Você está na página 1de 86

APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

Estes números foram suficientes para a sociedade


durante algum tempo. Com o passar dos anos, e o
aumento das "trocas" de mercadorias entre os homens,
foi necessário criar uma representação numérica para
as dívidas.
1. Números inteiros, racionais e reais.
2. Razões e proporções; divisão proporcional; regra de Com isso inventou-se os chamados "números nega-
três simples e composta; porcentagens. tivos", e junto com estes números, um novo conjunto: o
3. Juros simples e compostos. Taxas de juros: nominal, conjunto dos números inteiros, representado pela letra
efetiva, equivalentes, proporcionais, real e aparente. .
4. Rendas uniformes e variáveis.
5. Planos de amortização de empréstimos e financia- O conjunto dos números inteiros é formado por to-
mentos. dos os números NATURAIS mais todos os seus repre-
6. Cálculo financeiro: custo real efetivo de operações sentantes negativos.
de financiamento, empréstimo e investimento.
7. Inflação, variação cambial e taxa de juros. Note que este conjunto não possui início nem fim
8. Análise de investimentos: método do valor anual (ao contrário dos naturais, que possui um início e não
uniforme equivalente, método do valor presente, possui fim).

Assim como no conjunto dos naturais, podemos re-


NÚMEROS NATURAIS, INTEIROS, RACIONAIS, presentar todos os inteiros sem o ZERO com a mesma
IRRACIONAIS E REAIS. notação usada para os NATURAIS.
Z* = {..., -2, -1, 1, 2, ...}

Conjuntos numéricos podem ser representados de Em algumas situações, teremos a necessidade de


diversas formas. A forma mais simples é dar um nome representar o conjunto dos números inteiros que NÃO
ao conjunto e expor todos os seus elementos, um ao SÃO NEGATIVOS.
lado do outro, entre os sinais de chaves. Veja o exem-
plo abaixo: Para isso emprega-se o sinal "+" ao lado do símbolo
A = {51, 27, -3} do conjunto (vale a pena lembrar que esta simbologia
representa os números NÃO NEGATIVOS, e não os
Esse conjunto se chama "A" e possui três termos, números POSITIVOS, como muita gente diz). Veja o
que estão listados entre chaves. exemplo abaixo:
Z+ = {0,1, 2, 3, 4, 5, ...}
Os nomes dos conjuntos são sempre letras maiús-
culas. Quando criamos um conjunto, podemos utilizar Obs.1: Note que agora sim este conjunto possui um
qualquer letra. início. E você pode estar pensando "mas o zero não é
positivo". O zero não é positivo nem negativo, zero é
Vamos começar nos primórdios da matemática. NULO.
- Se eu pedisse para você contar até 10, o que você
me diria? Ele está contido neste conjunto, pois a simbologia
- Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove do sinalzinho positivo representa todos os números
e dez. NÃO NEGATIVOS, e o zero se enquadra nisto.

Pois é, estes números que saem naturalmente de Se quisermos representar somente os positivos (ou
sua boca quando solicitado, são chamados de números seja, os não negativos sem o zero), escrevemos:
NATURAIS, o qual é representado pela letra . Z*+ = {1, 2, 3, 4, 5, ...}

Foi o primeiro conjunto inventado pelos homens, e Pois assim teremos apenas os positivos, já que o
tinha como intenção mostrar quantidades. zero não é positivo.
*Obs.: Originalmente, o zero não estava incluído
neste conjunto, mas pela necessidade de representar Ou também podemos representar somente os intei-
uma quantia nula, definiu-se este número como sendo ros NÃO POSITIVOS com:
pertencente ao conjunto dos Naturais. Portanto:
Z - ={...,- 4, - 3, - 2, -1 , 0}
N = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, ...}

Obs.2: Como o zero originou-se depois dos outros Obs.: Este conjunto possui final, mas não possui i-
números e possui algumas propriedades próprias, al- nício.
gumas vezes teremos a necessidade de representar o
conjunto dos números naturais sem incluir o zero. Para E também os inteiros negativos (ou seja, os não po-
isso foi definido que o símbolo * (asterisco) empregado sitivos sem o zero):
ao lado do símbolo do conjunto, iria representar a au- Z*- ={...,- 4, - 3, - 2, -1}
sência do zero. Veja o exemplo abaixo:
N* = {1, 2, 3, 4, 5, 6, ...} Assim:
Matemática Financeira 1 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

Conjunto dos Números Naturais Conjunto dos Números Reais


São todos os números inteiros positivos, incluindo o É formado por todos os conjuntos citados anterior-
zero. É representado pela letra maiúscula N. mente (união do conjunto dos racionais com os irracio-
Caso queira representar o conjunto dos números natu- nais).
rais não-nulos (excluindo o zero), deve-se colocar um *
ao lado do N: Representado pela letra R.
N = {0,1,2,3,4,5,6,7,8,9,10, ...}
N* = {1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11, ...} Representação geomé trica de
A cada ponto de uma reta podemos associar um ú-
Conjunto dos Números Inteiros nico número real, e a cada número real podemos asso-
São todos os números que pertencem ao conjunto ciar um único ponto na reta.
dos Naturais mais os seus respectivos opostos (negati- Dizemos que o conjunto é denso, pois entre dois
vos). números reais existem infinitos números reais (ou seja,
na reta, entre dois pontos associados a dois números
São representados pela letra Z: reais, existem infinitos pontos).
Z = {... -4, -3, -2, -1, 0, 1, 2, 3, 4, ...}
Veja a representação na reta de :
O conjunto dos inteiros possui alguns subconjuntos,
eles são:

- Inteiros não negativos


São todos os números inteiros que não são negati-
vos. Logo percebemos que este conjunto é igual ao
Fonte:
conjunto dos números naturais. http://www.infoescola.com/matematica/conjuntos-
numericos/
É representado por Z+:
Z+ = {0,1,2,3,4,5,6, ...} CONJUNTO DOS NÚMEROS NATURAIS (N)
- Inteiros não positivos ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
São todos os números inteiros que não são positi- Veja a operação: 2 + 3 = 5 .
vos. É representado por Z-: A operação efetuada chama-se adição e é indicada
Z- = {..., -5, -4, -3, -2, -1, 0} escrevendo-se o sinal + (lê-se: “mais") entre os núme-
ros.
- Inteiros não negativos e não-nulos
É o conjunto Z+ excluindo o zero. Representa-se es- Os números 2 e 3 são chamados parcelas. 0 núme-
se subconjunto por Z*+: ro 5, resultado da operação, é chamado soma.
Z*+ = {1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, ...} 2 → parcela
Z*+ = N*
+ 3 → parcela
- Inteiros não positivos e não nulos 5 → soma
São todos os números do conjunto Z- excluindo o
zero. Representa-se por Z*-. A adição de três ou mais parcelas pode ser efetua-
Z*- = {... -4, -3, -2, -1} da adicionando-se o terceiro número à soma dos dois
primeiros ; o quarto número à soma dos três primeiros
Conjunto dos Números Racionais e assim por diante.
Os números racionais é um conjunto que engloba 3+2+6 =
os números inteiros (Z), números decimais finitos (por 5 + 6 = 11
exemplo, 743,8432) e os números decimais infinitos
periódicos (que repete uma sequência de algarismos Veja agora outra operação: 7 – 3 = 4
da parte decimal infinitamente), como "12,050505...",
são também conhecidas como dízimas periódicas. Quando tiramos um subconjunto de um conjunto,
realizamos a operação de subtração, que indicamos
Os racionais são representados pela letra Q. pelo sinal - .
7 → minuendo
Conjunto dos Números Irracionais –3 → subtraendo
É formado pelos números decimais infinitos não- 4 → resto ou diferença
periódicos. Um bom exemplo de número irracional é o
número PI (resultado da divisão do perímetro de uma 0 minuendo é o conjunto maior, o subtraendo o sub-
circunferência pelo seu diâmetro), que vale 3,14159265 conjunto que se tira e o resto ou diferença o conjunto
.... Atualmente, supercomputadores já conseguiram que sobra.
calcular bilhões de casas decimais para o PI.
Somando a diferença com o subtraendo obtemos o
Também são irracionais todas as raízes não exatas, minuendo. Dessa forma tiramos a prova da subtração.
como a raiz quadrada de 2 (1,4142135 ...) 4+3=7
Matemática Financeira 2 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
x – 25 = 11
EXPRESSÕES NUMÉRICAS x = 11 + 25
x = 36
Para calcular o valor de uma expressão numérica
envolvendo adição e subtração, efetuamos essas ope- Passamos o número 25 para o outro lado da igual-
rações na ordem em que elas aparecem na expressão. dade e com isso ele mudou de sinal.

Exemplos: 35 – 18 + 13 = 3) Qual o número natural que, adicionado a 8, é i-


17 + 13 = 30 gual a 20?
Veja outro exemplo: 47 + 35 – 42 – 15 = Solução:
82 – 42 – 15= x + 8 = 20
40 – 15 = 25 x = 20 – 8
x = 12
Quando uma expressão numérica contiver os sinais
de parênteses ( ), colchetes [ ] e chaves { }, procede- 4) Determine o número natural do qual, subtraindo
remos do seguinte modo: 62, obtemos 43.
1º Efetuamos as operações indicadas dentro dos Solução:
parênteses; x – 62 = 43
2º efetuamos as operações indicadas dentro dos x = 43 + 62
colchetes; x = 105
3º efetuamos as operações indicadas dentro das
chaves. Para sabermos se o problema está correto é sim-
ples, basta substituir o x pelo valor encontrado e reali-
1) 35 +[ 80 – (42 + 11) ] = zarmos a operação. No último exemplo temos:
= 35 + [ 80 – 53] = x = 105
= 35 + 27 = 62 105 – 62 = 43

2) 18 + { 72 – [ 43 + (35 – 28 + 13) ] } = MULTIPLICAÇÃO


= 18 + { 72 – [ 43 + 20 ] } =
= 18 + { 72 – 63} = Observe: 4 X 3 =12
= 18 + 9 = 27
A operação efetuada chama-se multiplicação e é in-
CÁLCULO DO VALOR DESCONHECIDO dicada escrevendo-se um ponto ou o sinal x entre os
números.
Quando pretendemos determinar um número natu-
ral em certos tipos de problemas, procedemos do se- Os números 3 e 4 são chamados fatores. O número
guinte modo: 12, resultado da operação, é chamado produto.
- chamamos o número (desconhecido) de x ou 3 X 4 = 12
qualquer outra incógnita ( letra )
- escrevemos a igualdade correspondente 3 fatores
- calculamos o seu valor X 4
12 produto
Exemplos:
1) Qual o número que, adicionado a 15, é igual a 31? Por convenção, dizemos que a multiplicação de
qualquer número por 1 é igual ao próprio número.
Solução:
Seja x o número desconhecido. A igualdade cor- A multiplicação de qualquer número por 0 é igual a 0.
respondente será:
x + 15 = 31 A multiplicação de três ou mais fatores pode ser efe-
tuada multiplicando-se o terceiro número pelo produto
Calculando o valor de x temos: dos dois primeiros; o quarto numero pelo produto dos
x + 15 = 31 três primeiros; e assim por diante.
x + 15 – 15 = 31 – 15 3 x 4 x 2 x 5 =
x = 31 – 15 12 x 2 x 5
x = 16 24 x 5 = 120

Na prática , quando um número passa de um lado EXPRESSÕES NUMÉRICAS


para outro da igualdade ele muda de sinal.
Sinais de associação
2) Subtraindo 25 de um certo número obtemos 11. O valor das expressões numéricas envolvendo as
Qual é esse número? operações de adição, subtração e multiplicação é obti-
do do seguinte modo:
Solução: - efetuamos as multiplicações
Seja x o número desconhecido. A igualdade corres- - efetuamos as adições e subtrações, na ordem
pondente será: em que aparecem.
Matemática Financeira 3 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
dendo. Exemplo: dividindo-se laranjas por certo
1) 3.4 + 5.8– 2.9= número, o resto será laranjas.
=12 + 40 – 18 5) É impossível dividir um número por 0 (zero),
= 34 porque não existe um número que multiplicado
por 0 dê o quociente da divisão.
2) 9 . 6 – 4 . 12 + 7 . 2 =
= 54 – 48 + 14 = PROBLEMAS
= 20
1) Determine um número natural que, multiplica-
Não se esqueça: do por 17, resulte 238.
Se na expressão ocorrem sinais de parênteses col- X . 17 = 238
chetes e chaves, efetuamos as operações na ordem X = 238 : 17
em que aparecem: X = 14
1º) as que estão dentro dos parênteses Prova: 14 . 17 = 238
2º) as que estão dentro dos colchetes
3º) as que estão dentro das chaves. 2) Determine um número natural que, dividido
por 62, resulte 49.
Exemplo: x : 62 = 49
22 + {12 +[ ( 6 . 8 + 4 . 9 ) – 3 . 7] – 8 . 9 } x = 49 . 62
= 22 + { 12 + [ ( 48 + 36 ) – 21] – 72 } = x = 3038
= 22 + { 12 + [ 84 – 21] – 72 } =
= 22 + { 12 + 63 – 72 } = 3) Determine um número natural que, adicionado
= 22 + 3 = a 15, dê como resultado 32
= 25 x + 15 = 32
x = 32 – 15
DIVISÃO x =17

Observe a operação: 30 : 6 = 5 4) Quanto devemos adicionar a 112, a fim de ob-


termos 186?
x + 112 = 186
Também podemos representar a divisão das se-
x = 186 – 112
guintes maneiras:
x = 74
30
30 6 ou =5
6 5) Quanto devemos subtrair de 134 para obter-
0 5 mos 81?
134 – x = 81
O dividendo (D) é o número de elementos do con- – x = 81 – 134
junto que dividimos o divisor (d) é o número de elemen- – x = – 53 (multiplicando por –1)
tos do subconjunto pelo qual dividimos o dividendo e o x = 53
quociente (c) é o número de subconjuntos obtidos com Prova: 134 – 53 = 81
a divisão.
6) Ricardo pensou em um número natural, adi-
Essa divisão é exata e é considerada a operação cionou-lhe 35, subtraiu 18 e obteve 40 no re-
inversa da multiplicação. sultado. Qual o número pensado?
SE 30 : 6 = 5, ENTÃO 5 x 6 = 30 x + 35 – 18 = 40
x= 40 – 35 + 18
observe agora esta outra divisão: x = 23
Prova: 23 + 35 – 18 = 40
32 6
2 5 7) Adicionando 1 ao dobro de certo número ob-
32 = dividendo temos 7. Qual é esse numero?
2 . x +1 = 7
6 = divisor
2x = 7 – 1
5 = quociente
2x = 6
2 = resto
x =6:2
x =3
Essa divisão não é exata e é chamada divisão apro- O número procurado é 3.
ximada. Prova: 2. 3 +1 = 7
ATENÇÃO:
8) Subtraindo 12 do triplo de certo número obte-
1) Na divisão de números naturais, o quociente é
mos 18. Determinar esse número.
sempre menor ou igual ao dividendo.
3 . x -12 = 18
2) O resto é sempre menor que o divisor. 3 x = 18 + 12
3) O resto não pode ser igual ou maior que o divi- 3 x = 30
sor. x = 30 : 3
4) O resto é sempre da mesma espécie do divi- x = 10

Matemática Financeira 4 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
O valor das expressões numéricas envolvendo as
9) Dividindo 1736 por um número natural, encon- quatro operações é obtido do seguinte modo:
tramos 56. Qual o valor deste numero natural? - efetuamos as multiplicações e as divisões, na
1736 : x = 56 ordem em que aparecem;
1736 = 56 . x - efetuamos as adições e as subtrações, na ordem
56 . x = 1736 em que aparecem;
x. 56 = 1736
x = 1736 : 56 Exemplo 1) 3 .15 + 36 : 9 =
x = 31 = 45 + 4
= 49
10) O dobro de um número é igual a 30. Qual é o Exemplo 2) 18 : 3 . 2 + 8 – 6 . 5 : 10 =
número? = 6 . 2 + 8 – 30 : 10 =
2 . x = 30 = 12 + 8 – 3 =
2x = 30 = 20 – 3
x = 30 : 2 = 17
x = 15
POTENCIAÇÃO
11) O dobro de um número mais 4 é igual a 20.
Qual é o número ?
2 . x + 4 = 20 Considere a multiplicação: 2 . 2 . 2 em que os três
2 x = 20 – 4 fatores são todos iguais a 2.
2 x = 16
x = 16 : 2 Esse produto pode ser escrito ou indicado na forma
3
x=8 2 (lê-se: dois elevado à terceira potência), em que o 2
é o fator que se repete e o 3 corresponde à quantidade
12) Paulo e José têm juntos 12 lápis. Paulo tem o desses fatores.
dobro dos lápis de José. Quantos lápis tem 3
cada menino? Assim, escrevemos: 2 = 2 . 2 . 2 = 8 (3 fatores)
José: x
Paulo: 2x A operação realizada chama-se potenciação.
Paulo e José: x + x + x = 12 O número que se repete chama-se base.
3x = 12 O número que indica a quantidade de fatores iguais
x = 12 : 3 a base chama-se expoente.
x=4 O resultado da operação chama-se potência.
3
José: 4 - Paulo: 8 2 = 8
3 expoente
13) A soma de dois números é 28. Um é o triplo
do outro. Quais são esses números? base potência
um número: x
o outro número: 3x Observações:
x + x + x + x = 28 (os dois números) 1) os expoentes 2 e 3 recebem os nomes especi-
4 x = 28 ais de quadrado e cubo, respectivamente.
x = 28 : 4 2) As potências de base 0 são iguais a zero. 02 =
x = 7 (um número) 0.0=0
3) As potências de base um são iguais a um.
3
3x = 3 . 7 = 21 (o outro número). Exemplos: 1 = 1 . 1 . 1 = 1
Resposta: 7 e 21 15 = 1 . 1 . 1 . 1 . 1 = 1
4) Por convenção, tem-se que:
14) Pedro e Marcelo possuem juntos 30 bolinhas. 0
- a potência de expoente zero é igual a 1 (a = 1,
Marcelo tem 6 bolinhas a mais que Pedro. a ≠ 0)
Quantas bolinhas tem cada um? 30 = 1 ; 50 = 1 ; 120 = 1
Pedro: x - a potência de expoente um é igual à base (a =
1

Marcelo: x + 6 a)
x + x + 6 = 30 ( Marcelo e Pedro) 21 = 2 ; 71 = 7 ; 1001 =100
2 x + 6 = 30
2 x = 30 – 6
PROPRIEDADES DAS POTÊNCIAS
2 x = 24
x = 24 : 2
x = 12 (Pedro) 1ª) para multiplicar potências de mesma base,
Marcelo: x + 6 =12 + 6 =18 conserva-se a base e adicionam-se os expoen-
tes.
am . an = a m + n
2 8 2+8
EXPRESSÕES NUMÉRICAS ENVOLVENDO AS Exemplos: 3 . 3 = 3 = 310
6 1+6 7
QUATRO OPERAÇÕES 5.5 = 5 =5
2ª) para dividir potências de mesma base, conser-
Sinais de associação: va-se a base e subtraem-se os expoentes.
Matemática Financeira 5 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
am : an = am - n Respostas:
Exemplos: a) 8 b) 11
7
3 : 3 = 33
=37–3 4 c) 24 d) 60
510 : 58 = 5 10 – 8 = 52 e) 11 f) 76
3ª) para elevar uma potência a um outro expoente, g) 12 h) 18
conserva-se base e multiplicam-se os expoen- i) 8 j) 21
tes.
2 4
Exemplo: (3 ) = 3
2.4
= 38 02) Calcule o valor das expressões:
3 2
4ª) para elevar um produto a um expoente, eleva- a) 2 +3 =
2 2
se cada fator a esse expoente. b) 3.5 –7 =
3 3
(a. b)m = am . bm c) 2 . 3 – 4. 2 =
3 2 2
d) 5 –3 .6 +2 –1=
2 4 2
3 3 3 e) (2 + 3) + 2 . 3 – 15 : 5 =
Exemplos: (4 . 7) = 4 . 7 ; (3. 5)2 = 32 . 52 2 4 2
f) 1 + 7 – 3 . 2 + (12 : 4) =
RADICIAÇÃO
Respostas:
Suponha que desejemos determinar um número a) 17 b) 26
que, elevado ao quadrado, seja igual a 9. Sendo x esse c) 22 d) 20
2
número, escrevemos: X = 9 e) 142 f) 11

De acordo com a potenciação, temos que x = 3, ou 03) Uma indústria de automóveis produz, por dia,
2
seja: 3 = 9 1270 unidades. Se cada veículo comporta 5
pneus, quantos pneus serão utilizados ao final
A operação que se realiza para determinar esse de 30 dias? (Resposta: 190.500)
número 3 é chamada radiciação, que é a operação
inversa da potenciação. 04) Numa divisão, o divisor é 9,o quociente é 12 e o
resto é 5. Qual é o dividendo? (113)
Indica-se por:
05) Numa divisão, o dividendo é 227, o divisor é 15
2
9 =3 (lê-se: raiz quadrada de 9 é igual a 3) e o resto é 2. Qual é o quociente? (15)

Daí , escrevemos: 06) Numa divisão, o dividendo é 320, o quociente é


2
9 =3⇔3 =9 2 45 e o resto é 5. Qual é o divisor? (7)

07) Num divisão, o dividendo é 625, o divisor é 25 e


Na expressão acima, temos que:
o quociente é 25. Qual ê o resto? (0)
- o símbolo chama-se sinal da raiz
- o número 2 chama-se índice
08) Numa chácara havia galinhas e cabras em igual
- o número 9 chama-se radicando
quantidade. Sabendo-se que o total de pés des-
- o número 3 chama-se raiz,
ses animais era 90, qual o número de galinhas?
2
- o símbolo 9 chama-se radical Resposta: 15 ( 2 pés + 4 pés = 6 pés ; 90 : 6 =
15).
As raízes recebem denominações de acordo com o
índice. Por exemplo: 09) O dobro de um número adicionado a 3 é igual a
2 13. Calcule o número.(5)
36 raiz quadrada de 36
3
125 raiz cúbica de 125 10) Subtraindo 12 do quádruplo de um número ob-
4 temos 60. Qual é esse número (Resp: 18)
81 raiz quarta de 81
5
32 raiz quinta de 32 e assim por diante 11) Num joguinho de "pega-varetas", André e Rena-
to fizeram 235 pontos no total. Renato fez 51
No caso da raiz quadrada, convencionou-se não es- pontos a mais que André. Quantos pontos fez
crever o índice 2. cada um? ( André-92 e Renato-143)

Exemplo : 2 49 = 49 = 7, pois 72 = 49 12) Subtraindo 15 do triplo de um número obtemos


39. Qual é o número? (18)
EXERCÍCIOS
13) Distribuo 50 balas, em iguais quantidades, a 3
01) Calcule: amigos. No final sobraram 2. Quantas balas
a) 10 – 10 : 5 = b) 45 : 9 + 6 = coube a cada um? (16)
c) 20 + 40 : 10 = d) 9. 7 – 3 =
e) 30 : 5 + 5 = f) 6 . 15 – 56 : 4 = 14) A diferença entre dois números naturais é zero
g) 63 : 9 . 2 – 2 = h) 56 – 34 : 17 . 19 = e a sua soma é 30. Quais são esses números?
i) 3 . 15 : 9 + 54 :18 = j) 24 –12 : 4+1. 0 = (15)

Matemática Financeira 6 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
15) Um aluno ganha 5 pontos por exercício que a- número, observe:
certa e perde 3 pontos por exercício que erra. - duas vezes o número 2.x
Ao final de 50 exercícios tinha 130 pontos.
Quantos exercícios acertou? (35) - o número mais 2 x+2
x
16) Um edifício tem 15 andares; cada andar, 30 sa- - a metade do número
las; cada sala, 3 mesas; cada mesa, 2 gavetas; 2
cada gaveta, 1 chave. Quantas chaves diferen- - a soma do dobro com a metade do número
tes serão necessárias para abrir todas as gave- x
tas? (2700).
2⋅ x +
2
17) Se eu tivesse 3 dúzias de balas a mais do que x
- a quarta parte do número
tenho, daria 5 e ficaria com 100. Quantas balas 4
tenho realmente? (69)
PROBLEMA 1
18) A soma de dois números é 428 e a diferença Vera e Paula têm juntas R$ 1.080,00. Vera tem o
entre eles é 34. Qual é o número maior? (231) triplo do que tem Paula. Quanto tem cada uma?
Solução:
19) Pensei num número e juntei a ele 5, obtendo 31. x + 3x = 1080
Qual é o número? (26) 4x= 1080
x =1080 : 4
20) Qual o número que multiplicado por 7 resulta x= 270
56? (8) 3 . 270 = 810
Resposta: Vera – R$ 810,00 e Paula – R$ 270,00
21) O dobro das balas que possuo mais 10 é 36.
Quantas balas possuo? (13). PROBLEMA 2
Paulo foi comprar um computador e uma bicicleta.
22) Raul e Luís pescaram 18 peixinhos. Raul Pagou por tudo R$ 5.600,00. Quanto custou cada
pescou o dobro de Luís. Quanto pescou cada um, sabendo-se que a computador é seis vezes
um? (Raul-12 e Luís-6) mais caro que a bicicleta?
Solução:
PROBLEMAS x + 6x = 5600
7x = 5600
x = 5600 : 7
Vamos calcular o valor de x nos mais diversos ca-
x = 800
sos:
6 . 800= 4800
R: computador – R$ 4.800,00 e bicicleta R$ 800,00
1) x + 4 = 10
Obtêm-se o valor de x, aplicando a operação inver-
PROBLEMA 3
sa da adição:
Repartir 21 cadernos entre José e suas duas irmãs,
x = 10 – 4
de modo que cada menina receba o triplo do que
x=6
recebe José. Quantos cadernos receberá José?
Solução:
2) 5x = 20
x + 3x + 3x = 21
Aplicando a operação inversa da multiplicação, te-
7x = 21
mos: x = 21 : 7
x = 20 : 5 x =3
x=4
Resposta: 3 cadernos
3) x – 5 = 10 PROBLEMA 4
Obtêm-se o valor de x, aplicando a operação inver- Repartir R$ 2.100,00 entre três irmãos de modo que
sa da subtração: o 2º receba o dobro do que recebe o 1º , e o 3º o
x = 10 + 5
dobro do que recebe o 2º. Quanto receberá cada
x =15
um?
Solução:
4) x : 2 = 4
x + 2x + 4x = 2100
Aplicando a operação inversa da divisão, temos: 7x = 2100
x=4.2 x = 2100 : 7
x=8 x = 300
300 . 2 = 600
COMO ACHAR O VALOR DESCONHECIDO EM UM 300 . 4 =1200
PROBLEMA Resposta: R$ 300,00; R$ 600,00; R$ 1200,00

Usando a letra x para representar um número, po- PROBLEMA 5


demos expressar, em linguagem matemática, fatos e A soma das idades de duas pessoas é 40 anos. A
sentenças da linguagem corrente referentes a esse
Matemática Financeira 7 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
idade de uma é o triplo da idade da outra. Qual a i-
dade de cada uma? O conjunto dos números inteiros relativos é formado
Solução: pelos números inteiros positivos, pelo zero e pelos nú-
3x + x = 40 meros inteiros negativos. Também o chamamos de
4x = 40 CONJUNTO DOS NÚMEROS INTEIROS e o represen-
x = 40 : 4 tamos pela letra Z, isto é: Z = {..., -3, -2, -1, 0, +1,
x = 10 +2, +3, ... }
3 . 10 = 30
Resposta: 10 e 30 anos. O zero não é um número positivo nem negativo. To-
do número positivo é escrito sem o seu sinal positivo.
PROBLEMA 6
A soma das nossas idades é 45 anos. Eu sou 5 a- Exemplo: + 3 = 3 ; +10 = 10
nos mais velho que você. Quantos anos eu tenho? Então, podemos escrever: Z = {..., -3, -2, -1, 0 ,
x + x + 5 = 45 1, 2, 3, ...}
x + x= 45 – 5
2x = 40 N é um subconjunto de Z.
x = 20
20 + 5 = 25 REPRESENTAÇÃO GEOMÉTRICA
Resposta: 25 anos Cada número inteiro pode ser representado por um
ponto sobre uma reta. Por exemplo:
PROBLEMA 7
Sua bola custou R$ 10,00 menos que a minha.
Quanto pagamos por elas, se ambas custaram R$ ... -3 -2 -1 0 +1 +2 +3 +4 ...
150,00? ... C’ B’ A’ 0 A B C D ...
Solução:
x + x – 10= 150 Ao ponto zero, chamamos origem, corresponde o
2x = 150 + 10 número zero.
2x = 160
x = 160 : 2 Nas representações geométricas, temos à direita do
x = 80
zero os números inteiros positivos, e à esquerda do
80 – 10 = 70
zero, os números inteiros negativos.
Resposta: R$ 70,00 e R$ 80,00
Observando a figura anterior, vemos que cada pon-
PROBLEMA 8
to é a representação geométrica de um número inteiro.
José tem o dobro do que tem Sérgio, e Paulo tanto
quanto os dois anteriores juntos. Quanto tem cada
Exemplos:
um, se os três juntos possuem R$ 624,00?
 ponto C é a representação geométrica do núme-
Solução: x + 2x + x + 2x = 624
ro +3
6x = 624
 ponto B' é a representação geométrica do núme-
x = 624 : 6
x = 104 ro -2
Resposta:S-R$ 104,00; J-R$ 208,00; P- R$ 312,00
ADIÇÃO DE DOIS NÚMEROS INTEIROS
PROBLEMA 9 1) A soma de zero com um número inteiro é o pró-
Se eu tivesse 4 rosas a mais do que tenho, poderia prio número inteiro: 0 + (-2) = -2
dar a você 7 rosas e ainda ficaria com 2. Quantas 2) A soma de dois números inteiros positivos é um
rosas tenho? número inteiro positivo igual à soma dos módulos
Solução: x+4–7 = 2 dos números dados: (+700) + (+200) = +900
x+4 =7+2 3) A soma de dois números inteiros negativos é um
x+4 =9 número inteiro negativo igual à soma dos módu-
x =9–4 los dos números dados: (-2) + (-4) = -6
x =5 4) A soma de dois números inteiros de sinais contrá-
Resposta: 5 rios é igual à diferença dos módulos, e o sinal é
o da parcela de maior módulo: (-800) + (+300) =
-500
CONJUNTO DOS NÚMEROS INTEIROS (Z)
ADIÇÃO DE TRÊS OU MAIS NÚMEROS INTEIROS
Conhecemos o conjunto N dos números naturais: N A soma de três ou mais números inteiros é efetuada
= {0, 1, 2, 3, 4, 5, .....,} adicionando-se todos os números positivos e todos os
negativos e, em seguida, efetuando-se a soma do nú-
Assim, os números precedidos do sinal + chamam- mero negativo.
se positivos, e os precedidos de - são negativos.
Exemplos: 1) (+6) + (+3) + (-6) + (-5) + (+8) =
Exemplos: (+17) + (-11) = +6
Números inteiros positivos: {+1, +2, +3, +4, ....}
Números inteiros negativos: {-1, -2, -3, -4, ....} 2) (+3) + (-4) + (+2) + (-8) =

Matemática Financeira 8 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
(+5) + (-12) = -7 Exemplos: - ( -2) = +2 +(-6 ) = -6
- (+3) = -3 +(+1) = +1
PROPRIEDADES DA ADIÇÃO
A adição de números inteiros possui as seguintes PROPRIEDADE DA SUBTRAÇÃO
propriedades: A subtração possui uma propriedade.

1ª) FECHAMENTO FECHAMENTO: A diferença de dois números intei-


A soma de dois números inteiros é sempre um nú- ros é sempre um número inteiro.
mero inteiro: (-3) + (+6) = + 3 ∈ Z
MULTIPLICAÇÃO DE NÚMEROS INTEIROS
2ª) ASSOCIATIVA 1º CASO: OS DOIS FATORES SÃO NÚMEROS
Se a, b, c são números inteiros quaisquer, então: a INTEIROS POSITIVOS
+ (b + c) = (a + b) + c
Lembremos que: 3 . 2 = 2 + 2 + 2 = 6
Exemplo:(+3) +[(-4) + (+2)] = [(+3) + (-4)] + (+2) Exemplo:
(+3) + (-2) = (-1) + (+2) (+3) . (+2) = 3 . (+2) = (+2) + (+2) + (+2) = +6
+1 = +1 Logo: (+3) . (+2) = +6
3ª) ELEMENTO NEUTRO Observando essa igualdade, concluímos: na multi-
Se a é um número inteiro qualquer, temos: a+ 0 = a plicação de números inteiros, temos:
e0+a=a (+) . (+) =+
Isto significa que o zero é elemento neutro para a 2º CASO: UM FATOR É POSITIVO E O OUTRO É
adição. NEGATIVO
Exemplos:
Exemplo: (+2) + 0 = +2 e 0 + (+2) = +2 1) (+3) . (-4) = 3 . (-4) = (-4) + (-4) + (-4) = -12
ou seja: (+3) . (-4) = -12
4ª) OPOSTO OU SIMÉTRICO
Se a é um número inteiro qualquer, existe um único 2) Lembremos que: -(+2) = -2
número oposto ou simétrico representado por (-a), (-3) . (+5) = - (+3) . (+5) = -(+15) = - 15
tal que: (+a) + (-a) = 0 = (-a) + (+a) ou seja: (-3) . (+5) = -15
Exemplos: (+5) + ( -5) = 0 ( -5) + (+5) = 0 Conclusão: na multiplicação de números inteiros,
temos: ( + ) . ( - ) = - (-).(+)=-
5ª) COMUTATIVA Exemplos :
Se a e b são números inteiros, então: (+5) . (-10) = -50
a+b=b+a (+1) . (-8) = -8
(-2 ) . (+6 ) = -12
Exemplo: (+4) + (-6) = (-6) + (+4) (-7) . (+1) = -7
-2 = -2
3º CASO: OS DOIS FATORES SÃO NÚMEROS IN-
SUBTRAÇÃO DE NÚMEROS INTEIROS TEIROS NEGATIVOS
Em certo local, a temperatura passou de -3ºC para Exemplo: (-3) . (-6) = -(+3) . (-6) = -(-18) = +18
5ºC, sofrendo, portanto, um aumento de 8ºC, aumento isto é: (-3) . (-6) = +18
esse que pode ser representado por: (+5) - (-3) = (+5) +
(+3) = +8 Conclusão: na multiplicação de números inteiros,
temos: ( - ) . ( - ) = +
Portanto: Exemplos: (-4) . (-2) = +8 (-5) . (-4) = +20
A diferença entre dois números dados numa certa
ordem é a soma do primeiro com o oposto do segundo. As regras dos sinais anteriormente vistas podem ser
resumidas na seguinte:
Exemplos: 1) (+6) - (+2) = (+6) + (-2 ) = +4 (+).(+)=+ (+).(-)=-
2) (-8 ) - (-1 ) = (-8 ) + (+1) = -7 (- ).( -)=+ (-).(+)=-
3) (-5 ) - (+2) = (-5 ) + (-2 ) = -7
Quando um dos fatores é o 0 (zero), o produto é i-
Na prática, efetuamos diretamente a subtração, eli- gual a 0: (+5) . 0 = 0
minando os parênteses
- (+4 ) = -4 PRODUTO DE TRÊS OU MAIS NÚMEROS IN-
- ( -4 ) = +4 TEIROS
Exemplos: 1) (+5 ) . ( -4 ) . (-2 ) . (+3 ) =
Observação: (-20) . (-2 ) . (+3 ) =
Permitindo a eliminação dos parênteses, os sinais (+40) . (+3 ) = +120
podem ser resumidos do seguinte modo: 2) (-2 ) . ( -1 ) . (+3 ) . (-2 ) =
(+)=+ +(-)=- (+2 ) . (+3 ) . (-2 ) =
- (+)=- - (- )=+ (+6 ) . (-2 ) = -12

Matemática Financeira 9 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
DIVISÃO DE NÚMEROS INTEIROS
Podemos concluir que:
- Quando o número de fatores negativos é par, o CONCEITO
produto sempre é positivo. Dividir (+16) por 2 é achar um número que, multipli-
- Quando o número de fatores negativos é ímpar, cado por 2, dê 16.
o produto sempre é negativo. 16 : 2 = ? ⇔ 2 . ( ? ) = 16

PROPRIEDADES DA MULTIPLICAÇÃO O número procurado é 8. Analogamente, temos:


No conjunto Z dos números inteiros são válidas as 1) (+12) : (+3 ) = +4 porque (+4 ) . (+3 ) = +12
seguintes propriedades: 2) (+12) : ( -3 ) = - 4 porque (- 4 ) . ( -3 ) = +12
3) ( -12) : (+3 ) = - 4 porque (- 4 ) . (+3 ) = -12
1ª) FECHAMENTO 4) ( -12) : ( -3 ) = +4 porque (+4 ) . ( -3 ) = -12
Exemplo: (+4 ) . (-2 ) = - 8 ∈ Z
Então o produto de dois números inteiros é inteiro. A divisão de números inteiros só pode ser realizada
quando o quociente é um número inteiro, ou seja,
2ª) ASSOCIATIVA quando o dividendo é múltiplo do divisor.
Exemplo: (+2 ) . (-3 ) . (+4 )
Este cálculo pode ser feito diretamente, mas tam- Portanto, o quociente deve ser um número inteiro.
bém podemos fazê-lo, agrupando os fatores de duas
maneiras: Exemplos:
(+2 ) . [(-3 ) . (+4 )] = [(+2 ) . ( -3 )]. (+4 ) ( -8 ) : (+2 ) = -4
(+2 ) . (-12) = (-6 ) . (+4 ) ( -4 ) : (+3 ) = não é um número inteiro
-24 = -24
Lembramos que a regra dos sinais para a divisão é
De modo geral, temos o seguinte: a mesma que vimos para a multiplicação:
Se a, b, c representam números inteiros quaisquer, (+):(+)=+ (+):( -)=-
então: a . (b . c) = (a . b) . c (- ):( -)=+ ( -):(+)=-

3ª) ELEMENTO NEUTRO Exemplos:


Observe que: ( +8 ) : ( -2 ) = -4 (-10) : ( -5 ) = +2
(+4 ) . (+1 ) = +4 e (+1 ) . (+4 ) = +4 (+1 ) : ( -1 ) = -1 (-12) : (+3 ) = -4

Qualquer que seja o número inteiro a, temos: PROPRIEDADE


a . (+1 ) = a e (+1 ) . a = a Como vimos: (+4 ) : (+3 ) ∉ Z

O número inteiro +1 chama-se neutro para a multi- Portanto, não vale em Z a propriedade do fecha-
plicação. mento para a divisão. Alem disso, também não são
válidas as proposições associativa, comutativa e do
4ª) COMUTATIVA elemento neutro.
Observemos que: (+2). (-4 ) = - 8
e (-4 ) . (+2 ) = - 8 POTENCIAÇÃO DE NÚMEROS INTEIROS
Portanto: (+2 ) . (-4 ) = (-4 ) . (+2 )
CONCEITO
Se a e b são números inteiros quaisquer, então: a . A notação
3
b = b . a, isto é, a ordem dos fatores não altera o pro- (+2 ) = (+2 ) . (+2 ) . (+2 )
duto.

5ª) DISTRIBUTIVA EM RELAÇÃO À ADIÇÃO E À é um produto de três fatores iguais


SUBTRAÇÃO
Observe os exemplos: Analogamente:
4
(+3 ) . [( -5 ) + (+2 )] = (+3 ) . ( -5 ) + (+3 ) . (+2 ) ( -2 ) = ( -2 ) . ( -2 ) . ( -2 ) . ( -2 )
(+4 ) . [( -2 ) - (+8 )] = (+4 ) . ( -2 ) - (+4 ) . (+8 )

Conclusão: é um produto de quatro fatores iguais


Se a, b, c representam números inteiros quaisquer,
temos: Portanto potência é um produto de fatores iguais.
a) a . [b + c] = a . b + a . c
2
A igualdade acima é conhecida como proprieda- Na potência (+5 ) = +25, temos:
de distributiva da multiplicação em relação à adi- +5 ---------- base
ção. 2 ---------- expoente
b) a . [b – c] = a . b - a . c +25 ---------- potê
ncia
A igualdade acima é conhecida como proprieda-
de distributiva da multiplicação em relação à sub- Observacões :
1 1
tração. (+2 ) significa +2, isto é, (+2 ) = +2
1 1
( -3 ) significa -3, isto é
, ( -3 ) = -3

Matemática Financeira 10 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

0 0
CÁLCULOS Consequentemente: (+2 ) = 1 ( -4 ) = 1

O EXPOENTE É PAR Qualquer potência de expoente zero é igual a 1.


Calcular as potências
4
1) (+2 ) = (+2 ) . (+2 ) . (+2 ) . (+2 ) = +16 isto ,
é Observação:
4 2 2 2
(+2) = +16 Não confundir -3 com ( -3 ) , porque -3 significa
4 2
2) ( -2 ) = ( -2 ) . ( -2 ) . ( -2 ) . ( -2 ) = +16 isto é
, (- -( 3 ) e portanto
4
2 ) = +16 -32 = -( 3 )2 = -9
2
4 4 enquanto que: ( -3 ) = ( -3 ) . ( -3 ) = +9
Observamos que: (+2) = +16 e (-2) = +16 2
Logo: -3 ≠ ( -3 )2
Então, de modo geral, temos a regra:
CÁLCULOS
Quando o expoente é par, a potência é sempre um
número positivo. O EXPOENTE É PAR
Calcular as potências
4 4
Outros exemplos:
6
(-1) = +1
2
(+3) = +9 (+2 ) = (+2 ) . (+2 ) . (+2 ) . (+2 ) = +16 isto é , (+2) =
+16
4 4
( -2 ) = ( -2 ) . ( -2 ) . ( -2 ) . ( -2 ) = +16 isto é
, (-2 ) =
O EXPOENTE É ÍMPAR
+16
Calcular as potências:
3
1) (+2 ) = (+2 ) . (+2 ) . (+2 ) = +8 4 4
3 Observamos que: (+2) = +16 e (-2) = +16
isto é, (+2) = + 8
3
2) ( -2 ) = ( -2 ) . ( -2 ) . ( -2 ) = -8
3
ou seja, (-2) = -8 Então, de modo geral, temos a regra:
Quando o expoente é par, a potência é sempre um
3
Observamos que: (+2 ) = +8 e ( -2 ) = -8
3 número positivo.
6 2
Daí, a regra: Outros exemplos: (-1) = +1 (+3) = +9
Quando o expoente é ímpar, a potência tem o
mesmo sinal da base. O EXPOENTE É ÍMPAR

3 4 Exemplos:
Outros exemplos: (- 3) = - 27 (+2) = +16 Calcular as potências:
3
1) (+2 ) = (+2 ) . (+2 ) . (+2 ) = +8
PROPRIEDADES isto é
3
, (+2) = + 8
3
2) ( -2 ) = ( -2 ) . ( -2 ) . ( -2 ) = -8
PRODUTO DE POTÊNCIAS DE MESMA BASE 3
ou seja, (-2) = -8
3 2 3 2 5
Exemplos: (+2 ) . (+2 ) = (+2 ) +2 = (+2 )
( -2 )2 . ( -2 )3 . ( -2 )5 = ( -2 ) 2 + 3 + 5 = ( -2 )10 3
Observamos que: (+2 ) = +8 e ( -2 ) = -8
3

Para multiplicar potências de mesma base, mante- Daí, a regra:


mos a base e somamos os expoentes. Quando o expoente é ímpar, a potência tem o
mesmo sinal da base.
QUOCIENTE DE POTÊNCIAS DE MESMA BASE
(+2 ) 5 : (+2 )2 = (+2 )5-2 = (+2 )3 Outros exemplos: (- 3) = - 27
3
(+2) = +16
4

( -2 )7 : ( -2 )3 = ( -2 )7-3 = ( -2 )4 PROPRIEDADES
Para dividir potências de mesma base em que o ex- PRODUTO DE POTÊNCIAS DE MESMA BASE
3 2 3 2 5
poente do dividendo é maior que o expoente do divisor, Exemplos: (+2 ) . (+2 ) = (+2 ) +2 = (+2 )
2 3 5 2+3+5 10
mantemos a base e subtraímos os expoentes. ( -2 ) . ( -2 ) . ( -2 ) = ( -2 ) = ( -2 )

POTÊNCIA DE POTÊNCIA Para multiplicar potências de mesma base, mante-


[( -4 )3]5 = ( -4 )3 . 5 = ( -4 )15 mos a base e somamos os expoentes.
Para calcular uma potência de potência, conserva-
mos a base da primeira potência e multiplicamos os QUOCIENTE DE POTÊNCIAS DE MESMA BASE
5 2 5-2 3
expoentes . (+2 ) : (+2 ) = (+2 ) = (+2 )
7 3 7-3 4
( -2 ) : ( -2 ) = ( -2 ) = ( -2 )
POTÊNCIA DE UM PRODUTO Para dividir potências de mesma base em que o ex-
4 4 4
[( -2 ) . (+3 ) . ( -5 )] = ( -2 ) . (+3 ) . ( -5 )
4 poente do dividendo é maior que o expoente do divisor,
mantemos a base e subtraímos os expoentes.
Para calcular a potência de um produto, sendo n o
expoente, elevamos cada fator ao expoente n. POTÊNCIA DE POTÊNCIA
3 5 3.5 15
[( -4 ) ] = ( -4 ) = ( -4 )
POTÊNCIA DE EXPOENTE ZERO Para calcular uma potência de potência, conserva-
(+2 )5 : (+2 )5 = (+2 )5-5 = (+2 )0 mos a base da primeira potência e multiplicamos os
e
5 5
(+2 ) : (+2 ) = 1 expoentes .

