Você está na página 1de 144

FÍSICO-QUÍMICA

Caderno de Atividades
3a edição

GABARITO

JOSÉ RICARDO L. ALMEIDA


NELSON BERGMANN
Direção Geral: Julio E. Emöd
Supervisão Editorial: Maria Pia Castiglia
Revisão de Texto: Patrícia Gazza
Revisão de Provas: Mônica Roberta Suguiyama
Ilustrações: KLN
Ana Olívia Justo
Editoração Eletrônica: AM Produções Gráficas Ltda.

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta edição pode ser utilizada ou reproduzida – em qualquer
meio ou forma, seja mecânico ou eletrônico, fotocópia, gravação etc. – nem apropriada ou estocada
em sistema de banco de dados, sem a expressa autorização da editora.

FÍSICO-QUÍMICA – CADERNO DE ATIVIDADES – 3a edição – GABARITO


Copyright © 2015 por editora HARBRA Ltda.
Rua Joaquim Távora, 629
04015-001 São Paulo – SP
Promoção: (0.xx.11) 5084-2482 e 5571-1122. Fax: (0.xx.11) 5575-6876
Vendas: (0.xx.11) 5084-2403, 5571-0276 e 5549-2244. Fax: (0.xx.11) 5571-9777

ISBN 978-85-294-0450-9

Impresso no Brasil Printed in Brazil


Conteúdo

1 Soluções .............................................. 5 7 Equilíbrio Químico Molecular ......... 78


Exercícios Série Prata ........................................... 5 Exercícios Série Prata ......................................... 78
Exercícios Série Ouro ........................................... 10 Exercícios Série Ouro ......................................... 82

Exercícios Série Platina ......................................... 13 Exercícios Série Platina ....................................... 91

2 Diluição e Mistura .............................. 16 8 Deslocamento de Equilíbrio ............ 93


Exercícios Série Prata ......................................... 93
Exercícios Série Prata ........................................... 16
Exercícios Série Ouro ......................................... 94
Exercícios Série Ouro ........................................... 22
Exercícios Série Platina ....................................... 97
Exercícios Série Platina ......................................... 26

9 E
 quilíbrios Iônicos em
3 Titulação ............................................. 30
Solução Aquosa ............................... 99
Exercícios Série Prata ........................................... 30 Exercícios Série Prata ......................................... 99
Exercícios Série Ouro ........................................... 33 Exercícios Série Ouro ........................................ 100
Exercícios Série Platina ......................................... 36 Exercícios Série Platina ....................................... 102

4 Propriedades Coligativas .................. 40 10 pH e pOH ......................................... 103


Exercícios Série Prata ........................................... 40 Exercícios Série Prata ......................................... 103
Exercícios Série Ouro ........................................... 42 Exercícios Série Ouro ......................................... 105
Exercícios Série Platina ........................................ 44 Exercícios Série Platina ....................................... 112

5 Termoquímica ..................................... 46 11 Hidrólise Salina ............................... 115


Exercícios Série Prata ........................................... 46 Exercícios Série Prata ......................................... 115
Exercícios Série Ouro ......................................... 117
Exercícios Série Ouro ........................................... 51
Exercícios Série Platina ....................................... 120
Exercícios Série Platina ......................................... 59

12 S
 olução-tampão –
6 Cinética Química ................................ 65 Curva de Titulação ......................... 121
Exercícios Série Prata ........................................... 65 Exercícios Série Prata ......................................... 121
Exercícios Série Ouro ........................................... 69 Exercícios Série Ouro ......................................... 122
Exercícios Série Platina ......................................... 74 Exercícios Série Platina ....................................... 124
13 Equilíbrio da Dissolução ................ 125 14 Radioatividade ................................ 140
Exercícios Série Prata ......................................... 125 Exercícios Série Prata ......................................... 140
Exercícios Série Ouro ......................................... 130 Exercícios Série Ouro ......................................... 141
Exercícios Série Platina ....................................... 137 Exercícios Série Platina ....................................... 143
Gabarito Capítulo 1
Soluções

fórmula
Densidade d = m/V

usada na antiguidade usada ainda nos dias


por Arquimedes para de hoje devido a

determinar facilidade de
pureza medição

exemplo exemplo

Arquimedes bomba de
e a coroa de álcool
Hieron combustível
MÔNICA ROBERTA SUGUIYAMA/acervo da editora
Akif/shutterstock

m1 (soluto) = 240 g
m 1.200
1. Dados m2 (solvente) = 960 g d= ∴d= d = 1.200 g/L = 1,200 g/mL
V 1
V=1L

d = 1.150 g/L m = m1 + m2 ∴ m = 160 + 760


2. Dados m1 = 160 g m = 920 g
V2 = 760 cm3 ∴ m2 = 760 g

m 920
d= ∴ 1.150 =      V = 0,8 L
V V

Cap. 1 | Soluções 5

Gab_FisicaQuimica_Cap1.indd 5 3/11/16 10:26 AM


3. Dados V = 20 mL, m = 30 g

m 30
a) d = ∴d= ∴ d = 1,5 g/mL
V 20
m m
b) d = ∴ 1,5 = ∴m=6g
V 4
m 92
c) d = ∴ 1,5 = ∴ V = 61,3 mL
V V

4. a) Não, pois deveria ter completado com água até atingir o traço de aferição do balão.
b) A concentração será menor, pois o volume será maior que 500 mL.

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
V = 400 mL = 0,4 L
5. Dados
m1 (soluto) = 18 g

m1 18 g
C? C= ∴C= ∴ C = 45 g/L
V 0,4 L

V=5L
6. Dados C = 5,8 g/L m1 m1
C= ∴ 5,8 = ∴ m1 = 29 g
V 5
m1 (soluto)?

C = 9 g/L
7. Dados V? m1 45
C= ∴9= ∴V=5L
V V
m1 = 45 g

8. Alternativa d.
Dados: V = 2,5 m3, m1 = 220 µg C?
m1 220
C= ∴C= ∴ C = 88 µg/m3
V 2,5

massa de massa de
soluto solução
possui solução vs solução possui
elevada por elevada por
volume de CONCENTRADA DENSA volume de
solução. solução.

apresenta apresenta
alto valor de alto valor de

concentração densidade

9. Alternativa e.

m(inicial) = 90 g
10. Alternativa d. Dados 2 colheres m = 10 g
1

m(final) = 100g

temos
100 g 10 g

6 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


p = 3,5%
11. Dados 700 kg de sais 100 kg 3,5 kg
m2 (H2O)? 700 kg + m2 700 kg

70.000 = 2.450 + 3,5 m2

67.550 = 3,5 m2

m2 = 19.300 kg

12. Alternativa d. 100 g 20 g


Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

80 g + x 80 g ∴ 1.600 + 20 x = 8.000 ∴ x = 320 g

13. 2.000 mL 10 g
 100 x ∴ x = 0,5 ∴ 0,5% m/V

14. 100 mL 3g

600 mL x ∴ x = 18 g

15. 5 g 100 mL
10 g x ∴ x = 200 mL

16. 100 mL 16 mL
75 mL x ∴ x = 12 mL

18. atum Hg
10 g
6
0,5 g
200 g x ∴ x = 1024 g

19. Alternativa c.
1 ppm = 1 mg/L (solução aquosa)

20. 109 t 70 t
1t x ∴ x = 7 · 108 t

21. 106 m3 15 m3
1 m3 x ∴ x = 15 · 106 m3

22. 100 L 2 · 108 L


106 x ∴ x = 2 · 10-4 ∴ 2 · 104 ppm (V/V)

23. refrigerante benzoato de sódio


100 g 0,1 g
10 6
x ∴ x = 103 ∴ 1.000 ppm

24. 106 g 12 g
100 x ∴ x = 12 · 104 ∴ 12 · 104 %

25. 109 g 100 g


10 6
x ∴ x = 0,1 ∴ 0,1 ppm

Cap. 1 | Soluções 7
m1 soluto = 4,5 g
26. Dados VH = 500 mL; mH = 500 g
2O 2O
V = 500 mL = 0,5 L

m1 4,5
a) C = ∴C= ∴ C = 9 g/L
V 0,5

b) 504,5 g 4,5 g

100  g x ∴ x = 0,89 g ∴ 0,89%

c) 100 g 0,89 g

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
106 g ∴ 0,89 · 104 ∴ 8.900 ppm

V = 200 mL = 0,2 L M?
27. Dados m = 6,84 g n1 m1 m1 6,84
1
M= como n = temos M = M= ∴ M = 0,1 mol/L
V M1 M1V 342 · 0,2
M1 = 342 g/mol

m1?
m1
28. Dados V = 150 mL = 0,15 L M = 63 g/mol M = n1 como n = m1 temos M = m1 0,2 = m1 = 1,89 g
V M1 M1V 63 · 0,15
M1 = 0,20 mol/L

29. Alternativa a.

M = 2 · 10-11 mol/L M1 = 200 g/mol


Dados m = 1 g n1 m1 m1
1
M= como n = logo M =
V M1 M1V
V=?

1
2 · 10-11 = = 2,5 · 108 L
200 ⋅ V

30. Alternativa b.
Cálculo da quantidade de matéria de sacarose:
342 g 1 mol
3,42 g x ∴ x = 0,01 mol

Cálculo da concentração em mol/L:


50 mL 0,01 mol
1.000 y ∴ y = 0,2
portanto 0,2 mol/L

m1 = ?
31. Dados V = 500 mL = 0,5 L n1 m1 m1
M= como n = temos M =
V M1 M1V
M = 0,20 g/mol

m
M 1 = 64 + 32 + 64 + 90 ∴ M 1 = 250 g/mol  0,02 = m = 2,5 g
250 · 0,5  

8 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


32. Alternativa d.
CaCl2 Ca2+ + 2 Cl1
0,8 mol/L 0,8 mol/L 1,6 mol/L
[Ca2+] = 0,8 mol/L
[Cl1] = 1,6 mol/L

33. Alternativa b.
K3PO4 3 K1+ + PO43
0,2 mol/L 0,6 mol/L
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

34. Na2SO4 2 Na1+ + SO42


0,1 mol/L 0,2 mol/L 0,1 mol/L

36. Alternativa d.
CrCl3 ⋅ 6 H2O Cr3+ + 3 Cl+ 6 H2O
266,5 g 52 g
x 20 ⋅ 103 g ∴ x = 1,025 ⋅ 101 g
1 mL 1,025 ⋅ 101 g
1.000 mL y ∴ y = 102,5 g

38. Alternativa b.
0,30 + 3x  0,28  (0,10 ⋅ 2) = 0
Na+ Fe3+ Cl SO42
x = 0,06 ∴ [Fe ] = 0,06 mol/L
3+

40. a) C = 10 dp ∴ C = 10 · 1,7 · 80 ∴ C = 1.360 g/L


b) C = MM ∴ 1.360 = M · 98 ∴ M = 13,8 mol/L

41. 49% mV 100 mL temos 4,9 g


m1 4,9
a) C = ∴C= ∴ C = 49 g/L
V 0,1
b) C = MM ∴ 49 = M · 98 ∴ M = 0,5 mol/L

42. a) C = 10 dp 10 = 10 · 1 · p ∴ p = 1%

b) C = MM 10 = M · 200 ∴ M = 0,05 mol/L

43. Alternativa a.
C = MM ∴ 2,95 = M · 58,5 ∴ M = 0,05 mol/L

44. Alternativa d.
C = 10 dp = MM ∴ 10 · 1 · p = 0,8 · 60 ∴ p = 4,8%

25 ppm M = 100 g/mol


45. Alternativa a. Dados M?
d = 1 g/mL

25 ppm é igual a 25 mg/L (25 · 103 g/L) C = MM 25 · 103 = M · 100; M = 0,00025 mol/L

Cap. 1 | Soluções 9

Gab_FisicaQuimica_Cap1.indd 9 3/3/16 11:12 AM


0,9% (m/v) M = 58,5 g/mol
46. Alternativa d. Dados M? 0,9% (m/V) em 100 mL temos 0,9 g
C em mg/L

n1 m1 m 0,9
M= como n = temos M = M= ∴ M = 0,15 mol/L
V M1 M1V 58,5 · 0,1
m1 0,9
C= ∴C= ∴ 9 g/L ∴ 9 · 103 mg/L
V 0,1

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
1. Alternativa c.
Amostra 3: d = 0,954 g/mL teor de álcool = 23,7%
Amostra 1: d = 0,959 g/mL teor de álcool é maior que 15,8%
Amostra 2: d = 0,969 g/mL teor de álcool = 15,8%
Amostra 4: d = 0,935 g/mL teor de álcool = 31,6%
Amostra 5: d = 0,925 g/mL teor de álcool é maior que 31,6%

2. Alternativa e.
(1 V ⋅ 0,60) + (4 V ⋅ 0,70)
d= ∴ d = 0,68 g/cm3
5V
3. Alternativa b.
80 cm3 de água = 80 g de água
m1
álcool 0,79 = ∴ m1 = 0,79 V1
V1
m 0,79 V1 + 80
d= 0,93 = ∴ V1 = 40 cm3
V V1 + 80

4. a) semelhança de triângulos
d Δ maior Δ menor
0,89
0,89  0,78 0,82  0,78
=
0,82 50  0 x0
x = 18,2% água
0,78
81,8% álcool
0 x 50

b) Δ maior Δ menor
d
0,89
0,89  0,78 x  0,78
=
x 50 2 0 30 2 0

0,78 x = 0,846
d = 0,846 g/mL
0 30 50

1 mL 0,846 g
1.000 mL x ∴ x = 846 g

10 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap1.indd 10 3/3/16 10:22 AM


5. Alternativa d.
Analisando-se o gráfico, verificam-se várias dosagens de álcool sendo absorvidas no sangue até um valor máxi-
mo e posterior diminuição pela metabolização. Quanto maior a dosagem, maior o tempo necessário para a sua
eliminação (metabolização).

6. Alternativa e.
Quando temos 50% de etanol na mistura a densidade vale, 0,93 g/mL (do gráfico).
em 50 mL de água temos 50 g de água
m m
50 mL de etanol: d = ∴ 0,79 = ∴ m = 39,5 g
V 50
m 89,5
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

d= ∴ 0,93 = ∴ V  96 mL
V V

7. Alternativa d.

m 8 m1 8
C= ∴C= ∴ C = 16 g/L M= ∴ M= ∴ M = 0,1 mol/L
V 0,5 M1V 160 ⋅ 0,5

8. Alternativa c.
fórmula molecular: C6H8O7 M = 192 g/mol
m1 2.400
M= ∴ M= ∴ M = 0,125 mol/L
M1V 192 ⋅ 100

9. Alternativa b.
n1 m1 500 ⋅ 103 g
Cálculo da concentração em mol/L: M = ,M= M=
V M1V 176 g/mol ⋅ 0,2 L
M = 0,0142 mol/L C = 0,0142 mol ⋅ L 1
⋅ 176 g ⋅ mol 1
C = 2,5 g/L

10. Alternativa a.
2,5% (m/V): em 100 mL de solução temos 2,5 g de NaOH
M1 = 40 g/mol
m1 2,5
M= ∴ M= ∴ M = 0,625 mol/L
M1 ⋅ V 40 ⋅ 0,1

11. Alternativa c.
392 ppm: em 106 t do ar temos 392 t de CO2
106 t 392 t
100 ⋅ 10 t12
x ∴ x = 392 ⋅ 108 t ∴ 39,2 ⋅ 109 t

12. Alternativa d.
solução aquosa 1 ppm = 1 mg/L
A água é considerada dura quando a concentração de teor de cátions está acima de 150 ppm.

14. Alternativa b.
M I = 254 g/mol
2

m m
Cálculo da massa do álcool: d = 0,8 g/mL = m = 4.000 g ∴ 4 kg de álcool
V 5.000 mL
Na tintura de iodo, temos:
1 kg de álcool 127 g de I2
4 kg de álcool x ∴ x = 508 g

Cap. 1 | Soluções 11

Gab_FisicaQuimica_Cap1.indd 11 3/3/16 10:23 AM


15. Alternativa c.
n m 30 · 103 g
a) Errada. M= ,M= ,M= = 0,5 · 103 mol/L
V MV 60 g/mol · 1 L
b) Errada. SiO2 = 30 mg
c) Correta. Ba(HCO3)2, Sr(HCO3)2, Ca(HCO3)2, Mg(HCO3)2 e KHCO3
base + H2CO3 bicarbonato + água (parcial)

16. Alternativa c.
Quanto mais concentrada a solução do ácido menor o crescimento das raízes.
curva I – C2 curva II – C1 curva III – C3 curva IV – C = 0 mol/L

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
17. Alternativa b.
C = 10 dp, C = MM logo MM = 10 dp
M · 36,5 = 10 · 1,10 · 20 M = 6 mol/L

18. Alternativa b.
A concentração típica de manganês fornecida pela tabela é 5,0 · 101 mg/kg ou 50 ppm.
Cálculo do número aproximado de átomos de fósforo para 100 kg de planta seca:
1 kg 2,0 · 103 mg
100 kg x
x = 2,0 · 105 mg
31 g 6,0 · 1023 átomos
2,0 · 102 g x
x = 0,39 · 1025 átomos
3,9 · 1024 átomos

0,02 mg
19. a) 1 ppm = 1 mg/L ∴ ppm = ∴ ppm = 40 mg/L
0,5 · 103 L
b) Massa de Hg/L vacina:
0,5 mL 0,2 mg
1.000 mL x ∴ x = 40 mg

Quantidade de matéria de Hg/L vacina:


200 g 1 mol
40 ⋅ 10 3
g y ∴ y = 2 ⋅ 104 mol

20. polpa de morango:


1.000 mL 704 mg
100 mL x ∴ x = 70,4 mg

polpa de laranja:
1.000 mL 528 mg
200 mL y ∴ y = 105,6 mg
total = 176 mg

Em 1.000 mL (1 L) temos 176 mg.


176 ⋅ 103 g 1.000 mL
2,5 ⋅ 104 ⋅ 176 g V ∴ V = 250 mL

12 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


21. Alternativa d.
20,7 μg
P: ppb = = 207 μg/L
0,1 L
4,04 μg
Q: ppb = = 40,4 μg/L
0,1 L
3,11 μg
R: ppb = = 62,2 μg/L
0,05 L
22. 2 C6H6
2 ⋅ 78 g 15 O2 ⋅ 32 g
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

1g x ∴ x = 3 g = 3.000 mg
Cálculo do volume do rio
m 1 mO2 3 ⋅ 103 mg
C= ∴ 103 = ∴ V = 103 L DBO = DBO = = 3 mg/L = 3 ppm
V V volume da amostra em litros 103 L
23. A equação química do processo é:
(CH2O)n 1 nO2 nCO2 1 nH2O
n ⋅ 30 g n ⋅ 32 g
10 mg x ∴ x 5 10,7 mg
Ao dissolver 10 mg de açúcar em um litro de água (DBO igual a zero), são necessários 10,7 mg de O2 para a sua
oxidação e, portanto, a DBO será aumentada de 10,7 mg de O2/litro.

24. Em 1 L temos 0,1 mol de H2O2


2 H 2 O2 2 H 2 O + O2
2 mol 22,4 L
0,1 mol x ∴ x = 1,12 L Concentração = 1,12 V

25. Alternativa b.
Em 100 g de solução temos 6 g.
100 mL 6g
1.000 mL x ∴ x = 60 g
2 H 2 O2 O2 + 2 H 2 O
2 ⋅ 34 g 22,4 L
 60 g y ∴ y = 19,76 L
Aproximadamente 20 volumes.

1. a) Cálculo da massa de esgoto:


 1 m3 103 L
50.000 m3 x
x 5 5 ⋅ 107 L
De acordo com a densidade:
1 kg de esgoto 1L
 m 5 ⋅ 107 L
m = 5 ⋅ 10 kg
7

Cap. 1 | Soluções 13

Gab_FisicaQuimica_Cap1.indd 13 3/11/16 10:27 AM


b) Cálculo da massa do íon H2PO24 no esgoto:
30 ppm: 30 kg 106 kg
y 5 ⋅ 107 kg
y = 1.500 kg
c) Massa de Mg(NH4)PO4.6 H2O produzida na estação semanalmente
1 H2PO4 1 Mg(NH4)PO4.6 H2O
1 mol 1 mol
97 g 245 g
1.500 kg z

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
z = 3.788,65 kg
Como a remoção tem uma eficiência de 90% temos:
3.788,65 kg 100%
x 90%
x 5 3.409,79 kg Mg(NH4)PO4.6 H2O por dia
Em uma semana:
3.409,79 kg 3 7 = 23.868,55 kg/por semana

2. a) I. Como a porcentagem é 1,7%, em massa, e tendo-se 100 g de solução, a massa de NH3 é 1,7 g.
II. Como a massa molar da amônia é 17 g/mol, para 1,7 g temos 0,1 mol de NH3.
III. O volume de 100 g de solução, de acordo com a densidade é:
1g 1 mL
100 g V
V = 100 mL
IV. Cálculo da concentração em mol/L
0,1 mol 0,100 L
M 1L
M = 1 mol/L
b) NH3 1 HCl NH4Cl
1 mol 1 mol
0,1 mol 0,1 mol
Como a concentração é de 1 mol de amônia para 1 L de solução, então:
01, mol v
v = 0,1 L ou 100 mL

3. a) Equação (I) Foto decomposição do ácido nítrico:


2 HNO3 2 NO2 1 1/2 O2 1 1 H2O
Equação (II) Ionização do ácido nítrico em meio aquoso: HNO3 1 H2O H3O1 1 NO23
b)

60 de HNO3
20 °C
M = 13,0 mol/L

1L

Cálculo da massa de HNO3 em 1 L de solução


1 mol de HNO3 63 g
13,0 mol de HNO3 x
x = 819 g de HNO3

14 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


Cálculo de massa da solução
819 g 60%
y 100%
y = 1.365 g de solução

c) Densidade da solução
m 1.365 g
d= d= = 1.365 g/L = 1.365 g/mL
V 1L
Concentração em g/L
C = m1/V (L)
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

C = 819 g/L

4. a) Cálculo do volume de CO exalado em 2 L de ar:


1,145 g 1L
4,58 ⋅ 10 25
g x
x = 4 ⋅ 10 25
L

b) I. Cálculo do volume de CO em 106 L de ar:


2 L de ar 4 ⋅ 1025 L de CO
106 L de ar y
y = 20 L de CO

II. Cálculo do valor XX (ppm):


1 ppm 1 L de CO
XX 20 L de CO
XX = 20 ppm

Cap. 1 | Soluções 15
Gabarito Capítulo 2
Diluição e Mistura

VH
1. 2O

V = 2 cm3 V' = 10 cm3


M = 3 mol/L M' = ?
MV = M'V' ∴ 3 ⋅ 2 = M' ⋅ 10 M' = 0,6 mol/L

2. Alternativa d. VH
2O

V=? V' = 250 mL


M = 0,50 mol/L M' = 0,15 mol/L

MV = M'V' ∴ 0,50 ⋅ V = 0,15 ⋅ 250 ∴ V = 75 mL


3.

V = 400 mL V' = 320 mL


M = 0,16 mol/L M' = ?
MV = M'V' ∴ 0,16 ⋅ 400 = M' ⋅ 320
M' = 0,2 mol/L
4. 300 g H2O

m = 200 g m' = 500 g


p = 18% p' ?
p ⋅ m = p' · m' ∴ 18 · 200 = p' ⋅ 500
p' = 7,2%
5. V H O?
2

V = 50 cm3 V'
C = 60 g/L C' = 5 g/L

CV = C'V' ∴ 60 · 50 = 5 ⋅ V' ∴ V = 600 cm3


VH O = V'  V ∴ VH O = 600 cm3  50 cm3 = 550 cm3
2 2

16 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


6.

p = 38% V' = 100 mL


d = 1,2 g/mL M' = 0,5 mol/L
V=?
M

C = 10 dp como C = MM temos MM = 10 dp M · 36,5 = 10 ⋅ 1,2 ⋅ 38, M = 12,5 mol/L


MV = M'V' ∴ 12,5 V = 0,5 ⋅ 100
V = 4 mL
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

7. Alternativa b.

M' = 15 mol/L M' = 3 mol/L


V' = ? V' = 500 mL

M'V' = M'V' 15 mol/L ⋅ V' = 3 mol/L ⋅ 500 mL V1 = 100 mL

8. 

M = 0,4 mol/L M'


V V' = 4 V

a) MV = M'V'
0,4 V = M' 4 V ∴ M' = 0,1 mol/L

b) H2SO4 2 H+ + SO422
0,1 mol/L 0,2 mol/L 0,1 mol/L

9.  400 mL H2O

C = 492 g/L C'


V = 200 mL V' = 600 mL
a) CV = C'V'
492 ⋅ 200 = C' ⋅ 600
C' = 164 g/L

b) C = MM 164 = M 164 M = 1 mol/L


Ca(NO3)2 Ca2+ + 2 NO 3
1 mol/L 1 mol/L 2 mol/L

10. M = 2 mol/L M' = 3 mol/L


V = 0,75 L V' = 0,50 L

V f = 1,25 L
 Mf ?

MV + M'V' = Mf Vf ∴ 2 ⋅ 0,75 + 3 ⋅ 0,50 = Mf ⋅ 1,25   Mf = 2,4 mol/L

Cap. 2 | Diluição e Mistura 17


C = 60 g/L C' = 120 g/L
11. V = 200 mL V' = 300 mL

V f = 500 mL
Cf = ?

CV + C'V' = Cf Vf ∴ 60 ⋅ 200 + 120 · 300 = Cf · 500 ∴ Cf = 96 g/L

M = 1 mol/L M' = 3,5 mol/L


12. V V'

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
Mf = 2 mol/L
V f = 100 mL ∴ V f = V + V' = 100

MV + M'V' = Mf V f 1 V + 3,5 V' = 2 · 100 ∴ V + 3,5 V' = 200


100  V' + 3,5 V' = 200 ∴ 2,5 V' = 100 V' = 40 mL, V = 60 mL

13. Alternativa e.

V1 = 600 mL V2 = ? V3 = V1 + V2
M1 = 0,25 mol/L M2 = 1,5 mol/L M3 = 1,2 mol/L

M3V3 = M1V1 + M2V2


1,2 mol/L (600 mL + V2) = 0,25 mol/L ⋅ 600 mL + 1,5 mol/L ⋅ V2
720 mol/L ⋅ mL + 1,2 mol/L ⋅ V2 = 150 mol/L ⋅ mL + 1,5 mol/L ⋅ V2
570 mol/L ⋅ mL = 0,3 mol/L ⋅ V2
V2 = 1.900 mL ∴ V2 = 1,9 L
500 mL
14. V = 500 L V' = 1.500 m/L
M = 1 mol/L M' = 2 mol/L

V f = 2.000 m/L
V'f = 2.500 mL
Mf
M'f = ?

MV + M'V' = Mf Vf = M'f V'f
1 · 500 + 2 ⋅ 1.500 = Mf ⋅ 2.500 ∴ M'f = 1,4 mol/L

16. KCl
V = 150 m/L M' = 50 m/L
M = 0,4 mol/L K 2SO4
V' = 0,8 mol/L

 V f = 200 mL

a) KCl MV = Mf Vf ∴ 0,4 ⋅ 250 = Mf · 200 ∴ Mf = 0,3 mol/L


K 2SO4M'V' = Mf Vf ∴ 0,8 · 50 = Mf ⋅ 200 ∴ Mf = 0,2 mol/L

b) KCl K1+ + Cl K 2SO4 2 K1+ + SO42


0,3 mol/L 0,3 mol/L 0,3 mol/L 0,2 mol/L 0,4 mol/L 0,2 mol/L
[K ] = 0,7 mol/L, [Cl ] = 0,3 mol/L, [SO ] = 0,2 mol/L
1+ 1 2
4

18 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


17. 
Alternativa a.
V = 100 mL
NaCl V' = 100 m/L
M = 0,1 mol/L KCl
M' = 0,1 mol/L

V f = 200 mL

NaCl MV = Mf Vf ∴ 0,1 · 100 = Mf · 200 ∴ Mf = 0,05 mol/L KCl idem Mf = 0,05 mol/L
KCl Na+ + Cl KCl K+ + Cl
0,05 mol/L 0,05 mol/L 0,05 mol/L 0,05 mol/L 0,05 mol/L 0,05 mol/L
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

[Na ] = [K ] = 0,05 mol/L [Cl ] = 0,1 mol/L


+ + 

n n
18. a) HNO3 M= 0,2 = n = 0,2 mol
V 1
n n
KOH M' = 0,1 = n' = 0,2 mol
V 2

b) KOH + HNO3 KNO3 + H2O


equação 1 mol 1 mol 1 mol
exercício 0,2 mol 0,2 mol 0,2 mol

c) Não existe excesso de soluto


n 0,2
d) KNO3 M= ∴M= ∴ M = 0,06 mol/L
V 3

n n
19. a) KNO3 M= ∴ 0,5 = n = 0,5 mol
V 1
n' n
KOH M' = ∴ 0,1 = n = 0,2 mol
V' 2

b) KOH + HNO3 KNO3 + H2O


equação 1 mol 1 mol 1 mol
exercício 0,2 mol 0,5 mol
reage e forma 0,2 mol 0,2 mol 0,2 mol
f inal 0 mol 0,3 mol 0,2 mol
c) Excesso de KOH

n 0,3
d) HNO3 M= ∴ M= ∴ M = 0,1 mol/L
V 3
n 0,2 mol
e) KNO3 M= M = ∴ M = 0,06 mol/L
V 3
[Na+] = 0,67 mol/L
f ) NaOH Na+ + OH NaNO3 + Na+ NO3 [NO23 ] = 0,17 mol/L
0,5 mol/L 0,5 mol/L 0,5 mol/L 0,17 mol/L 0,17 mol/L 0,17 mol/L [OH] = 0,5 mol/L

n n
20. a) NaOH M= ∴1= ∴ n = 0,2 mol
V 0,2
n' n'
H2SO4 M' = ∴ 0,5 = ∴ n' = 0,2 mol
V' 0,4

Cap. 2 | Diluição e Mistura 19

Gab_FisicaQuimica_Cap2.indd 19 3/3/16 10:25 AM


b) 2 NaOH + H2SO4 Na2SO4 + 2 H2O
equação 2 mol 1 mol 1 mol
exercício 0,2 mol 0,2 mol
reage e forma 0,2 mol 0,1 mol 0,1 mol
final 0 0,1 mol 0,1 mol

c) H2SO4

n 0,1
d) H2SO4 M= ∴ M= ∴ M = 0,17 mol/L
V 0,6
n 0,1

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
e) Na2SO4 M= ∴ M= ∴ M = 0,17 mol/L
V 0,6
f) H2SO4 2 H+ + SO42 Na2SO4 2 Na+ + SO42
0,17 mol/L 0,34 mol/L 0,17 mol/L 0,17 mol/L 0,34 mol/L 0,17 mol/L
[H ] = 0,34 mol/L
+
[Na ] = 0,34 mol/L
+
[SO ] = 0,34 mol/L
2
4

n n
21. AgNO3 e NaCl M= 0,5 = ∴ n = 0,01 mol
V 00,2
AgNO3 + NaCl AgCl + NaNO3
equação 1 mol 1 mol 1 mol 1 mol
exercício 0,01 mol 0,01 mol 0,01 mol 0,01 mol
reage e forma 0,01 mol 0,01 mol 0,01 mol 0,01 mol
f inal 0 0 0,01 mol 0,01 mol

AgCl(s) [Ag+]  0 mol/L [Cl]  0 mol/L

n 0,01
NaNO3 M= ∴M= ∴ M = 0,25 mol/L
V 0,04
[Na+] = 0,25 mol/L [NO3] = 0,25 mol/L

n n'
22. AgNO3 M = ∴ 0,5 = ∴ n = 0,01 mol
V 0,02

n' n
NaCl M' = ∴ 0,5 = ∴ n' = 0,02 mol
V 0,04

AgNO3 + NaCl AgCl + NaNO3


equação 1 mol 1 mol 1 mol 1 mol
exercício 0,01 mol 0,02 mol
reage e forma 0,01 mol 0,01 mol 0,01 mol 0,01 mol
f inal 0 0,01 mol 0,01 mol 0,01 mol

n 0,01
NaCl M= ∴ M= ∴ M = 0,17 mol/L
V 0,06
e
NaNO3

NaCl Na+ + Cl NaNO3 Na+ + NO3


0,17 mol/L 0,17 mol/L 0,17 mol/L 0,17 mol/L 0,17 mol/L 0,17 mol/L
[Ag ]  0 mol/L
+
[Na ] = 0,34 mol/L
+
[Cl ] = [NO ] = 0,17 mol/L
2 
3

20 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap2.indd 20 3/3/16 10:25 AM


