Você está na página 1de 21

1

A ARTE DE BRINCAR NA CRECHE experiência de Maria Sheila Coutinho de Alcântara Gil e Nancy Vinagre
Fonseca de Almeida que realizaram um registro do Programa de atendimento
Profa. MS. Maria Amélia de Castro Cotta a bebês pela Universidade Federal de São Carlos (2001).
1. Por quê é importante o brincar das crianças
Material: Móbiles feitos com retalhos de tecido, papel, barbante, garrafinhas
• A criança vê o mundo através do brinquedo. cheias de pedacinhos de papeis coloridos, etc.
• O brincar é uma forma de linguagem que a criança usa para
compreender e interagir consigo, com o outro, com o mundo. “Criei vários móbiles com garrafas pequenas transparentes, de refrigerantes.
• A criança parte primeiro das brincadeiras com o seu corpo para, aos Piquei papéis coloridos e coloquei-os dentro da garrafa, junto com pedrinhas,
poucos, ir diferenciando os objetos ao seu redor. fechei a garrafa e, com o cordão amarrado ao gargalo, pendurei-as do lado de
• É pelo brincar que as crianças expressam e se comunicam. dentro das grades dos berços para que as crianças pudessem alcançá-las. Os
• O brincar proporciona troca de pontos de vista diferentes, ajuda a bebês mais novos agarraram, morderam e balançaram as garrafas diversas
perceber como os outros vêem, auxilia a criação de interesses comuns, vezes. Eles também observaram os movimentos e as cores e escutavam o
uma razão para que possa interagir com o outro. barulho que as garrafas faziam quando batiam nelas ou quando as puxavam.
Os bebês podem aprender que mexem nos objetos alguma coisa acontece.
• Nas brincadeiras as crianças passam a pensar sobre suas ações.
Uma garrafa pendurada por um fio começa a balançar quando o bebe bate nela
• Brincar é conviver com o outro.
ou pega , puxa ou solta a garrafa. Os pedacinhos de papel mudam de posição
dentro da garrafa e formam um desenho novo com o movimento da garrafa.
2. As crianças de 0 a 3 anos de idade
As pedrinhas fazem barulho ao baterem umas nas outras. Tudo isto é resultado
de alguma coisa que a criança faz com os móbiles. É possível criar uma
• “(...) nas brincadeiras com os bebês, utilizar também materiais e variedade de móbiles com materiais baratos e fáceis de encontrar. Algumas
brinquedos por nós confeccionados . Podemos confeccionar sugestões: colar em um pedaço de elástico ou de barbante vários recortes de
brinquedos como garrafas com líquidos coloridos, móbiles com revista com figuras de objetos conhecidos do bebê. Pendurar o barbante ou o
diferentes sons, livros de pano ou plástico, caixas de diferentes elástico no teto, deixando que quase toquem no chão. Com alguns retalhos de
tamanhos, tintas com anilina doce...Certamente, na hora de pano, fazer bichinhos e pendurá-los na altura dos olhos do bebê. Utilizando
interagirmos com as crianças utilizando estes e muitos outros potinhos de iogurte vazios podem –se fazer móbiles colocando pedrinhas ou
materiais por nós construídos, tudo vai virar brincadeira”. (GIL e sementes em seu interior, fechando-os bem e embrulhando-os com papel de
ALMEIDA, 2001, p.104) cores fortes. Depois, podem ser amarrados nas grades do berço ou em
• Os bebês necessitam de brincadeiras que trabalhem o corpo, a qualquer outro local onde o bebê possa ver e pegar.
percepção do mundo exterior, a linguagem, o afeto, o contato.
• Vejamos algumas ações e brincadeiras que podem ser feitas com os Alguns tipos de móbiles:
bebês e crianças até 3 anos de idade:
• Material: para estrutura: linha de nylon ou barbante fino ou linha
Confecção de Móbiles. de crochê. As abelhinhas podem ser feitas de papel, feltro ou
EVA.
Os móbiles em uma sala de aula ou no espaço da creche são
estimuladores visuais, desenvolvem a percepção das crianças. Em algumas
idades, os móbiles podem ser feitos com as próprias crianças. Trago aqui uma
2
• Móbile de Garrafa

• Material: para estrutura de suporte - cabide, galhos pequenos de


árvore, arco de arame ou bastidor de bordado e linhas.
Para os enfeites - sucatas diversas: tampinhas, cartões de natal e
de páscoa, gravuras e fotos, cartolina, etc...
• Como fazer:
Crie os enfeites que serão pendurados - caixinhas de remédio com Brinquedos Sonoros
fotos coladas, figuras recortadas em cartolina e coloridas,
bichinhos e bonequinhos de sucata, etc... • Brincando com Chocalhos
• Amarre uma linha - de comprimento diferente - em cada enfeite.
• Pendure-os de forma harmonioza no suporte escolhido, de forma Material: Chocalhos que podem ser feitos com potinhos de iogurte,
que fiquem bem soltas e equilibradas. latas, garrafinhas, com pedrinhas, feijão, arroz, e música.
• Amarre fios para sustentar o suporte e pendure o móbile no teto Importante: É preciso tampar muito bem cada chocalho para as
ou no beiral da porta ou da janela. crianças não colocarem os grãos e as pedrinhas na boca.

