Você está na página 1de 26

Tarefa 7 - Comunicação Digital

Rogério Pereira Junior

Programa de Pós Graduação em Engenharia Elétrica - UFSC

October 25, 2017

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 1 / 26
Pe aproximada M-PSK utilizando Union Bound

A Union Bound diz que a Probabilidade de Erro de Sı́mbolo Pe, dado que si foi transmitido, pode
ser aproximada como:

s 
M−1
X dij2
Pe|si ≤ Q 
j=0,j6=i
2N0

Utilizando as leis dos cosseno e sabendo que 1 − cos(x) = 2sin2 (x/2), temos que dij2 dada por:

    
2π(j − i) π(j − i)
dij2 = ||si − sj || = 2Es 1 − cos = 4Es .sin2
M M
temos:

s
M−1  !
X 2Es π(j − i)
Pe|si ≤ Q .sin
j=0,j6=i
N0 M

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 2 / 26
Pe aproximada M-PSK utilizando Nearest Neighbors

No caso da modulação PSK, a probabilidade de erro é dada pela seleção errada de qualquer
um dos dois pontos de sinal adjacentes ao ponto de sinal transmitido.
Ou seja na análise da Pe somente são levados em conta os eventos de erro para os vizinhos
mais próximos.
Precisamos então da distancia minima entre esses pontos.
Distância minima temos (j-i) = ± 1;

r
cos(2π) p π
dmin = 2Es (1 − ) = 2 Es .sin
M M
Como no PSK teremos sempre dois vizinhos mais próximos, temos:

s  s !
2
dmin 2Es π
Pe|si ≈ 2Q   = 2Q .sin
2N0 N0 M

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 3 / 26
Pe aproximadada 16-QAM

M-QAM não teremos apenas 2 vizinhos;


Depende do valor de M e o sı́mbolo transmitido (16QAM tem sı́mbolos com 4,3 e 2 vizinhos).

Pe|s5 = Pe|s6 = Pe|s9 = Pe|s10


Pe|s0 = Pe|s3 = Pe|s12 = Pe|s15
Pe|s1 = Pe|s2 = Pe|s4 = Pe|s7 = Pe|s8 = Pe|s11 = Pe|s13 = Pe|s14

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 4 / 26
Pe aproximadada 16-QAM
p
A distância entre os sı́mbolos é dada por (utilizar normalização por (10)):

r
4Es
d=
10
A probabilidade de erro de sı́mbolo é:

1
Pe = (4.2.Q(x) + 4.4.Q(x) + 8.3.Q(x))
16
Sendo x dada por:

s s
d2 Es
x= =
2N0 5N0

Temos:

s !
Es
Pe = 3Q
5N0

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 5 / 26
Utilização do BPSK

O QPSK atinge a mesma probabilidade de erro de bit do BPSK, ocupando metade da banda para
a mesma taxa de bits. Por que então o BPSK ainda é usado? Existe alguma vantagem em se
usar o BPSK no lugar do QPSK?
QPSK é mais sensivel às variações de fase em relação ao BPSK;
Para a mesma energia por sı́mbolo, é mais provável que um sı́mbolo QPSK seja decodificado
de forma errada em comparação com um sı́mbolo BPSK;
BPSK apenas são necessários dois pontos de decisão para recuperar as informações binárias
originais (QPSK são necessários quatro pontos de decisão).
Com o BPSK, a cobertura de distância mais alta pode ser alcançada
Transmitindo com a mesma energia, o BPSK utiliza menos potência;
BPSK é usado para preâmbulos ou sequências piloto usados para canal e outros fins de
sincronização.

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 6 / 26
Pe aproximada M-FSK

O MFSK ortogonal tem uma representação geométrica como M Vetores


Pe depende apenas da distância da constelação entre os sı́mbolos
A constelação ortogonal é apropriada aqui, pois pode-se adicionar pontos a eles sem reduzir
sua distância mı́nima euclidiana.
Temos a mesma distância euclidiana para todos os M sı́mbolos;

Distância euclidiana entre dois vectores de sinal é igual a 2Es
Para uma constelação M-ária ortogonal onde todos os sinais têm a mesma energia de Es,
independentemente do número de pontos ou a dimensionalidade, temos:

p
dmin = 2Es

Utilizando Union Bound temos:

s  s !
2
dmin Es
Pe ≤ (M − 1)Q   = (M − 1)Q
2N0 N0

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 7 / 26
MSK

Modulação FSK com a separação mı́nima entre as portadoras utilizadas de modo a garantir
a ortogonalidade entre elas.
Este tipo de modulação é conhecida como CPFSK (continuous-phase frequency-shift keying).
Toma-se o cuidado de realizar a mudança de frequência sem causar mudanças abruptas de
fase, ou seja, a transição de fase de um sı́mbolo para outro é sempre suave.

