Você está na página 1de 34

JUÍZO DE ADMISSIBILIDADE E

JUÍZO DE MÉRITO
O Análise da presença dos O Análise da pretensão
requisitos indispensáveis; recursal que pode ser
O Preliminar ao juízo de de invalidação, reforma,
mérito; integração ou de
O Aptidão de um esclarecimento da
procedimento; decisão;
O O mérito do recurso
O Análise do ofício;
pode coincidir ou não
O Pode ser: positivo ou com o mérito da causa;
negativo.
O Pode ser: positivo ou
negativo.
JUÍZO DE ADMISSIBILIDADE
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS ou SUBJETIVOS:
A – CABIMENTO
B – LEGITIMIDADE
C- INTERESSE EM RECORRER
D - INEXISTÊNCIA DE FATO EXTINTIVO OU
IMPEDITIVO

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS ou OBJETIVOS:


A – TEMPESTIVIDADE
B – PREPARO
C – REGULARIDADE FORMAL
A - CABIMENTO
O A decisão é recorrível?
O Qual o recurso cabível para atacar esta decisão?

Previsão legal do recurso - Adequação

Interposto o recurso cabível = requisito preenchido.

Regra: unicidade/singularidade/unirrecorribilidade.
Exceção: fungibilidade recursal
O Exemplos:

Decisão Recurso cabível

Sentença Apelação.
*Emb. de declaração (se existente os vícios)
RECURSO INOMINADO – JEC;
EMBARGOS INFRINGENTES DE ALÇADA (LEI Nº 6830/80);
AGRAVO DE INSTRUMENTO – NOS CASOS DE SENTENÇA QUE DECRETA A FALÊNCIA.

Decisão Agravo de instrumento


Interlocutória *Emb. de declaração (se existente os vícios)

DECISÃO INTERLOCUTÓRIA NÃO AGRAVÁVEL


* Apelação - Artigo 1.009, §1º do CPC.

Despacho – incapaz de Irrecorrível – Artigo 1001 do CPC


gerar qualquer prejuízo

Acórdão Recurso Especial; Recurso Extraordinário; Recurso Ord. Const.; Embargos de


Divergência
*Emb. de declaração (se existente os vícios)

Decisão Agravo Interno


monocrática *Emb. de declaração (se existente os vícios)
* Do Presidente ou Vice Presidente do Tribunal: Agravo em Recurso Especial ou
B - LEGITIMIDADE
O Artigo do 996 CPC: “O recurso pode ser interposto pela parte
vencida, pelo terceiro prejudicado e pelo Ministério Público, como
parte ou como fiscal da ordem jurídica”.

O “parte vencida” – não somente autor e réu, mas também terceiro


interveniente.

O Terceiro prejudicado -

O Legitimidade do Ministério Público = como parte ou fiscal da lei


(custos legis)

O Legitimidade do advogado = honorários advocatícios


C - INTERESSE EM RECORRER
O Utilidade – situação mais vantajosa;

O Necessidade: deve ser preciso usar o


recurso para alcançar o objetivo.

O Interesse recursal e existência de


sucumbência;

O Interesse recursal eventual – decorrente da


interposição de recurso por outro legitimado.
D - INEXISTÊNCIA DE FATO EXTINTIVO ou
IMPEDITIVO DO DIREITO DE RECORRER

 RENÚNCIA AO DIREITO DE RECORRER – extintivo


do direito de recorrer
Renúncia sob condição – ex. reserva-se ao direito
de interpor recurso adesivo.

 ACEITAÇÃO DA DECISÃO – extintivo do direito de


recorrer

 DESISTÊNCIA - Impeditivo do direito de recorrer

 NÃO PAGAMENTO DE MULTA: em algumas oportunidades


exige-se que o recorrente efetue o pagamento de multas aplicadas
em fase anterior para que possa interpor recurso. Exemplo: artigo
1021, § 4º e 5º do CPC.
PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
ou OBJETIVOS
A – TEMPESTIVIDADE
O Interposição no prazo previsto.
O Contagem: computam-se apenas dias úteis (artigo 219
do CPC)
O Termo inicial = intimação da decisão (artigo 1.003 do
CPC)
O Interrupção do prazo recursal:
artigo 1.004 do CPC - falecimento de uma das partes
ou de seu advogado; motivo de força maior; interposição
de embargos
O TEMPESTIVIDADE: aferida na data do
protocolo:
protocolo em cartório (artigo 1.003, §3º do
CPC)
protocolos descentralizados (artigo 929,
§único do CPC)
protocolo integrado (correios) – data da
postagem (artigo 1003, §4º, CPC).
protocolo por fac-símile (lei n. 9800/99);

