Você está na página 1de 99

informática

1
Sistemas Operacionais
e Softwares Aplicativos
Parte 2
Informática
Sistemas operacionais
e softwares aplicativos
Parte 2
Luciene Cavalcanti Rodrigues
João Paulo Lemos Escola

São Paulo
2010
Sumário
Parte 2 - Capítulos 10 a 15
Os capítulos 1 a 9 encontram-se na parte I do volume 1.

233 Capítulo 10 10.23. Personalizar a área de trabalho. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 247


Microsoft Windows Vista 10.24. Modificar exibição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 249
10.1. Área de trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 234 10.25. Formatar discos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 249
10.2. Barra de tarefas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 234 10.26. Arquivo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 250

10.3. Pasta com nome do usuário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 235 10.27. Pastas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 250


10.28. Manipular arquivos e pastas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 251
10.4. Documentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 236
10.29. Renomear . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252
10.5. Imagens . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 236
10.30. Ajustar data e hora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252
10.6. Música . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 236
10.31. Gadgets e barra lateral . . . . . . . . . . . . . . . 253
10.7. Jogos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 236
10.32. Acessórios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 254
10.8. Pesquisar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 236
10.33. Bloco de notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 255
10.9. Itens recentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 237
10.34. calculadora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 255
10.10. computador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 238
10.35. Paint . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 255
10.11. Rede . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 239 10.36. Windows Explorer . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 257
10.12. conectar a . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 240 10.37. WordPad . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 258
10.13. Painel de controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 240
10.14. Programas padrão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 241
10.15. Ajuda e suporte . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 241
10.16. Executar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 242
10.17. Desligar computador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 243
10.18. caixa pesquisar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 243
10.19. Windows Media Player . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 243
10.20. Lixeira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 245
10.21. Mouse . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 246
10.22. Organização da área de trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . 247
Sumário
261 Capítulo 11 303 Capítulo 13
Windows 7 Editores de texto
11.1. Instalação do Windows 7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262 13.1. Microsoft Word 2007 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 305
11.2. Instalação do pacote de tradução 13.2. BrOffice.org Writer . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 306
para Português do Brasil . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 269 13.3. Botão do Office . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 306
11.3. novidades do Windows 7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 272 13.4. Funções básicas do Word 2007 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 307

11.3.1. Área de trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 273 13.5. Início: Área de transferência, Fonte,

11.3.2. Personalização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 274 Parágrafo, Estilo e Edicão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 316


13.6. Layout da página . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 331
11.3.3. caixa de Pesquisa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 273
13.7. Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 335
11.3.4. Atualização do Windows . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 274
13.8. correspondências: mala direta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 339
11.3.5. configurações do usuário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 274
13.9. Revisão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 343
11.3.6. configurações de rede . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 275
13.10. Exibição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 345
11.3.7. compartilhando uma pasta na rede . . . . . . . . . . 277
11.3.8. Acesso à rede e à internet . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 280
347 Capítulo 14
11.3.9. Monitor de recursos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 281
Planilhas eletrônicas
11.4. Desempenho de Windows 7 em computadores 14.1. Microsoft Excel . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 348
com poucos recursos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 282 14.2. BrOffice calc . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 350
14.3. Botão do Office . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 350
287 Capítulo 12
Internet
12.1. navegadores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 289
12.2. Sites de busca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 291
12.3. E-mails . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 297
12.4. Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 300
Sumário
14.4. Início: área de transferência, fonte,
parágrafo, estilo e edição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 351 15.5. Design: configurar página, temas,
14.5. Tabelas, ilustrações, gráficos, links, textos . . . . . . . . . 366 plano de fundo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 404

14.6. Layout da página: temas, configurar 15.6. Animações: visualizar, animações,


transição de slides. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 406
página, dimensionar para ajustar, opções
15.7. Apresentação de slides: iniciar apresentação,
de planilha, organizar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 372
configurar, monitores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 408
14.7. Fórmulas: inserir função, biblioteca de
15.8. Revisão: revisão de texto,
funções, nomes definidos,
comentários, proteger. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 409
auditoria de fórmulas, cálculo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 374
15.9. Exibição: modos de exibição de apresentação,
14.8. Dados: obter dados externos, conexões, classificar
mostrar/ocultar, zoom, cores, janela. . . . . . . . . . . . . . . . . 410
e filtrar, ferramentas e dados,
estrutura de tópicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 384
414 Considerações finais
13.9. Revisão: revisão de texto,
415 Referências bibliográficas
comentários, alterações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 387
13.10. Exibição: modos de exibição da pasta
de trabalho, mostrar/ocultar,
zoom, janela, macros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 388

391 Capítulo 15
Editor de apresentações
15.1. Microsoft PowerPoint. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 392
15.2. BrOffice Impress. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 394
15.3. Botão do Office. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 396
15.4. Início: área de transferência, slides,
fonte, parágrafo e alinhamento,
desenho, edição. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 396
Capítulo 10

Microsoft
Windows Vista
 Área de Trabalho
 Barra de Tarefas
 Pasta com o nome do usuário
 Documentos
 Imagens
 Música
 Jogos
 Pesquisar
 Itens Recentes
 computador
 Rede
 conectar a
 Painel de controle
informática 1 capítulo 10

Figura 340
Menu iniciar do
Windows Vista.

O
SEGURANÇA
Você sabia que a maior
Windows Vista, lançado pela Microsoft no fim de 2006 para o
preocupação da Microsoft ao
mercado corporativo e em 2007 para usuários domésticos, está criar o Windows Vista foi com
presente em computadores de todo o mundo. O objetivo da com­ a segurança? E, de fato, esta
panhia ao criá-lo foi oferecer um sistema operacional o mais atrativo e seguro versão do sistema é muito mais
possível, proporcionando ao usuário uma interface que lhe permitisse interagir segura em comparação com
com mais facilidade com o computador. as anteriores, pois é capaz de
evitar falhas e vulnerabilidades
10.1. Área de trabalho a invasões de hackers ou acesso
de terceiros aos dados de
Quando ligamos um PC com Windows Vista, a tela exibe, inicialmente, sua área computadores conectados à
de trabalho, como mostra a figura 339. O menu iniciar está presente em todas as versões do Windows desde a de 1995. Por internet. Você pode perceber
meio desse menu, acessamos diversos recursos do sistema, desde atalhos para aplica­ isso quando clica em algum
A área de trabalho oferece diversos recursos de modo a deixar sempre disponíveis ções ou pastas até utilitários de configuração, como você pode conferir na figura 340. arquivo para instalar um novo
os componentes mais utilizados. Para quem conhece alguma outra versão do aplicativo ou tenta fazer uma
configuração do sistema.
Windows, essa área de trabalho pode parecer familiar, já que não foi muito mo­ 10.3. Pasta com o nome do usuário Nesses casos, abre-se na
dificada em relação às versões anteriores do sistema.
Você deve ter percebido que no topo do menu há um ícone para representar o usuá­ tela uma janela que solicita
Figura 339 rio que está utilizando o PC e seu nome aparece, como um botão (ou link), abaixo a confirmação do usuário
Área de trabalho do do ícone. Quando esse botão é acionado, abre-se uma janela contendo as pastas para efetuar a mudança.
Windows Vista. criadas automaticamente pelo sistema operacional para o usuário (figura 341).

Figura 341
Pasta do usuário.

10.2. Barra de tarefas


É a barra apresentada, no rodapé do monitor, onde estão disponíveis relógio,
botão com o símbolo do Windows (Menu “Iniciar”) e ícones de aplicações ativas.
Toda aplicação executada pelo usuário fica registrada nessa barra em forma de
botão ou de ícone ao lado do relógio, dependendo do tipo da aplicação.

234 235
InFORMÁTIcA 1 cAPíTuLO 10

Figura 343
10.4. Documentos Janela “Pesquisar”.
Entre as pastas que o Windows cria para cada usuário cadastrado no PC está a
pasta “Documentos”, onde se pode guardar os arquivos criados no dia a dia. Po­
demos acessá­la por meio do botão “Documentos” do menu “Iniciar”.

10.5. Imagens
A pasta “Imagens” contém figuras que podem ser utilizadas como plano de fun­
do da área de trabalho (papel de parede) ou para qualquer outro fim. Também
pode ser acessada por meio de botão do menu “Iniciar”.

10.6. Música
A pasta “Música” também pode ser acessada por meio do menu “Iniciar” e con­
tém algumas músicas que podem ser tocadas em seu computador a partir de
um duplo clique (figura 342). Quando solicitamos a execução de uma música
no Windows Vista, o sistema aciona aplicativo Windows Media Player, do qual
falaremos mais adiante. 10.9. Itens recentes
Figura 342 Esse botão nos fornece uma relação de todos os arquivos que abrimos ou progra­
Arquivos de música mas que executamos recentemente, como você pode observar na figura 347. Tal
da pasta “Música”. expediente nos permite acessar um recurso pela segunda vez sem ter de recorrer
a determinado menu ou navegar novamente entre diversas pastas até chegar ao
arquivo que desejamos abrir.

Tela versátil
Vamos escolher um dos vários arquivos da visualizar e ainda modificar nossos arquivos de
pasta “Imagens” e configurá-lo como papel de imagem. Com essa aplicação podemos conferir
parede de nosso computador. Para isso, basta facilmente as imagens contidas em uma pasta.
clicar na figura com o botão direito do mouse e Basta clicar em “próximo” para as imagens em
escolher “Definir como plano de fundo da área de sequência e em “anterior” para voltar à imagem
10.7. Jogos trabalho”. Com um duplo clique sobre qualquer já vista. Há ainda outros botões, como os que
Um diferencial figura da pasta “Imagens”, executamos a Galeria possibilitam girar ou excluir a imagem. observe
O Windows Vista vem com diversos jogos. Muitos são antigos e já estavam dis­
importante do de fotos do Windows, aplicação que nos permite as figuras 344 a 346.
poníveis nas versões anteriores do sistema, mas há também jogos mais recentes.
Windows Vista em
relação a jogos é o
De todo modo, são sempre uma opção de lazer ao usuário nos momentos de des­
sistema directX 10, contração (veja o quadro Campo Minado exercita o raciocínio na página 238).
considerado o mais
avançado até o seu 10.8. Pesquisar
lançamento, em
2006/2007, por sua O botão “Pesquisar” abre uma janela na qual se podem localizar aplicativos ou
capacidade gráfica, arquivos próprios por meio de pesquisas por palavras­chave. Esse recurso pode ser
que torna as imagens muito útil naqueles momentos em que não nos lembramos onde guardamos deter­
ainda mais realistas minado arquivo ou mesmo quando queremos encontrar um recurso do Windo­
e a experiência do ws, como um jogo, por exemplo, e não nos recordamos em qual menu podemos Figura 344 Pasta “Imagens”. Figura 345 Área de trabalho Figura 346 Galeria de Fotos
jogo, portanto, localizá­lo. Se digitarmos a palavra “jogo” no canto superior direito da janela, os com um novo papel de parede. do Windows.
mais excitante. resultados, como os mostrados na figura 343, serão exibidos instantaneamente.

236 237
InFORMÁTIcA 1 cAPíTuLO 10

Figura 347 Figura 348


“Itens Recentes”. Dispositivos
disponíveis
na janela
“Computador”.

10.11. Rede
10.10. computador Podemos acessar outros computadores conectados à mesma rede local que o nos­
so, por meio do botão “Rede”, mostrado na figura 349.
Clicando no botão “Computador”, teremos uma janela como a da figura 348, que
mostra os dispositivos de armazenamento disponíveis no PC, como o HD e o Apesar de ser necessário compartilhar recursos na máquina de destino, ainda
drive de DVD. Se seu computador possuir um drive de disquetes ou algum disco podemos visualizar uma lista de todas as máquinas disponíveis na rede por meio
rígido a mais, tal recurso também aparecerá nessa janela. da janela que se abre na tela quando clicamos em “Rede”. Observe na figura 350.

Figura 349

campo Minado Botão “Rede” do


Windows Vista.

exercita o raciocínio
Campo Minado, um dos jogos
disponíveis desde as primeiras versões
do Windows, continua no Windows
Vista por ser um jogo extremamente
inteligente, que ajuda a exercitar o
raciocínio lógico. A missão é clicar em
todos os quadradinhos que não contêm
minas. Se houver mina no quadrado
Figura 350
clicado, o jogo acaba. Mas como
Computadores
saber onde estão as minas? Conforme
disponíveis na
clicamos nos quadrados, pode
rede local.
aparecer um número que representa
a quantidade de minas existentes nos oito quadradinhos ao seu
redor. Se aparecer o número 1 e somente um dos oito quadradinhos
ainda não tiver sido clicado, a mina está ali. Se temos certeza de
que determinado quadrado contém uma mina, podemos marcá-lo
com uma bandeira, clicando com o botão direito do mouse sobre
ele, para facilitar a solução do jogo. Consulte a ajuda do Windows
para obter mais informações.

238 239
informática 1 capítulo 10

Figura 351 Figura 354


Visualizando Programas Padrão.
os recursos
disponíveis no
computador.

Com um duplo clique sobre o ícone que representa o computador que queremos
acessar, teremos uma janela, como a da figura 351, por meio da qual podemos
acessar as pastas compartilhadas no computador de destino, além de recursos
como impressoras e outros periféricos.
10.14. Programas Padrão
10.12. Conectar a
Aqui podemos configurar os programas que serão utilizados por padrão pelo sis­ DICA
É preciso bastante
cautela e certo
Este botão permite que nos conectemos a algum recurso de rede, como uma tema operacional durante sua utilização, como navegador de internet, programa Você pode aprender
conhecimento conexão ADSL ou uma rede sem fios (figura 352). Para conectar uma das redes de leitura de e-mails e outros, como podemos ver na figura 354. todos os recursos do
técnico para disponíveis, basta selecioná-la com um clique do mouse e clicar no botão “Co­ Windows por meio de
utilizar os recursos nectar” ou simplesmente dar um duplo clique no item de rede. Também é possível, por meio desse utilitário, configurar o aplicativo que será utilizado seu aplicativo de ajuda
disponíveis em para abrir determinado tipo de arquivo a um duplo clique do usuário. e, assim, economizar
Painel de Controle. 10.13. Painel de Controle com cursos específicos
10.15. Ajuda e Suporte e até, depois de
No Painel de Controle do Windows Vista, o usuário tem à disposição diver­ dominar bem seus
sos recursos de configuração do sistema, como de impressoras, mouse, teclado, Por meio deste botão, podemos acessar um aplicativo que permite tirar dúvidas mecanismos, ganhar
vídeo. Mas, para utilizá-los, é necessário algum conhecimento técnico, pois con­ sobre o Windows Vista ou mesmo conhecer vários conceitos relacionados a In­ dinheiro ensinando.
figurações indevidas podem criar problemas (figura 353). formática. Se explorarmos seus muitos recursos, veremos que Windows Vista
praticamente nos oferece um curso de Informática (figura 355).
Figura 352
Conectando-se a Figura 355
uma rede. Respostas para
muitas dúvidas.

Figura 353
Painel de Controle.

240 241
informática 1 capítulo 10

Figura 356 Figura 358


Executando aplicação Caixa “Pesquisar”.
na caixa “Pesquisar”.

10.18. Caixa “Pesquisar”


10.16. Executar Além de permitir abrir qualquer aplicação, quando digitamos o nome do arqui­
vo executável, a caixa “Pesquisar” pode ser utilizada para pesquisar arquivos,
O Windows Vista não inclui o item “Executar”, como as versões anteriores do sis­ pastas, aplicações ou computadores da rede, bastando digitar a palavra corres­
tema. Esse item permitia ao usuário acessar qualquer aplicação, apenas digitando pondente (figura 358).
seu nome. Entretanto, isso ainda pode ser feito se digitarmos o nome do arquivo
ou da aplicação na caixa “Pesquisar”, como podemos conferir na figura 356. 10.19. Windows Media Player
10.17. Desligar Computador Este é o aplicativo para reproduzir músicas e vídeos disponíveis no Windows Vis­
ta. Pode ser executado a partir do menu “Iniciar”, como mostra a figura 359, ou
As opções “Desligar o Computador” ou “Reiniciar o Computador” também mu­
daram de lugar. Veja no menu “Iniciar” que há um botão representando um cade­ Figura 359
ado e a seu lado uma setinha para a direita. Clicando na seta, teremos um pequeno Executando o
menu com todas as opções necessárias para desligar, reiniciar, fazer logoff (sair do Windows Media
sistema para acessar como outro usuário), entre outras possibilidades (figura 357). Player.

Figura 357
Botão de
“Desligar” o PC.

242 243
informática 1 capítulo 10

Figura 360 Figura 363


Executando o Lixeira do
Windows Media Windows Vista.
Player pela
primeira vez.

O Windows Media Player 10.20. Lixeira


é um aplicativo para o
A Lixeira do Windows (figura 363) é importantíssima, pois se trata de um recur­
Windows Vista que permite
so de segurança do sistema operacional que permite ao usuário recuperar arqui­
assistir a vídeos, ouvir
música no computador e
vos ou pastas excluídas indevidamente.
visualizar espectros durante
a execução da música. Além Toda vez que excluímos alguma pasta ou arquivo, este é imediatamente enviado
disso, é possível organizar para a Lixeira, que o armazena até o momento em que a esvaziarmos como uma
os arquivos em ordem toda vez que dermos um clique duplo sobre um arquivo com a extensão “.mp3”, lixeira de verdade. Observe a figura 364.
alfabética ou por autor. “.wav”, “.wma” ou outro. Na primeira vez que você executar o Windows Media
Muitos usuários evitam Player, aparecerá uma janela de configuração inicial, como mostra a figura 360. Para esvaziar a Lixeira, basta clicar com o botão direito sobre o ícone que a re­
utilizar o programa por presenta e escolher a opção “Esvaziar Lixeira”, como podemos ver na figura 365.
considerá-lo muito pesado O Windows Media Player pode ser apresentado de diversas formas, de acordo
e com poucos recursos. Há com o gosto do usuário. Na figura 361, mostramos o modo completo, que é o Com um duplo clique na lixeira, podemos visualizar todos os itens excluídos,
outros players para Windows padrão do aplicativo. mas que podem ser recuperados a qualquer momento, como indica a janela repre­
bastante leves e com sentada na figura 366, onde aparece apenas um arquivo na Lixeira.
recursos interessantes que O botão “Executar” inicia a execução da música. Podemos clicar nos botões “Ante­
podem ser encontrados em rior” e “Próximo” para alternar entre as canções, aumentar ou diminuir o volume e Figura 364
sites especializados. modificar a forma como o aplicativo é apresentado na tela – podemos deixá-lo no Excluindo um
modo “compactado” (figura 362) e continuar trabalhando normalmente em outros arquivo no
aplicativos, enquanto ouvimos música. Clicando no botão mostrado na figura 361, Windows Vista.
podemos voltar ao modo padrão (completo) do Windows Media Player.

Figura 361
Windows
Media Player. Figura 365
Esvaziando a Lixeira
do Windows Vista.

Figura 366
Restaurando
um item da
Figura 362
Lixeira do
Windows
Windows Vista.
Media Player
no modo
compactado.

244 245
informática 1 capítulo 10

Figura 369
Se clicarmos com o botão direito sobre esse item e escolhermos a opção “Res­
Classificando os itens
taurar”, o arquivo será imediatamente movido para seu local de origem, ou seja,
da Área de Trabalho.
onde estava ao ser excluído.

10.21. Mouse
O mouse do Windows Vista pode ser configurado por meio do Painel de Con­
trole, como vimos anteriormente. Clique no botão “Painel de controle” do menu
“Iniciar” e escolha a opção “Mouse” (figura 367). O utilitário de configuração
do mouse será mostrado em sua tela. Veja também que podemos configurar a 10.22. Organização da Área de Trabalho
velocidade do clique duplo na primeira aba apresentada (Botões).
Algumas vezes é necessário fazer uma boa “faxina” até mesmo na Área de Tra­
As outras abas também oferecem importantes recursos de configuração. Como balho do PC. Como você pode acompanhar na figura 369, podemos organizar o
mostra a figura 368, podemos alterar o tema de ponteiros do mouse com a fina­ conteúdo de nossa Área de Trabalho, de forma rápida, clicando sobre a tela com
lidade de modificar sua aparência no sistema. o botão direito do mouse. Então selecionamos a opção “Classificar por” e esco­
lhemos uma ordem de classificação para organizar melhor os itens.
Figura 367
Configurando o mouse 10.23. Personalizar a Área de Trabalho
do Windows Vista.
Mudar a apresentação da área de trabalho às vezes melhora sua aparência, o que
pode tornar mais agradável o período que passamos em frente ao computador.
E isso é muito simples de fazer: clique com o botão direito do mouse na “Área
de Trabalho” e escolha a opção “Personalizar” (figura 370). Podemos configurar
tanto o papel de parede quanto o plano de fundo da área de trabalho, além de
alterar algumas outras opções do sistema. No primeiro item disponível (cor e
aparência da Janela), podemos configurar o esquema de cores do Windows Vista,
como indicam as figuras 371 e 372.

Figura 370
Personalizando a
Área de Trabalho.

Figura 368
Configurando o
ponteiro do mouse. Figura 371
Personalizando cores
na Área de Trabalho.

Figura 372
Configurando o
esquema de cores
do Windows Vista.

246 247
informática 1 capítulo 10

Figura 373 Figura 376


Temas do Modos de
Windows Vista. exibição.

10.24. Modificar Exibição


O botão “Modificar Exibição” permite alterar a forma como os arquivos ou ícones
Também é possível alterar o tema do Windows Vista, modificando assim todos os itens são apresentados em uma janela do Windows Vista, como mostra a figura 376.
disponíveis na Área de Trabalho, como papel de parede, cores, ícones etc. (figura 373). Os modos de exibição disponíveis no Windows Vista são “Ícones Extra Grandes”,
“Grandes”, “Médios e Pequenos”, para quando o usuário deseja visualizar somente
Podemos ainda configurar a resolução do monitor por meio do último item dessa os ícones dos arquivos e das pastas. “Lista e Detalhes” são opções para visualizar
janela, como mostra a figura 374. mais informações sobre os arquivos, como data de criação, espaço utilizado em
disco etc. E por último há a opção “Lado a lado”, onde os ícones são apresentados
Um utilitário de configuração de vídeo será apresentado na tela. Escolha a reso­ lado a lado na janela com uma pequena informação abaixo. Veja, na figura 377, o
lução entre uma das disponíveis e clique no botão “Aplicar” ou no botão “OK” que acontece quando escolhemos a opção de “Ícones Extra Grandes”:
para aplicar e fechar a janela (figura 375).
Figura 377
Figura 374 “Ícones Extra
Configurando Grandes” na janela
o video do do Windows Vista.
Windows Vista.