MA = 0,1 mol/L MB = 0,5 mol/L
23. Dados HCl NaOH
VA VB = 200 mL = 0,2 L

nB nB
Cálculo da quantidade em mols de NaOH: MB = ∴ 0,5 = ∴ nB = 0,1 mol
VB 0,2
NaOH + HCl NaCl + H2O
0,1 mol 0,1 mol
nA 0,1
Cálculo do volume da solução de HCl: MA = ∴ 0,1 = ∴ VA = 1 L
VA VA
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

V = 35 mL = 0,035 L V' = 15 mL = 00,15 L


24. Dados BaCl2 Na2SO4
V = 0,2 mol/L M' = 0,5 mol/L

m n n' n'
M= ∴ 0,2 = M = ∴ 0,5 =
V 0,035 V 0,015
n = 0,007 mol n’ = 0,0075 mol

BaCl2 + Na2SO4 BaSO4 + 2 NaCl


0,007 mol 0,007 mol 0,007 mol
limitante excesso

m m
n= ∴ 0,007 = ∴ m = 1,6 g
M 233

25. Alternativa b.

VA = 0,3 L VB = 0,2 L
Dados HCl NaOH
MA = 0,4 mol MB = 0,8 mol/L

nA nA nB nB
MA = ∴ 0,4 = MB = ∴ 0,8 =
VA 0,3 VB 0,2
nA = 0,12 mol nB = 0,16 mol

NaOH + HCl NaCl + H2O


0,16 mol 0,12 mol 0,12 mol
excesso limitante
n 0,12
[NaCl] = ∴ [NaCl] = ∴ [NaCl] = 0,24 mol/L
V 0,5

VB = 200 mL = 0,2 L VA = 300 mL = 0,3 L


26. Dados NaOH HCl
MB = 1,5 mol/L MA = 0,4 mol/L

nB nB nA nA
MB = ∴ 1,5 = MA = ∴ 0,4 =
VB 0,2 VA 0,3
nB = 0,3 mol nA = 0,12 mol

2 NaOH + H2SO4 Na2SO4 + 2 H2O


2 mol ior 1 mol
ma
0,3 mol 0,12 mol
excesso limitante solução básica: (0,3 mol  0,24 mol = 0,06 mol)

Cap. 2 | Diluição e Mistura 21


27. Alternativa a.

M = 0,1 mol/L
NaCl AgNO3{igual ao NaCl
V = 50 mL = 0,05 L

n
M= , logo n = 0,005 mol NaCl + AgNO3 AgCl + NaNO3
V  
0,005 mol 0,005 mol 0,005 mol 0,005 mol
[Na ] = [NO ] ∴ [Na ] = [NO ] = 0,05 mol/L
+ 
3
+ 
3

28. Alternativa b.

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
2 CH3COOH (CH3COO)2  Ca   4 g 100 mL
120 g 158 g 12 g y
x 15,8 g ∴ x = 12 g ∴ y = 300 mL

1. a) C = 10 dp; C = MM ; M M = 10 dp 58,5 M = 10 · 0,9 · 1 ∴ M = 0,15 mol/L

C1 = 27 g/L
b) água do mar
V1 = 1 L

C2 = 10 dp = 10 ⋅ 1 · 0,9 = 9 g/L
soro C1V1 = C2V2 ∴ 27 ⋅ 1 = 9 ⋅ V2
V1 = ?
V2 = 3 L

2. Alternativa c.
10 g de soluto
Solução mais concentrada: 10% 90 g de água
100 g de solução
Como a concentração caiu pela metade, temos 200 g de solução
10 g de soluto
5% 190 g de água
200 g de solução

90 9
=
190 19

3. Alternativa e.
pm = p'm'
12% 1.000 = 48 m'
m' = 250 kg
mH O evaporada = 1.000 kg  250 kg = 750 kg
2

4. Alternativa d.
Varfarina: 3,0 mg/mL = 3,0 ⋅ 103 mg/L
Volume do medicamento que vai ficar dissolvido em um adulto de volume sanguíneo total de 5,0 L.
100% 5,0 L
60% x
∴ x = 3,0 L

22 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


Cálculo do volume da solução do medicamento para evitar que não ocorram hemorragias (4,0 mg/L).
C1V1 = C2V2
3,0 ⋅ 103 mg/L ⋅ V1 = 4,0 mg/L ⋅ 3,0 L
V1 = 4,0 ⋅ 103 L ∴ 4,0 mL

5. Alternativa b.
C = 16 g/L C' = 0,8 ⋅ 103 g/L
V=? V' = 0,24 m3 = 0,24 ⋅ 106 mL
CV = C'V'
16V = 0,8 ⋅ 103 ⋅ 0,24 ⋅ 106
V = 12 mL vazão = 12 mL/s
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

6. a)
diluição 1 alíquota diluição 2

V1 = 5 mL V2 = 50 mL V3 = 10 mL V4 = 25 mL
C1 C2 C3 = C2 C4

V1C1 = V2C2 ∴ 5 ⋅ C1 = 50 ⋅ C2 ∴ C2 = 0,1 · C1 C2 = C3 = 0,1 C1


V3C3 = V4C4 ∴ 10 ⋅ 0,1 ⋅ C1 = 25 · C4 C1 = 25 C4

b) A quantidade de cada soluto presente no sistema é determinada a partir de área sob cada pico.
b⋅h 1⋅3
Pico A ⇒ A = = 1,5 unidade arbitrária.
2 2
b⋅h 1,5 ⋅ 1
Pico B ⇒ A’ = = = 0,75 unidade arbitrária.
2 2
Como foi dito no texto que a concentração da capsaicina é a metade da de di-hidrocapsaicina, temos:
A di-hidrocapsaicina B capsaicina

7. Alternativa a.
adição
MAVA + MBVB = MCVC MCVC = M'CV'C
50 mL de H2O
1 ⋅ 50 + 1 ⋅ 100 = M'C 200 M'C = 0,75 mol/L

M'CV"C = MDVD ∴ 0,75 ⋅ 10 = MD · 100 ∴ MD = 0,075 mol/L

8. a) Cálculo da quantidade de matéria do H2SO4 na solução:


nA nA
MA = ∴ 1,60 = ∴ nA = 0,160 mol
VA 0,1
Cálculo da quantidade de matéria do NaOH na solução:
nB nB
MB = ∴ 1= ∴ nB = 0,400 mol
VB 0,400
A equação química do processo:
H2SO4 + 2 NaOH Na2SO4 + 2 H2O
1 mol 2 mol 1 mol
0,160 mol 0,320 mol 0,160 mol
Excesso de NaOH:
0,400 mol  0,320 mol = 0,08 mol
A solução é básica.
0,160 mol
b) [Na2SO4] = [Na2SO4] = 0,320 mol/L
0,500 L

Cap. 2 | Diluição e Mistura 23

Gab_FisicaQuimica_Cap2.indd 23 3/3/16 10:25 AM


9. Alternativa a.
Cálculo da quantidade em mol de íons H+ no suco gástrico.
1L 1 ⋅ 101 mol
2,5 L x ∴ x = 2,5 · 101 mol

Cálculo da quantidade em mol de íons H+ que deve reagir com Mg(OH)2 para que retorne ao valor normal.

1L 3 ⋅ 102 mol
2,5 L x ∴ x = 7,5 · 102 mol 0,25 mol  0,075 mol = 0,175 mol

Cálculo da quantidade em mol de Mg(OH)2.

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
Mg(OH)2(s) + 2 H+(aq) Mg2+(aq) + 2 H2O
1 mol 2 mol
  y 0,175 mol ∴ y = 0,0875 mol = 0,09 mol

10. a) NaOH + HCl NaCl + H2O b) NaOH VB = 2 L


CB = 120 g/L
mB mB
CB = ∴ 120 = ∴ mB = 240 g
VB 2
VA?
HCl
MA = 12 mol/L
nA 6
MA = ∴ 12 = ∴ VA = 0,5 L  NaOH     
HCl
VA VA
40 g 1 mol
240 g x ∴ x = 6 mol

11. HCl VA = 30 mL = 0,03 L Me(OH)2 mB = 2,67g


MA = 2 mol/L

nA nA
MA = ∴ 2= ∴ nA = 0,06 mol
VA 0,03

Me(OH)2 + 2 HCl MeCl2 + H2O

  M 2 mol
2,67 g 0,06 mol ∴ M = 89 g/mol 89 = x + 34 ∴ x = 55 ∴ MMe= 55 g/mol MA = 55 u

12. Alternativa a.
n n
CaCl2 M= 0,1 = n = 0,002 mol
V 0,02
n' n'
AgNO3 M’ = 0,2 = n’ = 0,004 mol
V' 0,02
CaCl2 + 2 AgNO3 2 AgCl↓ + Ca(NO3)2
0,002 mol 0,004 mol 0,002 mol
0,002
Ca(NO3)2(aq) M = ∴ M = 0,05 mol/L
0,04
Ca(NO3)2 Ca2+ + 2 NO3
0,05 mol/L 0,05 mol/L 0,01 mol/L
[Ag ] = 0 mol/L [Cl ] = 0 mol/L
+ 

24 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap2.indd 24 3/3/16 10:25 AM


13. a) CaCl2 + 2 AgNO3 2 AgCl(s) + Ca(NO3)2
b) CaCl2 1L 0,2 mol
0,2 L x ∴ x = 0,04 mol

AgNO3 1L 0,3 mol


0,3 L y ∴ y = 0,06 mol

CaCl2 + 2 AgNO3
1 mol r
m aio 2 mol
0,04 mol 0,06 mol
excesso limitante
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

c) AgCl M = 143,5 g/mol


1 mol 143,5 g
0,06 mol x ∴ x = 8,61 g

0,01 mol
d) [CaCl2] = = 0,02 mol/L CaCl2 Ca2+ + 2 Cl
0,5 L

0,02 mol/L 0,02 mol/L 0,04 mol/L
0,06 mol
[Ca(NO3)2] = = 0,12 mol/L Ca(NO3)2 Ca2+ + 2 NO3
0,5 L

0,12 mol/L 0,12 mol/L 0,24 mol/L
[Ca2+] = 0,14 mol/L [Cl] = 0,04 mol/L [NO3 ] = 0,24 mol/L

14. a) BaCO3 + 2 HCl BaCl2 + CO2 + H2O ou BaCO3 + 2 H+ + 2 Cl Ba2+ + 2 Cl + CO2 + H2O
b) 100 mL 13,1 g
150 mL x ∴ x = 19,65 g
BaCO3 Ba2+
197,3 g 137,3 g
19,65 g y ∴ y = 13,67 g

15. Cálculo da concentração em mol/L da solução final


C = 10 dp, C = MM
MM = 10 dp ∴ M ⋅ 40 = 10 ⋅ 1 ⋅ 5
M' = 1,25 mol/L
MV = M'V'
2 ⋅ 50 = 1,25 V' V' = 80 mL
VH O = 80 mL 2 50 mL = 30 mL
2

m
16. Na2CO3 n = M = 106 g/mol
M
1,06
n = ∴ n = 0,01 mol
106
Na2CO3 + 2 HCl 2 NaCl + CO2 + H2O
1 mol 2 mol
0,01 mol 0,02 mol

n 0,02
HCl M= ∴ 0,8 = ∴ V = 0,025 L ∴ 25 mL
V V
0,05 mL 1 gota
25 mL x ∴ x = 500 gotas

Cap. 2 | Diluição e Mistura 25

Gab_FisicaQuimica_Cap2.indd 25 3/3/16 10:26 AM


17. Alternativa c.
Observando a tabela fornecida, após 120 mL de solução de HCl teremos um excesso desse reagente, pois o
volume liberado de CO2 permaneceu constante.
Cálculo da quantidade de mol de HCl e CO2 quando temos 0,01 mol de carbonato.
nA nA
HCl MA = 0,5 mol/L MA = 0,5 = ∴ nA = 0,06 mol
VA = 120 m/L = 0,12 L VA 0,12

CO2 24,8 ⋅ 103 mL 1 mol


744 mL x ∴ x = 0,03 mol
Temos:
carbonato HCl CO2 Para essa proporção ocorrer só pode ser Me2(CO3)3

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
0,01 mol 0,06 mol 0,03 mol Me2(CO)3 + 6 HCl 2 MeCl3 + 3 CO2 + 3 H2O
1 mol 6 mol 3 mol

1. a) Cálculo da concentração, em mol/L, da solução C:

A B C

VA 5 50 mL V B 5 300 mL VC 5 VA 1 V B 5 350 mL
M A 5 1 mol/L CB 5 30 g/L ou MC
MB  0,5 mol/L

MC ⋅ VC 5 nA 1 nB
MC ⋅ 350 5 (MA ? VA) 1 (MB ? VB)
MC ⋅ 350 5 (1 ⋅ 50) 1 (0,5 ⋅ 300)
MC = 0,57 mol/L
b) Cálculo da concentração da solução D:

adição

de água
C D
V=1L

VC 5 350 mL VD 5 1.000 mL
MC 5 0,57 mol/L MD
MC ⋅ VC 5 MD ? VD
0,57 ⋅ 350 5 MD ⋅ 1.000
MD  0,2 mol/L

c) – Soro fisiológico 0,9% em massa:


0,9 g de NaCl em 100 g de solução ou 0,9 g de NaCl em 100 mL de solução.
– Solução D
0,2 mol de NaCl em 1 L de solução
x 0,1 L
x 5 0,02 mol de NaCl
1 mol de NaCl 58,5 g
0,02 mol x
x 5 1,17 g de NaCl > 0,9 g. Portanto, a solução D não pode ser usada como soro fisiológico

26 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


2. a) Cálculo da quantidade de matéria do K 2SO4:
1 mol 174 g
x 17,5 g
x  0,1 mol
Cálculo da concentração em mol ⋅ L21 do K2SO4:
0,1 mol de K 2SO4 0,5 L de solução
 y 5 0,2 mol 1 L de solução
M 5 0,2 mol ⋅ L 21

b) Equação da reação:
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

K 2SO4(aq) + Ca(NO3)2(aq) CaSO4(s) + 2 KNO3(aq)


início 0,1 mol 0,05 mol
reage 0,05 mol 0,05 mol forma 0,05 mol 0,1 mol
Na solução final haverá: 0,05 mol de K 2SO4(aq) que não reagiu (excesso), 0,05 mol CaSO4(s) e 0,1 mol KNO3(aq)
c) (I) O íon potássio está presente no excesso de K 2SO4 e no sal formado, KNO3.
Cálculo da concentração de íons K1
K 2SO4  2K1 + SO422 KNO3 K1 + NO23
1 mol 2 mol 1 mol 1 mol 1 mol 1 mol
0,05 mol ⋅ L 21
x 0,1 mol ⋅ L 21
y
x 5 0,1 mol ⋅ L 21
y 5 0,1 mol ⋅ L21
Total 5 [K+] 5 x + y

[K+] 5 0,1 + 0,1 5 0,2 mol ⋅ L21

(II) Cálculo da concentração de íons SO22


4

Volume final 5 1 litro


K 2SO4  2K+ 1 SO22
4

1 mol 2 mol 1 mol


0,05 mol ⋅ L 21
v
v 5 0,05 mol ⋅ L21
[SO422] 5 0,05 mol ⋅ L21

3. a) Diluir significa acrescentar mais solvente a uma solução. Como a quantidade de soluto permanece a mesma,
o acréscimo de solvente leva à formação de uma solução final de concentração menor que a inicial.
A A'
200 mL

água

15 g NaCl 15 g NaCl
V = 50 mL V' = 250 mL
M A' = ?

1 resolução:
a

No início, havia 15 g de NaCl em 50 mL de solução. Após a diluição, a solução final apresenta 15 g de NaCl
em 250 mL de solução. Portanto a concentração final MA, será:
No de mol de NaCl em 15 g:
1 mol 58,5 g
x 15 g
x  0,25 mol
0,25 mol 250 mL
MA 1.000 mL
MA = 1 mol/L

Cap. 2 | Diluição e Mistura 27

Gab_FisicaQuimica_Cap2.indd 27 3/3/16 10:26 AM


2a resolução:
Cálculo da concentração da solução A:
0,25 mol 50 mL
MA 1.000 mL
MA = 5 mol/L
Aplicando a fórmula da diluição:
MA ⋅ VA = MA’ ⋅ VA’
5 ⋅ 50 = MA’ ⋅ 250
MA’ = 1 mol/L

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
b) Misturar soluções de mesmo soluto é um processo que irá resultar na formação de uma solução final de con-
centração intermediária entre as soluções misturadas, pois as quantidades de soluto irão se somar assim como
os seus volumes. Então teremos uma nova relação entre a quantidade de soluto e o volume final da mistura.
A B

15 g NaCl NaCl NaCl



VA 5 50 mL V B 5 100 mL V F 5 150 mL
n A 5 0,25 mol nB 5 0,20 mol MF 5 ?
M A 5 5 mol/L MB 5 2 mol/L

Aplicando a fórmula:
MF ⋅ VF 5 MA ⋅ VA + MB ⋅ VB
MF ⋅ 150 5 5 ⋅ 50 + 100 ⋅ 2
MF 5 3,0 mol/L

c) Misturar soluções diferentes, cujos solutos não reagem é um processo que irá resultar na diluição de
cada uma das soluções iniciais. As quantidades dos solutos permanece a mesma após a mistura, alterando
apenas o volume no qual se encontram.
Solução B: Solução C:
B B C C
retirou-se retirou-se

50 mL 100 mL
NaCl NaCl MgCl2 MgCl2
V B = 100 mL V = 50 mL VC = 500 mL VC = 100 mL
nB = 0,20 mol n = 0,10 mol MC = 1 mol/L MC = 1 mol/L
MB = 2 mol/L MB = 2 mol

A mistura de B com C:

B C

1 NaCl
íons Na+
MgCl2 Cl
NaCl MgCl2 Mg2+

V B = 50 mL VC = 100 mL V F = 150 mL
MB = 2 mol/L MC = 1 mol/L MF = ?

Solução de NaCl
MB ⋅ V B 5 MF ⋅ V F
2 ⋅ 50 5 MF ⋅ 150
MF 5 0,66 mol/L

28 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap2.indd 28 3/3/16 10:31 AM


Solução de MgCl2
MC ⋅ VC 5 MF ⋅ VF
1 ⋅ 100 5 MF ⋅ 150
MF 5 0,66 mol/L

Concentração dos íons:


NaCl(aq) Na+(aq) + Cl12(aq)
0,66 mol/L 0,66 mol/L 0,66 mol/L
MgCl2(aq) Mg (aq) + 2 Cl (aq)
2+ 12

0,66 mol/L 0,66 mol/L 1,33 mol/L


Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

Resposta: [Na ] 5 [Mg ] 5 0,66 mol/L


+ 2+

[Cl12] = 1,99 mol/L

4. a) MAVA  M BV B  MCVC = Mf Vf
0,5 ⋅ 100  1,0 ⋅ 200  0,5 ⋅ 200 = Mf ⋅ 500
Mf = 0,7 mol/L
b) MV = M'V'
0,5 ⋅ 300 = M' ⋅ 700 ∴ M' = 0,21 mol/L
c) KCl MV = M'V' ∴ 0,7 ⋅ 500 = M' ⋅ 700 ∴ M' = 0,5 mol/L
KCl K  Cl
0,5 mol/L 0,5 mol/L
K 2CO3 MV = M'V' ∴ 0,7 ⋅ 200 = M' ⋅ 700 ∴ M' = 0,2 mol/L
K 2CO3 2 K  CO32
0,2 mol/L 0,4 mol/L
[K] = 0,9 mol/L

Cap. 2 | Diluição e Mistura 29

Gab_FisicaQuimica_Cap2.indd 29 3/3/16 10:32 AM


Gabarito Capítulo 3
Titulação

VA = 20 cm3 VB = 50 cm3
1. HCl KOH
MA = 0,5 mol/L M B?
KOH + HCl KCl + H2O
proporção 1 1
erlenmeyer nB n A ∴ nB = n A
MBVB = MAVA ∴ MB ⋅ 50 = 0,5 · 20 MB = 0,2 mol/L

2. Alternativa e.

VB = 10 mL VA = 15 mL
NaOH HCl
M B? MA = 0,1 mol/L
NaOH + HCl NaCl + H2O nB = nA
MBVB = MAVA ∴ MB ⋅ 10 = 0,1 · 15 MB = 0,15 mol/L

VA = 20 mL VB = 30 mL
3. HAc NaOH
MA? MB = 0,2 mol/L

NaOH + HAc NaAc + H2O nB = nA


MBVB = MAVA ∴ 0,2 · 30 = MA · 20 MA = 0,3 mol/L

VB = 10 mL VA = 20 mL
4. NaOH H2SO4
MB = 0,8 mol/L MA?
2 NaOH + H2SO4 Na2SO4 + 2 H2O
proporção 2 1
erlenmeyer nB n A ∴ nB = 2 n A
MBVB = 2 ⋅ MAVA 0,8 ⋅ 10 = 2 · MA ⋅ 20 ∴ MA = 0,2 mol/L
aparelhagem: bureta e erlenmeyer

5. Alternativa a.
VB = 25 mL VA = 7 mL
Ba(OH)2 HNO3
M B? MA = 0,7 mol/L
Ba(OH)2 + 2 HNO3 Ba(NO3)2 + 2 H2O
proporção 1 2
erlenmeyer nB n A ∴ 2 nB = n A
2 MBVB = MAVA ∴ 2 ⋅ MB ⋅ 25 = 0,7 ⋅ 7 MB = 0,098 mol/L

30 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap3.indd 30 3/3/16 10:52 AM


VB = 100 mL Vs = 50 mL
6. Ce(OH)3 H2SO4
M B? MA = 1 mol/L

2 Ce(OH)3 + 3 H2SO4 2 Ce2(SO4)3 + 6 H2O


proporção 2 3
erlenmeyer nB n A ∴ 3 nB = 2 n A

1
3 MBVB = 2 MAVA ∴ 3 MB ⋅ 100 = 2 ⋅ 1 ⋅ 50    MB = mol/L
3
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

5% VB = 50 mL = 0,05 L
7. vinagre NaOH
VA = 20 mL MB = 0,2 mol/L

NaOH + HAC NaAC + H2O nB = nA ∴ MAVA = MBVB 20 MA = 1 · 24 ∴ MA = 1,2 mol/L

C = 10 dp; C = MM ∴ MM = 10 dp 1,2 ⋅ 60 = 10 ⋅ 1 ⋅ p ∴ p = 7,2% informação falsa

8. Alternativa c.
No início a condutibilidade elétrica é elevada pois o Ba(OH)2 é base forte, isto é, está bastante dissociada. Ao
adicionar H2SO4 ocorre a neturalização da base diminuindo a condutibilidade elétrica do meio, de acordo com
a equação.

Ba(OH)2 + H2SO4 BaSO4 + 2 H 2O


insolúvel Os produtos estão pouco ionizados.

9. Alternativa c.
rótulo C = MM ∴ 42 = M ⋅ 60 ∴ M = 0,70 mol/L

NaOH + CH3COOH CH3COONa + H2O

titulação MAVA = MBVB MA ⋅ 10 = 0,1 ⋅ 25 ∴ MA= 0,25 mol/L

15 g VB = 50 mL = 0,05 L
10. vinagre NaOH
pureza? MB = 0,2 mol/L

mA
NaOH + HAc NaAc + H2O n B = n A ∴ MBV B = n A ∴ MBV B =
MA
mA
0,2 ⋅ 0,05 = ∴ mA = 0,6 g 15 g 100%
60
0,6 g x ∴ x = 4%

11. Alternativa d.
H2SO4: 1L 0,7 mol
0,05 L nA ∴ nA = 0,035 mol

2 NaOH + H2SO4 Na2SO4 + 2 H2O


2 mol 1 mol
  nB n A ∴ nB = 2 n A

nB = 0,07 mol ∴ 0,07 mol ⋅ 40 g/mol = 2,8 g


4,0 g 100%
2,8 g P ∴ P = 70%

Cap. 3 | Titulação 31

Gab_FisicaQuimica_Cap3.indd 31 3/3/16 10:52 AM


m = 12,25 g alíquota MA? VB = 20 mL
12. H2SO4 H2SO4 NaOH
  impuro V = 250 mL VA = 25 mL MB = 0,1 mol/L

2 NaOH + H2SO4 Na2SO4 + 2 H2O nB = 2 nA ∴ MBVB = 2 MAVA 0,1 ⋅ 20 = 2 ⋅ MA ⋅ 25 ∴ MA = 0,04 mol/L

nA mA mA mA
MA = como nA = temos MA = 0,04 = ∴ mA = 0,98 g
VA MA MAVA 98 · 0,250
12,25 g 100%
0,98 g x ∴ x = 8%

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
H2SO4 VA = 10 mL VB = 16 mL
13. Zn {m = x g KOH
inicial M = 0,5 mol/L MB = 0,25 mol/L
A

Cálculo da quantidade de mol inicial de H2SO4:


nA nA
MA = ∴ 0,5 = ∴ nA = 0,005 mol
VA 0,01
Cálculo da quantidade em mol de H2SO4 em excesso.

2 KOH + H2SO4 K 2SO4 + 2 H2O

proporção 2 1
erlenmeyer nB n A ∴ nB = 2 n A

MBVB = 2nA ∴ 0,25 · 0,016 = 2nA nA = 0,002 mol

Cálculo da quantidade em mol de H2SO4 que reage com Zn.


0,005 mol  0,002 mol = 0,003 mol

Zn + H2SO4 ZnSO4 + H2
65 g 1 mol
x 0,003 mol ∴ x = 0,195 g

VA = 200 mL = 0,2 L VB = 300 mL = 0,3 L


14. Al 3g HCl NaOH
amostra inicial MA = 3 mol/L MB = 1 mol/L
pureza?

Quantidade em mols inicial de HCl.


n n
M= ∴3= ∴ n = 0,6 mol
V 0,2

Quantidade em mols que reage com NaOH:


NaOH + HCl NaCl + H2O
nA = nB ∴ nB = 1 · 0,3 ∴ nB = 0,3 mol

Quantidade em mols de HCl que reage com Al.


0,6 mol  0,3 mol = 0,3 mol

Cálculo da pureza
3
Al + 3 HCl AlCl3 + H
2 2
27 g 3 mol 3g 100%
x 0,3 mol ∴ x = 2,7 g 2,7 g y ∴ y = 90%

32 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


VA = 800 mL = 0,8 L VB = 250 mL = 0,25 L
15. Na2CO3 10 g HCl NaOH
amostra pureza? inicial MA = 0,2 mol/L MB = 0,2 mol/L

Quantidade em mols inicial de HCl.


n n
M= ∴ 0,2 = ∴ n = 0,16 mol
V 0,8
Quantidade em mols de HCl que reage com NaOH.
NaOH + HCl NaCl + H2O nA = nB ∴ nB = 0,2 · 0,25 ∴ nB = 0,05 mol

Quantidade em mols de HCl que reage com Na2CO3. 0,16 mol  0,05 mol = 0,11 mol
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

Cálculo da pureza.
Na2CO3 + 2 HCl 2 NaCl + CO2 + H2O

106 g 2 mol 10 g 100%


x 0,11 mol ∴ x = 5,83g 5,83 g y ∴ y = 58,3%

VA = 10 mL = 0,01 L
MA = 2 mol/L diluição alíquota VB = 5 mL
16.  Mistura V"A = 50 mL NaOH
inicial V'A = 20 mL = 0,02 L VA = 10 ml MB = 2 mol/L
M'A = x mol/L
Cálculo da concentração em mol/L da mistura.
NaOH + HCl NaCl + HCl
MBVB = M"AV"A ∴ 2 ⋅ 5 = MA · 10
MA = 1 mol

Cálculo de x.
MAVA + x V' = M"AV"A
2 ⋅ 10 + x 20 = 1 ⋅ 50
x = 1,5

1. Alternativa e.
Ácido cítrico + 3 NaOH
1 mol 3 mol
nA nB ∴ 3 · n A = nB
3 ⋅ MA ⋅ VA = MB ⋅ VB 3 ⋅ MA ⋅ 5,0 mL = 0,1 mol/L · 6,0 mL MA = 0,04 mol/L ∴ 4,0 ⋅ 102 mol/L

2. Alternativa a.
HCl: 1L 0,5 mol
0,02 L nA ∴ nA = 0,01 mol

nB = nA = 0,01 mol 0,01 mol ⋅ 40 g/mol = 0,4 g


1g 100%
0,4 g P ∴ P = 40%

Cap. 3 | Titulação 33
3. a) Ag + (aq) + SCN(aq) AgSCN(s)
Cálculo da quantidade em mols de SCN:
n n
M= 0,2 mol/L =
V 15,0 ⋅ 103 L
n = 0,003 mol

Cálculo da concentração em mol/L de AgNO3:


n 0,003 mol
M= ∴ M=
V 25,0 ⋅ 103 L
M = 0,12 mol/L

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
b) C = 10 d p, C=M⋅M
M ⋅ M = 10 d p
0,12 mol/L ⋅ 170 g/mol = 10 ⋅ 1 g/mL ⋅ p
p = 2,04%
Não é adequada para uso hospitalar.

4. a) soro: 0,9% (m/m)


V' = 20 mL = 0,002 L
solução de V = 10 mL solução de M' = 0,1 mol/L
NaCl AgNO3 n
M= logo n = 0,002 mol
V
NaCl + AgNO3 NaNO3 + AgCl MV = M'V' ∴ M ⋅ 10 = 0,1 · 20 M = 0,2 mol/L

C = MM, C = 10 dp logo MM = 10 dp 0,2 ⋅ 58,5 = 10 ⋅ 1 ⋅ p p = 1,17% não

b) NaCl + AgNO3 NaNO3 + AgCl


1 mol 143,4 g
0,002 mol x ∴ x = 0,2868 g

5. Cálculo da quantidade em mols do íon SCN.


n n
M= ∴ 0,150 =
V 0,042
n = 0,0063 mol

Cálculo da massa de Ag +
1 mol 108 g
0,0063 mol x ∴ x = 0,68 g

Cálculo do teor da prata


0,8 g 100%
0,68 g y ∴ y = 85%

6. a) A proporção em mols do ácido e da base é 1 : 2.


H2C2O4 + 2 NaOH Na2C2O4 + 2 H2O
ácido base
1 mol 2 mol
 nA nB
Cálculo da quantidade de matéria de NaOH:
2 nA = nB ∴ 2 MAVA = MBVB
2 ⋅ MA ⋅ 25 = 0,5 ⋅ 16
MA = 0,16 mol/L

34 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


n m 5,04 g
b) M = ∴M= ∴ 0,16 mol/L =
V M ⋅V M ⋅ 0,250 L
M = 126 g/mol
H2C2O4.x H2O
126 g/mol = (2 + 2 ⋅ 12 + 4 · 16) g/mol + x ⋅ 18 g/mol
126 g/mol = 90 g/mol + x ⋅ 18 g/mol
36 = x ⋅ 18
x=2
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

fórmula: H2C2O4 ⋅ 2 H2O

7. Alternativa a.
Cálculo da massa de H2SO4 que reage com 42 g de MgCO3.
MgCO3 + H2SO4 MgSO4 + CO2 + H2O
84 g 98 g
42 g x ∴ x = 49 g

Cálculo da massa de H2SO4 em excesso.


MB = 0,5 mol/L
NaOH
V B = 2 mL

diluição alíquota

1L 10 mL
MA MA

2 NaOH + H2SO4 Na2SO4 + 2 H2O


2 1
nB n A ∴ nB = 2 n A

MBVB = 2 MAVA ∴ 0,5 ⋅ 2 = 2 MA ⋅ 10 ∴ MA = 0,05 mol


mA mA
MA = ∴ 0,05 = ∴ mA = 4,9 g
MAVA 98 ⋅ 1

Massa total de H2SO4: 49 g + 4,9 g = 53,9 g  54 g


Cálculo do volume do H2SO4.
m 54 g
d= ∴ 1,8 = ∴ V = 30 mL
V V

8. a) região a: base está sendo neutralizada pelo ácido.


ponto b: ocorreu a neutralização total da base.
região c: excesso de ácido forte.

b) H+ + OH H2O, Ba2+ + SO42 BaSO4

9. a) Ba(OH)2(aq) + H2SO4(aq) BaSO4(s) + 2 H2O(l)


b) A intensidade de luz decresce, pois a quantidade de íons diminui na solução de H2SO4.
H+ (aq) + OH(aq) H2O(l)
Ba (aq) + SO (aq)
2+ 2
4
BaSO4(s)
Após o ponto x, a intensidade de luz aumenta devido ao excesso da base, provocando aumento da quanti-
dade de íons (Ba2+ e OH).

Cap. 3 | Titulação 35
c) Ba(OH)2 + H2SO4 BaSO4 + 2 H2O
1 mol 1 mol
nB n A ∴ nB = n A

MBVB = MAVA ∴ 0,4 ⋅ x = 0,1 ⋅ 100


x = 25 mL

10. Alternativa a.
Na+ + OH + H+ + Cl H2O + Na+ + Cl
ponto final [H+] = 0 mol/L [Na+] = [Cl]

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
A neutralização termina em 0,02 L de base adicionada: [H+] = [OH] e [Na+] = [Cl].
Curva dos íons Na+ é crescente pois não tínhamos na solução de HCl íons Na+.
Curva dos íons Cl é decrescente devido ao aumento do volume da solução.
O gráfico que melhor representa essa situação é da alternativa a. Não pode ser o gráfico na alternativa b, pois
a concentração dos íons OH fica menor que 0,1 mol/L devido ao aumento do volume da solução.