Matemática Financeira 11 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
sível por 3
POTÊNCIA DE UM PRODUTO
4 4 4 4
[( -2 ) . (+3 ) . ( -5 )] = ( -2 ) . (+3 ) . ( -5 ) Um número é divisível por 5 quando o algarismo das
Para calcular a potência de um produto, sendo n o unidades é 0 ou 5 (ou quando termina em o ou 5). Ex.: O
expoente, elevamos cada fator ao expoente n. número 320 é divisível por 5, pois termina em 0.

POTÊNCIA DE EXPOENTE ZERO Um número é divisível por 10 quando o algarismo das


5 5 5-5 0
(+2 ) : (+2 ) = (+2 ) = (+2 ) unidades é 0 (ou quando termina em 0). Ex.: O número
5 5
e (+2 ) : (+2 ) = 1 500 é divisível por 10, pois termina em 0.
0 0
Consequentemente: (+2 ) = 1 ( -4 ) = 1
Qualquer potência de expoente zero é igual a 1. NÚMEROS PRIMOS
2 2 2
Observação: Não confundir-3 com (-3) , porque -3 Um número natural é primo quando é divisível apenas
2 2 2
significa -( 3 ) e portanto: -3 = -( 3 ) = -9 por dois números distintos: ele próprio e o 1.
2
enquanto que: ( -3 ) = ( -3 ) . ( -3 ) = +9
2
Logo: -3 ≠ ( -3 )2 Exemplos:
• O número 2 é primo, pois é divisível apenas por dois
NÚMEROS PARES E ÍMPARES
números diferentes: ele próprio e o 1.
• O número 5 é primo, pois é divisível apenas por dois
Os pitagóricos estudavam à natureza dos números, e
números distintos: ele próprio e o 1.
baseado nesta natureza criaram sua filosofia e modo de
• O número natural que é divisível por mais de dois
vida. Vamos definir números pares e ímpares de acordo
números diferentes é chamado composto.
com a concepção pitagórica:
• O número 4 é composto, pois é divisível por 1, 2, 4.
• par é o número que pode ser dividido em duas par-
• O número 1 não é primo nem composto, pois é divi-
tes iguais, sem que uma unidade fique no meio, e
sível apenas por um número (ele mesmo).
ímpar é aquele que não pode ser dividido em duas
• O número 2 é o único número par primo.
partes iguais, porque sempre há uma unidade no
meio
DECOMPOSIÇÃO EM FATORES PRIMOS (FATORA-
Uma outra caracterização, nos mostra a preocupação ÇÃO)
com à natureza dos números:
Um número composto pode ser escrito sob a forma de
• número par é aquele que tanto pode ser dividido
um produto de fatores primos.
em duas partes iguais como em partes desiguais,
mas de forma tal que em nenhuma destas divisões
Por exemplo, o número 60 pode ser escrito na forma:
haja uma mistura da natureza par com a natureza 2
60 = 2 . 2 . 3 . 5 = 2 . 3 . 5 que é chamada de forma fato-
ímpar, nem da ímpar com a par. Isto tem uma úni-
rada.
ca exceção, que é o princípio do par, o número 2,
que não admite a divisão em partes desiguais, por-
Para escrever um número na forma fatorada, devemos
que ele é formado por duas unidades e, se isto po-
decompor esse número em fatores primos, procedendo
de ser dito, do primeiro número par, 2.
do seguinte modo:
Para exemplificar o texto acima, considere o número
Dividimos o número considerado pelo menor número
10, que é par, pode ser dividido como a soma de 5 e 5,
primo possível de modo que a divisão seja exata.
mas também como a soma de 7 e 3 (que são ambos
Dividimos o quociente obtido pelo menor número pri-
ímpares) ou como a soma de 6 e 4 (ambos são pares);
mo possível.
mas nunca como a soma de um número par e outro ím-
par. Já o número 11, que é ímpar pode ser escrito como
Dividimos, sucessivamente, cada novo quociente pelo
soma de 8 e 3, um par e um ímpar. Atualmente, definimos
menor número primo possível, até que se obtenha o quo-
números pares como sendo o número que ao ser dividido
ciente 1.
por dois têm resto zero e números ímpares aqueles que
ao serem divididos por dois têm resto diferente de zero.
Por exemplo, 12 dividido por 2 têm resto zero, portanto 12
é par. Já o número 13 ao ser dividido por 2 deixa resto 1,
Exemplo:
portanto 13 é ímpar.
60 2
MÚLTIPLOS E DIVISORES
0 30 2
DIVISIBILIDADE
Um número é divisível por 2 quando termina em 0, 2, 4, 0 15 3
6 ou 8. Ex.: O número 74 é divisível por 2, pois termina em 5 0 5
4.
1
Um número é divisível por 3 quando a soma dos valo- Portanto: 60 = 2 . 2 . 3 . 5
res absolutos dos seus algarismos é um número divisível
por 3. Ex.: 123 é divisível por 3, pois 1+2+3 = 6 e 6 é divi- Na prática, costuma-se traçar uma barra vertical à di-

Matemática Financeira 12 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
reita do número e, à direita dessa barra, escrever os divi- os divisores do número considerado. Portanto:
sores primos; abaixo do número escrevem-se os quocien- D(12) = { 1, 2, 4, 3, 6, 12}
tes obtidos. A decomposição em fatores primos estará
terminada quando o último quociente for igual a 1. Exemplos:
1)
Exemplo: 1
60 2 18 2 2
30 2 9 3 3, 6 D(18) = {1, 2 , 3, 6, 9, 18}
15 3 3 3 9, 18
5 5 1
1
Logo: 60 = 2 . 2 . 3 . 5 2)
1
DIVISORES DE UM NÚMERO 30 2 2
15 3 3, 6
Consideremos o número 12 e vamos determinar todos 5 5 5, 10, 15, 30
os seus divisores Uma maneira de obter esse resultado é 1
escrever os números naturais de 1 a 12 e verificar se
cada um é ou não divisor de 12, assinalando os divisores. D(30) = { 1, 2, 3, 5, 6, 10, 15, 30}
1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11 - 12
= = = = = == MÁXIMO DIVISOR COMUM
Indicando por D(12) (lê-se: "D de 12”) o conjunto dos
divisores do número 12, temos: Recebe o nome de máximo divisor comum de dois ou
D (12) = { 1, 2, 3, 4, 6, 12} mais números o maior dos divisores comuns a esses
números.
Na prática, a maneira mais usada é a seguinte:
1º) Decompomos em fatores primos o número consi- Um método prático para o cálculo do M.D.C. de dois
derado. números é o chamado método das divisões sucessivas
12 2 (ou algoritmo de Euclides), que consiste das etapas se-
6 2 guintes:
3 3 1ª) Divide-se o maior dos números pelo menor. Se a
1 divisão for exata, o M.D.C. entre esses números é
o menor deles.
2º) Colocamos um traço vertical ao lado os fatores 2ª) Se a divisão não for exata, divide-se o divisor (o
primos e, à sua direita e acima, escrevemos o nume- menor dos dois números) pelo resto obtido na di-
ro 1 que é divisor de todos os números. visão anterior, e, assim, sucessivamente, até se
1 obter resto zero. 0 ultimo divisor, assim determi-
12 2 nado, será o M.D.C. dos números considerados.
6 2
3 3 Exemplo:
1 Calcular o M.D.C. (24, 32)
3º) Multiplicamos o fator primo 2 pelo divisor 1 e es- 32 24 24 8
crevemos o produto obtido na linha correspondente.
x1
8 1 0 3
12 2 2
6 2
Resposta: M.D.C. (24, 32) = 8
3 3
1
MÍNIMO MÚLTIPLO COMUM
4º) Multiplicamos, a seguir, cada fator primo pelos
divisores já obtidos, escrevendo os produtos nas Recebe o nome de mínimo múltiplo comum de dois ou
linhas correspondentes, sem repeti-los. mais números o menor dos múltiplos (diferente de zero)
x1 comuns a esses números.
12 2 2
6 2 4 O processo prático para o cálculo do M.M.C de dois ou
3 3 mais números, chamado de decomposição em fatores
1 primos, consiste das seguintes etapas:
1º) Decompõem-se em fatores primos os números
x1 apresentados.
12 2 2 2º) Determina-se o produto entre os fatores primos
6 2 4 comuns e não-comuns com seus maiores expo-
3 3 3, 6, 12 entes. Esse produto é o M.M.C procurado.
1
Exemplos: Calcular o M.M.C (12, 18)
Os números obtidos à direita dos fatores primos são

Matemática Financeira 13 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Decompondo em fatores primos esses números, te- números inteiros.
mos:
12 2 18 2 Conclusão: os números inteiros positivos têm, como
6 2 9 3 raiz quadrada, um número positivo, os números inteiros
3 3 3 3 negativos não têm raiz quadrada no conjunto Z dos nú-
1 1 meros inteiros.
2 2
12 = 2 . 3 18 = 2 . 3 RADICIAÇÃO
2 2
Resposta: M.M.C (12, 18) = 2 . 3 = 36
A raiz n-ésima de um número b é um número a tal que
Observação: Esse processo prático costuma ser sim- n
a = b.
plificado fazendo-se uma decomposição simultânea dos
números. Para isso, escrevem-se os números, um ao
lado do outro, separando-os por vírgula, e, à direita da
n
b = a ⇒ an = b
barra vertical, colocada após o último número, escrevem-
se os fatores primos comuns e não-comuns. 0 calculo
5
32 = 2
estará terminado quando a última linha do dispositivo for
composta somente pelo número 1. O M.M.C dos números 5 índice
5
apresentados será o produto dos fatores. 32 radicando pois 2 = 32
raiz
Exemplo:
Calcular o M.M.C (36, 48, 60) 2 radical
36, 48, 60 2
18, 24, 30 2 Outros exemplos : 3
8 = 2 pois 2 3 = 8
9, 12, 15 2
9, 6, 15 2
3
− 8 = - 2 pois ( -2 )3 = -8
9, 3, 15 3
3, 1, 5 3 PROPRIEDADES (para a ≥ 0, b ≥ 0)
1, 1 5 5 m: p
1, 1, 1 1ª)
m
a n = a n: p 15
310 = 3 3 2
4 2 2ª) n
a⋅b = n a ⋅n b 6 = 2⋅ 3
Resposta: M.M.C (36, 48, 60) = 2 . 3 . 5 = 720
4
5 5
RAÍZ QUADRADA EXATA DE NÚMEROS INTEIROS
3ª) n
a:b = n a :n b 4 =
16 4
16
CONCEITO
Consideremos o seguinte problema:
4ª) ( a)
m
n
= m an ( x)
3
5
= 3 x5
Descobrir os números inteiros cujo quadrado é +25.
2 2
5ª)
m n
a = m⋅n a 6
3 = 12 3
Solução: (+5 ) = +25 e ( -5 ) =+25
Resposta: +5 e -5 EXPRESSÕES NUMÉRICAS COM NÚMEROS IN-
TEIROS ENVOLVENDO AS QUATRO OPERAÇÕES
Os números +5 e -5 chamam-se raízes quadradas de Para calcular o valor de uma expressão numérica com
+25. números inteiros, procedemos por etapas.

Outros exemplos: 1ª ETAPA:


Número Raízes quadradas a) efetuamos o que está entre parênteses ( )
+9 + 3 e -3 b) eliminamos os parênteses
+16 + 4 e -4
+1 + 1 e -1 2ª ETAPA:
+64 + 8 e -8 a) efetuamos o que está entre colchetes [ ]
+81 + 9 e -9 b) eliminamos os colchetes
+49 + 7 e -7
+36 +6 e -6 3º ETAPA:
O símbolo 25 significa a raiz quadrada de 25, isto a) efetuamos o que está entre chaves { }
b) eliminamos as chaves
é 25 = +5
Como 25 = +5 , então: − 25 = −5 Em cada etapa, as operações devem ser efetuadas na
seguinte ordem:
Agora, consideremos este problema.
1ª) Potenciação e radiciação na ordem em que apa-
recem.
Qual ou quais os números inteiros cujo quadrado é -
2ª) Multiplicação e divisão na ordem em que apare-
25?
2 2 cem.
Solução: (+5 ) = +25 e (-5 ) = +25
3ª) Adição e subtração na ordem em que aparecem.
Resposta: não existe número inteiro cujo quadrado
seja -25, isto é, − 25 não existe no conjunto Z dos Exemplos:

Matemática Financeira 14 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
1) 2 + 7 . (-3 + 4) = ≈ é o símbolo de equivalência para frações
2 + 7 . (+1) = 2 + 7 = 9 2 2 × 5 10 10 × 2 20
≈ ≈ ≈ ≈ ≈ ⋅⋅⋅
2)
3 2
(-1 ) + (-2 ) : (+2 ) = 3 3 × 5 15 15 × 2 30
-1+ (+4) : (+2 ) = b) Classe de equivalência. É o conjunto de todas as
-1 + (+2 ) = frações equivalentes a uma fração dada.
-1 + 2 = +1 3 6 9 12
, , , ,⋅ ⋅ ⋅ (classe de equivalência da fra-
3) -(-4 +1) – [-(3 +1)] = 1 2 3 4
-(-3) - [-4 ] = 3
+3 + 4 = 7 ção: )
1
2 3
4) –2( -3 –1) +3 . ( -1 – 3) + 4 Agora já podemos definir número racional : número
2 3
-2 . ( -4 ) + 3 . ( - 4 ) + 4 = racional é aquele definido por uma classe de equiva-
-2 . (+16) + 3 . (- 64) + 4 = lência da qual cada fração é um representante.
-32 – 192 + 4 =
-224 + 4 = - 228 NÚMERO RACIONAL NATURAL ou NÚMERO
2 2 NATURAL:
5) (-288) : (-12) - (-125) : ( -5 ) =
(-288) : (+144) - (-125) : (+25) = 0 0
0= = = ⋅⋅⋅ (definido pela classe de equiva-
(-2 ) - (- 5 ) = -2 + 5 = +3 1 2
lência que representa o mesmo
6) (-10 - 8) : (+6 ) - (-25) : (-2 + 7 ) = número racional 0)
(-18) : (+6 ) - (-25) : (+5 ) = 1 2
-3 - (- 5) = 1 = = = ⋅⋅⋅ (definido pela classe de equiva-
- 3 + 5 = +2 1 2
lência que representa o mesmo
2 2 4 2
7) –5 : (+25) - (-4 ) : 2 - 1 = número racional 1)
-25 : (+25) - (+16) : 16 - 1 = e assim por diante.
-1 - (+1) –1 = -1 -1 –1 = -3
2 3 2
NÚMERO RACIONAL FRACIONÁRIO ou NÚME-
8) 2 . ( -3 ) + (-40) : (+2) - 2 = RO FRACIONÁRIO:
2 . (+9 ) + (-40) : (+8 ) - 4 =
+18 + (-5) - 4 = 1 2 3
= = = ⋅ ⋅ ⋅ (definido pela classe de equivalên-
+ 18 - 9 = +9 2 4 6
cia que representa o mesmo
CONJUNTO DOS NÚMEROS RACIONAIS (Q) número racional 1/2).

Os números racionais são representados por um NOMES DADOS ÀS FRAÇÕES DIVERSAS


a Decimais: quando têm como denominador 10 ou
numeral em forma de fração ou razão, , sendo a e b uma potência de 10
b 5 7
números naturais, com a condição de b ser diferente de , ,⋅ ⋅ ⋅ etc.
zero. 10 100
1. NÚMERO FRACIONARIO. A todo par ordenado
(a, b) de números naturais, sendo b ≠ 0, corresponde b) próprias: aquelas que representam quantidades
a menores do que 1.
um número fracionário .O termo a chama-se nume- 1 3 2
b , , ,⋅ ⋅ ⋅ etc.
rador e o termo b denominador. 2 4 7

2. TODO NÚMERO NATURAL pode ser represen- c) impróprias: as que indicam quantidades iguais ou
tado por uma fração de denominador 1. Logo, é possí- maiores que 1.
vel reunir tanto os números naturais como os fracioná- 5 8 9
rios num único conjunto, denominado conjunto dos , , ,⋅ ⋅ ⋅ etc.
números racionais absolutos, ou simplesmente conjun- 5 1 5
to dos números racionais Q.
d) aparentes: todas as que simbolizam um número
Qual seria a definição de um número racional abso- natural.
luto ou simplesmente racional? A definição depende 20 8
= 5, = 4 , etc.
das seguintes considerações: 4 2
a) O número representado por uma fração não mu-
da de valor quando multiplicamos ou dividimos e) ordinárias: é o nome geral dado a todas as fra-
tanto o numerador como o denominador por um ções, com exceção daquelas que possuem como de-
2 3
mesmo número natural, diferente de zero. nominador 10, 10 , 10 ...
Exemplos: usando um novo símbolo: ≈

Matemática Financeira 15 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
f) frações iguais: são as que possuem os termos i-
3 3 8 8
guais = , = , etc.
4 4 5 5
2
g) forma mista de uma fração: é o nome dado ao
numeral formado por uma parte natural e uma parte 6
 4
fracionária;  2  A parte natural é 2 e a parte fracio- 5
 7 6
4
nária .
7 3
6
h) irredutível: é aquela que não pode ser mais sim-
5 2 3
plificada, por ter seus termos primos entre si. Indicamos por: − =
3 5 3 6 6 6
, , , etc.
4 12 7 Assim, para adicionar ou subtrair frações de mesmo
denominador, procedemos do seguinte modo:
4. PARA SIMPLIFICAR UMA FRAÇÃO, desde que  adicionamos ou subtraímos os numeradores e
não possua termos primos entre si, basta dividir os dois mantemos o denominador comum.
ternos pelo seu divisor comum.  simplificamos o resultado, sempre que possível.
8 8:4 2
= =
12 12 : 4 3 Exemplos:
3 1 3 +1 4
5. COMPARAÇÃO DE FRAÇÕES.
+ = =
5 5 5 5
Para comparar duas ou mais frações quaisquer pri-
meiramente convertemos em frações equivalentes de 4 8 4 + 8 12 4
+ = = =
mesmo denominador. De duas frações que têm o 9 9 9 9 3
mesmo denominador, a maior é a que tem maior nume- 7 3 7−3 4 2
rador. Logo: − = = =
6 8 9 1 2 3 6 6 6 6 3
< < ⇔ < < 2 2 2−2 0
12 12 12 2 3 4 − = = =0
(ordem crescente) 7 7 7 7

De duas frações que têm o mesmo numerador, a Observação: A subtração só pode ser efetuada
maior é a que tem menor denominador. quando o minuendo é maior que o subtraendo, ou igual
7 7 a ele.
Exemplo: >
2 5 2º CASO: Frações com denominadores diferentes:
Neste caso, para adicionar ou subtrair frações com
OPERAÇÕES COM FRAÇÕES denominadores diferentes, procedemos do seguinte
modo:
ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO • Reduzimos as frações ao mesmo denominador.
A soma ou a diferença de duas frações é uma outra • Efetuamos a operação indicada, de acordo com o
fração, cujo calculo recai em um dos dois casos seguin- caso anterior.
tes: • Simplificamos o resultado (quando possível).

1º CASO: Frações com mesmo denominador. Ob- Exemplos:


servemos as figuras seguintes: 1 2 5 3
1) + = 2) + =
3 4 8 6
4 6 15 12
= + = = + =
12 12 24 24
15 + 12
3 2 4+6 = =
= = 24
6 6 12
27 9
5 10 5 = =
6
= = 24 8
12 6
3 2 5
Indicamos por: + =
6 6 6 Observações:
Para adicionar mais de duas frações, reduzimos to-

Matemática Financeira 16 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
das ao mesmo denominador e, em seguida, efetuamos   3 1   2 3 
a operação. 2)5 −  −  − 1 +  =
  2 3   3 4 
Exemplos.   9 2   5 3 
2 7 3 3 5 1 1 = 5 −  −  −  +  =
a) + + = b) + + + =   6 6   3 4 
15 15 15 4 6 8 2
2+7+3  7   20 9 
= =
18 20 3 12 = 5 −  −  +  =
= + + + =  6   12 12 
15 24 24 24 24
12 4 18+ 20+ 3 +12  30 7  29
= = = = = − − =
15 5 24  6 6  12
53 23 29
= = − =
24 6 12
Havendo número misto, devemos transformá-lo em 46 29
fração imprópria: = − =
12 12
Exemplo: 17
=
1 5 1 12
2 + +3 =
3 12 6
7 5 19 NÚMEROS RACIONAIS
+ + =
3 12 6
28 5 38
+ + =
12 12 12
28 + 5 + 38 71
=
12 12

Se a expressão apresenta os sinais de parênteses ( Um círculo foi dividido em duas partes iguais. Dize-
), colchetes [ ] e chaves { }, observamos a mesma mos que uma unidade dividida em duas partes iguais e
ordem : indicamos 1/2.
1º) efetuamos as operações no interior dos parênte- onde: 1 = numerador e 2 = denominador
ses;
2º) as operações no interior dos colchetes;
3º) as operações no interior das chaves.

Exemplos:
2 3 5 4
1) +  −  −  =
3 4 2 2
Um círculo dividido em 3 partes iguais indicamos
 8 9  1
= + − = (das três partes hachuramos 2).
 12 12  2
17 1 Quando o numerador é menor que o denominador
= − = temos uma fração própria. Observe:
12 2
17 6 Observe:
= − =
12 12
11
=
12

Quando o numerador é maior que o denominador


temos uma fração imprópria.

FRAÇÕES EQUIVALENTES

Duas ou mais frações são equivalentes, quando re-


presentam a mesma quantidade.

Matemática Financeira 17 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

b) Frações com numeradores iguais


Se duas frações tiverem numeradores iguais, a me-
nor será aquela que tiver maior denominador.
7 7 7 7
Ex.: > ou <
4 5 5 4

c) Frações com numeradores e denominadores


receptivamente diferentes.
Reduzimos ao mesmo denominador e depois com-
paramos. Exemplos:
2 1
1 2 3 > denominadores iguais (ordem decrescente)
Dizemos que: = = 3 3
2 4 6
4 4
> numeradores iguais (ordem crescente)
- Para obter frações equivalentes, devemos multi- 5 3
plicar ou dividir o numerador por mesmo número dife-
rente de zero. SIMPLIFICAÇÃO DE FRAÇÕES
1 2 2 1 3 3
Ex: ⋅ = ou . = Para simplificar frações devemos dividir o numera-
2 2 4 2 3 6
dor e o denominador por um número diferente de zero.
Para simplificar frações devemos dividir o numera-
dor e o denominador, por um mesmo número diferente Quando não for mais possível efetuar as divisões,
de zero. dizemos que a fração é irredutível. Exemplo:
18 : 2 9 : 3 3
= =
Quando não for mais possível efetuar as divisões 12 : 2 6 : 3 2
dizemos que a fração é irredutível.
Fração irredutível ou simplificada.
Exemplo: 9 36
18 2 9 3 Exercícios: Simplificar 1) 2)
: = = ⇒ Fração Irredutível ou Sim- 12 45
12 2 6 6 3 4
plificada Respostas: 1) 2)
4 5
1 3 REDUÇÃO DE FRAÇÕES AO MENOR DENOMINA-
Exemplo: e
3 4 DOR COMUM

Calcular o M.M.C. (3,4): M.M.C.(3,4) = 12 1 3


Ex.: e
1 3 (12 : 3 ) ⋅ 1 (12 : 4 ) ⋅ 3 temos: 4 e 9 3 4
e = e
3 4 12 12 12 12
Calcular o M.M.C. (3,4) = 12
1 4 1
e
3
=
(12 : 3 ) ⋅ 1 e (12 : 4 ) ⋅ 3 temos:
A fração é equivalente a .
3 12 3 4 12 12
4 9
e
3 9 12 12
A fração equivalente .
4 12 1 4 3
A fração é equivalente a . A fração equiva-
3 12 4
Exercícios:
9
1) Achar três frações equivalentes às seguintes fra- lente .
ções: 12
1 2
1) 2) Exemplo:
4 3 2 4
2 3 4 4 6 8 ? ⇒ numeradores diferentes e denomina-
Respostas: 1) , , 2) , , 3 5
8 12 16 6 9 12 dores diferentes m.m.c.(3, 5) = 15

COMPARAÇÃO DE FRAÇÕES (15 : 3).2 (15.5).4 10 12


? = < (ordem
15 15 15 15
a) Frações de denominadores iguais.
crescente)
Se duas frações tem denominadores iguais a maior
será aquela: que tiver maior numerador.
Exercícios: Colocar em ordem crescente:
3 1 1 3
Ex.: > ou <
4 4 4 4
Matemática Financeira 18 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
2 2 5 4 5 2 4 4 2 4 3 12 6
1) e 2) e 3) , e Exemplo: : = . = =
5 3 3 3 6 3 5 5 3 5 2 10 5

2 2 4 5 Exercícios. Calcular:
Respostas: 1) < 2) <
5 3 3 3 4 2 8 6  2 3  4 1
1) : 2) : 3)  +  :  − 
4 5 3 3 9 15 25 5 5 3 3
3) < <
3 6 2
20
Respostas: 1) 6 2) 3) 1
OPERAÇÕES COM FRAÇÕES 9

1) Adição e Subtração POTENCIAÇÃO DE FRAÇÕES


a) Com denominadores iguais somam-se ou subtra-
em-se os numeradores e conserva-se o denominador Eleva o numerador e o denominador ao expoente
comum. dado. Exemplo:
2 5 1 2 + 5 +1 8 3
Ex: + + = = 2 23 8
3 3 3 3 3   = 3 =
3
  3 27
4 3 4−3 1
− = =
5 5 5 5 Exercícios. Efetuar:
2 4 2 3
b) Com denominadores diferentes reduz ao mesmo 3  1  4   1
1)   2)   3)   −  
denominador depois soma ou subtrai. 4 2 3 2
Ex:
1 3 2 9 1 119
1) + + = M.M.C.. (2, 4, 3) = 12 Respostas: 1) 2) 3)
2 4 3 16 16 72

(12 : 2).1 + (12 : 4).3 + (12.3).2 6 + 9 + 8 23 RADICIAÇÃO DE FRAÇÕES


= =
12 12 12
4 2 Extrai raiz do numerador e do denominador.
2) − = M.M.C.. (3,9) = 9
3 9 4 4 2
Exemplo: = =
(9 : 3).4 - (9 : 9).2 12 - 2 10 9 9 3
= =
9 9 9
Exercícios. Efetuar:
Exercícios. Calcular: 1 16 9  1
2

2 5 1 5 1 2 1 1 1) 2) 3) + 
1) + + 2) − 3) + − 9 25 16  2 
7 7 7 6 6 3 4 3
8 4 2 7 1 4
Respostas: 1) 2) = 3) Respostas: 1) 2) 3) 1
7 6 3 12 3 5

MULTIPLICAÇÃO DE FRAÇÕES
NÚMEROS DECIMAIS
Para multiplicar duas ou mais frações devemos mul-
Toda fração com denominador 10, 100, 1000,...etc,
tiplicar os numeradores das frações entre si, assim
chama-se fração decimal.
como os seus denominadores.
Exemplo: 3 4 7
Ex: , , , etc
2 3 2 3 6 3 10 100 100
. = x = =
5 4 5 4 20 10
Escrevendo estas frações na forma decimal temos:
Exercícios: Calcular: 3
= três décimos,
2 5 2 3 4  1 3  2 1 10
1) ⋅ 2) ⋅ ⋅ 3)  +  ⋅  −  4
5 4 5 2 3 5 5 3 3 = quatro centésimos
100
10 5 24 4 4
Respostas: 1) = 2) = 3) 7
12 6 30 5 15 = sete milésimos
1000
DIVISÃO DE FRAÇÕES
Escrevendo estas frações na forma decimal temos:
Para dividir duas frações conserva-se a primeira e 3 4 7
=0,3 = 0,04 = 0,007
multiplica-se pelo inverso da Segunda. 10 100 1000

Matemática Financeira 19 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Outros exemplos: direita, tantas casas decimais quantos forem os alga-
34 635 2187 rismos decimais dos números dados.
1) = 3,4 2) = 6,35 3) =218,7
10 100 10
Exemplo: 5,32 x 3,8
Note que a vírgula “caminha” da direita para a es- 5,32 → 2 casas,
querda, a quantidade de casas deslocadas é a mesma x 3,8→ 1 casa após a virgula
quantidade de zeros do denominador. ______
4256
Exercícios. Representar em números decimais: 1596 +
35 473 430 ______
1) 2) 3) 20,216 → 3 casas após a vírgula
10 100 1000
Exercícios. Efetuar as operações:
Respostas: 1) 3,5 2) 4,73 3) 0,430 1) 2,41 . 6,3 2) 173,4 . 3,5 + 5 . 4,6
3) 31,2 . 0,753
LEITURA DE UM NÚMERO DECIMAL
Respostas: 1) 15,183 2) 629,9
Ex.: 3) 23,4936

DIVISÃO DE NÚMEROS DECIMAIS

Igualamos as casas decimais entre o dividendo e o


divisor e quando o dividendo for menor que o divisor
acrescentamos um zero antes da vírgula no quociente.

Ex.:
a) 3:4
3 |_4_
30 0,75
20
0
b) 4,6:2
4,6 |2,0 = 46 | 20
60 2,3
OPERAÇÕES COM NÚMEROS DECIMAIS 0
Obs.: Para transformar qualquer fração em número
Adição e Subtração decimal basta dividir o numerador pelo denominador.
Coloca-se vírgula sob virgula e somam-se ou sub- Ex.: 2/5 = 2 |5 , então 2/5=0,4
traem-se unidades de mesma ordem. Exemplo 1: 20 0,4

10 + 0,453 + 2,832 Exercícios


10,000 1) Transformar as frações em números decimais.
+ 0,453 1 4 1
2,832 1) 2) 3)
5 5 4
_______
Respostas: 1) 0,2 2) 0,8 3) 0,25
13,285
2) Efetuar as operações:
Exemplo 2:
1) 1,6 : 0,4 2) 25,8 : 0,2
47,3 - 9,35
3) 45,6 : 1,23 4) 178 : 4,5-3,4.1/2
47,30
5) 235,6 : 1,2 + 5 . 3/4
9,35
______
Respostas: 1) 4 2) 129 3) 35,07
37,95
4) 37,855 5) 200,0833....
Exercícios. Efetuar as operações:
1) 0,357 + 4,321 + 31,45 Multiplicação de um número decimal por 10, 100,
1000
2) 114,37 - 93,4
3) 83,7 + 0,53 - 15, 3
Para tornar um número decimal 10, 100, 1000.....
Respostas: 1) 36,128 2) 20,97 3) 68,93 vezes maior, desloca-se a vírgula para a direita, res-
pectivamente, uma, duas, três, . . . casas decimais.
MULTIPLICAÇÃO COM NÚMEROS DECIMAIS 2,75 x 10 = 27,5 6,50 x 100 = 650
0,125 x 100 = 12,5 2,780 x 1.000 = 2.780
Multiplicam-se dois números decimais como se fos- 0,060 x 1.000 = 60 0,825 x 1.000 = 825
sem inteiros e separam-se os resultados a partir da

Matemática Financeira 20 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
DIVISÃO dois décimos".
Para dividir os números decimais, procede-se as-
sim: 2) 12,75 Lê-se: "doze inteiros
1) iguala-se o número de casas decimais; e setenta e cinco
2) suprimem-se as vírgulas; centésimos".
3) efetua-se a divisão como se fossem números in-
teiros. 3) 8,309 Lê-se: "oito inteiros e
trezentos e nove
Exemplos: milésimos''.
♦ 6 : 0,15 = 6,00 0,15
Observações:
000 40 1) Quando a parte inteira é zero, apenas a parte de-
Igualam – se as casas decimais. cimal é lida.
Cortam-se as vírgulas. Exemplos:
 7,85 : 5 = 7,85 : 5,00 785 : 500 = 1,57
a) 0,5 - Lê-se: "cinco
Dividindo 785 por 500 obtém-se quociente 1 e resto décimos".
285
b) 0,38 - Lê-se: "trinta e oito
Como 285 é menor que 500, acrescenta-se uma centésimos".
vírgula ao quociente e zeros ao resto
♦ 2 : 4 0,5 c) 0,421 - Lê-se: "quatrocentos
e vinte e um
Como 2 não é divisível por 4, coloca-se zero e vír- milésimos".
gula no quociente e zero no dividendo
♦ 0,35 : 7 = 0,350 7,00 350 : 700 = 2) Um número decimal não muda o seu valor se a-
0,05 crescentarmos ou suprimirmos zeros â direita do
último algarismo.
Como 35 não divisível por 700, coloca-se zero e vír- Exemplo: 0,5 = 0,50 = 0,500 = 0,5000 " .......
gula no quociente e um zero no dividendo. Como 350
não é divisível por 700, acrescenta-se outro zero ao 3) Todo número natural pode ser escrito na forma
quociente e outro ao dividendo de número decimal, colocando-se a vírgula após
o último algarismo e zero (ou zeros) a sua direita.
Divisão de um número decimal por 10, 100, 1000 Exemplos: 34 = 34,00... 176 = 176,00...

Para tornar um número decimal 10, 100, 1000, .... CONJUNTO DOS NÚMEROS REAIS (R)
vezes menor, desloca-se a vírgula para a esquerda,
respectivamente, uma, duas, três, ... casas decimais. CORRESPONDÊNCIA ENTRE NÚMEROS E
PONTOS DA RETA, ORDEM, VALOR ABSOLUTO
Exemplos: Há números que não admitem representação
25,6 : 10 = 2,56 decimal finita nem representação decimal infinita e
04 : 10 = 0,4 periódico, como, por exemplo:
315,2 : 100 = 3,152 π = 3,14159265...
018 : 100 = 0,18 2 = 1,4142135...
0042,5 : 1.000 = 0,0425
0015 : 1.000 = 0,015 3 = 1,7320508...
5 = 2,2360679...
milhar centena dezena Unidade décimo centésimo milésimo
simples

1 000 100 10 1 0,1 0,01 0,001 Estes números não são racionais: π ∈ Q, 2
∈ Q, 3 ∈ Q, 5 ∈ Q; e, por isso mesmo, são
chamados de irracionais.
LEITURA DE UM NÚMERO DECIMAL
Procedemos do seguinte modo: Podemos então definir os irracionais como sendo
1º) Lemos a parte inteira (como um número natural). aqueles números que possuem uma representação
2º) Lemos a parte decimal (como um número natu- decimal infinita e não periódico.
ral), acompanhada de uma das palavras:
- décimos, se houver uma ordem (ou casa) deci- Chamamos então de conjunto dos números reais, e
mal indicamos com R, o seguinte conjunto:
- centésimos, se houver duas ordens decimais;
- milésimos, se houver três ordens decimais. R= { x | x é racional ou x é irracional}
Exemplos: Como vemos, o conjunto R é a união do conjunto
1) 1,2 Lê-se: "um inteiro e dos números racionais com o conjunto dos números

Matemática Financeira 21 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
irracionais. comparação entre dois números. Assim, no primeiro
caso, destacamos 5 entre 20; no segundo, 2 entre 10, e
Usaremos o símbolo estrela (*) quando quisermos no terceiro, 1 para cada 2.
indicar que o número zero foi excluído de um conjunto.
Todas as comparações serão matematicamente
Exemplo: N* = { 1; 2; 3; 4; ... }; o zero foi excluído de expressas por um quociente chamado razão.
N.
Teremos, pois:
Usaremos o símbolo mais (+) quando quisermos
indicar que os números negativos foram excluídos de De cada 20 habitantes, 5 são analfabetos.
um conjunto. 5
Razão =
20
Exemplo: Z+ = { 0; 1; 2; ... } ; os negativos foram
excluídos de Z. De cada 10 alunos, 2 gostam de Matemática.
2
Usaremos o símbolo menos (-) quando quisermos Razão =
indicar que os números positivos foram excluídos de 10
um conjunto.
c. Um dia de sol, para cada dois de chuva.
1
Exemplo: Z − = { . .. ; - 2; - 1; 0 } ; os positivos foram Razão =
2
excluídos de Z.
A razão entre dois números a e b, com b ≠ 0, é o
Algumas vezes combinamos o símbolo (*) com o
a
símbolo (+) ou com o símbolo (-). quociente , ou a : b.
b
Exemplos
Nessa expressão, a chama-se antecedente e b,
a) Z *− = ( 1; 2; 3; ... ) ; o zero e os negativos foram
consequente. Outros exemplos de razão:
excluídos de Z.
b) Z *+ = { ... ; - 3; - 2; - 1 } ; o zero e os positivos Em cada 10 terrenos vendidos, um é do corretor.
foram excluídos de Z. 1
Razão =
10
RAZÕES E PROPORÇÕES
Os times A e B jogaram 6 vezes e o time A ganhou
1. INTRODUÇÃO todas.
Se a sua mensalidade escolar sofresse hoje um rea- 6
juste de R$ 80,00, como você reagiria? Acharia caro, Razão =
6
normal, ou abaixo da expectativa? Esse mesmo valor,
que pode parecer caro no reajuste da mensalidade, 3. Uma liga de metal é feita de 2 partes de ferro e 3
seria considerado insignificante, se tratasse de um partes de zinco.
acréscimo no seu salário.
2 3
Razão = (ferro) Razão = (zinco).
Naturalmente, você já percebeu que os R$ 80,00 5 5
nada representam, se não forem comparados com um
valor base e se não forem avaliados de acordo com a 3. PROPORÇÃO
natureza da comparação. Por exemplo, se a mensali- Há situações em que as grandezas que estão sendo
dade escolar fosse de R$ 90,00, o reajuste poderia ser comparadas podem ser expressas por razões de ante-
considerado alto; afinal, o valor da mensalidade teria cedentes e consequentes diferentes, porém com o
quase dobrado. Já no caso do salário, mesmo conside- mesmo quociente. Dessa maneira, quando uma pes-
rando o salário mínimo, R$ 80,00 seriam uma parte quisa escolar nos revelar que, de 40 alunos entrevista-
mínima. . dos, 10 gostam de Matemática, poderemos supor que,
se forem entrevistados 80 alunos da mesma escola, 20
A fim de esclarecer melhor este tipo de problema, deverão gostar de Matemática. Na verdade, estamos
vamos estabelecer regras para comparação entre afirmando que 10 estão representando em 40 o mesmo
grandezas. que 20 em 80.
10 20
2. RAZÃO Escrevemos: =
40 80
Você já deve ter ouvido expressões como: "De cada
20 habitantes, 5 são analfabetos", "De cada 10 alunos, A esse tipo de igualdade entre duas razões dá-se o
2 gostam de Matemática", "Um dia de sol, para cada nome de proporção.
dois de chuva".

Em cada uma dessas. frases está sempre clara uma

Matemática Financeira 22 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
a c
Dadas duas razões e , com b e d ≠ 0,
b d GRANDEZAS PROPORCIONAIS E DIVISÃO
a c PROPORCIONAL
teremos uma proporção se = .
b d 1. INTRODUÇÃO:
Na expressão acima, a e c são chamados de No dia-a-dia, você lida com situações que envolvem
antecedentes e b e d de consequentes. . números, tais como: preço, peso, salário, dias de traba-
lho, índice de inflação, velocidade, tempo, idade e ou-
A proporção também pode ser representada como a tros. Passaremos a nos referir a cada uma dessas situ-
: b = c : d. Qualquer uma dessas expressões é lida ações mensuráveis como uma grandeza. Você sabe
assim: a está para b assim como c está para d. E im- que cada grandeza não é independente, mas vinculada
portante notar que b e c são denominados meios e a e a outra conveniente. O salário, por exemplo, está rela-
d, extremos. cionado a dias de trabalho. Há pesos que dependem
de idade, velocidade, tempo etc. Vamos analisar dois
Exemplo: tipos básicos de dependência entre grandezas propor-
3 9 cionais.
A proporção = , ou 3 : 7 : : 9 : 21, é
7 21 2. PROPORÇÃO DIRETA
lida da seguinte forma: 3 está para 7 assim como 9 Grandezas como trabalho produzido e remuneração
está para 21. Temos ainda: obtida são, quase sempre, diretamente proporcionais.
3 e 9 como antecedentes, De fato, se você receber R$ 2,00 para cada folha que
7 e 21 como consequentes, datilografar, sabe que deverá receber R$ 40,00 por 20
7 e 9 como meios e folhas datilografadas.
3 e 21 como extremos.
Podemos destacar outros exemplos de grandezas
3.1 PROPRIEDADE FUNDAMENTAL diretamente proporcionais:
O produto dos extremos é igual ao produto dos
meios: Velocidade média e distância percorrida, pois, se
você dobrar a velocidade com que anda, deverá, num
a c mesmo tempo, dobrar a distância percorrida.
= ⇔ ad = bc ; b, d ≠ 0
b d
Área e preço de terrenos.