O Recurso prematuro: protocolado antes de


iniciar o prazo (artigo 218, §4º, CPC).
Prazos especiais para recorrer:
Fazenda Pública e MP - prazo em dobro (art. 183 do CPC);
Obs.: não se aplica nas causas reguladas pelo ECA (art. 198, II, ECA).
Não incide no âmbito dos Juizados Especiais Federais e nos Juizados
Especiais da Fazenda Pública.
Defensoria Pública – prazo em dobro (art. 186, §1º, CPC)
(art. 5º; §5º, da Lei n. 1060/50 e art. 44, I, e 128 da Lei Comp. 80)
Núcleo de prática jurídica de instituição de
ensino superior ou por entidade que presta
serviço de assistência judiciária gratuita, em
convênio com a Defensoria– prazo em dobro (art. 186,
§4º, CPC)
Litisconsórcio e procuradores diferentes – art.
229 do CPC. Obs.:O benefício não se aplica nos casos de processos em
autos eletrônicos.
B – REGULARIDADE FORMAL
Exemplos:
O Forma escrita (exc. Embargos de Declaração nos
Juizados);
O Petição de Interposição do recurso e razões
recursais impugnando especificamente os
fundamentos da decisão recorrida;
O O recurso deve ser subscrito por advogado
constituído;
O A interposição, em regra, ocorre no juízo de origem
(a quo).
O A petição deve indicar as partes (e qualificar, em
alguns casos), as razões do inconformismo e o
pedido;
O Juntar as peças obrigatórias quando exigido
(agravo de instrumento);
O Demonstrar repercussão geral em rec.
Extraord.;
O Formular pedido de nova decisão ou de
anulação da decisão recorrida =
PROVIMENTO DO RECURSO.
C – PREPARO
O Conceito
O Regra: comprovação do preparo no momento da
interposição (art. 1.007);
O Dispensados de preparo:
MP; União, Estados, Municípios e respectivas
autarquias;
Beneficiários de AJG
O Recursos que dispensam preparo: embargos de
declaração (art. 1.023); agravo interno; recursos
no ECA; agravo em recurso especial ou
extraordinário (art. 1.042, §2º); embargos
infringentes do art. 34 da Lei de execução fiscal.
O Problemas:
• Falhas na comprovação do preparo: intimar
para em 05 dias sanar o vício (art. 1.007, §7º
do CPC);
• Ausência de preparo: intimação para pagar
em dobro (art. 1.007, §4º do CPC).
• Preparo insuficiente: intimação para
complementar (art. 1.007, §2º do CPC).

Falta de preparo: deserção do recurso.


Relevação da deserção: provar justo
impedimento (art. 1.007, §5º do CPC).
Decisão irrecorrível por falta de interesse.
Resultado do juízo de
admissibilidade
Juízo a quo: Juízo ad quem:
POSITIVO = POSITIVO: CONHECE
RECEBE O O RECURSO ou
RECURSO ADMITE-O