1. I. No de mol de Na2S2O3 gasto na titulação:


1L 0,10 mol
0,026 L x
x = 0,0026 mol

II. No de mol de íons I23 titulado:


I23 (aq) + 2 S2O22
3
(aq) S4O22
6
(aq) + 3 I(aq)
1 mol 2 mol
y 0,0026 mol
y = 0,0013 mol

III. No de mol de íons cobre que reagiram


2 Cu21(aq) + 5 I2(aq) 2 CuI + I23 (aq)
2 mol 1 mol
z 0,0013 mol
z = 0,0026 mol de íons de cobre.

IV. Massa de cobre


1 mol 63,5 g
0,0026 mol x
x = 0,165 g

V. Cálculo da percentagem em massa:

amostra: 0,251 g 100%


0,165 g x
x = 65,7%

36 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap3.indd 36 3/11/16 10:28 AM


2. a) I. (NH4)2SO4 + 2 NaOH Na2SO4 + 2 NH3 + 2 H2O
II. NH3 + HCl NH4Cl
III. HCl + NaOH NaCl + H2O

b) Temos 50 mL a 0,10 mol/L:


1.000 mL 0,10 mol
50 mL x
x = 0,005 mol de HCl (inicial)

c) O excesso de HCl consumiu 21,5 mL de NaOH a 0,10 mol/L:


Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

1.000 mL 0,10 mol


21,5 mL y
y = 0,002 mol de NaOH

Na reação III, temos a proporção:


1 mol de HCl 1 mol de NaOH
0,002 mol 0,002 mol
Portanto, temos excesso de 0,002 mol de HCl.

d) Cálculo da quantidade que reagiu de HCl (inicial – excesso):


(0,005 2 0,002) mol = 0,003 mol reagiu

Na reação II, temos a proporção:


1 mol de NH3 1 mol de HCl
0,003 mol 0,003 mol

Na reação I, temos a proporção:


1 mol de (NH4)2 SO4 2 mol de NH3
z 0,003 mol
z = 0,0015 mol

Cálculo da concentração do (NH4)2SO4:


0,0015 mol 10 mL
w 1.000 mL
w = 0,15 mol/L

3. a) I. Cálculo da quantidade de Mg(OH)2 ingerida em 9 mL da suspensão:


64,8 g de Mg(OH)2 1L
x 9 ⋅ 1023 L
x = 0,5832 g de Mg(OH)2

II. Cálculo da quantidade de mol


Massa molar do Mg(OH)2 5 (24 + 2 ⋅ 16,0 + 2 ⋅ 1) g/mol 5 58 g/mol

1 mol de Mg(OH)2 58 g
y 0,5832 g
y  0,010 mol de Mg(OH)2

b) Mg(OH)2 + 2 HCl MgCl2 + 2 H2O

Cap. 3 | Titulação 37

Gab_FisicaQuimica_Cap3.indd 37 3/3/16 10:53 AM


c) Cálculo da quantidade em mol de HCl neutralizada:
1 mol de Mg(OH)2 2 mol de HCl
0,010 mol de Mg(OH)2 z
z = 0,02 mol de HCl
d) Esquema:
H H O
O H H
H H H H
Mg2+ O _ O
O O Cl
H H H H
O H H

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
H H O
Interação: íon-dipolo
4. a) Cálculo da massa de ácido acético existente em 25 mL de vinagre:
4,8% (m/V) → existem 4,8 g de ácido etanóico em 100 mL de vinagre:
4,8 g 100 mL
x 25 mL
x = 1,2 g de ácido acético
b) Cálculo da massa de NaOH gasta em cada titulação
HAC + NaOH NaAc + H2O
1 mol 1 mol
60,0 g 40,0 g
1,2 g y
y 5 0,8 g de NaOH

Cálculo da massa de NaOH gasta em 264 análises:


1 análise 0,8 g de NaOH
264 análises z
z = 211,2 g de NaOH
5. a) Equação I: CaCO3(s) + 2 HCl(aq) CaCl2(aq) + CO2(g) + H2O(l)
Equação II: HCl(aq) + NaOH(aq) NaCl(aq) + H2O(l)

b) Cálculo da concentração da solução de NaOH:


HCl + NaOH NaCl + H2O

Mas 20 mL de NaOH foram titulados por 25 mL HCl 0,2 mol/L:


MAVA 5 MBVB ∴ 25 ⋅ 0,20 5 MB ⋅ 20
25 ⋅ 0,20
MB = = 0,25 mol/L.
20
A razão da 2a titulação é determinar a concentração da solução de NaOH pois ela é necessária para se de-
terminar o excesso de ácido utilizado na dissolução do carbonato de cálcio.
c) • Cálculo do excesso de HCl usado na reação com CaCO3.
NaOH + HCl NaCl + H2O
V = 12 mL
M = 0,25 mol/L
  1L 0,25 mol
0,012 L x
x = 3 ⋅ 10 23
mol

38 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap3.indd 38 3/11/16 10:29 AM


Esta quantidade foi utilizada para reagir com o excesso de HCl utilizado na reação com CaCO3. Logo, pela
estequiometria da reação HCl + NaOH NaCl + H2O o excesso é calculado por
nHCl excesso = NNaOH = 3 ⋅ 1023 mol

• Cálculo da quantidade de ácido que reagiu com CaCO3:


1 L 2 0,20 mol
Nos 50 mL de HCl 0,20 mol/L, há 0,05 L 2 x
x = 10 ⋅ 1023 mol
A quantidade de HCl que reagiu: n = ntotal 2 nexcesso ácido = 10 ⋅ 1023 2 3 ⋅ 1023 = 7 ⋅ 1023 mol
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

d) Cálculo da massa de CaCO3 que reagiu


CaCO3(s) + 2 HCl(aq) CaCl2(a) + H2O (l) + CO2(g)

Pela estequiometria da reação têm-se que:


n(HCl)
n(CaCO3) =
2
7
n(CaCO3) = ⋅ 1023 = 3,5 ⋅ 1023 mol
2
Logo, 1 mol CaCO3 100 g
3,5 ⋅ 10 23
mol x ∴ x = 0,35 g

Cap. 3 | Titulação 39

Gab_FisicaQuimica_Cap3.indd 39 3/3/16 11:04 AM


Gabarito Capítulo 4
Propriedades Coligativas

1. soluto 19. a) 0,1 mol/L c) 0,3 mol/L


b) 0,2 mol/L d) 0,5 mol/L
2. a) Pv = 17,5 mmHg
b) Pv = 44 mmHg 20. curva 1: H2O pura; curva 2: C6H12O6 total: 0,1 mol/L;
curva 3: NaCl total: 0,2 mol/L; curva 4: Al(NO3)3
3. maior, mais
total: 0,4 mol/L
4. Alternativa d.
21. Alternativa a.
5. aumenta
Quanto menor o número de partículas do soluto
6. 20 °C Pv = 17,5 mmHg 47 °C Pv = 79 mmHg dispersas maior a pressão de vapor.
X: 0,25 mol/L Y: 0,75 mol/L Z: 1 mol/L
7. Alternativa b.
W: 0,50 mol/L
8. igual
22. aumento, maior
9. menor
23. Alternativa d.
10. a) A PE = 60 °C B PE = 70°C I: 0,1 mol/L; II: 0,2 mol/L; III: 0,2 mol/L;
b) A Pv = 0,8 atm IV: 0,6 mol/L; V: 0,4 mol/L
c) A
d) A: vapor B: líquido 24. diminuição, menor

11. Alternativa e. 25. Alternativa e.


a) 0,30 mol/L d) 0,50 mol/L
12. a) Pv aumenta com a temperatura
b) 0,40 mol/L e) 0,60 mol/L
b) temperatura de ebulição
c) 0,30 mol/L
13. Alternativa e.
26. Alternativa c.
14. a) A
b) Patmosférica = 760 mmHg 27. a) fusão S L
c) A: 60 °C, B: 90 °C, C: 120 °C b) vaporização L V
d) A: 20 °C, B: 40 °C, C: 80 °C c) sublimação S V

15. Alternativa c. d) ponto triplo S L V


e) sólido
16. diminuição f) líquido
g) vapor
17. curva 1: solvente; curva 2: solução

18. curva 1: solvente; curva 2: solução menos concen- 28. a) PF = 0 °C c) 4,58 mmHg
trada; curva 3: solução mais concentrada b) PE = 100 °C d) 0,01 °C

40 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


29. a) solvente b) CaCl2 Cpartículas = 0,3 ⋅ 3 = 0,9 mol/L
b) solução c) Ca(NO3)2 Cpartículas = 0,3 ⋅ 3 = 0,9 mol/L
d) Al(NO3)3 Cpartículas = 0,2 ⋅ 4 = 0,8 mol/L
30. solvente, soluto
e) C6H12O6 Cpartículas = 0,2 mol/L
31. solvente
44. Alternativa a.
32. menos, mais Célula em meio isotônico — nada acontece; em
meio hipotônico — incha e ocorre lise.
33. a) mais
b) diminui 45. a) errado: são coloides;
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

c) aumenta b) errado – temperatura de ebulição da água sal-


gada é maior que a temperatura de ebulição da
34. aumenta água pura.
c) correto;
35. Alternativa b. d) correto – n: total: 0,02 mol/L sacarose:
Solução da célula é hipertônica em relação a so- total: 0,01 mol/L;
lução.
e) correto

36. osmose reversa


46. Alternativa a.

37. Alternativa d. m m
π = MRT, M = logo π = RT
água doce ⇒ água salgada: osmose MV MV
2,8
água salgada ⇒ água doce: osmose reversa 2,46 = 0,082 · 300   M = 56 g/mol C3H4O
M0,5
38. solução
47. Alternativa e.
39. a) isotônica Na osmose, ocorre passagem de solvente pela
membrana semipermeável, que se desloca da so-
b) hipertônica
lução mais diluída para a mais concentrada.
c) hipotônica
Pelo enunciado, uma solução 0,15 mol/L de NaCl
apresenta igual pressão osmótica das soluções
40. a) pressão osmótica presentes nas células humanas.
b) diferença entre os níveis do líquido
H 2O
c) densidade da solução NaCl Na + + Cl
d) aceleração da gravidade 0,15 mol/L 0,15 mol/L 0,15 mol/L
Portanto, nas células humanas o número total de
41. Alternativa d.
partículas dispersas é 0,30 mol/L.
π = MRT A solução externa possui maior concentração:


10 g/L = 0,06 mol/L = M


π = 0,06 ⋅ 0,082 ⋅ 288 H 2O
15 °C = 288 K = T NaCl Na + + Cl
π = 1,31 atm
0,20 mol/L 0,20 mol/L 0,20 mol/L

42. Alternativa b. Portanto, na solução externa o número total de par-


tículas será maior (0,40 mol/L), o que leva à passa-
π = MRT
gem de solvente da célula para a solução externa.
π = 0,15 mol/L ⋅ 0,082 ⋅ 300
π = 3,7 atm 48. PENaCl = PEKCl > PEH itens corretos: a, b, e
2O

43. Alternativa a. 49. a) isotônica πglicose = πsangue = 7,8 atm


Ca(NO3)2 Cpartículas = 0,2 ⋅ 3 = 0,6 mol/L b) π = MRTi NaCl Na + + Cl i = 2
a) Na2SO4 Cpartículas = 0,2 ⋅ 3 = 0,6 mol/L π = 0,16 ⋅ 0,082 ⋅ 298 ⋅ 2 π = 7,8 atm

Cap. 4 | Propriedades Coligativas 41


1. Alternativa d. 6. a) curva I: H2O: ligação de hidrogênio (mais nume-
A pressão de vapor depende apenas da tempera- rosas do que a do álcool);
tura e da estrutura de suas moléculas. curva II: CH3CH2OH: ligação de hidrogênio;
curva III: CH3COCH3: ligação dipolo-dipolo devido
2. Alternativa b. O
C2H5OH e CCl4: pois 700 mmHg é menor que à presença do grupo polar: C
813 mmHg e 843 mmHg.

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
b) curva AB – ficará mais inclinada para a direita,
3. Alternativa b. pois quanto mais líquido levará mais tempo para
Pv solvente . Pv solução entrar em ebulição. A temperatura de ebulição é
a mesma com o aumento do patamar.
4. Alternativa d. (°C)
Pressão de vapor (mmHg) B'

A B C ANA OLÍVIA JUSTO/acervo da editora


menor quantidade de soluto dissolvido

I II III
A'

Tempo

7. Corretos: 4, 5 e 6.
maior volatilidade

PI
PII
8. Alternativa a.
PIII patamar 1: água pura: PE constante; reta 2: so-
T Temperatura (°C) lução aquosa C6H12O6 103 mol/L; reta 3: solução
aquosa 101 mol/L.

5. Alternativa b. 9. A temperatura de ebulição da água, é maior do que


A: líquido mais volátil que a água pura. B: qualquer 97,4 °C devido a presença de soluto não volátil (NaCl)
solução aquosa de soluto não volátil. que aumenta a temperatura de ebulição da água.

10. Soluto molecular não dissocia, soluto iônico dissocia. Para uma mesma concentração o número de partículas
dispersas do soluto será maior no soluto iônico. Cálculo da concentração em mol/L
m 34,2
solução A M = ∴ M= ∴ M = 0,1 mol/L A A
MV 342 ⋅ 1
0,1 mol/L 0,1 mol/L
m 18
solução B M = ∴ M= ∴ M = 0,1 mol/L B B
MV 180 ⋅ 1
0,1 mol/L 0,1 mol/L
m 58,5
solução C M = ∴ M= ∴ M = 0,1 mol/L C íons total maior que 0,1 mol/L
MV 5,85 · 1
0,1 mol/L
a) PA = PB > PC
b) Solução C, pois temos maior número de partículas dispersas.

11. a) I. MgSO4 Mg2+ + SO42


0,2 mol 0,2 mol 0,2 mol total = 0,4 mol
II. K 2SO4 2 K1+ + SO42
0,1 mol 0,2 mol 0,1 mol total = 0,3 mol
3+
III. Al2(SO4)3 2 Al + 3 SO42
0,1 mol 0,2 mol 0,3 mol total = 0,5 mol

42 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap4.indd 42 3/3/16 11:05 AM


IV. ZnSO4 Zn2+ + SO42 17. ponto A: equilíbrio: sólido vapor
0,1 mol 0,1 mol 0,1 mol ponto B: ponto triplo: sólido líquido vapor
ponto C: equilíbrio: sólido líquido
total = 0,2 mol ponto D: equilíbrio: líquido vapor
V < II < I < III ponto E: ponto crítico
b) 1 mol 174 g 18. Alternativa b.
0,1 mol x ∴ 17,4 g A concentração da solução X é menor que 0,9%,
m 17,4 pois o volume do glóbulo aumentou, isto é, entrou
C= ∴ C= ∴ C = 5,8 g/L
V 3 água.
A concentração da solução Y é igual a 0,9%, pois o
12. Alternativa c. volume do glóbulo não se alterou.
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

Y NaCl Na + + Cl A concentração da solução Z é maior que 0,9%,


0,1 mol/L 0,1 mol/L 0,1 mol/L pois o volume do glóbulo diminuiu, isto é, saiu água.
total = 0,2 mol/L
19.
parede
W HCl H+ + Cl Pext. > Posm. semipermeável fenômeno: osmose
0,3 mol/L 0,3 mol/L 0,3 mol/L resistente reversa
total = 0,6 mol/L tcY > tcW
êmbolo

13. Alternativa a. (I) NaCl(aq) água (II)


0,15 mol/L pura
Com a adição de cloreto de sódio, a temperatura de
ebulição da água do banho, com relação à da água 2 litros 1 litro
pura, era maior devido ao aumento do número de água
final NaCl(aq)
pura
partículas de soluto (efeito ebulioscópico). O aque- 0,30 mol/L
2L
cimento do meio de cultura provocava a desnatu- 1L
ração da proteína, ou seja, a proteína perdia a sua
estrutura tridimensional. 20. Alternativa a.
KBr K+ + Br 
14. Alternativa e. 0,2 mol/L 0,2 mol/L 0,2 mol/L
Como a sacarose é um soluto que não dissocia na
total = 0,4 mol/L
água, podemos verificar que cada 0,5 mol de so-
luto aumenta a temperatura de ebulição da água FeBr3 Fe3+ + 3 Br 
de 0,25 °C; portanto, no experimento B, a tempera- 0,1 mol/L 0,1 mol/L 0,3 mol/L
tura de ebulição da água é 100,50 °C.
total = 0,4 mol/L
Experimento A: Na2SO4 2 Na + + SO42
1 mol 2 mol 1 mol I. Correta: πKBr = πFeBr3;
total = 3 mol II. Correta: PvKBr = PvFeBr3;
A temperatura de ebulição da água é 101,50 °C. III. Incorreta: não haverá passagem de solvente,
pois as soluções têm a mesma pressão de va-
15. Pressão por;
IV. Incorreta: igual;
V. Incorreta:
balão A: 0,2 mol/L np = 0,4 mol/L
balão B: 0,1 mol/L np = 0,4 mol/L
Temperatura
21. Alternativa a.
16. (01) Correta: (ver gráfico); I. 0,03 mol/L;
(02) Errada: linha A — C — E representa o equilíbrio II. H3CCOOH
fraco
H+ + H3C  COO
S L; a < 5%
0,03 mol/L 0,03 < np < 0,06
(04) Correta: (ver gráfico);
2+
III. CaCl2 Ca + 2 Cl
(08) Correta: (ver gráfico);
0,01 mol/L 0,01 mol/L 0,02 mol/L
(16) Errada: ponto C: equilíbrio S L;
total = 0,03 mol/L
(32) Correta: 1 atm e 8 °C: CO2(g)
soma: 1 + 4 + 8 + 32 = 45 PII < PI  PIII; πI  πIII < πII; ΔTI  ΔTIII < ΔTII

Cap. 4 | Propriedades Coligativas 43


22. A água vai passar de A para B, isto é, da solução mais diluída para a solução mais concentrada. Vamos chamar x a
quantidade de água que passou de A para B. No equilíbrio, as soluções terão a mesma concentração em mol/L. (Y).
a) A MAVA = M'AV'A ∴ 0,1 ⋅ 5 = y ⋅ (5  x);
B MBVB = M'BV'B ∴ 0,2 ⋅ 2 = y(2 + x)
35
b) A 0,1 ⋅ 5 = y ⋅ ∴ y = 0,13 mol/L
9
10 10 35 10 28
Resolvendo, temos: x = L V'A = 5  = L V'B = 2 + = L
9 9 9 9 9

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
1. a) Curva: C
Justificativa: na pressão de 700 mmHg, o ponto de ebulição do líquido representado pela curva C é de, apro-
ximadamente, 75 °C.
b) Curva A: ácido acético; Curva B: água, Curva C: tetracloreto de carbono.
c) Pressão (mmHg)
1.400

1.200

C
1.000 Curva I: glicose
Curva II: KCL
800

600
B

400
A

200

0
20 40 60 80 100 120
Temperatura (°C)
d) solução: KCl
Justificativa: esta solução apresenta maior no de partículas de soluto dispersas na solução.
KCl(aq) K+ (aq) + Cl(aq)
0,1 mol 0,1 mol 0,1 mol total de 0,2 mol de partículas (0,1 mol de k+ 0,1 mol Cl)

2. a) Curva: A
Justificativa: é a solução menos concentrada.
b) Solução isotônica: C = 9 g/L

evaporação

V1 = 2 L V2 = (V1  10% V1)


C1 = 9 g/L C2
C1 ⋅ V1 = C2 ⋅ V2
9 ⋅ 2 = C2 ⋅ (2  0,2)
C2 = 10 g/L

44 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


3. a) Líquido A: água. Líquido B: etanol. Pv
H2O
b) De acordo com o gráfico, na temperatura de 25 °C: Soluções

Pressão de vapor H2O = 25 mmHg


Pressão de vapor Etanol = 55,00 mmHg
A variação (D) da altura h é:
Dh = Pressão de vapor do etanol – Pressão de
vapor-d’água
Dh = 55,00  25
Dh = 30,00 mmHg
T (°C)
c) Líquido A.
Justificativa: o número de ligações de hidro- Como as soluções apresentam o mesmo no de
gênio presentes entre as moléculas de água é partículas dispersas por litro, também devem
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

maior que as ligações de hidrogênio presentes apresentar a mesma pressão de vapor.


entre as moléculas de etanol.
5. a) π = M ⋅ R ⋅ T ⋅ i
d) A temperatura na qual não mais se observará π = 0,15 ⋅ 8,3 ⋅ 310 ⋅ 2
desnível na coluna de mercúrio corresponde π = 771,9 kPa
aquela na qual a pressão de vapor do etanol
será igual a pressão de vapor-d’água. A pressão b) A bebida não é isotônica. Justificativa – a be-
de vapor-d’água a 25 °C é 25 mmHg. Para que o bida energética contém:
álcool apresente a mesma pressão de vapor ele • 35 g de sacarose (aproximadamente 0,10 mol).
deverá estar na temperatura de 10 °C. • 0,015 mol de sais monovalentes (i = 2).
• Volume da bebida = 500 mL = 0,5 L.
4. a) Pressão de vapor de um líquido é a pressão
Cálculo da pressão osmótica da bebida:
causada na superfície do líquido quando este
1. Em relação à sacarose:
se encontra em equilíbrio com o seu vapor. A
π=M⋅R⋅T
pressão de vapor de um líquido puro depende:
π = 0,10/0 ⋅ 5 ⋅ 8,3 ⋅ 310
da natureza do líquido e da temperatura na qual
π = 526,63 kPa
o líquido se encontra.
Numa solução aquosa, quanto maior for o no de 2. Em relação aos sais monovalentes:
partículas de soluto presente, maior será a inte- π=M⋅R⋅T⋅i
ração da água com o soluto e, portanto maior π = 0,015/0 ⋅ 5 ⋅ 8,3 ⋅ 310 ⋅ 2
será interferência causada na pressão de vapor. π = 154,38 kPa
A solução I apresenta menor pressão de vapor em πtotal = 526,63 + 154,38 = 681,01 kPa, que é
relação à água pura, pois na solução as forças de um valor menor que a pressão osmótica do
interação entre a água e os íons são do tipo íon- sangue.
-dipolo, que são forças de atração mais intensas
do que as forças de atração que ocorrem entre as 6. a) Curva I – solução de sacarose 0,1 mol/L
moléculas de água (ligações de hidrogênio). Curva II – solução 0,1 mol/L de
Desta forma, a solução demora mais para atingir NaOH Na + + OH
o equilíbrio líquido-vapor do que a água pura, na Curva III – solução 0,1 mol/L de
mesma temperatura. MgCl2 Mg2+ + 2 Cl
b) NaNO3(aq) 0,1 mol/L Pressão
I
NaNO3(aq) Na (aq)
+
+ NO (aq)

3
II

0,1 mol/L 0,1 mol/L 0,1 mol/L III

Total de 0,2 mol/L de partículas dispersas.


Solução II: v = 0,5 L
KNO3(aq) 0,1 mol/L
KNO3(aq) K+ (aq) + NO3 (aq)
0,1 mol/L 0,1 mol/L 0,1 mol/L
Total de 0,2 mol/L de partículas dispersas.
Temperatura
Solução III: v = 2 L
C12H22O11(aq) C12H22O11(aq) b) Solução: MgCl2(aq), pois possui maior no de par-
0,2 mol/L 0,2 mol/L tículas de soluto dispersas na solução.
Total de 0,2 mol/L de partículas dispersas. c) Pressão osmótica: sacarose < NaOH < MgCl2.

Cap. 4 | Propriedades Coligativas 45


Gabarito Capítulo 5
Termoquímica

1. Qreação = Qágua, Qágua = mc Δθ Qreação = 1.000 ⋅ 1 ⋅ 4


Qreação = 4.000 cal ou Qreação = 4 kcal

2. a) A reação libera calor pois houve aumento da temperatura.


M = 1 mol/L M = 1 mol/L
b) Dados NaOH HCl
V = 50 mL = 0,05 L V = 50 mL = 0,05 L
n = MV = 0,05 mol n = MV = 0,05 mol

m
d= ∴ m = 100 g Q = mc Δθ ∴ Q = 100 ⋅ 4,18 ⋅ 7 ∴ 2.926 J
V
0,05 mol 2 .926 J
1 mol x ∴ x = 58.520 J

M = 0,2 mol/L M = 0,4 mol/L


3. Dados CsOH HCl
V = 100 mL = 0,1 L V = 50 mL = 0,05 L
n = MV = 0,02 mol n = MV = 0,02 mol
m
d = 1 g/mL 1 = ∴ m = 150 g Q = mc Δθ ∴ Q = 150 ⋅ 4,2 ⋅ 17,8 ∴ Q = 1.121,4 J
150
0,02 mol 1.121,4 J
 1 mol x ∴ x = 56.070 J
4. ΔH = 242 kJ

5. exotérmica ΔH < 0
libera
6. H2 + 1/2 O2 H 2O ΔH = 242 kJ 1 mol de H2O 242 kJ
liberam
5 mol de H2O x ∴ x = 1.210 kJ
liberam
7. H2 + 1/2 O2 H 2O ΔH = 242 kJ 18 g 242 kJ
liberam
1.800 g x ∴ x = 24.200 kJ

8. H2O 2 H2 + 1/2 O2 ΔH = +242 kJ endotérmica (absorção)


absorvem
9. 18 g 242 kJ
absorvem
9g x ∴ x = 121 kJ
liberam
10. C20H42 M = 282 g/mol 282 g 13.300 kJ
liberam
10 g x ∴ x = 471,6 kJ

46 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap5.indd 46 3/3/16 11:06 AM


11. simples

12. mais

13. H

C 60

C(diamante)
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

C(grafita)

14. sólido

15. H/kJ
1
H2(g) + O (g)
2 2

243 kJ
H2O(v)

287 kJ
H2O(l)

293 kJ
H2O(s)

16. ΔH = ΣΔHf produto  ΣΔHf reagentes


ΔH = 68  (+11) ∴ ΔH = 79 kcal

1 3
17. a) C(grafita) + O2(g) CO2(g) f) N2(g) + H2(g) NH3(g)
2 2
1 3
b) H2(g) + O2(g) H2O(l) g) O2(g) O3(g)
2 2
c) H2(g) + S(rômbico) + 2 O2(g) H2SO4(l) h) O2(g) O2(g)
1
d) 2 C(grafita) + 3 H2(g) + O2(g) C2H5OH(l) i) C(grafita) C(diamante)
2
e) 6 C(grafita) + 6 H2(g) + 3 O2(g) C6H12O6(s) j) C(grafita) C(grafita)

1
18. a) C(grafita) + O2(g) CO(g) ΔH = 110 kJ/mol de CO
2
b) H/kJ
1
C(grafita) + O (g)
2 2
0

110 kJ

CO(g)
110

Cap. 5 | Termoquímica 47

Gab_FisicaQuimica_Cap5.indd 47 3/11/16 10:30 AM


19. ΔH > 0 ∴ HP > HR
H

CS2(l)

ΔH2
C(diamante) + 2 S(rômbico)

ΔH1
C(grafita) + 2 S(rômbico)

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
20. 6 C(grafita) + 6 H2/(g) + 3 O2(g) C6H12O6(s) ΔH = 1.275 kJ/mol de C6H12O6(s)

21. a) C(grafita) + O2(g) CO2(g) ΔH = 393 kJ/mol de C(grafita)


1
b) H2(g) + O2(g) H2O(l) ΔH = 286 kJ/mol de H2(g)
2
c) CH4(g) + 2 O2(g) CO2(g) + 2 H2O(l) ΔH = 890 kJ/mol de CH4(g)
13
d) C4H10(g) + O2(g) CO2(g) + 5 H2O(l) ΔH = 2.280 kJ/mol de C4H10(g)
2
e) C2H5OH(l) + 3 O2(g) 2 CO2(g) + 3 H2O(l) ΔH = 1.366 kJ/mol de C2H5OH(l)

f ) C6H12O6(s) + 6 O2(g) 6 CO2(g) + 6 H2O(l) ΔH = 2.813 kJ/mol de C6H12O6(s)


25
g) C8H18(l) + O (g) 8 CO2(g) + 9 H2O(l) ΔH = 5.400 kJ/mol de C8Hl8(l)
2 2

liberam liberam
22. gasolina 114 g 5.100 kJ metano 16 g 213 kJ
libera libera
1g x ∴ x = 44,7 kJ 1g y ∴ 13,3 kJ

liberam
hidrogênio 2 g 286 kJ
libera
1g z ∴ z = 143 kJ O hidrogênio tem maior poder energético

23. 182 kcal 32 g


36,4 kcal x ∴ x = 6,4 g

24. Alternativa d.
Para 100 g de sorvete, temos:

Proteínas: 1g 16,7 kJ
5g x ∴ x = 83,5 kJ

Carboidratos: 1 g 16,7 kJ
22 g y ∴ y = 367,4 kJ

Gorduras: 1g 37,7 kJ
13 g z ∴ z = 490,1 kJ

Total = 941 kJ
8.400 kJ
Número de sorvetes: = 8,9
941 kJ
Logo, 9 sorvetes.

48 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


25.
CH4(g) + 2 O2(g)

x
1
CO(g) + 2 H2O(l) + O2(g)
890 2
890 = x  283 ∴ x = 607 kJ
283

CO2(g) + 2 H2O(l)
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

26. Usando a Lei de Hess temos:


a) manter C(grafita) + O2(g) CO2(g) ΔH = 394 kJ
1
inverter e ¸ 2 CO2(g) CO(g) + O2(g) ΔH = +283 kJ
2
1
C(grafita) + O2(g) CO(g) ΔH = 111 kJ
2

liberam
b)  12 g 111 kJ
liberam
36 g x ∴ x = 333 kJ

27. Usando a Lei de Hess temos:


15
inverter I 6 CO2(g) + 3 H2O(l) C6H6(l) + O2(g) ΔH = +1.115 kJ
2
15
manter e x 3 II 3 C2H2(g) + O2(g) 6 CO2(g) + 3 H2O(l) ΔH = 1.944 kJ
2
3 C2H2(g) C6H6(l) ΔH = 829 kJ

28. Usando a Lei de Hess temos:


1 absorvem
manter H2O(g) + O2(g) H2O(g) ΔH = 58 kcal 18 g 10 kcal
2
absorvem
1 1.000 g x ∴ x = 555 kJ
inverter H2O(l) H2O(g) + O2(g) ΔH = +68 kcal
2
H2O(l) H2O(g) ΔH = +10 kcal

29. Usando a Lei de Hess temos:


3
inverter I CO2(g) + 2 H2O(l) CH3OH(l) + O2(g) ΔH = +727 kJ
2
3
manter II CH3OH(g) + O2(g) CO2(g) + 2 H2O(l) ΔH = 765 kJ
2
CH3OH(g) CH3OH(l) ΔH = 38 kJ

30. Usando a Lei de Hess temos:


3
manter I W(s) + O (g) WO3(s) ΔH = 840 kJ
2 2
manter II C(grafita) + O2(g) CO2(g) ΔH = 394 kJ
5
inverter III WO3(s) + CO2(g) WC(s) + O2(g) ΔH = +1.196 kJ
2
C(grafita) + W(s) WC(s) ΔH = 38 kJ

Cap. 5 | Termoquímica 49
31. a) Usando a Lei de Hess temos:
manter I Na(g) Na + (g) + e ΔH = +502 kJ
manter II Cl(g) + e 
Cl (g)

ΔH = 342 kJ

IV Na(g) + Cl(g) Na + (g) + Cl(g) ΔH = +160 kJ

b) Na(g) + Cl(g) NaCl(s) ΔH = ?