Exemplo: Altura de um objeto e comprimento da sombra pro-


Se 6 = 24 , então 6 . 96 = 24 . 24 = 576. jetada por ele.
24 96
3.2 ADIÇÃO (OU SUBTRAÇÃO) DOS Assim:
ANTECEDENTES E CONSEQUENTES
Em toda proporção, a soma (ou diferença) dos an- Duas grandezas São diretamente proporcionais
quando, aumentando (ou diminuindo) uma delas
tecedentes está para a soma (ou diferença) dos conse-
numa determinada razão, a outra diminui (ou
quentes assim como cada antecedente está para seu
aumenta) nessa mesma razão.
consequente. Ou seja:

a c a + c a c 3. PROPORÇÃO INVERSA
Se = , entao = = , Grandezas como tempo de trabalho e número de
b d b + d b d
a - c a c operários para a mesma tarefa são, em geral, inver-
ou = = samente proporcionais. Veja: Para uma tarefa que 10
b - d b d operários executam em 20 dias, devemos esperar que
5 operários a realizem em 40 dias.
Essa propriedade é válida desde que nenhum
denominador seja nulo. Podemos destacar outros exemplos de grandezas
inversamente proporcionais:

Velocidade média e tempo de viagem, pois, se você


dobrar a velocidade com que anda, mantendo fixa a
Exemplo: distância a ser percorrida, reduzirá o tempo do percur-
21 + 7 28 7 so pela metade.
= =
12 + 4 16 4 Número de torneiras de mesma vazão e tempo para
21 7 encher um tanque, pois, quanto mais torneiras estive-
= rem abertas, menor o tempo para completar o tanque.
12 4
21 - 7 14 7 Podemos concluir que :
= =
12 - 4 8 4

Matemática Financeira 23 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Duas grandezas são inversamente proporcionais
quando, aumentando (ou diminuindo) uma delas diretamente proporcionais a 6 e 5, que são as horas
numa determinada razão, a outra diminui (ou que A e B trabalharam.
aumenta) na mesma razão. Vamos formalizar a divisão, chamando de x o que A
tem a receber, e de y o que B tem a receber.
Vamos analisar outro exemplo, com o objetivo de Teremos então:
reconhecer a natureza da proporção, e destacar a
razão. Considere a situação de um grupo de pessoas
X + Y = 660
que, em férias, se instale num acampamento que cobra
R$100,00 a diária individual. X Y
=
6 5
Observe na tabela a relação entre o número de
pessoas e a despesa diária: Esse sistema pode ser resolvido, usando as
propriedades de proporção. Assim:
Número de X + Y
pessoas 1 2 4 5 10 = Substituindo X + Y por 660,
6 + 5
vem
660 X 6 ⋅ 660
Despesa = ⇒ X = = 360
diária (R$ ) 100 200 400 500 1.000 11 6 11
Como X + Y = 660, então Y = 300
Você pode perceber na tabela que a razão de au- Concluindo, A deve receber R$ 360,00 enquanto B,
mento do número de pessoas é a mesma para o au- R$ 300,00.
mento da despesa. Assim, se dobrarmos o número de
pessoas, dobraremos ao mesmo tempo a despesa. 4.2 INVERSAMENTE PROPORCIONAL
Esta é portanto, uma proporção direta, ou melhor, as E se nosso problema não fosse efetuar divisão em
grandezas número de pessoas e despesa diária são partes diretamente proporcionais, mas sim inversamen-
diretamente proporcionais. te? Por exemplo: suponha que as duas pessoas, A e B,
trabalharam durante um mesmo período para fabricar e
Suponha também que, nesse mesmo exemplo, a vender por R$ 160,00 um certo artigo. Se A chegou
quantia a ser gasta pelo grupo seja sempre de atrasado ao trabalho 3 dias e B, 5 dias, como efetuar
R$2.000,00. Perceba, então, que o tempo de perma- com justiça a divisão? O problema agora é dividir R$
nência do grupo dependerá do número de pessoas. 160,00 em partes inversamente proporcionais a 3 e a 5,
pois deve ser levado em consideração que aquele que
Analise agora a tabela abaixo : se atrasa mais deve receber menos.
Número de 1 2 4 5 10
pessoas

Tempo de
permanência Dividir um número em partes inversamente propor-
(dias) 20 10 5 4 2 cionais a outros números dados é encontrar partes
desse número que sejam diretamente proporcio-
Note que, se dobrarmos o número de pessoas, o
nais aos inversos dos números dados e cuja soma
tempo de permanência se reduzirá à metade. Esta é,
reproduza o próprio número.
portanto, uma proporção inversa, ou melhor, as gran-
dezas número de pessoas e número de dias são inver-
samente proporcionais. No nosso problema, temos de dividir 160 em partes
inversamente proporcionais a 3 e a 5, que são os nú-
4. DIVISÃO EM PARTES PROPORCIONAIS meros de atraso de A e B. Vamos formalizar a divisão,
chamando de x o que A tem a receber e de y o que B
4. 1 Diretamente proporcional tem a receber.
Duas pessoas, A e B, trabalharam na fabricação de
um mesmo objeto, sendo que A o fez durante 6 horas e x + y = 160
B durante 5 horas. Como, agora, elas deverão dividir
com justiça os R$ 660,00 apurados com sua venda? x y
Na verdade, o que cada um tem a receber deve ser Teremos: =
diretamente proporcional ao tempo gasto na confecção
1 1
do objeto. 3 5
Dividir um número em partes diretamente
Resolvendo o sistema, temos:
proporcionais a outros números dados é
encontrar partes desse número que sejam x + y x x + y x
= ⇒ =
diretamente proporcionais aos números dados e 1 1 1 8 1
cuja soma reproduza o próprio número. +
3 5 3 15 3
Mas, como x + y = 160, então
No nosso problema, temos de dividir 660 em partes

Matemática Financeira 24 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
160 x 160 1 29400 x
= ⇒ x = ⋅ ⇒ Como x + y = 29400, então =
8 1 8 3 98 50
15 3 15 29400 ⋅ 50
⇒x= ⇒ 15.000
98
15 1
⇒ x = 160 ⋅ ⋅ ⇒ x = 100 Portanto y = 14 400.
8 3
Concluindo, a primeira turma deve receber R$
Como x + y = 160, então y = 60. Concluindo, A
15.000,00 da empreiteira, e a segunda, R$ 14.400,00.
deve receber R$ 100,00 e B, R$ 60,00.
Observação: Firmas de projetos costumam cobrar
4.3 DIVISÃO PROPORCIONAL COMPOSTA
cada trabalho usando como unidade o homem-hora. O
Vamos analisar a seguinte situação: Uma empreitei-
nosso problema é um exemplo em que esse critério
ra foi contratada para pavimentar uma rua. Ela dividiu o
poderia ser usado, ou seja, a unidade nesse caso seria
trabalho em duas turmas, prometendo pagá-las propor-
homem-dia. Seria obtido o valor de R$ 300,00 que é o
cionalmente. A tarefa foi realizada da seguinte maneira:
resultado de 15 000 : 50, ou de 14 400 : 48.
na primeira turma, 10 homens trabalharam durante 5
dias; na segunda turma, 12 homens trabalharam duran-
te 4 dias. Estamos considerando que os homens ti-
nham a mesma capacidade de trabalho. A empreiteira
tinha R$ 29.400,00 para dividir com justiça entre as REGRA DE TRÊS SIMPLES
duas turmas de trabalho. Como fazê-lo?
REGRA DE TRÊS SIMPLES
Essa divisão não é de mesma natureza das anterio- Retomando o problema do automóvel, vamos
res. Trata-se aqui de uma divisão composta em partes resolvê-lo com o uso da regra de três de maneira
proporcionais, já que os números obtidos deverão ser prática.
proporcionais a dois números e também a dois outros.
Devemos dispor as grandezas, bem como os valo-
Na primeira turma, 10 homens trabalharam 5 dias, res envolvidos, de modo que possamos reconhecer a
produzindo o mesmo resultado de 50 homens, traba- natureza da proporção e escrevê-la.
lhando por um dia. Do mesmo modo, na segunda tur- Assim:
ma, 12 homens trabalharam 4 dias, o que seria equiva-
lente a 48 homens trabalhando um dia. Grandeza 1: tempo Grandeza 2: distância
(horas) percorrida
(km)
Para a empreiteira, o problema passaria a ser,
portanto, de divisão diretamente proporcional a 50 (que
é 10 . 5), e 48 (que é 12 . 4). 6 900

8 x
Para dividir um número em partes de tal forma que
uma delas seja proporcional a m e n e a outra a p
e q, basta divida esse número em partes Observe que colocamos na mesma linha valores
proporcionais a m . n e p . q. que se correspondem: 6 horas e 900 km; 8 horas e o
valor desconhecido.
Convém lembrar que efetuar uma divisão em partes
inversamente proporcionais a certos números é o Vamos usar setas indicativas, como fizemos antes,
mesmo que fazer a divisão em partes diretamente pro- para indicar a natureza da proporção. Se elas estive-
porcionais ao inverso dos números dados. rem no mesmo sentido, as grandezas são diretamente
proporcionais; se em sentidos contrários, são inversa-
Resolvendo nosso problema, temos: mente proporcionais.
Chamamos de x: a quantia que deve receber a
primeira turma; y: a quantia que deve receber a Nesse problema, para estabelecer se as setas têm
segunda turma. Assim: o mesmo sentido, foi necessário responder à pergunta:
x y x y "Considerando a mesma velocidade, se aumentarmos
= ou = o tempo, aumentará a distância percorrida?" Como a
10 ⋅ 5 12 ⋅ 4 50 48 resposta a essa questão é afirmativa, as grandezas são
x + y x diretamente proporcionais.
⇒ =
50 + 48 50
Já que a proporção é direta, podemos escrever:
6 900
=
8 x

Matemática Financeira 25 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
7200 Grandeza 1: Grandeza 2: Grandeza 3:
Então: 6 . x = 8 . 900 ⇒ x = = 1 200 número de máquinas dias número de peças
6

Concluindo, o automóvel percorrerá 1 200 km em 8 10 20 2000


horas.
x 6 1680
Vamos analisar outra situação em que usamos a
regra de três.
Natureza da proporção: para estabelecer o sentido
das setas é necessário fixar uma das grandezas e
Um automóvel, com velocidade média de 90 km/h,
relacioná-la com as outras.
percorre um certo espaço durante 8 horas. Qual será o
tempo necessário para percorrer o mesmo espaço com
Supondo fixo o número de dias, responda à ques-
uma velocidade de 60 km/h?
tão: "Aumentando o número de máquinas, aumentará o
número de peças fabricadas?" A resposta a essa ques-
Grandeza 1: tempo Grandeza 2: velocidade
tão é afirmativa. Logo, as grandezas 1 e 3 são direta-
(horas) (km/h)
mente proporcionais.

8 90 Agora, supondo fixo o número de peças, responda à


questão: "Aumentando o número de máquinas, aumen-
x 60 tará o número de dias necessários para o trabalho?"
Nesse caso, a resposta é negativa. Logo, as grandezas
A resposta à pergunta "Mantendo o mesmo espaço 1 e 2 são inversamente proporcionais.
percorrido, se aumentarmos a velocidade, o tempo
aumentará?" é negativa. Vemos, então, que as grande- Para se escrever corretamente a proporção, deve-
zas envolvidas são inversamente proporcionais. mos fazer com que as setas fiquem no mesmo sentido,
Como a proporção é inversa, será necessário inver- invertendo os termos das colunas convenientes. Natu-
termos a ordem dos termos de uma das colunas, tor- ralmente, no nosso exemplo, fica mais fácil inverter a
nando a proporção direta. Assim: coluna da grandeza 2.

8 60 10 6 2000

x 90
x 20 1680
Escrevendo a proporção, temos:
Agora, vamos escrever a proporção:
8 60 8 ⋅ 90
= ⇒ x= = 12 10 6 2000
x 90 60 = ⋅
x 20 1680
Concluindo, o automóvel percorrerá a mesma
distância em 12 horas. (Lembre-se de que uma grandeza proporcional a
duas outras é proporcional ao produto delas.)

Regra de três simples é um processo prático utilizado


10 12000 10 ⋅ 33600
= ⇒ x= = 28
para resolver problemas que envolvam pares de x 33600 12000
grandezas direta ou inversamente proporcionais.
Essas grandezas formam uma proporção em que se Concluindo, serão necessárias 28 máquinas.
conhece três termos e o quarto termo é procurado.
PORCENTAGEM
REGRA DE TRÊS COMPOSTA
Vamos agora utilizar a regra de três para resolver 1. INTRODUÇÃO
problemas em que estão envolvidas mais de duas Quando você abre o jornal, liga a televisão ou olha
grandezas proporcionais. Como exemplo, vamos anali- vitrinas, frequentemente se vê às voltas com
sar o seguinte problema. expressões do tipo:
 "O índice de reajuste salarial de março é de
Numa fábrica, 10 máquinas trabalhando 20 dias 16,19%."
produzem 2 000 peças. Quantas máquinas serão ne-  "O rendimento da caderneta de poupança em
cessárias para se produzir 1 680 peças em 6 dias? fevereiro foi de 18,55%."
 "A inflação acumulada nos últimos 12 meses foi
Como nos problemas anteriores, você deve verificar de 381,1351%.
a natureza da proporção entre as grandezas e escrever  "Os preços foram reduzidos em até 0,5%."
essa proporção. Vamos usar o mesmo modo de dispor
as grandezas e os valores envolvidos. Mesmo supondo que essas expressões não sejam
completamente desconhecidas para uma pessoa, é
importante fazermos um estudo organizado do assunto

Matemática Financeira 26 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
porcentagem, uma vez que o seu conhecimento é fer- tes iguais a 40, obtemos 32 . 40 ou 1 280 que é a res-
ramenta indispensável para a maioria dos problemas posta para o problema.
relativos à Matemática Comercial.
Observe que dividir o principal por 100 e multiplicar
2. PORCENTAGEM o resultado dessa divisão por 32 é o mesmo que multi-
O estudo da porcentagem é ainda um modo de 32
comparar números usando a proporção direta. Só que plicar o principal por ou 0,32. Vamos usar esse
100
uma das razões da proporção é um fração de denomi-
raciocínio de agora em diante:
nador 100. Vamos deixar isso mais claro: numa situa-
ção em que você tiver de calcular 40% de R$ 300,00, o
seu trabalho será determinar um valor que represente, Porcentagem = taxa X principal
em 300, o mesmo que 40 em 100. Isso pode ser resu-
mido na proporção:
JUROS SIMPLES
40 x
= Consideremos os seguintes fatos:
100 300 • Emprestei R$ 100 000,00 para um amigo pelo
prazo de 6 meses e recebi, ao fim desse tempo,
Então, o valor de x será de R$ 120,00. R$ 24 000,00 de juros.
Sabendo que em cálculos de porcentagem será • O preço de uma televisão, a vista, é R$ 4.000,00.
necessário utilizar sempre proporções diretas, fica Se eu comprar essa mesma televisão em 10
claro, então, que qualquer problema dessa natureza prestações, vou pagar por ela R$ 4.750,00. Por-
poderá ser resolvido com regra de três simples. tanto, vou pagar R$750,00 de juros.
No 1.° fato, R$ 24 000,00 é uma compensação em
3. TAXA PORCENTUAL dinheiro que se recebe por emprestar uma quantia por
O uso de regra de três simples no cálculo de por- determinado tempo.
centagens é um recurso que torna fácil o entendimento
do assunto, mas não é o único caminho possível e nem No 2.° fato, R$ 750,00 é uma compensação em di-
sequer o mais prático. nheiro que se paga quando se compra uma mercadoria
a prazo.
Para simplificar os cálculos numéricos, é
necessário, inicialmente, dar nomes a alguns termos. Assim:
Veremos isso a partir de um exemplo.  Quando depositamos ou emprestamos certa
quantia por determinado tempo, recebemos uma
Exemplo: compensação em dinheiro.
Calcular 20% de 800.  Quando pedimos emprestada certa quantia por
20 determinado tempo, pagamos uma compensa-
Calcular 20%, ou de 800 é dividir 800 em ção em dinheiro.
100
 Quando compramos uma mercadoria a prazo,
100 partes e tomar 20 dessas partes. Como a pagamos uma compensação em dinheiro.
centésima parte de 800 é 8, então 20 dessas partes
será 160. Pelas considerações feitas na introdução, podemos
dizer que :
Chamamos: 20% de taxa porcentual; 800 de
Juro é uma compensação em dinheiro que se
principal; 160 de porcentagem.
recebe ou que se paga.
Temos, portanto:
 Principal: número sobre o qual se vai calcular a Nos problemas de juros simples, usaremos a se-
porcentagem. guinte nomenclatura: dinheiro depositado ou empresta-
 Taxa: valor fixo, tomado a partir de cada 100 do denomina-se capital.
partes do principal.
 Porcentagem: número que se obtém somando O porcentual denomina-se taxa e representa o juro
cada uma das 100 partes do principal até recebido ou pago a cada R$100,00, em 1 ano.
conseguir a taxa.
O período de depósito ou de empréstimo denomina-
A partir dessas definições, deve ficar claro que, ao se tempo.
calcularmos uma porcentagem de um principal conhe-
cido, não é necessário utilizar a montagem de uma A compensação em dinheiro denomina-se juro.
regra de três. Basta dividir o principal por 100 e to-
marmos tantas destas partes quanto for a taxa. Veja- RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE JUROS SIMPLES
mos outro exemplo.
Vejamos alguns exemplos:
Exemplo:
Calcular 32% de 4.000. 1.° exemplo: Calcular os juros produzidos por um
Primeiro dividimos 4 000 por 100 e obtemos 40, que capital de R$ 720 000,00, empregado a 25% ao a-
é a centésima parte de 4 000. Agora, somando 32 par- no, durante 5 anos.
Matemática Financeira 27 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
De acordo com os dados do problema, temos: mês, durante 8 meses, quanto deverei receber
25% em 1ano ⇒ 125% (25 . 5) em 5 anos de juros?
125 - Uma pessoa aplica certa quantia durante 2 anos,
125% = = 1,25 à taxa de 15% ao ano, e recebe R$ 21 000,00 de
100
juros. Qual foi a quantia aplicada?
- Um capital de R$ 200 000,00 foi aplicado durante
Nessas condições, devemos resolver o seguinte
1 ano e 4 meses à taxa de 18% ao ano. No final
problema:
desse tempo, quanto receberei de juros e qual o
Calcular 125% de R$ 720 000,00. Dai:
capital acumulado (capital aplicado + juros)?
x = 125% de 720 000 =
- Um aparelho de televisão custa R$ 4 500,00.
1,25 . 720 000 = 900 000.
Como vou comprá-lo no prazo de 10 meses, a lo-
900.000 – 720.000 = 180.000
ja cobrará juros simples de 1,6% ao mês. Quanto
Resposta: Os juros produzidos são de R$
vou pagar por esse aparelho.
180.000,00
- A quantia de R$ 500 000,00, aplicada durante 6
meses, rendeu juros de R$ 33 000,00. Qual foi
2.° exemplo: Apliquei um capital de R$ 10.000,00 a
a taxa (%) mensal da aplicação
uma taxa de 1,8% ao mês, durante 6 meses. Quan-
- Uma geladeira custa R$ 1 000,00. Como vou
to esse capital me renderá de juros?
compra-la no prazo de 5 meses, a loja vendedo-
1,8% em 1 mês ⇒ 6 . 1,8% = 10,8% em 6 meses
ra cobrara juros simples de 1,5% ao mês. Quan-
10,8 to pagarei por essa geladeira e qual o valor de
10,8% = = 0,108
100 cada prestação mensal, se todas elas são iguais.
Dai: - Comprei um aparelho de som no prazo de 8 me-
x = 0,108 . 10 000 = 1080 ses. O preço original do aparelho era de R$
Resposta: Renderá juros de R$ 1 080,00. 800,00 e os juros simples cobrados pela firma fo-
ram de R$ 160,00. Qual foi a taxa (%) mensal
3.° exemplo: Tomei emprestada certa quantia du- dos juros cobrados?
rante 6 meses, a uma taxa de 1,2% ao mês, e devo
pagar R$ 3 600,00 de juros. Qual foi a quantia em- Respostas
prestada? R$ 4 400,00
De acordo com os dados do problema: R$ 70 000,00
1,2% em 1 mês ⇒ 6 . 1,2% = 7,2% em 6 meses R$ 48 000,00 e R$ 248 000,00
7,2 R$ 5 220,00
7,2% = = 0,072 1,1%
100 R$ 1 075,00 e R$ 215,00
Nessas condições, devemos resolver o seguinte 2,5%
problema:
3 600 representam 7,2% de uma quantia x. Calcule
JUROS COMPOSTOS
x.
1. Introdução
Dai: O dinheiro e o tempo são dois fatores que se
3600 = 0,072 . x ⇒ 0,072x = 3 600 ⇒ encontram estreitamente ligados com a vida das
3600 pessoas e dos negócios. Quando são gerados ex-
x=
0,072 cedentes de fundos, as pessoas ou as empresas,
x = 50 000 aplicam-no a fim de ganhar juros que aumentem o
Resposta: A quantia emprestada foi de R$ capital original disponível; em outras ocasiões, pelo
50.000,00. contrário, tem-se a necessidade de recursos
financeiros durante um período de tempo e deve-se
4.° exemplo: Um capital de R$ 80 000,00, aplicado pagar juros pelo seu uso.
durante 6 meses, rendeu juros de R$ 4 800,00.
Qual foi a taxa (em %) ao mês? Em período de curto-prazo utiliza-se, geralmente,
De acordo com os dados do problema: como já se viu, os juros simples. Já em períodos de
x% em 1 mês ⇒ (6x)% em 6 meses longo-prazo, utiliza-se, quase que exclusivamente, os
Devemos, então, resolver o seguinte problema: juros compostos.
4 800 representam quantos % de 80 000?
Dai: 2. Conceitos Básicos
4 800 = 6x . 80 000 ⇒ 480 000 x = 4 800 No regime dos juros simples, o capital inicial sobre o
qual calculam-se os juros, permanece sem variação
4 800 48
x= ⇒ x= ⇒ x = 0,01 alguma durante todo o tempo que dura a operação. No
480 000 4 800 regime dos juros compostos, por sua vez, os juros que
1 vão sendo gerados, vão sendo acrescentados ao
0,01 = =1%
100 capital inicial, em períodos determinados e, que por sua
Resposta: A taxa foi de 1% ao mês. vez, irão gerar um novo juro adicional para o período
seguinte.
Resolva os problemas:
- Emprestando R$ 50 000,00 à taxa de 1,1% ao Diz-se, então, que os juros capitalizam-se e que se

Matemática Financeira 28 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
está na presença de uma operação de juros Em período de curto-prazo utiliza-se, geralmente,
compostos. como já se viu, os juros simples. Já em períodos de
longo-prazo, utiliza-se, quase que exclusivamente, os
Nestas operações, o capital não é constante através juros compostos.
do tempo; pois aumenta ao final de cada período pela
adição dos juros ganhos de acordo com a taxa 2. Conceitos Básicos
acordada. No regime dos juros simples, o capital inicial sobre o
qual calculam-se os juros, permanece sem variação
Esta diferença pode ser observada através do alguma durante todo o tempo que dura a operação. No
seguinte exemplo: regime dos juros compostos, por sua vez, os juros que
vão sendo gerados, vão sendo acrescentados ao
Exemplo 1: Suponha um capital inicial de R$ capital inicial, em períodos determinados e, que por sua
1.000,00 aplicado à taxa de 30.0 % a.a. por um período vez, irão gerar um novo juro adicional para o período
de 3 anos a juros simples e compostos. Qual será o seguinte.
total de juros ao final dos 3 anos sob cada um dos
rearmes de juros? Diz-se, então, que os juros capitalizam-se e que se
está na presença de uma operação de juros
Pelo regime de juros simples: compostos.
J = c . i . t = R$ 1.000,00 (0,3) (3) = R$ 900,00
Nestas operações, o capital não é constante através
Pelo regime de juros compostos: do tempo; pois aumenta ao final de cada período pela
n adição dos juros ganhos de acordo com a taxa
J = Co  1 + i − 1 =
( )  acordada.

[ ]
J = R$1.000,00 (1,3) − 1 = R$1.197,00
3
Esta diferença pode ser observada através do
seguinte exemplo:
Demonstrando agora, em detalhes, o que se passou
com os cálculos, temos: Exemplo 1: Suponha um capital inicial de R$
1.000,00 aplicado à taxa de 30.0 % a.a. por um período
Ano Juros simples Juros Compostos de 3 anos a juros simples e compostos. Qual será o
1 R$ 1.000,00(0,3) = R$ 300,00 R$ 1.000,00(0,3) = R$ 300,00 total de juros ao final dos 3 anos sob cada um dos
2 R$ 1.000,00(0,3) = R$ 300,00 R$ 1.300,00(0,3) = R$ 390,00 rearmes de juros?
3 R$ 1.000,00(0,3) = R$ 300,00 R$ 1.690,00(0,3) = R$ 507,00
R$ 900,00 R$ 1.197,00
Pelo regime de juros simples:
Vamos dar outro exemplo de juros compostos: J = c . i . t = R$ 1.000,00 (0,3) (3) = R$ 900,00

Suponhamos que você coloque na poupança R$ Pelo regime de juros compostos:


n
100,00 e os juros são de 10% ao mês. J = Co  1 + i − 1 =
( )

  
Decorrido o primeiro mês você terá em sua
poupança: 100,00 + 10,00 = 110,00
[ ]
J = R$1.000,00 (1,3) − 1 = R$1.197,00
3

No segundo mês você terá:110,00 + 11,00 =111,00 Demonstrando agora, em detalhes, o que se passou
com os cálculos, temos:
No terceiro mês você terá: 111,00 + 11,10 = 111,10
Ano Juros simples Juros Compostos
1 R$ 1.000,00(0,3) = R$ 300,00 R$ 1.000,00(0,3) = R$ 300,00
E assim por diante. 2 R$ 1.000,00(0,3) = R$ 300,00 R$ 1.300,00(0,3) = R$ 390,00
Para se fazer o cálculo é fácil: basta calcular os 3 R$ 1.000,00(0,3) = R$ 300,00 R$ 1.690,00(0,3) = R$ 507,00
juros de cada mês e adicionar ao montante do mês R$ 900,00 R$ 1.197,00
anterior.
Vamos dar outro exemplo de juros compostos:
JUROS COMPOSTOS
Suponhamos que você coloque na poupança R$
100,00 e os juros são de 10% ao mês.
1. Introdução
O dinheiro e o tempo são dois fatores que se
Decorrido o primeiro mês você terá em sua
encontram estreitamente ligados com a vida das
poupança: 100,00 + 10,00 = 110,00
pessoas e dos negócios. Quando são gerados ex-
cedentes de fundos, as pessoas ou as empresas,
No segundo mês você terá:110,00 + 11,00 =111,00
aplicam-no a fim de ganhar juros que aumentem o
capital original disponível; em outras ocasiões, pelo
No terceiro mês você terá: 111,00 + 11,10 = 111,10
contrário, tem-se a necessidade de recursos
E assim por diante.
financeiros durante um período de tempo e deve-se
pagar juros pelo seu uso.
Para se fazer o cálculo é fácil: basta calcular os

Matemática Financeira 29 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
juros de cada mês e adicionar ao montante do mês Representando por n o número de dias de corridos
anterior. entre as duas datas e, calculando pelo processo acima
temos que, um capital C aplicado à taxa i durante esse
prazo, é obtido calculando n/360 na fórmula (1),
resultando em J = C . i . n/360 (2)
Por definição, juro simples é aquele pago unicamen-
te sobre o capital inicial, ou principal, sendo di- Denominaremos o juro, assim calculado, de juro
retamente proporcional a esse capital e ao tempo em simples ordinário ou usual.
que este é aplicado. Pelo regime de capitalização sim-
ples o fator de proporcionalidade é a taxa de juros por Como há tabelas que fornecem diretamente o nú-
período, i. mero exato de dias decorridos entre duas datas, na
prática bancária, onde as operações, raramente, são
JURO SIMPLES ORDINÁRIO realiza das a prazo superior a 120 dias, usa-se, fre-
Como o período financeiro mais comum é o ano, e qüentemente, a fórmula (2), tomando-se, contudo, para
pelo costume vigente, as operações com prazos supe- n, o número exato de dias.
riores a um ano são, na maior parte das vezes, avalia-
das pelo regime de capitalização composta, resulta Fórmulas Derivadas
que a fórmula do juro simples: Considerando a fórmula básica (1) para o cálculo do
J=C.i.n (1) juro em regime simples de capitalização, podemos, por
simples transformação algébrica, encontrar o quarto
Onde C = capital inicial ou principal; termo ou valor da fórmula, desde que sejam dados os
i = taxa de juros do período e outros três, assim:
n = prazo de aplicação (é a mais utilizada para a) Para calcular o capital inicial: C=J/i.n
períodos n menores do que um ano) b) Para calcular a taxa de juros: i = J/C . n
c) Para calcular o prazo: n = J/C . i
Nessa hipótese, deve-se observar duas normas
financeiras comuns: OBSERVAÇÕES:
Supõe-se que o juro e o capital inicial são devidos
O ANO CIVIL - considera-se o ano civil como base apenas no fim do prazo de aplicação, a não ser que
de cálculo, isto é, o ano com 365 dias ou 366 dias, haja mudança de convenção.
conforme seja bissexto ou não. Desse modo, um dia
eqüivale, conforme o caso, à fração 1/365 ou 1/366 do O prazo de aplicação (n) deve estar expresso na
ano. mesma unidade de tempo, na fórmula, a que se refere
a taxa (i) considerada.
O ANO COMERCIAL - considera-se o ano comer- Exemplo 1 - Caso uma aplicação seja por 2 anos
cial como base de cálculo, isto é, o ano de 360 dias, mas, a taxa de juros seja expressa em semestre,
subdividido em 12 meses de 30 dias cada. Assim, um devemos converter o prazo para semestres.
dia equivale à fração 1/360 do ano e um mês equivale
à fração 1/ 12 do ano. 2. Taxa Percentual e Taxa Unitária
FORMA PERCENTUAL - Neste caso, a taxa diz-se
JURO SIMPLES EXATO aplicada a centos do capital, ou seja, ao que se obtém
Considerando-se o ano civil para o cálculo do juro, após dividir-se o capital por 100. A fórmula (1) tomaria,
deve-se contar o tempo em seu número exato de dias. então, as seguintes formas:
J = C . i/100.n ou
Exemplo: O juro de um capital aplicado de 17.3.19XI J = C/100 . i . n ou
a 25.6.19XI, é calculado sobre 100 dias, número exato J = C . i . n/100 ou
de dias decorridos entre as duas datas.
o que é o mesmo que:
Sendo n o número exato de dias durante os quais J = C . i . n/100 (3)
um capital C é colocado a juros simples, à taxa i, ob-
tém-se o juro calculando n/365, na fórmula (1) : J = C . i a partir da qual chega-se à expressão do montante
. n/365 ou J = C . i . n/366. ou valor futuro, como soma do capital e juros:

O juro assim calculado, é chamado de juro simples M = C + C . i . n/100


exato.

JURO SIMPLES COMERCIAL Exemplo 1 - Calcular o juro que rende um capital de


Adotando-se a convenção do ano comercial, deve- $10.000 aplicado por um ano à taxa de juros de 10%
se computar o prazo de acordo com a mesma a.a.
convenção, isto e, considerando-se cada mês como Resolução: Utilizando a fórmula (3), temos:
tendo 30 dias. Assim, por exemplo, de 17.3.Xl a 25.6.Xl 10.000 x10 x1
deve-se contar 98 dias, da seguinte maneira: J= = $1.000
100
De 17.3 a 17.6 ...... 90 dias (3 meses)
De 17.6 a 25.6 ...... 8 dias b) FORMA UNITÀRIA
98 dias Agora a taxa refere-se à unidade do capital, isto é,
Matemática Financeira 30 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
calcula-se o que rende a aplicação de uma unidade de taxa efetiva de:
capital no intervalo de tempo a uma dada taxa. 30% a.a./12 meses = 2,5 a.m.
18% a.a., capitalizados semestralmente, significa
Exemplo 2 - Se tivermos uma taxa de 0,24% a.a., uma taxa efetiva de: 18% a.a./2 semestres = 9%
então a aplicação de $1,00 por ano, gera um juro de a.s.
$0,24.
Uma vez encontradas as taxas efetivas, devemos
Exemplo 3 - No exemplo 1, com a taxa na forma abandonar as taxas nominais e efetuar todos os cálcu-
unitária (0,10% a.a.). los com as taxas efetivas correspondentes, ou seja,
1,5% a.t., 2,5% a.m. e 9% a.s.
Resolução: J = 10.000 x 0,10 x 1 =
J = $1.000,00 Devemos ter em mente que a obtenção da taxa efe-
tiva contida na taxa nominal é feita no regime de juros
Pode-se observar que para transformar a forma simples, e que, neste regime, as taxas nominais serão
percentual em unitária, basta dividir a taxa expressa na sempre taxas efetivas. Ainda, por convenção, a taxa
forma percentual por 100. E, o inverso, transformar a efetiva, que é aquela a ser considerada na aplicação de
forma unitária em percentual, basta apenas multiplicar fórmulas, correspondente a uma dada taxa nominal é a
a forma unitária por 100. taxa que, relativa ao período de capitalização mencio-
nado, lhe seja proporcional.
OBSERVAÇÃO:
A fim de diferenciar, simbolicamente, a taxa de juro Concluíndo, podemos definir taxa efetiva ou real
percentual da taxa de juro decimal ou unitária, pode- como sendo aquela em que a unidade de referência de
mos convencionar que: seu tempo coincide com a unidade de tempo dos perí-
odos de capitalização. Considerando o exemplo 2 ,
A notação r signifique a taxa de juros efetiva em ca- dizemos 1,5% a,t., simplesmente, ao invés de dizer-
da período de capitalização, dada em porcentagem, e mos, 1,5% a.t., capitalizados trimestraImente .
sempre mencionando a unidade de tempo considerada.
Exemplo: r = 15% ao ano. 4. Taxas Proporcionais
Pelo regime de juros simples, duas ou mais taxas
A notação i signifique a taxa de juros efetiva em ca- de juros são consideradas proporcionais quando, ao
da período, dada em fração decimal. Exemplo: serem aplicadas a um mesmo capital inicial, durante
i = r/100 = 0,15 a.a. um mesmo prazo, produzirem um mesmo montante
acumulado, ao final daquele período. Donde se conclui
A taxa i será usada no desenvolvimento de todas as que, o conceito de taxas proporcionais, está
fórmulas, enquanto, r será usada na fixação os juros. estritamente vinculado ao regime de juros simples.

3. Taxa Nominal e Taxa Efetiva Exemplo 1- Calcular o montante acumulado (VF),


Por definição, a taxa nominal é aquela cujo período no final de três anos, considerando um capital inicial
de capitalização não coincide com aquele a que ela se (VP) de $1.000,00, pelo regime de juros simples, para
refere, ou seja, é aquela em que a unidade de cada uma das seguintes taxas de juros: a) 36% ao ano;
referência de seu tempo não coincide com a unidade b) 18% ao semestre; c) 9% ao trimestre; d) 3% ao mês;
de tempo dos períodos de capitalização. A taxa e, e ) 0,1% ao dia.
nominal, normalmente, é dada em termos anuais, e os
períodos de capitalização podem ser diários, mensais, Resolução: Utilizando a fórmula VF = VP (1 + i . n)
trimestrais, ou semestrais. a) VP= $1.000,00; ia = 0,36; n= 3 anos; VF = ?
VF= 1.000 (1 + 0,36 x 3) = 1.000(1 + 1,08) =
Exemplo 1 - São exemplos de taxas nominais: VF= 1.000 (2,08) = 2.080
a) 6% a.a. capitalizados trimestralmente;
b) 30% a.a. capitalizados mensalmente; b) VP= $1.000; is= 0,18; n= 6 semestres; VF=
c) 18% a.a. capitalizados semestralmente. VF= 1.000(1 + 0,18 x 6) = 1.000(1 + 1,08) =
VF= 1.000(2,08) = 2.080
No mercado financeiro, encontramos a taxa nominal
sendo muito utilizada como referência, mas não sendo c) VP= $1.000,00; it= 0,09; n= 12 trimestres; VF = ?
usada nos cálculos, por não representar uma taxa efe- VF= 1.000(1 + 0,09 x 12) = 1.000(1+1,08) =
tiva. Esta, por estar embutida na taxa nominal, é a taxa VF= 1.000(2,08) = 2.080
que realmente interessa, pois ela é que será efetiva-
mente aplicada em cada período de capitalização. d) VP= $1.000,00; im= 0,03; n= 36 meses; VF=?
VF= 1.000(1 + 0,03 x 36) = 1.000(1+1,08) =
Exemplo 2 - Aproveitando os mesmos dados do VF= 1.000(2,08) = 2.080
Exemplo 1 vamos demonstrar como se calcula as taxas
efetivas decorrentes das taxas nominais: e) VP= $1.000,00;id= 0,001; n= 1.080 dias
6% a.a., capitalizados trimestralmente, significa uma VF= 1.000(1 + 0,001 x 1.080) =
taxa efetiva de: VF= 1.000(1 + 1,08) - 1.000(2,08) = 2.080
6% a.a./4 trimestres =1,5% a.t.
30% a.a., capitalizados mensalmente, significa uma Podemos concluir que, as taxas 36% a.a.;18%a.s.;

Matemática Financeira 31 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
9% a.t.; 3% a.m.; e, 0,1% a.d., são proporcionais, por-
que aplicadas sobre um mesmo capital inicial e um C1n1 + C2n2 + C3n3 +...
mesmo prazo total, resultaram em um mesmo montan- Prazo médio (PMe) =
C1 + C2 + C 3 +...
te acumulado.
Exemplo: O Sr. Elesbão deve a um terceiro, os se-
Se considerarmos o ano comercial, ou seja, o ano
guintes capitais a 10% a.a.; $2.000 a 45dias; $5.000 a
com 360 dias, as fórmulas, a seguir, conduzem ao
60 dias e $1.000 a 30 dias. Quando poderá pagar tudo
cálculo dessas taxas proporcionais:
de uma só vez, de modo que desta unificação de ven-
ia = is ⋅ 2 = it ⋅ 4 = im ⋅ 12 = id ⋅ 360 cimentos não advenha prejuízo nem para o devedor
nem para o credor?
5. Taxas Equivalentes
Pelo regime de juros simples, duas taxas são consi- Resolução:
deradas equivalentes quando, ao serem aplicadas a Aplicando a fórmula acima, temos:
um mesmo capital inicial, durante um mesmo prazo,
ambas gerarem o mesmo montante acumulado no final PMe =
(2.000 x45) + (5.000 x60) + (1000
. x30)
daquele prazo. 2.000 + 5.000 + 1000
.
420.000
Exemplo 1 - Seja um capital inicial de $20.000,00 PMe = = 52,5 dias
8.000
que pode ser aplicado, alternativamente, à taxa de 3%
a.m. ou de 36% a.a. Ao fim deste prazo, a contar da data da operação,
pode ser feito o pagamento integral dos capitais
Considerando um prazo de aplicação de 3 anos, devidos, disso não resultando, prejuízo algum, nem
certificar se as taxas são equivalentes. para o devedor nem para o credor.
Resolução: Utilizando a fórmula VF = VP (1 + i . n), CASO 2 - TAXAS DIFERENTES
temos: Quando isto acontece, o critério a adotar-se é o
a) VP= $ 20 .000; ia = 0,36 ao ano; n= 3 anos; mesmo do caso dos, tempos diferentes para a taxa
VF = ? média, escrevendo-se
VF= 20.000(1 + 0,36 x 3) = 20.000(2,08) =
VF= 41.600
C 1i1n1 + C 2 i 2 n 2 + C 3 i 3 n 3 +. . .
PMe =
b) VP= $20.000,00; im= 0,03 ao mês; n= 36 meses; C1i1 + C 2 i 2 + C 3 i 3 +. . .
VF = ?
VF= 20.000(1 + 0,03 x 36) = 20.000(2,08) = funcionando agora, como pesos, os produtos dos
VF= 41.600 capitais pelas respectivas taxas.
Através desse exemplo, certificamos que, o Exemplo: Calcular o prazo médio de vencimento,
montante acumulado (VF) é igual nas duas hipóteses e, para pagamento de uma só vez dos seguintes capitais:
dessa maneira, constatamos que a taxa de 3% a.m. é $ 20.000 por 6 meses a 6% a.a. e $ 50.000 por 4
equivalente à taxa de 36% a.a. meses a 12% a.a.
Resolução: utilizando a fórmula acima, temos:
Podemos, então, concluir que, pelo regime de juros
6 4
simples, as taxas proporcionais de juros são igualmen-
te equivalentes, e que tanto faz, falarmos que duas
(20.000)(6) 12  + (50.000)(12) 12 
taxas de juros são proporcionais ou são equivalentes. PMe =
(20.000)(6) + (50.000)(12)
6. Prazo, Taxa e Capital Mé dios 260.000
Quando os prazos de diversos capitais não são os PMe = = 0,36 do ano ou 4 meses e 9
720.000
mesmos e as taxas de juros diferem entre si, recorre- dias.
mos ao expediente de calcular a média para cada caso.
Vamos utilizar exemplos ilustrativos como a forma mais OBSERVAÇÃO:
objetiva de expor os conceitos: Quando os capitais forem iguais, deve-se tomar,
como pesos, as taxas dadas, vindo pois:
PRAZO MÉDIO DE VENCIMENTO DE DIVERSOS
i n + i n + i n +...
CAPITAIS PMe = 1 1 2 2 3 3
i1 + i 2 + i 3 +...
CASO 1 - TAXAS IGUAIS
Pode-se determinar o prazo médio de vencimento b) JUROS DE DIVERSOS CAPITAIS
de diversos capitais empregados a tempos diferentes.
O critério é considerar os capitais como pesos. A fór- CASO 1 - TAXA ÚNICA
mula será, pois, chamando n1, n2, n3 :. os tempos da- Quando vários capitais são empregados em tempos
dos, supostas as taxas iguais: diferentes e todos a uma só taxa, o total dos juros pro-
duzidos é dado, a partir da fórmula: J = C . i . n, pela
soma;

Matemática Financeira 32 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Juros Totais = C1in1 + C2in2 + C3in3 + ... na qual i é a
taxa única, C1 , C2, C3 . . . os capitais dados e n1, n2, n3 Resolução:
... os tempos correspondentes. Utilizando a fórmula anterior, temos:
 2   3   1 
 2 .0 0 0 x 0 ,1 2 x  +  5 .0 0 0 x 0 , 0 8 x  +  1 0 .0 0 0 x 0 ,1x 
 12   12   12 
Exemplo: A Sra. Pancrácia da Silva deve os se- Tm e =
 2   3   1 
guintes capitais, a 12% a.a.; $1.500 em 30 d; $5.000  2 .0 0 0 x  +  5 .0 0 0 x  +  1 0 .0 0 0 x 
 12   12   12 
em 90 d; $2.400 em 60 d. Calcular o total dos juros 223,33
devidos. TMe = = 0,092 ou 9,2 a.a.
2.416,66
Resolução:
Exprimindo-se os tempos em frações do ano 7. EQUIVALÊNCIA DE CAPITAIS
comercial, tem-se, de acordo com a fórmula acima: A necessidade de antecipar ou de prorrogar títulos
JT = 0,12 [(1.500x30/360) + (5.000x90/360) + nas operações financeiras, é muito freqüente. Às
(2.400x60/360)] vezes, precisamos substituir um titulo por outro ou um
JT = $ 213,00 título por vários. Podemos, também, ter vários títulos
que precisamos substituir por um único. Tais situações
c) TAXA MÉDIA dizem respeito, geralmente, à equivalência de valores
É a operação que tem por objetivo determinar uma distintos relacionadas com datas distintas.
taxa de juros capaz de substituir várias outras relativas
a capitais empregados. É uma aplicação da média Dois capitais são equivalentes numa certa época,
ponderada. se, nessa época seus valores presentes são iguais. O
problema de equivalência de capitais diferidos aplica-se
CASO 1 - TEMPOS IGUAIS quando existe a substituição de um título por outro(s),
Para a dedução da fórmula, consideremos os com data(s) diferente ( s ) .
capitais C1, C2, C3, ...colocados respectivamente, às
taxas i1, i2, i3, ...anuais e todos pelo mesmo prazo. Seja VN o valor nominal de um título para n dias. O
Tomando-se os capitas como pesos, pode-se escrever: problema consiste em encontrar um valor VN' de um
outro título, equivalente ao primeiro, com vencimento
i + C2i2 + C3i3 ...
C11 para n' dias.
Taxa Média = TMe =
C1 + C2 + C3 ...
VN ⋅ n
D = Obs.: VN = VF = valor do Resgate do

Exemplo: Um comerciante deve os seguintes capi- Título
tais: $1.500 a 10% a.a.; e, $5.000 a 12% a.a. Calcular a
taxa média de juros anuais. Seja VP o valor presente do 1.º título e VP' o do 2.º;
temos:
Resolução: VF ⋅ n VF '⋅n'
Multiplicando-se os capitais pelas respectivas taxas VP = VF − e VP' = VF '−
e dividindo a soma dos produtos pela soma dos ∆ ∆
capitais, obtém-se:
Como VP = VP', vem:
TMe =
(1500
. x0,10) + ( 5.000 x0,12)
= 0,115 VF ⋅ n VF '⋅n'
1500
. + 5.000 VF = = VF '−
∆ ∆
VF( ∆ − n)
ou seja, na base percentual, 11,5% ∆VF − VF ⋅ n = ∆VF '⋅n' ⇒ VF( ∆ − n) = VF ' ( ∆ − n') ∴ VF ' =
∆−n
OBSERVAÇÃO: Se os capitais fossem iguais, a Exemplo 1 - Um Comerciante deseja trocar um título
solução do problema recairia sobre o princípio da de $10.000, vencível em 3 meses, por outro com
média aritmética simples, bastando que se calculasse a vencimento de 5 meses. Considerando a taxa de juros
média das taxas. contratada de 3% a.m. para esta transação, calcular o
valor nominal do novo titulo.
CASO 2 - TEMPOS DIFERENTES
O método a ser adotado é o da média ponderada, Resolução:
porém, funcionando como pesos, os produtos dos capi- VF = 10.000; n = 90 dias; n'= 150 dias;
tais pelos respectivos tempos. Temos assim: 36.000
C i n + C2i2n2 + C3i3n3 ... ∆ = = 1000
.
TMe = 11 1 36
C1n1 + C2n2 + C3n3 ...
Utilizando a fórmula anterior, temos:
Exemplo: Sinfrônio e sua noiva contraíram as se- 10.000(1000
. − 90 )
guintes dívidas para poderem realizar o casamento VF' = = $10.705,80
1000
. − 150
deles: $ 2.000 a 12% a.a. por 2 meses;
$ 5.000 a 8% a.a. por 3 meses; e, O valor nominal do 2.º título ($10.705,80) é
$10.000 a 10% a.a. por 1 mês. equivalente ao valor nominal do 1.º ($10.000).
Calcular a taxa média anual.

