCIOS


DA PJ)
Procuração por instrumento público, se houver, bem como seu eventual substabelecimento, devidamente
acompanhado de suas certidões, atualizados e em seu prazo de validade, com poderes específicos para os atos
a serem praticados;
Cópia de documento de Identidade ou documento oficial que contenha foto;
Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou documento oficial original que contenha referido cadastro.

4) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ)


Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos Federais e à Dívida Ativa da União ou Certidão Positiva com
Efeitos de Negativa extraída da INTERNET no site da Receita Federal no endereço
http://www.receita.fazenda.gov.br ou apresentação da certidão emitida pelas Delegacias Regionais da Receita
Federal.
Pessoa Jurídica, se imóvel novo (concluído), integrante de empreendimento produzido por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à Produção ou PEC MPE/MGE:
1) VENDEDORES, se SOCIEDADE ANÔNIMA
Alterações contratuais posteriores à contratação inicia l registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver;
Ata de nomeação da Diretoria atual, quando houver alteração na Diretoria.
2) VENDEDORES, se SOCIEDADE LIMITADA OU OUTRAS FORMAS
Alterações posteriores à contratação inicial, registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver.
3) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
Procuração por instrumento público, se houver, bem como seu eventual substabelecimento, devidamente
acompanhado de suas certidões, atualizados e em seu prazo de validade, com poderes esp ecíficos para os atos
a serem praticados;
Cópia de documento de Identidade ou documento oficial que contenha foto;
Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou documento oficial original que contenha referido cadastro.
4) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos Federais e à Dívida Ativa da União ou Certidão Positiva com
Efeitos de Negativa extraída da INTERNET no site da Receita Federal no endereço
http://www.receita.fazenda.gov.br ou apresentação da certidão emitida pelas Delegacias Regionais da Receita
Federal.

IMÓVEL NOVO

Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula;


Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e Reipersecutórias – exigida caso não esteja contemplada na Certidão
Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula; e
Declaração/Certidão, em papel timbrado e com assinatura sob carimbo do responsável, emitida pela
prefeitura/administração com o endereço completo e Inscrição do imóvel, se endereço do imóvel
incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula ou o IPTU do ano vigente, desde que
conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel averbada na matrícula.
ART – Anotação Responsabilidade Técnica de execução de obra e de projeto , contendo os dados do Responsável
Técnico, da empresa Produtora/Construtora e identificação da Obra, ou;
RRT – Registro Responsabilidade Técnica de execução de obra e de projeto, contendo os dados do Responsável
Técnico, da empresa Produtora/Construtora e identificação da Obra;
Cartão do CNPJ, com o Código e Descrição da Atividade Econômica (CNAE), principal ou secundária: 41.20 -4-00
Construção de Edifícios e situação cadastral Ativa;
Alvará de Construção emitido até 30 JUN 2017, para dispensa da comprovaç ão de ter sido produzido/construído por
Pessoa Jurídica do ramo da construção civil;
Síntese do Memorial Descritivo – 2 vias

43.000 v106 SICAQ 96


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Habite-se, caso sua data não conste na matrícula.

DF e regiões do Entorno/DF:
Declaração de Capacidade de Atendimento das Ligações Individuais emitida pela SANEAGO, em modelo próprio da
concessionária
Declaração do Construtor sobre a execução/existência dos elementos construtivos exigidos para essas regiões
Se imóvel, novo (concluído) ou em construção, integrante de empreendimento produzido por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à Produção ou PEC MPE/MGE:

Certidão negativa de ações reais, pessoais reipersecutórias e quaisquer outros ônus relativos à unidade que está
sendo financiada ou cópia da matrícula co ntendo a certificação formal do RI, ambas com validade de 30 dias;
Certidão Negativa de Tributos incidentes sobre o imóvel – Prefeitura, emitida 01 vez no ano civil;
Quando se tratar de unidade nova com obra concluída, apresentação do “Habite-se” e Certidão Negativa de Débitos do INSS
no CEI da obra registrado na matrícula. Excepcionalmente pode ser apresentado a cópia do “Habite-se” e da Certidão Negativa
de Débitos do INSS no CEI da obra com o protocolo de intenção de registro no RI.

IMÓVEL USADO

Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula;


Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e Reipersecutórias – exigida caso não esteja contemplada na Certidão
Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula; e
Declaração/Certidão, em papel timbrado e com assinatura sob carimbo do responsável, emitida pela
prefeitura/administração com o endereço completo e Inscrição do imóvel, se endereço do imóvel
incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Mat rícula ou o IPTU do ano vigente, desde que
conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel averbada na matrícula.

OBRA – Aquisição Terreno e Construção e Construção Terreno Próprio

ART – Anotação de Responsabilidade Técnica de execução de obra e de projeto ou; RRT – Registro de
Responsabilidade Técnica

RESPONSÁVEL TÉCNICO

Registro no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura – CREA ou;


Registro no Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil – CAU/BR ou do Distrito Federal – CAUs, original e
cópia ou Certidão de Registro e Quitação do CREA ou CAU/BR, atu alizada, acompanhada de um documento oficial
com foto – original e cópia

INTERVENIENTE QUITANTE

Documento oficial de identificação dos representantes do Agente Financeiro/Construtora que comparecerá no


contrato, cópia autenticada
Documento dispensado para Instituição Financeira Bancária

Procuração outorgando poderes aos representantes legais do Interveniente Quitante

(*) é facultado à Agência/PA/CCA solicitar documentos adicionais.

SAC CAIXA: 0800 726 0101 (informações, reclamações, sugestões e elogio s)


Para pessoas com deficiência auditiva ou de fala: 0800 726 2492
De Olho na Qualidade (exclusivo Minha Casa, Minha Vida): 0800 721 6268
Ouvidoria: 0800 725 7474
caixa.gov.br

43.000 v106 SICAQ 97


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.6 ANEXO VI – CHECKLIST PROGRAMAS CCFGTS, PMCMV, CCSBPE E PRO-COTISTA

4.6.1 CCFGTS E PMCMV


 Tabela com a relação dos documentos a serem verificados na concessão do crédito imobiliário (CHECK LIST), e
documentos que devem ser arquivados no dossiê do cliente (COMPOSIÇÃO DOSSIÊ).

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
EXIGÊNCIA GEATE
MO43047
Apresentação de Propostas de Negócios e Ateste de
1 PF via expresso X
Verificação Documental
parceiro
PROPONENTE/CÔNJUGE
SICAQ
2 Ficha Cadastro Pessoa Física (cadastro impresso do SICAQ) PF X
MO33205
3 Documento oficial de identificação PF X
Se casado a partir de 26/12/77 exceto comunhão parcial
4 ou separação obrigatória: PF X
Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis,
5 Comprovantes de rendimentos PF MO43062 X
Procuração instrumento público, no caso de representação
6 PF X
legal do proponente/cônjuge.
7 Pesquisa cadastral SICAQ/SICDM/ SIACI/CIWEB MO33377 X
8 Relatórios de avaliação de risco de crédito. PF SICAQ X
Se CCFGTS ou PMCMV e opção por apólice de seguro
9 diferente das oferecidas pela CAIXA: PF X
Minuta apólice de seguro com a numeração SUSEP.
CCFGTS Renda R$ 5.000,01 a R$ 9.000,00
Proposta com Taxa Porta de Negócios confirmação do
10 atendimento às exigências para contratação com o pacote PF X
(conta corrente, cheque especial, débito em conta/folha de
pagamento, 02 cartões de crédito e um deles na bandeira Elo
e conta salário).
11 Declaração do Empregador, se for o caso. MO29005 X
ENQUADRAMENTO NO PROGRAMA E/OU USO DOS
RECURSOS DA CV FGTS
Última declaração do Imposto de Renda e recibo de entrega à
Receita Federal (Se apresentada DIRPF retificadora fora do
12 PF MO29300 X
prazo, apresentar também a que se refere à retificação)
(Enquadramento e uso da CV FGTS)
Declaração de Qualificação ou Certificação do Material de
13 MO30420 X
Construção (enquadramento)
Autorização para Movimentação de Conta Vinculada do FGTS MO29300
Aquisição/Construção de Imóvel Residencial com ou Sem
Financiamento e enquadramento nos Programas CCFGTS, (gerado
14 PF obrigatoriamen X
PMCMV e PRÓ-COTISTA
te no CIWEB
(enquadramento e uso da CV FGTS) FGTS)

43.000 v106 SICAQ 98


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Declaração de Desistência do Uso do FGTS na Aquisição de


15 Imóvel Residencial ou Amortização/Liquidação de saldo PF MO29199 X
devedor (se DAMP CANCELADO).
 Imóvel localizado onde o proponente pretende trabalhar e/ou
residir - apresentar um dos documentos abaixo referentes ao
município onde pretende adquirir o imóvel:
 Recibo de condomínio, aluguel ou escola, contrato de locação
registrado;
 Conta de água, luz, telefone ou gás, extrato de conta bancária ou
declaração de instituição financeira, fatura de cartão de crédito;
16 PF X
 Contracheque ou comprovante de rendimento mensal;
 Carteira de trabalho – folhas da identificação civil e do contrato de
trabalho;
 Declaração do empregador – com endereço e telefone da
empresa.
Obs: Data emissão do documento: Até 02 meses anteriores à data
de avaliação de risco
PARA REDUCAO DE TAXA DE JUROS PARA TITULAR DE
CV FGTS
Extratos atualizados das contas vinculadas para comprovação
17 do tempo mínimo de 3 anos de trabalho sob o regime do PF X
FGTS.
PARA COMPROVAÇÃO DE DEPENDENTE - DIREITO A
100% DO DESCONTO APURADO
Se casado: certidão de casamento e documentos pessoais do
18 PF X
cônjuge
Se união estável reconhecida em cartório: escritura de união
19 PF X
estável e documentos pessoas do companheiro(a)
Se filho menor de 21 anos ou menor de 24, que estiver
cursando faculdade: certidão de nascimento, acompanhada,
20 PF X
se for o caso, de declaração da faculdade de que o filho está
cursando e documentos pessoais do filho
Se guarda judicial de parente até 21 anos de idade ou até 24,
se estiver cursando a faculdade ou, ainda, de qualquer idade
incapacitado, física ou mentalmente, para o trabalho: decisão
21 judicial de concessão de guarda, acompanhada declaração da PF X
faculdade, se for o caso, ou declaração médica de
incapacidade física/mental para o trabalho e documentos
pessoais quem que o(s) proponente(s) detém a guarda
Se residência compartilhada com parente de até 3º grau:
declaração desse parente de que não recebe nenhum tipo de
22 PF X
renda, declaração de parentesco assinada por ambos,
comprovante de residência do parente e documentos pessoais
Se residência compartilhada com pessoa absolutamente
incapaz, da qual o(s) proponente(s) seja(m) tutor ou curador:
23 PF X
decisão judicial que tenha nomeado o(s) proponente(s) tutor
ou curador
Se aquisição de imóvel, objeto do financiamento pretendido,
em conjunto com uma ou mais pessoas, com quem o(s)
24 proponente(s) compartilhe(m) ou pretenda(m) compartilhar PF X
residência: comparecimento como participante(s) do contrato
de financiamento
VENDEDOR/CÔNJUGE
25 Documento oficial de identificação PF/PJ X
26 Comprovante estado civil PF X

43.000 v106 SICAQ 99


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

27 Opção de Venda e Compra – Pessoa Física/Pessoa Jurídica PF/PJ MO29009 X


MO29250
Se casado a partir de 26/12/77 – exceto comunhão parcial
28 ou separação obrigatória: PF X
Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis.
Procuração por instrumento público, no caso de
29 PF/PJ X
representação legal do vendedor/cônjuge.
Cia. Ltda.: – Contrato Social e alterações registrados ou a
última alteração consolidada.
S/A: Estatuto Social com última alteração e Ata Eleição da
30 PJ X
última Diretoria publicada no D.O.U.
Firma Individual: Documento constituição e alterações
registrados
Certidão Simplificada/Ficha Cadastral da Junta Comercial ou
31 “Ficha de Breve Relato – FBR” com prazo máximo de emissão PJ X
de 180 dias.

CRF – Certificado de Regularidade do FGTS – consulta link Tela


32 PJ Impressa X
https://www.sifge.caixa.gov.br/cidadao/crf/fgecfscriteriospesquisa.asp CCA
Telas com resultados das pesquisas cadastrais:

33 Se Imóvel vendido há menos de 360 dias – Telas com PF/PJ SICAQ X


resultados das pesquisas cadastrais dos proprietários
anteriores do imóvel.
Impressão da mensagem eletrônica enviada pela agên cia com
34 o resultado da pesquisa CONRES, recebida via email, se for o PF/PJ X
caso.
se
seguradoras
BERKLEY ou
SEGURO RCPM (imóvel novo, no programa CCFGTS) – ARGO emitir
Apólice contratada acompanhada de Folha de Rosto emitida via link
35 PF/PJ X
pela seguradora e Comprovante de Pagamento do Seguro – http://rcpm.p
OPCIONAL, conforme subitem 2.13.7. arcorretora.c
om.br/

Declaração do vendedor de não utilização dos recursos da


conta vinculada do FGTS no imóvel nos últimos 03 anos,
36 quando tal informação não constar na matrícula do imóvel. PF Anexo IX X
Obs.: Declaração exigida para as operações com uso dos
recursos da Conta Vinculada do FGTS
Se imóvel vendido/doado pelo Poder Público local
(PMCMV)
 Lei Autorizativa promulgada pelo Poder Público local;
 Nota Jurídica autorizando a operação;
 Certidão/diploma expedido pelo TRE, atestando a eleição do
37 PJ X
representante do Poder Público local;
 Termo de Posse do representante do Poder Público local;
 Documentos pessoais do representante do Poder Público;
CRP – Certidão de Regularidade Previdenciária do Poder
Público local.
VENDEDOR Pessoa Jurídica, se imóvel em construção,
integrante de empreendimento produzido por PJ do ramo
da construção civil, no âmbito do Programa Apoio à
Produção ou PEC MPE/MGE:

43.000 v106 SICAQ 100


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

1) VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA,


TOMADOR PJ, se SOCIEDADE ANÔNIMA
Alterações contratuais posteriores à contratação inicial
38 PJ X
registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver;
Ata de nomeação da Diretoria atual, quando houver
alteração na Diretoria.
2) VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA,
TOMADOR PJ, se SOCIEDADE LIMITADA OU OUTRAS
39 FORMAS PJ X
Alterações posteriores à contratação inicial,
registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver.
3) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES,
INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ, SÓCIOS DA
PJ)
40 Procuração por instrumento público, se houver, bem como PJ X
seu eventual substabelecimento, devidamente acompanhado
de suas certidões, atualizados e em seu prazo de validade,
com poderes específicos para os atos a serem praticados;
Cópia de documento de Identidade ou documento oficial que
41 PJ X
contenha foto;
Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou documento
42 PJ X
oficial original que contenha referido cadastro
4) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES,
INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ)
Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos Federais e
43 à Dívida Ativa da União ou Certidão Positiva com Efeitos d PJ X
Negativa extraída da INTERNET no site da Receita Federal
no endereço http://www.receita.fazenda.gov.br ou
apresentação da certidão emitida pelas Delegacias
Regionais da Receita Federal.
Se imóvel vendido/doado pelo Poder Público local
(PMCMV)
 Lei Autorizativa promulgada pelo Poder Público local;
 Nota Jurídica autorizando a operação;
 Certidão/diploma expedido pelo TRE, atestando a eleição do
44 PJ X
representante do Poder Público local;
 Termo de Posse do representante do Poder Público local;
 Documentos pessoais do representante do Poder Público;
CRP – Certidão de Regularidade Previdenciária do Poder
Público local.
Seguro
Seguro RCPM – seguro obrigatório, a partir de 01/03/2016, se
45 PMCMV; e opcional para contratos CCFGTS, assinados a PF/PJ X
partir de 05/10/2015: apólice contratada, Folha de Rosto
emitida pela Seguradora e Comprovante de Pagamento do
referido seguro.
VENDEDOR se imóvel novo (concluído), integrante de
empreendimento produzido por PJ do ramo da construção
civil, no âmbito do Programa Apoio à Produção ou PEC
MPE/MGE :