NEGATIVO = DEIXA NEGATIVO: DEIXA DE


DE RECEBER O CONHECER ou
RECURSO ADMITIR O RECURSO
APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE
USUCAPIÃO. SENTENÇA DE PROCEDÊNCIA
DO PEDIDO. APELO DOS RÉUS. Vício
processual caracterizado. Aditamento da
pretensão da autora no curso do feito, com
ampliação da área usucapienda. Necessidade
de renovação dos atos de citação
e intimação. Consequente invalidação da sent
ença e retorno dos autos ao juízo de origem.
DESCONSTITUÍRAM, DE OFÍCIO,
A SENTENÇA, PREJUDICADO O RECURSO
DE APELAÇÃO. (Apelação Cível Nº
70049306947, Décima Nona Câmara Cível,
Tribunal de Justiça do RS, Relator: Mylene
Maria Michel, Julgado em 24/07/2012)
APELAÇÃO CÍVEL. SERVIDOR PÚBLICO. PISO
NACIONAL DO MAGISTÉRIO. COMPETÊNCIA DO
JUIZADO ESPECIAL DA FAZENDA PÚBLICA.
MUNICÍPIO DE IJUÍ. VALOR DA CAUSA. ART. 2º,
CAPUT E § 4º, DA LEI Nº 12.153/2009. RESOLUÇÃO
Nº 887/2011-COMAG. I - O art. 2º, caput e § 4º, da Lei
nº 12.153/2009 estabelece o valor da causa como regra
geral da fixação da competência do Juizado Especial
da Fazenda Pública. Resolução nº 887/2011 - COMAG.
II - O ajuizamento da demanda em momento posterior à
instalação do JEFP na Comarca de Ijuí - Resolução nº
925/2012-COMAG - induz à nulidade da sentença,
diante do caráter absoluto da competência do JEFP,
com a conseqüente invalidação dos atos decisórios.
Art. 113, caput e § 2º, do CPC. Precedentes
jurisprudenciais. Atos decisórios
anulados. Sentença desconstituída. Apelação
prejudicada. (Apelação Cível Nº 70062489307, Terceira
Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator:
Eduardo Delgado, Julgado em 23/06/2016)
JUÍZO DE MÉRITO
O Consiste na análise do conteúdo da
impugnação à decisão recorrida. Assim,
consiste na “pretensão recursal, que pode ser
de invalidação, reforma, integração ou
esclarecimento” (DIDIER JR.; CUNHA, 2012, P. 76).

