Você está na página 1de 70

CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA

Disciplina: Máquinas Elétricas I


Aula 6 – Transformadores Trifásicos
Instrutora: Engª Milene O. de Sousa

Campina Grande, 01 de março de 2018


Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Introdução

• Os transformadores trifásicos são empregados na indústria e em sistemas de


distribuição.

2
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Introdução

• São vistos como um conjunto de três transformadores monofásicos.

• Tem-se três primários e ao menos três secundários que devem trabalhar juntos.

• Existem alguns cuidados a serem tomados para que os primários e secundários


possam trabalhar juntos.

• E para isso, o transformador trifásico pode ser ligado em estrela ou em triângulo.

3
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Introdução

• Considerando que um transformador trifásico pode ser constituído por um conjunto


de três transformadores monofásicos, esses transformadores deveriam ter as mesmas
características construtivas, número de espiras, seção dos condutores, potência e
principalmente impedância percentual iguais.

• A potência de uma unidade trifásica formada por três transformadores de potência


nominal Sn é obtida da seguinte forma:

• Sn3F = 3xSn

4
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Introdução

• A dissipação de calor em transformadores de grande e médio porte ocorre através do


óleo isolante.

• Transformadores menores tem seus enrolamentos em contato com o ar.

5
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Introdução

• Os transformadores trifásicos possuem uma caixa de ligações ou bornes para


possibilitar as ligações e conexões.

• Os terminais do primário são identificados pela letra H.

• Os terminais do secundário, pela letra X.

6
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Introdução

• Os transformadores devem ser projetados ou escolhidos de acordo com uma classe


de proteção.

• A proteção é indicada pelo índice IP, que é construído por dois algarismos.

• Na tabela é apresentado o primeiro algarismo do índice IP, que representa a proteção


contra objetos sólidos.

7
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Introdução

• O segundo algarismo indica a proteção contra água e é apresentado na tabela:

8
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Um transformador trifásico é constituído de pelo menos três enrolamentos no


primário e três enrolamentos no secundário, os quais (como qualquer componente
trifásico) podem ser conectados em Estrela (Y) ou Delta (∆).

• Tem-se quatro opções de ligação (conexão):

Primário Secundário
Y Y
Y 
 Y
 

• Cada conexão possui determinadas características que determinam o uso mais


adequado conforme a aplicação.

9
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão ∆-∆

• O enrolamento trifásico do primário e do secundário estão ligados em triângulo.

• No primário o módulo da tensão de linha e a tensão de fase da estrutura são os


mesmos:

• 𝑉𝐿 = 𝑉𝐿

10
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão ∆-∆

• De acordo com a teoria de circuitos elétricos trifásicos, o módulo da corrente de


fase é igual ao módulo da corrente de linha dividida por raíz de 3, tanto no
primário como no secundário.

• 𝑉𝐹 = 𝑉𝐿

𝐼𝐿
• 𝐼𝐹 = 3

11
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão ∆-∆

• As tensões de fase entre o primário e o secundário se relacionam entre si de


acordo com a teoria dos transformadores monofásicos:

𝑉𝐹1 𝑁1
• = =𝑎
𝑉𝐹2 𝑁2

• As correntes de fase entre o primário e o secundário se relacionam entre si na


relação inversa do número de espiras.

𝐼𝐹1 𝑁 1
• = 𝑁2 =
𝐼𝐹2 1 𝑎

12
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão ∆-∆

• O transformador trifásico na conexão ∆-∆ é adequado para aplicações


envolvendo alimentação de cargas altamente desequilibradas.

• Vantagens:

• Pode ser operado em delta aberto

• Como os enrolamentos são conectados em delta, a corrente em cada fase é


a corrente de linha dividida por raíz de 3.

• A corrente no enrolamento é cerca de 57% da corrente de linha o que


exigirá uma menor bitola do fio;

• A tensão de linha é igual a tensão de fase.

13
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão ∆-∆

• Desvantagens

• Não possui neutro disponível, o que impede o suprimento de energia a


quatro fios.