43.000 v106 SICAQ 101


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

1) VENDEDORES, se SOCIEDADE ANÔNIMA


Alterações contratuais posteriores à contratação inicial
46 registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver; PJ X
Ata de nomeação da Diretoria atual, quando houver alteração
na Diretoria.
2) VENDEDORES, se SOCIEDADE LIMITADA OU OUTRAS
FORMAS
47 PJ X
Alterações posteriores à contratação inicial,
registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver.
3) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
Procuração por instrumento público, se houver, bem como
48 seu eventual substabelecimento, devidamente acompanhado PJ X
de suas certidões, atualizados e em seu prazo de validade ,
com poderes específicos para os atos a serem praticados;
Cópia de documento de Identidade ou documento oficial que
49 PJ X
contenha foto;
Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou documento
50 PJ X
oficial original que contenha referido cadastro.
4) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos Federais e à
Dívida Ativa da União ou Certidão Positiva com Efeitos de
51 Negativa extraída da INTERNET no site da Receita Federal PJ X
no endereço http://www.receita.fazenda.gov.br ou
apresentação da certidão emitida pelas Delegacias Regionais
da Receita Federal.
IMÓVEL
IMÓVEL NOVO
Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula original ou
Não aceito
52 extraída por meio digital, datilográfico, reprográfico ou cópia X
cópia simples
autenticada em cartório.
Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e Reipersecutórias
Não aceito
53 – exigida caso não esteja contemplada na Certidão Atualizada X
cópia simples
de Inteiro Teor da Matrícula
Declaração/Certidão, em papel timbrado e com assinatura sob
carimbo do responsável, emitida pela prefeitura/administração
com o endereço completo e Inscrição do imóvel, se endereço
54 do imóvel incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de X
Inteiro Teor da Matrícula ou o IPTU do ano vigente, desde
que conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel averbada na
matrícula
ART – Anotação de Responsabilidade Técnica de execução
de obra e de projeto contendo os dados do Responsável
Técnico, da empresa Produtora/Construtora e identificação da
Obra; ou
55 X
RRT – Registro de Responsabilidade Técnica de execução de
obra e de projeto, contendo os dados do Responsável
Técnico, da empresa Produtora/Construtora e identificação da
Obra.
Cartão do CNPJ, com o Código e Descrição da Atividade
56 Econômica (CNAE), principal ou secundária: 41.20-4-00
Construção de Edifícios e situação cadastral Ativa
Alvará de Construção emitido até 30 JUN 2017, para dispens a
57 da comprovação de ter sido produzido/construído por Pessoa
Jurídica do ramo da construção civil

43.000 v106 SICAQ 102


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Modelo
CAIXA
58 Síntese do Memorial Descritivo – 2 vias. entregue pela X
agência ao
CCA
59 Habite-se, caso sua data não conste na matrícula X
Para o DF e regiões do Entorno/DF

60 Declaração de Capacidade de Atendimento das Ligações X


Individuais emitida pela SANEAGO, em modelo próprio da
concessionária
Modelo
Para o DF e regiões do Entorno/DF CAIXA
61 Declaração do Construtor sobre a execução/existência dos entregue pela X
elementos construtivos exigidos para essas regiões. agência ao
CCA
Se imóvel, novo (concluído) ou em construção, integrante
de empreendimento produzido por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à
Produção ou PEC MPE/MGE:
Certidão negativa de ações reais, pessoais reipersecutórias
e quaisquer outros ônus relativos à unidade que está sendo Não aceito
62 PJ X
financiada ou cópia da matrícula contendo a certificação cópia simples
formal do RI, ambas com validade de 30 dias;
Certidão Negativa de Tributos incidentes sobre o imóvel – PJ X
63
Prefeitura, emitida 01 vez no ano civil;
Quando se tratar de unidade nova com obra concluída,
apresentação do “Habite-se” e Certidão Negativa de Débitos
do INSS no CEI da obra registrado na matrícula. PJ X
64
Excepcionalmente pode ser apresentado a cópia do “Habite -
se” e da Certidão Negativa de Débitos do INSS no CEI da
obra com o protocolo de intenção de registro no RI.
IMÓVEL USADO
Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula original ou
Não aceito
65 extraída por meio digital, datilográfico, reprográfico ou cópia X
cópia simples
autenticada em cartório.
Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e Reipersecutórias
Não aceito
66 – exigida caso não esteja contemplada na Certidão Atualizada X
cópia simples
de Inteiro Teor da Matrícula
Declaração/Certidão, em papel timbrado e com assinatura sob
carimbo do responsável, emitida pela prefeitura/administração
com o endereço completo e Inscrição do imóvel, se endereço
67 do imóvel incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de X
Inteiro Teor da Matrícula ou o IPTU do ano vigente, desde
que conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel averbada na
matrícula.
OBRA – Aquisição Terreno e Construção/ Construção
Terreno Próprio
ART – Anotação de Responsabilidade Técnica de execução
68 de obra e de projeto ou RRT – Registro de Responsabilidade X
Técnica.
69 PFUI-Análise X
Modelo
PFUI- Proponente – Após o preenchimento o proponente deve CAIXA
70 entregar os formulários impressos e assinados e também entregue pela X
encaminhá-los via meio digital para a CAIXA agência ao
CCA
71 Entrega do Adesivo de Obra X
72 Projeto de arquitetura aprovado pela Prefeitura Municipal Entregar X

43.000 v106 SICAQ 103


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
antes da
73 Matrícula CEI da Obra liberação da X
primeira
74 Alvará de construção ou licença da obra parcela de X
obra
Modelo
CAIXA
Check List AE130 Aquisição e Construção, Construção em
75 entregue pela X
Terreno Próprio, Reforma/Melhoria Residencial
agência ao
CCA
Declaração de utilização de mão de obra não assalariada, se
76 MO30103 X
for o caso
ALOCAÇÃO DE RECURSOS
Não aceito
77 Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula original X
cópia simples
Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e Reipersecutórias
Não aceito
78 – exigida caso não esteja contemplada na Certidão Atualizada X
cópia simples
de Inteiro Teor da Matrícula
Certidão Negativa de Tributos incidentes sobre o imóvel
79 X
expedida pela Prefeitura Municipal
Parecer contratação Alocação de Recursos CCA, preenchido
80 MO30158 X
pela SR/Agência de vinculação
RESPONSÁVEL TÉCNICO
Aquisição de Imóvel Novo, Terreno e Construção,
Construção em Terreno Próprio
Cópia do registro no CREA ou do Registro no Conselho de
Arquitetura e Urbanismo do Brasil – CAU/BR ou Certidão de
Registro e Quitação do CREA ou do CAU/BR, atualizada,
81 PF X
acompanhada de um documento oficial com foto – original e
cópia. (dispensada se sem alteração de estrutura da
construção).
Impressão da mensagem eletrônica enviada da agência com o
82 PF X
resultado da pesquisa CONRES.
INTERVENIENTE QUITANTE
Documento oficial de identificação dos representantes da
Instituição Financeira/Construtora que comparecerá no
83 contrato, cópia autenticada PF X

Dispensado para Instituição Financeira Bancária.


Procuração outorgando poderes aos representantes legais do
84 X
Interveniente Quitante para assinatura do contrato.
Solicitação Saldo Devedor Imóvel Financiado em outra
85 Instituição Financeira Bancária ou Instituição Financeira MO30447 X
Bancária/não Bancária ou Construtora.
Conforme
Autorização de Requisição de Saldo Devedor contrato CAIXA
86 PF modelo X
(cliente vendedor)
Anexo VIII
DEMAIS DOCUMENTOS
Autorização da agência/PA para contratação, no caso de
87 X
restrição do vendedor, recebida via email.
88 Parecer jurídico, se for o caso. X
Protocolo de Entrega de Propostas – Correspondente Caixa
89 MO39065 X
Aqui Negocial Conferência Posterior
(*) identificado que o imóvel objeto da transação apresenta saldo devedor efetua os procedimentos descritos no
item 2.12.2

43.000 v106 SICAQ 104


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.6.2 CCSBPE
 Tabela com os documentos a serem verificados na concessão do crédito imobiliário (CHECK LIST) e documentos
a serem arquivados no dossiê do cliente (COMPOSIÇÃO DOSSIÊ)

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
EXIGÊNCIA GEATE
MO43047
Apresentação de Propostas de Negócios e Ateste de
1 PF via expresso X
Verificação Documental
parceiro
PROPONENTE/CÔNJUGE

Ficha Cadastro Pessoa Física (cadastro impresso do SICAQ


2 PF X
SICAQ) MO33005
3 Documento oficial de identificação PF X
Se casado a partir de 26/12/77 exceto comunhão
4 parcial ou separação obrigatória PF X
Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis.
5 Comprovantes de rendimentos PF MO43062 X
Pesquisa cadastral SICAQ/ SIACI/CIWEB/ SICDM (se
6 MO33377 X
utilizar saldo da CVFGTS)
7 Relatórios de avaliação de risco de crédito. PF SICAQ X
Procuração instrumento público, no caso de
8 PF X
representação legal do proponente/cônjuge.
A) contratação com TOKIO MARINE:
DPS assinada pelos proponentes pactuantes de renda
nos casos citados nos subitens 2.13.5 e 2.13.7
B) contratação com a PAN Seguros
DPS e/ou proposta de adesão assinada pelos
proponentes pactuantes de renda para os contratos
9 com valor de financiamento acima de R$ 1.000.000,00 PF X
(um milhão de reais).
C) contratação CAIXA SEGURADORA (LAR ou
LAR+):
assinada pelos proponentes pactuantes de renda, nos
casos em que de VF ou VA ultrapassar os limites da
apólice de seguro.
Se opção por apólice de seguro diferente das
10 oferecidas pela CAIXA: PF X
Minuta apólice de seguro com a numeração SUSEP.

43.000 v106 SICAQ 105


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
Proposta com Taxa Porta de Negócios/Porta de
Negócios Plus
Confirmação do atendimento às exigências para
contratação com os respectivos pacotes:
Taxa Porta de Negócios:
11 conta corrente, cheque especial, débito em conta/folha PF X
de pagamento, 2 cartões de crédito, sendo 1 ELO.
Taxa Porta de Negócios Plus:
conta corrente, cheque especial, débito em conta/folha
de pagamento, 2 cartões de crédito, sendo 1 ELO e
conta salário
12 Declaração do Empregador, se for o caso. MO29005 X
USO DOS RECURSOS DA CV FGTS
Última declaração do Imposto de Renda e recibo de
entrega à Receita Federal (se apresentada DIRPF
13 PF MO29300 X
retificadora fora do prazo, apresentar também a que se
refere a retificação).
MO29300

Autorização para Movimentação de Conta Vinculada (gerado


14 do FGTS Aquisição/Construção de Imóvel Residencial PF obrigatoria- X
com ou Sem Financiamento. mente no
CIWEB
FGTS)
Declaração de Desistência do Uso do FGTS na
Aquisição de Imóvel Residencial ou
15 PF MO29199 X
Amortização/Liquidação de saldo devedor (se DAMP
cancelado.
VENDEDOR
16 Documento oficial de identificação. PF/PJ X
17 Comprovante estado civil. PF X
18 Opção de Venda e Compra – Pessoa Física/Pessoa PF/PJ MO29009 X
Jurídica MO29250
Se casado a partir de 26/12/77 – exceto comunhão
19 parcial ou separação obrigatória: PF X
Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis.

Procuração por instrumento público, no caso de PF/


20 X
representação legal do vendedor/cônjuge. PJ
Cia. Ltda.: – Contrato Social e alterações registrados
ou a última alteração consolidada.
S/A: Estatuto Social com última alteração e Ata
21 PJ X
Eleição da última Diretoria publicada no D.O.U.
Firma Individual: Documento constituição e
alterações registrados.
Certidão Simplificada – Ficha Cadastral da Junta
22 Comercial ou “Ficha de Breve Relato – FBR” com PJ X
prazo máximo de emissão de 180 dias.
CRF – Certificado de Regularidade do FGTS – Tela
23 consulta link PJ impressa X
https://www.sifge.caixa.gov.br/cidadao/crf/fgecfscriteriospesq
uisa.asp
CCA

43.000 v106 SICAQ 106


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
Telas com resultados das pesquisas cadastrais:
PF/
24 Se Imóvel vendido há menos de 360 dias – Telas X
com resultados das pesquisas cadastrais doa antigos PJ
proprietários do imóvel.
se
seguradoras
SEGURO RCPM (imóvel novo) – Apólice contratada BERKLEY ou
acompanhada de Folha de Rosto emitida pela ARGO emitir
25 PF/PJ X
seguradora e Comprovante de Pagamento do Seguro – via link
OPCIONAL, conforme subitem 2.13.7 http://rcpm.p
arcorretora.c
om.br/
Impressão da mensagem eletrônica enviada pela
26 agência com o resultado da pesquisa CONRES, X
recebida via email, se for o caso
Declaração do vendedor de não utilização dos PF Anexo IX
recursos da conta vinculada do FGTS no imóvel nos
últimos 03 anos, quando tal informação não constar na
27 X
matrícula do imóvel. Obs.: Declaração exigida para as
operações com uso dos recursos da Conta Vinculada
do FGTS
VENDEDOR Pessoa Jurídica, se imóvel em
construção, integrante de empreendimento
produzido por PJ do ramo da construção civil, no
âmbito do Programa Apoio à Produção ou PEC
MPE/MGE:
1) VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA,
TOMADOR PJ, se SOCIEDADE ANÔNIMA
Alterações contratuais posteriores à contratação PJ
28 inicial registrados/arquivados na Junta Comercial, se X
houver;
Ata de nomeação da Diretoria atual, quando houver
alteração na Diretoria.
2) VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA,
TOMADOR PJ, se SOCIEDADE LIMITADA OU OUTRAS
FORMAS PJ
29 X
Alterações posteriores à contratação inicial,
registrados/arquivados na Junta Comercial, se
houver.
3) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES,
INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ,
SÓCIOS DA PJ)
PJ
30 Procuração por instrumento público, se houver, bem X
como seu eventual substabelecimento, devidamente
acompanhado de suas certidões, atualizados e em
seu prazo de validade, com poderes específicos para
os atos a serem praticados;

Cópia de documento de Identidade ou documento PJ


31 X
oficial que contenha foto;

Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou PJ


32 documento oficial original que contenha referido X
cadastro.

43.000 v106 SICAQ 107


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
4) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES,
INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ)
Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos
Federais e à Dívida Ativa da União ou Certidão PJ
33 Positiva com Efeitos d Negativa extraída da X
INTERNET no site da Receita Federal no endereço
http://www.receita.fazenda.gov.br ou apresentação da
certidão emitida pelas Delegacias Regionais da
Receita Federal.
VENDEDOR se imóvel novo (concluído), integrante
de empreendimento produzido por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à
Produção ou PEC MPE/MGE :
1) VENDEDORES, se SOCIEDADE ANÔNIMA
Alterações contratuais posteriores à contratação inicial
34 registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver; PJ X
Ata de nomeação da Diretoria atual, quando houver
alteração na Diretoria.
2) VENDEDORES, se SOCIEDADE LIMITADA OU
OUTRAS FORMAS
35 PJ X
Alterações posteriores à contratação inicial,
registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver.
3) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
Procuração por instrumento público, se houver, bem
36 como seu eventual substabelecimento, devidamente PJ X
acompanhado de suas certidões, atualizados e em seu
prazo de validade, com poderes específicos para os
atos a serem praticados;
Cópia de documento de Identidade ou documento
37 PJ X
oficial que contenha foto;
 Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou
38 documento oficial original que contenha referido PJ X
cadastro.
4) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
 Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos
Federais e à Dívida Ativa da União ou Certidão
39 Positiva com Efeitos de Negativa extraída da PJ X
INTERNET no site da Receita Federal no endereço
http://www.receita.fazenda.gov.br ou apresentação
da certidão emitida pelas Delegacias Regionais da
Receita Federal.
IMÓVEL NOVO
Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula
Não aceito
40 original ou extraída por meio digital, datilográfico, X
cópia simples
reprográfico ou cópia autenticada em cartório.
Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e
Reipersecutórias – exigida caso não esteja Não aceito
41 X
contemplada na Certidão Atualizada de Inteiro Teor da cópia simples
Matrícula.

43.000 v106 SICAQ 108


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
Declaração/Certidão, em papel timbrado e com
assinatura sob carimbo do responsável, emitida pela
prefeitura/administração com o endereço completo e
Inscrição do imóvel, se endereço do imóvel
42 X
incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de
Inteiro Teor da Matrícula ou o IPTU do ano vigente,
desde que conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel
averbada na matrícula.
ART – Anotação de Responsabilidade Técnica de
43 execução de obra e de projeto ou RRT – Registro de X
Responsabilidade Técnica.
Modelo
CAIXA
44 Síntese do Memorial Descritivo – 2 vias. entregue pela X
agência ao
CCA
45 Habite-se, caso sua data não conste na matrícula. X
Para o DF e regiões do Entorno/DF

46 Declaração de Capacidade de Atendimento das X


Ligações Individuais emitida pela SANEAGO, em
modelo próprio da concessionária.

