Você está na página 1de 1

Porto- Efeitos do turismo

Letícia Oliveira- Turma 1- Texto Argumentativo

Melhor Destino Europeu em 2014 e 2017, a cidade do Porto tem atraído um número
cada vez maior de turistas, tornando-se um importante centro de turismo urbano, tanto pelo
seu património histórico e cultural vasto, gastronomia própria, mas sobretudo pelos seus
costumes e tradições que se tornaram a imagem de marca da capital do distrito. Para se
adequar à vaga de turismo, no entanto, procedeu-se à modernização dos centros e à melhoria
das condições de alojamento e de turismo de forma a adequar-se ao gosto das massas. Por
este motivo, muitos afirmam que o Porto está a perder a sua essência que a distingue dos
restantes destinos e tornar-se cada vez mais uma Marca.

De certa forma, o aumento do número de turistas provocou a remodelação da cidade e a


transformação de locais emblemáticos e tradicionais em atrações turísticas. É o caso do
Mercado do Bolhão, antigamente local de socialização e compra e venda dos moradores, que
se tornou um “local de paragem obrigatória” para os turistas, bem como a substituição dos
produtos característicos do dia-dia por objetos e insígnias turísticas, muitas vezes não
referentes ao local em específico, como por exemplo, a venda das estatuetas do Galo de
Barcelos e ímanes do Santuário de Fátima, em detrimento dos artigos mais característicos da
tradição portuense, bem como a substituição de cafés, restaurantes e lojas características em
cadeias multinacionais, como a criação de centros comerciais, e restaurantes de fast-food.

Porém, a vaga turística trouxe também pontos positivos para a cidade conhecida como Invicta.
Entre estes, destaca-se o aumento da atividade económica porporcionada pelo aumento do
consumo no setor de alojamento etransportes, mas também em lojas e cafés. Para além desta
situação, destaca-se o incentivo ao processo de conservação e restauração de espaços
emblemáticos. A título exemplificativo, destaca-se a Igreja de Santa Clara, que entre 2014 e
2015 beneficiou da primeira fase de intervenção, que irá ser continuada, tendo recebido, em
2016, cerca de 1,7 milhões de euros para o efeito.

Se por um lado a popularização do Porto a nível internacional provocou a massificação dos


emblemas da cidade, convertendo antigos espaços tradicionais em pontos de atração turística
mais adequados às massas, o aumento do turismo fez aumentar a atividade económica e
permitiu restaurar o caráter histórico e cultural da cidade.