Você está na página 1de 33

Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

CALDEIRAS
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Objetivos
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Ao final desse capítulo, você poderá:

• Identificar os principais acessórios de uma caldeira;

• Relacionar os acessórios com suas respectivas


funções nas caldeiras;

• Identificar os diferentes tipos de tiragem.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Acessórios de uma Caldeira


Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

• Preaquecedor de ar;

• Ventilador;

• Superaquecedor;

• Dessuperaquecedor;

• Atemperador.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Preaquecedor de Ar
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

É um trocador de calor que serve para elevar a


temperatura do ar introduzido na fornalha, otimizando a
mistura ar-combustível, com o objetivo de melhorar a
qualidade da combustão e aumentar o rendimento térmico.

Dependendo do tipo do agente de aquecimento, o


preaquecedor de ar pode ser a gás (gases de descarga da
combustão) ou a vapor (o próprio vapor gerado).

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Preaquecedor de Ar a Vapor
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Em algumas instalações torna-se


econômico o uso de préaquecedores de ar a
vapor. Nesses casos, o mais comum é o vapor
passar pelo interior dos tubos e o ar passar pelo
lado externo dos tubos. Neste tipo de instalação é
comum o aproveitamento do condensado gerado
na troca de calor.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Preaquecedor de Ar a Gás
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Sistema comumente usado em instalações de médio e


grande porte, que tem como fonte de aquecimento o próprio gás
oriundo da queima na caldeira. O preaquecedor de ar a gás
pode ser do tipo tubular ou recuperativo, usado em caldeiras de
médio porte, e do tipo regenerativo, que por ser mais compacto
é utilizado em grandes instalações.

O preaquecedor do tipo tubular é constituído de um feixe


tubular, geralmente instalado horizontalmente, onde o ar circula
pelo interior dos tubos e o gás pela parte externa dos tubos,
através de corrente paralela ou cruzada.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Preaquecedor de Ar a Gás
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

O preaquecedor do tipo regenerativo é normalmente formado


por um rotor inteiramente metálico, composto de vários elementos
formados por malha metálica (cestas) que atuam como transportadores
de calor. Existem preaquecedores de ar regenerativos com superfície
de aquecimento estacionária e com superfície de aquecimento rotativa,
esta acionada por um motor elétrico ou uma turbina a ar comprimido.

Nas caldeiras dos FPSOs P-31, P-32 e P-33, os


préaquecedores são do tipo regenerativo, com superfície de
aquecimento rotativa, da marca Ljungstron, acionados por motores
elétricos e, na falha destes, podem ser acionados por um motor
pneumático conjugado ao eixo do motor elétrico.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Caldeira com
preaquecedor de
ar regenerativo.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Preaquecedor
de ar
regenerativo

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Preaquecedor de Ar a Gás
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.
Vantagens do preaquecedor de ar regenerativo em relação ao
recuperativo:

a) Melhor eficiência térmica;


b) O poder calorífico é independente de eventuais sujeiras nas
superfícies de aquecimento;
c) O funcionamento não fica muito afetado pela corrosão na
extremidade fria e eventuais danos podem facilmente ser
eliminados pela troca dos elementos;
d) É possível conseguir uma velocidade de fluxo quase igual em
ambos os lados, portanto, uma melhor transmissão de calor.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Ventilador de Tiragem
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Este equipamento tem como função principal fornecer


o ar para a combustão e, ao mesmo tempo, melhorar a
tiragem dos gases da combustão para a atmosfera, com o
intuito de melhorar a eficiência da instalação.