Para o DF e regiões do Entorno/DF Modelo


CAIXA
47 Declaração do Construtor, modelo CAIXA, sobre a entregue pela X
execução/existência dos elementos construtivos agência ao
exigidos para essas regiões. CCA
Se imóvel, novo (concluído) ou em construção,
integrante de empreendimento produzido por PJ do
ramo da construção civil, no âmbito do Programa
Apoio à Produção ou PEC MPE/MGE:
Certidão negativa de ações reais, pessoais
reipersecutórias e quaisquer outros ôn us relativos à
Não aceito
48 unidade que está sendo financiada ou cópia da PJ X
cópia simples
matrícula contendo a certificação formal do RI, ambas
com validade de 30 dias;
Certidão Negativa de Tributos incidentes sobre o
imóvel – Prefeitura, emitida 01 vez no ano civil;
Quando se tratar de unidade nova com obra concluída,
49 apresentação do “Habite-se” e Certidão Negativa de Débitos PJ X
do INSS no CEI da obra registrado na matrícula.
Excepcionalmente pode ser apresentado a cópia do “Habite-
se” e da Certidão Negativa de Débitos do INSS no CEI da
obra com o protocolo de intenção de registro no RI.
IMÓVEL USADO
Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula
Não aceito
50 original ou extraída por meio digital, datilográfico, X
cópia simples
reprográfico ou cópia autenticada em cartório.
Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e
Reipersecutórias – exigida caso não esteja Não aceito
51 X
contemplada na Certidão Atualizada de Inteiro Teor da cópia simples
Matrícula.

43.000 v106 SICAQ 109


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
Declaração/Certidão, em papel timbrado e com
assinatura sob carimbo do responsável, emitida pela
prefeitura/administração com o endereço completo e
Inscrição do imóvel, se endereço do imóvel
52 X
incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de
Inteiro Teor da Matrícula ou o IPTU do ano vigente,
desde que conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel
averbada na matrícula.
OBRA – Aquisição Terreno e
Construção/Construção Terreno Próprio
ART – Anotação de Responsabilidade Técnica de
53 execução de obra e de projeto ou RRT – Registro de X
Responsabilidade Técnica.
Modelo
CAIXA
Check List AE130 Aquisição e Construção, Construção
54 entregue pela
em Terreno Próprio, Reforma/Melhoria Residencial
agência ao
CCA
55 PFUI-Análise X
Modelo
PFUI-Proponente – Após o preenchimento o CAIXA
56 proponente deve entregar os formulários impressos e entregue pela X
assinados e também encaminhá-los via meio digital. agência ao
CCA
57 Entrega do Adesivo de Obra X
Projeto de arquitetura aprovado pela Prefeitura Entregar
58 X
Municipal. antes da
liberação da
59 Matrícula CEI da Obra. primeira X
parcela de
60 Alvará de construção ou licença da obra. obra X

ALOCAÇÃO DE RECURSOS
Não aceito
61 Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula. X
cópia simples
Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e
Reipersecutórias – exigida caso não esteja Não aceito
62 X
contemplada na Certidão Atualizada de Inteiro Teor da cópia simples
Matrícula.
Certidão Negativa de Tributos incidentes sobre o
63 X
imóvel expedida pela Prefeitura Municipal.
Parecer contratação Alocação de Recursos CCA,
64 MO30158 X
preenchido pela SR/Agência de vinculação.
RESPONSÁVEL TÉCNICO – AQUISIÇÃO DE IMÓVEL
NOVO, TERRENO E CONSTRUÇÃO, CONSTRUÇÃO
EM TERRENO PRÓPRIO
Cópia do registro no CREA ou do Registro no
Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil –
CAU/BR ou Certidão de Registro e Quitação do CREA
65 ou do CAU/BR, atualizada, acompanhada de um PF X
documento oficial com foto – original e cópia.
(Dispensada se sem alteração de estrutura da
construção).
Impressão da mensagem eletrônica enviada da
66 PF X
agência com o resultado da pesquisa CONRES.
INTERVENIENTE QUITANTE

43.000 v106 SICAQ 110


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
Documento oficial de identificação dos representantes
da Instituição Financeira/Construtora que comparecerá
67 no contrato, cópia autenticada: PF X

Dispensado para Instituição Financeira Bancária


Procuração outorgando poderes aos representantes PF/
68 legais do Interveniente Quitante para assinatura do X
contrato. PJ

Solicitação Saldo Devedor Imóvel Financiado em outra


69 Instituição Financeira Bancária ou Instituição MO30447 X
Financeira Bancária/não Bancária ou Construtora.
Conforme
Autorização de Requisição de Saldo Devedor contrato
70 PF modelo X
CAIXA (cliente vendedor).
Anexo VIII
DEMAIS DOCUMENTOS
Autorização da agência/PA para contratação, no caso
71 X
de restrição do vendedor, recebida via email.
72 Parecer jurídico, se for o caso. X
Protocolo de Entrega de Propostas - Correspondente
73 MO39065 X
Caixa Aqui Negocial Conferência Posterior.

(*) identificado que o imóvel objeto da transação apresenta saldo devedor efetua os procedimentos descritos no
item 2.12.2

43.000 v106 SICAQ 111


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.6.3 PRÓ-COTISTA
 Tabela com os documentos a serem verificados na concessão do crédito imobiliário (CHECK LIST) e documentos
a serem arquivados no dossiê do cliente (COMPOSIÇÃO DOSSIÊ)

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
EXIGÊNCIA GEATE
MO43047
Apresentação de Propostas de Negócios e Ateste de
1 PF via expresso X
Verificação Documental.
parceiro
PROPONENTE/CÔNJUGE

Ficha Cadastro Pessoa Física (cadastro impresso pelo SICAQ


2 PF X
SICAQ). MO33005
3 Documento oficial de identificação. PF X
Se casado a partir de 26/12/77 exceto comunhão parcial
4 ou separação obrigatória: PF X
Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis
5 Comprovantes de rendimentos. PF MO43062 X
6 Pesquisa cadastral SICAQ/SICDM/ SIACI/CIWEB. PF MO33377 X
7 Relatórios de avaliação de risco de crédito. PF SICAQ X
Procuração instrumento público, no caso de representação
8 PF X
legal do proponente/cônjuge.
A) contratação com a PAN Seguros
DPS e/ou proposta de adesão assinada pelos proponentes
pactuantes de renda para os contratos com valor de
financiamento acima de R$ 1.000.000,00 (um milhão de
9 reais). PF X
B) contratação CAIXA SEGURADORA (LAR ou LAR+):
assinada pelos proponentes pactuantes de renda, nos casos
em que de VF ou VA ultrapassar os limites da apólice de
seguro.
Na opção por apólice de seguro diferente das oferecidas
10 pela CAIXA: PF X
Minuta apólice de seguro com a numeração SUSEP.
Proposta com Taxa Porta de Negócios/Porta de
Negócios Plus
Confirmação do atendimento às exigências para contratação
com os respectivos pacotes:
Taxa Porta de Negócios:
11 conta corrente, cheque especial, débito em conta/folha de X
pagamento, 2 cartões de crédito, sendo 1 ELO.
Taxa Porta de Negócios Plus:
conta corrente, cheque especial, débito em conta/folha de
pagamento, 2 cartões de crédito, sendo 1 ELO e conta
salário.
12 Declaração do Empregador, se for o caso. PF MO29005 X
ENQUADRAMENTO NO PROGRAMA E/OU USO DOS
RECURSOS DA CV FGTS

43.000 v106 SICAQ 112


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
Última declaração do Imposto de Renda e recibo de entrega
à Receita Federal (Se apresentada DIRPF retificadora fora
13 PF MO29300 X
do prazo, apresentar também a que se refere a retificação )
(enquadramento e uso da CV FGTS).
Declaração de Qualificação ou Certificação do Material de
14 Construção PF MO30420 X
(enquadramento).

Autorização para Movimentação de Conta Vinculada do MO29300


FGTS Aquisição/Construção de Imóvel Residencial com ou (gerado
Sem Financiamento e ou enquadramento nos Programas obrigatoriam
15 PF X
CCFGTS, PMCMV, PRÓ-COTISTA ente no
CIWEB
(enquadramento e uso da CV FGTS) FGTS)
Extratos atualizados das contas vinculadas para
comprovação do tempo mínimo de 3 anos de trabalho sob o
16 regime do FGTS e para comprovar saldo mínimo de 10% do PF X
VA do imóvel, exclusivamente quando não comprovar
trabalho ativo sob o regime do FGTS.
Declaração de Desistência do Uso do FGTS na Aquisição
17 de Imóvel Residencial ou Amortização/Liquidação de saldo PF MO29199 X
devedor (se DAMP cancelado).
VENDEDOR
18 Documento oficial de identificação. PF/PJ X
MO29009
19 Opção de Venda e Compra – Pessoa Física/Pessoa Jurídica PF/PJ X
MO29250
20 Comprovante estado civil. PF X
Se casado a partir de 26/12/77 – exceto comunhão
21 parcial ou separação obrigatória: PF X
Registro do pacto antenupcial no Registro de Imóveis.
Procuração por instrumento público, no caso de
22 PF/PJ X
representação legal do vendedor/cônjuge.
Cia. Ltda: – Contrato Social e alterações registrados ou a
última alteração consolidada.
S/A: Estatuto Social com última alteração e Ata Eleição da
23 PJ X
última Diretoria publicada no D.O.U.
Firma Individual: Documento constituição e alterações
registrados.
Certidão Simplificada/Ficha Cadastral da Junta Comercial
24 ou “Ficha de Breve Relato – FBR” com prazo máximo de PJ X
emissão de 180 dias.
CRF – Certificado de Regularidade do FGTS – consulta link: Tela emitida
25 https://www.sifge.caixa.gov.br/cidadao/crf/fgecfscriteriospesquisa.a PJ X
sp
CCA

Telas com resultados das pesquisas cadastrais:

26 Se Imóvel vendido há menos de 360 dias – Telas com PF/PJ X


resultados das pesquisas cadastrais dos antigos
proprietários do imóvel
Impressão da mensagem eletrônica enviada pela agência
27 com o resultado da pesquisa CONRES, recebida via email, X
se for o caso

43.000 v106 SICAQ 113


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
se
seguradoras
SEGURO RCPM (imóvel novo) – Apólice contratada BERKLEY ou
acompanhada de Folha de Rosto emitida pela seguradora e ARGO emitir
28 PF/PJ via link X
Comprovante de Pagamento do Seguro – OPCIONAL,
conforme subitem 2.13.7 http://rcpm.p
arcorretora.c
om.br/
Declaração do vendedor de não utilização dos recursos da
conta vinculada do FGTS no imóvel nos últimos 03 anos,
29 quando tal informação não constar na matrícula do imóvel. PF Anexo IX X
Obs.: Declaração exigida para as operações com uso dos
recursos da Conta Vinculada do FGTS
VENDEDOR Pessoa Jurídica, se imóvel em construção,
integrante de empreendimento produzido por PJ do
ramo da construção civil, no âmbito do Programa Apoio
à Produção ou PEC MPE/MGE:
1) VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA,
TOMADOR PJ, se SOCIEDADE ANÔNIMA
Alterações contratuais posteriores à contratação inicial
30 PJ X
registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver;
Ata de nomeação da Diretoria atual, quando ho uver
alteração na Diretoria.
2) VENDEDORES, INCORPORADOR, CONSTRUTORA,
TOMADOR PJ, se SOCIEDADE LIMITADA OU OUTRAS
31 FORMAS PJ X
Alterações posteriores à contratação inicial,
registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver.
3) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES,
INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ, SÓCIOS
DA PJ)

32 Procuração por instrumento público, se houver, bem como PJ X


seu eventual substabelecimento, devidamente
acompanhado de suas certidões, atualizados e em seu
prazo de validade, com poderes específicos para os atos a
serem praticados;
Cópia de documento de Identidade ou documento oficial
33 PJ X
que contenha foto;
Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou documento
34 PJ X
oficial original que contenha referido cadastro.
4) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES,
INCORPORADOR, CONSTRUTORA, TOMADOR PJ)
Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos Federais
35 e à Dívida Ativa da União ou Certidão Positiva com Efeitos PJ X
d Negativa extraída da INTERNET no site da Receit a
Federal no endereço http://www.receita.fazenda.gov.br ou
apresentação da certidão emitida pelas Delegacias
Regionais da Receita Federal.
VENDEDOR se imóvel novo (concluído), integrante de
empreendimento produzido por PJ do ramo da
construção civil, no âmbito do Programa Apoio à
Produção ou PEC MPE/MGE :

43.000 v106 SICAQ 114


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
1) VENDEDORES, se SOCIEDADE ANÔNIMA
Alterações contratuais posteriores à contratação inicial
36 registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver; PJ X
Ata de nomeação da Diretoria atual, quando houver
alteração na Diretoria.
2) VENDEDORES, se SOCIEDADE LIMITADA OU OUTRAS
FORMAS
37 PJ X
Alterações posteriores à contratação inicial,
registrados/arquivados na Junta Comercial, se houver.
3) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
Procuração por instrumento público, se houver, bem como
38 seu eventual substabelecimento, devidamente PJ X
acompanhado de suas certidões, atualizados e em seu
prazo de validade, com poderes específicos para os atos a
serem praticados;
Cópia de documento de Identidade ou documento oficial que
39 PJ X
contenha foto;
 Cópia do CPF – Cadastro de Pessoa Física ou documento
40 PJ X
oficial original que contenha referido cadastro.
4) DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (VENDEDORES)
 Certidão Conjunta de Débitos relativos a Tributos Federais
e à Dívida Ativa da União ou Certidão Positiva com Efeitos
41 de Negativa extraída da INTERNET no site da Receita PJ X
Federal no endereço http://www.receita.fazenda.gov.br ou
apresentação da certidão emitida pelas Delegacias
Regionais da Receita Federal.
IMÓVEL NOVO
Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula original ou
Não aceito
42 extraída por meio digital, datilográfico, reprográfico ou cópia X
cópia simples
autenticada em cartório.
Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e
Não aceito
43 Reipersecutórias – exigida caso não esteja contemplada na X
cópia simples
Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula.
Declaração/Certidão, em papel timbrado e com assinatura
sob carimbo do responsável, emitida pela
prefeitura/administração com o endereço completo e
Inscrição do imóvel, se endereço do imóvel
44 X
incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de Inteiro
Teor da Matrícula ou o IPTU do ano vigente, desde que
conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel averbada na
matrícula.
ART – Anotação de Responsabilidade Técnica de execução
de obra e de projeto, contendo os dados do Responsável
Técnico, da empresa Produtora/Construtora e identificação
da Obra ou;
45 X
RRT – Registro de Responsabilidade Técnica de execução
de obra e de projeto, contendo os dados do Responsável
Técnico, da empresa Produtora/Construtora e identificação
da Obra
Cartão do CNPJ, com o Código e Descrição da Atividade
46 Econômica (CNAE), principal ou secundária: 41.20 -4-00
Construção de Edifícios e situação cadastral Ativa

43.000 v106 SICAQ 115


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
Alvará de Construção emitido até 30 JUN 2017, para
47 dispensa da comprovação de ter sido produzido/construído
por Pessoa Jurídica do ramo da construção civil
Modelo
CAIXA
48 Síntese do Memorial Descritivo – 2 vias. entregue X
pela agência
ao CCA
49 Habite-se, caso sua data não conste na matrícula. X
Para o DF e regiões do Entorno/DF

50 Declaração de Capacidade de Atendimento das Ligações X


Individuais emitida pela SANEAGO, em modelo próprio da
concessionária.

