Você está na página 1de 43

Título Duração Descrição

Alcobaça, a casa de Pedro e Inês Por vontade do primeiro rei de Portugal nasce a abadia de
pedra branca. Oito séculos depois, a obra-prima da Arte
http://ensina.rtp.pt/artigo/patrimonio-
22’27’’ Gótica Cisterciense é classificada como Património da
mundial-portugues-mosteiro-de- Humanidade. No Mosteiro de Alcobaça repousa a bela
alcobaca/ história de amor de Pedro e Inês.
O cavaquinho é um instrumento de cordas que nasceu em
O “cavaquinho” para o mundo
Portugal mas que se fez ao mundo há muitos anos.
http://ensina.rtp.pt/artigo/o- 2’07’’
Acompanhando a emigração portuguesa dos últimos
cavaquinho-para-o-mundo/ séculos.
Uma nova linguagem das formas surge em Itália no século
O maneirismo
XVI. O estilo conquista a Europa, todos querem "fazer à
http://ensina.rtp.pt/artigo/o- 7’57’’
maneira dos grandes mestres", numa corrente a que se
maneirismo/ chamou Maneirismo.
Uma nova linguagem das formas surge em Itália no século
Arte Manuelina XVI. O estilo conquista a Europa, todos querem "fazer à
5’07’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/manuelino/ maneira dos grandes mestres", numa corrente a que se
chamou Maneirismo.
O Gótico domina a arquitetura na Europa a partir do século
Arte Gótica XIII. É a época das grandes catedrais, os primeiros arranha-
4’37’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/gotico/ céus do mundo, que rompem com o obscurantismo da
idade das trevas.
Os edifícios religiosos dominam o Românico. Numerosas
Arte Românica igrejas são construídas por toda a Europa Ocidental:
http://ensina.rtp.pt/artigo/arte- 7’53’’ espaços maiores, naves com abóbadas, decoração
romanica/ esculpida a acentuar a simplicidade e a espiritualidade
destes monumentos.
Antes da escrita, o homem fez Arte. As primeiras
Arte Rupestre manifestações surgem no Paleolítico Superior, entre 35 000
http://ensina.rtp.pt/artigo/arte- 14’01’’ e 30 000 a.C.. São obras de grande sensibilidade plástica,
rupestre/ muitas vezes associadas a um ritual sagrado e mágico,
ainda hoje difíceis de decifrar.
A flauta é talvez o primeiro instrumento criado pelo
Flauta Homem e chega a ter poderes mágicos na lenda do
4’08’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/flauta/ flautista de Hamelin. Histórias e sonoridades que
revelamos aqui.
O oboé surgiu na França na segunda metade do século XVII
Oboé e é um verdadeiro afinador de orquestras. Vamos conhecer
1’56’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/oboe/ a história deste instrumento e reconhecer-lhe as
sonoridades.
O violoncelo está presente em todos os quartetos de
Violoncelo
3’18’’ cordas. Vamos saber qual a origem deste instrumento e
http://ensina.rtp.pt/artigo/violoncelo/ escutar-lhe as sonoridades.
O trombone pertence à família dos metais e é um
Trombone
4’19’’ instrumento com sucesso no jazz. Vamos saber da sua
http://ensina.rtp.pt/artigo/trombone/ história e escutar-lhe as sonoridades.
Fagote O fagote pode ser cómico e sério. Descubra aqui as
2’18’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/fagote/ sonoridades e as histórias deste instrumento.

1
O clarinete é um instrumento versátil com grande
Clarinete
2’48’’ amplitude sonora. Vamos conhecer a sua história e
http://ensina.rtp.pt/artigo/clarinete/ reconhecer-lhe sonoridades.
Harpa A harpa é o mais antigo dos instrumentos de cordas.
2’33’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/harpa/ Vamos conhecer-lhe a história e as sonoridades.
Contrabaixo O contrabaixo tem geralmente 4 cordas mas é um gigante
http://ensina.rtp.pt/artigo/contrabaixo 2’13’’ entre os instrumentos musicais. Vamos aqui conhecer a sua
/ história e aprender a reconhecer-lhe as sonoridades.
Trompete Conheça a história do trompete e o som forte que faz este
5’03’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/trompete/ instrumento de sopro da família dos metais.
O violino é o mais agudo da família das cordas friccionadas
Violino e se for um Stradivarius é um dos instrumentos mais
3’52’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/violino/ valiosos e raros do mundo. Conheça aqui a história e as
sonoridades do violino.
A viola de arco é da família do violino mas tem um som e
Viola de arco
uma história diferentes do seu parente mais próximo.
http://ensina.rtp.pt/artigo/viola-de- 2’32’’
Vamos conhecer e reconhecer o timbre e a origem deste
arco/ instrumento.
A Tuba foi reinventada pelo compositor Richard Wagner.
Tuba
3’10’’ Um instrumento com história e sonoridades para descobrir
http://ensina.rtp.pt/artigo/tuba/ aqui.
A trompa sofreu várias modificações ao longo dos séculos e
Trompa é hoje presença quase obrigatória nas orquestras.
1’41’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/trompa/ Contamos a história e escutamos as sonoridades deste
instrumento já a seguir.
Defensor do naturalismo, cronista do Portugal rural,
Carlos Reis (1863-1940)
amante da pintura ao ar livre, Carlos Reis influenciou
http://ensina.rtp.pt/artigo/carlos-reis- 2’52’’
gerações de artistas. A sociedade Nacional de Belas-Artes
1863-1940/ atribuiu-lhe a medalha de honra em pintura.
Misturou desenho com humor e ficou famoso. As suas
Emmérico Nunes (1888-1968) ilustrações são mordazes e cómicas e encheram
http://ensina.rtp.pt/artigo/emmerico- 2’01’’ publicações nacionais e internacionais. Emmérico Nunes foi
nunes/ um dos pioneiros da banda desenhada em Portugal. Como
terá tudo começado?
Começou como aprendiz de litógrafo e acabou por ser um
Veloso Salgado (1864-1945) dos grandes pintores da segunda geração do naturalismo
http://ensina.rtp.pt/artigo/veloso- 00’50’’ português. José Maria Veloso Salgado distinguiu-se tanto
salgado/ nos retratos de personalidades e paisagens, como nos
temas históricos.
Francisco Vieira de Matos, o Lusitano, é o pintor do Barroco
Vieira Lusitano (1699-1783) português. Quer na pintura, quer no desenho, revela um
2’04’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/1456/ domínio artístico absoluto... é que além do seu talento
natural, aprendeu com os grandes mestres italianos.
Segue as correntes modernistas sem esquecer a infância
Sarah Affonso (1899-1983)
passada no Minho. Sarah Affonso cultiva uma certa arte
http://ensina.rtp.pt/artigo/sarah- 3’05’’
popular e, contra todos os preconceitos, afirma-se como
affonso/ pintora nas primeiras décadas do século XX.
Começou no Surrealismo mas a sua forma de pintar
António Dacosta (1914-1990)
obedece apenas à liberdade da experimentação. António
http://ensina.rtp.pt/artigo/antonio- 1’15’’
Dacosta, nascido em Angra do Heroísmo, foi "o Pintor
dacosta/ Europeu das Ilhas" como lhe chamou Vitorino Nemésio.
Pintor Maneirista da segunda metade do século XVI,
Cristóvão de Morais (século XVI) produziu sobretudo retratos e retábulos. Cristóvão de
http://ensina.rtp.pt/artigo/cristovao- 00’42’’ Morais acompanhou os últimos anos da Dinastia de Avis e
de-morais/ por duas vezes fixou a imagem de D. Sebastião em pose
real.

2
Cofundador do Grupo Surrealista de Lisboa, figura
Fernando de Azevedo (1923-2002)
importante do Abstracionismo em Portugal, Fernando de
http://ensina.rtp.pt/artigo/fernando- 2’52’’
Azevedo dedicou a vida à Arte e aos artistas. Utilizou a
azevedo/ prática da ocultação... técnica que explicamos a seguir.
Esteve ao serviço de dois reis portugueses, trabalhou em
Gregório Lopes (1490?-1550)
mosteiros, conventos e nas mais importantes oficinas de
http://ensina.rtp.pt/artigo/gregorio- 2’03’’
Lisboa. Gregório Lopes executou sobretudo obras
lopes/ religiosas....foi um artista do século XVI.
Porventura o primeiro futurista português, impulsionador
Santa-Rita Pintor (1889-1918)
do movimento do "Orpheu", Santa-Rita Pintor admirava
http://ensina.rtp.pt/artigo/santa-rita- 1’38’’
Picasso e foi um adepto do cubismo. Infelizmente poucas
pintor/ obras lhe sobreviveram.
Frutas, peças de caça, doçaria, cerâmica... Josefa de Óbidos
Josefa de Óbidos (1630-1684)
representava o inanimado nas suas telas em composições
http://ensina.rtp.pt/artigo/josefa-de- 3’41’’
equilibradas. Ao Barroco foi buscar as cores fortes e algum
obidos-1630-ou1634-1684/ do dramatismo que dominam a sua narrativa pictórica.
Vasco Fernandes, o Grão Vasco - Mestre da pintura renascentista, figura mítica das artes
século XVI 2’21’’ portuguesas, Vasco Fernandes ou Grão Vasco é o pintor de
http://ensina.rtp.pt/artigo/grao-vasco/ Viseu, cidade que alberga muitas das suas obras.
O primeiro pintor de câmara e corte é também, para
Domingos Sequeira (1768-1837)
muitos, o primeiro dos românticos portugueses. Domingos
http://ensina.rtp.pt/artigo/domingos- 1’44’’
Sequeira teve uma vida atribulada, chegou a entrar num
sequeira/ convento mas a vocação da arte venceu a de noviço.
Maria Helena Vieira da Silva (1908- Envolve a sua pintura numa poesia de cores e formas, cria
1992) composições abstratas únicas. Maria Helena Vieira da Silva
2’21’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/helena- viveu entre duas nacionalidades mas será sempre a mais
vieira-da-silva/ internacional artista plástica portuguesa.
Amadeo de Souza-Cardoso (1887- De aprendiz de desenho a mestre do modernismo, Amadeo
1918) de Souza-Cardoso é a primeira referência da pintura
3’33’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/amadeo-de- moderna do século XX em Portugal. Homem de um tempo
souza-cardoso/ que vai à frente...
Almada Negreiros (1893-1970) Quis ser um artista do seu tempo, acabou por ser artista de
http://ensina.rtp.pt/artigo/almada- 2’29’’ todos os tempos. Criador multifacetado, Almada Negreiros
negreiros-1893-1970/ deixou uma obra imensa, intensa e original.
Nuno Gonçalves (século XV) Está na linhagem dos grandes da pintura, mas de Nuno
http://ensina.rtp.pt/artigo/nuno- 2’55’’ Gonçalves pouco sabemos. A ele são atribuídos os painéis
goncalves/ de São Vicente, obra-prima do século XV.
Cores fortes, muita luz…eis mestre Malhoa em ação! Pintor
José Malhoa (1855-1933)
romanesco do país rural e real, intérprete de costumes
http://ensina.rtp.pt/artigo/jose- 2’29’’
populares, José Malhoa é assumidamente um anti-
malhoa-1855-1933/ moderno, uma figura de referência da pintura portuguesa.
Esteve nas trincheiras da 1.ª Guerra Mundial ao lado dos
Adriano de Sousa Lopes (1879-1944) soldados portugueses. Registou com grande realismo a
http://ensina.rtp.pt/artigo/adriano-de- 4’33’’ Batalha da Flandres em desenhos e águas fortes. É Adriano
sousa-lopes/ de Sousa Lopes, pintor contemporâneo, o único Oficial
Artista Português.
Da paisagem à natureza morta até ao nu... Eduardo Afonso
Eduardo Viana (1881-1967)
Viana afirma-se nestes estilos com fortes influências de
http://ensina.rtp.pt/artigo/eduardo- 2’58’’
Cézanne e dos Cubistas. Foi o pintor de um naturalismo
afonso-viana-1881-1967/ moderno.

3
Título Duração Descrição
A obesidade tem um impacto elevado na saúde,
Miúdos com 100 Kg
aumentando o risco de doenças cardiovasculares. Os
http://ensina.rtp.pt/artigo/miudos-com- 33’21’’
jovens não escapam à ameaça e a RTP está na "Linha da
100-kg/ Frente" para perceber o que se passa em Portugal.
Os temas são conversados entre alunos e das respostas
Projeto escolar contra maus tratos
aos inquéritos pode perceber-se se existem ou não maus
http://ensina.rtp.pt/artigo/projeto- 2’38’’
tratos. O projeto está ser desenvolvido em escolas do
escolar-contra-maus-tratos/ Fundão, mas pretende estender-se concelhos.
Como se dorme em Portugal? Bem? Mal? E que hábitos
Quando o sono não chega têm os portugueses quando chega a hora de dormir?
http://ensina.rtp.pt/artigo/quando-o- 40’15’’ "Quando o sono não chega" é uma grande reportagem na
sono-nao-chega/ "Linha da Frente" com histórias reais que ajudam a
compreender melhor o mundo que nos rodeia.
A alimentação saudável e o exercício físico são dois
Quilos de saúde
contributos importantes para manter ou aumentar a
http://ensina.rtp.pt/artigo/quilos-de- 39’02’’
qualidade de vida. A RTP está na "Linha da Frente" nesta
saude/ corrida.
Escola Afonso de Paiva combate o
Associação de Desenvolvimento Amato Lusitano de
"bullying"
2’00’’ Castelo Branco testa forma de combater a violência entre
http://ensina.rtp.pt/artigo/escola- os mais novos.
afonso-de-paiva-combate-o-bullying/
Minuto verde – Pastilhas elásticas A pastilha elástica, depois de mastigada e saboreada, é
muitas vezes atirada para o chão. Mas este produto não é
biodegradáveis
1’08’’ amigo do ambiente e dificulta a limpeza dos espaços
http://ensina.rtp.pt/artigo/pastilhas- públicos. As pastilhas biodegradáveis são uma boa
elasticas-biodegradaveis/ solução.
Minuto verde – Cola em fita é amiga do A cola é um material muito usado no nosso dia-a-dia, mas
ambiente é um produto que prejudica o ambiente. Como
1’08’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/cola-em-fita- alternativa, há no mercado uma solução ecológica: a cola
e-amiga-do-ambiente/ em fita, barra ou bisnaga, de baixo impacto ambiental.
Minuto verde – Bom ambiente no Também nos parques de campismo é importante manter
campismo as boas práticas ambientais. Poupar recursos como água
1’09’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom- e energia ou não deixar resíduos esquecidos, são alguns
ambiente-no-campismo/ conselhos deste Minuto Verde.
Minuto verde – Prevenir incêndios Os incêndios são, na sua maioria, provocados por ação
humana, de forma intencional ou não. Há, por isso,
florestais
1’09’’ atividades que têm de ser evitadas, como fazer lume nas
http://ensina.rtp.pt/artigo/prevenir- florestas. Um pequeno descuido pode lançar a faísca para
incendios-florestais/ um grande incêndio.
Poupar água na escola é a sugestão deste Minuto Verde.
Minuto verde – Escolas amigas da água
Em parceria com as "escolas amigas da água", ensina-se a
http://ensina.rtp.pt/artigo/escolas- 1’13’’
utilizar de forma mais eficiente este recurso tão
amigas-da-agua/ importante para um planeta sustentável.
Minuto verde – Reciclar canudo de Quando termina o papel higiénico ou a folha de alumínio,
o tubo que resta é um recurso natural importante e pode
cartão
1’10’’ ser reciclado para se transformar noutros produtos. Por
http://ensina.rtp.pt/artigo/reciclar- isso deve ser colocado no contentor de papel para
canudo-de-cartao/ reciclar.
Recorremos aos blocos de post it para nos lembrarmos
Minuto verde – Post-it e ambiente de tarefas, para tomarmos notas…mas nestes recados
http://ensina.rtp.pt/artigo/post-it-e- 1’11’’ gasta-se muito papel. A utilização das novas tecnologias,
ambiente/ ou a utilização de folhas já impressas é uma forma mais
ecológica de registar anotações.

