Você está na página 1de 40

CRONOLOGIA HISTÓRICA

BRASIL 1 500- 1 993

1 500 Expedição de Cabral chega ao Brasi l.


1 50 1 Primeiras expedições de reconhecimento d a costa.
1 504 Navegantes franceses chegam ao litoral.
1515 João Dias de Solís, a serviço de Castela, i nicia o reconhecimento da costa brasi­
leira, desde o Cabo de Santo Agostinho até o Prata.
1516 A expedição guarda-costas de Cristóvão Jacques funda uma feitoria em Pernam­
buco e inicia o reconhecimento do litoral, até o Prata.
1519 O português Fernão de Magalhães, a serviço da Espanha, fundeia na Baía de
Guanabara em sua viagem de circunavegação do globo.
1 525 Sebastião Caboto desembarca no B rasil.
1 5 30 Dom João l I I institui o regime de capitanias hereditárias.
1 53 2 M arti m Afonso d e Sousa funda a Vila d e São Vicente.
1 534 Início das doações de capitanias hereditárias a particulares.
1 53 6 B rás Cubas e Pascoal Fernandes fundam a V i l a d e Santos , na Capitania d e São
Vicente.
1 538 Chegam a o Brasil o s primeiros escravos africanos.
1 543 Brás Cubas funda em Santos a primeira Santa Casa do Brasil.
1 549 Instituição do governo geral no Brasil; Tomé de Sousa é o primeiro go­
vernador.
Chega à B ahia o Padre Manuel da Nóbrega; fundada a cidade de Salvador.
55/i HISTÓRIA DO BRASIL

1 550 Chegam a S al vador a primeira partida de escravos africanos e as primeiras cabe­


ças de gado.
1 55 1 Chegam ao B rasi l as primeiras mulheres brancas.
Criação do primeiro bispado, para o qual é nomeado Dom Pero Fernandes Sar­
dinha.
1 55 2 Tomé d e Sousa inicia visita d e in speção às capitanias ao s u l da Bahia.
1 55 3 Duarte da Costa, segundo governador-geral d o Brasil.
1 554 O Padre Manuel da Nóbrega funda o Colégio de São Paulo.
1 55 5 Villegaignon funda na Guanabara a Colônia França Antártica.
1 557 Mcm de Sá, terceiro governador-geral do Brasi l.
1 5 59 Carta régia facilita a i mportação de escravos africanos para os senhores de en-
genho.
1 5 60 Os portugueses destroem e ocupam a Colônia França Antártica.
1 562 João Ramalho torna-se capitão-mor de São Paul o de Piratininga.
1 565 Estácio de Sá funda a cidade de São Sebastião (Rio de Janeiro).
1 567 Os franceses são defi nitivamente derrotados no Rio de Janeiro.
1 570 Carta régia de Dom Sebastião garante l i berdade aos índios.
1 57 1 Dom Sebastião decreta que somente navi.os portugueses transportem mercadori­
as para o B rasil e demais partes do Ul tramar.
1 572 O Brasil é dividido em dois governos: Bahia (governador Luís de B rito e A l mei­
da) e Rio de Janeiro (governador Antônio Salema).
1 577 Abolida a dualidade de governos do B rasil; Lourenço da Veiga é nomeado go­
vernador-geral.
1 578 Francis Drake e outros corsários i ngleses coletam pau-brasil no M aranhão.
1 583 Sal vador Correia de Sá, governador do Rio de Janeiro, assina u m contrato para
a i ntrodução de escravos africanos.
1 584 Os portugueses i ni ciam a conquista da Paraíba, enfrentando i ncursões francesas.
1 5 85 M artim Leitão constrói o forte em torno do qual crescerá a atual cidade de João
Pessoa.
Em São Pau lo, o capitão-mor Jerônimo Leitão comanda expedições contra os
índios, destruindo cerca de trezentas aldeias.
1 5 86 Começa a se desenvolver i ntercâmbio comercial entre o sul do B rasil e a região
do Rio da Prata.
Portugueses e espanhói s tentam sem êxito expulsar os franceses da Paraíba.
1 59 1 Barcos estrangeiros são proibidos de aportar no B rasil.
O capitão i nglês Thomas Cavendish pratica atos de pirataria em São Vicente.
Instala-se na B ahia o Tribunal do Santo Ofício, mantido até 1 593.
1 595 Ataque do corsário i nglês James Lancaster ao Recife.
Lei de Fi lipe II proíbe a escravização dos índios.
1 596 Ingleses estabelecem feitorias no delta do Rio Amazonas.
1 599 Jerônimo de A l buquerque pacifica os portugueses na Paraíba e funda Natal .
1 603 A Coroa decreta o monopólio real da pesca ba baleia.
1 605 O governo espanhol proíbe aos estrangeiros fazer escala ou desembarcar no Bra­
sil e nas demais partes do Ultramar português.
CRONOLOGIA 11/STÓR!CA 559