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 8 / 26
MSK

Uma mudança na frequência da portadora do sı́mbolo 0 para o 1, ou vice versa, é igual a


metade da taxa de bit do dados de entrada do modulador, ou seja, O desvio de frequência
mı́nimo que garante ortogonalidade entre sı́mbolos FSK é 1/2Tb .
Seja (δf ) uma mudança de frequência e Tb a duração de um bit, então:

1
δf =
2Tb
Seja as frequências f 1 e f 2 representando as transições do sı́mbolo 1 e 0, respectivamente e fc a
média aritmética entre ambos o sinal MSK é dado por:

s(t) = Acos(2πfct + θ(t))

onde θ(t) = ±π(δf )t

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 9 / 26
MSK

Transmissão do sı́mbolo 1 muda a fase de s(t) em:

πt
θ(t) = +π(δf )t =
2Tb

Verificamos que, no tempo t = Tb a fase da onda MSK aumenta de um valor igual a π/2
radianos.
Transmissão do sı́mbolo 0 muda a fase de s(t) em:

πt
θ(t) = +π(δf )t =
2Tb

Verificamos que, no tempo t = Tb a fase da onda MSK diminui de um valor igual a π/2 radianos.
Temos o espaçamento de frequência minimo que dois sinais FSK que representam os
sı́mbolos 0 e 1, sejam ortogonais;
A variação de fase do sinal é contı́nua.

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 10 / 26
Geração MSK

Duas ondas senoidais de entrada, uma de frequência fc = n/4Tb e outra de frequência


fc = 1/4Tb , são aplicados a um modulador multiplicador;
Essas duas ondas senoidais são separadas uma das outras por um filtro de faixa estreita, um
centralizado em f1 e o outro em f2
As saidas dos filtros são combinadas para produzir o par de portadoras em funções de base
ortonormais φ1 (t) e φ2 (t)
Finalmente φ1 (t) e φ2 (t) são multiplicados por duas ondas binárias, as quais tem uma taxa
de bits igual a 1/2Tb

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 11 / 26
Geração GMSK

Modificação da técnica MSK;


Entrada do modulador é filtrada por um filtro passa-baixas com resposta a um pulso
retangular Gaussiano;
O objectivo é reduzir ainda mais a interferência com canais adjacentes, ou seja, eficiência
espectral;
O efeito do filtro é tornar as transições de frequência mais suaves e, com isso, reduzir a
largura de faixa do lóbulo principal do sinal modulado.
A saı́da do filtro é então modulado por MSK;

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 12 / 26
Caracterı́sticas espectrais FSK,MSK e GMSK

O espectro de FSK apresenta maiores lobos secundários, o que é desvantajoso.


MSK não produz tanta interferência fora da banda de interesse.
Resultam em lóbulos laterais menores (lobos secundários são mais atenuados) gerando
menor interferência adjacente;
Porém, utilizando o MSK em sistemas sem fio a interferência do canal adjacente não é baixa
o suficiente para satisfazer a necessidades práticas desse ambiente de comunicações
multiusuário;
Assim, utilizamos o GMSK, onde temos um espectro de potência mais compacto em relação
ao MSK.
Transições de frequência mais suaves reduzindo a largura de faixa do lóbulo principal do sinal
modulado.

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 13 / 26
Sinal 2FSK no tempo

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 14 / 26
Sinal 2FSK na frequência

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 15 / 26
Sinal 4FSK no tempo

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 16 / 26
Sinal 4FSK na frequência

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 17 / 26
Ocupação de banda do M-FSK

Depende do espaçamento entre as frequências f0 e f1;


A largura de banda de um sistema FSK M-ário é proporcional a M, ou seja o número de
frequências(à medida que M aumenta aumentamos a necessidade de largura de banda).
No caso da modulação FSK, o espectro é diferente em relação ao PSK, já que o sinal em
banda base é multiplicado por dois sinais de frequência de portadora diferentes f1 e f0.
Neste caso o espectro resultante tem a forma representada na figura abaixo.

