Você está na página 1de 5

MINHA IDENTIDADE EM CRISTO

Texto: “Porque eu, mediante a própria fé, morri


para a lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com
Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim;
e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de
Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.” (Gl
2.19-20)
Introdução: Todos nós temos uma certidão, um
documento que é emitido logo após o nascimento e que
nos identifica, que diz quem somos, de quem somos
filhos, onde e quando nascemos.

Falar em identidade é o mesmo que falar em se


conhecer, pois identidade, no sentido original, é o
conjunto de características que nos distinguem de outras
pessoas, de objetos, permitindo assim a nossa
individualização, diferença. Todo ser humano possui uma
identidade, querendo ou não, entendendo ou não,
conhecendo qual é essa identidade ou não.
Com a certidão em mãos, podemos conviver na
sociedade e ser identificados como cidadãos. Podemos a
partir dela, emitir outros documentos que nos possibilitam
votar, dirigir um veículo etc...
Mas será mesmo que entendemos de identidade “além”
de tudo isso?! O mundo em que vivemos é tão confuso no
quesito identidade que pessoas trocam de nome, de sexo,
não se aceitam como são. O que está acontecendo nesse
mundo de meu Deus onde as pessoas parecem perdidas
na sua identidade, ocultando-se ou querendo mostrar o
que não são?! Por que ser fake, palavra em inglês que
denota alguém falso que se passa por outro ou cria um
personagem mentiroso, que não existe, para simular uma
identidade irreal? Por que pessoas até na intimidade se
mostram ser um personagem inexistente e não
expressam sua real identidade? Você já parou para
pensar nisso?!

O primeiro nascimento é quando nascemos da carne, mas


existe um outro tipo de nascimento, que é do Espírito, e
que assim como o da carne, nos dá também uma
identidade a respeito de quem somos, de onde viemos,
quando nascemos e ainda aponta para onde iremos.

Existe um personagem na bíblia, chamado Nicodemos,


que era uma autoridade entre os judeus, era mestre da lei
e conhecedor exímio da Torá. Contar a história...
Nicodemos não entende o que significa nascer de novo,
mas Jesus explica que há o nascimento da carne e do
espírito, e através deste último podemos entrar no Reino
de Deus. (João 3)
No início fomos criados à imagem e semelhança de Deus
(Genesis 1.26a), “E disse Deus: Façamos o homem à
nossa imagem, conforme a nossa semelhança”.

1 – Quem eu sou??

A - É quase sempre muito difícil se auto definir. Quem eu


sou? Muitos timidamente respondem o que são
profissionalmente, sou médico, advogado, professor,
estudante. Mas a nossa verdadeira identidade está além
daquilo que fazemos. Na realidade a nossa identidade
determina aquilo que fazemos e não o contrário. Fazemos
algo por que o que somos nos dá características para
fazer.
Imagem: Representação de uma pessoa ou uma coisa
pela pintura, a escultura, o desenho etc. Reprodução
visual de um objeto dada por um espelho.
Semelhança: Em que há ou demonstra haver relação ou
afinidade entre seres, coisas, pontos de vista; que possui
algo em comum; Que apresenta uma relação de
conformidade entre o modelo e o resultado imitado: há
semelhança entre o verdadeiro e a cópia.
2 – Como eu me vejo, qual o nome que você hoje dá a
você mesmo?
... Tímido...Criativo...Extrovertido...Prático...Perfeito... Não
cometo erros...Super crente... Sempre certinho.
... Derrotado ... Fracassado
...Iludido...Desacreditado...Humilhado
...Sem perspectiva...Indeciso...Perdido ou ainda pior
...Pervertido...Preguiçoso...Rebelde.

3 – Como Deus me vê
Em vez de apenas conhecer, é um desafio praticar as
verdades bíblicas. Conhecemos muito bem o ensino
sobre ser filhos de Deus, mas vivemos muito mal a
realidade. Entendemos intelectualmente que somos filhos,
mas a maioria vive como servos, acredita que nosso valor
depende de nosso serviço e de agradar as pessoas.
Algumas descrições bíblicas de servos esclarecem que
eles não sabem ou não precisam entender os propósitos
de seu líder, muito menos o coração dele (Jo 15:15a).” “Já
vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que
faz o seu senhor”
Lucas: 3 .22 E o Espírito Santo desceu sobre ele em
forma corpórea, como pomba; e ouviu-se uma voz do céu,
que dizia: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo.

A parábola do Filho Prodigo mostra duas realidades de


“filhos”: O mais novo perdido, não valoriza o sacrifício do
Pai e o mais velho não entende o coração do Pai. Ele fica
ofendido com facilidade, tem dificuldade de celebrar as
bênçãos dos outros, acha que os benefícios que os outros
recebem, diminuem de alguma forma o benefício que ele
poderia receber e fica irado quando as coisas não andam
como ele quer. (Lc 15:29)
Áreas de diferença entre servo e filho
QUADRO
Conclusão: A mudança de identidade não é algo que se
faz apenas com ajustes. Requer quebrantamento,
permitindo o oleiro refazer o vaso da forma como quer.
Técnica do Espelho
Fomos justificados pelo sangue de Jesus, que morreu na
cruz por nós. Somos dignos de vestir a capa, dignos do
anel no dedo, de sentarmos à mesa do Rei, porque um
alto preço foi pago na cruz do Calvário pela nossa vida.
Mas muitas vezes por não sabermos quem realmente
somos, vivemos das migalhas que as ilusões deste
mundo tende a nos oferecer. Porém, ainda é tempo de
reconhecer quem verdadeiramente somos, por meio
daquele nos salvou, Jesus. Por isso, toda vez que alguém
perguntar quem é você, responda: “Eu sou filho de Deus,
vim ao mundo com o propósito de fazer a vontade do Pai.”
Assuma sua verdadeira identidade em Cristo.
Áreas Eu me vejo Deus me vê
Seu valor Baseia-se em seu Baseia-se na segurança de
serviço/ ministério ser filho, valorizado pelo
(fazer). Tem valor que é e não pelo que faz
enquanto serve.
Base para sentir Ser útil; agradar às Ser amado, sentir o prazer
bem pessoas do pai em mim
Conhecimento Preciso saber oque O Pai revela seus
fazer, não preciso propósitos, o filho entende o
entender o propósito coração do Pai
por trás das ações
Motivação Obrigação, Cumpre o Alegria, participa com o Pai
que deveria fazer. Às em seu trabalho e propósitos
vezes, compulsão de
produzir, ou de
agradar as pessoas
Propósito de sua Trabalhar, ser Ser companheiro de seu Pai
existência produtivo, obter e crescer para ser como ele
resultados
Tipo de Contratual: Cumpre Aliança: Relação de família,
Relacionamento serviço em troca de intimidade, carinho, afeto,
benefícios amor, alegria e celebração
Aproximação Emocionalmente Compartilha o Espírito,
Pessoal distante do Pai herança e sofrimentos do
Pai
Consequências da Punido, rejeitado, Disciplinado para ser
desobediência ou afastado, restaurado (Hb 12:5-11)
não agradar
Relação do seu Fazer o que lhe Fazer oque o Pai está
trabalho com o seu mandam fazer, muitas fazendo, parceria. O direito
líder vezes realizando de expressar seus
aquilo que não gosta. sentimentos e perspectivas
Subordinado, sem (João 5:19)
voz, sem poder de
decisão.
Fonte de energia, Esforço próprio, na Graça, amor e aceitação
força ou poder espera de como fonte para todo
reconhecimento esforço.(I Co 15:10)