Para o DF e regiões do Entorno/DF Modelo


CAIXA
51 Declaração do Construtor, modelo CAIXA, sobre a entregue X
execução/existência dos elementos construtivos exigidos pela agência
para essas regiões. ao CCA
Se imóvel, novo (concluído) ou em construção,
integrante de empreendimento produzido por PJ do
ramo da construção civil, no âmbito do Programa Apoio
à Produção ou PEC MPE/MGE:
Certidão negativa de ações reais, pessoais PJ
reipersecutórias e quaisquer outros ônus relativos à
52 unidade que está sendo financiada ou cópia da matrícula X
contendo a certificação formal do RI, ambas com validade
de 30 dias;
Certidão Negativa de Tributos incidentes sobre o imóvel – PJ
53 X
Prefeitura, emitida 01 vez no ano civil;
Quando se tratar de unidade nova com obra concluída, PJ
apresentação do “Habite-se” e Certidão Negativa de
Débitos do INSS no CEI da obra registrado na matrícula.
54 X
Excepcionalmente pode ser apresentado a cópia do
“Habite-se” e da Certidão Negativa de Débitos do INSS no
CEI da obra com o protocolo de intenção de registro no RI.
IMÓVEL USADO
Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula original ou
Não aceito
55 extraída por meio digital, datilográfico, reprográfico ou cópia X
cópia simples
autenticada em cartório.
Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e
Não aceito
56 Reipersecutórias – exigida caso não esteja contemplada na X
cópia simples
Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula.
Declaração/Certidão, em papel timbrado e com assinatura
sob carimbo do responsável, emitida pela
prefeitura/administração com o endereço completo e
Inscrição do imóvel, se endereço do imóvel
57 X
incompleto/desatualizado na Certidão Atualizada de Inteiro
Teor da Matrícula ou o IPTU do ano vigente, desde que
conste a inscrição cadastral/fiscal do imóvel averbada na
matrícula.
OBRA – Aquisição Terreno e Construção/ Construção
Terreno Próprio

43.000 v106 SICAQ 116


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
ART – Anotação de Responsabilidade Técnica de execução
58 de obra e de projeto ou RRT – Registro de X
Responsabilidade Técnica.
Modelo
CAIXA
Check List AE130 Aquisição e Construção, Construção em
59 entregue
Terreno Próprio, Reforma/Melhoria Residencial
pela agência
ao CCA
60 PFUI-Análise Modelo X
CAIXA
PFUI-Proponente – Após o preenchimento o proponente entregue
61 deve entregar os formulários impressos e assinados e pela agência X
também encaminhá-los via meio digital para a CAIXA. ao CCA
62 Entrega do Adesivo de Obra X
Entregar
antes da
liberação da
63 Projeto de arquitetura aprovado pela Prefeitura Municipal X
primeira
parcela de
obra
64 Matrícula CEI da Obra X
65 Alvará de construção ou licença da obra X
ALOCAÇÃO DE RECURSOS
Não aceito
66 Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula X
cópia simples
Certidão de Ônus Reais e Ações Pessoais e
Não aceito
67 Reipersecutórias – exigida caso não esteja contemplada na X
cópia simples
Certidão Atualizada de Inteiro Teor da Matrícula
Parecer contratação Alocação de Recursos CCA,
68 MO30158 X
preenchido pela SR/Agência de vinculação
Certidão Negativa de Tributos incidentes sobre o imóvel
69 X
expedida pela Prefeitura Municipal
Se imóvel novo: Documento Habite-se, caso a data do
70 X
Habite-se não conste na matrícula
RESPONSÁVEL TÉCNICO
Aquisição de Imóvel Novo, Terreno e Construção,
Construção em Terreno Próprio
Cópia do registro no CREA ou do Registro no Conselho de
Arquitetura e Urbanismo do Brasil – CAU/BR ou Certidão de
Registro e Quitação do CREA ou do CAU/BR, atualizada,
71 PF X
acompanhada de um documento oficial com foto – original e
cópia. (dispensada se sem alteração de estrutura da
construção).
Impressão da mensagem eletrônica enviada da agência com
72 PF X
o resultado da pesquisa CONRES.
INTERVENIENTE QUITANTE
Documento oficial de identificação dos representantes da
Instituição Financeira/Construtora que comparecerá no
73 contrato, cópia autenticada: PF X

Dispensado para Instituição Financeira Bancária.


Procuração outorgando poderes aos representantes legais
74 X
do Interveniente Quitante para assinatura do contrato.

43.000 v106 SICAQ 117


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

CHECK COMP.
SEQ MONTAGEM DO PROCESSO PF/PJ OBS
LIST DOSSIÊ
Solicitação Saldo Devedor Imóvel Financiado em outra
75 Instituição Financeira Bancária ou Instituição Financeira MO30447 X
Bancária/não Bancária ou Construtora.
Conforme
Autorização de Requisição de Saldo Devedor contrato
76 PF modelo X
CAIXA (cliente vendedor).
Anexo VIII
DEMAIS DOCUMENTOS
Autorização da agência/PA para contratação, no caso de
77 X
restrição do vendedor, recebida via email.
78 Parecer jurídico, se for o caso. X
Protocolo de Entrega de Propostas – Correspondente Caixa
79 MO39065 X
Aqui Negocial Conferência Posterior.
(*) identificado que o imóvel objeto da transação apresenta saldo devedor efetua os procedimentos descritos no
item 2.12.2

43.000 v106 SICAQ 118


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.7 ANEXO VII – SIGLAS, CONCEITOS E CONSIDERAÇÕES SOBRE A DOCUMENTAÇÃO


Sugerimos a leitura do conteúdo abaixo como forma de subsidiar o melhor entendimento de termos, siglas e
conceitos utilizados no processo de concessão do crédito imobiliário. Salientamos que os produtos disponíveis para
a concessão pelo modelo automatizado se encontram disponíveis no subitem 1.2.5 e 1.2.8.

4.7.1 SIGLAS E CONCEITOS


 ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas;
 Ação reipersecutória – consiste na reivindicação de um bem e/ou direito que não se encontra estabelecido em seu
próprio patrimônio;
 Agentes Públicos – titulares de cargos estruturais à organização política, ou seja, ocupantes do arcabouço
constitucional do Estado: Presidente da República, Governadores, Prefeitos e respectivos Vices, auxi liares
imediatos dos Chefes do Executivo, isto é, Ministros e Secretários das diversas Pastas, Senadores, Deputados
Federais, Deputados Estaduais e Vereadores. Como regra sua investidura se dá por meio de eleição, que lhes
confere o direito a um mandato;
 Alienação Fiduciária – É a garantia representada pela transferência da propriedade resolúvel e da posse indireta
de bem móvel ou imóvel para o credor fiduciário, independentemente da tradição efetiva do bem, tornando o
alienante ou devedor em possuidor direto e depositário, com todas as responsabilidades e encargos civis e
penais;
 AMC – Aquisição de Material de Construção;
 Áreas de Concentração de População (ACPs) – grandes manchas urbanas de ocupação contínua, caracterizadas
pelo tamanho e densidade da população, pelo grau de urbanização e pela coesão interna da área, dada pelos
deslocamentos da população para trabalho ou estudo;
 Beneficiário – pessoa física atendida por um programa;
 Bens particulares e comuns – Os bens particulares são pertencentes exclusivamente a um dos cônjuges, em
razão do seu título aquisitivo. No regime da comunhão parcial, são particulares os bens adquiridos antes e depois
do casamento, por herança ou doação, e os adquiridos com o produto da venda de outros bens particulares. Os
demais bens, adquiridos pelos cônjuges enquanto estiverem juntos, chamados de aquestos, constituem acervo
comum. São esses bens comuns que dão direito à meação, divisão em duas partes iguais na partilha, que
acontece após a dissolução do casamento. As mesmas regras valem para os companheiros, pois a união estável
atende ao regime da comunhão parcial de bens, salvo se houver contrato es crito dispondo de forma diversa;
 CADMUT – Cadastro Nacional de Devedores;
 Carteira de Identidade de Estrangeiro, emitida pelo Ser viço de Registro de Estrangeiros da Polícia Federal, ainda
que vencida, quando o estrangeiro for portador de visto permanente, já recadastrado anteriormente e que tenha
completado 60 anos até a data de vencimento da cédula, ou que seja deficiente físico ;
 CCA – Correspondente CAIXA AQUI – empresa contratada como Correspondente CAIXA AQUI para atender aos
clientes na recepção e encaminhamento de propostas de abertura de contas e de cartão de crédito, empréstimos,
financiamentos, produtos da CAIXA Seguradora (LAR ou LAR+) e credenciamento REDECARD e CIELO;
 CEHOP – Centralizadora Nacional Operações de Habitação;
 CESH – Custo Efetivo do Seguro Habitacional;
 Cessionário – pessoa a quem se transfere, por meio de cessão, um direito, contrato ou uma obrigação ;
 CET – Custo Efetivo Total da operação – instituído pela Resolução do Conselho Monetário Nacional nº 3.517, de
06.12.2007, é expresso na forma de taxa percentual anual com 2 casas decimais e informado ao cliente pessoa
física pelo AF, previamente à contratação do crédito. O cálculo considera os fluxos referentes às liberações e
pagamentos previstos, incluindo taxa de juros, tributos, tarifas e outras despesas cobradas do cliente, mesmo que
relativas a serviços de terceiros contratados pela instituição, financiávei s ou não. Não são considerados no
cálculo, se utilizados, taxas flutuantes, índices de preços ou referenciais de remuneração, cujo valor se altere no
decorrer do prazo contratado, sendo estes divulgados juntamente com a CET ;
 CICOB – Centralizadora Regional Conformidade em Operações Bancárias;
 CIWEB – SIACI em ambiente WEB;
 CLT – Consolidação das Leis do Trabalho;
 CND – Certidão Negativa de Débito do INSS;

43.000 v106 SICAQ 119


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 Condomínio – área existente na malha urbana com acesso por arruamento em área pública onde os lotes ou
unidades e seus acessos internos estão em área privada, estando sujeito ao regulamento de normas firmadas na
convenção do condomínio, aprovado por meio de legislação pública ;
 CONRES – Cadastro Informativo de Pessoas Físicas e Jurídicas com Relacionamento c om a CAIXA;
 Conta corrente – conta de operação 001, aberta em nome da pessoa física proponente ao financiamento, se for o
caso;
 Contracheque – documento que especifica o ordenado bruto de um empregado ou funcionário com as deduções
de impostos, contribuições previdenciárias, e acréscimos como comissões, gratificações, salário -família etc.,
servindo também como autorização para o recebimento de valor líquido ;
 CRF – Certificado de Regularidade do FGTS;
 CTPS – Carteira de Trabalho e Previdência Social;
 CV FGTS – Conta Vinculada do FGTS;
 DAMP – Demonstrativo de Utilização do FGTS para Aquisição de Moradia Própria ;
 Despesas Acessórias – custas cartorárias com registro do imóvel e ITBI ;
 DFI – Danos Físicos do Imóvel – seguro destinado à cobertura de riscos de natureza material. O valor assegurado
do DFI corresponde, na concessão do contrato, ao valor de avaliação do imóvel e, na evolução do contrato, ao
valor atualizado da garantia;
 DPS – Declaração Pessoal de Saúde;
 DEVEDOR – pessoa física tomadora do financiamento;
 DOMICÍLIO – local onde a pessoa estabelece sua residência com ânimo definitivo e responde por suas atividades
sociais e negócios jurídicos;
 Empregado CAIXA – nomenclatura utilizada para denominar as condições especiais estabelecidas para concessão
de financiamento de crédito imobiliário aos empregados ativos da CAIXA ;
 Empregados Públicos – pessoas vinculadas às entidades privadas da Administração Indireta, caso das empresas
públicas e sociedades de economia mista e fundações públicas de direito privado, regidos pela CLT e integram a
categoria profissional a que estiver vinculada a entidade, como por exemplo, bancários, economiários e
securitários;
 Empresa credenciada – empresa de engenharia e/ou arquitetura que presta serviços à CAIXA;
 Enfiteuse – direito real alienável e transmissível aos herdeiros e que confere a alguém o pleno gozo do imóvel
mediante a obrigação de não deteriorá-lo e de pagar um foro anual em numerário ou em frutos. Tem como
sinônimos: aforamento, emprazamento ou fateusim. Há duas formas de ocupação dos imóveis: regime de
aforamento (recebe o domínio útil) e regime de ocupação (recebe a posse).
 Enquadramento – Validação de todas as regras, legais e operacionais, que devem ser aplicadas a uma concessão
do crédito imobiliário. A proposta de financiamento imobiliário, desde a entrada do pedido até a contratação deve
ser analisada para verificar se os proponentes e o imóvel atendem as condições/exigências normatizadas.
Exemplos: Se o imóvel é novo; se o proponente pode tomar financiamento no PMCMV, se o proponente pode
utilizar os recursos da conta vinculada do FGTS, etc:
 ESPÓLIO – denomina-se espólio o patrimônio deixado por pessoa falecida, representado por um inventariante, o
qual mediante compromisso legal, procede ao inventário dos bens deixados;
 Estatuto da Igualdade de Direitos entre Portugueses e Brasileiros – regime de reciprocidade(igualdade) de direitos
e obrigações civis e gozo de direitos políticos cidadãos nacionais e portugueses, respaldado no Decreto
3927/2001, que promulgou o Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta entre Brasil e Portugal ;
 Família Unipessoal – Aquelas com apenas um proponente no financiamento e que não possui dependente;
 Fator Social – é o percentual aplicado ao valor do desconto complemento de acordo com a composição da família
- 100% para financiamento com mais de um participante ou dependente ou 60% para família unipessoal;
 Faixa Estendida – É definida pelo valor do imóvel ou renda familiar bruta mensal, sem concessão de
descontos/subsídios, desde que o(s) proponente(s) tenha(m) capacidade de pagamento;
 FGE – sistema de controle de empresas no âmbito do FGTS que controla os débitos das empresas possibilitando
à CAIXA subsidiar o MTE na fiscalização do FGTS, a cobrança administrativa, inscrição em dívida ati va pela
PGFN, a emissão de CRF, os parcelamentos e as execuções judiciais dos débitos não regularizados ;
 FGHab – Fundo Garantidor da Habitação Popular;
 FGTS – Fundo de Garantia do Tempo de Serviço;

43.000 v106 SICAQ 120


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 FMP – Fundo Mútuo de Privatização;
 GIHAB – Gerência Executiva de Habitação;
 Habitação de Interesse Social – Faixa 1,5 – PMCMV – destinado a pessoas físicas com renda familiar bruta
mensal, sem deduções, até R$ 2.600,00, para aquisição de imóvel integrante de empreendimentos produzidos por
Pessoas Jurídicas do ramo da construção civil, no âmbito do Programa Apoio à Produção de Habitações, com
descontos/subsídios concedidos pelo FGTS e União;
 Habitação Popular – Faixa 2 – PMCMV – destinado a pessoas físicas com renda familiar bruta mensal, sem
deduções, de R$ 465,00 até R$ 4.000,00, com descontos/subsídios concedidos pelo FGTS e União;
 Habitação Popular – Faixa 3 – PMCMV – destinado a pessoas físicas com renda com renda familiar bruta mensal,
sem deduções, de R$ 3.600,01 até R$ 7.000,00, sem desconto;
 Hipoteca – É o direito real de garantia que recai sobre um bem imóvel ou determinados bens móveis legalmente
considerados imóveis (ex: navios, aeronaves, quinhão, hereditário), que assegura ao credor o pagamento de uma
dívida. O bem hipotecado permanece com o devedor;
 IF – Instituições Financeiras autorizadas a funcionar com a área de crédito imobiliário pelo Banco Central,
configurando-se como integrantes do SFH, tendo como função básica captar recursos (caderneta de poupança e
outros) e aplicá-los, na maior parte dos casos, na atividade imobiliária, financiando a habitação seja através da
construção ou de imóveis prontos. São Agentes Financeiros : CAIXA, bancos comerciais ou de investimento,
sociedades de crédito imobiliário, Associações e Poupança e Empréstimos, Companhi a de Habitação (COHAB),
Cias Hipotecárias e outras entidades à critério do Banco Central ;
 Imóvel Multifamiliar – unidade habitacional em um mesmo lote com única matrícula e com entradas distintas e
medidores de água e energia elétrica separados;
 Imóvel Novo, se CCFGTS, Pró-Cotista – para enquadramento nestes programas é aquele que, na data da entrega
da documentação para pesquisa cadastral, encontra -se em uma das seguintes condições:
 com até 180 dias da expedição do “habite-se” ou documento equivalente, expedido por órgão público
municipal competente;
 tenha ultrapassado 180 dias da data de emissão do habite -se, mas não tenha sido habitado ou alienado,
excetuando-se os casos em que o proponente for o primeiro comprador do imóvel e comprove a sua
ocupação durante a negociação de venda ou quando tratar-se de imóvel recebido pelo vendedor do terreno
do empreendimento, inclusive Parcerias, mediante dação em pagamento;
 Imóvel Novo, se CCSBPE – para enquadramento nestes programas é aquele que, na data da entrega da
documentação para pesquisa cadastral, encontra -se em uma das seguintes condições:
 com até 180 dias da expedição do “habite-se” ou documento equivalente, expedido por órgão público
competente;
 tenha ultrapassado 180 dias da data de emissão do habite -se, mas não tenha sido habitado ou alienado,
excetuando-se os casos em que o proponente for o primeiro comprador do imóvel e comprove a sua
ocupação durante a negociação de venda ou quando tratar -se de imóvel recebido pelo vendedor do terreno
do empreendimento, inclusive Parcerias, mediante dação em pagamento;
 Imóvel Novo, se PMCMV – para enquadramento neste programa é aquele construído ou que se encontrava em
fase de construção, a partir de 26 MAR 2009, verificado no Laudo de Avaliação ou Relatório de valoração e que,
na data da entrega da documentação para pesquisa cadastral, encontra -se em uma das seguintes condições:
 com até 180 dias da expedição do “habite-se” ou documento equivalente, expedido por órgão público
municipal competente emitido a partir de 26.03.2009;
 tenha ultrapassado 180 dias da data de emissão do habite-se, mas não tenha sido habitado ou alienado,
excetuando-se os casos em que o proponente for o primeiro comprador do imóvel e comprove a sua
ocupação durante a negociação de venda ou quando tra tar-se de imóvel recebido pelo vendedor do terreno
do empreendimento, inclusive Parcerias, mediante dação em pagamento:
 No Laudo de Avaliação ou Relatório de Valoração consta campo informativo em que, para enquadramento, o
imóvel deverá aparentemente ter sido concluído após 26 MAR 2009;
 Incomunicabilidade – separação patrimonial de bens;
 INMETRO – Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia ;
 INTERVENIENTE ANUENTE – Pessoa que participa de determinado ato, concordando que se pratique
determinado ato jurídico, cuja validade dependa dessa formalidade. São exemplos : venda de imóvel entre pais e
filhos; imóvel onde a aquisição tenha ocorrido a um dos participantes antes do enlace conjugal atual ;
 INTERVENIENTE QUITANTE – Qualquer Instituição Financeira (bancária ou não bancária),
Construtora/Incorporadora ou Consórcio que possua direitos Reais sobre o Imóvel (hipotecas ou alienações);

