Você está na página 1de 64

24/08/2015

PNEUMÁTICA

Prof. Bruno Fagundes

INTRODUÇÃO

1
24/08/2015

HISTÓRICO
• Somente na segunda metade do século XIX é
que o ar comprimido adquiriu importância
industrial.
• Mas empregos de ar comprimido estão
descrito no Velho testamento: fundição da
prata, ferro, chumbo e estanho. A mais de
2000 anos utilizavam cilindro de madeira com
êmbolo para produzir energia pneumática.

FLUIDO
• É qualquer substância capaz de escoar e
assumir a forma do recipiente que a contém
(nesse caso o fluido em questão é o ar).

2
24/08/2015

PNEUMÁTICA
• Provém da raiz grega “PNEUMA”, que significa
fôlego, vento, sopro. Logo, pneumática é
conceituada como sendo a matéria que trata
dos movimentos e fenômenos dos gases.

Eletropneumática
• Ramo da pneumática que passa a utilizar a
energia elétrica CC ou CA como fonte de
energia para o acionamento de válvulas
direcionais, compondo as assim chamadas
eletroválvulas ou válvulas proporcionais,
energizando sensores, pressostatos, etc...

3
24/08/2015

Pneutrônica
• Evolução da eletropneumática, em que a
eletrônica é mais utilizada, com CLP’s,
sensores digitais, sistemas robotizados.

IMPLANTAÇÃO

4
24/08/2015

VANTAGENS
• Investimento inicial relativamente pequeno.
• Redução dos custos operacionais (rapidez de
movimentos e substituição de operário para
exercícios repetitivos).
• Robustez dos componentes pneumáticos (menos
sensíveis a vibrações e golpes; fácil manutenção).
• Facilidade de implantação.
• Resistência a ambientes hostis (poeira, atm
corrosiva...)

VANTAGENS 2
• Simplicidade de manipulação
• Segurança (geralmente trabalha com pressões
menores).
• Redução de acidentes (com a redução da
fadiga em trabalhos de esforço repetitivo).

5
24/08/2015

LIMITAÇÕES
• Ar comprimido requer bom tratamento
anterior: redução impurezas, umidade, etc.
• Pequenas forças (pressão) se comparado ao
sistema hidráulico.
• Trabalha com velocidades maiores (difícil
precisão na parada e trabalho em menores
velocidades).
• Fluido altamente compressível (difícil controle
de parada e velocidade uniforme).

ESCAPE DE AR

6
24/08/2015

ESCAPE DE AR 2

PROPRIEDADES FÍSICAS DO AR
• Insípido (sem gosto), inodoro(sem cheiro) e
incolor (sem cor).

7
24/08/2015

COMPRESSIBILIDADE
• Tem a propriedade de ocupar todo o volume
de qualquer recipiente, adquirindo seu
formato.
• Podemos concluir que o ar permite reduzir o
seu volume quando sujeito à ação de uma
força exterior.

ELASTICIDADE
• Propriedade que possibilita ao ar voltar ao seu
volume inicial uma vez extinto o efeito (força)
responsável pela redução do volume.

8
24/08/2015

DIFUSIBILIDADE
• Permite ao ar misturar-se homogeneamente
com qualquer meio gasoso que não esteja
saturado.

EXPANSIBILIDADE
• Propriedade do ar que
lhe possibilita ocupar
totalmente o volume
de qualquer recipiente

9
24/08/2015

Peso do ar
• Um litro de ar, a 0ºC e ao nível do mar, pesa
1,293 x 10-3 kg.
CHEIOS

VÁCUO

O ar quente é mais leve que o ar frio

10
24/08/2015

ATMOSFERA
Camada formada por gases, principalmente por oxigênio (O2) e
nitrogênio (N2).
Camadas inferiores são comprimidas pelas camadas superiores
(sendo as primeiras mais densas).

MASSA ESPECÍFICA

11
24/08/2015

PRESSÃO

Pressão atmosférica
• Atua em todos os sentidos e direções com a
mesma intensidade. É proporcional à altitude.

