Você está na página 1de 13

POLÍCIA MILITAR DA PARAÍBA

CENTRO DE EDUCAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR


ACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR DA PARAÍBA
CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS – CFO
ASPIRANTES 2018

CAD PM 2º ANO ÍCARO

PROPOSTAS DE ATIVIDADES E CURSOS PARA O CFO PARA O ANO DE 2018

TÓPICOS
1. INTRODUÇÃO
2. OBJETIVO
3. ATIVIDADES
3.1. INTERCÂMBIO COM A ACADEMIA DE MINAS GERAIS
3.2. OPERAÇÃO “CADETE”
3.3. OFICINA DE POLICIAMENTO OSTENSIVO/ENTREGA DAS FARDAS AO 1º ANO
3.4. EXERCÍCIO DE LIDERANÇA
3.5. VIAGEM DE ESTUDOS
3.6. SIMPÓSIO DE POLÍCIA MILITAR
4. CURSOS E ESTÁGIOS
4.1. CURSO DE AGENTE DA AUTORIDADE DE TRÂNSITO
4.2. CURSO DE CONDUTOR DE VEÍCULOS DE EMERGÊNCIA
4.3. CURSO DE TÁTICAS EM DUPLA
4.4. CURSO DE GERENCIAMENTO DE CRISE
4.5. ESTÁGIO DE PATRULHAMENTO RURAL
4.6. ESTÁGIO DE PATRULHAMENTO URBANO / FORÇA TÁTICA
5. CONSIDERAÇÕES

JOÃO PESSOA - PB
2018
1.INTRODUÇÃO

O processo de formação é caracterizado por sua dinâmica e sua con nuidade por toda vida
profissional e pessoal do indivíduo. Em alguns momentos de nosso desenvolvimento, o processo de
formação se reveste de fundamental importância, como na infância, adolescência e na vida adulta
jovem. Durante a infância, adolescência e começo da vida adulta jovem, os mecanismos de
plas cidade do córtex-neuronal se apresentam mais a vos, o que proporciona melhores
produ vidades na construção e conexão de conhecimentos. Já na vida adulta, meia idade e na
terceira idade, tais mecanismos se encontram com índices de menor a vidade, dificultando a
construção de novos conhecimentos e na conexão entre os já existentes.
Vivemos em sociedade que também se processa em uma dinâmica con nua e, por seguinte,
em constante transformação. As Ins tuições que formam tal sociedade, a transformam e por ela são
transformadas, em uma holís ca de forças denominadas de Movimento Ins tuinte e Movimento
Ins tuído. Aquela busca alterar o status quo e essa a manutenção do status quo. Mudanças nos
processos econômicos, produção do conhecimento, valores, comunicação ou outros estruturantes
sociais, são alavancas desses Movimentos.
O Curso de Formação de Oficiais busca formar os futuros gestores da principal Ins tuição de
Segurança Pública da sociedade Paraibana. Nesse contexto, se encontra em um ponto de tensão das
Forças dos Movimentos já citados. São adolescentes e adultos jovens que se encontram em um
processo de Formação, numa Ins tuição que possui em sua competência cons tucional a
manutenção da ordem.
É esperado o caráter Ins tuinte de demandas advindas daqueles em processo de formação, e
dada a caracterís cas próprias da Ins tuição hajam defensas a tais demandas. No entanto, as
demandas aqui propostas refletem um perspec va de aperfeiçoamento do processo de formação,
longe de ser uma proposição de afronta a formação policial existente.
As propostas aqui existentes refletem, unicamente, a visão do autor, podendo
eventualmente exis r a concordância de alguns cadetes em pontos específicos.

2. OBJETIVO

Apresentar algumas sugestões de a vidades e cursos que procuram dinamizar e


complementar o processo de formação do futuro oficial/gestor da Ins tuição.

3. ATIVIDADES

3.1 INTERCÂMBIO COM A ACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS

- O QUE SERIA?

A vidade curricular complementar onde cadetes de uma ins tuição iriam conhecer e
vivenciar uma visão da realidade da ins tuição coirmã proporcionando novas oportunidades de
aprendizado e laços de cooperação.

