Você está na página 1de 46

CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA

Disciplina: Máquinas Elétricas I


Aula 5 – Transformadores Monofásicos – Material Isolante e Circuito equivalente
Instrutora: Engª Milene O. de Sousa

Campina Grande, 27 de fevereiro de 2018


Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre isolantes e impregnação

• Além do fio magnético esmaltado e as espiras, chapa de ferro e carretel para


enrolamento das bobinas e montagem das chapas, outros materiais são necessários
para melhorar a resistência de isolação dos transformadores.

2
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre isolantes e impregnação

• Dois tipos de papel isolante são utilizados para construir o enrolamento:

• Kraft – papel “cinza” – possui uma espessura que serve para formar o carretel e
cobrir o enrolamento todo quando tudo estiver pronto.

• Cristal – papel mais fino que deve ser utilizado como isolante entre as camadas
de espiras.

3
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre isolantes e impregnação

• Também podem ser usados espaguetes para dar proteção mecânica dos fios que
ligarem o enrolamento às conexões externas quando estes não são soldados.

4
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre isolantes e impregnação

• Após realizar todas as ligações e fechar o transformador, um banho de verniz pode ser
aplicado para completa impregnação do transformador.

• Geralmente esse banho é feito mergulhando o transformador em verniz aquecido a


uma temperatura que melhore sua impregnação ao enrolamento.

5
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Circuito Equivalente

• Um transformador não se resume apenas as bobinas e ao núcleo de ferro.

• Existem vários parâmetros que necessitam ser monitorados, e o controle desses


parâmetros determina o funcionamento adequado de uma máquina.

• O transformador real está longe do modelo ideal.

6
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Circuito Equivalente

• *𝑟1 = 𝑟𝑒𝑠𝑖𝑠𝑡ê𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑑𝑜 𝑒𝑛𝑟𝑜𝑙𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 𝑝𝑟𝑖𝑚á𝑟𝑖𝑜;


• * 𝑥1 = 𝑟𝑒𝑎𝑡â𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑖𝑛𝑑𝑢𝑡𝑖𝑣𝑎 𝑑𝑜 𝑒𝑛𝑟𝑜𝑙𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 𝑝𝑟𝑖𝑚á𝑟𝑖𝑜;
• * 𝑅𝑚 = 𝑟𝑒𝑠𝑖𝑠𝑡ê𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑑𝑒 𝑚𝑎𝑔𝑛é𝑡𝑖𝑧𝑎çã𝑜, 𝑞𝑢𝑒 𝑟𝑒𝑡𝑟𝑎𝑡𝑎 𝑎𝑠 𝑝𝑒𝑟𝑑𝑎𝑠 𝑛𝑜 𝑓𝑒𝑟𝑟𝑜;
• * 𝑋𝑚 = 𝑟𝑒𝑎𝑡â𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑖𝑛𝑑𝑢𝑡𝑖𝑣𝑎 𝑑𝑒 𝑚𝑎𝑔𝑛𝑒𝑡𝑖𝑧𝑎çã𝑜;
• * 𝑟2 = 𝑟𝑒𝑠𝑖𝑠𝑡ê𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑑𝑜 𝑒𝑛𝑟𝑜𝑙𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 𝑠𝑒𝑐𝑢𝑛𝑑á𝑟𝑖𝑜;
• * 𝑥2 = 𝑟𝑒𝑎𝑡â𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑖𝑛𝑑𝑢𝑡𝑖𝑣𝑎 𝑑𝑜 𝑒𝑛𝑟𝑜𝑙𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 𝑠𝑒𝑐𝑢𝑛𝑑á𝑟𝑖𝑜.

7
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Circuito Equivalente

• Para determinação dos parâmetros do transformador precisamos utilizar métodos de


ensaios.

8
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios

• Os ensaios em transformadores estão previstos na norma NBR 5380 que trata sobre
Transformadores de Potência.

• A partir dos ensaios e testes é possível obter os parâmetros reais do transformador e


observar se algum dos parâmetros está fora do escopo do projeto ou se pode
comprometer a vida útil do transformador.

9
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios

• O primeiro tipo de teste realizado em transformadores é o de medição da resistência


de isolação através de um megôhmetro (megger).

10
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios

• A resistência de isolamento é a medida da dificuldade oferecida à passagem de


corrente pelos materiais isolantes.

