Você está na página 1de 10

Manual técnico

Produtos Fitofarmacêuticos: pH ideal e modos de acção das


substâncias activas autorizadas em Portugal

Associação Interprofissional de Horticultura do Oeste


Abril de 2013
Av. António José de Almeida, nº 23A (Louricoop) Com o apoio de:

2530-113 Lourinhã
interprofissional@gmail.com
www.aiho.pt
Autor: Ricardo Vicente - AIHO
pH ideal e modos de acção das substâncias activas autorizadas em Portugal

A Associação Interprofissional de Horticultura do Oeste (AIHO) tomou a iniciativa de


produzir e divulgar publicamente informação relacionada com o pH óptimo da calda de
aplicação e modos de acção referentes a todas as substâncias activas que estavam
disponíveis no mercado Português em 2012. Este documento pretende ser uma ferramenta
de fácil utilização para técnicos e agricultores, complementando a informação constante
nas listagens de produtos fitofarmacêuticos autorizados para cada finalidade que a AIHO
disponibiliza aos seus associados.

Rectificação de pH
A rectificação do pH das águas de pulverização previamente à adição dos diversos produtos fitofarmacêuticos é uma
medida fundamental para a eficiência dos tratamentos realizados. A maioria das substâncias activas têm o seu pH óptimo
de actuação entre 4 e 6,5, este valor pode variar em função da formulação dos produtos comerciais e das características
edafoclimáticas (ex: temperatura). A aplicação de determinado produto com um pH desadequado pode significar uma
grande perda de eficiência ou até a sua total ineficiência. Na prática, rectificar o pH poderá traduzir-se numa redução de
despesas e, também, numa melhoria de qualidade da produção. Como? Ao aumentar a eficiência dos tratamentos
poderá possibilitar um menor número de intervenções e, portanto, a redução nos custos de aplicação, a redução dos
níveis de resíduos nos alimentos e uma melhoria na qualidade dos produtos alimentares que pode ser valorizada no
mercado.
A AIHO aconselha todos os agricultores a realizar a rectificação do pH das águas de pulverização. Para tal existem
disponíveis no mercado diversos produtos acidificantes, alcalinizantes e até estabilizadores de pH que podem ser
utilizados para esta finalidade. Os valores de pH ideais referidos neste documento resultaram de uma pesquisa
bibliográfica internacional. Os valores assinalados com um asterisco correspondem a substâncias activas para as quais
não se encontraram referências bibliográficas com valores ideais e por isso são apenas sugestões realizadas com base
na susceptibilidade da molécula à sua degradação por hidrólise.

Outros conselhos:
1. Realize medições de pH frequentes à sua água de pulverização porque o seu valor varia ao longo do ano e do ciclo
cultural, alterando desta forma a quantidade de rectificante a adicionar;
2. Realize medições de pH em todas as águas que tenham origens diferentes, porque o valor de pH altera-se em
função da origem e a quantidade de rectificante a adicionar depende da constituição da água. Águas com o mesmo
valor de pH podem necessitar de diferentes quantidades de rectificante;
3. Aplique o rectificante de pH e agite a calda antes de adicionar os produtos fitofarmacêuticos;
4. Alguns dos produtos que vulgarmente se adicionam a águas de pulverização alteram o valor de pH da calda. Deve
conhecer a reacção destes produtos antes de realizar qualquer mistura, algumas são incompatíveis;
5. Adquira um aparelho de medição de pH de forma a ter máxima autonomia neste processo e contacte um técnico
sempre que surja alguma dúvida;
6. Realize a pulverização imediatamente após a preparação da calda.