A tiragem é a diferença de pressão existente entre a


pressão atmosférica e a pressão dos gases de combustão
num determinado ponto do sistema fornalha/chaminé, capaz
de produzir um fluxo de gases. Sendo assim, a tiragem será
tanto maior quanto maior for essa diferença de pressão.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Ventilador de Tiragem
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

A tiragem pode ser:

•Natural;

• Induzida;

• Forçada;

• Balanceada.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Ventilador de
tiragem forçada

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Tiragem Natural
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Na tiragem natural, o fluxo é causado somente


pela diferença de densidade entre os gases quentes e o
ar. Como os gases no interior da caldeira possuem
menor densidade que o ar exterior, cria-se uma
depressão na entrada da fornalha, responsável pelo
suprimento de ar. Esta depressão cresce à medida que
aumentam a temperatura dos gases e a altura da
chaminé.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Tiragem Induzida
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

É obtida com a utilização de um ventilador de tiragem


induzida (exaustor), instalado na saída dos gases da caldeira, que
absorve todas as perdas de carga do sistema e garante que a
caldeira opere sempre com pressões abaixo da pressão
atmosférica. No entanto, à medida que diminui a perda de carga
no circuito de gases, cresce a depressão na fornalha aumentando
a infiltração de ar, provocando altas perdas por elevação do
excesso de ar. Além deste inconveniente, os gases da combustão,
por serem altamente corrosivos, exigem que o ventilador seja
construído de material mais nobre, encarecendo o custo da
instalação. Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Tiragem Forçada
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

A tiragem forçada consiste na instalação do


ventilador a montante da caldeira, tendo-se, por
conseguinte, pressão positiva na fornalha e um melhor
controle sobre o excesso de ar. Este tipo de tiragem, por
trabalhar com pressões e temperaturas menores, exige
um ventilador de menor potência e construção em aço-
carbono comum, uma vez que
não está exposto ao efeito corrosivo dos gases de
descarga.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Tiragem Balanceada
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

A tiragem balanceada consiste em distribuir a energia


necessária para vencer a perda de carga total dos circuitos de
ar e de gases com o emprego de dois ventiladores (ventilador
+ exaustor): um instalado a montante e outro a jusante da
caldeira, mantendo-se ligeiramente negativa a pressão na
fornalha. Este tipo de tiragem é atrativa quando a caldeira
possui preaquecedor de ar, pois aumenta o rendimento
térmico deste equipamento, contudo o alto custo desta
instalação e o aumento no consumo de energia o torna pouco
utilizado.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Diagrama esquemático
de uma caldeira com
tiragem balanceada

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Superaquecedor
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

São trocadores de calor utilizados nas caldeiras


projetadas para produção de vapor superaquecido. São
constituídos de serpentinas em loop e instalados
horizontalmente ou verticalmente no interior da caldeira, na
região de saída dos gases, ou mais raramente, na parte
superior da fornalha. Sua finalidade é elevar a temperatura do
vapor saturado produzido no tubulão de vapor sem mudá-lo
de estado, tornando-o superaquecido e isento de umidade
para aplicação nas turbinas e aumento do rendimento
térmico.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Superaquecedor
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Nas caldeiras instaladas em P-31, P-32 e P33 a


temperatura do vapor superaquecido pode variar entre
400 e 515°C, dependendo da carga da caldeira. A
diferença de temperatura entre o vapor saturado e o vapor
superaquecido produzido é chamada de grau de
superaquecimento e o calor cedido ao vapor
superaquecido é chamado de calor sensível.

Para melhor entendimento, faremos uma


exemplificação simples de calor sensível e calor latente:
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Superaquecedor
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Se pegarmos uma barra de aço e aquecermos


com a chama de uma vela, o calor fornecido pela chama
irá provocar uma variação de temperatura na barra de
aço. Mas, se aquecermos uma barra de gelo com a
chama da mesma vela, o calor fornecido irá provocar
uma mudança de estado (fusão do gelo). Portanto,
quando um corpo recebe ou cede calor, este calor pode
produzir dois efeitos distintos: variação de temperatura
ou mudança de estado.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Superaquecedor
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

•Se o efeito for de apenas variação de temperatura, o


calor é chamado de calor sensível;