• Esse valores de resistência podem ser alterados com a umidade e com a sujeira.

• O ensaio consiste basicamente em aplicar no isolamento uma tensão em corrente


contínua, com valores entre 500 V e 10000 V.

11
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios

• Tensões de teste

12
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios

• Para o ensaio de medição de resistência de isolamento:

• Deverão ser obedecidos todos os procedimentos relativos às recomendações de


segurança, segundo as especificações da instalação ou da empresa.

13
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios

• Para o ensaio de medição de resistência de isolamento:

• Desenergizar o transformador;

• Desconectar os cabos externos. Os ensaios de resistência de isolamento devem


ser executados com todos os cabos do transformador desconectados das buchas.

• Caso não seja possível a desconexão dos cabos, deve-se proceder a anotação
detalhada do esquema de teste com a respectiva descrição.

• Curto-circuitar os terminais das buchas de um mesmo enrolamento para obter


uma melhor distribuição do potencial;

• O tanque do transformador deve ser aterrado;

• Inspecionar e limpar as buchas com pano seco ou embebido em álcool e anotar


qualquer irregularidade constatada.

14
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios

• Para o ensaio de medição de resistência de isolamento:

• Evitar que os cabos do megôhmetro não toquem em outras partes do


equipamento, ou se toquem, para evitar alterações na medida da resistência de
isolamento;

• Ajustar o megohmetro;

15
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios

• Critérios de avaliação

• A avaliação é realizada pela comparação dos valores de resistência de isolamento


obtidos ao longo do ensaio, sendo realizadas medidas em intervalos de 30 a 1
minuto, com duração total de geralmente dez minutos.

16
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios

• Esse tipo de medição deve ser feita entre as bobinas do primário e do secundário e
entre as bobinas e o núcleo de ferro.

• Em seguida, deve-se medir a resistência ôhmica dos enrolamentos, marcando nesse


momento o lado de maior resistência como primário.

• Os resultados de rendimento, perdas e parâmetros do modelo do transformador são


obtidos por meio de ensaios específicos.

17
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio a vazio

• Ensaio a vazio

• O ensaio a vazio ou ensaio em circuito aberto, consiste em aplicar tensão


nominal no primário do transformador e manter o secundário em aberto.

• O objetivo é medir tensão, corrente e potência ativa.

18
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios

• Ensaio a vazio

• A corrente do primário tem valor muito baixo sendo responsável apenas pela
magnetização do núcleo do transformador.

• Desta forma, podemos desprezar as perdas por efeito Joule dos enrolamentos e
as dispersões de fluxos, sendo somente consideradas as perdas no núcleo.

• Esse tipo de ensaio permite determinar as perdas no ferro.

• Por tanto, o ensaio a vazio permite determinar as perdas no ferro e obter


também os parâmetros elétricos para a construção do circuito equivalente do
transformador real.

19
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios

• Ensaio a vazio

• No ensaio a vazio são medidas as seguintes grandezas;

• V0 – Tensão nominal aplicada (V);

• P0 – Potência consumida – perdas no núcleo (W);

• I0 – Corrente a vazio (A).

20
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio a vazio

• Ensaio a vazio

• A partir das grandezas medidas, são calculados os seguintes valores:

𝑉02
• 𝑅𝑐 = 𝑃0

𝑃
• 𝐼𝑐 = 𝑉0
0

• 𝐼𝑚 = 𝐼02 − 𝐼𝑐2

𝑉
• 𝑋𝑚 = 𝐼 0
𝑚

21
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio a vazio

• As equações utilizadas para este ensaio são:

𝑉0
• 𝑍𝑚 = - Impedância do circuito magnético
𝐼0

0 𝑃
• cos 𝜑 = 𝑉 𝑥𝐼 - Fator de potência do transformador
0 0

22
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio a vazio

• Esquema do ensaio a vazio:

23
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio a vazio

• Exemplo:

• Foi realizado um ensaio a vazio em um transformador 220V/110+110, 2 A, 440


VA. Foram obtidos os seguintes resultados:

• P0 = 20 W – Potência ativa absorvida medida pelo wattímetro;


• V0 = 220 V – Tensão no primário medida pelo voltímetro;
• I0 = 160 mA – Corrente no primário medida com o amperímetro.

