Você está na página 1de 5

SAUL E A FEITICEIRA DE ENDOR

O único acontecimento nas Escrituras frequentemente apontado pelos espíritas em apoio de sua teoria,
segundo a qual é possível que os vivos se comuniquem com os mortos, é a visita de Saul à feiticeira de
Endor. Esse acontecimento é relatado em 1 Samuel 28.3-25. Cremos, porém, que um exame cuidadoso dessa
passagem mostrará que, em vez de apoiar a pretensão dos espíritas, a refuta, na verdade, categoricamente.

Recordemos a história. O velho profeta Samuel morrera, Saul, o rei de Israel, ia de mal a pior, abandonado
por Deus. Os filisteus estavam a concentrar contra ele os seus exércitos. As formas normais de revelação
divina estavam-lhe fechadas, por causa da sua deliberada desobediência. “Porém o Senhor não lhe
respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas” (1 Samuel 28.6). A iminência da batalha com
os filisteus enchia-o de terror e não sabia para onde se virar. Pensou em Samuel e desejou ardentemente uma
palavra dele, como dantes. Ele sabia que os que tinham relações com os espíritos familiares possuíam a fama
de serem capazes de invocar os mortos. Embora Saul, no início do seu reinado, tivesse suprimido, sob pena
de morte, todos os médiuns, feiticeiros, seguidores de magia negra, etc., agora, no seu desespero e na sua
superstição, procura uma mulher que praticava ilegalmente a feitiçaria na cidade de Endor.

Saul disfarçou-se e foi ter com a mulher. Ela lembrou-lhe que Saul proibira semelhantes práticas, sob pena
de morte. Porém, depois de receber uma promessa solene que não receberia nenhum castigo, perguntou: “A
quem te farei subir? E disse ele: Faze-me subir a Samuel”. Saul pediu que fizesse subir a Samuel. E a
história prossegue:

“Vendo, pois, a mulher a Samuel, gritou com alta voz, e falou a Saul, dizendo: Por que me tens enganado?
Pois tu mesmo és Saul. E o rei lhe disse: Não temas; que é que vês? Então a mulher disse a Saul: Vejo deuses
que sobem da terra. E lhe disse: Como é a sua figura? E disse ela: Vem subindo um homem ancião, e está
envolto numa capa. Entendendo Saul que era Samuel, inclinou-se com o rosto em terra, e se prostrou.
Samuel disse a Saul: Por que me inquietaste, fazendo-me subir? Então disse Saul: Mui angustiado estou,
porque os filisteus guerreiam contra mim, e Deus se tem desviado de mim, e não me responde mais, nem
pelo ministério dos profetas, nem por sonhos; por isso te chamei a ti, para que me faças saber o que hei de
fazer.

“Então disse Samuel: Por que, pois, me perguntas a mim, visto que o Senhor te tem desamparado, e se tem
feito teu inimigo? Porque o Senhor tem feito para contigo como pela minha boca te disse, e o Senhor tem
rasgado o reino da tua mão, e o tem dado ao teu próximo, a Davi. Como tu não deste ouvidos à voz do
Senhor, e não executaste o fervor da sua ira contra Amaleque, por isso o Senhor te fez hoje isto. E o Senhor
entregará também a Israel contigo na mão dos filisteus, e amanhã tu e teus filhos estareis comigo; e o arraial
de Israel o Senhor entregará na mão dos filisteus. E imediatamente Saul caiu estendido por terra, e
grandemente temeu por causa daquelas palavras de Samuel” (1 Samuel 28.12-20).

Essa é a história. Saul procurou o que podemos chamar um médium espirita, e Deus deu-lhe uma mensagem
de condenação – o exército seria derrotado, o país saqueado, e ele e os seus filhos morreriam. Ao lermos essa
história, duas perguntas nos vêm à mente:

1 – Foi realmente Samuel quem apareceu e falou a Saul?

2 – Se foi Samuel, teria a mulher, na verdade, poder para o invocar?

Quanto à primeira pergunta, tudo indica que Samuel apareceu, na verdade, e falou com Saul. É-nos contado
que a mulher viu Samuel (v. 12), que Saul verificou que era Samuel (v. 14), que Samuel falou com Saul (v.
15), que Samuel repreendeu severamente a Saul (v. 20). Afirma-se claramente que Samuel falou com Saul.
Toda essa história é narrada simples e historicamente, e não há nela qualquer indicação de que fosse a
mulher ou um espírito maligno personificando Samuel.