Todas as crianças gostam de música e desde muito pequenas


acompanham a música de forma muito pessoal. Elas se mexem no
ritmo, movimentando as mãos do corpo, ou ficam quietinhas para
ouvi-la. Eu levei para o berçário vários chocalhos que fiz com
potinhos de iogurte e com latinhas de refrigerante vazias e grãos de
arroz, feijão e milho. Tirei um chocalho da sacola e sacudi, fazendo
barulho. As crianças riram e estenderam as mãos, querendo pegar o
chocalho. Eu distribuí um chocalho para cada criança e comecei a
cantar uma música que conheciam, balançando o chocalho. As
crianças ficaram muito contentes e começaram a balançar o
3
chocalho também; algumas repetiam as palavras das letras das
músicas. Elas ficam muito atentas aos sons que faziam com os
chocalhos. Depois de cantarmos bastante, peguei algumas latinhas e
comecei empilhá-las, pedindo as crianças que fizessem o mesmo.
As crianças colocavam as latinhas umas sobre as outras e depois as
derrubavam. Quando as latas caíam, fazendo barulho, elas batiam
palmas e gritavam “Caiu!”. Quando as crianças começaram a andar
pela sala, peguei uma latinha e rolei-a para uma criança; ela pegou a
latinha e rolou-a de volta para mim, e logo todas as crianças
estavam sentadas rolando as latinhas umas para as outras. Fizemos
muitas coisas com as latinhas. Cada brincadeira dava às crianças a
oportunidade de aprenderem várias coisas ao mesmo tempo. É
muito importante que conheçam a música desde pequenas.
Ouvindo, cantando e marcando o ritmo com latinhas, elas começam
a distinguir os sons e os ritmos e seu ouvido fica mais acostumado
com eles. Cantar com as crianças enquanto se balança o chocalho,
além de ser divertido, porque produz sons, ajudam-nas a aprender
falar. Empilhar as latinhas e rolá-las para os coleguinhas ajuda as
crianças a movimentarem as mãos e ensina-as a pensar, tentando
encontrar a melhor maneira de colocar as latinhas para uma ficar - Na falta de um triângulo, amarre um barbante num cabo de um garfo
sobre a outra. Elas também precisam descobrir o jeito de derrubar ou colher e pode-se obter vários sons.
as latinhas para fazer o barulho e depois dar grandes risadas. Rodar
as latinhas uns para os outros é uma outra maneira de cada um - Fazer um furo na base de copos plásticos de vários tamanhos. Amarre
esperar sua vez; uma hora é a criança quem dá o impulso na lata e, a extremidade de um elástico, ou a de uma linha encerrada, num pedaço
no momento seguinte, ela espera até a lata chegar perto e pega o de palito de fósforo
chocalho e começa tudo outra vez.

• Outros brinquedos sonoros

- Cabaças dão ótimas maracas.

- Sementes de flamboiã

- Cascas de côco
4

- Com uma caixa de papelão de madeira ou papelão bem firme, você • Brincadeiras para bebês de 6 a 12 meses;
pode confeccionar um instrumento de corda simples. Na caixa faça um
orifício, cuja largura deve corresponder a um quinto do comprimento - Sons com a boca. Incentiva a criança a produzir sons, a se expressar,
dela para amplificar o som.Amarre corda de nylon ou ferro e, volta de verificando as possibilidades sonoras da boca.
caixa e coloque sob elas um cavalete para que fiquem bem esticadas. - Tocar durante 3 minutos um trecho de música erudita de qualidade e
Depois é só tocar. anunciar o nome do compositor e da peça. Tocar o mesmo trecho 3 vezes por
dia durante 1 semana e depois substituir por outra peça. A escuta é ativa.
- Tocar em um piano ou xilofone uma nota musical e dizer o seu nome.
- Pegue um tubo de papel higiênico e tape uma das extremidades com .- Mostrar imagens e nomeá-las. Exemplos: 10 fotos de cachorro, 10 de frutas,
papel de seda, papel espelho ou celofone. Para produzir som é só 10 de árvores, 10 de flores. . .
encostar os lábios suavemente no papel e soprar uma melodia. Os - Dar diferentes objetos para que segure.
lábios vibram junto com o papel, produzindo o timbre da trombeta. - Dar caixas para abrir e fechar..
- Dar diferentes papéis para amassar.
- Pegue um tubo de papelão, tape uma das extremidades com papel - Brincar com areia.
celofane e fure a parte lateral do tubo. - Brincar com panelinhas e água.
- Brincar de engatinhar.
- Dançar com o bebê.
5
• Versinhos
Ah se eu fosse um peixinho
Fui passar na pinguelinha E soubesse nadar,
Chinelinha saiu do pé Eu tirava a Maria
Os peixinhos responderam Lá do fundo do mar
-Que cheirinho de chulé!
Atirei o pau no gato
Quem será que pendurou Atirei o pau no gato-tô-tô
Tantas estrelinhas no céu? Mas o gato-tô-tô, não morreu, réu,réu.
Eu também vou fazer estrelinhas Dona Chica-cá admirou-sê-sê do berro,
Recortadas de papel. Do berro que o gato deu,
Miau!