Matemática Financeira 33 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
8. Montante
O montante composto é o resultado que se obtém Em dois anos, a aplicação de $500.000 transformar-
ao incrementar o capital inicial com o valor dos juros se-á em um montante de $1.281.650,00 pela geração
compostos. Se se dispõe de um capital C e aplica-se de um juro composto de $781.650,00.
em um banco e deseja-se saber o montante M do qual
se disporá ao final de um período n, basta apenas Exemplo 2 - Um indivíduo obtém um empréstimo
agregar-lhe o juros J ganho. Assim: bancário de $1.500.000 a ser pago dentro de um ano e
com juros de 52,0% conversível trimestralmente. Qual
M = C + J, porém J = C . i . t, quando t = 1, é o montante que deverá ser liquidado?
J = C . i, assim M = C + C . i que fatorando:
M = C (1 + i) Resolução:
Primeiramente, determina-se a taxa de juros por
Como pode-se ver, o montante de um capital ao período de conversão: 1 = 0,52 / 4 = 0,13
final de um período se obtém multiplicando este pelo n = 12 / 3 = 4
n 4
fator ( 1 + i ) . Desta maneira, ao final do segundo M = C ( 1 + i ) = 1.500.000 ( 1,13 ) =
período, temos: M = 1.500.000 ( 1,6305 ) = 2.445.750
2
M = C(1+i) (1+i)= C(1+i )
A quantia a ser liquidada será de 2.445.750
Ao final do terceiro período, temos:
2 3
M = C(1+ i) (1+i)= C(1+i) 8. Valor Atual, Valor Presente ou Principal
O valor atual, presente ou principal de um
e assim sucessivamente. Esta sucessão de pagamento simples, ou único, é o valor de um mon
montantes forma uma progressão geométrica cujo n- tante a ser pago ou recebido daqui a n anos,
ésimo termo é igual a: descontado a uma taxa que determine o seu valor hoje,
no momento zero.
M=C(1+i)n
Para calcula-lo, vamos utilizar a fórmula do
Esta equação é conhecida como a fórmula do montante ou valor futuro:
n
montante pelo regime de juros compostos. M=C(1+i)

Exemplo 1 - Um investidor aplica a prazo fixo, em Como C indica o capital no momento zero, temos:
um banco, a quantia de $500.000,00 à taxa de 48,0% M

1

−n
a.a. capitalizável mensalmente. Qual será o montante C = = M ( 1 + i) = M   = M ( FVAPU )
acumulado em 2 anos? (1 + i )n 
 ( n
1 + i) 
n
Resolução: M = C ( 1 + i ) FVAPU = Fator de Valor Atual de Pagamento
Único
Como já observamos, o período de cálculo deve ser Generalizando, podemos dizer que conhecendo 3
o mesmo para i e para n. Assim, para calcular a taxa de das 4 variáveis envolvidas: M, C, n, i, podemos calcular
juros mensal, divide-se a taxa anual entre a frequência a quarta.
de conversão:
taxa de juros anual 0,48 Exemplo 1 – Quanto se deve depositar em um
i= = = 0,04 ou i = 4,0 % a.m.
frequencia de conversao 12 banco se desejar obter um montante de $ 5.000.00
dentro de 3 anos a uma taxa de juros de 20,0% a.a.,
Para determinar n, multiplica-se o lapso em anos capitalizável semestralmente?
pela frequência de conversão:
Resolução:
n
n = 2 (12) = 24 assim M = 500.000 ( 1 + 0,04 )
24
ou M Pela fórmula: M = C (1 + i) , temos: M = 5.000.000;
= 500.000 ( FVFPU ) i = 10.0% a.s.; n = 6 semestres
6
Fator de Valor Futuro de Pagamento Único Calculando o FVAPU = 1/(1,10) = 1 / 1,7716
6
(FVFPU ) C = 5.000.000 / (1,10) =
24
FVFPU = (1 + 0,04) 5.000.000 / 1,7716 = C = 2.822.307,52
Neste momento surge a pergunta: como calcular? Deve-se depositar $2.822,307,52
Existem quatro alternativas :
Utilizar papel e lápis e realizar a operação 24 vezes. Exemplo 2 - José Elesbão deseja adquirir uma casa
pelo valor de $15.000.000,00. O vendedor pediu-lhe
Resolver a equação utilizando logaritmos. 50,0% de entrada e 50,0% em um ano e meio, quando
Utilizar de tabelas financeiras existentes nos livros do término da construção da casa e entrega do imóvel.
de finanças. Quanto Elesbão deve depositar num banco hoje para
poder garantir a liquidação de sua dívida, se a taxa de
Empregar calculadoras financeiras. Este é o meio juros vigente é de 7,0% a.m.?
mais prático.
Resolução:
24
FVFPU = (1, 04) = 2,5633 José Elesbão paga neste momento $7.500.000,00
M = 500.000 (2,5633) = 1.281.650 (50.0% na operação e, deve pagar outro tanto daqui a

Matemática Financeira 34 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
18 meses). aprovar o projeto?
Para calcular a quantidade de dinheiro que deve
depositar hoje, vamos a fórmula do valor atual : Resolução:
n
M=C(1+i) C = $350.000.000,00
 1   1  Entradas de Caixa = Ecx1 = $100.000.000,00
7.500.000   = 7.500.000   = 2.218.979,37 = Ecx2 = $200.000.000,00
 ( 1,07
18 
)  3,3799 

= Ecx3 = $300.000.000,00
d = 30,0% a. a. ; r =10,0% a.a.; i = ?
A fim de garantir o pagamento de sua dívida, i = (1 + d) (1 + r) – 1 = (1,3) (1,1) – 1 =
Elesbão deve depositar $2.218.979,37 já para ter os i = 1,43 – 1 = 0,43 = 43,0% a.a.
$7.500.000,00 restantes daqui a um ano e meio.
Valor Presente das Entradas de Caixa = VPECx
Como se pode ver nestes exemplos, C é o valor
presente, atual ou principal de M. Isto é, pode-se
ECx 1 100.000.000
considerar que o capital C e o montante M são dois VPECx 1 = = = 69.930.070,*
valores equivalentes de uma determinada taxa de juros (1+ i ) n
( 1,43 )
1

i e um período determinado n.
ECx 2 200.000.000
Exemplo 3 - A Cia de Modas Messeder, planeja VPECx 2 = = = 97.804.294,*
realizar um investimento de $2.000.000,00 para ( 1+ i ) n
( 1,43 ) 2
produzir um artigo de moda do qual espera uma receita
total de $5.000.000 dentro de dois anos. Considerando ECx 2 300.000.000
uma inflação média anual de 50,0%, e que os juros real VPECx3 = = = 102.591.916 *
i, seja igual a 5.0% a.a., convém à C.M.M, investir?
( 1 + i ) ( 1,43 )3
n

Resolução: * (centavos arredondados)


Comparam-se os $2.000.000,00 que se devem
investir no momento zero com $5.000.000,00 que se ∑ VPECx = somatório das ECx descontadas =
espera receber em 2 anos. Para fazer essa VPECx1 + VPECx2 + VPECx3
comparação, é necessário que ambas as quantidades
de dinheiro sejam equivalentes.
∑ VPECx = 69.930.070 + 97.804.294, +
Em primeiro lugar, devemos calcular a taxa nominal 102.591.916, = VPECx = 270.326.280,
de juros: i = taxa nominal; r = taxa real de juros; d =
taxa de inflação. Observamos que, o total do valor presente das
i= (1+r) (i + d) -1 entradas de caixa ($270.326.280) é menor que o
i = ( 1,05 ) ( 1,50 ) - 1 = 0,575 ou 57,5% a.a. investimento inicial necessário para sua exploração
  ($350.000.000,) . Portanto, a companhia não deve
1  = 5.000.000  1 
C = M  = explorar a jazida, a menos que o preço do metal se
 1,575 2   2,4806 
 ( ) 
eleve e com ele, elevem-se as entradas de caixa.
C = 2.015.641,38 9. Desconto Racional Composto
É o desconto obtido pela diferença entre o VALOR
Conforme apuramos, $2.015.641,38 é maior que NOMINAL e o VALOR PRESENTE de um
$2.000.000,00. Portanto, a C.M.M, deve investir, por compromisso que seja saldado n períodos antes do
que além de descontar a inflação de 50,0% a.a., a vencimento, calculando o valor presente à taxa de
empresa será remunerada à taxa de 5,0% a.a., que é a desconto. Sendo :
taxa de mercado e, ainda vão sobrar $ 15.641,38 N = valor nominal ou montante do compromisso em
sua data de vencimento.
Exemplo 4 - Uma companhia de mineração desco- n = número de períodos compreendido entre a data
briu uma jazida de manganês e deve decidir sobre a de desconto e a data de vencimento.
conveniência ou não de sua exploração. A fim de poder i = taxa de juros utilizada na operação.
beneficiar o mineral, é necessário realizar uma inversão Dr= desconto racional composto
de $350.000.000,00 Seus analistas financeiros Vr= valor descontado racional composto na data de
estimam que a jazida tem minério suficiente para 3 desconto, calculado à taxa de desconto.
anos de exploração e, de acordo com os preços
vigentes do metal, as entradas de caixa seriam os A fórmula utilizada, é:
seguintes:
Ano 1 = $100.000.000,00;
 
Ano 2 = $200.000.000,00; 1
Vr = N  
Ano 3 = $300.000.000,00;  n
 ( 1 + i) 

Estimando que a taxa de inflação, em média, seja


de 30.0% a.a. e que a taxa de juros real desejada pela Podemos reparar que, essa fórmula do valor
empresa seja de 10,0% a.a., deve a companhia descontado, é a mesma do valor presente calculado no

Matemática Financeira 35 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
regime de juros compostos, onde: (valor líquido) a ser recebido pelo possuidor do título?
Vr = C e N =M
Resolução:
O desconto é obtido pela diferença entre o valor N = 10.000; i = 36.0% a.a.; n = 3 meses; Vr = ?
-n 1 / 12 -3
nominal e o valor descontado: Vr = N (1+ 1) = 10.000 [ ( 1,36 ) ] =
-3
  Vr = 10.000 [ 1,0259 ] = 10.000 [ 0,9262 ] =
N 1
Dr = N - Vr = N - = N 1 -  Vr = $ 9.262,00
 n
(1 + i )n  ( 1 + i ) 
Exemplo 1 - Um título no valor de $100.000,00 foi Exemplo 4 - O Sr. Leôncio Armando, numa
saldado seis meses antes do vencimento. O possuidor operação de desconto recebeu $ 10.000,00 como valor
do título obteve uma taxa de desconto de 2,0% a.m. de resgate. Sabendo-se que a antecipação fora de 6
Calcular o desconto racional e a quantia recebida. meses e o desconto de $ 1.401,75, calcule a taxa de
juros anual utilizada na operação.
Resolução:
N = 100.000; i = 2,0% a.m.; n = 6 meses Resolução:
Vr = 10.000; Dr = 1.401,75; n = 6 meses; i= ?
Utilizando a fórmula, temos:
Vendo Vr = N - Dr deduzimos que, N = Vr + Dr
    ∴ N = 10.000 + 1.401,75 = 11.401,75
1  1
Dr = N 1 - = 100.000 1 - 
 n  6
 (1+ i)   ( 1,02 )  Utilizando a fórmula, vem:
-n n
Vr = N ( i + 1 ) ou N = Vr ( i + 1 )
 1 
Dr = 100.000 1 -
1,1262  = 100.000 [1 - 0,8879]
  Substituindo os termos, temos:
-6 / 12
10.000 = 11.401,75 (1+i) (considerando-se i
Dr = 100.000 [0,1121] = 11.210 anual)
612 11.401,75 12
E a quantia recebida:
Vr = N – Dr = 100.000 – 11.210 = 88.790
(1 +i) =
10.000,00
= ( i + 1) = 1,140175

2
 1 + i 1 2 =
Observe que, se aplicarmos o valor descontado (Vr)
por 6 meses à taxa de juros compostos de 2,0% a.m.,
( )  ( 1,140175 )2 = 1 + i = 1,30 ∴
obteremos: i = 0,30 ou 30,0 % a. a.
N = C 6; Vr = C 0 ⇒ C6 = C0 ( 1 + i )6 =
6
N = 88.790 (1,02) = 88.790 ( 1,1262 ) ≅ 100.000 Exemplo 5 - O Sr. Cristiano José descontou um
título no valor nominal de $6.500,00 e o desconto
E os juros devidos são dados por: concedido foi de $835,63. Considerando que a taxa de
J6 = C6 −C0 = 100.000 - 88.790 = 11.210 ∴J6 = Dr juros de mercado era de 3,5%a.m. Calcular o prazo de
antecipação.
Fica evidenciado que o desconto racional composto
é igual ao juro devido no período de antecipação, Resolução:
desde que seja calculado à taxa de desconto. N = 6.500; Dr= 835,63;
i = 3,5% a,m.; n=?
Exemplo 2 - Um título de valor nominal de $ -n
30.000,00 foi resgatado 4 meses antes do seu Utilizando a fórmula: Dr = N [ 1 – (1 + i) ] , temos:
-n
vencimento, à taxa de 5,0% a.m. Calcule o desconto 835,63 = 6.500 [ 1 – (1,035) ]
835,63
racional concedido.
6.500
= 1 - ( 1,035 ) − n ∴ 0,128558 = 1 - ( 1,035 ) − n
1 1
Resolução: 1 − 0,128558 = ( 1,035 )−n = 0,871442 = = = 1035
0,871442 
, n 

( 1,035) n
Para simplificar a notação, passaremos a indicar:
1 -n
1,147524 = ( 1,035 ) n
por ( 1 + i ) , assim a fórmula fica:
( 1 + i )n
As opções para encontrar n são três:
-n utilizar uma máquina calculadora de boa qualidade;
Dr = N [ 1 – (1 + i) ] N = 30.000; 1 = 5.0% a.m.; n = procurar em tabelas financeiras para i = 3,5%; e
4 meses; Dr =? empregar logaritmos.
-4
Dr = 30.000 [1– (1,05) ] =30.000 ( 1–0,8227 )
Dr = 30.000 (0,1773) ≅ 5.319 Vamos utilizar a opção prática de demonstrar os
cálculos, que é através de logaritmos:
Exemplo 3 - A Financeira Desconta Tudo informou, log 1,147524 = n log 1,035
ao descontar uma Nota Promissória no valor de
$10.000,00 que, sua taxa de desconto racional era de procurando na tabela de logaritmos, encontramos:
36,0% a.a.. Se o desconto fosse realizado 3 meses 0,059762
antes do vencimento, qual se ria o valor do resgate 0,059762 = n ( 0,1494) ∴ n = = 4 meses
0,01494

Matemática Financeira 36 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Exemplo 6 - Caso a antecipação seja de 8 meses, o 33.335,22
valor de um compromisso é de 5 vezes o desconto = 23.500
racional. Qual é o seu valor nominal, sabendo-se que o 1,41852
valor líquido (valor de resgate) é de $1.740,00?
39.702,75
Resolução:
= 23.500
1,68948
Vr = 1.740; n = 8; N = 5Dr
Sendo N = 5 Dr , temos: N / Dr = 5 e
Dr / N = 1/ 5 = 0,20 Portanto, esses dois capitais são equivalentes.

Utilizando a fórmula Dr = N [ 1 - ( i + 1 ) ], vem:


-n Depois de haver demonstrado que, dois ou mais
capitais são equivalentes em determinada data focal,
Dr N = 1 - ( 1 + i ) − n = 0,20 = 1 − ( 1 + i ) −8 para determinada taxa, esses mesmos capitais, serão
( 1 + i ) −8 = 0,80 = ( 1 + i ) −8 equivalentes em qualquer data tomada como focal, à
1 - 0,20 =
mesma taxa de juros ou de desconto racional compos-
1 0,80 = ( 1 + i ) 8 = 1,25 = ( 1 + i ) 8 to. Porém, se considerarmos qualquer outra taxa, a
equivalência não se verificará.
i = 0,028286 ou i ≅ 2,83 a. m.
Exemplo 2 - A fim de comprovar o que foi afirmado
substituindo a taxa encontrada na fórmula: acima vamos desenvolver, com os dados acima, os
n 8
N = Vr ( 1 + i ) , vem: N = 1.740 (1,028286) cálculos do valor dos dois capitais no final de 12
N = 1.740 ( 1,25 ) ∴ N = $ 2,175 meses, a partir de hoje.

CAPITAIS EQUIVALENTES Resolução:


Para determinar o valor do capital de $ 33.335,22,
Como já foi visto neste trabalho, o dinheiro tem um no final de 12 meses, basta capitalizá-lo por mais 6
valor diferente no tempo; não é a mesma coisa ter meses, a uma taxa de 6% a.m. E para o capital de $
$1.000,00 neste momento e dentro de um ano depois, 39.702,75, capitaliza-lo por mais 3 meses, à mesma
dependendo da taxa de inflação vigente, este verá taxa.
reduzido seu valor em maior ou menor grau.
Aplicando a fórmula do valor futuro:
n
Conceitualmente, dois ou mais valores nominais, M = C ( 1 + i ) , temos:
6
referentes a datas de vencimentos determinadas, se 33.335,22 (1,06) =33.335,22 (1,41852) = 47.286,68
dizem equivalentes quando seus valores, descontados 3
para uma mesma data, à mesma taxa em condições 39.702,75(1,06) = 39.702,75 (1,19102) =47.286,77
idênticas, produzirem valores iguais. Isto pode ser 12
demonstrado de forma simbólica, assim: 23.500,00 (1,06) = 23.500,00 (2,01220) = 47.286,70

Os capitais C1, C2, C3..., Cn’ , com vencimentos nas Nos cálculos acima, incluímos o capital inicial de
datas t1, t2, t3,...,tn’, respectivamente, considerados a $23.500,00, para ratificarmos o que foi dito sobre
partir da data de referência t0, são ditos equivalentes se equivalência de capital.
os seus respectivos valores presentes na data focal t0,
considerada a taxa de juros i, forem iguais; ou seja, Exemplo 3 - O Sr. João das Bottas trocou um título
esses capitais serão equivalentes se: com o valor nominal de $10.200,00, com vencimento
C1 C2 C3 Cn para 5 meses, por outro de $ 8.992,92, com
= = = . . . =
t t2 t3 vencimento para 3 meses. Sabendo-se que a taxa de
( 1 + i 1
) (1 + i ) (1 + i ) (1 + i )n juros do mercado é de 6,5 % a.m., houve vantagem?
em que 1 é a taxa periódica de juros (mensal, Resolução:
trimestral, anual) e t é prazo (em meses, trimestres, A nossa tarefa é comparar esses dois capitais para
anos) . verificar se são equivalentes ou não. A equivalência
será feita através da taxa de juros.
Exemplo 1- Dados dois capitais $ 33.335,22 ven-
cível de hoje a 6 meses e $ 39.702,75 vencível daqui a 8.992,92 10.200
9 meses, verificar se são equivalentes, na data de hoje,
à taxa de juros de 6.0% a.m. 0 3 5
Resolução:
Esses dois capitais serão equivalentes se: 6,5% a,m.
33.335,22 39.702,75
Como os capitais encontram-se em momentos
( 1 + i )6 ( 1 + i )9 diferentes de tempo, devemos compara-los numa mes-
ma data focal.
Efetuando os cálculos, temos:
A fim de reforçar as características que conduzem à

Matemática Financeira 37 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
equivalência, vamos considerar três datas focais: zero, x
três e cinco.
0 1 2 m.
a) Data focal zero:

200 200 200


8.992,92 10.200

0 3 5

A terceira etapa é encontrar X = preço a vista da


6,5% a,m. mercadoria, ou seja, o valor presente das parcelas, ou
C3 8.992,92
10.200 ainda, o preço com desconto:
V3 = = =
= $ 7.444,79
( 1 + i ) ( 1,065 ) 1,20795
3 3
200 200
X = 200 + +
V5 =
C5
=
10.200
=
10.200
= $ 7.444,79 ( 1,115 ) 124323
,
( 1 + i ) ( 1,065 ) 1,37009
2 5
200 200
X = 200 + +
Como V3 = V5 = $ 7.444,79, constatamos que não ( 1,115 ) ( 1,115 ) 2
houve vantagem alguma na troca dos títulos.

Data focal três:


X = 200 + 179,37 + 160,87

8.992,92 10.200 X = $ 540,24

0 3 5 Taxas de Juros
Taxas proporcionais são taxas de juros fornecidas em
6,5% a,m. unidades de tempo diferentes que, ao serem aplicadas a um
mesmo principal durante um mesmo prazo, produzem um
mesmo montante acumulado no final daquele prazo, no regi-
C5 10.200 10.200
V '3 = = = = $ 8.992,92 me de juros simples.
(1 + i )2 ( 1,065 ) 2 1.13423
12% ao ano é proporcional a 6% ao semestre;
Constatamos que V3’ = C3 = $ 8.992,92 1% ao mês é proporcional a 12% ao ano.
Taxas equivalentes são taxas de juros fornecidas em u-
c) Data focal cinco: nidades de tempo diferentes que ao serem aplicadas a um
8.992,92 10.200 mesmo principal durante um mesmo prazo produzem um
mesmo montante acumulado no final daquele prazo, no regi-
0 3 5 me de juros compostos.
O conceito de taxas equivalentes está, portanto, direta-
6,5% a,m. mente ligado ao regime de juros compostos.
Assim, a diferença entre taxas equivalentes e taxas pro-
V5 ' = C3 ( 1 + i )2 = 8.992,92 ( 1,065 )2 = porcionais se prende exclusivamente ao regime de juros
considerado. As taxas proporcionais se baseiam em juros
V5 ' = 8.992,92 ( 1,13423 ) = $ 10.200,00 simples, e as taxas equivalentes se baseiam em juros com-
postos.
Exemplo 4 - A Casa Kreira Ltda lançou uma cam- Taxa nominal é a taxa de juros em que a unidade refe-
panha promocional vendendo tudo a prazo, em três rencial de seu tempo não coincide com a unidade de tempo
vezes sem acréscimo. Sendo o preço a vista dividido dos períodos de capitalização. A taxa nominal é sempre for-
por 3 e a primeira parcela é dada como entrada. necida em termos anuais, e os períodos de capitalização
Considerando que a taxa da loja é de 11,5% a.m., podem ser semestrais, trimestrais, mensais ou diários. São
calcule o desconto sobre o preço a vista de uma exemplos de taxas nominais:
mercadoria que é de $600,00. 12% ao ano, capitalizados mensalmente;
24% ao ano, capitalizados semestralmente;
Primeiramente, vamos calcular o valor das parcelas: 10% ao ano, capitalizados trimestralmente;
$600,00 / 3 = $200,00 18% ao ano, capitalizados diariamente.
A taxa nominal, apesar de bastante utilizada no mercado,
A seguir, devemos esboçar o diagrama do tempo e não representa uma taxa efetiva e, por isso, não deve ser
dinheiro: usada nos cálculos financeiros, no regime de juros compos-
tos.

Toda taxa nominal traz em seu enunciado uma taxa efeti-


va implícita, que é a taxa de juros a ser aplicada em cada

Matemática Financeira 38 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
período de capitalização. Essa taxa efetiva implícita é sempre Do ponto de vista da matemática financeira, podemos cal-
calculada de forma proporcional, no regime de juros simples. cular a taxa média de um conjunto de taxas extraindo a raiz
enésima, tomando-se como base o número de termos do
Conforme podemos observar, a taxa efetiva implícita de próprio conjunto de taxas. Eder Sabino Carlos
uma taxa nominal anual é sempre obtida o regime de juros
simples. A taxa anual equivalente a essa taxa efetiva implícita RENDAS UNIFORMES E VARIÁVEIS
é sempre maior que a taxa nominal que lhe deu origem, pois
essa equivalência é sempre feita no regime de juros compos- Rendas são um conjunto de dois ou mais pagamen-
tos. Essa taxa anual equivalente será tanto maior quanto tos, realizáveis em épocas distintas, destinados a cons-
maior for o número de períodos de capitalização da taxa tituir um capital ou amortizar uma divida.
nominal.
Os pagamentos, que podem ser prestações ou de-
Taxa efetiva é a taxa de juros em que a unidade referen-
pósitos constituem os termos (T) da renda. Denomina-
cial de sue tempo coincide com a unidade de tempo dos
períodos de capitalização. São exemplos de taxas efetivas: se n o número de termos (pagamentos) e 1 a taxa uni-
tária dos juros. Se o objetivo da renda for constituir
2% ao mês, capitalizados mensalmente; capital, esse capital será o montante da renda; se, en-
3% ao trimestre, capitalizados trimestralmente; tretanto, seu objetivo for amortizar uma divida, o valor
6% ao semestre, capitalizados semestralmente;
dessa divida será o valor atual (ou valor presente da
10% ao ano, capitalizados anualmente.
renda).
Nesse caso, tendo em vista a coincidência nas unidades As rendas podem ser certas ou aleatórias. Rendas
de medida dos tempos da taxa de juros e dos períodos de certas são aquelas em que o número de termos, os
capitalização, costuma-se simplesmente dizer: 2% ao mês, vencimento dos termos e seus respectivos valores po-
3% ao trimestre, 6% ao semestre e 10% ao ano.
dem ser previamente fixados. Quando pelo menos um
desses elementos não puder ser determinado com
A taxa efetiva é utilizada nas calculadoras financeiras e
antecedência, a renda é chamada aleatória.
nas funções financeiras das planilhas eletrônicas.

A taxa acumulada de juros com taxas variáveis é nor-


A grande maioria das rendas são certas; é o caso
malmente utilizada em situações de correções de contratos do conjunto das prestações para pagar uma mercado-
como, por exemplo, atualização de aluguéis, saldo devedor ria comprada a prazo, onde o valor das prestações, os
da casa própria e contratos em geral. seus respectivos vencimentos e número são previa-
mente conhecidos. O exemplo mais típico de renda
A composição das taxas pode ocorrer de duas formas, aleatória ê o conjunto dos pagamentos de prêmios de
com taxas positivas ou com taxas negativas. um seguro de vida, pois o número de pagamentos não
pode ser fixado antecipadamente.
A taxa real de juros nada mais é do que a apuração de
ganho ou perda em relação a uma taxa de inflação ou de RENDAS ANTECIPADAS (an )
um custo de oportunidade. Na verdade, significa dizer que Uma renda é antecipada se, tendo a renda n ter-
taxa real de juros é o verdadeiro ganho financeiro. mos, o vencimento do último termo se dá no fim de n-1
períodos. Isto e, os depósitos ou os pagamentos se
Se considerarmos que uma determinada aplicação finan-
realizam no principio de cada período.
ceira rendeu 10% em um determinado período de tempo, e
que no mesmo período ocorreu uma inflação de 8%, é correto
afirmar que o ganho real desta aplicação não foram os 10%, un - 1
tendo em vista que o rendimento correspondente sofreu uma an =
desvalorização de 8% no mesmo período de tempo; desta iu n - 1
forma temos de encontrar qual o verdadeiro ganho em rela-
ção à inflação, ou seja, temos de encontrar a taxa real de RENDAS POSTECIPADAS OU IMEDIATAS (an )
juros. Uma renda denomina-se postecipada ou imediata
quando os depósitos ou os pagamentos se efetuam no
A taxa aparente é a taxa que se obtém numa operação fim de cada período e, portanto, o vencimento do último
financeira sem se considerar os efeitos da inflação. termo, tende a renda n termos, ocorre no fim de n
períodos.
Se a inflação for zero, a taxa aparente e a taxa real são
iguais.
un - 1
an =
A taxa over equivalente é uma taxa usada pelo mercado iun
financeiro para determinar a rentabilidade por dia útil, nor-
malmente é multiplicada por 30 (conversão do mercado fi-
nanceiro). Nas empresas, em geral, é utilizada para escolher Para tal cálculo usamos a tabela V
a melhor taxa para investimento.
RENDAS DIFERIDAS (mlan )
Esta prática ganhou maior importância principalmente no A renda é dita diferida de m períodos se o venci-
início dos anos 90. Várias aplicações são efetuadas tomando mento do primeiro pagamento se dá no fim de n + 1
como base os dias úteis; entre elas temos as operações de período e, tendo a renda n períodos, o vencimento do
CDIs – Certificados de Depósitos Interbancários. último se dará no fim de m + n períodos. Isto quer dizer
que os depósitos ou os pagamentos começarão a se
A taxa mé dia de juros tem como base teórica o conceito efetuar depois de decorridos m períodos.
estatístico da média geométrica.

Matemática Financeira 39 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

m an = a m +n - a m , 8 - 1
105
= 9,549.108.9
0,05
CAPITALIZAÇÃO (Sn )
O montante de uma renda unitária e temporária é a M = 2000 x 9,549,108.9
soma dos montantes de cada termo, constituído duran- M = R$ 19.098,20
te o tempo decorrido do seu vencimento ao vencimento
do último termo. Por logaritmos, teremos:
8
log 1,05 = 8 x log 1,05 = 8 x 0,0021 . 2 = 0,169.6
un - 1
8
1,05 = 1,478
Sn = 8
i 2,05 − 1
M = 2000 x =
Tal valor é encontrado na Tabela III. 0,05
AMORTIZAÇÃO (a) = 2.000 x 9,560
Para o valor atual de uma renda periódica e M = 19. 129,00
temporária de termos constantes e iguais a a, teríamos:
EXERCÍCIO 2
1) antecipada: 2) postecipada: 3) diferida: Calcular o valor atual de uma renda anual imediata
de 20 termos iguais a R$ 2.000,00, a 8% a.a.

un − 1 un - 1 un - 1 Solução
a ⋅ a ⋅ a ⋅
iun - 1 iun ium + n Usamos a tabua V: un - 1
n a ⋅
u - 1 ium + n
v = a ⋅
CÁLCULO DO MONTANTE iu n
Se Sn e o montante de n termos unitários, o montan-
te de rendas constantes e temporárias será, sendo a o
, 20 - 1
108
termo: a . Sn ou, representando por M o montante: = 9,818.147.4
0,08 x 1,0820
un - 1
M = a ⋅ v = 2000 x 9.818.147.4
i
v = R$ 19.636,00
CÁLCULO DO TERMO, DO NÚMERO DE
TERMOS E DA TAXA EXERCÍCIO 3
Para o cálculo de cada um desses elementos, no Qual a prestação anual que se deve pagar para, a
problema de rendas, precisamos considerar se ela é 8% a.a., saldar a divida de R$ 19.636,30, em 20 anos?
antecipada, postecipada ou diferida. Resolveremos
problemas considerando cada caso. Solução: Pela tábua V temos:

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS
un - 1
v = a ⋅
Para resolver tais problemas consulte tabelas no iun
final da apostila.
a 8%, em 20 anos, a tábua V nos fornece
Após essa breve pincelada teórica sobre rendas, 9,818.147. Portanto:
passamos a resolver problemas. Em cada um deles 19.636,30 = a . 9,818.147.4
daremos a fórmula a ser usada. 19.636,30
a = = R$ 2.000,00
Podemos resolver tais problemas usando Tábuas
9.818.147.4
aproximadamente
Financeiras ou logaritmos. Usaremos os dois sistemas,
aplicando sempre o que for mais conveniente.
EXERCICIO 4
Calcular o valor atual de uma renda anual de 18 (os
EXERCÍCIO 1
iguais a R$ 800,00, diferida de 7 termos, a 5%.
Depositando anualmente R$ 2.000,00 em um ban-
Solução: Pela tábua V teremos:
co; a juros compostos de 5% a.a., que capital teremos
no fim de 8 anos? m an = a m +n - a m
Solução:
Pela tábua III: 7/a18 = a25 – a7 = 14,093.944.6 - 5.786.373.4
7/a18 = 8.307.571.2
un - 1 V = 800 x 8,307.571.2
M = a ⋅ V = R$ 6.646,00
i

Matemática Financeira 40 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
VALOR ATUAL DAS RENDAS IMEDIATAS
Sendo T o termo de uma renda imediata e A n| i S8 | 0,1 = 1.000 x 11,435888 = 11.435.888 u.m.
seu valor atual , temos:
EXERCÍCIO 8
Realizando depósitos trimestrais imediatos de 500
A n|i = T . an |i
u.m., obteve-se no fim de 3 anos, o montante de
7.732,01 u.m. Qual a taxa do juro?
EXERCICIO 5
Calcular o valor atual de uma renda mensal de Solução:
1000 unidades monetárias, de 12 termos, a 1% ao S n | i = T . sn | i
mês. Sn | i
sn | i =
Solução: T
A n|i = T . an |i S12 | 1 = 7.732.016
T = 1.000 T = 500
1% 7.732.016
s 12 | 1 =
500
a12 | 0,01 11,255.077 s12 | 1 = 15.464032

Na tábua III, o valor 15.464032, para 12 períodos


12p corresponde à taxa de 4,5%, portanto a taxa de aplica-
ção é de 4,5% ao trimestre.
A 12 | 0,01 = 1.000 x 11,255077
A 12 | 0,01 = 11.255,77 u.m. EXERCÍCIO 9
Qual a prestação trimestral antecipada necessária
EXERCÍCIO 6 para amortizar, com 12 pagamentos, um financiamento
Que divida pode ser amortizada com 20 prestações de 10.000 u.m. com juros de 5% ao trimestre?
semestrais de 5.000 u.m, com juros de 20% a.a.?
Solução:
Solução: A n | i = T . a n | i A n|i = T . a n |i
T = 5.000
An | i
10% T =
an | i

a 20 | 0,1 8.513.563 A 12 | 0,05 = 10.000


( T.V.)
a12 | 0,05 = 1 + a11 | 0,05
20p 1 + 8.306414 = 9,306.414 (T.V)
10.000
A20 | 0,1 = 5.000 x 8.513.563 T=
A20 | 0,1 = 42.567.815 u.m. 9,306414
T = 1.074,528 u.m.
MONTANTE DE RENDAS IMEDIATAS
T = termo de uma renda imediata: MONTANTE DAS RENDAS ANTECIPADAS
Sn | i = seu montante

S n | i = T . sn | i Sn | i = T . s n | i
Sendo T = o termo de uma renda antecipada e
EXERCICIO 7 Sn | i seu montante.
Uma pessoa deposita em um banco, no fim de cada
se mestre, a importância de 1.000 u,m., a 20% a.a.
Quanto terá no fim de 4 anos? EXERCÍCIO 10
Calcular o montante de uma renda antecipada de 18
Solução: termos mensais de 1.000 unidades monetárias, à taxa
Sn | i = T . sn | i de 1% o mês.
T = 1.000
10% solução: Sn | i = T . s n | i
T = 1.000
Sn | i 11,435888 S18 | 0,01 = s18 | 0,01 − 1 =
( T.III) 20,810895 – 1 = 19,810895
8p S18 | 0,01 = 1.000 x 19,810895

Matemática Financeira 41 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
30.884,95
S18 | 0,01 = 19.810.895 u.m. a =
10,294.483.9
a = R$ 3.000,00 aproximadamente
VALOR ATUAL DAS RENDAS DIFERIDAS
EXERCÍCIO 14
Qual o capital constituído com depósitos semestrais
m An | i = T ⋅ m an | i de R$ 25,00, a 6% a.a. capitalizados semestralmente,
durante 20 anos?
T = termo de uma renda diferida e m/An | i o seu
valor atual. Solução: Aplicando a tábua III:
40
EXERCÍCIO 11
1,03 - 1
M = 25 x
Calcular o valor atual de uma renda de 10 termos 0,03
trimestrais de 200 u.m, com 9 meses de carência, à A taxa semestral proporcional a 6% a.a., em 20
taxa de 5% ao trimestre. anos será 3% em 40 semestres.
M = 2.500 x 47,575.42 = 11,463.88
Solução : = R$ 13.637,62
m An | i = T ⋅ m an | i
T = 200 Por não constar em nossas tábuas o tempo de 40
anos lançamos mão de dois números: 47,575.42,
3 a 10 | 0,05 = a 13 | 0,05 - a 3 | 0,05 correspondente a 30 anos, e 11,463.88,
= 9,393573 - 2,723248 = 6,670325 correspondente a 10 anos. E calculamos em 5
3 A 10 | 0,05 = = 200 x 6,670325 decimais, apenas.

EXERCÍCIO 15
= 1.334,065 u.m. Para resgatar uma divida de 26.930,98 u.m. serão
necessários 8 pagamentos trimestrais de 4.000 u.m.
EXERCÍCIO 12 Qual a taxa de juros?
Calcular o valor de uma renda anual antecipada de
termos iguais a R$ 30,00 a 6% a.a. Solução : An|i = T . a n|i
An | i
Solução: an | i =
un − 1 T
v = A8 | i = 26.930,98
iun - 1 T = 4.000
un − 1 26.930,98
= an a8 | i =
iun - 1 4.000
a 8 | i = 6,732745
an = 1 + an - 1
Na Tábua V, o valor 6,732745, para 8 períodos,
Pela tábua V: corresponde à taxa de 4% a.a. Portanto, a taxa do
an = 1 + a14 = 1 + 9,294.983.9 = problema e de 4% ao trimestre.
= 10,294.983.9
v = 30 x 10,294.983.9 EXERCICIO 16
v = R$ 308,85 Um empréstimo de 100.000 u.m. vai ser amortizado
com 12 prestações trimestrais em 2 anos de carência.
EXERCÍCIO 13 Calcular o valor das prestações à taxa de 4,5% ao
Qual a anuidade capaz de, a 6% a.a., e 15 presta- trimestre.
ções anuais, saldar a divida de R$ 30.884,95, sendo a
primeira prestação paga no ato do empréstimo? Solução:
m A n | i = T ⋅ m an | i
Solução:
un − 1 m An | i
v = T =
iun -1 m an | i
8 /A12 | 0,045 = 100.000
Pela tábua v: 8/a12 | 0,045 = a20 | 0,045 = a8 | 0,045 =
un − 1 = 13,007936 - 6,595886 = 6,412050
= 1 + 9,294.483.9 = 100.000
iun - 1 T =
= 10,294.483.9 6,412.050
30.884,95 = a . 10,294.483.9 T = 15.595.636 u.m.

Matemática Financeira 42 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
EXERCÍCIO 17 M
Que divida se amortizaria, pagando-se no principio M = C . Sn | i C =
de cada ano a prestação de R$ 3.000,00, durante 15 Sn | i
anos a 6% a.a.?
50.000
C =
Solução: S12 | 2
Vamos resolver este exercício por logaritmos.
un − 1 Procurando na tabela encontramos o número
v = a ⋅ 13,4120897
iun - 1
14
log 1,06 = 14 . log 1,06 = 50.000
C =
14 . 0,025.3 = ú,35Í
14
13,4120987
1,06 = 2,260
15
1,06 = 2,395.6 Resposta: As parcelas mensais deverão ser iguais a
15 R$ 3.727,98.
1,06 −1
v = 3.000 x
0,06 x 1,06 14 EXERCÍCIO 21
Na porta de um banco lê-se a propaganda de um
1395
, .6 investimento que diz:
v = 3.000 x
0,06 x 2,26 "Deposite mensalmente R$ 100,00 e, em 24 meses,
v = R$ 30.876,00 retire R$ 3.442,65".

EXERCÍCIO 18 Qual é a taxa mensal de juro composto do


Que divida poderia ser amortizada com 20 investimento?
prestações iguais a R$ 2.000,00 à taxa de 8% a.a.? Solução:
M = 3.442,65 C = 100 n = 24
Solução: Vamos usar novamente logaritmos: M = C . Sn | i
3.442,65 = 100 . S24 | i
un − 1
v = a ⋅ 3.442,65
iun - 1 = S 24 | i
100
20 3.442,65 = S24 | i
log 1,08 = 20 . log 1,08 =
20 . 0,033.4 = 0,668. Recorrendo à tabela Sn | i, para n = 24, encontrare-
20
1,08 = 4,656 mos em i = 3% o valor 34,4264702, que, nesse caso, é
20
1,08 -1 o próximo.
v = 2.000 ⋅ v = 2000 .
0,08 x 1,08 20 Resposta: A taxa é de, aproximadamente, 3% ao
v = 2.000 x 9,815.3 mês.
v = R$ 19.631,00
EXERCÍCIO 22
EXERCÍCIO 19 Calcular o montante produzido por 12 prestações de
Calcular o valor do montante da aplicação de R$ R$ 1.000,00 colocados mensalmente a juros de 3%
150,00 por 10 meses, a uma taxa mensal de 1%. a.m. sendo a primeira parcela antecipada.

Solução: Solução:
C = 150, n = 10, i = 1% C = 1.000 n = 12 1 = 3%
M = C . S n|i M = C antecipado . ( 1 + i ) . S n | i
M = 150 . S10 | 10 M =1.000 . (1+ 0,03) . S12 | 3
M =1.000 . 1,03 . 14,1920296
Pela tabela: M = 14 617,79
S10 | = 10,46222125 Resposta: R$ 14.617,79

Portanto: EXERCÍCIO 23
M = 150 . 10,4622125 . Pagando 20 prestações de R$ 300,00 num financia-
M = R$ 1.569,33 mento feito a base de 6% a.m., que divida estarei a-
mortizando?
EXERCICIO 20
Calcular o valor das prestações mensais que, apli- Solução:
cado por 1 ano, à taxa de 2% a.m., dá um total capitali- C = 300 i = 6% n = 20
zado de R$ 50.000,00. M = C . a n | i = 300 . a 20 | 6

Solução: Procurando a20 |6 na tabela, encontramos o valor


M = 50.000, n = 12, i = 2% 11,469921. Portanto:
M = 300 . 11,469921 = 3.440,97

Matemática Financeira 43 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Consultando a tabela, temos:
Resposta: a quantia total amortizada é de R$ M = 860 . (20,12103576 - 5,60143089)
3.440,97 M = 860 . 14,519604
M = 12 486,86
EXERCÍCIO 24 Resposta: 0 financiamento é de, aproximadamente,
Em quantas prestações de R$ 796,80 quitarei uma R$ 12.486,86.
divida de R$ 10.000,00, se o financiamento foi feito à
base de 4% a.m.? EXERCICIO 28
Calcular o valor atual de uma renda mensal de 12
Solução: termos iguais a R$ 2.000,00 com carência de 4 meses,
M = 10.000 C = 796,80 i = 4% sendo 5% a.m. a taxa de juros.
Como M = C . a n | i temos
10.000 = 796,80 . a n | 4 Solução: C = 2000
i=5
10.000 n = 12
= a n | 4 ∴ a n | 4 = 12,550201 carência = 4
796,80 M = C . (a16 | 5 – a4 | 5)
M = 2000 . (10,8377696 - 3,5459505)
Procurando i = 4 na tabela de an | i encontraremos M = 2000 . 7,291819
em n = 18 o fator 12,659270, que aceitaremos como o M = 14.583,65
mais próximo. Portanto, devera ser 18 o número de Resposta: o valor atual é de R$ 14.583,64.
prestações mensais iguais.

Resposta: A divida será quitada em 18 prestações.


PLANOS DE AMORTIZAÇÃO DE
EXERCÍCIO 25 EMPRÉSTIMO E FINANCIAMENTO
Calcular o valor atual de uma divida de 8 termos
iguais a R$ 800,00, sendo a taxa no período de 2%. 1. INTRODUÇÃO
Os empréstimos de grandes quantias por parte das
Solução: financeiras para compra de imóveis vêm, em geral,
C = 800 i=2 n=8 acompanhados de prazos dilatados para o pagamento.
São os empréstimos a longo prazo.
O valor atual é o total da divida (M).
M = C . a n|i No caso deste tipo de empréstimo é importante
M = 800 . a 8 | 2 estudarmos as maneiras mais comuns de quitação da
M = 800 . 7,3254814 dívida. São os chamados sistemas de amortização.
M = 5.860,38 Trataremos aqui dos sistemas em que a taxa de juros é
constante e calculada sempre sobre o saldo devedor.
Resposta: O valor atual e de R$ 5.860,38.
O que difere um sistema de amortização do outro é,
EXERCICIO 26 basicamente, a maneira como são obtidas as parcelas.
Qual é o valor atual de uma renda antecipada de 9 Elas podem ser constantes, variáveis ou até únicas,
às 19uais a R$ 1.200,00 com taxa, no período, de sendo compostas sempre por duas partes: juros e
2,6%. amortização propriamente dita.