1612 Restabelecida a centralização administrativa no Brasil, com um só governo geral.


Os franceses fundam São Luís do Maranhão.
1613 Jerônimo de Albuquerque sai do Recife para tentar reconquistar o Maranhão aos
franceses, mas é obrigado a retornar.
1615 Jerônimo de Albuquerque, A lexandre Moura e Franciseo Caldeira apoderam-se
do Forte de S ão Luís do Maranhão; derrocada da França Equ inocial.
1616 Francisco Caldeira funda no Pará a cidade de Santa M aria de Belém.
1619 Jerônimo Fragoso de Albuquerque, Pedro Teixeira e B ento M aciel Parente der­
rotam e reprimem os tupinambás que se insurgem no Pará.
1 62 1 A Coroa espanhola cria o Estado do Maranhão (Maranhão, Ceará e Pará), desli­
gado de subordinação ao B rasi l.
1 624 Os holandeses invadem a B ahia; os portugueses organizam a resistência.
1 625 Com o apoio de uma esqu adra espanhola, os holandeses são expulsos da Bahia.
1 627 I ncursão à Bahia de esquadra holandesa comandada por Piet Heyn.
1 629 Bandeira de Manuel Preto, Antônio Raposo Tavares, Pedro Vaz de Barros e Sal­
vador Pires de Medeiros ataca inúmeras reduções e acaba expulsando os jesuítas
do Paraná.
1 630 Os holandeses atacam Pernambuco e se estabelecem ali.
O governador português Matias de Al buquerque organ iza a resistência.
1 637 Nassau, governador holandês de Pernambuco, expulsa as tropas luso-brasileiras
em direção à Bahia.

1
1 638 Pedro Teixeira chega a Quito por via fluvial.
Início da bandeira de Fernão Dias Pais em direção ao sul.
1 640 Nassau convoca no Recife uma assembléia de deputados luso-brasileiros; lança
edital em que combate a monocultura.
Os procuradores da Capitania de S ão Vicente expulsam os jesuítas.
Termina o domínio espanhol.
1 64 1 Nassau conquista Sergipe e Maranhão.
Amador Bueno recusa o título de Rei de São Paulo e faz aclamar Dom João IV,
de Portugal.
1 642 Outorgados aos moradores do Rio de Janeiro os mesmos privilégios dos cida­
dãos do Porto.
A Coroa portuguesa i mpõe o monopólio sobre o tabaco.
Começa a insurreição contra os holandeses no Maranhão.
1 644 Nassau regressa à Holanda.
Os holandeses são expulsos de São Luís.
Organiza-se o Quilombo dos Palmares.
1 645 I nsurreição dos luso-brasileiros de Pernambuco contra os holandeses.
Outorgados aos moradores de São Luís os mesmos privilégios dos cidadãos do
Porto.
1 648 Franeisco B arreto derrota os holandeses na primeira Batal ha dos Guararapes.
Entrada pesquisadora paulista de Antônio Raposo Tavares, que, internando-se

l
pelo Paraguai, atingiria os contrafortes dos Andes, para depois sair na bacia ama-
zônica.

