Você está na página 1de 3

INGOLD, Tim. Estar vivo.

Parte V: desenho fazendo a escrita

Por que desenhar se temos as palavras para descrever ou explicar?

Fabricação como projeto, imaginado, moldado na imaginação...assim o desenho é uma


transferência do imaginado para o papel. Na pratica a fabricação é menos uma questão de
projeção do que de encontro.

Ao fabricarem coisas os praticantes vinculam os seus próprios caminhos ou linhas de devir à


textura do mundo.

A criatividade do fabricar encontra-se na própria pratica, em um movimento de improvisação


que realiza as coisas enquanto prossegue.

A escrita no entanto não é um aglomerado em rede de palavras impressas, mas uma malha de
linhas entrelaçadas inscritas através de movimentos gestuais da mão.

Escrita manual é entendida como algo tecido.

Sobre o desenho, não é a projeção de imagens mentais, mas uma espécie de peregrinação –
como tomar um atalho e deixar um rastro (p.261)

O objetivo do desenho é sempre encontrar um caminho, premiar uma abertura.

Propõe antropologia gráfica: acoplando os movimentos de fazer, observar e descrever, nos


chama a fazer três coisas: seguir os materiais, copiar os gestos e desenhar as linhas.

1. seguir os materiais: mudar o foco de objetos prontos para processos de geração e


dissolução. Não a sua materialidade, mas os materiais tornando-se coisas
2. copiar os gestos: aprender através da pratica repetitiva da copia de exemplos
apresentados, não fazer copias idênticas, alinhar observação com ações em um mundo
em movimento.
3. desenhar as linhas:

15. sete variações sobre a letra A

Como desenhar uma letra?

A escrita é um compendio de gestos. São gestos contínuos, porem o registro em traço pode se
apresentar com espaços.

Comparações entre a letra digitada e a letra manuscrita.

16. modos de caminhada mental: leitura, escrita, pintura

a escrita é o desbravamento de um caminho, e a leitura uma viagem.

Caminhar é uma pratica visual? O caminhante observa e olha, mas vê somente quando essas
imagens são fixadas de alguma forma mentalmente e passam por um processo de
interpretação. Muito do que se passa diante de nossos olhos não produz qqer imagem que
possa ser evocada à mente. (p.284)

A imaginação é um lugar habitado por imagens

A leitura e a escrita certamente envolvem o exercício tanto dos olhos quanto da mente, e o
mesmo vale para o passeio.

O mental e o material ou os terrenos da imaginação e do ambiente físico, correm um dentro


do outro a ponto de mal serem distinguíveis.

O conhecimento pode entrar na alma humana por meio de dois portões, o da visão e o da
audição (p.288)

Painture e parole

Escritores medievais: imagens e palavras eram estritamente equivalentes e até


intercambiáveis. As imagens não eram mais visuais do que as palavras.

A leitura não difere do caminhar na paisagem. Caminhar é viajar na mente tanto quanto sobre
a terra: uma pratica meditativa. Ler é viajar na pagina tanto quanto na mente.

Povo Yolngu não só representa seus ancestrais em pinturas, mas acredita q essas pinturas são
esses seres apresentados no presente.

17. A textilidade do fazer

18. desenhando juntos: fazer, observar, descrever

INGOLD, Tim. Lines.

5. Drawing, writing and calligraphy

Escrever e desenhar são ações que geram traços do gesto manual.

Diferenças entre escrever e desenhar:

1. A escrita está em uma notação (nota, apontamento), o desenho não


2. Desenhar é uma arte, escrever não
3. Escrever é tecnologia, desenhar não
4. Escrever é linear, desenhar não (p.120)

Traz o exemplo do desenho Pooh, onde o Burro ve os galhos e o Leitão diz que formam um A.

Traz então o questionamento sobre o aprendizado da escrita, que inicia com traços que são
apenas registros de gestos, desenhos de movimentos da mão...

“as crianças não desenham, apenas indicam, e o lápis fixa o gesto indicativo” (Vygotsky)

Mas há um momento em que a criança percebe que a marca que fez no papel é uma
representação e que essa representação leva consigo um nome. (P.121)

Quando isso acontece, a nomeação do objeto passa a preceder o desenho.


Assim, pode desenhar letras. Porem desenha-las não é o mesmo que escrever. Escrever
acontece quando a criança entende que as letras podem ser arranjadas a fim de formar
palavras.