- PORQUE SE REALIZAR?
O estudo comparado é uma metodologia de ensino-aprendizagem que proporciona novas
visões de mundo e aumenta o repertório de respostas a situações-problema do Policiamento
Ostensivo. A oportunidade de intercâmbio permite que laços de cooperação sejam criados e/ou
fortalecidos favorecendo o fortalecimento da classe em nível nacional. Conhecimentos e modos de
atuação de uma ins tuição sejam compar lhados com membros de uma outra. Serve de vitrine da
Academia e da Ins tuição a nível nacional.

- ONDE SERIA?

A a vidade ocorreria de forma concomitante ou alternada na Paraíba e Minas Gerais

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

Cadetes das Academia de Polícia Militar do Cabo Branco e da Academia de Polícia Militar de
Minas Gerais.

- QUANDO OCORRERIA?

Ao longo do ano de 2018, durante uma semana (Ou duas, caso haja a alternância no envio).

- COMO SE FARIA?

Ao longo de um período ordinário de funcionamento das Academias, cadete(s) de uma


ins tuição vivenciariam a realidade da Academia coirmã como se cadete dessa outra academia fosse.
Podendo, inclusive, concorrer a Escala de Serviço Externo.

- COMO SE FINANCIARIA?
O financiamento dessa a vidade ocorreria via PMPB e PMMG, considerando que seria ato
serviço, podendo contar com aporte de en dades representa vas de oficiais PM/BM.

3.2 OPERAÇÃO “CADETE”

- O QUE SERIA?

Uma Operação de Policiamento Ostensivo planejada, coordenada e comandada pelos


Cadetes, sob a supervisão de Oficiais.

- PORQUE SE REALIZAR?

A Operação seria uma oportunidade dos Cadetes, especialmente, os do 3º ano, exercerem a


função de Comando, pica do Oficial, ao se depararem com as vicissitudes do co diano operacional
e de fatores externos. Seriam uma oportunidade de se avaliar o Oficial em formação. A A vidade
seria uma vitrine da produ vidade operacional da APMCB.

- ONDE SERIA?
Área do CPRM, segundo a mancha criminal e diretrizes do Comando.

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

Cadetes dos 1º, 2º e 3º Anos da APMCB, com apoio do efe vo de outras OPMs (CFAP,
Trânsito, Ambiental, RP, Cavalaria e/ou Força Regional).

- QUANDO OCORRERIA?

Duração prevista 24H.

- COMO SE FARIA?

O 3º Ano realizaria o Planejamento, Comando e Controle da Operação, Comunicação Social,


Logís ca, e poderia ainda rar CPU Supervisionado, supervisionado por Oficial(is) Superior(es). O 2º
Ano realizaria Estágio de Aux. De CPU, comandaria VTR e comandaria o 1º Ano, supervisionado pelo
3º Ano e Oficiais .O 1º Ano e o efe vo de apoio das unidades especializadas seriam os executores,
supervisionado pelo 3º Ano, 2º Ano e Oficiais. Seriam realizados Bloqueios de Via Pública,
Policiamento Motorizado, Policiamento a Pé, Incursão em Comunidades, Checkpoints e Saturação.

- COMO SE FINANCIARIA?

O financiamento ocorreria via PMPB, podendo, como resultado das ações empreendidas,
exis r retorno aos cofres do Estado superior ao inves mento realizado.

3.3 OFICINA DE POLICIAMENTO OSTENSIVO/ENTREGA DO UNIFORME DO 1º ANO

- O QUE SERIA?

Uma instrução de Policiamento Ostensivo realizado na modalidade de Oficina, des nada aos
Cadetes do 1º Ano, como a vidade preparatória para a solenidade de entrega do Fardamento
Operacional.

- PORQUE SE REALIZAR?

A instrução seria ato preparatório para o 1º Ano anterior ao primeiro serviço externo
operacional, capacitando-os as a vidades a serem desempenhadas, promovendo a autoconfiança no
exercício das prá cas policiais e sedimentando a doutrina.

- ONDE SERIA?

Centro de Educação da Polícia Militar

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

Cadetes do 1º e 3º Ano, sob a supervisão da Coordenação da APMCB.


- QUANDO OCORRERIA?

Na véspera da solenidade de Entrega do Fardamento. Duração aproximada de 14 horas/aula,


incluindo TAT, deslocamentos e montagem/desmontagem das oficinas.

- COMO SE FARIA?