L
l

560 HISTÓRIA DO BRASIL

Fundada a Vila de Paranaguá.


1 649 Derrota dos holandeses na segunda Batalha dos Guararapes.
Fundada em Portugal a Companhia Geral do Comércio do Brasil, com monopó­
lio do comércio de vinho, bacalhau, azeite e farinha de trigo.
1 652 Reinstalado na Bahia o Tribunal da Relação suprimido pelos Fil ipes.
Extinto o Estado do Maranhão.
1 65 3 O s jesuítas regressam à Vila de São Paulo.
1 654 Expulsão definitiva dos holandeses.
1 655 Outorgados aos moradores de Belém os mesmos pri vi légios dos cidadãos do
Porto.
Lei dá plenos poderes aos jesuítas sobre os índios.
1 658 A Coroa impõe o monopólio do sal.
1 66 1 Os holandeses reconhecem, em tratado de paz, a perda da colônia do Brasi l .
Aliança c o m Po rtugal autoriza o comércio dos ingleses n o Brasi l e nas fndias.
1 667 Pela primeira vez, ordens régias l imitam a migração portuguesa para o Brasil.
1 669 Franci sco da Mota Falcão ergue o Forte de São José do Rio Negro (atual
Manaus).
1 67 1 Decreto li bera a entrada d e navios estrangeiros e m portos brasileiros.
1 674 Parte de São Paulo a "expedição das esmeraldas" de Fernão Dias Pai s.
1 675 Entrada pesquisadora paulista de Manuel de Campos B icudo, que atingiria a re­
gião ao norte de Mato Grosso.
Fundação da Vila do Desterro (atual Florianópolis).
1 676 Entrada pesquisadora paulista de Bartolomeu Bueno da Silva, que atingiria a
região goiana.
Bula papal cria o bispado do Rio de Janeiro e eleva a arcebispado o bispado da
Bahia.
1 677 Por declaração da Corte, as Câmaras e os governadores de Ol inda passam a "re­
presentar a pessoa do rei".
Destruídos diversos núcleos rebeldes no Qui lombo dos Palmares.
1 680 Dom Manuel Lobo, governador do Rio de Janeiro, funda a Colônia do Sacra­
mento, na região do Prata, obedecendo a ordens da Coroa portuguesa. A colônia
é arrasada pelos espanhóis.
Lei proíbe a escravização de índios.
1 68 1 A ssinatura do tratado provisional sobre a posse lusitana da margem norte do
Prata; os espanhóis devolvem o Forte de São Gabriel.
São Paulo é declarada cabeça de capitania.
1 682 Criação da Companhia de Comércio do Maranhão.
1 684 Os franceses, vindos de Caiena, fazem incursão de apresamento de índios até as
i mediações do Forte G urupá.
Revolta de Beckman, no Maranhão, contra a política colonial.
1 685 Construídos quatro fortes na região amazônica, ameaçada pelos franceses de
Caiena.
Gomes Freire, novo governador do Maranhão, reprime a Revolta de Beckman e
manda enforcar seu líder.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 561

A Coroa portuguesa proíbe o estabeleeimento de manufaturas no B rasil.