4
Minuto verde – Lixo nas zonas Manter as praias limpas é um desafio de todos. Quando
balneares não temos contentores próprios para deitar fora os
1’09’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/lixo-nas- resíduos podemos encontra uma alternativa mais caseira.
zonas-balneares/ O Minuto Verde diz-lhe qual é.
A proposta para abolir a pena de morte para crimes civis,
Fim da pena de morte em Portugal
em Portugal, foi avançada pelo Ministro da Justiça,
http://ensina.rtp.pt/artigo/fim-pena- 00’59’’
Manuel Baptista, em Julho de 1867 e aprovada na
morte/ Câmara dos Pares do Reino.
A água é cada vez mais escassa no planeta; Cerca de 800
Desperdício de água milhões de pessoas no mundo não têm acesso a água
http://ensina.rtp.pt/artigo/desperdicio- 2’33’’ potável e, só na Europa, 19% do território revela "stress"
de-agua/ hídrico, não tendo água suficiente para abastecer a
população.
A implementação de uma lei passa por diversas fases:
Como se faz uma Lei Começa pela proposta, é depois discutida, aprovada,
http://ensina.rtp.pt/artigo/como-se-faz- 1’09’’ promulgada ou vetada, envolvendo a Assembleia da
uma-lei/ República, o Governo e mesmo o Presidente da
República.
A organização municipal do território nacional, depende
Organização autárquica da Assembleia de Freguesia, da Junta de Freguesia, da
http://ensina.rtp.pt/artigo/organizacao- 1’34’’ Assembleia Municipal e da Câmara Municipal. Para os
autarquica/ vários órgãos existem eleições que decidem quem ocupa
os diversos lugares.
O Parlamento ou Assembleia da República é onde os
A Assembleia da República deputados eleitos pelo povo, debatem as leis do nosso
http://ensina.rtp.pt/artigo/assembleia- 1’22’’ país. Situa-se no Palácio de S. Bento em Lisboa e, está
da-republica/ dividida em diversos espaços destinados aos
representantes que ali têm lugar.
O método D´Hont é aplicado em Portugal, nas eleições
O Sistema Eleitoral, método D´Hont com mais do que um lugar em disputa. É um sistema
1’59’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/1419/ matemático que permite distribuir o número de
mandatos pelos candidatos elegíveis.
O ciclo menstrual é um processo biológico exclusivo das
O que é a menstruação?
mulheres. É graças a ele que a gravidez é possível. O
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-ciclo- 5’38’’
Sexteen ajuda a compreender o que é a menstruação ou
menstrual/ como calcular o período fértil.
Tomar a pílula é uma das formas de evitar a gravidez. O
A Pílula
5’34’’ Sexteen explica o que é, como se toma e tudo o que é
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-pilula/ necessário conhecer sobre este método anticoncecional.
A primeira vez A primeira vez que se tem relações sexuais é um
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-primeira- 5’24’’ momento especial. O sexteen partilha algumas opiniões e
vez/ ajuda a perceber o que acontece.
Infeções sexualmente transmissíveis As relações sexuais podem ter riscos, especialmente se
http://ensina.rtp.pt/artigo/infecoes- 5’33’’ não se usar o preservativo. São várias as doenças que se
sexualmente-transmissiveis/ podem contrair e “vale mais prevenir do que remediar.
O preservativo O preservativo pode evitar uma gravidez ou uma infeção
http://ensina.rtp.pt/artigo/o- 5’39’’ sexualmente transmissível. O Sexteen ajuda e
preservativo/ compreender como e Porquê.
A gravidez na adolescência Uma gravidez não desejada, provoca grandes mudanças
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-gravidez- 5’37’’ na vida de um adolescente. Implica muitas decisões e
na-adolescencia/ altera o futuro. O sexteen ajuda a refletir sobre o tema

5
Nós Portugueses
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-uma-familia-portuguesa/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-trabalhadores/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-orcamento-domestico/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-leituras/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-importacoes-e-
exporacoes/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-habitacoes/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-desemprego/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-crimes-e-penas/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-como-somos/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-saude/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-investigacao-e-
desenvolvimento/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-estudantes/ Nós Portugueses foi
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-esperanca-de-vida/ uma rubrica emitida no
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-doutores-e-engenheiros/ final do Telejornal que
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-casa-propria/ apresentava elementos
Vídeos da Pordata, uma base
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-museus/
entre de dados sobre Portugal
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-as-cidades-e-as-serras/
1’00’ e Contemporâneo e a
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-alunos-e-alunas/ Europa, organizada pela
3’00’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-telefones-e-internet/ Fundação Manuel dos
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-rendimentos/ Santos. Com
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-ricos-e-pobres/ apresentação de Alberta
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-quantos-somos/ Marques Fernandes.
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-lixo/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-ligados-a-corrente/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-novos-e-velhos/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-emigrantes/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-policias-e-ladroes/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-despesas-publicas-em-
remuneracoes/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-pensoes-e-pensionistas/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-uma-casa-portuguesa/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-pib/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-subsidios/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-as-empresas-onde-
trabalhamos/
http://ensina.rtp.pt/artigo/nos-portugueses-carro/

6
Título Duração Descrição
Um minuto de Astronomia – Anéis de Saturno, o segundo maior planeta do sistema Solar, é um
Saturno gigante gasoso. Os seus famosos anéis estendem-se por
1’00’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/aneis-de- cerca de cento e vinte mil quilómetros quadrados apesar de
saturno/ só terem uns meros vinte quilómetros de espessura.
Um ano-luz corresponde à distância que a luz atravessa no
vácuo num ano juliano (365,25 dias), cerca de nove biliões de
Um minuto de Astronomia – Anos-luz
1’00’’ quilómetros. É uma medida criada pelos astrónomos para
http://ensina.rtp.pt/artigo/anos-luz/ representar as distâncias entre os corpos celestes do
Universo.
Os cometas são corpos menores do sistema solar, isto é: não
Um minuto de Astronomia –
são planetas nem satélites naturais. São formados por gelo e
Cometas 1’00’’
poeira e acredita-se que, na formação da Terra, alguns terão
http://ensina.rtp.pt/artigo/cometas/ colidido com esta e criado as condições necessárias à vida.
O Big Bang não é uma explosão que originou tudo. É uma
Um minuto de Astronomia – Big-
teoria que defende o começo do Universo há cerca de 14 mil
bang 1’00’’
milhões de anos a partir de um ponto compacto e quente
http://ensina.rtp.pt/artigo/big-bang/ que se expandiu arrefecendo com o tempo.
Um minuto de Astronomia – A A astronomia é, talvez, a ciência mais antiga da Humanidade.
Astronomia A observação dos Astros tem servido, ao longo da história,
1’00’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/a- para medir o tempo, marcar as estações do ano, permitir a
astronomia/ navegação marítima, ou impulsionar a inovação tecnológica.
Um minuto de Astronomia – O Universo pode ser observado graças à luz que chega à
Terra. À vista desarmada captamos uma pequena quantidade
Telescópios
1’00’’ dessa luz e cerca de duas mil estrelas. Um pequeno
http://ensina.rtp.pt/artigo/telescopio telescópio amplia dez vezes a capacidade dos olhos
s/ humanos, descobrindo milhões de objetos.
A Via Láctea é uma faixa nebulosa que atravessa o
Um minuto de Astronomia – Via firmamento passando por algumas constelações de estrelas
Láctea 1’00’’ como Sagitário, Escorpião ou Cassiopeia. Já teve outros
http://ensina.rtp.pt/artigo/via-lactea/ nomes: na Península Ibérica foi "Estrada de Santiago" e, no
Oriente, "Rio de Prata".
Um eclipse ocorre quando um corpo celeste se move para a
Um minuto de Astronomia – Eclipses sombra de outro como consequência do alinhamento de três
(solares) 1’00’’ ou mais no mesmo sistema gravitacional. No sistema solar,
http://ensina.rtp.pt/artigo/eclipses/ ocorrem eclipses quando o Sol, a Terra e o seu satélite, a Lua,
estão alinhados.
Um minuto de Astronomia –
A confirmação da sua existência só foi feita em 1930 mas,
Descoberta de Plutão
2’21’’ durante cerca de meio século, diversos astrónomos
http://ensina.rtp.pt/artigo/descobert suspeitaram da sua presença no nosso sistema solar.
a-de-plutao/
A origem do Homem explicada por Evolução ou criacionismo? Somos descendentes dos macacos
antropomórficos ou criação divina? O "Cuidado com a
Darwin
2’09’’ Língua!" não toma partido por nenhuma teoria mas explica,
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-origem- em dois minutos, a visão do cientista inglês Charles Darwin
do-homem-explicada-por-darwin/ sobre a origem das espécies.
Prémio de Mérito para Centro
O Centro Tecnológico de Educação na Escola Secundária
Tecnológico da Covilhã
Quinta das Palmeiras, na Covilhã, que foi distinguida com o
http://ensina.rtp.pt/artigo/premio- 6’59’’
prémio anual de mérito institucional pelo Ministério da
de-merito-para-centro-tecnologico- Educação.
da-covilha/

7
Tecnologia para ajudar no combate a
Os alunos da Escola São Gonçalo, em Torres Vedras, criaram
incêndios
2’16’’ uma câmara com controlo remoto para ajudar no combate a
http://ensina.rtp.pt/artigo/escolas- incêndios.
tecnologia-combate-incendios/
Prémio espacial para alunos dos Quatro jovens portugueses, alunos da Escola Básica e
Açores Secundária de Santa Maria, nos Açores, conquistaram o 1º
2’32’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/premio- lugar numa competição da Agência Espacial Europeia,
espacial-para-alunos-dos-acores/ realizada na Holanda.
Alunos da Lixa combatem a crise on-
Quatro alunos da Escola Secundária da Lixa receberam o
line
1’52’’ primeiro prémio de um concurso no âmbito da Comissão
http://ensina.rtp.pt/artigo/alunos- Europeia que pretendia encontrar respostas para a crise.
lixa-combatem-crise/
Foca-monge: entre a ameaça e a A foca-monge do Mediterrâneo, cujo nome científico é
necessidade de preservação Monachus monachus, é a única espécie de foca residente em
http://ensina.rtp.pt/artigo/foca- 6’51’’ território português. Extinção é a palavra que paira sobre
monge-entre-a-ameaca-e-a- estes lobos-marinhos e proteção é o que deve andar na boca
necessidade-de-preservacao/ e ação de toda a gente.
Como distinguir uma foca de um Focas e leões-marinhos partilham muitas caraterísticas e é
leão-marinho? por isso que são parte da mesma subordem, mas existem
http://ensina.rtp.pt/artigo/como- 1’24’’ muitos traços importantes que podemos usar para
distinguir-uma-foca-de-um-leao- diferenciá-los. Aqui, podem aprender quem é quem de modo
marinho/ rápido e fácil.
Flamingo, o cor-de-rosa que cruza o Os flamingos são aves pernaltas, de bico encurvado, e cuja
horizonte plumagem pode ser bastante colorida em tons de rosa vivo.
5’44’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/flamingo- Alimentam-se de algas e pequenos crustáceos através de
o-cor-de-rosa-que-cruza-o-horizonte/ filtração e, sorte a nossa, podem ser vistos em Portugal.
Roaz, o golfinho que já foi estrela de Os roazes já protagonizaram filmes, como o famoso Flipper,
e continuam a ser conhecidos pelas habilidosas piruetas e
filme
2’00’’ exercícios intuitivos com que conseguem entreter e
http://ensina.rtp.pt/artigo/roaz-o- entusiasmar plateias. Quem são os roazes, é o que ficamos
golfinho-que-ja-foi-estrela-de-filme/ aqui a saber melhor.
A lontra, um mustelídeo de hábitos aquáticos, com cerca de
oito quilos de peso e 1,30 metros de comprimento, é um
Lontra, o animal das águas limpas
4’28’’ mamífero carnívoro vinculado a lugares com água. Porém,
http://ensina.rtp.pt/artigo/lontra_1/ esta água tem de cumprir um requisito obrigatório: não estar
poluída.
Em Latim o nome é Sus scrofa, mas pode-se chamar-lhe
Javali, o porco-bravo que sabe fazer porco-bravo, porco-montês ou javardo. Fiquemo-nos por
camas 2’29’’ javali, outro nome da mais conhecida e principal espécie dos
http://ensina.rtp.pt/artigo/javali_1/ porcos selvagens. Conheça o animal que usa o focinho até
para fazer camas.
O golfinho-malhado do Atlântico (Stenella frontalis) é um
Golfinho-malhado do Atlântico
cetáceo da família dos delfinídeos encontrado nas águas
http://ensina.rtp.pt/artigo/golfinhom 2’43’’
temperadas e tropicais do oceano Atlântico. Em Portugal,
alhado_1/ pode ser facilmente avistado nos Açores ou na Madeira.
As alcateias, grupos de lobos que habitam o norte de
Alfa, beta ou ómega: que lobo és tu? Portugal, têm uma rígida hierarquia social e não costumam
http://ensina.rtp.pt/artigo/loboiberic 8’17’’ exceder os sete elementos. Do líder (alfa) ao ómega, o lobo
o_1/ mais abaixo na cadeia, todos são mito e fantasia popular.
Conhecê-los é preciso.
Andorinha-do-mar-comum: Esta graciosa ave bicolor, com envergadura de asas de cerca
de 80 cm, escolhe as célebres cascatas e lagoas da Ilha das
primavera no vulcão
4’57’’ Flores para exibir a destreza com que pesca, sem quase tocar
http://ensina.rtp.pt/artigo/andorinha na água, mostrando quase sempre no bico vermelho de
_1/ ponta negra um peixe.

8
Uma princesa terrível chamada À espreita no castelo de pedra, sempre em alerta, está a
moreia preta. Caça sobretudo de noite, raramente se move
moreia
3’31’’ de dia. Abre a boca constantemente, não como
http://ensina.rtp.pt/artigo/andorinha demonstração de agressividade, mas porque precisa de se
_1/ oxigenar.
Tubarão-corre-costa, o polícia O nome científico do tubarão corre-costa é Carcharhinus
plumbeus. Pertence ao grupo dos tubarões, raias e quimeras,
marinho
1’18’’ e à classe dos peixes. O seu tamanho varia entre os 201 e os
http://ensina.rtp.pt/artigo/tubarao- 400 centímetros. Conheçamos um pouco mais deste ativo
correcostas/ polícia dos mares.
Um dos melhores indicadores biológicos das zonas húmidas
Aves aquáticas: entre o ar e a água são as aves aquáticas. Se existem onde há água, isso é indício
http://ensina.rtp.pt/artigo/aves- 4’27’’ de que o ecossistema não está negativamente afetado.
aquaticas/ Vamos espreitá-las e ver mais de perto o mergulhão-de-
crista.
Efeito borboleta, a beleza em pleno Apesar de pequenas e frágeis, ou precisamente por isso, há
quem diga que o seu bater de asas pode ter efeitos do outro
voo
3’33’’ lado do mundo. Talvez seja um exagero. Ou talvez possamos
http://ensina.rtp.pt/artigo/borboletas perceber que, sem borboletas, muitos ecossistemas estariam
/ ameaçados de morte.
Os minerais estão por todo o lado à nossa volta. Eles fazem
Da pedra ao betão (na Madeira)
parte de casas, automóveis, estradas e vias, produtos
http://ensina.rtp.pt/artigo/0005- 32’04’’
industriais. Os minerais são essenciais à vida. Mas andamos a
pedrasfalam_20120529/ usá-los do modo mais certo?
Movimentos de massa: quando a Há cerca de cinco séculos e meio que o povo da Madeira tem
terra não se contém vindo a enfrentar enxurradas, quebradas, deslizamentos,
35’09’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/0004- aluviões. Com sangue, suor e vidas, tem vindo a organizar um
pedrasfalam_20120605/ território de orografia difícil, mas com contrapartidas.
A vida interior da praia de Porto Com cerca de 9 quilómetros de comprimento, que vão desde
a ponta da Calheta, a ocidente, até à ponta do Paço, a
Santo
33’17’’ oriente, a praia de Porto Santo, tem caraterísticas únicas,
http://ensina.rtp.pt/artigo/0003- quer estéticas, quer balneares. Contudo, tem sofrido
pedrasfalam_20120619/ modificações. Vejamos quais.
Quem busca a ribeira, a ribeira vem O significado e sabedoria do provérbio popular encerram a
verdade de quem já perdeu muitas vidas para o ímpeto e
buscar
31’02’’ brutalidade das águas que escorre nas ribeiras da Madeira.
http://ensina.rtp.pt/artigo/0002- Um enorme poder erosivo que, curiosamente, prefere
pedrasfalam_20120626/ Outubro.
Aveiro e Funchal: as cidades da Uma observação atenta a monumentos, casas, calçadas e
muros antigos de Aveiro permitiram a identificação de
cerâmica e do açúcar
30’15’’ materiais cerâmicos de natureza vulcânica nesta cidade
http://ensina.rtp.pt/artigo/0001- continental. Ora não há, perto de Aveiro, qualquer vulcão.
pedrasfalam_20120710/ Que mistério é este?
Situado na ilha do Faial, o vulcão dos Capelinhos esteve em
História de um vulcão (Capelinhos) atividade durante mais de um ano, na década de cinquenta.
http://ensina.rtp.pt/artigo/vulcao- 28’43’’ A erupção de 1957 foi documentada em filme graças à
dos-capelinhos/ bravura de Carlos Tudela, Vasco Hogan Teves e Alexandre
Gonçalves.
Camada de Ozono - ter ou não ter, O ozono é uma simples combinação entre 3 moléculas
átomos de oxigénio que, na estratosfera da Terra, nos
eis a questão
3’48’’ protege dos raios mais perigosos do sol. É produzido a baixas
http://ensina.rtp.pt/artigo/camada- altitudes, migrando para a atmosfera. A camada que forma
do-ozono_1/ impede a terra de ficar estéril.
Em pleno século XXI, ir até ao jardim pode significar uma
Passeio por um jardim "high-tech"
volta entre a mais recente tecnologia e desfrutar da sombra
http://ensina.rtp.pt/artigo/passeio- 2’16’’
de uma árvore artificial. Basta apanhar um voo até
por-um-jardim-high-tech/ Singapura.

9
Linguística computacional: como Quando fazemos uma pesquisa num motor de busca usamos
funciona uma pesquisa "online" linguagem natural, mas para que o computador nos dê
http://ensina.rtp.pt/artigo/linguistica- 4’22’’ respostas o mais perto possível do que queremos, é
computacional-como-funciona-uma- necessário fazer com que ele consiga interpretar a linguagem
pesquisa-online/ humana.

Smartphone ou tablet: com qual vai Longe vão os tempos em que o dinheiro vivo era uma
vantagem. O pagamento online depende agora apenas de
pagar?
4’31’’ um pequeno dispositivo instalado num smartphone ou num
http://ensina.rtp.pt/artigo/smartphon tablet. Conheça os modos virtuais de gastar dinheiro na vida
e-ou-tablet-com-qual-vai-pagar/ real.
Automóveis inteligentes: salvar vidas
e não tirá-las Ter como profissão espatifar carros parece disparatado.
http://ensina.rtp.pt/artigo/carros- 3’30’’ Contudo, há quem o faça muito seriamente para tentar
inteligentes-salvar-vidas-e-nao-tira- salvar vidas, muitas vidas. Curioso?
las/
Trânsito de Vénus: ou vê aqui ou
Um pequeno disco sobre um fundo laranja: esta é a mais
espera pelo ano 2117
simples descrição do planeta Vénus com o Sol por trás. É um
http://ensina.rtp.pt/artigo/transito- 4’04’’
fenómeno que acontece apenas duas vezes em cada século
de-venus-ou-ve-aqui-ou-espera-pelo- e, neste em que estamos, já aconteceu.
ano-2117/
O que acontece às estrelas depois de
É a esta pergunta, e a muitas outras, que o INTEGRAL
morrerem?
(International Gamma-Ray Astrophysics Laboratory) tenta
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-que- 3’39’’
responder, depois de os cientistas analisarem a informação
acontece-as-estrelas-depois-de- que este satélite recolhe no espaço.
morrerem/
Em 1920, as máquinas de lavar roupa ainda funcionavam
A Química dos Detergentes
com flocos de sabão, o que trazia vários problemas: má
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’20’’
eficiência em águas calcárias, formação de depósitos de
dos-detergentes/ sujidade e o ataque às cores da roupa.
A Química dos Computadores Há química em muitos dos componentes de um computador,
Portáteis mas hoje vamos falar da química escondida em algo muito
2’21’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- visível: os monitores planos LCD, aos quais os “portáteis”
dos-computadores-portateis/ devem a sua forma plana e… portátil!
A Química do Sal Quando pensamos nos compostos químicos que contribuem
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’12’’ para o bem-estar da humanidade, raramente nos lembramos
do-sal/ do cloreto de sódio… o vulgar “sal de cozinha”.
O primeiro processo para obter o café descafeinado passava
A Química do Descafeinado por lavar os grãos de café com um solvente orgânico, que
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’18’’ dissolvia bem a cafeína, mas que dissolvia também os
do-descafeinado/ compostos que dão aroma e sabor ao café, deixando-o…sem
aroma nem sabor!
O verniz para as unhas é um exemplo interessante quando se
A Química do Verniz das Unhas quer mostrar a importância da química no nosso dia-a-dia,
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’21’’ através de exemplos inesperados… Pois bem, sabia que os
do-verniz-das-unhas/ vernizes para as unhas são uma verdadeira receita química
estudada ao pormenor?
Com a aproximação dos dias de chuva, os casacos
A Química dos Impermeáveis
impermeáveis voltam a sair dos armários. E com eles, mais
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’23’’
um dos confortos que temos a agradecer ao
dos-impermeaveis/ desenvolvimento da química.
Estão espalhados por todo o lado, nas portas, nos
A Química dos Post-its computadores, nos frigoríficos e até nas pessoas, e deixaram
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’17’’ de ser apenas quadradinhos de papel amarelo para
dos-post-its/ ganharem muitas formas e muitas cores: são os “Post-it”®, os
papelinhos que colam e descolam.