Solução: 2. SISTEMA FRANCÊS DE AMORTIZAÇÃO


C = 1200 i = 2,6 n = 9 Nesse sistema, as prestações são sempre fixas. O
que varia é a sua composição, ou seja, variam a parte
O valor atual é o total da divida (M) correspondente aos juros e a parte correspondente à
M = (1 + i ) . C . a n | i amortização da dívida inicial. Normalmente, os juros
M = (1 + 0,026) . 1200 . a9 | 2,6 vão diminuindo à medida que os períodos vão
M = 1,026 . 1200 . 7,7334088 decorrendo, ao inverso da amortização, que vai
= 9 767,61 aumentando,
Resposta: O valor atual é de R$ 9.767,61.
Vejamos, por exemplo, como poderiam ser algumas
EXERCÍCIO 27 parcelas de um financiamento desse tipo ;
Uma amortização constante de 20 parcelas mensais Parcela Juros Amortização Prestação
de R$ 860,00 tem carência de 6 meses e taxa mensal 10.ª 792,00 3 049,40 3 841,40
de 2%. Qual o valor do financiamento na ocasião do 11.ª 548,00 3 293,30 3 841,40
contrato? 12.ª 284,60 3 556,80 3 841,40

Solução: O gráfico apresentado a seguir esclarece melhor


C = 860 i = 2% carência = 6 n = 20 esta situação:
M = C . (a26 | 2 - a6 | 2)

Matemática Financeira 44 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Teremos, então, ao final do segundo período a
seguinte situação:
Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação

2 7.853,20 1.099,58 477,64 1.547,22

Repetindo o processo até a quitação total da dívida,


obteremos um plano completo, apresentado na tabela
que segue:
Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação
0 10.000,00 - - -
Observe que a prestação fixa é obtida adicionando-
se juros e amortização, que variam na ordem inversa. 1 8.952,78 1.047,22 500,00 1.547,22
Ou seja, os juros vão diminuindo e a amortização vai 2 7.853,20 1.099,58 447,64 1.547,22
aumentando.
3 6.698,64 1.154,56 392,66 1.547,22
Este sistema pode ser também acompanhado de
4 5.486,35 1.212,29 334,93 1.547,22
prazo de carência. Nesse caso, os juros podem ser
pagos durante o prazo de carência ou capitalizados no 5 4.213,45 1.272,90 274,32 1.547,22
saldo devedor.
6 2.876,90 1.336,55 210,67 1.547,22
2.1. Sistema Francês sem Prazo de Carê ncia
7 1.473,53 1.403,37 143,85 1.547,22
Consideremos, como exemplo, um empréstimo de $
10.000,00 a ser pago, sem carência, em 8 parcelas à 8 - 1.473,53 73,66 1.547,22
base de 5% a.m. de juros. TOTAL 10.000,00 2.377,7 12.377,76
3
A parcela constante nesse caso pode ser obtida
através da fórmula: Podemos observar pela linha total, salvo
aproximação, que :
1
M⋅ =C Amortização + Juros = Total das prestações

an¬i 2.2. Sistema Francê s com prazo de carência e


pagamento dos juros
1
1000 ⋅ = C ⇒ C = 1547 ,22 Neste caso, é dado ao credor um prazo durante o
a8¬ 5 qual ele pagará apenas os juros da dívida, sem, no
entanto, amortizá-la durante essa carência.
Que parte corresponde aos juros? Que parte
Tomemos o exemplo de um financiamento de $
amortiza a dívida?
10.000,00 a 5% a.m. durante 8 meses, com carência
de 3 meses. Os juros sobre o saldo devedor inicial
Incidindo a taxa de 5% sobre o saldo devedor inicial,
serão de : Juros = 10.000,00 . 0,05 = 500
teremos: Juros = 0,05 X 10.000 = 500
Este valor será pago nos três primeiros períodos.
A parte referente aos juros na primeira prestação
Desse modo, ficaremos com o seguinte esquema:
será de $ 500,00. Como a prestação total é de $ Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação
1547,22 o valor que amortiza a dívida é: 0 10.000,00 - - -
Amortização = 1 547,22 - 500,00
Amortização = 1 047,22 1 10.000,00 - 500,00 500,00

2 10.000,00 - 500,00 500,00


O saldo devedor passa agora a ser :
Saldo = 10.000,00 - 1 047,22
Saldo = 8 952,78
A partir do mês seguinte, inicia-se a amortização. A
prestação fixa será dada agora por :
Ao final do primeiro período, teremos então o
seguinte: 1
Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação C= M⋅
1 8.952,78 1.047,22 500,00 1.547,22 a n¬i
1
c = 10.000 ⋅ ⇒ C = 1547
. ,22
O processo se repete agora para o segundo período a8¬ 5
:
Juros = 0,05 . 8 952,78 = 447,64
Os juros e as amortizações serão, daqui para a
Amortização = 1 547,22 - 447,64 = 1 099,58
frente, calculados do mesmo modo que o já mostrado
Saldo devedor = 8 952,78 - 1 099,58 = 7 853,20
no caso sem carência. O plano completo será, então, o
seguinte:
Matemática Financeira 45 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação 1 10.500,00 - - -
0 10.000,00 - - -
2 11.025,00 - - -
1 10.000,00 - 500,00 500,00
3 9.870,44 1.154,56 551,25 1.705,81
2 10.000,00 - 500,00 500,00

3 8.952,78 1.047,22 500,00 1.547,22


Para o próximo período, os juros de 5% serão
4 7.853,20 1.099,58 447,64 1.547,22 calculados sobre o saldo devedor de $ 9.870,44.

5 6.698,64 1.154,56 392,66 1.547,22 Juros = 9 870,44 . 0,05 = 493,52


Amortização = 1 705,81 - 493,52 = 1 212,29
6 5.486,35 1.212,29 334,93 1.547,22
Saldo devedor = 9 870,44 - 1 212,29 = 8 658,15
7 4.213,45 1.272,90 274,32 1.547,22
O plano completo de amortização nesse caso ficará:
8 2.876,90 1.336,55 210,67 1.547,22 Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação
0 10.000,00 - - -
9 1.473,53 1.403,37 143,85 1.547,22
1 10.500,00 - - -
10 - 1.473,53 73,66 1547,22
2 11.025,00 - - -
TOTAL 10.000,00 3.377,73 13.377,76
3 9.870,44 1.154,56 551,25 1.705,81
2.3. Sistema Francê s com Carência e Capitalização
4 8.658,15 1.212,29 493,52 1.705,81
de Juros
Neste caso, durante o período de carência, o 5 7.385,25 1.272,90 432,91 1.705,81
devedor não paga os juros da dívida, que são
capitalizados no saldo devedor. 6 6.048,70 1.336,55 369,26 1.705,81
Vamos considerar o mesmo exemplo do 7 4.645,33 1.403,37 302,44 1.705,81
financiamento de $ 10.000,00, em 8 parcelas mensais,
carência de 3 meses, taxa mensal de juros de 5% e 8 3.171,79 1.473,54 232,27 1.705,81
capitalização dos juros no saldo devedor.
9 1.624,57 1.547,22 158,59 1.705,81
Os três primeiros períodos podem ser observados - TOTAL 11.025,00 2.621,47
2.621,47 13.646,48
no quadro abaixo:
Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação
0 10.000,00 - - -
SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO CONSTANTE
(SAC) OU SISTEMA HAMBURGUÊS
1 10.500,00 - - - Nesse caso, as prestações são variáveis, a
amortização é fixa e os juros, em geral, vão diminuindo
2 11.025,00 - - - à medida que os períodos vão decorrendo.

O gráfico apresentado a seguir, esclarece melhor


Perceba que ao saldo devedor foram sendo esta situação:
acrescentados os juros não pagos.

A partir do período seguinte começam a ser


cobradas as parcelas referentes à amortização e aos
juros. Da soma dessas parcelas resultará a prestação
que, agora, deverá ser calculada a partir do saldo
devedor atual ($ 11 025,00).
1 1
C= M⋅ ⇒ C = 11.025 ⋅ ⇒ C = 1705
. ,81
an¬i a8¬5 Observe que a amortização é fixa e que os juros
Os juros de 5% no primeiro período serão decrescem juntamente com a prestação.
calculados sobre $11 025,00.
Juros = 11.025 . 0,05 = 551,25 SAC - Sem Prazo de Carê ncia
Amortização = Prestação - Juros Vamos supor um financiamento de $ 2.000,00 à
Amortização = 1 705,81 - 551,25 = 1.154,56 taxa de 3% a.m., com um prazo de 8 meses.

Saldo devedor = Saldo devedor anterior - A parcela fixa da amortização é obtida dividindo o
Amortização valor financiado ($ 2.000,00) pelo número de
prestações. No financiamento que tomamos como
Saldo devedor = 11.025,00 – 1.154,56 = 9.870,44 exemplo, o número de prestações é 8.

O esquema, agora, fica assim: 2.000


Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação = 250
0 10.000,00 - - - 8
Matemática Financeira 46 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
A parcela de juros vai variar em função do saldo 6 1.000,00 250,00 37,50 287,50
devedor, tomado no período anterior. 7 750,00 250,00 30,00 280,00
8 500,00 250,00 22,55 272,50
9 250,00 250,00 15,00 265,00
Vamos fazer os cálculos referentes à primeira 10 - 250,00 7,50 257,50
parcela: TOTAL 2.000,00 390,00 2.390,00
Saldo devedor = 2 000
Juros = 2 000 . 0,03 = 60 SAC com Prazo de Carê ncia e Juros
Amortização = 250 Capitalizados no Saldo
Prestação = 250 + 60 = 310 Neste caso, durante a carência, o devedor não paga
absolutamente nada. Os juros desse período vão servir
Então, no final do período, teremos: para aumentar o saldo devedor.

Período Saldo Amortização Juros Prestação Vejamos um exemplo :


Devedor
1 1.750,00 250,00 60,00 310,00
Para o financiamento de $ 2 000,00, a 3% a.m.,
durante 8 meses e com período de carência de 3
meses, podemos começar calculando o saldo
Agora, vamos fazer os cálculos referentes à
segunda parcela: capitalizado. Assim, depois de um período, temos:
Saldo devedor = 1 750 Saldo1 = 2 000 . 1,03 = 2 060
Juros = 1 750 . 0,03 = 52,50
Depois de dois períodos, temos:
Amortização = 250
Saldo2 = 2 060 . 1,03 = 2 121,80
Prestação = 250 + 52,50 = 302,50

Então, no final do período teremos: Para calcular a parcela fixa de amortização é


necessário dividir 2.121,80 por 8.
Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação 2.121,80
2 1.500,00 250,00 52,50 302,50 = 265,23
8
Repetindo esse processo até a quitação total da
dívida, teremos o seguinte plano: Daqui para a frente, o processo é o mesmo. A
Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação tabela com todo o plano fica assim:
0 2.000,00 - - - Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação
1 1.750,00 250,00 60,00 310,00
0 2.000,00 - - -
2 1.500,00 250,00 52,50 302,50
3 1.250,00 250,00 45,00 295,00
1 2.060,00 - - -
4 1.000,00 250,00 37,50 287,50
5 750,00 250,00 30,00 280,00
2 2.121,80 - - -
6 500,00 250,00 22,50 272,50
7 250,00 250,00 15,00 265,00 3 1.856,57 265,23 63,65 328,88
8 - 250,00 7,50 257,50
TOTAL 2.000,00 270,00 2.270,00 4 1.591,34 265,23 55,70 320,93

Obs.: Os juros e as prestações são funções de 1.º 5 1.326,11 265,23 47,74 312,97
grau: J = 0,03 . (2 000 - 250 . n)
6 1.060,88 265,23 39,78 305,01

Nessa expressão, n é o período e J os juros. 7 795,65 265,23 31,83 297,06


P = J + 250 = 0,03 . (2 000 - 250 . n) + 250
8 530,42 265,23 23,87 289,10
Nessa expressão, P é a prestação do período. 9 265,19 265,23 15,91 281,14

SAC com Prazo de Carê ncia e Pagamento de 10 - 265,19 7,96 273,15


Juros
Neste caso, durante o período de carência é feito Total 2.121,80 286,44 2.408,24
apenas o pagamento dos juros, não havendo nenhuma
amortização. Obs.: Comparando as tabelas dos planos de
carência com pagamento ou não dos juros no período,
Vejamos um exemplo : você pode ver que usando o segundo sistema, paga-se
Consideremos um financiamento de $ 2 000,00, à mais. Isso ocorre porque o que deveria ser juros passa
taxa de 8% a.m., com um período de carência de 3 a ser principal.
meses. O plano de amortização fica como mostra a
tabela: SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO MISTO (SAM)
Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação Este é um sistema mais moderno, que não
0 2.000,00 - - - apresenta nenhuma dificuldade teórica aos que já
1 2.000,00 - 60,00 60,00 foram estudados, uma vez que ele é simplesmente a
2 2.000,00 - 60,00 60,00 média aritmética entre o Sistema Francês de
3 1.750,00 250,00 60,00 310,00
4 1.500,00 250,00 52,50 302,50
Amortização e o SAC. O gráfico ao lado compara a
5 1.250,00 250,00 45,00 295,00 evolução das prestações nesses três sistemas.

Matemática Financeira 47 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
CÁLCULO FINANCEIRO
CUSTO REAL E EFETIVO DE OPERAÇÕES DE
FINANCIAMENTO, EMPRÉSTIMO E INVESTIMENTO

A Inflação e correção monetária


A inflação caracteriza-se por aumentos persistentes
e generalizados dos preços dos bens e serviços à dis-
Suponha dois planos de financiamento de $ posição da sociedade; quando ocorre o fenômeno in-
10.000,00 em 5 meses, à taxa de 5% a.m., primeiro verso, tem-se a deflação. Com o objetivo de minimizar
pelo SAC e depois pelo Sistema Francês. ou mesmo neutralizar as distorções causadas pela
inflação na economia, foi institucionalizado no Brasil o
SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO CONSTANTE princípio da correção monetária. Através desse princí-
(SAC) pio, os valores monetários (preços de bens e serviços,
SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO CONSTANTE (SAC)
salários, empréstimos, financiamentos, aplicações fi-
Período Saldo Devedor Amortização Juros
Juros Prestação nanceiras, impostos etc.) poderiam ser reajustados
0 10.000,00 - - - com base na inflação ocorrida no período anterior, me-
dida por um índice de preços calculado por uma enti-
1 8.000,00 2.000,00 500,00 2.500,00
dade credenciada, normalmente pela FGV (Fundação
2 6.000,00 2.000,00 400,00 2.400,00 Getúlio Vargas) ou pelo IBGE (Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística).
3 4.000,00 2.000,00 300,00 2.300,00
O que éum indexador
4 2.000,00 2.000,00 200,00 2.200,00
lndexador, tal como usado pelo mercado financeiro,
5 - 2.000,00 100,00 2.100,00 pode ser entendido como qualquer valor ou índice utili-
zado como parâmetro para atualizar o valor da unidade
TOTAL 10.000,00 1.500,00 11.500,00 monetária, depreciado em função da elevação sistemá-
tica dos níveis gerais de preços.
SISTEMA FRANCÊS
Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação Construção de um indexador e sua utilização
0 10.000,00 - - -
Para facilitar a compreensão do leitor, vamos tomar
1 8.190,25 1.809,75 500,00 2.309,75 como exemplo o cálculo do valor do BTN, criado em
fevereiro de 1989 e extinto em fevereiro de 1991. Esse
2 6.290,01 1.900,24 409,51 2.309,75 indexador foi construído com base na variação mensal
3 4.294,76 1.995,25 314,50 2.309,75
dos preços ao consumidor, calculado pelo IBGE. Para
os cinco primeiros meses, de fevereiro até junho, essas
4 2.199,75 2.095,01 214,74 2.309,75 variações foram, respectivamente, de 3,60%, 6,09%,
7,31%, 9,94% e 24,83%. Seu valor inicial, na data de
5 - 2.199,75 109,99 2.309,75 01-02-89, foi fixado em NCzS 1,00 (um cruzado novo).
10.000,00 1.548,74 11.548,75 Para a obtenção do valor do mês seguinte, adicionou-
se a variação de 3,60% do mês de fevereiro, obtendo-
O mesmo plano calculado com base no SAM ficaria se NCzS 1,0360; o valor do BTN de abril foi obtido adi-
assim: cionando-se 6,09% ao valor do mês anterior e assim
SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO MISTA (SAM) sucessivamente. Com esse procedimento, obtém-se os
Período Saldo Devedor Amortização Juros Prestação seguintes valores para os cinco primeiros meses de
0 10.000,00 - - nosso exemplo, válidos para o primeiro dia de cada
mês:
1 8.095,20 1.904,80 500,00 2.404,88
Mês Variação BTN
2 6.145,08
6.145,08 1.950,12 404,76 2.354,88 mensal (%)
Fevereiro/89 3,60 1 ,0000
3 4.147,45 1.997,63 307,25 2.304,88
Março 6,09 1 ,0360
4 2.099,94 2.047,51 207,37 2.254,88 Abril 7,31 1 ,0991
Maio 9,94 1 ,1794
5 - 2.099,94 105,00 2.204,88 Junho 24,83 1 ,2966
10.000,00 1.524,38 11.524,40
O quadro mostra que o valor do BTN se constituía,
na verdade, num índice de preços, como também se
Perceba tanto pelas prestações, como pelos juros
constituíam, no passado, a ORTN, a OTN e o fator
ou pelo saldo devedor, que, em cada período, os
acumulado da TR; atualmente, temos como exemplos a
valores no SAM são, com exceção da aproximação, a
UFIR, a UPF (Unidade Padrão de Financiamento) e as
média aritmética entre o valor do SAC e o do Sistema
Francês. Unidades Fiscais dos estados e municípios.

A utilização de um índice de preços, isto é, de um

Matemática Financeira 48 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
indexador, é uma prática generalizada no Brasil. A par- sando a quinta edição deste livro), não é provável que
tir de seus valores, obtém-se facilmente a variação dos o faça tão cedo. Assim, não nos resta outra alternativa
preços ocorrida entre duas datas quaisquer, ou o valor a não ser adotar essa taxa referencial como indexador,
atualizado de um empréstimo, de uma aplicação finan- em que pese a todas as restrições que fazemos a ela.
ceira ou de um bem ou serviço. Para a obtenção da A TR é uma taxa mensal calculada e divulgada diaria-
variação, basta dividir o índice referente à data atual mente pelo Banco Central, sendo utilizada para corrigir
pelo índice correspondente à data anterior (a partir da valores monetários desde o dia a que se refere (dia em
qual se pretende determinar a variação), e subtrair 1. que é calculada) até igual dia do mês seguinte. Assim,
Assim, no caso de nosso exemplo, a variação de 10 de a TR de 2,61% referente ao dia 19 de janeiro de 1995
março a 10 de junho é calculada como segue: corrige um empréstimo no valor de S 1.000,00, obtido
1,2966 nesse dia, para S 1.026, 1º no dia 19 de fevereiro.
variação = - 1 = 0,2515444 ou 25,15444 %
1,0360
APLICAÇÕES FINANCEIRAS COM RENDA FIXA
Vamos considerar como aplicações financeiras de
Essa variação corresponde às variações
renda fixa todas aquelas realizadas em títulos e valores
acumuladas dos meses de março, abril e maio.
mobiliários, inclusive cadernetas de poupança e fundos
de investimentos. Denomina-se renda fixa por garantir
Para se corrigir monetariamente um valor, ou seja,
ao aplicador determinado rendimento, fixado no dia da
incorporar ao preço inicial a variação correspondente à
aplicação, isto é, o investidor seguramente receberá no
inflação do período, basta dividir esse valor pelo índice
vencimento um valor maior que o desembolsado, o que
correspondente à data do inicio do período (a partir da
pode não acontecer com as aplicações em renda variá-
qual se pretende corrigir) e multiplicar pelo índice refe-
vel. As aplicações com renda fixa podem ser pré e pós-
rente à data do fim do período. No caso do exemplo
fixadas. É prefixada quando o valor de resgate é co-
anterior, um valor inicial de $ 100.000,00 seria corrigido
nhecido no dia da aplicação e pós quando esse valor
como segue:
somente é determinado no dia (ou alguns dias antes)
100 .000,00 do vencimento. As aplicações com renda pósfixada
Valor corrigido = x 1,2966 = 125.154,44
1,0360 pagam juros calculados sobre o principal corrigido, ou
seja, sobre o valor da aplicação adicionado da correção
A partir deste exemplo, podemos apresentar uma monetária do período. Os exemplos seguintes facilita-
fórmula genérica para atualização monetária de valores rão o entendimento do leitor.
e que será utilizada ao longo de todo este capítulo.
Para tanto, vamos chamar de principal o preço inicial Aplicações com renda prefixada
de uma mercadoria ou serviço, ou o valor inicial de um Vamos tratar de aplicações nos seguintes títulos e
empréstimo ou de uma aplicação financeira, e de inde- valores mobiliários:
xador qualquer índice utilizado com a finalidade de Certificados de Depósitos Bancários (CDB).
corrigir monetariamente um valor. A fórmula é a seguin- São títulos emitidos pelos bancos comerci-
P ais, de investimentos ou desenvolvimento, e
te: Pc = x Iv pelas caixas econômicas; é o instrumento
Io
mais utilizado para a captação de recursos
normalmente destinados ao financiamento
em que Pc é o principal corrigido, P o principal inici- de capital fixo e de giro das empresas. O
al, lo o indexador correspondente à data inicial (data do prazo mínimo de emissão tem variado muito
contrato) e lv o indexador da data do vencimento, pa- nos últimos anos, sendo atualmente de 30
gamento ou resgate. dias. O prazo máximo não é fixado.
Recibos de Depósitos Bancários (RDB). São
Nos casos em que somente a variação do indexador recibos de depósito a prazo fixo, emitidos
é conhecida, a atualização se fará como segue: Pc= P x pelas mesmas instituições financeiras, com
(1 + v1) x ( 1 + v2) x ( 1 + v3) x ..... x (1 + vn) em que v a mesma finalidade e com os mesmos pra-
representa a variação (diária, mensal ou anual) do zos.
indexador e os índices 1, 2, 3, ....., n, o número de Letras de Câmbio (LC): são títulos emitidos pe-
ordem do período unitário (dia, mês ou ano). las chamadas "Financeiras", as Sociedades
de Crédito, Financiamento e Investimento,
lndexador utilizado neste capítulo para captação de recursos destinados ao fi-
A parte final do breve histórico apresentado sobre a nanciamento de bens e serviços, para pes-
indexação no Brasil dá ao leitor uma idéia das dificul- soas físicas ou jurídicas, operação conheci-
dades que enfrentamos para escrever este capitulo. da no mercado por "crédito direto ao con-
Nos exercícios com rendas e encargos pós-fixados sumidor". Os prazos de emissão são idênti-
apresentados na primeira tiragem da quarta edição,, cos aos do CDB e RDB. Com a intensifica-
utilizamos a URV como principal indexador por enten- ção do processo de transformação de Fi-
der que a TR, até então a mais utilizada para atualizar nanceiras em bancos múltiplos, o volume de
os valores das aplicações e dos empréstimos, fosse emissão de Letras de Câmbio tem se redu-
extinta pelo governo logo após a criação do REAL. zido muito nos últimos anos. A tendência
Entretanto, isso não ocorreu! E embora o governo este- natural é sua extinção a médio prazo.
ja propondo-se a desindexar a economia a partir do Bônus do Banco Central (BBC). São títulos de
inicio deste ano de 1995 (época em que estamos revi- curto prazo emitidos pelo Banco Central do

Matemática Financeira 49 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Brasil para a captação de recursos destina- do, menos 1);
dos ao atendimento das necessidades de TRL = taxa real líquida: dada pela divisão do
caixa do Tesouro Nacional; pane substanci- rendimento real líquido pelo principal corrigido
al das emissões é adquirida pelas institui- (ou pela divisão do valor de resgate líquido pelo
ções financeiras para lastreamento das ope- principal corrigido, menos 1);
rações de open market e para compor as a = alíquota do Imposto de Renda,
carteiras dos fundos de investimentos em
renda fixa, variável e de commodities. São Exemplos com CDB, RDB ou LC
sempre emitidos numa quarta-feira e com (O exemplo para um tipo de aplicação é válido para
vencimento também numa quarta, portanto, todos, já que os três têm as mesmas características)
com prazos múltiplos de 7; atualmente são
mais comuns os de 28, 35 e 42 dias. A) Um investidor aplica S 36.000,00 num Certifica-
Letras do Tesouro Nacional (LTN). São títulos do de Depósito Bancário (CDB), com 30 dias de prazo.
idênticos ao anterior. A única diferença é Sabendo-se que o Banco emitente paga uma taxa de
que são emitidos pelo Tesouro Nacional. 39% ao ano, determinar o valor de resgate, o valor do
lmposto de Renda e o valor de resgate líquido dessa
Todas as aplicações financeiras estão sujeitas à in- aplicação.
cidência do Imposto de Renda na fonte. Até 31 de de-
zembro de 1994, o Imposto de Renda, descontado na Solução:
fonte, incidia apenas sobre o chamado rendimento real a) Cálculo do valor de resgate
(também chamado de ganho de capital), corresponden- n
te ao rendimento que excedesse ao valor da correção VR = P ( 1 + ia ) 360
monetária calculada com base na UFJR (Unidade Fis- em que ia é a taxa anual e n o prazo em dias.
cal de Referência), ou seja, sobre o valor que ultrapas-
30/360
sasse ao principal corrigido por esse indexador. A partir VR = 36.000,00 x (1 + 39%)
30/360
de 1° de janeiro de 1995, o Imposto de Renda pago na VR = 36.000,00 x (1,39) = 37.001,59
fonte passou a ser cobrado a razão de 10% sobre o
rendimento bruto, ou seja, sobre o rendimento total b) Cálculo do valor do Imposto de Renda
obtido, independentemente do prazo da aplicação. IR = a x RB
RB = 37.001,59 - 36.000,00 = 1.001,59
A fim de facilitar o entendimento dos exemplos IR =10% x 1.001,59 = 100,16
apresentados a seguir, vamos estabelecer as seguintes
convenções: c) Cálculo do valor de resgate líquido
P = principal ou valor aplicado: valor VRL = VR - IR = 37.001,59 - 100,16 =
desembolsado pelo aplicador; 36.901,43
Pc = principal corrigido: valor da aplicação
adicionado da correção monetária; Exemplo com BBC e LTN
VR = valor de resgate: valor de resgate da Na negociação desses dois títulos, os agentes do
aplicação ou do título antes do desconto do mercado partem de um valor de resgate hipotético de $
Imposto de Renda; 1.000,00. E, considerando o prazo e a taxa de juros,
VRL = valor de resgate líquido: valor de resga- determinam seu valor de compra ou venda,
te menos o Imposto de Renda; denominado de PU (preço unitário). Embora o mercado
RB = rendimento total ou bruto: dado pela di- brasileiro, no caso dessas operações, esteja atual-
ferença entre o valor de resgate e o valor aplica- mente trabalhando com o prazo representado por
do; número de dias úteis, vamos considerar sempre dias
RL = rendimento líquido: é o valor do corridos. Essa decisão deve-se ao fato de a utilização
rendimento bruto menos o valor do Imposto de de dias corridos ser uma norma universal, e porque
Renda; considero esse critério o mais correto.
n = prazo (normalmente em número de dias);
i = taxa utilizada pelo mercado para explicitar o B. Em um leilão efetuado pelo Banco Central, um
rendimento bruto a ser pago, seja ele pré ou pós- Banco adquire BBCS com prazos de 28 e 35 dias, am-
fixado; normalmente é informada para um perío- bas cotadas a uma taxa de juros de 37% ao ano. Cal-
do de 30 dias (taxa mensal) ou de 360 dias (taxa cular, para os dois prazos mencionados, o preço pago
anual) ; pelo Banco para cada $ 1.000,00 de resgate.
TEB = taxa efetiva bruta: dada pela divisão do
rendimento bruto pelo valor da aplicação (ou pela Solução:
divisão do valor de resgate pelo valor da apli- a) para o prazo de 28 dias
cação, menos 1); A partir da fórmula do montante para juros
TEL = taxa efetiva líquida: dada pela divisão compostos, tem-se que:
do rendimento líquido pelo valor da aplicação (ou VR
pela divisão do valor de resgate líquido pelo valor P= n
( 1 + ia ) 360
da aplicação, menos 1);
TRB = taxa real bruta: dada pela divisão do
rendimento real pelo principal corrigido (ou pela
divisão do valor de resgate pelo principal corrigi-

Matemática Financeira 50 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
1.000,00 c) Cálculo do valor de resgate líquido
P= 28
= 975,81 VRL = VR - IR = 5.724,08 - 72,41 = 5.651,67
( 1,37 ) 360

Operações com Cadernetas de Poupança


O valor presente P = $ 975,81 constitui-se no cha- As cadernetas de poupança constituem a forma
mado PU (preço unitário). Assim, no caso deste exem- mais popular de aplicação de recursos no Brasil. Tradi-
plo, o PU nada mais é do que o valor atual do título cionalmente, elas vêm rendendo correção monetária
para cada $ 1.000,00 de resgate, A "unidade", que calculada com base num indexador, mais juros de 0,5%
neste caso é igual a $ 1.000,00, poderia ser de $ 1,00, ao mês (equivalente a 6,168% ao ano) incidente sobre
$ 10,00, $ 100,00 ou qualquer outro valor. o valor do depósito acrescido da correção monetária;
caso haja algum saque durante o mês, contado desde
b) para o prazo de 35 dias o dia do depósito até o dia anterior ao do crédito, valerá
1.000,00 o menor saldo do mês para efeito de cálculo do rendi-
P= = 969,86
35
( 1,37 ) 360
mento. Nas aplicações feitas por pessoas físicas, o
rendimento é creditado mensalmente no dia do chama-
do "aniversário" ou data-base, isto é, no dia do mês do
Aplicações com renda pós-fixada crédito correspondente ao mesmo dia do mês em que
Neste subitem temos uma grande variedade de a- foi aberta. Assim, se uma caderneta é aberta no dia 3
plicações. Vamos tratar somente das mais importantes: de janeiro, os rendimentos serão creditados no dia 3
cadernetas de poupança, CDBS, RDBS, Letras de dos meses subseqüentes. Entretanto, há exceções: se
Câmbio, Notas do Tesouro Nacional (NTN), Debêntu- a conta for aberta nos dias 29, 30 ou 31, considerar-se-
res e os fundos de investimentos. A tributação é idênti- á aberta no dia 1° do mês seguinte.
ca à das aplicações em renda prefixada mostrada no
subitem anterior, ou seja, Imposto de Renda de 10% No caso das aplicações feitas por pessoas jurídicas,
sobre o rendimento total. os rendimentos são creditados trimestralmente, calcu-
lados à razão de 1,5% sobre o valor do depósito corri-
Vamos tratar inicialmente das aplicações em CDB, gido pelo indexador utilizado. Em caso de movimenta-
RDB e LC, cujas características já foram mencionadas ção da conta durante o trimestre, os rendimentos serão
no subitem anterior; as diferenças dessas aplicações calculados com base no menor saldo existente nesse
em relação àquelas com rendimentos prefixados é que trimestre. De acordo com a legislação atual, incide Im-
nestes casos o prazo mínimo de emissão dos títulos é posto de Renda de 10% sobre o total dos rendimentos.
atualmente de 120 dias e os rendimentos são calcula- Esse fato praticamente inviabiliza a caderneta de pou-
dos com base no principal corrigido pelo indexador pança para pessoas jurídicas.
adotado. E como já mencionamos no início deste capí-
tulo, vamos adotar a TR (Taxa Referencial de Juros) Considera-se mês, no caso das cadernetas de
como principal indexador. poupança, o período compreendido entre o dia do
depósito e o dia do "aniversário" no mês seguinte.
Exemplo com CDB, RDB e LC
C. Calcular o valor de resgate líquido já descontado No momento em que estamos revisando este capí-
o Imposto de Renda) de uma aplicação em CDB com tulo, o indexador oficial utilizado para corrigir os depósi-
renda pós-fixada no valor de $ 5.000,00, pelo prazo de tos de poupança continua sendo a TR. E é esse que
120 dias, sabendo-se que o Banco paga juros de 16% vamos utilizar. A correção monetária calculada com
ao ano. A aplicação foi feita no dia 5 de janeiro para base nesse indexador é chamada também de atualiza-
resgate no dia 5 de maio do mesmo ano. Admitir que ção monetária.
as TR referentes aos dias 5 dos meses de janeiro,
fevereiro, março e abril tenham sido de 2,21%, 1,96%, D. O Sr. W. Vilan abriu uma caderneta de poupança
2,13% e 2,37% respectivamente. no dia 13-09-94 com um depósito de $ 4.500,00. Sa-
bendo-se que a TR desse dia foi de 2,57%, calcular os
Solução: valores da correção monetária e dos juros creditados
a) Cálculo do valor de resgate em 13- l 0-94. Como se sabe, a taxa de juros é de 0,5%
n
VR = Pc ( 1 + ia ) 360 ao mês.

Solução:
Pc= 5.000,00 x 1,0221 x 1,0196 x 1,0213 x 1,0237 Valor da correção monetária
= 5.447,78 CM = 2,57% x 4.500,00 = 11 5,65
120
VR = 5.447,78 x (1,16 ) 360 = 5.724,08
Valor dos juros
b) Cálculo do Imposto de Renda Juros = 0,5% x (4.500,00 + lis,65) = 23,08

IR = 10% x RB = 0,10 x RB Saldo da conta em 13-10-94


Saldo = 4.500,00 + 115,65 + 23,08 = 4.638,73
RB = VR - P= 5.724,08 - 5.000,00 = 724,08
IR = 0,10 x 724,08 = 72,41 O saldo dessa conta poderia também ser obtido
como segue:
Saldo = 4.500,00 x 1,0257 x 1,005 = 4.638,73

Matemática Financeira 51 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
em que o número 4, do expoente 1/4, representa o
Caso o Sr. Vilan tivesse sacado $ 1.500,00 em número de trimestres contidos em 1 ano.
qualquer dia entre o dia do depósito e o dia útil anterior 1.014,673846
à data do crédito, os valores da correção monetária e PU = = 973,213807
dos juros seriam calculados com base no saldo de $ (1,,18 )92 365
3.000,00. em que 0,18 é taxa efetiva ao ano e 92 o número de
dias decorridos entre o dia da compra e do resgate.
Operações com Notas do Tesouro Nacional
(NTN) b) Cálculo do valor de resgate (incluindo os juros)
A NTN é um título emitido pelo Tesouro Nacional 458,660
Pc = 1.000,00 x = 2.635,9770 11
com características idênticas às do CDB pós-fixado. 174,000
Atualmente tem prazo mínimo de emissão de 120 dias;
até dezembro de 1994 esse prazo mínimo era de 90 Taxa trimestral de juros =
dias. Existem três tipos: a NTN com correção cambial, 1
a NTN corrigida com base na variação do IGPM (Índice (1,06) 4 - 1 = 0,01467385 ou 1 ,467385%
Geral de Preços do Mercado) e a NTN corrigida com
base na TR. No caso das duas primeiras, o Tesouro Juros
Nacional paga 6% ao ano sobre o principal corrigido, e = 0,01467385 x 2.635,977011 = 38,679931
no caso da última, o rendimento total acima da TR é
dado via deságio. Valor de resgate
= 2.635,977011 + 38,679931 = 2.674,656942
As NTNS são colocadas no mercado através de lei-
lões periódicos (pelo menos um por mês) efetuados O valor de resgate também pode ser determinado
pelo Banco Central. Como regra geral, são emitidas atualizando-se monetariamente o valor de resgate
com data do primeiro dia de cada mês, e vencimento obtido inicialmente, como segue:
também no primeiro dia do mês de resgate. Caso uma 458,660
VR = 1.014,6738 46 x = 2.674,6569 42
das datas (de emissão ou de resgate) ocorra em um 174,000
dia não útil, a liquidação ocorrerá no dia útil subseqüen-
te. No caso das NTNS cambiais, a correção é calculada Operações com Fundos de Investimentos em
tomando-se como base a cotação do dólar no dia ime- Renda Fixa
diatamente anterior ao dia da emissão e do resgate (ou Este Fundo de Investimentos tem uma carência de
do pagamento dos juros). 28 dias para saques sem perda de rendimentos, conta-
dos desde o dia da aplicação ou desde o último dia em
Os juros de 6% ao ano são pagos semestralmente, que se completou o ciclo de 28 dias. Trata-se de um
ou no vencimento do título, caso seu prazo seja de até fundo administrado por uma instituição financeira em
seis meses. Para proporcionar uma rentabilidade supe- que os recursos captados junto aos clientes são aplica-
rior a 6% ao ano, o Banco Central normalmente coloca dos em títulos de renda fixa, pré ou pós-fixados. O in-
esses títulos no mercado com deságio. Para efeito de vestidor adquire cotas do fundo, cuja rentabilidade re-
negociação, o preço unitário do título - o chamado PU - flete a rentabilidade média dos títulos que compõem a
é calculado com base num valor de emissão hipotético carteira. Sobre o rendimento total obtido na aplicação,
de S 1.000,00 e apresentado com seis casas decimais. o investidor paga Imposto de Renda, correspon dente a
Os exemplos a seguir facilitarão o entendimento. Em- 10%, calculado de forma idêntica aos cálculos já mos-
bora o governo não tenha colocado no mercado ne- trados para os títulos de renda fixa.
nhum título corrigido pelo IGPM após a implantação do
REAL, vamos apresentar exemplos envolvendo os três Exemplo
tipos. E. Um investidor aplica $ 6.000,00 num Fundo de
Renda Fixa no dia 11-0l -95 e resgata $ 3.700,00 no dia
Através de um leilão realizado pelo Banco Central, 08-02-95, 28 dias depois. Sabendo-se que o valor da
uma instituição financeira adquire NTNS cambiais emi- cota era de $ 3,498039 no dia da aplicação e de $
tidas em 01-11-93 e com vencimento em 01-02-94 3,602403 no dia do resgate, calcular:
(prazo de três meses). Sabendo-se que esse título o número de cotas adquiridas;
paga juros de 6% ao ano, que foi adquirido com uma o número de cotas resgatadas;
rentabilidade efetiva de 18% ao ano e que as cotações a valorização da cota no período;
do dólar comercial de venda no dia anterior ao dia da o valor do Imposto de Renda pago e o valor lí-
emissão e ao dia do resgate foram respectivamente de quido creditado na conta do aplicador;
CR$ 174,000 e CR$ 458,660, calcular: o saldo em número de cotas e em S.
o PU, ou seja, o preço pago para cada CR$
1.000,00 de emissão; Solução:
b) o valor de resgate (incluindo os juros). a) Número de cotas adquiridas
Solução: 6.000,00
n° de cotas = = 1.715,248 cotas
a) Cálculo do PU 3,498039
1 b) Número de cotas resgatadas
VR = 1.000,00 x (1,06) 4 = 1.014,673846

Matemática Financeira 52 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
3.700,00 Inflação é um conceito econômico que representa o au-
nº de cotas = = 1.027,092 cotas mento de preços dos produtos num determinado país ou
3,602403 região, durante um período. Num processo inflacionário o
c) Valorização da cota no período poder de compra da moeda cai.
3,602403
Valorização = − 1 = 0,0298 ou 2,984% Exemplo: num país com inflação de 10% ao mês, um tra-
3,498039
balhador compra cinco quilos de arroz num mês e paga R$
10,00. No mês seguinte, para comprar a mesma quantidade
d) Valor do Imposto de Renda e valor líquido de arroz, ele necessitará de R$ 11,00. Como o salário deste
creditado trabalhador não é reajustado mensalmente, o poder de com-
Valor de aplicação das cotas resgatadas pra vai diminuindo. Após um ano, o salário deste trabalhador
Valor = 1.027,092 x 3,498039 = 3.592,81 perdeu 120% do valor de compra.
Valor do Imposto de Renda
A inflação é muito ruim para a economia de um país.
Corresponde a10% sobre o rendimento obtido no Quem geralmente perde mais são os trabalhadores mais
período, ou seja, sobre o valor de resgate menos o pobres que não conseguem investir o dinheiro em aplicações
que lhe garantam a correção inflacionária.
valor de aplicação das cotas resgatadas, calculado
como segue:
Podemos citar as seguintes causas da inflação:
IR = 10% x (3.700,00 - 3.592,81) = 10,72 Emissão exagerada e descontrolada de dinheiro por parte
Valor líquido creditado na conta do aplicador do governo;
Valor líquido = 3.700,00 - 10,72 = 3.689,28
Saldo em número de cotas e em S Demanda por produtos (aumento no consumo) maior do
Saldo em n° de cotas que a capacidade de produção do país;
= 1.715,248 - 1.027,092 = 688,156
Saldo em $ Aumento nos custos de produção (máquinas, matéria-
= 688,156 x 3,602403 = 2.479,02 prima, mão-de-obra) dos produtos.

Operações com Fundos de Aplicações No Brasil, existem vários índices que medem a inflação.
Financeiras (FAF) Os principais são: IGP ou Índice Geral de Preços (calculado
As aplicações neste Fundo, também conhecido por pela Fundação Getúlio Vargas), IPC ou Índice de Preços Ao
"fundão", representam uma das únicas formas de apli- Consumidor (medido pela FIPE - Fundação Instituto de Pes-
quisas Econômicas), INPC ou Índice Nacional de Preços ao
cação de recursos no curto prazo. Funciona de maneira
Consumidor (medido pelo IBGE) e IPCA ou Índice de Preços
semelhante ao Fundo de Renda Fixa visto no item an- ao Consumidor Amplo (também calculado pelo IBGE).
terior. Os recursos captados pela instituição financeira
que administra o Fundo são aplicados de forma bem
CÃMBIO
diversificada, sendo uma parte superior a 20% obriga-
toriamente depositado no Banco Central, uma fatia O que écâmbio?
ainda maior aplicada títulos públicos federais, 10% em
Títulos de Desenvolvimento Econômico (TDE) e 3% no Câmbio é toda operação em que há troca de moeda nacional
Fundo de Desenvolvimento Social (FDS); apenas cerca por moeda estrangeira ou vice-versa.
de 42% dos recursos captados podem ser livremente
utilizados pela instituição financeira para aplicação em Por exemplo: o banco vende a você moeda estrangeira
outros títulos de renda fixa, públicos ou privados. (recebe moeda nacional e lhe entrega moeda estrangeira)
quando você vai viajar para o exterior e precisa de dinheiro
O rendimento proporcionado por este Fundo para sua estada, suas compras, etc; o banco compra de você
também paga 10% de Imposto de Renda na fonte. moeda estrangeira (recebe a moeda estrangeira e lhe entre-
ga moeda nacional) quando você retorna da viagem ao exte-
rior e ainda possui algum dinheiro do país que você visitou,
Uma pessoa aplicou $50.000,00 no FAF e resgatou
dinheiro que não será usado no Brasil.
tudo no dia seguinte. Sabendo-se que o valor da cota
subiu 0,116%, calcular o valor líquido resgatado. 02. Então qualquer pessoa pode comprar e vender
moeda estrangeira?
Solução:
Valor do rendimento = No Brasil, toda operação de câmbio deve ser realizada
0,116% x 50.000,00 = 58,00 por meio de contrato de câmbio, tendo sempre como uma
Valor do IR = das partes, uma instituição autorizada a operar em câmbio
10% x 58,00 = 5,80 pelo Banco Central, que comprará ou venderá a você a moe-
da estrangeira.
Valor líquido resgatado =
50.000,00 + 58,00 - 5,80 = Qualquer pessoa física ou jurídica, pode ir então, a uma
Valor líquido resgatado = 50.052,20 instituição autorizada (banco, agência de turismo, corretora e
distribuidora), para comprar ou vender moeda. Deve ser ob-
servada, porém, a regulamentação específica, que se encon-
INFLAÇÃO, VARIAÇÃO CAMBIAL E TAXA DE JU- tra na Consolidação das Normas Cambiais (CNC), para a
ROS. perfeita identificação do tipo e do mercado a que se refere a
operação de câmbio.