10.25. Formatar Discos


Formatar um disco é uma ação irreversível que pode ser necessária caso você
esteja tendo algum problema em um dispositivo de armazenamento, como um
disco rígido ou em uma mídia removível, como um disquete. Para formatar um
disco, abra o item “Computador” do menu “Iniciar” e clique com o botão direito
Figura 375
do mouse sobre o dispositivo que pretende utilizar para formatar, escolhendo a
Configurando
opção “Formatar”, como mostra a figura 378.
a resolução do
monitor. Figura 378
Formatando um
dispositivo ou mídia.

248 249
informática 1 capítulo 10

Figura 379 Figura 380


Utilitário de Criando uma pasta no
formatação de Windows Vista.
disco.

Figura 381
Nomeando
uma pasta.

Agora vamos nomear a pasta que estamos criando. Basta digitar seu nome enquanto esti­
ver selecionada e pressionar a tela “Enter” para finalizar, como se pode ver na figura 381.
Um utilitário de formatação será apresentado na tela de seu computador (figura
379). Aqui podemos escolher o sistema de arquivos que será utilizado no disposi­ 10.28. Manipular arquivos e pastas
tivo após a formatação e também o nome do dispositivo em “Rótulo do Volume”.
Clique em “Iniciar” e aguarde a finalização do processo. O mouse pode ser utilizado em conjunto com o teclado para manipular arquivos e
pastas no Windows Vista. Para selecionar uma pasta, precisamos apenas clicar sobre
10.26. Arquivo ela. A partir daí podemos fazer diversas tarefas, como excluí-la, copiá-la, movê-la etc.

Um arquivo é um item que armazena dados em um sistema operacional no qual Selecionar arquivos ou pastas de forma intermitente é algo bem simples. Basta clicar
há diversos tipos de arquivos, como os de texto, música, vídeo, imagem etc. na primeira pasta para selecioná-la e depois nas demais pastas (ou arquivos) enquanto
se mantém o botão “CTRL” do teclado pressionado, como mostra a figura 382.
Arquivos podem ser criados pelo próprio sistema operacional ou pelo usuário,
por meio de aplicações como editores ou outros programas especializados. Figura 382
Selecionando e
No Windows Vista, clicando com o botão direito do mouse em qualquer lugar da excluindo itens
área de trabalho ou em qualquer pasta do sistema, temos a oportunidade de criar intermitentes.
um arquivo vazio, como um arquivo de texto, por exemplo.

10.27. Pasta
Pastas são a forma mais simples de organizar o conteúdo em um sistema ope­
racional. Podemos criar pastas (também chamadas de diretórios) em qualquer
dispositivo de armazenamento disponível, e ainda subpastas em pastas já existen­
tes. Para criar uma pasta no Windows Vista, basta clicar com o botão direito do
mouse e escolher a opção “Novo” e depois a opção “pasta” (figura 380).

250 251
informática 1 capítulo 10

Figura 383 Figura 386


Selecionando um Alterando a
conjunto de itens. data e hora.

Gadget, em inglês,
significa “engenhoca”,
“invenção”. O Windows
Vista possibilita que os
gadgets sejam adicionados
à área de trabalho,
Clique no botão “Alterar Data e Hora” Em seguida selecione o dia e o mês cor­ de modo a facilitar as
respondentes e recorra aos pequenos botões de hora, minuto e segundo, abaixo atividades do usuário.
Podemos selecionar um grupo de itens clicando com o mouse em uma parte da do relógio, para atualizar o horário. Clique em “OK” para finalizar (figura 386). Como os dispositivos
janela ou da tela, mantendo o botão pressionado e arrastando o mouse para outro podem ser distribuídos
na tela conforme o
ponto, de forma que a seleção envolva todo o conjunto de itens (figura 383). 10.31. Gadgets e barra lateral gosto de cada pessoa,
tornaram-se também
10.29. Renomear Os gadgets são um recurso novo do Windows que proporciona um novo esti­
um meio de expressão
lo à área de trabalho do Windows Vista. Mas, além de adornar, esses pequenos
Renomear arquivos ou pastas é uma tarefa trivial. Clicando com o botão direito aplicativos permitem acesso a informações que podem ajudar muito no seu capaz de diferenciar um
do mouse sobre um item (arquivo ou pasta) e selecionando a opção “Renomear”, cotidiano. Você pode incorporá-los à barra lateral do Windows Vista ou, ain­ usuário de outro. Mas é
podemos habilitar o item para ser renomeado, apenas digitando seu novo nome e da, adicioná-los à área de trabalho do Windows, não necessariamente dentro preciso escolher os gagets
clicando com o mouse em outra área da janela ou pressionando “Enter”. A tecla da barra lateral. Essa é uma escolha pessoal de cada usuário. Para adicionar oferecidos por fontes
confiáveis, para evitar
“F2” do teclado também tem essa função (renomear), mas é necessário clicar um novo gadget, clique com o botão direito na barra lateral e escolha a opção
aplicativos de terceiros
primeiro no item que será renomeado. “Adicionar Gadgets” (figura 387).
que podem acessar seus
arquivos.
10.30. Ajustar Data e Hora Surgirá na tela uma janela contendo todos os Gadgets. Clique duas vezes sobre
o item escolhido para adicioná-lo à barra lateral. Veja na figura 388 que escolhe­
Podemos configurar a hora ou a data apresentada na tela do monitor por meio da
barra de tarefas do Windows Vista. Clique com o botão direito sobre o relógio e Figura 387
escolha a opção “Ajustar Data e Hora” (figura 384). O utilitário de configuração Gadgets do
de data e hora será apresentado na tela, como na figura 385. Windows Vista.

Figura 384
Ajustando a
data e hora.

Figura 385
Figura 388
Configurando a
Adicionando
data e hora.
Gadgets.

252 253
informática 1 capítulo 10

Figura 389 Figura 391


Fechando um Bloco de notas do
Gadget. Windows Vista.

Atalho é uma
referência para
algum elemento,
como por exemplo
um arquivo. Não é
10.34. Calculadora o próprio arquivo,
mas um caminho
mos o Gadget “Medidor de CPU”, com um ponteiro que apresenta o percentual Outro recurso importante, disponível no submenu “Acessórios” do Windows Vis­ que conduz até ele.
de uso do processador e outro que indica o uso de memória RAM pelo Sistema ta, é a calculadora. Para acessá-la, digite “calc” na caixa “Pesquisar” do menu “Ini­
Operacional. Para excluir um Gadget, basta clicar com o botão direito do mouse ciar” ou clique em seu atalho no submenu “Acessórios”, como ilustra a figura 392.
sobre ele e escolher a opção “Fechar Gadget” no menu a seguir, como mostra a
figura 389. Figura 392
Abrindo a calculadora
10.32. Acessórios do Windows Vista.

No menu “Iniciar” há diversos submenus que indicam atalhos para os mais va­
riados serviços e aplicativos disponíveis no Windows Vista. Um dos submenus é
o “Acessórios”, que disponibiliza aplicativos nativos do Windows Vista, os quais
podem ser úteis durante o tempo que o usuário estiver ao computador (figura 390)

Figura 390
Submenu
“Acessórios”.

10.35. Paint
O Paint do Windows Vista é um aplicativo que permite edição básica e criação
de arquivos de imagens do tipo BMP, GIF, JPG, entre outros. Por se tratar de
um aplicativo bastante simples, normalmente é utilizado para pequenas edições
básicas ou para aprendizado inicial de informática para crianças (figura 393).

Figura 393
Paint do
Windows Vista.

10.33. Bloco de Notas


O “Bloco de Notas” do Windows Vista é um aplicativo bastante simples que per­
mite criar arquivos de texto sem formatação, ou seja, sem os recursos avançados
disponíveis em editores de textos mais aprimorados, como o Word ou o Writer
do OpenOffice. Para abrir o “Bloco de Notas” do Windows Vista, clique no
menu “Iniciar” e digite “notepad” na caixa de pesquisa, ou, no submenu “Aces­
sórios”, clique em “Bloco de Notas” (figura 391).

254 255
informática 1 capítulo 10

Figura 394 Figura 397


Adicionando um Utilizando a
texto à imagem. ferramenta “Spray
do Paint”.

Figura 398
Salvando o desenho.

A figura 394 mostra a janela do Paint aberta com um documento em branco,


com todas as suas ferramentas (barra à esquerda) prontas para o usuário exerci­
tar sua criatividade. A ferramenta texto, por exemplo, fica disponível assim que
o usuário clica no botão “A”. Com essa ferramenta podemos adicionar textos a Há ainda diversas outras ferramentas que podemos usar, soltando a criatividade.
nossas imagens. A ferramenta “Spray”, por exemplo, permite incluir jatos de tinta característicos
de uma lata de spray (figura 397).
Para adicionar uma elipse à tela, usamos a opção “Desenho”, disponível na “Bar­
ra de Ferramentas” do aplicativo (figura 395). Para modificar a cor da elipse, Para salvar o arquivo e guardá-lo para posteriores modificações, basta clicar no
podemos utilizar o balde de tinta e selecionar uma cor na tabela de cores exibida menu “Arquivo”, no canto superior esquerdo da aplicação, e escolher a opção
na barra superior do aplicativo (figura 396). “Salvar” (figura 398).

Figura 395 Perceba que o desenho vai ser salvo na pasta “Imagens” do usuário que estiver
Adicionando uma no computador.
elipse ao desenho.
10.36. Windows Explorer
Quando clicamos no menu “Iniciar” e escolhemos a opção “Computador”, temos à
disposição os dispositivos de armazenamento instalados no PC e podemos navegar
entre suas pastas e arquivos, como vimos nos itens anteriores. Um atalho muito uti­
lizado no teclado do Windows Vista é a combinação das teclas “Windows” + “E”,
que abre na tela uma janela do “Computador”, mas com alguns recursos a mais em
uma coluna à esquerda da tela, como podemos visualizar na figura 399.

Figura 396 Figura 399


Colorindo a elipse. Windows Explorer.

256 257
informática 1 capítulo 10

Figura 402
Verifique que agora temos a árvore de pastas e dispositivos disponíveis a partir do item
Alterando as cores
que estamos acessando. Essa árvore pode ser útil e facilitar a visualização de uma outra
do texto.
pasta que estiver em um dispositivo diferente ou a muitas pastas de distância.

10.37. WordPad
Para quem não tem um editor de textos mais aprimorado, como o Word da Mi­
crosoft ou o Writer do OpenOffice, o WordPad pode ser a única alternativa de
aplicação mais profissional de edição e composição de arquivos de textos, cartas
e outros documentos. Para abrir o WordPad, basta clicar em seu atalho no sub-
menu “Acessórios” do menu “Iniciar”. Vamos criar no WordPad uma receita de
bolo de fubá e ilustrar algumas de suas funcionalidades, que são bem parecidas
com as de qualquer editor de textos mais avançado (figura 400).

Veja que digitamos somente parte do texto da receita. A qualquer momento, o


usuário pode optar por formatar seu documento, trocando o tipo de letra (fonte),
cores etc., como indica a figura 401. Figura 403
Salvando o
Figura 400 documento.
WordPad do
Windows Vista.

Para alterar a aparência de uma parte do texto, basta selecioná-la e escolher a


opção correspondente na barra de opções na parte de cima do editor. Cores po­
dem ser adicionadas ao documento por meio do botão correspondente, como
Figura 401 demonstra a figura 402.
Centralizando e
alterando o texto Para salvar o documento, seguimos o mesmo procedimento do aplicativo
para negrito. “Paint” do item anterior. Ou seja, clicamos no menu “Arquivo” e depois na
opção “Salvar”. Digite o nome que dará ao documento e clique em “Salvar”,
como mostra a figura 403.

258 259
Capítulo 11

Windows 7
• Instalação do Windows 7
• Instalação do pacote de tradução
para “Português do Brasil”

• novidades do Windows 7
• Desempenho do Windows 7 em
computadores com poucos recursos
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 405
Tela inicial do
assistente de
instalação do
Windows 7.

O Windows 7 foi lançado em 22 de outubro de 2009, com a inten­


ção de se mostrar uma versão mais agradável e, ao mesmo tempo,
mais rápida do que sua versão anterior, o Windows Vista. Apesar
de as características de segurança do Windows Vista terem sido herdadas pelo
Windows 7, é fundamental instalar um bom utilitário antivírus. Neste capítulo,
Figura 406
Iniciando a instalação.

vamos mostrar como instalar o Windows 7 em um desktop. Você vai ver que o
processo continua simples como nas versões anteriores, ou até mais.

O primeiro passo é colocar o DVD no drive e reiniciar a máquina. Lembre-se de


que é necessário que o computador esteja configurado para inicializar pelo drive
DVD. Outra alternativa é, ao inicializar a máquina, executar o boot menu para
escolher a opção de inicialização pelo DVD.

11.1. Instalação do Windows 7


A versão do Windows 7 que vamos instalar é a Professional, disponível nas Etecs
do Centro Paula Souza pelo convênio com a Microsoft. Nessa versão, o assistente
de instalação vem em inglês e o sistema ao final da instalação também utilizará
esta linguagem como padrão, mas vamos mostrar o que você deve fazer para
traduzi-la para o português do Brasil.

Quando você inicializar o computador pelo DVD, como nas versões anterio­ Seu monitor apresentará, então, a tela exibida na figura 405 indicando o início do
res, a mensagem “Press any key to boot...” será exibida (figura 404) para que processo de instalação do novo sistema operacional. Escolha a linguagem Portu­
você pressione qualquer tecla e o assistente de instalação seja carregado na me­ guese (Brazil) e clique no botão “Next”. Aparecerá a tela mostrada na figura 406.
mória do computador. Clique no botão “Install now” (instale agora) para iniciar a instalação.

Figura 404 Na próxima tela (figura 407), vamos clicar em “I Accept” (eu aceito) para
Pressione uma tecla para aceitar os termos do contrato de licença e clicar no botão “Next” (próximo).
inicializar pelo DVD. Agora vamos escolher o tipo de instalação a executar. Temos duas opções:
executar um Upgrade, ou seja, atualizar a versão atual de nosso Windows
para a versão 7 ou “Custom”, para realizar uma nova instalação do Windows.
A segunda alternativa permite formatar o disco e instalar o Windows 7 sem
correr o risco de manter arquivos antigos e ter problemas de configuração.
Clique na opção “Custom”, como na figura 408.

262 263
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 407 Figura 410


Aceitando os termos Confirmando a
do contrato. exclusão da partição.

Figura 408 Uma mensagem, como na figura 410, aparecerá na tela, informando que os da­
Escolhendo o tipo dos da partição serão perdidos caso você a exclua. Clique em “OK”.
de instalação.
Veja que agora no lugar da partição temos um espaço livre em disco onde pode­
mos criar uma nova partição. Vamos clicar em “Next”, deixando esta partição
selecionada para que o Windows 7 seja instalado nela (figura 411).

Pronto! As informações que o assistente de instalação precisava já foram cole­


tadas. Agora é só aguardar a finalização da instalação para aproveitar todos os
dica recursos do novo Windows 7 (figura 412).
Você deve fazer essa
operação com bastante Figura 411
atenção, para não
Prosseguindo
apagar nenhuma
partição existente com a instalação.
que seja importante.
O próximo passo é particionar o disco (figura 409). Se você já instalou o Windows
em um computador ou se leu o capítulo 10 de instalação do Windows Vista (pá­
gina 233), saberá o quanto isso é simples. Basta escolher a partição de destino da
instalação e clicar em “Drive Options” para habilitar as opções de manipulação
de partições. Depois clique em “Delete” para excluir a partição selecionada.

Figura 409
Escolhendo a partição
de destino.
Figura 412
Instalando
o Windows 7.

264 265
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 413 Figura 415


Digitando o nome Escolhendo
do usuário e do configurações
computador. de segurança.

Na tela da figura 416 vamos configurar a data e hora atuais e clicar no botão
Depois de fazer a cópia dos arquivos para a partição selecionada, seu monitor “Next”. Se você estiver conectado em rede ou à internet, aparecerá uma tela
mostrará uma tela como a da figura 413. Nela, o Windows solicita seu nome de como a da figura 417. Escolha o tipo de conexão de rede mais adequada à sua
usuário e o nome do computador. realidade e clique em “Next”.

Na próxima tela, o Windows pede que você digite uma senha para o usuário. Figura 416
Você pode optar por deixar a senha em branco para que ela não seja solicitada a Configurando
cada vez que liga o computador. Clique em “Next”, como na tela da figura 414. data e hora.

Na próxima tela, você deverá digitar o número de série estampado na caixa do


produto. Depois, pressione o botão “Next”. Se você não tiver o número de série
disponível, pode optar por fazer isso depois.

As atualizações são correções disponibilizadas pela Microsoft para seu Sistema


Operacional. São configurações de segurança muito importantes para você e
para o funcionamento do Sistema Operacional. Nesta tela (figura 415), podemos
deixar o Windows 7 configurado com as opções de segurança recomendadas
clicando no primeiro item “Use Recommended Settings”.

Figura 414
Figura 417
Solicitando
Configurações
uma senha
automáticas
para o usuário.
de segurança.

266 267
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 418 Figura 420


Área de Trabalho Gadgets do Windows 7.
do Windows 7.

Pronto! O Windows 7 foi instalado e configurado com êxito em seu computador. Ob­ Se você não gosta do Windows 7 em inglês, poderá instalar o pacote de tradução
serve, na figura 418, a imagem que representa a área de trabalho padrão do Windows 7. disponível no site da Microsoft. A versão Ultimate permite a escolha do idioma
por meio do Painel de Controle (Control Panel).
Veja (figura 419) que o menu “Iniciar” é bem parecido com o do Windows Vista.
11.2. Instalação do pacote de tradução
Você vai perceber durante a utilização do Windows 7 que a maioria dos recursos para o Português do Brasil
disponíveis é idêntica à do Windows Vista; por isso, não deverá enfrentar pro­
blemas de adaptação ao novo sistema. A grande vantagem é que agora temos um Como vimos, algumas versões do Windows 7 permitem a troca da linguagem
Sistema Operacional mais leve, ou seja, o desempenho geral de seu computador por meio do Painel de Controle, mas a versão Professional, a que estamos utili­
deverá aumentar significativamente de hoje em diante, pois o Windows 7 tem zando, não dá suporte para isso. Então, vamos ao processo de troca da linguagem
menos exigências de memória e processamento do que sua versão anterior. que pode parecer difícil, mas na verdade é bastante simples.

Podemos clicar com o botão direito do mouse sobre a Área de Trabalho e adicio­ Baixe do site da Microsoft o pacote de tradução para a linguagem que quiser. O
nar Gadgets, como no Windows Vista. Veja na figura 420. arquivo é o “lp.cab” (lp significa Language Pack). Para facilitar, vamos copiar
esse arquivo para a raiz da unidade C: do Windows (figura 421).
Figura 419
Menu “Iniciar” Figura 421
do Windows 7. Copiando o arquivo
“lp.cab” para o
diretório raiz.

268 269
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 422 Figura 424-A


Executando o prompt Aguardando o
como administrador. carregamento do
arquivo “lp.cab”.

Figura 424-B
Arquivo carregado
com sucesso e
executando o
“regedit”.

Depois de copiar o arquivo para o diretório raiz, abra o prompt de comandos


como administrador, como apresentado na figura 422.

Digite então o seguinte comando:


No “regedit” do Windows, vamos navegar até
cd \ .cd \
\HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\MUI\
Com esse comando, vamos ser direcionados ao diretório raiz. Agora digite o co­ UILanguages.
mando a seguir para instalar o pacote de linguagem (figura 423).

dism /online /add-package /packagepath:lp.cab Neste item, exclua o registro en-us, clicando sobre ele com o botão direito do
mouse e escolhendo a opção “Delete” (figuras 425-A e B).

Aguarde até que a barra de progressos seja completada. Isso pode demorar alguns Pronto! Reinicie a máquina para ter seu Windows 7 em Português.
minutos. Agora está quase tudo pronto. Precisamos então executar o aplicativo
“regedit” (figuras 424-A e B). Figura 425-A
Registro en-VS.
Figura 423
Digitando os
comandos para
tradução do
Windows 7.

270 271
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 425-B Figura 428


Deletando o registro Personalizando a
no regedit. área de trabalho.

11.3. Novidades do Windows 7


O Windows 7 apresenta diversas melhorias em relação ao Windows Vista (versão
anterior). Vamos apresentar algumas características dessa nova versão para que
você possa se familiarizar o quanto antes.

11.3.1. Área de Trabalho 11.3.3. Caixa de pesquisa


Um dos recursos bastante utilizados desde a versão XP é o botão que mostra a Outro recurso interessante é a barra de pesquisa do menu “Iniciar”. Ela é o primeiro
área de trabalho. Clicando neste botão, você tem todas as janelas minimizadas recurso disponível no menu “Iniciar” e nos permite pesquisar por meio de todo tipo
ao mesmo tempo e pode liberar a Área de Trabalho para pegar um arquivo, abrir de recurso em nosso computador, ou seja, além de arquivos, podemos pesquisar
um novo aplicativo etc (figura 426). por aplicações caso não nos lembremos em que menu está o atalho para executá-la.

No Windows 7, esse botão fica meio escondido. Ele foi movido para o canto Vamos a um exemplo. Já sabemos que o Windows possui um recurso de atua­
inferior direito da tela, ao lado do relógio. lização automática e que com ele é possível corrigir automaticamente falhas e
atualizar versões de algumas de suas aplicações. Mas como podemos executar
A barra de tarefas agora é mais larga e apresenta botões maiores, com o ícone do as atualizações do Windows? Em que menu o atalho do “Windows Update”
programa, em vez de seu nome ou título. Quando clicamos nestes ícones, uma está disponibilizado no Windows 7? Se você não sabe a resposta, basta digitar
relação de todas as janelas é apresentada em um menu, que permite ainda fechar uma palavra-chave na caixa de pesquisa e ver o atalho aparecer acima, sem
a aplicação diretamente pelo menu (figura 427). mesmo ter que pressionar a tecla “Enter”. Legal não é? Veja na figura 429 o
que acontece quando digitamos a palavra “Update” na caixa de pesquisa.
Figura 426
Botão que minimiza Figura 429
todas as janelas. Usando a barra
de pesquisa.
Figura 427
Barra de tarefas do
Windows 7.