43.000 v106 SICAQ 121


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 Investimento – equivalente ao somatório de todos os custos diretos e indiretos, inclusive os financeiros,
necessários à execução das obras e serviços objeto do financiamento;
 Informativo GEMPF 2012/0009 – Passo a Passo da Concessão – Correspondente;
 Informe GEMPF 2014/0002 – Melhorias Avaliação Imóvel;
 Informe GEMPF 2014/0005 – Tutorial de Digitalização de Documentos pelos CCA e Transmissão Via Sistema
CAIXA AQUI (SICAQ–SISDU);
 Informe GEMCF 2016/0001 – relação dos municípios com as regiões metropolitanas;
 Informe GEMPF 2014/0017 – cronograma de migração das atividades de conformidade;
 Informe GEMPF 2014/0030 – Formulário - Condições Mínimas do Imóvel;
 Informe GEMPF 2014/0042 – Tutorial de Cadastramento de Endereços SIOPI;
 Informe GEMPF 2014/0046 – Tutorial CCA - Garantias - Digitalização e Envio via CAIXA Aqui;
 IPTU – Imposto Predial e Territorial Urbano;
 IR – Imposto de Renda;
 Laudêmio – É a importância devida ao senhorio, pelo foreiro ou enfiteuta, cada vez que houver a transferência do
domínio útil de imóvel aforado por venda, dação em pagamento e consolidação da propriedade em nome do
credor/fiduciário
 Lote Urbanizado – lote dotado de infra-estrutura, ou seja, com vias de acesso, soluções para abastecimento de
água, energia elétrica e esgoto pluvial e sanitário;
 Matrícula CEI da obra – Cadastro Específico do INSS, efetuada junto à Receita Federal do Brasil, conform e
informações contidas no endereço: http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/tributaria/cadastros/cadastro -
especifico-do-inss-cei;
 MIP – Morte e Invalidez Permanente – seguro para cobertura de riscos de natureza pessoal. O valor assegurado
do MIP corresponde, na concessão do contrato, ao valor do financiamento e, na evolução do contrato, ao valor do
saldo devedor;
 MO29005 – Declaração do Empregador;
 MO29199 – Declaração de Desistência do Uso do FGTS na Aquisição de Imóvel Residencial ou
Amortização/Liquidação de SD;
 MO29300 – Autorização e Declaração para Movimentação e Utilização dos Recursos da Conta Vinculada do FGTS
(Aquisição/Construção de Imóvel Residencial – com ou sem financiamento) e/ou para Enquadramento nos
Programas CCFGTS, PMCMV, PRÓ-COTISTA, ou AMC;
 MO30158 – Parecer Contratação Alocação de Recursos – CCAMO30420 – Declaração de Qualificação ou
Certificação do Material de Construção;
 MO30447 – Solicitação Saldo Devedor Imóvel Financiado em Instituição Financeira Bancária, Não Bancária ou
Construtora;
 MO33005 – Ficha Cadastro Pessoa Física;
 MO33377 – Guia de Solicitação de Pesquisa Cadastral;
 MO39065 – Protocolo de Entrega de Propostas – Correspondente CAIXA AQUI Negocial – Conferência Posterior;
 MO43030 – Cartilha Prevenção à Lavagem de Dinheiro ;
 MO43047 – Apresentação de Propostas de Negócios e Ateste de Verificação Documental;
 Nu-Proprietário – proprietário que cede a terceiros os direitos de usar e fruir de um imóvel seu, a título de usufruto
vitalício ou temporário;
 OCP – Organismo de Certificação de Produto;
 PAR – Programa de Arrendamento Residencial;
 Participação Final nos Aquestos – Regime de casamento em cada cônjuge possui patrimônio próp rio e lhe cabe, à
época da dissolução da sociedade conjugal, direito à metade dos bens adquiridos pelo casal, a título oneroso, na
constância do casamento. Integram o patrimônio próprio os bens que cada cônjuge possuía ao casar e os por ele
adquiridos, a qualquer título, na constância do casamento; por isso, um cônjuge não poderá comprar ou vender
um imóvel sem a autorização do outro;
 PEC – Plano Empresa da Construção Civil;
 PBQPH – Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat ;

43.000 v106 SICAQ 122


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 Pessoas Físicas – definidas como famílias com renda familiar bruta mensal limitada a R$ 9.000,00 (CCFGTS e
PMCMV);
 PF – Pessoa Física;
 PFUI – Proposta de Financiamento de Unidade Isolada;
 PJ – Pessoa Jurídica;
 PGFN – Procuradoria Geral da Fazenda Nacional;
 Portal de empreendimentos – Ferramenta Web que permite um amplo controle no cadastramento de
empreendimentos, inclusive Parcerias, habitacionais e o acesso ao SIPAH e CIWEB;
 PPB – Processo Produtivo Básico definido pela Lei n.º 8.387, de 30 de dezembro de 1991, como s endo "o
conjunto mínimo de operações, no estabelecimento fabril, que caracteriza a efetiva industrialização de
determinado produto";
 Prestação mensal – Composta pelo somatório das parcelas de amortização e juros : A+J;
 PROCEL – Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica;
 PMCMV – Programa Minha Casa Minha Vida;
 Pro Rata Die – Critério matemático utilizado para tornar um valor mensal em valor diário, dividindo o valor mensal
pela quantidade de dias do mês e multiplicando o resultado pelo número de d ias que se quer alcançar, contados
da data do vencimento, inclusive, até a data do pagamento, exclusive ;
 Promitente Comprador – participante de uma promessa de compra e venda;
 Proponente – pessoa que pleiteia a concessão de um crédito;
 Público Alvo – famílias com renda familiar mensal limitada a R$ 9.000,00, cujo limite de enquadramento do imóvel
é determinado pelo valor de venda e compra ou investimento e recorte territorial;
 Quota – percentual definido como limite para a concessão de financiamento de acor do com o Programa/
modalidade;
 RCPM – Responsabilidade Civil, Profissional e Material
 Regime Enfitêutico – ver enfiteuse;
 Regiões Metropolitanas ou Equivalentes – Região constituída por municípios que, mesmo sem vinculação
administrativa comum, pertencem a uma só e ampla comunidade socioeconômica. Para efeito de enquadramento,
as Regiões Metropolitanas (incluindo colar metropolitano) existentes no País devem ser verificadas em Circular
CAIXA específica e vigente à época, publicada no site www.caixa.gov.br;
 Relatório de Valoração – Elaborado pelo profissional da Caixa é um modelo simplificado que o
Engenheiro/Arquiteto CAIXA deve preencher para a valoração do imóvel, após a conclusão da vistoria pelo
engenheiro credenciado.
 Relatório de Vistoria – peça técnica de conteúdo equivalente ao laudo de avaliação à exceção dos tópicos afetos
à valoração do imóvel.
 Renda Familiar Bruta – renda mensal auferida pelos proponentes e respectivos cônjuges/companheiros, pelos
dependentes e pelos demais participantes da composição de renda na operação independentemente de grau de
parentesco;
 RI – Registro de Imóveis;
 RIDE – Região integrada do DF e entorno;
 SAC – Sistema de Amortização Constante – sistema de amortização de uma dívida em prestações periódicas,
sucessivas e decrescentes em progressão aritmética, em que o valor da prestação é composto por uma parcela
de juros uniformemente decrescente e outra parcela de amortização que permanece constante, a não ser que haja
reajuste do saldo devedor;
 SAM – Sistema de Amortização Misto – sistema de amortização onde as prestações são as médias aritméticas
das prestações do sistema de amortização constante (SAC) com o sistema francês (SFA/TP). Os juros é a
multiplicação do saldo devedor com a taxa de juros e a amortização é a subtração das prestações com os juros ;
 SANEAGO – Saneamento de Goiás S.A. – empresa de exploração dos serviços de água e esgotos sanitários ;
 SBAC – Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade;
 SBPE – Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo;
 Segmento Corporativo – segmento que agrupa clientes Pessoas Jurídicas Privadas com faturamento fiscal anual
acima de R$300.000.000,00;

43.000 v106 SICAQ 123


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 Servidão – direito que um proprietário tem sobre outro imóvel ;
 Servidores Públicos – agentes que, exercendo com caráter de permanência uma função pública em decorrência
de relação de trabalho, integram o quadro funcional das Unidades da Federação – (União, Estados, Distrito
Federal e Municípios), das autarquias e das fundações públicas. Por mandamento constitucional os servidores
públicos têm acesso às suas funções por meio de concurso público e têm, via de regra, por regime jurídico uma lei
específica denominada Estatuto. São titulares de cargo público, mantêm relação estatutária e integram o qu adro
da Administração direta, autárquica ou de fundação pública ;
 SFA – Sistema Frances de Amortização ou TP (Tabela Price) – sistema de amortização onde as prestações pagas
são sempre iguais, a amortização aumenta a cada período e o s juros diminuem a cada período;
 SFH – Sistema Financeiro da Habitação, cujas operações têm taxa de juros na faixa tabelada, ou seja, taxa
efetiva máxima de 12% a.a., conforme determinação do Conselho Monetário Nacional ;
 SFI – Sistema Financeiro Imobiliário;
 SGE – Superintendência Grandes Empresas - Construção Civil;
 SIACI – Sistema Integrado de Administração de Carteiras Imobiliárias ;
 SIBAN – Sistema Bancário;
 SICAQWEB ou SICAQ – Sistema CAIXA AQUI interface Web;
 SICDM – Sistema do Cadastro Nacional de Mutuários, antigo CADMUT ;
 SICLI – Sistema Cliente CAIXA;
 SIGDU – Sistema de Desenvolvimento Urbano (Sistema de Engenharia);
 SIMAC – Sistema de Qualificação de Materiais, Componentes e Sistemas Construtivos ;
 SIMIL – Sistema de Informações do Mercado Mobiliário.
 SIOPI – Sistema de Operações Imobiliárias;
 SIPAH – Sistema Padrão de Atendimento à Habitação;
 SIRIC – Sistema de Risco de Crédito;
 SPU – Secretaria de Patrimônio da União;
 SRF – Secretaria da Receita Federal;
 TA – Tarifa de Administração;
 TAO – Tarifa de Acompanhamento de obra;
 Taxa de Juros Balcão – taxa de juros definida para o contrato sem redutor e que deve ser utilizada na avaliação
de risco de crédito (nominal);
 Taxa de Juros Setor Público – taxa de juros com redutor em operações firmadas com agentes públicos e/ou
servidores públicos e/ou empregados públicos vinculados a órgãos/entidades do setor público ;
 Taxa Porta de Negócios Residencial CCSBPE, CCFGTS e Pró -Cotista – concedida para as operações de imóvel
residencial ao proponente que adquirir o pacote de produtos : abertura de conta corrente, contratação de cheque
especial, e de no mínimo, 02 cartões de crédito, sendo um deles necessariamente na bandeira ELO , autorização
para débito do encargo mensal em conta corrente ou folha de pagamento, se CCSBPE ou Pró -cotista e, ainda a
conta-salário, se CCFGTS;
 Taxa Porta de Negócios Plus Residencial CCSBPE e Pró-Cotista – taxa vigente para os proponentes que além de
atenderem as condições estabelecidas para a Taxa Porta de Negócios possuam conta salário na CAIXA ;
 Taxa Porta de Negócios Comercial CCSPBE – taxa concedida para as operações de imóvel residencial ao
proponente que adquirir o pacote de produtos: abertura de conta corrente, contratação de cheque especial,
contratação de, no mínimo, 02 cartões de crédito, sendo um deles n ecessariamente na bandeira ELO e
autorização para débito do encargo mensal em conta corrente ou folha de pagamento ;
 Taxa Porta de Negócios Plus Comercial CCSBPE – taxa vigente para os proponentes que além de atenderem as
condições estabelecidas para a Taxa Porta de Negócios Comercial possuam conta salário na CAIXA, podendo,
alternativamente, ser efetuada a substituição da conta salário por aplicação financeira ;
 Taxa de Mercado – taxa praticada pela CAIXA sem tabelamento- operações no SFI;
 Titular de Direito de Aquisição de Imóvel – arrendatário com direito de aquisição de compra do imóvel ao final do
programa de arrendamento;
 TCCMO – Tarifa de Cobertura de Custos para Acompanhamento Mensal da Operação ;

43.000 v106 SICAQ 124


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 Usufruto – exercício de dois dos direitos inerentes à propriedade, os direitos de usar e fruir, sem ser o
proprietário;
 Usufrutuário – pessoa que tem direito de usar e fruir o imóvel de propriedade de terceiros ;
 VA – Valor de Avaliação;
 Valor de Compra e Venda – valor de venda do imóvel estabelecido pelo vendedor;
 Valor Venal na Aquisição de Imóvel Novo – maior dos valores entre a avaliação efetuada pela CAIXA e a venda e
compra do imóvel;
 Valor Venal na Aquisição de Terreno e Construção – maior dos valores entre o valor do orçamento proposto objeto
do pedido de financiamento, acrescido do maior dos valores entre o proposto e o avaliado pela CAIXA para o
terreno, e o valor de avaliação do imóvel pela CAIXA, considerado como pronto ;
 Valor Venal na Construção – maior dos valores entre o valor do orçamento proposto objeto do pedido de
financiamento, acrescido do valor avaliado pela CAIXA para o terreno, e o valor de avaliação do imóvel pela
CAIXA, considerado como pronto;
 Valoração – Definição do Valor da avaliação;
 Vendedor vinculado às grandes empresas da Construção Civil – para a verificação desta vinculação o CCA deverá
se reportar à SGE quando da necessidade de confirmação de vendedor PJ vinculado às Grandes Empresas da
Construção Civil;
 VF – Valor de Financiamento;
 Via de Acesso Pavimentada – tratamento permanente da superfície para regularização do piso e conservação da
base, feito com asfalto, concreto, paralelepípedo, peças intertravadas de concreto, e/ou outros elementos que
configurem uma solução adequada para tráfego e sejam as práticas adotadas pelo muni cípio em suas vias
públicas;
 Visto Permanente no Brasil – documento que identifica e caracteriza a satisfação das exigências previstas nas
normas de seleção de imigrantes estabelecidas pelo Conselho Nacional de Imigração e pelo Ministério da Justiça
(Lei n° 6.815, de 19 de agosto de 1980). O visto permanente poderá ser concedido ao estrangeiro que pretenda
se fixar definitivamente no Brasil;
 Visto Temporário no Brasil – documento que identifica e caracteriza a satisfação das exigências previstas nas
normas de seleção de imigrantes estabelecidas pelo Conselho Nacional de Imigração e pelo Ministério da Justiça
(Lei n° 6.815, de 19 de agosto de 1980). O visto temporário poderá ser concedido ao estrangeiro que pretenda vir
ao Brasil conforme condições previstas na lei;
 VV – Valor Venal;
 WEB – tecnologia de representação por meio dos recursos disponibilizados pela www ;
 WWW (world wide web) – conjunto de recursos para acesso via rede.