Upa, upa, cavalinho O cravo e a rosa


Meu potrinho alazão O cravo brigou com a rosa
Vem correndo ligeirinho Debaixo de uma sacada,
Vem comer na minha mao O cravo saiu ferido,
Eu sou pequeninha A rosa, despedaçada
Da perna grossa
Vestido curto O cravo ficou doente,
Papai não gosta A rosa foi visitá-lo
O cravo teve um desmaio
Batatinha quando nasce , A rosa pôs-se a chorar.
Se esparrama pelo chão
Mamãezinha quando dorme Carneirinho, Carneirao
Poe a Mao no coração. Carneirinho, carneirão, neirão, neirão
Olhai pro céu, olhair pro chão,
• Cantigas de roda Pro chão, pro chão
Manda Deus Nosso Senhor
A canoa Senhor, Senhor,
A canoa virooi Para todos se ajoelhar
Pois deixai-a virar
Foi por causa da Maria
Que não soube remar
6
• Histórias com surpresa. disse o doutor Pontes (duas batidas). O gato não gostou : “Vou
consultar outro doutor”(uma palma). Foi ao médico do Hospital de
O pato do Henrique Animais. E o doutor (uma batida) disse: “É só um arranhão”. O gato
não aceitou e procurou um cirurgião famoso. Este doutor (uma palma)
Este aqui é o Henrique (fazer um ponto no quadro). Ele mora numa fez uma cara séria, examinou e deu o parecer: “Parece um arranhão,
casinha (desenhar um círculo em torno do ponto). Perto de sua casa, há nada mais”. “O quê?”, perguntou o gato. “Um arranhão, respondeu o
um lago (desenhar uma forma oval maior que o círculo). Existe um doutor (uma palma). “Que fazer então? “, perguntou o gato. “Há um
caminho entre a casa de Henrique e o lago (fazendo um traço, unido as doutor (uma batida) que pode curá-lo”, respondeu o cirurgião. “Quem
duas figuras). Henrique procurou seu pato e não encontrou. Resolveu ir é?”, perguntou o gato. “O doutor Pontes (duas palmas). “Sim, o doutor
atrás dele. Seguiu o caminho entre sua casa e o lago. Havia um matinho Pontes (duas palmas) é um grande especialista em arranhões. E o gato
e o Henrique foi ver se o pato estava lá. Foi lá três vezes e não o correu para o doutor Pontes (duas palmas) que o curou.
encontrou (desenhar três linhas que saem da oval). Henrique tomou
uma estrada que descia do lago (desenhar uma linha comprida que sai
da margem inferior da oval). Só que era um beco sem saída. E ele • Jogos de escolha
voltou. Experimentou mais dois atalhos, mas não deu certo (desenhar
linhas curtas que saem da mais comprida). Henrique voltou ao lago e Panelinha de ioiô
dali seguiu por outra estrada (desenhar outra linha comprida que sai da Foi ao mato e se afundou
parte interior do corpo do pato). Novamente tentou achar seu pato em Testo, panela
Bolou, fe-dou
outros três atalhos dessa estrada. E nada (desenhar`três linhas curtas
saindo da comprida), Henrique ficou triste e voltou para casa, seguindo A galinha da papoila
a margem do lago. Chegou ao portão da frente e resolveu passear Põe os ovos à manada
(desenhar uma linha curta, saindo do círculo menor). E lá estava o pato Põe um, põe dois, põe três
sapeca. Henrique voltou para casa,cheio de alegria (desenhar outra Põe quatro, põe cinco, põe seis
linha curta voltando ao círculo). Afinal, achou seu pato e ficou feliz. Põe sete, põe oito
Arrecolhe o teu biscoito
A cidade das palmas (todos devem bater palmas quando ouvirem as
palavras “doutor”e “Pontes”. Em cima do piano
Tem um copo de veneno
Era uma vez um gato que pulou de mau jeito do muro e ficou com a Quem bebeu morreu
Anabum anabu
patinha machucada. “Convém consultar o doutor”(palma uma vez) diz
Quem sai és tu
ele. “Mas que doutor? (palma uma vez). Que tal o doutor Pontes? (duas - Você tem uma bonequinha?
palmas), dizem os amigos. O gatinho foi procurar o doutor Pontes (duas - Tenho
palmas). O doutor (uma batida) examinou sua pata e disse: “só um - Ela é muito engraçadinha?
arranhão”. “O quê? , perguntou o gatinho. “Um arranhão nada mais”, -É.
7
- Quantos anos ela tem? Sabendo qu'era minha }
- Seis. Eu também sou tua } bis
- Um, dois, três, quatro,
Cinco, seis! Passa a machadinha }
Um poli-é
Para o meio da rua } bis
De poli-poli-tano
Um navio que passou pela
Espanha Aqui a menina sai do centro da roda e canta sozinha:
Venha cá, eu lá não vou
Um poli-poli-tano No meio da roda }
Não hei de ficar } bis
Fui a feira comprar uva
Espinhei um pim-no-pé A roda responde:
Amarrei com fita verde
Com o nome de Mané
Passa a machadinha }
Fui ao mato cortar lenha Escolhei teu par } bis
O capim cortou meu pé
Amarrei com fita verde Então a machadinha escolhe uma das meninas para ser a machadinha seguinte.
Cabelinho de José Abraça a escolhida e volteiam.

Fui à feira comprar uva Caranguejo


Encontrei uma coruja
Eu pisei na cauda dela As meninas, aos pares, dançam e cantam:
Me chamou de cara suja
Caranguejo não é peixe
Caranguejo peixe é
• Brincadeira de roda
Caranguejo só é peixe
A machadinha Na enchente da maré
É uma roda e uma menina no centro. Cantam as da roda:
Bate palma, palma, palma
Rá, rá, rai } Bate pé, pé, pé
Minha machadinha } bis Caranguejo só é peixe
Na enchente da maré
Quem te roubou }
Sabendo qu'era minha? } bis Caranguejo é presidente
8
Goiamum é capitão mexendo o braço pra lá e pra cá. Ao pronunciarem a sílaba zá, entregam a
Aratu por mais pequeno pedra à menina que está junto.
Inspetor de quarteirão
Fui à Espanha
Minha mãe, quando menina, brincou o Caranguejo dançando aos pares, na
calçada, como Ciranda, cirandinha. Dona Bibi informou-me que já brincou o As meninas de mãos dadas, em roda, cantam:
Caranguejo uma roda, com as suas amigas de infância, e cantou na mesma
música os seguintes versos: Fui à Espanha.
Buscar o meu chapéu
A mulher do caranguejo Azul e branco
Está doente de uma dor Da cor daquele céu.
Porque não fez um vestido
Da fumaça do vapor Veiu uma preta
De lá da Bahia.
Caranguejo diz que tem Pega na criança
Duas filhas pra casar E atira na bacia
Uma com o capitão
Outra com o general A bacia era de ouro,
Arejada com sabão;
Escravos de Jó E depois dela areiada
Foi enxuta com roupão
É uma roda de crianças, todas sentadas no chão. Cada uma tem uma pedra na
mão, que vão passando de mão, no ritmo da cantiga: O roupão era de seda,
Camisinha de filó;
Escravos de Jó E depois nós damos vivas
Jogaram caxangá Para quem ficar vovó

