Você está na página 1de 5

16/10/2017 Trabalhando o relacionamento interpessoal entre as crianças e explorando sentimentos

Ministério da Educação

Portal do Professor
Início do Conteúdo

Trabalhando o relacionamento interpessoal entre as crianças e explorando sentimentos

Autor e Co-autor(es)

Autor Núbia Silvia Guimaraes Paiva

UBERLANDIA - MG Universidade Federal de Uberlândia

Co-autor(es)

Rita de Cássia Roger Mariano

Estrutura Curricular

Modalidade / Nível de Componente


Tema
Ensino Curricular
Educação Infantil Movimento Expressividade
Linguagem oral e
Educação Infantil Práticas de leitura
escrita
Organização dos grupos e seu modo de ser, viver e
Educação Infantil Natureza e sociedade
trabalhar
Linguagem oral e
Educação Infantil Falar e escutar
escrita
Educação Infantil Movimento Coordenação

Dados da Aula

O que o aluno poderá aprender com esta aula

Compreender melhor os próprios sentimentos;


Identificar sentimentos parecidos com os seus;
Melhorar suas relações com os colegas;
Expressar-se e verbalizar sentimentos;
Ampliar suas possibilidades de relações;

Duração das atividades

3 horas aulas

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

file:///C:/Users/psico/AppData/Local/Temp/Rar$EXa0.591/aula.html 1/5
16/10/2017 Trabalhando o relacionamento interpessoal entre as crianças e explorando sentimentos

Professor, é importante observar as relações entre as crianças. Essa aula foi desenvolvida em virtude de
observações feitas em sala e da constatação de dificuldades emocionais das crianças nas relações entre si. A
explosão de sentimentos como o choro por motivos aparentemente simples, a intolerância para com os
colegas em situações rotineiras como hora de brincar, hora de fazer atividades, em situações de críticas dos
colegas sobre comportamentos ou atividades de registro etc. Portanto, como conhecimentos prévios, destaco
a observação das relações estabelecidas entre as crianças.

Estratégias e recursos da aula

Atividade número 1:

Professor para começar o trabalho com as crianças leve para a sala a história “Dois idiotas sentados cada
qual no seu barril”, de Ruth Rocha:

Conte a história utilizando o recurso que preferir: lendo o livro, projetando em slides ou dramatizando.

A história trata de dois homens, o Teimosinho e o Mandão, que estão sentados cada um em seu barril de
pólvora, com uma vela acesa na mão. Cada um quer que o outro apague a própria vela primeiro, nenhum dá
o braço a torcer e ficam nessa discussão por muito tempo. Durante a discussão a raiva e a implicância de um
com o outro só vai aumentando. Implicam com a cor da roupa do outro, com a voz e nessa implicância vão
se abastecendo de munições e explosivos juntados ao lado dos barris de pólvora. Até que de repente, um
deles dá um espirro sem querer e a vela então cai junto aos explosivos que de uma só vez leva tudo pelos
ares. Era uma vez um Teimoso e era uma vez um mandão.

Depois da história proponha uma discussão com as crianças sobre o que aconteceu com os dois homens da
história e sobre os motivos que os levaram a agir da forma como agiram.

Sugestão de questões para a discussão:

O que vocês acharam da história?

Por que os dois homens brigavam tanto?

Eram mesmo motivos que mereciam tantas brigas?

E vocês? Já se sentiram assim?

Com muita raiva como os dois?

O que aconteceu?

Outras questões podem aparecer de acordo com as falas das crianças.

file:///C:/Users/psico/AppData/Local/Temp/Rar$EXa0.591/aula.html 2/5
16/10/2017 Trabalhando o relacionamento interpessoal entre as crianças e explorando sentimentos

Atividade número 2:

Para aproveitar o momento de reflexão entre o grupo, proponha uma atividade em que as crianças terão que
trabalhar em grupo e assim exercitar a tolerância e a interação. No caso dessa aula, organizamos grupos de
três crianças tentando cuidar daquelas que apresentavam mais dificuldades de relacionamentos, não deixando
que ficassem no mesmo grupo. Propusemos um trabalho com argila em que as crianças precisavam construir
algo em grupo que representasse a história ouvida. Esse material já deve estar preparado previamente.