Prevenção para o desenvolvimento de resistências


Todas as pragas, doenças e infestantes que afectam as diversas culturas agrícolas são influenciadas pelas estratégias
de gestão do ecossistema agrário seguidas pelo agricultor. Com o tempo algumas delas adaptam-se e desenvolvem
resistências às diversas práticas culturais, em especial aos produtos fitofarmacêuticos aplicados. A melhor forma de
contrariar esta tendência natural é através da integração de práticas culturais diferentes (ex: mobilizações de solo e
herbicidas, controlo biológico e insecticidas / fungicidas, rotações culturais, etc.) para controlar o mesmo problema.
Ao nível dos produtos fitofarmacêuticos, aos quais frequentemente se desenvolvem resistências que os tornam
ineficazes, aconselha-se a alternância de substâncias activas (s.a.) com modos de acção diferentes no combate ao
mesmo problema. Com o objectivo de facilitar a tomada de decisão e promover esta medida a AIHO produziu um código
de cores que permite facilmente identificar quais as s.a. que têm modos de acção diferentes e aconselha aos agricultores
a alternância de tratamentos com s.a. que estejam autorizadas para a finalidade em causa e assinaladas com cores
diferentes.

Verão 1.0 Abril, 2013


Não dispensa a consulta dos rótulos e restante informação oficial

Associação Interprofissional de Horticultura do Oeste

1. FUNGICIDAS

Actuação
Substância Activa pH ideal Meia Vida / DT50 - hidrólise
S P E F p c
azoxistrobina P p c 6 a 6,5 * estável de pH 4 a 9
benalaxil S p c 5 estável de pH 4 a 7
bentiavalicarbe isopropil S p c 6 a 6,5 * estável em pH 4 a 9 (50ºC)
bitertanol S p c 4a5 ambientes ácidos melhoram a actividade
boscalide S p 5 a 6,5 * estável em pH 4 a 9 (20ºC)
bupirimato S p 6a7 * hidrólise rápida em meios ácidos
captana E p 5 pH 9 = 2 min; pH 8 = 10 min; pH 7 = 8h; pH 5 = 32h
carbendazime S p c 5a6 pH 7 = 12 min ; pH 5,5 = 30h
ciazofamida P p 5 a 6,5 * pH 7 = 25 dias, pH 5 = 27 dias; pH 9 = 25 dias (20ºC)
cimoxanil P p c 5a6 estável em pH 2 a 7
ciprodinil S p c 5 a 6,5 * estável em pH 4 a 9 (20ºC)
clortalonil E p 5a6 pH 7 = 12 min; pH 6 = 6,8h
cresoxime-metilo P p c 4a7 pH 9 = 0,38 dias; pH 7 = 35 dias; pH 5 = 822 dias (20ºC)
dazomete F 5 a 6,5 * pH 9 = 2,4h; pH 5 = 9,6h (25ºC)
difenoconazol S p c 6 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (20ºC)
dimetomorfe S p c 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (20ºC)
ditianão E p 5a6 * pH 9 = 9,8 min; pH 7 = 0,6 dias; pH 5 = 10,7 dias; (20ºC)
dodina E p c 5 a 6,5 * pH 5 = 576 dias; pH 9 = 1198 dias (25ºC)
enxofre E p c 6 pH 7 = estável (20ºC)
epoxiconazol S p c 6 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (25ºC)
espiroxamina S p c 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 7 (20ºC)
famoxadona p 5a6 * pH 9 = 1,5h; pH 5 = 41 dias
fenamidona P p c 5 a 6,5 * pH 9 = 27,6 dias; pH 7 = 411 dias; pH 5 = 221 dias; (20ºC)
fenebuconazol S p c 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (20ºC)
fenehexamida P p 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 por 30 dias (25ºC)
fluaziname E p 4a6 * pH 9 = 3,7 dias; pH 7 (20ºC) = 3,6 dias; pH 4 = estável
fluopicolida P p 5 a 6,5 * não é sensível ao pH
fluquinconazol S p c 5a6 * pH 9 = 0,4 dias; pH 5 = 2024 dias; pH 4 = 194 dias; (25ºC)
flusilazol S p c 6 a 6,5 * pH 5 a 9 = estável por mais de 34 dias (25ºC)
folpete E p 5 pH 5 = 2,6h; pH 9 = 1 min. (25ºC)
fosetil de alumínio S p c 6a7 estável de pH 4 a 8
hidroxido de cobre E p 6 estável em pH 7
imazalil S p c 5 a 6,5 * estável pH 5 a 9 (25ºC)
iprodiona E p c 6 pH 9 < 1h; pH 7 = 1 a 7 dias
mancozebe E p 5a6 pH 9 = 34h; pH 7 = 17h; pH 5 = 20 dias
mandipropamida P p c 5 a 6,5 * estável em pH 4 a 9 (20ºC)
mepanipirime S p c 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9
meptildinocape E p c 5a6 * pH 9 = 0,7 dias; pH 7 = 43 dias; pH 4 = 447 dias; (20ºC)
metalaxil S p c 5a6 estável em pH 5 a 9
pH 5 = 1,9 dias (25ºC); pH 7 (20ºC) = 2,2 dias; pH 9 (25ºC)
metame-sódio F 6a7 *
= 4,5 dias
metirame E p 7 * pH 5 = 22,5h; pH 7 = 17,4h; pH 9 = 4,8 dias; (22ºC)
metrafenona P p c 6 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 durante 5 dias (50ºC)
miclobutanil S p c 6 estável em pH de 5 a 9
oxicloreto de cobre E p 6a7 estável em pH 7

