Você está na página 1de 37

Introdução à patologia

Profª. Thais de A. Almeida


06/05/13
Patologia
Definição:

Pathos: doença. Logos: estudo.

Estudo das alterações estruturais e funcionais


nas células, tecidos e órgãos visando explicar
os mecanismos através dos quais surgem os
sinais e sintomas das doenças.
Patologia
Patologia geral:
estudo das reações aos estímulos anormais
que ocorrem em todas as células e tecidos.

Patologia sistêmica (especial):


estudo das reações específicas de cada tecido
ou órgão a uma agressão.
Patologia

Anatomia Patológica:

Especialidade médica que tem por atribuição


analisar as alterações causadas pelas mais
variadas doenças nas células e nos tecidos.
Anatomia Patológica
Patologia cirúrgica:
Análise de espécimes cirúrgicos sólidos
visando a detecção de alterações em seu
tecido (histopatológicas).

Citopatologia:
Análise de líquidos e secreções corporais
visando avaliar a presença de alterações
celulares (citopatológicas).
Anatomia Patológica

Necropsias:

Estudo post mortem das alterações presentes


no organismo buscando identificar a causa do
óbito.
Exame de congelação
O que é o exame de congelação?

Exame intra-operatório rápido, realizado com o


paciente ainda na sala de cirurgia.

Pode ser realizado no centro cirúrgico ou no


laboratório de Anatomia Patológica.

10 a 15 minutos.
Exame de congelação
Principais indicações:

- definir a natureza da lesão (neoplásica x não


neoplásica);
- avaliar margens cirúrgicas;
- avaliar a qualidade e quantidade da amostra para
diagnóstico posterior;

DETERMINA A CONDUTA A SER TOMADA AINDA NO ATO


CIRÚRGICO!
Como enviar um material para
análise anatomopatológica?
Envio de materiais
Peças cirúrgicas:

- Integridade da peça:

evitar seccionar materiais pequenos e médios;


peças muito grandes devem ser cortadas para
melhor fixação do material;
órgão ocos: abri-los;
temperatura ambiente (obs: produtos de
amputação).
Envio de materiais
Peças cirúrgicas:

- Recipiente:

tamanho adequado (10 vezes o tamanho da peça);


abertura larga;
vidro ou plástico;
hermeticamente fechados;
sempre com identificação.
Envio de materiais
Peças cirúrgicas:

- Fixação:

imediata;
formol a 10% (fixador universal);
recobrir toda a peça (10 volumes para cada
volume da peça);
Envio de materiais
Peças cirúrgicas:

- Identificação do material:

identificar o frasco com: nome completo do


paciente, número de registro hospitalar
(prontuário), identificação da peça cirúrgica e
topografia, nome do médico responsável, data
do procedimento.
Envio de materiais
Peças cirúrgicas:

- Formulário de solicitação de exame:

nome completo do paciente e idade;


número do registro hospitalar (prontuário);
identificação da peça cirúrgica e topografia;
data do procedimento;
história clínica resumida e hipóteses diagnósticas;
identificação do médico solicitante (assinatura e
carimbo).
Envio de materiais
Citologias:

- Líquidos (pleural, ascítico, pericárdico,


articulares, líquor; lavados brônquicos; urina).

- Esfregaços (colpocitologias, PAAF de tireóide,


escovados brônquicos, etc).
Envio de materiais
Citologias:
(líquidos pleural, ascítico, pericárdico, articulares,
líquor; lavados brônquicos; urina)

- Recipiente:
vidro ou plástico;
hermeticamente fechado;
sempre com identificação;
temperatura ambiente ou geladeira a 4°C.
Envio de materiais
Citologias:
(líquidos pleural, ascítico, pericárdico,
articulares, líquor; lavados brônquicos; urina)

- Fixação:
álcool a 70%, na proporção 1:1.
Envio de materiais
Citologias:
(líquidos pleural, ascítico, pericárdico, articulares,
líquor; lavados brônquicos; urina)

- Identificação do material:

identificar o frasco com: nome completo do


paciente, número de registro hospitalar
(prontuário), identificação do tipo de material,
nome do médico responsável, data do
procedimento.
Envio de materiais
Citologias:
(líquidos pleural, ascítico, pericárdico, articulares, líquor;
lavados brônquicos; urina)