O Será analisado o mérito somente nos casos em


que o juízo de admissibilidade for positivo, ou
seja, quando o recurso for conhecido.
Erro de julgamento
error in iudicando
O Equívoco no julgamento. Consiste em
uma má apreciação da questão de direito
ou de fato.
Erro de Procedimento
Error in procedendo
O No erro de procedimento discute-se a
existência de defeito formal, seja com
relação ao procedimento ou a decisão.
APELAÇÃO. NEGÓCIOS JURÍDICOS BANCÁRIOS. EXECUÇÃO DE
TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL. CONTRATO PARTICULAR DE
EMPRÉSTIMO. ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (SUCESSOR DA
CAIXA ECONÔMICA ESTADUAL). CRÉDITO NÃO FISCAL.
PRESCRIÇÃO INTERCORRENTE NÃO CARACTERIZADA. INÉRCIA DO
CREDOR NÃO VERIFICADA. O prazo prescricional, antes vintenário
(artigo 177, do CC/16) foi reduzido substancialmente pelo novo diploma
civil, passando a ser de 05 anos, nos termos do artigo 206, § 5º, I, do
CC/02. De acordo com a regra de transição do art. 2.028 do CC atual, é
aplicável à espécie o prazo quinquenal. Na hipótese, além de haver sido
ajuizada a demanda executiva dentro do quinquídio legal, o exequente
não se mostrou inerte, tendo diligenciado por diversas vezes no sentido
de encontrar o executado e bens passíveis de penhora, a fim satisfazer o
crédito. Ainda que se reconheça o extenso período de tramitação do feito
(17 anos desde o ajuizamento), não há razões para que se impute ao
Estado a morosidade no andamento. Para caracterização da prescrição
intercorrente é necessária a demonstração de desídia por parte do
exeqüente na busca do seu crédito - o que não ocorreu na hipótese.
Sentença desconstituída, com o retorno dos autos à origem para o
prosseguimento da execução APELAÇÃO PROVIDA. (Apelação Cível
Nº 70064751951, Décima Sexta Câmara Cível, Tribunal de Justiça do
RS, Relator: Eduardo Kraemer, Julgado em 01/12/2016)
APELAÇÃO CIVEL. NEGÓCIOS JURÍDICOS BANCÁRIOS. CONTRATOS DE
EMPRÉSTIMO. AÇÃO CAUTELAR DE EXIBIÇÃO DE DOCUMENTOS.
EMPRÉSTIMO. (...).É possível ao magistrado exigir documentos comprobatórios
quando não houver demonstração evidente de seu estado econômico. Precedentes
do STJ. No caso, demonstrada a ausência de condições econômicas da agravante
para adimplemento das custas processuais, deve ser concedida a assistência
judiciária gratuita. Preliminar acolhida. Preliminar. Interesse de Agir. Nas demandas
por meio das quais são buscados os contratos de empréstimo pessoal contendo
informações sobre a relação contratual mantida com a instituição financeira, ficou
sedimentada a necessidade de atendimento dos requisitos de procedibilidade:
requerimento administrativo não atendido no prazo razoável, demonstração da
existência da relação jurídica e o pagamento do custo do serviço, conforme Recurso
Especial sob nº 1.349.453-MS. A parte autora demonstrou o atendimento aos
requisitos para ajuizamento da ação, comprovando a realização de requerimento
administrativo, que não foi atendido, afastando a alegação de ausência de pretensão
resistida. Houve comprovação da relação jurídica. Preliminar rejeitada. Aplicação do
Artigo 1013, § 3º, CPC. Se tratando de sentença de extinção sem julgamento do
mérito, na base legal seria o caso de situação elencada no art. 1103, § 3º, do Código
de Processo Civil, definindo-se o mérito. Entretanto, não tendo havido
oportunidade de defesa, nem no segundo grau, devem os autos retornar à
origem para oportunizar ao requerido a sua defesa ou a juntada dos
documentos pretendidos. PRELIMINAR REJEITADA APELAÇÃO PROVIDA.
(Apelação Cível Nº 70070254347, Vigésima Terceira Câmara Cível, Tribunal de
Justiça do RS, Relator: Alberto Delgado Neto, Julgado em 13/12/2016)
APELAÇÃO CÍVEL. RESPONSABILIDADE CIVIL. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS.
INTERRUPÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA, UNIDADE CONSUMIDORA LOCALIZADA NA ZONA RURAL.
HORÁRIO DA INTERRUPÇÃO NÃO DETERMINADO. SENTENÇA DE EXTINÇÃO DO FEITO SEM
RESOLUÇÃO DE MÉRITO CASSADA. JULGAMENTO NOS TERMOS DO ART. 1013, §3º, I, DO NOVO
CPC. DANO MORAL IN RE IPSA NÃO CONFIGURADO. PEDIDO JULGADO IMPROCEDENTE.
Indeferimento da Inicial. Sentença Cassada. Julgamento nos termos do Art. 1.013, §3º, I, do NCPC. Caso
dos autos em que uma petição, do tipo padrão, mudando apenas o nome do litigante, sustenta que a
parte autora faz jus a indenização por danos morais em face de interrupção de energia. Instada pelo juízo
a emendar a inicial, esclarecendo com a máxima precisão as datas e horários em que o serviço
permaneceu suspenso, a parte simplesmente deixou de cumprir dizendo que pelo passar do tempo não
mais lembra a hora em que faltou a luz, nem a hora em que o serviço foi restabelecido. O juízo
monocrático entendeu por indeferir a inicial, considerando-a inepta, ante a recusa (alegada
impossibilidade) da parte autora em precisar a causa de pedir. Considerando que estamos à frente de
uma relação de consumo, possível seria que o consumidor repassasse o ônus de demonstrar o prazo
efetivo de suspensão da energia ao fornecedor, o qual, sem dúvida, tem todas as condições para fazê-lo.
A partir disso, não parece, respeitado entendimento diverso, ser tecnicamente o mais correto o
indeferimento da inicial. Contudo, na medida em que houve a citação da ré, ainda que apenas para fins
de contrarrazoar o recurso interposto, mais adequado a aplicação do inc. I do parágrafo 3º do art. 1013 do
NCPC, que alcança ao órgão recursal, quando presentes todos os elementos para o julgamento, a
possibilidade de enfrentamento do mérito. Caso concreto. Interrupção de energia de 24 horas, iniciada no
dia 09/11/2013, na unidade consumidora n. 2628915-6, localizada na zona rural, da cidade de São
Lourenço do Sul. Dano moral in re ipsa não configurado. A interrupção sequer alcançou o prazo regular
de restabelecimento do serviço, previsto na Resolução n. 414/2010 da ANEEL, utilizado como parametro
por esta Câmara para o julgamento de demandas desta natureza a fim de perquerir se a interrupção do
fornecimento de energia gera ou não dano in re ipsa, inexistindo, portanto, ilícito civil a justificar uma
reparação. Pedido julgado improcedente. APELAÇÃO PARCIALMENTE PROVIDA PARA O FIM DE
CASSAR A SENTENÇA E, COM FULCRO NO ART. 1.013, §3º, INC. I DO NCPC, JULGAR
IMPROCEDENTE O PEDIDO INICIAL, POR MAIORIA, VENCIDOS OS DESEMBARGADORES TASSO
CAUBI SOARES DELABARY E TÚLIO DE OLIVEIRA MARTINS, QUE DAVAM PROVIMENTO
À APELAÇÃOPARA CASSAR A SENTENÇA E DETERMINAR O RETORNO DOS AUTOS À ORIGEM.
(Apelação Cível Nº 70070538426, Nona Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Carlos
Eduardo Richinitti, Julgado em 14/12/2016)
JUÍZO DE MÉRITO
Cumulação de pedidos