Legendas:
S - Sistémico; P - Penetrante; E - Exterior / Superfície; F - Fumigante; p - preventivo; c - curativo
Versão 1.0 * Sugestão de pH com base com base na meia vida da s.a. Abril, 2013
Não dispensa a consulta dos rótulos e restante informação oficial

Associação Interprofissional de Horticultura do Oeste

1. FUNGICIDAS (continuação)

Actuação
Substância Activa S P E F p c
pH ideal Meia Vida / DT50 - hidrólise
pencicurão E p c 4 pH 5 = 4,7 dias; pH 7 = 14,2 dias; pH 9 = 15 dias; (50ºC)
penconazol S p c 5 estável de 4 a 9 (25 e 50ºC)
picoxistrobina S p c 5 a 6,5 * estável em pH 4 a 9 (25ºC)
piraclostrobina P p c 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (25ºC)
pirimetanil P p c 5 a 6,5 * estável em pH de 5 a 9 (22ºC)
procloraz S p c 6 * estável em pH 5 a 7 (22ºC)
propamocarbe S p c 5 estável só em ambiente ácido
propiconazol S p c 5a6 estável de 5 a 9; aplicar dentro de 12h
propinebe E p 6a7 pH 4 = 24h; pH 9 = 53h; (22ºC)
proquinazida P p 5 a 6,5 * estável em pH 4 a 9 (20ºC)
quinoxifena P p 6 a 6,5 * pH 5 = 25 dias; estável em pH 7 a 9; (25ºC)
tebuconazol S p c 7 pH 5 a 9 = 28 dias (25ºC)
tetraconazol S p c 6 a 6,5 * pH 4 a 9 = estável por 120h
tiabendazol S p c 5 estável de pH 5 a 9; pH 7 = 203 dias (20ºC)
tiofanato-metilo S p c 4,5 a 7 pH 9 = 0,7 dias; pH 5 = 867 dias (25ºC)
tirame E p 6a7 pH 9 = 7h; pH 5 = 68 dias
trifloxistrubina P p c 5a6 * pH 9 = 1 dia; pH 7 = 84 dias; pH 5 > 365 dias
zirame E p 6a7 pH 4 = 10 minutos; pH 9 = 6,3 dias (25ºC)
zoxamida P p 5a6 * pH 9 = 8 dias; pH 4 = 16 dias (25ºC)

Interferência na síntese de ácido nucleico. Percursor de isotiocianato de metilo. Fumigante do solo. Fungicida, insecticida e

nematodicida.

Interferência na mitose e divisão celular.


Interferência em multiplos processos.

Interferência no complexo respiratório.


Interferência por transdução de sinal.

Interferência na síntese de aminoácidos e proteínas.


Modo de acção desconhecido.

Interferência na síntese lipídica e estrutura


membranar.

Interferência na biossíntese do esterol nas membranas.