11.3.2. Personalização
Como nas outras versões do Windows, é possível personalizar a área de trabalho
clicando com o botão direito do mouse na Área de Trabalho (Desktop) e esco­
lhendo a opção “Personalizar”. A tela da figura 428 vai ser exibida

Veja que diversos temas estão disponíveis para alteração da Área de Trabalho do
Windows 7. Entre as possibilidades de mudança estão papel de parede, cores,
sons, proteção de tela, formatos e efeitos de tela.

272 273
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 430 Figura 433


Windows Update. Acessando as
configurações
do usuário.

Figura 434
Configurações
do usuário.

Figura 431
Instalando as
atualizações.

Figura 435
As imagens disponíveis
são mais variadas que
nas versões anteriores.

Figura 432
Mensagem sobre o
DICA
êxito da operação.
Você pode ter percebido
que agora não temos
mais a caixa Executar
do Windows, que era
bastante utilizada para
11.3.4. Atualizações do Windows digitar comandos do
prompt, sem ter que
Clicando no atalho “Windows Update”, estamos executando o aplicativo de executá-lo. Apesar de a
O Windows executa
diariamente o “Windows
atualização do Windows, como na figura 430. caixa ter sido retirada
Update” para procurar do Windows 7, a função
atualizações, por isso, Para instalar as atualizações disponíveis (figura 431), basta clicar no botão “Instalar 11.3.6. Configurações de rede permanece em Pesquisar.
Atualizações”. Ao final da instalação, você deverá ver a mensagem da figura 432. Basta digitar o comando
você não precisa se
Para acessar os computadores da rede e seus recursos compartilhados podemos do prompt na caixa
preocupar com isso.
proceder de diversas formas no Windows 7. Clicando no item “Computador” do pesquisar e dar um Enter
11.3.5. Configurações do usuário para executá-lo.
menu “Iniciar”, temos o item “Rede”, como mostrado na figura 436.
Podemos alterar as configurações do usuário clicando em sua imagem de exibi­
ção no canto superior direito do menu iniciar, como na figura 433. O ícone está disponível no canto inferior esquerdo da janela. Na janela (figura
437) “Rede” temos os computadores acessíveis pela rede local (figura 438).
Uma tela, como a da figura 434, deve ser apresentada em seu monitor. Nesta tela,
podemos efetuar diversas configurações relacionadas ao usuário, como trocar sua Figura 436
imagem de exibição, senha, nome, tipo etc. Ícone de rede na
janela “Computador”.
Na figura 435 está a relação das figuras disponíveis para serem utilizadas como
imagem de exibição dos usuários. Escolha uma delas ou então adicione um ar­
quivo de imagem ou uma foto.

274 275
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 437 Figura 440


Janela “Computador”. Barra de endereços
da janela “Rede”.

Figura 441
Barra de endereços e o endereço
do computador na rede.

Figura 442
Acessando um PC da rede
via caixa de pesquisa.

Figura 438
Computadores da
rede local.

11.3.7. Compartilhando uma pasta na rede


Compartilhar uma pasta na rede é permitir que outros usuários acessem o con
teúdo de uma pasta de seu computador. Assim, podemos trabalhar mais fa­
cilmente em uma empresa, disponibilizando arquivos aos usuários da rede,
Com um duplo clique sobre o ícone do computador vamos visualizar as pastas facilitando processos de backup etc. Existem diversas formas de compartilhar
compartilhadas na rede (figura 439). uma pasta no Windows 7. Vamos apresentar a forma mais básica de fazer isso.

Um detalhe que poucos conhecem no Windows é a possibilidade de acessar um Para compartilhar uma pasta na rede, basta clicar com o botão direito do mouse
computador da rede diretamente por seu endereço utilizando qualquer barra de sobre a pasta e escolher a opção “Propriedades”, como apresentado na figura 443.
endereços ou até mesmo a caixa “Pesquisar”. Veja, na figura 440, como a barra de Aparecerá uma janela como a da figura 444. Clique na aba “Compartilhamento”.
endereços da janela “Rede” é apresentada.
Figura 443
Observe o que acontece quando clicamos na barra de endereços da janela Compartilhando
(figura 441). pastas no Windows 7.

O endereço de rede do computador foi apresentado. Esse endereço é composto pelo Figura 444
nome do computador precedido por duas barras invertidas. Como foi dito, com esse “Compartilhamento”.
endereço, podemos acessar qualquer computador da rede utilizando qualquer barra
de endereços ou caixa de pesquisa do Windows, como apresentado na figura 442.

Figura 439
Pastas compartilhadas
no computador
acessado via rede local.

276 277
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 445 Figura 448


Habilitando o Visualizando
compartilhamento as pastas
da pasta. compartilhadas.

Figura 446
Configurando o
compartilhamento
da pasta.
Como sabemos, no Windows é possível executar uma mesma tarefa de diferentes
formas. No Windows 7 há um novo recurso que permite o compartilhamento de
uma pasta com poucos cliques.

Você deve ter percebido que, clicando com o botão direito do mouse sobre uma
pasta, temos um item chamado “Compartilhamento”. Com ele podemos gerar
um compartilhamento de forma mais rápida. Nesta opção podemos comparti­
lhar a pasta com nosso grupo doméstico, ou seja, com os PCs da rede local, como
Para habilitar o compartilhamento da pasta, basta clicar no item “Compartilhar Leitura ou Leitura/Gravação e até mesmo descompartilhar uma pasta usando a
a pasta”, como na figura 445. opção “Ninguém” (figura 449).

Veja que agora os campos estão habilitados na janela. Escolha um nome para o Entretanto, vemos que o caminho do compartilhamento, neste caso, é um pouco
compartilhamento. Esse vai ser o nome que será exibido quando o usuário abrir mais comprido, por isso, pode ser que você prefira compartilhar da forma expli­
a janela “Rede” em seu computador. Não precisa ser o mesmo nome da pasta que cada inicialmente a fim de evitar caminhos longos de rede (figura 450).
está no computador.
Figura 449
Clique no botão “Permissões” para configurar as permissões na pasta (figura 446). “Compartilhamento”.

Na figura 447 podemos configurar se os usuários poderão alterar os arquivos


disponíveis na pasta ou somente acessá-los (leitura).

Mesmo que a pasta esteja disponível no computador local, podemos acessá-la e


visualizá-la como se fosse via rede, pela janela “Rede” (figura 448).

Figura 447
Permissões da pasta.

Figura 450
Caminho do
compartilhamento.

278 279
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 451 Figura 455


Rede. Alterando as
configurações do Firewall.

Figura 452
Acessando a
central de rede e
compartilhamento.

Figura 456
Configurações alteradas
11.3.8. Acesso à rede e à internet com sucesso.
O ícone apresentado na figura 451 informa se você tem acesso à rede local e/ou à in­
ternet. Colocando o mouse sobre ele, uma label informa as condições de acesso atuais.

Se você clicar com o botão direito sobre o ícone, vai poder acessar uma janela
onde diversas configurações avançadas de rede poderão ser feitas (figura 452).

Na janela abaixo, podemos alterar configurações de conexão, firewall entre ou­


tras. O ícone da casinha indica que as configurações do Firewall do Windows 11.3.9. Monitor de recursos
estão setadas para uma conexão doméstica, ou seja, ele não vai fazer um controle
muito refinado, pois considera que, pelo fato de os computadores estarem na No Windows 7 é possível monitorar os recursos do sistema por meio de seu novo
mesma rede, são confiáveis (figura 454). monitor de recursos, além do monitor de desempenho que já existia na aba “De­
sempenho” do Gerenciador de Tarefas.
Se você está em uma rede do trabalho ou utilizando uma rede pública, como a
rede sem fio de um shopping, terá de mudar essas configurações. Para isso, clique Pressione CTRL+ALT+DELETE para ver a tela da figura 457. Clique em “Ini­
em “Rede Doméstica”, para ver uma janela como a apresentada ma figura 455. ciar Gerenciador de Tarefas” para ver uma janela como a da figura 458.

Escolha as configurações mais adequadas e clique para ativá-las (figura 456). Figura 457
Abrindo o
Veja que agora o ícone está diferente, representando uma rede pública. As confi­ “Gerenciador
gurações do Firewall do Windows agora poderão fornecer maior segurança a seus de Tarefas”.
dados disponíveis na rede.
Figura 458
Figura 453 “Gerenciador de Tarefas”.
Central de redes e
compartilhamento.

Figura 454
Ícone de configuração
do Firewall.

280 281
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 459 Figura 461


Monitor de recursos. Sistema e Segurança.

Figura 462
O monitor de recursos apresenta ainda mais detalhes relacionados ao desempe­ Sistema.
nho do computador, com mais gráficos em uma mesma janela (figura 459).

11.4. Desempenho do Windows 7 em


computadores com poucos recursos
Apesar de o Windows 7 proporcionar um desempenho melhor relacionado ao
Windows Vista, pode ser necessário instalá-lo em um computador antigo, com
recursos mais restritos em relação a hardware. Vamos, portanto, aprender a me­
lhorar um pouco o desempenho de um computador com Windows 7, desabili­
tando alguns recursos pouco (ou nunca) utilizados.

Abra o “Painel de Controle” e clique na opção “Sistema e Segurança”, como


apresentado na figura 460.

Na próxima janela (figura 461), clique em “Sistema”. Ao lado esquerdo da próxima


janela (figura 462), clique no link “Configurações Remotas”.
Nesta janela, desabilite a opção “Permitir conexões de Assistência Remota para
Figura 460 este computador” (figura 463). Esse recurso permite que você acesse seu compu­
Painel de Controle. tador pela rede quando estiver em outro computador. Caso não tenha interesse
em utilizar esse recurso, desabilitando-o você vai economizar memória RAM.

Agora podemos também desabilitar alguns recursos gráficos que podem melho­
rar muito o desempenho do computador. Clique na aba “Avançado”.

Após clicar na aba “Avançado”, clique no primeiro botão “Configurações” (figura 464).

Na janela “Opções de Desempenho” que estamos visualizando na figura 465, pode­


mos alterar diversas opções para aumentar o desempenho do computador ou então
adicionar mais recursos gráficos e de efeitos. Como queremos melhorar o desempe­
nho do computador, devemos desabilitar o máximo de efeitos e recursos do sistema,
deixando-o enxuto. Para isso, clique em “Ajustar para obter um melhor desempenho”.

282 283
Informática 1 CAPítulo 11

Figura 463 Figura 465


Assistência Remota. Melhorando o
desempenho do
computador.

Reinicie sua máquina para perceber uma sensível melhora no seu desempenho.

Com essas configurações, o desempenho do seu computador deve ficar bem parecido
com o do Windows XP. Por isso, se você não conseguir o desempenho desejado, o
melhor a fazer é pelo menos aumentar a quantidade de memória RAM.

Figura 464
Desablitando
recursos gráficos.

284 285
Capítulo 12

Internet
 navegadores

 Sites de busca

 E-mails

 Segurança
Informática 1 capítulo 12

Figura 466
A corrida armamentista
estimulou o
desenvolvimento de
sistemas de comunicações.

A internet surgiu durante a Guerra Fria, que se estendeu do final da Segun­


da Guerra Mundial até o início da década de 1990. A expressão “Guerra
Fria” remete a um tempo em que, como disse o pensador francês Ray­
mond Aron, morto em 1983, a guerra era improvável e a paz, impossível (figura 466).
Isso porque as duas grandes potências em oposição – os Estados Unidos, capitalistas, e
a União Soviética, comunista – tinham, ambas, arsenais nucleares capazes de destruir
o mundo em instantes. Tais arsenais eram o produto da corrida armamentista, que le­ 12.1. Navegadores
vou à conquista do espaço, estimulou o desenvolvimento de sistemas de comunicações
seguros e fortaleceu naqueles anos uma atividade milenar – a espionagem, imortaliza­ Atualmente, os navegadores (ou browsers) mais conhecidos são o Firefox, o In­
da nas telas do cinema pelo personagem James Bond. ternet Explorer e o Chrome. Em suas versões mais atuais, esses navegadores são
capazes de interpretar páginas web desenvolvidas em diferentes linguagens de
Para proteger suas informações estratégicas, os Estados Unidos desenvolveram, em programação, como Java, dotNet, PHP, ASP, JavaScript, HTML, XHTML,
1969, por meio da empresa ARPA (Advanced Research and Projects Agency), uma CSS, Rails, entre outras. As linguagens são executadas no servidor e transmitem
rede (a ARPANET) que conectava suas bases militares aos departamentos de pes­ ao navegador apenas TAGs que devem ser interpretadas para a exibição das in­
quisa. Com estrutura subterrânea, a rede não tinha centro definido nem rota única formações, que vão de textos, links, imagens e animações a aplicações bancárias
para a circulação de informações. Era, portanto, quase indestrutível. Até então, mi­ – estas últimas necessitam de softwares adicionais (conhecidos como “plug-ins”).
litares e pesquisadores se comunicavam por meio de uma rede cujos ramais passa­ Observe, na figura 467, a imagem do navegador Firefox desenvolvido pela Mo­
vam por um computador central baseado no Pentágono (Departamento de Defesa zilla; na 468, a do navegador Internet Explorer, criado pela Microsoft, e na 469
dos EUA). Isso tornava as informações vulneráveis a, por exemplo, um bombardeio o navegador Chrome, desenvolvido pelo Google.
por parte da União Soviética sobre a sede do Departamento de Defesa do país. Na
década de 1970, ainda durante a Guerra Fria, universidades e órgãos relacionados à Figura 467
defesa dos Estados Unidos também passaram a se conectar à ARPANET. Foi nessa O Firefox, da Mozilla.
época que surgiu o conhecido TCP/IP (Transmission Control Protocol / Internet
Protocol), ao mesmo tempo que se ampliava o número de centros de pesquisa inter­
ligados, o que deu origem a uma grande rede sem fins comerciais.

A World Wide Web (ou www), criada em 1991 pelo cientista Tim Berners-Lee, Figura 468
se tornou base para o desenvolvimento dos navegadores com interface gráfica que O Internet
viriam a se popularizar a partir da década de 1990, quando a rede foi aberta às Explorer, da
empresas e se espalhou mundo afora. No Brasil, a internet surgiu entre 1988 e 1989 Microsoft.
com a RNP (Rede Nacional de Ensino e Pesquisa), que conectava algumas univer­
sidades brasileiras a instituições de ensino dos Estados Unidos.
Figura 469
Em 2009, cerca de 1,6 bilhão de pessoas acessavam a internet em todo o planeta, O Chrome, do
das quais 159 milhões (ou 10%) eram da América Latina. Dos internautas latino- Google.
americanos, metade era brasileira, segundo essas estimativas (em torno de 76,2
milhões). O comércio eletrônico também se popularizou: em 2008 movimentou
R$ 8,2 bilhões, com perspectivas de ultrapassar os R$ 10 bilhões em 2009.

288 289
Informática 1 capítulo 12

Figura 472
Note que estamos visualizando o mesmo site em todos os navegadores – o Centro
Etapa final da
Paula Souza. Para acessar um site, basta digitar seu endereço na barra de endere­
ços. Por exemplo, abra qualquer navegador, digite www.centropaulasouza.sp.gov. instalação do Java.
br e veja que aparecerá uma imagem semelhante à mostrada acima.

Os navegadores possuem ferramentas para atualizar páginas (você também pode


pressionar “F5”), “voltar” (para visualizar a página anterior), “avançar” (para vi­
sitar a próxima página), “favoritos” (para armazenar o endereço), registrar au­
tomaticamente o histórico de todas as páginas visitadas e configurar a página
inicial (que será aberta quando você inicia o navegador). Todas essas opções estão
acessíveis por meio de botões próprios ou de menus.

Os navegadores também têm capacidade para exibir animações em Flash, Silver­


light, arquivos PDF, Applets em Java (como os teclados virtuais de banco), entre
outras aplicações, mas para isso necessitam de um plug-in específico.
Depois de instalar, você deverá fechar o Chrome e abri-lo novamente.
A figura 470 mostra uma tentativa de acesso à página do Opera Mini, um navega­
dor web para dispositivos móveis com um demo na web. O demo foi desenvolvido A figura 473 refere-se ao Opera Mini e simula como você o utilizaria em seu
em Java e o Chrome não possui o plug-in para isso. Então, você verá a informação celular. Para testar, digite www.gmail.com.
de que para visualizar corretamente a página deverá instalar o plug-in.
Note que se abrirá o site do Gmail (figura 474), mas você não o visualizará corre­
Ao clicar no botão indicado, você será direcionado para o site do programa, onde tamente, assim como outros sites que não foram criados para exibição em dispo­
deverá fazer o download da aplicação e instalá-la (figura 471 e 472). sitivos móveis. Muitos sites detectam automaticamente o navegador, aparelho e
tamanho da tela e já redimensionam suas páginas. Tente acessar outros sites para
Figura 470 conhecer mais esse universo.
Tentativa de acesso
ao Opera Mini. Figura 473
Página do Opera Mini
(à esquerda).

Figura 474
Site do Gmail.

Figura 471
Página do
download do Java.

12.2. Sites de busca


Para pesquisar algum assunto, procuramos acessar os chamados sites de busca,
que possuem programação apropriada para localizar a informação que desejamos
naquele momento na imensidão da internet. Um dos sites de busca mais antigos é

290 291
Informática 1 capítulo 12

Figura 475 Figura 478


Página de busca Cadê, Relação de sites
do Yahoo!. indicados
pelo Google.

O Google surgiu em
1996 de uma tese de
doutorado dos então Figura 479
estudantes Larry Page Página de site
e Sergey Brin – que em encontrada
o Cadê (www.cade.com.br). Estamos procurando informações sobre a história da
2007 apareceram na pelo Google.
internet. Para isso digitamos o termo e clicamos em “Buscar”. Será apresentada
lista dos dez americanos
uma janela como a da figura 475.
mais ricos. A empresa
começou e se consagrou
como site de busca, mas Na janela mostrada na figura 476, podemos ver uma relação de sites que trazem
rapidamente expandiu informações sobre a história da internet. Basta clicar em um deles para acessar
a oferta de serviços conteúdo relativo ao assunto.
para mapas, traduções,
e-mails. Em 2009, o Um dos sites de busca mais utilizados atualmente é o Google (www.google.com. direito do mouse sobre o link (figura 480) e escolhendo a opção “Abrir em
Google já alcançava preço br), que segue o mesmo princípio do Cadê. Digitamos o tema em que estamos uma Nova Janela” (será aberto outro navegador) ou “Abrir em uma Nova
de mercado similar ao da interessados e clicamos em “Pesquisar”. Aba” (será aberta uma nova aba no mesmo navegador). A figura 481 mostra
Apple, cerca de US$ 170 várias abas abertas em um mesmo navegador.
bilhões. Serão exibidos links para os sites que trazem informações relacionadas, como
mostra a figura 478. Escolha um link, clique e acesse (figura 479). No Chrome podemos digitar a pesquisa diretamente na barra de endereços. O
navegador abrirá o Google e efetuará a pesquisa (figura 482).
Quando procuramos uma informação, geralmente visitamos vários sites.
Podemos deixar esses sites abertos ao mesmo tempo, clicando com o botão Em todos os sites de busca temos a opção “Pesquisa Avançada”, onde podemos
filtrar melhor o tipo de informação que queremos encontrar.
Figura 476
Lista de páginas Figura 480
sobre o tema Abrindo novos
pesquisado. sites.

Figura 477
Página inicial do Figura 481
Google. Um navegador,
várias abas.

292 293
Informática 1 capítulo 12

Figura 482 Figura 485


Pesquisa pelo Busca de imagens
Chrome. no Google.

A figura 483 ilustra um exemplo de pesquisa avançada do Google, onde é preciso


preencher os campos e depois clicar em “Pesquisar”.

Existem várias opções de pesquisa na internet, como imagens, notícias, mapas, ví­ Já a figura 486 ilustra uma busca de vídeos no Cadê.
deos e muito mais. Basta selecionar a opção correta nos sites de busca (figura 484).
A figura 487 mostra uma pesquisa a partir da expressão “história da internet”. Note
A figura 485 mostra um exemplo de busca de imagens por meio do Google. Você que agora são exibidos links para arquivos, juntamente com o nome dos autores e
pode também configurar o tipo de imagem que deseja encontrar. as citações já feitas em outros artigos. Também podemos acessar outros textos rela­
cionados ao assunto e utilizar a busca avançada para obter artigos mais atuais. As
Figura 483 figuras 488 a 490 trazem outros exemplos de pesquisas na internet.
Página de pesquisa
avançada do Google. Figura 486
Pesquisa de vídeo
no Cadê.

Figura 484
Escolhendo o
Figura 487
que pesquisar.
Buscando textos e
páginas com as palavras
“história da internet”.

294 295
Informática 1 capítulo 12

Figura 488 Figura 491


Página de Criando uma
pesquisa do Bing conta no Gmail.
(www.bing.com).

DICA
O site do Centro Paula
Souza publica anualmente
o Guia de Internet, que
traz diversas indicações
Figura 489 de sites para as mais
Resultado da busca diversas áreas do
com as palavras 12.3. E-mails conhecimento.
“história da internet”. Vale a pena conferir.
E-mail é uma ferramenta que nos permite escrever, enviar e receber mensagens
utilizando a internet. Para utilizar e-mail, você não precisa estar conectado à
internet o tempo todo, mas pode se conectar apenas para escrever, enviar e ler
as mensagens recebidas. Essas ficam armazenadas em um servidor e podem ser
vistas toda vez que o usuário se conectar.

Você pode contratar um servidor de e-mails, como Terra, Uol, entre outros, utili­
zar uma conta de e-mail da sua empresa (fulano@empresa.com.br) ou ainda criar
uma conta gratuita em servidores como Gmail (www.gmail.com) ou Hotmail
(www.hotmail.com). Para criar uma conta acesse o site, preencha o cadastro e
aceite os termos de uso, como mostram as figuras 491 e 492.

Figura 492
Figura 490
Criando uma
Exemplo de pesquisa
conta no
de imagens.
Hotmail.

296 297
Informática 1 capítulo 12

Figura 493 Figura 495


Primeira mensagem é Outlook Express.
da Microsoft.