Seguindo o Caderno de Instrução de Pista de Combate do Pelotão e do Grupo de Combate


nas Operações de Garan a da Lei e da Ordem (EB70-CI-11.411), 1ª Edição, 2017. Realizadas de 5 à 8
oficinas, duração de até 1h 15min cada. Oficinas de: Bloqueio de Via Pública; Busca e Apreensão;
Escolta; CDC; Reintegração de Posse; Patrulhamento a pé; Patrulhamento Motorizado; Progressão
em Área Urbana; Desobstruir Via Pública; e etc.

- COMO SE FINANCIARIA?

O Financiamento da a vidade ficaria a cargo da PMPB, considerando-se que se trata de ato


de serviço/instrução, e os recursos a serem u lizados seriam da própria ins tuição.

3.4 EXERCÍCIO DE LIDERANÇA

- O QUE SERIA?

Instrução visando desenvolver e aprimorar os atributos que favorecem a liderança,


habilidade sine qua non do Oficial.

- PORQUE SE REALIZAR?

O Cadete como futuro Oficial e Gestor da Ins tuição, pelas funções e competências
inerentes, deve ter a habilidade de Liderança desenvolvida, primordialmente, durante a formação.
Proporcionar treinamentos voltados especificamente para o desenvolvimento dessa habilidade e
seus atributos leva a formação de Oficiais melhor preparados ao futuro da Ins tuição.

- ONDE SERIA?

Centro de Educação da Polícia Militar

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

Cadetes do 3º Ano e do 1º Ano, sob a supervisão do Oficiais da APMCB.

- QUANDO OCORRERIA?

Durante a Semana de Adaptação do 1º Ano CFO 2018.


- COMO SE FARIA?

Baseando-se no Caderno de Instrução de Exercícios de Desenvolvimento da Liderança, 2006.


Oficinas de situações problema que visariam desenvolver os atributos: Autoconfiança; Cooperação;
Cria vidade; Decisão; Entusiasmo Profissional; Inicia va; e Persistência.

- COMO SE FINANCIARIA?

A a vidade teria financiamento da própria ins tuição, podendo contar com apoio externo.

3.5 VIAGEM DE ESTUDOS

- O QUE SERIA?

A vidade Complementar que visa os cadetes conheceriam uma visão da realidade da


ins tuição coirmã, com os desafios próprios daquela realidade, proporcionando novas
oportunidades de aprendizado e laços de cooperação

- PORQUE SE REALIZAR?

O estudo comparado é uma metodologia de ensino-aprendizagem que proporciona novas


visões de mundo e aumenta o repertório de respostas a situações-problema do Policiamento
Ostensivo. A oportunidade de intercâmbio permite que laços de cooperação sejam criados e/ou
fortalecidos favorecendo o fortalecimento da classe. Conhecimentos e modos de atuação de uma
ins tuição sejam compar lhados com membros de uma outra. Serve de vitrine da Academia e da
Ins tuição.

- ONDE SERIA?

Cenários: Internacional (País Sulamericano); Nacional (ex: Minas Gerais, São Paulo, Santa
Catarina ou Paraná) e Regional (ex: PE, CE, RN ou MA)

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

Cadetes 3º Ano

- QUANDO OCORRERIA?

No ano de 2018.

- COMO SE FARIA?

Concentração na Unidade; Translado até a Coirmã; Visitação a unidade(s) da coirmã e


apresentação sobre a mesma; Momento Lazer & Turismo; Traslado de Regresso

- COMO SE FINANCIARIA?
Ocorreria pela PMPB, ato de serviço, podendo ter contribuição da COMASP, DA e/ou
En dades Representa vas de Oficiais PM/BM.

3.6 SIMPÓSIO DE POLÍCIA MILITAR

- O QUE SERIA?

Evento cien fico e comercial

- PORQUE SE REALIZAR?

O Evento traria a luz o estado-da-arte nos temas que fossem discu dos, assim como a
oportunidade de ter disponível novas tecnologias e produtos do setor.

- ONDE SERIA?

Centro de Educação da Polícia Militar.

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

PMPB; PMs coirmãs; Outros Órgãos de Segurança Pública; Legisla vo e Judiciário Estadual;
Sociedade Civil.

- QUANDO OCORRERIA?

Dois à três dias.