Matemática Financeira 53 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
03. Que tipos de operações posso realizar no mercado Não. Houve somente a unificação das posições de câm-
de câmbio? bio existentes nos dois segmentos, prevalecendo os demais
procedimentos operacionais relativos aos dois mercados.
Como regra geral, quaisquer pagamentos ou recebimen-
tos em moeda estrangeira podem ser realizados no mercado A posição de câmbio representa o volume das operações
de câmbio, devendo ser referentes a atividade lícita. de compra e de venda de moeda estrangeira realizadas pelos
estabelecimentos que podem operar em câmbio, com exce-
Grande parte dessas operações já se encontram descritas ção das agências de turismo e dos hotéis. Essas operações
e especificadas nos regulamentos e normas vigentes, e você são consolidadas diariamente pelo seu equivalente em dóla-
não necessita de autorização prévia do Banco Central para res dos Estados Unidos e de forma centralizada para cada
realizá-las. Basta você procurar uma instituição autorizada a instituição.
contratar câmbio.
O valor da posição de câmbio é obtido pela diferença en-
As operações não expressamente regulamentadas de- tre as compras e as vendas do dia, acrescida ou diminuída da
pendem de manifestação prévia do Banco Central. posição de fechamento do dia anterior, podendo ter os se-
guintes resultados:
04. Como pode ser definido mercado de câmbio?
nivelada, quando o total de compras é igual ao total de
Chama-se mercado de câmbio o ambiente, abstrato, onde vendas;
se realizam as operações de câmbio, entre os agentes auto-
rizados (bancos, corretoras, distribuidoras, agências de tu- comprada, quando o total de compras é maior que o total
rismo e meios de hospedagem) e entre estes e seus clientes. de vendas;

No Brasil, o mercado de câmbio é dividido em dois seg- vendida, quando o total de compras é menor que o total
mentos, livre eflutuante, que são regulamentados e fiscali- de vendas.
zados pelo Banco Central. O mercado livre é também conhe-
cido como "comercial" e o mercadoflutuante, co- Para a condução da política cambial, é fixado limite para a
mo "turismo". posição vendida de cada instituição e, relativamente à posi-
ção comprada, as instituições devem depositar no Banco
À margem da lei, funciona um segmento denominado Central os valores excedentes a certo montante.
mercado paralelo, mercado negro, ou câmbio negro. Todos
os negócios realizados nesse mercado, bem como a posse Até janeiro de 1999, exigia-se que as instituições sepa-
de moeda estrangeira, sem origem justificada, são ilegais e rassem as posições dos dois segmentos. Assim, a posição de
sujeitam o cidadão ou a empresa às penas da lei. um determinado banco poderia ser "comprada em US$ 7
milhões" no segmento livre e "comprada em US$ 3 milhões"
05. Quais as operações que posso fazer no mercado no segmento flutuante. Além disso, os limites e a obrigação
de câmbiolivre ou comercial? de depósito mencionados no parágrafo anterior eram também
fixados de forma separada para os dois segmentos.
No mercado livre você pode realizar as operações decor-
rentes de comércio exterior, ou seja, de exportação e de A partir de janeiro de 1999, as posições dos dois segmen-
importação. Neste mercado, também são realizadas as ope- tos foram unificadas. Dessa forma, no exemplo do parágrafo
rações dos governos, nas esferas federal, estadual e munici- anterior, a posição daquele banco passou a ser apenas
pal, bem como aquelas decorrentes de transferências finan- "comprada em US$ 10 milhões" (livre + flutuante). Os limites
ceiras relativas a investimentos de estrangeiros no país, em- e a obrigação de depósito foram também unificados.
préstimos a residentes, pagamentos e recebimentos de servi-
ços, entre outras. Com isso, não há mais diferença entre os dois segmentos
na formação da taxa de câmbio, pois o custo de oportunidade
06. E no mercado flutuante o que posso fazer? Só e- para celebração das operações de câmbio passou a ser o
xistem operações de turismo? mesmo para ambos os segmentos.

Inicialmente, esclarecemos que o termo "turismo" é utili- Embora a taxa média divulgada pelo Banco Central seja
zado de forma inadequada, visto que neste mercado, além uma só, as operações de câmbio de cada segmento devem
das operações relativas à compra e venda de moeda estran- continuar a ser efetuadas em cada mercado. Por exemplo, se
geira para o turismo internacional, podem ser realizadas alguém for comprar dólares para viajar, a operação deve ser
diversas transferências não relacionadas ao turismo, tais efetuada pelo mercado flutuante, mas se uma empresa for
como, contribuições a entidades associativas, doações, he- exportar automóveis, a operação de câmbio deve ser efetua-
ranças e legados, aposentadorias e pensões, manutenção de da pelo mercado livre.
residentes, e tratamento de saúde.
08. O que écontrato de câmbio? Para que serve?
É importante ressaltar que não há limites de valor para a
realização das operações previstas no regulamento do mer- O contrato de câmbio é o instrumento por intermédio do
cado flutuante (capítulo 2 da CNC), nem para as compras a qual se efetua a operação de câmbio. Nele, constam neces-
título de turismo, nem para a realização de transferências sariamente, dentre outras informações, a moeda estrangeira
unilaterais e pagamentos de serviços. que você está comprando ou vendendo, a taxa contratada, o
valor correspondente em moeda nacional, os nomes do com-
07. A unificação do câmbio feita pelo Banco Central prador e do vendedor (e respectivas assinaturas).
em janeiro de 1999 significou a junção do segmento livre
com o segmento flutuante? O contrato de câmbio é o documento que formaliza a sua
operação, ou seja, é o comprovante a ser apresentado à
fiscalização.

Matemática Financeira 54 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
09. Quais os tipos de contrato de câmbio existen- são registradas imediatamente, em tempo real, o que permite
tes? ao Banco Central atuar tanto no monitoramento e fiscalização
do Mercado, como na orientação dos rumos da política cam-
O que denomina um contrato de câmbio é a sua finalidade bial.
ou a operação inicial ou final que lhe dá origem. Sempre que
alguém compra ou vende moeda, significa que existe uma 14. O que épolítica cambial?
operação comercial de importação ou exportação ou uma
transferência financeira de um país para outro, que justifica o Chama-se política cambial o conjunto de leis, regulamen-
câmbio. tos e ações do Governo que influem no comportamento do
Sendo assim, podemos classificar os contratos de câmbio mercado de câmbio e da taxa de câmbio.
em: de exportação; de importação; financeiro de ingresso e
financeiro de remessa. 15. O Real (R$) écomprado e vendido lá fora?

10. Existem diferenças nos procedimentos dos diver- A conversibilidade de qualquer moeda depende da confi-
sos tipos de contrato de câmbio? ança dos agentes na economia do país emitente, aceitando-a
como meio de pagamento, reserva de valor e unidade de
Sim. Além da diferença da operação que dá origem à ne- referência. Não há, do ponto de vista legal e regulamentar,
cessidade de contratação do câmbio, a documentação com- qualquer impedimento a que o Real seja negociado no exteri-
probatória dos fatos é diferente. or.

Também a posição da instituição autorizada a operar em 16. Como posso saber sobre a taxa de câmbio?
câmbio é diferente. É de compra da moeda estrangeira para
os contratos de exportação e de ingresso financeiro. Quando As taxas de câmbio praticadas no mercado brasileiro são
os contratos são de importação e de remessa financeira, a publicadas nas páginas econômicas dos principais jornais do
instituição vende moeda estrangeira. País, tendo por fonte a transação PTAX 800, do SISBACEN.
Tal fonte está disponível ao público em geral, juntamente com
Em qualquer operação são sempre negociados direitos outras de interesse público e não estão protegidas por qual-
sobre a moeda estrangeira, não tendo você acesso à moeda quer tipo de sigilo, bastando que você adote os procedimen-
em espécie. No geral, quando você faz uma venda a um tos necessários para acesso ao computador do Banco Cen-
banco, a moeda estrangeira é creditada em conta do banco tral.
comprador no exterior, através de uma filial ou de um banco
conveniado lá fora, e você recebe a quantia equivalente em 17. O que éentão taxa de câmbio?
moeda nacional. Na importação, por exemplo, você entrega
reais (R$) ao banco em troca do direito sobre o equivalente
Taxa de câmbio é o preço de uma moeda estrangeira
em moeda estrangeira, que é entregue ao exportador ou a
medido em unidades ou frações (centavos) da moeda nacio-
um terceiro interessado (normalmente um banco) no exterior.
nal. A moeda estrangeira mais negociada é o dólar dos Esta-
dos Unidos, fazendo com que a cotação mais comumente
11. Quais instituições podem operar no mercado de utilizada seja a dessa moeda. Dessa forma, quando dizemos,
câmbio? por exemplo, que a taxa de câmbio brasileira é 1,60 significa
que um dólar americano custa R$ 1,60.
Podem operar no mercado de câmbio apenas as institui-
ções autorizadas pelo Banco Central. O segmento livre é A taxa de câmbio reflete apenas um custo de uma moeda
restrito aos bancos e ao Banco Central. No segmento flutuan- em relação a outra, não agregando quaisquer custos opera-
te, além desses, podem ter permissão para operar as agên- cionais incorridos pelos bancos para realização do negócio.
cias de turismo, os meios de hospedagem de turismo e as
corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários.
No seu conceito mais simples, a taxa de câmbio divide-se
em taxa de venda e taxa de compra. Pensando sempre do
12. Como posso saber se uma instituição está autori-
ponto de vista do banco (ou outro agente autorizado a operar
zada a operar em câmbio?
pelo BC), a taxa de venda é preço que o banco cobra para
vender a moeda estrangeira (a um importador, por exemplo),
Toda autorização é objeto de divulgação no Diário Oficial enquanto a taxa de compra reflete o preço que o banco acei-
da União. Além disso, a transação do PCAM 830 do SISBA- ta pagar pela moeda estrangeira que lhe é ofertada (por um
CEN, disponível ao público em geral, através do banco de exportador, por exemplo).
dados de consulta pública denominado INFBACEN, lista
todas as instituições autorizadas nos dois segmentos do
O intervalo entre a taxa de compra (a menor) e a de ven-
mercado de câmbio. Em dúvida, o cliente deve solicitar do-
da (a maior) representa o ganho do banco com a negociação
cumentação comprobatória da aprovação do Banco Central
da moeda, e é conhecida como "spread".
e/ou contatar a representação do Departamento de Câmbio
na praça ou região ou ainda ligar para as Centrais de Aten-
dimento do Banco Central 18. Existe alguma taxa de câmbio fixada pelo Banco
Central?
13. O que éSISBACEN? Pode explicar melhor?
Tanto o mercado livre como o flutuante têm taxas de
câmbio livremente pactuadas entre as partes contratantes, ou
O SISBACEN - Sistema de Informações Banco Central é seja, entre você e a instituição autorizada.
um sistema eletrônico de coleta, armazenagem e troca de
informações que liga o Banco Central aos agentes do sistema
19. Existe alguma taxa de câmbio especial para com-
financeiro nacional. Implementado em 1985, o SISBACEN é
prar dólares para viagem ao exterior com finalidade de
hoje o principal elemento de que dispõe o Banco Central para
estudo?
acompanhamento da atuação dos bancos instalados no País.
Via SISBACEN, todas as operações de câmbio que você faz

Matemática Financeira 55 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Conforme mencionado anteriormente, as taxas de câmbio Ademais, a regulamentação cambial não prevê a remessa de
são livremente pactuadas entre o cliente e a instituição de moeda estrangeira para alimentação de contas da espécie.
sua preferência, não existindo, portanto, regras do Banco
Central para que alguns tipos de operação tenham obrigatori- 27. Posso usar cartão de cré
dito internacional no pa-
amente taxas de câmbio maiores ou menores. gamento de importação?

20. O banco éobrigado a vender moeda em espé


cie? Esse tipo de cartão somente pode ser usado para paga-
mento de pequenas encomendas, cujas mercadorias não
Não. A forma de entrega da moeda estrangeira depende estão sujeitas às regras gerais da importação, especialmente
da conveniência operacional do banco. Normalmente, os no que se refere à exigência de registro no Sistema de Co-
bancos, por questões estratégicas de segurança (roubo e mércio Exterior (SISCOMEX).
falsificação, por exemplo) e administração de caixa, procuram
operar com o mínimo possível de moeda em espécie, prefe- 28. O que éoperação CC5?
rindo negociar com cheques de viagem
"CC5" é a abreviatura do documento normativo Carta-
21. As taxas podem ser diferentes para moeda em es- Circular nº 5, editada pelo Banco Central em 1969, regula-

cie e em cheque de viagem? mentando a abertura de conta e a movimentação de recursos
em moeda nacional em nome de residentes e domiciliados no
As taxas de câmbio são livremente pactuadas entre as exterior.
partes, cabendo lembrar que a disponibilidade da moeda em Com a implementação do segmento de taxas flutuantes, em
espécie implica maiores custo e risco para o banco vendedor. dezembro de 1988, foi permitido às instituições financeiras do
Portanto, as taxas podem ser diferentes. exterior venderem moeda estrangeira no mercado de câmbio
brasileiro, contra moeda nacional.
22. Quanto um viajante pode comprar em moeda es-
trangeira para turismo no exterior? Essas operações passaram a ser então denominadas "o-
perações CC5", o que permanece até hoje, apesar da referi-
As normas cambiais não impõem limite para essa finali- da Carta-Circular ter sido revogada em 1996, pela Circular nº
dade, cabendo à instituição financeira zelar pela licitude da 2.677, que atualmente regula esse tipo de operação.
operação, particularmente no que se refere à origem da moe-
da nacional utilizada no pagamento. 29. O que éACC e ACE?

23. O que devo apresentar para comprar moeda es- ACC - Adiantamento sobre Contrato de Câmbio é um adi-
trangeira? antamento em moeda nacional a que você exportador tem
acesso no ato da contratação do câmbio, sempre que esse
Apenas seu documento de identificação, cabendo ressal- contrato precede o embarque. O que diferencia o ACC do
tar que a compra deve ser feita por você ou por um represen- ACE - Adiantamento sobre Cambiais Entregues é que no
tante legal. Para os valores acima de US$ 3,000.00, o valor primeiro você recebe a moeda nacional antes de embarcar a
correspondente em moeda nacional deve ser pago por che- mercadoria, servindo esta como apoio financeiro à produção
que de sua emissão ou por débito em sua conta corrente. da mercadoria, e no segundo a moeda nacional é entregue
após o embarque da mercadoria, representando, na prática, a
Em alguns casos específicos, outros documentos relativos antecipação do pagamento da exportação.
à operação devem ser apresentados, como por exemplo, o
de quitação dos impostos devidos a Receita Federal. A rela- 30. O que é mercado primário e mercado secundá-
ção desses documentos pode ser encontrada na CNC. rio?

24. Quem compra moeda estrangeira fica obrigado a Diz-se que a operação é de mercado primário quando im-
viajar ao exterior? plicam na entrada ou na saída efetiva de divisas no País.
Esse é o caso das operações com exportadores, importado-
Não há menção específica da regulamentação a esse as- res, viajantes etc. De mercado secundário é aquela que não
sunto. No entanto, o pressuposto da norma é que a compra implica entrada e saída de divisas do País, como é o caso
tenha por fim custear viagem de turismo ao exterior, sendo das operações realizadas entre bancos no País. Nesse caso
ainda vedada a propriedade de moeda estrangeira como a moeda estrangeira simplesmente migra do ativo de um
forma de poupança. banco para o de outro e são denominadas operações inter-
bancárias.
25. Sou obrigado a vender a um banco brasileiro a
moeda estrangeira restante? 31. Qual éo papel do Banco Central no mercado de
câmbio?
A regulamentação em vigor não impõe tal condição, ca-
bendo ressaltar que é vedada a utilização de moeda estran- Por lei, compete ao Banco Central o monopólio sobre toda
geira como meio de pagamento ou reserva de valor no País, moeda estrangeira transacionada no mercado de câmbio. Na
devendo ser a mesma sempre negociada em instituição auto- prática, o Banco Central autoriza bancos e outras instituições
rizada. Cabe observar também a legislação fiscal aplicável, a operar nesse mercado e estabelece as regras a serem
que exige a declaração de eventuais valores da espécie. observadas por todos.

26. É possível ter conta em dólares no exterior? Além disso, compete ao BC fiscalizar esse mercado, po-
dendo punir dirigentes e instituições, mediante multas, sus-
A regulamentação brasileira não alcança o exterior, não pensões e outras sanções previstas em lei.
sendo possível, por conseqüência, a existência de norma Até janeiro de 1999, vigorava o regime de bandas cambiais
editada no País regulando tal evento, devendo, no entanto, em que o Banco Central estabelecia faixas de flutuação para
ser observada a legislação fiscal aplicável a tais situações. o dólar dos Estados Unidos. A partir daquele mês, por meio

Matemática Financeira 56 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
do Comunicado nº 6.565, o Banco Central permitiu ao merca- ou de convênio (usada entre países de moedas
do estabelecer livremente a taxa de câmbio, podendo, no inconversíveis ou sem reservas internacionais, geralmente
entanto, intervir de forma ocasional e limitada, objetivando tendo o dólar como valor de referência - chamando-se nesse
conter movimentos desordenados das taxas praticadas. caso de dólar-convênio).

32. Como o Banco Central fiscaliza o mercado de Arranjos de câmbio


câmbio?
Existe uma variedade bastante ampla de diferentes
O Banco Central monitora o mercado de câmbio diaria- arranjos de câmbio adotados pelos países ao longo da
mente, por amostragem, através da seleção de operações a história. Todos esses arranjos podem ser agrupados em dois
partir de todo o universo de instituições e negócios do dia. O segmentos básicos: regimes cambiais fixos ou flutuantes. A
BC atua também diretamente no controle cambial do comér- diferença básica entre esses dois regimes é que, enquanto
cio exterior, cobrando o ingresso da moeda estrangeira para no caso dos câmbios fixos a taxa de câmbio é definida pelas
os respectivos embarques de exportação e a comprovação autoridades monetárias nacionais, em câmbios flutuantes
da internação da mercadoria relativa aos pagamentos efetua- essa mesma taxa é formada no mercado cambial através dos
dos a título de importação. http://www.s.hayata.com.br/ movimentos de oferta e demanda por ativos em moeda
estrangeira.
TAXA DE CÂMBIO
É importante conhecer o conceito de mercado de câmbio
Taxa de câmbio é o preço de uma unidade monetária de e relembrar o de política cambial, também ligados ao câmbio:
uma moeda em unidades monetárias de outra moeda.
Mercado de câmbio é o ambiente (físico ou virtual, pois
A taxa de câmbio pode ser definida em termos diretos (ao as trocas de moeda podem ser feitas também por meio
incerto) ou em termos indiretos (ao certo). A taxa de câmbio eletrônico, sem a presença física dos participantes) onde se
está definida em termos diretos quando exprime o preço de realizam as operações de câmbio entre os agentes
uma unidade monetária estrangeira em unidades monetárias autorizados pelo Banco Central (bancos, corretoras e
de moeda nacional (exemplo: a taxa de câmbio USD/EUR distribuidoras) e entre esses e seus clientes.
está definida de forma direta para os habitantes da zona
euro; ou está definida de forma indireta para os habitantes Política cambial é o conjunto de medidas e ações do
dos EUA). governo que influem no comportamento do mercado de
câmbio e da taxa de câmbio.
A taxa de câmbio está definida de forma indireta quando
exprime o preço de uma unidade monetária de moeda Regimes Cambiais
nacional em unidades monetárias de moeda estrangeira
(exemplo: taxa de câmbio EUR/USD está definida em termos Fixos: valor de divisas pré-fixado pelo Banco Central por
indiretos para os habitantes da zona euro, pois exprime o tempo indeterminado. Essa medida geralmente é irrealista e
preço de 1 unidade monetária nacional, o euro, em unidades só possui chance de funcionar em países sem inflação.Há um
monetárias de moeda estrangeira, o dólar). tipo de fixação conhecida em inglês como dirty-floating na
qual não há pré-fixações mas intervenções sem mostrar ao
A taxa de câmbio reflete, assim, o custo de uma moeda mercado as metas cambiais da autoridade cambial. As
em relação a outra, dividindo-se em taxa de venda e taxa de autoridades brasileiras tentaram durante muitos anos, a partir
compra. Pensando sempre do ponto de vista do banco (ou de 1968, o sistema de minidesvalorização cambial (Crawling
outro agente autorizado a operar pelo Banco Central), a taxa peg), tentando frear a especulação no mercado de câmbio
de venda é o preço que o banco cobra para vender a moeda em função da aceleração da inflação que duraria até a
estrangeira (a um importador, por exemplo), enquanto a taxa década de 1990. A fixação usa indicadores de desvalorização
de compra reflete o preço que o banco aceita pagar pela cambial tais como o Índice Geral de Preços (IGP, Brasil) ou o
moeda estrangeira que lhe é ofertada (por um exportador, por Wholesale Price Index (Estados Unidos) para estabelecer os
exemplo). valores da taxa de câmbio. Outro indicador observado
informalmente durante muitos anos no Brasil foi o do
Portanto, o câmbio é uma das variáveis mais importantes chamado mercado paralelo (black)
da macroeconomia, sobretudo no que se refere ao comércio
internacional. Quando se deseja negociar ativos de um país Flexíveis ou Flutuantes: quando seu valor é determinado
para outro, quase invariavelmente temos de mudar a unidade no mercado de divisas através de interação das forças de
de conta do valor desses ativos – da moeda doméstica para a oferta e demanda. É chamado de "Câmbio Livre" ou clean
moeda estrangeira. Nesse sentido, pode-se definir a taxa de floating quando há plena liberdade de variação da taxa de
câmbio de um país como o número de unidades de moeda de câmbio, determinada pelas forças de mercado. Há paises que
um país necessário para se comprar uma unidade de moeda adotam ou adotaram a flutuação por faixas, um tipo de
de outro país. Em outras palavras, é o preço de uma moeda câmbio administrado (managed floating), quando a flutuação
em termos de outra. é livre dentro de uma faixa de valores (crawling band)
estabelecida. A adoção desse sistema entre países que
Divisas comercializam entre si visa impedir a overshooting-effect,
aceleração da flutuação cambial para beneficiar exportações
A moeda transacionada no mercado de câmbio é em detrimento das de outros países.
chamada de divisas, geralmente emitida por países de
economia forte como Estados Unidos ou da Comunidade Flutuação o valor da taxa de câmbio no mercado se
Européia. O FMI possui a sua própria divisa chamada de alterará à medida que haja mudança em outras variáves que
Direito Especial de Saque (DES). As moedas do ponto de influenciam a demanda e a oferta de divisas.
vista estritamente cambial são classificadas em
"conversíveis" (tipicamente são as divisas), inconversíveis A demanda por divisas é afetada, além da taxa de
(tais como as moedas dos paises sul-americanos) e escritural câmbio, pelas seguintes variáveis:

Matemática Financeira 57 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
(1) Nível do Produto Interno (Y) - é de se esperar que, Observe que no lado direito do sinal de igual há um fator
quanto maior Y, maior será a demanda por importações do comum, a variável C, que pode ser colocada
País e, portanto, a demanda por moeda estrangeira; em evidência,ficando a fórmula com o seguinte aspecto:
M = C ( 1 + in)
(2) Nível geral de Preços Interno (Pi) e Externo (Pe) -
coeteris paribus, caso Pi aumente, o preço real das Eis outra fórmula importante que você terá que memori-
importações em moeda nacional diminuirá e, portanto as zar: ela ensina a calcular diretamente o montante no regime
importações e a demanda por divisas serão de juros simples.
incentivadas; caso Pe aumente, o preço real das O fator (1 + in) é chamado de FATOR DE ACUMULAÇÃO
importações em moeda nacional se elevará e, portanto as DE CAPITAL para juros simples (também guarde isto).
importações e a demanda por divisas serão desestimuladas; Para calcular o montante a juros simples, basta multiplicar
o capital C pelo fator de acumulação de capital (1 + in).
(3) Taxas de Juros Interna (Ii) e Externa (Ie) - coeteris
paribus, caso Ii, se eleve, haverá um incentivo à entrada A título de curiosidade, podemos adiantar que também e-
líquida de capitais no País, pois ela se tornou mais atrativa xiste o fator de acumulação de capital para juros compos-
que a externa, logo a oferta de divisas no país aumenta, com tos,com uma estrutura parecida com a do fator dos juros
n
uma demanda constante; caso contrário, se Ie aumentar, simples: (1 + i) . A diferença, no caso, é que o n é um expo-
ocorrerá um estímulo á saída líquida de capitais para o ente. Mas para calcular o montante a juros compostos proce-
exterior, já que ela está mais alta que a interna logo a oferta demos da mesma maneira: multiplicamos o capital pelo res-
de divisas diminui, com uma demanda constante. pectivo fator de acumulação. Assim, no caso de juros com-
n
postos, a fórmula do montante é M = C (1 + i) .
(4) Produto Interno Bruto (PIB) É comum colocarmos um índice “n” nos juros e no mon-
tante para indicarmos que aqueles juros e aquele montante
TAXA DE JUROS estão sendo calculados até o enésimo período. Assim, po-
demos indicar as fórmulas anteriormente apresentadas com a
seguinte notação:
A TAXA DE JUROS nada mais é do que a porcentagem
do CAPITAL que será paga a título de JUROS, após um Jn = C.i.n
determinado período de tempo. Mn = C ( 1 + in)
Cálculo de Juros Simples Gostaríamos de chamar sua atenção para outro ponto im-
portante: você percebeu que na hora em que calcularmos o
Para chegarmos à fórmula de juros simples, vamos partir
juro total que a aplicação rendeu precisamos converter o
de um exemplo concreto. Suponha que você tenha aplicado o
prazo de 1 ano em doze meses?
capital inicial 600 (vamos ignorar a unidade monetária para
simplificar), à taxa de juros 5% a.m., durante o prazo de 1 Fizemos isto porque a periodicidade da tava era mensal e
ano. Quanto receberá de juro no resgate de aplicação? o prazo era anual. Sempre que o prazo de aplicação for for-
necido numa unidade de medida de tempo diferente da peri-
É fácil: se a taxa de juros é de 5% a.m. e o regime de ca-
odicidade da taxa de juros, você terá que convertê-lo para
pitalização é de juros simples, significa que por mês você
a mesma unidade , pois a letra n, nas fórmulas acima, repre-
receberá 5% do capital inicial a título de juros (lembre-se: o
senta o prazo de aplicação quando medido com a mesma
que caracteriza o regime de juros simples é fato de o juro
unidade de medida de tempo da taxa de juros. Em outras
ser sempre calculado sobre o capital inicial). Logo, em cada
palavras, n é o numero de períodos da taxa de juros contidos
mês você receberá 5% de 600, que é igual a 5/100 vezes
no prazo de aplicação.
600, que é igual a 3.000/100, que, por sua vez, é igual a 30.
Mais uma observação importante: no regime de capitali-
Se em um mês você ganha 30 de juro, quanto ganhará
zação a juros simples, os juros são incorporados ao capital
em um ano?
somente no final do prazo de aplicação e não no final de cada
Como um ano tem doze meses, você ganhará doze ve- período.
zes mais, ou seja: 12 x 30 = 360. No restante da aplicação,
você ficará com um montante de 960 (600 de capital inicial ANÁLISE DE INVESTIMENTOS.
mais 360 de juro).
Vamos fazer uma retrospectiva dos cálculos realizados. 1. INTRODUÇÃO
Como é que você fez para calcular os juros?
Inicialmente você pegou a taxa de juros (i) e multiplicou As soluções encontradas pela área econômico-
pelo capital (C); em seguida, multiplicou esse resultado pelo financeira, para fazer escolhas de alternativas que en-
número de períodos mensais contidos no prazo anual (n). volvem estudos econômicos, em geral, não analisam
Ora: essa é a formula de juros simples – para calcular juros adequadamente os custos envolvidos.
simples basta multiplicar a taxa de juros i pelo capital C e
pelo número de períodos n contidos no prazo de aplicação. Com um estudo econômico é possível verificar a vi-
Em linguagem algébrica, escrevemos que: abilidade de um projeto. Segundo Casarotto e Kopittke
J=C.i.n (1990, p.73), deve-se considerar a rentabilidade que o
Esta fórmula é importantíssima. Trate de memorizá-la. investimento trará, qual a disponibilidade de recursos
Vejamos agora como é que calculamos o montante: pe- para investir e quais fatores não conversíveis em di-
gamos o capital inicial e somamos com o juro, isto é: nheiro estão envolvidos na decisão da implantação de
um projeto. Ou seja, é importante considerar fatores
M=C+J
como restrições ou mesmo políticas gerais da empresa.
Uma vez que J = C.i.n, podemos escrever que
M = C + C.i.n O método determinístico de análise de investimen-
tos, considera o aspecto financeiro com técnicas de
análise econômica, apresentando assim uma base para

Matemática Financeira 58 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
a tomada decisória. Theotônio et al (2001, p.106), afir- ganhos num determinado horizonte de análise” (CA-
mam que essa decisão precisa ter respaldo de uma SAROTTO E KOPITTKE, 1990).
ferramenta que dê segurança para que a empresa ob-
tenha o melhor resultado dela. E esses métodos quanti- 2.1. MÉTODO DO VALOR ANUAL UNIFORME
tativos de análise de investimento trazem contribuições EQUIVALENTE
consideráveis para esse processo.
Nesse método há uma padronização dos resultados
2. ANÁLISE DE INVESTIMENTOS em investimentos para valores anuais, pois os tornam
mais fáceis de analisar. Sendo usado principalmente
Para esse estudo, alguns princípios devem ser con- em análise de investimentos que se repitam. Casarotto
siderados, Casarotto e Kopittke, (1990, p.74) nos expli- e Kopittke, (1990, p.90) falam que esse método é muito
cam que os juros são sempre considerados sobre o utilizado na determinação da vida econômica de equi-
capital empregado, de forma que um projeto seja utili- pamentos e veículos.
zado da forma mais rendosa; o passado não é conside-
rado, ou seja, o que importa é o valor de mercado do Sobre esse método, Theotônio et al (2001, p.107),
bem e não o gasto que se teve com ele; só as diferen- explicam que “consiste em achar a série uniforme anual
ças entre uma alternativa e outra importa, pois, o que (A) equivalente os fluxos de caixa dos investimentos à
for igual é relevante; os investimentos devem ser base- TMA, ou seja, acha-se a série uniforme equivalente a
ados no que se tem e não no que ainda teria que con- todos os custos e receitas para cada projeto, a escolha
seguir para investir; as alternativas devem ser expres- será para a alternativa que apresentar maior VAUE.”
sas em dinheiro.
Vejamos esse exemplo, explicado por Casarotto e
È importante também, que fique claro, alguns con- Kopittke (1990, p.84 a 86).
ceitos utilizados no estudo:
Uma empresa dispõe de UM 18.000 e conta com
Convenção do Custo Anual – as despesas são con- duas alternativas de investimento em um tipo de equi-
sideradas no final do ano; pamento industrial:

Vida Útil – a viabilidade econômica de um carro, por - Equipamento de Marca A: Exige um investimento
exemplo, é de 05 anos, mas isso não significa que ele inicial de UM 14.000 e proporciona um saldo líquido
não possa mais ser utilizado; anual de UM 5.000, por 07 anos.

Valor Residual – é o valor pelo qual um bem pode - Equipamento de Marca B: Investimento inicial de
ser vendido ao término de sua vida útil, mas podem UM 18.000 e saldo líquido de UM 6.500, por 07 anos.
ocorrer valores residuais negativos, como no caso de
os custos da remoção de um bem sejam maiores que o Calcule qual a alternativa mais econômica, sabendo
valor residual do mesmo; que a Taxa Mínima de Atratividade da empresa é de
30% ao ano.
Custo Inicial – inclui desde o valor de venda até as
despesas que se tenha com o bem para que ele come- Solução:
ce a produzir;
Fluxo de Caixa das alternativas de investimentos:
Debêntures – títulos privados passíveis ou não de
conversão em ações.

Theotônio et al, (2001, p.106), dizem que “A etapa


de avaliação e comparação das alternativas constitui
um ponto de grande importância, já que dependendo
deste estágio é que o investimento será efetivado ou
não.” Por isso deve-se saber antecipadamente qual
modelo será utilizado.

Inserem-se nos métodos básicos da análise de in-


vestimento, o Método do Valor Anual Uniforme Equiva-
lente (VAUE), o Método do Valor Presente (VP) e o
Método da Taxa Interna de Retorno (TIR), Casarotto e
Kopittke (1990, p.78) dizem que “... Pelo conceito de
equivalência (...) deve haver uma taxa tal que torne
equivalente o investimento feito e a sua recuperação. E
é esta taxa que determina o custo do capital investido a
ser lançado como despesa.”

Essa nova posição de pensamento traduz a idéia


antiga de se conseguir lucros imediatos para “máximos

Matemática Financeira 59 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
nativa B é de 0,424% do investimento. Isto significa que
na prática, as duas alternativas são equivalentes, pois
a própria sistemática de projeção dos saldos anuais já
pode trazer erros superiores aos percentuais relaciona-
dos. Numa situação destas, outros fatores não ponde-
ráveis ou de risco poderiam determinar a escolha.

Taxa Mínima de Atratividade (TMA).

Ao se analisar uma proposta de investimento deve


ser considerado o fato de se estar perdendo a oportu-
nidade de auferir retornos pela aplicação do mesmo
capital em outros projetos. A nova proposta para ser
Vê-se, portanto que: atrativa deve render, no mínimo, a taxa de juros equiva-
lente à rentabilidade das aplicações correntes e de
- Alternativa A: pouco risco. Esta é, portanto, a taxa mínima de atrativi-
dade (TMA).
Considerando-se negativos os desembolsos de di-
nheiro e positivas as entradas, o valor anual uniforme 2.2. MÉTODO DO VALOR PRESENTE (VP)
equivalente da alternativa A é:
É utilizado em analise de investimento de curto pra-
VAUE a = - 14.000 (A/P; 0,3; 7) + 5.000 zo ou com números menores de períodos. Esse méto-
do procura analisar investimentos isolados. Conforme
VAUE a = - 4.996,2309 + 5.000 = 3,7691 Casarotto e Kopittke (1990, p.90), o cálculo agora deve
ser feito pelo valor presente dos fluxos de caixa para
O cálculo do VAUE consiste em determinar o que então somá-los ao que foi investido inicialmente em
renderia o capital empregado à taxa mínima de atrativi- cada alternativa. Devendo por fim, escolher a alternati-
dade e subtrair este valor, no caso 4.996,2309, dos va que tiver melhor valor presente.
saldos líquidos anuais. A alternativa A é, pois economi-
camente viável, pois o capital empregado rende 30% Utiliza-se a TMA para trazer o fluxo ao valor presen-
a.a. mais um saldo líquido anual de UM 3,7691. te.

- Alternativa B: Assim esclarecem Theotônio et al (2001, p.107),


“objetiva calcular o valor presente de todos os termos
VAUE b = - 18.000 (A/P; 0,3; 7) + 6.500 do fluxo de caixa, descontados à Taxa mínima de atra-
tividade (TMA), o rendimento mínimo exigido pelo in-
VAUE b = 76,2745 vestidor. Escolhe-se a alternativa que apresentar me-
lhor valor presente.”
A alternativa B é mais viável do que a alternativa A,
pois apresenta um VAUE maior. Nesse exemplo de investimento, podemos compre-
ender melhor o que nos explicam Casarotto e Kopittke,
Três considerações importantes merecem ser feitas: (1990, p.91):

Entre as alternativas A e B existe uma diferença de Uma empresa de participações dispõe de UM 150
UM 4.000. Se a empresa optasse por A, ela ainda dis- mil, e conta com duas oportunidades para investir além
poria de UM 4.000, que se suporia, ela aplicasse à de deixar os seus recursos aplicados em debêntures.
TMA. Ocorreria um fluxo de caixa incremental; As debêntures estão rendendo 10% ao mês e a empre-
sa considera esta a sua TMA.

Que evidentemente possui um valor nulo.

O VAUE da alternativa A é extremamente baixo pois


representa 0,027% do investimento. O VAUE da alter-

Matemática Financeira 60 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
s duas oportunidades de investimento são lotes dis- Uma empresa cuja TMA é de 6% ao ano dispõe de
poníveis de diversos títulos bancários que deverão duas alternativas para introduzir uma linha de fabrica-
apresentar um rendimento médio da seguinte forma: ção para um dos componentes de seu principal produ-
to. A alternativa A é para um processo automatizado
que exigirá um investimento de UM 20.000 mil e propi-
ciará saldos anuais de UM 3.116 mil durante 10 anos.
A alternativa B é para um processo semi-automatizado,
com investimento mais baixo (UM 10.000), mas, devido
ao uso mais intenso de mão-de-obra, propiciará um
saldo anual de UM 1.628 mil, também durante 10 anos.
Qual a melhor alternativa?

Solução (em UM mil):

O que deve a empresa fazer?

Solução:

Alternativa A (aplicar os UM 150 mil em títulos da


Corretora A):

VP = 73 x (P/A; 10%; 3) – 150 = 31.55

Alternativa B (aplicar UM 130 mil em títulos da cor-


retora B e deixar UM 20 mil à TMA):

VP = 52 x (P/A; 10%; 3) – 130 = - 0,68

Alternativa C (deixar UM 150 mil à TMA nas debên-


tures)

VP = 0

Neste caso a alternativa A é a mais vantajosa, pois


oferece o maior valor presente. A Alternativa B ainda é
uma opção pior do que a de deixar os recursos à TMA.

2.3. MÉTODO DA TAXA INTERNA DE RETORNO As duas alternativas apresentam TIR maior que a
TMA e, portanto, ambas seriam atrativas para a empre-
O método da taxa interna de retorno consiste em sa. A alternativa “B” apresenta taxa melhor, porém, só
zerar o valor presente dos fluxos de caixa das alternati- será possível tomar uma decisão após conhecer o que
vas, encontrando para tal uma taxa que o faça. Se a será feito com a diferença dos investimentos e o que
TIR for maior que a TMA, o investimento pode ser ana- será feito com as parcelas que retornarão do primeiro
lisado. ao décimo ano. É o problema do reinvestimento!

Mais uma vez, Casarotto e Kopittke (1990, p.99), Há ainda, o Método não exato, porém esse método
nos esclarecem que “A utilização prática do método da não é recomendado quando o projeto tiver um grande
TIR se dá normalmente em projetos de implantação ou número de períodos; visto que não considera a vida útil
expansão industrial como comparação com os índices do investimento.
normais do setor a que o projeto se referir. ...”
2.4. MÉTODOS NÃO EXATOS
E por sua vez, Theotônio et al (2001, p.107), diz que
o método da taxa interna de retorno “consiste em achar Nos alerta para esse método, Casarotto e Kopittke
a taxa de rendimento de uma dada alternativa de inves- (1990, p.99), dizendo que o seu defeito mais sério ocor-
timento.” re por não considerar o conceito de equivalência fa-
zendo com que dois fluxos diferentes possuam o mes-
Vejamos mais esse exemplo de Casarotto e Kopitt- mo Pay-Back Time. Exemplificam da seguinte maneira
ke (1990, p.95): esse método:

Matemática Financeira 61 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Este valor uniforme anual equivalen-
te ( VAUE ) determina o quanto este investimento lu-
craria, anualmente, a mais que a respectiva aplicação
financeira.

Se o VAUE for positivo, este investimento é recomen-


dado economicamente. Entre dois ou mais investimen-
to, seria recomendado o investimento que resultar no
maior VAUE.

Duração diferente

Algo interessante acontece se os investimentos tive-


rem durações distintas. Temos duas situações:

1) PROCESSO REPETITIVO
Pay-Back Time = 3 anos
Nestes casos (como reposição periódica de certa parte
Fica evidente que o fluxo B é mais atrativo. de um equipamento), a princípio poderíamos repeti-los
até atingir uma duração igual ao mmc das durações e
Segundo Theotônio et al (2001, p.107), esse méto- então teríamos investimentos de mesma duração, com
do “consiste em encontrar o prazo de retorno do inves- várias saídas e entradas.
timento considerando as receitas líquidas esperadas ao
longo da vida útil da alternativa do investimento.” O VAUE correspondente a cada investimento será o
resultado da série uniforme equivalente à(s) repeti-
Esclarecem-nos Theotônio et al (2001, p.107), que: ção(ões).

Os métodos determinísticos são uma importante MAS, como o que interessa é o resultado anual (que
contribuição da engenharia econômica para o processo será "pra sempre"), basta calcular o VAUE simples.
de tomada de decisão. Sua lógica é baseada na Teoria
Keynesiana, onde o investimento é função da eficiência 2) PROCESSO NÃO REPETITIVO
marginal do capital e da margem de juros de curto pra-
zo. O critério levado em conta é a lucratividade do in- Nestes casos, não vale a comparação de VAUE(A)
vestimento em questão. durante n anos com VAUE(B) durante m anos,
se n e m forem diferentes.
3. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Devemos achar, em cada investimento, uma série uni-
forme de mesma duração.
Ao fazer um novo investimento, seja comprando e-
quipamentos ou alugando, uma empresa deve analisar Exemplos
a viabilidade do mesmo. Assim, precisa-se definir qual
o objetivo dessa análise. 1) A empresa dispõe de R$ 180.000,00 e se apresentam
dois equipamentos parecidos para comprar um:
Utilizando os Métodos Determinísticos de Análise de
Investimentos, pode-se interpretar os dados de forma a Marca A) Exigem um investimento inicial (compra e
tomar decisões mais adequadas quanto ao investimen- instalação) de R$ 140.000,00, e proporciona um lucro
to mais viável. Dentre os métodos analisados, o VAUE líquido anual de R$ 50.000,00, durante 7 anos.
mostra-se o mais palpável para uma tomada de deci-
são, visto que, traduz em série uniforme equivalente, os
custos e receitas para cada projeto, utilizando-se a
Taxa Mínima de Atratividade. Sendo assim, o projeto
com maior saldo positivo é o mais viável.
Considera-se também que numa empresa, os resul-
tados utilizados são apurados com padrões anuais;
portanto, esse método torna-se mais recomendado.
Porém, é importante definir a natureza do investimento
que se pretende, pois todos os métodos têm sua confi-
abilidade e atendem ao que se propõem. Débora Ramos

MÉTODO DO VALOR ANUAL


O que é?

Consiste em achar uma série uniforme anual equivalen- Marca B) Exigem um investimento inicial (compra e
te (pela TMA) ao fluxo de caixa do investimento. instalação) de R$ 180.000,00, e proporciona um lucro
líquido anual de R$ 65.000,00, durante 7 anos.

Matemática Financeira 62 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Calcule a melhor alternativa, sob uma TMA da empresa
de 30% a.a.

Solução:

VAUE( A) = -140.000,00.[A/P ; 30 ; 7] + 50.000,00


VAUE( A) = -140.000,00.[0,356874] + 50.000,00 = 37,69
Agora, temos dois investimentos com a mesma dura-
VAUE(B) = -180.000,00.[A/P ; 30 ; 7] + 65.000,00 ção:
VAUE(B) = -180.000,00.[0,356874] + 65.000,00 = 762,75
A) Investimento inicial de R$ 11.800,00 e lucro líquido
Resposta: A alternativa B é a recomendada economi-
anual de R$ 6.280,97, durante 3 anos;
camente: dará lucro anual de R$ 762,75 por 7 anos.
B) Investimento inicial de R$ 12.000,00 e lucro líquido
2) Idem 1), se a empresa só dispuser de R$ anual de R$ 6.400,00, durante 3 anos,
160.000,00, mas poderá tomar emprestado R$
20.000,00, e pagar depois de um ano, sob a taxa de e podem ser analisados com em 1):
juros de 40%.
VAUE( A) = -11.800,00.[A/P ; 10 ; 3] + 6.280,97
Solução: A alternativa A continua com a mesma análi- VAUE( A) = -11.800,00.[0,4021148] + 6.280,97 = 1.536,01
se, enquanto que a B fica com duas saídas no seu
VAUE(B) = -12.000,00.[A/P ; 10 ; 3] + 6.400,00
fluxo de caixa, uma inicial de R$ 160.000,00 e outra, no
VAUE(B) = -12.000,00.[0,4021148] + 6.400,00 = 1.574,62
primeiro ano de R$ 20.000,00(1,40) = R$ 28.000,00, que
equivale a R$ 28.000/1,30 = R$ 21.538,46 também no Resposta: A alternativa B é a recomendada economi-
início. camente: lucro anual de R$ 1.574,62 por 3 anos.

Observações:

Se a questão 3) fosse considerada como investimen-


tos repetidos, então seria mais fácil:

VAUE( A) = - 11.800,00.[A/P ; 10 ; 2] + 9.000,00 =


2.200,95
VAUE(B) = - (160.000,00+21.538,46) .[A/P ; 30 ; 7] VAUE(B) = - 12.000,00.[A/P ; 10 ; 3] + 6.400,00 = 1.574,62
+ 65.000,00 Neste caso, a proposta A seria a recomendada econo-
micamente: lucro anual de R$ 2.200,95
VAUE(B) = - 181.538,46) .[0,356874] + 65.000,00
= 213,71 Poderíamos, na solução de 3A) (com investimen-
to não repetido) somar o VP = +R$ 15.619,83 ao inves-
Resposta: A alternativa B ainda continua recomendada timento inicial de - R$ 11.800,00 para obter o total inicial
economicamente. de +R$ 3.819,83, que corresponderia à série de
por 3 anos de
3) Qual destes investimentos (A ou B) é economica- A = R$ 3.819,83 [A/P ; 10 ; 3] = R$ 1.536,01 = VAUE( A)
mente melhor para uma empresa ? = 1.536,01
(Considere investimentos únicos, sem repetição com
TMA = 10% a.a) Na verdade, esta foi quase uma aplicação do Método
A) Investimento inicial de R$ 11.800,00 e lucro líquido do Valor Presente, algumas vezes mais aplicável.
anual de R$ 9.000,00, durante 2 anos. http://miltonborba.org/MAT/VAUE.htm
B) Investimento inicial de R$ 12.000,00 e lucro líquido
anual de R$ 6.400,00, durante 3 anos.
MÉTODO DO VALOR PRESENTE
Solução: Lucro anual de R$ 9.000,00, duran-
te 2 anos ==> VP = R$ 9.000,00 [P/A ; 10 ; 2] = R$ O que é?
15.619,83
Este VP equivale a uma série por 3 anos de: Consiste em calcular o valor presente dos fluxos de
A = R$ 15.61,.83 [A/P ; 10 ; 3] = R$ 6.280,97 cada investimento, usando, como taxa de juros, a TMA
(Taxa Mínima de Atratividade) do investidor.