DICA
Para seus trabalhos
escolares, um dos melhores
recursos é o Google
Acadêmico (www.scholar.
google.com), que pesquisa
em artigos científicos,
Depois de criar a conta no Hotmail, você terá acesso ao ambiente para envio e
bibliotecas acadêmicas,
recebimento de e-mails. Haverá uma nova mensagem em sua Caixa de Entrada,
revistas conceituadas.
enviada pela equipe da Microsoft (figura 493). Figura 496
Ou seja, em fontes de
informações altamente Windows Live
confiáveis, e não na Para enviar uma mensagem, você deverá clicar na opção “Novo”, escrever o tex­ Messenger.
internet em geral, onde to, digitar o e-mail do destinatário e clicar em enviar. Ao enviar a mensagem, o
as informações podem ser Hotmail pergunta se você deseja cadastrar o destinatário em sua lista de contatos
fornecidas por qualquer (figura 494). Com essa lista você não precisa decorar os e-mails, pois terá todos
pessoa. Outros sites de os endereços registrados.
busca altamente confiáveis
são o Periódicos Capes Todos os e-mails que você envia são agrupados na pasta “Enviados”, de modo que
(www.periodicos.capes. você mantém uma cópia de tudo que enviou.
gov.br) , o Portal Acesso
Livre (http://acessolivre. Após criar sua conta de e-mail, você poderá utilizar um software para troca de
capes.gov.br) e o Portal mensagens instantâneas. Na figura 495 acessamos o Windows Live Messenger e
Domínio Público (www. cadastramos dois usuários para conversar. Lembre-se de que você só poderá con­
dominiopublico.gov.br), versar com seus contatos quando eles estiverem online e depois que eles aceitarem
além de sites das diversas seu cadastro.
universidades brasileiras.
Você também pode configurar softwares como o Outlook Express e o Outlook
2007 para leitura, envio e recebimento de mensagens. Assim, as mensagens fica­
rão armazenas em seu computador, e não em um webmail (figuras 496 e 497).
Figura 497
Outlook 2007.
Figura 494
Cadastrando
destinatários.

298 299
Informática 1 capítulo 12

Existem ferramentas gratuitas para gerenciamento de contas de e-mail. Uma • Tomar muito cuidado com pen-drives, disquetes ou CDs/DVDs com
delas é o Thunderbird (Mozilla). Essa ferramenta tem as mesmas caracterís­ softwares ou arquivos que você compra ou copia de outras pessoas, os
ticas básicas do Outlook, além de ferramentas para RSS. A versão Portable quais podem conter vírus.
(portátil) do Thunderbird pode ser carregada em pen-drive ou qualquer com­
putador que o reconheça. Assim, você poderá acessar seus e-mails enviados e • Tomar muito cuidado com seus arquivos e informações pessoais quando uti­
recebidos, e ainda receber novas mensagens, escrever e-mails e consultar seu lizar lan houses ou computadores utilizados por muitas pessoas, que podem
catálogo de endereços. armazenar suas senhas.

12.4. Segurança • Ao utilizar site para leitura de e-mails assegurar-se de que ao sair você clicou
na opção sair, pois muitas vezes você acaba deixando seu e-mail aberto e outras
O site da CERT (Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de pessoas podem acessá-lo.
Segurança no Brasil <http://www.cert.br/>) é responsável por receber, analisar
e responder questões sobre incidentes de segurança envolvendo redes conecta­ • Prestar muita atenção ao compartilhar recursos do Windows, pois você poderá
das à internet no Brasil. Encontramos ali inclusive estatísticas sobre ocorrên­ “abrir as portas” para ataques vindos da internet. Colocar sempre uma senha
Até 2007, o número cias reportadas à entidade. Para orientar o internauta a proteger os dados que quando for compartilhar algum recurso.
de casos que chegou à guarda em seu computador do acesso por parte de terceiros, a CERT publicou,
CERT, de acordo com em 2006, a Cartilha de Segurança para Internet, da qual reproduzimos as re­ • Realizar constantes backups (cópias de segurança) dos seus dados. Se você tra­
dados divulgados no site comendações que todo internauta deveria seguir. Confira: balha muito com o computador, talvez seja necessário no mínimo um backup
das entidade, não havia semanal das informações (as grandes empresas fazem backups diariamente e
alcançado 90 mil. Em 2008 • Não fornecer a senha do computador para estranhos. até em tempo real).
e 2009, porém, superou
190 mil. Em 2008, a maior • Não acessar sites que solicitem senhas de cartões de crédito. • Guardar muito bem suas cópias de segurança, pois lá estão informações valio­
parte das ocorrências sas que podem ser utilizadas de por pessoas mal-intencionadas.
se relacionou a fraudes
• Não ativar os recursos de memorização de senha existentes em vários navega­
(62,94%), mas a incidência
dores e em alguns sites. • Procurar sempre que possível você mesmo resolver problemas de hardware e
de scan e worm também
software de seu computador e, caso não consiga, recorrer a um técnico de sua
foi alta – respectivamente,
19,69% e 14,8%. A
• Não fornecer sua senha de e-mail, Orkut e demais programas que outros pos­ confiança.
sam acessar e eventualmente prejudicá-lo.
Cartilha de Segurança
para Internet, que traz • Verificar as opções de privacidade e segurança disponíveis nos navegadores,
informações • Criar senhas diferentes e com vários caracteres, pois isso dificulta o acesso e a leitores de e-mail e demais softwares de acesso à internet.
interessantes e quebra da sua privacidade.
bastante úteis, está
disponível para o • Mudar sua senha várias vezes e não utilizar a mesma senha para vários progra­
download no mas diferentes.
site da CERT.
• Instalar e manter atualizados softwares antivírus e Firewall.

• Não clicar nem instalar programas que você não conheça, mesmo que tenha sido
enviado por seu melhor amigo – converse com ele antes, pois, se o computador dele
estiver infectado, o e-mail pode ter sido disparado automaticamente.

• Preferencialmente desabilitar a opção que permite a gravação de cookies em


seu computador. Eles podem ser utilizados para gravar senhas e informações
pessoais através do seu navegador.

• Quando realizar cadastros com dados pessoais ou transações bancárias, verifi­


car se um pequeno cadeado aparece na barra de status do seu navegador, pois
isto assegura que as informações serão transmitidas de forma segura.

300 301
Capítulo 13

Editores de texto
 Microsoft Word 2007

 BrOffi ce.org Writer

 Botão do Offi ce

 Layout da página

 Referências

 correspondências: mala direta

 Revisão

 Exibição
Informática 1 Capítulo 13

Figura 499
Barra de Opções do
Word (Office 2007).

Figura 500
Barra de Ferramentas do
Word (Office 2003).

E
13.1. Microsoft Word 2007
ditores ou processadores de texto são provavelmente os aplicativos mais O Office Word 2007 (figura 499) é um programa de criação de documentos
utilizados em informática. Eles permitem a criação dos mais diversos com aparência profissional. A variedade de ferramentas em relação ao Word
tipos de textos, desde cartas informais até monografias completas, com 2003 (figura 500) permite criar documentos usando elementos e estilos prede­
a ajuda de um conjunto precioso de ferramentas para esse trabalho: revisores orto­ finidos, bem como compor e publicar blogs diretamente do Word.
gráficos, alinhadores de texto, editores de tabelas, botões de impressão etc.
Vamos conhecer os elementos básicos da interface gráfica do Word 2007 (figura 501).
Assim como os programas de planilhas eletrônicas e de editores de apresentações
Dica que serão conhecidos nos próximos capítulos, os editores de textos geralmente vêm Figura 501
O site da Microsoft instalados como item de um pacote de aplicativos no computador. Entre esses pa­ 1 2 4 5
Interface inicial
3 7 8 6
disponibiliza cotes de aplicativos, o mais conhecido é o Microsoft Office, composto por editor do Word 2007.
gratuitamente cursos de texto, planilha eletrônica e demais softwares para gerenciamento de informações
virtuais do Office 2007 pessoais e empresariais. Seu editor de texto principal é o Microsoft Word.
e versões gratuitas do
software para testes.
Outro conjunto de aplicativos bastante utilizado, por ser gratuito e de código
aberto, é o BrOffice (figura 498). Ele também possui as ferramentas essenciais
para o dia a dia de empresas e profissionais em geral. Traduzido para mais de
30 idiomas, o BrOffice está disponível para diversas plataformas (Microsoft
Windows, Mac OS X X11, GNU/Linux, Solaris) e tem como principal editor
de texto o BrOffice.org Writer.

Figura 498
Interface inicial
do BrOffice.

dica 9
10
11
12 13
16
15
14
17

Acesse o site
www.broffice.org 1) Botão do Office 10) Contador de palavras
para obter mais 2) Barra de ferramentas 11) Corretor ortográfico
informações a respeito 3) Guia (ou aba) separadora 12) Idioma do documento
deste fantástico pacote 4) Barra de títulos 13) M
 odos de visualização do
de aplicativos, conhecer 5) Minimizar, maximizar ou restaurar documento
ferramentas adicionais, 6) Ajuda 14) Zoom
fazer download gratuito 7) Régua 15) Selecionar o objeto da procura
e acessar fóruns 8) Divisor de documentos 16) Página anterior
da comunidade de
9) Indicador de páginas (atual e total) 17) Próxima página
desenvolvimento.

304 305
Informática 1 Capítulo 13

Figura 502 Figura 503


Interface inicial 2 6 5 Opções do
1 3 4
do Writer. botão do Office.
1
2
3
4

5
6
7
8
10 11
9

9 11 13 16
8 10 7 12 15

13.4. Funções básicas do Word 2007


1) Barra de títulos 10) Corretor ortográfico/ Idioma do Criar um novo documento 1 : esta opção permite que você crie novos
2) Barra de ferramentas documento documentos baseado em modelos. O padrão é Documento em branco, con­
3) Barra de menus 11) Tecla Ins (Insert) – Modo de edição forme mostra a figura 504. Se você clicar em “Criar”, aparecerá um novo do­
4) Minimizar, maximizar ou restaurar 12) Modos de visualização cumento para edição (figura 505) com o nome de “Documento1”. Um novo
5) Fechar do documento documento será aberto na Área de Trabalho. Agora é só começar a digitar.
6) Régua 13) Zoom
7) Barra de rolagem 14) Navegação Abrir um documento existente 2 : usado para abrir documentos já cria­
8) Indicador de páginas (atual e total) 15) Página anterior dos no Word 2007 e armazenados em qualquer tipo de mídia (CD, DVD,
9) Estilo da página 16) Próxima página pen-drive, na rede, no servidor ou em seu próprio computador). Ao clicar
no ícone, será aberta a caixa de diálogo “Abrir” para que você selecione o

Figura 504
13.2. BrOffice.org Writer Ícone
Documentos em
O Writer é o editor de textos do BrOffice. Com esse aplicativo, o usuário é capaz Branco, o padrão.
de criar e editar documentos, gerar páginas HTML e arquivos no formato PDF.
O editor integra-se a todos os aplicativos do BrOffice. Veja a figura 502.

Observe que temos as mesmas funções nos dois aplicativos (Word e Writer).
Vamos mostrar como funciona o Word 2007, mas o importante é você saber que
todas as funções desse programa também existem no Writer. Figura 505
Opção novo
13.3. Botão do Office documento.

O botão do Office permite que você tenha acesso às funções básicas para a ma­
nipulação dos documentos criados ou abertos pelo Word 2007, como você pode
observar na figura 503.

306 307
Informática 1 Capítulo 13

Figura 506
“Salvar como” o documento atual 4 : permite salvar uma cópia do docu­
Caixa de
mento atual com outro nome ou outro formato. Ao passar o mouse sobre esta
Diálogo “Abrir opção, você verá que surge um submenu com as seguintes opções (figura 509):
Documento”.
“Documento do Word”: salva o arquivo com outro nome (no formato Word
2007, extensão docx).

“Modelo do Word”: salva o arquivo como um modelo que poderá ser utilizado
por outros documentos.

“Documento do Word 97-2003”: salva o arquivo no formato anterior do


Word (97-2003) de forma que o mesmo possa ser aberto por qualquer versão
Figura 507 do aplicativo.
Salvando um
Adobe PDF: salva o arquivo no formato PDF (não editável).
documento.

“Outros Formatos de arquivo”: por meio desta opção, você terá acesso a
uma caixa de diálogo de ajuda explicando como localizar e incluir suple­
mentos (como PDF ou XPS) para a geração de arquivos em outros formatos.

“Outros formatos”: salva o arquivo no formato especificado pelo usuário na


caixa de diálogo “Salvar como”.

Imprimir 5 : esta opção permite visualizar e/ou imprimir uma cópia do docu­
mento atual (figura 510).

arquivo a ser aberto. Após encontrar o arquivo, basta clicar no seu nome e Figura 509
em seguida no botão “Abrir” (figura 506). Opções de
“Salvar como”.
Salvar o documento atual 3 : permite salvar (gravar) o documento atual. Basta
clicar na opção “Salvar”, escolher o local para armazenamento do arquivo (pasta),
digitar o nome do arquivo e clicar em “Salvar” (figura 507).

O nome do arquivo que você acabou de salvar será exibido na barra de títulos do
Word 2007 (figura 508).

Figura 508
Arquivo salvo.

Figura 510
Opções de
impressão.

308 309
Informática 1 Capítulo 13

Figura 511 Figura 514


Caixa de diálogo Opções do
“Imprimir”. “Preparar”.

Figura 515
“Propriedades do
Documento”.

“Preparar” 6 : permite configurar opções avançadas de acesso ao seu documen­


to, como você pode conferir na figura 514.
Figura 512
“Propriedades”: para exibir e/ou editar as propriedades do documento, como
Janela de
indica a figura 515.
“Visualização de
impressão”.
“Inspecionar Documento”: verifica a existência de informações ocultas no do­
cumento (figura 516)

“Criptografar Documento”: criptografar o conteúdo do arquivo com uma se­


nha de acesso (figura 517).

“Restringir Permissão”: permite restringir acesso ao conteúdo do documento;


este acesso pode ser irrestrito, restrito ou gerenciado (Figura 518).

Figura 516
Caixa de diálogo
“Impressora”: esta caixa serve para seleção e configuração da impressora a ser “Inspetor de
utilizada (figura 511). Documento”.

“Impressão Rápida”: envia o documento para a impressora padrão do Windows


(não exibe a caixa de diálogo “imprimir”).

“Visualizar Impressão”: permite a visualização e configuração das páginas an­


tes de enviá-las para a impressão (figura 512).

Assim que você confirmar a impressão pelo Word 2007, o gerenciador de impres­
são do Windows receberá o documento e iniciará a impressão (figura 513). Figura 517
Caixa de diálogo
Figura 513 “Criptografar
Caixa de diálogo da Documento”.
impressora selecionada.

310 311
Informática 1 Capítulo 13

Figura 518 Figura 523


Restringir Permissão. Opções do “Enviar”.

Figura 519
Assinatura Digital
Figura 524
(Mensagem de Alerta).
Enviando o documento
do Word por e-mail.
Assinatura digital é um
mecanismo criado para
garantir a autenticidade de
arquivos eletrônicos. É a
prova ainda de que foram
“Adicionar uma Assinatura Digital”: permite associar uma assinatura digital a
assinados pela entidade, um documento, como mostram as figuras 519 e 520.
empresa, pessoa que
possui o certificado digital “Marcar como Final”: altera a propriedade de edição do documento, colocan­
correspondente. Para saber do-o somente como leitura (figura 521).
mais, digite a expressão a) Enviar por e-mail: cria uma nova mensagem no Outlook com o documento atual
“Assinatura Digital” em um “Executar Verificador de Compatibilidade”: Verifica a compatibilidade dos em anexo (figura 524).
site de busca, pesquise sobre o recursos existentes dentro do documento atual com os recursos existentes em
assunto em páginas confiáveis versões anteriores do Word (figura 522). b) Enviar usando Create Adobe PDF and Email: cria um arquivo no formato PDF
e compreenda melhor como a partir do documento atual e uma nova mensagem no Outlook com o arquivo PDF
esse mecanismo funciona e “Enviar” 7 : para envio do documento por e-mail, fax ou criar uma cópia em recém-gerado em anexo, como você pode conferir na figuras 525 e 526.
qual é sua importância. PDF (figura 523).
c) Fax da internet: envia o documento atual através de um serviço de Fax dispo­
Figura 520 nível na internet (figura 527).
Assinatura digital.
Figura 525
Gerando o
arquivo PDF.

Figura 521
“Marcar como Final”.

Figura 522
Caixa de diálogo
“Verificador de
Compatibilidade”. Figura 526
Enviando o arquivo
PDF por e-mail.

312 313
Informática 1 Capítulo 13

Figura 527 Figura 530


Enviando o arquivo Compartilhamento
PDF por e-mail. de arquivos.

Figura 528
Opções do
“Publicar”.

“Criar Espaço de Trabalho de Documento”: cria um site para que você possa
compartilhar este documento e trabalhar colaborativamente com outros usuá­
rios. Veja na figura 531.
“Publicar” 8 : permite a publicação do seu arquivo do Word, como
indica a figura 528. “Fechar 9 : fecha o documento atual.

“Blog”: possibilita converter o documento atual em uma página de um blog “Opções do Word” 10 : exibe e permite a alteração de algumas opções padrão
(veja as figuras 529 A e B). do Word 2007 (figura 532).

“Servidor de Gerenciamento de Documentos”: compartilha o documento em Figura 531


servidores de rede local ou internet (figura 530). Definição do
“Espaço de
Figura 529-A Trabalho de
Registrando uma Documento”.
conta de blog.

Figura 529-B
Visualização da
página do blog Figura 532
para edição. “Opções do Word”.

314 315
Informática 1 Capítulo 13

Figura 533 Figura 535


Lista de “Documentos Faixa de opções “Início”:
Recentes”. ferramentas para edição
das fontes (grupo “Fonte”).

Figura 536
Selecionando o texto.

Faixa de opções do Microsoft Office


Sair do Word 11 : finaliza a execução do Word 2007. Ao criar um novo documento, há várias configurações de texto já predefinidas,
como o tipo de fonte (tipo da letra), tamanho, cor e alinhamento. Para alterar
Documentos Recentes: exibe uma lista dos últimos documentos abertos inde­ essas configurações utilizaremos as opções de fonte (figura 535).
pendentemente do local onde estejam gravados (figura 533). Basta clicar no nome
do arquivo relacionado que o mesmo será aberto. Para alterar o tipo de letra (fonte) em que o texto foi digitado, siga os seguintes passos:

13.5. Início: Área de Transferência, Fonte, 1. Selecione o texto a ser alterado: posicione o cursor do mouse ( ) no início ou
Parágrafo, Estilo e Edição no final do texto, pressione o botão esquerdo do mouse, mantenha-o pressio­
nado e arraste-o de forma que o cursor passe sobre o texto.
Agora que já conhecemos as ferramentas básicas do Microsoft Word 2007, vamos
iniciar nosso trabalho na edição de textos, os quais digitaremos na área central Quando estiver selecionado, o texto parecerá do modo como indica a figura 536.
da janela (figura 534).
2. Com o texto selecionado acesse a caixa de seleção do tipo da fonte.
Quando criamos um documento, sempre temos a necessidade de alterar algumas
configurações da página, como o tipo de letra, cor das letras, alinhamento, por 3. Selecione a fonte desejada dentro da listagem de fontes disponíveis (figura 537).
exemplo. Dessa forma, começaremos aprendendo a usar a faixa de opções.
Ao passar o mouse sobre as fontes, você verá, automaticamente, como ficará o
Figura 534 texto conforme a fonte.
Interface principal
do Word. Figura 537
Selecionando a nova
fonte para o texto.

316 317
InfoRmátICa 1 CaPítuLo 13

Figura 541
Figura 538
7 3 Grupo parágrafo.
Ao selecionar
o texto, será 6
exibido um menu
5
instantâneo. 1 4
2
Figura 542
4. Após a seleção, o texto será alterado.
Texto centralizado.
Para tirar a seleção do texto, basta clicar em qualquer lugar dentro da área do
documento. Outra forma de alterar a fonte é por meio de um menu instantâneo
que será aberto quando você selecionar o texto e posicionar o cursor do mouse
sobre ele (figura 538).

Dessa forma, é possível alterar a fonte, assim como ocorreu na guia “Início” / Depois de escrever e formatar o título do trabalho, vamos digitar o conteúdo
grupo “Fonte” (esse é um dos novos recursos do Word 2007). em forma de parágrafos. Entre as funções mais utilizadas no parágrafo estão o
alinhamento (direita, esquerda, centralizado e justificado) e o espaçamento entre
Outras características do texto também podem ser alteradas por meio da ferra­ linhas (figura 541).
menta “Fonte” (figura 539).
Vamos deixar o título centralizado. Para isso, basta selecionar a frase e clicar no
Para que as funções citadas tenham efeito, é preciso selecionar o texto e apli­ item 1 (figura 542).
car a configuração. Vamos colocar, então, o título em negrito e itálico, com
fonte “Times New Roman”, vermelho e tamanho 16 (figura 540). Agora vamos para o segundo parágrafo do trabalho. Podemos formatar o tipo e o
tamanho da letra antes de digitar. No caso, vamos trabalhar com fonte Arial tama­
nho 12. Veja na figura 543 que o alinhamento padrão do parágrafo é à esquerda.
Figura 539
Grupo fonte. 1 3 5 Figura 543
2 4
Parágrafo
alinhado à
esquerda.

6 8 10 12 14
7 9 11 13
1) Tipo da fonte 9) Colocar tachado no texto

conheça as opções de parágrafo


2) Tamanho da fonte 10) Colocar o texto subscrito
3) Aumentar a fonte (1 ponto) 11) Colocar o texto sobrescrito
4) Diminuir a fonte (1 ponto) 12) Alterar o texto entre maiúsculas
• Alinhamento: opções de alinhamento • Especial: quando o espaço será dado de
5) Limpar a formatação do texto e minúsculas
do texto do parágrafo (“esquerda”, forma diferente dentro do parágrafo.
6) Colocar negrito no texto 13) Colocar realce no texto
“Centralizada”, “Direita” e “Justificada”). Pode ser somente na primeira linha do
7) Colocar itálico no texto 14) Alterar a cor do texto parágrafo ou um deslocamento.
8) Colocar sublinhado no texto • Nível do tópico: onde será aplicada a
• Espaçamento: Antes / Depois: espaço
formatação (corpo do texto) Recuo –
que será dado antes da primeira linha do
Figura 540 esquerda / Direita: espaço de recuo que parágrafo ou depois da última linha.
Texto selecionado e menu será dado em relação à margem esquerda • Entrelinhas: espaço que será dado entre
automático de formatação de ou à margem direita da página. uma linha e outra dentro do parágrafo.
fontes exibido.

318 319
Informática 1 Capítulo 13

Figura 544 Figura 547


Opções de Movimentação do
espaçamento parágrafo por meio
entre linhas. da régua.

Figura 548
Ferramenta de
sombreamento.

Figura 545
Opções de parágrafo.