10
Algumas substâncias químicas estão tão ligadas à nossa vida
A Química do Álcool
ou à nossa civilização que já nem nos referimos a elas como…
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’22’’
substâncias químicas. É o caso da substância de que aqui
do-alcool/ falamos: é um álcool, o etanol.
A Química das Tatuagens Há quem goste e quem deteste, mas poucos lhes ficam
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’23’’ indiferentes. As tatuagens são uma forma de afirmação
das-tatuagens/ individual e a sua popularidade tem crescido recentemente.
A química escondida mesmo à frente dos nossos olhos…
A Química das Lentes de Contacto literalmente: a química das lentes de contacto! As primeiras
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’22’’ lentes de contacto eram umas desconfortáveis rodelas de
das-lentes-de-contacto/ vidro que cobriam grande parte do olho, podendo ser usadas
apenas por algumas horas.
Todos sabemos a importância de uma boa noite de sono. O
A Química do Sono
que nem todos sabem é que alternância entre o dormir e
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’07’’
estar acordado resulta da ação combinada de diversas
do-sono/ substâncias químicas no nosso cérebro.
Sabemos que o ferro, um dos elementos químicos mais
A Química dos Cereais abundantes na Terra, é essencial à vida e a sua carência pode
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’07’’ provocar anemia, fadiga, perda de apetite, tonturas,
dos-cereais/ problemas de crescimento e muitos outros problemas de
saúde.
Pode parecer estranho falar de Amor, quase sempre
A Química do Amor
celebrado como um fenómeno espiritual, por vezes apenas
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-quimica- 2’30’’
físico, mas raramente visto como resultado da ação de
do-amor/ algumas substâncias químicas sobre o cérebro.
Para quem gosta de ficção científica, a Guerra das Estrelas,
Ver sem ouvir por exemplo, é incontornável. Mas, na realidade, os grandes
http://ensina.rtp.pt/artigo/ver-sem- 1’32’’ estrondos que vêm daquelas fantásticas explosões no espaço
ouvir/ jamais poderiam ser ouvidos. Porquê? Porque o som não se
propaga no vácuo.
O oxigénio é essencial para manter a função cerebral. Há
Ver o pensamento indícios de que o nosso corpo consegue ajustar a pressão do
http://ensina.rtp.pt/artigo/ver-o- 1’42’’ oxigénio no cérebro, consoante a atividade de cada região
pensamento/ específica. E quanto mais oxigénio, maior atividade.
Podemos vê-la?
Galileu é considerado o fundador da dinâmica, ciência que
Quem cai mais depressa?
estuda o movimento dos corpos, tendo sido o primeiro a
http://ensina.rtp.pt/artigo/quem-cai- 1’42’’
enunciar a lei da inércia, um conceito aprofundado
mais-depressa/ posteriormente por Newton.
O Centro de Astrofísica da Universidade do Porto e dois
Astrofísica – investigação nacional centros da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa,
http://ensina.rtp.pt/artigo/astrofisica 2’08’’ desenvolvem um instrumento que, aplicado aos telescópios
/ dos observatórios astronómicos permitirá observar melhor o
Universo.
Física dos plasmas - investigação No Instituto Superior Técnico, são reproduzidos em
nacional laboratório, os raios cósmicos e ondas de choque que
1’57’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/fisca-dos- atravessam o Universo. O investigador Luís Silva fala-nos da
plasmas/ investigação "Accelerates" neste "100 segundos de Ciência"
Nanotecnologia - investigação
O projeto CICECO da Universidade de Aveiro tem como
nacional
1’57’’ objetivo a descoberta de nanomateriais que permitam retirar
http://ensina.rtp.pt/artigo/nanotecno da água matérias poluentes como, por exemplo, o mercúrio.
logia/
Química e engenharia de materiais -
O grafeno é o material mais fino alguma vez criado. Formado
investigação nacional
1’43’’ por átomos de carbono, pode ser utilizado para vários fins
http://ensina.rtp.pt/artigo/quimica-e- ligados à saúde.
engenharia-de-materiais/

11
Química e bioquímica - investigação Portugal é o terceiro consumidor de peixe a nível mundial e a
nacional presença de mercúrio na alimentação, através do consumo
1’54’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/quimica-e- de peixe, é investigado pelo projeto MERTOX - TRX, para
bioquimica/ encontrar a alimentação mais adequada a cada pessoa.
Redes de sensores sem fios - O Instituto Superior de Engenharia do Porto desenvolveu
investigação nacional uma tecnologia que permite medir o consumo energético
1’55’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/redes-de- através de sensores e prevenir a degradação em grandes
sensores-sem-fios/ estruturas.
O projeto CHOPIN da Faculdade de Ciências da Universidade
Robótica - investigação nacional
2’03’’ de Coimbra, desenvolve robôs para ajudarem os bombeiros
http://ensina.rtp.pt/artigo/robotica/ em situações de busca e salvamento.
Regeneração de tecidos e órgãos - No Centro de Estudos de doenças crónicas do Instituto
Gulbenkian de Ciência, estuda-se o mecanismo de
investigação nacional
1’57’’ regeneração dos tecidos em animais para, um dia, esse
http://ensina.rtp.pt/artigo/regenerec conhecimento ser utilizado em humanos. O investigador
ao-de-tecidos-e-orgaos/ António Jacinto explica o processo.
Uma decisão tão simples como escolher uma sobremesa,
Neurociência - investigação nacional tem origem numa determinada zona do cérebro. Na
http://ensina.rtp.pt/artigo/neurocien 2’00’’ Fundação Champalimaud procura-se compreender os
cias/ mecanismos cerebrais envolvidos nos hábitos e nas ações
intencionais.
Um carro não é uma mina, mas A indústria automóvel é uma ávida consumidora de
parece património mineiro. Na verdade, a construção de um carro
0’59’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/patrimoni utiliza todo o alfabeto mineral: do alumínio ao zinco, é
o-mineiro-e-industria-automovel/ extensa a lista de minérios que anda sobre rodas.
A água teve um papel essencial na origem da vida: terá sido
O poder da água deu à costa em praias e charcos que moléculas orgânicas simples se
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-accao- 4’16’’ transmutaram nas proteínas e ácidos nucleicos das primeiras
da-agua-no-litoral/ células vivas. Em milhões de anos, a força da água gerou
fenómenos admiráveis.
"Engordar" seria o verbo mais fácil para explicar o que
A água pode "engordar"? acontece à água quando passa do estado líquido ao estado
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-agua- 3’31’’ sólido, mas não é o mais correto. Com a solidificação, a água
pode-engordar/ expande-se, torna-se menos densa. Ou seja, a mesma água
ocupa um volume maior.
Arqueologia: o desconhecido por
baixo do que vemos A arqueologia ajuda-nos a descobrir o que ficou enterrado no
http://ensina.rtp.pt/artigo/arqueologi 6’49’’ passado e a perceber o que era o quotidiano comum há mais
a-o-desconhecido-por-baixo-do-que- de cinco séculos. Em Carnide, esta descoberta continua.
vemos/
António Egas Moniz, o Nobel António Egas Moniz (1874 – 1955) ganhou o prémio Nobel da
português da medicina Medicina de 1949 pelos seus estudos relacionados com a
1’00’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/egas- lobotomia. Foi médico neurologista, investigador, político e
moniz/ escritor português.
Células cardíacas criadas em
A doença cardíaca é a principal causa de morte no mundo,
laboratório: o coração do futuro
segundo a Organização Mundial de Saúde. É pois natural que
http://ensina.rtp.pt/artigo/celulas- 3’35’’
os cientistas acreditem que o futuro passe pela terapia
cardiacas-criadas-em-laboratorio-o- celular. Mas o que é isso?
coracao-do-futuro/
Genoma da Peste Negra decifrado Em 2012 investigadores alemães e canadianos decifraram o
http://ensina.rtp.pt/artigo/peste- 5’05’’ genoma da peste negra, uma doença que durante séculos
negra-genoma/ matou milhões de pessoas em todo o mundo.

12
Miguel Torga dizia que o Douro era "um excesso da
Rio Douro natureza". Este rio do vinho e das vinhas, que corre por vales
2’36’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/rio-douro/ apertados e encostas abruptas é para muitos o grande
Canyon português.
O grande rio do sul une o Alentejo ao Algarve e faz duas
Rio Guadiana
vezes fronteira com Espanha. Nas memórias do Guadiana
http://ensina.rtp.pt/artigo/rio- 2’33’’
cruzam-se barcos que transportavam minério e barcos de
guadiana/ pescadores.
No maior rio de Portugal começou a maior aventura dos
Rio Tejo
2’12’’ portugueses. Do Tejo partiram as naus e as caravelas dos
http://ensina.rtp.pt/artigo/rio-tejo/ grandes descobrimentos.
A terceira montanha mais alta de Portugal tem 1862 metros,
Serra do Pico Ruivo
uma vegetação rala e é a única no mundo escolhida por uma
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-serra- 6’59’’
ave para nidificar. Chama-se Pico Ruivo e fica na ilha da
do-pico-ruivo/ Madeira.
Serra da Estrela Não tocamos as estrelas nesta serra, mas vemos com mais
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-serra-da- 3’33’’ nitidez os astros brilhantes do céu. A serra da Estrela é a
estrela/ segunda mais alta de Portugal.
Serra do Pico
A história desta serra começa num vulcão com 750 mil anos.
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-serra- 2’57’’
O Pico tem 2351 metros e domina as alturas em Portugal.
do-pico/

Título Duração Descrição


Já imaginou o que se esconde por trás das vozes que todos os dias
Uma tarde na Antena 1
ouve na sua rádio? Uma emissão envolve um grande número de
http://ensina.rtp.pt/artigo/uma- 4’07’’
pessoas e diversas funções. Venha conhecer os bastidores do
tarde-na-antena-1/ trabalho nos estúdios…
As notícias a que assistimos na televisão contribuem para
Bastidores do Jornal da Tarde
conhecer a atualidade e ter uma opinião informada. São emitidas
http://ensina.rtp.pt/artigo/bastid 3’04’’
graças a muita preparação prévia e ao trabalho conjunto de uma
ores-de-um-telejornal/ grande equipa, como a que visitamos no Jornal da Tarde.

13
Título Duração Descrição
O "spam" (correio eletrónico não solicitado) pode não ser
Internet e cibercrime malicioso mas, muitas vezes, transporta vírus, propostas
http://ensina.rtp.pt/artigo/inte 10’37’’ comerciais fraudulentas ou recolhe dados confidenciais. Os
rnet-e-cibercrime/ pagamentos online também podem expor informações bancárias
a olhos indesejáveis.
Cibercrime - o seguro morreu
de velho Se não deixa entrar em casa um estranho e fecha a porta à chave
http://ensina.rtp.pt/artigo/cibe 2’08’’ quando sai à rua, deve ter as mesmas precauções na utilização dos
rcrime-o-seguro-morreu-de- meios digitais.
velho/
A "cacha" ou "furo" é uma grande notícia dada em primeira mão.
Cacha - vocabulário de media
Alguns especialistas defendem a sua origem no francês "cacher",
http://ensina.rtp.pt/artigo/cach 00’53’’
esconder, pela necessidade de manter em segredo a investigação
a-vocabulario-de-media/ da notícia.
"Cloud" (ou "nuvem", em português) refere-se à possibilidade de
Cloud - vocabulário de media
acedermos aos nossos dados e aplicações a partir de qualquer
http://ensina.rtp.pt/artigo/clou 1’12’’
computador, uma vez que passam a ser alojados num outro local;
d-vocabulario-de-media/ a tal "nuvem".
A impressão tipográfica tornou mais barata e fácil a transmissão
O bit - vocabulário media
do conhecimento e a impressão de livros e jornais. O meio digital
http://ensina.rtp.pt/artigo/o- 1’26’’
fez avançar ainda mais rápido o acesso à informação com um
bit-vocabulario-media/ novo modelo tipográfico: o BIT.
Hacker - vocabulário de media "Hacker" é uma palavra de origem inglesa e designa alguém com
http://ensina.rtp.pt/artigo/hack 1’06’’ profundos conhecimentos de informática que os usa para aceder
er-vocabulario-de-media/ a sistemas informáticos alheios sem autorização.
Vírus informáticos Um vírus informático é um código que invade um programa e que
http://ensina.rtp.pt/artigo/viru 8’36’’ o obriga a fazer coisas para as quais não foi concebido
s-informaticos/ inicialmente.
Um conteúdo torna-se viral na internet quando é partilhado em
Marketing viral
grande escala. Os casos que se tornam virais não foram,
http://ensina.rtp.pt/artigo/mkt- 8’32’’
aparentemente, criados com essa intenção, resultaram de alguma
viral/ sorte para se destacarem no caos dos conteúdos já existentes.
A história da Rádio em As primeiras experiências de radiodifusão, feitas por Marconi em
1894, abriram caminho para as inúmeras emissões Rádio dos
Portugal
1’36’’ nossos dias. Em Portugal no ano 1923 foi criada a Sociedade
http://ensina.rtp.pt/artigo/a- Portuguesa de Amadores de Telefonia sem Fio, precursora das
historia-da-radio/ rádios de hoje.
O futuro da Rádio passa incontornavelmente pela Internet. Novas
Rádio na rede
possibilidades de comunicar e interagir com as suas audiências,
http://ensina.rtp.pt/artigo/radi 5’40’’
mas também novos desafios para os profissionais de rádio são o
o-na-rede/ resultado desta relação.
Banda Desenhada - do papel à
A Banda Desenhada (BD), perdeu adeptos, pelo menos no formato
Internet
tradicional da impressão em papel. Quem consumia BD à trinta
http://ensina.rtp.pt/artigo/ban 3’37’’
anos, pode hoje preferir os jogos digitais, mas alguns autores
da-desenhada-do-papel-a- estão já a adaptar-se aos novos meios.
internet/
"Replay" - vocabulário Replay (ou repetição) é um recurso da Realização, muito utilizado
Televisão nas emissões desportivas. Serve para repetir imagens a uma
1’06’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/repl velocidade mais lenta, de forma a destacar um pormenor
ay-vocabulario-televisao/ importante.

14
Educação para os media A educação para os media tem por objetivo dotar os públicos de
http://ensina.rtp.pt/artigo/edu 6’06’’ capacidade crítica e exigente para ler o mundo através dos
cacao-para-os-media/ produtos de media.
Os jovens jornalistas As universidades de Jornalismo e Ciências da Comunicação
http://ensina.rtp.pt/artigo/os- 2’18’’ refletem sobre a informação que se produz e de que maneira os
jovens-jornalistas/ jovens jornalistas podem contribuir para a profissão.
Ecossistema mediático –
vocabulário O "Nativos Digitais", acompanha a permanente evolução dos
1’15’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/ecos meios de comunicação e decifra o seu vocabulário.
sistema-mediatico/
A verdade, a credibilidade na auscultação das fontes e a
Os princípios do jornalismo
independência são alguns dos princípios que os jornalistas norte
http://ensina.rtp.pt/artigo/os- 4’05’’
americanos Bill Kovach e Tom Rosenstiel publicaram no livro "Os
principios-do-jornalismo/ Elementos do Jornalismo".
Agregadores de notícias Os agregadores de notícias como o Google News, IOL ou Sapo,
http://ensina.rtp.pt/artigo/agre 1’52’’ replicam o que é gerado pelos meios tradicionais e facilitam as
gadores-de-noticias/ escolhas para a nossa leitura.
O Pentateuco, primeiro livro
Em 1487, em Faro, o judeu Samuel Gacon, termina o primeiro
impresso em Portugal
00’36’’ livro impresso em Portugal com os caracteres inventados por
http://ensina.rtp.pt/artigo/pri Gutenberg: o Pentateuco.
meiro-livro-pentateuco/
Audiência, share e rating
http://ensina.rtp.pt/artigo/audi 1’14’’ As medições de audiência de televisão num minuto.
encias/
A Internet em Portugal
http://ensina.rtp.pt/artigo/a- 00’59’’ A história da Internet em Portugal num minuto...
internet-em-portugal/

15
Título Duração Descrição
Herman José descobriu a poesia do professor
Agostinho da Silva entrevistado por Herman Agostinho da Silva e o gosto em comum por gatos.
José Estes, na sua simplicidade, podem ser um exemplo
25’51’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/agostinho-da- para os homens. Deus, religião e as contrariedades
silva-entrevistado-por-herman-jose/ da vida, foram igualmente temas desta "conversa
vadia".
Manuel António Pina é o jornalista que conduz esta
Agostinho da Silva entrevistado por Manuel "conversa vadia" com o filósofo Agostinho da Silva.
António Pina Percorrem caminhos tão variados como a poesia, o
25’41’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/agostinho-da- dever da economia tornar a vida melhor ou a
silva-entrevistado-por-manuel-antonio-pina/ necessidade de uma nova maneira de explicar o
mundo.
Agostinho da Silva entrevistado por Maria O pensamento original e polémico do Professor
Agostinho da Silva vagueia nesta entrevista
Elisa
24’52’’ conduzida pela jornalista Maria Elisa. Se algumas das
http://ensina.rtp.pt/artigo/agostinho-da- respostas são polémicas, diz também o filósofo que a
silva-3/ imaginação está sempre do lado de quem pergunta.
Agostinho da Silva entrevistado por Adelino
O jornalista Adelino Gomes desafia um dos maiores
Gomes
26’47’’ pensadores portugueses a refletir sobre temas como
http://ensina.rtp.pt/artigo/agostinho-da- a liberdade e o destino.
silva-2/
Agostinho da Silva entrevistado por Joaquim O Professor Agostinho da Silva responde às questões
Letria do jornalista Joaquim Letria, numa conversa que
24’52’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/agostinho-da- passeia por temas como a instrução e educação,
silva/ Fernando Pessoa, o futuro e o Universo.
Filósofo, crítico e ensaísta literário associado ao
Eduardo Lourenço: "Regresso sem fim" existencialismo, tomou a poesia como fonte
http://ensina.rtp.pt/artigo/eduardo- 53’22’’ preferencial da sua obra. Fernando Pessoa, o
lourenco/ Modernismo e Portugal são temas recorrentes nos
seus ensaios.

