Você está na página 1de 9

Sequência didática para trabalhar com nome e sobrenome das crianças

Público Alvo: Crianças da Pré-escola (grupos de 04 e 05 anos)

Período: 15 dias ou mais

1. Justificativa: As crianças da educação infantil se encontram em uma etapa em que a


formação da identidade é algo extremamente preponderante para a estrutura de suas
personalidades, de suas relações com sigo mesma, com outras pessoas e com o mundo. E
uma vez que a formação da identidade está intimamente relacionada ao conhecimento do
nome e sobrenome, como também com a construção de uma autoimagem positiva faz-se
necessário então o desenvolvimento dessa proposta de atividades.

2. O que as crianças irão aprender com a sequência didática: (objetivos):

· Descobrir que todas as coisas tem nome;

· Conhecer a bibliografia de Toquinho e algumas de suas obras;

· Saber que gente tem nome e sobrenome;

· Escrever o sem primeiro nome;

· Conhecer a história do seu nome;

· Escrever seu sobrenome;

· Identificar a primeira letra do seu nome em diferentes contextos;

· Refletir sobre a escrita no seu primeiro nome;

· Identificar o seu nome e os nomes dos colegas em diferentes situações;

· Identificar as pessoas das suas famílias, usando características e nomes;

· Conhecer e identificar as partes do copo

· Perceber e identificar suas características físicas;

MÚSICA-Gente Tem Sobrenome


Toquinho

Todas as coisas têm nome


Casa, janela e jardim
Coisas não têm sobrenome
Mas a gente sim

Todas as flores têm nome


Rosa, camélia e jasmim
Flores não têm sobrenome
Mas a gente sim

O Chico é Buarque, Caetano é Veloso


O Ari foi Barroso também
E tem os que são Jorge, tem o Jorge Amado
Tem outro que é o Jorge Ben

Quem tem apelido, Dedé, Zacarias


Mussum e a Fafá de Belém
Tem sempre um nome e depois do nome
Tem sobrenome também

Todo brinquedo tem nome


Bola, boneca e patins
Brinquedos não têm sobrenome
Mas a gente sim

Coisas gostosas têm nome


Bolo, mingau e pudim
Doces não têm sobrenome
Mas a gente sim

Renato é Aragão, o que faz confusão


Carlitos é o Charles Chaplin
E tem o Vinícius, que era de Moraes
E o Tom Brasileiro é Jobim
Quem tem apelido, Zico, Maguila
Xuxa, Pelé e He-man
Tem sempre um nome e depois do nome
Tem sobrenome também

Material que o professor deverá fazer:

· Cartão de cartolina com o nome do aluno;

· Lista com o nome de todos os alunos que será afixado na parede;

· Folhas mimeografadas divididas em retângulos onde serão escritos os nomes de todos


(inclusive o da professora).

1ª Semana: Seu nome, suas características físicas, os nomes dos colegas, as pessoas da
família e as partes do seu corpo.

1º Dia – Linguagem Verbal: (oral e escrita) e artística:

· Escrever o poema inteiro (05 anos) em um cartaz de papel metro com letras garrafais;

· Apresentar o poema às crianças – comentar sobre de que gênero se trata: poético e falar
sobre quem escreveu (mostrar uma imagem do autor);

· Na rodinha: falar sobre quem é Toquinho;

· Ler o poema em voz alta para as crianças;

· Solicitar que as crianças pesquisem em revistas e livros gravuras das coisas que
aparecem no poema, recorte e coletivamente ilustrem as margens do cartaz que será exposto
na sala;

Linguagem artística:

· Comentar com as crianças que além desse poema Toquinho também escreveu outros
poemas e de que a maioria deles foi musicado;

· Citar e apresentar algumas das obras de Toquinho para as crianças:

- AQUARELA (música) – colocar pra tocar e pedir que as crianças escutem prestando atenção
nas partes porque vão ter que desenhar;
- Construir com as crianças em folhas A3 – cartazes ilustrativos da letra da música: cola cada
parte em um cantinho e pede para que as crianças desenhe o que corresponde usando tinha
guache – pode ser em 4 grupos ou individuais;

- Expor as produções das crianças no pátio;

2º Dia: Linguagem Verbal: (oral e escrita):

· Ler o poema em voz alta para as crianças;

· Realizar uma leitura oral coletiva com todas as crianças juntas;

· Questionar: Qual é o nome do poema? Fala sobre o que?

· Trabalhar só com a 1ª e 2ª estrofe – explicar o que é uma estrofe;

· Fazer uma nova leitura oral coletiva com as crianças só das estrofes abaixo:

TODAS AS COISAS TÊM NOME


CASA, JANELA E JARDIM
COISAS NÃO TÊM SOBRENOME
MAS A GENTE SIM

TODAS AS FLORES TÊM NOME


ROSA, CAMÉLIA E JASMIM
FLORES NÃO TÊM SOBRENOME
MAS A GENTE SIM

· Questionar: Estas estrofes estão afirmando o que?

· Qual é o nome das coisas que aparece na primeira estrofe?

· E na segunda?

· Listar na lousa os nomes das coisas do poema que as crianças forem citando e fazer a
leitura oral coletiva com elas;
· Conversar com as crianças: Todas as coisas tem nome? E nós, temos nomes? Os
nomes das pessoas podem ser iguais? O que é que as pessoas têm no nome que é diferente
das outras coisas? Quando as pessoas têm nomes iguais o que é que faz a diferença?