Usando a Lei de Hess temos:
manter III Na + (g) + Cl(g) NaCl(s) ΔH = 788 kJ
manter IV Na(g) + Cl(g) Na (g) + Cl (g)
+ 
ΔH =  +160 kJ

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
Na(g) + Cl(g) NaCl(s) ΔH = 628 kJ

32. Usando a Lei de Hess temos:


inverter I CO2(g) + 2 H2O(l) CH4(g) + 2 O2(g) ΔH = +890 kJ
inverter e × 2 II 2 H2(g) + O2(g) 2 H2O(l) ΔH =574 kJ
manter III C(grafita) + O2(g) CO2(g) ΔH = 393 kJ

C(grafita) + 2 H2(g) CH4(g) ΔH = 77 kJ

33. Usando a Lei de Hess temos:


5
¸ 2 I C2H2(g) + O2(g) 2 CO2(g) + H2O(l) ΔH = 1.301 kJ
2
7
inverter e ¸ 2 II 2 CO2(g) + 3 H2O(l) C2H6(g) + O2(g) ΔH = +1.562 kJ
2

× 2 III 2 H2(g) + O2(g) 2 H2O(l) ΔH = 572 kJ

C2H2(g) + 2 H2(g) C2H6(g) ΔH = 311 kJ

34. C3H8(l) + 5 O2(g) 3 CO2(g) + 4 H2O(l)


104 0 3(394) 4(286)
ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes ΔH = 1.182  1.144 + 104 ΔH = 2.222 kJ/mol de C3H8(l)

35. 4 NH3(g) + 5 O2(g) 4 NO(g) + 6 H2O(g)


4(46) 0 4(+90) 6(242)
ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes ΔH = + 360  1 452 + 184 ΔH = 908 kJ

36. H2O(l) H2O(g)


286 242
ΔH = ΔHf  ΔHi ΔH = 242 + 286 ΔH= +44 kJ

absorvem
18 g 44 kJ
absorvem
0,9 g x ∴ x = 2,2 kJ

15
37. C6H6(l) + O2(g) 6 CO2(g) + 3 H2O(l)
2
+ 49 0 6(393,5) 3(285,8)
ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes ΔH = 2.361  857,4  49 ΔH = 3.267,4 kJ

38. 2 NO2 N 2O 4
2(+33,8) +9,6
ΔH = ΔHf produtos  +Hf reagentes ΔH = +9,6  67,6 ΔH = 58 kJ

50 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


39. B2H6(g) + 3 O2(g) B2O3(s) + 3 H2O(g) ΔH = 2.035 kJ
x 0 1.273 3(242)
ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes 2.035 = 1.273  726  x x = 36 kJ ∴ ΔHf B2H6(g) = +36 kJ

1.170
40. = 390 H—N—H N — H = 390 kJ/mol de NH3
3
H
41. Alternativa a.
H2(g) + Cl2(g) 2 HCl(g)
+436 +243 2(432)
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

ΔH = +436 + 243  864 ΔH = 185 kJ ΔH = 92,5 kJ/mol de HCl

42. H H H H

H—C C—H + Cl — Cl H—C—C—H


+612 +243
Cl Cl
2(331)
  347
ΔH = +612 + 243  347  662 ΔH = 154 kJ Observe que as ligações C — H não foram rompidas.

43. a) CH4(g) + F2(g) CH3F(g) + HF(g)


75 0 288 271
ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes ΔH = 288  271 + 75 ΔH = 484 kcal
b) H H

H—C—H+F—F H—C—F+H—F

H H
  +413 +155 485 567

ΔH = +413 + 155  485  567 ΔH = 484 kJ

44. H

H—C—H+2O O O C O+2 O

H H H

4(+413) 2(+494) 2(804) 4(463)

ΔH = +1.652 + 988  1.608  1.852 ΔH = 820 kJ

1. Alternativa e.
I. transformação exotérmica: Mg(s) + O2(g) MgO(s) + calor
II. transformação endotérmica: H2O(l) + calor H2O(v) neblina: gotículas de água suspensas no ar
III. transformação endotérmica: NH3(g) + calor N(g) + 3 H(g)
IV. transformação endotérmica: 6 CO2(g) + 6 H2O(l) + calor C6H12O6(s) + 6 O2(g)

Cap. 5 | Termoquímica 51
2. Alternativa a.
I. Café em uma garrafa térmica perfeitamente tampada – sistema isolado. (Vamos admitir não haver troca de calor
nas paredes da garrafa.) Não há troca nem de matéria nem de energia.
II. Líquido refrigerante da serpentina da geladeira – sistema fechado. Não há troca de matéria, mas troca de
energia no sistema.
III. Calorímetro de bomba no qual foi queimado ácido benzóico – sistema isolado. Os calorímetros ideais não tro-
cam nem matéria nem energia.

3. Alternativa c.
Cálculo da massa de ar inspirado em 24 horas:
123

123
1 L de ar 1,2 g 1,2 × 0,5 1 vez 0,6 g
x= ∴ x = 0,6 g de ar y = 9,6 ⋅ 103 g de ar

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
0,5 L de ar x 1 16 · 103 y

Cálculo de energia gasta para aquecer o gás inspirado:


Q = m ⋅ c ⋅ Δθ = 9,6 ⋅ 103 g ⋅ 1,0 · J g1 · °C1 · (36 °C  25 °C) Q = 105,6 ⋅ 103 J
Cálculo da porcentagem de energia:
100% 1,0 ⋅ 107 J
P 105,6 ⋅ 103 J P  1%

5. a) Utilizando o gráfico fornecido, temos:


ΔH2 = ΔH1 + ΔH 395 kJ = 393 kJ + ΔH ΔH = 2 kJ
C(diamante) C(grafite) ΔH = 2 kJ
C(grafite) C(diamante) ΔH = +2 kJ Portanto, a transformação da grafite em diamante é endotérmica.

b) C(grafite) C(diamante) ΔH = +2 kJ
absorvem
12 g 2 kJ
240 g x ∴ x = 40 kJ

6. Alternativa c.
E
antraceno + O2
7.060 kJ · mol1

fenanteno + O2
7.040 kJ · mol1

produtos

Pelo gráfico, observamos que o antraceno é mais energético que o fenantreno, e a diferença de entalpia entre
eles é:
(7.060  7.040) kJ mol1 = 20 kJ mol1
Para 10 mol de cada composto, temos:
1 mol 20 kJ
10 mol x ∴ x = 200 kJ

7. Cálculo da energia liberada por grama de combustível:


a) gás natural:
CH4(g) + 2 O2(g) CO2(g) + 2 H2O(l) ΔH = 900 kJ

1 mol
liberam
16 g 900 kJ
 1 g x ∴ x = 56,25 kJ

52 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


etanol:
C2H5OH(l) + 3 O2(g) 2 CO2(g) + 3 H2O(l) ΔH = 1.400 kJ

1 mol
liberam
46 g 1.400 kJ
1g y ∴ y = 30,43 kJ
octano:
C8H18(l) + 25/2 O2(g) 8 CO2(g) + 9 H2O(l) ΔH = 5.500 kJ

1 mol
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

liberam
114 g 5.500 kJ
1g z ∴ z = 48,24 kJ
O gás natural libera maior quantidade de energia por grama de combustível.
liberam
b) 1 mol de etanol – 46 g 1.400 kJ
w 34.100 kJ ∴ w = 1.120,42 g

8. a) Utilizando etanol temos: Utilizando octano temos:


C2H5OH + 3 O2 2 CO2 + 3 H2O C8H18 + 25/2 O2 8 CO2 + 9 H2O
b) Em 1,0 mol dessa gasolina temos 0,5 mol de etanol e 0,5 mol de octano, pois as frações em mol são iguais:
etanol: 1 mol 1.368 kJ
0,5 mol x ∴ x = 684 kJ

octano: 1 mol 5.471 kJ


0,5 mol y ∴ y = 2.735,5 kJ
A energia liberada é: 684 kJ + 2.735,5 kJ = 3.419,5 kJ
c) Cálculo da massa da gasolina Cálculo da quantidade em mol
1 cm3 0,72 g 80,1 g 1 mol
720
1.000 cm3 x ∴ x = 720 g 720 g y∴y= mol
80,1
A energia liberada é:
1 mol 3.419,5 kJ
720
mol z ∴ z = 30.737 kJ
80,1
9. Alternativa d.
Como foram fornecidas as equações termoquímicas, devemos aplicar a Lei de Hess para calcular a variação de
entalpia da equação IV.
Na determinação do ΔH4, deve-se inverter a equação III, conservando-se a equação II:
III. Inverter N 2O 5 + 3 H 2O 2 NH3 + 4 O2 ΔH3 = +Q3J
II. manter 2 NH3 + 7/2 O2 2 NO2 + 3 H2O ΔH2 = Q2J

N 2O 5 2 NO2 + 1/2 O2 ΔH4 = (Q3  Q2)J


Sendo Q3 > Q2 > Q1, pode-se afirmar que ΔH4 > 0 e, portanto, a reação é endotérmica.

10. Alternativa b.
Entalpia da reação de obtenção do “gás-d’agua”
Manter a primeira equação, inverter a terceira equação e somar (Lei de Hess).
C(s) + 1/2 O2(g) CO(g) ΔH = 110 kJ
H2O(g) H2(g) + 1/2 O2(g) ΔH = +242 kJ

C(s) + H2O(g) CO(g) + H2(g) ΔH = +132 kJ

Cap. 5 | Termoquímica 53
A reação é um processo endotérmico.
A formação de H2O(g) é exotérmica e na reação de formação do CO2 a entalpia do produto é menor que a dos
reagentes.
A entalpia da reação de conversão de CO(g) a CO2(g) é igual a –284 kJ (inverter a primeira equação, manter a
segunda e somar).

12. Alternativa b.
Somando as equações
CO(g) + 1/2 O2(g) CO2(g) ΔH = 284 kJ
H2(g) + 1/2 O2(g) H2O(l) ΔH = 286 kJ
CO(g) + H2(g) + O2(g) CO2(g) + H2O(l) ΔH = 570 kJ

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
1442443
liberam
30,0 g 570 kJ
15,0 g x ∴ x = 285 kJ

13. Equação da reação de combustão do etanol (C2H6O):


C2H6O(l) + 3 O2(g) 2 CO2(g) + 3 H2O(l)
277,6 kJ 0 2 · 393,5 kJ 3 ⋅ 285,8 kJ
144424443 144444424444443
ΣΔHf R = 277, 6 kJ ΣΔHf P = 787 kJ  857,4 kJ
ΣΔHf P = 1.644,4 kJ
ΔH = ΣΔHf P  ΣΔHf R
ΔH = 1.644,4 kJ  (277,6) kJ
ΔH = 1.644,4 kJ + 277,6 kJ

ΔH = 1.366,8 kJ

14. Alternativa c.
ΔH = ∑ΔHf produtos  ∑ΔHf reagentes
I. CH3CH2OH(l) + 3 O2(g) 2 CO2(g) + 3 H2O(l) ΔH = 1.366,8 kJ
x 0 2(393) 3(286)
1.366,8 = 786  858  x ∴ x = 277,2 kJ

15. Alternativa a.
Fe2O3(s) + 3 CO(g) 2 Fe(s) + 3 CO2(g) ΔHr = ?
820 3(110) 0 3(390)
ΔHr = ∑ΔHf produtos  ∑ΔHf reagentes
ΔHr = 1.170 + 820 + 330 ∴ ΔHr = 20 kJ
liberam
2 ⋅ 56 g 20 kJ
56 ⋅ 103 g x ∴ x = 1,0 ⋅ 104 kJ

16. Alternativa b.
C8H8(l) + 10 O2(g) 8 CO2(g) + 4 H2O(l)   ΔH0 = 4.400 kJ
x 0 8(390) 4(290)
ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes  4.400 = 3.120  1.160  x ∴ x = +120 kJ

17. a) 2 C3H5(NO3)3(l) 3 N2(g) + 1/2 O2(g) + 6 CO2(g) + 5 H2O(g)


↓ ↓ ↓ ↓ ↓
2(364 kJ) 0 kJ 0 kJ 6(394 kJ) 5(242 kJ)
ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes  ΔH = 2.364 kJ  1.210 kJ + 728 kJ  ΔH = 2.846 kJ
2 ⋅ 227 g liberam 2.846 kJ
4,54 g x ∴ x = 28,46 kJ

54 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap5.indd 54 3/16/16 8:13 AM


b) 2 ⋅ 227 g 14,5 mol
4,54 g x ∴ x = 0,145 mol PV = nRT
atm ⋅ L
P 0,1 L = 0,145 mol 0,082 ⋅ 400 K P = 47,5 atm
mol ⋅ K
18. Alternativa e.
Cálculo da entalpia: padrão de formação da água líquida, conhecendo a sua entalpia de vaporização.
H2O(l) H2O(g) ΔH = +44 kJ/mol
x 242 kJ/mol
ΔH = ΣΔHf P  ΣΔHf R     + 44 = 242  x     x = 286 kJ/mol
Cálculo da variação de entalpia de combustão do metano (g).
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

CH4(g) + 2 O2(g) CO2(g) + 2 H2O(l)


75kJ 0 393 kJ 2(286 kJ)
144424443 1444442444443
Hr Hp
ΣΔHf P  ΣΔHf R ΔH = [(393) + 2(286)]  (75 + 0)]
ΔH = 965 kJ + 75 kJ ΔH = 890 kJ/mol de CH4

19. Alternativa b.
Dados fornecidos:
Processo Haber-Bosch
(I) 1/2 N2(g) + 3/2 H2(g) 1 NH3(g) ΔH = 46 kJ Entalpia de formação da amônia
(II) 1 N2(g) + 2 H2(g) 1 N2H4(l) ΔH = +50 kJ Entalpia da formação da hidrazina
1 N2H4(l) + H2(g) 2 NH3(g) ΔH = ? Entalpia da reação questionada
ΔHf : +50 0 2(46)
ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes ΔH = 92  50 ΔH = 142 kJ

20. a) Cálculo da massa de 1 litro de água:


1 g de H2O 1 mL de H2O
x 1.000 mL de H2O ∴ x = 1.000 g de H2O
Cálculo da variação de temperatura (Δθ) Δθ = 100 °C  25 °C = 75 °C
Cálculo da quantidade de calor:
1 g de H2O 4J  4.000 J 1 °C
1.000 g de H2O y ∴ y = 4.000 J z 75 °C ∴ z = 300.000 J ou 300 kJ

b) Equação de combustão do butano (C4H10) e cálculo da entalpia-padrão (ΔH°C )


C4H10(g) + 13/2 O2(g) 4 CO2(g) + 5 H2O(l)
123 123 123 123
126 kJ 0 4(394 kJ) 5(242 kJ)
144424443 14444244443
ΣΔHf R = 126 kJ ΣΔHf P = 1.576 kJ  1.210 kJ
ΣΔHf R = 126kJ ΣΔHf P = 2.786 kJ
ΔH°C = ΣΔHf P  ΣΔHf R ΔH°C = 2.786  (126) ΔH°C = 2.660 kJ ⋅ mol1

21. Alternativa c.
Cálculo do ΔH da combustão do CO:
CO(g) + l/2 O2(g) CO2(g)
↓ ↓ ↓
110,5 kJ 0 393,5 kJ
ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes ΔH = 393,5 kJ  (110,5 kJ) ΔH = 283 kJ

Cap. 5 | Termoquímica 55

Gab_FisicaQuimica_Cap5.indd 55 3/11/16 10:32 AM


Cálculo da quantidade de calor de 1 mol de O2:

0,5 mol libera 283 kJ

1 mol x ∴ x = 566 kJ

22. Alternativa d.
5
C2H2(g) + O2(g) 2 CO2(g) + H2O(l)
2
ΔHf : +227 0 2(394) 286

ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes ΔH = 788  286  227 ΔH = 1.301 kJ/mol de C2H2(g)

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
23. a) Analisando a reação CH4 + H2SO4 H2S + CO2 + 2 H2O
1442443 144424443
reagentes produtos
entre os reagentes, temos um ácido forte (H2SO4) transformando-se em ácidos fracos (H2S e H2CO3). Logo, o
meio irá ficar menos ácido e o pH aumentará.
b) CH4 + H2SO4 H 2S + CO2 + 2 H 2O
75 kJ 909 kJ 21 kJ 394 kJ 2 ⋅ (286 kJ)
ΔH = ΣΔHf P  ΣΔHf R ΔH = (21  394  572)  (75  909) ΔH = (987)  (984)
ΔH = 987 + 984 ΔH = 3 kJ/mol, logo a reação será exotérmica

24. Alternativa e.
A equação de combustão completa do fulereno é:
C60 + 60 CO2 60 CO2
kJ: +2.300 0 60(390)
m = ΔHf produtos  ΔHf reagentes ΔH = (23.400  2.300)kJ ΔH = 25.700 kJ
Pelo enunciado, cada carbono no fulereno está ligado a três outros átomos de carbono; como o carbono é

tetravalente, teremos duas ligações simples e uma ligação dupla: C . A razão entre o número de ligações

simples e duplas é 2.

25. Alternativa d.
N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) ΔH = 90 kJ
N  N(g) + 3 H  H(g) 2H — N — H(g)

H
+x kJ 3(+435 kJ) 6(390 kJ)
144424443 14243
rompidas formadas

90 kJ = +x + 1.305 kJ  2.340 kJ x = 945 kJ energia de ligação N N: 945 kJ/mol

26. Alternativa a.
H H

  2 O 2H—H + O O

4 (+460 kJ) 2(436 kJ) (490 kJ)

ΔH = +1.840 kJ  872 kJ  490 kJ ΔH = +478 kJ para 2 mol de H2O(g) ΔH = +239 kJ para 1 mol de H2O(g)

56 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap5.indd 56 3/11/16 10:32 AM


27. a) Sn(s) + O2(g) SnO2(s) ΔH = 581 kJ
SnO2(s) Sn(s) + O2(g) ΔH = +581 kJ
b) SnO2(g) + 0,5 O2(g) SnO2(g) ΔH = 295 kJ 581 = 286 + x ∴ x = 295

28. a) 6 ⋅ 1023 at 197 g 1g R$ 17,00


2 ⋅ 10 at
20
x ∴ x = 0,066 g 0,066 g y ∴ y = R$ 1,12

b) 197 g 370 kJ
0,066 g x ∴ x = 0,124 kJ

30. Alternativa c.
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

K(s) K(g) ΔHsublimação = 89 kJ


Cl2(g) 2 Cl(g) ΔHligação = 244 kJ
1
K(s) + Cl (g) KCl(s) ΔHf = 437 kJ
2 2
K(g) K+ (g) + e ΔH = 418 kJ

31. a) 6 mol 3,0 ⋅ 103 kJ


x 1,0 ⋅ 1016 kJ ∴ x = 2,0 ⋅ 1013 mol de CO2

1 mol 44 g
2 ⋅ 10 mol
13
y ∴ y = 88 ⋅ 10 13 g, y = 8,8 ⋅ 10 8t
b) Sim, temos as mesmas quantidades de ligações químicas.
7C — H 5C — C 5 C — O 1 C O 5O — H

32. a) 106 CO2 + 16 NO3 + 1 HPO42 + 122 H2O + 18 H+ C106H263O110N16P + 138 O2


b) Absorve energia, pois está ocorrendo a fotossíntese que é um processo endotérmico.
c) Diminuição da quantidade de CO2 no ar.

33. Alternativa b.
Reação I: Ligações a serem rompidas: 2 H  H ⇒ +2(4,4 ⋅ 102) CO ⇒ +2 (10,8 ⋅ 102)
Ligações a serem formadas:
4 C  H ⇒ 4(4,2 · 102) 2 C = 0 ⇒ 2(8,2 · 102)
ΔHtotal = +880 + 2.160  1.680  1.600 ΔHtotal = 240 kJ
O valor negativo de ΔH indica uma reação exotérmica, portanto, ocorre no reator C e os produtos estarão no
reservatório D.
Reação II: Sendo esta o inverso da primeira, temos: ΔHtotal = +240 kJ
A reação é endotérmica, ocorrendo, portanto, no reator B, sendo os produtos depositados no reservatório E.

34. C6H12O6 6 C + 6 H 2O ΔH?


kJ
1.250 kJ 0 6(285 kJ)
C 6H12O6 + 6 O2
ΔH = 1.710 kJ + 1.250 kJ = 460 kJ 1.250
II
6 C + 6 H2O + 6 O 2
1.710

III I

6 CO2 + 6 H2O
4.050

Cap. 5 | Termoquímica 57
7% 59% 27%
35. a) 50 g 3,5 g 50 g 29,5 g 50 g 13,5 g
proteína carboidratos lipídio

proteínas e carboidrato: 1g 17 kJ
3,5 g 29,5 g    33 g x ∴ x = 561 kJ

lipídio 1g 38 kJ

13,5 g y ∴ y = 513 kJ total: 561 kJ + 513 kJ = 1.074 kJ


b) c = 4,5 J g K 1 1
Δθ = ?   m = 60 kg = 60 ⋅ 10 g 3

Q = mcΔθ 1.074 ⋅ 103 = 60 · 103 · 4,5 · Δθ ∴ Δθ = 4 °C

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
36. Alternativa a.
Para calcular o ΔH de vaporização do etanol, seria necessário conhecer o ΔH de vaporização da água (ΔH3).
Esse cálculo pode ser feito utilizando a Lei de Hess.
C2H6O(l) + 3 O2(g) 2 CO2(g) + 3 H2O(l) ΔH1
2 CO2(g) + 3 H2O(g) C2H6O(g) + 3 O2(l) ΔH2
(equação invertida)
3 H2O(l) 3 H2O(g) 3 ∆H3 (∆H de vaporização da água multiplicado por 3)

C2H6O(l) C2H6O(g) ΔH1  ΔH2 + 3 ΔH3

37. a) H3C — H + Cl — Cl H3C — Cl + H — Cl


↓ ↓ ↓ ↓
+435 +242 452 431
ΔH = (+435 + 242  452  431) kJ
ΔH = 206 kJ
b) CH4(g) + Cl2(g) H3CCl(g) + HCl(g)    ΔH = 206 kJ
75 00 x 92
ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes
206 = x  92 + 75
 x = 114 kJ
1
38. a) H2(g) + O (g) H2O(l) ΔH = 68,3 kcal
2 2
b) C(graf) + O2 (g) CO2(g) ΔH = 94,1 kcal
c) C2H4(g) + 3 O2(g) 2 CO2(g) + 2 H2O(l) ΔH = 337,2 kcal
d) 2 C(graf) + 2 H2(g) C2H4(g) ΔH = +12,4 kcal
gráfico 337,2 = x + 188,2 + 136,6 ∴ x = 12,4 kcal

39. Alternativa c.
••
— OH ----------- O — H
••

sacarose H
ligação de hidrogênio

C6H12O6(s) + 6 O2(g) 6 CO2(g) + 6 H2O(l)


1.268 0 6(394) 6(286)
ΔH = ∑ΔHf produtos  ∑ΔHf reagentes
ΔH = 2.364  1.716 + 1.268
ΔH = 2.812 kJ

58 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap5.indd 58 3/3/16 11:08 AM


40. a)
usina hidrelétrica
de Belo Monte

usinas eólicas

ANA OLÍVIA JUSTO/acervo da editora


Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

usinas Angra I e II
ESCALA
0 543 1.086
usina hidrelétrica
km
de Itaipu

b) Cálculo da energia liberada na combustão de 1 g de metano (CH4):


libera
1 mol de metano 213 kcal
16 g 213 kcal
1g x
x = 13,3125 kcal

Cálculo da energia liberada na combustão de 1 g de etanol (C2H5OH):


libera
1 mol de etanol 327 kcal
46 g 327 kcal
1g y
y = 7,1086 kcal
O combustível mais vantajoso é o metano, pois libera maior quantidade de energia por grama.

1. a) O fermento químico contém bicarbonato de sódio e um ácido orgânico fraco, genericamente representado
por HA. A equação química da reação observada por Rango é:
HCO23 + HA H2O + CO2 + A2
ou
HCO23 + HA H2O + CO2 + A2

b) I. Cálculo da variação de energia na combustão completa de um mol de butano:


C4H10 + 13/2 O2 4 CO2 + 5 H2O
DH = ΣDHf P  ΣDHf R = [4 ⋅ (394) + 5  (242)] kJ  (126) kJ = 2.660 kJ

II. Cálculo da variação de energia na combustão completa de um mol de metano:


CH4 + 2 O2 CO2 + 2 H2O
ΔH = ΣDHf P  ΣDHf R = (394  2 ⋅ 242) kJ + 75 = 803 kJ
• Massa molar do C4H10 = 58 g/mol
• Massa molar do CH4 = 16 g/mol

Cap. 5 | Termoquímica 59

Gab_FisicaQuimica_Cap5.indd 59 3/11/16 10:34 AM


Cálculo da energia liberada na queima de 58 g de metano:
16 g de CH4 803 kJ
58 g de CH4 x ∴ x = 2.910,8 kJ > 2.660 kJ liberados na queima do butano
Queimando a mesma massa de butano e de metano, a energia liberada é maior na queima de metano;
portanto, Estrondosa estava errada.

2. a) C
 6H12O6 6 C + 6 H2O ΔH2 = ?
ΔH2 + ΔH3 = 2.800
ΔH2 = 2.800 + 2.340
ΔH2 = 460 kJ/mol

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
b) 6 C + 6 H2O + 6 O2 6 CO2 + 6 H2O ΔH = 2.340 kJ
6 C + 6 O2 6 CO2 ΔH = 2.340 kJ
↓¸6
2.340
C + O2 CO2 ΔHf =  ∴ ΔHf = 390 kJ/mol
6
c) C6H12O6 + 6 O2 6 CO2 + 6 H2O ΔH = 2.800 kJ
x 0 6 ⋅ (390) 6 (285)
123 144424443
ΔHR ΔHP
2.800 = [6 ⋅ (390) + 6  (285)]  (x)
x = 1.250 kJ/mol

3. A primeira equação fornecida é multiplicada por 1/2, a segunda equação fornecida é multiplicada por 1/3 e a
terceira equação fornecida é multiplicada por 1/6.
Agora devemos somar as três equações alteradas para obter a equação que pede o ΔH.
1/2 F2O3(s) + 3/2 CO(g) Fe(s) + 3/2 CO2(g) ΔH = 12,5 kJ
FeO(s) + 1/3 CO2(g) 1/3 Fe3O4(s) + 1/3 CO(g) ΔH = 12 kJ
1/3 Fe3O4(s) + 1/6 CO2(g) 1/2 Fe2O3(s) + 1/6 CO(g) ΔH = +7,8 kJ

FeO(s) + CO(g) Fe(s) + CO2(g) ΔH = 16,7 kJ
ou
Equação I (× 3), equação II (× 2) e equação III (manter). Somar as equações e dividir o resultado por 6.

4. a) N
 as três reações, o produto final é o mesmo e, portanto, a entalpia dos produtos é a mesma. A reação lhe libera
maior quantidade de energia indica o reagente de maior entalpia.
Completa-se o esquema da seguinte maneira:
H
C

ΔH3 = 127 kJ/mol

ΔH2 = 119 kJ/mol


A

ΔH1 = 113 kJ/mol

2 – metilbutano (D)

b) Os alcenos citados no texto apresentam fórmula molecular C5H10, portanto, a equação de reação de combus-
tão completa é:
15
C5H10 + O2 5 CO2 + 5 H2O
2

60 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


5. a) Equação da reação: C2H5OH + 3 O2 2 CO2 + 3 H2O
b) Cálculo do ΔH da reação por energia de ligação.

H H

H — C — C — O — H + 30 O 20 C O+3H—O—H

H H

5 C — H + 1 C — C + 1 C — O + 1 O — H + 3 O O 4C O+6O—H
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

ΔH = 2.065 + 347 + 357 + 463 + 1.482 + (3.216) + (2.778)


ΔH = 4.714  5.994
ΔH = 1.280 kJ

c) Cálculo do ΔH de formação do etanol


C2H5OH + 3 O2(g) 2 CO2(g) + 3 H2O(g)
x 0 2 ⋅ 394 kJ 3 ⋅ 242 kJ
ΣΔHf R = x ΣΔHf P = 788  726 (kJ)
ΣΔHf P = 1.514 kJ

ΔH = ΣΔHf P  ΣΔHf R

1.280 = 1.514  x
x = 1.514 + 1.280 (kJ)
x = 234 kJ

6. Composto A = álcool etílico Composto B = éter dimetílico ou metoximetano


A queima dos compostos formados pela fórmula C2H6O, resulta nos mesmos produtos:
C2H6O(l) + 3 O2(g) 2 CO2(g) + 3 H2O(g)

produtos iguais

Portanto, a diferença observada no calor de combustão do álcool e do éter dimetílico está na quantidade de
calor necessária para quebrar as ligações de suas moléculas.
álcool

H H

H — C — C — OH 1C—C+5C—H+O—H +3.249 kJ

H H

éter dimetílico
H H

H — C — O — C — H 6C—H+2C—O +3.210 kJ

H H

Como a energia necessária para quebrar as ligações moléculas do etanol é maior do que a energia neces-
sária para quebrar as ligações das moléculas do éter (3.249 . 3.210), ele é o composto com menor calor de
combustão.
Composto A: álcool etílico Composto B: éter etílico

Cap. 5 | Termoquímica 61

Gab_FisicaQuimica_Cap5.indd 61 3/11/16 10:34 AM


7. a) Equação química da combustão do metano: CH4(g) + 2 O2(g) CO2(g) + 2 H2O (l)
Cálculo do ΔH: CH4(g) + 2 O2(g) CO2(g) + 2 H2O(l) ΔH = 803 kJ
ΔHf: 75 0 394 2x

ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes


803 kJ = (394 + 2x + 75) kJ
x = 242 kJ
ΔH0f = 242 kJ/mol de H2O (l)

b) S
 im, pois os produtos de fermentação contêm CO2 e CH4, que contribuem para o efeito estufa.

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
c) De acordo com a equação:
58 mol de C6H12O6 35,5 mol de CH4
    58 ⋅ 180 g 35,5 mol
    5,8 ⋅ 10 g 3
x
x = 19,72 mol

8. a) C12H22O11 + 12 O2 12 CO2 + 11 H2O  ΔH = ?



2.222 0 12(394) 11(286)

HR HP

ΔH = Hp  HR

ΔH = [12(394) + 11 (286)]  (2.222)
ΔH = 5.652 kJ/mol

b) kJ

C12H22O11 + 12 O2

ΔH = 5.652 kJ/mol

12 CO2 + 11 H2O

c) Massa molar da sacarose: (12 ⋅ 12) + (1 x 22) + (11 ⋅ 16) = 342 g/mol
1 mol sacarose — 342 g 5.652 kJ
x 314 kJ
x = 19 g

9. a) Equação: CO(g) + 2 H2(g) CH3OH (l)


b) Equação I – inverter; equação II – manter e multiplicar por 2; equação III – manter.

I. (CO2) + (2 H2O) CH3OH +


( )
3
2
O2 ΔH = +638 kJ

II. 2 H2 + O2 (2 H2O) ΔH = 2 ⋅ (286) kJ

III. CO + ( 1
2
O2 ) (CO2) ΔH = 283 kJ

   CO + 2 H2 CH3OH ΔH = 217 kJ

62 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


10. Alternativa a.
CH4 + 2 O2 CO2 + 2 H2O

gás natural 1 mol (são liberados 890 kJ)
13
C4H10 + O2 4 CO2 + 5 H2O
2

GLP 4 mol (são liberados 2.878 kJ)
1 mol (são liberados 719,5 kJ)
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

25
C8H18 + O2 8 CO2 + 9 H2O
2

gasolina 8 mol (são liberados 5.471 kJ)
1 mol (são liberados 683,87 kJ)
A ordem crescente desses três combustíveis do ponto de vista da quantidade de calor obtido por mol de CO2
gerado é: gasolina, GLP e gás natural.

11. Alternativa d.
A equação que representa a reação química desse processo é:
1 C8H18 + 25/2 O2 8 CO2 + 9 H2O
Para 1 de octano, o coeficiente estequiométrico do O2 é 12,5, do CO2 é 8 e da água é 9.

12. Alternativa d.
Considerando 1 L de metanol e 1 L de etanol.
Metanol: 1 L tem massa igual a 790 g, pois a densidade do metanol é 0,79 g/mL.
CH3OH, M = 32 g/mol
32 g 726,0 kJ
790 g x
x = 17.923 kJ
Etanol: 1 L tem massa igual a 790 g, pois a densidade do etanol é 0,79 g/mL.
CH3CH2OH, M = 46 g/mol
46 g 1.367,0 kJ
790 g y
1 kJ corresponde a 1.000 J
23.500 kJ = 23.500.000 J ou 23,5 MJ

13. Alternativa d.
A estratégia é satisfatória, uma vez que a reação direta ocorre com absorção de calor e promove a formação das
substâncias combustíveis que poderão ser utilizadas posteriormente para a obtenção de energia e realização
de trabalho útil.
CH4(g) + H2O(v) + calor CO(g) + 3 H2(g)
               
combustíveis
CO + 1/2 O2 CO2
H2 + 1/2 O2 H 2O

Cap. 5 | Termoquímica 63
14. Alternativa c.
C6H6 (l) 6 CO2 (g) ΔHC0 = Δ3.268 kJ
Quando ocorre a liberação de 3.268 kJ, são produzidos 6 mol de CO2
C2H5OH (l) 2 CO2 (g) ΔHC0 = 1.368 kJ
1.368 kJ 2 mol
3.268 kJ x
∴ x = 4,8 mol de CO2

C6H12O6 (s) 6 CO2 (g) ΔHC0 = 2.808 kJ

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
2.808 kJ 6 mol
3.268 kJ y
∴ y = 7,0 mol de CO2
CH4(g) CO2(g) ΔHC0 = 890 kJ
890 kJ 1 mol
3.268 kJ z
∴ z = 3,7 mol de CO2
C8H18 (l) 8 CO2 (g) ΔHC0 = 5.471 kJ
5.471 kJ 8 mol
3.268 kJ t
∴ t = 4,8 mol de CO2
A glicose, quando queimada completamente, libera mais dióxido de carbono, considerando a mesma quantida-
de de energia produzida.