- COMO SE FARIA?

Na manhã do 1º dia, credenciamento e palestra inaugural. Almoço. Tarde do 1º Dia, duas


palestras sobre algum tema da área. Na manhã 2º dia, 3 palestras comerciais e uma temá ca.
Almoço. Tarde do 2º Dia, divulgação Ins tucional e palestra comercial (Ou encerramento).

- COMO SE FINANCIARIA?

O evento se financiaria por meio da cobrança de inscrições dos ouvintes e taxa dos
expositores/patrocinadores. Espera-se que o retorno seja rever do em prol da COMASP do 3º Ano e
do DA.

4. CURSOS E ESTÁGIOS

4.1 CURSO DE AGENTE DA AUTORIDADE DE TRÂNSITO

- O QUE SERIA?
Curso de Habilitação aos Cadetes para Atuarem como Agentes da Autoridade de Trânsito

- PORQUE SE REALIZAR?

Melhorar a Sensação de Segurança ao se aperfeiçoar o processo do Policiamento Ostensivo


de Trânsito. Ao serem competentes para atuarem como agentes da autoridade de trânsito, os futuros
Oficiais tornam o Policiamento Ostensivo ordinário mais completo com uma menor dependência de
unidade especializada, que possui reduzido efe vo e distante vários Kms de outras unidades, e
permitem que a fiscalização seja mais presente. Com a fiscalização mais presente, uma maior
quan dade de autuações seriam realizadas, aumentando a educação para o trânsito dos condutores
por meio da aprendizagem por punição-recompensa, e aumentaria a arrecadação do Estados. O
aumento da arrecadação do Estado por meio das ações de policiamento ostensivo de trânsito pelo
policiamento ordinário traria o poder de barganha da ins tuição por mais verbas a nível polí co.

- ONDE SERIA?

Centro de Educação da Polícia Militar

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

Cadetes do 3º Ano e do 2º Ano.

- QUANDO OCORRERIA?

Ao longo do 2º Ano.

- COMO SE FARIA?

U lizando-se das Disciplinas de Policiamento de Trânsito e de algum módulo complementar


(se necessário).

- COMO SE FINANCIARIA?

Convênio com a Autoridade de Trânsito e pela PMPB.

4.2 CURSO DE CONDUTOR DE VEÍCULOS DE EMERGÊNCIA

- O QUE SERIA?

Curso de Capacitação dos futuro Oficiais para a Fiscalização e Condução, com Segurança, das
VTRs da PMPB.

- PORQUE SE REALIZAR?
Cabe ao Oficial fiscalizar o uso do patrimônio da Ins tuição nas a vidades de Segurança
Pública, inclusive das VTRs. Durante as a vidades de Policiamento as VTR trafegam com elevada
velocidade e em vias públicas, sendo necessária a devida capacitação do efe vo, para aplicar técnicas
de direção para o emprego ocorra com a devida Segurança. O Oficial deve possuir conhecimentos
sobre a condução de VTR para na apuração de procedimentos administra vos rela vos a condução
de VTR emi r pareceres devidamente embasados. Durante o confronto policial, ver-se um
agrupamento de ros voltados contra o condutor da VTR, sendo o comandante da viatura o
elemento melhor posicionado para assumir a condução da mesma, caso o condutor seja alvejado.

- ONDE SERIA?

Centro de Educação da Polícia MIlitar

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

Instrutores do NET/CEPM e APMCB

- QUANDO OCORRERIA?

No ano de 2018.

- COMO SE FARIA?

U lizando-se da estrutura e recursos existes na Unidade e do Curso da REDESENASP.

- COMO SE FINANCIARIA?

Financiamento ins tucional, podendo contar com recursos da SENASP.

4.3 CURSO DE TÁTICAS EM DUPLA

- O QUE SERIA?

Curso que capacitaria o Cadete a realizar a intervenção policial com uso da força letal de
forma coordenada, eficiente e segura em conjunto a outro membro da guarnição/agente de
segurança pública.

- PORQUE SE REALIZAR?

No co diano da atuação policial, o agente de segurança pública tende a reagir a uma


agressão, potencialmente, letal em conjunto com a sua guarnição ou outros agentes de segurança
pública. Possuir uma doutrina de atuação coopera va com os outros membros de uma guarnição
maximizam a segurança da guarnição, transeuntes e Agentes Perturbadores da Ordem Pública,
eficiência no uso da força de segurança pública existente no cenário, e minimizando eventos de fogo
amigo ou danos colaterais;
- ONDE SERIA?