1 687 Insurreição generalizada dos índios j anduins, no Rio Grande do Norte.
1 688 Al vará determina que os navios mereantes viajem apenas em frotas, eomo medi­
da de defesa eontra os eorsários.
I 692 Pri meiro ataque de Domingos Jorge Velho ao Qu ilombo dos Pai mares.
1 693 Atribuída formalmente a jesuítas, franciscanos e carmeli tas a responsabil idade
pel as mi ssões da Amazônia.
1 694 Ato real garante a posse das minas a seus descobridores.
M ontada na Bahia a primeira Casa da Moeda.
A Companhia Geral do Comércio do B rasil é transformada em Junta Régi a.
Primeiras notíeias de deseoberta de ouro em Minas Gerais.
1 695 Derrotado e morto Zumbi dos Pal mares pelas tropas de Domingos Jorge Velho e
Bernardo Vieira de Melo.
1 699 Domingos Jorge Velho comanda expedição contra os últi mos índios i nsu rretos
do M aranhão.
1 70 1 Carta régia proíbe a criação d e gado numa faixa de dez légu as da costa.
1 705 I n ício do rnsh de portugueses cm direção a M inas Gerais.
1 706 Os espanhóis conqu i stam a Colônia do Sacramento.
1 707 Carta régia atribui aos franciscanos as missões do baixo A mazonas.
1 708 Guerra entre emboabas e maseates pelo eontrolc das minas de metais preeiosos.
1 709 Os emboabas ehaeinam os paul istas no Rio das M ortes (Capão da Traição).
Carta régia eria a Capitania de São Paulo e Minas.
1 7 1 0- 1 7 1 1 Rcei fc é proelamada vila; Guerra dos M aseatcs, entre brasileiros e portugueses.
1711 Carta régia eleva São Paulo 11 eategoria de cidade.
O francês Duguay-Trouin saqueia o Rio de Janeiro.
Proibição de exportação do ouro sem prova de pagamento do quinto.
Proibição de navios estrangeiros aportarem no Brasil, a não ser que participem
de frotas portuguesas, ou que estejam enfrentando tempestade ou com falta de
manti mentos.
1715 Acordo com a Espanha restitui a Col ônia do Sacramento aos portugueses.
1719 A tributação do ouro é fixada cm u m quinto e para cobrá-la são criadas Casas de
Fundição.
1 720 Carta régia cria a Capitan ia de M inas Gerais, i ndependente de São Paulo.
Conspiração de negros em M inas Gerais é debelada por capitães-do-mato.
Extinção da Companhia Geral do Comércio do Brasi l.
Reprimido levante em M i nas contra o quinto e executado seu l íder, Fi li pe dos
Santos.
1 722 Expedição de Bartolomeu B ueno da Si lva, o Anhangüera, que descobriria ouro
no sertão goiano.
M iguel Sutil deseobre ouro de aluvião em Cuiabá.
1 724 Depois de expulsar os portugueses, os eastelhanos fundam M ontcvidéu.
1 725 Deseobcrta de ouro em Goiás.
1 727 O governador Rodrigo César funda Cuiabá.
1 729 Descobertas as primeiras j azidas de diamantes cm Serro Frio (Diamantina).
562 HISTÓRIA DO BRASIL