Bota, tira } Quando cantam o último verso - Para quem ficar vovó -todas procuram se
Gabelê-ê-já } bis abraçar umas com as outras. A que ficar sozinha, será a vovó. Por isso, essa
roda só se brinca com um número ímpar de meninas.
Guerreiros com guerreiros }
Zigue, zigue, zigue, zá } bis O pinhão
É uma roda de crianças e uma do lado de fora. Cantam as da roda:
Quando cantam — zigue, zigue, zigue — ficam com a pedra na mão,
9
O pinhão entrou na roda } Periquito maracanã
Ô pinhão } bis
Periquito maracanã
Roda, pinhão } Perdeu a sua Iaiá
Bambeia, pinhão } bis Faz um ano, faz um dia.
Qu'eu não vejo ela voltar.
Aqui, a criança, que está fora, passa para dentro da roda e começa a dançar,
dando voltas, se requebrando, imitando o pinhão. A roda continua cantando: Aqui as crianças se aproximam, até ficarem bem juntas cantando:

Amostra tua figura } Ora vai chegando,


Ô pinhão } bis Ora vai chegando,
Ora vai chegando,
Roda, pinhão } Até chegar
Bambeia, pinhão } bis
Aqui se afastam, ampliando a roda:
Arrasta a saia no chão }
Ô pinhão } bis Ora vai fastando,
Ora vai fastando,
Roda, pinhão } Ora vai fastando,
Bambeia, pinhão } bis Até fastar

Quando cantam — Arrasta a saia no chão, etc... — a menina do centro se Em seguida todas pulam na roda, depois de cantar o estribilho:
abaixa e procura arrastar mesmo a barra do vestido no chão. Cantam as da Periquito maracanã, etc...
roda:
Ora vai pulando,
Entrega o chapéu à outra } Ora vai pulando,
Ô pinhão } bis Ora vai pulando,
Até parar.
Roda, pinhão }
Bambeia, pinhão } bis Cantam o estribilho novamente e terminam com esta quadra:
Ora vai correndo,
Ora vai correndo,
Ora vai correndo,
Até parar
10
Tororó
Você gosta de mim
É uma roda de crianças e uma das meninas do lado de fora. Cantam as da É uma roda de crianças e uma no meio. Cantam as da roda:
roda:
Você gosta de mim, ó fulana
Eu fui ao Tororó Eu também de você, ó fulana
Beber água e não achei Vou pedir a teu pai, ó fulana
Achei bela morena Pra casar com você, ó fulana
Que no Tororó deixei.
Se ele disser que sim, ó fulana
Ô dona fulana. Tratarei dos papéis, ó fulana
Ô dona fulana Se ele disser que não, ó fulana
Entrarás na roda Morrerei de paixão, ó fulana
E ficarás sozinha.
Palma, palma, palma, ó fulana
Aqui a menina que está fora passa para dentro da roda e canta: Pé, pé, pé, ó fulana
Roda, roda, roda, ó fulana
Na roda não fico Abraçarás quem quiser, ó fulana
Nem hei de ficar
Porque tem fulana Ao cantar a última quadra, batem palmas, com os pés e a garota do centro fica
Para ser meu par rodopiando. Quem for abraçada por esta última, passa então para o meio da
roda na vez seguinte.
Fulana é o nome da criança escolhida pela que está no centro da roda. Então
as duas cantam, trocando o pé, alternadamente, um para cá e outro para lá: Vai abóbora
Vai abóbora vai melão de melão vai melancia
Tira, tira o seu pezinho Vai jambo sinhá, vai jambo sinhá, vai doce, vai cocadinha
Bota aqui ao pé do meu Ele pula, ele dança, ele faz requebradinha
E depois não vá dizer Quem quizer aprender a dançar, vai na casa do Juquinha
Que seu pai se arrependeu
Capelinha de melão
A mamãe está me chamando
Eu não sei para que é Capelinha de melão
Se for pra varrer a casa É de São João
Varra ela se quiser É de cravo, é de rosa
11
É de manjericão
A Barata diz que tem um anel de formatura
Acorda, acorda É mentira da barata, ela tem é casca dura
Acorda, João Ah ra ra , iu ru ru, ela tem é casca dura
João está dormindo
A Barata diz que tem o cabelo cacheado
Não acorda, não É mentira da barata, ela tem coco raspado
Ah ra ra, ia ro ró, ela tem coco raspado
Se São João soubera
Quando era o seu dia
Vamos maninha
Descia dos céus à terra
Com prazer e alegria Vamos Maninha vamos,
Lá na praia passear
Vamos ver a barca nova que do céu caiu do mar (bis)
São João foi para o banho
Com vinte e cinco donzelas Nossa Senhora esta dentro,
As donzelas caiu n'água Os anjinhos a remar
São João caiu com elas Rema rema remador, que este barco é do Senhor (bis)

Meu limão, meu limoeiro O barquinho ja vai longe ...