64 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


Gabarito Capítulo 6
Cinética Química

1. a) reagente b) produto

2. curva 1: H2O2; curva 2: O2; curva 3: H2O

3. a) 0,2  0,024 = 0,176 HBr: 0,176 mol


b) consumo de HBr: 0,176 mol formação de H2: 0,088 mol
|∆n| |0,175  0,2|
c) vHBr = = ∴ vHBr = 0,005 mol/min
∆t 50
vHBr vBr
2
d) vHBr = = ∴ 0,005 = 2 vBr ∴ vBr = 0,0025 mol/min
2 1 2 2

|∆n| |0,04  0,07| vBr vH


2 2
e) vHBr = = ∴ vHBr = 0,006 mol/min = ∴ vH = 0,003 mol/min
∆t 15  10 2 1 2

4. a) Trecho I, pois o consumo de H2O2 é maior (0,8 mol  0,5 mol = 0,3 mol)
|∆[H2O2]| |0,3  0,5|
b) vH = = ∴ vH O = 0,02 mol/L ⋅ min
2O 2 ∆t 20  10 2 2

vH O vO 0,02
2 2 2
c) 2 H2O2 2 H 2 O + O2 = ∴ = vO ∴ vO = 0,01 mol/L ⋅ min
2 1 2 2 2

5. C3H8(g) + 5 O2(g) 3 CO2(g) + 4 H2O


1V 5 V 3V 4V
10 L 50 L 30 L 40 L
a) 50 L/min b) 30 L/min

6. a) N2 + 3 H2 2 NH3
    3 2
3
    vH vNH ∴ vH = v
2 3 2 2 NH3
|[∆H2]| |2,4  3,6| 3
vH = = ∴ vH = 0,6 mol/L ⋅ min 0,6 = v ∴ vNH = 0,4 mol/L ⋅ min
2 ∆t 20 2 2 NH3 3

vN vH vNH
2 2 3
b) vreação = = = vreação = 0,2 mol/L ⋅ min
1 3 2
7. a) X, pois a sua concentração diminui com o tempo.
|∆[x]| |0 − 0,6|
b) vx = = ∴ vx = 0,06 mol/L
∆t 10 − 0
c) X Y
0,6 mol 0,4 mol ∴ 0,6 : 0,4 = 3 : 2
consumido  formado
3X 2Y

Cap. 6 | Cinética Química 65


8. II, pois o consumo de CO2 foi maior (0,4  0,05 = 0,35 mol/L ⋅ min)

9. Alternativa a.
C2H5OH + 3 O2 2 CO2 + 3 H2O
1 mol 2 · 44 g 60 min 30 mol
  x 2.640 g ∴ x = 30 mol (1 hora) 1 min y ∴ y = 0,5 mol (1 minuto)

10. C4H10 4 CO2


1 mol 4 ⋅ 44 g 1 min 8,8 g
0,05 mol x ∴ x = 8,8 g (min) 30 min y ∴ y = 264 g (meia hora)

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
11. colisões

12. a) complexo ativado b) complexo ativado

13. a) não afetiva b) não efetiva c) efetiva

14. I. Incorreto: a orientação na colisão não é favorável.


II. Correto: a colisão será efetiva quando houver orientação favorável na colisão e se ela for suficientemente
energética.
15. a) Energia b) Energia

CA CA

P
Ea Ea
∆H > 0
R R
reação endotérmica
∆H < 0
P
reação exotérmica

16. a) ΔH = Ep  ER = +10  (40) ∴ ΔH = +50 kJ
b) ECA = +90 kJ
c) Ea = ECA  ER = 90  (40) ∴ Ea = +130 kJ

17. a) Ponto M: a energia das colisões não é suficiente para formar o complexo ativado.
b) Ponto N: nessa estrutura intermediária as ligações dos produtos são mais fortes que as dos reagentes.

18. a) lenta b) rápida

19. Alternativa a.
20. a) ΔH = Hp  HR ∴ ∆H = +40  (20) ∴ ΔH = +60 kJ/2 mol de AB ΔH = +30 kJ/l mol de AB
b) Ea = ECA  ER ∴ ER = +60  (20) ∴ Ea = 80 kJ

21. Energia (kJ) 22. Energia (kJ)

(H2Cl2)
140 kcal

50 kJ
H2 + Cl2
A

–30 kJ
B 44 kcal

2 HCl

66 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


23. a) ΔH = Hp  HR ∴ ΔH = 0  (+68) ∴ ΔH = 68 kcal
b) Energia (kcal)

+96 28 kcal

2 O3
+68

–68 kcal
3 O2


Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

24. Energia (kcal)


30

10
E'a = 28 kcal E'a = ECA  Ep ∴ E'a = 30  2 ∴ E'a = 28 kcal

25. a) T1 < T2 b) A1 < A 2

26. Alternativa b.

27. rápida

28. Alternativa c.

29. carvão em pó, maior superfície de contato

30. Alternativa c.

31. curva A: reação 2; curva B: reação 1

32. a) homogêneo b) heterogêneo

33. 1: sem; 2: com

34. 1: com; 2: sem

35. a) Ea = ECA  ER = 60  20 ∴ Ea = 40 kJ c) ΔEa = 40  15 ∴ ΔEa = 25 kJ


b) Ea = ECA  ER = 35  20 ∴ Ea = 15 kJ d) ΔH = Hp  HR = 10  20 ∴ ΔH = 30 kJ

36. a) energia dos reagentes e) Ea com catalisador


b) energia dos produtos f) É a inversa sem catalisador
c) ΔH da reação g) É a inversa com catalisador
d) Ea sem catalisador

37. I2 (reage na 1a etapa e é regenerado na 2a etapa)

38. a) NO b) NO2

39. a) lenta b) rápida

40. X: catalisador Y: inibidor Z: promotor W: veneno

Cap. 6 | Cinética Química 67

Gab_FisicaQuimica_Cap6.indd 67 3/3/16 11:19 AM


41. experimentalmente 44. experiência

42. velocidade, temperatura 45. zero, independente

43. experiência

46. a) Observando as experiências 1 e 2 temos: 0,35 0,70 0,1 0,2

dobra     v dobra v = k[H2O2]


b) Vamos usar a 1a experiência. v = k[H2O2] ∴ 0,1 mol/L ⋅ h = k 0,35 mol/L ⋅ h k = 0,29/h
c) v = k[H2O2] ∴ v = 0,29 · 2 ∴ v = 0,58 mol/L · h

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
47 a) Observando as experiências 1 e 2 temos: 0,20 0,40 1,60 ⋅ 109 6,40 ⋅ 109

dobra    quadruplica v = k[(CH3)2O]2


b) Vamos usar a 1a experiência. v = k[(CH3)2O2] 1,60 ⋅ 109 mol/L ⋅ s = k ⋅ (0,20)2 mol2/L2 k = 40 ⋅ 109 L/mol ⋅ s

48. Observe os experimentos 1 e 2.


[B] constante [A] 0,1  
0,2  v  0,1  0,2 [A]

         dobra        dobra

Observe os experimentos 2 e 3.
[A] constante [B] 0,2  0,4  v  0,2  0,8 [B]2
         dobra      quadruplica       v = k · [A][B]2

49. Observe os experimentos 1 e 2.


[B] constante [A]  1 · 102   3 · 102  v  4,8 · 105 43,2 · 105  [A]2
          triplica          x9

Observe os experimentos 2 e 3.
[A] constante [B]  1 · 103    2 · 103   v    43,2 · 105 86,4 · 105  [B]
          dobra           dobra v = k · [A]2[B]

50. Observe os experimentos I e II.


[A] e [C] constantes [B] 0,2  0,4  v  0,1  
0,4  [B]2

dobra  quadruplica
     
Observe os experimentos II e III.
[A] e [B] constantes [C] 0,3  0,6  v  0,4  0,4  [C]0
             dobra       não muda
Observe os experimentos III e IV
[B] e [C] constantes [A] 0,1  0,2  v  0,4  
3,2  [A]3
            dobra        8 = 23 v = k[A]3[B]2[C]0 ou v = k[A]3[B]2

51. a) v = k[Hl]2 b) v = k[H2] [I2]

52. v = k PH · PI
2 2

53. v = k [HCl]2

54. 1a etapa lenta, 2a etapa rápida; NO3

68 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


55. v = k[NO2]

56. a) v = k [NO]2[H2]
b) v1 = kx2y; v2 = k(2x)2y ∴ v2 = 4 kx2y   v2 = 4v1

57. v = k[H2]2[O2] v2 = kx2y; v2 = k(2x)2 3y ∴ v2 = 12 kx2y   v2 = 12v1

58. a) 1a etapa: A + B AB (lenta) 2a etapa: AB + B AB2 (rápida)


b) x (etapa lenta)
c) v = k[A][B]
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

1. Alternativa a.
D[C] (1,1 2 0,9) mol/L
vC = =
Dt (4,0 2 2,0) h
vC = 0,1 mol/L ? h
vC vA
=
4 1
vA = 0,025 mol/L ? h

2. Alternativa b.
Vamos admitir volume constante e igual a 1 litro. Quantidade de matéria de N2O4 que reagiu após
20 μs = (0,050  0,033) mol = 0,017 mol.

Quantidade de NO2 formada após 20 μs

     1 mol de N2O4 2 mol de NO2

0,017 mol de N2O4 x ∴ x = 0,034 mol x = concentração de NO2 = 0,034 mol ⋅ L1

Quantidade de N2O4 que reagiu após 40 μs.

1 mol de N2O4 2 mol de NO2

n 0,050 mol de NO2 ∴ x = 0,025 mol de N2O4

Quantidade em mol de N2O4 que resta após 40 μs         y = (0,050  0,025) mol = 0,025 mol

Concentração de N2O4 no sistema após 40 μs = 0,025 mol · L1

Velocidade média de consumo de N2O4 nos 20 μs iniciais:


Δ[ ] 0,033  0,050
v= = mol ⋅ L1 ⋅ μs1 = 8,5 ⋅ 104 mol ⋅ L1 ⋅ μs1
∆t 20 − 0

3. Alternativa c.
Como a reação é realizada em sistema aberto, a massa do processo vai diminuir devido à liberação de CO2 ga-
soso. A velocidade da reação pode ser medida pela variação da massa, que diminui em determinado intervalo
de tempo.

Cap. 6 | Cinética Química 69

Gab_FisicaQuimica_Cap6.indd 69 3/11/16 10:36 AM


4. Alternativa a.
O papel deste estímulo (faísca elétrica) é fornecer a energia de ativação necessária para a reação ocorrer.
Entalpia

Ea

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
Caminho da reação

5. Energia a) A variação da entalpia da reação (ΔH) é negativa e, portanto, a reação


é exotérmica.
ΔH = HP  HR
∆ AB Como HR . HP ⇒ ΔH < 0
reagentes
HR
ΔAB é a energia de ativação da reação de oxidação da glicose, isto é, a
mínima energia necessária para iniciar a reação.
∆H

HP
produtos b) A energia envolvida no processo (ΔH), quando na mesma temperatura,
é a mesma independentemente se for feita num frasco de laboratório ou
se ocorrer em nosso organismo. Em ambos os casos, os estados inicial
Caminho da reação e final são os mesmos.
Catalisador (enzima) não altera o valor de ΔH.
A energia de ativação para a reação de oxidação da glicose é menor no
organismo, pois ocorre na presença de enzimas (catalisador).

6. a) Após a adição do metal em pó, a reação é acelerada, pois o metal atua como catalisador acelerando a reação
química. O metal promove uma reação com menor energia de ativação.
b) Diagrama de energias.
Entalpia (1)
Ea1 ⇒ energia de ativação
(2)
sem o metal em pó
Ea2 ⇒ energia de ativação
com adição do metal
R
HR
ΔH = c alor da
reação P
HP

Caminho da reação

7. Alternativa c.
Dada a reação A + B C + D, temos:
E Eadir = (80 – 25) kJ = 55 kJ

Eadir = ?
Eainv = 80 kJ
A + B

ΔH = – 25 kJ
C+D


Caminho da reação

70 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


8. Alternativa a.
A reação que ocorre com maior velocidade é a que apresenta menor energia de ativação (25 kJ/mol), portanto
corresponde à reação III.
A diferença entre a energia do complexo ativado e a entalpia do produto é igual a 5 kJ.
(25 kJ  20kJ)
Entalpia kJ

5
B

25
20
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

Caminho da reação

9. Alternativa e.
I. Verdadeira. De acordo com o gráfico, a entalpia dos produtos é maior que a entalpia dos reagentes, portanto,
a reação A + B C é endotérmica. II. Falsa. Presença de catalisador aumenta a velocidade da reação devido
a uma dimi­nuição da energia de ativação. III. Falsa. A energia de ativação é a energia necessária para atingir o
complexo ativado: Ea = 140 kJ  40 kJ = 100 kJ.

10. Alternativa b.
Quanto maior a superfície de contato entre os reagentes, maior será a velocidade da reação.
Quanto maior a temperatura do sistema, maior a velocidade da reação.
O experimento mais lento será aquele em que o comprimido é adicionado “inteiro” e a temperatura é a mais
baixa (20 °C) (experimento II).
O experimento mais rápido será aquele em que o comprimido é adicionado “moído” e a temperatura é a mais
alta (40 °C) (experimento III). II < I < III

11. Curva II, pois o catalisador diminui a energia de ativação da reação.


O valor da variação de entalpia (ΔH) dessa reação é a mesma na presença ou ausência do catalisador.

12. Alternativa c.
NO é o catalisador, portanto a concentração é constante (curva IV).
SO3 é um produto, portanto a concentração aumenta com o tempo (curva I).
SO2 e O2 são reagentes, portanto as concentrações diminuem com o tempo, mas na proporção de 2 SO2 : 1 O2
(curvas III e II, respectivamente). Na prática usa-se NO2 como catalisador.

13. Alternativa b.
Afirmação I. Correta: com esses dados fica impossível saber o fator que mais prevalece no aumento da velo-
cidade.
Afirmação II. Errada: a velocidade da reação aumenta quando a água está em uma temperatura maior.
Afirmação III. Correta: Métodos 1 e 4 Inteiro Triturado 50 s 30 s
aumento menor aumenta a superfície aumenta a
de contato velocidade
Métodos 1 e 3 10 °C e 60 °C 50 s 25 s
aumento maior aumenta a aumenta a
temperatura velocidade
14. Alternativa d.
A transformação mais rápida ocorre na temperatura T4 (maior temperatura implica maior velocidade).

Cap. 6 | Cinética Química 71


15. Alternativa d.
De acordo com os gráficos apresentados, temos:
• a velocidade da reação é diretamente proporcional à concentração de H2O2 e de I.
• a velocidade da reação não depende da concentração de H+. II e III são afirmações corretas.

16. Alternativa c.
Experimento I: falso. Pela lei da velocidade fornecida: v = k [NO2]2, percebe-se que a taxa de formação de CO2 é
diretamente proporcional à concentração quadrática do NO2. Dobrando a pressão parcial do NO2 (de 1 atm para
2 atm), a taxa de formação será quadruplicada: v = 4x.
Experimento II: correto. Pela mesma lei da velocidade, verifica-se que a taxa de formação do CO2 independe da
concentração de CO. Dobrando a pressão parcial de CO, a taxa de formação do CO2 irá permanecer a

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
mesma: v = x.
Experimento III: correto. Aumentando a temperatura (de 700 °C para 900 °C), aumenta a energia cinética das par-
tículas; aumenta o número de choques entre elas, aumentando a taxa de formação de CO2: v > x.

17. Alternativa d.
Comparando os experimentos I e II, verifica-se que, reduzindo a concentração de N2O5 à metade, a ve-
locidade da reação é reduzida à metade. Trata-se de uma reação de primeira ordem em relação de N2O5.
Logo, a lei experimental da velocidade pode ser expressa por: v = k[N205]1

18. Alternativa b.
Comparando-se a segunda com a primeira experiência, verifica-se que a concentração de H2 foi mantida cons-
tante e a de NO foi dobrada (0,210 mo/L para 0,420 mol/L). Como a velocidade da reação quadruplicou (passou
de 0,035 mol/L · s para 0,140 mol/L · s) a reação é de segunda ordem em relação a NO.
Comparando a segunda a quarta experiência, verifica-se que a concentração de NO foi mantida constante
e a de H 2 foi dobrada (0,122 mol/L para 0,244 mol/L). Como a velocidade da reação dobrou (passou de
0,035 mol/L · s para 0,070 mol/L · s), a reação é de primeira ordem em relação a H 2. Logo: v = k[NO] 2 ⋅ [H2].

19. a) A equação global é dada pela soma das etapas I e II.


ICl + H2 HI + HCl
HI + ICl HCl + I2
2 ICl + H2 2 HCl + I2
b) O intermediário da reação é o HI, pois ele é formado na etapa 1 e é consumido na etapa 2.

20. Alternativa c.
Experimentos I e II [B] e [C] constantes
[A] dobra v dobra
Experimentos I e III [A] e [C] constantes
[B] dobra v quadruplica
Experimentos I e IV [A] e [B] constantes
[C] dobra v não se altera
Lei de velocidade: v = k[A] ⋅ [B]2 ⋅ [C]0 ou v = k[A] ⋅ [B]2
3a ordem

21. a) I. NO2(g) + NO2(g) NO(g) + NO3(g)


II. NO3(g) + CO(g) NO2(g) + CO2(g)

equação global NO2(g) + CO(g) NO(g) + CO2(g)

A equação da velocidade é tirada da etapa lenta (I): v = k[NO2]2

b) I. Errada: libera calor, reação exotérmica.


II. Errada: catalisador não altera o rendimento, portanto, não altera a quantidade de CO2.

72 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


22. a) Somando as etapas, temos:
1a) O3 + Cl• O2 + ClO•
2a) ClO• + O3 2 O2 + Cl•

2 O3 3 O2
123
     
       
gás oxigênio

b) O catalisador é Cl• (cloro livre), pois é consumido na 1a etapa e regenerado na 2a etapa do processo.

23. Alternativa e.
A curva 1 representa a reação catalisada (menor Ea), que ocorre com liberação de calor (ΔH < 0) e a sua energia
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

de ativação é dada por E1.

24. reta A: maior concentração dos reagentes (experimento II)


reta B: experimento I
reta C: menor concentração dos reagentes (experimento III)

25. Experimento 1: curva IV menor concentração, menor temperatura;


Experimento 2: curva III;
Experimento 3: curva II;
Experimento 4: curva I maior concentração, maior temperatura.

26. Alternativa b.
À temperatura ambiente, as moléculas dos componentes da gasolina e as do oxigênio não têm energia suficiente
para iniciar a combustão.

27. a) 2 H2O2 2 H 2 O + O2

b) C B [H2O2] dobra v dobra


Conclusão: 1a ordem em relação ao H2O2
c) v = k[H2O2]

d) experimento A: 2,745 ⋅ 103 mol/L ⋅ s = k 0,750 mol/L


k = 3,66 ⋅ 103/s

e) catalisador

28. a) maior velocidade reação III             b)


[C] I
1,00

0,75 II

0,50 A+B

0,25

1 2 3 4 Tempo

29. a) Experimento I [A] dobra v quadruplica 2a ordem; experimento II [B] dobra v dobra 1a ordem
ordem total: 3a ordem v = k[A]2 [B]

b) A velocidade da reação é diretamente proporcional ao quadrado da [A]. Assim, se a velocidade foi multipli-
cada por 16 (42), a concentração do reagente A foi multiplicada por 4.

Cap. 6 | Cinética Química 73


30. Alternativa d.
I. Correta: o Cu atua como catalisador, pois não reage um ácido.
II. Errada: nos experimentos 1 a 4, a concentração é constante (0,2 mol/L).
III. Correta: 1 3 Zn Zn 30 s 18 s
raspas pó maior velocidade
maior superfície
de contato

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
1. a) Etapa lenta = etapa de maior energia de ativação.
Etapa: II III ou 2a etapa
Energia de ativação = 322  (420) = 98 kJ
b)

Etapas ΔH

1a etapa: I II: CO2 + H2 HCOOH 20 kJ

2a etapa: II III: HCOOH + H2 H2CO + H2O 70 kJ

3a etapa: III IV: H2CO + H2O + H2 H3COH + H2O 90 kJ

c) Equação global: CO2 + 3 H2 H3COH + H2O


ΔH = 440  (400)
ΔH = 40 kJ

2. a) equação da velocidade: v = k [CH3COCH3] ⋅ [H+]


b) Valor da constante de velocidade.
v = k [CH3COH3] ⋅ [H+]
De acordo com os dados da 1a experiência:
5,7 · 105 = k ⋅ (0,3) ⋅ (0,05)
k = 3,8 · 103
c) Sequência que representa a etapa lenta da reação.
O OH

CH3 — C — CH3 + H+ CH3 — C CH2

3. a) Razão entre a maior e a menor velocidade média da reação.


Tomando 1 L como referência de volume:
Curva I: 0,6 mol ⋅ L1 produzido em 1 min v1 = 0,6 mol ⋅ L1 ⋅ min1
Curva II: 0,2 mol produzido em 1 min v2 = 0,2 mol ⋅ L1 ⋅ min1
Razão:
0,6/0,2 = 3
b) A curva I: corresponde à reação com o alumínio em pó.
A curva II: corresponde à reação com o alumínio em placas.
Esta associação ocorre porque alumínio pulverizado, devido a sua maior superfície de contato, reagirá mais
rapidamente.

74 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap6.indd 74 3/3/16 11:22 AM


4. Observe os gráficos e a tabela a seguir.
a) b)
8 PA 8 PA
7,8

7 7
6,8
6 6
10–3 × mol . L–1

10–3 × mol . L–1


5 5
conc.

conc.
4 4
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

3 3

2 i–P 2 i–P
1,8 1,8
1 1

0 0
0 50 100 150 200 0 50 100 150 200
t/s t/s

a) De acordo com o gráfico a:


quando t = 100 s a [i  P] = 1,8
quando t = 200 s a [i  P] = 2,0
De acordo com o gráfico b:
quanto t = 100 s a [PA] = 6,8
quanto t = 200 s a [PA]  7,8
Portanto, preenchendo a tabela:

Tempo/s 0 100 200

[i  P]
0,0 1,8 2,0
10 3
mol L1

[PA]
0,0 6,8 7,8
103 mol L1

b) Como a proporção entre a Pilocarpina (P) e os possíveis produtos da reação (PA e I  P) é de 1 : 1, teremos:
P PA ou P iP
• a conc. inicial de P para t = 0 s corresponde a soma das concentrações dos produtos formados ao final da
reação, t = 200 s.
[P] = [i  P] + [PA]
P = 9,8 ⋅ 103 mol ⋅ L1
• a conc. de P para t = 100 s corresponde a diferença entre a conc. inicial = 9,8 ⋅ 103 mol ⋅ L1 e a soma das
conc. dos produtos possíveis, PA e i  P, no mesmo tempo de 100 s.
[P] = 9,8 ⋅ 103  (1,8 + 6,8) ⋅ 103
[P] = 1,2 ⋅ 103 ⋅ mol ⋅ L1
Ao final (t = 200 s) a reação se completou. Então [P] = zero.

Tempo/s 0 100 200

[P] ⋅ 103 mol ⋅ L1 9,8 1,2 0

c) De acordo com as curvas do gráfico, tomando-se o mesmo intervalo de tempo, verifica-se que ocorre forma-
ção de maior número de mols de PA, consequentemente a reação de hidrólise é mais veloz.

Cap. 6 | Cinética Química 75


1
5. a) N2O5(g) 2 NO2(g) + O2(g)
2
b) 6

5
Concentração de N2O5/(mol/L)

[NO2]
4

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
1
[N2O5]
0
0 5 10 15 20 25 30 35
Tempo/horas

1,5 mol/L
c) vm = = 0,14 mol/L ⋅ h
11 h

6. a) A velocidade da reação depende da concentração do brometo de terc-butila ((CH3)3 C — Br) pois os dados
experimentais mostram que não houve variação da velocidade quando a concentração do íon hidróxido
[OH] variou.

Experimento (CH3)3 C — Br OH Velocidade


Dobrar conc. do brometo
1 0,10 0,10 1 ⋅ 103
x2 de terc-butila, dobrou a
velocidade
2 0,20 0,10 2 ⋅ 103

4 0,10 0,20 1 ⋅ 103 Dobrar a conc. do íon


hidróxido não afetou a
b) Diagrama II. velocidade
c)
Energia

Ea
Ea
(CH3)3C+ + OH + Br–
(CH3)3C – Br + OH
(CH2)3C – OH + Br–

Avanço da reação

7. a) Expressão da lei de velocidade para a reação.


A lei da velocidade ou equação da velocidade é obtida a partir de dados experimentais. A análise dos dados
da tabela permite concluir que:

Concentração inicial (mol/L) Velocidade inicial (mol/L ? s)


Experimento
CO(g) Cl2(g)

1 0,12 0,20 0,09

2 0,24 0,20 0,18

3 0,24 0,40 0,72

76 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap6.indd 76 3/3/16 11:23 AM


• Comparando o experimento 1 com o 2: dobrar a concentração do CO(g) dobra também a velocidade da
reação. Portanto, a reação é de 1a ordem em relação ao CO.
• Comparando o experimento 2 com o 3: dobrar a concentração do Cl2 quadruplica a velocidade da reação.
Portanto, a reação é de 2a ordem em relação ao Cl2.
Lei da velocidade: v = k ⋅ [CO] ⋅ [Cl2]2
b) Cálculo do valor da constante —k
Partindo da lei da velocidade para a reação e utilizando os dados do 1o experimento, teremos:
v = k ⋅ [CO] ⋅ [Cl2]2
0,09 = k ⋅ (0,12) ⋅ (0,2)2
k  18,75
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

c) Cálculo da velocidade da reação para as concentrações dos gases CO e Cl2, respectivamente: 2,0 e
0,5 mol/L
v = k ⋅ [CO] ⋅ [Cl2]2
v = 18,75 ⋅ (2,0) ⋅ (0,5)2
v = 9,375 mol/L ⋅ s

8. a) Recipiente – A.
Apresenta solução ácida de maior concentração (1,0 mol/L).
b) Recipiente – C.
Apresenta maior superfície de contato entre os reagentes (Pb em pequenos pedaços).
c) Curva 1 – recipiente: C;
Curva 2 – recipiente: A;
Curva 3 – recipiente: B.
d) A curva 1 corresponde ao experimento com maior velocidade (C). Nesse experimento, os íons H+ do ácido
reagem rapidamente devido ao contato com os pedaços de chumbo, formando H2(g). Isso significa que ocor-
re a diminuição da concentração dos íons H+ elevando o pH do meio ambiente.

9. a) Etapa – 1
Equação global: 2 SO2(g) + O2(g) 2 SO3(g)
b) De acordo com o enunciado as reações acontecem na sequência dada, ou seja, etapa 2 corresponde à
transformação I II (no gráfico) e etapa 2 corresponde à transformação II III (no gráfico). Sendo as-
sim, como a etapa I apresenta maior energia de ativação (como pode ser visto no gráfico) ela será a etapa
lenta e, portanto, determinante para a velocidade da reação. Como no enunciado diz-se que se trata de uma
reação elementar, a lei da velocidade depende dos dois reagentes e de seus respectivos coeficientes es-
tequiométricos.
v = k[SO2] ⋅ [NO2]
c) Sim. O catalisador é o NO2, pois ele foi adicionado a primeira etapa e recuperado ao final da segunda etapa,
não sendo consumido pelo processo, mas influenciando no mecanismo da reação de forma a aumentar a
velocidade.
10. a) Energia (kcal)

Caminho da reação

b) SO2 + NO2 SO3 + NO


1
NO + O2 NO2
2

Cap. 6 | Cinética Química 77


Gabarito Capítulo 7
Equilíbrio Químico Molecular

1. atingiu [CO2][NO]
11. a) KC =
[CO][NO2]
2. 40 min
b) KC = [CO2]
3. 40 min
[HI]2
4. [CO] ou [NO2]
c) K =
[CO2] ou [NO] C [H2] · [I]2
1,0 1,0
0,80 0,80
[CO]2
d) KC =
0,60 0,60 [CO2]
0,40 0,40 [H2]4
e) KC =
0,20 0,20 [H2O]4
0 40 Tempo 0 12. gás 40 Tempo

PH ⋅ PCO
[CO2] ou [NO] 2O
13. a) KP = c) KP = PCO2
1,0 PH ⋅ PCO
2 2
0,80 P 2
P 2CO
SO3
0,60 b) KP = d) KP =
P2SO ⋅ PO PCO
2 2 2
0,40
0,20 14. a) Δn = 1
b) Δn = 0
Tempo 0 40 Tempo c) Δn = 2

5. a) direta 15. KP = KC ⋅ (RT)Δn Δn = 0 KP = KC = 1,0 ⋅ 1030 


b) inversa
16. KP = KC ⋅ (RT)Δn
6. v
KP = 2,4 ⋅ 103 · (0,082 ⋅ 1.000)2
v1 KP = 3,5 ⋅ 107
v1 = v2
17. Alternativa d.
KP
v2 KP = KC ⋅ (RT)Δn      Δn = 2   = (RT)2
KC

equilíbrio
[C][D]3 3 ⋅ 23
Tempo 18. KC = ; KC = ; KC = 0,75
químico [A][B] 2
2 ⋅ 42
7. a) H d) He
[Z]2 2 62
b) H e) H 19. KC = ; = ∴ [X] = 2 mol/L
c) He [X][Y] 3
3 [X] ⋅ 33
20. Alternativa d.
8. pouco, muito
K'C = K 2C ∴ K'C = 82 ∴ K'C = 64
9. muito, pouco 1 1
21. Reação inversa K'C = = ∴ K'C = 50
10. sólido KC 0,02

78 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


2 5 15
22. [CO] = mol/L [Cl2] = mol/L [COCl2] = mol/L
30 30 30
15
[COCl2] 30
KC = KC = ∴ KC = 45
[CO][Cl2] 2 5

30 30
23. Alternativa e.
[C][D] 8⋅8
KC = ∴ KC = ∴ KC = 16
[A][B] 2⋅2
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

24. Alternativa e.
[C][D] 2,5 ⋅ 2,5
KC = ∴ KC = ∴ KC = 6,25, alcançado aos 10 minutos
[A][B] 1⋅1

25. a) Curva C: NO2 Curva A: NO Curva B: O2


b) atingiu o equilíbrio químico
[NO]2[O2] (4 ⋅ 102)2 ⋅ (2 ⋅ 102)
c) KC = ∴ ∴ KC = 0,5
[NO2]2 (8,0 · 103)2

P2NO
26. KP = 2
P2N
2O 4

22
KP =
1
KP = 4

27. Alternativa e.
P2HI
KP =
PH ⋅ PI
2 2

(1,56)2
KP = ∴ KP = 50,2
0,22 ⋅ 0,22

P3H · PCO PCO · (0,30)3


2
28. a) KP = b) 0,20 =    PCO = 1,2 atm
PCH · PH 0,4 · 0,4
4 2O

29. AB A 1 B
início 2 — —
reage e forma 0,5 0,5 0,5
equilíbrio 1,5 0,5 0,5

1,5 0,5
30. [AB] = KC = = 0,75 mol/L     [A] = [B] = = 0,25 mol/L
2 2
[A][B] 0,25 ⋅ 0,25
KC = ∴ KC = ∴ KC = 8,3 ⋅ 102
[AB] 0,75

31. N2O4 2 NO2


início 5 — [NO2]2 7,42
KC = ∴ KC = ∴ KC = 42
reage e forma 3,7 7,4 [N2O4] 1,3
equilíbrio 1,3 7,4

Cap. 7 | Equilíbrio Químico Molecular 79

Gab_FisicaQuimica_Cap7.indd 79 3/3/16 11:25 AM


32. Alternativa e.

N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g)


início 1 3 —
reage e forma 0,04 0,12 0,08
equilíbrio 0,96 2,88 0,08

33.       A      +      B           C     +    D


início 0,80 0,80 — —

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
reage e forma 0,60 0,60 0,60 0,60
equilíbrio 0,20 0,20 0,60 0,60

