Você está na página 1de 4

O que é filosofia?

Universal – Cuja a resposta deveria valer para todas as SUBJETIVOS – Reflete um sentimento de UM grupo
pessoas. ou de UM indivíduo e não de todos. Dessa forma, é
Philos = Amor apenas um ponto de vista.
O terceiro passo da experiência filosófica é a resposta:
Sophia = Sabedoria QUALITATIVOS – Ele é produzido com o objetivo de
Resposta – A resposta filosófica sempre passa por um julgar e qualificar a ação a partir da perspectiva
Filosofia = “Alguém que ama e procura a sabedoria.” processo de reflexão profunda. defendida.
“A decisão de não aceitar como óbvias e evidentes as Discurso – Toda a resposta filosófica é ordenado em um
coisas, as ideias, os fatos, as situações, os valores, os GENERALIZANTES – O senso comum tende a pegar
discurso que deve ser lógico e coerente na explicação uma pequena amostra da sociedade e a partir dela
comportamentos de nossa existência cotidiana; jamais
da situação problema. são feitas afirmações para toda a sociedade.
aceitá-los sem antes havê-los investigado e
compreendido.” Marilena Chauí Caráter universal – Toda resposta filosófica busca ser CAUSA E EFEITO – Sempre o resultado da ação terá
universal, ou seja, aplicável em todos os casos ou a mesma consequência, não levando em conta suas
A experiência filosófica sempre começa com o pessoas.
estranhamento: variáveis.
Senso comum – São as respostas cotidianas que damos AMBÍGUO – Por ser incerto muitas vezes pode
Estranhamento/Surpresa – Sempre que uma pessoa as coisas que não conhecemos.
vive uma situação nova, experimenta um trazer vários significados.
estranhamento na sua vida cotidiana, essa pessoa tende Normalmente, é uma opinião passada de geração em Afirmações baseados no senso comum tende a ser
a pensar e refletir. geração, mais ou menos coerentes e espontânea, preconceituosas e dogmáticas, sem possibilitar a
podendo ser falsa ou verdadeira. reflexão, questionamento ou debate.
Quando estranhamos algo passamos a perceber coisas
que antes nunca tínhamos percebidos. O senso comum seria as nossas opiniões sem O senso comum, portanto, produz respostas
embasamento, que em grego se chama “Doxa”. sociais a situação que não foram previamente
O segundo passo da experiência filosófica é o
questionamento: Exemplos de senso comum ou de preconceito: indagadas.

Questionamento – Sempre que uma pessoa passa pelo  O homem que é homem não chora; A sociedade atual gira em torno de dois extremos:
estranhamento ela tende questionar a situação. O  Filho de peixe, peixinho é; - Resposta para tudo sem reflexão.
questionamento atua em duas partes:  Manga com leite faz mal;
 O sol é menor que a terra; - Aceitação em silêncio sem reflexão.
Individual – Cuja a resposta apenas corresponde ao  O sol gira em torno da terra;
indivíduo. Sociedade do silêncio? – É muito comum que em
ambientes sociais o questionamento não seja feito,
Característica do Senso Comum:
1
mesmo quando as pessoas tem dúvidas quanto a algo. O mito é a expressão daquilo que desejamos ou A necessidade dos ritos – Os ritos são cerimônias de
Isso ocorre por alguns motivos: tememos. passagem presentes nos mitos e que também existem
dentro da sociedade atual.
- Dificuldade de expressão. Definição de mistério – O mistério é algo que não
podemos compreender e nem comprovar. Por ser Os ritos de passagem na sociedade tribal – Dentro da
- Medo de falar em público. misterioso ele não é pautado na razão e sim na fé. sociedade tribal, os ritos de passagem ocorrem para
- Crença que a dúvida é uma fragilidade. que o indivíduo seja aceito em uma situação nova.
O mistério do desconhecido – Os homens de acordo
Questionar passou a ser visto historicamente como com que existiam se depararam com a necessidade de Ex: A criança que passa a ser reconhecida como adulto.
uma fragilidade. O silêncio é a melhor forma de enfrentar o desconhecido, que gerava medo e
Os ritos de passagem na sociedade atual – A sociedade
PARECER inteligente. angústia.
capitalista ocidental ainda é marcada por vários ritos de
A valorização do questionamento – Na Filosofia a A importância do sagrado – Dada a dificuldade de lidar passagem como:
indagação/questionamento é visto como forma de com o medo e com o desconhecido, o homem se
apegou ao sagrado ou fé e expressou ela através das Nascimento;
avançar no conhecimento.
mitologias. Passagem da infância para a vida adulta;
Lembrando, que indagar significa escutar, analisar,
questionar e somente depois concordar ou discordar. A organização das mitologias: Casamento;