24
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio a vazio

• Exemplo:

• A) Calcule a potência aparente absorvida pelo primário do transformador através


da seguinte equação:

• 𝑆0 = 𝑉0 𝑥𝐼0

25
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio a vazio

• Exemplo:

• B) Utilize as equações a seguir para calcular os parâmetros de magnetização do


transformador:

𝑃0
• cos 𝜑 = ;𝐼 = 𝐼0 𝑥 cos 𝜑; 𝐼𝑚 = 𝐼0 𝑥 𝑠𝑒𝑛 𝜑
𝑉0 𝑥𝐼0 𝑅𝑚

𝑉0 𝑉0 𝑉
• 𝑍𝑚 = ; 𝑅𝑚 = 𝐼 ; 𝑋𝑚 = 𝐼 0
𝐼0 𝑅𝑚 𝑚

26
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio a vazio

• Resumo

• É feito com o secundário do transformador em aberto, ou seja, não conectado a


nada.

• Aplica-se no primário a sua tensão nominal.

• A corrente no secundário será mínima, suficiente apenas para magnetizar o


núcleo.

• O ensaio permite determinar os parâmetros em relação ao núcleo e à


magnetização.

27
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio de curto-circuito

• Nesse ensaio, o enrolamento do transformador que trabalha com tensão maior é


utilizado como primário e o enrolamento com tensão menor consequentemente
utilizado como secundário.

• Isso ocorre, porque utilizar alta tensão no primário significa medições mais confiáveis,
já que a corrente nominal, que é a corrente ideal para um correto funcionamento do
transformador, é atingida ao se aplicar um pequeno valor de tensão no primário.

• Para realizar o ensaio, o enrolamento secundário do transformador monofásico é


curto-circuitado. Além disso, um amperímetro, um wattímetro, voltímetro e uma
fonte variável de tensão alternada são ligados no circuito primário..

28
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio de curto-circuito

29
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio de curto-circuito

• A partir do ensaio em curto-circuito, determinamos o valor da resistência, a


impedância e a reatância indutiva do enrolamento primário e do secundário com
cálculos e auxílio de instrumentos.

• É possível calcular também o fator de potência dos enrolamentos.

• As perdas no cobre também podem ser determinadas a partir do ensaio de curto-


circuito.

30
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio de curto-circuito

• Como a tensão aplicada no primário é muito baixa, as perdas no núcleo e a reatância


de magnetização são desprezadas. Portanto, o circuito equivalente do transformador
pode ser simplificado da seguinte forma

31
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios – Ensaio de curto-circuito

• O objetivo do ensaio é determinar

• Vcc – tensão aplicada na AT para circular corrente nominal na Baixa Tensão (BT).

• In – Corrente nominal em (A).

• Pcc – Potência consumida – perdas no cobre (W).

32
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios– Ensaio de curto-circuito

• As equações utilizadas no ensaio de curto-circuito são:

𝑃𝑐𝑐
• 𝑅𝑐𝑐 = 2
𝐼𝑐𝑐

𝑉𝑐𝑐
• 𝑍𝑐𝑐 = 𝐼𝑐𝑐

2 2
• 𝑋𝑐𝑐 = 𝑍𝑐𝑐 − 𝑅𝑐𝑐

𝑃𝑐𝑐
• cos 𝜑 = 𝑉
𝑐𝑐 𝑥𝐼𝑐𝑐

• 𝑍𝑐𝑐 = 𝑍𝑒𝑞1 = 𝑅1 + 𝑅′2 + 𝑗(𝑋𝑙1 + 𝑋𝑙′2 )

• 𝑅𝑒𝑞1 = 𝑅1 + 𝑅′2

• 𝑋𝑒𝑞1 = 𝑋𝑙1 + 𝑋𝑙′2

33
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Considerações sobre ensaios– Ensaio de curto-circuito

• São feitas as seguintes aproximações:

𝑅𝑐𝑐
• 𝑅1 = 𝑅′2 = 2

𝑋𝑐𝑐
• 𝑋𝑙1 = 𝑋𝑙′2 = 2

• Deve-se observar que tais parâmetros são referidos à AT.

34
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Impedância percentual – Ensaio de curto-circuito

• A impedância percentual é outro dado importante do transformador que pode ser


obtida a partir do ensaio de curto-circuito.