E os anjinhos a remar
Meu limão, meu limoeiro Rema rema remador, que este barco é do Senhor (bis)
Meu pé de jacarandá
Uma vez, tindolelê Sapo jururu
Outra vez, tindolal Sapo Jururu na beira do rio
Quando o sapo grita, ó Maninha, diz que está com frio
A barata diz que tem A mulher do sapo, é quem está la dentro
Fazendo rendinha, ó Maninha, pro seu casamento
A Barata diz que tem sete saias de filó
É mentira da barata, ela tem é uma só
Ah ra ra, iá ro ró, ela tem é uma só ! O meu galinho
A Barata diz que tem um sapato de veludo Há três noites que eu não durmo, ola lá !
É mentira da barata, o pé dela é peludo
Ah ra ra, Iu ru ru, o pé dela é peludo ! Pois perdi o meu galinho, ola lá !
Coitadinho, ola lá ! Pobrezinho, ola lá !
A Barata diz que tem uma cama de marfim Eu perdi lá no jardim.
É mentira da barata, ela tem é de capim
Ah ra ra, rim rim rim, ela tem é de capim Ele é branco e amarelo, ola lá !
Tem a crista vermelhinha, ola lá !
12
Bate as asas, ola lá ! Abre o bico, ola lá ! Você tem
Ele faz qui-ri-qui-qui. Você tem
Você tem um bocão
Já rodei em Mato Grosso, ola lá !
Amazonas e Pará, ola lá !
Que injustiça
Encontrei, ola lá ! Meu galinho, ola lá !
No sertão do Ceará ! Que injustiça
Minha boca não é grande não.
Nesta rua
Nesta rua, nesta rua, tem um bosque Astronauta
Que se chama, que se chama, Solidão
Dentro dele, dentro dele mora um anjo Eu sou um astronauta
Que roubou, que roubou meu coração Que tem muito o que fazer
Da terra vou subir
Se eu roubei, se eu roubei seu coração Da lua vou descer
É porque tu roubastes o meu também
Se eu roubei, se eu roubei teu coração
Eu vou em meu foguete
É porque eu te quero tanto bem
Que aprendi a dirigir
Se esta rua se esta rua fosse minha Quem for valente e forte
Eu mandava, eu mandava ladrilhar Comigo pode ir
Com pedrinhas, com pedrinhas de brilhante
Para o meu, para o meu amor passa. A viagem é arriscada
Só voar não há parada
Jacaré Atenção... o foguete vai subir
Companheiros tá na hora de partir
Jacaré é é
Jacaré é é 1,2,3,4,5,6,7,8,9,10
Vai ter um festão
O sapo
Mas você e e
Mas você e e Nós vimos um dia
Não vão ser Com muita alegria
Convidado não Um bando de sapos
Fazendo folia
Mas porque? Foi, foi, não foi,
13
foi não foi, foi não foi marca um ponto. Mas, se for apanhado, o ponto é para o outro lado. Para
tornar a bandeira, o jogador deve fazer manobras, negacear, blefar, nunca ir
Oh que coisa boa direto ao alvo.
A gente ver o sapo PIQUE FRUTA
Batendo com o papo Escolher o pegador. Ele tenta apanhar os participantes que não cumprirem a
Na beira da lagoa seguinte regra: agachar no chão e dizer o nome de uma fruta qualquer. Só que
Foi, foi, não foi, este nome de fruta só pode ser usado duas vezes. Se o participante se esquecer
foi não foi, foi não foi e falar o nome da mesma fruta pela terceira vez, o pegador o apanha. E ele
passa ao lugar do perseguidor.
1,4,8 OBS.: É uma brincadeira que exige muita atenção do pegador, pois deve
memorizar que frutas já foram citadas por determinado jogador.
• Piques
OS SÓCIOS
ESCONDE-ESCONDE Escolher o pegador e o jogador que será perseguido. Formar duplas de
“sócios”. Estes devem andar de braço dado. O que não tem sócio tenta escapar
(Também conhecido por piques, pique - esconde, 31 alerta) do pegador, dando o braço a um jogador de uma dupla. Neste caso, o sócio do
Escolha um lugar para ser o pique e quem vai ficar nele. O jogador escolhido outro lado foge imediatamente e, para não ser apanhado pelo pegador, procura
fica de costas e de olhos fechados no pique, contando até o número tomar o lugar de outro sócio, em outra dupla.
combinado.
Enquanto isso, o resto do grupo tem de se esconder. Quando termina de Os pares podem ficar imóveis ou correr em socorro do jogador perseguido,
contar, o jogador vai procurar os companheiros. dificultando a ação do pegador. Um corredor apanhado toma o lugar do
Quem está escondido tem que correr até o pique para se salvar. Quando pegador.
encontra alguém, o jogador que está procurando tem de voltar ao pique e dizer PIQUE ALTURINHA
onde é que viu o companheiro.
Se o jogador encontrado chegar ao pique antes do perseguidor, ele se salva. Nesta brincadeira, o pique será no lugar mais alto do que o chão.
O primeiro que for pego é o perseguidor na próxima jogada. Se todo mundo Exemplo: um degrau de escada, uma cadeira onde se possa subir, um banco,
for salvo, a brincadeira continua com o mesmo perseguidor um monte de areia, etc.
Escolher o pegador, que apanha os demais jogadores. Só que todos tentam
PIQUE – BANDEIRA fugir subindo nos lugares considerados piques. Quem ele conseguir pegar é o
Determinas duas linhas paralelas, separadas por um espaço de 8 a 15m. No novo pegador.
meio deste espaço entre as duas linhas, fixar uma vara ou bastão com um
VENHAM OU OS BUSCAREI
lenço amarrado na ponta. Dividir o grupo em dois e enfileirar cada equipe nas
linhas. Dado um sinal “Larga!”, o jogador da ponta direita ou esquerda, de Traçar duas linhas paralelas, a uma distância de 10m uma da outra, e que
cada grupo, sai correndo na direção do mastro, tentando pegar a bandeira e serão os piques. Dividir o grupo em duas equipes e alinhar cada uma num dos
levá-la para a sua equipe. Quem conseguir, sem ser apanhado pelo adversário,
14
piques. Escolher o pegador, que deve ficar no centro e gritar: “Venham, ou os • Papel colorido
buscarei!” • Durex colorido
Todos correm para os piques opostos, negaceando o pegador, que tenta pegar • Cola quente
alguém. Os que forem tocados por ele passam a ser seus ajudantes, quando • Tesoura
fizer novo chamado. O último a ser preso é o vencedor. Confecção:
PULA – CERCA • Virar a caixa do lado contrário.
• Colar as tampinhas para fazer as rodas.
O local da brincadeira precisa ter uma cerca ou algo que imite (cadeira, mesa, • Recortar aparte de cima da caixa para fazer o para brisa.
obstáculo). Este salta a cerca e tenta apanhar alguém. Só pode pegar os
• Desenhar as janelas e faróis com o papel colorido e colar.
jogadores que estiverem no mesmo lado que ele. Os perseguidos fogem,
pulando sempre para o lado contrário, para não serem apanhados. O que for • Enfeitar com durex a parte da frente do carro.
capturado passa a ser o novo pegador.
Barquinho de garrafa plástica descartável
• BRINQUEDOS
Barangandão Material
MATERIAL:
• Tiras de papel crepom • Tesoura
• Barbante • Cola quente
• Jornal • Cola colorida
• Tesoura Confecção:
CONFECÇÃO: • Colocar a garrafa deitada na mesa.
• Recortar a parte superior.
• Cortar meia folha de jornal. • Colar o palito de churrasco com cola quente.
• Selecionar seis tiras de papel crepom (coloridas). • Fazer uma bandeira e colar no palito.
• Dobrar o jornal com as pontas das tiras para dentro até o final, • Depois enfeitar o barco com cola colorida.
deixando a parte maior delas para fora.
• Dobrar no vertical até chegar nas tiras. Peteca de jornal:
• Amarrar deixando um pedaço do barbante para pegar.
Material:
Carrinho de caixa de leite: • Jornal
• Tinta várias cores
Material: • Pincel
• Durex
• Caixa de leite
• Quatro tampinhas de garrafas plásticas descartáveis
15
Confecção: • Durex colorido ou cola colorida
• Amassar bem o jornal transformando em uma bola. • Tesoura
• Envolver esta bola em outra folha de jornal. • Barbante
• Juntar as pontas do jornal Para cima. • Duas tampinhas
• Prender com durex.
• Pintar o jornal com algumas pinceladas. Confecção:
• Cortar a garrafa plástica descartável ao meio.
Bola de meia • Enfeitar as bordas com durex colorido ou cola colorida.
• Amarrar uma ponta do barbante no bico da garrafa, em seguida fechar
Material: com a própria tampinha..
• Meia fina • Furar uma tampinha e amarrar a outra ponta do barbante.
• Retalhos de panos
• Linha e agulha • Outras brincadeiras