Cumulação própria: vários pedidos, sendo que


todos podem ser acolhidos

Cumulação imprópria: embora haja mais de um


pedido, apenas um pode ser acolhido.
Resultado do Juízo de Mérito
O PROVIMENTO DO O IMPROVIMENTO DO
RECURSO ou DÁ- RECURSO ou NEGA-
SE PROVIMENTO SE PROVIMENTO AO
AO RECURSO: RECURSO: quando o
quando o recorrente não tem
recorrente tem razão razão em sua
em sua impugnação.
impugnação
 Dá-se provimento ao
recurso para reformar a
decisão recorrida.
 Dá-se provimento ao
recurso para anular a
decisão recorrida.
EFEITOS DOS RECURSOS
O EFEITOS DA INTERPOSIÇÃO:
1 - EFEITO OBSTATIVO: a simples interposição
do recurso obsta a formação da preclusão/trânsito
em julgado.
“estado de pendência” do processo.
2 – EFEITO DEVOLUTIVO: delimita a atividade do
órgão revisor.
Possibilita nova apreciação da matéria impugnada no
recurso.

EXTENSÃO – caput do artigo 1.013 do CPC


Art. 1.013. A apelação devolverá ao tribunal o conhecimento da
matéria impugnada

PROFUNDIDADE - § 1º do artigo 1.013 do CPC.


§ 1o Serão, porém, objeto de apreciação e julgamento pelo
tribunal todas as questões suscitadas e discutidas no
processo, ainda que não tenham sido solucionadas, desde
que relativas ao capítulo impugnado.
3 – EFEITO SUSPENSIVO: impede a produção dos
efeitos da decisão até o julgamento do recurso e o
trânsito em julgado da decisão.
“o recurso prolonga o estado de ineficácia da
decisão”
Todos os recursos podem ser dotados de efeitos
suspensivo.
Efeito suspensivo automático – determinação legal
(apelação)
Efeito suspensivo postulado - demonstrando os
seguintes requisitos: risco de grave dano, de difícil
ou incerta reparação + demonstração da
probabilidade do provimento – art. 995, § único
PEDIDO DE ATRIBUIÇÃO DE EFEITO SUSPENSIVO A
RECURSO DE APELAÇÃO. DIREITO PÚBLICO NÃO
ESPECIFICADO. SAÚDE. FORNECIMENTO DE
MEDICAMENTOS. PRESENÇA DOS REQUISITOS DO
ART. 1.012, §4º, DO CPC/15. DEFERIMENTO.
Havendo probabilidade de provimento do recurso e
risco de dano grave à parte em caso de imediata
revogação da tutela antecipada deferida na origem,
possível a atribuição de efeito suspensivo à apelação
interposta em face da sentença de
improcedência. CONCEDIDO EFEITOSUSPENSIVO A
O APELO. (Petição Nº 70070742366, Segunda Câmara
Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Ricardo
Torres Hermann, Julgado em 17/08/2016)
4 – EFEITO EXPANSIVO:
Projeção da decisão proferida;
Autoriza o provimento judicial atingir outros
atos processuais ou pessoas que não
tenham recorrido.

Ex.: embargos de declaração - interrupção


do prazo para outros recursos

Ex.: art. 1.005 – litisconsortes


5 – EFEITO TRANSLATIVO: manifestação
de ofício acerca de matérias de ordem
pública e outros previstas expressamente
em lei.
Exc. ao princípio reformatio in pejus
6 – EFEITO SUBSTITUTIVO: ocorre
quando a decisão proferida no julgamento
do recurso substitui a decisão recorrida na
íntegra.
Conhecimento e provimento por error in
iudicando (erro de julgamento)

Art. 1008 do CPC

EFEITO RESCINDENTE: ocorre quando a


alegação de error in procedendo for
acolhida, invalidando a decisão.

Você também pode gostar