1 730 Francisco de Sousa e Faria descobre caminho que liga o sul a São Paulo.
1 73 1 Carta régia decreta o monopólio sobre a extração de diamantes.
1 734 Os irmãos Pais de Barros descobrem nas margens do Guaporé as minas chama­
das de M ato Grosso.
1 73 5 O s espanhóis atacam novamente a Colônia d o Sacramento.
Inicia-se a ocupação dos campos da Vacaria, no sul do país.
Criada capitação especial sobre a produção de ouro.
1 742- 1 743 Viagem de La Condamine ao longo do Rio Amazonas.
1 747 Alvará régio confisca os tipos de imprensa existentes no Brasi l .
1 750 Firmado o Tratado de Madri, que reconhece os direitos de Portugal sobre os ter­
ritórios a oeste do meridiano de Tordesilhas.
Abol i da a capi tação e special sobre o ouro, em favor da fi nta anual de cem
arrobas.
1 75 1 Criação do Estado do Grão-Pará e Maranhão, com sede em Belém.
Instala-se no Rio de Janeiro o novo Tribunal da Relação.
1 752 Colonos açorianos chegam ao Rio Grande do Sul; algumas famílias se estabele­
cem cm Porto dos Casais (futura Porto Alegre).
Fundada Vila Bela n;: margem do Guaporé.
1 752- 1 754 Pombal extingue as donatarias de Cametá, I lha de Joancs , Caeté, Cumá,
Itamaracá, Itaparica, Ilhéus, Paraíba do Sul e São Vicente.
1 755 Criada a Companhia Geral do Comércio do Grão-Pará e Maranhão.
1 756 Parte de Lisboa a primeira frota da Companhia Geral do Comércio do Grão­
Pará e Maranhão.
1 759 Os jesuítas são expu lsos do Brasil.
São extintas as últi mas capitanias hereditárias. Todo o território passa a perten­
cer à Coroa.
Criada a Companhia Geral do Comércio de Pernambuco e Paraíba.
1 760 Intensifica-se a cultura de algodão no Maranhão.
1761 Vila Bela é elevada à categoria d e sede d o governo d e Mato Grosso.
1 762 Capitulação da Colônia do S acramento ante o ataque espanhol dirigido por
Ceval los.
1 763 Cevallos toma a Vila de Rio Grande.
O Rio de Janeiro passa a ser a sede do vice-reinado.
1 766 Introduzido o plantio de arroz no Maranhão.
1 772 Ato régio que cria o Estado do Maranhão e Piauí, desligado do Pará.
1 776 Retomada pelos portugueses a Vila de Rio Grande.
1 777 Assinado o Tratado de S anto Ildefonso que confirma o de Madri ( 1 750), com
alterações.
Extinção da Companhia Geral do Comércio do Grão- Pará e Maranhão.
1 780 Erigida a primeira charqueada no Rio Grande do Sul.
Extinção da Companhia Geral do Comércio de Pernambuco e Paraíba.
1 789 Denunciada a Inconfidência M ineira.
1 792 Tiradentes condenado à morte; os outros inconfidentes, a degredo.
1 797 Fundada na Bahia a loja maçônica Cavaleiros da Luz.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 563

1 798 Descoberta a Inconfidência Baiana; enforcamento de quatro dos conjurados.


Abolido o monopólio real da pesca da baleia.
1 800 Chega ao Brasil o naturalista alemão Friedrich Sieber, que durante doze anos
exploraria a região entre Belém e o baixo Tapajós.
1 80 1 Abolido o monopólio real d o sal.
1 808 A Corte portuguesa se instala no Rio de Janeiro.
Os portos do B rasi l são abertos ao comércio do mundo inteiro.
Impl antado o ensino médico na Bahia e no Rio de Janeiro.
181O Assinatura dos tratados de Comércio e Navegação e Al iança e Amizade entre o
B rasil e a I nglaterra.
Início da pressão i nglesa para a extinção do tráfico negreiro no B rasil.
Instala-se a Fábrica de Ferro de Ipanema, em Sorocaba.
181 1 Primeira tentativa do príncipe regente Dom João de invadir o Prata.
Abertura da Academia Militar, origem não só da atual, como da Escola Poli ­
técnica.
1814 Estabelece-se no Recife a loja maçônica Patriotismo.
1815 Elevação do B rasil à categoria de Reino Unido ao de Portugal e Algarves.
Introdução do engenho a vapor na Bahia.
1816 Segunda intervenção l uso-brasileira no Prata.
Falecimento da Rainha Dona Maria I .
Chegada da Missão Artística Francesa a o R i o d e Janeiro.
1817 Eclosão da revolução republ icana em Pernambuco.
Entrega de Caiena à França.
1818 O príncipe regente torna-se rei , com o título de Dom João V I .
Ampliação da imposição dos di reitos aduaneiros a todas a s im portações bra­
sileiras.
Criação da colônia suíça de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro.
1 820 Chega ao B rasil a notícia da Revolução do Porto.
Conquista da Banda Oriental pelas forças de Dom João V I .
1 82 1 I ncorporação da Banda Oriental, sob o nome de Província Cisplatina, ao Reina
Unido de Portugal, Brasi l e Algarves.
Lançado o Revérbero Constitucional Fluminense, jornal de oposição às atitudes
das Cortes de Lisboa.
São eleitos os representantes do B rasil às Cortes portuguesas.
Dom João VI retorna a Portugal.
1 822 O prínci pc ,regente Dom Pedro se recusa a deixar o B rasil (dia do fico).
Dom Pedro proclama a independência do B rasi l .
1 823 Dissolução da Assembléia Constituinte.
O general Madeira de Melo é expulso do B rasi l.
1 824 Dom Pedro I outorga a primeira Constituição.
I nício da colonização alemã no Rio Grande do Sul.
Revolução republicana e separatista em Pernambuco que estabelece a Confede­
ração do Equador.
Os Estados Unidos reconhecem a independência do B rasi l.
564 lf/STÓRIA DO BRASIL