4.7.2 CONSIDERAÇÕES SOBRE A DOCUMENTAÇÃO

4.7.2.1 ALVARÁ JUDICIAL


4.7.2.1.1 Autorização judicial para a prática de ato jurídico.

4.7.2.2 CADASTRO DE PESSOA FÍSICA – CPF


4.7.2.2.1 Documento que identifica o contribuinte perante SRF e armazena as informações cadastrais fornecidas
pelo próprio contribuinte e pelos outros sistemas de dados da SRF.
4.7.2.2.2 O cartão CPF poderá ser substituído, enquanto prova de inscrição no cadastro, por um dos seguintes
documentos em que conste o número de inscrição:
 carteira de identidade;
 carteira nacional de habilitação;
 comprovante de Inscrição no CPF (obtido através do site https://www.receita.fazenda.gov.br);
 cartão de crédito ou cartão magnético de movimentação de conta -corrente bancária;
 talonários de cheques bancários;
 qualquer documento de acesso a serviços de saúde pública, de assistência social ou previdenciário.

43.000 v106 SICAQ 125


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.7.2.3 CADASTRO NACIONAL DA PESSOA JURÍDICA – CNPJ
4.7.2.3.1 Documento que registra as informações cadastrais das pessoas jurídicas e de algumas entidades não
caracterizadas como tais, administrado pela Receita Federal.

4.7.2.4 VALIDADE DAS CERTIDÕES


4.7.2.4.1 É observado o prazo de validade de cada certidão.
4.7.2.4.2 Para a certidão que não especificar a data de validade é considerado o período de 60 dias, contados da
data de sua expedição.

4.7.2.5 AUTENTICAÇÃO E VALIDAÇÃO DAS CERTIDÕES E DOCUMENTOS


4.7.2.5.1 As certidões devem ser exigidas em original.
4.7.2.5.2 Os documentos para validação/ateste de conferência com original pelo CCA apresentados pelo cliente
devem ser os originais, podendo, excepcionalmente, ser aceitas cópias autenticadas em cartório, neste caso estas
passam a fazer parte do dossiê.

4.7.2.6 CERTIDÃO ATUALIZADA DE INTEIRO TEOR DA MATRÍCULA


4.7.2.6.1 A certidão atualizada de inteiro teor da matrícula, contendo registro atual, ações reais e pessoais
reipersecutórias e quaisquer outros ônus incidentes sobre o imóvel tem validade de 30 dias contados da expedição :
 a certidão deve estar válida no recebimento do dossiê na CICOB/CEHOP;
 a certidão também deve estar válida na assinatura do contrato, devendo ser verificado a data da assinatura e, se
for o caso, solicitar revalidação para a celebração do contrato.
4.7.2.6.2 Deve ser apresentada a Certidão original ou a extraída por meio datilográfico, reprográfico ou extraída por
meio digital, desde que haja carimbo ou rubrica dos registrados em todas as folhas da Certidão, contendo :
 registro atual;
 ações reais e pessoais reipersecutórias;
 quaisquer outros ônus incidentes sobre o imóvel.
4.7.2.6.3 Caso não seja identificada na matrícula do imóvel no RI ou no carnê de IPTU, a destinação residencial ou
comercial do imóvel.
4.7.2.6.3.1 Para comprovação da destinação do imóvel, em caso de omissão na Certidão da Matrícula,
excepcionalmente poderá ser utilizada a informação constante no IPTU/Inscrição Imobiliária ou Certidão fornecida
pelo município ou Distrito Federal, se houver, ou Convenção de Condomínio, nesta ordem.
4.7.2.6.3.1.1 Na divergência de informações de destinação do imóvel entre a Matrícula e o IPTU, prevalece a
informação constante na Matrícula.

4.7.2.7 CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITO DO INSS – CND


4.7.2.7.1 A partir do dia 03 de novembro de 2014, as certidões que fazem prova da regularidade fiscal de todos os
tributos federais, inclusive contribuições previdenciárias, tanto no âmbito da Receita Federal quanto no âmbito da
Procuradoria da Fazenda Nacional, foram unificadas em um único documento.
4.7.2.7.2 Anteriormente o contribuinte que precisava provar sua regularidade com o fisco tinha que apresentar duas
certidões sendo uma relativa às contribuições previdenciárias (conhecida como certidão do INSS ou Certidão
Previdenciária), e outra relativa aos demais tributos.
4.7.2.7.3 Para consulta quanto a existência de débitos junto ao INSS deve ser acessado o endereço
http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/ATSPO/Certidao/ .
4.7.2.7.4 O contribuinte que precisar comprovar a regularidade para com a Fazenda Nacional deve apresentar uma
única certidão emitida a partir de 03/11 observando o que segue :
 se possuir uma certidão previdenciária e uma outra dos demais tributos, emitidas antes da referida data , mas
dentro do prazo de validade, poderá apresentá-las, pois continuarão válidas dentro do período de vigência nelas
indicados porém, se apenas uma delas estiver válida, é necessário a emissão da nova Certidão unificada.

4.7.2.8 CERTIDÃO SIMPLIFICADA DA JUNTA COMERCIAL


4.7.2.8.1 A Certidão Simplificada – Ficha Cadastral da Junta Comercial assegura que o estatuto ou contrato social,
atas de assembleias e alterações contratuais juntadas ao dossiê refletem a real e atual situação jurídica da
43.000 v106 SICAQ 126
Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
empresa, notadamente quanto à identificação, capital e objetivo social, composição societária, representação legal
e outras ocorrências societárias, tais como fusões, cisões, dissoluções parciais forçadas, liquidação, entre outras,
eventualmente ocorridas e não reportadas e que podem constituir -se em riscos à operação e à garantia
4.7.2.8.2 A Certidão Simplificada pode ser substituída pela "Ficha de Breve Relato – FBR" também emitida pela
Junta Comercial, uma vez que relaciona por ordem pelo menos os cinco últimos documentos apresentados pela
empresa para arquivamento ou registro.
4.7.2.8.3 Caso não constar a Consolidação Contratual do Contrato Social na certidão simplificada/ficha de breve
relato da junta comercial apresentada, deve ser apresentada a última Consolidação Contratual acompanhada de
todas as alterações posteriores.

4.7.2.9 CERTIDÃO DE QUITAÇÃO DO CREA OU CAU


4.7.2.9.1 Certidão que possibilita a comprovação do Registro no CREA ou no CAU/BR do responsável técnico pela
obra.
4.7.2.9.2 A certidão é emitida anualmente, com data de quitação até o dia 30/01 (CREA) e 31/01 (CAU), sendo que
até estas datas poderá ser aceita a certidão referente ao ano anterior e, para propost as com documentação
entregue em datas posteriores, deverá ser apresentada a certidão emitida no ano corrente.
4.7.2.9.3 A validade desta certidão é observada no recebimento da documentação pela área responsável pela
verificação da conformidade e a necessidade de rev alidação será verificada novamente no momento da
contratação.

4.7.2.10 COMPROVANTE LOCAL DE RESIDÊNCIA OU OCUPAÇÃO PRINCIPAL


4.7.2.10.1 A comprovação é efetuada por meio da apresentação de um dos documentos :
 recibo de condomínio, aluguel ou escola;
 contrato de locação registrado;
 contas de água, luz, telefone ou gás;
 extrato de conta bancária ou declaração de instituição bancária ;
 fatura de cartão de crédito;
 contracheque ou comprovante de rendimentos mensal;
 declaração do empregador com endereço e telefone da empresa.

4.7.2.11 COMPROVAÇÃO DE NÃO TITULARIDADE DE FINANCIAMENTO E/OU PROPRIEDADE DE IMÓVEL


PARA FINS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DA CONTA VINCULADA DO FGTS
4.7.2.11.1 A comprovação de não titularidade de imóvel impeditivo à concessão do financiamento é efetuada
mediante apresentação do Registro Imobiliário da alienação na matrícula do imóvel impeditivo.
4.7.2.11.2 A apresentação de escritura pública de compra e venda sem o devido registro na matrícula do imóvel,
somente será aceita no caso de comprovação de impedimento legal para realização do regi stro da alienação do
imóvel.
4.7.2.11.2.1 Inexistindo escritura pública registrada na matrícula referente a alienação do imóvel impeditivo, a
alienação será comprovada com a apresentação de instrumento particular de cessão de direitos ou de promessa de
compra e venda que contenha autenticação cartorária ou reconhecimento de firmas, anterior à data de aquisição do
imóvel objeto da utilização dos recursos do FGTS.

4.7.2.12 CONTRIBUIÇÕES DEVIDAS AO INSS


4.7.2.12.1 A Instrução Normativa RFB nº 971, de 13/11/2009 dispõe sobre Dispõe sobre norma s gerais de
tributação previdenciária e de arrecadação das contribuições sociais destinadas à Previdência Social e as
destinadas a outras entidades ou fundos, administradas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB), além
das normas e procedimentos aplicáveis à atividade de construção civil, disponível no endereço:
http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/consulta.action .
4.7.2.12.2 A matrícula CEI da obra é dispensada na construção sem mão-de-obra remunerada e desde que o
proprietário do imóvel ou dono da obra seja pessoa física, não possua outro imóvel e a construção seja:
 residencial e unifamiliar;
 com área total não superior a 70m2 (setenta metros quadrados);

43.000 v106 SICAQ 127


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 destinada a uso próprio;
 do tipo econômico ou popular; e
 executada sem mão-de-obra remunerada.
4.7.2.12.2.1 O enquadramento na referida dispensa é feita mediante preenchimento do MO30103, que deve ser
arquivado no dossiê da operação.
4.7.2.12.2.2 Para os demais casos, é obrigatória a apresentação da matrícula CEI da obra, efetuada junto à Receita
Federal do Brasil, conforme informações disponíveis no endereço:
http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/tributaria/cadastros/cadastro -especifico-do-inss-cei.

4.7.2.13 CONTRIBUIÇÕES DEVIDAS AO FGTS


4.7.2.13.1 A exigibilidade de apresentação dos recolhimentos junto ao FGTS dos trabalhadores vinculados à
obra/empreendimento, inclusive Parcerias, segue aquelas definidas para o INSS, ou seja, havendo obrigatoriedade
de comprovação dos recolhimentos do INSS é necessária também a comprovação dos recolhimentos para o FGTS.

4.7.2.14 FORO E LAUDÊMIO


4.7.2.14.1 Estão sujeitos ao pagamento de foro e laudêmio os imóveis sob regime enfitêutico, ou seja, aqueles
imóveis cujo domínio real pertence à União, Estados, Municípios e Confrarias.
4.7.2.14.2 O foro é a contribuição anual que o detentor do domínio útil paga ao proprietário do imóvel e o Laudêmio
é a taxa paga pelo detentor do domínio útil ao proprietário, por ocasião da alienação do imóvel.

4.7.2.15 AQUISIÇÃO DE FRAÇÃO IDEAL


4.7.2.15.1 É a aquisição de fração remanescente pelo proponente que figurar como proprietário na mesma escritura
aquisitiva de imóvel quitado.
4.7.2.15.1.1 o CCA deverá fazer citação no campo “descrição do imóvel” no SIOPI quanto a parcela já pertencente
ao proponente – sugestão de texto: ” "Trata-se de aquisição de parte ideal (__%) do imóvel, pois o comprador já
possui ___%, e passa a deter a totalidade do imóvel, sendo neste ato alienado fiduciariamente na totalidade para
garantia da dívida ora assumida.".

4.7.2.16 PROPRIEDADE DE FRAÇÃO IDEAL


4.7.2.16.1 É permitida a concessão de financiamento ao proponente proprietário de fração ideal igual ou inferior a
40% de imóvel residencial, financiado ou não, considerando -se a participação num único imóvel, isoladamente,
inclusive no caso de casal, desde que o financiamento anterior NÃO esteja ativo no SFH.
4.7.2.16.2 A propriedade de fração ideal, no caso de imóvel financiado, pode ser distinta do percentual de
responsabilidade representada pela pactuação de renda, conforme consignado no contrato ou na declaração d o IR
e, se não constar definição, é considerado o percentual de propriedade proporcional ao número de co -proprietários.
4.7.2.16.3 Nos casos de co-propriedade entre um casal casado sob o regime de comunhão parcial de bens ou
comunhão universal e outro indivíduo é considerado o percentual de 50% da propriedade do imóvel para o casal e
50% para o outro indivíduo.

4.7.2.17 SITUAÇÕES EXCEPCIONAIS QUANTO À TITULARIDADE DE IMÓVEL (A CONTRATAÇÃO OCORRE


SOMENTE NAS AGÊNCIAS)

4.7.2.17.1 PROPONENTE SEPARADO JUDICIALMENTE E PROPRIETÁRIO DE IMÓVEL (PARA OS


PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA)
 a concessão de financiamento ao cônjuge separado, proprietário de imóvel, desde que:
 na qualidade de titular de imóvel residencial perca o direito de residir no imóvel ;
 não seja detentor de financiamento nas condições do SFH em qualquer parte do País, exceto se for referente
ao imóvel objeto da partilha e lhe couber a obrigação de pagamento do encargo mensal sem direito de
residência, se CCFGTS, PMCMV e PRÓCOTISTA;
 não seja proprietário ou promitente comprador de imóvel residencial, urbano, no atual local de domicílio nem
onde pretenda fixá-lo, se CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA;
 comprove renda suficiente para arcar com as prestações de ambos os financiamentos, caso seja responsável
pelo pagamento dos encargos do primeiro financiamento.

43.000 v106 SICAQ 128


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 a perda do direito de residir no imóvel deve estar consignada no formal de partilha devidamente registrada no RI
competente.

4.7.2.17.2 USUFRUTUÁRIO (PARA OS PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA/SPBE)


 a concessão de financiamento ao proponente detentor de usufruto de imóvel residencial, desde que renuncie
expressamente a essa condição, registrada no RI, em data anterior à assinatura do contrato de financiamento.

4.7.2.17.3 NU-PROPRIETÁRIOS (PARA OS PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA/SPBE)


 a concessão de financiamento ao proponente detentor de imóvel residencial recebido por doação ou herança e
gravado com cláusula de usufruto vitalício.

4.7.2.17.4 COMPROVAÇÃO DA PERDA DO DIREITO DE RESIDÊNCIA POR SINISTRO NO IMÓVEL (PARA OS


PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA/SPBE)
 a concessão de financiamento para aquisição de nova moradia ao proponente que perder o direito de residir em
seu próprio imóvel, financiado ou não, em decorrência de sinistro desde que comprovada a ocorrência de sinistro
e atestada a definitiva inabitabilidade do imóvel sinistrado, mediante apresentação dos documentos exigidos no
Anexo V.

4.7.2.17.5 PROPONENTE INCAPAZ (PARA OS PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA/SBPE)


 pode ser concedido financiamento à pessoa incapaz para os atos da vida civil, sob curatela, sendo considerada
somente a renda do incapaz e vedada a aceitação da renda familiar do seu curador;
 utilização da renda familiar do proponente incapaz mediante apresentação de autorização judicial por meio de
alvará que contemple as condições para o incapaz contrair o financiamento.

4.7.2.17.6 PROPONENTE DETENTOR DE QUOTA DE CONSÓRCIO IMOBILIÁRIO (PARA OS PROGRAMAS


CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA)
 a concessão de financiamento ao proponente detentor de quota de Consórcio Imobiliário, contemplada ou não .

4.7.2.17.7 DOADOR DE IMÓVEL (PARA OS PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA)


 a concessão de financiamento aos proponentes que tenham doado o imóvel impeditivo para filho maior de idade ;
 a doação de imóvel para filho menor não descaracteriza a propriedade do imóvel, u ma vez que o pai e a mãe, no
exercício do poder familiar, são usufrutuários dos bens dos filhos menores.