[C][D] 0,60 ⋅ 0,60


KC = ∴ KC = ∴ KC = 9
[A][B] 0,20 ⋅ 0,20

34. Alternativa a.

     AB(g) + CD(g) AD(g) + CB(g)


início 1 1 — —
reage e forma 3/4 3/4 3/4 3/4
equilíbrio 1/4 1/4 3/4 3/4

3/4 3/4
[AD][CB] ⋅
KC = ∴ KC = v v ∴K = 9
C
[AB][CD] 1/4 1/4

v v

35. Alternativa c.

PCl5(g) PCl3(g) + Cl2(g)

início 1,5 — —

reage e forma 0,25 0,25 0,25

equilíbrio 1,25 0,25 0,25

[PCl3][Cl2] 0,25 ⋅ 0,25


KC = ∴ KC = ∴ KC = 0,05
[PCl5] 1,25

36. CO + H2O CO2 + H2


início 0,856 0,856 — —

reage e forma 0,276 0,276 0,276 0,276

equilíbrio 0,580 0,580 0,276 0,276

pCO ⋅ pH 0,276 ⋅ 0,276


2 2
KP = ∴ KP = ∴ KP = 0,226
pCO ⋅ pH O 0,580 ⋅ 0,580
2

80 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


37.      ácido    +     álcool éster + água
início 1 1 — —
reage e forma x x x x
equilíbrio 1x 1x x x

[éster][ácido] x⋅x x2
KC = ∴ KC = ∴ KC =
[ácido][álcool] (1  x) ⋅ (1  x) (1  x)2

x 2 1 2
2= ∴x= ácido = álcool = éster = água =
1x 3       3       3
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

38. Alternativa c.

H2 + I2 2 HI
início 1 1 —
reage e forma x x 2x
equilíbrio 1x x1 2x

2
2x
[HI]2 V 2x 7 7
KC = ∴ 49 = 2
∴7= ∴x= [HI] = 2 ⋅ = 1,55
[H2][I2] 1x 1x 9       9
V

39. butano(g) isobutano(g) [isobutano]


Kc 
[butano]
início 0,10 —
x
reage e forma x x 2,5 
0,10  x
equilíbrio 0,10  x x 0,25  2,5x  x

[isobutano] = 0,071 mol/L 0,25  3,5x


x  0,071

40. PCl5 PCl3 + Cl2 100% 1

início 1 — — 40% x

reage e forma 0,4 0,4 0,4 x  0,4


equilíbrio 0,6 0,4 0,4

[PCl3][Cl2] 0,4 ⋅ 0,4


KC = ∴ KC = ∴ KC = 0,26
[PCl5] 0,6

41. 2 HI H2 + I2 100% 1
início 1 – — 20% x
reage e forma 0,2 0,1 0,1 x  0,2
equilíbrio 0,8 0,1 0,1

[H2][I2] 0,1 ⋅ 0,1


KC = ∴ KC = ∴ KC = 0,0156
[HI]2 (0,8)2

Cap. 7 | Equilíbrio Químico Molecular 81


42. CO 1 Cl2 cocl2 100% 4
início 4 4 — 75% x
reage e forma 3 3 3 x3
equilíbrio 1 1 3
[COCl2] 3
KC = ∴ KC = ∴ KC = 3
[CO][Cl2] 1⋅1
43. 2 HI H2 1 I2
início 0,5 — —
64 g HI 0,5 mol

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
reage e forma 0,4 0,2 0,2
12,8 g HI 0,1 mol
equilíbrio 0,1 0,2 0,2
a) 0,5 100%
0,4 x ∴ x = 80%
[H2][I2] 0,2 ⋅ 0,2
b) KC = ∴ KC = ∴ KC = 4
[HI]2 (0,1)2
44. a) KC > Q b) KC < Q c) KC = Q
[NO2]2 (2 ⋅ 102)2
45. a) Q = ∴Q= ∴ Q = 2 está em equilíbrio Q = KC
[N2O4] 2 ⋅ 104
[NO2]2 (2 ⋅ 101)2
b) Q = ∴Q= ∴ Q = 20 não está em equilíbrio Q = KC
[N2O4] 2 ⋅ 103

[C][D]2 1 ⋅ 12 1 · 22 2 ⋅ 22 2
46. Q = I. Q = = 0,5 II. Q = = 0,5 III. Q = =
[A][B] 0,5 · 4 4⋅2 4⋅3 3
1 · 32 4 ⋅ 42
IV. Q = = 0,5 V. Q = = 0,5 não foi atingido III
9⋅2 16 ⋅ 8
1
1
47. ÷ 1/2 A(g) + B(g) C(g) K19 = 5 2
2
1
1
÷ 1/2 C(g) + B(g) D(g) K92 = 20 2       
2
A(g) +    B(g) D(g) K3 = 5 ⋅ 20 = 10

48. Alternativa a.
1
inverter   C2H4(g)       2 C(s) + 2 H2(g) K19 =
K1
manter 2 C(s)  + 3 H2(g) C2H6(g)    K92 = K 2

K2
C2H4(g) + H2(g)
        C2H6(g)    K3 = 2 4,75 ? 1017
K1

1. Alternativa e.
Alcançado o equilíbrio temos as três substâncias envolvidas no processo:
N2 + 3 H2 2 NH3

82 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap7.indd 82 3/11/16 10:46 AM


2. Alternativa c. 9. a) 2 ⋅ 17 g liberam 91,8 kJ
[S] = constante curva III 907 ⋅ 103 g x ∴ x = 2,45 ⋅ 106 kJ
[O2] = reagente curva I
p2NH3 602
[SO2] = produto curva II b) KP = ∴ 6,5 ⋅ 103 =
p H2 ⋅ pN2
3
1503 ⋅ pN2
3. Alternativa d. pN2 = 0,164 atm
pN
2O 4
KP =
p2NO 10. a) O equilíbrio CO + Cl2 COCl2 terá uma cons-
2
3 tante inversa do equilíbrio COCl2 CO + Cl2,
pegando 2 pontos na curva KP = KP  8 portanto, as pressões parciais serão as mes-
(0,6)2
mas.
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

4. Alternativa e.
1,0
No experimento A, o valor de K1 é maior que 1, pois CO, Cl2
[HI]2 > [H2] [I2]. 0,8 COCl2

Pressão parcial (atm)


No experimento A, a velocidade de formação de HI 0,6
diminui até que o equilíbrio seja atingido
0,4
Δn vai diminuindo
vHI = 0,2
Δt
0,0
Tempo
5. Alternativa a.
[H2]2[S2] (0,1)2 · 0,4 pCO ⋅ pCl2
KC = ∴ KC = ∴ KC = 0,016 0,32 ⋅ 0,32
[H2S] 2
(0,5)2 b) KP = = ∴ KP = 0,15
pCOCl2 0,68
6. Alternativa d.
KP = pCO ∴ pCO = 0,41 atm 11. a) pNO = 2x PCl = x PNOCl = 0,640 atm
2
2 2
PT = 1,000 atm
n
PV = nRT ∴ P = RT PT = PNO + PCl + PNOCl
v 2

P = [CO2]RT ∴ 0,41 = [CO2] · 0,082 · 1.000 1,000 atm = 2x + x + 0,640 atm

[CO2] = 0,005 mol/L x = 0,120 atm PCl = 0,120 atm PNO = 0,240 atm
2

P 2
· PCl (0,240)2 · 0,120
7. Alternativa b. b) KP = NO 2 ∴ KP = ∴
P2NOCl (0,640)2
PT = pH2O + pH2 + pO2 pH2 = 2x pO2 = x
1,03 = 1 + 2x + x 0,03 = 3x ∴ x = 0,01 ∴ KP = 0,0168

pH2 = 0,02 atm pO2 = 0,01 atm 12. Alternativa e.


p2H ⋅ p O (0,01) ⋅ 0,01
2
A massa molar é igual, pois ambos têm a mesma
2 2
KP = KP = fórmula molecular C4H10.
p2H 1 2
2O
O volume será cancelado, pois
KP = 4 · 10 6

[(CH3)2CHCH3]
K=
8. Alternativa a. [CH3CH2CH2CH3]
Para o equilíbrio dado, a expressão da constante de
P2SO n-butano isobutano
3
equilíbrio KP é dada pela relação: KP =
P ⋅ PO 2
2 SO2
início 70,0 g —
As pressões parcias são dadas por:
PSO = XSO P PO = XO P PSO = XSO P. reage e forma x x
3 3 2 2 2 2

Logo: equilíbrio 70 g  x x
X 2SO ⋅ P2 1 X 2SO
3 3
KP = KP = ⋅ 2 ⇒ x
X 2SO ⋅ P ⋅ XO ⋅ P  2
P X SO ⋅ XO 2,5 = ∴ 175 g  2,5x = x
2 2 2 2 70 g  x
1
⇒ 4,0 ⋅ 104 = ⋅ 6,0 ⋅ 104 ⇒ P = 1,5 atm 175 g = 3,5x ∴ x = 50,0 g
P

Cap. 7 | Equilíbrio Químico Molecular 83


13. Alternativa d.
Considere a tabela que representa o equilíbrio a seguir:
       N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g)
início 4 mol 8 mol 0
reage e forma 1,5 mol 4,5 mol 3 mol
equilíbrio 2,5 mol 3,5 mol 3 mol
2
3
[NH3]2 5
Cálculo da constante de equilíbrio: KC = ⇒ 3
∴ KC = 2,1
[H2] [N2]
3

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
2,5 3,5
14. Alternativa a. 5 3

N2O4(g) 2 NO2(g)

início 3 atm — p2NO 1,52


2
KP =     KP =      KP = 1
reage e forma 0,75 atm 1,50 atm pN   2,25
2O 4

equilíbrio 2,25 atm 1,50 atm

15. Alternativa d.
I. Correto.
Após 60 segundos, as concentrações de NO2 e N2O4 tornam-se constantes, caracterizando o equilíbrio.
  II. Correto

1 N2O4(g) 2 NO2(g)

início 0,1 mol/L zero


reage e forma gasta 0,06 mol/L forma 0,12 mol/L
equilíbrio 0,04 mol/L 0,12 mol/L

Assim, a concentração de NO2(g) formada é o dobro da quantidade de N2O4(g) consumida.


III. Incorreto. Até o equilíbrio foi consumido de 0,06 mol/L de N2O4.

16. Alternativa a.
Pelo gráfico, observamos que:

N2O4(g) 2 NO2(g)

início 0,10 mol/L 0

reage e forma 0,06 mol/L 0,12 mol/L

equilíbrio 0,04 mol/L 0,12 mol/L

  I. Correta. Quantidade em mol/L de N2O4 que reagiu: (0,10  0,04) mol/L = 0,06 mol/L
   0,10 mol/L 100%
   0,06 mol/L x ∴ x = 60%
[NO2]2 (0,12)2
  II. Correta. KC = = = 0,36
[N2O4] 0,04

III. Falsa. O equilíbrio é atingido quando as concentrações dos reagentes e produtos permanecem inalteradas
no decorrer do tempo. Isso ocorre por volta de 60 segundos após a reação ter sido iniciada.
IV. Falsa. Independente da concentração inicial do N2O4, a reação iria desenvolver-se até atingir o equilíbrio.

84 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


17. Alternativa c.

H2 + I2 2 HI

início 1 1 —

reage e forma x x 2x

equilíbrio 1x 1x 2x

[HI]2 (2x)2 2x 5
KC = ∴ 102 = 10 = ∴ 10  10x = 2x ∴ x =
[H2][I2] (1  x)      
2
1x 6
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

1 5
[H2] = [I2] = mol/L [HI] = mol/L
6 3

18. Alternativa a.

     experiência 2 SO2 + O2 2 SO3

início 0,40 0,20 —

reage e forma 0,05 0,025 0,05

equilíbrio 0,35 0,175 0,05

A outra experiência (2 SO 2 SO2 + O2) o KC é o inverso da primeira experiência, portanto, as concentrações


no equilíbrio devem ser iguais.
2 SO3 2 SO2 + O2
equilíbrio 0,05 0,35 0,175

19. Alternativas b, d.

      A(g) + B(g) AB(g)

início 3 2 —

reage e forma x x x

equilíbrio 3x 2x x

4,2 = 3  x + 2  x + x ∴ 4,2 = 5  x
x = 0,8
PA = 2,2 atm     PB = 1,2 atm     PAB = 0,8 atm

B 2 atm 100%
0,8 atm x ∴ x = 40%

46
20. PV = nRT     p ⋅ 10 = ⋅ 0,082 ⋅ 300     PN O = 1,23 atm
92 2 4

N2O4(g) 2 NO2(g)

início 1,23 —
100% 1,23 atm
reage e forma 0,246 0,492
20% x
equilíbrio 0,984 0,492
x = 0,246 atm
PN = 0,984 atm
2O 4

Cap. 7 | Equilíbrio Químico Molecular 85


21. a) Na ausência do catalisador temos um consumo mais demorado de A e a formação mais demorada de B nas
curvas II e III.
A curva III     B curva II
b)
2A 3B

início 0,10 —
proporção 2 : 3
reage e forma 0,06 0,09

equilíbrio 0,04 0,09

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
[B]2 0,093
KC = ∴ KC = KC = 0,45
[A] 2
0,042      

22. a) Como a experiêcia A e B é feita na mesma temperatura as concentrações de H2, I2 e HI devem ser iguais, pois
1
as constantes de equilíbrio tem valor K A = . Não é possível distinguir.
KB
b)
H2(g) + I2(g) 2 HI(g)

início 0,10 0,10 —


reage e forma x x 2x
equilíbrio 0,10  x 0,10  x 2x

[HI]2 (2x)2 2x
KC = ∴ 64 = ∴8=
[H2][I2] (1  x)2 1x
0,8  8x = 2x ∴ 0,8 = 10x ∴ x = 0,08

[H2] = [I2] = 0,02 mol/L [HI] = 0,16 mol/L

HI
0,16

0,10

H2 ou I2
0,02

23. Alternativa d.

butano metilpropano

início 2 1,25

reage e forma x x

equilíbrio 2x 1,25 + x

[metilpropano] 1,25 + x
KC = ∴     2,5 =
[butano]      2x  
5  2,5x = 1,25 + x 3,75 = 3,5x ∴ x = 1,07
[butano] = 0,93 mol/L [metilpropano] = 2,32 mol/L

86 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


25. Alternativa d.
Cálculo da quantidade em mols inicial Cálculo de quantidade em mols no equilíbrio

PV = nRT ∴ 8 ⋅ 10 = n ⋅ 0,08 ⋅ 1.000 PV = nRT ∴ 5 ⋅ 10 = n ⋅ 0,08 ⋅ 1.000


                            n = 0,625 mol
0,5 mol A 2B 3

n = 1 mol
0,5 mol B2
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

A 2B3 + B2 A 2B5

início 0,5 0,5 —

reage e forma x x x

equilíbrio 0,5  x 0,5  x x

0,625 = 0,5  x  0,5  x + x ∴ x = 0,375

0,375
[A 2B5] 10
KC = KC = KC = 240
[A 2B3][B2]       0,125 0,125      
·
10 10
26. Alternativa e.

ácido + álcool éster + água

início x y — —

reage e forma 1 1 1 1

equilíbrio x1 y1 1 1

X e Y devem ser maiores que 1; as alternativas a e c não devem ser consideradas


1⋅1 1⋅1
KC = = 4          b = = 0,25
(x − 1) ⋅ (y  1) (2  1) ⋅ (5  1)

1⋅1 1⋅1
d= = 1           e = =4
(2  1) ⋅ (2  1) (1,5  1) ⋅ (1,5  1)

27. Alternativa e.

5 mol 2 mol
[H2] = = 0,5 mol/L          [N2] = = 0,2 mol/L
10 L 10 L

       N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3


início 0,2 0,5 —
reage e forma 0,15 0,45 0,3
equilíbrio 0,05 0,05 0,3

[NH3]2 (0,3)2
KC = ∴ KC = ∴ KC = 1,44 ⋅ 104
[N2] [H2]3 0,05 ⋅ (0,05)3

Cap. 7 | Equilíbrio Químico Molecular 87


28. a) ácido acetato de
+ etanol (1) + água (1)
acético (1)                      etila (1)

início 0 mol 0 mol 2 mol 2 mol


reage e forma x mol x mol x mol x mol
equilíbrio x mol x mol (2  x) mol (2  x) mol

[acetato de etila][água]
4 = KC =
[ácido acético][etanol]

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
2x 2x
V V (2  x2) 2x 2
4=     4 =     2x =     2x = 2  x   3x = 2   x = mol = 0,67 mol
x x x 2
x 3

V V
Quantidade em mol de ácido acético no equilíbrio: 2/3 mol.
b)
ácido acetato de
+ etanol (1) + água (1)
acético (1)                       etila (1)

início ? 1,0 mol 0 mol 0


reage e forma 0,9 mol 0,9 mol 0,9 mol 0,9 mol
equilíbrio y 0,1 mol 0,9 mol 0,9 mol

[acetato de etila][água]
4 = KC =
[ácido acético][etanol]

0,9 0,9

4= V V       0,4y = 0,81      y = 2,025 mol  2,0 mol
y 0,1

V V
Quantidade em mols de ácido acético no equilíbrio  2,0 mol.

29. a) Deve restar sólido, pois o sistema atingiu o equilíbrio

b)
NH4OCONH2(s) 2 NH3 + CO2
início — — —
reage e forma x 2x x
2x x
equilíbrio — 2 2

x
KC = [NH3]2[CO2] ∴ 4 ⋅ 109 = x2 x3 = 8 ⋅ 109 ∴ x = 2 ⋅ 103     [NH3] = 2 ⋅ 103 mol/L
2      

[NH3]

2 . 10–3

Tempo

88 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


[C10H12] 1,728
31. a) Q = ∴Q= ∴ Q = 2,7
[C5H6]2 (0,800)2
Q = KC a mistura está em equilíbrio portanto, as concentrações do monômero e do dímero são constantes.
[C10H12] 3,456
b) Q = ∴Q= ∴ Q = 3,456
[C5H6]2 12
Q > KC a mistura não está em equilíbrio, portanto, a concentração do dímero deve diminuir e a concentração
do monômero deve aumentar.

32. Alternativa a.
[H2] 0,1
Q= ∴Q= ∴ Q = 1     Q > KC Reação inversa predomina
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

[H2S] 0,1

H2S H2 + S
início 0,1 0,1
reage e forma +x x
equilíbrio 0,1 + x 0,1  x

[H2] 0,1  x
KC = 0,07 = 0,007 + 0,07x = 0,1  x 1,07x = 0,093 x = 0,087 [H2] = 0,013 mol/L
[H2S]     0,1 + x                

33. Alternativa a.
A reação do ácido etanóico com etanol pode ser interpretada por:
1 ácido etanóico + 1 etanol 1 etanoato de etila + 1 água

(X)        (Y)        (Z)     (W)


[Z][W]
A constante de equilíbrio é dada pela expressão: KC =
[X][Y]
[Z][W]
Cálculo da relação para cada alternativa, considerando a situação final e admitindo recipiente de volume V
[X][Y]
n
([ ] = (mol/L)):
V
4 4 3 2
⋅ ⋅
[Z][W] V V [Z][W] V V
a) = = 4 d) = =6
[X][Y] 2 2 [X][Y] 1 1
⋅ ⋅
V V V V

2 2 3 3
⋅ ⋅
[Z][W]
b) = V V = 0,33 e) [Z][W] = V V =1
[X][Y] 4 3 [X][Y] 3 3
⋅ ⋅
V V V V
2 2
[Z][W] ⋅
c) = V V = 0,66
[X][Y] 2 3

V V
[Z][W]
Quando a relação for igual a 4, temos que esse valor (4) coincide com o valor numérico da constante
[X][Y]
(KC) e o sistema encontra-se em equilíbrio.

Cap. 7 | Equilíbrio Químico Molecular 89


34. Alternativa b.

CO 1 2 H2 CH3OH
início 2 2
reage e forma x/2 x x/2
x x
equilíbrio 2+ x 2
2 2

x
[CH3OH] = 2 
2

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
35. Alternativa d.

CO 1 H2O CO2 1 H2
início 1 1 2 2
reage e forma x x x x
equilíbrio 1x 1x 2+x 2+x

[CO2][H2] (2 + x)2 2+x


KC = 25 = ∴5=        5  5x = 2 + x ∴ 3 = 6x ∴ x = 0,5
[CO][H2O] (1  x) 2
1x

[CO] = 0,5 mol/L [CO2] = 2,5 mol/L

3·3
36. a) Q = ∴ Q = 9     Q > K
1·1
A rapidez é maior no sentido de reação inversa, portanto, no sentido de formar CO.

b)
CO 1 H2O CO2 1 H2
início 1 1 3 3
reage e forma x x x x
equilíbrio 1+x 1+x 3x 3x

[CO2][H2] (3  x)2 3x 1


KC = ∴4= ∴2=        2 + 2x = 3  x ∴ 3x = 1 ∴ x =
[CO][H2O] (1  x) 2
1+x 3

4 8
[CO] = [H2O] = mol/L [CO2] = [H2] = mol/L
3 3

37. I. O equilíbrio pode ser atingido, pois KP > Q Q = PC, I


II. O equilíbrio pode ser atingido, pois KP > Q Q=0
III. O equilíbrio não poder ser atingido pois a PC não diminui pois o sistema não tem B.
I V. O equilíbrio pode ser atingido, pois Q > KP Q = PC, IV

38. Alternativa a.
Fe(s) + CO2(g) FeO(s) + CO(g) K1 = 1,5
H2O(g) + CO(g) H2(g) + CO2(g) K 2 = 1,6

Fe(s) + H2O(g) FeO(s) + H2(g)   K3 = K1 ⋅ K 2

K3 = 1,5 ⋅ 1,6 = 2,4

90 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap7.indd 90 3/11/16 10:48 AM


c)
1. a)  A B
Início 0,10 —
0,8
Reage e Forma 0,06 0,09 proporção 2 : 3
0,6 SO2
Equilíbrio 0,04 0,09
  2A   3B
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

0,3 O2
[B]3 (0,09)3
b) KC = = ∴ KC = 0,45 0,2 SO3
[A]2 (0,04)2 0,1

c. e d. 20 40
[ ] d) PV = nRT n = 0,2 + 0,6 + 0,3 = 1,1
P · 1 = 1,1 · 0,082 · 500
0,10
P = 45,1 atm
0,09 B
4. a) Equação balanceada: A 2B
Justitificativa:

0,04 A A B

início 0,10 0
0 reage/forma
Tempo 0,06 0,12
(estequiometria)
equilíbrio 0,04 0,12
(pNH3)2
2. a) KP = Proporção estequiométrica:
(pN2)(pH2)3
0,06 : 0,12 1A:2B
(0,2)3
b) KP = = 0,02 no mol reage 0,06
0,4(1) 3 b) a = = = 0,6   a = 60%
n mol inicial
o
0,1
c) A reação não seria um processo eficiente para a [B]2 (0,12)2
“fixação” do nitrogênio atmosférico, pois, como c) KC = = = 0,36  KC = 0,36
KP < 1, encontramos na situação de equilíbrio, [A] 0,04
uma maior concentração de reagente e menor quantidade de B formado 0,12
d) = =2
concentração de produtos. quantidade de A consumido 0,06
razão = 2
3. a)
2 SO3 (g) 2 SO2(g) 1 O2(g)
5. a) b)

i 0,8 0 0 Tempo/ Fração molar Fração molar


/103 anos L-isoleucina D-isoleucina
R/F 0,6 0,6 0,3 0 1 0

eq 0,2 0,6 0,3 50 0,68 0,32


125 0,50 0,50
[SO2]2 [O2] (0,6)2 · 0,3
KC = = = 2,7 200 0,44 0,56
[SO3]2 (0,2)2
300 0,42 0,58
no mol reage 0,6 450 0,42 0,58
b) a = = = 0,75
no mol inicial 0,8
A soma das frações molares dos componentes é
a = 75% igual a unidade.

Cap. 7 | Equilíbrio Químico Molecular 91

Gab_FisicaQuimica_Cap7.indd 91 3/15/16 12:16 PM


c) No equilíbrio: Ptotal no equilíbrio = PNOCl + PNO + PCl
2
144424443
n(L – isoleucina)
x (L-isoleucina) = = 0,42 1,000 atm = 0,640 + 2 P + P
nT
n(D – isoleucina) 0,360 atm = 3 P
x (D-isoleucina) = = 0,58
nT P = 0,120 atm
x[D – isoleucina]
KC = Assim:
x[L – isoleucina]
PNO no equilíbrio = 2 P = 2 ⋅ 0,120 = 0,240 atm
0,58
KC = = 1,38 PC no equilíbrio = P = 0,120 atm
0,42 2

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
d) Para que o quociente entre as quantidades de (PNO)2 ⋅ (PCl )
2
D-isoleucina e L-isoleucina seja igual a 1, deve- b) KP =
(PNOCl)2
mos ter as mesmas frações molares desses
aminoácidos, o que é verificado, pela tabela do (0,240)2 ⋅ (0,120)
KP =
item b, no tempo 125 · 103 anos. (0,640)2
6. a) Como as pressões são proporcionais ao nú- KP = 0,016875
mero de mol de cada participante, podemos KP = 1,6875 ⋅ 102
estabelecer a relação:

2 NOCl(g) 2 NO(g) + Cl2(g)

início x 0 0

proporção 2P 2P P

equilíbrio 0,640 atm 2P P

92 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


Gabarito Capítulo 8
Deslocamento de Equilíbrio

1. a) esquerda c) direita 14. Alternativa d.


b) direita d) N2O4 O aumento da temperatura desloca para a direita.

2. a) direita c) esquerda 15. Alternativa b.


b) esquerda d) direita I. Verdadeira: um aumento de pressão desloca no
sentido de menor quantidade de gases (lado
3. a) direita direito).
b) não desloca III. Verdadeira: um aumento de concentração de
HCl aumenta a velocidade de reação direta
4. a) direita deslocando o equilíbrio para a direita (aumen-
b) esquerda tando a concentração de Cl2).

16. Alternativa b.
5. nenhum
Em grandes altitudes a concentrações de O2 dimi-
nui deslocando o equilíbrio no sentido 2.
6. esquerda
17. a) A constante de equilíbrio aumenta quando di-
7. a) esquerda minuímos a temperatura, pois a reação direta é
b) direita exotérmica.
b) Reduzindo-se o volume do sistema temos um au-
8. a) endotérmica mento de pressão deslocando o equilíbrio para o
b) exotérmica lado de menor quantidade de gás (direita).

9. a) endotérmica 18. Alternativa a.


b) 227 °C N2(g) + 3 H2(g) 2 NH1(g)
O rendimento de uma reação reversível é menor
10. a) diminui que 100%, portanto, não se forma 2 mol de NH3 a
b) aumenta
partir de 1 mol de N2 e 3 mol de H2.
11. não desloca 19. Alternativa b.
20. Alternativa c.
12. a) sem catalisador
b) com catalisador 21. Alternativa c.

13. Desloca Altera o valor de K?


22. Nenhum.
a) lado oposto não 23. Alternativa c.
b) mesmo lado não
24. Alternativa c.
c) menor quantidade de gases não
d) maior quantidade de gases não 25. Alternativa d.
e) sentido endotérmico sim 26. Alternativa a.
f) sentido exotérmico sim A reação direta é endotérmica e os coeficientes dos
g) não não reagentes são menores do que dos produtos.

Cap. 8 |Deslocamento de Equilíbrio 93


27. Alternativa a. O equilíbrio se deslocará no sentido de formação
do HBr com a diminuição da temperatura, pois a
COCl2 CO + Cl2 redução da temperatura desloca o equilíbrio no
sentido da reação exotérmica (princípio de Le
equilíbrio y x x
Chatelier).
0,1 mol de CO y x + 0,1 x
reage e forma a a a 29. Alternativa d.
y+a x + 0,1  a xa Ao aumentar a concentração de CHCl 3, o equi-
equilíbrio líbrio é deslocado para a direita, aumentando a
aumenta aumenta diminui
concentração de CCl4.
como 0,1 > a

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
28. Alternativa d. 30. Alternativa e.
A equação química do processo é: A reação direta é endotérmica, portanto, KC, au-
menta quando se aumenta a temperatura.
H2(g) + Br2(g) 2 HBr(g) ΔH < 0.

1. Alternativa c. 5. Alternativa d.
II. Correta: a reação indireta é exotérmica. Aumentando a temperatura desloca para a direita,
III. Incorreta: adicionando-se um catalisador, o equi- aumentando a concentração de H2. Aumentando a
líbrio não é deslocado. pressão desloca para a direita, aumentando a con-
centração de NH3.
2. Alternativa a.
A remoção de O2(g) provoca aumento da massa de [AB] 2 2
6. a) T1 KC = ∴ KC = =
glicose, pois o equilíbrio é deslocado para a direita. [A] [B] 3⋅1 3

3. Alternativa a. 3 3
T2 KC = ∴ KC =
N2(g) + 3 H2 2 NH3(g) 2⋅1 2
I. Introdução de N2(g): desloca o equilíbrio no sen- b) Endotérmico, pois o KC aumentou com o aumen-
tido oposto à adição (para a direita), favorecendo to da temperatura.
a formação de NH3.
II. Aumento da pressão do sistema: desloca o 8. Alternativa b.
equilíbrio no sentido da reação com contração I. Correta: pelo gráfico, quanto menor a tempe-
de volume, no caso, para a direita, aumentando ratura, maior o valor da constante de equilíbrio,
o rendimento de NH3. portanto, maior a concentração dos produtos,
N2(g) + 3 H2 2 NH3(g) maior o rendimento da reação.

1V 3V II. Errada: o aumento da temperatura aumenta a
 2V
velocidade da reação.
4V
III. Correta: a diminuição da temperatura no equilí-
III. Adição de catalisador: aumenta a velocidade da brio favorece a reação exotérmica. A síntese da
reação, mas não desloca o equilíbrio. amônia é favorecida pela diminuição da tempe-
ratura, logo é exotérmica.
4. Alternativa b.
Proposta I: ao aumentar a pressão, o equilíbrio é IV. Errada: a elevação da temperatura favorece a
deslocado para o lado que ocorre contração de formação de N2 e H2.
volume, ou seja, no sentido dos reagentes (para a
esquerda), diminuindo a concentração de H2. 9. Alternativa c.
Proposta II: ao aumentar a temperatura, o equilí- I. Errada: a diminuição da temperatura favorece a
brio é deslocado no sentido da reação endotérmi- reação de formação de N2O4(g), portanto, tere-
ca (∆H > 0), ou seja, no sentido dos produtos (para mos um aumento na quantidade de moléculas
a direita), aumentando a concentração de H2. de N2O4(g).
Proposta III: catalisador não desloca equilíbrio, exotérmica
II. Correta: 2 NO2(g) N2O4(g).
portanto não altera a concentração de H2. endotérmica

94 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


O abaixamento de temperatura desloca o equi- II. Errada: a pressão não desloca o equilíbrio ci-
líbrio no sentido da reação exotérmica. tado, pois não ocorre variação de volume dos
III. Errada: o aumento da temperatura favorece a gases participantes.
reação de formação do NO2(g), portanto, no sis- 1/2 N2(g) + 1/2 O2(g) NO(g)
tema, teremos uma concentração maior de NO2 4444 
do que de N2O4. A ilustração (c) está errada, 1 volume 1 volume
pois não mostra as moléculas de N2O4(g), ou III. Correta: a 2.400 K, há maior quantidade de NO
seja, não é equilíbrio. do que a 1.200 K, pois o KC (constante de equi-
líbrio) aumenta com a temperatura.
10. Alternativa b.
NO
I. Errada: através da tabela fornecida, notamos KC =
[N2] · [O2]1/2
1/2
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

que, ao aumentar a temperatura, ocorre dimi-


nuição da constante de equilíbrio (KC), portanto IV. Correta: a reação de formação do NO é endo-
temos uma reação direta exotérmica. térmica, pois o KC aumenta com a temperatura.
II. Correta: aumentando a temperatura, o equi- O equilíbrio se desloca no sentido da reação
líbrio é deslocado no sentido dos reagentes. endotérmica pelo aumento da temperatura.
Nesse sentido a reação é endotérmica.
14. Alternativa e.
III. Errada: o aumento da pressão sobre o sistema
desloca o equilíbrio no sentido dos produtos No equilíbrio químico, a proporção estequiométrica
(sentido da contração de volume). é a proporção em volume, considerando os gases
nas mesmas condições de temperatura e pressão:
11. Alternativa a. 2 NO2(g) N2O4(g)
exotérmica castanho incolor
2 NO2(g) N2O4(g) + 58 kJ
endotérmica 2V 1V
Aumentando a temperatura, o sistema se desloca I. Correta: o banho de gelo provoca diminuição
no sentido da reação endotérmica (para a esquerda) da temperatura e se o sistema torna-se incolor,
aumentando a quantidade de NO2 no sistema, a reação direta é exotérmica (o equilíbrio é des-
intensificando a coloração castanha do sistema. locado para a direita).
Aumentando a pressão, desloca o equilíbrio no II. Correta: aumentando-se a pressão, o equilíbrio
sentido da reação que se dá com contração de vo- é deslocado para a direita (no sentido de menor
lume (para a direita). Retirando NO2 do equilíbrio, o volume de gases), atenuando a cor castanho.
sistema se desloca no sentido de formar mais NO2. III. Correta: aumentando-se a temperatura, o equi-
Podemos relacionar as constantes KP e KC pela líbrio é deslocado para a esquerda (reação en-
expressão KP = KC (RT)1. A adição de catalisador dotérmica), acentuan­do a cor castanho.
não afeta o equilíbrio, apenas aumenta a velocidade
com que ele é atingido. 16. Alternativa b.
A reação de formação do metano é exotérmica,
12. Alternativa e. pois a concentração do metano aumenta com a
I. Correta: através do gráfico fornecido, à medida diminuição da temperatura.
que aumenta a temperatura, diminui o valor da
constante de equilíbrio (KC), caracterizando uma 17. Alternativa e.
reação exotérmica. O equilíbrio é deslocado no I. Correta:
sentido da formação de reagentes, fazendo di- 0 1+
minuir o KC. N2 + 3 H2 2 NH3 H2: agente redutor
oxidação
II. Errada: com o aumento da temperatura, a ve-
locidade da reação aumenta, pois aumenta o II. Errada: reação direta exotérmica, pois KC dimi-
número de colisões efetivas. nui com o aumento da temperatura.
III. Correta: com o aumento da temperatura, o ren- III. Errada: não altera o valor de KC.
dimento da reação diminui, formando menos IV. Correta: a velocidade de formação da amônia
amônia na situação de equilíbrio, pois o equilí- aumenta com o aumento da temperatura.
brio é deslocado no sentido de formação de N2
e H2 (reação endotérmica). 18. Alternativa c.
O aumento da pressão desloca o equilíbrio no sen-
13. Alternativa e. tido da reação que se processa com contração de
I. Errada: catalisador não desloca equilíbrio quí- volume. De acordo com o gráfico, o aumento da
mico. pressão aumenta a porcentagem de C na mistura,

Cap. 8 |Deslocamento de Equilíbrio 95


logo, z < x + y. A diminuição da temperatura deslo- 23. Alternativa e.
ca o equilíbrio no sentido da reação exotérmica. De 1 mol
acordo com o gráfico, a diminuição da temperatura [A 2] = [B2] = = 0,1 mol/L.
10 L
aumenta a porcentagem de C na mistura, logo, a
reação direta é exotérmica.
A 2(g) + B2(g) 2 AB
19. (01) Errada: reação direta é exotérmica (I).
início 0,1 0,1 —
(02) Correta: reação inversa é endotérmica (I).
(04) Correta: reação direta é endotérmica (II). reage e forma 0,05 0,05 0,1
(08) Errada.
(16) Correta: o equilíbrio é deslocado no sentido equilíbrio 0,05 0,05 0,1
dos reagentes, pois está ocorrendo contração.