Interferência na biossíntese da parede celular.

Legendas:
S - Sistémico; P - Penetrante; E - Exterior / Superfície; F - Fumigante; p - preventivo; c - curativo
Versão 1.0 * Sugestão de pH com base com base na meia vida da s.a. Abril, 2013
Não dispensa a consulta dos rótulos e restante informação oficial

Associação Interprofissional de Horticultura do Oeste

2. INSECTICIDAS / ACARICIDAS / NEMATODICIDAS


Actuação
Substância Activa S C I F
pH ideal Meia Vida / DT50 - hidrólise
abamectina C I 5 a 6 estável em pH 5 a 9
acetamiprida S C I 5 a 6 instável em pH<4 e >7
acrinatrina C I 5 a 6,5 * pH 7 (20ºC) = estável; subida de pH e temp. gera instab.
alfa-cipermetrina C I 5 estável em pH 4; pH 9 = 7 dias
azadiractina C I 5,5 a 7 pH 7 = 13 dias (20ºC)
bacillus thuringiensis I 5 a 6 incompatível com prod. alcalinos; estável de 4 a 7
beta-ciflutrina C I 4 estável em pH 5 a 9
bifenazato C I 4 * pH 7 a 9 = 2h; pH 5 = 5 dias; pH 4 = 9 dias; (25ºC)
ciflutrina C I 4 pH 9 = 3 dias; pH 7 = 11 dias; pH 4 = 25 dias; (22º C)
cipermetrina C I 4 pH 9 = 35h; Estável em soluções ácidas
ciromazina C 7 estável em pH 5 a 9
clofentezina C 5 * pH 9,2 = 4,8h; pH 7 = 34h; pH 5 = 10 dias; (22ºC)
clorantraniliprol C I 5 a 6 * pH 7 (20ºC) e pH 4 (25ºC) = estável; pH 9 = instável (25ºC)
clorpirifos C I F 5 pH 8 = 22 dias; pH 7 = 35 dias; pH 5 = 63 dias
clotianidina S C I 5 a 6 * pH 4 a 9 = estável (20ºC); instável em pH e temp. elevadas
dazomete F 5 a 6 * pH 9 = 0,1 dias; pH 5 = 0,4 dias; (25ºC)
deltametrina C I 5 pH 9 = 2,5 dias
diflubenzurão C I 5 pH 9 = 42 dias; pH 5 a 7 > 150 dias
dimetoato S C I 4 a 5 pH 9 = 48 min.; pH 6 = 12h; pH 4 = 21h;
emamectina (sal benzoato) C I 5 a 6 * estável em pH 5 a 8; pH 9 = 19 dias (20 a 29ºC)
enxofre C F 6 pH 7 = estável (20ºC)
esfenvarelato C I 6 pH 7 = 115 dias (20º C)
fenamifos S C 7 pH 9 = 236 dias; pH 5 = 252 dias; (20ºC)
fenazaquina C 6,5 * pH 5 (25ºC) = 9,6 dias; pH 7 (20º C) = 130 dias; (25ºC)
fenepiroximato C 5 a 6,5 * pH 5 = 180 dias; pH 7 = 226 dias; pH 9 = 221 dias; (20ºC)
fenoxicarbe C I 5 a 6,5 * pH 7 (20ºC) = estável; pH 3 a 9 (>50ºC) = estável
flonicamida C I 5 a 6 * estável em pH 4 a 7; pH 9 = 204 dias (20ºC)
flufenoxurão C I 5 a 6 * pH 9 = 36 dias; pH 7 = 104 dias; pH 5 = 112 dias; (25ºC)
formetanatoθ C I 5 pH 8 = 3h; pH 7 = 14h; pH 4 a 6 = 17 dias
fosmete C I 4,5 a 5 pH 8 = 4h; pH 7 = 12h; pH 4,5 = 13 dias
hexitiazox C 6 a 7 * estável em pH 7 (20ºC)
imidaclopride S C I 5 a 7,5 superior a 31 dias em pH 5 a 9
indoxacarbe C I 5 estável em pH 5; pH 9 = 8h
lambda-cialotrina C I 6 a 6,5 estável em pH 5 a 7; pH 9 = 7 dias
lufenurão C I 5 a 6 * pH 5 a 9 = estável (20ºC)
metame-sódio F 6 a 6,5 * pH 5 = 1,9 dias; pH 9 = 4,5 dias; (25ºC)
metiocarbeθ C I 6,5 a 7 pH 7 = 24 dias (20ºC); pH 9 = 5h e pH 5 = 321 dias (25ºC)
metomilθ S C I 5 estável em pH 5 a 7 (20ºC), pH 9 = 36 dias (25ºC)
metoxifenozida C I 5 a 6,5 * pH 5 a 9 = estável (25ºC)
oxamilθ S C I 5 pH 9 = 3h; pH 7 = 8 dias; pH 4 a 6 = estável
pimetrozina S I 6 a 7 * pH 5 = 8 dias; pH 7 a 9 = estável (25ºC)
piretrinas C I 6 a 7 * pH 7 = 35 dias (20ºC)
piridabena C 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (25ºC)
pirimicarbeθ S C I F 7 pH 5 a 9 > 32 dias (25ºC)
pirimifos-metilo C 7 pH 7 = 117 dias (20ºC)
piriproxifena C I 5,5 a 6,5 estável em pH 4 a 9 (50ºC)
propargite 6 pH 8 = 1 dia; pH 4-6 = 331 dias; pH 3 = 17 dias

