Você está na página 1de 8

RECIFE

Colégio Salesiano Sagrado Coração


Aluna(o): _____________________________________________ Nº: _________ Turma: 3º ano ________
Recife, ______ de ________________ de 2015
Disciplina: Química Professor: Eber Barbosa

]
Introdução ao Estudo da Eletroquímica
01 – Alessandro Volta
Alessandro Giuseppe Antonio Anastasio Volta nasceu em 18
de fevereiro de 1745, na pequena cidade de Como, próxima de Milão, na
Itália.
Estudou boa parte de sua vida no colégio dos jesuítas, mas, aos
16 anos, o abandonou para estudar por conta própria, apenas com a
assistência de um cônego. Esse cônego e amigo de Volta foi Gattoni, que
além de lhe ensinar os princípios básicos de Física, também lhe forneceu
alguns aparelhos necessários para suas experimentações.
Apesar de seu tio o incentivar a estudar Direito, ele estava
decido a estudar Física. E, incrivelmente, Volta aprendeu sozinho Física,
Matemática, Latim, Francês, Alemão e Inglês.
Mesmo não possuindo um diploma ou não tendo defendido
uma tese, Alessandro Volta conseguiu com a ajuda do governador da
Lombardia austríaca, Carlo di Firmian, um emprego como professor. Com o
tempo ele passou de professor substituto a professor regente. Além disso,
também conseguiu a cátedra de professor de Física Experimental nas escolas
de Como.
Ele se tornou um inventor muito notável. Um dos seus
primeiros inventos foi realizado em 1776, que foi o eudiômetro, um aparelho Uma das maiores invenções de
que por meio de uma centelha elétrica causava a reação entre dois Alessandro Volta foi a pilha elétrica
compostos gasosos.
Volta usou esse aparelho para confirmar as leis das proporções definidas de Proust e as dos gases, incluindo
a lei da dilatação dos gases submetidos a aquecimento, que foi uma lei que ele próprio determinou, juntamente com Gay-
Lussac.
Naquele mesmo ano, Alessandro Volta isolou o gás metano, descoberta que aumentou ainda mais a sua
fama, tanto que ele foi escolhido para lecionar na Universidade de Pávia, em 1779, da qual posteriormente se tornou o
reitor.
Ele também sugeriu a produção industrial de vacinas, difundiu o uso do amianto para a indústria, difundiu
também a cultura controlada do bicho-da-seda e racionalizou o cultivo do lúpulo e da batata.
Entretanto, a invenção que mais lhe trouxe créditos foi a pilha elétrica, em 1800. Ele causou uma
enorme agitação no mundo científico quando empilhou discos alternados de zinco e cobre, separando-os por pedaços de
tecidos embebidos em solução de ácido sulfúrico. Esse aparelho que produzia corrente elétrica, sempre que um fio
condutor era ligado aos discos de zinco e de cobre das extremidades, passou a ser chamado de pilha de Volta. A partir daí,
todos os aparelhos que produziam eletricidade por meio de processos químicos passaram a ser denominados pelos
seguintes nomes: celas voltaicas (em homenagem a Volta), pilhas galvânicas (em homenagem a Luigi Galvani (1737-1827))
ou, simplesmente, pilhas.
Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química
Brasil Escola
http://www.brasilescola.com/quimica/alessandro-volta.htm

1
Introdução ao Estudo da Eletroquímica
02 – Introdução ao Estudo da Eletroquímica
Eletroquímica é o estudo das relações existentes entre os fenômenos elétricos e as reações químicas.
Liberação de energia livre, que possibilita realização
Pilha de trabalho útil.
(Espontâneo, ΔG < 0)

Reação Química Corrente Elétrica


Eletrólise
(Não espontâneo, ΔG > 0)
Consumo de energia livre.

03 – Conceitos Fundamentais da Eletroquímica


Corrente Elétrica – Movimento ordenado de cargas (elétrons, cátions, ânions). Esse deslocamento de cargas pode
ser obtido, por exemplo, durante as reações químicas em que átomos cedem e recebem
elétrons, conforme ilustrado abaixo...