Note que os indicadores dos recuo também mudaram de posição. Você poderá
selecionar o texto e arrastar os recuos (primeira linha, deslocamento esquerdo e
direito) para obter o mesmo resultado (figura 547).

Outra ferramenta interessante é a de sombreamento 4 (indicado na figura 541).


Ela permite que se escolha a cor de fundo do texto (figura 548).

É possível também colocar uma borda no texto. Basta selecioná-lo e clicar em 5


(indicado na figura 541). Essa ferramenta é muito útil para quem trabalha com
tabelas (figura 549).

O item 6 (indicado na figura 541) é utilizado para que possamos visualizar os


parágrafos e os espaços existentes no texto. Lembre-se de que esses caracteres não
serão impressos, servem apenas para controle (figura 550).

Para configurar o parágrafo, selecione o texto e coloque alinhamento “Justifica­ Figura 549
do” 2 . Depois, vamos configurar o espaçamento entre linhas. Algumas opções Ferramenta Bordas.
já estão no próprio menu, outras ficam no item “Opções de Espaçamento de
Linhas” (figura 544).

A tela seguinte exibirá as configurações atuais do parágrafo, conforme mostra a


figura 545 e o quadro “Conheça as opções de parágrafo”.

O recuo do parágrafo também pode ser feito por meio dos botões 3 (indicado na
figura 541). Cada vez que você clicar em um deles, será dado um espaço de 1,25
cm (uma tabulação). Veja figura 546.
Figura 550
Figura 546 Exibição dos
Opções de recuo caracteres de
do parágrafo. espaço e parágrafo.

320 321
Informática 1 Capítulo 13

Figura 551 Figura 555


Exemplo de lista Grupo Edição.
de opções.

Figura 556
Localizar Palavras.
Figura 552
Opções de
marcadores
para a lista.

Dentro do Word, existem ferramentas de edição muito interessantes. Por exem­


plo, as que são utilizadas quando temos um documento muito extenso e precisa­
mos localizar e substituir palavras (figura 555).

Ao selecionar uma das opções, você verá uma janela para a digitação da infor­
Figura 553
mação que deseja localizar ou substituir. É possível solicitar que a palavra seja
Alterando o
realçada no texto ou apenas localizada (figura 556).
tipo de lista.
Vamos ver o que mais podemos adicionar ao documento por meio da guia “in­
serir” (figura 557).

É possível inserir uma Folha de Rosto, que seria a primeira página do documento. O
Word possui alguns modelos prontos. Você só precisa selecionar e usar (figura 558).

Os itens 7 são utilizados para a criação de uma lista com vários tópicos, sejam
eles numerados, sejam apenas com uma marcação. O Word criará a marcação
Figura 557
automaticamente, basta digitar a palavra e pressionar “Enter” (figura 551).
Guia Inserir.
Para alterar o tipo de marcação, basta escolher no menu (figura 552). Você tam­
bém pode alterar ou criar uma lista de opções numerada (figura 553)

O menu “Estilo” auxilia na produção de parágrafos (cor, tipo de fonte, alinha­


Figura 558
mento etc.) e de objetos do documento de forma rápida e prática. Basta criar um
Inserir Folha
estilo e depois aplicá-lo ao texto (figura 554).
de Rosto.
Figura 554
Grupo Estilo.

322 323
Informática 1 Capítulo 13

Figura 559 Figura 562


Opção Tabela Converter
(Grupo Tabelas). texto em tabela.

Figura 563
Resultado da
conversão do
texto em tabela.
Figura 560
Opção Inserir
Tabela.

uma nova linha. Há situações em que precisamos criar uma tabela com um texto já
digitado. Para isso existe a opção “Converter texto em tabela” (figura 562).

Ao selecionar o texto na opção “Converter texto em tabela”, você obterá uma


janela na qual poderá configurar a nova tabela (figura 562). O resultado da con­ Para conseguir utilizar
versão pode ser visualizado na figura 563. essas ferramentas, você
deverá sempre clicar
Existe ainda a opção “Planilha do Excel”. Com ela, podemos inserir uma tabela no objeto para que elas
utilizando uma planilha do Excel (figura 564). fiquem selecionadas. Isso
Você pode
garante que as alterações
obter o mesmo
O item “Página em Branco”, quando clicado, vai inserir uma nova página no Já a opção “Tabelas Rápidas” é um recurso para selecionar um modelo de tabela predefi­ sejam aplicadas sobre
resultado
documento, exatamente na posição em que o cursor estiver. Já o item “Quebra de nido e utilizá-lo com os seus dados. Basta selecionar uma das opções exibidas (figura 565) esse objeto.
pressionando
“CTRL” + Página” colocará o cursor em uma nova página em branco.
“Enter”. Note que, ao clicar na tabela, será exibido um novo item na faixa de opções
Para inserir uma tabela no documento, clique no item “Tabela”. Será exibida uma chamado Ferramentas de tabela, com duas opções: “Design” e “Layout”. Esta
janela na qual você poderá escolher quantas linhas e colunas a tabela deverá ter é uma característica das ferramentas do Office: quando selecionamos um objeto
(figura 559).
Figura 564
Você também pode selecionar “Inserir Tabela” (figura 560) para criar uma tabela Inserindo uma planilha
com as opções desejadas. do Excel dentro do
documento do Word.
Com a opção “Desenhar Tabela”, podemos desenhar manualmente a tabela, com
as respectivas linhas e colunas (figura 561).
Figura 565
Caso seja necessário colocar mais linhas na tabela, é só pressionar a tecla “TAB” Opção de
(Tabulação). Ao chegar à última célula da tabela, automaticamente o Word criará “Tabelas
Rápidas”.
Figura 561
Desenhando
uma tabela.

324 325
Informática 1 Capítulo 13

Figura 566 Figura 569


Opções para Inserindo imagens.
edição de uma
tabela.

Figura 567
Opções de
formatação da
tabela.

Figura 570
Faixa de opções
“Ferramentas de
Imagem”.

Podemos inserir imagens dentro de um documento do Word. Primeiramente clica­


mos na opção “Imagem” para que apareça uma janela com as opções existentes. Aí
é só selecionar a imagem desejada e clicar em “Inserir” para que ela seja colocada no
documento (figura 569).
dentro do documento, automaticamente ele exibe as ferramentas necessárias para
a edição desse objeto (figura 566). Note que, quando você clica na imagem inserida, aparece um novo item na faixa
de opções. São as “Ferramentas de Imagem” (figura 570).
Veja que podemos selecionar um novo estilo para a tabela. Dentro da opção “De­
sign”, podemos alterar configurações de cor, sombreamento, bordas, desenhar Dentro dessa ferramenta é possível fazer pequenos ajustes na imagem sem a necessidade
uma nova tabela ou apagar colunas, bordas etc. Para isso devemos selecionar a de um programa específico, como MS-Paint, Adobe PhotoShop ou Adobe Fireworks.
tabela e clicar na opção desejada (figura 567).
Vamos, agora, alterar o brilho da imagem. Clique sobre ela e depois no item “Bri­
Você pode configurar as linhas (tipo, cor e espessura) e clicar nas bordas que lho”. Surgirá uma janela que lhe permitirá escolher se quer aumentar ou diminuir
deseja alterar. Para isso selecione a opção “Desenhar Tabela” (figura 568). o brilho. Perceba que a imagem já vai exibindo as alterações conforme você passa
o mouse sobre as opções (figura 571).
Figura 568
Configurando Figura 571
a espessura da Alterando o
linha da tabela. brilho da imagem.

326 327
Informática 1 Capítulo 13

Figura 572 Figura 575


Mais opções de Inserir “Cabeçalho”.
formatação de
imagens. Figura 576
Configurando o
“Cabeçalho”.

Nesse momento será exibida a área do cabeçalho para que possamos editá-lo,
conforme mostra a figura 576. Note que o Word está exibindo as Ferramentas de
Cabeçalho e Rodapé. Isso permitirá inserir Data e Hora, Imagens, Número da
O mesmo irá ocorrer com as outras opções (figura 572): Página, Configurar a Altura, entre outras opções.

Outras imagens podem ser inseridas a partir da opção ClipArt, que é a coleção de Para editar o rodapé, clique em “Ir para o Rodapé” e coloque o número da pági­
imagens do Office. Clique sobre essa opção para ver a janela de pesquisa de ima­ na (figura 577). Depois clique em “Fechar Cabeçalho e Rodapé” para continuar
A melhor forma de
gens. Existe ainda a opção “Formas”, que permite incluir alguns objetos prontos digitando o texto.
trabalhar com gráficos no texto, tais como setas, fluxogramas e linhas (figura 573).
é, primeiramente, criar A opção “Caixa de Texto” é utilizada quando precisamos escrever um parágrafo
sua tabela no Excel Há também a possibilidade de trabalharmos com diagramas. Clique na opção dentro de um objeto que possa ser colocado em qualquer lugar do texto. Ela
para depois criar o SmartArt e selecione um dos tipos de diagrama. Depois é só fazer a configuração possibilita também a configuração do fundo, das letras, do alinhamento, entre
gráfico, seja no Word, conforme a sua preferência (figura 574). outras partes do parágrafo, sem afetar o restante do texto (figura 578).
seja no Excel.
Se quiser inserir gráficos do Excel no documento, utilize a opção “Gráfico”. Figura 577
Inserir
Podemos configurar o cabeçalho (parte superior da página) e o rodapé (parte “Número da
inferior) de forma que um texto possa ser incluído automaticamente em todas as Página”.
páginas do documento. Também podemos inserir um contador automático do
número das páginas. Para isso vamos clicar em “Cabeçalho” e incluir um cabe­
çalho em branco (figura 575).

Figura 573 Figura 578


Inserindo Formas
Inserir “Caixa
no documento.
de Texto”.
Figura 574
Galeria de diagramas.

328 329
Informática 1 Capítulo 13

Figura 579 Figura 582


Faixa de opções “Inserir Símbolos”.
“Ferramentas de
Caixa de Texto”.

Existem também alguns símbolos que não estão no teclado do computador. Mas
o Word resolve esse problema. É só clicar em “Símbolos” e fazer a escolha numa
lista que aparecerá. Caso não encontre o símbolo desejado, clique na opção “Mais
Símbolos” e você verá a infinidade de opções e fontes diferentes que podem ser
utilizadas (figura 582).

13.6. Layout da página


Podemos configurar um tema para o documento, as “Margens da página”, o “Plano de
Figura 580
Quando clicar na caixa de texto que foi inserida no documento, você verá a faixa Fundo” e algumas configurações de “Parágrafo”, como você pode ver na figura 583.
Inserir “WordArt”.
de opções para esse objeto (figura 579).
Ao clicar na opção “Temas”, note que toda a configuração dos itens já inseridos
Outro recurso é a possibilidade de alterar várias configurações da Caixa de no documento ficará alterada (figura 584).
Texto, tais como a direção do texto, contorno, preenchimento, forma, sombra,
efeitos 3D, tipo e cor da letra, etc. O mesmo ocorre quando se selecionam os itens “Cores”, “Fontes” e “Efeitos”
(figura 585). Clicando em uma dessas opções, o texto será alterado automatica­
O Word possui uma ferramenta chamada “WordArt” que permite a inserção de mente. Você também pode criar seus próprios temas.
um texto decorativo dentro do documento. Para usá-la é preciso clicar na opção
“WordArt” e selecionar um modelo, digitar o texto e clicar em “OK “ (figura 580).

O Word tem um Editor de Equações que ajuda o usuário a inserir aquelas


equações complicadas de matemática ou de física. Para utilizá-lo, clique em
“Equação” e selecione um dos tipos predefinidos. Ou, então, monte a sua pró­
pria equação (figura 581).
Figura 583
Figura 581
Faixa de opções
Inserir “Equações”.
“Layout da Página”
(acima).

Figura 584
Opção “Temas”
(ao lado).

330 331
Informática 1 Capítulo 13

Figura 585 Figura 587


Opções de cores, letras Opções de
e efeitos dos temas. Colunas.

Figura 588
Quebras de Página.
Dica
Ao criar um novo
documento, é
aconselhável que você Agora é preciso configurar a página. Para isso utilizaremos as opções “Margens”,
faça as configurações da “Orientação” e “Tamanho”. Em 99% das vezes em que criarmos um documento
página antes de iniciar do Word, precisaremos imprimi-lo. Sendo assim, deveremos configurar as pági­
a digitação do texto
nas do arquivo (documento do Word) conforme o papel a ser utilizado (figura
e de demais objetos.
586).
Dessa forma, evitará
Também podemos separar o texto em colunas. Basta utilizarmos a opção “Colunas”.
trabalho desnecessário,
A opção “Margens” vai indicar o espaço que deve ficar nos quatro lados de cada Se selecionarmos o texto antes de clicar na opção desejada, a ação ocorrerá somente no
já que tudo o que fizer
página. A “Orientação” definirá se trabalharemos com o papel “em pé” (retrato) ou texto selecionado. Caso contrário, ela terá efeito sobre o texto todo (figura 587).
após essa configuração
seguirá um padrão.
“deitado” (paisagem). A opção “Tamanho” vai nos ajudar a configurar o documento
com as mesmas dimensões do papel que será utilizado para a impressão. Se selecio­ As quebras são opções muito úteis quando precisamos separar partes do texto
O padrão do Word para os
narmos o último item da opção “Margens”, será exibida a janela “Configurar Pági­ dentro de um mesmo documento. Por exemplo, quando estivermos digitando
itens “Números de Linha”
na”. Nela será possível configurar as três opções anteriores em uma mesma janela. nosso Projeto de Conclusão de Curso, ele deverá conter vários capítulos. Então,
e “Hifenização” é Nenhum,
colocaremos uma quebra sempre entre um capítulo e outro, como forma de or­
pois se estiverem ativados
Figura 586 ganizar o texto (figura 588). eles vão alterar o texto.
Opções de “margens”, Ou seja, quando mandar
“orientação” e Também utilizamos bastante essa opção quando queremos que uma página te­ imprimir, os números de
“tamanho” da página. nha um cabeçalho ou rodapé diferente das demais. É o caso, por exemplo, da página e a separação das
capa do trabalho no mesmo documento em que haja o restante da pesquisa. Sa­ palavras que ele estiver
bemos que a capa não tem numeração de página, mas o restante da pesquisa sim. mostrando no momento
serão impressos.
Em algumas ocasiões, precisamos saber quantas linhas de texto já foram colocadas
dentro de uma página. Para isso, basta selecionar a opção “Números de Linha” e
clicar na melhor alternativa (figura 589).

Figura 589
Exibindo os
números de linhas.

332 333
Informática 1 Capítulo 13

Figura 590 Figura 593


Opção para realizar a Opções de
separação automática “Borda da
das palavras. Página”.

O Word também faz a separação de palavras (hifenização) de forma automática.


Para usar esse recurso, é só selecionar a opção “Hifenização” e depois “Automá­
tico” (figura 590).

É possível colocar uma imagem de fundo no documento, chamada “Marca d’água”. Outra possibilidade interessante é a inserção de borda em cada página. Para usar esse
Clique no item Marca d’água e escolha um modelo. Esse fundo será colocado na recurso é preciso clicar na opção “Borda da Página”. Será exibida uma janela como
mesma área do Cabeçalho e Rodapé e será impresso em todas as páginas. É possível a da figura 593, onde podemos escolher o tipo de borda. Note que há uma opção de
inserir um texto, imagem, WordArt etc. (figura 591). borda chamada “Arte”. Com ela pode-se criar uma borda com pequenos desenhos.

Além da “Marca d’água”, é possível colocar uma cor de fundo no documento. 13.7. Referências
Para isso selecione a opção “Cor da Página” e escolha uma cor (figura 592).
Nesta guia podemos criar e configurar sumários, notas de rodapé, bibliografias
Figura 591 legendas e índices (figura 594).
Opção “Marca
d’Água”. Muitas vezes precisaremos criar dentro do Word um sumário para mostrar em
qual página está cada capítulo do trabalho. Isso pode ser feito de forma manual
ou automática. É claro que automaticamente é bem melhor.

Para criar esse sumário clique na guia “Referências” e depois em “Sumário”. Escolha
um dos modelos ou clique na opção “Inserir Sumário” para configurá-lo manual­
mente (figura 595). O Word irá inserir o sumário na posição em que está o cursor.

Figura 594
Figura 592
Guia Referências
Opções de “Cor
(acima).
da Página”.
Figura 595
Inserir Sumário
(ao lado).

334 335
Informática 1 Capítulo 13

Figura 596 Figura 600


Sumário colocado Sumário atualizado.
no texto.

Figura 601
Inserindo notas
Figura 597
de rodapé.
Inserindo o primeiro
item do sumário.

Note que o sumário ainda não possui nenhum item. Por isso podemos selecionar
ou digitar os textos que farão parte dele (figura 596). Clique em “Atualizar Sumário” para visualizar o novo item (figura 600).

Em seguida vamos digitar a palavra “Introdução”, selecioná-la e clicar em “Adi­ Se houver necessidade de referenciar uma palavra do texto, ou seja, explicar o signi­
cionar Texto”. Selecionaremos a opção “Nível 2” (figura 597). ficado de uma sigla ou citar uma fonte de informação, utilizaremos a opção “Inserir
Nota de Rodapé”. Isso nos permitirá numerar automaticamente as referências e digi­
Clique em “Atualizar Sumário” para que possa visualizar esse texto dentro do su­ tar o texto explicativo no rodapé da página (figura 601). Também é possível colocar
mário que você inseriu. Repare que serão colocados automaticamente os pontos todas as notas no fim do documento, basta selecionar a opção “Inserir Nota de Fim”.
e o número da página (figura 598)
Todo bom trabalho deve ter Referências Bibliográficas, e, como um bom editor
Inserir uma quebra de página é uma forma de fazer com que o texto do WordArt de textos, o Word nos ajuda a fazer isso automaticamente por meio da opção
e a Caixa de Texto sejam transferidos para a próxima página. Digite um “Titulo” “Inserir Citação”. Nesse item, selecione a opção “Adicionar Nova Fonte Biblio­
e coloque-o no sumário. Depois selecione o texto e clique novamente em “Adicio­ gráfica” e preencha os dados da janela (figura 602).
nar Texto”, selecione a opção “Nível 2” e atualize o sumário (figura 599).
A citação será colocada na posição atual do cursor e poderá ser editada quando
Figura 598 necessário (figura 603).
O item “Introdução”
aparecerá na área Figura 602
do sumário. “Inserir Citação”.

Figura 599
Inserindo o segundo
item do sumário.

Figura 603
Citação colocada
no texto.

336 337
Informática 1 Capítulo 13

Figura 604 Figura 607


Escolhendo o formato Escolhendo o
das referências. modelo.

Figura 608
Exibindo o índice de figuras.

Figura 605 Depois, basta escolher o local para a colocação do índice de figuras, digitar o
Referências do texto. título (que não é colocado automaticamente), clicar em “Inserir Índice de Ilustra­
ções”, escolher o modelo (figura 607) e clicar “OK”.

Nesse momento, será exibida uma área com todas as referências de figuras criadas
no texto (figura 608).

Outros tipos de índice podem ser criados por meio das opções do grupo “Índi­
Para que possamos montar as referências do texto no final do documento, temos ces” da Guia Referências.
de clicar no local desejado, depois no item “Bibliografia” e escolher o modelo de
citação (figura 604). 13.8. Correspondências: mala direta
Após a escolha do formato, será exibida uma área com todas as referências criadas Esta guia permite a criação de modelos para a impressão de envelopes, etiquetas,
no texto (figura 605). convites e demais documentos nos quais existe um texto padrão que poderá ser
enviado para vários destinatários (figura 609).
Podemos também criar legendas para figuras, tabelas e equações de forma au­
tomática. Para isso vamos clicar em “Inserir Legenda” e digitar o texto que será Então, vamos abrir um novo documento e criar a nossa carta. Salvaremos esse arquivo
colocado logo abaixo do objeto (figura 606). com o nome de “cartão_de_natal.docx” dentro de “Meus Documentos” (figura 610).

Figura 606
Colocando legenda em
uma caixa de texto.

Figura 609
Guia “Correspondências” (acima).

Figura 610
Arquivo
“cartão_de_natal.docx”.

338 339
Informática 1 Capítulo 13

Figura 611 Figura 614


Arquivo Destinatários
“destinatários.docx”. da mala direta.

dica
Existe um jeito
simples de preparar
cartões de Natal.
Por exemplo: em vez Na sequência criaremos um novo documento com o nome e endereço de cada
de ficar copiando o pessoa para a qual queremos enviar a carta. Digite as informações em uma
cartão criado, colando tabela com três colunas e salve o arquivo com o nome de “destinatários.docx”
e mudando somente (figura 611).
o nome e o endereço
das pessoas, você Feche o arquivo “destinatários.docx” e volte para o arquivo “cartão_de_natal.
pode utilizar o recurso docx”. Vamos indicar que estamos elaborando cartas para a criação da mala di­ Ao clicar nessa opção, você verá uma janela que lhe permitirá localizar o arquivo
de mala direta do reta (figura 612). Essa opção também poderia ter sido escolhida no momento em “destinatários.docx” (lembre-se de que gravamos tudo em “Meus Documentos”).
Word. Assim, você que criamos o arquivo. Caso você tenha criado um envelope e queira trabalhar No momento em que selecionar o arquivo e clicar em “Abrir”, surgirá a janela
precisará alterar com cartas, basta alterar a opção neste momento. com os dados digitados na tabela (figura 614). Atenção: os dados que você digitou
a carta somente no cabeçalho da tabela (Nome, Endereço e Cidade) serão agora os nomes dos
quando alguém O próximo passo é selecionar quais serão os destinatários das cartas. Vamos campos da mala direta.
mudar de endereço. clicar em “Selecionar Destinatários” e, como já digitamos a listagem anterior­
mente, selecionaremos a opção “Usar Lista Existente” (se você não digitou a Nessa janela, poderemos classificar (organizar as informações por nome, por
lista anteriormente, basta selecionar a opção “Digitar Nova Lista”), conforme exemplo) e filtrar (por exemplo, se quisermos enviar cartas somente para destina­
mostra a figura 613. tários de uma cidade). É possível inserir blocos de texto predefinidos no Word,
como os blocos de endereço e saudação (figura 615).
Figura 612
Iniciando a mala Depois de criar o texto (carta) que você quer enviar, vamos para a opção “Inserir
direta. Campo de Mesclagem” (figura 616), que mostra exatamente o lugar em que a
mensagem deverá ser impressa. Lembre-se de que é possível inserir imagens, fo­
tos, textos, tabelas, entre outros objetos no documento.

Figura 615
Inserindo saudações
e endereços.

