Você está na página 1de 36

Pesquisas sobre

CLT – Cross Laminated Timber


realizadas no LaMEM SET EESC USP

Marcos Cesar M. Pereira


Eng. Industrial Madeireiro – Unesp Itapeva
Especialista em Eng. Produção – EESC-USP
Mestre em Ciências e Engenharia de Materiais - EESC-USP
Doutorando no Programa de Pós Graduação em Ciências e
Engenharia de Materiais - EESC-USP.

LaMEM - SET EESC - USP


Laboratório de Madeira e Estruturas
de Madeira
Introdução
CLT
Cross Laminated Timber ou
X-lam ou Cross Lam
Madeira Laminada Colada Cruzada

• Definição:

Painel formado por lamelas de madeiras


geralmente coladas em camadas
transversais defasadas 90⁰ entre si, com
números de camadas variando
geralmente de 3 a 9, sempre em números
ímpares, de modo a obter espessuras de
dimensões estruturais, por exemplo, de
57 a 500 mm.
CLT x MLC

Figura 1: CLT x MLC. FONTE: CLT Handbook FPInnovations 2012


Exemplos de utilização:
• Paredes;
• Pisos;
• Coberturas;
• Casas;
• Prédios
residenciais
• Prédios
multipavimentos
• Hospitais e escolas;
• Prédios Comerciais;
Alguns prédios em CLT
Qual é o edifício de CLT mais alto do
mundo atualmente?

• Alojamento
para
estudantes da
Universidade
de British
Columbia no
Canadá.
• 18 andares
Histórico
• Desenvolvido no final da década
de 80
• Áustria e na Alemanha,
para uso residencial.
• Durante a década de 90 um esforço de pesquisa e
desenvolvimento entre universidade e industrias para
melhorar o CLT
• A partir da década de 2000 houve um aumento expressivo
nas vendas e produção
• A partir meados de 2008 mercado aceita o CLT como um
material capaz de substituir o concreto e o aço
Principais fabricantes
• KLH – Austria/Alemanha
• StoraEnso – Austria/Alemanha
• Binderholz – Alemanha

• XLAM – Nova Zelandia


Algumas vantagens
• grande resistência a abalos
sísmicos,
• leveza, (material de baixa
densidade comparado ao concreto),
• Ciclo de vida menos agressivo ao
meio ambiente
• facilidade de pré-fabricação, porem
a prensa é gargalo;
• menor quantidade de resíduos na
obra;
• tempo de execução em obra é
reduzido;
Vantagens ecológicas
Estudo das características do CLT
• Norma americana e canadense ANSI
APA PRG 320/2011
• Norma Europeia EN 16351/2015
• CLT Handbook (EUA e Canadá)
• Artigos e teses europeias
Produção de CLT
Produção de uma placa de CLT
Etapas de produção: Classificação visual e mecânica.
• Adesivos estruturais para madeira
Etapas de produção: Aplainamento, destopo e
aplicação do adesivo
Montagem do painel na prensa
Prensagem

• Recomenda-se
0,6 a 1 Mpa de
pressão
Acabamento e recortes no painel
Produção de uma placa de CLT para ensaio
laboratorial
• Matéria Prima:
– Madeira: pinus elliottii
– Peças utilizadas: 1,6x13cm x 2,1m (3 camadas longitudinal)
1,6x13cm x 1,5m (transversal 2 camadas)
– Adesivo MUF – melamina ureia – formaldeido da Akzo Nobel.

 Prensa hidráulica com mínimo de 0,7MPa (~7 kgf/cm²)


Produção de uma placa de CLT
Produção de uma placa de CLT
Produção de uma placa de CLT
Produção de uma placa de CLT
Produção de uma placa de CLT
Produção de uma placa de CLT
• CLT pronto: dimensão de 2,20 x 1,15 m
• Massa = 135kg
Alguns Testes para CLT

• Compressão

• Delaminação
• Cisalhamento na
linha central
(rolling shear)
• Flexão
longitudinal
• Flexão
transversal
• Torção
Resultados

Flexão Longitudinal E0 4383,58 Mpa

Flexão transversal E90 1433 Mpa

Torção Gxy 1243 Mpa

Cisalhamento Rolling
G90 135 Mpa
Shear

Compressão paralela fc0,k 21 Mpa

Compressão Normal fc90,k 5,2 Mpa


Painéis de madeira sem adesivo
Produção de um painel cavilhado
Produção de um painel cavilhado
Obrigado!

marcoscesar@sc.usp.br