• Dificuldade de confecção das bobinas e custos mais elevados para


aplicações envolvendo altas tensões de linha devido a necessidade do
reforço da isolação para suportar altos níveis de tensão.

14
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão ∆-Y

• O enrolamento trifásico do primário está ligado em triângulo e o enrolamento do


secundário em estrela.

• No primário, o módulo de tensão de linha e tensão de fase da estrutura são os


mesmos.

• VF = VL
15
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão ∆-Y

• Como o secundário é conectado em estrela, o mesmo não se repete.

• No primário, em função da conexão em triângulo, as tensões e correntes de fase são:

• 𝑉𝐹 = 𝑉𝐿

𝐼𝐿
• 𝐼𝐹 = 3

• No secundário conectado em estrela as tensões e correntes de fase são:

• No primário, em função da conexão em triângulo, as tensões e correntes de fase são:

𝑉𝐿
• 𝑉𝐹 =
3

• 𝐼𝐹 = 𝐼𝐿
16
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão ∆-Y

• Aplicação:

• Alimentação de cargas a quatro fios.

• Utilizado em subestações na extremidade emissora de linhas de transmissão


como transformador elevador.

• Utilizado em linhas de distribuição dos sistemas elétricos como transformador


abaixador.

17
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão ∆-Y

• Vantagem:

• O secundário pode ser aterrado ou utilizado para uma alimentação a quatro


condutores.

• Cargas equilibradas e desequilibradas podem ser alimentadas


concomitantemente por essa estrutura.

• Desvantagem

• A falta de uma fase coloca o transformador fora de operação.

18
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão Y-Y

• O enrolamento trifásico do primário e do secundário está ligado em estrela.

• As tensões e correntes de fase tanto no primário como no secundário são:

𝑉𝐿
• 𝑉𝐹 = 3

• 𝐼𝐹 = 𝐼𝐿
19
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão Y-Y

• Aplicação:

• Esse tipo de conexão de transformador trifásico é aplicado para a


alimentação de cargas elétricas de pequena potência, o que resulta em
pequena corrente de linha.

20
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão Y-Y

• Vantagem:

• Possui a vantagem de ser a conexão mais econômica para pequenas


potências e altas tensões.

• Os neutros do primário e do secundário estão disponíveis para aterramento


ou fornecer uma tensão equilibrada a quatro fios.

• Se faltar uma das fases em qualquer dos dois lados, as duas fases que
permanecerem, podem operar de forma a permitir uma transformação
monofásica.

21
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão Y-Y

• Desvantagem

• Apresentam neutros que são flutuantes, a menos que sejam


consistentemente aterrados.

• A falta de fase tira do transformador a capacidade de fornecer tensões


trifásicas.

22
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão Y-∆

• O enrolamento do primário está ligado em estrela e o enrolamento do secundário em


triângulo.

• No enrolamento do primário o módulo da corrente de fase e da corrente de linha da


estrutura são os mesmos.

• 𝐼𝐹 = 𝐼𝐿

23
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão Y-∆

• O módulo da tensão de fase é obtido com o módulo da tensão de linha dividido por
raiz de 3.

𝑉𝐿
• 𝑉𝐹 =
3

• No secundário conectado em triângulo, o módulo da corrente de fase é igual ao


módulo da corrente de linha dividido por raiz de 3.

• As tensões de linha e tensão de fase possuem o mesmo valor.

• VF = VL

24
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão Y-∆

• Aplicação:

• A principal aplicação é como transformador abaixador em sistemas elétricos de


potência.

• É instalado em subestações localizadas na extremidade receptora das linhas de


transmissão.

25
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Conexão Y-∆

• Vantagem

• O neutro do primário pode ser aterrado.

• A estrutura apresenta a melhor combinação para transformadores abaixadores


pois a conexão estrela é apropriada para altas tensões.

• A conexão em triângulo é adequada para altas correntes.

• Desvantagem

• Não há neutro disponível no secundário para aterramento ou para uma conexão


a quatro fios.