Figura 613
Selecionando a lista
de destinatários. Figura 616
Inserir “Campo
de Mesclagem”.

340 341
Informática 1 Capítulo 13

Figura 617 Figura 622


Campos de “Mesclagem” Opção Envelopes
dentro do documento. e etiquetas.

Ao clicar nesse item, note que os nomes colocados no cabeçalho foram utilizados para
identificar os campos de mesclagem. Vamos, então, inserir primeiro o nome, depois
o endereço e a cidade. Clique em “Realçar Campos de Mesclagem” para diferenciar
o texto dos campos. Veja que eles ficam separados com os sinais << nome_campo >>.
Em seguida clique em “Visualizar Resultados” para que no lugar do nome do campo
sejam exibidos os dados dos destinatários (figura 617).
Ao comprar etiquetas,
Chega o momento de gerar a mala direta. Clique em “Concluir e Mesclar” e verifique no site do
selecione a opção “Editar Documentos Individuais” (figura 618). fabricante se ele fornece
as configurações para
Nesta etapa, você pode filtrar os dados que serão gerados. Vamos deixar a opção Podemos trabalhar com “Envelopes” e “Etiquetas” utilizando a opção adequada. Po­ facilitar o uso desta opção.
“Todos” e clicar em “OK” (figura 619) . rém, devemos configurar o tipo e o tamanho para cada uma dessas opções (figura 622).

Se tudo correr bem, será criado um novo documento com uma página para cada 13.9. Revisão
destinatário incluído no arquivo “destinatários.docx” (figuras 620 e 621).
Com esta guia você terá acesso a controles avançados de seu documento, como
Note que o texto permanece idêntico para cada página. O que é alterado auto­ verificar ortografia e gramática, contar palavras, fazer comentários, controlar al­
maticamente são os campos de mesclagem. Também é possível enviar as cartas terações, proteger documento (figura 623).
diretamente para impressão ou encaminhar para os destinatários de correio.
Dentro do grupo “Revisão de Texto”, podemos selecionar a opção “Ortografia
Figura 618 e Gramática” para que o Word faça a verificação ortográfica e gramatical do
“Concluir” e “Mesclar”. documento de acordo com o dicionário do idioma escolhido. Serão mostradas
as palavras que o revisor “acha” que estão erradas. Assim, você tem a opção de
Figura 619 aceitar a sugestão e alterar o documento ou ignorar (figura 624).
Opções de “Mesclagem”.

Figura 620
Página 1 – 1º destinário.

Figura 623
Guia “Revisão”
(acima).
Figura 621
Página 2 – 2º destinatário.
Figura 624
Revisão de texto
(ao lado).

342 343
InfoRmátICa 1 CaPítuLo 13

Figura 625 Figura 629


“Definir idioma”. Mostrando as alterações
efetuadas no texto.
Figura 626
“Contar Palavras”.
Figura 630
Opções para não
permitir a edição do
documento.

Uma opção muito importante é “Definir Idioma”, que nos permitirá selecionar o
idioma em que o nosso texto será digitado (figura 625).

Também é possível saber qual a quantidade de palavras e de caracteres existentes


no documento. Basta clicar na guia “Revisão” e selecionar a opção “Contar pa­
lavras” (Figura 626).

Existe ainda uma ferramenta que permite inserir comentários no documento.


Para usá­la você só precisa clicar em “Novo Comentário”. O Word abrirá uma
janela para a digitação (figura 627).

Já a opção “Controlar Alterações”, quando ativada, realça no texto as alterações


que foram feitas. Esse recurso é muito útil quando elaboramos trabalhos em gru­
po no qual cada integrante faz suas alterações (figura 628).
Figura 631
Esse é um recurso bastante útil quando várias pessoas trabalham no mesmo ar­ 13.10. Exibição Guia Exibição.
quivo de texto. No texto da figura 629 foi trocado o 07 por 10. Veja como o
Word controla as alterações: Com esta guia podemos alterar a forma de visualização de nossos documentos
– mostrá­los, ocultá­los, dar zoom, abrir janelas, como mostram a figura 631 e o
Podemos proteger nosso documento contra alterações indesejadas. Para isso quadro: “Conheça os modos de exibição”.
precisamos clicar em “Proteger Documento” e selecionar a opção “Restringir
Formatação e Edição”. Será aberta uma janela para a configuração do que será
protegido (figura 630).
conheça os modos de exibição
Figura 627
• Layout de impressão – exibe o documento configurar a Área de trabalho do Word 2007. Por
“Inserir Comentário”.
exatamente na forma em que será impresso. exemplo, se serão ou não exibidas a régua e as
• Leitura em Tela inteira – exibe o documento linhas de grade.
utilizando o máximo de espaço disponível no monitor. • Grupo “Zoom” – possibilita configurar a
• Layout da Web – exibe o documento do modo porcentagem de zoom que utilizaremos na
que ficaria na web. visualização do documento. também é possível
Figura 628 • Estrutura de Tópicos – exibe o documento como configurar para que seja exibida uma página ou
uma estrutura de tópicos. duas simultaneamente.
“Controlar Alterações”.
• Rascunho – mostra uma versão simples do • Grupo “Janela” – permite manter dois
documento, na qual cabeçalhos e rodapés não documentos abertos simultaneamente. esse
serão exibidos. recurso é muito útil quando precisamos comparar
• Grupo “Mostrar/Ocultar” – com ele podemos dois documentos.

344 345
Capítulo 14

Planilhas
eletrônicas
 Microsoft Excel
 BrOffi ce calc
 Botão do Offi ce
 Início: Área de Transferência, Fonte,
Parágrafo, Estilo e Edição
 Tabelas, ilustrações, gráfi cos, links, texto
 Layout de página
 Fórmulas
 Dados
 Revisão
 Exibição
Informática 1 capítulo 14

Figura 633
Janela inicial
do Calc.

A s planilhas eletrônicas são utilizadas para a organização de infor­


mações que necessitam de cálculos. Oferecem recursos que permi­
tem ao usuário visualizar, por exemplo, suas despesas subdivididas
em categorias e, assim, fazer um planejamento preciso.

14.1. Microsoft Excel A área de trabalho do Excel 2007 e do BrOffice são similares. Ambas são di­
vididas em linhas e colunas que formam as células. As linhas são numeradas
O Microsoft Excel é um poderoso software para a criação de planilhas ele­ sequencialmente, enquanto as colunas são identificadas por letras. Por serem a
trônicas. Auxilia na elaboração de tabelas, efetua cálculos automaticamente, intersecção entre uma linha e uma coluna, as células são identificadas pela letra e
permite desenhar gráficos de diversos tipos e possui fórmulas que podem ser pelo número que representam, respectivamente, coluna e linha. As células podem
usadas em tarefas do dia a dia (figura 632). A interface do Excel 2007 segue conter textos, números, fórmulas ou referências a outras planilhas ou arquivos.
o mesmo estilo do Word 2007. Por isso veremos que muitas ferramentas vão
funcionar da mesma forma. Tanto o Excel quanto o Calc utilizam planilhas para separar as informações do
arquivo. Essas planilhas são muito úteis quando queremos separar as informações,
14.2. BrOffice Calc mas, ao mesmo tempo, ter uma visão geral dos dados. É possível renomear as pla­
nilhas, mudar a cor de fundo, entre outras funções, como mostra a figura 634.
O pacote do BrOffice também possui um aplicativo para planilhas eletrônicas cha­
mado “Calc”, que tem as mesmas funções e praticidades do Excel 2007 (figura 633). Observe que temos as mesmas funções nos dois aplicativos (Excel e Calc). Vamos
agora ver como funciona o Excel 2007 – mas lembre-se de que todas as funções
Figura 632 existentes no Excel também estão presentes no Calc.
Janela inicial do
Excel 2007. Figura 634
Renomear planilha.

348 349
InfoRmátICa 1 CaPítuLo 14

Figura 636
14.3. Botão do Offi ce Visualização da
A maioria das funções do botão do Office do Excel 2007 é idêntica às funções do impressão.
Word 2007. Por isso vamos ver apenas o funcionamento da opção “Salvar Como”
(Veja o quadro “Opções da função Salvar Como no Excel” e a figura 635).

Dentro do botão do Office há a opção “Imprimir”. Ao selecionar essa opção,


você encontrará o item “Visualizar Impressão”. Se clicar nesse item, verá uma tela
como a da figura 636.

Figura 635
Opção “Salvar
Como”.

Figura 637
Configurar página.

Opções da função Salvar como


no Excel
Pasta de Trabalho do Excel: salva a pasta de trabalho no formato A característica mais interessante desse modo de visualização são as margens, que
de arquivo padrão. podemos aumentar ou diminuir arrastando as linhas.
Pasta de Trabalho Habilitada para Macro do Excel: salva a pasta
de trabalho no formato de arquivo com base em XML, habilitado Dentro da visualização é possível configurar a página, dimensionar e ajustar o
para macro. conteúdo ao tamanho da página, alterar cabeçalho e rodapé, entre outras opções.
Pasta de Trabalho Binária do Excel: salva a pasta de trabalho em Veja a figura 637.
um formato de arquivo binário otimizado para carregamento e
salvamento rápido. 14.4. Início: Área de Transferência,
Pasta de Trabalho do Excel 97-2003: salva uma cópia da pasta de Fonte, Parágrafo, Estilo e Edição
trabalho totalmente compatível com o excel 97-2003.
Localizar suplementos para outros formatos de arquivo: Agora que já conhecemos as ferramentas básicas do Microsoft Excel 2007, vamos
utilizado para suporte a arquivos do tipo PDF, entre outros. criar planilhas. Os textos serão digitados na área central da janela.
Outros Formatos: abre a caixa de diálogo “Salvar Como” para
selecionar um entre todos os tipos de arquivo possíveis. Para inserir informações, basta digitá­las nas células. Quando clicar na planilha, você
selecionará uma célula cujo endereço aparece no campo acima da “Coluna A”. As
colunas e linhas correspondentes àquela célula também mudarão de cor (figura 638).

350 351
Informática 1 capítulo 14

Figura 638 Figura 641


Células e Alterando a fonte.
endereços.

Vamos agora criar uma planilha para ajudar, por exemplo, a organização do pla­
nejamento doméstico. Quando você abre o Excel, é criado automaticamente um
novo arquivo chamado “Pasta 1”. Dentro dele vamos criar uma tabela de “Des­
pesas Mensais”, que serão separadas em “Despesas Fixas” e “Despesas Variáveis”.
Em cada linha C da “coluna A” digitaremos as despesas fixas e na coluna B, o Note que nosso arquivo ainda não está pronto. Então, vamos começar a organizá-
valor de cada despesa. Na “coluna C” vamos colocar as despesas variáveis e na D, lo utilizando a guia “Início” e o grupo “Fonte”.
o valor de cada despesa, como mostrado na figura 639.
1. V
 amos selecionar as células e escolher a fonte, começando pelo título da
Figura 639 tabela. Clique na célula A1 e selecione a fonte Arial, tamanho 16. Note que,
Planilha de quando você seleciona o tipo e o tamanho da fonte, basta passar o mouse
despesas. sobre o tipo ou tamanho da fonte para que o texto seja visualizado já com as
novas alterações (figura 641).

2. A gora vamos alterar a fonte dos subtítulos (células A2 e C2). Para facilitar
o trabalho, selecionaremos as duas células ao mesmo tempo. Isso pode ser
feito de duas formas:

2.1. C
 lique na célula C2 e mantenha o mouse pressionado. Arraste-o até a
célula A2. Note que, em vez de selecionar duas células, você selecionou
três (A2, B2 e C2). Como não há nada escrito na célula B2, não tere­
mos problemas em alterar a fonte (figura 642).
Para salvar esse arquivo, clique no botão do Office e em “Salvar”. Digite o nome
do arquivo como “despesas mensais.xlsx” e salve-o em “Meus Documentos”, Figura 642
conforme mostra a figura 640. Selecionando três
células lado a lado.
Figura 640
Salvando a planilha.

352 353
Informática 1 capítulo 14

Figura 643
Selecionando
células que não
estão lado a lado.

2.2. Clique na célula C2, pressione a tecla “CTRL” (“Control”) e a man­


tenha pressionada. Clique na célula A2. Note que a célula B2 não foi
Figura 645
selecionada (figura 643). É preciso acertar isso para digitar corretamente os valores. O ideal é aumentar o
Alterando a largura
tamanho das colunas “A” e “C”. Para isso, basta clicar na linha separadora entre as
I ndependentemente da forma como você selecionou as células, altere colunas A e B e arrastá-la até a posição desejada. Faremos o mesmo com a “Coluna das colunas
a fonte para Arial tamanho 12 e negrito (figura 644). C” (figura 645).

3. A
 gora selecione as despesas digitadas e altere a fonte para Arial tamanho 10. Em seguida vamos colocar uma borda na tabela. Selecione toda a tabela e clique
Note que as demais opções de formatação no Excel são iguais às do Word. no item “Borda”. Observe (figura 646) que ainda podemos melhorar a nossa Figura 646
Então, não teremos dificuldades. tabela, pois algumas bordas ficaram onde não deveriam (como entre as células Colocando bordas
C1 e D1). na tabela.
Nossa planilha ainda não ficou com o melhor visual possível. Veja que o conteúdo
de algumas células (A7, A8, A9, C5, C7 e C9) ultrapassa o limite de suas colunas.

Figura 644
Alterando a
fonte das células
selecionadas.

354 355
Informática 1 capítulo 14

Figura 647 Figura 649


Mesclar e Inserindo
centralizar o sombreamento.
título.

Podemos modificar também a cor de fundo (sombreamento) das células. Para


isso, clique na célula “A1” e escolha uma cor. Faça o mesmo com as células “A2”
e “C2” (figura 649).
Para configurar o alinhamento dos textos das células, utilizaremos um recurso
muito bom quando falamos de tabela: Mesclar Células. Selecione as células A1 a Podemos, agora, digitar os valores das despesas. Clique na célula “B3” e digite o
D1, clique no item “Mesclar e Centralizar” (figura 647). valor. Faça o mesmo nas demais células (figura 650).

Faremos o mesmo com as células A2 e B2 e com as células C2 e D2. Veja, na Perceba que alguns valores foram digitados com “ , ” e outros não. Isso ocorre
figura 648 como a tabela ficou bem mais organizada. porque o Excel trata a informação de cada célula como um tipo de informação
diferente (texto, número, moeda etc.). Por se tratar de um valor monetário, seria
A figura 648 mostra que a altura da célula A1 ficou diferente das demais. Quando interessante que esses valores estivessem com o indicativo monetário de moeda,
você clicar em qualquer posição da linha 1 (da coluna “A” até a coluna “D”), o ende­ R$ 22,00, por exemplo.
reço da célula será sempre A1. Isso ocorre porque, quando você selecionou as quatro
células e clicou em “Mesclar”, todas foram agrupadas em uma só, com o endereço da Então, o ideal é formatarmos as células dos valores para que elas contenham o
primeira célula. O mesmo ocorreu com as células A2 e B2 e com C2 e D2. R$ e as casas decimais. Portanto, selecione as células “B3” a “B9” (isso pode ser
feito clicando na primeira célula, pressionando o “SHIFT” e depois a seta para
Figura 648 baixo – figura 651).
Mesclar e centralizar os
subtítulos (Despesas Fixas Figura 650
e Despesas Variáveis). Tabela com os valores das
despesas (Colunas B e D).

356 357
Informática 1 capítulo 14

Figura 651 Figura 654


Células Inserindo uma
selecionadas. “AutoSoma”.

Figura 652 Neste ponto seria interessante saber qual é o total das despesas. Para isso vamos utili­
Opção “Formato zar uma fórmula que facilitará o cálculo. Clique na célula “B10”, depois na guia “Fór­
de Número”. mulas” e selecione “AutoSoma”. Veja que automaticamente foi inserida uma fórmula
= SOMA( ... ) (figura 654). Isso significa que o Excel vai efetuar a soma dos valores
que estão na célula “B3” até a “B9” (B6:B9). Pressione “Enter” para concluir.

Na célula “B10” temos um valor, e não mais a fórmula, que só ficará visível na
barra de fórmulas (figura 655). Repita o processo para a célula “D10”.

Na guia “Início” (figura 656) temos outras opções para alinhamento do texto
dentro da célula. São elas: “Alinhamento Vertical” 1 , “Alinhamento Horizontal”
2 , “Direção do Texto” 3 e “Recuo do Texto” 4 . A opção “Quebrar Texto
Automaticamente” 5 é utilizada quando queremos que o texto digitado não
ultrapasse a largura da célula, mas que a célula seja ajustada a seu tamanho com
a formatação do texto em várias linhas. Isso vai resultar na alteração da altura
da linha.

Após selecionar as células, clique no item “Formato de Número” (figura 652) e Figura 655
selecione “Moeda” ou diretamente a opção “Formato Monetário” (figura 653). Exibindo a fórmula.

Repita o processo para as células “D3” a “D9”.

Figura 653
Selecionando
a formatação
monetária.

358 359
InfoRmátICa 1 CaPítuLo 14

Figura 656 Figura 657


Opções de 1 3 Grupo “Número”.
alinhamento e 5 1

mesclagem.
6
2 4 2 3 4 5

No item “Mesclar e Centralizar”, temos as opções que podem ser vistas na figura 656,
cujas funções estão detalhadas no quadro “Funções de cada opção de mesclagem”.

Dentro da guia “Início” temos o grupo “Número” (figura 657), utilizado para a
formatação das células. Com essas opções podemos escolher o formato das célu­
las 1 , atribuir formato monetário às células 2 , mostrar o valor em porcentagem
3 , adicionar o separador de milhar 4 e ainda aumentar 5 ou diminuir 6 casas
decimais. Além disso, podemos exibir a janela completa de formatação de células,
conforme a figura 657.

Dentro da guia “Início”, temos os estilos das células. A opção “Formatação Con­
dicional” serve para realçar uma ou mais células que tenham um valor diferente. Figura 658
Vamos voltar ao exemplo da nossa tabela de despesas. Queremos que, quando Formatação
não for digitado um valor para determinada célula, a cor de fundo mude. Para condicional
isso precisamos selecionar as células onde aplicaremos esse tipo de formatação, (acima).
clicar em “Formatação Condicional” e montar uma regra (figura 658).
Figura 659
Outros tipos de formatação condicional podem ser colocados nas células. Veja Formatação
que, na figura 659, está sendo aplicada uma formatação para preenchimento de condicional
células cujo valor esteja acima da média dos valores selecionados (figura 660). (ao lado).

Também podemos preencher as células com barras cujo tamanho será definido
pelo valor da célula (figura 661).
Figura 660
Formatação
condicional com

Funções de cada opção valores.

de mesclagem:
Mesclar e Centralizar: une as células selecionadas em uma única
célula maior e centraliza seu conteúdo.
Mesclar Através e Mesclar Células: une as células selecionadas em
uma única célula.
desfazer Mesclagem de Células: separa uma célula em várias células.

360 361
Informática 1 capítulo 14

Figura 664
“Formatar como tabela”.

Figura 661
Ou, então, podemos utilizar ícones para identificar valores (figura 662).
Formatação condicional
com barra de dados. Note que as células nas quais aplicamos o ícone, o valor original sumiu e ficaram Outros estilos podem ser aplicados à tabela, basta selecionar o item “Formatar
apenas os sinais #####. Isso ocorreu porque o tamanho da célula ficou pequeno como Tabela” e escolher o estilo desejado (figura 664).
para exibir o valor e o ícone. Precisamos aumentar a largura das colunas “B” e
“D” para que o valor volte a ser exibido (figura 663). No item “Estilos de Células”, é possível selecionar um estilo para as células (figura 665).

Depois de criar sua tabela, talvez seja necessário incluir novas linhas ou excluir li­
nhas existentes. Para isso utilizaremos as opções “Inserir” ou “Excluir”. Também
podemos formatar nossa tabela com o item “Formatar” (figura 666).

Figura 665
“Estilos das células”.

Figura 666
Figura 662
Opções para
Formatação condicional
“Inserir” ou
com ícones (acima).
“Excluir Células e
Linhas”.

Figura 663
Visualização total da
formatação condicional
com ícones (ao lado).

362 363
Informática 1 capítulo 14

Figura 667 Figura 670


Opção “Formatar”. “Limpar tudo”.

Nem sempre, o formato aplicado fica do jeito que gostaríamos. Mas podemos
apagar essa formatação recorrendo ao recurso “Limpar” (figura 670).

Muitas vezes, será preciso organizar as informações dentro de tabela. Nesse caso,
utilizaremos a opção “Classificar e Filtrar”. Há uma guia chamada “Dados” des­
tinada a isso. Veremos mais detalhes posteriormente (figura 671).
Com o item “Formatar”, podemos alterar a altura das linhas e a largura das
colunas, ocultar linhas e colunas indesejáveis, proteger e organizar a planilha ou Com a opção “Localizar e Selecionar” podemos encontrar e substituir textos e
bloquear células (figura 667). fórmulas, selecionar objetos, entre outros recursos (figura 672).

Note que todas as ações deste grupo “Células” serão aplicadas no local em que Figura 671
você clicou, ou seja, na célula selecionada na planilha. Opção
“Classificar e
Outras ferramentas de edição podem ser encontradas na aba “Início”, como, por Filtrar”.
exemplo, as fórmulas mais utilizadas. Para inseri-las basta clicar no item “Fun­
ção” e selecionar a opção. Há uma guia chamada “Fórmulas” destinada a isso
(figura 668). Veremos mais detalhes posteriormente.

Podemos aplicar a formatação de uma célula a outras por meio do item “Preencher”.
É só clicar na célula com o formato desejado e aplicar esse formato às outras cé­
lulas adjacentes (figura 669).
Figura 672
Figura 668 Opção
Fórmula Soma. “Localizar e
Substituir”.
Figura 669
Aplicar formatos a
células adjacentes.

364 365
Informática 1 capítulo 14

Figura 675
14.5. Tabelas, ilustrações, gráficos, links, texto Ferramentas de
Gráfico.
A guia “Inserir” nos permite trabalhar com imagens, formas e gráficos dentro de
nossas planilhas (figura 673).

O grupo de opções “Ilustrações” funciona da mesma forma que no Word. Nos


permite inserir Imagens, Clip-art, Formas e SmartArt. Outro grupo também
compatível com o Word é o “Texto”, pois tem “Caixa de Texto”, “Cabeçalho”
e “Rodapé”, “WordArt”, “Símbolos”. Sendo assim, vamos estudar somente as
opções que são diferentes.