Legendas:
S - Sistémico; I - Ingestão; C - Contacto; F - Fumigação;
* Sugestão de pH com base com base na meia vida da s.a.
Versão 1.0 θ - Carbamatos Abril, 2013
Não dispensa a consulta dos rótulos e restante informação oficial

Associação Interprofissional de Horticultura do Oeste

2. INSECTICIDAS / ACARICIDAS / NEMATODICIDAS (continuação)


Actuação
Substância Activa S C I F
pH ideal Meia Vida / DT50 - hidrólise
spinosade C I 6 a 7,5 estável em pH 5 a 7; pH 9 = 200 dias
spirodiclofena C 4a6 * pH 9 = 2,5 dias; pH 4 = 119,6 dias (20ºC)
tau-fluvalinato C I 7 pH 9 = 1 a 2 dias; pH 6 = 30 dias
tebufenepirade C 5a6 * pH 4 a 9 = estável (>120ºC)
tebufenozida C I 7 * pH 7 = estável (20ºC)
teflutrina C I 5a6 * pH 9 = 30 dias; pH 5 a 7 = estável; 20 ºC
tiaclopride S C I 5 a 6,5 * pH 5 a 9 = estável (20ºC)
tiametoxame S C I 4a6 * estável em pH 1 a 7; pH 9 = 11 dias (20ºC)

enxofre clorantraniliprol
Inorgânico. Contacto e fumigação. Fungicida com actividade Diamida antranilica. Contacto e ingestão. Activa os receptores da rianodina
secundária sobre ácaros eriofídeos. nos músculos. Desajuste na contracção muscular e paralesia.
bifenazato
Carbazato. Contacto e ingestão. Actua ao nível do sistema nervoso, não
Limonoide, Diacilhidrazina. Contacto e ingestão. Regulador de
tendo ainda sido determinado o sítio de acção.
crescimento. Actua como disruptor da hormona ecdisona.

Piridina-Azometino, Nicotinoide. Sistémico (só a pimetrozina), contacto (só a


Quinazolina, Pirazol, Piridazinona. Contacto. Actua na respiração flonicamida) e ingestão. Inibição neural selectiva do comportamento
celular como inibidor do transporte de electrões no mitocôndrio alimentar.
(METI).