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
(32) Errada: o equilíbrio é deslocado no sentido do [AB]2 (0,1)2
KC = =
produto, pois está ocorrendo contração. [A 2] [B2] 0,05 ⋅ 0,05

20. a) Pressão elevada, pois a formação do NH3 ocorre KC = 4


com contração do volume. Temperatura baixa, Um aumento da temperatura desloca o equilíbrio
pois a formação do NH3 é um processo exotér- no sentido endotérmico (reação direta).
mico, pois o KP diminui com o aumento da tem-
peratura. 24. Alternativa c.
b) A pressão entre 300 e 400 atmosferas é justifi- v = k [NO]2 [Br] ∴ v = k (0,02)2 ⋅ 0,02 = k 8 ⋅ 106 t
cada por aumentar o rendimento do NH3, pois
I. KP = 6(60 °C) vI = k (0,05)2 ⋅ 0,05 = k 1,25 ⋅ 104
sua formação ocorre com contração de volume. 1
vI > v t1 < t
A temperatura de 450 °C é utilizada para tornar
o processo de formação do NH3 mais rápido, II. Reação exotérmica KP diminui com o aumento
embora diminua o rendimento. Atuação do ferro da temperatura
metálico no processo é acelerar a formação de KP < 6 t2 < t (velocidade aumenta).
2
NH3, pois é catalisador.
25. a) CO + 2 H2 CH3OH
21. Alternativa b.
[C10H12] início 2 2 —
2 C5 H 6 C10H12 KC = = 3,0
[C5H6]2 reage e forma 05 1 0,5
[C10H12]
Cálculo da relação para as misturas 1 e 2: equilíbrio 1,5 1 0,5
[C5H6]2
[C10H12] 0,75 [CH3OH] 0,5
Mistura 1: = = 3,0. KC = ∴ KC =
[C5H6] 2
(0,50)2 [CO] [H2]2 1,5 ⋅ 12
Como esse valor é igual ao valor de KC, podemos 1
concluir que a mistura 1 encontra-se em equilíbrio KC =
3
( ).
b) CO + 2 H2 CH3OH
[C10H12] 2,50
Mistura 2: = = 2,5. ΔHf(kJ) 110 0 201
[C5H6]2 (1,00)2
ΔH = ΔHf produtos  ΔHf reagentes
Como esse valor é menor que o valor de KC o sis-
ΔH = 201  (110)
tema não se encontra em equilíbrio e a tendência
espontânea é que essa relação atinja o valor 3,0 ΔH = 91 kJ
(situação de equilíbrio). Portanto, o numerador Aumentando a temperatura, o equilíbrio se des-
([C10H12]) deve aumentar e o denominador ([C5H6]2) loca para a esquerda (sentido endotérmico).
deve diminuir para atingir o valor 3,0. A reação está
se deslocando no sentido da formação de C10H12 26. Alternativa a.
(para a direita) ( ). Cálculo da constante para o equilíbrio A B nos
três experimentos:
22. Alternativa c.
Experimento 1: no equilíbrio, temos, admitindo a
O experimento Y representa o gráfico II, pois o au- concentração em mol/L:
mento da temperatura desloca o equilíbrio no sen-
[A1] = 3 mol/L [B1] = 6 mol/L
tido de formação de B. O experimento Z representa
o gráfico I, pois o catalisador apenas diminui o in- [B1] 6 mol/L
KC = = =2
tervalo de tempo para atingir o equilíbrio. 1 [A1] 3 mol/L

96 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


Experimento 2: no equilíbrio, temos: c) A reação I libera mais calor. A reação I apresenta
[A 2] = 2 mol/L [B2] = 4 mol/L maior valor para a constante de equilíbrio que a
reação II, numa mesma temperatura. Isso signi-
[B2] 4 mol/L fica que a reação I é mais espontânea. Levando
KC = = =2
2 [A 2] 2 mol/L em conta apenas a entalpia, a reação I libera
mais calor.
Experimento 3: no equilíbrio, temos:
[A3] = 1 mol/L [B3] = 3 mol/L 28. Equilíbrio l: A(g) 2 B(g) volume: V
[B3] 3 mol/L nA nB1
KC = = =3 nB12
3 [A3] 1 mol/L
[B]2 V2 nB21
KC > KC = KC K1 = K1 = =
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

3 1 2
[A] nA1 nA1V
Como a constante de equilíbrio só depende da V
temperatura, podemos concluir que os experimen-
tos 1 e 2 foram realizados a uma mesma tempera- Equilíbrio 2: A(g) 2 B(g) volume: 2 V
tura. O experimento 3 foi atingido mais rapidamente, nB22
portanto, foi realizado numa temperatura maior. [B]2 nB22
4 V2
K2 = K2 = = 2 nA V
[A] nA 2 2
27. a) A reação do CO com H2 pode ser expressa por:
2V
CO(g) + 3 H2(g) CH4(g) + H2O(g) K1
mesma temperatura:
PCH ⋅ PH O
KI =
4 2 nB21 nB22
PCO ⋅ P3H K1 = K 2 =
2O nA1 ⋅ V 2 nA 2V
Vamos determinar o quociente reacional (QP) a nB21 2 nA 2 2 nA2
460 ºC: nB22 =    nB2 = nB1
nA1 nA1
PCH4 ⋅ PH2O 0,4 ⋅ 0,4
QP = = = 500 29. Alternativa d.
pCO ⋅ PH
3
4 ⋅ 105 ⋅ 23
2 6
sistema X = 1,5
KC =
Observando o gráfico, verificamos que o QP é 4
igual a K1 e, portanto, podemos concluir que o Alteração 1: aumenta aumenta KC = 1,5
sistema se encontra em equilíbrio. 9
sistema Z KC = = 1,5
b) Pelo gráfico, verificamos que tanto para a reação I 6
[CO(g) + 3 H2(g) CH4(g) + H2O(g)] Alteração 2: aumenta diminui K'C < 1,5 (rea-
como para a reação II ção exotérmica)
5
[CO2(g) + 4 H2(g) CH4(g) + 2 H2O(g)], sistema J K'C = =1
5
um aumento da temperatura implica uma di- Alteração 3: P não desloca
minuição da constante de equilíbrio. Podemos 6
concluir que ambas as reações são exotérmicas. sistema W KC = = 1,5
4

[CO2][H2] (2 + x)(2 + x) (2 + x)2


1. a) KC = 25 = 52 =
[CO][H2O] (1  x) (1  x) (1  x)2
5  5x = 2 + x
CO 1 H2O CO2 1 H2 1
b)  6x = 3 x=
2
início 1 1 2 2
1
reage e [CO] = 1  = 0,5 mol/L
x x x x 2
forma
1
equílibrio 1x 1x 2+x 2+x [CO2] = 2 + = 2,5 mol/L
2

Cap. 8 |Deslocamento de Equilíbrio 97

Gab_FisicaQuimica_Cap8.indd 97 3/3/16 2:20 PM


c) Sabe-se que KC = 4 (T = 430 + 273 = 703 K) e Substituindo (I) em (II):
KC = 25 (T = 600 K) e que um aumento de tem- 1 α2 1
peratura favorece o lado endotérmico. = ⋅
20 1α 1+α
Como o aumento de temperatura (600 para
703 K) diminuiu KC, favorecendo a formação de 1 α2
=
reagentes, concluímos que a reação fornecida é 20 1  α2
exotérmica.
1 21
α= =
2. a) Amostra ll. O aumento de temperatura desloca 21 21
o equilíbrio para o lado endotérmico (reação in-
versa) aumetando a concentração de reagentes c) Aumentando o volume diminui a pressão total,
e diminuindo a concentração de produtos. deslocando o equilíbrio para direita, portanto,

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
b) Amostra l. Como a reação é exotérmica, a dimi- aumentando a quantidade de mol de Cl2. A pres-
nuição de temperatura desloca o equilíbrio para são parcial do Cl2 vai diminuir, pois sua concen-
a direita, aumentando a concentração de produ- tração vai diminuir.
tos e diminuição a dos reagentes. naumenta
PCl2 = RT
c) Amostra lV. A adição de catalisador não altera a Vaumenta mais
concentração dos participantes da reação.
[WI6]
4. a) KC =
3. a) COCl2(g) CO(g) + Cl2(g) [I2]3
0,312 0,12 0,13 b) A reação é exotérmica. O aumento de tempe-
pCO ⋅ pCl2 0,12 ⋅ 0,13 ratura desloca o equilíbrio para o lado endotér-
KP = = = 0,05 mico, o que, de acordo com o texto, é o lado
pCOCl2 0,312
esquerdo.
b) COCl2(g) CO(g) + Cl2(g) c) A adição de gás inerte não desloca o equilíbrio
p0 0 0 químico.

αp0 αp0 αp0 5. a) No condensador, ocorre a liquefação de NH3.


p0  αp0 αp0 αp0 A concentração do NH3(g) diminui, deslocando
o equilíbrio para a formação do NH3; portanto,
P = 1 atm α p0  αp0 + αp0 + αp0 = 1 aumenta o rendimento.
p0  αp0 = 1 b) Usa 500 °C para tornar o processo mais rápido.
Usa 200 atm para deslocar o equilíbrio no sen-
1 tido de formação do NH3.
p0 = (I)
1+α c) Ativador do catalisador, isto é, a velocidade será
aumentada.
Como T cte ⇒ KP = 0,05
d) N2 + 3 H2 2 NH3
αp0 ⋅ αp0
0,05 = 28 g 34 g
p0(1  α)
2,8 t x
1 α2p0
= (II) x < 3,4 t reação reversível, rendimento menor
20 1α que 100%.

98 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


Gabarito Capítulo 9
Equilíbrios Iônicos em Solução Aquosa

1. Alternativa b. 17. forte

2. Alternativa e. 18. diminuem

3. Alternativa a. 19. Q < Ka

4. Alternativa a. 20. direita

5. Alternativa a. 21. constante

6. Alternativa a. 22. aumentam


a )
7. Alternativa d 23. aumenta

8. a) forte c) forte 24. diminui


b) forte d) fraca
25. aumenta
9. Alternativa a.
H+ H+ 26. a) HA H+ + A

NH3 + H2O NH+4 + OH início M — —
ácido ácido
reage e forma aM aM aM
10. Alternativa b. equilíbrio M  aM aM aM
H+ H+

HCl + NH3 NH+4 + Cl b) [H+] = aM [OH] = aM
ácido ácido a2M a2M
c) Ka = Kb =
1a 1a
11. Alternativa d.
H+
27. a) 1  a  1, Ka = α M, [H+] = Ka ⋅ M
2

12. b) 1  a  1, Kb = a2M, [OH] = Kb ⋅ M


H2CO3 + H2O H3O+ + HCO3
ácido carbônico 28. diminui, aumenta
H+ 29. aumenta

HCO3 + H2O H3O+ + CO32 30. Ka = 106, M = 102 mol/L, Ka = a2M


ácido base 106 = a2102 ∴ a2 = 104 ∴ a = 102 ou 1%

13. Alternativa b. 31. Ka = 109, M = 101 mol/L, Ka = a2M


109 = a2101 ∴ a2 = 108 ∴ a = 104 ou 0,01%
14. Alternativa d.
32. M = 0,1 mol/L, 0,007% a = 7 ⋅ 105
15. K = K1 ⋅ K 2
[H+] = aM, [H+] = 101 ⋅ 7 ⋅ 105 ∴
16. a) pKa = log Ka c) forte ∴ [H+] = 7 ⋅ 106 mol/L
b) pKb = log Kb d) forte HCN H+ + CN   [CN] = 7 ⋅ 106 mol/L

Cap. 9 | Equilíbrios Iônicos em Solução Aquosa 99


33. [H+] = 2 · 104 mol/L 41. Alternativa b.

34. b 42. Alternativa d.

35. [OH] = 103 mol/L 43. Arternativa c.

36. M = 0,072 mol/L [HA] [F] K1 104


K=  , K= = 5 = 10
[HF] [A ] K2 10
37. a) esquerda c) diminui
b) diminui d) não se altera 44. Alternativa a.
A menor intensidade luminosa da lâmpada corres-
38. Alternativa c. ponde à solução I (CH3COOH, ácido fraco).

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
39. A substância básica irá reagir com os íons H+, di- 45. a) CH3COOH
minuindo a sua concentração, portanto, deslocan- b) HCOOH + H2O H3O+ + HCOO
do o equilíbrio para a direita.
[H3O+] [HCOO]
c) Ka =
40. Alterantiva a. [HCOOH]

1. Alternativa a. 6. Alternativa a.
A solução aquosa de um ácido forte é altamente maior Ka mais forte o ácido
condutora de corrente elétrica, pois um ácido forte ácido fosfórico < ácido etanoico < ácido car-
está bastante ionizado. bônico < ácido fênico
HA H+ + A (grande quantidade de íons)
7. Alternativa a.
Um ácido muda a cor do papel de tornassol azul pK =  log K
para vermelho e deixa incolor o indicador fenolfta- ↓ ↓
leína. Ácido reage com base. menor maior

2. Alternativa c. 8. Alternativa e.
A solução de HA pode ser uma solução aquosa de K = a2M ∴ K = (45 ⋅ 104)2 ⋅ 2 ⋅ 102 ∴ K = 4 ⋅ 107
HCl 0,1 mol/L, pois o HCl é um ácido bastante ioni-
zado (ácido forte). A solução de HB pode ser uma 9. Alternativa a.
solução aquosa de CH3COOH 0,1 mol/L, pois o Ao diluir a solução básica, a concentração em
CH3COOH é um ácido pouco ionizado (ácido fraco). mol/L de íons OH diminui, e a quantidade, em mol,
de íons OH aumenta, pois o equilíbrio é deslocado
3. Alternativa d. para a direita.
O gelo seco (CO2 sólido) é um oxido ácido. Reage
10. Alternativa d.
com água formando uma solução ácida. O pH da
solução diminui. Adicionando água, o equilíbrio é deslocado para a
direita, pois o grau de dissociação (a) aumenta.
CO2 + H2O H2CO3 H+ + HCO3
Ka = ↑ a2M ↓
As interações intermoleculares no gelo seco (for-
ças entre dipolos induzidos  van der Waals) são A concentração de íons acetato vai diminuir, pois o
mais fracas do que as da água líquida (ligação de volume da solução aumenta. A quantidade de íons
hidrogênio). Como a solução é ácida, o azul de bro- acetato vai aumentar, pois o equilíbrio foi deslocado
motimol adquire coloração amarelada. para direita.

4. a) amarela 11. Alternativa a.


b) A água exposta ao ar absorve gás carbônico. O Adicionando uma solução aquosa de NH4NO3 no
CO2 absorvido reage com a água, produzindo solo, estaremos aumentando a concentração do
íons H+ que tornam amarelo o azul de bromoti- íon NH+4 no equilíbrio, portanto, desloca-se para o
mol. lado do Na + (aq).

100 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


12. a) A adição do íon comum H+ desloca o equilíbrio a direita, aumentando a concentração de
para a esquerda, diminuindo a concentração do HCO3, o que, por sua vez, deslocará o equilí-
íons acetato. brio I para a direita.
III. Ao adicionar bicarbonato de sódio, aumenta a
O
= concentração de HCO3, deslocando o equilí-
H3C  C [H+]
O  brio I para a direita.
b) Ka =
=O 19. Alternativa b.
H3C  C
OH I. E rrada: os íons H+ do ácido diminuem o pH da
solução.
13. Alternativa e. II. Correta: os íons H+ neutralizam os íons OH do
equilíbrio, deslocando o equilíbrio para a es-
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

A adição do íon comum CH3  COO desloca o querda, favorecendo a liberação de cloro.
equilíbrio para a esquerda, aumentando a concen- III. Errada: vide o item II.
tração de CH3COOH e diminui a concentração do
íon H+ e não altera a constante de equilíbrio. 20. A acidificação ocorre devido à formação de íons
H+ (aq).
14. Alternativa d.
CO2(l) + H2O(l) H2CO3(aq) H+ (aq) + HCO3(aq)
I. Correta: o equilíbrio é deslocado para a direita. (acidificação)
II. Correta: o equilíbrio é deslocado para a esquerda.
III. Correta: quando o galinho fica azul, significa que Os esqueletos de corais seriam dissolvidos, for-
a umidade do ar é baixa. mando íons Ca2+ (aq) e HCO3(aq), de acordo com
a equação química.
15. Alternativa e. CaCO3(s) + CO2(l) + H2O(l) Ca2+ (aq) + 2 HCO3 (aq)
Os íons H+ neutralizam os íons OH do equilíbrio, 21. Alternativa d.
deslocando o equilíbrio para a direita, favorecendo
a desmineralização. I. C
 orreta: CaCO3 + CO2 + H2O Ca2+ + 2 HCO3
II. Errada: haverá maior formação de CaCO3, pois o
16. Alternativa c. equilíbrio é deslocado para a direita (no B).
I. C
 orreta: o equilíbrio desloca para direita. III. Correta.
II. 
Errada: a remoção de CaCO3(s) não desloca
1
equilíbrio. 23. Ca5(PO4)3OH 5 Ca2+ + 3 PO43 + OH
2
III. Correta.
Corretas: 1 e 2
17. Alternativa e. (01) Desmineralização: favorecida por íons H+ .
A reação é reversível e na presença de mais íons (02) Mineralização: favorecida por íons OH.
OH, desloca o equilíbrio para a esquerda, dimi-
nuindo o rendimento. 24. Alternativa b.
Adicionando AgNO3 no equilíbrio, a concentração
18. Alternativa b. de Cl diminuirá, deslocando o equilíbrio para a di-
I. Ca 2+ (aq) + 2 HCO3(aq) reita, de acordo com a equação
CaCO3(s) + CO2(g) + H2O(l) Ag + + Cl AgCl(s)
II. CO2(g) + 2 H2O(l) HCO3(aq) + H3O+ (aq) 25. a) Ureia: III Sulfato de amônio: II
Para favorecer a remoção de íons Ca2+ na for- NH2

ma de CaCO3(s) é necessário o deslocamento 2 NH3 + CO2 O =C + H 2O


do equilíbrio I no sentido dos produtos (para a NH2

direita). 2 NH3 + H2SO4 (NH4)2SO4


I. Ao adicionar ácido nítrico, este sofre ioniza-
ção formando H3O+ , o qual deslocará o equi- b) Ácido de Lowry-Brönsted: espécie química ca-
líbrio II para a esquerda, diminuindo a con- paz de doar H+ (próton).
centração de HCO3. Assim, o equilíbrio I será Base de Lowry-Brönsted: espécie química ca-
deslocado para a esquerda, de acordo com o paz de receber H+ (próton). A reação que não
Princípio de Le Chatelier. se enquadra numa reação do tipo ácido-base de
II. Ao adicionar hidróxido de sódio, o OH reage Lowry-Brönsted é a III, na qual não ocorre trans-
com H3O+ , deslocando o equilíbrio II para ferência de H+ .

Cap. 9 | Equilíbrios Iônicos em Solução Aquosa 101


c) Sim. Considerando um mol de NH3, temos:
NH3 + HNO3 NH4NO3 2 NH3 + H2SO4 (NH4)2SO4
1 mol 2 mol de N = 28 g 2 mol 1 mol 2 mol de N
1 mol 0,5 mol 1 mol de N = 14 g
NH2
=


2 NH3 + CO2 O C + H 2O 3 NH3 + H3PO4 (NH4)3PO4
NH2



2 mol 1 mol 2 mol de N 3 mol 1 mol 3 mol de N
1 mol 0,5 mol 1 mol de N = 14 g 1 mol 1 mol 1 mol de N = 14 g
3

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
NH3 + H2O NH4OH
1 mol 1 mol 1 mol de N = 14 g
O nitrato de amônio conteria maior quantidade absoluta de nitrogênio.

1. Alternativa d.
O monofluoroacetato de sódio pode ser obtido pela neutralização do ácido monofluoroacético usando hidróxido
de sódio com liberação de água, de acordo com a equação química:

O O

F F

OH + NaOH ONa+ + H2O

ou
O O

F — CH2 — C — OH + NaOH F — CH2 — C — ONa+ + H2O

2. Alternativa b.
O refigerante (meio ácido), pela presença da sacarose, faz decrescer o pH do biofilme (placa bacteriana), provo-
cando a desmineralização do esmalte dentário. A equação química seguinte representa esse processo:
desmineralização
Ca5(PO4)3OH(s) 5 Ca2+(aq) + 3 PO43(aq) + OH(aq)
mineralização

A ingestão diária de refrigerante provoca a desmineralização dentária devido ao aumento de concentração de


H+ que reage com as hidroxilas OH, deslocando o equilíbrio para a direita.
H+(aq) + OH(aq) H2O(l)
Pelo Princípio de Le Chatelier, a diminuição da concentração de OH provoca o deslocamento do equilíbrio para
a direita.

102 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap9.indd 102 3/3/16 1:07 PM


Gabarito Capítulo 10
pH e pOH

1. dissociação do HCl HCl H+ + Cl dissociação da H2O H 2O H+ + OH


0,1 mol/L 0,1 mol/L 107 mol/L 107 mol/L
final: [H+] = 0,1 + 107 [H+] = 0,1 mol/L [OH] < 107 mol/L equilíbrio foi deslocado para a esquerda
Kw = [H ] [OH ]
+ 
∴ 10 = 10 [OH ] ∴ [OH] = 1013 mol/L
14 1 

2. dissociação do NaOH NaOH Na+ + OH dissociação de H2O H+ + OH


0,1 mol/L 0,1 mol/L 107 mol/L 107 mol/L
final: [OH] = 0,1 + 107 ∴ [OH] = 0,1 mol/L [H+] < 107 mol/L equilíbrio foi deslocado para a esquerda
Kw = [H+] [OH] ∴ 1014 = [H+] 101 [H+] = 1013 mol/L

3. a) [H+] = [OH] b) [H+] > [OH] c) [H+] < [OH]

4. Alternativa a.
Kw = [H+] [OH] 1014 = 2 ⋅ 105 [OH] [OH] = 0,5 ⋅ 109 ∴ [OH] = 5 ⋅ 1010 mol/L

5. Alternativa b.
I. [H+] > [OH] ácida II. [H+] < [OH] básica III. neutra IV. [H+] > [OH] ácida

6. pH + pOH = 14

7. a) pH = 7 b) pH < 7 c) pH > 7

8. menor

9. diluídas

10. a) menor b) maior

11. 10

12. Alternativa d.

13. a) ligeiramente básico b) HCl

14. Alternativa d.

15. limão: pH1 = 2,3 [H+]1= 102,3 mol/L


[H+]1 102,3
laranja pH2 = 4,3 [H+]2 = 104,3 mol/L = = 100
[H+]2 104,3
O suco de limão é 100 vezes mais ácido que o de laranja.

16. [H+] = 104 mol/L, pH = log [H+], pH = 4


solução ácida

Cap. 10 | pH e pOH 103

Gab_FisicaQuimica_Cap10.indd 103 3/11/16 10:53 AM


17. Alternativa a.
pH = 3 [H+] = 103 mol/L

18. HCl H+ + Cl



0,1 mol/L 0,1 mol/L pH =  log [H+] ∴ pH = 1

19. Alternativa e.
NaOH Na + + OH pOH = log [OH] ∴ pOH = 1 como pH + pOH = 14 pH = 13
0,1 mol/L 0,1 mol/L

20. log 3,45 = 0,54 ∴ 100,54 = 3,45 pH = log [H+] ∴ pH = log 3,45 ⋅ 1011 ∴ pH = 100,54 ⋅ 1011
pH = log 1010,46 ∴ pH = 10,46

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
21. log 4,5 = 0,65 ∴ 100,65 = 4,5 pH = log [H+] ∴ pH = log 4,5 ⋅ 108 ∴ pH = log 100,65 ⋅ 108
pH = log 10 7,35
∴ pH = 7,35

22. HAc H+ + Ac


0,1 mol/L 0,1 mol/L 100%
x 1% ∴ x = 0,001 mol/L [H+] = 103 mol/L, pH = log [H+], pH = 3

23. Alternativa b.
pH = 3 ∴ [H+] = 103 mol/L HA H+ + A 
0,1 mol/L 0,1 mol/L 100% x = 1% ou 102
0,001 mol/L x
outra resolução [H+] = a ⋅ M ⋅ 103 = a ⋅ 101 ∴ a = 102

24. [H+] = Ka ⋅ M ∴ [H+] = 106 ⋅ 102 ∴ [H+] = 104 mol/L pH = log [H+] ∴ pH = 4

25. Kb = 2 ⋅ 105 M = 5 ⋅ 102 mol/L [OH] = Kb ⋅ M [OH] = 2 ⋅ 105 ⋅ 5 ⋅ 102


[OH] = 103 mol/L pOH = log [OH] pOH = 3 pH + pOH = 14 pH = 11

26. pH1 = 2 ∴ [H+]1 = 102 mol/L diluição [H+]1V1 = [H+]2V2 ∴ 102 ⋅ 1 = [H+]2

102 mol/L 102


[H+]2 = pH = log [H+] pH = log ∴ pH = (log 102  log 2) pH = 2,3
2 2
n n
27. a) Cálculo da quantidade em mol de HCl M= 0,80 = ∴ n = 0,02 mol
V 0,025
n n
Cálculo da quantidade em mol de KOH M= 0,60 = ∴ n = 0,015 mol
V 0,025
KOH + HCl KCl + H2O
colocado 0,015 0,02
reage 0,015 0,015
final 0 0,005
n 0,005
Cálculo da concentração de HCl M= M= ∴ M = 0,1 mol/L
V 0,05
HCl H +
+ Cl 

0,1 mol/L 0,1 mol/L [H+] = 0,1 mol/L ∴ pH = log [H+] ∴ pH = 1


b) ácida pH < 7

28. Alternativa a.
Adicionando NaOH no equilíbrio, aumenta a concentração do íon OH, deslocando o equilíbrio para a direita,
aumenta a quantidade de amônia liberada.

104 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


29. O NH3 reage com a água de acordo com a equação
NH3 + H2O NH4+ + OH
Os íons OH vão neutralizar os íons H+ do equilíbrio diminuindo a sua concentração, portanto o equilíbrio é
deslocado para a direita, prevalencendo a cor vermelha.

30. a) Sim pH = 3 incolor, pH = 11 vermelha


b) Não pH = 5 incolor, pH = 7 incolor
c) Não pH = 11 vermelha, pH = 12 vermelha
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

n m m 0,72
1. a) massa = 0,72 g M = como n = ∴ M= M = ∴ M = 0,02 mol/L.
V M MV 180 ⋅ 0,2
b) C9H8O4 C9H7O4 + H+

2 ⋅ 102 mol/L 2 ⋅ 102 mol/L 100%

x 5% x = 1 ⋅ 103 mol/L pH = log[H+] ∴ pH = 3

2. Alternativa c.
Como temos pH = 4, a [H+] = 1 ⋅ 104 mol/L.

No equilíbrio, temos: H3CCOOH H+ + H CCOO


  
3

x 1 ⋅ 104 mol/L 1 ⋅ 104 mol/L

A constante de ionização é dada pela expressão:

[H+] [H3CCOO] 1 ⋅ 104 ⋅ 1 ⋅ 104


Ka = 2 ⋅ 105 = x = 5 ⋅ 104 mol/L
[H3CCOOH] x

3. a) Somando as 2 equações temos:

manter: Cr2O72 + H2O 2 HCrO4 K1 = 2,0 ⋅ 102


3 2: 2 HCrO 
4
2 H + 2 CrO42 K12 = K 22 = (7,1 ⋅ 107)2
+

Cr2O72 + H2O 2 H+ + 2 CrO422 K3 = 2,0 ? 1022 ? (7,1 ? 1027)2 = 1,0 ? 10214

b) A dissolução do dicromato em água pode ser expressa por:

Cr2O72 + H2O 2 H+ + 2 Cr2O42 K3 = 1,0 ⋅ 1014

Como Kw = [H+] ⋅ [OH] = 1,0 ⋅ 1014, numa solução neutra, temos: [H+] = [OH] = 1,0 ⋅ 107 mol/L

[CrO42]2 [H+]2 [CrO42−] (1,0 ⋅ 10 −7)2 [CrO42]2 1,0 ⋅ 1014


K3 = 1,0 ⋅ 1014 = = = 1,0
[Cr2O72] [Cr2O72] [Cr2O72] 1,0 ⋅ 1014

c) Não é uma reação de oxidorredução, pois não há variação dos Nox de nenhum elemento da reação:

Cr2O72 + H 2O 2 H+ + 2 CrO42

+6 −2 +1 2 +1 +6 2

Cap. 10 | pH e pOH 105

Gab_FisicaQuimica_Cap10.indd 105 3/11/16 10:55 AM


4. a) Estômago: 1,0 a 3,0 Duodeno: 6,0 a 6,5 Intestino delgado: 7,0 a 8,0
b) [H ]máxima = 10
+ 1
mol/L pH = 1 [H+]mínima = 103 mol/L pH = 3
0,1 + 0,001
A concentração média de H+ é: ≅ 0,050 [H+]média = 0,050 mol/L
2
c) Ionização do Ibuprofen
CH3 CH3
OH O2
CH3 CH3
H1 1
O O
H3C H3C

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
Quanto maior a concentração de íons H+, mais deslocado para a esquerda estará o equilíbrio (forma neutra,
molecular, não ionizada) e mais bem absorvida será a substância.
Isso ocorre no estômago (menor pH, maior concentração de íons H+).

n m m 0,61
5. a) M = como n = ,M= M= ∴ M = 0,01 mol/L
V M MV 122 ⋅ 0,5

b) [H+] = Ka ⋅ M , [H+] = 4 ⋅ 106 ⋅ 102 [H+] = 2 ⋅ 104 mol/L, pH = log [H+]


pH = log 2 ⋅ 104 ∴ pH = log l00,3 ⋅ 104 pH = 3,7

c) [H+] = aM ∴ 2 ⋅ 104 = a ⋅ 102 a = 2 ⋅ 102 ∴ 2%

6. Alternativa d.
O gráfico relaciona as concentrações em mol/L dos componentes dos equilíbrios em função da variação de pH,
onde temos:
0,10

0,08 ala
Conc. (mol · L )1

0,06

0,04 ala + ala –

0,02

0,00
2 3 4
pH

Para essas concentrações: pH = 3 pH =  log [H+], portanto, a [H+] = 103 mol/L.