16
Título Duração Descrição
Por vontade do primeiro rei de Portugal nasce a abadia
Alcobaça, a casa de Pedro e Inês de pedra branca. Oito séculos depois, a obra-prima da
http://ensina.rtp.pt/artigo/patrimonio- 22’27’’ Arte Gótica Cisterciense é classificada como Património
mundial-portugues-mosteiro-de-alcobaca/ da Humanidade. No Mosteiro de Alcobaça repousa a
bela história de amor de Pedro e Inês.
D. Pedro I (1320-1367) perdoou apenas a um dos
Os castigos de D. Pedro I, "o Cru"
1’22’’ homens incumbidos pelo pai de matar Inês de Castro.
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-pedro-o-cru/ Os outros tiveram uma morte terrível.
Inês de Castro viveu um intensa paixão com o futuro rei
Inês de Castro, coroada depois da morte
português D. Pedro I. O pai do monarca mandou matá-
http://ensina.rtp.pt/artigo/ines-de-castro- 1’29’’
la. Pedro não a esqueceu e ela foi coroada rainha
coroada/ mesmo após a morte.
O Porto aqui tão perto Da Ribeira à Foz, da Sé à Torre dos Clérigos, esta cidade
é aristocrata e provinciana, rebelde e conservadora....
http://ensina.rtp.pt/artigo/patrimonio-
20’06’’ um Porto que sabe contar a sua história e que encanta
mundial-portugues-centro-historico-do- quem lá vai mesmo em dias frios de névoa cinzenta. A
porto/ "Invicta" pertence à Humanidade.
Guimarães de espada em punho Berço de Portugal, Guimarães é terra que mantém o
passado vivo. O centro preserva a história nas ruas
http://ensina.rtp.pt/artigo/patrimonio-
19’54’’ empedradas de granito, nas fachadas dos edifícios e
mundial-portugues-centro-historico-de- num castelo onde terá nascido o primeiro rei
guimaraes/ português. Por tudo isto é Património Universal.
A vida de D. Afonso Henriques
Primeiro rei de Portugal, impôs-se à mãe e à coroa de
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-vida-de-d- 1’19’’
Castela através das armas para criar um novo reino.
afonso-henriques/
D. Manuel II (1889-1932) foi o último rei de Portugal.
Era uma vez Manuel (D. Manuel II)
Viu o pai e o irmão velho serem mortos em 1908 e foi
http://ensina.rtp.pt/artigo/era-uma-vez- 24’45’’
afastado na sequência de um golpe republicano em
manuel/ 1910.
D. João IV (1604-1656) abriu as portas à dinastia de
D. João IV, o rei da restauração
Bragança. Tinha sido sondado para assumir a coroa
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-joao-iv-1604- 00’44’’
antes das revoltas de 1640. Hesitou mas acabou por ser
1656/ coroado.
D. Sebastião (1554-1578) transformou-se num mito
D. Sebastião, o rei mito
após o seu desaparecimento em batalha Norte de
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-sebastiao- 2’27’’
África. A sua morte abriu as portas à crise dinástica que
1554-1578/ vai colocar unir as duas coroas ibéricas.
Incentiva a expansão marítima. É durante o seu reinado
O venturoso D. Manuel I (1469-1521) que se registam viagens como a de Vasco da Gama à
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-manuel-i- 00’51’’ India ou Pedro Alvares Cabral ao Brasil. Instituiu
1469-1521/ políticas que levaram a conversão ou expulsão dos
judeus em Portugal.
D. João II, O príncipe perfeito D. João II (1455-1495) investiu na expansão marítima ao
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-joao-ii-1455- 13’43’’ longo da costa africana e procurou uma união Ibérica
1495/ que foi impedida pela morte prematura do filho Afonso.
O rei D. Afonso V (1432-1481) ficou conhecido como "O
Os gostos de D. Afonso V Africano" porque o seu reinado ficou marcado pela
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-afonso-v- 1’50’’ expansão em Marrocos. Entrou em guerra com Castela
1432-1481/ para defender os direitos de uma sobrinha, mas perdeu
a batalha de Toro.

17
D. Duarte (1391-1438) governou durante 5 anos.
O curto reinado de D. Duarte Reforçou o poder da monarquia e quis expandir o reino
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-duarte-1391- 00’34’’ para Marrocos, com resultados nem sempre positivos.
1438/ Apostou na expansão marítima. Durante o seu reinado
os portugueses passaram o cabo Bojador.
D. João I (1357-1433) era filho bastardo de D. Pedro I e
Mestre da Ordem de Avis. Torna-se líder da fação
D. João I, de Mestre a rei
00’53’’ adversária à ligação de Portugal a Castela defendida
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-joao-i/ pela rainha viúva. Reclama a coroa. Durante o seu
reinado os portugueses conquistam Ceuta.
D. Fernando I, o último rei da primeira D. Fernando I (1345-1383) foi o último rei da primeira
dinastia dinastia. Envolveu-se em três conflitos com Castela,
9’32’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-fernando-i- saindo sempre derrotado. É no seu governo que nasce a
1345-1383/ aliança luso-britânica.
D. Pedro I (1320-1367) é especialmente conhecido pelo
D. Pedro I, O Romeu português
seu caso com Inês de Castro, mandada assassinar por
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-pedro-i- 7’16’’
seu pai. Pedro e Inês ficaram na história portuguesa
1320-1367/ como um casal onde o amor trouxe a tragédia.
D. Dinis (1261-1325) recebeu a coroa em 1279. Foi
A política de alianças de D. Dinis considerado um administrador hábil que fomentou a
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-dinis-1261- 2’18’’ economia, incentivando a mineração, protegendo as
1325/ exportações, a agricultura, o comércio e apostando na
expansão da marinha.
A relação entre D. Dinis e o filho, o futuro D. Afonso IV,
As guerras de D. Dinis com o filho
não foi fácil. A mulher de D. Dinis, a Rainha Santa Isabel,
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-dinis-e-o- 1’32’’
desdobrou-se em esforços para evitar que o conflito
filho/ terminasse num banho de sangue.
Afonso III (1210-1279) era o segundo filho de D. Afonso
Afonso III, o conquistador do sul II. Herdou a coroa do irmão, após o Papa Inocêncio IV
http://ensina.rtp.pt/artigo/afonso-iii-1210- 7’08’’ retirar a confiança a Sancho II. Conquistou aos mouros
1279/ os últimos territórios a sul e foi considerado um bom
administrador.
Coroado em 1211 preocupou-se mais em administrar o
D. Afonso II, o rei leproso (1185-1223)
reino do que em expandi-lo. Promotor das primeiras
http://ensina.rtp.pt/artigo/nasce-d- 2’27’’
Leis Gerais do reino que davam garantias em assuntos
afonso-ii-1185-1223/ como o direito de propriedade ou a justiça civil.
O rei D. Afonso II (1185-1223), para além de padecer de
O conflituoso reinado de D. Afonso II lepra, teve um reinado difícil envolvendo-se em
6’10’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-afonso-ii-2/ conflitos com a nobreza, incluindo familiares, e até com
o Papa.
D. Sancho I (1154-1212) foi o segundo Rei de Portugal e
D. Sancho I, o primeiro rei dos Algarves
continuou a expandir o reino, chegando a conquistar
http://ensina.rtp.pt/artigo/sancho-i-1154- 5’11’’
Silves e Albufeira que depois perdeu. Foi o primeiro a
1212/ intitular-se Rei de Portugal e dos Algarves.
D. Sancho I (1154-1212) sofria de lepra. Foi um de dois
A doença de D. Sancho I monarcas portugueses a sofrer desta terrível doença
2’19’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/sancho-i-3/ que fustigou a população portuguesa durante a idade
média.
D. Afonso VI (1643-1683) era diminuído física e
mentalmente, devido a doença infantil. Assume a
D. Afonso VI, o monarca doente
governação com 13 anos. A mãe afasta-o do trono e
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-afonso-vi- 00’51’’
leva o irmão, D. Pedro, a jurar a coroa. Um golpe de
1643-1683/ Estado coloca-o de novo no trono, mas por pouco
tempo.
D. José, o rei que mandou reconstruir D. José (1714-1777) remodela a administração do reino
Lisboa e assume papel preponderante, como ministro, o
1’11’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-jose-i-1714- Marquês de Pombal. É durante o seu reinado que se dá
1777/ o terramoto de 1755.

18
D. Maria I (1745-1816) Governou entre 1777 e 1792,
D. Maria I, a primeira rainha sendo substituída no trono pelo filho D. João VI, quando
00’58’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-maria-1/ começou a mostrar sinais de demência. Impulsionou a
industrialização do país.
Para assegurar o trono, D. Maria II (1819-1853) deveria
D. Maria II, entre o pai e o tio ter casado com seu tio D. Miguel, mas uma guerra civil
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-maria-ii- 00’28’’ afastou-o do poder. Teve um reinado conflituoso
1819-1853/ marcado pela Guerra Civil e revoltas como a dos
Marechais, a Maria da Fonte ou a Patuleia.
Goa era uma importante cidade indiana integrada nas
A conquista de Goa
principais rotas comerciais do oriente. Foi conquistada
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-conquista-de- 2’35’’
por Afonso de Albuquerque e transformou-se na capital
goa/ do Império Português da India.
A descoberta do Brasil Uma esquadra de 13 navios chega às costas do Brasil. A
http://ensina.rtp.pt/artigo/descoberta-do- 00’55’’ esquadra comandada por Pedro Alvares Cabral, dirigia-
brasil/ se para a India.
O tratado de Tordesilhas foi assinado na cidade
O Tratado de Tordesilhas espanhola de Tordesilhas e dividia, o mundo
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-tratado-de- 1’08’’ “descoberto e por descobrir” em duas partes, com os
tordesilhas/ direitos de exploração, de cada uma delas, destinadas a
Portugal e a Espanha.
Ainda hoje há alguns vestígios da ocupação portuguesa
A conquista de Arzila em Arzila, cidade marroquina da costa atlântica,
http://ensina.rtp.pt/artigo/conquista- 5’06’’ tomada pelas tropas de D. Afonso V em 1471. Neste
arzila/ vídeo reconstrói-se a invasão portuguesa e os combates
ocorridos nessa ocasião.
Bartolomeu Dias dobra o Cabo da Boa Em 1488 Bartolomeu Dias foi o primeiro europeu a
Esperança dobrar o Cabo das Tormentas. Na esperança de abrir
7’31’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bartolomeu- novos caminhos às descobertas portuguesas o cabo foi
dias/ rebatizado como sendo da Boa Esperança.
Descobriu o caminho marítimo para a India
Vasco da Gama comandando uma esquadra de quatro Navios que
http://ensina.rtp.pt/artigo/vasco-da- 4’22’’ levaram cerca de 10 meses a chegar a Calecute. Esta
gama/ viagem abriu uma nova rota comercial entre a Europa e
a Ásia.
Afonso de Albuquerque, o conquistador Afonso de Albuquerque ( 1453-1515) foi um líder militar
do Oriente (1453-1515) de grande prestígio. Desenhou a politica de expansão
1’10’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/afonso-de- portuguesa no Oriente e fomentou as relações politicas
albuquerque-conquistador/ que permitiram cimentar as bases para o império.
Descoberta do caminho marítimo para a
Em 1497 partia de Lisboa a frota comandada por Vasco
Índia
1’04’’ da Gama com o objetivo de descobrir o caminho
http://ensina.rtp.pt/artigo/expedicao- marítimo para a India.
india/
A importância do Infante nos
O Infante D. Henrique (1394-1460) toma ao seu cuidado
descobrimentos
4’19’’ a primeira fase da epopeia dos descobrimentos, ficando
http://ensina.rtp.pt/artigo/infante-d- com um papel central na história do país.
henrique-3/
A vigilância do sul do país, onde os piratas muçulmanos
Os feitos africanos do Infante D. Henrique eram extremamente ativos foi uma das ocupações do
http://ensina.rtp.pt/artigo/infante-d- 6’50’’ Infante D. Henrique (1394-1460) durante a sua vida e
henrique-algarve/ vai ser do outro lado do mediterrâneo que a expansão
portuguesa vai começar.
Infante D. Henrique (1394-1460) viveu os seus últimos
Infante D. Henrique e a sua vila em Sagres
anos no Algarve e mandou construir uma vila perto de
http://ensina.rtp.pt/artigo/vila-infante-d- 3’14’’
Sagres. A localização concreta desta morada é
henrique/ desconhecida.

19
Batalha de S. Mamede Confronto decisivo entre os barões portucalenses
http://ensina.rtp.pt/artigo/batalha-de-s- 1’34’’ comandados por D. Afonso Henriques e as forças de sua
mamede/ mãe, defensores de uma união com a Galiza.
Nuno Álvares Pereira, o santo Nuno Álvares Pereira (1360? - 1431) é filho bastardo do
Mestre de Avis. Assume o comando das forças
condestável
1’03’’ portuguesas durante a crise de 1383/85 e derrota por
http://ensina.rtp.pt/artigo/nuno-alvares- duas vezes - em Atoleiros e Aljubarrota - os exércitos
pereira-santo-condestavel/ espanhóis.
Santo António de Lisboa Santo António de Lisboa (1195?-1231) escolheu a vida
http://ensina.rtp.pt/artigo/santo-antonio- 2’08’’ religiosa aos vinte anos. Grande Erudito é ainda hoje
de-lisboa/ considerado uma figura central dos franciscanos.
Duarte Pacheco (1899-1943) é tido como um dos mais
Duarte Pacheco
importantes ministros do Estado Novo tendo liderado o
http://ensina.rtp.pt/artigo/duarte- 4’28’’
desenvolvimento de um conjunto de obras que
pacheco/ mudaram a face do país.
Passos Manuel Manuel da Silva Passos (1801-1862), mais conhecido
http://ensina.rtp.pt/artigo/passos- 4’34’’ por Passos Manuel foi um dos principais rostos do
manuel/ liberalismo na monarquia constitucional portuguesa.
Calouste Gulbenkian (1869-1955) chegou a Portugal
Calouste Gulbenkian, uma paixão por durante a 2ª Guerra Mundial e apaixonou-se pelo país,
Portugal 4’47’’ ficando aqui a residir. Após a morte deixou a fortuna
http://ensina.rtp.pt/artigo/gulbekian/ para criar uma fundação com o seu nome que tem
como objetivo fomentar a cultura nacional.
A faustosa embaixada enviada por D. Manuel I ao Papa,
Embaixada de D. Manuel ao Papa contava até com um elefante vivo entre as ofertas. O
http://ensina.rtp.pt/artigo/embaixada-d- 00’59’’ principal objetivo do monarca português foi a conquista
manuel-papa/ de favores políticos, numa operação que foi bem-
sucedida.
Fim da Inquisição em Portugal Após quase 300 anos de atividade o Tribunal do Santo
http://ensina.rtp.pt/artigo/fim-da- 00’47’’ Ofício foi extinto, no dia a 31 de Março de 1821, na
inquisicao-em-portugal/ sequência de uma decisão nas cortes gerais do reino.
O "Mapa Cor-de-Rosa" e o "Ultimato O Mapa Cor-de-Rosa desenhava novas fronteiras no
Império africano ligando Angola e Moçambique. Os
Inglês"
5’56’’ ingleses, que sonhavam com um caminho-de-ferro
http://ensina.rtp.pt/artigo/ultimato- ligando a África do Sul ao Egipto, impõem um ultimato
ingles/ aos portugueses: Ou esquecem o mapa ou têm guerra.
O Hino Nacional, também conhecido pela “Portuguesa”,
A história do Hino Nacional
foi composto em 1890 como uma canção de protesto
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-hino- 2’01’’
na sequência do ultimato inglês. Adotada pelos
nacional/ republicanos, veio a transformar-se no hino em 1911.
O medo das tropas francesas empurrou milhares de
O desastre da ponte das barcas pessoas do Porto para o rio Douro, que tentaram
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-desastre-da- 00’40’’ atravessar utilizando um ponte construída sobre barcas.
ponte-das-barcas/ Com o peso esta cedeu tendo morrido cerca de quatro
mil pessoas.
Monumento recorda o desastre da Ponte Em Março de 2009, dois séculos depois dos
acontecimentos, o Presidente da República, Cavaco
das Barcas
1’13’’ Silva, inaugurou no Porto um monumento em memória
http://ensina.rtp.pt/artigo/monumento- das cerca de quatro mil vítimas do desastre da Ponte
recorda-o-desastre-da-ponte-das-barcas/ das Barcas ocorrido em 1809.
A cidade romana de Miróbriga ocupa uma área
Conhecer a cidade romana de Miróbriga
aproximada de 2 quilómetros, com ruínas de edifícios
http://ensina.rtp.pt/artigo/conhecer- 2’54’’
de habitação, ruas pavimentadas, hipódromo, termas,
mirobriga/ fórum e uma ponte.