Na + C Na+C–
Ganhou elétron = sofreu REDUÇÃO
Perdeu elétron = sofreu OXIDAÇÃO

Oxidação – É a perda de elétrons acompanhada de aumento de carga.


Redução – É o ganho de elétrons acompanhado de redução de carga.
Reação de oxi-redução – É aquela em que ocorre oxidação e redução, simultaneamente, ou seja, ocorre
transferência de elétrons gerando um fluxo de elétrons

Agente oxidante – Reagente que provoca a oxidação de outra espécie. Oxidante é a espécie que sofre redução.
Agente redutor – Reagente que provoca a redução de outra espécie. Redutor é a espécie que sofre oxidação.

Agente oxidante = Espécie reduzida


Agente redutor = Espécie oxidada
Exemplo: Cu+2(aq) + Zn0(s) ⇄ Cu0(s) + Zn+2(aq)
Cu+2(aq) = é o agente oxidante.
Aumento do nox = oxidação
Zn0(s) = é o agente redutor
Redução do nox = redução

Observações: Um bom agente redutor apresenta forte tendência de se oxidar, ou seja, elevado potencial de oxidação.
Um bom agente oxidante apresenta forte tendência de se reduzir, ou seja, elevado potencial de redução.
Os agentes oxidantes e redutores sempre são reagentes, nunca produtos de uma reação (lógico).

Comentários Adicionais:

2 Introdução ao Estudo da Eletroquímica


Potencial de redução (Ered) – Valor numérico que expressa, relativamente, a tendência de ganhar elétrons
apresentada por uma espécie química.

Potencial de oxidação (Eoxid) – Valor numérico que expressa, relativamente, a tendência de perder elétrons,
apresentada por uma espécie química.

Ânodo – Região que emite elétrons.


Importante: No ânodo ocorre oxidação.
Cátodo – Região que recebe elétrons. No cátodo ocorre redução.
Eletrodo Metálico – É o conjunto formado por uma barra metálica* e uma solução de um de seus sais. O objetivo
do sal é fornecer cátions do mesmo elemento químico da barra metálica.
Placa metálica do
* Nem sempre o eletrodo é
metal M metálico, como ocorre no
eletrodo padrão de hidrogênio
que será posteriormente
estudado.
M+y(aq) Solução de um sal do metal M
MxAy
A–x(aq)
Ag0(S)
Exemplo: Eletrodo de prata = placa de prata metálica mergulhada em
solução aquosa de cátions prata.
Ag+(aq)

Pilha – Também chamada de célula ou cela galvânica é o dispositivo espontâneo que produz corrente
elétrica a partir de reações de oxi-redução.

04 – Pólos Positivos e Negativos


Elétrons, que são cargas negativas, se afastam do pólo negativo.
Em processos espontâneos Dessa forma o pólo negativo é chamado de ânodo.

Elétrons, que são cargas negativas, se aproximam do pólo positivo.


Dessa forma o pólo positivo é chamado de cátodo.

Elétrons, que são cargas negativas, se aproximam do pólo negativo.


Em processos não espontâneos Dessa forma o pólo negativo é chamado de cátodo.

Elétrons, que são cargas negativas, se afastam do pólo positivo.


Demonstrações: Dessa forma o pólo positivo é chamado de ânodo.

Processo espontâneo – Pilha Processo não espontâneo – Eletrólise

– –
Deslocamento Elétron Elétron Deslocamento
espontâneo forçado

Pólo Pólo Pólo Pólo


positivo negativo positivo negativo

Atuando como câtodo Atuando como ânodo Atuando como ânodo Atuando como câtodo
porque dele se porque dele se porque dele estão se porque dele se
aproximam os elétrons afastam os elétrons afastando os elétrons aproximam os elétrons

Introdução ao Estudo da Eletroquímica 3


05 – Interpretando as Reações de Oxi–redução
5.A – Redução de Cátions Metálicos

Zn+2(aq) + 2 e– ⇆ Zn0(s) .... podemos imaginar uma solução aquosa de cátions zinco recebendo
elétrons através de um material condutor, produzindo zinco sólido...
Esses cátions zinco ganham elétrons e
são retirados da solução. O metal zinco se forma à medida que
os cátions são retirados da solução
Com o tempo essa solução torna-se
menos concentrada em cátions zinco. Ocorre um acúmulo de massa de
e– zinco sólido.
e–
Importante não esquecer: a 25oC e 1atm
O metal neutro é sólido.
e– e–
O cátion metálico é aquoso.