Centro de Educação de Polícia Militar

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

Cadetes do 3º Ano

- QUANDO OCORRERIA?

Ao final do 3º Ano, ou ainda, concomitante as Disciplinas de Tiro Policial do 3º Ano.

- COMO SE FARIA?

Após vencida a carga horária de disciplinas obrigatórias do 3º Ano, seria des nado momento
oportuno para a referida capacitação no Stand de Tiro do CE e ministrado por instrutor(es) da PMPB.
No decurso das Disciplinas de Tiro Policial do 3º Ano, parte da carga horária seria voltada aos
princípios e doutrina da referida capacitação.

- COMO SE FINANCIARIA?

Financiamento Ins tucional, podendo contar com patrocínio de empresa de armamento e


munições.

4.4 CURSO DE GERENCIAMENTO DE CRISE

- O QUE SERIA?

O curso visa dotar o profissional da área de segurança pública que não é um Gerente de
Crises treinado, a fazer uso de conhecimentos básicos, que possam auxiliá-lo na primeira resposta
em ocorrências que, mesmo complexas, possam ser solucionadas sem o uso da força sica.

- PORQUE SE REALIZAR?

O policial dotado de tais conhecimentos facilitará a atuação do grupo responsável pela


gerência da crise.

- ONDE SERIA?

Centro de Educação da Polícia Militar

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

Cadetes do 3º Ano

- QUANDO OCORRERIA?
Primeiro módulo seria a disciplina regular de Gerenciamento de Crises e um segundo módulo
posteriormente.

- COMO SE FARIA?

Módulo I – Disciplina de GDC e Módulo II – Técnicas de GDC e Prá ca

- COMO SE FINANCIARIA?

O curso teria financiamento interno.

4.5 ESTÁGIO DE PATRULHAMENTO RURAL

- O QUE SERIA?

Instruções que, em conjunto e ar culadas, caracterizam um curso na modalidade de estágio


acerca das a vidades de sobrevivência e operações de segurança pública em ambiente de caa nga.

- PORQUE SE REALIZAR?

Apesar de contar com a maior parte da população urbana residente em áreas urbanas,
historicamente, o bandi smo rural faz uso das áreas de caa nga para evadir-se e homiziar-se das
Ins tuições Policiais. É master ao oficial de polícia que opere no interior do Estado possuir e saber
aplicar conhecimentos rela vos a operar e sobreviver nesse inóspito ambiente operacional.

- ONDE SERIA?

Pocinhos/PB

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

GEOSAC e APMCB

- QUANDO OCORRERIA?

2018, primeiro semestre.

- COMO SE FARIA?

Baseando-se no COSAC, adaptar as intruções ao propósito da capacitação do Cadetes do 3º


Ano CFO.

- COMO SE FINANCIARIA?
Financiamento Ins tucional, podendo eventualmente contar com apoio interagências.

4.6 ESTÁGIO DE PATRULHAMENTO URBANO / WORKSHOP DE FORÇA TÁTICA

- O QUE SERIA?

Instrução, nível Estágio, obje va preparar o futuro Oficial de Polícia Militar a conduzir
operações de segurança pública em aglomerados urbanos em situações de Alto Risco.

- PORQUE SE REALIZAR?

A grande maioria da população reside e mantém suas a vidades laborais em áreas


urbanizadas, assim como a criminalidade organizadas em facções faz uso dos espaços urbanos
periféricos para sua atuação, em alguns casos negando a ação do Estado por meio de Poder de Fogo
elevado. Nesse contexto, para levar a Ordem Pública a essas localidades conflituosas dominadas por
facções criminosas, o Oficial deve possuir conhecimentos próprios de operar com segurança,
eficiência e resguardando vidas.

- ONDE SERIA?

Centro de Educação da Polícia Militar

- QUEM SERIAM OS ENVOLVIDOS?

Cadetes do 3º Ano

- QUANDO OCORRERIA?

2018, segundo semestre.

- COMO SE FARIA?