Confecção: Telefone sem fio


• Retirar um pé da meia. Idade: a partir de 5 anos
• Encher a meia com retalhos de pano. Participantes: 5 ou mais
• Costurar dando alguns pontinhos para fechar. Regra:
Organizar os jogadores sentados um ao lado do outro em fila.
O primeiro jogador diz uma frase/mensagem no ouvido do colega seguinte.
Passa a bola Cada participante após receber a mensagem fala o mais baixo possível no
ouvido do colega seguinte até que o ultimo falará em voz alta o que recebeu.
Material: A mensagem muitas vezes chega completamente diferente!!
• Garrafas plásticas descartáveis
• Durex colorido Fui a feira
• Tesoura Idade: a partir de 5 anos
Participantes: 2 ou mais
Confecção: Regra:
• Cortar as garrafas ao meio. Um jogador diz em voz alta: Fui a feira e comprei.. por exemplo ”maçã”. O
jogador seguinte repete a frase do primeiro acrescentando outra mercadoria
• Colocar durex nas extremidades.
comprada por exemplo:” batata”, o terceiro jogador repete as mercadorias que
os jogadores anteriores disseram e acrescenta mais uma, ganha quem não
Bilboquê repetir mercadoria e lembrar todas que foram faladas.
Material:
• Garrafa plástica descartável
16
Bocas de forno Lista de Palavras
Primeiro uma pessoa é eleita como "o senhor" , esta pessoa irá dar as ordens Fazer uma lista de palavras com 10 categorias, iguais para todos os
na brincadeira ,os demais participantes terão apenas que cumprir suas ordens. participantes. Por exemplo: Nomes próprios, animais, peças de roupas, carros,
A ordem consiste em achar um determinado objeto, caso a criança não frutas, países, vegetais.
consiga encontrar e trazer o objeto pedido ela é obrigada a pagar uma prenda Em seguida um jogador diz uma letra, todos os demais devem anotar por
que pode ser cantar ou dançar uma musica, imitar um bicho ou qualquer outra categoria palavras que comecem com aquela letra.
coisa. Então o Senhor manda que as crianças peguem um objeto. O participante que terminar primeiro diz “Pare”.
Cada palavra vale 10 pontos, cada palavra repetida vale 5, somam-se os
Senhor: - Boca de Forno pontos e anotar no total.
Crianças: - Forno! Ir jogando com outras letras e no final somar toda a pontuação .
Senhor: - Faz o que eu mandar?
Crianças: - Faço Bom Barqueiro ou Passarás
Primeiro temos que escolher dois participantes que serão a ponte dando as
Senhor: - Se não fizer? mãos um para o outro, sem que o restante da turma saiba eles decidem quem
Crianças: - Toma bolo. será pêra ou maçã. Os demais fazem uma fila que passará por debaixo da
ponte.
De Havana veio um Barco A dupla que é a ponte canta:
Um jogador diz em voz alta: “De Havana veio um barco carregado de...” e Passarás, passarás
acrescenta o nome de um produto que pode ser transportado por barco. Mas algum há de ficar
Exemplo: laranja. se não for o da frente
O jogador seguinte deve dizer o nome de outra mercadoria que comece com a tem que ser o de trás
mesma letra que a primeira, por exemplo: “De Havana veio um barco Nesta hora (quando fala “de trás”) a dupla prende nos braços quem está
carregado de lápis”. passando e perguntam baixinho sem que os outros ouçam:
Quando um jogador não conseguir lembrar de algum produto que não foi _ Você quer pêra ou maçã?
falado será eliminado. O Participante escolhe e vai para trás de quem representa a fruta que ele
Depois que alguém for eliminado o jogador que ficou por ultimo começa o escolheu.
jogo com outra letra. No final ganha o participante que tiver mais gente atrás , ou seja a