1 8 25 Guerra entre o Brasil e a Argentina pela posse da Província Cisplati na.


Portugal reconhece a i ndependência brasileira.
Iniciada a publicação do Diário de Pernambuco, o mais antigo jornal que se
publica ininterruptamente na América do Sul.
1 826 B rasil e Inglaterra estabelecem u ma convenção sobre a extinção do tráfico
negreiro.
I nstalação da Assembléia Legislativa.
Dom Pedro I se torna rei de Portugal e abdica em favor de sua fil ha Dona M aria
da Glória.
1 827 Fundação dos cursos ju rídicos de São Paulo e de Olinda, este último transferido
posteriormente para o Recife.
1 828 O B rasil concorda com a independência da Província Ci splati na, atual Repúbli­
ca do Uruguai.
Fundação da Sociedade Auxiliadora da Indústria Nacional.
1 829 Liquidação do primeiro Banco do Brasi l .
1 830 Promulgação do Código Criminal.
O jornali sta Líbero Badaró é assassinado em São Paulo.
1 83 1 Abdicação de Dom Pedro 1.
Formação da Regência Trina Provisória.
Regência Trina Permanente.
Criação da Guarda Nacional.
1 832 A Abrilada, movi mento revolucionário ocorrido em Pernambuco, visa a reposi­
ção de Dom Pedro I no trono do B rasi l.
Promulgação do Código de Processo Criminal.
Criação das Faculdades Nacionais de Medicina do Rio de Janeiro e da Bahia.
1 834 Ato Adicional reforma a Constituição de 1 824.
1 8 35 Irrompe no sul do Brasil a Guerra dos Farrapos.
Feijó se torna regente único.
Eclode a Cabanagem no Pará.
Revolta dos Malês na Bahia.
Penetração da colonização alemã no Vale do ltaj aí.
1 836 Os farroupilhas proclamam a República Rio-Grandense.
1 837 Ocorre na B ahia o movi mento da Sabinada.
Feijó deixa a Regência do Brasil, nomeando interinamente para o cargo o Mar­
quês de Olinda.
1 838 O Marquês de Olinda é eleito regente do Império.
A Bal aiada irrompe no Maranhão.
Fundação do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.
1 840 Antecipação da maioridade de Dom Pedro de Alcântara, que se torna o segundo
imperador do B rasil.
Posta em vigor a Lei Interpretativa do Ato Adicional.
1 84 1 Reforma d o Código d e Processo.
1 842 Revoltas liberais cm M inas Gerais e São Paulo.
Caxias é nomeado presidente e comandante das Armas do Rio Grande do Sul.
J
1 1 843
1 844
CRONOLOGIA HISTÓRICA

Casamento de Dom Pedro li com Dona Teresa Cristina.


Tarifa Alves Branco, de proteção à manufatura nacional .
51í5

1 845 Termina a Guerra dos Farrapos.