20
Em 1936 os militares espanhóis revoltam-se contra o
Guerra Civil de Espanha ano a ano governo republicano dando o primeiro tiro de uma
http://ensina.rtp.pt/artigo/guerra-civil-de- 13’23’’ guerra civil que se vai estender até 1939. Conheça ano a
espanha-ano-a-ano/ ano os principais momentos deste conflito e a forma
como Portugal se envolveu.
Meia centena de ânforas foram descobertas em Lisboa
Vestígios romanos em Lisboa
durante a escavação para um parque de
http://ensina.rtp.pt/artigo/vestigios- 1’35’’
estacionamento. São provas da existência de uma zona
romanos-em-lisboa/ portuária naquela área da cidade.
É um dos maiores templos romanos encontrados na
Templo romano em Beja
Península Ibérica. A sua arquitetura entusiasma os
http://ensina.rtp.pt/artigo/templo- 1’54’’
arqueólogos e traz novos dados sobre a antiga cidade
romano-beja/ romana de Pax Júlia.
Em 12 de junho de 1985 Portugal assinou o tratado de
A assinatura da adesão à CEE adesão à Comunidade Económica Europeia (CEE). O
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-assinatura- 3’38’’ primeiro-ministro Mário Soares liderou a comitiva que
da-adesao-a-cee/ formalizou, no Mosteiro dos Jerónimos, a entrada do
país no projeto europeu.
Os franceses, comandados pelo General Junot,
A primeira Invasão Francesa entraram pela Beira Baixa a 19 de Novembro de 1807. A
http://ensina.rtp.pt/artigo/primeira- 10’08’’ família real abandonou o país. Serão derrotados em
invasao-francesa/ Agosto de 1808 por forças luso-britânicas sob comando
do General Wellesley.
O marechal Soult comanda a segunda invasão francesa
A segunda Invasão Francesa
em 1809. As forças napoleónicas encontram forte
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-segunda- 7’04’’
resistência de forças regulares e guerrilhas em todo o
invasao-francesa/ território e abandonam rapidamente o país.
A terceira invasão francesa em 1810, liderada pelo
A terceira Invasão Francesa
Marechal Massena, foi detida nas linhas de Torres. Um
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-terceira- 11’04’’
sistema defensivo que rodeava Lisboa e travou a
invasao-francesa/ progressão das forças invasoras.
Os primeiros confrontos da 3ª Invasão Francesa
Recriação da terceira Invasão Francesa aconteceram em Almeida, prosseguindo depois no
http://ensina.rtp.pt/artigo/recriacao-da- 1’47’’ Buçaco e nas Linhas de Torres. Em 2005, em Almeida,
terceira-invasao-francesa/ realizou-se uma das primeiras grandes reconstituições
deste período no nosso país.
As Linhas de Torres são um conjunto de fortificações
As Linhas de Torres
construídas em duas linhas, que tinham como objetivo
http://ensina.rtp.pt/artigo/linhas-de- 4’22’’
fechar os acessos a Lisboa às forças da terceira invasão
torres/ francesa.
As Linhas de Torres ficaram no esquecimento durante
Redescobrir as Linhas de Torres
quase duas centenas de anos, mas há quem defenda
http://ensina.rtp.pt/artigo/redescobrir_lin 3’13’’
que devem ser recuperadas para poderem ser visitadas
has_torres/ pelo público.
A batalha tem lugar em Setembro de 1810 e é a
A Batalha do Buçaco num minuto
primeira derrota francesa durante a terceira invasão.
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-batalha-do- 1’05’’
Apesar das baixas o marechal Massena continuará o
bucaco/ caminho para Lisboa e será detido nas Linhas de Torres.
Santo António protegeu Enxabarda dos Como em todas as guerras as lendas seguem as colunas
franceses dos soldados. Numa aldeia do concelho do Fundão há
1’44’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/santo-antonio- quem garanta que os franceses não a pilharam graças à
protegeu-enxabarda/ intervenção de Santo António.
Quando as gentes da Trofa pararam os
Em 1809, a população da Trofa conseguiu opor-se às
franceses
1’23’’ forças francesas comandadas pelo Marechal Soult que
http://ensina.rtp.pt/artigo/quando-as- se dirigiam para o Porto.
gentes-da-trofa-pararam-os-franceses/

21
O impacto das invasões francesas em
Castelo Branco também sofreu com a presença dos
Castelo Branco
2’06’’ franceses durante as invasões. Toda a zona ficou à fome
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-impacto-das- com as exigências feitas pelos soldados invasores.
invasoes-francesas-em-castelo-branco/
O soldado francês que se escondeu em Dois soldados franceses separaram-se do seu regimento
Resende e encontraram acolhimento em Resende onde ficaram
4’57’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/invasoes- a viver e deixaram descendência. Um tetraneto de um
resende/ desses franceses seguiu o rastro à sua história.
A rendição de Almeida aos franceses Almeida estava na rota da terceira invasão francesa e
http://ensina.rtp.pt/temas- 2’11’’ preparou-se para resistir ao invasor, mas a explosão
artigo/historia/# num dos paióis acabou com todas as esperanças.
As Invasões francesas nas Caldas da As Caldas da Rainha foram importante ponto de
passagem para os exércitos envolvidos na guerra
Rainha
5’15’’ peninsular. O hospital local acolheu franceses e ingleses
http://ensina.rtp.pt/artigo/as-invasoes- e a casa de um médico esconde muitas histórias e
francesas-nas-caldas-da-rainha/ documentos.
Os recontros da Roliça e do Vimeiro são os primeiros
As batalhas da Roliça e do Vimeiro confrontos militares sérios na Península Ibérica entre as
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-batalhas-da- 1’23’’ forças Britânicas e francesas. Os primeiros venceram os
rolica-e-do-vimeiro/ dois combates e puseram fim à primeira invasão
francesa.
O espólio roubado do "Cabinet de Entre o saque levado pelos franceses na sua primeira
Lisbonne" invasão contam-se milhares de espécimes animais e
2’05’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-espolio- vegetais que hoje se encontram no Museu de História
roubado-do-cabinet-de-lisbonne/ Natural de Paris.
Em Marco de Canaveses os franceses
Marco de Canaveses esteve na rota da 2ª Invasão, mas
"não passaram"
1’37’’ conseguiu impedir a passagem dos franceses
http://ensina.rtp.pt/temas- destruindo a ponte sobre o rio Tâmega.
artigo/historia/#
De criança em Porto Ovelha a médico em Em Porto de Ovelha desapareceu um rapaz durante as
invasões francesas. Suspeitou-se da sua morte, mas
Inglaterra
4’16’’ anos depois reapareceu. É a história de José Matias, a
http://ensina.rtp.pt/artigo/de-crianca-em- criança da aldeia que estudou para médico em
porto-ovelha-a-medico-em-inglaterra/ Inglaterra.
Em 16 de junho de 1808, a população de Olhão
A revolta da vila de Olhão da Restauração
revoltava-se contra os invasores franceses e expulsa-os
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-revolta-da- 3’44’’
da localidade. Depois partem num pequeno barco para
vila-de-olhao-da-restauracao/ o Brasil com o objetivo de avisar o rei.
As pontes sobre o rio Tâmega eram essenciais para
Os combates sobre a ponte de Amarante assegurar a ligação das forças francesas de Soult com
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-conquista-da- 4’50’’ Espanha. Em Amarante desenrolaram-se intensos
ponte-de-amarante/ combates e a ponte foi conquistada pelos invasores
para ser perdida dias depois.
Ajubarrota, a batalha que segurou a
É uma batalha decisiva para assegurar a independência
independência
14’30’’ do país, face a Castela, a potência vizinha que
http://ensina.rtp.pt/artigo/batalha- tencionava incorporar Portugal no seu reino.
aljubarrota-independencia/
Em Agosto de 1385, o exército português, comandado
Batalha de Aljubarrota – documentário por Nuno Álvares Pereira, derrotou as tropas invasoras
http://ensina.rtp.pt/artigo/batalha-de- 51’55’’ vindas de Castela e garantiu a independência de
alljubarrota-documentario/ Portugal. O documentário "Grandes Batalhas de
Portugal" visita esse momento histórico.
Revolta de Évora contra as tropas de
As tropas francesas de Napoleão invadiram Portugal por
Napoleão
2’45’’ três vezes deixando um rastro de destruição à sua
http://ensina.rtp.pt/artigo/revolta-de- passagem, levando muitas vezes a população à revolta.
evora-contra-as-tropas-de-napoleao/

22
Reconstituição da revolta republicana de Em Janeiro de 1891 registou-se a primeira revolução
republicana em Portugal. A revolta estalou no Porto,
1891
1’16’’ mas foi sufocada pelas forças monárquicas. Nas
http://ensina.rtp.pt/artigo/revolta- comemorações do centenário da implementação da
republicana-1891/ república, em 2010, o Porto reviveu esses dias.
O Porto esteve sempre ligado a momentos relacionados
O "Espírito do Porto" na revolta de 1891
com a liberdade e foi isso que aconteceu na revolução
http://ensina.rtp.pt/artigo/espirito-porto- 2’22’’
republicana de 1891. Dizem os locais que se trata do
revolta-1891/ "Espírito do Porto".
Publicado no século XVI é considerado um dos mais
Primeira edição dos Lusíadas importantes livros portugueses. Trata-se de uma
http://ensina.rtp.pt/artigo/primeira- 00’44’’ epopeia com dez cantos onde o autor, Luís de Camões,
edicao-dos-lusiadas/ glorificar os feitos dos portugueses através da epopeia
dos descobrimentos.
Em 1922 Sacadura Cabral e Gago Coutinho realizaram a
Travessia aérea do Atlântico Sul primeira travessia área do Atlântico Sul, ligando Lisboa
http://ensina.rtp.pt/artigo/travessia- 1’02’’ ao Rio de Janeiro. Tão importante quanto o ato foi o
aerea-do-atlantico-sul/ facto de terem sido testados aparelhos de navegação
que marcaram a história da aviação.
Oficial da armada e aviador, foi o piloto na viagem de
Sacadura Cabral
travessia do Atlântico Sul, com Gago Coutinho.
http://ensina.rtp.pt/artigo/sacadura- 00’57’’
Desapareceu no mar do norte quando voava um
cabral/ hidroavião da Holanda para Portugal.
Gago Coutinho (1869-1959) foi o navegador da primeira
Almirante Gago Coutinho travessia aérea do Atlântico sul. Para além de vários
http://ensina.rtp.pt/artigo/almirante- 4’14’’ trabalhos de campo relacionados com geografia
gago-coutinho/ também desenvolveu aparelhos de navegação que
marcaram a história da aviação mundial.
Duas a quatro mil pessoas, a maioria cristãos novos,
A matança da Páscoa morreram, em 1506, no espaço de alguns dias
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-matanca-da- 00’31’’ subjugadas pela raiva da população de Lisboa. Só a
pascoa/ intervenção de tropas enviadas pelo rei pôs fim ao
massacre.
Fátima é um dos principais santuários católicos
O culto de Fátima
localizados em Portugal. Localiza-se onde em 1917 três
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-culto-de- 2’47’’
crianças afirmam ter visto a aparição da Senhora do
fatima/ Rosário.
Um édito real publicado em 1496 obrigava os judeus e
Expulsão dos judeus de Portugal muçulmanos a sair do país ou a converter-se ao
http://ensina.rtp.pt/artigo/expulsao-dos- 5’28’’ cristianismo. A maioria, por razões económicas ou
judeus-de-portugal/ outras, não teve outra opção senão converter-se.
Ficaram conhecidos como cristãos novos.
Entre os seculos XI e XII organizaram-se quase uma
As Cruzadas e os Estados Cruzados
dezena de cruzadas, mas tradicionalmente falam-se
http://ensina.rtp.pt/artigo/as-cruzadas-e- 5’54’’
apenas das 3 primeiras que tiveram como objetivo
os-estados-cruzados/ conquistar, manter e reconquistar Jerusalém…
Na manhã do dia 1 de Novembro de 1755 um
Lisboa, Novembro de 1755 terramoto, seguido de um maremoto, destruiu a capital
(Documentário) 49’21’’ e parte do território português. Morreram milhares de
http://ensina.rtp.pt/artigo/lisboa_1755/ pessoas. Nos anos seguintes a grande preocupação foi a
reconstrução do país.
Foi o mais destrutivo sismo de que há registo no nosso
O terramoto de Lisboa de 1755 país. A capital portuguesa sofreu grandes estragos e
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-terramoto- 12’06’’ mortandade também devido ao maremoto e ao
de-lisboa-de-1755/ incêndio que se seguiram. O litoral sul português e o
Algarve também foram atingidos.

23
A destruição quase toral, causada pelo terramoto,
A reconstrução de Lisboa
permitiu que fosse planeada e construída uma Lisboa
http://ensina.rtp.pt/artigo/a- 6’01’’
nova e “esclarecida”. Tratou-se de uma decisão
reconstrucao-de-lisboa-apos-o-terramoto/ extremamente inovadora para a época.
Marquês de Pombal, a mão no renascer Sebastião José de Carvalho e Melo (1699-1782),
Marquês de Pombal, foi diplomata e estadista
de Lisboa
4’28’’ português. Foi ministro do reino de D. José e
http://ensina.rtp.pt/artigo/marques- responsável pela reconstrução de Lisboa depois do
pombal-reconstrutor-lisboa/ terramoto de 1755.
Desenterrar testemunhos do terramoto
Cerca de 200 ossadas de vítimas do terramoto de Lisboa
de Lisboa
3’27’’ de 1755 foram descobertas em 2005 no antigo
http://ensina.rtp.pt/artigo/testemunhos- Convento de Jesus, hoje a Academia de Ciências.
terramoto/
O último rei de Portugal governou o país apenas
O exílio de D. Manuel II (1889-1932) durante 2 anos antes de se exilar em Inglaterra.
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-manuel-ii- 2’29’’ Segundo filho de D. Carlos, que morreu no atentado de
1889-1932/ 1908, foi obrigado a abdicar após a revolução
republicana, exilando-se em Inglaterra.
Em finais de Novembro de 1807 a família real faz uma
A fuga da família real para o Brasil
apressada saída de Lisboa para escapar aos invasores
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-fuga-para-o- 12’12’’
franceses. A corte muda-se para o Brasil onde vai ficar
brasil-da-familia-real/ até 1821.
Reconstituição da partida da família Real Para escapar à invasão francesa, a família real e a corte
abandonaram o país a bordo de uma esquadra
para o Brasil
2’01’’ portuguesa. Chegam ao Rio de Janeiro em 8 de Março
http://ensina.rtp.pt/artigo/familia-real- de 1808 para regressar a Portugal apenas em 4 Julho de
parte-para-o-brasil/ 1821.
A independência do Brasil
O Brasil declara a sua independência de Portugal em
http://ensina.rtp.pt/artigo/a- 6’23’’
1822, subindo ao trono D. Pedro, filho de D. João VI.
independencia-do-brasil/
O reinado de D. Carlos (1863-1908) foi marcado por
D. Carlos, o rei assassinado acontecimentos que anunciavam o fim da monarquia,
http://ensina.rtp.pt/artigo/d-carlos-1863- 7’03’’ como o Ultimato Inglês, revoltas no ultramar e a
1908/ revolução republicana. Foi morto com o filho e herdeiro
da coroa, D. Luís Filipe, num atentado.
Gomes da Costa, o homem que derrubou Gomes da Costa (1863 - 1929) comandou tropas em
França na I Guerra Mundial e liderou a revolução de 28
a 1ª República
8’36’’ de Maio de 1926. Foi presidente durante cerca de um
http://ensina.rtp.pt/artigo/gomes-da- mês, antes de ser preso e exilado em Angra do
costa/ Heroísmo.
No regresso de uma estadia em Vila Viçosa, o Rei D.
Regicídio em Lisboa Carlos e o príncipe herdeiro, Luís Filipe, são
http://ensina.rtp.pt/artigo/regicidio-em- 6’08’’ assassinados no Terreiro do Paço por anarquistas. Esta
lisboa-1908/ ação deixa a monarquia fragilizada e dois anos depois é
proclamada a República.
Implantação da República, 5 de Outubro Diversas forcas militares sublevam-se na noite de 3 para
de 1910 4 de outubro 1905 contra a monarquia. Após acessos
4’27’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/5-de-outubro- combates esta é derrubada e dois dias depois
1910/ proclama-se a república.
Razões da entrada de Portugal na 1ª O medo de que as colónias portuguesas servissem de
Guerra Mundial moeda de troca entre as potências em conflito levaram
4’02’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/entrada- Portugal a envolver-se também na frente Europeia
portugal-1-guerra-mundial/ durante a 1ª Guerra Mundial.

24
Soldados portugueses e alemães começaram a
Alemanha declara guerra a Portugal em enfrentar-se em África, antes de existir oficialmente um
1916 estado de guerra entre os países. A declaração só
00’25’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/declaracao-de- aconteceu em 9 de março de 1916 depois de Portugal
guerra-de-1916/ apreender navios alemães ancorados em portos
nacionais.
A madrugada de 9 de Abril de 1918 despertou violenta
Batalha de La Lys – documentário na Flandres, onde as tropas portuguesas foram
http://ensina.rtp.pt/artigo/batalha-de-la- 53’02’’ esmagadas por uma força alemã muito superior. A
lys-documentario/ batalha de La Lys ficou marcada pela perda de milhares
de homens entre mortos, feridos e prisioneiros.
Mendes Cabeçadas (1883 - 1965) liderou uma das
Mendes Cabeçadas
fações do golpe militar de 28 Maio de 1926. Foi
http://ensina.rtp.pt/artigo/mendes- 12’29’’
presidente apenas por alguns dias. Demitiu-se a favor
cabecadas-biografia/ do General Costa Gomes.
Com os políticos republicanos sem capacidade para
Golpe de 28 de Maio de 1926
resolver os problemas do país, os militares desferem
http://ensina.rtp.pt/artigo/golpe-28-de- 2’00’’
um golpe que vai levar à implementação do Estado
maio-1926/ Novo, um dos muitos fascismos que cresceu na Europa.
O desvio do Santa Maria e o princípio da 1961 foi um ano marcante para a história do Estado
Novo no nosso país: O navio Santa Maria é desviado por
Guerra do Ultramar
6’29’’ um comando em alto mar e em Angola acontecem os
http://ensina.rtp.pt/artigo/desvio-santa- primeiros ataques em grande escala contra o
maria-principio-guerra-ultramar/ colonialismo português.
António de Oliveira Salazar (1889 -1970) foi chamado
António de Oliveira Salazar, o criador do para a pasta das finanças após o golpe militar de 1926.
Estado Novo 00’53’’ Com o tempo ascendeu a presidente do Conselho de
http://ensina.rtp.pt/artigo/salazar/ Ministros, dominando a política portuguesa durante
mais de 40 anos.
Em 1933 entra em vigor a Constituição que faz nascer o
Estado Novo, substituindo a de 1911 que, na prática,
O Estado Novo
4’19’’ não vigorava desde o golpe militar de 1926. O
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-estado-novo/ documento subalternizava o Parlamento e as liberdades
individuais são também limitadas.
Na madrugada de 25 Abril de 1974, forças militares
A revolução de 25 de Abril de 1974
ocuparam pontos estratégicos em Lisboa e derrubaram
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-revolucao- 4’13’’
a ditadura do Estado Novo, implantada também por
de-25-de-abril-de-1974/ militares em 1926.
O 25 de Abril num minuto
1’38’’ Conheça a revolução dos cravos num minuto.
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-25-de-abril/
Os presidentes (1) Neste episódio de "Os Presidentes" conheça a vida de
http://ensina.rtp.pt/artigo/os-presidentes- 55’35’’ Manuel de Arriaga, Teófilo Braga e Bernardino
parte-1-documentario/ Machado.
Os presidentes (2) Neste episódio de "Os Presidentes" conheça a vida de
http://ensina.rtp.pt/artigo/os-presidentes- 58’14’’ Sidónio Pais, Canto e Castro, António José de Almeida e
parte-2-documentario/ Manuel Teixeira Gomes.
Os presidentes (3) Neste episódio de "Os Presidentes" conheça a vida de
http://ensina.rtp.pt/artigo/os-presidentes- 58’46’’ Mendes Cabeçadas, Gomes da Costa, Óscar Carmona,
parte-3-documentario/ Craveiro Lopes e Américo Tomás.
Os presidentes (4)
Neste episódio de "Os Presidentes" conheça as vidas de
http://ensina.rtp.pt/artigo/os-presidentes- 53’32’’
António de Spínola e Costa Gomes.
parte-4-documentario/
Os presidentes (5) Neste episódio de "Os Presidentes" conheça as vidas de
http://ensina.rtp.pt/artigo/os-presidentes- 57’27’’ António Ramalho Eanes, Mário Soares, Jorge Sampaio e
parte-5-documentario/ Cavaco Silva.

