Você está na página 1de 6

História e Geografia de Portugal – teste 4

1. Qual era a principal atividade da população portuguesa no século XIII?


Era a agricultura.

2. Indica duas atividades ligadas à exploração da Terra. Refere duas atividades


ligadas à exploração do mar/rios.
 Exploração da terra – Agricultura e criação de gado;
 Exploração do mar/rios – Pesca e salicultura.

3. Indica quatro produtos provenientes da criação de gado e quatro produtos


provenientes da floresta.
Criação de gado
 Lã;
 Leite;
 Carne;
 Couro (pele);
 A força de trabalho.

Floresta
 Lenha;
 Madeira;
 Cortiça;
 Mel;
 Cera.

4. Qual era a função dos artesãos?


Os artesãos produziam produtos como calçado, instrumentos – como alfaias agrícolas, redes de
pesca, barcos, e objetos como pipas, cestos, telhas, velas, etc. Estes produtos eram feitos à mão
com a ajuda de ferramentas muito simples. Usavam matérias-primas provenientes da
Natureza.

5. Qual a importância dos almocreves?


Os almocreves eram importantes porque, para além das suas mercadorias, transportavam de
terra em terra as encomendas e as mensagens da população.
6. Quem criava as feiras? Como? Refere a importância das feiras. O que eram as feiras
francas?
Eram os reis que, por todo o reino, criavam as feiras. As feiras foram importantes para a promoção
e desenvolvimento do comércio. As feiras francas eram feiras onde os comerciantes que vendiam
os seus produtos não pagavam impostos sobre as suas vendas.

7. Identifica os diversos grupos sociais do século XIII.


Nobreza, clero e povo.

8. Distingue grupos privilegiados de não privilegiados. Indica os privilégios da


nobreza e do clero.
Os grupos privilegiados (nobreza e clero) tinham muitas regalias e os não privilegiados (povo)
tinham muitas obrigações e poucas regalias.
Os privilégios da nobreza eram: Os privilégios do clero eram:
 Possuíam muitas terras;  Possuíam muitas terras;
 Não pagavam impostos ao rei;  Não pagavam impostos ao rei;
 Recebiam impostos do povo;  Recebiam impostos do povo;
 Aplicavam a justiça nas suas terras;  Aplicavam a justiça nas suas terras;
 Recrutavam homens para o seu
exército.

9. Indica as atividades do nobre em tempo de guerra e em tempo de paz.


 Em tempo de guerra – combatia junto do rei.
 Em tempo de paz – administrava o seu senhorio e ocupava-se em atividades que o
preparavam para a guerra, como a caça, a equitação e exercícios desportivos.

10. O que são senhorios? Em que zona do país predominam?


Os senhorios eram as grandes propriedades que pertenciam aos nobres. Os senhorios
predominavam principalmente na região Norte de Portugal.

11. Descreve um senhorio. Quem vivia num senhorio? Descreve a casa senhorial.
Os domínios senhoriais ou senhorios estavam divididos em duas partes:
 A reserva – parte explorada diretamente pelo senhor e onde se situava a casa senhorial,
o moinho, a igreja, o lagar, o celeiro, a floresta e os campos de cultivo.
 Os mansos – terrenos que o senhor entregava aos camponeses para que eles as
trabalhassem.
Para além do nobre, no senhorio também era habitado por gente do povo que pagava impostos
e prestava inúmeros serviços.
Na casa senhorial, a principal divisão era o salão. Era onde o nobre dava as suas ordens, recebia
os hóspedes e onde serviam-se as refeições. O mobiliário existente na casa era uma mesa, arcas
para guardar a roupa e outros objetos domésticos, poucas cadeiras e bancos. Para a iluminação
durante a noite, utilizavam-se lamparinas de azeite ou tochas e velas de cera. Nos dias mais frios,
acendia-se a lareira.

12. Quais os poderes que o nobre exercia dentro do seu senhorio? E a obrigação?
Indica as distrações dos nobres.
Dentro do seu senhorio, o nobre:
 Aplicava a justiça;
 Recrutava homens para o seu exército;
 Cobrava os impostos a quem trabalhava nas suas terras ou nelas passava.
Como obrigação, o nobre:
 Tinha o dever de proteger as suas terras;
 De lutar pela justiça;
 De proteger os pobres e desprotegidos.
As suas principais distrações eram:
 Participar em atividades que o preparavam para a guerra;
 Praticavam a caça;
 Praticavam a equitação;
 Participavam em torneios a cavalo;
 Praticavam exercícios desportivos.