12
24/08/2015

Variação da pressão com a altitude

Aceleração da gravidade
• Intensidade do campo gravitacional;
• Latitude 45°, ao nível do mar: 9,8062 m/s²
• varia minimamente, devido a, principalmente,
diferentes altitudes, variações na latitude e
distribuição de massas do planeta;
• aceleração adicional no corpo oposta a
aceleração da gravidade. O corpo atraído
gravitacionalmente sente uma força
centrífuga atuando para cima, reduzindo seu
peso
• Distância maior no equador;

13
24/08/2015

14
24/08/2015

MEDIÇÃO DA PRESSÃO ATMOSFÉRICA


• Torriceli – tubo de mercúrio.
Barômetro:
instrumento utilizado
para medir a pressão
atmosférica

PRESSÃO ABSOLUTA/RELATIVA

15
24/08/2015

16
24/08/2015

EXERCÍCIO
• Uma sala de aula possui dimensões do piso de
3,5m por 4,2 m e altura de 2,4m.
• Quanto pesa o ar na sala quando a pressão do
ar é de 1,0 atm?
• Qual a intensidade da força da atmosfera
sobre o piso da sala?

17
24/08/2015

18
24/08/2015

Princípio de Pascal

Questão AI
• Observe a imagem a seguir

Considerando A2= 6 A1, analise 1 as afirmativas que seguem.


I – A razão entre a vazão deslocada pelo cilindro 1 e a vazão deslocada pelo
cilindro 2 é um valor unitário.
II- O pistão 1 tem velocidade seis vezes maior do que o pistão 2.
III – F2 é três vezes maior do que F1.
IV – Na condição de regime permanente, desprezam-se as perdas de cargas e
os efeitos de compressibilidade da tubulação e do fluido.
• Estão corretas as afirmativas:
• A)I e IV, apenas;
• B) II e IV, apenas;
• C) I, II e III.
• D) I, II e IV.

19
24/08/2015

• Alternativa D

Com relação à implantação do ar comprimido em circuitos de


automação e controle, é correto afirmar que

• A) as velocidades acima de 400 mm/s são difíceis de serem


alcançadas com o ar comprimido devido às suas
propriedades físicas.
• B) a fragilidade dos controles pneumáticos torna-os
relativamente sensíveis a vibrações e golpes, não
permitindo que ações mecânicas do próprio processo
sirvam de sinal para as diversas sequências de operação.
• C) por ser um fluido altamente compressível, é inadequada
sua utilização quando se quer obter paradas intermediárias
e velocidades uniformes.
• D) o ar comprimido não necessita de uma boa preparação
(remoção de impurezas e eliminação de umidade) para
realizar o trabalho proposto.

20
24/08/2015

• Alternativa C

• Determine qual a menor área admissível do êmbolo de


um cilindro pneumático, para que no seu avanço ele
possa erguer uma caixa que exerce uma força contrária
de 39,24 N. A pressão de linha de ar comprimido é de 4
bar. Deve- se levar em conta que a força de atrito é de
20% da força teórica do êmbolo. Outros dados:
g=9,81m/s² e 1 bar é aproximadamente 1 Kgf/cm².
• a) 120 mm²
• b) 100 mm²
• c) 9,81 mm²
• d) 12 mm²
• e) 1,2 mm

21
24/08/2015

• Resposta A

Lei dos gases perfeitos

22
24/08/2015

23
24/08/2015

24
24/08/2015

25
24/08/2015

Problema 1

26
24/08/2015

Problema 2

27
24/08/2015

PRODUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO

Compressores
• Máquinas destinadas a elevar a pressão de um
certo volume de ar, ate a pressão exigida na
execução dos trabalhos realizados pelo ar.

28
24/08/2015

DESLOCAMENTO POSITIVO
• Baseia-se na redução de volume.
• O ar é admitido do meio exterior e tem seu
volume gradualmente diminuído.

DESLOCAMENTO DINÂMICO
• A elevação da pressão é obtida por meio de
conversão de energia cinética em energia de
pressão. O ar admitido é colocado em contato
com impulsores dotados de alta velocidade.

29
24/08/2015

• http://www.compair.pt/About_Us/Compresse
d_Air_Explained--
03The_three_types_of_compressors.aspx

COMPRESSOR DE PARAFUSO
• Dois rotores helicoidais giram em sentidos
opostos, sendo que um dos rotores possui
lóbulos convexos e outro, uma depressão
côncava, chamados de macho e fêmea.
compressor parafuso.mp4
FLUXO DE TRABALHO COMPRESSOR PARAFUSO - YouTube [360p].mp4

ROTARY SCREW AIR COMPRESSOR PRINCIPLE WWW.AIRLINKCOMPRESSORS.CO.UK - YouTube [360p].mp4

Rotary Screw Compressors Air System Fundamentalswww savevid com - YouTube [240p].3gp

COMPRESORES SULLAIR ATLAS COPCO INGERSOLL RAND GARDNE DENVER KAESER.avi

30
24/08/2015

FUNCIONAMENTO

31
24/08/2015

COMPRESSOR DE SIMPLES EFEITO OU


TIPO TRONCO
• Tem somente uma câmara de compressão.
• Pistão aspira o ar e o comprime.