O espectro da densidade espectral de potência do sinal modulado são dois sinais sinc
centrados nas frequências f0 e f1
Assim sendo, o espectro do sinal FSK fica centrado à frequência fc com zeros fc ±nRb .
Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia
Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 18 / 26
BER MFSK

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 19 / 26
BER BFSK Coerente e Não coerente

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 20 / 26
BER MQAM x BER MFSK

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 21 / 26
BER MPSK x BER MFSK

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 22 / 26
Comparação em termos de BER

Para QAM e PSK mostra que a probabilidade de erro de bit para esses sistemas piora à
medida que M se torna maior. Isto acontece devido aos pontos da constelação são cada vez
mais próximos no espaço de sinal bidimensional com o aumento de M.
QAM possui um desempenho consideravelmente melhor que PSK porque faz um uso mais
eficiente do espaço de sinais.
O MFSK é um esquema de sinalização em que o número de dimensões no espaço de sinal
cresce diretamente com M. Isso significa que as probabilidades de erro de bit para MFSK
coerente diminui à medida que M aumenta porque a dimensionalidade crescente significa que
os pontos da constelação não estão se aglomerando.
Como com MPSK, por exemplo, para o qual o espaço de sinal é bidimensional,
independentemente do valor de M (exceto para M = 2).
Em contra-partida a largura de banda requerida para MFSK coerente cresce diretamente
com M, enquanto que não é o caso para MPSK.
Note-se que a degradação do desempenho de Coerente FSK não é tão grave como se poderia
esperar.
Como foi visto então para ser completamente justo, é preciso comparar os sistemas de
comunicação M-ários com base tanto em suas caracterı́sticas de probabilidade de erro de bit
quanto em suas largura de banda relativa.

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 23 / 26
Comparação em termos de eficiência espectral
Eficiências de largura de banda das modulações MQAM, MPSK e MFSK coerente (com pulso de
formartação raiz cosseno levantado α = 1).

log 2(M) log 2(M)


MPSK = MQAM ==
1+α 2
2log 2(M)
MFSK (Coerente) = porção mı́nima do espectro ocupada - 1o zero espectral
M
log 2(M)
MFSK (Não Coerente) = porção mı́nima do espectro ocupada - 1o zero espectral
M
Utilizando como pulso de formatação o pulso raiz cosseno levantado, as eficiências de largura de
banda em bits por segundo por hertz para vários valores de M são dadas pela tabela abaixo

Table : Eficiências de largura de banda bits/s/Hz

M QAM PSK FSK (Coerente) FSK (Não Coerente)


2 0,5 0,5 1 0,5
4 1 1 1 0,5
8 1,5 1,5 0,75 0,375
16 2 2 0,5 0,25
32 2,5 2,5 0,3125 0,1563
64 3 3 0,1875 0,0938
Note que a eficiência de largura de banda de MPSK e MQAM aumenta com o aumento de M,
enquanto que para FSK diminui.
Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia
Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 24 / 26
Comparação em termos de eficiência espectral

Para PSK M-ário, quando o número M de fases aumenta, a eficiência de faixa melhora mas
às custas de um aumento na energia de sinal por bit (para M > 4).
Para FSK M-ário, quando o número M de frequências aumenta, a energia de sinal por bit
diminui mas às custas de uma redução na eficiência de faixa (para M > 4).

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 25 / 26
Referências

SKLAR, Bernard. Digital communications. Upper Saddle River: Prentice Hall, 2001.

HAYKIN, Simon. Sistemas de comunicação. Bookman, 2004.

LATHI, B. P.; DING, Zhi. Sistemas de Comunicações Analógicos e Digitais Modernos. LTC, Rio
de Janeiro, 2012.

Rogério Pereira Junior (Programa de Pós Graduação em Engenharia


Tarefa
Elétrica
7 - Comunicação
- UFSC) Digital October 25, 2017 26 / 26

Você também pode gostar