e– e–

Zn+2(aq)
Zn +2
(aq) Zn+2(aq)
+2
Zn (aq)
Zn+2(aq) Início Fim

5.B – Oxidação de Metais


Zn0(s) ⇆ Zn+2(aq) + 2 e–

Imagine agora uma placa de zinco sólida Cátions zinco estão se


e– e– formando e “mergulhando” na
perdendo elétrons e se desmanchado, se
desfazendo e caindo na solução na forma de solução, aumentando cada vez
Zn0(s)
cátions... mais a concentração da solução
(coitadinha da placa de zinco). aquosa de cátions zinco.
Os cátions
Zn0(s)
não são sólidos.
Início

Zn+2(aq)
Fim
Não esqueça:
Zn+2(aq) + 2 e– ⇆ Zn0(s) Zn0(s) ⇆ Zn+2(aq) + 2 e–
Nas equações químicas:
elétron escrito nos reagentes significa Nas equações químicas:
elétron absorvido elétron escrito nos produtos significa
elétron liberado
5.C – Oxi–reduções

Nas reações de oxi-redução a variação da carga está relacionada à quantidade elétrons transferidos.

Cu+2(aq) + Zn0(s) ⇄ Cu0(s) + Zn+2(aq) 1 mol de metal zinco


perdeu 2 mol de elétrons para
1 mol de cátions cobre
O metal zinco perdeu 2 e–.

O cátion cobre ganhou 2 e–.

4 Introdução ao Estudo da Eletroquímica


06 – Tabela de Potenciais de Redução
Expressa matematicamente a tendência relativa de ganhar elétrons das espécies químicas.

Aℓ+3(aq) + 3 e– ⇄ Aℓ (s) Ered = – 1,66 volts


Fe+2(aq) + 2 e– ⇄ Fe(s) Ered = – 0,44 volts
Ag+1(aq) + 1 e– ⇄ Ag(s) Ered = + 0,80 volts

O cátion alumínio em comparação com os demais cátions...


O cátion alumínio apresenta a menor tendência de ganhar elétrons (menor potencial de redução).
Conseqüentemente apresenta um elevado potencial de oxidação, ou seja, possui forte tendência de ceder
elétrons para as demais espécies desta tabela. Aℓ (s) ⇄ Aℓ+3(aq) + 3 e– Eoxid = + 1,66 volts
Se o cátion alumínio tem forte tendência de sofrer oxidação, deve ser um bom agente redutor.

Com relação ao cátion prata comparado aos demais cátions da tabela acima....
O cátion prata apresenta a maior tendência de ganhar elétrons (maior potencial de redução).
Conseqüentemente apresenta um baixo potencial de oxidação, ou seja, não tende a ceder elétrons para as
demais espécies desta tabela (deve ser um bom agente oxidante).

Vamos nos certificar de que você entendeu. Para isso considere uma lâmina de alumínio adequadamente
interligada a uma lâmina de ferro (considere as lâminas mergulhadas em soluções aquosas de seus sais).
Menor ERed
e– e– (Tende a perder e–)
Considerando que...
Aℓ+3(aq) + 3 e– ⇆ Aℓ (s) Ered = – 1,66 volts
Fe(s)
Aℓ(s)
e– Fe+2(aq) + 2 e– ⇆ Fe(s) Ered = – 0,44 volts
Aℓ(s)
Aℓ+3(aq) Aℓ+3(aq) Fe+2(aq) Fe+2(aq) Maior ERed
Aℓ(s) Aℓ+3(aq) (Tende a ganhar e–)
Aℓ+3(aq) Fe+2(aq) Fe+2(aq)
Aℓ+3(aq)
Aℓ+3(aq) Fe+2(aq) Fe+2(aq)

Os átomos metálicos Aℓ(s) tendem a perder elétrons. Os cátions Fe+2(aq) tendem a ganhar elétrons.
Os átomos de Aℓ(s) sofrem oxidação. Os cátions Fe+2(aq) sofrem redução.
Atuam como agente redutor. Atuam como agente oxidante.
Ânodo do sistema espontâneo. Cátodo do sistema espontâneo.
Polo negativo do sistema espontâneo. Polo positivo do sistema espontâneo.
Haverá uma corrosão ou perda de massa da placa de alumínio. Haverá um acúmulo de massa sobre a placa de ferro.