1 846 Mauá constrói os estaleiros da Ponta da Areia, os primeiros da América do Sul.
1 847 Criação da presidência do Conselho de M i nistros.
O senador Verguciro inicia cm J bicaba, com colonos alemães, o s istema de
parceria.
1 848 Rcvol ução Praieira em Pernambuco.
1 849 Colonos alemães fundam Joinville, cm Santa Catari na.
1 850 Promulgação da Lei Eusébio de Queirós, que extingue o tráfico negreiro para o
Brasil.
Criação da Província do Amazonas, desmembrada do G rão-Pará.
Fundação de Blumenau.
Entra cm vigor o Código Comercial.
Brasil e Paraguai firmam aliança contra Rosas, ditador argentino.
1 85 1 Começa a guerra do Brasil e Paraguai contra Rosas e seu aliado Oribe, ex-presi­
dente do Uruguai.
Inauguração do serviço postal a vapor entre a Europa e a América do Sul, atra­
vés da Mala Real Inglesa.
1 852 Mauá organiza a Companhia de Navegação a Vapor do Amazonas.
Promulgação da Lei de Garantia de Juros ao capital empregado nas estradas de
ferro.
O general Caxias comanda forças brasi leiras , uruguaias e argentinas que derro­
tam e depõem Rosas.
1 85 3 O Marquês d e Paraná organiza o Ministério da Conciliação.
Fundação de um novo Banco do Brasi l .
1 8 54 Mauá i naugura a primeira estrada de ferro do Brasil.
O Rio de Janeiro recebe il uminação a gás.
1 856 I nício da construção da primeira estrada pavimentada do país, a U nião e Indús­
tria, que l i ga Petrópolis a Juiz de Fora.
Barra do Rio Negro passa a se chamar Manaus.
1 858 Inauguração da Estrada de Ferro Dom Pedro li.
1 86 1 I nício da Questão Christie.
I 863 O Rei Leopoldo da Bélgica, ,írbitro da Questão Christie, se pronuncia cm favor
do B rasil e contra a Inglaterra.
1 864 O Brasi l entra cm luta com o governo uruguaio de Aguirre.
O governo paraguaio, chefiado por Solano López, declara guerra ao Bras i l .
Irrompe aguda crise bancária no país.
1 865 Firmado o acordo da Tríplice Aliança (Brasil , Argenti na, Uruguai) para enfren­
tar o Paraguai.
1 866 O Amazonas é aberto à navegação i nternacional.
1 867 Retirada da Laguna.
É inaugurada a Estrada de Ferro Santos-Jundiaí.
1 868 Batalhas de Itororó, Avaí, Lomas Valentinas e Angostura.
5M HISTÓRIA DO BRASIL

1 870 Término da Guerra do Paraguai .


