Você está na página 1de 39

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS

Aula 04 – Fundações Superficiais


Fundações
Aspectos Gerais

Fundações são elementos destinados a transmitir ao


terreno as cargas provenientes da estrutura.

Devem possuir resistência e rigidez adequadas para


suportar as tensões causadas pelos esforços
solicitantes.

O solo por sua vez, deve possuir resistência e rigidez


adequadas para não sofrer ruptura ou apresentar
deformações exageradas.
Fundações
Concreto
Tipos de Fundações Isolada
Sapata Madeira
Pré-
Associada moldadas
Bloco Aço

Radier por Moldadas Tipo


Superficiais “in loco” Franki
percussão
Viga de fundação
por Tipo
prensagem Mega
Fundações
Cravada por
vibração Tipo Strauss
Estacas
Injetada Estaca raiz
Broca
Profundas Escavada
À percussão Hélice
A céu aberto Contínua
À rotação
Tubulão
Ar Grandes
comprimido diâmetros
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

A NBR 6122/2010 (Projeto e execução de fundações)


define fundações superficiais como:

Elemento de fundação em que a carga é


transmitida ao terreno pelas tensões distribuídas sob a
base de fundação,e a profundidade de assentamento
em relação ao terreno adjacente à fundação é inferior
a duas vezes a menor dimensão da fundação.
Fundações
Fundações superficiais, rasas ou diretas
Fundações
Fundações superficiais, rasas ou diretas
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

A NBR 6122/2010 estabelece que:

A base de uma fundação tem de ser assentada a uma


profundidade tal que garanta que o solo de apoio não
seja influenciado pelos agentes atmosféricos e fluxos
de água. Nas divisas de terrenos vizinhos, salvo quando
a fundação for assentada sobre rocha, tal profundidade
não pode ser menor que 1,5 m.
Fundações
Fundações superficiais, rasas ou diretas

A NBR 6122/2010 estabelece que:

No caso de fundações próximas, porém situadas em cotas


diferentes, a reta de maior declive que passa pelos seus bordos
deve fazer, com a vertical, um ângulo α, com os seguintes valores:

a) solos pouco resistentes: α ≥ 60°;


b) solos resistentes: α = 45°; e
c) rochas: α = 30°.
Fundações
Fundações superficiais, rasas ou diretas

A NBR 6122/2010 estabelece que:

Todas as partes da fundação superficial (rasa ou direta) em contato


com o solo (sapatas, vigas de equilíbrio etc.) devem ser concretadas
sobre um lastro de concreto não estrutural com no mínimo 5 cm de
espessura, a ser lançado sobre toda a superfície de contato solo-
fundação.

No caso de rocha, esse lastro deve servir para regularização da


superfície e, portanto, pode ter espessura variável, no entanto
observado um mínimo de 5,0 cm.
Fundações
Fundações superficiais, rasas ou diretas

No que diz respeito a segurança das escavações a NR18 estabelece


que:

18.6.5. Os taludes instáveis das escavações com profundidade


superior a 1,25m (um metro e vinte e cinco centímetros) devem ter
sua estabilidade garantida por meio de estruturas dimensionadas
para este fim.

18.6.7 As escavações com mais de 1,25m (um metro e vinte e cinco


centímetros) de profundidade devem dispor de escadas ou rampas,
colocadas próximas aos postos de trabalho, a fim de permitir, em
caso de emergência, a saída rápida dos trabalhadores,
independentemente do previsto no subitem 18.6.5.
Fundações
Fundações superficiais, rasas ou diretas

No que diz respeito a segurança das


escavações a NR18 estabelece que:

18.6.8 Os materiais retirados da


escavação devem ser depositados a uma
distância superior à metade da
profundidade, medida a partir da borda
do talude.

18.6.9 Os taludes com altura superior a


1,75m (um metro e setenta e cinco
centímetros) devem ter estabilidade
garantida. Escavação da vala
Fundações
Fundações superficiais, rasas ou diretas

Escoramento da vala
Fundações
Fundações superficiais, rasas ou diretas

Escoramento da vala
Fundações
Fundações superficiais, rasas ou diretas

Bloco

É definido pela NBR 6122/2010 como elemento de


fundação superficial de concreto, dimensionado de
modo que as tensões de tração nele resultantes sejam
resistidas pelo concreto, sem necessidade de
armadura.