Comentários Adicionais:
Reação anódica: Aℓ0(s) ⇆ Aℓ+3(aq) + 3 e– Eoxi = + 1,66 volts (O metal Aℓ(s) cede elétrons e sofre oxidação).

Reação catódica: Fe+2(aq) + 2 e– ⇆ Fe0(s) Ered = – 0,44 volts (O ânion Fe+2(aq) absorve elétron e sofre redução).

Importante: Para se obter a equação global deve-se igualar o número de elétrons das duas reações parciais porque a
quantidade de eletros cedidos é igual à quantidade de elétrons recebidos.

2 Aℓ0(s) ⇆ 2 Aℓ+3(aq) + 6 e– Eoxi = + 1,66 volts Perceba que os potenciais


+ 3 Fe+2(aq) + 6 e– ⇆ 3 Fe0(s) Ered = – 0,44 volts
não foram multiplicados ao
se multiplicar cada reação.

Reação global: 2 Aℓ0(s) + 3 Fe+2(aq) ⇆ 2 Aℓ+3(aq) + 3 Fe0(s) ΔE = + 1,22 volts

Leitura dessa reação global: 2 mols de alumínio sólido cedem 6 mols de elétrons para 3 mols de cátions ferro...

Introdução ao Estudo da Eletroquímica 5


Testes de
Vestibulares

01 – (UFPE – 1a fase/2001) As pilhas de níquel-cádmio, que viabilizaram o uso de telefones celulares e computadores
portáteis, são baseadas na seguinte reação:
Cd(s) + NiO2(s) + H2O(l)  Cd(OH)2(s) + Ni(OH)2(s).
Considerando este processo, quantos mols de elétrons são produzidos por mol de cádmio consumido?
a) 0,5 b) 1 c) 2 d) 3 e) 4

02 – (UFPE – Vitória e Caruaru/2007) A história das pilhas é antiga. Em 1600, Otto Von Guericke inventou a primeira
máquina para produzir eletricidade. Os outros pesquisadores como Galvani, Volta e Daniell também se dedicaram ao
desenvolvimento de células eletroquímicas. A célula de Daniell (ou pilha de Daniell) é um exemplo antigo de célula
galvânica. Ela foi inventada pelo químico britânico John Daniell, em 1836. Esta célula pode ser descrita resumidamente
pela figura a seguir:
Elétrons

Zinco Cobre

Zn+2(aq) Cu+2(aq)

Nesta célula o eletrodo de zinco é denominado ânodo ( Zn(s)  Zn2+ + 2 e–),


e o eletrodo de cobre é o cátodo ( 2 e– + Cu2+  Cu(s)).
Neste sistema, o Zn(s) e o Cu2+ sofrem, respectivamente, um processo de:
a) oxidação e redução. c) redução e redução. e) redução e neutralização.
b) redução e oxidação. d) oxidação e oxidação.

03 – (UFRPE – Garanhuns e Serra Talhada/2008.2) Objetos de prata escurecem, principalmente, devido à formação do
sulfeto de prata, Ag2S. Eles podem ser limpos eletroquimicamente, sem perda da prata, mergulhando-os em um
recipiente de alumínio contendo solução quente de bicarbonato de sódio. Nesse processo, a prata e o Ag 2S atuam como
o cátodo, e o alumínio como o ânodo de uma pilha.
Assinale a semi-reação que ocorre no cátodo.

a) Ag2S + 2 e− ⇄ 2 Ag(s) + S2−(aq) d) Ag2S ⇄ 2 Ag(s) + S(s)


b) Ag2S + 2 e− ⇄ 2 Ag(s) + S(s) e) Ag2S ⇄ 2 Ag(s) + S2−(aq)
c) Ag2S ⇄ 2 Ag(s) + S2−(aq) + 2 e−