25
Manuel de Arriaga, da infância à Manuel de Arriaga (1840 - 1917) foi o primeiro
Presidente da República. Docente na Universidade
presidência
10’55’’ Coimbra era um republicano reconhecido. Preso na
http://ensina.rtp.pt/artigo/manuel-de- sequência das manifestações contra o ultimato inglês
arriaga-1840-1917/ afasta-se da politica na viragem do século.
Manuel de Arriaga, da presidência ao fim Manuel de Arriaga (1840 - 1917) foio primeiro
da vida Presidente da República de Portugal e não teve uma
10’13’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/manuel-de- presidência fácil . As cisões dentro do partido
arriaga-2/ republicano fizeram-se sentir durante a sua presidência.
Manuel Teixeira Gomes, a presidência e o Manuel Teixeira Gomes (1860 - 1941) assume a
exílio presidência da república mas ficará desiludido com a
6’20’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/manuel- política. Demite-se do cargo e impõem a si próprio o
teixeira-gomes-2/ exílio no Norte de África.
Manuel Teixeira Gomes, da boémia à Muito ligado às artes e à literatura Manuel Teixeira
presidência Gomes (1860 - 1941) levou uma vida boémia antes de
10’06’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/manuel- se dedicar aos negócios da família e assumir cargos na
teixeira-gomes-1860-1941/ diplomacia portuguesa.
Sidónio Pais (1872 - 1918) assume a presidência na
Sidónio Pais, o "Presidente-Rei" sequência de um golpe militar em 1917, fundando o
http://ensina.rtp.pt/artigo/sidonio-pais- 14’18’’ que designou de República Nova. Suspendeu a
biografia/ constituição de 1911. Foi assassinado no Rossio quando
embarcava num comboio com destino ao Porto.
Teófilo Braga (1843 - 1924) assume a presidência da
Teófilo Braga
República em 1915. Escritor e Poeta é autor de mais de
http://ensina.rtp.pt/artigo/teofilo-braga- 12’33’’
300 obras em áreas ligadas à história, à filosofia da
1843-1924/ história, ao teatro e à poesia.
João do Canto e Castro, um presidente João do Canto e Castro (1862 - 1934) sempre se
assumiu como monárquico, mas aceitou a nomeação
monárquico
9’13’’ para o cargo e foi o quinto presidente da República
http://ensina.rtp.pt/artigo/canto-e-castro- Portuguesa. O seu mandato começou em 1918 e
biografia/ terminou menos de um ano depois.
Bernardino Machado, Presidente vítima Bernardino Machado (1851-1944) foi eleito duas vezes
Presidente da República (1915 e 1919). Nunca
de dois golpes
14’00’’ completou qualquer mandato surpreendido por golpes
http://ensina.rtp.pt/artigo/bernardino- de estado levados a cabo, primeiro, por Sidónio Pais e,
machado1851-1944/ depois, por Mendes Cabeçadas e Gomes da Costa.
António José de Almeida (1866 - 1929) foi o sexto
António José de Almeida Presidente da República Portuguesa. É o único eleito da
http://ensina.rtp.pt/artigo/antonio-jose- 12’45’’ Primeira República que cumpre os quatro anos
de-almeida/ previstos na Constituição sobrevivendo a várias crises
sociais e económicas.
Óscar Carmona (1869 - 1951) é um dos militares líderes
Óscar Carmona, 25 anos presidente do golpe de 28 de Maio de 1926. Faz-se eleger
http://ensina.rtp.pt/artigo/oscar- 9’57’’ Presidente em 1926. Ajuda Salazar a ascender ao cargo
carmona-biografia/ de presidente do Conselho. Assegura sucessivas
eleições e falece no cargo.
Américo Tomás, o último presidente do Américo Tomás (1894 -1987) foi um militar e o último
Vídeo Presidente da República do Estado Novo. Anunciou a
Estado Novo
não substituição de António Oliveira Salazar por Marcelo
http://ensina.rtp.pt/artigo/americo- Caetano. Foi derrubado na sequência da revolução de
abre
tomas-2/ 25 de Abril de 1974.
Humberto Delgado, o "General sem
“Obviamente, demito-o”. A frase tornou célebre
Medo"
4’27’’ Humberto Delgado (1906-1965), que ficou conhecido
http://ensina.rtp.pt/artigo/humberto- como o General Sem Medo.
delgado/

26
António de Spínola, o primeiro presidente António de Spínola (1910-1996) foi o primeiro
Presidente da República após o golpe militar de 25 de
depois do 25 Abril
13’40’’ Abril de 1974. Abandonou o cargo após poucos meses
http://ensina.rtp.pt/artigo/antonio-de- de mandato. Na sequência de uma tentativa de golpe
spinola-2/ de estado gorada exila-se em Espanha.
Américo Tomás (1894-1987) foi um militar de carreira
Américo Tomás, da infância à presidência que assumiu a presidência em 1958. Seria afastado
http://ensina.rtp.pt/artigo/americo- 8’00’’ apenas na sequência da revolução de 25 de Abril de
tomas-1894-1987/ 1974. Conheça a infância e a carreira de Américo Tomás
até chegar à presidência da República.
Craveiro Lopes (1894 - 1964) foi o militar escolhido,
Craveiro Lopes como candidato do regime à presidência, após a morte
http://ensina.rtp.pt/artigo/craveiro-lopes- 7’29’’ de Óscar Carmona. Salazar desagradado devido ao
biografia/ diálogo que estabelece entre a presidência e a oposição
afasta-o no ato eleitoral seguinte.
António de Spínola, da infância à António de Spínola (1910-1996) foi um militar que
presidência comandou tropas durante a guerra colonial. Crítico da
13’45’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/antonio-de- política do ultramar foi o primeiro Presidente da
spinola-1910-1996/ República após o golpe militar de 25 de Abril de 1974.
Costa Gomes (1915-2001) foi um militar de carreira que
Costa Gomes, o homem dos equilíbrios desempenhou o cargo de Presidente da República entre
http://ensina.rtp.pt/artigo/costa-gomes- 11’30’’ 1974 e 1976. A busca de reconhecimento internacional
biografia/ do novo regime e a tentativa de encontrar equilíbrios
internos marca a sua passagem por Belém.
Ramalho Eanes, o presidente da
É um militar de carreira que foi Presidente da República
normalização do regime
12’38’’ entre 1976 e 1986. É o primeiro Presidente eleito em
http://ensina.rtp.pt/artigo/ramalho-eanes- Portugal por sufrágio direto e universal.
biografia/
É o primeiro presidente civil do pós-25 de Abril. Líder do
Mário Soares Partido Socialista no exílio durante o período do Estado
http://ensina.rtp.pt/artigo/mario-soares- 14’47’’ Novo, foi primeiro-ministro logo após a revolução.
biografia/ Cumpriu dois mandatos como Presidente da República
entre 1986 e 1996.
Foi Presidente da República entre 1996 e 2006.
Jorge Sampaio
Enquanto estudante esteve envolvido na luta estudantil
http://ensina.rtp.pt/artigo/jorge-sampaio- 14’08’’
dos anos 60. Foi líder do Partido Socialista e autarca da
biografia/ Câmara de Lisboa durante dois mandatos.
Foi ministro das Finanças antes de assumir a liderança
Aníbal Cavaco Silva do Partido Social Democrata. Vence três atos eleitorais
http://ensina.rtp.pt/artigo/cavaco-silva- 10’54’’ e assume o cargo de primeiro-ministro com três
biografia/ maiorias, duas delas absolutas. Foi eleito Presidente da
República desde 2005.
A Operação Nó Górdio, executada em 1970, envolveu
Operação de Nó Górdio – documentário cerca de oito mil tropas portuguesas que, durante
http://ensina.rtp.pt/artigo/operacao-no- 53’08’’ alguns meses, realizaram ações tendo em vista eliminar
gordio/ bases e linhas de abastecimento dos guerrilheiros da
FRELIMO em Moçambique.
A bengala eletrónica para cegos, os elevadores manuais
Invenções portuguesas
para cadeiras de rodas, são algumas das invenções
http://ensina.rtp.pt/artigo/invencoes- 1’13’’
portuguesas. Fica a conhecer algumas das outras
portuguesas/ inovações criadas em Portugal.
Tradições gastronómicas
O Infominuto mostra a origem de algumas tradições
http://ensina.rtp.pt/artigo/tradicoes- 1’40’’
gastronómicas portuguesas.
gastronomicas/
Objetos Portugueses no mundo
http://ensina.rtp.pt/artigo/objetos- 1’19’’ Os objetos portugueses utilizados em outros países.
portugueses-no-mundo/

27
Influências de Portugal no mundo
http://ensina.rtp.pt/artigo/influencias-de- 1’24’’ O que os portugueses levaram para outros países.
portugal-no-mundo/
Portugueses da História
http://ensina.rtp.pt/artigo/portugueses- 1’18’’ Portugueses importantes na história de Portugal.
da-historia/
Freitas do Amaral fala de D. Afonso
Freitas do Amaral, autor de uma biografia sobre D.
Henriques
2’47’’ Afonso Henriques, salienta alguns aspetos da vida do
http://ensina.rtp.pt/artigo/afonso- primeiro monarca português
henriques/

28
Título Duração Descrição
"Mau Tempo no Canal" de Vitorino "A obra romanesca mais complexa, mais variada, mais
Nemésio densa e mais subtil em toda a nossa história literária", são
http://ensina.rtp.pt/artigo/mau- 50’04’’ palavras de David Mourão-Ferreira sobre "Mau Tempo No
tempo-no-canal-de-vitorino-nemesio/ Canal", de Vitorino Nemésio. O documentário ajuda-nos a
perceber porquê.
"Mau Tempo No Canal" Pelo Autor Vitorino Nemésio fala-nos aqui, muito brevemente, sobre o
http://ensina.rtp.pt/artigo/mau- 1’07’’ seu aclamadíssimo "Mau Tempo No Canal" e genericamente
tempo-no-canal-pelo-autor/ sobre a estrutura de um romance.
"Poeta do concreto", das quadras simples, Cesário Verde é
O Livro de Cesário Verde um dos percursores do modernismo em Portugal. No seu
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-livro-de- 30’31’’ tempo foi ostensivamente ignorado. O reconhecimento, a
cesario-verde/ admiração vieram muito depois da morte, aos 31 anos de
idade.
Desastre, a palavra que vem dos Seria desastroso se os dinossauros regressassem à terra.
astros Mas para perceber o alcance dos estragos, vamos conhecer
1’03’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/desastre-a- a palavra "desastre". O "Cuidado com a Língua!" diz-nos que
palavra-que-vem-dos-astros/ é uma palavra que vem do espaço...
Todos nós temos um na barriga, mas as máquinas
Quantos diafragmas existem?
fotográficas também têm o seu "diafragma". Vamos
http://ensina.rtp.pt/artigo/quantos- 00’59’’
conhecer o significado desta palavra com origem no grego.
diafragmas-existem/ Para isso..."Cuidado com a Língua!"
Matilde Rosa Araújo (1921-2010) escreveu para crianças
Matilde Rosa Araújo não porque quisesse, mas porque, dizia, foram elas que a
http://ensina.rtp.pt/artigo/matilde- 1’37’’ ensinaram: "uma comunicação, talvez a conjugação viva, em
rosa-araujo/ escrita, do verbo amar. Isto é esquisito...". Pode ser, mas
também é literatura.
"Jota", uma consoante que é preciso
A letra "jota" aparece muitas vezes escrita antes das vogais
saber usar
1’56’’ "i" e do "e". Mas porquê o "jota" e não a letra "gê"? O
http://ensina.rtp.pt/artigo/jota-uma- "Cuidado com a Língua!" apresenta as várias justificações.
consoante-que-e-preciso-saber-usar/
Tira uma fotografia "Fotografia", "foto" e "fotocópia": que etimologia liga estas
http://ensina.rtp.pt/artigo/tira-uma- 1’41’’ palavras? O "Cuidado com a Língua!" fixa a origem e o
fotografia/ significado destas palavras.
José Saramago (1922 - 2010) fez das letras a sua enxada,
José Saramago
falou dos trabalhadores para os trabalhadores, ficcionou a
http://ensina.rtp.pt/artigo/jose- 3’25’’
realidade enquanto desenhava a alma humana nos seus
saramago/ livros. Foi Nobel da Literatura.
Atenção aos vidros "Vidro quebrado perde o valor e soldado não tem graça" é
http://ensina.rtp.pt/artigo/atencao- 00’30’’ provérbio que ajuda a refletir sobre as nossas atitudes. O
aos-vidros/ "Cuidado com a Língua!" explica o significado.
"Memorial do Convento", de José O rei D. João V. ergue um convento em Mafra; o Padre
Bartolomeu sonha com máquinas voadoras; Blimunda e
Saramago
35’20’’ Baltazar apaixonam-se enquanto a inquisição faz autos de fé
http://ensina.rtp.pt/artigo/memorial- e o povo, empobrecido, vive faminto. Este é o enredo do
do-convento-de-jose-saramago/ romance mais importante de Saramago
Depois da expressão "um dos que" como se conjuga, por
És um dos que sabem a resposta? exemplo, o verbo escanhoar? E o que quer dizer
1’22’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/vidro/ "escanhoar? Vamos ter as respostas certas neste "Cuidado
com a Língua!".
"É suposto" não falar assim As construções frásicas com a expressão "é suposto" devem
http://ensina.rtp.pt/artigo/e-suposto- 00’52’’ ser evitadas. O "Cuidado com a Língua!" mostra alternativas
nao-falar-assim/ e espera que sejam usadas.

29
Quantos significados tem a palavra Uma câmara escura é um espaço fechado, um quarto de
"câmara"? dormir ou a primeira grande descoberta da fotografia? Ou
1’09’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/quantos- tudo isto ao mesmo tempo? A resposta está numa caixa e é
significados-tem-a-palavra-camara/ revelada agora no "Cuidado com a Língua!".
Qual é a diferença entre analógico e
Os adjetivos "analógico" e "digital" estão associados à
digital?
1’11’’ fotografia. O "Cuidado com a Língua!" tira o retrato às duas
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-e-a- palavras.
diferenca-entre-analogico-e-digital/
Moscas, suíças, presuntos... em matéria de barbas há muito
Histórias com "barbas"
por onde escolher. Mas o que têm estas pilosidades a ver
http://ensina.rtp.pt/artigo/historias-e- 3’12’’
com a honra? O "Cuidado com a Língua!" tem a história
expressoes-com-barbas/ toda.
"Há cinco anos atrás" não é modo de
falar Nesta expressão fará sentido usar o advérbio de tempo
00’54’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/diz-se-ha- "atrás"? O "Cuidado com a Língua!" tem a construção certa.
cinco-anos-atras-ou-ha-cinco-anos/
Répteis, lagartos gigantes, temíveis e terríveis...afinal quem
Dinossauro ou dinossaurio? são os dinossauros? O professor Galopim de Carvalho faz
http://ensina.rtp.pt/artigo/dinossauro- 2’54’’ um breve resumo da história neste episódio em que se
ou-dinossaurio/ explica a origem e o significado da palavra criada por
Richard Owen no século XIX.
A raiz latina da palavra "animal" Animal, anima, alma... palavras da mesma família mas com
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-raiz- 00’22’’ significados diferentes. O "Cuidado com a Língua!" explica
latina-da-palavra-animal/ porquê.
Padre António Vieira, o Imperador da Religioso, filósofo, diplomata e escritor, é também
Língua Portuguesa considerado um dos maiores oradores portugueses. O
http://ensina.rtp.pt/artigo/padre- 4’31’’ jesuíta padre António Vieira (1608-1697) mostrou-se
antonio-vieira-o-imperador-da-lingua- contrário à ação da inquisição. Fernando Pessoa chamou-lhe
portuguesa/ o “Imperador da Língua Portuguesa”.
Discurso de Mia Couto ao receber
Prémio Camões Mia Couto foi distinguido em 2013 com o Prémio Camões e
http://ensina.rtp.pt/artigo/discurso- 00’45’’ no discurso de agradecimento disse que mais importante
de-mia-couto-ao-receber-premio- que celebrar a obra feita é pensar no que ainda falta fazer.
camoes/
A professora catedrática de Coimbra Ofélia Paiva Monteiro,
A educação de Almeida Garrett
uma das maiores especialistas em Almeida Garrett, fala
http://ensina.rtp.pt/artigo/a- 5’55’’
sobre as razões que o levaram a aderir ao movimento
educacao-de-almeida-garrett/ liberal.
A importância do exílio na obra de O exílio de Garrett e a importância desse acontecimento na
Garrett sua literatura são o tema abordado pela professora
4’14’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/exilio-obra- catedrática de Coimbra Ofélia Paiva Monteiro, uma das
garrett/ maiores especialistas em Almeida Garrett.
Pequena biografia de António Lobo
É considerado um dos maiores romancistas portugueses da
Antunes
1’12’’ atualidade com cerca de dezena e meia de títulos
http://ensina.rtp.pt/artigo/pequena- publicados.
biografia-de-antonio-lobo-antunes/
Jorge de Sena Jorge de Sena (1919-1978) foi poeta, ficcionista, crítico
http://ensina.rtp.pt/artigo/jorge-de- 1’27’’ ensaísta, historiador, tradutor é visto como um dos mais
sena/ influentes intelectuais portugueses do século XX.
Publicado no século XVI é considerado um dos mais
Primeira edição dos Lusíadas importantes livros portugueses. Trata-se de uma epopeia
http://ensina.rtp.pt/artigo/primeira- 00’44’’ com dez cantos onde o autor, Luís de Camões, glorificar os
edicao-dos-lusiadas/ feitos dos portugueses através da epopeia dos
descobrimentos.