abamectina Neonicotinóide. Sistémico, de contacto e ingestão. Actua no sistema


Avermectina. Contacto e ingestão. Actua no sistema nervoso, nos nervoso, antagonista do receptor nicotínico da acetilcolina.
activadores do canal de cloro.
bacillus thuringiensis
Bactéria. Ingestão. Actua no aparelho digestivo como disruptor microbiano
Carbamato e piriproxifena. Contacto e ingestão. Regulador de da membrana digestiva.
crescimento, interfere na metamorfose como mimético da
hormona juvenil.
Organofosforado, Carbamato. Contacto, ingestão (excepto o pirimifos-
emamectina metilo), fumigação (só o clorpirifos e o pirimicarbe) e sistémico (só o
dimetoato, o metomil, o oxamil e o pirimicarbe). Actua nos sistema nervoso
Lactona macrocíclica. Contacto e ingestão, sistemia translaminar.
como inibidor da acetilcolinesterase. Na ausência de alternativas, alternar os
Actua nas células nervosas, estimulando a libertação do
neurotransmissor GABA - bloqueio permanente na capacidade de carbamatosθ com os organofosforados.
movimentação do insecto.
propargite
Sulfito. Contacto e fumigação. Actua na respiração celular como inibidor da
fosforilação oxidativa da síntese de ATP.
Benzoilureia. Contacto e ingestão. Regulador de crescimento,
inibe a biossíntese de quitina em lepidópteros.
Piretróide e Piretrinas (só contacto). Contacto e ingestão. Actua no sistema
indoxacarbe nervoso como modulador/bloqueador dos canais de sódio.
Oxadiazina. Contacto e ingestão. Bloqueador dos canais de sódio,
dependente da voltagem.
Tetrazina e Tiazolidinona. Contacto (ovicida, também age sobre larvas),
Ciromazina actividade residual. Inibe o crescimento dos ácaros.
Triazina. Regulador de crescimento com acção de contacto
(especialmente ovicida, tendo também acção sobre as larvas spinosade
jovens). Actua como disruptor da muda em dípteros. Spinosina. Contacto e ingestão. Actua no sistema nervoso como activador
do receptor nicotínico da acetilcolina. Excita o sistema nervoso levando à
contracção muscular involuntária e paralisação.

Percursor de isotiocianato de metilo. Fumigação. Nematodicida,


spirodiclofena
alguma acção insecticida (dazomete) e fungicida.
Cetoenol. Contacto. Actua nos processos metabólicos como inibidor da
fenamifos carboxilase da acetilcolinesterase.
Organofosforado. Sistémico. Actua por contacto.

Legendas:
S - Sistémico; I - Ingestão; C - Contacto; F - Fumigação;
* Sugestão de pH com base com base na meia vida da s.a.
Versão 1.0 θ - Carbamatos Abril, 2013
Não dispensa a consulta dos rótulos e restante informação oficial

