Você está na página 1de 4

Agrupamento de Escolas Morgado Mateus

Matemática 9.º ano


Ano letivo 2015/2016

Ficha de trabalho n.º 5 Janeiro de 2016

Geometria euclidiana

Uma teoria é um dado conjunto de proposições consideradas verdadeiras, incluindo todas as


proposições que delas forem dedutíveis logicamente.

Um axioma é uma proposição que se considera verdadeira sem se deduzir de outras.

Axiomática de uma teoria é um conjunto de objetos primitivos, relações primitivas e axiomas


a partir dos quais todos os objetos e relações da teoria podem ser definidos e todas as
proposições verdadeiras demonstradas.

Uma definição é uma explicação do significado de um novo termo que se introduz pela
primeira vez. Essa explicação deve ser efetuada recorrendo exclusivamente a outros termos já
conhecidos.

Exemplo:

Considere-se a seguinte definição de segmento de reta:

“Segmento de reta [PQ] é o conjunto de pontos da reta PQ que se situam entre P e Q


(inclusive)”

Apesar de muito intuitiva, esta definição pressupõe a interiorização de algumas noções


prévias como:
Os teoremas são proposições que só se aceitam como verdadeiras depois de demonstradas.

Um teorema é uma afirmação que é verdadeira mas que não é um axioma. Por não se tratar de
um axioma, a veracidade de um teorema tem que ser demonstrada a partir de outras afirmações
que já se sabe serem verdadeiras.

Hipótese – o que é dado (ponto de partida) e que se considera verdadeira;


Tese – o resultado a que se pretende chegar.

Exemplo 1:
Consideremos o Teorema de Pitágoras:
“Num triângulo retângulo a soma dos quadrados das medidas dos catetos é igual ao
quadrado da medida da hipotenusa.”

Este teorema pode ser escrito sob a forma condicional, designada por implicação:
“Se um triângulo é retângulo, então a soma dos quadrados das medidas dos catetos é
igual ao quadrado da medida da hipotenusa”

Exemplo 2:
Consideremos o teorema:
“Dois ângulos verticalmente opostos são iguais.”

Na forma condicional temos:


“Se dois ângulos são verticalmente opostos, então são iguais.”

Hipótese: Dois ângulos são verticalmente opostos.


Tese: Os ângulos são iguais.

Exemplo 3:
Consideremos o teorema:
“A soma dos ângulos internos de um triângulo é igual a um ângulo raso.”

Na forma condicional temos:


“ Se [ABC] é um triângulo, então a soma dos ângulos internos de [ABC] é igual a um
ângulo raso.”

Hipótese: [ABC] é um triângulo.


Tese: A soma dos ângulos internos de [ABC] é igual a um ângulo raso.
1. Para cada um dos seguintes teoremas enuncia a hipótese e a tese.

a) “Se o produto de dois números reais é positivo, então os números têm o mesmo sinal.”

b) “Se um paralelogramo tem as diagonais perpendiculares, então é um losango.”

c) “Se um quadrilátero é um quadrado, então tem os lados todos iguais.”

d) “Se um quadrilátero tem dois lados paralelos, então é um trapézio.”

e) “Um número múltiplo de 2 e de 5 é múltiplo de 10”.

f) “Num quadrado, as diagonais são perpendiculares”.

g) “A soma de dois números naturais pares é um número par.”

h) “Um divisor de 4 é um divisor de 16.”

Um teorema é recíproco de outro quando a hipótese de um é a tese do outro e vice-versa.

Se uma condição p implicar uma condição q, isto é, sempre que p é verdadeira, q também é
verdadeira, diz-se que p é uma condição suficiente para q e que q é uma condição
necessária para p.

Num teorema, diz-se que a hipótese é condição suficiente para a tese ocorrer e a tese é
condição necessária para a hipótese.

Exemplo:
Considera, em IR, a implicação:
Se 𝑥 = −2, então 𝑥 2 = 4.
Distingue a condição necessária da condição suficiente e diz se a implicação recíproca é
verdadeira.
Resolução:
Condição necessária: 𝑥 2 = 4
Condição suficiente: 𝑥 = −2
Implicação recíproca: Se 𝑥 2 = 4, então 𝑥 = −2.
A implicação recíproca é falsa.
Sabe-se que 𝑥 2 = 4, não é necessariamente verdade que 𝑥 = −2, pois pode ocorrer 𝑥 =
2.
2. Para cada um dos seguintes teoremas enuncia a condição necessária e a condição
suficiente.

a) “Se o produto de dois números reais é positivo, então os números têm o mesmo sinal.”

b) “Se um paralelogramo tem as diagonais perpendiculares, então é um losango.”

c) “Se um quadrilátero é um quadrado, então tem os lados todos iguais.”

d) “Se um quadrilátero tem dois lados paralelos, então é um trapézio.”

e) “Um número múltiplo de 2 e de 5 é múltiplo de 10”.

f) “Num quadrado, as diagonais são perpendiculares”.

g) “A soma de dois números naturais pares é um número par.”

h) “Um divisor de 4 é um divisor de 16.”

3. Para cada uma das seguintes implicações enuncia a implicação recíproca e indica se é
verdadeira ou falsa.

a) Se 𝑥 = 4 então 𝑥 2 = 16.
b) Se a e b são números naturais ímpares, então 𝑎 + 𝑏 é um número par.
c) Se 𝑥 2 > 4 então 𝑥 > 2

4. O que distingue um axioma de teorema?

5. Demonstra o teorema seguinte:


“Se a e b são números inteiros pares, então a soma 𝑎 + 𝑏 é par.”

A professora
Sónia Raposo