•Se o efeito for de mudança de estado, o calor é


chamado de calor latente.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Superaquecedor
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Nas caldeiras dos FPSOs, os superaquecedores são


compostos de quatro estágios de aquecimento. Entre o
terceiro e o quarto estágio existe uma ramificação para
controle da temperatura do vapor na saída do
superaquecedor. Esta temperatura deve ser mantida em
515°C ou conforme recomendado no projeto. Os coletores do
superaquecedor também são providos de postigos para
possibilitar as inspeções, limpeza, bujonamento ou
substituições de tubos.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Tubos do superaquecedor

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Superaquecedor, Coletores e Postigos


Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Dessuperaquecedor
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.
O dessuperaquecedor é um trocador de calor em forma de serpentina,
instalado normalmente no interior do tubulão de vapor, cuja finalidade é baixar
a temperatura do vapor superaquecido. O vapor, ao sair do trocador, recebe o
nome de vapor dessuperaquecido, com uma temperatura variando entre 330
e 380°C, dependendo da carga na caldeira. Mantém as mesmas características
do vapor superaquecido, isto é: podemos dizer que o vapor dessuperaquecido
é um vapor superaquecido, mas com uma temperatura inferior à temperatura
de operação do sistema principal. Este vapor é utilizado para aplicação nos
equipamentos auxiliares cujos projetos não podem trabalhar com temperaturas
muito elevadas. O dessuperaquecimento do vapor é feito através da troca de
calor do vapor superaquecido com 515°C com a água no interior do tubulão em
torno de 242°C.
Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras
Tubulão superior em corte – Vista do
dessuperaquecedor
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Atemperador
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

É um trocador de calor em forma de serpentina, instalado no


tubulão d’água. Sua finalidade é manter a temperatura final do
vapor superaquecido dentro da temperatura normal de projeto. Este
controle é realizado por uma válvula automática, localizada entre o
3° e o 4° estágio do superaquecedor. Este controle faz com que
parte do vapor superaquecido até o 3° estágio passe pelo
atemperador, no interior do tubulão d’água. Conseqüentemente, a
temperatura desta parcela de vapor é reduzida e, misturada à
parcela de vapor by-passada, entra no 4° estágio na temperatura
ideal do processo para ganhar novamente calor e sair na
temperatura normal de operação (entre 400 e 515°C). Profº: Anderson Flores
Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras
Tubulão inferior em corte – Vista do
atemperador
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras
Sistema de controle do vapor
superaquecido
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Glossário
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

Fornalha - espaço onde está localizado o queimador e no qual se processa a


combustão.
FPSO (Floating, Production, Storage & Offloading) - unidade flutuante de
produção, armazenamento e transferência de petróleo construída a partir de um
navio.
P-31 - sigla de uma plataforma FPSO em operação na Bacia de Campos.
P-32 - sigla de uma plataforma FSO em operação na Bacia de Campos, no entanto
esta não produz. Processa, armazena e transfere o óleo.
P-33 - sigla de uma plataforma FPSO em operação na Bacia de Campos.
Postigo - pequena porta.
Tiragem - fenômeno relacionado à pressão de circulação e fluxo dos gases quentes
do interior de um forno para a atmosfera.

Profº: Anderson Flores


Turbinas a Gás, Vapor e Caldeiras

Bibliografia
Capítulo 9 – Acessórios de uma Caldeira.

ARAÚJO, P. B. Fornos, Vasos de Expansão, Recuperadores de Calor.


Apostila Curso Básico de Água Quente. UN-BC/ST/EIS, 2002.

GOMES, E. A. Tanques, Vasos e Torres. Apostila do Curso de Formação


e Operadores. Petrobras UN-EAL/ST/EIPA, 2005.

MOACIR, C.; PADILHA, C.; MARCOLINO, W. Equipamentos Térmicos.


Apostila do Curso Básico de Noções de Caldeiras. Petrobras ST/EIS,
2006.

PETROBRAS. Fornos. Apostila do curso de formação de operadores.


E&P UNSEAL, 2005.

RODRIGUES, R. C.; HACKBART, F. S. Equipamentos Industriais:


Estática. Publicação e co-edição entre SENAI e a PETROBRAS, 2003.

Profº: Anderson Flores