Associação Interprofissional de Horticultura do Oeste

3. HERBICIDAS

Actuação
Substância Activa pH ideal Meia Vida / DT50 - hidrólise
S R C
2,4 - D S 4,5 a 7 estável em pH 5 a 9 (20ºC)
amitrol S R 5 a 6,5 * não é sensível ao pH
asulame S R 6 não actua em pH > 8
azimsulfurão S R C 5 a 6,5 * pH 5 = 89 dias; pH 7 = 124 dias; pH 9 = 132 dias; (26ºC)
bensulfurão-metilo S R C 6 a 6,5 * pH 4 = 6,1 dias; pH 9 = 141 dias;
bentazona C 5a7 estável em pH 5 a 9 (20ºC)
bispiribace-sódio S 6a7 * estável em pH 7 a 9; pH 4 = 18, 7 dias (20ºC)
bromoxinil C 6 sofre hidrólise em pH > 7
carfentrazona-etilo C 5a6 * estável em pH 5; pH 9 = 5,1h
cicloxidime S 6 a 6,5 * pH 3 = 1,7 dias; pH 5 = 8,3 dias; pH 7 = 172 dias; (24 ºC)
cihalofope-butilo S 4a5 * estável em pH 4; pH 9 = 2 dias (25ºC)
clodinafope S 5 a 6,5 * estável em pH 4 a 8,8 (50ºC)
clodinafope-propargilo S 5 pH 9 = 0,07 dias; pH 4 = 17,9 dias pH 5 = 26,8 dias; (20ºC)
clopiralide S 7 a 7,5 estável em pH 4 a 9 (50ºC)
cloridazão S R 6 a 6,5 * estável em toda a gama de pH acima de 30 dias
clortolurão S R C 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (20 a 30ºC)
desmedifame S 5a6 * pH 9 = 7 min; pH 5 = 39 dias; (25ºC)
dicamba S 5a6 estável em pH 7 a 9
diclofope-metilo S C 5 pH 9 = 12h; pH 7 = 32 dias; pH 5 = 363 dias;
diflufenicão S R C 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 acima de 30 dias
dimetenamida-p R C 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 acima de 30 dias (25ºC)
diquato C 5 estável em pH 5 a 9 (20ºC)
etofumesato S R 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9,2
fenoxaprop-p-etilo S C 5 pH 9 = 0,7 dias; pH 5 = 19,2 dias; pH 4 = 2,8 dias
flazassulfurão S R 6 a 6,5 * pH 4 = 0,5 dias; pH 5 = 2, 6 dias; pH 9 = 8,8 dias; (25ºC)
fluazifop-P-butilo S 4a6 pH 9 = 17 dias; pH7 = 150 dias; pH 4 = 500 dias
flufenacete C 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9
flurocloridona S R 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (25ºC)
fluroxipir S 4a6 * estável em pH 4 a 7; pH 9 = 3,2 dias
foramsulfurão S 7 pH 4 = 3,7 dias; pH 5 = 10 dias; pH 9 = 132 dias; (25ºC)
glifosato S 2,5 a 5 estável em pH 5 a 8 (25ºC)
glufosinato C 5,5 a 7 estável em pH 5 a 9 (25ºC)
imazamox 5 a 6,5 * estável em pH 4 a 9
iodossulfurão-metilo- pH 4 = 4 dias; pH 5 = 31 dias; pH 6 = 365 dias; pH 9 = 362
S R 5 a 6,5 *
sódio dias; (20º C)
ioxinil 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 durante 10 dias (22ºC)
isoproturão S R 5a7 * pH 9 = 540 dias; pH 5 = 1210 dias; (25ºC)
isoxabena S R 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9
lenacil S R 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 acima de 1 ano
linurão S R C 5a6 estável em pH 5 a 9 (22ºC)
MCPA S 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (25ºC)
mesotriona S R 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (25ºC)
metamitrão S R 5a6 * pH 9 = 8,5 dias; pH 5 = 353,2 dias (20ºC)
metazacloro S 4a6 * estável em pH 4 a 9
metribuzina S R 7 estável em pH 5 a 8,5

Legendas:
S - Sistémico; R - Residual; C - Contacto
Versão 1.0 * Sugestão de pH com base com base na meia vida da s.a. Abril, 2013
Não dispensa a consulta dos rótulos e restante informação oficial