Começaremos pelo grupo de opções “Gráficos”, cuja função é gerar gráficos ba­
seados nos valores de tabelas já criadas. Para fazer um teste, vamos selecionar as
células “A3” até “B9” e criar alguns gráficos.

A primeira opção é de “Gráfico de Colunas”. Vamos clicar nessa opção para ver
como ficará o gráfico (figura 674). Será criado um gráfico com os valores da nossa
Figura 673 tabela. Veja na figura 675 que também será exibida uma guia chamada “Ferra­ Podemos alterar o estilo do gráfico selecionando uma das opções do grupo “Esti­
Guia “Inserir” (abaixo). mentas de Gráfico”. lo de Gráfico”. Basta clicar em “Gráfico” e depois na opção desejada (figura 676).

Também podemos alterar o layout do gráfico. Veja os exemplos da figura 677.

É possível alterar o tipo de gráfico, mesmo depois de ter escolhido e configurado


um gráfico. Para isso, é preciso selecionar o gráfico e clicar em “Alterar Tipo de
Gráfico”, que está na guia “Design”.

Será exibida uma janela para a escolha do novo tipo de gráfico. Clique na opção
Figura 674
desejada e em “OK” (figura 678). O gráfico ficará como o da figura 679.
Opções de gráfico
(ao lado).
Figura 676
Estilo do gráfico.

Figura 677
Design do gráfico.

366 367
Informática 1 capítulo 14

Figura 682
“Inserir Hiperlink”.

Podemos também inserir caixas de texto dentro da planilha. Para fazer um teste,
coloque uma caixa de texto em seu gráfico, depois utilize a guia “Formatar” para
Figura 678 Com pouco esforço, podemos deixar nossos gráficos muito profissionais. Veja na deixar o texto diferente (figura 683). Figura 683
Alterar o tipo do gráfico figura 680 que nosso gráfico tem um título, separação das despesas por cores, e a Inserir Caixa de Texto
(acima, à esquerda). porcentagem de cada despesa foi calculada automaticamente. Note que existem várias opções dentro dessa guia, inclusive para que você possa (abaixo, à esquerda).
inserir outras formas, como setas, círculos, entre outras.
Figura 679 Figura 684
Confira na figura 681 outros tipos de gráfico que você pode utilizar.
Novo modelo de gráfico
Ao clicar em “Cabeçalho e Rodapé”, veremos a imagem que aparece na figura Exibir “cabeçalho”
com os mesmos dados É possível inserir links para arquivos ou sites dentro do arquivo do Excel. Basta 684. Agora, basta clicar no texto “Clique para adicionar cabeçalho” e digitar e “rodapé”
(acima, à direita). selecionar a opção “Hiperlink” da guia “Inserir” (figura 682). “Minhas Despesas Mensais”, você verá que a faixa opções mudou (figura 685). (abaixo, à direita).

Figura 680
Outro modelo de gráfico.

Figura 681
Tipos de gráfico.
Figura 685
Ferramentas de
“Cabeçalho” e
“Rodapé”.

368 369
InfoRmátICa 1 CaPítuLo 14

Figura 687 Figura 688


Inserindo Opção “Inserir
“WordArt”. Objeto”.

A maneira como o Excel trata o cabeçalho e o rodapé é um pouco diferente do


Word, mas a função é a mesma. Também há a possibilidade de inserir símbolos por meio da opção “Símbolo” da
guia “Inserir” (figura 689).
Agora, temos a faixa de opções “Ferramentas de Cabeçalho” e “Rodapé”, como
você pode observar na figura 686 e no quadro “Recursos para configuração”. Figura 689
“Inserir Símbolo”.
Com a opção “WordArt” podemos colocar um texto artístico em nossa planilha.
Para isso, selecione um modelo, digite o texto e depois coloque­o na posição
desejada (figura 687).

Note que é possível realizar pequenas alterações no texto (por exemplo, diminuir
o tamanho da fonte ou mudar o texto de lugar) e no próprio gráfico, alterando a
localização do título, da imagem do gráfico e da legenda.

Podemos inserir objetos externos em uma planilha por meio da opção “Inserir
Objeto” da guia “Inserir” (figura 688).

Recursos para confi guração


• Cabeçalho e Rodapé: são opções prédefinidas Opções:
Figura 686
que podemos selecionar para nossa planilha. • Primeira página diferente: especifica um
Caso você queira alterar
• Número de Página: adiciona o número da página. cabeçalho e rodapé diferentes para a primeira
as configurações de fonte
• Número de Páginas: adiciona a quantidade página.
do texto que colocará
no cabeçalho e rodapé, total de páginas da planilha. • diferentes em páginas pares e ímpares:
clique na guia “Início”. • data e Hora Atual: adiciona a data e hora atual. especifica que as páginas pares possuem um
cabeçalho diferente das páginas ímpares.
• Caminho do Arquivo: adiciona informações sobre
onde o arquivo está gravado. • dimensionar com documento: especifica se
o cabeçalho e o rodapé devem ajustar-se às
• Nome do arquivo: adiciona o nome do arquivo.
configurações da página.
• Nome da planilha: adiciona o nome da planilha.
• Alinhar a margens da página: especifica se o
• imagem: adiciona uma imagem em sua planilha. cabeçalho e o rodapé devem alinhar as laterais
• ir para o Cabeçalho: envia o cursor para o com as margens da página.
cabeçalho.
• ir para o Rodapé: envia o cursor para o rodapé.

370 371
Informática 1 capítulo 14

Figura 693
Opção
“Imprimir
Títulos”.

Figura 690
Guia “Layout da Página”.
14.6. Layout da página: temas, configurar
página, dimensionar para ajustar,
opções de planilha, organizar
Esta guia permite organizar a forma como a planilha será impressa (figura 690).
DICA
Para selecionar
No grupo “Temas”, existem as opções de temas, cores, fontes e efeitos, todas
mais de um objeto,
iguais às do Word. É preciso selecionar uma opção para que todos os objetos da
clique no primeiro,
planilha sejam alterados.
segure a tecla
Ao clicar na opção “Imprimir Títulos”, você verá uma janela que lhe permitirá
SHIFT pressionada
No grupo “Configurar Página”, as opções “Margens”, “Orientação” e “Tama­ configurar as informações necessárias para a impressão da planilha (figura 693). e clique nos demais
nho” também são iguais às do Word.
Note que você também terá acesso a outras configurações, tais como “Página”,
A opção “Área de Impressão” marca uma área específica da planilha para impres­ “Margens” e “Cabeçalho e Rodapé”.
são (figura 691).
No grupo de “Opções de Planilha” (figura 694), você poderá configurar
A opção “Quebras” insere ou remove quebras de páginas nas planilhas (figura para Exibir e/ou Imprimir Linhas de Grade e Títulos. Basta marcar ou des­
692). Na opção “Plano de Fundo”, é possível selecionar uma imagem que ficará marcar as opções. Figura 694
como fundo da planilha. “Opções de Planilha”
Dentro do grupo “Organizar”, temos acesso à ordem em que os objetos foram (abaixo, à esquerda).
Figura 691 colocados na planilha e podemos alterar essa ordem utilizando as opções “Tra­
Definir Área de zer para a Frente” e “Enviar para Trás”. Também podemos visualizar o “Painel Figura 695
Impressão. de Seleção” com todos os objetos (figura 695). “Painel de Seleção”
(abaixo, à direita).

Figura 692
Opção “Quebras”.

372 373
Informática 1 capítulo 14

Figura 696 Figura 699


Alinhamento de Inserir “Função”.
objetos.

Um dos caminhos para inserir uma função é clicando no botão correspondente,


dentro do grupo “Biblioteca de Funções”. Na janela que será aberta haverá uma Atenção:
lista com funções para a sua escolha. Ou, então, você terá que procurar a função este é um dos
Há algumas opções que só funcionam quando temos mais de um objeto sele­ desejada. Depois, clique em “OK” (figura 699). recursos mais
utilizados no Excel.
cionado. É o caso de “Alinhar” (usada para alinhar os objetos de forma igual) e
Por isso, é preciso
“Agrupar” (para unir os objetos), como mostra a figura 696. De acordo com a função escolhida, será aberta uma nova janela para você selecio­
prestar muita
nar as células que contêm os valores a serem calculados pela fórmula. No exem­
atenção neste
Você poderá girar os objetos quando necessário. É só selecionar a opção “Girar” plo que estamos usando, optamos pela função média. Por isso, o Excel solicitará
tópico.
e escolher o ângulo (figura 697). no mínimo dois valores para fazer o cálculo (figura 700).

Figura 697 Em “Núm1” há uma caixa de texto e um botão. Clique na caixa de texto e na
Girar objetos. célula com o valor que deseja utilizar. Caso não consiga visualizar o valor, clique
no botão no final da caixa de texto. A janela será minimizada e você poderá sele­
cionar a célula desejada (aqui a “B10”) (figura 701).

Figura 700
Parâmetros da
função.

14.7. Fórmulas: Inserir Função, Biblioteca de Funções,


Nomes Definidos, Auditoria de Fórmulas, cálculo Figura 701
Selecionando
Essa faixa de opções nos ajudará a criar fórmulas e a separá-las por tipo de ação o parâmetro.
Figura 698
a ser executada (figura 698).
Guia “Fórmulas”.

374 375
Informática 1 capítulo 14

Figura 702 Figura 704


Função média. Digitando uma
fórmula.

mostrará uma ajuda dos parâmetros das fórmulas e indicará as células utilizadas na
fórmula, por meio de um contorno colorido, diferente em cada célula (figura 704).

Se ocorrer algum erro com a fórmula, será exibida uma mensagem como a da
figura 705. Veja que foi digitada a fórmula =méd e na célula ficou =NOME?. Isso
ocorreu porque o Excel não conhece a fórmula méd.
Repita o processo para selecionar o “Núm2”. Neste exemplo, vamos criar a mé­
dia entre as “Despesas Fixas” e as “Despesas Variáveis”. Então, selecionamos as Vamos melhorar a nossa planilha utilizando algumas fórmulas da opção “Auto­
células “B10” e “D10” (se você sabe qual é o endereço da célula, poderá digitá-lo Soma” para saber qual é a maior e a menor Despesa Fixa. Então, clique na célula
diretamente na caixa de texto, sem a necessidade de clicar na célula). B13, depois em “AutoSoma” e selecione a fórmula “Máx” (figura 706).

Note que, quando o “Núm2” estiver preenchido, automaticamente será aberto o Ao selecionar o opção “Máx”, você verá a fórmula =MÁXIMO() (figura 707).
“Núm3” (figura 702). Você poderá selecionar outro valor para que seja calculada
a média. Neste exemplo, trabalharemos somente com dois valores. Veja também Note que o Excel já escreveu a fórmula correta na barra de funções (=MÁXIMO)
que antes de clicarmos em “OK” aparecerá a média entre os valores digitados e está aguardando os parâmetros. Você pode colocar parâmetros separados por
nas células “B10” (R$ 776,49) e “D10” (R$ 428,50). Também será mostrada a
fórmula completa na barra de funções ( = MÉDIA(B10;D10) ). Figura 705
Erro na
Quando clicar em “OK”, você verá o valor da média na célula “A12” e a fórmula fórmula.
na barra de funções (figura 703).
Figura 706
Opção “AutoSoma (Máx)”
Em muitos casos, já sabemos qual é a fórmula a ser utilizada. Então, podemos
Figura 703 (abaixo, à esquerda).
digitá-la diretamente na célula. Ao digitarmos o sinal “=” (igual) em qualquer cé­
Célula “A2” com a lula, o Excel já “saberá” que digitaremos uma fórmula depois. Por isso, o programa Figura 707
fórmula MÉDIA(). Inserindo a fórmula
“Máximo” (abaixo, à direita).

376 377
Informática 1 capítulo 14

Figura 708 Figura 711


Selecionando os Fórmulas copiadas.
dados da fórmula
“Máximo”.

O Excel trabalha com uma infinidade de fórmulas. Você pode acessá-las por
“;”(ponto e vírgula, no caso de dois valores) ou “:” (dois-pontos, no caso de faixa meio dos menus “Financeira”, “Lógica”, “Texto”, “Data e Hora”, “Pesquisa”,
de valores). No exemplo que escolhemos, utilizaremos o separador “:”, pois que­ “Matemática e Trigonometria” e “Mais Funções” (figura 712).
remos saber qual é o maior valor entre os valores digitados da célula B3 até a B9.
Você pode digitar no lugar de B12 os parâmetros B3:B9 ou selecionar as células Figura 712
B3 até B9 com o mouse (figura 708). Funções do Excel.

Basta pressionar “Enter” para que a fórmula seja calculada.

Repita o processo para calcular o menor valor das despesas para a célula B14.

Note que, agora, a fórmula é = MÍNIMO(B3:B9) (figura 709).

Vamos fazer o mesmo com as “Despesas Variáveis”. Mas não é preciso digitar os
itens um a um novamente. Selecione as células A13 até B14, pressione “CTRL+C”
(ou clique em “Copiar”). Em seguida clique na célula C13 e pressione “Enter” (ou
“CTRL+V”) (figura 710).

Perceba que as fórmulas foram copiadas e os endereços das células, modificados


automaticamente para pegar os valores da “coluna D” (figura 711).

Figura 709
Fórmula “Mínimo”.

Figura 710
Selecionando
as células.

378 379
Informática 1 capítulo 14

Figura 713 Figura 715


Alteração do Mostrar
valor da célula. fórmulas.

Figura 716
Caso seja necessário alterar o valor de uma célula, as fórmulas serão atualizadas
Criando fórmulas com
automaticamente. Isso acontece porque elas trabalham com a referência ao ende­
várias planilhas.
reço de uma célula (figura 713).

Você pode rastrear a fonte dos dados das fórmulas usando a opção “Rastrear Pre­
cedentes”. Veja que a MÉDIA foi gerada a partir de dois valores calculados pela
SOMA das colunas B e D. As setas azuis indicam esses precedentes (figura 714).

A opção “Mostrar Fórmulas” faz com que sejam exibidas as fórmulas, e não os
valores calculados por meio das fórmulas (figura 715).

As fórmulas podem trabalhar com valores que estão na mesma planilha, em


planilhas diferentes ou em arquivos diferentes. Basta selecionar a célula desejada
para que a referência seja feita pelo endereço “Nome_do_Arquivo!Nome_da_
Planilha!Endereço_da_Celula”.

Para fazermos um teste, vamos criar uma planilha para cada mês, copiar a de
“Janeiro” para todos os outros meses e alterar os valores.

Na planilha “Balanço 1º Semestre”, criaremos fórmulas para os valores que estão Vamos clicar na célula B4 (figura 717) e digitar a fórmula. Lembre-se de que toda Figura 717
nas outras planilhas. O primeiro passo é apagar os valores que foram digitados. fórmula é iniciada pelo sinal de “=” (igual). Inserindo uma fórmula com
Então, vamos fazer a média dos valores de cada despesa (figura 716). referência a várias planilhas.

Figura 714
Rastrear
Precedentes.

380 381
Informática 1 capítulo 14

Figura 718 Figura 722


Digitando a Copiando as
fórmula média. fórmulas.

Você verá que a fórmula foi construída e calculada na planilha “Balanço 1º Se­
Observe que a fórmula da média aceita vários valores como parâmetros e, agora, mestre”. Devemos repetir o processo para todas as despesas. Mas é claro que não
nossos valores estão em outras planilhas. Sendo assim, teremos que clicar na pla­ criaremos cada fórmula manualmente. Note que, ao parar o mouse no canto da
nilha “Janeiro” e selecionar a célula B4 (figura 718). célula “B4”, aparecerá um cursor em forma de “+”. Se você clicar nesse ponto e ar­
rastar até a célula “B10”, a fórmula será copiada para todas as células (figura 722).
Importante perceber que antes da célula B4 há o nome da planilha (“Janeiro!”).
Isso indica que a célula referenciada pertence à planilha “Janeiro” (figura 719). Quando arrastar o cursor, você verá que as células ficam selecionadas. Ao soltar,
os valores serão calculados (figura 723).
Digite um “ ; ” para separar os parâmetros, clique na planilha “Fevereiro” e sele­
cione a célula B4 (figura 720). Veja que as fórmulas foram alteradas automaticamente:

Repita o processo para todos os meses. Ao selecionar a célula B4 da planilha B4=MÉDIA(Janeiro!B4;Fevereiro!B4;Março!B4;Abril!B4;Maio!B4;Junho!B4)


“Junho”, pressione “Enter” (figura 721). B5=MÉDIA(Janeiro!B5;Fevereiro!B5;Março!B5;Abril!B5;Maio!B5;Junho!B5)
B6 =MÉDIA(Janeiro!B6;Fevereiro!B6;Março!B6;Abril!B6;Maio!B6;Junho!B6)
Figura 719
Primeiro valor da função Figura 723
média (Janeiro!B4). Arrastar para
copiar a fórmula.

Figura 720
Inserindo o segundo valor
para a fórmula média.

Figura 721
Fórmula média
completa.

382 383
Informática 1 capítulo 14

Figura 724 Figura 726


Copiando as Classificar e Filtrar.
fórmulas para
“Despesas
Variáveis”.

O mesmo ocorrerá se você selecionar, copiar e colar as células B4 a B10 nas célu­ B9) e clicar em “Classificar”. Será exibida uma janela para a configuração da
las D4 a D10. A fórmula será ajustada automaticamente (figura 724). classificação dos dados. Escolha “Classificar por Coluna A” (confirme se a opção
“Meus Dados Contêm Cabeçalho” está desmarcada) e clique “OK” (figura 727).
Há momentos em que não desejamos que as células sejam ajustadas automati­
camente. Por isso utilizamos o caractere “$” para travar a linha ou a coluna do Se repetirmos o processo para as “Despesas Variáveis”, teremos como re­
endereço da célula ao copiar e colar. Por exemplo, na fórmula =B$4, ao copiar e sultado a figura abaixo, na qual as despesas estão classificadas em ordem
colar, sempre teremos a linha 4, podendo variar apenas a coluna. alfabética (figura 728).

14.8. Dados: Obter Dados Externos, Conexões, Figura 727


Classificar e Filtrar, Ferramentase Dados, Selecionando a coluna
Estrutura de Tópicos para a classificação
dos dados.
Usando esta guia, você poderá trabalhar com dados externos, filtrar e classificar
informações e trabalhar com subtotais (figura 725).

Para trabalhar com informações de outros aplicativos, vamos utilizar o grupo de


opções “Obter Dados Externos” e o grupo “Conexões”. A partir daí, localizare­
mos os arquivos das informações com os quais vamos trabalhar posteriormente.
Já o grupo de opções “Classificar e Filtrar” nos permitirá organizar as informa­
ções existentes em nossa planilha. Para fazer um teste, podemos selecionar as
despesas fixas e clicar em “Classificar” (figura 726).

Um aviso será exibido informando que não devemos classificar apenas as infor­
Figura 725 mações das despesas, mas sim as despesas e seus respectivos valores. Clique em
Guia “Dados”. “Cancelar”. Agora vamos selecionar as despesas e seus valores (células A3 até
Figura 728
Dados classificados.

384 385
Informática 1 capítulo 14

Figura 732
Exibindo a planilha sem
as células vazias.

Figura 729
Inserir filtro. Outra opção é filtrar os dados, ou seja, ocultar ou exibir informações que sejam Outro fato importante é que as fórmulas não foram alteradas. Somente as linhas
interessantes em determinado momento. Por exemplo, visualizar somente as cé­ cuja coluna tinha valor vazio foram ocultadas. Para retirar o filtro, basta clicar
Figura 730 lulas vazias ou cujo valor seja maior que a média (figura 729). novamente na opção “Filtro”.
Filtro nas colunas.
Note que, quando clicamos em “Filtro” e nas células B4 a B10, são exibidos botões de 14.9. Revisão: Revisão de Texto,
seleção (setinha para baixo) para que possamos selecionar o filtro (figura 730). Comentários, Alterações
Para deixar nosso exemplo mais interessante, vamos inserir uma nova linha abai­ Nesta guia podemos trabalhar com a revisão do texto, inserir ou retirar comen­
xo da descrição das despesas, que representarão os títulos das colunas A, B, C e tários e proteger e compartilhar a planilha (figura 733).
D. Depois vamos selecionar as quatro células e clicar em “Filtro”. Agora clica­
remos na célula D3, que representa a coluna “Valor das Despesas Variáveis”, e As ferramentas de “Revisão de Texto” e “Comentários” são iguais às do Word.
desmarcar a opção (“Vazias”) (figura 731). Vamos trabalhar agora com as ferramentas de “Proteção e Compartilhamento”
de uma planilha. Com a opção “Proteger Planilha”, você poderá informar uma
Veja que as células com valor vazio foram ocultadas, o número das linhas passou senha para desprotegê-la, bem como configurar as permissões dos usuários em
a ser exibido em azul e faltam algumas linhas (6 e 8). Figura 732. seu arquivo, como mostra a figura 734. Figura 733
Guia “Revisão”.
Figura 731
Não exibir
células vazias.

Figura 734
Opções para proteção
da planilha.

386 387
Informática 1 capítulo 14

Figura 735
Com o item “Visualização da Quebra de Página” podemos ter a visão correta de
Proteção da Pasta
quantas páginas existem e o que será impresso em cada uma delas (não exibe o
de Trabalho. cabeçalho nem o rodapé). Confira na figura 738.

Figura 737
Modo de exibição
Layout da página.

Figura 738
Visualização da
Na opção “Proteger Pasta de Trabalho”, você poderá proteger a estrutura e as
janelas de sua planilha (figura 735). “Quebra de
Página”.
A opção “Compartilhar Pasta de Trabalho” permite que mais de um usuário
acessem e alterem as informações de uma planilha ao mesmo tempo. Outras
opções, como “Permitir que os Usuários Editem Intervalos” (que restringe o
acesso dos usuários a determinados intervalos de células) e “Controlar Alte­
rações” (que marca todas as alterações efetuadas pelos usuários), podem ser
muito úteis quando há necessidade de que várias pessoas alterem a planilha
ao mesmo tempo.

14.10. Exibição: modos de exibição da pasta de


trabalho, mostrar/ocultar, zoom, janela, macros
Esta guia permite tratar os modos de exibição das planilhas (figura 736).

A maioria das opções é igual às do Word. Vamos, então, verificar os “Modos de


Exibição”. O modo de exibição “Normal” é o padrão do Excel (no qual traba­
Figura 736 lhamos até agora). O modo “Layout da Página” possibilita a visualização prévia
Guia “Exibição”. da impressão, incluindo cabeçalho e rodapé (figura 737).