26
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• Para que as combinações de ligações sejam realizadas, os transformadores são


divididos em dois grupos:

• Grupo A – Quando a tensão do secundário está em fase com a tensão do


primário.

• Grupo B – quando a tensão do secundário está defasada em 30°.

• OBS:

• Transformadores de grupos diferentes não podem ser ligados em paralelo.

27
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

28
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

29
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• As indicações com os esquemas de ligação dos transformadores também podem ser


verificadas na placa de identificação dos mesmos.

30
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos

• As indicações com os esquemas de ligação dos transformadores também podem ser


verificadas na placa de identificação dos mesmos.

31
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
TAP dos Transformadores trifásicos

• As cargas ligadas à rede de distribuição variam ao longo do dia, o que causa variações
na tensão.

• Se for incontrolada, é inaceitável essa variação para os consumidores como para os


órgãos regulamentadores.

• Para prevenir tal fato, os transformadores sem subestações primárias possuem


comutador de tap sob carga (OLTC – On Load Tap Changer).

32
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
TAP dos Transformadores trifásicos

• Os transformadores provêm de tap para variar a relação entre o número de


enrolamentos do primário e secundário através de uma chave.

• O controle é feito pela análise da tensão de entrada, visando manter a saída em um


nível constante a mais próxima da referência.

• Uma comutação de tap pode ser realizada quando o transformador está energizado.

• Essa operação é denominada de “Load Tap Changer” (LTC).

33
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
TAP dos Transformadores trifásicos

• Cada comutador de TAP tem associado um relé regulador automático de tensão


(conhecido como relé 90).

• Durante sua operação, o relé 90 tem por objetivo manter a tensão na carga dentro de
uma faixa de valores determinada pelos parâmetros programados pelo usuário.

• Efetua as medições de tensão na saída do transformador e de corrente de carga e as


utiliza juntamente com os parâmetros programados de queda de tensão na linha para
calcular a tensão na carga, que por sua vez é a tensão que deve ser mantida nos
limites desejados. 34
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

35
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Definição:

• São dispositivos utilizados de modo a tornar compatível as faixas (escalas) de


atuação dos instrumentos de medição, controle e fornecer a devida proteção dos
mesmo.

• Utilizados para isolação da AT e para redução de nível de corrente e tensão.

36
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de corrente

• Definição:

• São transformadores destinados a operar com seus secundários sobre


cargas com impedância reduzida, como bobinas de amperímetros, bobinas
de corrente de relés, etc.

37
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de corrente

38
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de corrente

• Para os transformadores de corrente utiliza-se a relação de espiras como sendo:

39
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de corrente

• Os TC’s devem ser especificados de acordo com a carga que será ligada no
secundário.

• Podem ser:

• TC de medição

• TC de proteção.

• Os TC’s de proteção não devem ser usados para medição e vice-versa.

40
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de corrente

• TC de Medição

• Medição de correntes de AT

• Ótima precisão

• TC de Proteção

• Baixa precisão

• Alta corrente de saturação;

41
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de corrente

• OS TC’s podem ser:

42
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de corrente

• OS TC’s podem ser:

43
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de corrente

• As correntes nominais primárias e as relações devem ser compatíveis com a


corrente de carga do circuito primário.

• As correntes nominais primárias podem ser de 5 A e 8000 A e a corrente


secundária via de regra é 5 A.

44
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de potencial

• Definição:

• Transformadores desenvolvidos para operar com os terminais do secundário


com cargas de elevadas impedâncias.

45
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

46
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de potencial

• Aspectos construtivos:

• . O enrolamento primário de um TP consiste de um número elevado de


espiras adequado a tensão operacional da rede à qual está conectado.

• O enrolamento do secundário possui um número de espiras menor, adapta-


se a tensão do equipamento ou dispositivo que será conectado ao
enrolamento secundário.

• Por norma, a tensão secundária é de 115 V, nos TPs empregados em


medição.

• As condições de operação normal de um TP correspondem a operação de


um transformador em vazio.

