Você está na página 1de 2

Questões PPDA – Ciências Humanas/Filosofia – Julio – Segundo Ano

1- Na cidade sois todos irmãos, (...) mas o deus que vos formou misturou ouro na composição
daqueles de entre vós que são capazes de comandar: por isso são os mais preciosos. Misturou prata
na composição dos auxiliares; ferro e bronze na dos lavradores e na dos outros artesãos. Em geral
procriareis filhos semelhantes a vós; mas, visto que sois todos parentes, pode suceder que do ouro
nasça um rebento de prata, da prata um rebento de ouro e que as mesmas transmutações se
produzam entre os outros metais. Por isso, acima de tudo e principalmente, o deus ordena aos
magistrados que zelem atentamente pelas crianças, que atentem no metal que se encontra
misturado à sua alma e, se nos seus próprios filhos houver mistura de bronze ou ferro, que sejam
impiedosos para com eles e lhes reservem o tipo de honra devida à sua natureza, relegando-os para
a classe dos artesãos e lavradores; mas, se destes últimos nascer uma criança cuja alma contenha
ouro ou prata, o deus quer que seja honrada, elevando-a à categoria de guarda ou à de auxiliar.

(Platão. República. Tradução Enrico Corvisieri. São Paulo, Nova Cultural, 1996, p. 111)

Nesta passagem da República, Platão apresenta uma metáfora que descreve


a) a consagração de uma concepção democrática na polis ideal platônica.
b) os diferentes tipos essenciais de capacidades humanas segundo Platão.
c) o modelo militarista da organização social imperante em Esparta.
d) a organização democrática de Atenas, considerada ideal por Platão.
e) a igualdade intrínseca que caracteriza todos os habitantes da polis.

2- Para muitos filósofos, problematizar teses que o senso comum considera verdadeiras constitui uma
importante tarefa filosófica desde a antiguidade. Para eles, o senso comum seria essencialmente
ingênuo, crédulo e dogmático, porque não exige demonstrações para justificar crenças. Assim, por
exemplo, acreditava-se antigamente que o Sol girava em torno da Terra, o que sabemos hoje ser
falso. No entanto, outros filósofos consideram que o senso comum está intimamente relacionado
ao bom senso e que seria humanamente impossível exigir a justificação de todas as crenças, pois
não teríamos nem condições nem tempo suficiente para isso. Até mesmo filósofos e cientistas –
para quem a demonstração (ou refutação) das hipóteses é fundamental – são incapazes de justificar
a totalidade de suas crenças.

Assinale a alternativa que está de acordo com as colocações do texto.


a) O senso comum é considerado dogmático por todos os filósofos.
b) Os cientistas conseguem demonstrar a totalidade de suas crenças.
c) O bom senso e o senso comum são termos que se equivalem quanto a seu significado.
d) Muitos filósofos questionam hipóteses explicativas do senso comum.
e) O bom senso é frequentemente ingênuo, crédulo e dogmático.

3- Um dos grandes temas de estudo da Filosofia moral é o da relação entre ética e liberdade. Sobre
esse assunto é correto afirmar que:

a) a conduta ética não implica na livre e consciente aceitação da norma estabelecida.


b) a interiorização da oral exclui a possibilidade da transgressão da norma.
c) a ampliação do grau de consciência e liberdade não põe em risco a norma estabelecida, já que esta se
apoia na herança dos valores recebidos pela tradição.
d) a observância ou aceitação das normas sociais independe da educação moral dos indivíduos.
e) a liberdade, entendida como autodeterminação, pressupõe a capacidade do sujeito moral em controlar
seus impulsos e paixões.
4- O utilitarismo ético surgiu na Inglaterra do século XIX. Essa corrente está fortemente associada à
ideia de que:

a) o fim último da ação moral é a felicidade, que deve ser estendida ao maior número de pessoas.
b) o interesse pessoal e o coletivo são sempre inconciliáveis.
c) a utilidades é um valor ético-moral na medida em que se contrapõe ao prazer.
d) o certo na conduta é, antes de tudo, a satisfação do próprio agente.
e) a ação moral consiste em agir conforme "o dever" , sem levar em conta as motivações e os interesses de
quem age.

5- Alguns dos desejos são naturais e necessários; outros, naturais e não necessários; outros, nem
naturais nem necessários, mas nascidos de vã opinião. Os desejos que não nos trazem dor se não
satisfeitos não são necessários, mas o seu impulso pode ser facilmente desfeito, quando é difícil
obter sua satisfação ou parecem geradores de dano.

EPICURO DE SAMOS. Doutrinas principais. In: SANSON, V. F. Textos de filosofia. Rio de Janeiro: Eduff, 1974

No fragmento da obra filosófica de Epicuro, o homem tem como fim


a) aceitar o sofrimento e o rigorismo da vida com resignação.
b) valorizar os deveres e as obrigações sociais.
c) alcançar o prazer moderado e a felicidade.
d) refletir sobre os valores e as normas dadas pela divindade.
e) defender a indiferença e a impossibilidade de se atingir o saber.