30
Eça de Queirós é um clássico da literatura, um escritor
Eça de Queirós (1845-1900)
universal. Observador crítico da sociedade, constrói as suas
http://ensina.rtp.pt/artigo/eca-de- 13’50’’
novelas num estilo inconfundível. Estranhamente, tudo o
queiros/ que escreveu há mais de 100 anos continua a ser atual.
"As Pupilas do Senhor Reitor" de Júlio
Dinis Publicado na forma de folhetim em 1863 e como livro em
29’03’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/as-pupilas- 1867, dirigido à classe popular baseado em costumes rurais.
do-senhor-reitor-de-julio-dinis/
"Auto da Barca do Inferno" de Gil Num ancoradouro, dois barqueiros, um Anjo e um Diabo,
aguardam passageiros que viajam para o outro mundo. Este
Vicente
31’30’’ é o pano de fundo para o quadro que Gil Vicente,
http://ensina.rtp.pt/artigo/auto-da- dramaturgo da corte portuguesa no século XVI, vai
barca-do-inferno-de-gil-vicente/ desenhar da sociedade de então.
Sophia de Mello Breyner Andresen, "O Nome das Coisas" é uma das obras mais emblemáticas
"O Nome das Coisas" de Sophia de Mello Breyner Andresen: na poesia, refere as
http://ensina.rtp.pt/artigo/sophia-de- 58’01’’ coisas pelos nomes, fala da realidade, que a inspira também
mello-breyner-andersen-o-nome-das- na prosa. Este documentário visita a vida e a obra da autora
coisas/ de "A Menina do Mar"

José Saramago: "Levantado do Chão" José Saramago, o escritor português galardoado com o
Prémio Nobel da Literatura, é uma das maiores referências
http://ensina.rtp.pt/artigo/jose-
48’22’’ da literatura portuguesa. Neste documentário, com o título
saramago-documentario-levantado- de uma das suas obras mais emblemáticas, somos levados a
do-chao/ percorrer parte da sua vida.
"Para atravessar contigo o deserto do
Mundo" de Sophia de Mello Breyner "Para atravessar contigo o deserto do Mundo", poema de
Andresen 1’03’’ Sophia de Mello Breyner Andresen na voz da fadista Cristina
http://ensina.rtp.pt/artigo/sophia- Branco.
mello-breyner-poesia/
"Um Dia Não Muito Longe Não Muito
Perto" "Um Dia Não Muito Perto Não Muito Longe", poema de Ruy
1’14’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/ruy-bello- Bello na voz do ator João Lagarto.
poesia/
"Pastelaria" de Mário Cesariny
"Pastelaria", poema de Mário Cesariny na voz do ator Marco
http://ensina.rtp.pt/artigo/mario- 1’39’’
D´Almeida.
cesariny-poesia/
"Viagens na Minha Terra" de Almeida "Viagens na Minha Terra" de Almeida Garrett junta vários
estilos literários no relato de uma viagem de Lisboa a
Garrett
50’05’’ Santarém. Muito mais do que uma crónica de viagem, é
http://ensina.rtp.pt/artigo/viagens-na- sobretudo uma reflexão sobre Portugal do século XIX e um
minha-terra-de-almeida-garrett/ marco na literatura portuguesa.
Desastre, a palavra que vem dos Seria desastroso se os dinossauros regressassem à terra.
astros Mas para perceber o alcance dos estragos, vamos conhecer
1’03’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/desastre-a- a palavra "desastre". O "Cuidado com a Língua!" diz-nos que
palavra-que-vem-dos-astros/ é uma palavra que vem do espaço...
Depois da expressão "um dos que" como se conjuga, por
És um dos que sabem a resposta? exemplo, o verbo escanhoar? E o que quer dizer
1’22’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/vidro/ "escanhoar? Vamos ter as respostas certas neste "Cuidado
com a Língua!".
"Não sei de Amor senão" de Manuel
Alegre "Não sei de Amor senão ", poema de Manuel Alegre na voz
1’48’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/manuel- da fadista Ana Moura.
alegre-poesia/
"Cântico Negro", de José Régio
"Cântico Negro", poema de José Régio na voz do ator Marco
http://ensina.rtp.pt/artigo/jose-regio- 3’16’’
D´Almeida
poesia/

31
"Uma Pequenina Luz" de Jorge Sena
"Uma Pequenina Luz", poema de Jorge de Sena na voz da
http://ensina.rtp.pt/artigo/jorge-sena- 3’04’’
atriz Carmen Dolores.
poesia/
"Eros e Psique" de Fernando Pessoa
"Eros e Psique", poema de Fernando Pessoa na voz da
http://ensina.rtp.pt/artigo/fernando- 1’29’’
jornalista Anabela Mota Ribeiro.
pessoa-poesia/
"Um rio te espera" de Eugénio de
Andrade "Um rio te espera", poema de Eugénio de Andrade na voz
1’30’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/eugenio- do fadista Camané.
de-andrade-2/
"Ave-Marias" de Cesário Verde
"Ave-Marias", poema de Cesário Verde na voz do ator
http://ensina.rtp.pt/artigo/cesario- 2’00’’
Virgílio Castelo.
verde-poesia/
"O Sentido" de António Ramos Rosa
"O sentido", poema de António Ramos Rosa na voz da atriz
http://ensina.rtp.pt/artigo/antonio- 1’41’’
Inês Castelo Branco.
ramos-rosa-poesia/
"A Pluma Caprichosa" de Alexandre
O'Neill "A Pluma Caprichosa", um excerto deste poema de
2’43’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/alexandre- Alexandre O´Neill na voz do ator Rogério Samora.
oneill-poesia/
"Para um vil criminoso" de Adília
Lopes "Para um vil criminoso", poema de Adília Lopes na voz da
0’55’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/adelina- poetisa.
lopes-poesia/
"Sermão de Stº. António aos Peixes" O "Sermão de Santo António aos Peixes" foi pregado no
de padre António Vieira Maranhão, Brasil, em 13 de Junho de 1654, dia de anos de
http://ensina.rtp.pt/artigo/sermao-de- 48’24’’ Santo António. Foi a metáfora utilizada pelo padre António
sto-antonio-aos-peixes-de-pdre- Vieira contra a desumanidade com que os colonos
antonio-vieira/ portugueses tratavam os índios.

"O Livro do Desassossego", de Publicado em 1982, quarenta e sete anos após a morte de
Fernando Pessoa, "O Livro do Desassossego", tem como
Fernando Pessoa
48’02’’ autor Bernardo Soares, personagem criada pelo próprio
http://ensina.rtp.pt/artigo/fernando- Pessoa. É um livro biográfico com os pensamentos de um
pessoa-2/ dos maiores autores do século XX.
"Peregrinação" de Fernão Mendes No século XVI, Fernão Mendes Pinto percorreu o Oriente,
interdito aos ocidentais até aí. De regresso, contou as suas
Pinto
48’01’’ aventuras, num relato que muitos consideraram fantasia.
http://ensina.rtp.pt/artigo/a- Hoje é consensual o valor histórico e literário do
peregrinacao/ testemunho desta "Peregrinação".
Lusíadas, o Poema épico de Portugal, escrito pelo poeta
"Lusíadas" de Luís de Camões
oficial da pátria, Luís de Camões, canta a viagem de Vasco
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-ilha-dos- 49’17’’
da Gama à Índia e a aventura dos portugueses desde a
amores/ fundação da nação.
"Amor de Perdição" de Camilo Castelo O romance proibido de Simão Botelho e Teresa de
Albuquerque, com Mariana da Cruz a formar um triângulo
Branco
48’13’’ amoroso com final trágico, é inspirado na vida do próprio
http://ensina.rtp.pt/artigo/amor-de- autor, Camilo Castelo Branco, também ele protagonista de
perdicao/ um amor impossível.
"Os Maias" relata a vida de uma família portuguesa em
"Os Maias" de Eça de Queirós finais do século XIX. Escrita por Eça de Queirós, um dos
http://ensina.rtp.pt/artigo/oa-maias- 48’42’’ intelectuais mais importantes da sua geração, a obra
grandes-livros/ ultrapassa a mera saga familiar e critica a sociedade
provinciana do seu tempo.

32
Alves Redol é o primeiro escritor do neorrealismo em
Alves Redol, Vida e Obra - 1.ª parte
Portugal. Para os seus romances leva temas e personagens
http://ensina.rtp.pt/artigo/alves-redol- 27’54’’
reais, problemas humanos, injustiças e desigualdades. É um
2-a-parte/ escritor comprometido.
Escritor do realismo, Alves Redol leva para os livros as
Alves Redol, Vida e Obra - 2.ª parte
gentes e as paisagens do Ribatejo. Longe da sua terra,
http://ensina.rtp.pt/artigo/alves-redol- 25’35’’
descobre a vida dura dos trabalhadores da região do Douro.
1-a-parte/ Dessa viagem nasce a trilogia Ciclo Port-Wine.
Miguel Torga, "O Meu Portugal" Miguel Torga é o nome literário de Adolfo Correia da Rocha.
http://ensina.rtp.pt/artigo/miguel- 49’53’’ Tirou o curso de Medicina, publicou mais de 50 obras e
torga-grandes-documentarios/ chegou a ser apontado ao Nobel da Literatura.
Acordo plural Certas palavras no plural são pronunciadas de forma errada.
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 00’48’’ É o caso de "acordos". O "Cuidado com a Língua!" explica
com-a-lingua-acordos/ porquê.
O Português maltratado Os erros ortográficos estão por todo o lado e desafiam a
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 1’11’’ nossa atenção. O "Cuidado com a Língua!" corrige casos
com-a-lingua-erros-ortograficos/ flagrantes.
A palavra "comboio" entrou para a língua portuguesa há
Apanha este comboio cerca de 400 anos, mas as viagens de comboio em Portugal
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 3’21’’ só começaram em 1856. Então qual seria o significado desta
com-a-lingua-comboio/ palavra na sua origem? O "Cuidado com a Língua!" põe tudo
nos carris.
Entra nos carris Podemos andar na linha ou sair dos carris sem saber sequer
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 00’40’’ o significado destas expressões. O "Cuidado com a Língua!"
com-a-lingua-carril/ encarrila os significados.
Carrega este verbo O verbo "encarregar" terá duplo particípio passado?
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 1’35’’ Podemos fazer plural com as siglas? O Cuidado com a Língua
com-a-lingua-carregar/ desfaz todas as dúvidas.
Um bilhete, se faz favor
O que é que o francês e o latim têm a ver com "bilhete"? O
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 00’59’’
"Cuidado com a Língua!" viaja às origens desta palavra...
com-a-lingua-bilhete/
Não é uma modalidade dos Jogos Olímpicos mas há quem
Atira barro à parede
se esforce por "atirar o barro à parede". Com sorte, ficamos
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 00’27’’
a perceber o significado desta expressão antiga no "Cuidado
com-a-lingua-barro/ com a Língua!".
Ânfora e talha são recipientes que servem para guardar e
As asas da ânfora conservar alimentos mas têm uma diferença que salta à
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 1’15’’ vista. E, já agora, o que é que "ânfora", "anfíbio" e
com-a-lingua-anfora/ "anfiteatro" têm em comum? O "Cuidado com a Língua!"
tem respostas para tudo.
Diferença entre siglas e acrónimos
O que é uma sigla? E um acrónimo? O "Cuidado com a
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 1’02’’
Língua!" explica as diferenças e os significados.
com-a-lingua-siglas-e-acronimos/
Detetive brilhante, Sherlock partilhava palpites com o seu
A misteriosa frase de Sherlock Holmes maior amigo. De cada vez que o fazia, exclamava
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 00’46’’ "Elementar, meu caro Watson". Mas, afinal, o que quer ele
com-a-lingua-sherlock-holmes/ dizer com isto? O "Cuidado com a Língua!" conta a história
desta personagem de ficção.
A austera severa "Severa", palavra com ar grave e sério, pode ser nome
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 00’18’’ próprio, substantivo, adjetivo... tanta coisa que se explica
com-a-lingua-severa/ no "Cuidado com a Língua!".
Uma casa e um pucarinho... eis um
Juntamos "casa" e "pucarinho" e ficamos com uma
belo arranjinho
00’19’’ expressão popular. No "Cuidado com a Língua!" partilhamos
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- este significado.
com-a-lingua-pucara/

33
A herança de património
"Património" é herança do pai ou da mãe? O "Cuidado com
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 1’30’’
a Língua!" recupera mais uma riqueza linguística.
com-a-lingua-patrimonio/
Balançamos com ginga "Gingar" tem um sentido popular, mas encontramos
http://ensina.rtp.pt/artigo/cuidado- 1’00’’ também este verbo a dar cartas em alto mar. O "Cuidado
com-a-lingua-gingar/ com a Língua!" ganha balanço no fado para esta explicação.
Significado do radical "Fa" O radical "Fa" está presente em várias palavras portuguesas.
00’51’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/radical-fa/ O "Cuidado com a Língua!" sabe o significado.
"Poemas de Deus e do Diabo" é o primeiro título assinado
com o nome de José Régio, deixando o verdadeiro nome de
José Régio
00’59’’ batismo, José Maria dos Reis Pereira, entregue à
http://ensina.rtp.pt/artigo/jose-regio/ mundanidade que a sua literatura ultrapassou, fixando-se
como um marco de relevo.
Luís Vaz de Camões, o poeta da Luís Vaz de Camões (1524?-1580) é autor dos Lusíadas, o
epopeia dos descobrimentos poema épico sobre as descobertas portuguesas. A
4’37’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/luis-vaz-de- importância da sua obra só reconhecida após a sua morte.
camoes/ Teve uma vida repleta de dificuldades.
Alexandre Herculano de Carvalho Araújo (1810-1877) foi
Alexandre Herculano poeta, romancista, historiador e ensaísta. Atravessa a sua
http://ensina.rtp.pt/artigo/alexandre- 10’28’’ obra uma profunda coerência, seguindo um programa
herculano/ romântico-liberal que norteou não apenas o seu trabalho
mas também a sua vida.
Mário de Carvalho- da ironia das vidas Da infância, apesar de nascido na Maternidade Alfredo da
Costa, em Lisboa, guarda memórias fortes do Alentejo,
à literatura
1’17’’ como o poço que escondeu os livros do pai, preso pela PIDE.
http://ensina.rtp.pt/artigo/mario-de- Optou por escrever os dele, contra e a favor do que quis,
carvalho/ com sátira e ironia fina.
Aquilino Ribeiro é um dos mais prolíficos autores
Aquilino Ribeiro (1885-1963) portugueses, fazendo jus à auto denominação de "obreiro
http://ensina.rtp.pt/artigo/aquilino- 1’47’’ das letras". De uma infância um pouco mais que travessa,
ribeiro/ guarda a arrebatação por aquilo em que acredita,
reduzindo-a continuadamente à forma escrita.
Poeta e tradutor, Ruy Belo nasceu numa aldeia do concelho
Ruy Belo (1933–1977)
de Rio Maior, em 1933. Conterrâneo de Mário Viegas, que
http://ensina.rtp.pt/artigo/ruy-belo- 2’16’’
aqui o lembra, foi candidato ao parlamento pela oposição, o
1933-1977/ que lhe provocou vários dissabores.
Mário de Sá-Carneiro num minuto Mário de Sá-Carneiro (1890 – 1916) é um dos maiores
http://ensina.rtp.pt/artigo/mario-de- 3’01’’ expoentes do modernismo Português e é também um dos
sa-carneiro/ mais reputados membros da chamada Geração d’Orpheu.
Terá Guerra Junqueiro dito: "Os políticos consideram-me
Guerra Junqueiro (1850-1923)
um poeta; os poetas, um político; os católicos julgam-me
http://ensina.rtp.pt/artigo/guerra- 3’13’’
um ímpio; os ateus, um crente". Certo é que figura entre os
junqueiro-1850-1923/ autores de vulto das letras portuguesas.
João de Deus, de S.Bartolomeu de
João de Deus (1830 – 1896) é considerado o poeta do amor
Messines ao Panteão Nacional
2’30’’ e também o educador que soube ensinar os portugueses a
http://ensina.rtp.pt/artigo/joao-de- ler com a sua Cartilha Maternal.
deus-1830-1896/
"Motivo" de Cecília Meireles
"Motivo", poema de Cecília Meireles na voz da poetisa
http://ensina.rtp.pt/artigo/adilia- 00’47’’
Adília Lopes.
lopes-le-cecilia-meireles/
"O que será (À flor da pele )" de Chico
Buarque "O que será (À flor da pele )" do poeta e músico brasileiro
1’38’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/cristina- Chico Buarque na voz da atriz Cristina Carvalhal.
carvalhal-le-chico-buarque/

34
Soneto de Luís Vaz de Camões
http://ensina.rtp.pt/artigo/joao-reis- 00’59’’ Um soneto de Luís Vaz de Camões na voz do ator João Reis.
le-luis-vaz-de-camoes/
"Esta velha Angústia" de Álvaro de
Campos "Esta velha angústia" poema de Álvaro de Campos na voz do
2’02’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/virgilio- ator Virgílio Castelo.
castelo-le-alvaro-de-campos/
"O Luar" de Alberto Caeiro
"O Luar", poema de de Alberto Caeiro na voz da jornalista
http://ensina.rtp.pt/artigo/ana-sousa- 00’30’’
Ana Sousa Dias.
dias-le-alberto-caeiro/
"Canção do Ano 86" de Fernando
Assis Pacheco "Canção do Ano 86", poema de Fernando Assis Pacheco na
2’02’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/jose-pedro- voz do ator José Pedro Gomes.
gomes-le-fernando-assis-pacheco/
Manuel António Pina (1943 -2012 ) O poeta que gostava de gatos foi jornalista, escritor de
http://ensina.rtp.pt/artigo/manuel- 4’35’’ ficção e de literatura infantil. Manuel António Pina recebeu
antonio-pina-1943-2012/ o prémio Camões em 2011.
É ela a poetisa do soneto. Os seus versos falam de amor, de
Florbela Espanca (1894-1930) sofrimento, de saudade, de solidão. Florbela Espanca
http://ensina.rtp.pt/artigo/florbela- 4’21’’ escreve o primeiro poema aos 8 anos e aos 25 publica o
espanca-1894-1930/ primeiro livro. Chamou-lhe "Livro de Mágoas", afinal a
história da sua vida.
Sophia de Mello Breyner Andresen O mar, a luz, as ilhas gregas...O seu universo é de uma
(1914-2004) simplicidade desconcertante, de uma beleza clássica e
1’36’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/sophia-de- intemporal. O nome de Sophia confunde-se com a própria
mello-breyner-andersen/ poesia e com os livros infantis que escreveu.
Nuno Júdice Poesia, ficção, ensaio...Nuno Júdice é um dos mais
http://ensina.rtp.pt/artigo/nuno- 9’25’’ premiados poetas portugueses. Nasceu em 1949 na
judice-1949/ Mexilhoeira Grande, Algarve.
Autor de obras como "Os Bichos", "A Criação do Mundo" ou
Miguel Torga (1907-1995)
"Os Novos Contos da Montanha", o médico Adolfo Correia
http://ensina.rtp.pt/artigo/miguel- 5’50’’
da Rocha escolheu outras letras para o seu nome de
torga-1907-1995/ escritor: Miguel Torga.
Poeta português do século XIX, foi no exílio em Paris que
António Nobre (1867-1900)
escreveu grande parte da sua obra principal, a única
http://ensina.rtp.pt/artigo/antonio- 4’37’’
publicada em vida. "Só" é o retrato de António Nobre, um
nobre-1867-1900/ homem novo assombrado pela morte.
António Gedeão, pseudónimo de Rómulo de Carvalho,
António Gedeão (1906-1997)
começa a publicar poesia aos 50 anos de idade. Figura
http://ensina.rtp.pt/artigo/antonio- 5’37’’
destacada da cultura científica e do ensino, descobre mais
gedeao-1906-1997/ tarde a arte das palavras. É o poeta da "Pedra Filosofal".
Figura cimeira do neorrealismo português, António Alves
Alves Redol (1911-1969)
Redol é o narrador de histórias dramáticas das classes sem
http://ensina.rtp.pt/artigo/alves-redol- 4’11’’
privilégios. Nos seus romances faz ainda análise e crítica
1911-1969/ social.
António Egas Moniz, o Nobel António Egas Moniz (1874 – 1955) ganhou o prémio Nobel
português da medicina da Medicina de 1949 pelos seus estudos relacionados com a
1’00’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/egas- lobotomia. Foi médico neurologista, investigador, político e
moniz/ escritor português.
Uma das autoras portuguesas mais traduzidas no
Alice Vieira estrangeiro. Jornalista até 1991, ganhou o Prémio de
00’48’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/alice-vieira/ Literatura Infantil Ano Internacional da Criança com o livro
"Rosa, Minha Irmã Rosa", escrito a pedido dos filhos.