Duração diferente

Os investimentos com durações distintas devem ser


estudados adequadamente, nas duas situações:

1) PROCESSO REPETITIVO

Matemática Financeira 63 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Nestes casos (como reposição periódica de certa parte
de um equipamento) devemos repeti-los até atingir
uma duração igual ao mmc das durações e então tere-
mos investimentos de mesma duração, com várias
saídas e entradas.

O VP correspondente a cada investimento será o resul-


tado do Valor Presente equivalente à(s) repetição(ões).
VP(B) = - (160.000,00+21.538,46) + 65.000,00 [P/A
; 30 ; 7] = 598,84
2) PROCESSO NÃO REPETITIVO
Resposta: A alternativa B ainda é a recomendada.
Nestes casos, apenas calculamos o VP de cada inves-
Lucro de R$ 598,84 a Valor Presente
timento original.
3) Qual destes investimentos (A ou B) é economica-
Exemplos
mente melhor para uma empresa ?
(Considere investimentos únicos, sem repetição com
1) A empresa dispõe de R$ 180.000,00 e se apresen-
TMA = 10% a.a)
tam dois equipamentos parecidos para comprar um:
A) Investimento inicial de R$ 11.800,00 e lucro líquido
anual de R$ 9.000,00, durante 2 anos.
Marca A) Exigem um investimento inicial (compra e
B) Investimento inicial de R$ 12.000,00 e lucro líquido
instalação) de R$ 140.000,00, e proporciona um lucro
anual de R$ 6.400,00, durante 3 anos.
líquido anual de R$ 50.000,00, durante 7 anos.

Solução:

Marca B) Exigem um investimento inicial (compra e VP( A) = -11.800,00 + 9.000,00 [ P/A ; 10 ; 2 ] =


instalação) de R$ 180.000,00, e proporciona um lucro 3.819,83
líquido anual de R$ 65.000,00, durante 7anos. VP(B) = -12.000,00 + 6.400,00 [ P/A ; 10 ;
3 ] = 3.915,85
Calcule a melhor alternativa, sob uma TMA da empresa
de 30% a.a. Resposta: A alternativa B é a recomendada economi-
camente. Lucro de R$ 3.915,85 a Valor Presente
Solução: VP( A) = -140.000,00 + 50.000,00 [ P/A ; 30 ;
7 ] = 105,61 Observação: Se a questão 3) fosse considerada como
VP(B) = -180.000,00 + 65.000,00 [ P/A ; 30 ; investimentos repetidos:
7 ] = 2.137,30
Solução: VP1( A) = -11.800,00 + 9.000,00 [ P/A ; 10 ;
Resposta: A alternativa B é a recomendada economi- 2 ] = 3.819,83, por 3 vezes, a cada 2 anos.
camente. Lucro de R$ 2.137,30 a Valor Presente VP1(B) = -12.000,00 + 6.400,00 [ P/A ; 10 ;
3 ] = 3.915,85, por 2 vezes, a cada 3 anos.
2) Idem 1), se a empresa só dispuser de R$
160.000,00, mas poderá tomar emprestado R$
20.000,00, e pagar depois de um ano, sob a taxa de
juros de 40%.

Solução: A alternativa A continua com a mesma análi-


se, enquanto que a B fica com duas saídas no seu
fluxo de caixa, uma inicial de R$ 160.000,00 e outra, no
primeiro ano de R$ 20.000,00(1,40) = R$
28.000,00, que equivale a R$ 28.000/1,30 = R$
21.538,46 também no início.

Matemática Financeira 64 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
Investimento Incremental

Sempre estaremos supondo que ao escolher uma al-


ternativa, a diferença entre a outra não escolhi-
da, deverá ser aplicada à uma taxa de, no mínimo,
igual à TMA, que é a melhor opção do investidor.
Este investimento é o que chamamos de Incremental.

Exemplos

1) A empresa dispõe de R$ 180.000,00 e se apresen-


tam dois equipamentos parecidos para comprar um:
A taxa de 10% a.a. corresponde a 21% a. biênio
e 33,1% ao triênio. Marca A) Exigem um investimento inicial (compra e
VP( A) = 3.819,83+ 3.819,83 [ P/A ; 21 ; 2 ] = 9.581,71 instalação) de R$ 140.000,00, e proporciona um lucro
VP(B) = 3.915,85+ 3.915,85 [ P/A ; 33,1 ; líquido anual de R$ 50.000,00, durante 7 anos.
1 ] = 6.857,89
A proposta A seria a recomendada economicamen-
te. Lucro de R$ 6.857,89 (em 6 anos) a Valor Presente
http://miltonborba.org/MAT/VAUE.htm

MÉTODO DA TAXA INTERNA DE RETORNO

O que é?

Consiste em calcular a Taxa Interna de Retorno (TIR) ,


necessária para "zerar" o Valor Presente dos fluxos de
cada investimento. Esta é a taxa de juros obtida no
investimento.

Um investimento será considerado recomendado, se


tiver uma TIR não inferior à TMA.
Marca B) Exigem um investimento inicial (compra e
instalação) de R$ 180.000,00, e proporciona um lucro
Duração diferente líquido anual de R$ 65.000,00, durante 7anos.
Os investimentos com durações distintas devem ser Calcule a melhor alternativa, sob uma TMA da empresa
estudados adequadamente, nas duas situações: de 30% a.a.
1) PROCESSO REPETITIVO
Solução:
TIR(A) ==> -140.000,00 + 50.000,00 [P/A ; i( A) ; 7]
Nestes casos (como reposição periódica de certa parte = 0 ==> [P/A] = 2,800000 ==>TIR(A) =30,03 % a.a
de um equipamento) devemos repeti-los até atingir TIR(B) ==> -180.000,00 + 65.000,00 [P/A
uma duração igual ao mmc das durações e então tere- ; i(B) ; 7] = 0 ==>[P/A] = 2,769231 ==>TIR(B) = 30,51
mos investimentos de mesma duração, com várias % a.a
saídas e entradas. TIR(B - A) ==> -40.000,00 + 15.000,00 [P/A ; i ; 7]
= 0 ==>[P/A] = 2,666667 ==>TIR(B - A) = 32,18 % a.a
A TIR correspondente a cada investimento será a taxa
equivalente à(s) repetição(ões). Assim, se optássemos por A, o resto (em relação
ao B), deveria ser aplicado a 32,18% a.a. para que o
2) PROCESSO NÃO REPETITIVO investimento A fosse comparável ao B.
Como o investidor não tem esta possibilidade (sua TMA
Nestes casos, pode ficar difícil decidir qual é a me- = 30%a.a.), deve-se aplicar em B.
lhor duas situações:
Este fato pode ser observado no gráfico abaixo, onde
ter lucro de i % a.a. durante n anos; aparecem os VP, as TIR e a TMA.

ter lucro de j % a.a. durante m anos,

principalmente quando j < i enquanto m > n.

Uma análise mais detalhada, é recomendada, nestes


casos.

Matemática Financeira 65 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

Observação: E se a questão 3) fosse considerada


como investimentos repetidos ?

Interseção de FISCHER

Resposta: A alternativa B é a recomendada economi-


camente. Obtém lucro de 30,51 % a.a

2) Idem 1), se a empresa só dispuser de R$


AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVA DE INVESTI-
160.000,00, mas poderá tomar emprestado R$
20.000,00, e pagar depois de um ano, sob a taxa de
MENTO I
juros de 40%.
Toda e qualquer instituição tem como propósito cres-
Solução: A alternativa A continua com a mesma análi- cer, ampliar seu raio de ação ou conquistar novos es-
se, enquanto que a B fica com duas saídas no seu paços. Para tanto necessita de investimentos, realizar
fluxo de caixa, uma inicial de R$160.000,00 e outra, no ações que possibilite o crescimento. Mas como investir
primeiro ano de R$20.000,00(1,40) = R$28.000,00, que no mundo de incertezas e flutuações? São perguntas
equivale a R$28.000/1,30 = R$21.538,46 também no que necessitam de respostas precisas, pois nenhum
início. centavo investido pode ser perdido, é a lógica da soci-
edade capitalista e do mundo empresarial.

Mas o que se entende por investimento? Muitos consi-


deram as aplicações financeiras como tal, outros não,
consideram, as aplicações financeiras como apenas
uma forma de poupança. Para os objetivos deste nosso
estudo adotaremos como investimento, toda e qualquer
ação da empresa que eleve sua capacidade produtiva.
TIR(B) ==> -160.000,00 - Desde a aquisição de novos equipamentos até um
28.000,00/[1+i(B)] + 65.000,00 [P/A ; i(B) ; 7] treinamento de pessoal, consideramos como alternati-
= 0 ==> TIR(B) = 30,15 % a.a vas de investimento.
TIR(B - A) ==> -20.000,0020.000,00 -
28.000,00/[1+i(B)] + 15.000,00 [P/A ; i ; 7] TIPOS DE INVESTIMENTO.
= 0 ==> TIR(B - A) = 30,62 % a.a
-Compra de novos equipamentos.
3) Qual destes investimentos (A ou B) é economica- -Substituição de um equipamento por outro.
mente melhor para uma empresa ? -Campanha publicitária.
(Considere investimentos únicos, sem repetição com -Informatização do controle de produção.
TMA = 10% a.a) -Compra de patente sobre processo de produção.
A) Investimento inicial de R$ 11.800,00 e lucro líquido -Construção de uma nova fabrica.
anual de R$ 9.000,00, durante 2 anos. -Lançamento de novos produtos.
B) Investimento inicial de R$ 12.000,00 e lucro líquido -Ampliação de unidade de produção.
anual de R$ 6.400,00, durante 3 anos. -Implantação de programa de qualidade.
-Treinamento de pessoal.

Cada decisão de investimento deve ser acompanhada


por um projeto especifico, definindo todos os passos
para implantação. O primeiro passo e mais importante,
pois tem a finalidade de quantificar as necessidades de
recursos, é a elaboração do fluxo de caixa, a determi-
nação das entradas e saídas de recursos do projeto.
Esta etapa é decisiva, pois uma projeção errada da
Matemática Financeira 66 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
entrada ou saída dos recursos, altera definitivamente a dos outros produtos.
analise do projeto.
RECEITAS
MONTAGEM DO FLUXO DE CAIXA.
Primeiro ano R$ 190.000,00
Na projeção do fluxo de caixa, deve-se considerar ape- Segundo ano R$ 230.000,00
nas as entradas e saídas de recursos relacionados Terceiro ano R$ 350.000,00
especificamente com o projeto em observação, não Quarto ano R$ 270.000,00
podendo de forma alguma computar valores relaciona- Quinto ano R$ 220.000,00
dos com outros projetos, isto alteraria positivamente ou
negativamente as entradas ou saídas. OBS. Supõe-se que ao final do quinto ano, quando
terminara a vida útil do produto, restara uma receita
As entradas e saídas não devem corresponder especi- residual de R$ 85.000,00.
ficamente com os valores contábeis, muitos destes
valores são apenas registros e não entrada ou saída de MONTAGEM DO FLUXO DE CAIXA.
recursos.
Primeiro passo.
O resultado por período deve ser considerado após o Identificação das despesas e receitas do projeto.
calculo do Imposto de Renda, pois o mesmo representa
uma saída de recursos. DESPESAS.
Não se deve considerar as despesas financeiras, 1.Despesas de investimento.
como pagamento de juros. Tais despesas são Compra de equipamentos R$ 200.000,00
opcionais e não estão diretamente relacionadas Investimento em contas a R$ 25.000,00
como o projeto, a opção de financiamento é uma receber
decisão pessoal e não uma necessidade do proje-
to. 2.Despesas operacionais.
Custos dos produtos ven- R$
TIPOS DE FLUXO DE CAIXA. didos 150.000,00
Despesas administrativas. R$ 15.000,00
Despesas de investimento. Compreende os gastos que Redução da margem. R$ 5.000,00
serão incorporados ao ativo fixo da empre-
sa.(maquinas, equipamentos e etc.).
Despesas operacionais. Custos necessários ao funcio- RECEITAS
namento normal do que esteja previsto no projeto em
cada período. Primeiro ano R$ 190.000,00
Receitas Operacionais. Decorrentes das vendas de Segundo ano R$ 230.000,00
produtos ou serviços, da execução do projeto. Terceiro ano R$ 350.000,00
Receitas eventuais. Possível liquidação do investimen- Quarto ano R$ 270.000,00
to, ou seja, valor residual. Quinto ano R$ 220.000,00
Valor Residual R$ 85.000,00
EXEMPLO DE PROJETO.

Uma empresa do ramo de calçados, resolve lançar um FLUXO DE CAIXA


novo produto no mercado. Caso isto ocorra o novo ANO1 ANO 2 ANO 3 ANO 4 ANO 5
produto terá vida útil de 5 anos, após o que será retira- Receita de 190.000 230.000 350.000 270.000 220.000
do de produção. vendas
Custos dos 150.000 150.000 150.000 150.000 150.000
produtos
EFEITOS ORIGINADOS PELO LANÇAMENTO DO vendidos
NOVO PRODUTO. Despesas 15.000 15.000 15.000 15.000 15.000
administrativas
Redução da 5.000 5.000 5.000 5.000 5.000
DESPESAS margem
Lucro Liquido 20.000 60.000 180.000 100.000 50.000
Elevação nos custos dos produtos R$ Antes do I.R.
vendidos pela empresa, incluindo de- 150.000,00 Imposto de 7.000 21.000 63.000 35.000 17.500
preciação de R$ 20.000,00 Renda
Lucro liquido 13.000 39.000 117.000 65.000 32.500
Despesas administrativas, incluindo R$ 30.000,00 depois do
atribuição de R$ 15.000,00 de outros Imposto de
renda
produtos vendidos pela empresa e Depreciação 20.000 20.000 20.000 20.000 20.000
demais departamentos já existentes. Entrada 33.000 59.000 137.000 85.000 52.500
Compra de maquinas e equipamentos R$ Liquida

200.000,00
Investimento adicional em contas a R$ 25.000,00
receber 0 1 2 3 4 5
Redução da margem de contribuição R$ 5.000,00

Matemática Financeira 67 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
-------------------------------------------------------------------------- T.M.R 0,4013 ( 40.13%)
---
(225.000) 33.000 59.000 137.000 85.000 137.500
3- O VALOR PRESENTE LIQUIDO - VPL

MÉTODOS DE ANALISE V.P.L. = V.P.E – V.P.S.


V.P.E. = Valor Presente das Entradas
PAY-BACK. Período de recuperação do Investimento. V.P.S. = Valor Presente das Saídas.
T.M.R. Taxa Média de Retorno. n
Valor Presente Liquido. V.P. = V.F./ (1 + i )
Taxa Interna de Retorno.
Índice de Rentabilidade. V.P.E. = VP1 + VP2 + VP 3 + VP4 + VP5
n
Métodos de Fluxo de Caixa Descontado. 3, 4 e 5. VP1 = VF1/(1+ i)
Métodos de Fluxo de Caixa Não Descontado. 1 e 2. VP1 = 33.000 / 1.10 = 30.000
Seguindo este modelo teremos:
PAYBACK - Período de recuperação do investimento. Vp2 = 48.760,33
VP3 = 102.930,12
É talvez o método mais simples e fácil de avaliação, é VP4 = 58.060,10
definido como sendo o numero de meses ou anos em VP5 = 85.350,71
que o investimento inicial é recuperado. Em termos
técnicos, é o espaço de tempo em que o fluxo de caixa VPE = 325.123.28
acumulado torna-se positivo. Embora seja um método VPS = 225.000,00
pratico e fácil, tem como deficiência, não levar em con- VPL = 100.123.28
sideração o valor do dinheiro ao longo do tempo, sendo
desta forma um método de fluxo não descontado. A TAXA INTERNA DE RETORNO.
É a taxa que igual a o VPE ao VPS, tornando o VPL
Período Fluxo de Caixa no Fluxos Acumulados igual a zero.
Período Por tentativa já que, a uma taxa de 10%, encontramos
0 -225.000,00 -225.000,00 um VPL = 100.123.28, utilizando taxas maiores chega-
1 +33.000,00 -192.000,00 remos a 23.07%, como sendo a taxa em que o VPE =
2 +59.000,00 -133.000,00 VPS.
3 +137.000,00 +4.000,00 Esta taxa deverá ser confrontada ao custo de capital da
4 +85.000,00 +89.000,00
empresa, o projeto deverá ser aceito, enquanto a TIR
5 +137.500,00 +226.500,00
superar o custo de capital.
Podemos observar que a recuperação do investimento
ÍNDICE DE RENTABILIDADE. Serve como compara-
inicial, se dá no terceiro ano, mas em mês deste ano?
ção entre o VPE e o VPS.
O período exato pode ser calculado da seguinte forma:
I.R.= V.P.E / V.P.S.
Período = Fluxo acumulado anterior ao período que
images.caade.multiply.multiplycontent.com/.../ ...
ocorre a recuperação x 12 / Fluxo de caixa do período
que ocorre a recuperação.
AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS DE INVESTI-
Período = 133.000,00 x 12 / 137.000,00 = 11,64. MENTO
o
Desta forma a recuperação se dá no 11 mês do tercei-
ro ano e o Payback em dois anos e onze meses. Engenharia econômica é o estudo dos métodos e
técnicas usados para a análise econômico-financeira
Payback = 2.11 de investimentos. Esses métodos e técnicas devem ser
baseados cientificamente e encontram na matemática
2- A TAXA MÉDIA DE RETORNO - T.M.R. financeira as suas justificativas. A necessidade de ana-
lisar investimentos propõe os problemas, a engenharia
Este método também não leva em consideração o valor econômica apresenta as técnicas de solução e a ma-
do dinheiro ao longo do tempo, fornece a recuperação temática financeira justifica essas técnicas.
média do capital investido.
A análise de investimentos compreende não apenas
Etapas da T.M.R. as alternativas entre dois ou mais investimentos para
Determinação do fluxo liquido médio, dividindo-se o escolha do melhor, mas também a análise de um único
fluxo liquido total pelo numero de períodos; investimento com a finalidade de se julgar de seu inte-
Dividir o fluxo liquido médio pelo investimento inicial. resse ou não.
Fluxo liquido total 451.500,00 Na análise de investimentos só serão levados em
Períodos 5 conta os fatores quantificáveis, isto é, que puderem ser
Fluxo Liquido médio 90.300,00 expressos em unidades de capital. Se fatores não
Investimento Inicial 225.000,00 quantificáveis vão influir na tomada de decisão, essa

Matemática Financeira 68 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
análise n não poderá ser feita com um estudo ma- mento atinja a renda desejada, isto é, significa que a
temático. Assim, na escolha entre dois equipamentos taxa de renda que o investimento porporciona é menor
para aquisição de um deles, por exemplo, não teria que a taxa de atratividade. Neste caso, o investimento
sentido uma análise matemática que envolvesse pre- analisado não interessa ao investidor.
ços, capacidade de produção, custos operacionais,
durabilidade etc., se a pretensão é adquirir o mais esté- Resumindo:
tico ou o de menor porte. NPV = 0 ⇒ i = ia
NPV > 0 ⇒ i > ia
Também não tem sentido analisar investimentos
NPV < 0 ⇒ i < ia
que não apresentam viabilidade de escolha por falta de
recursos financeiros ou de quaisquer outras condições.
Quando vários investimentos estão sendo analisa-
Quando apenas um investimento é analisado para dos, pode ocorrer que todos eles sejam interessantes
que se estude a sua rentabilidade, costuma-se fazer ou que todos eles sejam desinteressantes ou que al-
uma comparação entre a sua taxa de renda e uma taxa guns sejam interessantes e outros não. Em qualquer
ideal, isto é, aquela que o investidor estabelece como dos casos, o investimento mais interessante é aquele
sendo a taxa mínima de renda para que o investimento que apresenta o maior NPV.
seja considerado atraente do ponto de vista financeiro.
Essa taxa ideal se chama taxa mínima de atratividade É claro que, se o problema é comparar custos de
ou apenas taxa de atratividade do investidor.É comum empréstimos, serviços ou equipamentos, a melhor al-
adotar como taxa de atratividade a taxa de mercado, ternativa é aquela que apresenta o menor NPV, isto é,
isto é, a taxa à qual qualquer capital pode ser aplicado a que tem a menor taxa de custo.
sem dificuldade.
Exemplo 1:
MÉTODOS EXATOS DE ANALISE DE INVESTI- Numa época em que a taxa de mercado é 6,2%
MENTOS a.m., qual é o melhor retorno para uma aplicação de R$
Existem muitos métodos para análise de investi- 500.000,00: receber R$ 700.000,00 no fim de seis me-
mentos, mas apenas os chamados métodos exatos são ses, receber duas parcelas trimestrais de R$
dignos de credibilidade, pois apenas estes se baseiam 330.000,00, receber três parcelas bimestrais de R$
nos princípios de equivalência de capitais. São eles: o 210.000,00 ou receber seis parcelas mensais de R$
método do valor presente líquido, o método do valor 100.000,00?
periódico uniforme e o método da taxa interna de retor-
no. Solução:

Esses três métodos são equivalentes e, se forem 1.ª alternativa:


aplicados com propriedade, conduzirão ao mesmo re-
sultado. Dependendo do tipo de análise que se quer
fazer, pode acontecer de um dos métodos ser mais
apropriado do que os outros ou simplesmente mais
cômodo por envolver menos cálculos. Algumas obser- 6
vações que serão feitas e a prática indicarão como NPV = 700.000 (1 +O,062) - 500.000 = - 12.077,39
fazer essa escolha.
2.ª alternativa:
Método do valor presente líquido
O método do valor presente líquido, ou, simples-
mente, método do valor presente, consiste em calcular
o valor presente líquido NPV do fluxo de caixa (saldo
das entradas e saídas de caixa) do investimento que
está sendo analisado, usando a taxa de atratividade do
investidor. 1 - 1,19777 2
NPV = 330.000 - 500.000 = 5.532,57
0,19777
Se o valor encontrado NPV for zero, significa que a
taxa i de renda do investimento coincide exatamente
3.ª alternativa:
com a taxa ia de atratividade que foi utilizada.

Se o valor encontrado NPV for positivo, esse valor


representa o quanto a renda do investimento excede a
renda esperada de taxa ia isto é, significa que a taxa de
renda que o investimento proporciona ultrapassa a taxa
de atratividade. Neste caso, o investimento analisado 1 - 1,127844 -3
NPV = 210.000 - 500.000 = -
interessa ao investidor. 0,127844
2.337,08
Se o valor encontrado NPV for negativo, esse valor
representa o quanto falta para que a renda do investi- 4.ª alternativa:

Matemática Financeira 69 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

1 - 1,062 -6 NPVB = 271.653,04 - 211.078,33 = 60.574,71


NPV = 100.000 - 500.000 = - 11.342,41
0,062
Resposta: A segunda alternativa é melhor.
Resposta: A melhor alternativa é a segunda. (E a
única em que a taxa de rendimento é maior que a taxa O método do valor presente pode ser aplicado à a-
de atratividade.) nálise de investimentos cujos capitais iniciais são dife-
rentes. O método é válido nesse caso, porque, se a
E preciso algum cuidado no uso desse método do diferença desses valores for considerada como um
valor presente, pois, quando as alternativas têm vidas investimento adicional ou investimento incremental, e
diferentes, não se podem tirar conclusões sem antes for aplicada à taxa de atratividade, seu valor presente
analisar se essas alternativas podem ou não ser reno- líquido, calculado com essa mesma taxa, será nulo.
vadas nas mesmas condições. Se isso for possível, os Portanto, se esse investimento incremental for acres-
investimentos devem, então, ser repetidos, tomando- centado ao investimento de menor capital inicial, em
se, como vida de todos, um múltiplo comum do número nada afetará o NPV desse investimento.
de períodos das vidas de cada um. Veja-se o exemplo
a seguir. Exemplo 3:
Considerar, no exemplo 2, um investimento incre-
Exemplo 2: mental de R$ 30.000,00, para ser acrescentado à alter-
Uma empresa está estudando a compra de um e- nativa A, como se fosse um capital aplicado à taxa de
quipamento e para isso está analisando dois tipos. O atratividade de 5% a.m. e verificar se o valor presente
tipo A tem vida útil de dois anos, custa R$ 150.000,00 e líquido é o mesmo.
dá um lucro mensal de ‘R$ 12.000,00. O tipo 6 tem vida
útil de três anos, um custo de R$ 180.000,00 e dá um Solução:
lucro de R$ 14.000,00. Ambos têm valor residual nulo.
Qual o equipamento que deve ser adquirido se a taxa
de atratividade é de 5% a.m.?

Solução:
Esses investimentos podem ser repetidos, pois se
supre que, terminada a vida útil do equipamento, a Acrescentando esse investimento incremental à al-
empresa poderá adquirir um novo. Toma-se o menor ternativa A, tem-se o seguinte diagrama:
múltiplo comum entre 2 e 3:6. Considera-se o equipa-
mento A repetido três vezes e o equipamento B repeti-
do duas vezes. Considerando a repetição, tem-se os
diagramas:

NPV = 232.845,46 + 42.186,30 - 253.117,80 =


21.913,96

Resposta: Sim, é o mesmo.

Método do valor periódico uniforme


O método do valor periódico uniforme consiste em
calcular o termo VPU da renda imediata que seja equi-
NPVA = 232.485,46 - 210.931,50 = 21.913,96 valente ao fluxo de caixa do investimento analisado,
usando a taxa de atratividade do investidor. Esse termo
representa o custo periódico ou a receita periódica
desse investimento e, quando são comparados vários

Matemática Financeira 70 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
investimentos, deve-se optar por aquele que apresenta peça (o custo será menor).
o menor custo periódico ou a maior receita periódica.
O método do valor periódico uniforme pode ser utili-
Esse custo periódico ou receita periódica calculados zado para comparar investimentos de vidas diferentes
podem eventualmente ser o custo anual ou a receita que podem ser repetidos, uma vez que a comparação
anual. Daí o motivo de ser esse método conhecido não é feita pelo valor total, mas pelo valor periódico
também pelos nomes de método do valor anual unifor- que, com repetição ou sem repetição, é o mesmo. Mas
me ou método do custo anual uniforme, nomes que não se os investimentos não podem ser repetidos, para a
se aplicam bem ao caso geral. alternativa que apresenta a vida mais curta, deve-se
considerar, no período incremental, os recursos aplica-
Exemplo 4: dos à taxa de atratividade.
Uma indústria de brinquedos costuma comprar certa
peça de uma firma que a fornece. Vê, agora, possibili- O método do valor periódico uniforme pode ser utili-
dade de adquirir uma máquina com a qual essa peça zado para analisar investimentos com capitais iniciais
poderá ser fabricada na própria indústria. Deve, então, diferentes, pois, da mesma forma que ocorreu com o
estudar as vantagens e desvantagens da aquisição e método do valor presente líquido, se for considerado
os dados para esse estudo são os seguintes: se conti- um investimento incremental aplicado à taxa de atrati-
nuar usando os serviços da firma que já os prestava, vidade, o valor periódico uniforme desse investimento
terá um gasto de R$ 5.800,00 por mês. Se adquirir a será nulo.
máquina, terá custo inicial de R$ 55.000,00 e gastos
operacionais anuais de R$ 18.000,00. A vida útil da Os exemplos a seguir esclarecem essas afirma-
máquina é de três anos, no final da qual terá um valor ções:
residual de R$ 8.000,00. Qual deve ser a opção da
indústria se a taxa de mercado está em torno de 7% Exemplo 5:
a.m.? Os diagramas a seguir representam dois investi-
mentos, A e 6, para escolha de um investidor. Analisar
Solução: qual é a melhor opção com a taxa de atratividade de
Alternativa A (comprar a peça): 10% a.m., supondo que os investimentos possam ser
repetidos.

Solução:
Alternativa A:

Alternativa B (fabricar a peça):

Alternativa B:

Resposta: A melhor opção é a alternativa A.

Exemplo 6:
Mostrar que, se o investimento A do exemplo 5 for
repetido para ter a mesma vida de quatro anos do in-
vestimento 8, o diagrama ficará alterado, mas o VPU
será o mesmo.

Solução:

Resposta: É melhor comprar a máquina e fabricar a


Matemática Financeira 71 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

todo da taxa interna de retomo
O método da taxa interna de retorno consiste em
calcular a taxa que anula o valor presente líquido do
fluxo de caixa do investimento que está sendo analisa-
do. Essa taxa é chamada taxa interna de retorno do
investimento e é indicada por IRR.

Será atrativo o investimento cuja taxa interna de re-


torno é maior que ou igual à taxa de atratividade do
VPU = 80.000 - 57.619,04 = 22.380,95 investidor ia.

Exemplo 7: Se vários investimentos são comparados, o melhor


Considerar os mesmos investimentos do exemplo 5 é o que tem a maior taxa interna de retorno. Se são
e analisar qual o melhor com a mesma taxa de atrativi- empréstimos que estão sendo analisados, o melhor é o
dade de 1 0% a.m. supondo, agora, que os investimen- que tem a menor taxa interna de retorno.
tos não possam ser repetidos.
Exemplo 9:
Solução: Um investidor aplicou um capital de R$ 650.000,00
Nesse caso, deve-se calcular o valor presente líqui- e recebeu rendimentos parcelados conforme o diagra-
do NPV do investimento A e “distribuí-lo” uniformemen- ma a seguir:
te pelos quatro anos (dois anos do investimento A e
dois anos do investimento incremental) com a taxa de
atratividade de 10% a.m. O investimento 6 não sofre
alteração.
Qual a taxa interna de retorno desse investimento?

Solução:
A taxa i que anula o valor presente liquido desse
fluxo de caixa é a taxa que torna verdadeira a igualda-
de:
-3 -4 -
160.000(1 + i) + 160.000 (1 + i) + 200.000(1 + i)
6 -9
+ 490 000(1 + i) = 650.000 e que não pode ser cal-
culada algebricamente. Deve, então, ser calculada por
ensaio e erro. Tenta-se uma taxa, se possível, com
valor provável. A partir dela, fazem-se aproximações
sucessivas até que se chegue a valores próximos. Fi-
nalmente, calcula-se a taxa por proporção, com o auxí-
Resposta: A melhor opção é a alternativa B. lio de uma regra de três:

Exemplo 8:
Considerar, ainda, os mesmos investimentos do e-
xemplo 5, acrescentar em A um investimento incremen-
ta de R$ 50.000,00 aplicado à taxa de atratividade de
10% a.m., fazer o novo diagrama do investimento total
e mostrar que o valor periódico uniforme não se altera.

Solução:

O valor presente líquido positivo significa que a taxa


do investimento é maior que 5% a.m. Tenta-se, então,
uma taxa maior.

Matemática Financeira 72 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

A taxa de 6% a.m. ainda é baixa. Tenta-se 7% a.m.


e obtém-se NPV = 2.466,86.

O valor encontrado para NPV já está bem baixo em


relação aos dados do problema; deve-se tentar taxas
mais próximas, pois, quanto mais próximas as taxas,
melhor será o resultado em sua aproximação. Tenta-se
7,1% e obtém-se NPV = - 1.330,12,0 que mostra que
7,1% já ultrapassa a taxa interna de retorno i. Relacio-
nando os valores obtidos, calcula-se da seguinte forma:
A análise feita sem levar em consideração o inves-
timento incremental faria com que o investidor optasse
pela primeira alternativa. No entanto, deve-se observar
que, ao optar pela primeira alternativa, o investidor
deixa de aplicar os R$ 50.000,00, diferença entre os
dois investimentos, que serão aplicados à taxa de mer-
cado de 8% a.m., com o seguinte retorno final:

Resposta: A taxa interna de retorno do investimento


é 7,065% a.m.
Quando se comparam, pelo método da taxa interna A seguir apresenta-se o investimento total (inicial
de retorno, dois investimentos com capitais iniciais mais incremental) representado em diagrama e o cálcu-
diferentes, é necessário que se considere, para o in- lo da sua taxa interna de retorno:
vestimento que tem o capital inicial menor, um investi-
mento incremental aplicado à taxa de atratividade. A
taxa interna de retorno do investimento total (original
mais incremental) terá um valor intermediário entre a
taxa de atratividade e a taxa interna de retorno do in-
vestimento original.

Exemplo 10.
Um investidor tem duas alternativas para uma apli-
cação de capital durante um ano. A primeira requer um
capital inicial de R$ 100.000,00 e tem retornos mensais
de R$ 18.000,00 e a segunda requer um capital inicial
de R$ 150.000,00 e tem retornos trimestrais de R$
85.000,00. Qual a melhor aplicação numa época em
que a taxa de mercado é 8% a.m.? Resposta: O melhor investimento é o segundo, com
taxa interna de retorno igual a 12,71% a.m.
Solução:
Sem considerar o investimento incremental, tem-se: O método da taxa interna de retorno deve ser usado
com restrições quando o fluxo de caixa tem mais de

Matemática Financeira 73 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
uma inversão de sinal de entradas e saídas. Esses
fluxos de caixa podem não ter solução para taxa inter- A introdução do fluxo de caixa nas calculadoras se
na de retorno ou ter múltiplas soluções. O exemplo faz da seguinte forma:
seguinte mostra um fluxo de caixa que tem duas taxas HP—12C: A taxa de atratividade é introduzida a-
internas de retorno: través da tecla i ; o valor que está no
foco zero é introduzido através da tecla
Exemplo 11: CFo e os demais valores são introduzi-
Mostre que o fluxo de caixa, representado a seguir, dos, pela ordem, através da tecla CFj .
se anula para as taxas de 10% a.a. e 1.000% a.a. Quando n valores sucessivos são i-
guais, basta introduzir o primeiro deles
na tecla CFj e, em seguida, digitar n N j
EL -633: A taxa de atratividade é introduzida a-
través da tecla i e os valores
são introduzidos, pela ordem, através
da tecla CFi. Quando n valores suces-
sivos são iguais, basta digitar n N i e,
Solução: em seguida, introduzir o primeiro deles
A título de orientação sobre a escolha de que méto-
através da tecla CFi .
do usar em cada caso, são reproduzidas, no quadro a
BA-54: A taxa de atratividade é introduzida a-
seguir, as restrições que cada método oferece, para
través da tecla i ; o valor que está no
que se escolha, sempre que possível, o método que
não oferece restrições ao caso que se quer analisar: foco zero é introduzido através da tecla
PV e os m demais valores são introdu-
Solução: zidos, pela ordem, nas memórias, atra-
vés das teclas STO 1, STO 2, ..., STO
m. Quando n valores sucessivos são
iguais, basta introduzir o primeiro deles
e, em seguida, digitar Frq n e introduzir
na mesma memória em que foi introdu-
zido o valor correspondente a essa fre-
qüência.

Em todas essas calculadoras, quando os valores


que compõem o fluxo de caixa são sardas, eles devem
CASOS MÉTODOS NPV VPU lRR ser introduzidos com o sinal negativo e, para os perío-
↓ → dos sem valor, devem ser introduzidos zeros. A taxa de
vidas repetíveis REPETIR - -
diferentes não CONSIDERAR -
atratividade só precisa ser introduzida quando se quer
repetir - PERÍODO calcular NPV, não sendo necessária sua introdução
INCREMENTAL para o cálculo de IRR.
capitais iniciais CONSIDERAR
diferentes - - INVESTIMEN- Todas essas calculadoras têm limites para o núme-
TOINCREMEN-
TAL ro de entradas de valores diferentes e também para a
fluxo com mais de uma PODE NÃO TER freqüência de valores iguais. Esses limites são os se-
mudança de sinal - - OU TER MAIS guintes para cada uma delas:
DE UMA SO- HP-12C; 20 valores diferentes com freqüência até
LUÇÃO
99.
EL -533: 20 valores diferentes com freqüência até
USO DA CALCULADORA
99.
As calculadoras HP-12C, EL-533 e BA-54 têm te-
BA-54: 10 valores diferentes com freqüência até
clas próprias para calcular o valor presente líquido (net
999.
present value) NPV e a taxa interna de retorno (interneI
rate of return) IRR. São as seguintes:
Exemplo 12:
Calcular o NPV com taxa de 15% a.m. e a taxa in-
terna de retorno do investimento cujo fluxo de caixa
tem o seguinte diagrama:

Em qualquer das calculadoras, devem ser introduzi-


dos o fluxo de caixa do investimento que se quer anali-
sar e a taxa de atratividade do investidor; após isso, as
teclas NPV e IRA fornecem, respectivamente, o valor Solução:
presente líquido e a taxa interna de retorno do investi-
mento.

Matemática Financeira 74 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
tratividade de 20% a.a.
Pelo método do valor presente líquido.
Pelo método do valor anual uniforme.
Pelo método da taxa interna de retorno (neste
caso, deve ser considerado, na segunda alter-
nativa, um investimento incremental de
5.000.000 colocado a 20% a.a.).
02. No início de 1985, uma pessoa fez um depósito
de R$ 150.000,00 numa Caderneta de Pou-
pança que pagou 0,5% a.m. de juros e atuali-
zações monetárias mensais que atingiram no
ano a taxa acumulada de 228%. Teria feito me-
lhor negócio se aplicasse seu capital e resga-
tasse mensalmente R$ 23.100,00 durante um
ano?
03. Qual a melhor forma de receber o retorno de
um investimento de R$ 10 milhões, aplicado
por um ano: um pagamento final de R$
13.000.000,00, dois pagamentos semestrais de
R$ 6.200.000,00 cada um ou doze pagamentos
mensais de R$ 950.000,00 cada um? Justifi-
que.
Resposta: O valor presente líquido é 5.479,11 e a 04. Uma empresa paga R$ 600.000,00 por mês pa-
taxa interna de retorno é 17,72% a. m. ra uma companhia transportadora fazer as en-
tregas de seus produtos. Está, agora, estudan-
Exemplo 13: do a compra de um caminhão por R$
Calcular as duas taxas internas de retorno do inves- 15.000.000,00, calculando que daqui a cinco
timento do exemplo 11. anos ele poderá ser vendido por R$
2.000.000,00 e que seu dispêndio anual será
Solução: de R$ 3.600.000,00.
As taxas internas de retorno desse investimento po- a) Usando a taxa de 15% a.a., estude, pelo méto-
dem ser calculadas com o auxílio da HP -12C. Quando
do do valor presente, se será vantajoso a com-
se procede normalmente, introduzindo o fluxo de caixa pra do caminhão ou se será melhor continuar
nessa calculadora e solicitando a taxa interna de retor-
usando os serviços da transportadora.
no, aparece no visor uma mensagem de erro. Introduz- b) Calcule, com a mesma taxa de 15% a.a., os
se, então, uma taxa provável, que se supre próxima da custos anuais de transporte em cada caso.
resposta e, em seguida, digita-se RCL g R/S. Repe- 05. Fui comprar um aparelho de televisão cujo pre-
tindo-se esse procedimento, é possível obter cada res- ço a vista é R$ 98.960,00. A loja exibe uma
posta: propaganda oferecendo esse aparelho com
uma entrada de R$ 10.000,00 e 12 pagamen-
tos mensais de R$ 9.160,00. Numa época em
que as taxas giram em torno de 2% a.m., é
mais vantajoso comprar essa IV a vista ou a
prazo?
06. Uma pessoa tinha um capital de R$
11.000.000,00 e o empregou na compra de um
apartamento que ficou dois meses fechado,
dando despesas de R$ 21.300,00 por mês. A
partir do início do terceiro mês conseguiu alu-
gá-lo por R$ 80.000,00 pagos no início de cada
mês. Um ano após a compra, vendeu-o para o
inquilino por R$ 30.000.000,00, quantia livre de
Resposta: As taxas são 10% a.a. e 1.000% a.a. despesas. Teria feito melhor negócio se apli-
casse seu capital durante esse ano a 8,8%
EXERCÍCIOS a.m.? Justifique.
01. Uma empresa está estudando a compra de um 07. Calcule, com a taxa de 3% a.m., o custo men-
equipamento e deve escolher entre duas mar- sal de um equipamento que foi adquirido por
cas com as seguintes características e previ- R$ 100.000,00, teve um custo operacional
sões: mensal de R$ 3.500,00 e foi avaliado em R$
Equipamento A Equipamento B
Custo inicial 28.000.000 23.000.000
80.000,00 após um ano de uso.
Valor venal após cinco anos de uso 12.000.000 3.000.000 08. Um capitalista investiu R$ 2.800.000,00 na ins-
Custo operacional anual 4.000.000 3.000.000 talação de uma pequena loja. Suas despesas
Receita adicional anual 12.000.000 10.000.000 mensais, durante um ano foram de R$
180.000,00 de aluguel e R$ 120.000,00 para
Determine a melhor alternativa com taxa de a- uma pessoa tomar conta do negócio. No final

Matemática Financeira 75 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
desse ano, passou o ponto para um comercian- investidor estará disposto a pagar pelo terreno
te interessado, tendo recebido R$ 3.000.000,00 se sua taxa de atratividade é de 5% a.m. e se o
pela transferência. Durante esse ano, sua re- terreno poderá ser vendido por R$ 50.000.000
ceita líquida mensal foi de R$ 400.000,00 nos no fim de três anos?
seis primeiros meses e R$ 600.000,00 nos seis 12. Um motorista tem uma renda liquida mensal de
últimos meses. Teria feito melhor negócio se R$ 250.000,00 com seu táxi e sabe que poderá
aplicasse seu capital a 7% a.m., que era a taxa vendê-lo daqui a um ano por R$ 1 .500.000,00.
de mercado na época? Poderá também vendê-lo já e aplicar o capital
09. Uma máquina foi comprada com uma entrada apurado a 8,9% a.m. durante um ano, com
de R$ 30.000,00 e três pagamentos de R$ renda mensal. Um seu amigo deseja comprar o
20.000,00 cada um, realizados no fim de três, carro e tem capital suficiente empregado a
quatro e circo meses, respectivamente. Calcule 160% a.a. Qual o preço que poderá ser atrativo
o custo anual dessa máquina à taxa de 20% a ambos?
a.a., sabendo que no fim de três anos ela pode- 13. Uma estrada foi construída por R$ 8,6 milhões
rá ser vendida por R$ 40.000,00. o km e requer um custo anual de manutenção
10. Uma firma adquiriu um novo equipamento por de R$ 1,5 milhões por km. Para construir essa
R$ 45.000.000, prevendo que seu valor residu- estrada, o Governo emitiu bônus que produzi-
al após dois anos de uso será R$ 30.000.000. rão juros de 5% ao trimestre e a taxa de pedá-
O uso desse equipamento vai aumentar de R$ gio foi fixada em R$ 12 por km. Qual o número
6.500.000 a receita mensal da firma e de R$ mínimo de veículos que deverão utilizar-se
1.500.000 o custo mensal. Represente essa si- dessa estrada mensalmente para que o inves-
tuação com um diagrama de fluxo de caixa e timento se auto financie em um ano?
calcule o valor mensal uniforme (lucro líquido 14. Um equipamento foi adquirido por uma indús-
mensal) com a taxa de 2% a.m., considerando tria com três pagamentos semestrais antecipa-
ainda um imposto de renda de 25% calculado dos de R$ 3.000.000,00. No fim de dois anos
sobre lucro menos depreciação. Para efeito de foi vendido por R$ 2.000.000,00. Durante esse
IR, tanto o lucro quanto a depreciação são tempo, o lucro da indústria teve um aumento
também calculados linearmente, isto é, La = 12 mensal de R$ 450.000,00.
(65.000.000 - 1.500.000) e Da = a) A taxa interna de retorno desse investimento é
45.000.000 - 30.000.000 maior ou menor que 5% a.m.?
2 b) Determine a taxa interna de retorno.
Uma empresa fabrica e vende determinada pe- 15. Usando a taxa de 10% a.a., calcule o valor de x
ça que pode ser produzida pela máquina A ou para que o valor presente líquido do fluxo abai-
pela máquina B que estão sendo analisadas xo seja nulo:
para compra por essa empresa. Foram obtidos
os seguintes dados:

Máquina A Máquina B
Custo inicial 80.000 120.000 16. Calcule o valor de x no diagrama abaixo, para
Valor residual após que a taxa interna de retorno seja de 10% a.a.:
cinco anos 20.000 35.000
Gasto anual de
manutenção 6.000 8.000
Gasto anual de energia
energia 1.000 800
Número de operadores 2 1
Preço/hora da mão-
mão-de-
de-
obra de cada operador 10 25
Tempo de execução da peça
peça 60 mm. 40 mm. 17. Dado o diagrama de fluxo de caixa abaixo, cal-
Sabe-se, ainda, que cada peça tem um custo cule:
de 30 de matéria-prima e pode ser vendida a a) O valor presente liquido, usando a taxa de 5%
70; as máquinas trabalharão 2.200 horas por a.m.
ano, a taxa de atratividade do empresário é b) O valor mensal, com essa mesma taxa de 5%
30% a.a. e o Imposto de Renda (calculado so- a.m.
bre lucro menos depreciação) é de 30%, pago c) Se a taxa que anula o valor presente líquido é
anualmente. Supondo que, no caso da compra maior ou menor que 5% a.m.
da máquina A, o empresário investe os 40 mil
restantes à taxa de 30% a.a., determine o me-
lhor investimento por qualquer método.
11. Uma pessoa está estudando a compra de um
terreno para explorar um estacionamento de
carros. Prevê uma renda mensal de R$
1.200.000 e despesas anuais de R$ 2.500.000.
Terá ainda uma despesa inicial de R$
18. Dado o diagrama de fluxo de caixa abaixo:
1.500.000 que serão gastos com equipamentos
a) Calcule seu valor presente líquido usando a ta-
de valor residual nulo após três anos. Quanto o
Matemática Financeira 76 A Opção Certa Para a Sua Realização
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
xa de 5,5% a.m. (ou: a taxa interna de retorno é de 9,08% a.m.).
b) Sabendo que o valor presente líquido com a ta-
xa de 6% a.m. é de - 1.126,59, calcule a taxa 7. R$ 7.909,24
que o anula (taxa interna de retorno).
8. Sim, pois NPV = - 38.466,16, negativo, o que
indica taxa menor que 7% a.m. (ou: a taxa in-
terna de retorno é de 6,85% a.m.).