A Forca O Participante escolhe e vai para trás de quem representa a fruta que ele
Um jogador pensa numa palavra e desenha na lousa ou em uma papel, traços escolheu.
correspondentes as letras da palavra que pensou. No final ganha o participante que tiver mais gente atrás , ou seja a fruta mais
Em seguida os demais jogadores , cada um na sua vez, irão tentar adivinhar a escolhida.
palavra, dizendo as letras que acham que está faltando. Para cada letra errada
uma parte do enforcado é desenhada. Batatinha Frita
São permitidos 10 erros. A forca é desenhada com 5 traços e o enforcado com Um Participante devera ficar de costas para o grupo junto a uma parede
6. Os outros ficam lado a lado e vão andando a medida em que o participante de
Se o desenho do enforcado for completado ganha o jogo quem pensou na costas conta: “batatinha frita um, dois, três” e ao virar-se rapidamente quem
palavra
17
for visto se movimentando volta para o começo. queimado. O jogador queimado deverá então ir para o poço, que fica atrás da
Ganha o participante que chegar primeiro ao lugar do contador linha de fundo do campo adversário.
Quando algum jogador da equipe está no poço, pode-se tentar salvá-lo
Chicotinho Queimado "cruzando" a bola para ele, isto é, arremessando a bola bem alto para que ela
Um dos participantes será o Chicotinho queimado. alcance o poço sem que nenhum jogador adversário a agarre. O jogador que
Ele irá esconder um objeto para que os outros o encontrem. Quando alguém se está no poço então, deverá tentar "queimar" um adversário, conquistando
aproximar do objeto o Chicotinho queimado vai dando pistas: Diz “Quente” assim o direito de voltar para o seu campo. Mas não é obrigatório que a equipe
se a pessoa estiver perto do objeto, “frio” se estiver longe, “morno” se estiver que tenha algum jogador no poço adversário cruze as bolas para ele, ela
se aproximando. poderá simplesmente continuar tentando queimar os adversários.
Ganha quem achar o objeto, será a sua vez de escondê-lo. Ganha o jogo a equipe que "queimar" todos os jogadores da equipe adversária.

Passa-Anel (anelzinho, jogo-do-anel) Estátua


Escolher quem vai ser o passador de anel. Para essa brincadeira é bom ter mais de 3 pessoas.
O Passador põe o anel (ou outra coisa pequena) entre suas mãos, que estão Você vai precisar de um aparelho de som.
encostadas uma na outra. Todos os jogadores fazem um círculo e um fica como o mestre, controlando o
Os outros jogadores ficam um ao lado do outro, com as palmas das mãos som.
encostadas como as do passador de anel. Quando o mestre quiser ele abaixa o volume e diz "estátua"!
O passador passa as suas mãos no meio das mãos de cada um dos jogadores, Os jogadores devem ficar em posição de estátua, sem se mexer e o mestre vai
deixando cair o anel na mão de um deles sem que ninguém perceba. Quando tentar fazer caretas e brincadeiras para ver quem se mexe primeiro.
tiver passado por todos os jogadores, o passador pergunta a um deles: "Quem Não vale fazer cócegas.
ficou com o anel ?". Quem se mexer ou rir primeiro paga uma prenda e vai para o lugar do
Se acertar, é o novo passador. Se não, paga a prenda (castigo) que os animador
jogadores mandarem.
O passador repete a pergunta até alguém acertar. Quem acerta é o novo Que bicho eu sou?
passador Número de participantes: No mínimo três
É uma brincadeira bem divertida.
Queimada, Queimado ou Bola Queimada Uma pessoa escreve o nome de vários bichos (pode ser um desenho) , um em
Tradicional jogo com bola, para crianças e adultos. Ganha o jogo a equipe que cada folha de papel.
"queimar" todos os jogadores adversários. Esses nomes devem ser colados nas costas dos participantes sem que eles
Formam-se dois grupos e cada grupo fica em um lado do campo. No fundo de vejam qual o bicho.
cada lado do campo, marca-se uma linha, que marcará o poço, para onde Cada participante terá que adivinhar o animal que virou fazendo perguntas
deverão ir os jogadores queimados. sobre as características do bicho aos outros participantes.
Tem início o jogo. As jogadas são sempre alternadas por equipe. Escolhe-se a As respostas devem ser sim ou não.
equipe que dará início ao jogo e um jogador desta pega a bola e a atira no O último a descobrir sai da brincadeira e passa a colar o nome dos bichos nos
grupo adversário. O objetivo é "queimar" alguém. Um jogador é queimado vencedores.
quando a bola bate nele, e depois cai no chão. Se a bola é agarrada por
qualquer membro da equipe, o jogador é salvo. Se a bola bate em um jogador,
e depois em outro, sempre o último jogador em quem a bola bateu que é o
18
Mímica Alfinetes máquinas de y, leite, chá, fita Dobradiças roupa, sapato
A partir de 4 pessoas Anéis costura, papéis) K7, fio dental, Espumas e
Dividir o time em dois.
Cada time vai pensar em um nome de uma categoria, exemplo: filme, música Arames Bolas fósforo, ovo, esponjas
e outros; e chamar uma pessoa da outra equipe. Aviamentos Bolinhas de pasta de dente, Eucatex
A pessoa escolhida vai tentar representar o nome sem dizer uma palavra, para isopor polenguinho,
a sua própria turma.
Se o time de quem estiver representando acertar em menos de 1 minuto ganha Botões presentes,
um ponto. Buchas remédios,
Se não acertar, ganha a equipe adversária.
Bandejas sabonetes,
• Sucatoteca (papelão, sapatos)