04 – (UPE – Quí. I/2010) Sabe-se que objetos de prata perdem o brilho pelo contato com o oxigênio e com compostos
sulfurados presentes na atmosfera. O processo de escurecimento consiste na formação sobre a superfície do objeto de
uma camada de sulfeto de prata que lentamente se deposita com o passar do tempo. Verificou-se que, imergindo o
objeto de prata escurecido em um recipiente revestido com papel alumínio, contendo uma solução de cloreto de sódio,
ele volta ao brilho original. É CORRETO afirmar que, no processo de limpeza da superfície metálica do objeto, ocorre a
reação representada pela equação:
Dados: { Ag2S(S) + 2 e–  2 Ago(S) + S2–(aq) E0 = – 0,70V } { Aℓ+3(aq) + 3 e–  Aℓ0(S) E = – 1,68V }
a) Ag2S(S) + Aℓ0(S) ⇄ 2 Ag1+(aq) + Aℓ+3(aq) + S2–(aq)
b) Ag2S(S) + 2 Aℓ0(S) ⇄ Ag1+(aq) + S2–(aq) + 2 Aℓ+2(aq)
c) 3 Ag2S(S) + 2 Aℓ0(S) ⇄ 6 Ag0(S) + 2 Aℓ+3(aq) + 3 S2–(aq)
d) Ag2S(S) + Aℓ0(S) ⇄ 2 Ag0(aq) + Aℓ+3(aq) + S0(aq)
e) 3 Ag2S(S) + 2 Aℓ3+(aq) ⇄ 6 Ag0(aq) + 2 Aℓ0(aq) + 3 S2–(aq)

6 Introdução ao Estudo da Eletroquímica


05 – (Enem – 1a prova/2009) Pilhas são dispositivos tão comuns em nossa sociedade que, sem percebermos, carregamos
vários deles juntos ao nosso corpo; elas estão presentes em aparelhos MP3, relógios, rádios, celulares etc. As
semireações descritas a seguir ilustram o que ocorre em uma pilha de óxido de prata.
Zn(S) + 2 OH– (aq) ⇄ ZnO(S) + H2O(ℓ) + 2 e–
Ag2O(S) + H2O(ℓ) + 2 e– ⇄ 2 Ag(S) + 2 OH–(aq)
Podemos afirmar que esta pilha
a) é uma pilha ácida.
b) apresenta óxido de prata como o ânodo.
c) apresenta o óxido de zinco como o agente oxidante.
d) tem como reação da célula a seguinte reação: Zn(S) + Ag2O(S) ⇄ ZnO(S) + 2 Ag(S).
e) apresenta fluxo de elétrons na pilha do eletrodo de Ag2O para o Zn.

06 – (UFPE – 1a fase/94) A tabela abaixo apresenta os potenciais – padrão de redução de alguns elementos.
Li+ + e–  Li – 3,05 V
Aℓ+3 + 3 e–  A – 1,66 V
Zn+2 + 2 e–  Zn – 0,77 V
Fe+2 + 2 e–  Fe – 0,41 V
Cu+2 + 2 e–  Cu + 0,34 V
Qual desses elementos é mais facilmente oxidado?
a) Li b) A c) Zn d) Fe e) Cu

07 – (UFPE – 1a fase/89) Mergulhando uma lâmina de zinco numa solução contendo cátions Cu++, ocorre a seguinte reação:
Cu++(aq) + Zn(s)  Cu(s) + Zn++(aq)
Assinale a alternativa correta:
a) O cátion cobre é o redutor porque se reduz. d) O cátion cobre é o oxidante porque se reduz.
b) O zinco é o redutor porque se reduz. e) O zinco é o oxidante porque se oxida.
c) O zinco é o oxidante porque se reduz.

