Você está na página 1de 1

Rodrigues, D. 2012. Níveis de organização em Ecologia. UFRJ, Departamento de Ecologia.

Disponível em
http://graduacao.cederj.edu.br/ava/login/index.php

NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO EM ECOLOGIA


Daniela Rodrigues
Departamento de Ecologia, UFRJ

INDIVÍDUOS - Um único organismo. Apresenta idade, sexo, longevidade, número de descentes e


constituição genética, fisiológica, morfológica e comportamental potencialmente variáveis em relação aos
demais indivíduos da mesma espécie. Por conta desta variabilidade, é o nível de organização em ecologia o qual
é alvo da seleção natural (um dos mecanismos da evolução biológica – os outros são mutação,
recombinação, dispersão, migração e deriva genética). Os indivíduos podem ser unitários (quando diferentes
partes do corpo não se repetem acentuadamente e não podem se reproduzir independentemente, como a
maioria dos animais) ou modulares (quando diferentes partes corporais são muito abundantes e, se destacados,
podem se reproduzir vegetativamente sem troca de gametas, como em algumas plantas). Indivíduos também
podem ter desenvolvimento direto (formas jovens e adultas assemelham-se morfologicamente, apenas havendo
o crescimento de partes do corpo, como por exemplo, felinos e seres humanos) ou indireto (fases
morfologicamente distintas como semente, ovo, larva, adulto, entre outras, ocorrem no decorrer do seu
desenvolvimento, como borboletas, moluscos, entre outros).

POPULAÇÕES - Um grupo de organismos de uma mesma espécie ocupando uma dada área e em um
dado tempo. As populações possuem quatro parâmetros: 1) natalidade (N, número de nascimentos por dada
unidade de tempo), 2) mortalidade (M, número de mortes por dada unidade de tempo), 3) imigração (I, número
de chegadas de indivíduos por dada unidade de tempo) e 4) emigração (E, número de partidas de indivíduos
por dada unidade de tempo). Conjuntamente, estes parâmetros geram a densidade populacional, ou seja, o
número de indivíduos que ocupam uma área definida em um determinado tempo. Demografia é o estudo da
dinâmica das populações. A população é o nível de organização em ecologia no qual observamos as mudanças
de frequências de fenótipos ou genótipos devido à seleção natural (ou outro mecanismo evolutivo).

COMUNIDADES - Diferentes espécies que ocorrem juntas em uma mesma área e em um dado tempo. As
comunidades apresentam distintas riquezas de espécies (ou seja, número de espécies) e equitabilidades
(proporção de indivíduos pertencentes a cada espécie), o que as torna mais ou menos diversas umas em
relação às outras.

ECOSSISTEMAS - Neste nível de organização, não há incremento da complexidade biológica. Em


essência, ecossistemas são unidades de variadas escalas espaço-temporais que envolvem uma ou mais
comunidades em adição ao seu ambiente físico e químico (ou seja, os fatores abióticos correspondentes),
nas quais há um contínuo fluxo de energia unidirecional e ciclagem da matéria. Por conta deste fluxo de
energia contínuo – e, frequentemente, de matéria - os ecossistemas são sistemas abertos, isto é, trocam
energia e matéria com outros ecossistemas.

Há também níveis de organização menores que os aqui descritos, como células; ou maiores, como biomas.

Bibliografia Consultada:

a
Begon, M., Harper, J.L. & Townsend, C.R. 2007. Ecologia: de indivíduos a ecossistemas. 4 ed. Porto Alegre,
Artmed Editora. 752p.
a
Lincoln, R., Boxshall, G. & Clark, P. 1998. A Dictionary of Ecology, Evolution and Systematics. 2 ed. Cambridge,
Cambridge University Press. 361p.