Quanto à segunda pergunta, não podemos acreditar que a mulher tivesse realmente poder sobre o espírito de
Samuel, de forma a fazê-lo aparecer, a um aceno seu, a uma chamada sua. Semelhante crença seria contrária
ao ensino geral das Escrituras a esse respeito. Parece evidente que aconteceu algo que nem mesmo a mulher
esperava que acontecesse. É evidente que ela esperava fazer o que costumava fazer – entrar em transe (real
ou pretensamente), personificar Samuel, de maneira a enganar os consulentes. Mas quando o espírito
realmente apareceu, surgindo da terra, como visão, terrível na sua majestade, foi ela quem ficou mais
espantada. Ficou, na verdade, completamente assustada e gritou – “com alta voz”. Se fosse aquilo que
pretendia ser, um médium capaz de invocar espíritos do túmulo, essa aparição seria apenas rotina, e ela já
contaria que tal acontecesse. Mas as coisas passaram-se de uma maneira diferente do costume, diferentes do
que ela faria como médium.

Desde o momento em que Samuel apareceu, a mulher passou a ser apenas uma espectadora. Parece evidente
que, nesse caso, Deus enviou realmente o profeta Samuel e invalidou a sessão, usando-a para pronunciar
uma sentença contra a deliberada desobediência de Saul. Na narrativa paralela de 1 Crônicas 10.13, 14, dá-se
especial relevo ao fato da desobediência de Saul: “Assim morreu Saul por causa da transgressão que
cometeu contra o Senhor, por causa da palavra do Senhor, a qual não havia guardado; e também porque
buscou a adivinhadora para a consultar. E não buscou ao Senhor, que por isso o matou, e transferiu o reino a
Davi, filho de Jessé”. Não há dúvida que esse episódio não pode ser tomado das Escrituras em apoio do
espiritismo.

Sim, a estrela mais antiga é a de Endor

É a mais louca de todas elas é.

Vai direita à casa da feiticeira

Tal como nos dias de Saul, o Rei.

Nada, nada mudou, e dores virão

Aos que vão na estrada para Endor.

Rudyard Kipling
Saul e a mulher que evocava os mortos. (I Samuel
28)
Rafael Rodrigues
07 Novembro 2011

Vamos analisar essa passagem de I Samuel 28 da aparição de Samuel a Saul, ver o que realmente
ocorreu quando Saul foi consultar a mulher que invocava os mortos após o Senhor não ter se
comunicado com ele nem através do Urim, nem pelos profetas. Quem apareceu foi Samuel
realmente ou um demônio? Vamos fazer uma clara análise sobre este acontecimento que gera
polêmica até hoje.

Contextualizando:

"Ao ver o acampamento dos filisteus, Saul inquietou-se e teve grande medo. E consultou o
Senhor, o qual não lhe respondeu nem por sonhos, nem pelo urim, nem pelos profetas.O rei
disse aos seus servos: Procurai-me uma necromante para que eu a consulte. Há uma em Endor,
responderam-lhe. Saul disfarçou-se, tomou outras vestes e pôs-se a caminho com dois homens.
Chegaram à noite à casa da mulher. Saul disse-lhe: Predize-me o futuro, evocando um morto;
faze-me vir aquele que eu te designar. Respondeu-lhe a mulher: Tu bem sabes o que fez Saul,
como expulsou da terra os necromante e os adivinhos. Por que me armas ciladas para matar-
me? Saul, porém, jurou-lhe pelo Senhor: Por Deus, disse ele, não te acontecerá mal algum por
causa disso." (
I Sm 28, 5-10)

Vemos ai Saul se desesperando ao ver o exercito dos filisteus e foi consultar o Urim e os
profetas, porém Deus tinha se afastado dele, portanto ele foi procurar uma necromante para
poder consultar o futuro.

Vamos ao ato:

"Disse-lhe então a mulher: A quem evocarei? Evoca-me Samuel. E a mulher, tendo visto
Samuel, soltou um grande grito: Por que me enganaste?, disse ela ao rei. Tu és Saul! E o rei:
Não temas! Que vês? A mulher: Vejo um deus que sobe da terra. Qual é o seu aspecto? É um
ancião, envolto num manto. Saul compreendeu que era Samuel, e prostrou-se com o rosto por
terra." (I Sm 28,11-14)

Lógico que sabemos que o que os espíritas vêem são demônios, o espiritismo é totalmente
condenado pela bíblia (Deuteronômio 18, 10-12), porém a mulher tomou um susto quando viu
Samuel, então assim descobriu que o homem era Saul. Se ela esperava um demônio então não
teria por que ter tomado um susto quando viu aquele homem.
Logo após isso nos versículos 16-20, Samuel faz uma revelação que Saul seria morto pelos
filisteus, el, seus filhos e o acampamento de Israel.

