Você está na página 1de 7

NORMA DE TRANSMISSÃO UNIFICADA

NTU-013

INSPEÇÃO E AVALIAÇÃO TÉCNICA DE FORNECEDORES


DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS

NTU 013 VERSÃO 3.0 JUNHO/2017


APROVAÇÃO

Thiago Ribeiro Kussano


Gerente Corporativo de Logística de Projetos, Obras e Manutenção
Grupo Energisa

Gioreli de Sousa Filho


Vice-Presidente de Distribuição - VPD
Grupo Energisa

NTU 013 VERSÃO 3.0 JUNHO/2017


SUMÁRIO
1 OBJETIVO ....................................................................................................................... 1
2 INTRODUÇÃO ................................................................................................................. 1
3 DEFINIÇÕES ................................................................................................................... 1
4 APLICAÇÃO .................................................................................................................... 2
5 PROCEDIMENTOS DE INSPEÇÃO ................................................................................ 2
5.1 Inspeção de Homologação ................................................................................................2
5.2 Inspeção de Recebimento .................................................................................................3
6 RESULTADO DA INSPEÇÃO .......................................................................................... 4
7 HISTÓRICO DE VERSÕES DESTE DOCUMENTO ....................................................... 4

NTU 013 VERSÃO 3.0 JUNHO/2017


1 OBJETIVO
O objetivo desta NTU é fornecer diretrizes para Inspeção de Recebimento e
Avaliação Técnica Industrial nos FORNECEDORES de equipamentos e materiais de
Linhas de Distribuição em Alta e Baixa Tensão e Subestações, para as empresas do
Grupo ENERGISA.

2 INTRODUÇÃO
Esta norma aborda aspectos a serem observados durante a visita realizada pelo
inspetor e auditor da ENERGISA nas Instalações do FORNECEDOR.
Os aspectos a serem observados concentram-se nas Áreas de: Controle de Matéria-
Prima, Processos de Fabricação, Estrutura de Laboratório, Calibração de
Equipamentos de Ensaios, Ensaios em Amostras e/ou Protótipos, Relatórios de
Ensaios e Controle de Qualidade.
A inspeção deverá ser executada de forma planejada, estruturada e eficaz,
configurando-se em um elemento essencial para o atendimento aos requisitos de
conformidade, segurança e qualidade.

3 DEFINIÇÕES
ABNT: Associação Brasileira de Normas Técnicas.
ALMOXARIFADO: Local destinado à armazenagem em condições adequadas de
materiais.
ENERGISA: Qualquer uma das empresas que compõem o Grupo Energisa
(Energisa S/A e suas subsidiárias).
EBO – Energisa Borborema
EMG – Energisa Minas Gerais
EMS – Energisa Mato Grosso do Sul
EMT – Energisa Mato Grosso
ENF – Energisa Nova Friburgo
EPB – Energisa Paraíba
ESE – Energisa Sergipe
ESS – Energisa Sul Sudeste
ETO – Energisa Tocantins
EPC: Equipamento de Proteção Coletiva
EPI: Equipamento de Proteção Individual
FORNECEDOR: Empresa com a qual a ENERGISA mantém ou pretende manter
contrato de fornecimento.

NTU 013 VERSÃO 3.0 JUNHO/2017


1
RNC: Registro de Não Conformidade
SIHOF: Sistema de Homologação de Fornecedores.

4 APLICAÇÃO
Esta Norma aplica-se obrigatoriamente a todas as inspeções realizadas, seja no
âmbito da homologação de equipamentos, materiais e empresas para o
fornecimento às empresas do Grupo ENERGISA, quanto no recebimento dos
equipamentos e materiais.

5 PROCEDIMENTOS DE INSPEÇÃO
5.1 Inspeção de Homologação
Acordadas as datas para a realização da Inspeção de Homologação, esta também
considerada como visita de Avaliação Técnica Industrial, consiste das seguintes
verificações e registros:
- Controle de Matéria Prima: Verificação das ações do FORNECEDOR perante o
recebimento de matérias-primas para aplicação e processamento dos produtos,
como laudos técnicos das matérias-primas bem como ensaios e testes de
confirmação da matéria-prima.
- Processo de Fabricação: Verificação do processo de fabricação dos produtos, no
âmbito do entendimento das etapas de reuniões de matérias-primas, fusões,
montagens, ensaios de rotina, controles de processos, triagens, acabamentos,
embalagem e expedição.
- Principais Clientes: Verificação de relação dos principais clientes do
FORNECEDOR, para os equipamentos e materiais em análise, visando à
possibilidade de consulta sobre a utilização do equipamento/material.
- Estrutura de Laboratório: Verificação da estrutura do laboratório do
FORNECEDOR, para a realização dos ensaios de rotina, ensaios de
recebimento e ensaios de tipo. Verificar se o laboratório possui alguma
acreditação por órgãos, tais como INMETRO, TÜV Rheinland, BRTÜV, Bureau
Veritas, DNV e CEPEL.
- Calibração de Equipamentos e Ensaios: Verificação dos Certificados de
Calibração dos Equipamentos de Ensaios do Laboratório, bem como a
periodicidade dos mesmos.
- Ensaios em Amostras e/ou Protótipos: Consiste na realização de ensaios de
recebimento ou ensaios de tipo em amostras designadas para avaliação durante
a visita do inspetor da ENERGISA.
Nestes ensaios devem ser gerados documentos para constarem no Relatório da
Inspeção.
- Relatórios de Ensaios: Nesta etapa o inspetor da ENERGISA solicita os ensaios
de tipo realizados pelo FORNECEDOR, preferencialmente realizados em
laboratório externo e com prazo de no máximo 05 (cinco) anos de realização.