Momento de interação entre as crianças – propiciando diálogos e exercício da tolerância:

file:///C:/Users/psico/AppData/Local/Temp/Rar$EXa0.591/aula.html 3/5
16/10/2017 Trabalhando o relacionamento interpessoal entre as crianças e explorando sentimentos

Acervo da autora, setembro de 2010. Autorização dos pais concedida para uso de fotos das crianças no Portal
do Professor.

Atividade número 3:

Depois da atividade concluída, faça uma exposição dos trabalhos das crianças e proponha uma roda em que
elas possam verbalizar o que sentiram durante o desenvolvimento da atividade com argila.

Sugestão de questões para o diálogo:

Gostaram de trabalhar com a argila?

Como foi trabalhar em grupo?

Como foi a atividade?

Todos participaram do registro?

Houve algum conflito?

Alguma criança teve dificuldade em colaborar?

Outras questões podem surgir de acordo com as falas das crianças.

Recursos Complementares

Você professor pode ainda ampliar a atividade levando jogos cooperativos para a sala em que as crianças
possam exercitar ainda mais a interação e a tolerância entre si.

file:///C:/Users/psico/AppData/Local/Temp/Rar$EXa0.591/aula.html 4/5
16/10/2017 Trabalhando o relacionamento interpessoal entre as crianças e explorando sentimentos

Sugestão de jogos cooperativos:

AUTÓGRAFOS

Cada educando recebe uma folha de papel em que deverá, ao sinal de comando do educador, conseguir o
maior número de autógrafos de seus colegas, no tempo de 1 (um) minuto. Não vale autógrafo repetido. Após
esse minuto, o educador solicita que os educandos identifiquem os fatores que dificultam a realização do
objetivo do jogo (conseguir os autógrafos dos colegas). Depois desse debate, inicia o segundo tempo, dando
mais 1 (um) minuto para que os educandos coletem os autógrafos, mas antes de iniciar o segundo tempo,
solicita que todos parem para pensar juntos. No final, questiona sobre os fatores que facilitam o jogo. A
comparação dos fatores, os que dificultam e os que facilitam, mostrará que o grupo iniciou a tarefa em
conflito e depois, utilizando a cooperação, conseguiu realizar a tarefa.

DANÇA DAS CADEIRAS

Colocar em círculo um número de cadeiras menor que a metade do número de participantes. Em seguida
propor o objetivo comum: terminar o jogo com todos os participantes sentados nas cadeiras que sobrarem.
Colocar música para todos dançarem. Quando a música parar, TODOS devem sentar usando as cadeiras (e os
colos uns dos outros). Em seguida o educador tira uma ou duas cadeiras (e assim sucessivamente). Ninguém
sai do jogo e a dança continua até nova parada (e assim por diante). Os educandos vão percebendo que
podem se liberar dos velhos, desnecessários e bloqueadores "padrões competitivos". Na medida em que se
desprendem dos antigos hábitos, passam a resgatar e fortalecer a expressão do "potencial cooperativo" de
jogar e viver. O jogo prossegue até restar uma cadeira, ou mesmo sem cadeira (vai até onde o grupo desejar).

Para encontrar outras possibilidades jogos cooperativos visite o sítio:

http://www.cvdee.org.br/evangelize/pdf/2_0205.pdf

Avaliação

Professor observe a reação das crianças durante as atividades interativas e interfira sempre que necessário –
com certeza aparecerão conflitos – levando a criança a pensar e elaborar melhor seus sentimentos de
frustração. Continue promovendo atividades cooperativas até que perceba evolução nas interações entre as
crianças.

file:///C:/Users/psico/AppData/Local/Temp/Rar$EXa0.591/aula.html 5/5

Interesses relacionados