4.7.2.17.8 TITULAR DE IMÓVEL FINANCIADO NA CAIXA – SFH – CCFGTS (PARA O PROGRAMA CCFGTS)
 a concessão de outro financiamento CCFGTS nas modalidades construção, con clusão e/ou Ampliação/Melhoria,
exclusivamente para recuperação do imóvel financiado na CAIXA, no âmbito do SFH, com garantia hipotecária e
que tenha sido objeto de negativa de cobertura securitária decorrente de sinistro por danos físicos, condicionado
ao atendimento das condições abaixo:
 aplicação dos recursos exclusivamente no imóvel já financiado ;
 comprovação de capacidade de pagamento suficiente pelo proponente para comportar a soma do total dos
encargos, respeitado o comprometimento máximo da renda fa miliar bruta estabelecido para o programa.
 nesta hipótese é constituída nova garantia em segunda hipoteca, desde que atendidos os requisitos :
 o valor de avaliação do imóvel considerado pronto seja suficiente para garantir ambas as operações ;
 o prazo máximo de financiamento seja de 204(duzentos e quatro) meses.

4.7.2.17.9 ALIENAÇÃO DE IMÓVEL IMPEDITIVO À UTILIZAÇÃO DO FGTS PARA NOVA AQUISIÇÃO (PARA
OS PROGRAMAS CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA/SBPE)
 a utilização do FGTS para nova aquisição por proponente proprietário, promite nte comprador, possuidor,
cessionário, promitente cessionário de imóvel enquadrado em uma das condições impeditivas, condicionada à
alienação do imóvel impeditivo à utilização pretendida;
 nesse caso, a liberação dos recursos do FGTS ao vendedor está condic ionada, também, à apresentação do
Registro Imobiliário da alienação na matrícula do imóvel impeditivo:

43.000 v106 SICAQ 129


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 a apresentação da escritura pública de compra e venda sem o devido registro na matrícula do imóvel, somente
será aceita no caso de comprovação de impedimento legal para realização do registro da alienação do imóvel;
 inexistindo escritura pública registrada na matrícula para transação da aquisição pelo proponente do imóvel
impeditivo, a alienação será comprovada com a apresentação de instrumento particular de cessão de direitos ou
de promessa de compra e venda que contenha autenticação cartorária ou reconhecimento de firmas, anterior a
data da aquisição do imóvel objeto da utilização dos recursos do FGTS ;
 a doação de imóvel a filho menor não comprova a alienação de imóvel impeditivo à utilização do FGTS, pois, em
conformidade com o Artigo 1.689 do CCB, o pai e a mãe, enquanto no exercício do poder familiar, são
usufrutuários dos bens dos filhos menores;
 o trabalhador não poderá utilizar o FGTS na aquisição de imóvel do qual já tenha sido proprietário, exceto se
justificar por meio de declaração específica que não se trata de simulação de retrovenda ;
 em contrato de Cooperativa/Companhia Habitacional, em que não há escritura pública da transação, pode ser
utilizada, para comprovar a não propriedade de imóvel, a documentação fornecida pela Cooperativa/Companhia
Habitacional que demonstre que o proponente perdeu a condição de proprietário de imóvel .

4.7.2.17.10 PROPRIEDADE DE IMÓVEL EM CONSTRUÇÃO PARALISADA (PARA OS PROGRAMAS


CCFGTS/PMCMV/PRO-COTISTA/SBPE)
 para obras comprovadamente paralisadas, sem previsão de retorno e com atraso superior a 365 dias, poderá o
trabalhador adquirir novo imóvel com uso do FGTS.

4.7.2.18 HABITE-SE
4.7.2.18.1 Documento expedido pela Prefeitura local ou órgão competen te para atestar a condição de habitabilidade
do imóvel.
4.7.2.18.2 É apresentado para enquadramento das operações de aquisição de imóvel novo ou para a obtenção da
Certidão de Averbação da Construção exigida para liberação da última parcela de financiamento.

4.7.2.19 FORMAL DE PARTILHA


4.7.2.19.1 Título de aquisição, devidamente aprovado e julgado pelo juiz, destinado aos herdeiros enumerando os
bens que houver na herança dando direito de propriedade sobre o uso desses bens.

4.7.2.20 MO29300 – AUTORIZAÇÃO E DECLARAÇÃO PARA MOVIMENTAÇÃO E UTILIZAÇÃO DOS


RECURSOS DA CONTA VINCULADA DO FGTS (AQUISIÇÃO/CONSTRUÇÃO DE IMÓVEL
RESIDENCIAL – COM OU SEM FINANCIAMENTO) E PARA ENQUADRAMENTO NOS PROGRAMAS
CCFGTS, PMCMV, PRÓ-COTISTA OU AMC
4.7.2.20.1 Formulário utilizado para movimentação dos recurs os da conta vinculada do FGTS e para
enquadramento nos Programas CCFGTS, PMCMV, Pró -Cotista ou AMC.
4.7.2.20.1.1 A ressalva neste documento está limitada aos campos abaixo :
 data de nascimento;
 nome do trabalhador (desde que não descaracterize o registro anterior do nome. Ex: nome de casada/solteira,
abreviação de sobrenome, etc.);
 logradouro do imóvel (não inclui o nº do Lote, casa, bloco, apartamento ou CEP);
 bairro do imóvel;
 município do imóvel.

4.7.2.21 PROCURAÇÃO
4.7.2.21.1 É o instrumento pelo qual uma pessoa outorga a outra pessoa poderes para repre sentá-la em
determinado negócio, praticando, em seu nome, os atos necessários a sua concretização.
4.7.2.21.2 A procuração é aceita em situações eventuais, devendo ser exigido, sempre que possível, o
comparecimento das partes para a realização da operação.
4.7.2.21.3 Deve também ser utilizada se proponente impossibilitado de assinar o instrumento contratual.
4.7.2.21.4 A representação é feita mediante procuração por instrumento público com menos de 1 ano da data do
traslado ou outorga, e apresentada em via original.

43.000 v106 SICAQ 130


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.7.2.21.5 Os traslados ou certidões da procuração com mais de 1(um) ano deverão ser renovados por meio de
nova certidão ou certidão ratificadora.
4.7.2.21.6 Quando a procuração for passada em outra Comarca, a firma e sinal dos notários devem ser
reconhecidos por Tabelião da cidade onde for apresentada.
4.7.2.21.7 Não são aceitas procurações:
 em língua estrangeira e/ou emitidas no exterior;
 que não contiverem poderes explícitos para efetivação do negócio, os quais estão estabelecidos nos subitens
4.7.2.21.8 e 4.7.2.21.9 e o reconhecimento direto por Tabelião ou transcrição da identidade e qualidade do
outorgante e do procurador;
 outorgadas a empregados da CAIXA;
 Outorgadas a empregados e representantes do CCA;
 comprador e vendedor representados pelo mesmo procurador ou comprador representado pelo vendedor ou
vendedor representado pelo comprador.
4.7.2.21.8 Quando o comprador for representado por meio de Procuração por Instrumento Público, a procuração
deve conter poderes específicos para “comprar/adqu irir o imóvel (descrição do imóvel), praticar todos os atos
necessários para efetuar a operação, tais como estabelecer condições e preços, constituir gravames, inclusive,
alienar fiduciariamente em garantia do financiamento concedido para a aquisição do im óvel, assinar instrumentos
particulares de venda e compra e contratar financiamento imobiliário”.
4.7.2.21.9 Quando o vendedor for representado por meio de Procuração por Instrumento Público, a procuração
deve conter poderes específicos para “vender, transmitir domín io, direito, ação e posse, a responder pela evicção
de direito, liquidar dividas hipotecárias, fiduciárias e tributos fiscais que incidam sobre o dito imóvel, ajustar o preço
de venda, da cessão, receber, passar recibo e dar quitação total e irrevogável do preço ou valor, assinar opção de
compra e venda, assinar e endossar cheques, combinar cláusulas e condições, assinando os contratos necessários,
inclusive de rerratificação, podendo, também, prestar as declarações exigidas pelo decreto nº 93.240/86.
4.7.2.21.10 Na realização do financiamento imobiliário em que houver a representação do (s) comprador(es) ou
do(s) vendedor(es), a Procuração deve ser apresentada juntamente com o CPF e a identidade do representante do
comprador(es) e/ou vendedor(es).

4.7.2.22 ANÁLISE JURÍDICA


4.7.2.22.1 Podem ocorrer casos de apontamento restritivo em nome do vendedor e/ou de averbações à margem da
matrícula do imóvel indicativas da existência de ações restritivas, que possam alcançar o imóvel e inviabilizar a
aquisição ou casos mais complexos, a exemplo de es pólio, partilha, usufruto, cláusula de inalienabilidade , ônus de
impenhorabilidade, incomunicabilidade, servidão entre outros ou ainda se a documentação exigida oferecer
dúvidas, para análise jurídica especialmente quanto à:
 capacidade e representação das partes;
 garantia da operação;
 origem e titularidade do bem recebido em garantia;
 situação dominial;
 prevenção de operações que possam resultar em fraudes à execução ou contra credores ;
 existência de certidão positiva.
4.7.2.22.2 Se houver, na modalidade individual, algum dos apontamentos citados no subitem anterior, exceto o 6º
marcador quando deve ser observado o subitem 4.7.2.22.3 e as situações compreendidas no 7º marcador do item
1.3.3, a proposta não poderá ser atendida pelo CCA, o correspondente orienta primeiramente o cliente à
regularização da(s) pendência(s) e procurar a agência de vinculação.
4.7.2.22.3 Na existência de certidão positiva na matrícula, a operação poderá prosseguir no CCA se houver Parecer
Jurídico favorável, devendo o referido Parecer/Autorização compor o dossiê.
4.7.2.22.4 No caso de imóvel ou terreno de propriedade do Poder Público local, ou por ele doado, em operações
enquadradas no Programa Minha Casa, Minha Vida, é necessária análise jurídica, que deverá observar o
cumprimento da Lei 8.666/93 e a segurança na garantia da operação.
4.7.2.22.4.1 Para análise jurídica é necessária a seguinte documentação:
 Lei Autorizativa;
 Certidão/diploma expedido pelo TRE atestando a eleição do representante do Poder Público ;
 Termo de Posse do representante do Poder Público;

43.000 v106 SICAQ 131


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
 Documentos pessoais do representante do Poder Público;
 CRP – Certidão de Regularidade Previdenciária do Poder Público Local.
4.7.2.22.5 Identificar se trata de operação com o Poder Público e encaminhar mensagem eletrônica à Agência/PA
de vinculação para solicitação de análise Jurídica.
4.7.2.22.6 Imprimir a mensagem eletrônica com a autorização do Jurídico, enviada da caixa postal da SR/Agência
de vinculação, assinada por empregado CAIXA com função gerencial, e arquiva r no dossiê.

43.000 v106 SICAQ 132


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.8 ANEXO VIII – MODELO DE AUTORIZAÇÃO DE REQUISIÇÃO DE SALDO DEVEDOR CONTRATO


CAIXA (CLIENTE VENDEDOR)

Autorizo a Caixa Econômica Federal a fornecer o valor do saldo devedor do meu contrato habitacional ao
Correspondente Bancário (nome e código) __________________________________________________________,
conforme informações abaixo:

Dados Cadastrais Nome (cliente vendedor)

Contrato Habitacional CPF

Endereço

Bairro Cidade Estado

Telefones

Residencial Comercial Celular

Email

______________________________________________
Local e data

______________________________________________
Assinatura do cliente vendedor

SAC CAIXA: 0800 726 0101 (informações, reclamações, sugestões e elogios)


Para pessoas com deficiência auditiva ou de fala: 0800 726 2492
De Olho na Qualidade (exclusivo Minha Casa, Minha Vida): 0800 721 6268
Ouvidoria: 0800 725 7474
caixa.gov.br

43.000 v106 SICAQ 133


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.9 ANEXO IX – DECLARAÇÃO DO(S) VENDEDOR(ES)

Eu(Nós), [NOME – qualificar todos os vendedores], CPF [NÚMERO], residente(s) à [RUA, NÚMERO, BAIRRO,
CIDADE/UF], vendedor(es) do imóvel situado à [RUA, NÚMERO, BAIRRO, CIDADE/UF] - matrícula [NÚMERO] do
[Ofício/Cartório de Registro de Imóveis], declaro(amos) sob as penas da Lei que o referido imóvel não foi objeto de
aquisição/construção com recursos da(s) minha(s)/nossas CV(s) do FGTS nos últimos 03 anos.

Por ser verdade, firmo o presente para que surta seus efeitos legais.

[CIDADE], [DIA] de [MÊS] de [ANO].

[ASSINATURA]___________________________________________
Nome:

43.000 v106 SICAQ 134


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.10 ANEXO X – FLUXOGRAMA DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO CCA


4.10.1 Disponível no expresso parceiro – Conceder Crédito Imobiliário Pessoa Física.

43.000 v106 SICAQ 135


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

4.11 ANEXO XI – CONVÊNIO SECRETARIA DE HABITAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO/PROGRAMA


CASA PAULISTA – APOIO AO CRÉDITO HABITACIONAL
4.11.1 O Programa Casa Paulista tem por objetivo viabilizar o acesso à moradia própria para Servidores Públicos
Estaduais e famílias beneficiadas com o recebimento de auxílio moradia.
4.11.2 Trata-se do aporte pela Secretaria de Habitação do Estado de São Paulo de recursos financeiros destinados
à concessão de subsídios às pessoas físicas citadas no subitem 4.11.1, com renda familiar bruta mensal de até R$
5.280,00 para Aquisição de imóvel residencial novo ou usad o, Construção em Terreno Próprio e Aquisição de
Terreno e Construção.
4.11.3 O imóvel objeto da proposta de financiamento habitacional deve estar localizado em área urbana em
qualquer município do Estado de São Paulo.
4.11.4 O valor do subsídio a ser concedido é de, no mínimo, R$ 5.000,00 e de, no máximo, R$ 40.000,00, de acordo
com a tabela a seguir:

VALOR DO SUBSÍDIO (em R$)


RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL RM Campinas Demais
Capital RMSP
e Baixada Municípios
Até R$ 1.760,00 40.000,00 35.000,00 30.000,00 25.000,00
De R$ 1.760,01 até R$ 2.640,00 30.000,00 25.000,00 25.000,00 15.000,00
De R$ 2.640,01 até R$ 3.520,00 22.000,00 20.000,00 15.000,00 12.000,00
De R$ 3.520,01 até R$ 4.400,00 18.000,00 15.000,00 10.000,00 7.000,00
De R$ 4.400,01 até R$ 5.280,00 13.000,00 10.000,00 7.000,00 5.000,00

4.11.5 Todo participante do financiamento deve enquadrar-se nas condições exigidas para a operação, de acordo
com o programa e a modalidade.
4.11.6 O Servidor deve acessar o link http://app.casapaulista.sp.gov.br/cpcci, preencher e imprimir o formulário, que
deve ser entregue juntamente com a documentação.
4.11.7 Os procedimentos para cadastro, avaliação de risco e avaliação do imóvel são iguais às demais
contratações.
4.11.8 Após realizar avaliação de risco, o CCA deve acessar o link http://app.casapaulista.sp.gov.br/cpcci para
emissão do Cheque Moradia, no qual informa os dados do(s) beneficiário(s), do imóvel e da operação contratada, e
calculado o valor do subsídio, de acordo com os parâmetros definidos.
4.11.9 O Cheque Moradia tem validade de 90 dias.
4.11.10 A contratação deve ser cadastrada no sistema SIACI/CIWEB nas seguintes modalidades:

RCR MODALIDADE

2338 Aquisição de Terreno e Construção – Imóvel na Planta – FPHIS – PF

2339 Construção – Imóvel na Planta – FPHIS – PF

2340 Aquisição de Unidade Complementar – Imóvel na Planta – FPHIS – PF

2341 Aquisição de Terreno e Construção – Imóvel na Planta – FPHIS – PF – PMCMV

2342 Construção – Imóvel na Planta – FPHIS – PF – PMCMV

2343 Aquisição de Unidade Complementar – Imóvel na Planta – FPHIS – PF – PMCMV

Aquisição Imóvel Novo – CCFGTS – FPHIS


2344
Aquisição Imóvel Novo já financiado na CAIXA ou em outro Agente Financeiro – CCFGTS – FPHIS

43.000 v106 SICAQ 136


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional

Aquisição Imóvel Usado – CCFGTS – FPHIS


2345
Aquisição Imóvel Usado já financiado na CAIXA ou em outro Agente Financeiro – CCFGTS – FPHIS

2346 Construção Individual – CCFGTS – FPHIS

2347 Aquisição de Terreno e Construção – Individual – CCFGTS – FPHIS

2348 Aquisição de Terreno e Construção – Apoio à Produção – FPHIS – PF

2349 Aquisição de Unidade Complementar – Apoio à Produção – FPHIS – PF

2350 Aquisição de Terreno e Construção – Apoio à Produção – FPHIS – PMCMV

2351 Aquisição de Unidade Complementar – Apoio à Produção – FPHIS – PMCMV

Aquisição Imóvel Novo – FPHIS – PMCMV


2352
Aquisição Imóvel Novo já financiado na CAIXA ou em outro Agente Financeiro – FPHIS – PMCMV

2353 Construção Individual – FPHIS – PMCMV

2354 Aquisição de Terreno e Construção – Individual – FPHIS – PMCMV

Aquisição – Alocação de Recursos – FPHIS – PF – CCFGTS


2355
Aquisição – Alocação de Recursos – UH financiada – FPHIS – PF – CCFGTS

Aquisição Imóvel Novo – Alocação de Recursos – FPHIS – PF – PMCMV


2356
Aquisição Imóvel Novo – Alocação de Recursos – UH financiada – FPHIS – PF – PMCMV

4.12 ALTERAÇÕES EM RELAÇÃO À VERSÃO ANTERIOR

Inclusões
2.10.1.1 – Etapas da Proposta - Cadastramento da Proposta no SIOPI ou CIWEB – inclusão do item para melhor
entendimento e compreensão do conteúdo;
4.1.3.1 a 4.1.3.1.3 – Anexo I – Condições CCFGTS e PMCMV - Se Imóvel Novo – Inclusão das regras a serem
observadas para contratação de imóvel novo;
4.1.9.13 e 4.1.9.13.1 – Anexo I – Condições CCFGTS e PMCMV – Modalidades, Recorte Territorial, Valores de
Venda e Compra ou Investimento, Valor de Financiamento (VF), Quota, Prazos e Sistema s de Amortização -
Inclusão da informação que para propostas assinadas até o dia 2 8 DEZ 2017 fica dispensada a cobrança da Tarifa
de Avaliação de Bens Recebidos em Garantia para empregado, aposentado ou pensionista CAIXA e inclusão de
tabela com os códigos de exceção a serem cadastrados para dispensas das tarifas para empregado, aposentado ou
pensionista CAIXA;
4.1.14.1.1.1.1 - Anexo I – Condições CCFGTS e PMCMV - Até a Contratação – Tarifa de Avaliação de Bens
Recebidos Garantia – inclusão da informação que para propostas assinadas até o dia 2 8 DEZ 2017 fica dispensada
a cobrança da Tarifa de Avaliação de Bens Recebidos em Garantia para empregado, aposentado ou pensionista
CAIXA;
4.1.14.1.1.2 – Anexo I – Condições CCFGTS e PMCMV - Até a Contratação – Tarifa de Avaliação de Bens
Recebidos Garantia – Inclusão da informação da regra de exceção para isenção de tarifa para empregado CAIXA;
4.1.14.2.7 - Anexo I – Condições CCFGTS e PMCMV - Na Fase de Construção – TAO – Tarifa de Acompanhamento
da Operação - inclusão da informação que para propostas assinadas até o dia 2 8 DEZ 2017 fica dispensada a
cobrança da Tarifa de Avaliação de Bens Recebidos em Gar antia para empregado, aposentado ou pensionista
CAIXA;
4.3.1.5 a 4.3.1.5.3 – Anexo III – Pró-cotista – Se Imóvel Novo - Inclusão das regras a serem observadas para
contratação de imóvel novo;

43.000 v106 SICAQ 137


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.3.2.9 - Anexo III – Pró-cotista – Modalidades, Limites de Valor Venal (VV), Valor de Financiamento (VF) e Prazos
de Amortização - Regra de transição para documentação de imóvel novo;
4.7.1 – Siglas e Definições – inclusão da sigla CICOB.

Alterações
Substituição em toda a Norma da sigla “GIRET” por “CICOB”;
Substituição em toda a Norma do termo “CAIXA Seguros” por “CAIXA Seguradora”;
2.3.4 – Etapas da Proposta - Recolhimento da Primeira Parcela de Tarifa de Avaliação de Bens Recebidos em
Garantia – exclusão do primeiro marcador com a isenção de cobrança da tarifa para empregado, aposentado e
pensionista da Caixa;
2.10.1 – Etapas da Proposta - Cadastramento da Proposta no SIOPI ou CIWEB – alteração da redação para melhor
entendimento e compreensão do conteúdo;
4.1.9.12 e 4.1.9.12.1 – Modalidades, Recorte Territorial, Valores de Venda e Compra ou Investimento, Valor de
Financiamento (VF), Quota, Prazos e Sistemas de Amortização – Prorrogação do prazo de contratação com as
quotas para imóvel usado constantes no MO43000 versão 099 até o dia 28 DEZ 2017, desde que o(s)
proponente(s) possua(m) avaliação de risco PF2 cadastrada até o dia 22 SET 2017 e a mesma esteja válida;
4.1.9.14 – Anexo I – Condições CCFGTS e PMCMV – Modalidades, Recorte Territorial, Valores de Venda e C ompra
ou Investimento, Valor de Financiamento (VF), Quota, Prazos e Sistemas de Amortização - Alteração da data de 31
DEZ 2018 para 01 JAN 2019 para atendimento das exigências pelas construtoras quando houver duas ou mais
unidades habitacionais construídas em um empreendimento;
4.1.9.14.1 - Anexo I – Condições CCFGTS e PMCMV – Modalidades, Recorte Territorial, Valores de Venda e
Compra ou Investimento, Valor de Financiamento (VF), Quota, Prazos e Sistemas de Amortização – Alteração da
redação;
4.1.9.22.1 - Modalidades, Recorte Territorial, Valores de Venda e Compra ou Investimento, Valor de Financiamento
(VF), Quota, Prazos e Sistemas de Amortização – Interveniente Quitante - Prorrogação até 28 DEZ 2017 para
contratações de propostas em andamento com Intervenient e Quitante que não seja a CAIXA;
4.1.14.1.1.1 – Anexo I – Condições CCFGTS e PMCMV – Até a Contratação – Tarifa de Avaliação de Bens
Recebidos Garantia – excluída a isenção da cobrança da tarifa ao empregado, aposentado ou pensionista Caixa;
4.1.14.1.2.3 – Anexo I – Condições CCFGTS e PMCMV – Tarifa de Acompanhamento da Operação – TAO –
CCFGTS e PMCMV – exclusão da isenção de cobrança da tarifa para empregado, aposentado e pensionista da
Caixa;
4.1.14.1.3.1 – Anexo I – Condições CCFGTS e PMCMV – Tarifa para Análise de Apólice Individual – exclusão do
termo: “inclusive para empregado, aposentado ou pensionista Caixa”;
4.1.14.2.7 – Anexo I – Condições CCFGTS e PMCMV – Na Fase de Construção – TAO – Tarifa de
Acompanhamento da Operação – excluída a isenção da cobrança da tarifa ao empregado, aposentado ou
pensionista Caixa e informação do prazo para contratação com isenção para os mesmos;
4.2.3.3 e 4.2.3.4 - Anexo II – Condições CCSBPE – Modalidades, Enquadramento, Limites de Valor de
Financiamento (VF), Valor de Avaliação (VA) e Prazos de Amortização - Prorrogação do prazo para contratação
com as quotas para imóvel usado constantes no MO43000 versão 099 até o dia 28 DEZ 2017, desde que o(s)
proponente(s) possua(m) avaliação de risco PF2 cadastrada até o dia 22 SET 2017 e a mesma esteja válida;
4.2.3.8.1- Anexo II – Condições CCSBPE – Modalidades, Enquadramento, Limites de Valor de Financiamento (VF),
Valor de Avaliação (VA) e Prazos de Amortização - Interveniente Quitante - Prorrogação até 28 DEZ 2017 para
contratações de propostas em andamento com Intervenient e Quitante que não seja a CAIXA;
4.2.9.1.1 – Anexo II – Condições CCSBPE - Despesas, Taxas, Tarifas, Tributos e Encargo Mensal – Financiamento
Individual e Financiamento Vinculado a Empreendimento , inclusive Parcerias – Até a Contratação - exclusão do
termo: “inclusive para empregado, aposentado ou pensionista Caixa”;
4.2.9.1.2 - Anexo II – Condições CCSBPE - Despesas, Taxas, Tarifas, Tributos e Encargo Mensal – Financiamento
Individual e Financiamento Vinculado a Empreendimento , inclusive Parcerias – Até a Contratação - exclusão do
termo: “inclusive para empregado, aposentado ou pensionista Caixa”;
4.3.3.3 e 4.3.3.4 - Anexo III – Condições Pró-Cotista – Quota - Prorrogação do prazo de contratação com as quotas
para imóvel usado constantes no MO43000 versão 099 até o dia 28 DEZ 2017, desde que o(s) proponente(s)
possua(m) avaliação de risco PF2 cadastrada até o dia 22 SET 2017 e a mesma esteja válida;

4.3.7.1.1 – Anexo III – Pró-cotista – Despesas, Taxas, Tarifas, Tributos e Encargos Mensais – Até a Contratação -
exclusão do termo: “inclusive para empregado, aposentado ou pensionista Caixa”;

43.000 v106 SICAQ 138


Manual Operacional das Atividades do Correspondente CAIXA AQUI
Negocial – CCA – Originação de Financiamento Habitacional
4.3.7.1.2 - Anexo III – Pró-cotista – Despesas, Taxas, Tarifas, Tributos e Encargos Mensais – Até a Contratação -
exclusão do termo: “inclusive para empregado, aposentado ou pensionista Caixa”;
4.5.1 – Anexo V – Relação de Documentos dos Programas CCFGTS, PMCMV, CCSBPE, PRO-COTISTA - CCFGTS
ou PMCMV – Relação de Documentos – Quadro Pessoa Jurídica – inclusão do termo “Ficha cadastral” junto ao
termo “Certidão Simplificada” replicando alteração efetuada no HH200129;
4.5.1 – Anexo V – Relação de Documentos dos Programas CCFGTS, PMCMV, CCSBPE, PRO-COTISTA - CCFGTS
ou PMCMV – Relação de Documentos – Quadro Imóvel Novo – melhor detalhamento dos documentos ART e RRT e
inclusão do Cartão do CNPJ, com o Código e Descrição da Atividade Econômica (CNAE), principal ou secundária:
41.20-4-00 Construção de Edifícios e situação cadastral Ativa e Alvará de Construção emitido até 30 JUN 2017 para
dispensa da comprovação do imóvel ter sido produzido/construído por Pessoa Jurídica do ramo da construção civil;
4.5.2 – Anexo V – Relação de Documentos dos Programas CCFGTS, PMCMV, CCSBPE, PRO-COTISTA - CCSBPE
– Relação de Documentos – Quadro Vendedor – inclusão do termo “Ficha cadastral” junto ao termo “Certidão
Simplificada” replicando alteração efetuada no HH200129;
4.5.3 – Anexo V – Relação de Documentos dos Programas CCFGTS, PMCMV, CCSBPE, PRO-COTISTA - Pró-
Cotista – Relação de Documentos– Quadro Vendedor – inclusão do termo “Ficha cadastral” junto ao termo “Certidão
Simplificada” replicando alteração efetuada no HH200129;
4.5.3 – Anexo V – Relação de Documentos dos Programas CCFGTS, PMCMV, CCSBPE, PRO-COTISTA - Pró-
Cotista – Relação de Documentos – Quadro Imóvel Novo – melhor detalhamento dos documentos ART e RRT e
inclusão do Cartão do CNPJ, com o Código e Descrição da Atividade Econômica (CNAE), principal ou secundária:
41.20-4-00 Construção de Edifícios e situação cadastral Ativa e do Alvará de Construção emitido até 30 JUN 2017
para dispensa da comprovação do imóvel ter sido produzido/construído por Pessoa Jurídica do ramo da construção
civil;
4.6.1 – Anexo VI – Check List Programas CCFGTS, PMCMV, CCSBPE e Pró -Cotista – CCFGTS e PMCMV – linha
31 - inclusão do termo “Ficha cadastral” junto ao termo “Certidão Simplificada” replicando alteração efetuada no
HH200129;
4.6.1 – Anexo VI – Check List Programas CCFGTS, PMCMV, CCSBPE e Pró -Cotista – CCFGTS e PMCMV – linhas
55,56 e 57 - melhor detalhamento dos documentos ART e RRT e inclusão do C artão do CNPJ, com o Código e
Descrição da Atividade Econômica (CNAE), principal ou secundária: 41.20 -4-00 Construção de Edifícios e situação
cadastral Ativa e do Alvará de Construção emitido até 30 J UN 2017 para dispensa da comprovação do imóvel ter
sido produzido/construído por Pessoa Jurídica do ramo da construção civil;
4.6.2 – Anexo VI – Check List Programas CCFGTS, PMCMV, CCSBPE e Pró-Cotista – CCSBPE – linha 22 -
inclusão do termo “Ficha cadastral” junto ao termo “Certidão Simplificada” replicando alteração efetuada no
HH200129;
4.6.3 - Anexo VI – Check List Programas CCFGTS, PMCMV, CCSBPE e Pró-Cotista – Pró-Cotista – linha 24 -
inclusão do termo “Ficha cadastral” junto ao termo “Certidão Simplificada” replicando alteração efetuada no
HH200129;
4.6.3 - Anexo VI – Check List Programas CCFGTS, PMCMV, CCSBPE e Pró -Cotista – Pró-Cotista – linhas 45,46,47
melhor detalhamento dos documentos ART e RRT e inclusão do C artão do CNPJ, com o Código e Descrição da
Atividade Econômica (CNAE), principal ou secundária: 41.20 -4-00 Construção de Edifícios e situação cadastral
Ativa e do Alvará de Construção emitido até 30 JUN 2017 para dispensa da comprovação do imóvel ter sido
produzido/construído por Pessoa Jurídica do ramo da construção civil;
4.7.2.8.1 – Anexo VII – Siglas, Conceitos e Considerações Sobre a Documentação - Considerações sobre a
Documentação - inclusão do termo “Ficha cadastral” junto ao termo “Certidão Simplificada” replicando alteração
efetuada no HH200129;
4.10 – Anexo X – Fluxograma do Crédito Imobiliário no CCA – exclusão do Fluxograma e inserção do conteúdo no
Expresso Parceiro de acordo com o MP015.
Exclusões
2.6.3.3 – Unidades Novas Concluídas Vinculadas a Empreendimento – exclusão do item considerando que a
informação nele contida encontra-se duplicada no item 2.6.3.2, primeiro marcador;
4.7.1 – Siglas e Conceitos – exclusão da sigla GIRET;

5 ARQUIVAMENTO DE DOCUMENTOS
5.1 Os documentos contidos neste MO são arquivados conforme HH200 pelos empregados Caixa lotados nas
Agências.

43.000 v106 SICAQ 139


MO 43000 106

MANUAL OPERACIONAL DAS ATIVIDADES DO CORRESPONDENTE CAIXA AQUI NEGOCIAL – CCA –


ORIGINAÇÃO DE FINANCIAMENTO HABITACIONAL

1 OBJETIVO
1.1 Orientar a operacionalização das atividades dos CCA, apresentando o modelo de contratação e
descrevendo o atendimento no CCA.
1.2 As siglas e seu significado constam no item 4.7.1 deste modelo.

2 NORMA

2.1 GESTOR
2.1.1 GEMPF – GN Habitação de Mercado - Pessoa Física.

2.2 VINCULAÇÃO
2.2.1 Manual Normativo HH200.

2.3 DISPONIBILIZAÇÃO DO MODELO


2.3.1 Minuta gerada no SIOPI e disponibilizada no SICAQ.

2.4 QUANTIDADE E DESTINAÇÃO DE VIAS


2.4.1 Modelo em 1 via, destinado aos Correspondentes Caixa Aqui.

2.5 UNIDADES QUE UTILIZARÃO O MODELO


2.5.1 CCA Negocial Automatizado.

2.6 MODELO A SER SUBSTITUÍDO


2.6.1 MO43000105

2.7 PRAZO DE ARQUIVAMENTO


2.7.1 Não se aplica.

2.8 GRAU DE SIGILO


2.8.1 #PÚBLICO.

2.9 ALTERAÇÕES EM RELAÇÃO À VERSÃO ANTERIOR


2.9.1 Alterações conforme item 4.12 do modelo.

2.10 ROTEIRO PADRÃO


2.10.1 17886.

2.11 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA


2.11.1 Tipo de modelo: formulário eletrônico.
2.11.2 Impressão/Tipo de papel: posterior ao preenchimento, papel A4 – Mod. 71.139.
2.11.3 Formato do modelo: 210 mm (largura) x 297 mm (altura).

3 PROCEDIMENTOS
3.1 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
3.1.1 Não se aplica.

Vigência 18/12/2017 140