Você está na página 1de 2

Subordinação

O João está doente porque bebeu leite estragado.


 O João está doente – oração subordinante
 porque bebeu leite estragado – oração subordinada adverbial causal

O João vai ao hospital para fazer análises.


 O João vai ao hospital – oração subordinante
 para fazer análises – oração subordinada adverbial final

O João ficou aflito quando viu a agulha.


 O João ficou aflito – oração subordinante
 quando viu a agulha – oração subordinada adverbial temporal

Se não chorar, a mãe prometeu dar-lhe um chocolate.


 Se não chorar – oração subordinada adverbial condicional
 a mãe prometeu dar-lhe um chocolate – oração subordinante

O João ficou calmo como se estivesse a relaxar na piscina.


 O João ficou calmo – oração subordinante
 como se estivesse a relaxar na piscina – oração subordinada adverbial comparativa

Embora estivesse preocupado, não doeu nada.


 Embora estivesse preocupado – oração subordinada adverbial concessiva
 não doeu nada – oração subordinante

Ficou tão aliviado que deu pulos de alegria.


 Ficou tão aliviado – oração subordinante
 que deu pulos de alegria – oração subordinada adverbial consecutiva

a. Assim que o Pedro saiu da água, o cão foi ter com ele.

- oração subordinada temporal.

b. A criança faz habilidades para que se repare nela.

- oração subordinada final.

c. Não é um cão como os outros são.

- oração subordinada comparativa.

d. Ainda que não goste de pescar, vou contigo à pesca.

- oração subordinada concessiva.

2 - As frases seguintes são constituídas por duas orações independentes. Liga-as através
de uma relação de subordinação, fazendo as transformações necessárias.
Ex.: Eu estou cansado. tenho estudado muito.

Eu estou cansado porque tenho estudado muito. (causal)

a. Os alunos acabaram o trabalho; foram brincar para o pátio. (temporal)

a. Quando os alunos acabaram o trabalho, foram brincar para o pátio.

b. O cão estava muito inquieto; o dono levou-o à rua. (consecutiva)

b. O cão estava tão inquieto que o dono o levou à rua.

c. Vens cá a casa; verás as fotografias da minha viagem à Madeira. (condicional)

c. Se vieres cá a casa, verás as fotografias da minha viagem à Madeira.

d. Não contes o meu segredo a ninguém; eu continuo a confiar em ti. (final)

d. Não contes o meu segredo a ninguém, para que eu continue a confiar em ti.

e. Ouvi o cão ladrar; ele ladrava sempre. (comparativa)

e. Ouvi o cão ladrar como ladrava sempre.

f. Não vou contigo ao jardim; está a chover. (causal)

f. Não vou contigo ao jardim, porque está a chover.