Usualmente são fabricados com concreto simples ou


ciclópico e com grande altura para lhes conferir rigidez.
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Bloco
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata corrida por alvenaria de tijolos

São indicadas para suporte a pequenas cargas e


quando o solo apresenta boa resistência.

A profundidade de assentamento indicada é em torno


de 0,5m a 1,0m.

Com vistas a redução de custos pode-se executar os


blocos de forma escalonada, obedecendo um ângulo
de 45, para que o bloco trabalhe a compressão
simples.
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata corrida por alvenaria de tijolos – Execução


Locação;
Abertura da vala;
Apiloamento e regularização de vala;
Execução de lastro de concreto magro com
espessura de 5cm (consumo 150kg cimento por m3);
Execução de placa de concreto armado, de no
mínimo 10 em de espessura, excedendo ao menos 10
cm de cada lado da sapata de alvenaria.
Assentamento dos tijolos;
Coroamento da fundação;
Impermeabilização da fundação.
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata

Elemento de fundação, de concreto armado, dimensionado


de modo que as tensões de tração nele resultantes sejam
resistidas pelo emprego de armadura especialmente
disposta pera este fim (NBR 6122/2010).
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Tipos

Sapata isolada

Sapata isolada
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Tipos

Sapata isolada

Protetor de vergalhão Sapata isolada


Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Tipos

Sapata associada

No caso em que a proximidade entre dois ou


mais pilares seja tal que as sapatas isoladas se
superponham, deve-se executar uma sapata
associada.

Sapata associada
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Tipos

Sapata corrida

Sapata sujeita à ação de uma carga


distribuída linearmente ou de pilares de
um mesmo alinhamento.

Sapata corrida
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Tipos

Sapata de divisa

Viga de equilíbrio ou viga


Sapata de divisa
alavanca
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Tipos

Sapata tipo cofre

Tipo cofre – utilizada para estruturas pré-moldadas


Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Tipos

Sapata tipo cofre

Tipo cofre – utilizada para estruturas pré-moldadas


Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Execução

Locação;
Abertura da vala;
Apiloamento e regularização de vala;
Posicionamento da forma;
Execução de lastro de concreto magro com espessura de 5cm
(consumo 150kg cimento por m3);
Colocação da armadura da sapata e do pilar (espera ou
pescoço);
Colocação de guias para definição das declividades das faces;
Concretagem e conformação da superfície inclinada.
Fundações Rasas
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Execução

Montagem das formas


Fundações Rasas
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Execução

Colocação da armadura
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Execução

Sapata - concretagem
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Sapata – Execução

Sapata – após concretagem


Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Radier

Elemento de fundação que abrange parte ou todos os pilares de


uma estrutura, distribuindo os carregamentos.

Em geral a utilização de sapatas corridas é adequada


economicamente enquanto sua área em relação à da edificação
não ultrapasse 50%. Caso contrário, é mais vantajoso reunir todas
as sapatas num só elemento de fundação denominado radier.
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Radier

Radier parcial
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Radier

Radier total
Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Viga baldrame

Vigas de fundação – viga baldrame


Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Viga baldrame

Vigas de fundação – viga baldrame


Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Viga baldrame

Vigas de fundação – viga baldrame


Fundações
Fundações superficiais rasas ou diretas

Viga baldrame

Vigas de fundação – viga baldrame


Referências
AZEREDO, Hélio A. O Edifício até sua cobertura. Prática de Construção Civil. São
Paulo: Editora Edgard Blücher Ltda., 1977.

GEODACTHA. Acompanhe sua obra. Disponível em:


<http://www.geodactha.com.br/> Acesso em: julho/2013.

HACHICH, Waldemar; et all. Fundações Teoria e Prática. São Paulo: Editora PINI,
1998.

WALID, Yazigi. A técnica de Edificar . Sinduscon SP: Editora PINI, 2011.