08 – (UFPE – 2a fase/2000) Uma pilha é construída associando-se uma semicélula com um eletrodo de Aℓ em solução de
Aℓ+3 e uma semicélula com eletrodo de Ag em solução de Ag+. Qual a massa perdida pelo eletrodo de alumínio quando
1,0 mol de Ag+ reduz-se a prata metálica ?
(Dado: Aℓ= 27 g/mol)

09 – (UPE – Tradicional/2013) Um grupo internacional de cientistas descobriu uma reação química complexa, responsável
pela deterioração de algumas das grandes obras artísticas da história, produzidas por Vincent van Gogh (1853–1890) e
outros pintores famosos no século XIX. Em suas investigações, esses pesquisadores envelheceram os pigmentos
artificialmente e verificaram que o escurecimento da camada superior estava relacionado com uma mudança do cromo
presente na tinta de Cr(VI) para Cr(III).
Disponível em: http://agencia.fapesp.br/13455 (Adaptado)

Dados: Cr (Z = 24), configuração eletrônica: [Ar] 4s1 3d5

Diante da situação acima relatada, é CORRETO afirmar que a(o)

a) oxidação do Cr(VI) para Cr(III) tem deteriorado grandes obras artísticas da história.
b) envelhecimento dos quadros se relaciona à excitação eletrônica do CuO para o Cr3+.
c) processo de redução do Cr6+ para o Cr3+ tem escurecido obras famosas do século XIX.
d) transformação ocorrida tem oxidado o CuO, responsável pelo brilho da pintura original.
e) mudança do Cr(VI) para Cr(III) é uma reação química que só acontece depois de muitos anos.

Introdução ao Estudo da Eletroquímica 7


10 – (UFPE – CTG/2012.2) Uma pilha de uso comercial é baseada na reação de óxido de prata (Ag2O) com um ânodo de
zinco, produzindo prata metálica e óxido de zinco (ZnO). Esta pilha funciona em meio alcalino, e apresenta as seguintes
características:

I II
0 0 na reação da pilha, o Ag2O recebe elétrons.
1 1 o zinco atua como agente oxidante.
2 2 a prata tem seu estado de oxidação decrescido de 2 unidades.
3 3 para cada mol de óxido de prata consumido, também são consumidos 2 mols de zinco.
4 4 no óxido de zinco, o estado de oxidação do zinco é +1.

11 – (UPE – Tradicional/2012) Uma das formas de detecção da embriaguez no trânsito é feita por meio de um bafômetro
que contém um dispositivo com o sistema dicromato de potássio em meio ácido. Esse sistema em contato com álcool
etílico, proveniente do bafo do motorista, provoca uma mudança na coloração. A equação simplificada que descreve o
processo é apresentada a seguir:
Dados: massas molares, Cr = 52 g/mol; O = 16 g/mol.

Cr2O72–(aq) + 8 H+(aq) + 3 CH3CH2OH(g)  2 Cr3+(aq) + 3 CH3CHO(g) + 7 H2O(ℓ)

Diante disso, analise as seguintes considerações:

I. A equação descrita refere-se a um processo químico, e, para que ele ocorra, o meio deve estar ácido.
II. Há 216 gramas do íon dicromato em uma unidade de quantidade matéria, mol.
III. 3 (três) mols de elétrons foram perdidos e ganhos na reação química.
IV. A equação química necessita ser balanceada.
V. O íon dicromato é o agente redutor, e o álcool etílico, o agente oxidante.

São CORRETAS apenas

a) II e V. b) I e IV. c) I, II e V. d) I e II. e) I, III e IV

12 – (UFMG) Um fio de ferro e um fio de prata foram imersos em um mesmo recipiente contendo uma solução de sulfato
de cobre (II), de cor azul. Após algum tempo, observou-se que o fio de ferro ficou coberto por uma camada de cobre
metálico, o de prata permaneceu inalterado e a solução adquiriu uma coloração amarelada.
Com relação a essas observações, é correto afirmar que:
a) a oxidação do ferro metálico é mais fácil que a do cobre metálico.
b) a solução ficou amarelada devido à presença dos íons Cu2+.
c) a substituição do sulfato de cobre (II) pelo cloreto de cobre (II) não levaria às mesmas observações.
d) o cobre metálico se depositou sobre o ferro por este ser menos reativo que a prata.

Resoluções de Testes
Comentários Adicionais

Comunique-se com seu professor: quimicaeber@outlook.com


8 Introdução ao Estudo da Eletroquímica