• A impedância percentual está relacionada com a tensão aplicada ao primário para


fazer circular a corrente nominal secundária com o secundário em curto.

• Esse valor vem como dado de placa do transformador, pois é extremamente


importante e deve ser considerado na associação paralela de transformadores.

• O valor da impedância percentual fica em torno de 3% a 9%.

35
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Impedância percentual– Ensaio de curto-circuito

• A impedância percentual é uma relação entre a tensão de curto circuito e a tensão


nominal do primário.

𝑉𝑐𝑐
• 𝑍% = 𝑥100
𝑈𝑝

• Onde,

• Vcc – tensão de curto-circuito para atingir In no primário.

• Up – tensão nominal do primário.

36
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Impedância percentual– Ensaio de curto-circuito

• A partir da impedância percentual é possível determinar a corrente de curto-circuito


do transformador;

100
• 𝐼𝑐𝑐 = 𝑥𝐼𝑛
𝑍%

• In é a corrente nominal atingida no ensaio de curto-circuito.

37
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Rendimento do transformador– Ensaio de curto-circuito

• Rendimento sempre foi uma relação entre resultado e gasto.

• Em um transformador dimensionamos o rendimento estabelecendo uma relação


entre a potência fornecida pelo secundário e a potência absorvida pelo primário para
fornecer a potência ao secundário.

• A equação primária do rendimento é:

𝑃𝑠
• 𝜂 = 𝑃 +𝑃
𝑠 𝑐𝑢 +𝑃𝑓𝑒

38
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Exemplo - Ensaio de curto-circuito

• Com uma fonte de tensão alternada ajustável, o primário do transformador da figura


foi alimentado. A partir do aumento gradativo da tensão através da fonte variável, foi
obtido um valor de corrente próxima à corrente nominal do transformador. Os
resultados obtidos neste ensaio foram;

• Pcc = 12 W

• Vcc – 12 V

• In = 2 A

39
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Exemplo - Ensaio de curto-circuito

• A) Através dos dados obtidos no ensaio de curto circuito, calcule os dados do circuito
equivalente utilizando as seguintes equações

𝑃𝑐𝑐
• 𝑅𝑐𝑐 = 2
𝐼𝑐𝑐

𝑉𝑐𝑐
• 𝑍𝑐𝑐 = 𝐼𝑐𝑐

2 2
• 𝑋𝑐𝑐 = 𝑍𝑐𝑐 − 𝑅𝑐𝑐

𝑃𝑐𝑐
• cos 𝜑 = 𝑉
𝑐𝑐 𝑥𝐼𝑐𝑐

𝑅𝑐𝑐
• 𝑅1 = 𝑅′2 = 2

𝑋𝑐𝑐
• 𝑋𝑙1 = 𝑋𝑙′2 = 2

40
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Exemplo - Ensaio de curto-circuito

• B) Calcule o total de perdas no cobre

• O total de perdas no cobre é calculado da seguinte forma:

• Pcu = r1xI1² + r2xI2²

• Pcu = 12 W – As perdas no cobre são representadas pelo valor lido no


Wattímetro.

• I1 e I2 são consideradas iguais à corrente nominal de curto-circuito no


ensaio, 2 A.

• A relação 1:1 das espiras, facilitou o cálculo.

41
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Exemplo - Ensaio de curto-circuito

• C) Com os dados encontrados, desenhe o circuito equivalente do transformador com


os valores das respectivas resistências e reatâncias anotadas.

42
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Exemplo - Ensaio de curto-circuito

• D) Determine a impedância percentual do transformador e da corrente de curto-


circuito no secundário.

𝑉𝑐𝑐
• 𝑍% = 𝑥100 = 5,45
𝑈𝑝

100
• 𝐼𝑐𝑐 = 𝑥𝐼𝑛 = 36,7 A
𝑍%

43
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Exemplo - Ensaio de curto-circuito

• E ) Calcule o rendimento da unidade transformadora.

𝑃𝑠
• 𝜂 = 𝑃 +𝑃
𝑠 𝑐𝑢 +𝑃𝑓𝑒

400
• 𝜂 = 440+12+20 = 0,932 = 93%

44
Máquinas Elétricas I

Transformadores Monofásicos
Vídeo

45
Obrigado pela atenção!
Contato: mileneosousa@gmail.com

MÁQUINAS ELÉTRICAS I