• O TP é usado para conectar voltímetros, frequencímetros, Wattímetros, etc.


47
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de potencial

• Para determinar a tensão do primário ou do secundário de um TP pode-se


utilizar:

48
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

• Transformadores de potencial

• TP Indutivo

• São construídos segundo três grupos:

• Grupo 1- projetados para ligação entre fases.


• São basicamente os do tipo utilizados em sistemas de até 34,5 kV.

• Grupo 2 – Projetados para ligação entre fases e neutro de sistemas


diretamente aterrados.

• Grupo 3 – Projetados para ligação entre fase e neutro de sistemas onde


não se garante a eficácia do aterramento.

49
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Transformadores para Instrumentos

50
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Equipamentos periféricos dos transformadores de potência

• Transformadores de potencial

• TP Capacitivo

• Utilizam dois capacitores que servem para fornecer um divisor de tensão e


permitir a comunicação através do sistema.

• São construídos para tensões iguais ou superiores a 138 kV.

51
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Equipamentos periféricos dos transformadores de potência

52
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Equipamentos periféricos dos transformadores de potência

• Tipos de resfriamento:

53
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Equipamentos periféricos dos transformadores de potência

• Dispositivo de absorção de umidade

54
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Equipamentos periféricos dos transformadores de potência

• Dispositivo de absorção de umidade

• Sílica gel – Muda a cor quando saturada.

55
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Equipamentos periféricos dos transformadores de potência

• Termômetro de temperatura no topo do óleo

56
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Equipamentos periféricos dos transformadores de potência

• Indicador de nível de óleo

57
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Equipamentos periféricos dos transformadores de potência

• Relé de Bucholz

• Também conhecido como relé de gás – relé de proteção contra a falta de óleo,
acumulo de gases e falhas dielétricas nos transformadores.

58
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Equipamentos periféricos dos transformadores de potência

• Monitor de temperatura do óleo e enrolamento

59
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Equipamentos periféricos dos transformadores de potência

60
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Autotransformadores

• Autotranformadores

• São transformadores de tensão de entrada em diversos valores de tensão de


saída.

• Esse tipo é oposto ao transformador, pois no transformador existem somente


uma saída e uma entrada, já no tipo autotransformador temos a possibilidade de
algumas tensões diferentes na saída.

• Um autotransformador é fabricado somente com uma bobina e um núcleo


ferromagnético.

• Essa bobina possui no lado da carga, ou seja, lado oposto a entrada de corrente,
vários taps para configuração da bobina, dessa forma dependendo da posição do
tap, um tipo de tensão será gerado no aparelho.

61
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Autotransformadores

• Autotranformadores

• No autotransformador, dois enrolamentos normais podem ser conectados de


forma que um deles é comum a ambos os circuitos: primário e secundário.

62
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Autotransformadores

• Autotranformadores

• No autotransformador, dois enrolamentos normais podem ser conectados de


forma que um deles é comum a ambos os circuitos: primário e secundário.

63
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Autotransformadores

• Autotranformadores

• Autotransformador monofásico

64
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Autotransformadores

• Autotranformadores

• A relação de espiras efetiva de um autotransformador é:

65
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Autotransformadores

66
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Autotransformadores

• Autotranformadores

• Uma diferença importante entre o transformador de dois enrolamentos e o


autotransformador é que no primeiro, os enrolamentos estão eletricamente
isolados, ao passo que no segundo os enrolamentos estão conectados entre si.

67
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Autotransformadores

• Autotranformadores

• Vantagens

• Redução no peso e no tamanho do equipamento;

• Redução de perdas;

• Menor impedância série e melhor regulação de tensão;

68
Máquinas Elétricas I

Transformadores Trifásicos
Autotransformadores

• Autotranformadores

• Desvantagens:

• Perda de isolamento entre os circuitos primário e secundário;

• Não permite certas conexões trifásicas.

69
Obrigado pela atenção!
Contato: mileneosousa@gmail.com

MÁQUINAS ELÉTRICAS I