- Formulário de solicitação de exame:

nome completo do paciente e idade;


número do registro hospitalar (prontuário);
identificação do tipo de material;
data do procedimento;
história clínica resumida e hipóteses diagnósticas;
identificação do médico solicitante (assinatura e carimbo).
Envio de materiais
Citologias:
(esfregaços: colpocitologias, PAAF de tireóide,
escovados brônquicos, etc)

- Identificar todas as lâminas com as iniciais do


paciente e número do registro hospitalar.
Envio de materiais
Citologias:
(esfregaços: colpocitologias, PAAF de tireóide,
escovados brônquicos, etc)

- Fixação:
imediata.
álcool a 70%;
spray fixador.
Envio de materiais
Citologias:
(esfregaços: colpocitologias, PAAF de tireóide,
escovados brônquicos, etc)

- Armazenamento:
tubete (lâminas fixadas em álcool);
tubete ou envelope, ambos identificados
(lâminas fixadas com spray);

CUIDADO PARA NÃO QUEBRAR AS LÂMINAS!


Envio de materiais
Citologias:
(esfregaços: colpocitologias, PAAF de tireóide, escovados
brônquicos, etc)

- Formulário de solicitação de exame:

nome completo do paciente e idade;


número do registro hospitalar (prontuário);
identificação do tipo de material e topografia;
► quantidade de lâminas enviadas;
data do procedimento;
história clínica resumida e hipóteses diagnósticas;
identificação do médico solicitante (assinatura e carimbo).
Envio de materiais
Exame de congelação:

- Material a fresco em frasco de vidro ou plástico, sem


fixador;
- Formulário de solicitação de exame:

nome completo do paciente e idade;


número do registro hospitalar (prontuário);
identificação do tipo de material e topografia;
data do procedimento;
► história clínica resumida e finalidade do exame;

identificação do médico solicitante (assinatura e carimbo).


Como o material é processado
no laboratório de Anatomia
Patológica?
Processamento (peça cirúrgica)

Macroscopia e clivagem:

- Macroscopia: avaliação da peça cirúrgica a olho


nu, observando suas características e
descrevendo-as.
Processamento (peça cirúrgica)
Macroscopia e clivagem:

- Macroscopia:

medidas;
forma;
coloração;
consistência;
características da superfície de corte;
descrição de todas as camadas dos órgãos;
achados anormais.
Processamento (peça cirúrgica)

Macroscopia e clivagem:

- Clivagem: processamento manual da peça


cirúrgica, seguindo técnicas específicas para
cada órgão, com o objetivo de representar as
áreas de interesse a serem estudadas.
Processamento (peça cirúrgica)
Processamento técnico:

Após a clivagem, o fragmento selecionado é


armazenado em um cassete plástico.

Posteriormente, é criado um bloco de parafina


com o fragmento.
Processamento (peça cirúrgica)
Processamento técnico:

Microtomia: cortes feitos no bloco de parafina, utilizando


um micrótomo, a uma espessura de 3 a 5 µm.

Coloração: hematoxilina e eosina (H.E.).


Processamento (citologias)
Macroscopia:

Avaliação das características do líquido:


volume;
coloração;
homogeneidade.

Quantificar o número de lâminas.


Microscopia

Após o processamento técnico, o material está


pronto para a análise microscópica.
Microscopia

De acordo com as características microscópicas


observadas, pode ser necessária a realização
de colorações especiais (método
histoquímico) ou técnicas de imuno-
histoquímica.
Colorações especiais

Método que auxilia na identificação de


microorganismos (bactérias, fungos,
parasitas), substâncias específicas (ex:
pigmentos) e componentes teciduais (ex:
tecido conjuntivo, gordura).
Imuno-histoquímica
Método especial que utiliza anticorpos
específicos para detectar antígenos na
superfície ou no interior das células.
Imuno-histoquímica
Aplicações:

- Distinção entre processos inflamatórios e neoplásicos;

- Diagnóstico de tumores indiferenciados quanto à linhagem;

- Diagnóstico de doenças infecciosas;

- Identificação de produtos secretados pelas células;


Imuno-histoquímica
Aplicações:

- Identificação de sítio primário de neoplasias metastáticas;

- Determinação do tipo e subtipo de leucemias e linfomas;

- Orientação terapêutica;

- Determinação de índice de proliferação celular;

- Identificação de células e moléculas específicas (pesquisa).