388 389
Capítulo 15

Editor de
apresentações
 Microsoft Power Point

 BrOffi ce Impress

 Botão do Offi ce

 Início

 Design

 Animações

 Apresentação de slides

 Revisão

 Exibição

 considerações fi nais

 Referências bibliográfi cas


informática 1 capítulo 15

Figura 740
Arquivo aberto
no PowerPoint.

A s antigas apresentações em slides com retroprojetores acabaram subs­


tituídas por programas específicos, como o Power Point e o BrOffice
Impress. O usuário pode inserir texto, imagens, filmes e ainda usar
efeitos especiais para tornar a apresentação personalizada ou mais atraente.
Figura 741
Criação de uma
apresentação no
15.1. Microsoft PowerPoint Impress (Assistente).

Microsoft PowerPoint é um excelente software para criação de apresentações e


muito útil quando precisamos expor uma ideia ou um projeto. É utilizado por
estudantes e profissionais em geral (figura 739). A interface do PowerPoint 2007
segue o mesmo estilo do Word e do Excel 2007. Então, veremos que muitas de
ferramentas vão funcionar da mesma forma nos três programas (figura 740).

15.2. BrOffice Impress


O pacote do BrOffice também dispõe de um aplicativo para apresentações chamado
“Impress” que tem as mesmas funções e praticidades do PowerPoint 2007. Ao abrir
o “Impress”, você encontrará um assistente para a criação de uma nova apresentação.
Poderá optar por seguir o assistente ou por não mostrá-lo novamente (figura 741).

Figura 739
Tela inicial do
PowerPoint.

392 393
InfoRmátICa 1 CaPítuLo 15

Figura 742 Figura 743


Interface inicial Opção “Salvar Como”.
do Impress.

Dentro do botão do Office, há a opção “Imprimir”. Ao clicar nessa opção, você


verá uma tela como a da figura 744.

Em três passos é possível configurar uma apresentação como se deseja. Depois, a Há várias opções de impressão:
interface principal do Impress será exibida (figura 742). • Imprimir: slides, folhetos, anotações ou estrutura de tópicos
• Cor: com cor, escala de cinza ou preto e branco puro.
A Área de Trabalho do PowerPoint 2007 e do BrOffice são similares. As
apresentações são divididas em slides apresentados sequencialmente em uma Também podemos ajustar o documento ao tamanho do papel e adicionar um qua­
barra de ferramentas lateral. Existem as mesmas funções nos dois aplicati­ dro ao redor dos slides. Uma opção muito utilizada pelos autores das apresentações
vos (PowerPoint e Impress). Sendo assim, vamos mostrar como funciona o é a impressão em forma de folheto, com ou sem anotações, para ter em mãos uma
PowerPoint 2007. cópia pequena para estudo. Observe a variedade de opções na figura 745.

15.3. Botão do office Figura 744


Opção “Imprimir”.
A maioria das funções do botão do Office do PowerPoint 2007 é idêntica às op­
ções do Word e do Excel 2007. Por isso, vamos estudar apenas como funciona a
opção “Salvar Como” (figura 743).

Várias formas de
salvar o documento
• Apresentação do PowerPoint: salva a apresentação no forma-
to de arquivo padrão.
• Apresentação de slides do PowerPoint: salva a apresentação
de forma que, quando aberta, já inicia a apresentação de slides
automaticamente.
• Apresentação do PowerPoint 97-2003: salva a apresentação
em um formato de arquivo compatível com o PowerPoint 97-
2003.
• Outros formatos: abre a caixa de diálogo “Salvar Como” para se-
lecionar qualquer um entre todos os tipos de arquivos possíveis.
• Localizar suplementos para outros formatos de arquivo: utili-
zado para obter suporte a arquivos tipo PDF, entre outros.

394 395
informática 1 capítulo 15

Figura 745 Figura 747


Tipos de impressão. Inserindo título
e subtítulo da
apresentação.

Como a apresentação será grande, precisaremos inserir outros slides. Clique na


opção “Novo Slide”, do grupo “Slides”, que está na guia “Início” (figura 748).

Se você clicar diretamente em “Novo Slide”, será inserido um slide padrão com
título e uma área para conteúdo. Caso queira escolher o tipo de slide, clique na seta
para baixo e escolha uma entre as opções exibidas. Note que, ao inserir um novo
slide, ele será apresentado em formato miniatura na barra lateral (figura 749).

Figura 748
Inserir “Novo Slide”.

15.4. Início: Área de Transferência, Slides, Fonte,


Parágrafo e Alinhamento, Desenho, Edição
Agora que já conhecemos as ferramentas básicas do Microsoft PowerPoint 2007,
vamos à criação de apresentações. A figura 746 mostra o início do processo.

Para digitar as informações, basta clicar nas caixas de texto que são apresentadas
na área central. Por exemplo: vamos criar uma apresentação com fotos e textos da
festa de formatura da uma turma de alunos (figura 747).
Figura 749
Figura 746 Novo slide.
Interface inicial
do PowerPoint.

396 397
informática 1 capítulo 15

Figura 750 Figura 752


Alterando o Guia “Ferramentas
layout do slide. de Imagem”.

O que nos interessa agora é aumentar o tamanho da imagem. Para isso, basta
clicar em um dos seus cantos e arrastar (figura 753). Agora vamos inserir outro
Quando digitamos o texto, são habilitadas as opções do grupo “Fonte e Parágra­ slide e colocar mais fotos.
fo”. Isso significa que podemos alterar a cor do texto, o alinhamento, tamanho
de fonte, entre outros recursos. Vamos adicionar uma imagem ao texto. Então, Foram inseridas apenas duas imagens (figura 754) no espaço do slide definido
precisaremos alterar o layout do slide para que haja duas áreas de conteúdo. Ago­ pelo layout. Mas queremos colocar outras duas. Para isso, vamos clicar na guia
ra, colocamos a imagem (figura 750). “Inserir” e na opção “Imagem” (figura 755).

Neste momento, você vai procurar em seus arquivos as imagens que descarre­ Figura 753
gou da sua máquina fotográfica digital. Vamos utilizar exemplos aleatórios de Slide com a imagem.
imagens.

Ao passar o mouse sobre os objetos mostrados na área em branco, encontraremos “Inse­


rir Imagem do Arquivo”, onde podemos clicar (figura 751). Selecionamos a imagem que
desejamos colocar e clicamos em “OK”. A imagem será inserida no slide (figura 752).

Quando você clicar na imagem, será exibida a guia “Ferramentas de Imagem”,


como ocorre no Word e no Excel. Com essa guia, você poderá formatar a ima­
gem inserida.

Figura 751
“Inserir
Figura 754
imagens”.
Slide com duas imagens.

398 399
informática 1 capítulo 15

Figura 755 Figura 757


Slide com quatro Botão de ação
imagens. no slide.

Pronto. Já temos dois slides em nossa apresentação. Vamos agora aproveitar e


gravar esse arquivo com o nome de “formatura.pptx” em “Meus Documentos”.

Note que na guia “Inserir” podemos trabalhar com vários objetos (Tabelas, Imagens,
Clip-art, Formas, SmartArt, Gráficos, Caixas de Texto, Wordart, Data e Hora, Nú­ As ações também podem ser configuradas em outros objetos. Basta selecionar o
mero do Slide, Símbolos e Objetos) de forma bem similar às do Word e do Excel. objeto e clicar na opção “Ação” do grupo “Links” da guia “Inserir” (figura 757).

Dentro da opção “Formas” podemos colocar várias formas básicas, como setas, fluxo­ Algumas opções são novas, como o “Álbum de Fotografias”. Nele, você poderá
gramas, entre outras. Uma das opções mais utilizadas é a de “botões de ação”. Com selecionar um conjunto de fotos e criar uma nova apresentação no PowerPoint
esses botões podemos controlar a apresentação dos slides, executar programas exter­ (figura 758).
nos, links, etc.
Figura 758
Depois de desenharmos o botão no slide, automaticamente será aberta uma ja­ Opção “Álbum
nela para a configuração da ação que será executada. Essa ação pode ser um link de Fotos”.
para um slide, uma chamada para a execução de um programa, para acessar um
link na internet ou até para que entre um som (figura 756).

Figura 756
Inserindo botões
de ação.

400 401
informática 1 capítulo 15

Figura 759 Figura 762


Álbum criado pela opção Slides inseridos
“Album de Fotos”. no novo arquivo.

O PowerPoint automaticamente criará um novo arquivo com as imagens (figura Todos os slides serão colocados em uma única apresentação (figura 762).
759) de acordo com o que você configurou na figura 758.
Outra opção que é diferente no PowerPoint é “Cabeçalho e Rodapé”. Por meio
Para colocar esses slides dentro do arquivo “formatura.pptx”, basta selecioná-los, dessa opção, podemos configurar o que deverá aparecer na área de “Cabeçalho e
clicar com o botão direito e selecionar “Copiar” (figura 760). Rodapé” dos slides (figura 763).

Figura 760 Figura 763


Copiar slides. “Opção de Cabeçalho
e Rodapé”.

Outra possibilidade interessante é inserir um filme na apresentação. Para isso, de­


vemos selecionar a opção “Filme” e localizar o arquivo a ser inserido (figura 764).
Volte ao seu arquivo “formatura.pptx”, clique com o botão direito e selecione
“Colar” (figura 761). Figura 764
“Inserir Filme”.
Figura 761
Colar slides.

402 403
informática 1 capítulo 15

Figura 768
Também existe a opção “Som”, que permite colocar som na apresentação. Pode
Aplicando Temas.
ser configurado para tocar automaticamente ou quando clicado (figura 765).

Figura 765
“Inserir Som”.

Ao passar o mouse sobre o slide, você poderá visualizar como ficará o tema es­
colhido (veja a figura 769). No entanto, só será aplicada a alteração em todos os
slides quando você clicar no tema desejado, como mostra a figura 770. O tema
15.5. Design: Configurar Página, Temas, Plano de Fundo pode ser alterado a qualquer momento. Basta clicar no item desejado.

Figura 766A Por meio dessa guia, vamos alterar o design dos slides, de maneira rápida e práti­ Outras opções, como “Cores”, “Fontes” e “Efeitos no Microsoft Power Point”,
“Guia Design” (abaixo). ca (figura 766A). A primeira opção é “Configurar Página” (figura 766B). funcionam como no Word.

O estilo de “Plano de Fundo” também pode ser alterado sem que o tema geral
da apresentação seja modificado (figura 771).

Figura 769
“Barra de slides”
(ao lado, à esquerda).

Figura 766B Figura 770


“Configurar Página” “Alteração do tema”
(ao lado). (ao lado, à direita).

Outro recurso é alterar a “Orientação dos Slides” entre “Retrato” ou “Paisagem”


(figura 767).

Dentro do grupo “Temas” podemos mudar a forma como os slides serão exibi­
dos, ou seja, escolher uma opção para a cor de fundo, títulos e recursos colocados
dentro dos slides (figura 768). Figura 771
“Estilos de cores”.
Figura 767
Orientação
dos Slides.

404 405
informática 1 capítulo 15

Figura 775
15.6. Animações: Visualizar, Animações, Transição de Slides.
Transição de Slides
Com esta guia podemos configurar as animações desejadas para a apresentação.
É possível animar cada objeto e também a transição dos slides (figura 772).
Figura 776
Na guia principal podemos visualizar as animações antes de apresentá-la e ainda
Adicionar Som
criar uma animação personalizada. Para isso basta clicar nesse item e configurar
de Transição.
a animação do objeto na barra de ferramentas aberta do lado esquerdo do slide.
Clique em “Adicionar efeito” e selecione o tipo de animação (figura 773).

Note que, quando adicionamos o efeito, ele aparece em uma lista. Assim pode­
mos determinar em que momento esse efeito deverá iniciar, com que velocidade e
em que ordem aparecerá (figura 774). Clique em “Visualizar” ou “Executar” para
Figura 772 ver o efeito que você acabou de criar.
Guia “Animações”.

Figura 773 Se quiser adicionar um som de transição, clique na opção correspondente e esco­
“Adicionar Animações” lha um dos sons predefinidos no PowerPoint (figura 776).
(ao lado, à esquerda).
A “Velocidade da Transição” também deverá ser configurada. Clique nela e faça
a sua escolha (figura 777).
Figura 774
Observe que é possível escolher um efeito de transição (com ou sem sons) para
“Barra de objetos e
cada slide ou pedir que esse efeito seja aplicado a todos os slides.
animações”
(ao lado, à direita). Para finalizar, precisamos configurar a forma de avanço entre um slide e outro e
definir se desejamos que isso aconteça “Ao clicar com o mouse” ou “Automatica­
mente após” um tempo predefinido (figura 778).

Figura 777
“Velocidade da
transição”.

Figura 778
Agora vamos configurar a animação para a transição de slides, ou seja, adicionar “Configurar
um efeito que deverá ser executado a cada troca de slide. avanço do slide”.

Passe o mouse sobre as opções do grupo “Transição” para esse slide e escolha o
efeito que deseja aplicar (figura 775).

406 407
informática 1 capítulo 15

Figura 781
15.7. Apresentação de Slides: Iniciar apresentação, “Configurar
Configurar, Monitores apresentação”.
Com a guia “Apresentação de Slides” podemos configurar a forma como vamos
fazer a apresentação (figura 779).

Para iniciar a apresentação, vamos utilizar os botões do grupo “Iniciar a “Apre­


sentação de Slides”. O primeiro item é “Do Começo”, que irá iniciar a apresenta­
ção no primeiro slide. Outra opção é “Do Slide Atual”, que começará a partir do
slide que está aberto (selecionado).

Se quisermos personalizar uma apresentação, devemos alterar a ordem de apre­


sentação para que a sequência não seja a mesma da ordem de criação dos slides.
Ao clicar na opção “Personalizar Apresentações”, você poderá escolher a ordem
Figura 782
como os slides deverão ser exibidos (figura 780).
“Gravar narração”.

Figura 779
“Guia Apresentações”.

Figura 780
“Personalizar Apresentação”.
Você pode configurar a resolução da sua apresentação para que ela fique de acor­
do com a resolução do monitor a ser utilizado. Para isso, clique na opção “Reso­
lução” e escolha na lista que aparecerá (figura 783).

Figura 783
“Configurar
resolução”.

Outras configurações podem ser feitas recorrendo à opção “Configurar Apresen­


tação de Slides”, que permite definir se o slide deve tomar a tela toda ou somente
uma janela, se aparecerá até que a tecla “ESC” seja pressionada, se será exibido
com ou sem narração ou ainda se terá animações. Ao exibir os slides, o apresenta­
dor poderá fazer anotações com uma “caneta” virtual em cada um. Nessa janela 15.8. Revisão: revisão de texto, comentários, proteger
é possível configurar a cor da caneta, bem como determinar se todos os slides
devem ser apresentados ou se haverá somente um intervalo (figura 781). Esta guia possui as mesmas opções do Word e do Excel e vai nos ajudar a revisar
textos, inserir comentários e proteger nossa apresentação (figura 784).
Slides desnecessários não precisam ser retirados do arquivo. Basta clicar em
“Ocultar Slide” para que eles não apareçam na apresentação. Para voltar a exibi- Figura 784
los, é só clicar novamente no botão “Ocultar Slide”. Guia “Revisão”.

Você pode gravar a narração dos slides com a sua voz, clicando em “Gravar Narração”.
Aparecerá uma janela para a configuração do microfone e demais opções, permitindo
a gravação da voz. Será criado um arquivo anexado à apresentação. Depois é só testar
os intervalos em que a voz deve entrar na transição dos slides e pronto! (figura 782).

408 409
informática 1 capítulo 15

15.9. Exibição: Modos de Exibição de Apresentação, O modo de exibição “Anotações” deixará mais visível o painel de anotações que
Mostrar/Ocultar, Zoom, Cores, Janela podemos colocar em cada um dos slides. Esse painel também aparece no modo
“Normal” (figura 788).
A guia de exibição possui opções para modos de exibição diferentes, bem como
para mostrar/ocultar régua e grades, zoom e cores (figura 785). A opção “Slide Mestre” permite a edição do slide que tem essa função, que é o
modelo a ser seguido em cada um dos temas. Ao alterar o slide mestre, todos os
O modo de exibição “Normal” é o padrão do PowerPoint (figura 786). demais já existentes na apresentação e os que ainda serão inseridos seguirão o
padrão determinado (figura 789).
O modo de exibição “Classificação de Slides” mostra todos os slides da apresen­
tação em formato miniatura e na sequência em que foram criados (figura 787). Figura 788
A maneira mais fácil de mudar a ordem de um ou vários slides é por meio desse Exibição: “Anotações”.
modo de visualização. Clique no slide e arraste-o para a posição desejada.

Figura 785
Guia “Exibição”.

Figura 786
“Exibição Normal”.

Figura 789
Exibição: “Slide Mestre”.

Figura 787
Exibição:
“Classificação
de Slides”.

Dentro do “slide mestre”, podemos criar um novo tipo de layout de slides,


por exemplo: com quatro espaços de conteúdo, inserir uma imagem a ser
apresentada em todos os slides, configurar a página, alterar as cores, títulos e
plano de fundo. É possível ainda salvar esse novo modelo criado para utilizá-
lo novamente (figura 790).

A opção “Folheto Mestre” permite a configuração da forma de impressão dos slides,


como se vê na figura 791. Você pode adicionar ou remover itens a serem impressos.

410 411
informática 1 capítulo 15

Figura 790 Figura 793


Editando o Exibir “Régua e Grade”.
“Slide Mestre”.

Figura 791
Você também pode selecionar as opções para visualização da “Régua” e das “Li­
“Folheto Mestre”.
nhas de Grade”, itens que não serão impressos (figura 793).

Outra opção possível é pela visualização dos slides, em “Escala de Cinza” ou


“Preto e Branco” (figura 794).

Figura 794
Exibir: “Escala de
Cinza” ou “Preto e
Branco”.

Se quiser padronizar o modo de impressão das anotações inseridas em cada slide,


você pode recorrer à opção “Anotações Mestras”. Caso seja necessário, poderá
alterar esse modelo (incluir logotipos ou formatações de fonte diferenciados, por
exemplo). E todas as anotações seguirão o mesmo padrão (figura 792).

Figura 792
Exibir: “Anotações
Mestras”.

412 413
informática 1

Considerações finais Referências bibliográficas


Em todos os lugares a que vamos, nos deparamos com algum computador ou Capron, H.L.; Johnson, J.A. Introdução à Informática. Tradução: José
sistema informatizado. Podemos vê-los em postos de saúde, de combustíveis, em Carlos Barbosa dos Santos. Revisão técnica: Sérgio Guedes de Souza. São Paulo:
supermercados e até na quitanda da esquina de casa. Quando telefonamos para Pearson Prentice Hall, 2004.
uma empresa, um banco, quem atende ao telefone, na maior parte das vezes? Um
computador. Quando queremos saber qual o saldo de créditos do celular, quem Deitel, H.M.; Deitel , P.J. ; Choffnes, D.R. Sistemas Operacionais. 3.
responde? Um software que fala. É, de fato, impressionante a propagação da In­ ed. Tradução: Arlete Simille Marques. Revisão técnica: Regina Borges de Araújo.
formática em todas as atividades. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

Com esse avanço, os profissionais de todas as áreas são obrigados a conhecer DEMAI, Fernanda Mello. Livro das competências profissionais: a síntese dos 90
os recursos básicos da Informática para desenvolver seus trabalhos. Foi este o cursos técnicos e das 115 qualificações oferecidas pelo Centro Paula Souza. n. 2.
nosso objetivo na produção deste livro: apresentar a você alguns dos softwares São Paulo: Centro Paula Souza / Editora i9, 2009.
mais utilizados no mundo da Informática: editor de textos, planilhas eletrônicas,
apresentações e internet, começando com os conceitos que são importantíssimos Machado, Francis Berenger; Maia, Luiz Paulo. Arquitetura de Sistemas
para quem está iniciando sua carreira profissional. Também abordamos aspectos Operacionais. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2007.
básicos dos Sistemas Operacionais e seu gerenciamento.
Silberschatz, Abraham; Galvin, Peter Baer; Gagne, Greg. Funda-
Todas essas informações são de extrema importância, especialmente se você pre­ mentos de Sistemas Operacionais. 6. ed. Tradução: Elisabete do Rego Lins. Rio de
tende se tornar um técnico responsável pelo setor de TI de uma empresa. Elas Janeiro: LTC, 2004.
são fundamentais na sua capacitação e servirão de ajuda, na tomada de decisões
com relação aos servidores de rede e demais equipamentos de uma organização
que utiliza meios informatizados e precisa de gerenciamento.

Se você não pensa em seguir a carreira de gestor de redes, não se preocupe.


Seja qual for a sua escolha profissional, tudo o que aprender no curso de
Técnico em Informática e nos demais relacionados à área será empregado de
alguma forma em sua carreira.

Esperamos que este livro o ajude a ampliar seus conhecimentos, abrindo as “por­
tas do futuro” e incentivando-o a superar novos desafios e alcançar o tão almeja­
do sucesso profissional. Este material foi elaborado por dois ex-alunos da escola
técnica que superaram os desafios pessoais e profissionais, estudaram muito e
agora têm o prazer de compartilhar seus conhecimentos com você. Quem sabe o
próximo livro não será escrito por você!

414 415
Excelência no ensino profissional
Administrador da maior rede estadual de educação profissional do país, o
Centro Paula Souza tem papel de destaque entre as estratégias do Governo
de São Paulo para promover o desenvolvimento econômico e a inclusão
social no Estado, na medida em que capta as demandas das diferentes
regiões paulistas. Suas Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnolo-
gia (Fatecs) formam profissionais capacitados para atuar na gestão ou na
linha de frente de operações nos diversos segmentos da economia.

Um indicador dessa competência é o índice de inserção dos profissionais


no mercado de trabalho. Oito entre dez alunos formados pelas Etecs e
Fatecs estão empregados um ano após concluírem o curso. Além da ex-
celência, a instituição mantém o compromisso permanente de democra-
tizar a educação gratuita e de qualidade. O Sistema de Pontuação Acres-
cida beneficia candidatos afrodescendentes e oriundos da Rede Pública.
Mais de 70% dos aprovados nos processos seletivos das Etecs e Fatecs
vêm do ensino público.

O Centro Paula Souza atua também na qualificação e requalificação de


trabalhadores, por meio do Programa de Formação Inicial e Educação
Continuada. E ainda oferece o Programa de Mestrado em Tecnologia, re-
comendado pela Capes e reconhecido pelo MEC, que tem como área de
concentração a inovação tecnológica e o desenvolvimento sustentável.