Associação Interprofissional de Horticultura do Oeste

3. HERBICIDAS (continuação)

Actuação
Substância Activa pH ideal Meia Vida / DT50 - hidrólise
S R C
não aplicar com pH<3, aplicar em 24h. Estável de pH 7 a 9
metsulfurão-metilo S R 6 a 6,5 *
(25ºC)
molinato S R 5a6 * estável em pH 5 a 7 (25 a 50ºC)
nicossulfurão S R 6 a 6,5 * estável em pH 7 a 9; pH 5 = 15 dias
oxadiazão C 5a6 * estável em pH 4 a 7 por 31 dias (25ºC)
oxifluorfena R C 5 a 6,5 estável em pH 5 a 9
pendimetalina R C 6a7 estável em pH 4 a 9
penoxsulame S R 5 a 6,5 * estável em toda a gama de pH
pinoxadene S 4a6 * pH 9 = 0,3 dias; pH 7 = 15 dias; pH 4 = 24 dias;
profoxidime S 6a7 * pH 7 = 140 dias (20ºC)
propaquizafope S 5a6 * pH 9 = 12,9h; pH 5 = 10,5 dias
propizamida S R 5 a 6,5 * estável em pH 4 a 9
prosulfocarbe S 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (25 a 40ºC)
prosulfurão S 6 a 6,5 * pH 5 = 5 dias; pH 7 = 424 dias; pH 9 = 682 dias; (25ºC)
quisalofop-p-etilo S 5 estável em pH 4 (50ºC); pH 7 (40ºC) = 10 dias
rimsulfurão S 5a6 * pH 9 = 4,2h; pH 5 = 4,7 dias; (25ºC)
s-metolacloro S R 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (25ºC)
sulcotriona S 5 a 6,5 * estável em pH 5 a 9 (25 a 40ºC)
tembotriona S 5 a 6,5 * estável em pH 4 a 9
terbutilazina S R 7 estável em pH 7 a 9; pH 5 = 73 dias; 50ºC
tralcoxidime S 7 estável em pH 9; pH 5 = 9 dias
triasulfurão S R 6 a 6,5 * estável em pH 7 a 9; pH 5 = 23 dias; (22ºC)
tribenurão-metilo S 6 a 6,5 * estável em pH 9; pH 5 = 1 dia; (25ºC)
triclopir S 6 pH 9 = 1,4h; pH 7 = 2,3 dias; pH 5 = 26 dias; (35ºC)

Glufosinato
Inibe a actividade da enzima acetil Coenzima A. Inibe a actividade da enzima glutamina sintetase, GS.

Inibe a actividade da enzima acetolactato sintase. Inibe a divisão celular.

Inibe a fotossíntese ao nível do fotosistema II. Inibe a biosíntese de aminoácidos, inibindo a actividade da enzima dihidropteroato
sintase, DHP.

Inibe a fotossíntese ao nível do fotosistema I. Inibe a biosíntese da celulose, componente essencial da parede celular.

Inibe a enzima protoporfirinogénio oxidase, protox. Inibe a biossíntese de ácidos gordos.

Inibe a biossíntese de carotenóides. Actua como o ácido indolacéptico, afectando o desenvolvimento celular.

Glifosato
Inibe a EPSP sintase. Inibe a actividade da enzima 4-hidroxifenil-piruvato-dioxigenase, 4-HPPD.

Legendas:
S - Sistémico; R - Residual; C - Contacto
Versão 1.0 * Sugestão de pH com base com base na meia vida da s.a. Abril, 2013
Referências Bibliográficas

Oliveira A. B. (coord.) (2012), Guia dos Produtos Fitofarmacêuticos - lista dos produtos com venda autorizada, Direcção
Geral de Alimentação e Veterinária, 232 pp.
Roberts T., Hutson D. (1999), Metabolic Pathwais of Agrochemicals, The Royal Society of Chemistry, 1477 pp.
Whitford F. (coord), The impact of water quality on pesticide performance, Purdue University, 38 pp
Raymond A. Cloyd (2009), Water pH and Pesticide Activity, Growertalks Magazine, 2 pp.
Cheverie, Rachael (1999), Water pH Effect on Pesticide Sprays
Fishel F. M., Ferrell J.A., (s/data) Water pH and the Effectiveness of Pesticides
Anónimo (s/data), Efecto del pH sobre la estabilidad de los pesticidas y su eficacia, Quimeco
Pesticide Properties DataBase (PPDB) developed by the Agriculture & Environment Research Unit (AERU), University of
Hertfordshire, funded by UK national sources and through EU-funded projects, 2006-2013 - http://sitem.herts.ac.uk
Food and Agriculture Organization of the United Nations - www.fao.org
Herbicide Resistance Action Commitee, HRAC - www.hracglobal.com
Fungicide Resistance Action Comitee, FRAC - www.frac.info
Insecticide Resistance Action Comitee, IRAC - www.irac-online.org
www.griffins.com
www.lignoquim.com.ec
www.extension.missouri.edu
www.uap.ca
www.extension.usu.edu
www.gov.bc.ca

Versão 1.0 Abril, 2013