35
Escreve-se "x-acto" ou "x-ato"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-x-acto- 1’20’’
ou-x-ato/
Como se escreve "Tróia" ou "Troia"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-troia- 1’27’’
ou-troia/
Escreve-se "toucinho-do-céu" ou "toucinho do
céu”?
0’48’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-
toucinho-do-ceu-ou-toucinho-do-ceu/
Escreve-se "socio-económico" ou
"socioeconómico"?
0’56’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-socio-
economico-ou-socioeconomico/
Escreve-se "sintacticamente" ou "sintaticamente?
1’12’’
http://ensina.rtp.pt/temas-artigo/portugues/#
Escreve-se "setembro" ou "Setembro"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 00’47’’
setembro-ou-sebembro/
Escreve-se "semi-reboque" ou "semirreboque"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-semi- 1’19’’
reboque-ou-semirreboque/
Escreve-se "Sábado" ou "sábado"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 00’38’’
sabado-ou-sabado/
Escreve-se "reveem" ou "revêem"? O Novo Acordo Ortográfico alterou as regras
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 00’44’’ de escrita. O Bom Português esclarece dúvidas
reveem-ou-reveem/ e ensina a escrever e a falar sem erros.
Escreve-se "recém-nascido" ou "recém nascido"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-recem- 00’58’’
nascido-ou-recem-nascido/
Escreve-se "receção" ou "recepção"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 00’49’’
rececao-ou-recepcao/
Escreve-se "quarta-feira" ou "Quarta-feira"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-quarta- 1’01’’
feira-ou-quarta-feira/
Como se escreve "provem" ou "provém"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’35’’
provem-ou-provem/
Como se escreve "pré-aviso ou "pré aviso"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-pre- 00’55’’
aviso-ou-pre-aviso/
Como se escreve "primeiro ministro" ou
"primeiro-ministro?
00’45’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-
primeiro-ministro-ou-primeiro-ministro/
Escreve-se "perspectiva" ou "perspetiva"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 00’42’’
perspectiva-ou-perspetiva/
Escreve-se "percepção" ou "perceção"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’30’’
percepcao-ou-percecao/

36
Escreve-se "pêra" ou "pera"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-pera- 00’43’’
ou-pera/
Escreve-se "pé de atleta" ou "pé-de-atleta"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-pelo- 00’55’’
ou-pelo/
Escreve-se "páscoa" ou "Páscoa"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’21’’
pascoa-ou-pascoa/
Escreve-se "limpa-para-brisas" ou "limpa-pára-
brisas"?
00’52’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-limpa-
para-brisas-ou-limpa-para-brisas/
Escreve-se "pão de ló" ou "pão-de-ló"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-pao- 00’36’’
de-lo-ou-pao-de-lo/
Escreve-se "novembro" ou "Novembro"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 00’51’’
novembro-ou-novembro/
Escreve-se "minimercado" ou "mini-mercado"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’13’’
minimercado-ou-mini-mercado/
Escreve-se "malagueta" ou "malageta"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’36’’
malagueta-ou-malageta/
"Instituto Nacional de Estatística" ou "instituto
nacional de estatística"
1’06’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-
maiusculas/
Escreve-se "louva-a-deus" ou "louva a deus"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-louva- 00’47’’
a-deus-ou-louva-a-deus/
Como se escreve "curso de Letras" ou "curso de
letras"?
00’34’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-curso-
de-letra-ou-letras/
Escreve-se "letivo" ou "lectivo"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-letivo- 1’07’’
ou-lectivo/
Escreve-se "lêem" ou "leem"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-leem- 00’54’’
ou-leem/
Escreve-se "juízes" ou "juizes"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-juizes- 1’02’’
ou-juizes/
Escreve-se "jiboia" ou "jibóia"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-jiboia- 1’07’’
ou-jiboia/
Escreve-se e diz-se "leões-marinhos" ou "leões-
marinho"?
00’44’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-leoes-
marinhos-ou-leoes-marinho/

37
Escreve-se "infanto-juvenil" ou "infantojuvenil"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’13’’
infanto-juvenil-ou-infantojuvenil/
Escreve-se "heroi" ou "herói"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-heroi- 1’15’’
ou-heroi/
Diz-se "havia" ou "haviam" livros?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-havia- 00’48’’
ou-haviam/
Escreve-se "à" ou "há" livros?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-a-ou- 1’45’’
ha/
Escreve-se "grão de bico" ou "grão-de-bico"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-grao- 1’05’’
de-bico-ou-grao-de-bico/
Escreve-se "creem" ou "crêem"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-creem- 00’48’’
ou-creem/
Escreve-se "couve de bruxelas ou "couve-de-
bruxelas"?
00’49’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-couve-
de-bruxelas-ou-couve-de-bruxelas/
Escreve-se "caxemira" ou "cachemira"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’07’’
caxemira-ou-cachemira/
Escreve-se "cana de açúcar" ou "cana-de-
açúcar"?
1’05’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-cana-
de-acucar-ou-cana-de-acucar/
Escreve-se "caminho de ferro" ou "caminho-de-
ferro"?
1’17’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-
caminho-de-ferro-ou-caminho-de-ferro/
Escreve-se "bóia" ou "boia"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-boia- 00’54’’
ou-boia/
Diz-se "basta" ou "bastam"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-basta- 1’00’’
e-bastam/
Escreve-se "avenida" ou "Avenida"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’15’’
avenida-ou-avenida/
Escreve-se "atual" ou "actual"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-atual- 00’54’’
ou-actual/
Escreve-se "actriz" ou "atriz"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-actriz- 00’53’’
ou-atriz/
Escreve-se "artefacto" ou "artefato"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’03’’
artefacto-ou-artefato/

38
Escreve-se "antissocial" ou "anti-social"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’05’’
antissocial-ou-anti-social/
Escreve-se "anti higiénico" ou "anti-higiénico"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-anti- 00’48’’
higienico-ou-anti-higienico/
Escreve-se "antiaéreo" ou "anti-aéreo"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’08’’
antiaerio-ou-anti-aerio/
Escreve-se "antevêem" ou "anteveem"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 2’01’’
anteveem-ou-anteveem/
Diz-se "antes" ou "dantes"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-antes- 1’01’’
ou-dantes/
Escreve-se "anjo-da-guarda" ou "anjo da
guarda"?
00’37’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues-anjo-
da-guarda-ou-anjo-da-guarda/
Escreve-se "agroindustrial" ou "agro-industrial"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 00’58’’
agroindustrial-ou-agro-industrial/
Escreve-se "acupuntura" ou "acupunctura"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bom-portugues- 1’05’’
acupuntura/
Qual o superlativo absoluto analítico do adjetivo
"simpático"?
1’55’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-o-superlativo-
absoluto-analitico-do-adjetivo-simpatico/
O treinador "infringiu" ou "infligiu" um castigo
aos jogadores?
2’25’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-treinador-infringiu-
ou-infligiu-um-castigo-aos-jogadores/
Qual o substantivo correto, "hilaridade" ou
"hilariedade"?
2’30’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-o-substantivo- Pontapés na Gramática é um passatempo de
correto-hilaridade-ou-hilariedade/ língua portuguesa, no qual se abordam
Segundo o novo Acordo, escreve-se "accionista" incorreções linguísticas frequentes de vária
ou "acionista"? ordem: incorreções de pronúncia, de
2’05’’ morfologia, de léxico e de sintaxe.
http://ensina.rtp.pt/artigo/segundo-o-novo-
acordo-escreve-se-accionista-ou-acionista/ (apenas som)
Qual a forma correta: "a tempestade açola a
Europa" ou "a tempestade assola a Europa"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-forma-correta- 2’19’’
a-tempestade-acola-a-europa-ou-a-tempestade-
assola-a-europa/
Quais as incorreções na frase: "Eu parece-me que
o motorista enganou-se no caminho"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/quais-as-incorrecoes- 5’05’’
na-frase-eu-parece-me-que-o-motorista-enganou-
se-no-caminho/

39
Como se conjuga o Pretérito Perfeito Composto
do Indicativo?
2’53’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/como-se-conjuga-o-
preterito-perfeito-composto-do-indicativo/
Qual a diferença entre "desmistifcar" e
"desmitificar"?
3’55’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-diferenca-entre-
desmistifcar-e-desmitificar/
Segundo o Novo Acordo Ortográfico, como se
escrevem os meses e as estações do ano?
http://ensina.rtp.pt/artigo/segundo-o-novo- 2’20’’
acordo-ortografico-como-se-escrevem-os-meses-
e-as-estacoes-do-ano/
A frase está correta? "São da sua autoria o
desaparecimento das viaturas"
2’33’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/forma-correta-sao-da-
sua-autoria-o-desaparecimento-das-viaturas/
Qual a forma correta: "ter eleito" ou "ter
elegido"?
2’30’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-forma-correta-
ter-eleito-ou-ter-elegido/
O parque onde está "estacionado" ou
"estacionada" grande parte dos carros?
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-parque-onde-esta- 2’22’’
estacionado-ou-estacionada-grande-parte-dos-
carros/
Qual a forma correta: itinerário ou itenerário?
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-forma-correta- 2’17’’
itinerario-ou-itenerario/
Segundo o novo Acordo, escreve-se "hás-de" ou
"hás de"?
3’18’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/segundo-o-novo-
acordo-escreve-se-has-de-ou-has-de/
Qual o feminino de cônsul?
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-o-feminino-de- 3’35’’
consul/
Qual a diferença entre "sob" e "sobre"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-diferenca-entre- 2’45’’
sob-e-sobre/
Qual o significado do elemento grego "auto" na
palavra autógrafo?
1’40’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-o-significado-do-
elemento-grego-auto-na-palavra-autografo/
Qual o feminino de "sultão"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-o-feminino-de- 1’39’’
sultao/
Bebemos "golos" ou "goles" de água?
http://ensina.rtp.pt/artigo/bebmos-golos-ou- 2’06’’
goles-de-agua/
Segundo o novo Acordo, escreve-se
"seleccionado" ou "selecionado"?
2’17’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/segundo-o-novo-
acordo-escreve-se-seleccionado-ou-selecionado/

40
Qual a forma correta: "prepotente" ou
"perpotente"?
1’48’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-forma-correta-
prepotente-ou-perpotente/
Quais as duas últimas letras: gás lacrimógén__?
http://ensina.rtp.pt/artigo/quais-as-duas-ulltimas- 2’42’’
letras-gas-lacrimogen__/
Qual o plural de "cor-de-rosa"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-o-plural-de-cor- 2’08’’
de-rosa/
Segundo o novo Acordo, como se escreve:
"feijão-verde" ou "feijão verde"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/segundo-o-novo- 2’09’’
acordo-como-se-escreve-feijao-verde-ou-feijao-
verde/
Conjugue o verbo "querer" no Pretérito
Imperfeito do Indicativo.
2’44’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/conjugue-o-verbo-
querer-no-preterito-imperfeito-do-indicativo/
Qual a forma correta: "prestamos os cuidados
que os idosos precisam" ou "prestamos os
cuidados de que os idosos precisam"
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-forma-correta- 2’19’’
prestamos-os-cuidados-que-os-idosos-precisam-
ou-prestamos-os-cuidados-de-que-os-idosos-
precisam/
Qual a forma correta de dizer as horas?
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-forma-correta- 3’15’’
de-dizer-as-horas/
O verbo "deslargar" existe?
http://ensina.rtp.pt/artigo/o-verbo-deslargar- 2’44’’
existe/
Comemos legumes "cosidos" ou "cozidos"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/comemos-legumes- 2’53’’
cosidos-ou-cozidos/
Segundo o novo Acordo, como se escrevem as
áreas do saber, com minúscula ou maiúscula
inicial?
2’26’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/segundo-o-novo-
acordo-como-se-escrevem-as-areas-do-saber-com-
minuscula-ou-maiuscula-inicial/
Qual a forma correta: "ansioso" ou "ancioso"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-forma-correta- 2’29’’
ansioso-ou-ancioso/
Qual o feminino de "elefante"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-o-feminino-de- 2’57’’
elefante/
Em que situação se deve usar "emigrante" e/ou
"imigrante"?
2’35’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/em-que-situacao-se-
deve-usar-emigrante-eou-imigrante/

41
A palavra "creditação" existe, ou deve usar-se
"acreditação"?
2’34’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-palavra-creditacao-
existe-ou-deve-usar-se-acreditacao/
Qual a diferença entre "de mais" e "demais"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-diferenca-entre- 4’21’’
de-mais-e-demais/
A maioria das pessoas "vai" ou "vão"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/a-maioria-das-pessoas- 3’14’’
vai-ou-vao/
Segundo o novo Acordo Ortográfico, qual a forma
correta: "pré-fabricado" ou "préfabricado"?
http://ensina.rtp.pt/artigo/segundo-o-novo- 2’45’’
acordo-ortografico-qual-a-forma-correta-pre-
fabricado-ou-prefabricado/
Diz-se "quinhentos gramas" ou "quinhentas
gramas"?
2’09’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/diz-se-quinhentos-
gramas-ou-quinhentas-gramas/
Qual a diferença entre "embaixadora" e
"embaixatriz"?
2’25’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-diferenca-entre-
embaixadora-e-embaixatriz/
Qual a forma mais correta: "vou com ele" ou "vou
mais ele"?
1’51’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/qual-a-forma-mais-
correta-vou-com-ele-ou-vou-mais-ele/

42
Título Duração Descrição
Microsoft distingue escolas do Freixo O agrupamento de escolas do Freixo em Ponte de
http://ensina.rtp.pt/artigo/microsoft-distingue- 2’22’’ Lima, foi distinguido pela Microsoft como um dos
escolas-do-freixo/ polos escolares mais inovadores do mundo.
Prémio ambiental para escola de Castelo Os alunos do Agrupamento de Escolas Nuno
Branco Álvares, de Castelo Branco, realizaram "Da sucata
2’17’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/premio-ambiente- ao novo", um vídeo premiado no concurso
escola-castelo-branco/ nacional de defesa do Ambiente POW.
Ases portugueses nas Olimpíadas Portugal teve o melhor resultado de sempre nas
olimpíadas internacionais de matemática
Internacionais Matemática
2’03’’ realizadas na Colômbia conquistando uma
http://ensina.rtp.pt/artigo/ases-portugueses- medalha de ouro, quatro de bronze e menções
nas-olimpiadas-internacionais-matematica/ honrosas.
Os alunos da Escola Básica de Telheiras testaram
Ensina já mexe nas escolas
o Portal Ensina da RTP e as primeiras críticas
http://ensina.rtp.pt/artigo/conhecer-o-portal- 2’31’’
foram positivas. Veja aqui a reportagem do
ensina/ Telejornal.
Nuno Rodrigues é "craque" no cálculo mental Nuno Rodrigues, com 11 anos, sagrou-se por
http://ensina.rtp.pt/artigo/nuno-rodrigues-e- 2’10’’ duas vezes consecutivas campeão mundial de
craque-no-calculo-mental/ cálculo mental.
Horta biológica envolve toda a comunidade
A Escola Básica do Bairro de São Miguel, em
escolar Vídeo
Lisboa, criou uma horta biológica, ideia de um pai
http://ensina.rtp.pt/artigo/horta-biologica- não abre que está a envolver toda a comunidade escolar.
envolve-toda-a-comunidade-escolar/
A iniciativa "O Hortelão Vai à Escola" envolve
O "Hortelão Vai à Escola" em Santarém uma dúzia de escolas do ensino básico e
http://ensina.rtp.pt/artigo/em-santarem-o- 13’27’’ secundário que ocuparam os espaços livres entre
hortelao-vai-a-escola/ muros com pequenas hortas no concelho de
Santarém.
"Novos bons alunos" é o nome de um projeto
que a Associação EPIS desenvolve na Escola Luísa
Setúbal cria "Novos Bons Alunos"
3’25’’ Todi, em Setúbal, com o objetivo de ajudar os
http://ensina.rtp.pt/artigo/novos-bons-alunos/ estudantes a concluírem o 12º ano de
escolaridade com melhores resultados.
Ensinar matemática com jogo on-line no O "Math Survivor" é um jogo online que pretende
Cristelo combater o insucesso escolar em matemática.
2’05’’
http://ensina.rtp.pt/artigo/matematica-on-line- Este projeto-piloto está a ser aplicado no
cristelo/ agrupamento escolar de Cristelo, em Paredes.
Escola profissional vence Prémio Europeu para Alunos da Escola Profissional de Rio Maior
conquistaram Prémio de Originalidade na 25ª
jovens cientistas
3’21’’ Final Europeia para jovens cientistas com a
http://ensina.rtp.pt/artigo/premio-europeu- apresentação de uma caixa de medicamentos
jovens-cientistas/ “inteligente".
Estudantes da Escola Básica do Caldeiro, em
Escola de Estremoz ganha prémio de ambiente
Vídeo Estremoz, venceram o prémio "Missão UP
http://ensina.rtp.pt/artigo/escola-estremoz-
não abre Sustentabilidade" num concurso que envolveu
premio-ambiente/ escolas de todo o país.

Prof. Ana Mafalda Torres

43