13. Indica as obrigações dos camponeses que viviam nos senhorios.


Os camponeses tinham a obrigação:
 De trabalhar as terras;
 De prestar serviços ao nobre;
 De pertencem ao exercito do senhor;
 De pagar os impostos.
14. Qual a principal função do clero? Refere outras funções deste grupo social.
A principal função do clero era o serviço religioso.
Também se dedicavam:
 Ao ensino;
 Á assistência a doentes, peregrinos e mendigos;
 A copiar livros e decorar os textos com pinturas.

15. Identifica as dependências de um mosteiro. Qual a importância dos monges
copistas?

Os monges copistas eram muito importantes pois eram eles que copiavam os livros mais
importantes e os ilustravam, uma vez que nessa época todos os livros eram copiados à mão.

16. Qual o documento que criava um concelho? Define concelho. Quem podia criar um
concelho?
Era o foral ou carta de foral o documento que criava um concelho. Um concelho era uma povoação
que tinha recebido um foral, onde estavam registados todos os direitos e os deveres que os
moradores do concelho tinham para com o senhor da terra. A maioria dos concelhos foi criado
pelo rei, mas os grandes senhores da nobreza e do clero também criaram alguns.
17. Que razões levavam à criação de concelhos? Distingue concelho rurais de
concelhos urbanos.
Os concelhos foram criados de forma a povoar e a cultivas as terras conquistadas aos Mouros.
Assim a troco de direitos e regalias, as pessoas aceitavam viver nessas terras.
Um concelho rural era essencialmente povoado por agricultores, pastores, pescadores e alguns
artesãos.
Um concelho urbano era povoado essencialmente por comerciantes e artesãos.

18. Regista três regalias dos moradores de um concelho. Como se denominavam os


moradores de um concelho?
As regalias eram:
 Eram donos de algumas terras;
 Só pagavam os impostos exigidos pelo foral;
 Tinham uma assembleia de homens-bons para resolver os principais problemas do
concelho.
Os moradores de um concelho eram os vizinhos.

19. Diz o que é a assembleia de homens-bons.


A Assembleia dos Homens-Bons servia para resolver os principais problemas do concelho e
era formada pelos homens mais ricos e respeitados do concelho.

20. Indica dois símbolos de um concelho medieval. Qual era a função de um


pelourinho e da Domus Municipalis?
 O pelourinho – aí eram castigados os que não cumpriam as leis.
 A Domus Municipalis ou Câmara era o edifício onde se reunia a assembleia de homens-
bons.

21. Identifica o novo grupo social surgido com o desenvolvimento do comércio.


Foi a burguesia.

22. Relaciona o aparecimento da burguesia com o desenvolvimento comercial.


A burguesia aparece com o grande desenvolvimento do comércio externo que leva ao
enriquecimento de mercadores e artesãos. Estes adquirem novas ideias e conhecimentos, e
começam a necessitar de se instruir e por isso começam a frequentar as escolas.
23. Caracteriza a vida na corte de D. Dinis.
Na corte de D. Dinis, faziam-se grandes banquetes e saraus, onde as pessoas cantavam,
dançavam e liam poemas. As pessoas divertiam-se, mas também aprendiam poemas, lendas e
histórias. Havia uma elevada participação de trovadores e de jograis.

24. Refere manifestações da cultura popular.


Na cultura popular, como as pessoas não sabiam ler, as histórias e os contos eram transmitidos
oralmente de pais para filhos.
O povo, para se distrair, ía à missas, procissões e romarias. Também iam a algumas festas
organizadas pelo rei ou o senhor nobre, onde aproveitavam para dançar muito.

25. Identifica as principais características do estilo românico e do estilo gótico.


Estilo românico – principalmente a norte de Estilo gótico - principalmente no centro e
Portugal. sul de Portugal.
 Edifícios com aspeto de fortalezas;  Edifícios altos;
 Aspeto compacto;  Paredes altas e finas;
 Paredes muito grossas e baixas;  Colunas interiores altas e finas;
 Paredes com poucas aberturas;  Sensação de verticalidade;
 Janelas estreitas;  Utilização de arcos quebrados;
 Interiores escuros;  Abóboda em ogiva;
 Utilização de arcos de volta perfeita;  Janelas altas e rosáceas;
 Tetos em abóbada de berço;  Interiores muito luminosos;

Ex. Sé do Porto, Sé de Braga. Ex.: Mosteiro da Batalha e Mosteiro de


Alcobaça