Compressor pistão.mp4

compressor pistão duplo.mp4

32
24/08/2015

Outros
compressor scrool 2.mp4 Scroll Compressor - YouTube [360p].mp4

Scroll Compressor all cut up - YouTube [360p].mp4

33
24/08/2015

REGULAGEM DE PRESSÃO

34
24/08/2015

Métodos de controle

35
24/08/2015

SISTEMAS DE REGULAGEM NOS


COMPRESSORES

Regulagem com Marcha sem carga


(Vazio)
• Regulagem por descarga
– Válvula de segurança do tipo de alívio;
– Abre quando valor de pressão é superado;
– Instalações de pequeno porte.

36
24/08/2015

Regulagem por fechamento


• Bloqueia o circuito de aspiração;
• Quando pressão diminui, válvula de controle
retorna à situação inicial.

Regulagem por garras


• Utilizada em alguns compressores de pistão;
• Mecanismo para manter a válvula de
aspiração aberta, de modo que o ar aspirado
seja rejeitado sem ser comprimido.

37
24/08/2015

Regulagem com Marcha em Carga


parcial
• Compressor sempre em funcionamento, mas o
sistema diminui o valor de vazão.

• Regulagem por rotação


– Controle completo da rotação do motor do
compressor;

• Regulagem com Marcha intermitente


• Funcionamento regulado pelo pressostato – Ligando e
desligando o motor. Exige grande reservatório, senão motor vai
ligar e desligar várias vezes.

Controle liga/desliga (on/off)


• Mais robusto;
• Limita a faixa de pressão de trabalho;
• Compressores de pequena potência nomial
(refrigeração e compressores menores de ar);
• Mostra limitações para motores com grandes
tempos de partida (consequentemente maior
consumo de energia).

38
24/08/2015

Controle carga/alívio
• Também chamado duplo ou dual;
• O motor permanece ligado, mas trabalhando
em vazio (mudança de uma válvula);
• Conecta a um temporizador com o
acionamento da válvula onde, após um certo
tempo, se o compressor não entrar em
compressão, o motor é desligado.

Método de controle com acionamento


à velocidade variável (AVV)
• Variação de velocidade no motor para níveis
diferenciados de pressão;
• Possibilidade de ganho energéticos maiores;
• Sistema automatizado; Sensor de vazão de ar;
CLP e o AVV;

39
24/08/2015

ARMAZENAMENTO E
CONDICIONAMENTO DO AR
COMPRIMIDO

Fazer exercícios da pg.28, Livro


Prudente

40
24/08/2015

FLUXOGRAMA

REDE DE DISTRIBUIÇÃO
• FUNÇÕES:
• Comunicar a fonte produtora com os
equipamentos consumidores;
• Funcionar como um reservatório para atender
às exigências locais.

41
24/08/2015

Deve ter:

• Pequena queda de pressão entre o


compressor e as partes de consumo.
• Não apresentar escape de ar;
• Apresentar capacidade de realizar separação
de condensado.

Layout
• Construído em desenho isométrico ou escala.
• Deve apresentar: a rede principal, suas
ramificações, pontos de consumo, qual a
pressão nos pontos, posição de válvulas de
fechamento, conexões, separadores de
condensado, etc.

42
24/08/2015

FORMATO

ANEL

43
24/08/2015

RAMIFICADA

44
24/08/2015

CURVATURA
• Deve ser no maior raio possível, para evitar
perdas pela turbulência. Evitar cotovelos
de 90º.

45
24/08/2015

INCLINAÇÃO
• A inclinação serve para favorecer o
recolhimento de eventual condensação e das
impurezas devido à formação do óxido,
levando-as para o ponto mais baixo, onde são
eliminados através do dreno.
• Deve ser de 0,5 a 2%.
• Com rede extensa, recomenda-se colocar mais
de um dreno.