NTU 013 VERSÃO 3.0 JUNHO/2017


2
Sendo os ensaios de tipo realizados em laboratório próprio, este deverá possuir
acreditação pela IEC 17025. Quando o laboratório do FORNECEDOR não for
acreditado os ensaios deverão ter assinatura de acompanhamento de um
cliente/concessionária, ou serem realizados na presença do inspetor da
ENERGISA, no ato da inspeção de homologação, gerando os relatórios dos
ensaios correspondentes.
Estes relatórios de ensaios deverão ser registrados e aprovados no Sistema de
Homologação de Fornecedores - SIHOF da ENERGISA, após a Homologação
Técnica e Comercial ser APROVADA.
Novos ensaios de Tipo somente serão requisitados ao FORNECEDOR quando
houver solicitação de homologação, alteração no projeto do material e/ou
acidentes causados pela não atuação do material na rede.
- Controle de Qualidade: Nesta etapa o inspetor verifica os Registros de Controle
de Qualidade. O FORNECEDOR deve apresentar os Registros de Não
Conformidades - RNC que são abertos durante o processo produtivo e para seus
subfornecedores, bem como esses documentos são tratados e como a empresa
utiliza esses “insumos” para melhoria contínua do seu processo produtivo.
Adicionalmente o inspetor da ENERGISA deve verificar a existência de uma área
devidamente segregada para separação de produtos não conformes.
Adicionalmente para assegurar o atendimento aos requisitos específicos do
Grupo Energisa poderá ser realizada uma auditoria de risco juntamente com a
homologação técnica objetivando avaliar questões de gestão da organização e
melhores práticas de fabricação dentro da organização.
5.2 Inspeção de Recebimento
O FORNECEDOR deverá convocar a inspeção dos equipamentos ou materiais
fabricados, com antecedência mínima de 15 (quinze) dias, para que seja agendada
em tempo hábil, atendendo a um cronograma de viagem a ser definido entre o
FORNECEDOR e a ENERGISA.
O FORNECEDOR deverá apresentar os equipamentos/materiais fabricados ao
inspetor da ENERGISA, para a separação das amostras a serem ensaiadas
conforme Norma ABNT 5426/5427 ou Norma correspondente ao
Equipamento/Material.
Nos ensaios de recebimento o FORNECEDOR deverá gerar relatórios próprios,
registrando todos os resultados do dos ensaios, a fim de compor o relatório gerado
pelo inspetor da ENERGISA.
O relatório gerado pelo inspetor da ENERGISA deverá ser impresso em 02 (duas)
vias e assinado pelo responsável técnico do Laboratório do FORNECEDOR e pelo
inspetor da ENERGISA.

NTU 013 VERSÃO 3.0 JUNHO/2017


3
Para as convocações que são dispensadas de inspeção presencial, o setor da
Qualidade de Suprimentos deve comunicar o fornecedor via e-mail para que o
mesmo proceda com os ensaios de liberação do lote sem a presença do inspetor da
ENERGISA. Depois de realizados os ensaios o fornecedor deve encaminhar, via e-
mail, os arquivos para: “inspecao@energisa.com.br” (para as empresas EPB, ESE,
EBO, EMG e ENF), “inspecaomateriais.ems@energisa.com.br” (para a empresa
EMS) e “inspecaomateriais@energisa.com.br” (para a empresa EMT).

6 RESULTADO DA INSPEÇÃO
A Inspeção de Homologação Técnica deverá ter seu resultado comunicado a área
de Suprimentos da Energisa, através de envio do Relatório Técnico gerado durante
a visita de Avaliação Técnica Industrial e registro do referido relatório no sistema
SIHOF, na tela de cadastro de visita técnica.
A Inspeção de Recebimento de Equipamentos e/ou Materiais deverá ser registrada
no Sistema da ENERGISA, contendo as informações de aprovação ou reprovação
do(s) lote(s) inspecionado(s). O relatório da inspeção deverá ser encaminhado em
formato digital para a área de Suprimentos. Para a área técnica solicitante, deverá
ser enviado somente quando for inspeção de material específico.

7 HISTÓRICO DE VERSÕES DESTE DOCUMENTO

Data de
Versão Descrições das alterações realizadas
emissão

30/09/2014 1.0 Primeira versão

Outubro/15 2.0 Segunda versão

15/06/2017 3.0 Alterado os itens 3; 5.1; e 5.2.

NTU 013 VERSÃO 3.0 JUNHO/2017


4

Você também pode gostar