"Samuel disse-lhe: Por que me consultas, uma vez que o Senhor se retirou de ti, tornando-se
teu adversário?17. Fez o Senhor como tinha anunciado pela minha boca: ele tira a realeza de
tua mão para dá-la a outro, a Davi. [I Samuel 15,28] 18. Não obedeceste à voz do Senhor e não
fizeste sentir a Amalec o fogo de sua cólera; eis por que o Senhor te trata hoje assim. 19. E
mais: o Senhor vai entregar Israel, juntamente contigo, nas mãos dos filisteus. Amanhã, tu e
teus filhos estareis comigo, e o Senhor entregará aos filisteus o acampamento de Israel."
(Samuel 28, 16-20)

Samuel diz o “Senhor” poderia um demônio dizer isso? E saber realmente o que iria acontecer
com Saul, que iria morrer e seus filhos também? A caso os demônios podem fazer profecias,
revelações?

O autor Sagrado ai diz claramente SAMUEL, acaso ele estaria se enganando, se fosse realmente
um demônio ele iria se referir claramente a SAMUEL? E se ele se enganou nesta parte, como
alguns dizem, o que dizer de todo o resto do livro não seria também um engano?

Ao analisarmos no capitulo 31 deste mesmo livro vemos a revelação do que SAMUEL falou
em sua aparição, se cumprindo:

"Entretanto, os filisteus atacaram Israel, e os israelitas fugiram diante deles, caindo feridos de
morte no monte de Gelboé. 2. Os filisteus investiram contra Saul e seus filhos, matando Jônatas,
Abinadab e Melquisua, filhos de Saul. 3. A violência do combate concentrou-se contra Saul. Os
arqueiros descobriram-no e ele foi ferido no ventre. (…) 6. Assim, morreram naquele mesmo
dia, Saul e seus três filhos, seu escudeiro e todos os seus homens. 7. Os israelitas que
moravam além do vale e além do Jordão, vendo a derrota do exército de Israel e a morte de
Saul com seus filhos, abandonaram as suas cidades e fugiram; e os filisteus vieram e
estabeleceram-se nelas." (I Sm 31, 1-7)

Ou seja, apareceu, revelou e aconteceu? Os demônios já podem fazer isto?

Outros vêem ai simplesmente, que o narrador utilizou essa encenação para exprimir mais uma
vez a rejeição de Saul e sua substituição por Davi, um fio condutor de todas essas histórias.
(comparar o v. 17 com 15,28 e a referencia a Amalec no v. 18, mas também 13,14; 16, 1; 23, 17;
24,21; 25,30). Porém, se ele usou está narração para isto não estaria ele contradizendo tudo o
que se cria no antigo testamento, não estaria o autor utilizando se de um habito pagão para
revelar algo de Deus? Isto já aconteceu nas sagradas escrituras?

Ou seja, houve clara intervenção divina, Samuel apareceu por que o Senhor assim Permitiu, o
escritor sagrado fala que foi Samuel quem somo nós para duvidar?

Existem algumas objeções do tipo:


“Saul foi gravemente ferido na batalha contra os filisteus, mas morreu como suicida. (1 Samuel
31:1-4) E, contrário à predição de que todos os filhos de Saul morreriam junto com ele, seu
filho Is-Bosete ou Is-Baal ( II Samuel 2, 8 ) sobreviveu a ele.”

Isto parecia até ter algum nexo se não analisarmos bem as passagens direito

1) Samuel não fala que Saul seria morto pela mão de um filisteu e sim que seria entregue aos
filisteus como foi de fato.

2) Samuel não diz que todos os filhos de Saul morreriam, e sim que ele morreria junto com os
filhos, quantos e quais ele não se refere.

E o Livro de Eclesiástico completa:

"Amado pelo Senhor seu Deus, Samuel, o profeta do Senhor, instituiu um novo governo, e ungiu
príncipes entre o seu povo. [...] Depois disso, adormeceu e apareceu ao rei, e lhe mostrou seu
fim (próximo); levantou a sua voz do seio da terra para profetizar a destruição da impiedade
do povo." (Eclesiástico 46, 16.23)

Portanto na há duvidas que foi Samuel que apareceu por meio da intervenção de Deus e não por
causa da necromante. Porém, isto não significa que podemos sair por ai consultando médiuns e
espíritas, o Senhor não se agrada disto e condena veementemente (Deuteronômio 18, 10-12).

Em crônicas vemos a punição de Saul, por ter ido consultar aquela espírita:

"Saul morreu por causa da infidelidade, pela qual se tornara culpado contra o Senhor, não
observando a palavra do Senhor e por ter consultado necromantes. Não consultou o Senhor e
o Senhor o fez morrer, transferindo assim a realeza para Davi, filho de Isaí. " (I Crônicas 10,
13-14)

PARA CITAR

RODRIGUES, Rafael. Saul e a mulher que evocava os mortos. (I Samuel 28). Disponível em:
<http://apologistascatolicos.com.br/index.php/doutrina-e-teologia/escatologia/458-saul-e-a-
mulher-que-evocava-os-mortos-i-samuel-28>. Desde 07/11/2011