A instrução teria como referencial teórico o Manual PATAMO PMDF 2010 ou, ainda, Manual
de Patrulha em Local de Risco PMESP 2009. Duração de uma semana na modalidade Estágio e de três
dias na modalidade Workshop. Na modalidade Workshop, vislumbra-se diferentes possibilidades de
inves mento, (a) uso do próprio efe vo da PMPB Cursado em PATAMO e/ou Força Tá ca; (b) Cadetes
serem enviados a uma unidade especializada em Patrulhamento Urbano de Ins tuição coirmã
(BPChoque/PMRN; ROTA/PMESP; BOPE/PMERJ; etc...) para a referida capacitação; (c) PMs de uma
Unidade de Especializada em Patrulhamento Urbano de Ins tuição coirmã viriam a PMPB realizar o
workshop para os cadetes e militares de outras unidades.

- COMO SE FINANCIARIA?

Financiamento Interno, podendo contar com apoio de outras agências e/ou PM co-irmãs.
5.CONSIDERAÇÕES

Apesar de dida camente isolados, as a vidades e cursos sugeridos, poderiam ser executados
de modo coordenados e/ou ar culado, visando maximizar o meios empregados a ngindo-se mais de
um obje vo simultaneamente. Considera-se ainda que nem todas as ações propostas poderiam ser
efe vamente realizadas ou ar culadas, tendo em vista, as limitações orçamentárias e diretrizes
polí co-operacionais. O inves mento realizado em Formação e Treinamento não apresenta
resultados imediatos, no entanto, refletem-se em ações de longo prazo, ao momento que um
profissional melhor qualificado reduz custos da organização. Menores custos, maior disponibilidade
de verbas para aperfeiçoamento de outros processos.
Exemplos de a vidades que poderiam ser ar culadas e/ou coordenadas:

A) INTERCÂMBIO COM A ACADEMIA DE MINAS GERAIS X ESTÁGIO DE PATRULHA RURAL


Alguns Cadetes úl mo ano da Academia de Minas Gerais (três, 3) viriam realizar o Estágio de
Patrulha Rural na PMPB, enquanto alguns Cadetes do 3º Ano da APMCB (três, 3) iriam realizar algum
Estágio ou Curso na Academia de Minas Gerais. O presidente da Associação de Oficiais PM-BM de
Minas Gerais se propôs intermediar um intercâmbio inter academias durante Reunião Extraordinária
da FENEME no SENABOM.

B) INTERCÂMBIO COM A ACADEMIA DE MINAS GERAIS X VIAGEM DE ESTUDOS


A turma do 3º Ano realizaria a visitação a Academia de Minas Gerais que receberia o nome
de Intercâmbio.

C) TÁTICAS EM DUPLA X DISCIPLINAS DE TIRO DO 3º ANO


Durante as disciplinas de Tiro os Cadetes 3º Ano seriam cursados em Tá cas em Dupla,
realizando economia de recursos.

D) OPERAÇÃO CADETE X EXERCÍCIO DE LIDERANÇA X OFICINA DE POLICIAMENTO OSTENSIVO


Agrupar essas três a vidades e coordená-las de modo a economizar recursos,
considerando-se logís cas similares que seriam usados nas três a vidades.

E) VIAGEM DE ESTUDOS X ESTÁGIO DE PATRULHAMENTO URBANO


A viagem de estudos seria mo vada pela a capacitação em Patrulhamento Urbano, podendo
ser realizada na PMRN ou PMPE a tulo de exemplo. Em uma escala maior

F) SIMPÓSIO DE POLICIA MILITAR X ESTÁGIO DE PATRULHAMENTO URBANO


Durante a realização do Simpósio a capacitação em Patrulhamento Urbano seria uma das
a vidades do Simpósio, onde o mesmo financiaria a capacitação.

G) CURSO DE GERENCIAMENTO DE CRISE X DISCIPLINA DE GERENCIAMENTO DE CRISE


Capacitação que tem se realizado em outras turmas realizar-se também aos ASP 2018.

H) CURSO DE AGENTE DA AUTORIDADE DE TRÂNSITO X DISCIPLINAS DE POLICIAMENTO DE TRÂNSITO


De modo similar ao Curso de Gerenciamento de Crises, as disciplinas de trânsito seriam parte
ou a capacitação em Agente da Autoridade de Trânsito