· Comentar: Assim como as coisas tem nomes, nós também temos um nome pelo qual
somos chamados pelas pessoas: professora, colegas, pais, amigos... Discutir sobre a
importância do nome (serve para nos identificar, identificar nossas coisas, etc.);

· Pedir para que cada criança fale o seu nome – lista-los na lousa (construindo a agenda
da turma) – em ordem alfabética (explicar); - perguntar quem é que tem o nome começado pela
letra: A, B, Ce assim sucessivamente;

· Na rodinha questionar: Se a criança gosta do nome e por quê? Comentar sobre a


questão do preconceito que não deve existir em relação a nenhum nome;

· Ler coletivamente a lista dos nomes construída;

· Enquanto ler – sinalizar com as crianças qual é a primeira letra do nome de cada uma;

· Chamar o aluno entregando seu cartão;

· Atividade escrita: trabalhando com as fichinhas dos nomes (entregar folha


mimeografada) para que as crianças observem as fichas escrevam o seu nome;

· Para casa: Atividade escrita com o nome e a letra inicial dos nomes das crianças;

3º Dia: Linguagem verbal (ouvir/falar) e Linguagem da brincadeira:

· Mostrar o cartão sem falar o nome esperando que o dono ou algum colega o reconheça;

· Roda de conversa (questionar e deixar que as crianças apresentem suas respostas:


Além do nome que cada um tem o que mais pode servir para nos identificar e nos diferençar de
outras pessoas)? A cor e o formato dos olhos, a cor da pele? O formato do rosto, da boca, o
jeito de ser, de falar, de se vestir? Os gostos e preferências?

· Brincadeira da caixa (caixa com um espelho dentro, embrulhada como presente):


conversar com as crianças antes explicando que vai passar a caixinha surpresa que tem um
presente para cada um dentro, que ao som da música quando for dado o sinal, a criança
deverá abrir a caixa e olhar lá dentro qual é o seu presente, mas não deverá contar a ninguém
o que viu.
Música: A caixinha da surpresa agora vai passar e se para na minha mão lá no fundo eu vou
olhar...

Abra, veja será que tem o que?

Abra, olhe, agora vamos vê!

- Depois que todas as crianças abrirem e se verem dentro da caixa, o educador deverá
questionar ainda na rodinha: com cada um: O que foi que você viu fulano (falar o nome da
criança) o que sentiu? Ir perguntando a cada um: Qual é a cor dos olhos que você viu? E os
cabelos? A boca? – ressaltar sobre a questão das diferenças de cor, raça, cabelos, viver,
vestir, etc.; das misturas do povos: negros, índios, asiáticos

- Pedir para que cada criança com cartolina e usando diferentes materiais faça uma moldura
(porta retrato) para dentro desenhar o seu autorretrato e embaixo escreva o seu nome. – as
crianças levarão o porta retrato para casa;

Para casa: Atividade de pesquisa: A história do nome: Material: Folhas de papel ofício.

Procedimento:
· Propor às crianças que façam uma entrevista com os seus pais, procurando saber qual a
origem dos seus nomes.

· Montar com os alunos uma ficha para auxiliá-los na entrevista, incluindo perguntas tais como:

Essa é a história do meu nome:

_ Meu nome é:_________________________________________

- Quem escolheu?_____________________________________

- Por que escolheu?___________________________________

· Combinar com a turma que o relato será no dia seguinte.


Sugestão de Atividade: Contar a história do seu nome aprendida com a entrevista e ilustrá-la.

· Observações: Todos deverão trazer a entrevista no dia marcado, oportunizando o


desenvolvimento da responsabilidade desde pequenos, e, caso isso não aconteça, o professor
deverá estar preparado e saber qual atitude tomar frente a este problema.
4º Dia: Linguagem verbal (oral e escrita e Linguagem artística):

· Mostrar o cartão sem ler, mas dando uma característica do dono. Os alunos devem
identificar quem é.

· Retomar a atividade da entrevista que passou para casa – roda de conversa onde as
crianças irão relatar sobre a entrevista feita em casa, uma a uma - Contar a história do seu
nome aprendida com a entrevista e ilustrá-la se quiser;

· Interessante: Em papel pardo o professor poderá registrar o nome de todos e uma


síntese da origem do mesmo e fixar no mural.

Observações: Cobrar a atividade de todas as crianças;

· Retomar a atividade 2 que passou para casa, disponibilizar os materiais e pedir para que
as crianças criem a cantoneira da folha com os materiais disponibilizados;

· Atividade de pesquisa na classe: pesquisar em livros e revistas várias palavras que


comecem com a 1ª letra do seu nome, recorta e colar;

5º Dia: Linguagem Verbal: (escrita):

· Embaralhar os cartões, entregar um para cada aluno que deverá entregar ao dono;

· Pintura a dedo usando guache: Entregar uma folha mimeografada para as crianças e
pedir que observando as fichas tracem o seu nome (só o primeiro) na folha sendo que a 1ª letra
deverá ser pintada com uma cor diferente das demais letras;

· Atividade escrita: Com a 1ª letra do nome;

· Trabalhar com a música:

CABEÇA, OMBRO, JOELHO E PÉ:


· Comentar: cada um tem um nome que é SEU e tem um corpo que é formado por partes:
com um boneco – ir desmontando e mostrando a cada criança cada parte e questionando a
função de cada uma;

· Atividade de colagem e montagem do corpo humano formando um boneco ou boneca


em uma folha mimeografada:

“MEU CORPO ESTÁ FORMADO ASSIM..”.

· A professora irá afixar na sala um cartaz do corpo humano com os nomes das partes
escritos com letras garrafais e as crianças observando os nomes de cada uma das partes do
corpo humano, deverão escrevê-las nas partes correspondentes nos bonecos montados na
folha;

Interesses relacionados