-------------------------------------------------------------------------- Todas as mitologias são criadas e difundidas através Funeral


da oralidade.
Consciência Mítica A importância do herói grego – O herói grego na
Elas se mantêm na história através dos rituais. mitologia é visto como o sujeito que exalta a vida.
Etimologia – Mitos vem da palavra grega “mythos” que
significa “palavra, o que se diz”. Os rituais é a forma de manter a existência do sagrado É o indivíduo que enfrenta o destino mesmo sabendo
por meio da memória. impossível vencê-lo.
A função dos mitos – Os mitos buscam explicar uma
situação ou advento. O tempo do sagrado – Nas mitologias, o tempo não é O rompimento com a dependência – O herói grego não
cronológico e sim sagrado, que tem as seguintes é aquele sujeito que espera a vontade dos deuses, mas
Normalmente, o mito traz uma situação que a características: sim aquele que cria a sua própria existência.
humanidade deve enfrentar.
 Reversível – A cerimônia não imita o fato e sim  O herói grego toma a responsabilidade pelo seu
O mito como verdade – Dentro da história da permite que ocorra novamente. próprio destino e aceita as consequências.
humanidade o mito foi (e ainda é) a expressão da
verdade.  Necessário – Os rituais são importantes para que o  O herói grego é apresentado como a razão, e os
tempo natural ocorra de maneira correta. monstros gregos é aqueles corrompidos pelos desejos.
2
A fundamentação do maniqueísmo – Até hoje, o senso  Período Clássico (V – IV a.C) – Auge da pólis e vitória Esse modelo é conhecido como Democracia Direta,
comum utiliza como critério a existência apenas da sobre os Persas. onde a violência não é mais suficiente, o importante é
perspectiva do bem e do mal. a capacidade do convencimento, ou seja, a razão.
Nascimento de Sócrates (469 – 399 a.C)
A heroicização das pessoas comuns – As pessoas A importância da escrita – Na Grécia a escrita é tão
comuns passam a ser heroicizadas e colocadas a O clima e o solo em Atenas - Ática é a região onde
importante quanto os debates. Por alguns motivos:
patamares exclusivos. estava situada a cidade estado Atenas. Essa região tem
um clima amena, um solo bastante acidentado e infértil.  A escrita fixa a palavra e obriga seu cumprimento –
A aceitação do destino e enfraquecimento do Ela obriga o comprometimento com a fala. Uma vez
indivíduo – As mitologias geraram o sentimento e A importância dos mares – Por estar próxima do mar e
escrito é necessário cumprir.
aceitação que existe um destino e que nós somos em uma região infértil, os atenienses desenvolveram:
reféns, criando pessoas acomodadas e omissas.  A escrita exige uma maior clareza e rigor – A escrita
 Uma sociedade baseada no comércio marítimo; é abstrata, dessa forma, é necessários ser claro para ser
-------------------------------------------------------------------------- Por estar nas montanhas, os atenienses entendido.
desenvolveram postos de observação e técnicas de  A escrita pode ser retomada após um tempo – Nem
Contextualização da Grécia
guerra defensiva. sempre o que era escrito era de fato cumprido. No
A História da Grécia – A filosofia ocidental surge na
A noção da Pólis como criação humana – Pólis ou entanto, quase sempre era utilizado de modelo.
Grécia, mais precisamente no chamado período clássico
(V – IV) em Atenas. cidade-estado sempre foi vista como uma criação A escrita obrigava o cumprimento daquilo que era
humana. prometido nos debates.
Isso não quer dizer que os outros povos não faziam
Cabia ao indivíduo desenvolver mecanismos para Surgimento da lei escrita – A lei escrita surge do
filosofia, mas que a reconhecida surgiu na Grécia.
melhor gerenciar a sua cidade. conflito entre Eupátridas e os Demiurgos. Para a
Períodos da Grécia: filosofia é um marco muito importante.
O debate em praça pública (ágora) – A melhor forma
 Período Pré-Homérico (XVII – XII a.C) – Chegada dos de gerenciar a pólis era através do convencimento. A lei escrita acaba com a arbitrariedade e
Eólios e Jônios e formação de Micenas e Creta; interpretação dos detentores da lei para com a
A função dos debates – Os debates tinham dupla
 Período Homérico (XII – VIII a.C) – Invasão dos função: população – No caso da Grécia dos eupátridas para
Dórios e formação dos genos; com os demiurgos.
 Apresentação das propostas dos cidadãos;
 Período Arcaico (VIII – V a.C) – Crise dos genos e A lei escrita fundou dois princípios importantes gregos:
formação da pólis; Escolha pela população da proposta que fosse mais
convincente através da maioria. Isonomia (Igualdade de direitos) –
Concepção onde as leis passam a ser para todos.

3
Isegoria (Igualdade de participação política)
– Igualdade de direito da palavra na Assembléia.

Toda lei pode ser criada, modificada ou mesmo


abolida, cabe a capacidade de convencimento do
orador.

Democracia direta – Em Atenas, havia uma democracia


direta, uma vez que os próprios cidadãos podiam
propor leis e aprovar inicialmente essas leis.

Cidadania limitada – Apenas alguns eram considerados


cidadãos, pois a cidadania ateniense é:

 Patriarcal - As mulheres são


excluídas por serem
consideradas inferiores.

 Escravista – Os escravos não


participam e são através do seu
trabalho que Atenas
desenvolve.

 Xenófoba – Os estrangeiros não


são aceitam, por mais que eles
são importante
economicamente.

 Censitária – Menores de 21
anos não são aceitos como
cidadãos.

Os cidadãos somente eram os homens nascidos em


Atenas, maiores de 21 anos e livres.