7. Alternativa d.
Como o AAS é um monoácido, podemos representá-lo como HAAS.
Equação de ionização:
H2O
HAAS H+ + AAS
Cálculo da [H+]:
[H+] [AAS] X⋅X
Ki = ⇒ 3 ⋅ 105 = ⇒ x = 9,9 ⋅ 109 x  1 ⋅ 104 mol/L
[HAAS] 3,3 ⋅ 10 4

Cálculo do pH: pH = log [H+] ⇒ pH = log 104 ⇒ pH = 4

8. Alternativa d.
Temos uma solução diluída de um ácido forte, portanto, o pH tende a 7.
[H+]ácido = 109 mol/L [H+] água = 107 mol/L [H+] solução = 107 mol/L
pH = log [H+] ∴ pH = 7.

106 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


9. Alternativa d.
Cálculo da quantidade de HCl em 100 mL de solução:
0,2 mol de HCl 1.000 mL de solução
x 100 mL de solução ∴ x = 0,02 mol de HCl
A reação que ocorre é:
CaCO3 + 2 HCl CaCl2 + H 2O + CO2
1 mol 2 mol solúvel
↓ ↓
100 g 2 mol
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

0,950 g y ∴ y  0,019 mol de HCl que reage

Portanto, existe excesso de 0,001 mol de HCl. Cálculo da concentração de HCl


0,001 mol 100 mL
x 1.000 mL ∴ x = 0,01 mol [HCl] = 102 mol/L
Cálculo do pH HCl H +
+ Cl 

1 mol 1 mol
10 2
mol/L x pH = log [H+] pH = log 102 pH = 2
A solução de CaCl2 é incolor.

10. Alternativa d.
mCaCO3 = ?

1 m3 = 1.000 L
pH = 4

Como pH = 4 [H+] = 104 mol/L 104 mol/L 1L


x 1.000 L x = 0,1 mol de H+
Reação de neutralização: 2 H+ + CaCO2 Ca2+ + CO2 + H 2O
2 mol 1 mol
↓ ↓ Massa molar do CaCO3 = 100 g/mol
2 mol 100 g
0,1 mol x x = 5,0 g de CaCO3
11. Alternativa c.
Quando o pH da solução for pequeno (concentração elevada de H+ , equilíbrio está deslocado no sentido do
ácido benzoico não dissociado) teremos [BzH] > [Bz], portanto é possível utilizar o ácido benzoico como con-
servante. Nessas condições pode-se utilizar o ácido benzoico como conservante no refrigerante e no picles.

12. Alternativa c.
Cálculo do pH no efluente de cada indústria:
Indústria I Indústria II
[H+] = 103 mol/L; pH = log [H+] [OH] = 105 mol/L
pH = log 103 = 3 < 5 pOH = log [OH] = log 105 = 5
Esse efluente não pode ser lançado ao rio. A 25 ºC: pH + pOH = 14 ∴ pH = 9
Esse efluente não pode ser lançado ao rio.
Indústria III
[OH] = 108 mol/L pOH = log 108 = 8 pH = 6
Esse efluente pode ser lançado ao rio sem tratamento prévio.

Cap. 10 | pH e pOH 107


13. Alternativa d.
A equação química que representa simultaneamente a dissolução do dióxido de carbono na água do mar e a
dissolução dos recifes de coral é
CO2(g) + H2O(l) H2CO3(aq)
H2CO3(aq) + CaCO3(s) Ca2+ (aq) + 2 HCO3(aq)
CaCO3(s) + CO2(g) + H2O(l) Ca2+ (aq) + 2 HCO3(aq)

14. Alternativa a.
Para serem absorvidas, as substâncias devem estar na sua forma neutra. Considerando o pH baixo do estô-
mago, temos:
O OH O O2

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
C C
O

O C CH3 O C CH3 1 H1

O
Ocorre deslocamento do equilíbrio para a esquerda devido ao excesso de íons H+ . Aspirina é absorvida no
estômago.
H H 1
C C NH2 1 H1 C C NH3
H2 H2
CH3 CH3
O deslocamento será para a direita. Anfetamina não é absorvida no estômago; no intestino, o pH é alto, fazendo
com que ocorra o inverso.

15. a) Considere o equilíbrio:


CO2(g) + H2O(l) H2CO3(aq) H+ (aq) + [HCO3](aq)
Com o aumento da taxa da respiração, uma maior quantidade de CO2 será expelida e, portanto, a sua con-
centração será diminuída. Com a diminuição da concentração de CO2, o equilíbrio será deslocado no sentido
da formação de CO2 e a concentração de íons H+ irá diminuir, reduzindo a acidez.
b) Diuréticos são medicamentos que auxiliam na liberação de excesso de sódio e água. Como reduz a quanti-
dade de líquido nos vasos sanguíneos, a pressão arterial diminui deslocando o equilíbrio para a esquerda,
portanto, a concentração de H+ irá diminuir elevando o pH do sangue.

16. Alternativa d.
Alcalose é um aumento do pH do sangue:
CO2 + H2O H2CO3 HCO3 + H+
Para reduzir a alcalose, o equilíbrio deve ser deslocado no sentido de formação de H+, portanto, aumentar a
concentração de CO2 ou reduzir a concentração de HCO3.

17. Alternativa e.
I. Correta: a 50 ºC o Kw é maior que a 25 ºC, pois a autoionização da água é endotérmica. O [H+] aumenta e o
pH diminui.
II. Correta
III. Correta
pH = log [H+]
↑ ↑
diminui aumenta

18. a) pH = 7, saliva normal, [H+]1 = 1,0 ⋅ 107 mol/L


[H+]2 1,0 . 10−5 mol/L
pH = 5, após a ingestão do refrigerante, [H+]2 = 1,0 ⋅ 105 mol/L = = 100
[H+]1 1,0 ⋅ 107 mol/L
b) A diminuição do pH desloca o equilíbrio no sentido dos produtos, pois aumenta a concentração de íons H+ .
Como consequência, dissolve o esmalte, aumentando a incidência da cárie dentária (fenômeno chamado
desmineralização).

108 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


19. Alternativa d.
I. Errada: as variações de concentração de nitrato e oxigênio são diferentes. Por exemplo, no ponto A (maio e
novembro) aumentam as duas concentrações e no ponto B (maio e novembro) diminui a concentração de
nitrato e a de oxigênio aumenta.
II. Correta: em novembro, o pH é maior do que em maio, indicando menor concentração de íons H+; portanto,
teremos menos CO2 dissolvido.
III. Correta: não há consumo de CO2, isto é, não ocorre a fotossíntese
CO2(g) CO2(aq) CO2(aq) + H2O(l) H+ (aq) + HCO3(aq)

20. Alternativa e.
I. Correta: a reação do CO2 com água do mar produz íon bicarbonato e íons hidrogênio, de acordo com a
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

equação química:
CO2(g) + H2O(l) HCO3(aq) + H+ (aq)

II. Errada: a reação entre o carbonato de cálcio com os íons H+ pode ser representada pela seguinte equação
química:
CaCO3(s) + 2 H+ (aq) Ca2+ (aq) + CO2(g) + H2O(l)

III. Correta: pHf = 7,4 ∴ [H+]f = 1,0 ⋅ 107,4 mol/L pHi = 8,4 ∴ [H+]i = 1,0 ⋅ 108,4 mol/L

[H+]f 1,0 ⋅ 107,4 mol/L


= [H+]f = 10 [H+]i
[H+]i 1,0 ⋅ 108,4 mol/L
21. Alternativa c.
I. Correta: aumentando o pH do sistema, íons H+ serão consumidos deslocando o segundo e terceiro equilí-
brios dados “para a direita” e, consequentemente, o primeiro equilíbrio “para a direita” (devido à diminuição
da concentração de Cl2(aq)) aumentando a solubilidade do Cl2(g).
II. Correta: adicionando-se NaCl(s) ocorre a dissolução de íons Cl que deslocam o segundo equilíbrio “para a
esquerda” e, consequentemente, o primeiro equilíbrio “para a esquerda” com desprendimento de Cl2(g).
III. Errada: a constante de dissociação só varia com a temperatura.

22. Alternativa a.
Considere o equilíbrio de ionização do ácido acético:

O O
CH3 C CH3 C 1 H1
OH O 2

CH3COONa CH3COO + Na +

A adição de acetato de sódio aumenta a concentração do íon acetato, deslocando o equilíbrio no sentido da
formação de ácido acético e diminuindo a concentração de íons H+ . Portanto, o pH aumenta.

23. Alternativa c.
I. Falsa: pelo gráfico observamos que, aumentando a concentração, diminui a porcentagem de ionização do
ácido.
II. Falsa: o pH de uma solução depende da concentração de íons H+ da solução.
III. Correta: C6H4NO2H H+ + C6H4NO2 .
Quanto maior a concentração da solução, menor a porcentagem de moléculas que se ioniza e, portanto,
menor a porcentagem de íons C6H4NO2 em relação às moléculas de C6H4NO2H.

24. Alternativa c.
I. Errada: a pCO diminui (vide gráfico).
2
II. Correta: no instante zero, o pH 7,4 e a pressão do CO2 é 35 mmHg.
III. Correta: quando a pCO decresce, a concentração de H+ diminui e o pH aumenta.
2

Cap. 10 | pH e pOH 109


25. Alternativa d.
Para ácidos de mesma concentração, quanto maior a constante de ionização, maior a concentração de íons
H3O+ na solução e, portanto, menor será o pH da solução.
Soluções ácidas apresentam pH < 7 a 25 ºC.
Como KaH > KaHCO > KaHCN temos pHH2SO3(aq) < pHHCO2H(aq) < pHHCN(aq) < 7
2SO3 2H

26. Alternativa b.
no de moléculas ionizadas
I. Falsa: o grau de ionização é determinado por: a =
no de moléculas dissolvidas

1,0 ⋅ 104 mol/L


X: pH = 4 [H+]x = 1,0 ⋅ 10 −4 mol/L ax = = 1,0 ⋅ 10 −3 = 0,001

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
1,0 ⋅ 10 1
mol/L 
0,1 % (fraco)
1,0 ⋅ 101 mol/L
Y: pH = 1 [H+]y = 1,0 ⋅ 10 −1 mol/L ay = =1 100% (forte)
1,0 ⋅ 101 mol/L
II. Falsa: a temperatura de congelamento depende diretamente da concentração de partículas dispersas.
Como temos graus de ionização diferentes, o número de partículas dispersas difere nas soluções, portanto,
as soluções apresentam temperaturas de congelamento diferentes.
[H+]X 1,0 ⋅ 104 mol/L
III. Correta: = = 1,0 ⋅ 103 [H+]x = 1,0 ⋅ 103 [H+]Y
[H+]Y 1,0 ⋅ 101 mol/L

28. Alternativa d.
Base forte reage com ácido forte e a lâmpada acende.
2 NaOH(aq) + H2SO4(aq) 2 H2O(l) + Na2SO4(aq)
2 mol 1 mol
nB nA
nB = 2nA ∴ MBVB = 2 MAVA ∴ 0,1 ⋅ 20 = 2 ⋅ 0,1 ⋅ VA
VA = 10 mL
O volume de ácido sulfúrico necessário para neutralizar a base é 10 mL, e a coloração será verde.
Se o volume de ácido sulfúrico for superior a 10 mL, haverá excesso de ácido, o pH será menor que 7 e a colo-
ração será amarela.

29. a) Na solução saturada de gás carbônico temos o seguinte equilíbrio


CO2(g) CO2(aq) CO2(aq) + H2O(l) H+ (aq) + HCO3(aq)
Devido ao consumo de CO2(aq) durante a fotossíntese, o equilíbrio será deslocado para a esquerda, dimi-
nuindo a concentração de íons H+; portanto, o pH aumenta.
b) Para demonstrar que sem luz não ocorre fotossíntese.

30. a) Os sais em solução aquosa se dissociam:


HO HO
NaCl(s) ⎯→ Na + (aq) + Cl(aq) CuSO4(s) ⎯→ Cu2+ (aq) + SO42(aq)
2 2

Os cátions (Na + e Cu2+) ficam retidos na resina do tipo I, liberando íons H+ .


Assim, os íons presentes no eluído da coluna com resina do tipo I são: SO42, Cl, H+ .
b) O pH do eluído da coluna com resina do tipo I é menor que 7 devido à presença dos íons H+ resultantes da
troca de cátions.
c) Supondo que as resinas sejam totalmente eficientes, os ânions do eluído da resina do tipo I ficarão retidos na
resina do tipo II, liberando íons OH. Portanto, os íons retidos na coluna com resina do tipo II são: SO42, Cl.
d) O pH do eluído da coluna com resina do tipo II é igual a 7, pois após o tratamento com as duas resinas restam
no eluído apenas íons H+ e OH, em concentrações iguais.
Nota: em qualquer solução aquosa, existem os íons H+ e OH. Assim, no eluído da coluna com resina do tipo I,
também há OH, mas com concentração desprezível.

110 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


31. a) 1 — Pela leitura do gráfico 1, observamos, que, a 36 ºC, o valor da leitura é aproximadamente 2,4.

Gráfico 1

Kw (10 – 14)
6
5
4
3
2,4
2
1
0
10 20 30 40 50
T (ºC)
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

36

Kw
2,4 = Kw = 2,4 ⋅ 1014
1014
2  H 2O H+ + OH

A = 36 ºC, temos Kw = [H+] ⋅ [OH] = 2,4 ⋅ 1014

Como na água pura e neutra [H+] = [OH], concluímos que: [H+]2 = 2,4 ⋅ 1014 [H+] = (2,4 ⋅ 1014)1/2

Como pH = log [H+] pH = log (2,4 ⋅ 1014)1/2 pH = (log 2,41/2 ⋅ 107)


pH = (log 2,41/2 + log 107) pH = (log 2,41/2  7) log 2,41/2 = log x1/2

Pelo gráfico 2, temos que para x = 2,4, o valor de log 2,41/2 é aproximadamente 0,2.
Gráfico 2
log x ½

0,3

0,2

0,1

0
1 2 3 4
X

Logo: pH = (0,2  7) = 6,8

b) A ionização da água é dada pela expressão H2O H+ + OH Kw = [H+] ⋅ [OH]


Pelo gráfico 1, aumentando a temperatura, o valor de Kw aumenta, aumentando a concentração de íons H+ e
OH.
O equilíbrio de ionização da água é deslocado “para a direita” com o aumento da temperatura, portanto,
trata-se de um processo endotérmico.

32. a) A solução aquosa inicial saturada de CO2 ficou vermelha devido à liberação de H+ , tornando o meio ácido
(pH < 4,5).
CO2(g) CO2(aq) CO2(aq) + H2O(l) H+ (aq) + HCO3(aq).
b) Ao diminuir a pressão devido ao aumento do volume, o equilíbrio é deslocado no sentido de CO2(g), ocor-
rendo uma diminuição de H+; portanto, o pH aumenta entre 4,5 e 6,0.
c) As pressões serão diferentes; na etapa IV a pressão será menor, pois há liberação de poucas bolhas.

33. Alternativa c.
O ar que expiramos contém gás carbônico (CO2) que, ao reagir com a água, produz ácido carbônico, de acordo
com a seguinte equação química:
CO2 + H2O H2CO3 H+ + HCO3
A reação libera íons H+ , portanto, o meio se torna ácido e a coloração mudará para o vermelho.

Cap. 10 | pH e pOH 111


34. Alternativa d.
Esse indicador assumirá a cor rósea quando adicionado à água sanitária. A água sanitária é preparada borbu-
lhando-se gás cloro em uma solução aquosa de hidróxido de sódio, portanto, essa solução apresenta caráter
básico.
Os íons H+ do equilíbrio serão neutralizados pelos íons OH da água sanitária, deslocando-se o equilíbrio no
sentido do íon róseo.

35. Alternativa a.
O indicador mais apropriado é o azul de bromotimol.
água com pH = 4,5, amarelo água com pH = 7, verde água com pH= 10, azul

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
[H+][H3CCOO] c) pH = log [H+]
1. a) Ka =
[H3CCOOH] [H+] = αM
b) Ka = α2M [H+] = 3 ⋅ 102 ⋅ 2 ⋅ 102 = 6 ⋅ 104 mol/L
1,8 ⋅ 105 = (3 ⋅ 102)2 M pH = log 6 ⋅ 104 = 4  log 6 = 4  0,7 = 3,3
1,8 ⋅ 105
M= = 2 ⋅ 102 mol/L
9 ⋅ 10
4

2. a) No recipiente X, temos: No recipiente Y, temos:


V = 500 mL = 0,5 L V = 100 mL = 0,1 L
3,01 ⋅ 1014 íons H+ 6,02 ⋅ 1019 íons
Cálculo da concentração em mol/L de íons H+: Cálculo da concentração em mol/L de íons H+:
6,02 ⋅ 10²³ 1 mol 6,02 ⋅ 10²³ 1 mol
3,01 ⋅ 1014 x 6,02 ⋅ 1019 X
x = 0,5 ⋅ 109 mol X = 104 mol
0,5 ⋅ 109 mol 0,5 L 100 mL 104 mol
Y 1L 1.000 mL X
Y = 10 9
mol/L X = 103 mol
b) Cálculo do pH: pH = log [H+], assim, pH = 3 a 25°C
pH =  log [H+]
pH = 9 (solução básica a 25 °C)
3. a) O gás carbônico, ao se dissolver no sangue, origina um equilíbrio que pode ser representado pela seguinte
equação:
CO2(g) + H2O(l) H+ (aq) + HCO3(aq)
A hiperventilação faz com que o CO2 seja removido, o que desloca o equilíbrio acima para a esquerda, dimi-
nuindo a concentração do íon H+ e aumentando o pH sanguíneo.
b) No plasma, temos: CH3CH(OH)COOH(aq) CH3CH(OH)COO(aq) + H+ (aq)
No plasma, para uma concentração de H igual a 5,6 ⋅ 108 mol ⋅ L1, a espécie química predominante será
+

o íon lactato.
[ânion][H+]
Ka =
[ácido]
[ânion] Ka 1,4 ⋅ 104 1
= = = ⋅ 104
[ácido] [H ]+
5,6 ⋅ 10
8
4
[ânion]
= 2,5 ⋅ 105 > 1, portanto, predomina o ânion.
[ácido]

112 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


4. a)

COOH COO + H+

b) Diluindo: o equilíbrio é deslocado para a direita, aumentando a quantidade de íons.


c) Ka = α2M Ka = constante
α21M1 = α22M2
n n
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

(102)2 ⋅ = α22 .
1 100
α = 10
2
2
4
⋅ 10 = 102
2

α2 = 101 = 0,1 = 10%

d) α21 M1 = α22 M2 ∴ 1024 ? 1021 = 1022 ? M2


M2 = 1023 mol/L 100% 1023 mol/L
[H1]2 = 1024 mol/L 10% x
pH2 = 4 x = 10 24
mol/L

4 ⋅ 104
5. a) Frasco A: [H+] = 1 = 4 ⋅ 103 mol/L c) H+ + OH → H2O
10
1 mol 1 mol
1,6 ⋅ 10 −3
Frasco B: [H ] = +
= 1,6 ⋅ 10 2
mol/L 2 ⋅ 10 3
mol x
1
10
x = 2 ⋅ 10 3
mol
A solução do frasco B é mais ácida, pois possui maior [H+].
5 ⋅ 103 mol 1L
b) nH+ = 4 ⋅ 10 4
+ 1,6 ⋅ 10 3
= 2 ⋅ 10 3
mol 2 ⋅ 10 3
mol x
Vmistura = 0,1 + 0,1 = 0,2 L x = 0,4 L = 400 mL

2 ⋅ 103
[H+] = = 102 mol/L ⇒ pH = 2
2 ⋅ 10
1

6. HA H1 1 A
início M 0 0
reage e
0,02 M 0,02 M 0,02 M
forma
equilíbrio (M  0,02 M)  M 0,02 M 0,02 M

pKa =  log Ka = 4,0 pH = log [H+]


∴ Ka = 1,0 ⋅ 104 pH = log 5 ⋅ 103
pH = (log 5 + log 103)
[H+][A−]
Ka = pH = (0,7  3)
[HA]
pH = 2,3
0,02 M ⋅ 0,02 M
1,0 ⋅ 10 4
= A 25 °C ⇒ Kw = [H+] ⋅ [OH] = 1,0 ⋅ 1014
M
M = 0,25 mol/L 0,005 ⋅ [OH] = 1,0 ⋅ 1014

[H+] = a ⋅ M 1,0 ⋅ 1014


[OH] = = 2,0 ⋅ 1012
0,005
[H ] = 2 ⋅ 10
+ 2
⋅ 0,25
∴ [H ] = 5 ⋅ 103 mol/L
+
[OH] = 2,0 ⋅ 1012 mol/L

Cap. 10 | pH e pOH 113

Gab_FisicaQuimica_Cap10.indd 113 3/3/16 1:13 PM


7. Alternativa a.
A calagem dos solos (adição de calcário) consiste em aumento do pH e redução da toxidez do alumínio. O pro-
cesso é utilizado nos solos ácidos do cerrado.

8. a) I. [IND] > [IND]


II. [IND] = [IND]
III. [IND] > [IND]
b) II. [IND] = [IND]
[H+] [IND−]
Ka = ∴ Ka = 3,2 ⋅ 104

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
[IND]

114 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


Gabarito Capítulo 11
Hidrólise Salina

1. a) fortes b) fracos

2. a) fortes b) fracas

3. base, ácido

4. a) base forte, ácido forte c) base fraca, ácido forte


b) base forte, ácido fraco d) base fraca, ácido fraco

5. a) pH = 7
b) pH < 7
c) pH > 7

6. a) básica 1) ácida
b) ácida 2) básica
c) neutra 3) neutra

7. a) base forte, ácido forte, pH = 7 c) base fraca, ácido forte, pH < 7


b) base forte, ácido fraco, pH > 7 d) base fraca, ácido fraco, pH = 7

8. água 14. CN + HOH HCN + OH pH > 7

9. não sofre 15. NH4+ + HOH NH3 + H3O+ pH < 7

10. fraca, fraco 16. pH = 7

11. H+, OH 17. S2 + HOH HS + OH pH > 7

12. H+ 18. CH3COO + HOH CH3COOH + OH pH > 7

13. [Fe(H2O)5OH]2+ + H3O+

19. CH3COO + NH4+ + HOH CH3COOH + NH4OH pH = 7

20. HCO3 + HOH H2CO3 + OH pH > 7

21. CO32 + HOH HCO3 + OH pH > 7

22. pH = 7

23. [Al(H2O)6]3+ + H2O [Al(H2O)5OH]2+ + H3O+ pH < 7

24. NH4+ + CN + HOH NH4OH + HCN pH > 7

25. CO32 + HOH HCO3 + OH pH > 7

26. [Fe(H2O)6]2+ + H2O [Fe(H2O)5OH]1+ + H3O+ pH < 7

Cap. 11 | Hidrólise Salina 115

Gab_FisicaQuimica_Cap11.indd 115 3/3/16 1:14 PM


[HCN] [OH] Kw
27. a) Kh = ou Kh =
[CN] Ka

[NH3] [H3O+] Kw
b) Kh = ou Kh =
[NH4+] Kb

[NH4OH] [HCN] Kw
c) Kh = ou Kh =
[NH4+] [CN ]
Ka · Kb

28. maior

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
29. KCN maior pH
KF K+ + F NaCN Na + + CN
F + OH HF + OH CN + HOH HCN + OH
Kw Kw
Kh = Kh' =
Ka Ka'
Ka > Ka' ∴ Kh' > Kh

30. parecido

31. cátion

32. ânion

–14
Kw 10 10 – 9
33. Kh = ∴ Kh = ∴ Kh =
Kb 2 ⋅ 10 – 5 2
10 – 9
⋅ 2 ⋅ 10 –1
NH + H2O
+
4
NH3 + H3O , [H3O ] = [H ] = Kh ⋅ M , [H3O ] =
+ + + +
2 ∴ [H3O+] = 10–10

[H3O+] = 105 mol/L, pH = log [H3O+], pH = log 105 ∴ pH = 5

34. CN + HOH HCN + OH [OH] = aM, a = 102, M = 2 ⋅ 101 mol/L, [OH] = 2 ⋅ 103 mol/L
[OH] = 100,3 ⋅ 103 mol/L, [OH] = 102,7 mol/L, pOH = log [OH]
pOH = 2,7 como pH + pOH = 14 ∴ pH = 11,3

35. CH3COO + HOH CH3COOH + OH


Kw 10 –14 10 – 9
a) Kh = , Kh = , Kh =
Ka 2 ⋅ 10 – 5 2
–9
10
⋅ 2 ⋅ 10 –1
b) [OH] = Ka ⋅ M , [OH] = 2 ∴ [OH] = 105 mol/L

c) pOH = log [OH] ∴ pOH = 5 como pH + pOH = 14 ∴ pH = 9

NaOH: base forte KOH: base forte


36. a) NaCN pH > 7 KCl pH = 7
HCN: ácido fraco HCl: ácido forte

NH4OH: base fraca


NH4Cl pH < 7 KOH: base forte pH > > 7 H2SO4: ácido forte pH < < 7
HCl: ácido forte

KOH < NaCN < KCl < NH4Cl < H2SO4

116 FÍSICO-QUÍMICA | Caderno de Atividades | Gabarito


b) Kh = a2M, Kh = (5 ⋅ 103)2 ⋅ 101 ∴ Kh = 5 ⋅ 106
c) [OH] = aM, [OH] = 5 ⋅ 103 ⋅ 2 ⋅ 101 ∴ [OH] = 103 mol/L
pOH = log [OH], pOH = 3 como pH + pOH = 14 ∴ pH = 11

37. Alternativa c.
CO32 + HOH HCO3 + OH

38. Alternativa b.
ClO + HOH HClO + OH

39. HCO3 + HOH H2CO3 + OH


Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

1. Alternativa c.
H+
NaOH: base forte
HCO + HOH

3
H2CO3 + OH 
pH > 7 NaHCO3
H2CO3: ácido fraco
2. Alternativa a.
NaOH: base forte NH4OH: base fraca
NaHCO3 pH > 7 NH4Cl pH < 7
H2CO3: ácido fraco HCl: ácido forte

NaOH: base forte


NaClO pH > 7
HClO: ácido fraco

3. Alternativa a.
A solução aquosa de Na2CO3 apresenta condutibilidade elétrica e pH < 7 devido à hidrólise do ânion CO32
CO32 + HOH HCO3 + OH
A solução aquosa de KCl apresenta condutibilidade elétrica e pH = 7, pois os íons K+ e Cl não sofrem hidrólise.
A solução aquosa de glicose não apresenta condutibilidade elétrica.
O conjunto de testes que permite esta identificação é condutibilidade elétrica e pH.

4. Alternativa b.
Meio básico: CH3COONa+ (sal de ácido fraco e base forte) CH3COO + HOH CH3COOH + OH
Meio ácido: NH4Cl (sal de ácido forte e base fraca) NH4+ + H2O NH3 + H3O+
Meio neutro: KCl (sal de ácido forte e base forte) Não ocorre hidrólise

5. Alternativa a.
A: NaCl  não sofre hidrólise, é um sal derivado de base forte e ácido forte: pH = 7
B: CH3COONa  sofre hidrólise, é um sal derivado de base forte e ácido fraco: pH > 7
CH3COONa + H2O Na + + OH + CH3COOH ou CH3COO + HOH CH3COOH + OH
C: NH4Cl  sofre hidrólise, é um sal derivado de base fraca e ácido forte: pH < 7
NH4Cl + H2O NH3 + H2O + H+ + Cl ou NH4+ + H2O NH3 + H3O+

NH4OH

Cap. 11 | Hidrólise Salina 117


6. Alternativa b.
A fórmula química do carbonato de lítio: Li1+(CO3)2: Li2CO3
O ânion carbonato sofre hidrólise de acordo com a equação química:
CO32 + HOH HCO31 + OH1

7. Alternativa d.
Além de corrigir a acidez do solo, a aplicação do calcário contribui para o aumento de íons Ca 2+.

8. Alternativa c.
Deve-se aumentar a concentração de [OH], portanto, deve preparar uma nova solução mais concentrada.
H+

Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.
9. NH4Br: ácido: NH4+ + H2O NH3 + H3O+
H+

NaCN: básica: CN + HOH HCN + OH

10. a) CN + HOH HCN + OH


b) NH4+ + HOH NH3 + H3O+
H+

11. NH4OH + HCl ⎯→ NH4Cl + H2O NH4+ + HOH NH3 + H3O+ solução ácida

12. Alternativa b.
I. Adição de NaCl
AgNO3 + NaCl ⎯→ AgCl ↓ + NaNO3
NaNO3 + NaCl não há reação
II. Medida do pH
NH4+ + HOH NH4OH + H+ meio ácido KCl ⎯→ meio neutro
III. Adição de BaCl2
HCl + BaCl2 não há reação H2SO4 + BaCl2 ⎯→ 2 HCl + BaSO4↓

13. Alternativa b.
pOH < 7, pH > 7
II. HCO3 + HOH H2CO3 + OH
III. H3C — CH2 — NH2 + HOH H3C — CH2 — NH3+ + OH

14. a) Al3+ + 3 OH Al(OH)3


b) A cal é um óxido de caráter básico e, portanto, reage com água, produzindo Ca(OH)2:
CaO + H2O ⎯→ Ca(OH)2
Os íons H+ resultantes da hidrólise são neutralizados pelos íons OH. Portanto, a adição de cal provoca di-
minuição da acidez, elevando o pH.

15. A hidrólise do íon CO32 é mais intensa (maior K) que o íon HCO3 e SO42, portanto, vai liberar maior quantidade
de íons OH. A neutralização com íon H3O+ será mais intensa liberando maior quantidade de NH3.
tubo 1
CO2
3
HCO3 SO2
3

NH+4
NH+4
NH +
4

1 2 3

118 Físico-Química | Caderno de Atividades | Gabarito

Gab_FisicaQuimica_Cap11.indd 118 3/3/16 1:14 PM


16. a) NH4+ + H2O NH3 + H3O+
b) tubo 1: CH3COO + HOH CH3COOH + OH Kh = 5,6 ⋅ 1010
tubo 2: CO32 + HOH HCO3 + OH Kh = 5,6 ⋅ 104
tubo 3: HCO3 + HOH H2CO3 + OH Kh = 2,4 ⋅ 108
tubo 2: a hidrólise do ânion CO3 é mais intensa (maior Kh) liberando maior quantidade de OH, portanto,
2

deslocando o equilíbrio da hidrólise do cátion NH4+ para a direita com mais intensidade.
c) NH4+ + H2O NH3 + H3O+ pH < 7

17. a) No pH = 7,6 há maior eficiência no transporte do O2 (vide gráfico).


H+
Copyright © 2015 por editora HARBRA ltda. Reprodução e veiculação pela internet, sem a expressa autorização da editora, são proibidas.

b) NH4+ + HOH NH3 + H3O+. A solução, sendo ácida, abaixa o pH e, por isso, é usada nos casos de alcalose.

18. Alternativa b.
Frasco 1: KCl (sal de ácido forte e base forte): não altera o pH da água; condutibilidade elétrica (K+ (aq) e Cl(aq));
não reage com Mg(OH)2.
Frasco 2: NaOH: em meio básico (rosa), condutibilidade elétrica (Na + (aq) e OH(aq)); não reage com Mg(OH)2.
Frasco 3: HCl: em meio ácido (incolor), condutibilidade elétrica (H+ (aq) e Cl(aq)); reage com Mg(OH)2.
Mg(OH)2 + 2 HCl MgCl2 + 2 H2O
Frasco 4: sacarose: não altera o pH da água; não conduz eletricidade, pois a sacarose dissolvida em água não
forma íons; não reage com Mg(OH)2.

19. Alternativa d.
Kw
CN + HOH HCN + OH Kh = menor Ka maior Kh
Ka
20. Alternativa b.
Kw
Kh = menor Ka maior Kh NaClO Ka = 3,1 ⋅ 108
Ka

21. Alternativa a.
Cálculo da [OH]
[OH] = Kh ⋅ M ∴ [OH] = 10 –6 ⋅ 10 –2 ∴ [OH] = 104 mol/L ∴ pOH = log [OH] ∴ pOH = 4
pH + pOH = 14 ∴ pH = 10

22. a) X: NH4Cl: caráter ácido (sal de ácido forte e base fraca) NH4+ + H2O NH3 + H3O+
Y: NaHCO3: caráter básico (sal de ácido fraco e base forte) HCO3 + H2O H2CO3 + OH
b) OCl + HOH HClO + OH [OH] = Kh ⋅ M ∴ [OH] = 2,5 ⋅ 107 ⋅ 4 ⋅ 102
[OH] = 10 ∴ [OH] = 104 mol/L pOH= log [OH] ∴ pOH = 4 como pH + pOH = 14 ∴ pH = 10
−8

H+

23. a) CH3COO + HOH CH3COOH + OH


hidrólise básica
b) [OH] = Kh ⋅ M ∴ [OH] = 10 –10 ⋅ 10 –2 [OH] = 106 mol/L, Kw = [H+] [OH]
1014 = [H+] 106, [H+] = 108 mol/L pH = log [H+] ∴ pH = 8

24. Alternativa a.
Um aumento da concentração de íons OH (pH básico) desloca no sentido de formação do ânion.