46
24/08/2015

TOMADAS DE AR
• Feitas pela parte superior da tubulação
principal, para evitar problemas de
condensado

47
24/08/2015

VAZAMENTOS

Tubulações Secundárias
• Deve-se ter materiais de alta resistência,
durabilidade, tc.
• Geralmente utiliza-se tubos sintéticos.

• Polietileno: ate pressões de 700 kPa e


temperatura de -37 a 40 C.
• Nylon: mais resistente, de vácuo ate 1700 kPa
e temperatura de 0 a 70 C.

48
24/08/2015

UNIDADE DE CONDICIONAMENTO
(LUBREFIL)

FILTRAGEM DE AR
• Partículas pequenas que permanecem
durante o processo de preparação podem
ficar suspensa e são arrastadas pelo fluxo de
ar, agindo como abrasivos nas partes móveis
dos elementos pneumáticos.

49
24/08/2015

Funcionamento

Auto Drain NC.exe


Lubricator.exe

Air Filter.exe

Precision Regulator.exe
Mist Separator.exe

50
24/08/2015

REGULAGEM DE PRESSÃO
• Nem sempre é possível que todos os
equipamentos trabalhem com a mesma
pressão (por isso a necessidade de um
regulador).
• Outras funções:
• Compensar o volume de ar;
• Manter constante a pressão de trabalho.
• Funcionar como válvula de segurança.

VÁLVULA REGULADORA DE PRESSÃO


FLUXO – DE P1 PARA P2
Quando a pressão
aumenta - vence a
pressão da mola maior e é
jogado fora

51
24/08/2015

FILTRO/REGULADOR CONJUGADO

Manômetros

52
24/08/2015

LUBRIFICAÇÃO
• Utilizado para diminuir os efeitos desgastantes
e as forças de atrito.

Princípio de Venturi

53
24/08/2015

ÓLEOS RECOMENDADOS
Fonte: treinamento
parker

54
24/08/2015

VÁLVULAS DIRECIONAIS

Tipos de acionamentos e comandos

55
24/08/2015

• Musculares
• Mecânicos
• Pneumáticos
• Elétricos
• Combinados

3 port valve.exe

5 ports 2 position single solenoid valve.exe

5 ports 2 position double solenoid valve.exe

Poppet valve_Spool valve.exe

56
24/08/2015

57
24/08/2015

5 port 3 position closed centre.exe

5 port 3 position exhaust centre.exe

5 port 3 position pressure centre.exe

Circuitos

Pneumatic circuit with 5 port closed centre valve.exe

Pneumatic circuit with 5 port closed centre valve and pressure relief 3port valve.exe

Pneumatic circuit with meter-out speed controller and 5 port single solenoid valve.exe

58
24/08/2015

VÁLVULA DE RETENÇÃO COM MOLA

ELEMENTO OU

59
24/08/2015

VÁLVULA “E”

VÁLVULA DE CONTROLE DE FLUXO


BIDIRECIONAL

60
24/08/2015

VÁLVULA DE CONTROLE DE FLUXO


VARIÁVEL UNIDIRECIONAL

VÁLVULA DE ALÍVIO

61
24/08/2015

TRATAMENTOS ESPECIAIS

62
24/08/2015

Vídeos
Compressor parafuso
• http://www.youtube.com/watch?v=iDAKfAib4bY&feature=related
• http://www.youtube.com/watch?v=YDh2X0cn-
3E&feature=results_main&playnext=1&list=PLEE3D8AA9D7004067
• http://www.youtube.com/watch?v=XkwN_jaKnUY (fluxo)
• http://www.youtube.com/watch?v=rRvlT9SKuOA (Schulz)
• http://www.youtube.com/watch?v=WFZ1bhFEh2U
• http://www.youtube.com/watch?NR=1&v=GhkP4kfQS0I&feature=f
vwp
• http://www.youtube.com/watch?v=iDAKfAib4bY&feature=related

Compressor pistão
• http://www.youtube.com/watch?v=rIqCkrCFS
B0
• http://www.youtube.com/watch?v=ZqPyMTp
QYZY
• http://www.youtube.com/watch?v=Knxs2J7-
Bps

63
24/08/2015

Scroll copeland
• http://www.youtube.com/watch?v=dsabYhhO
ko0&feature=related
• http://www.youtube.com/watch?v=f_6xolDoq
s0
• http://www.youtube.com/watch?v=KB8UrkHH
Hlw (vídeo demonstrativo)

64