9. R$ 30.058,82
19. Dado o diagrama de fluxo de caixa abaixo, de-
10. VPU = 2.628.338,84
termine:
a) Seu valor presente líquido com taxa de 8% a.s.
11. A segunda alternativa é melhor. Pelo método
b) Sua taxa interna de retorno.
do valor presente líquido, NPVA - 2.764,11 e
NPV6 = 18.122,02. Pelo método do valor perió-
dico uniforme, VPUA —1.134,89 e VPU8
7.440,57. Pelo método da taxa interna de retor-
no, iA = 29,1% a.a. e iB 37,2% a.a.

12. R$ 24.390.185,92
RESPOSTAS
1. a) Equipamento A, pois NPVA = 747.427,98 13. Ë o preço P, tal que 2.338.443,55 < P <
eNPVB - 860.082,30. 2.433.131,40.
b) Equipamento A, pois VPUA = 249.924,75 e
VPUB - 287.594,06. 14. 75.787 carros
c) Equipamento A, pois iA = 21,05% a.a. e =
18,83% a.a. 15. a) Menor que 5% a.m., pois NPV = - 79.633,82
<0
2. Teria, pois a taxa da CP foi de 10,96% a.m. e a b) 4,82% a.m.
outra foi de 11% a.m.
16. x = 376,61
3. Em dois pagamentos (as taxas mensais são
2,21%, 2,45% e 2,08%, respectivamente). 17. x = 214,36

4. a) É melhor continuar usando os serviços da 18. a) - 26.408,32


transportadora, pois NPVT = 25.752.974,63 e b) - 3.420
NPVC = 26.073.404,88. c) Menor
b) VPUT = 7.682.512,85 e VPUC = 7.778.102,18
19. a) 785,37
5. É melhor comprar a vista, pois a taxa da loja é b) 5,70% a.m.
maior que 2% a.m. (i = 3,42% a.m.) (ou: as
prestações seriam de R$ 8.412,02). 20. a) - 22.112,19
b) 7,38% a.s.
6. Não, pois NPV = 342.213,82 com i = 8,8%
a.m., o que indica taxa maior que 8,8% a.m.

TABELAS

TABELA 2—
2— DIVISORES FIXOS
360
(Valores da expressão ∆= ano comercial e taxa anual.)
i
Taxa (%) ∆ Taxa(%) ∆ Taxa (%) ∆
5 7200 40 900 75 480
10 3600 45 800 80 450
15 2400 50 720 85 423,53
20 1800 55 654,55 90 400
25 1440 60 600 95 378,95
30 1 200 65 553,85 100 360
35 1 028,57 70 514,29 105 342,86
.

Matemática Financeira 77 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
TABELA 1 — CONTAGEM DOS DIAS
Dia do Mês Jan. Fev Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez. Dias do Mês
1 1 32 60 91 121 152 182 213 244 274 305 335 1
2 2 33 61 92 122 153 183 214 245 275 306 336 2
3 3 34 62 93 123 154 184 215 246 275 307 337 3
4 4 35 63 94 124 155 185 216 247 277 308 338 4
5 5 36 64 95 125 156 186 217 248 278 309 339 5
6 6 37 65 96 126 157 187 218 249 279 310 340 6
7 7 38 66 97 127 158 188 219 250 280 311 341 7
8 8 39 67 98 128 159 189 220 251 281 312 342 8
9 9 40 68 99 129 160 190 221 252 282 313 343 9
10 10 41 69 100 130 161 191 222 253 283 314 344 10
11 11 42 70 101 131 162 192 223 254 284 315 345 11
12 12 43 71 102 132 163 193 224 255 285 316 346 12
13 13 44 72 103 133 164 194 225 256 286 317 347 13
14 14 45 73 104 134 165 195 226 257 287 318 348 14
15 15 46 74 105 135 166 196 227 258 288 319 349 15
16 16 47 75 106 136 167 197 228 259 289 320 350 16
17 17 48 76 107 137 168 198 229 260 290 321 351 17
18 18 49 77 108 138 169 199 230 261 291 322 352 18
19 19 50 78 109 139 170 200 231 262 292 323 353 19
20 20 51 79 110 140 171 201 232 263 293 324 354 20
21 21 52 80 111 141 172 202 233 264 294 325 355 21
22 22 53 81 112 142 173 203 234 265 295 326 356 22
23 23 54 82 113 143 174 204 235 266 296 327 357 23
24 24 55 83 114 144 175 205 236 267 297 328 358 24
25 25 56 84 115 145 176 206 237 268 298 329 359 25
26 26 57 85 116 146 177 207 238 269 299 330 360 26
27 27 58 86 117 147 178 208 239 270 300 331 361 27
28 28 59 87 118 148 179 209 240 271 301 332 362 28
29 29 — 88 119 149 180 210 241 272 302 333 363 29
30 30 — 89 120 150 181 211 242 273 303 334 364 30
31 31 — 90 — 151 — 212 243 — 304 — 365 31
.
TABELA 3 — JUROS SIMPLES
Período diário Taxa mensal
6% 7% 8% 9% 10% 11% 12% 13%
1 0,0020 0,0023 0,0027 0,0030 0,0033 0,0037 0,0040 0,0043
2 0,0040 0,0047 0,0053 0,0060 0,0067 0.0073 0.0080 0,0087
3 0,0060 0,0070 0,0080 0,0090 0,0100 0.0110 0,0120 0,0130
4 0,0080 0,0093 0,0107 0,0120 0,0133 0,0147 0,0160 0,0173
5 0,0100 0,0117 0,0133 0,0150 0,0167 0,0183 0,0200 0,0217
6 0,0120 0,0140 0,0159 0,0180 0,0200 0.0220 0,0240 0,0260
7 0,0140 0,0163 0,0187 0.0210 0.0233 0,0257 0,0280 0,0303
8 0,0160 0.0187 0,0213 0,0240 0,0267 0,0293 0,0320 0,0347
9 0,0180 0.0210 0,0239 0,0270 0,0300 0,0330 0,0360 0.0390
10 0,0200 0,0233 0,0266 0,0300 0,0333 0,0367 0,0400 0.0433
11 0,0220 0,0257 0,0293 0.0330 0,0367 0,0403 0,0440 0,0477
12 0,0240 0,0280 0,0319 0,0360 0,0400 0.0440 0,0480 0.0520
13 0,0260 0,0303 0,0347 0,0390 0.0433 0,0477 0,0520 0.0563
14 0,0280 0,0327 0,0373 0,0420 0,0467 0,0513 0,0560 0,0607
15 0,0300 0,0350 0.0399 0,0450 0,0500 0,0550 0.0600 0,0650
16 0,0320 0,0373 0,0427 0,0480 0,0533 0.0587 0,0640 0.0693
17 0,0340 0,0397 0,0453 0.0510 0,0567 0,0623 0.0680 0,0737
18 0,0360 0,0420 0,0478 0,0540 0,0600 0,0660 0.0720 0,0780
19 0,0380 0,0443 0.0507 0,0570 0,0633 0,0697 0,0760 0,0823
20 0,0400 0,0467 0,0532 0,0600 0,0667 0,0733 0.0800 0,0867
21 0,0420 0.0490 0,0561 0,0630 0,0700 0,0770 0,0840 0,0910
22 0,0440 0,0513 0,0586 0,0660 0,0733 0.0807 0,0880 0,0953
23 0.0460 0.0537 0,0613 0,0690 0,0767 0,0843 0,0920 0,0997
24 0,0480 0,0560 0,0640 0,0720 0,0800 0,0880 0,0960 0.1040
25 0,0500 0.0583 0,0666 0,0750 0,0833 0.0917 0,1000 0,1083
26 0,0520 0,0607 0,0694 0,0780 0,0867 0,0953 0,1040 0,1127
27 0,0540 0.0630 0,0720 0,0810 Q,0900 0,0990 0,1080 0,1170
28 0,0560 0,0653 0,0747 0.0840 0.0933 0,1027 0,1120 0,1213
29 0,0580 0,0677 0,0773 0,0870 0,0967 0.1063 0,1160 0,1257
30 0,0600 0,0700 0,0800 0,0900 0,1000 0,1100 0,1200 0,1300

Matemática Financeira 78 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

TABELA — JUROS COMPOSTOS


n
Valores de (1 + i )
n 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8%
1 1,0100000 1,0200000 1,0300000 1,0400000 1,0500000 1,0600000 1,0700000 1,0800000
2 1,0201000 1,0404000 1,0609000 1,0816000 1.1025000 1,1236000 1,1449000 1,1664000
3 1,0303010 1,0612080 1,0927270 1,1248640 1.1576250 1.1910160 1.2250430 1,2597120
4 1,0406040 1,0824322 1,1255088 1,1698586 1,2155063 1,2624770 1.3107960 1,3604890
5 1,0510101 1,1040808 1,1592741 1,2166529 1,2762816 1,3382256 1,4025517 1,4693281

6 1,0615202 1,1261624 1.1940523 1,2653190 1,3400956 1,4185191 1,5007304 1,5868743


7 1,0721354 1,1486857 1,2298739 1,3159318 1.4071004 1,5036303 1,6057815 1,7138243
8 1,0828567 1,1716594 1,2667701 1.3685691 1,4774554 1,5938481 1,7181862 1,8509302
9 1,0936853 1,1950926 1,3047732 1,4233118 1,5513282 1,6894790 1.8384592 1,9990046
10 1,1046221 1,2189944 1,3439164 1.4802443 1,6288946 1,7908477 1,9671514 2,1589250

11 1,1156684 1,2433743 1,3842339 1,5394541 1.7103394 1,8982986 2,1048520 2,3316390


12 1,1268250 1,2682418 1,4257609 1,6010322 1,7958563 2,0121965 2,2521916 2,5181701
13 1,1380933 1,2936066 1,4685337 1,6650735 1,8856491 2,1329283 2,4098450 2,7196237
14 1,1494742 1,3194788 1,5125897 1,7316765 1,9799316 2.2609040 2,5785342 2,9371936
15 1,1609690 1,3458683 1.5579674 1,8009435 2.0789282 2.3965582 2,7590315 3,1721691

16 1,1725786 1,3727857 1,6047064 1,8729813 2,1828746 2,5403517 2.9521638 3,4259426


17 1,1843044 1,4002414 1,6528476 1,9479005 2,2920183 2,6927728 3,1588152 3,7000181
18 1,1961475 1,4282463 1,7024331 2,0258165 2,4066192 2,8543392 3.3799323 3.9960195
19 1,2081090 1,4568112 1.7535061 2.1068492 2.5269502 3,0255995 3,6165275 4.3157011
20 1,2201900 1,4859474 1,8061112 2,1911231 2,6532977 3.2071355 3,8696845 4.6609571

21 1,2323919 1,5156663 1.8602946 2,2787681 2,7859626 3,3995636 4,1405624 5,0338337


22 1,2447159 1,5459797 1,9161034 2.3699188 2,9252607 3,6035374 4,4304017 5,4365404
23 1,2571630 1,5768993 1,9735865 2,4647155 3,0715238 3,8197497 4,7405299 5,8714637
24 1,2697347 1,6084373 2,0327941 2,5633042 3,2250999 4,0489346 5.0723670 6,3411807
25 1,2824320 1,6406060 2,0937779 2,6658363 3,3863549 4,2918707 5,4274326 6,8484752

26 1,2952563 1,6734181 2,1565913 2,7724698 3,5556727 4,5493830 5,8073529 7,3963532


27 1,3082089 1,7068865 2.2212890 2,8833686 3.7334563 4,8223459 6,2138676 7,9880615
28 1,3212910 1,7410242 2,2879277 2,9987033 3,9201291 5,1116867 6,6488384 8,6271064
29 1,3345039 1,7758447 2,3565655 3,1186515 4,1161356 5,4183879 7,1142571 9,317274
30 1,3478489 1,8113616 2,4272625 3,2433975 4,3219424 5,7434912 7,6122550 10,06265

Matemática Financeira 79 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
ABELA AMORTIZAÇÃO
AMORTIZAÇÃO

i(1 + i)n
Valores de
(1 + i)n − 1
n 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9% 10%
1 1,0100000 1,0200000 1,0300000 1,0400000 1,0500000 1,0600000 1,0700000 1,0800000 1,0900000 1,1000000
2 0,5075124 0,5150495 0,5226108 0,5301961 0,5378049 0,5454369 0,5530918 0,5607692 0,5684689 0,5761905
3 0,3400221 0,3467547 0,3535304 0,3603485 0,3672086 0,3741098 0,3810517 0,3880335 0,3950548 0,4021148
4 0,2562811 0,2626238 0,2690271 0,2754901 0,2820118 0,2885915 0.2952281 0,3019208 0,3086687 0,3154708
5 0,2060398 0,2121584 0,2183546 0,2246271 0,2309748 0,2373964 0,2438907 0,2504565 0.2570925 0.2637975:

6 0,1725484 0,1785258 .0,1845975 0,1907619 0,1970175 0,2033626 0,2097958 0,2163154 0,2229198 0,2296074
7 0,1486283 0,1545120 0,1605064 0,1666096 0,1728198 0,1791350 0,1855532 0,1920724 0,1986905 0,2054055
8 0,1306903 0,1366098 0,1424564 0,1485278 0,1547218 0,1610359 0,1674678 0,1740148 0.1906744 0,1874440
9 0,1167404 0,1225154 0,1284339 0,1344930 0,1406901 0,1470222 0,1534865 0,1600797 0,1667988 0,1736405.
10 0,1055821 0,1113265 0,1172305 0,1232909 0,1295046 0,1358680 0.1423775 0,1490295 0,1558201 0,1627454

11 0,0964541 0,1021779 0,1141490 0.1203889 0,1267929 0,1333569 0,1400763 0,1469467 0,1539631 0,1080775
12 0,0888488 0,0945596 0,1004621 0,1065522 0,1128254 0.1192770 0,1259020 0,1326950 0.1396507 0,1467633
13 0,0824148 0,0882404 0,0940295 0,1001437 0,1064558 0,1129601 0,1196509 0,1265218 0,1335666 0,1407785
14 0,0769012 0,0826020 0,0885263 0,0946690 0,1010240 0,1075849 0,1143449 0.1212969 0,1284332 0,1357462
15 0,0721238 0,0778255 0,0837666 0.0899411 0,0963423 0,1029628 0,1097946 0,1168295 0,1240589 0,1314738

16 0,0679446 0,0736601 0,0796109 0.0858200 0.0922699 0,0989521 0,1058577 0,1129769 0,1202999 0,1278166
17 0,0642581 0,0699698 0,0759525 0,0821985 0,0886991 0.0954448 0,1024252 0,1096294 0,1170463 0,1246641
18 0,0609821 0,0667021 0,0727087 0,0789933 0.0855462 0,0923565 0,0994126 0,1067021 0,1142123 0,1219302
19 0,0580518 0,0637818 0,0698139 0,0761386 0,0827450 0,0896209 0,9967530 0,1041276 0.1117304 0,1195469
20 0,0554153 0,0611567 0,0672157 0,0735818 0,0802426 0,0871846 0,0943929 0,1018522 0.1095465 0,1174596

21 0,0530308 0,0587848 0,0648718 0,0712801 0,0779961 0.0850046 0,0922890 0,0998323 0,1076166 0,1156244
22 0,0508637 0,0566314 0,0627474 0,0691988 0,0759705 0,0830456 0.0904058 0,0980321 0,1059050 0,1140051
23 0,0488858 0,0546681 0,0608139 0,0673091 0,0741368 0,0812785 0,0887139 0,0964222 0.1043819 0.1125718.
24 0,0470735 0,0528711 0,0590474 0,0655868 0,0724709 0,0796790 0,0871890 0.0949780 0.1030226 0,1112998
25 0,0454068 0,0512204 0,0574279 0,0640120 0,0709525 0,0782267 0.0858105 0,0936788 0,1018063 0.1101681

26 0,0438689 0,0496992 0,0559383 0,0625674 0,0695643 0,0769044 0,0845610 0,0925071 0,1007154 0,1091590
27 0,0424455 0,0482931 0,0545642 0,0612385 0.0682919 0,0756972 0,0834257 0.0914481 0,0997349 0,1082576
28 0,0411244 0,0469897 0,0532932 0,0600130 0,0671225 0,0745926 0,0823919 0,0904889 0.0988521 0,1074510
29 0,0398950 0,0457784 0,0521147 0,0588799 0.0660455 0,0735796 0,0814487 0,0896185 0.0980557 0,1067281
30 0,0387481 0,0446493 0,0510193 0,0578301 0,0650514 0,0726489 0.0805854 0,0888274 0,0973364 0,1060793

Matemática Financeira 80 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
TÁBUA DE LOGARITMOS
N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa
00 50807 100 00000 100 17009 200 20103 260 30794 300 47712 350 54407 400 00200 460 00021
1 00000 51 70757 101 00432 151 17898 201 30320 251 39967 301 47857 351 54531 401 60314 451 65418
2 30103 52 71600 102 00860 152 18184 202 30535 252 40140 302 48001 352 54654 402 60423 452 65514
3 47712 53 72428 103 01284 153 18469 203 30750 253 40312 303 48144 353 54777 403 60531 453 65610
4 60206 54 73239 104 01703 154 18752 204 30963 254 40483 304 48287 354 54900 404 60638 454 65706
5 69897 55 74036 105 02119 155 19033 205 31175 255 40654 305 48430 355 55023 405 60746 455 65801
6 77815 56 74819 106 02531 156 10312 206 31387 256 40824 306 48572 356 55145 406 60853 456 65896
7 84510 57 75587 107 02938 157 19590 207 31597 257 40993 307 48714 357 55267 407 60959 457 65992
8 90309 58 76343 108 03342 158 19866 208 31806 258 41162 308 48855 358 55388 408 61066 458 66087
9 95424 59 77085 109 03743 159 20140 209 32015 259 41330 309 48996 359 55509 409 61172 459 66181
10 00000 00 77515 110 04170 100 20412 210 32382 260 41407 310 49130 300 86530 410 61278 400 86276
11 04139 61 78533 111 04532 161 20683 211 32428 261 41664 311 49275 361 55751 411 61384 461 66370
12 07918 62 79239 112 04922 162 20952 212 32634 262 41830 312 49415 362 55871 412 61490 462 66464
13 11394 63 79934 113 05308 163 21219 213 32838 263 41996 313 49554 363 55991 413 61595 463 66558
14 14613 64 80618 114 05690 164 21484 214 33041 264 42160 314 49693 364 56110 414 61700 464 66652
15 17609 65 81291 115 06070 165 21748 215 33244 265 42325 315 49831 365 56229 415 61805 465 66745
16 20412 66 81954 116 06446 166 22011 216 33445 266 42488 316 49969 366 56348 416 61909 466 66839
17 23045 67 82607 117 06819 167 22272 217 33646 267 42651 317 50106 367 56467 417 62014 467 66932
18 25527 68 83251 118 07188 168 22531 218 33846 268 42813 318 50243 368 56585 418 62118 468 67025
19 27875 69 83885 119 07555 169 22789 219 34044 269 42975 319 50379 369 56703 419 62221 469 67117
20 30103 70 85410 120 07918 170 23045 220 34242 270 43136 320 50515 370 56820 420 62325 470 67210
21 32222 71 85126 121 08279 171 23300 221 34439 271 43297 321 50651 371 56937 421 62428 471 67302
22 34242 72 85733 122 08636 172 23553 222 34635 272 43457 322 50786 372 57054 422 62531 472 67394
23 36173 73 86332 123 08991 173 23805 223 34830 273 43616 323 50920 373 57171 423 62634 473 67486
37 56820 87 93952 137 13672 187 27184 237 37475 287 45788 337 52763 387 58771 437 64048 487 68753
38 57978 88 94448 138 13988 188 27416 238 37658 288 45939 338 52892 388 58883 438 64147 488 68842
39 99106 89 94939 139 14301 189 27646 239 37840 289 46090 339 53020 389 58995 439 64248 489 68931
40 60206 90 95424 140 14613 190 37843 240 38021 290 46240 340 53148 390 00106 440 64345 490 69020
41 61278 91 95904 141 14922 191 28103 241 38202 291 46389 341 53275 391 59218 441 64444 491 69108
42 62325 92 96379 142 15229 192 28330 242 38382 292 46538 342 53403 392 59329 442 64542 492 69197
43 63347 93 96848 143 15534 193 28556 243 38561 293 46687 343 53529 393 59439 443 64640 493 69285
44 64345 94 97313 144 15836 194 28780 244 38739 294 46835 344 53656 394 59550 444 64738 494 69373
45 65321 95 97772 145 16137 195 29003 245 38917 295 46982 345 53782 395 59660 445 64836 495 69461
46 66276 96 98227 146 16435 196 29226 246 39094 296 47129 346 53908 396 59770 446 64933 496 69548
47 67210 97 98677 147 16732 197 29447 247 39270 297 47276 347 54033 397 59879 447 65031 497 69636
48 68124 98 99123 148 17026 198 29667 248 39445 298 47422 348 54158 398 59988 448 65128 498 69723
49 69020 99 99564 149 17319 199 29885 249 39620 299 47567 349 54283 399 60097 449 65225 499 69810
50 69897 100 00000 150 17600 200 30168 250 39704 300 47712 350 54407 400 60206 450 65321 500 69897

Matemática Financeira 81 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa N Mantissa
500 69907 550 74036 600 77815 650 81291 700 84510 750 87506 800 90309 850 92942 900 95424 950 97772
501 69964 551 74115 1601 77887 651 81358 701 84572 751 87564 801 90363 851 92993 901 95472 951 97818
502 70070 552 74194 602 77960 652 81425 702 84634 752 87622 802 90417 852 93044 902 95521 952 97864
503 70157 553 74273 603 78032 653 81491 703 84696 753 87679 803 90472 853 93095 903 95569 953 97909
504 70243 554 74351 604 78104 654 81558 704 84757 754 87737 804 90526 654 93146 .904 95617 954 97955
505 70329 555 74429 605 78176 655 81624 705 84819 755 87795 805 90580 855 93197 905 95666 955 98000
506 70415 556 74507 606 78247 656 81690 706 84880 756 87852 806 90634 856 93247 906 96713 956 98046
507 70501 557 74586 607 78319 657 81757 707 84942 757 87910 807 90687 857 93298 907 95761 957 98091
508 70586 558 74663 608 78390 658 81823 708 85003 758 87967 808 90741 858 93349 908 95809 958 98137
509 70672 559 74741 609 78462 659 81889 709 85065 759 88024 809 90795 859 93399 909 95856 959 98182
510 70757 560 74819 610 79533 000 81954 710 85128 700 98081 810 90849 960 93450 910 95904 960 98227
511 70842 561 74896 611 78604 661 82020 711 85187 761 88138 811 90902 861 93500 911 95952 961 98272
512 70927 562 74974 612 78675 662 82086 712 85248 762 88195 812 90956 862 93551 912 95999 962 98318
513 71012 563 75051 613 78746 663 82151 713 85309 763 88252 813 91009 863 93601 913 96047 963 98363
514 71096 564 75128 614 78817 664 82217 714 85370 764 88309 814 91062 864 93651 914 96095 964 98408
515 71181 565 75205 615 78888 665 82282 715 85431 765 88366 815 91116 885 93702 915 96142 965 98453
516 71265 566 75282 616 78958 666 82347 716 85491 766 88423 816 91169 866 93752 916 96190 966 98498
517 71349 567 75358 617 79029 667 82413 717 85552 767 88480 817 91222 867 93802 917 96237 967 98543
518 71433 568 75435 618 79099 668 82478 718 85612 768 88536 818 91275 868 93852 918 96284 968 98588
519 71517 569 75511 619 79169 669 82543 719 85673 769 88593 819 91328 869 93902 919 96332 969 98632
520 71600 570 75587 620 79339 670 92607 720 85733 770 89049 020 91381 870 93952 920 96379 970 98677
521 71684 571 75664 621 79309 671 82672 721 85794 771 88705 821 91434 671 94002 921 96426 971 98722
522 71767 572 75740 622 79379 672 82737 722 85854 772 88762 822 91487 872 94052 922 96473 972 98767
523 71850 573 75815 623 79449 673 82802 723 85914 773 88818 823 91540 873 94101 923 96520 973 98811
524 71933 574 75891 624 79518 874 82866 724 85974 774 88874 824 91593 874 94151 924 96567 974 98856
525 72016 575 76967 625 79588 675 82930 725 86034 775 88930 825 91645 875 94201 925 96614 975 98900
526 72099 576 76042 626 79657 676 82995 726 86094 776 88986 826 91698 876 94260 926 96661 976 98945
527 72181 577 76118 627 79727 677 83059 727 86153 777 89042 827 91751 877 94300 927 96708 977 98989
528 72263 578 76193 628 79796 678 83123 728 86213 778 89098 828 91803 878 94349 928 96755 978 99034
529 72346 579 76268 629 79865 679 83187 729 86273 779 89154 829 91855 879 94399 929 96802 979 99078
530 72420 590 35343 530 79934 890 53251 730 86332 790 90209 830 91908 880 94448 930 96848 990 99123
531 72509 581 76418 631 80003 681 83315 731 86392 781 89265 831 91960 881 94498 931 96895 981 99167
532 72591 582 76492 632 80072 682 83378 732 86451 782 89321 832 92012 882 94547 932 96942 982 99211
533 72673 583 76567 633 80140 683 83442 733 86510 783 89376 833 92065 883 94596 933 96988 983 99255
534 72754 584 76641 634 80209 684 83506 734 86570 784 89432 834 92117 884 94645 934 97035 984 99300
535 72835 585 76716 635 80277 685 83569 735 86629 785 89487 835 92169 885 94694 935 97081 985 99344
536 72916 586 76790 636 80346 686 83632 736 86688 786 89542 836 92221 886 94743 936 97128 986 99388
537 72997 587 76864 637 80414 687 83696 737 86747 787 89597 837 92273 887 94792 937 97174 987 99432
538 73078 888 76938 638 90482 688 83759 738 86806 788 89653 838 92324 888 94841 938 97220 988 99476
539 73159 589 77012 639 90550 689 83822 739 86864 789 89708 839 92378 889 94890 939 97267 889 99520
540 73339 590 77096 640 80018 690 85398 740 58023 790 90703 840 92428 909 94939 940 97313 990 99564
541 73320 591 77159 641 80686 691 83948 741 86982 791 89818 841 92480 891 94988 941 97359 991 99607
542 73400 592 77232 642 80754 692 84011 742 87040 792 89873 842 95531 892 95036 942 97405 992 99651
543 73480 593 77305 643 80821 693 84073 743 87099 793 89927 843 92583 893 95085 943 97451 993 99595
544 73560 594 77379 644 90889 694 84136 744 87157 794 89982 844 92634 894 95134 944 97497 994 99739
545 73640 595 77452 645 80956 695 84198 745 87216 795 90037 845 92686 895 95182 945 97543 995 99782
546 73719 596 77525 646 81023 696 84261 746 87274 796 90091 846 92737 896 95231 946 97589 996 99826
547 73799 597 77597 647 81090 697 84323 747 87332 797 90146 847 92788 897 95279 947 97635 997 99870
548 73878 598 77870 648 81158 698 84386 748 87390 798 90200 848 92840 898 95328 948 97681 998 99913
549 73957 599 77743 649 81224 699 84448 749 87448 799 90255 849 92891 899 95376 949 97727 999 99957
550 74938 600 77015 650 81291 700 34510 750 07506 000 80309 850 92942 900 98424 950 97772 1000 00000

Matemática Financeira 82 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

TABELA 6— VALORES ATUAIS (DESCONTO COMPOSTO)


1
Valores de = vn
(1 + i)n
n 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8%
1 0,9900990 0,9803922 0,9708738 0,9615385 0,9523810 0,9433962 0,9345794 0,9259259
2 0,9802961 0,9611688 0,9425959 0.9245562 0,9070295 0,8899964 0.8734387 0.8573388
3 0,9705902 0,9423223 0.9151417 0,8889964 0,8638376 0,8396193 0,8162979 0,7938322
4 0,9609803 0,9238454 0,888487 1 0,8548042 0,8227025 0,7920937 0,7628952 0,7350299
5 0,9514657 0,9057308 0.8626088 0,8219271 0,7835262 0,7472582 0,7129862 0,6805832

6 0,9420452 0,8879714 0,8374843 0,7903145 0,7462154 0,7049605 0,6663422 0.6301696


7 0,9327181 0,8705602 0,8130915 0,7599178 0,7106813 0,6650571 0,6227497 0,5834904
8 0,9234832 0,8531904 0.7894092 0,7306902 0,6768391 0,6274124 0,5820091 0,5402689
9 0,9143398 0,8367553 0,7664167 0,7025867 0,6446089 0,5918985 0,5439337 0,5002490
10 0,9052870 0,8203483 0,7440939 0,6755642 0,6139133 0,5583948 0,5083493 0,4631935

11 0,8963237 0,8042630 0,7224213 0,6495809 0,5846793 0,5267875 0,4750928 0,4288829


12 0,8874492 0,7884932 0,7013799 0,6245971 0,5568374 0,4969694 0,4440120 0,3971138
13 0,8786626 0,7730325 0.6809513 0,6005741 0,5303214 0,4688390 0,4149645 0,3676979
14 0,8699630 0,7578750 0,6611178 0,5774751 0,5050680 0,4423010 0,3878172 0,3404610
15 0,8613495 0,7430147 0,6418620 0,5552645 0,4810171 0,4172651 0.3624460 0,3152417

16 0,8528213 0,7284458 0,6231669 0,5339082 0,4581115 0,3936463 0.3387346 0,2918905


17 0,8443775 0,7141626 0.6050165 0,5133733 0.4362967 0.3713644 0,3165644 0,2702690
18 0,8360173 0,7001594 0.5873946 04936281 0,4155207 0,3503438 0,2958639 0,2502490
19 0,8277399 0,6864308 0,5702860 0,4746424 0,3957340 0,3305130 0,2765083 0,2317121
20 0,8195445 0,6729713 0,5536758 0,4563870 0,3768895 0,3118047 0,2584190 0.2145482

21 0,8114302 0,6597758 0.5375493 0,4388336 0,3589424 0,2941554 0,2415131 0,1986558


22 0,8033962 0,6468390 0.5218925 0,4219554 0,3418499 0.2775051 0,2257132 0,1839405
23 0,7954418 0,6341559 0.5066918 0,4057263 0,3255713 0.2617973 0,2109469 0.1703153
24 0,7875661 0,6217215 0,4919337 0,3901215 0,3100679 0.2469786 0,1971466 0,1576993
25 0,7797684 0,6095309 0,4776056 0,3751168 0,2953028 0.2329986 0,1842492 0,1460179

26 0,7720480 0,5975793 0,4636947 0,3606892 0,2812407 0,2198100 0,1721955 0,1352018


27 0,7644039 0,5858620 0,4501891 0,3468166 0,2678483 0,2073680 0,1609304 0.1251868
28 0,7568356 0,5743746 0,4370768 0,3334775 0,2550936 0,1956301 0.1504022 0.1159137
29 0,7493421 0,5631123 0,4243464 0,3206514 0,2429463 0,1845567 0,1405628 0,1073275
30 0,7419229 0,5520709 0,41 19868 0,3088187 0,2313775 0.1741 101 0,1313641 0.0993773

Matemática Financeira 83 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
TABELA 7 — CAPITALIZAÇÃO

Valores de
n 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8%
1 1,0000000 1,0000000 1,0000000 1,0000000 1,0000000 1.0000000 1,0000000 1.0000000
2 2,0100000 2,0200000 2,0300000 2,0400000 2,0500000 2,0600000 2,0700000 2,0800000
3 3,0301000 3,0604000 3,0909000 3,1216000 3,1525000 3,1836000 3,2149000 3,2464000
4 4,0604010 4,1216080 4.1836270 4,2464640 4,3101250 4.3746160 4,4399430 4,5061120
5 5,1010050 5,2040402 5,3091358 5,4163226 5,5256313 5,6370930 5,7507390 5.8666010

6 6,1520151 6,3081210 6,4684099 6,6329755 6,8019128 6.9753185 7,1532907 7,3359290


7 7,2135352 7,4342834 7,6624622 7,8982945 8,1420085 8,3938377 8,6540211 8,9228034
8 8,2856706 8,5829691 8,8923361 9,2142263 9,5491089 9,8974679 10,2598026 10.6366276
9 9,3685273 9,7546284 10,1591061 10,5827953 11,0265643 11,4913160 11,9779888 12,4875578
10 10,4622125 10,9497210 11,4638793 12,0061071 12,5778925 13,1807949 13,8164480 14.4865625

11 11,5668347 12,1687154 12,8077957 13,4863514 14,2067872 14,9716426 15,7835993 16.6454875


12 12,6825030 13,4120897 14,1920296 15,0258055 15,9171265 16,8699412 17,8884513 18,9771265
13 13,8093280 14,6803315 15,6177905 16,6268377 17,7129829 18,8821377 20,1406429 21,4952966
14 14,9474213 15,9739382 17,0863242 18,2919112 19,5986320 21,0150659 22,5504879 24.2149203
15 16,0968955 17,2934169 18,5989139 20.0235876 21,5785636 23,2759699 25,1290220 27,1521139

16 17,2578645 18,6392853 20,1568813 21,8245311 23,6574918 25,6725281 27,8880536 30,3242830


17 18,4304431 20,0120710 21,7615877 23,6975124 25,8403664 28.2128798 30,8402173 33,7502257
18 19,6147476 21,4123124 23,4144354 25,6454129 28.1323847 30,9056526 33,9990325 37,4502437
19 20,8108950 22,8405587 25,1168684 27,6712294 30,5390039 33,7599917 37,3789648 41,4462632
20 2Z0190040 24,2973698 26,8703745 29,7780786 33,0659541 36,7855912 40,9954923 45,7619643

21 232391940 257833172 28,6764857 31,9692017 35,7192518 39,9927267 44,8651768 50.4229214


22 244715860 27:2989835 30,5367803 34,2479698 38.5052144 43.3922903 49,0057392 55.4567552
23 25>163018 28,8449632 32,4528837 36,6178886 41,4304751 46,9958277 53,4361409 60,8932956
24 26,9734649 30,4218625 34,4264702 39,0826041 44,5019989 50,8155774 58,1766708 66,7647592
25 28,2431995 32,0302997 36,4592643 41,6459083 47,7270988 54,8645120 63.2490377 73,1059400

26 29,5256315 33,6709057 38,5530423 44,3117446 51,1134538 59,1563827 68,6764704 79,9544152


27 30,8208878 35.3443238 40,7096335 47,0842144 54,6691265 63,7057657 74,4838232 87,3507684
28 32,1290967 37,0512103 42.9309225 49,9675830 58,4025828 68.5281116 80,6976909 95,3388298
29 33,4503877 38,7922345 45,2188502 52,9662863 62,3227119 73,6397983 87,3465293 103,9659362
30 34,7848915 40,5680793 47,5754157 56,0849378 66.4388475 79.0581862 94,4607863 113,2832111

Matemática Financeira 84 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos
TABELA 8 — VALORES ATUAIS (RENDAS CERTAS)

Valores de
n 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8%
1 0,9900990 0,9803921 0,9708738 0,9615385 0,9523810 0,9433962 0,9345794 0.9259259
2 1,9703951 1,9415609 1,9134697 1,8860947 1,8594104 1,8333927 1,8080182 1,7832648
3 2,9409852 2,8838833 2.8286114 2,7750910 2,7232480 2,6730120 2,6243160 2,5770970
4 3.9019656 3,8077287 3,7170984 3,6298952 3,5459505 3,4651056 3,3872113 3,3121268
5 4,8534312 4,7134595 4,5797072 4,4518223 4,3294767 4,2123638 4,1001974 3,9927100
6 5,7954765 5,6011431 5,4171914 5,2421369 5,0756921 4,9173243 4,7665397 4,6228797
7 6,7281945 6,4719911 6,2302830 6,0020550 5;7863734 5,5823814 5,3892894 5,2063701
8 7,6516778 7,3254814 7,0196922 6,7327449 6,4632128 6,2097938 5,9712985 5,7466389
9 8,5660176 8,1622367 7.7861090 7,4353316 7,1078217 6.8016923 6,5152323 6,2468879
10 9,4713045 8,9825850 8,5302028 8,1108958 7,7217349 7,3600871 7,0235815 6,7100814
11 10,3676283 9,7868481 9,2526241 8,7604767 8,3064142 7,8868746 7,4986743 7,1389643
12 11,2550775 10,5753412 9,9540040 9,3850738 8,8632516 8,3838439 7,9426863 7,5360780
13 12,1337401 11,3483738 10,6349553 9,9856475 9,3935730 8,8526830 8,3576507 7,9037759
14 13,0037030 12,1062488 11,2960731 10,5631229 9,8986409 9,2949839 9,0138423 8,2442370
15 13,8650525 12,8492635 11,9379351 11,1183874 10,3796580 9,7122490 9,1079140 8,5594787
16 14,7178738 13,5777093 12,5611020 11,6522956 10,8377696 10,1058953 9,4466486 8.8513692
17 15,5622513 14,2918719 13,1661185 12,1656689 11,2740663 10,4772597 9,7632230 9,1216381
18 16,3982686 14,9920313 53,7535131 12,6592970 11,6895869 10,8276035 10,0590869 9,3718871
19 17,2260085 15,6784620 14,3237991 13,1339394 12,0853209 11,1581165 10,3355952 9,6035992
20 18.0455530 16,3514333 14,8774749 13,5903263 12,4622103 11,4699212 10,5940143 9,8181474
21 18,8569831 17,0112092 15,4150241 14,0291600 12,8211527 11,7640766 10,8355273 10,0168031
22 19,6603793 17,6580482 15,9369166 14,4511153 13,1630026 12,0415817 11,0612405 10,2007437
23 20,4558211 18,2922041 16,4436084 14,8568417 13,4885739 12,3033790 11,2721874 10,3710590
24 21,2433873 18,9139256 16,9355421 15,2469631 13,7986418 12,5503575 11,4693340 10,5287583
25 22,0231557 19,5234565 17,4131477 15,6220799 14,0939446 12,7833562 11,6535832 10,6747762
26 22,7952037 20,1210358 17,8768424 15,9827692 14,3751853 13,0031662 11,8257787 10,8099780
27 23,5596076 20,7068978 18,3270315 16,3295858 14,6430336 13,2105341 11,9867090 10,9351648
28 24,3164431 21,2812724 18,7641082 16,66~0632 14,8981273 13,4061643 12,1371113 11,0510785
29 25,0657853 21,8443847 19,1884546 16,9837146 15,1410736 13,5907210 12,2776471 11,1584060
30 25,8077082 22,3964556 19,6004414 17,2920333 15,3724510 13,7648312 12,4090412 11,2577833j
.
TABELA 9—
9— AMORT IZAÇÃO

Valores de
n 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9% 10%
1 1,0100000 1,0200000 1,0300000 1,0400000 1,0500000 1,0600000 1,0700000 1,0800000 1.0900000 1,1000000
2 0,5075124 0,5150495 0,5226108 0,5301961 0,5378049 0,5454369 0,5530918 0,5607692 0,5684689 0,5761905
3 0,3400221 0,3467547 0.3535304 0,3603485 0,3672086 0,3741098 0.3810517 0,3880335 0,3950548 0,4021148
4 0,2562811 0,2626238 0.2690271 0.2754901 0,2820118 0,2885915 0,2952281 0,3019208 0.3086687 0,3154708
5 0,2060398 0,2121584 0,2183546 0,2246271 0,2309748 0,2373964 0,2438907 0.2504565 0.2570925 0,2637975
6 0,1725484 0,1785258 0,1845975 0,1907619 0.1970175 0,2033626 0,2097958 0.2163154 0.2229198 0,2296074
7 0,1486283 0,1545120 0,1605064 0,1666096 0,1728198 0.1791350 0,1855532 0,1920724 0,1986905 0,2054055
8 0,1306903 0,1365098 0,1424564 0,1485278 0,1547218 0,1610359 0,1674678 0,1740148 0.1906744 0,1874440
9 0,1167404 0,1225154 0,1284339 0,1344930 0.1406901 0,1470222 0,1534865 0,1600797 0.1667988 0.1736405
10 0,1055821 0,1113265 0,1172305 0,1232909 0,1295046 0.1358680 0,1423775 0,1490295 0,1558201 0,1627454
11 0,0964541 0,1021779 0,1080775 0,1141490 0,1203889 0.1267929 0,1333569 0,1400763 0.1469467 0,1539631
12 0,0888488 0,0945596 0,1004621 0,1065522 0,1128254 0.1192770 0,1259020 0.1326950 0,1396507 0,1467633
13 0,0824148 0,0882404 0.0940295 0,1001437 0,1064558 0,1129601 0,1196509 0,1265218 0,1335666 0,1407785
14 0,0769012 0,0826020 0,0885263 0.0946690 0.1010240 0,1075849 0,1143449 0,1212969 0,1284332 0,1357462
15 0,0721238 0,0778255 0,0837666 0.0899411 0,0963423 0,1029628 0,1097946 0,1168295 0,1240589 0,1314738
16 0,0679446 0,0736501 0.0796109 0,0858200 0.0922699 0.0989521 0,1058577 0,1129769 0,1202999 0,1278166
17 0,0642581 0,0699698 0,0759525 0,0821985 0,0886991 0,0954448 0,1024252 0,1096294 0,1170463 0,1246641
18 0,0609821 0,0667021 0,0727087 0,0789933 0,0855462 0,0923565 0,0994126 0,1067021 0,1142123 0,1219302
19 0,0580518 0,0637818 0.0698139 0,0761386 0.0827450 0,0896209 0,9967530 0,1041276 0,1117304 0,1195469
20 0,0554153 0,0611567 0,0672157 0,0735818 0,0802426 0,0871846 0,0943929 0,1018522 0,1095465 0,1174596
21 0,0530308 0,0587848 0,0648718 0,0712801 0,0779961 0,0850046 0,0922890 0,0998323 0,1076166 0,1156244
22 0,0508637 0,0566314 0,0627474 0,0691988 0,0759705 0,0830456 0,0904058 0,0980321 0,1059050 0.1140051
23 0,0488858 0,0546681 0,0608139 0,0673091 0,0741368 0.0812785 0,0887139 0,0964222 0,1043819 0,1125718
24 0,0470735 0,0528711 0,0590474 0,0655868 0,0724709 0,0796790 0,0871890 0,0949780 0,1030226 0,1112998
25 0,0454068 0,0512204 0,0574279 0,0640120 0.0709525 0,0782267 0,0858105 0,0936788 0,1018063 0,1101681
26 0,0438689 0,0496992 0,0559383 0.0625674 0,0695643 0,0769044 0,0845610 0,0925071 0,1007154 0,1091590
27 0.0424455 0,0482931 0,0545642 0,0612385 0,0682919 0.0756972 0,0834257 0,0914481 0,0997349 0,1082576
28 0,0411244 0,0469897 0,0532932 0,0600130 0,0671225 0.0745926 0,0823919 0,0904889 0,0988521 0,1074510
29 0,0398950 0,0457784 0,0521147 0,0588799 0,0660455 0,0735796 0,0814487 0.0896185 0,0980557 0,1067281
30 0,0387481 0,0446493 0,0510193 0,0578301 0.0650514 0,0726489 0,0805864 0,0888274 0,0973364 0,1060793

Matemática Financeira 85 A Opção Certa Para a Sua Realização


APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos

_____________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________________________________

Matemática Financeira 86 A Opção Certa Para a Sua Realização

Você também pode gostar