Para a montagem de uma sucatoteca é necessário começar a coletar plástico, isopor) Canetas
Bengalas Capas
sucata. Esta sucata poderá ser levantada com o auxílio das crianças e dos pais.
Bijuterias Caroços de
É preciso muita disciplina e paciência para a montagem deste espaço. A
Bolinhas de abacate,
sucatoteca é um espaço limpo e esteticamente belo e nobre. Agradável de
gude melancia,
tocar, estimulante e atraente que sugira vontade de mexer, usar, sentir, pensar,
Borrachas pêssego, uva,
ter idéias e transformar. Após a sua coleta, esta requer limpeza, classificação e Brinquedos manga
disposição no espaço idealizado. Apresentaremos uma classificação por inutilizados Carteiras
ordem alfabética de sucatas segundo MACHADO (1999), para que possamos Cartões(de época:
visualizar as possibilidades e a amplitude do “universo da sucata”. Natal, Páscoa,
Aniversário)

• A • B • C • D • E Cascas de nozes

Adesivos Baldes furados Cabaças Dados Embalagens Cestas

Alças de sacola Bambus Cadernos Dedais Envelopes Chapas de raio X

Aparelhos Barbante Cabos de Discos Engradados Chaveiros

domésticos Bobinas de vassoura Decalques Escovas de Colheres de

Argolas todos tipos(fios, Caixas de Dinheiro cabelo, dente, brinquedo, metal

Agulhas tecidos, brinquedo(catupir antigo mamadeira, ou pau


19
Conchas K/L M N/O P Q/R
Copos plásticos Lanternas Malas e maletas Óculos Paina Raladores
Cortiças Lãs Manuais Ovos de costura Palha de Réguas
Cascalho Lápis Máscaras milho Relógios
Catálogos Latas de aveia, Meias Palha da feira Revistas
Chapas de metal azeite, batata Moedas Palitos de Redes de
Chapéus frita, cerveja, Medalhas comida boneca, cabelo,
Chaves farinha, Miniaturas chinesa, pescar, deitar.
Cintas e cintos importados, Molduras churrasco, Rendas
Confetes Nescau, óleo, dente, Retalhos de
refrigerante, fósforo, tecido
F G H I J sorvete. sorvete. Rolhas
Fantasias Gamelas Hastes de óculos Ímãs Jornais e seus Lenços Panelas
Fios(de ferro de Grades Impressos encartes Listas Papéis
passar, elétrico, Garrafas coloridos, telefônicas (quaisquer,
encapados, Grampos com desde que
metálicos) fotografias limpos! –
Fitas Instrumentos especialment
Flores secas cirúrgicos _ e os de
Formas e odontológico embrulho de
forminhas s presentes de
Fraldas Instrumentos Natal e de
Fitas K-7 musicais aniversário)
Folhas Isopores Papelões
Fotografias(e Pastilhas
seus negativos) ‘Pedras
Frascos Peneiras
20
Perucas
Posters
Parafusos
Penas
Plumas
Potes de bala,
biscoito e
Referencias Bibliográficas
creme de
BRANDAO, Heliana e FROESELER, Maria das Graças. O livro dos jogos e das
beleza.
brincadeiras: para todas as idades. Belo Horizonte: Leitura, 1997.
Pregos _________Heliana. Fantástica Fábrica de Brinquedos com Sucata. Belo Horizonte:
O Sol, 2002.
Pregadores
FREIRE, João Batista. Educação de Corpo Inteiro: Teoria e prática da Educação
S T U/V W/X/Y/Z Física. São Paulo: Scipione, 1989.
JEANDOT, Nicole. Explorando o Universo da Música. São Paulo: Scipione, 1990.
Saches Tábuas de bater Varetas Ziperes
MACHADO, Marina Marcondes. O brinquedo-sucata e a criança: A importância
Sacolas, sacos e carne Vassouras do brincar – Atividades e materiais. São Paulo: Loyola, 1999.
saquinhos. Tampas de Vasos
Sarrafos caneta, garrafa, Velas
Selos lata, pasta de
Serragem dente, xampus,
Serpentinas vidro
Sisal Telas
Terra
Tigelas
Toquinhos de
marcenaria
Tubos de
papelão,
plástico e PVC
21