Lançamento do Manifesto Republicano.
I 871 Promulgação d a Lei d o Ventre Livre.
I 872 Primeiro recenseamento feito no B rasi l.
Início da Questão Religiosa.
É fundado no Rio Grande do Sul o reduto dos Mucker, acampamento de fanáti­
cos religiosos.
1 873 O Partido Republicano Paulista realiza a Convenção Republicana de Itu .
1 874 Início da corrente imigratória i taliana para o Brasil.
Cabo submarino do Brasil à Europa.
Reforma aduaneira do Visconde do Rio Branco.
1 875 Fim da Questão Religiosa.
1 876 Dom Pedro II visita a Exposição do Centenário da Independência, nos Estados
Unidos.
1 877 Grande seca no Nordeste.
1 879 Pinheiro Machado funda o Partido Republicano Rio- Grandense.
1 883 Joaqui m Nabuco representa a Anti-Slavery Society no Congresso para a Refor­
ma do Direito das Gentes, realizado em Mil ão.
Início da Questão Militar.
1 8 84 Extinção da escravidão no Ceará.
1 885 É promulgada a Lei Saraiva-Cotegipe, que torna l i vres os escravos sexagenúios.
1 886 Fundação da Sociedade Promotora da I migração.
1 8 88 Promulgação da Lei Áurea, que põe fi m à escravidão no B rasil .
1 889 O Visconde de Ouro Preto assu me a presidência do Conselho do ú ltimo gabine­
te da monarqu ia.
Proclamada a República no B rasil.
1 890 Eleições para a Constituinte.
Promu lgação do Código Penal.
1 89 1 Promu lgada a primeira Constituição da Repú blica.
Eleições para a presidência da República. Deodoro é eleito presidente e Floriano,
vice.
Golpe de Estado. Deodoro dissolve o Congresso e declara estado de s ítio.
Contragolpe. Deodoro é substituído por Floriano.
1 893 Início da Revolução Federalista no Rio Grande do Sul.
Fundação do Partido Republicano Federal.
Revolta da Armada. Decretação de estado de sítio.
1 894 Eleições presidenciais. Prudente de Morais é eleito presidente e M anuel Vitorino.
vice.
Fim da Revolução Federalista no Rio Grande do Sul.
1 895 Morte de Floriano Peixoto e divulgação de seu testamento político.
1 896 Ocorrem conflitos entre brasileiros e italianos em São Paulo, episódio conheci­
do como Protocolo Italiano.
Prudente de Morais adoece e é substituído por Manuel Vitorino na presidência.
O governo organiza expedição contra Canudos.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 567

As tropas federais são derrotadas pelos rebeldes.


1 897 Prudente de Morais reassume a presidência.
Ci são no Partido Republicano Federal . Prudente de Morais rompe com Francis­
co G l i cério.
Tropas do governo ocupam Canudos.
Antônio Conselheiro é morto.
Prudente de Morais sofre um atentado.
1 898 Ele ições presidenciais. Campos Sales é eleito presidente; Rosa e S il va, vice.
Campos Sales estabelece negociações relativas ao funding loan com os
Rothschild, banqueiros i ngleses.
Greve dos cocheiros e condutores no Rio de Janeiro paralisa a cidade.
1 899 Luís Galvcz lidera luta no Acre contra a Bolívia, proclamando a independência
do Estado. A experiência fracassa.
1 900 Descontentamento com a alta do custo de vida. Tentativa de golpe, com a parti­
cipação de populares, militares e monarquistas.
Campos Sales idealiza novo controle do mecanismo de verificação dos poderes
na Câmara dos Deputados. Começa a política dos governadores.
1 902 Eleições presidenciais. Rodrigues Alves é eleito presidente e S i l viano Brandão,
vice.
1 903 Revolta no Acre contra a Bolívia. Plácido de Castro proclama a independência
do Estado. Meses depois o território é anexado ao Brasil, pelo Tratado de Pe­
trópolis.
Greve operária generalizada no Rio de Janeiro.
Osvaldo Cruz organiza campanha de saneamento para combater a febre amarela
no Rio de Janeiro.
1 904 A Light & Power inicia suas atividades no Brasil.
Promulgada a lei que torna obrigatória a vacinação contra a varíol a.
Revolta da Escola Militar.
Revolta contra as condições de vida e contra a forma de aplicação da política de
saneamento (vacinação obrigatória).
Repressão aos movi mentos contestatórios. Prisões e desterros para a selva
amazônica.
1 905 Greve generalizada nas docas de Santos.
Rebelião na Fortaleza de Santa Cruz (Rio de Janeiro) contra os maus-tratos in­
fligidos aos soldados.
1 906 Eleições presidenciais. Afonso Pena é eleito presidente e Nilo Peçan ha, vice.
Assinatura do Convênio de Taubaté.
Realizado o I Congresso Operário Brasileiro, sob a l iderança dos anarco-sindi­
cali stas.
Greve dos ferroviários da Companhia Pau l i sta e greve operária no Rio de
Janeiro.
Promulgada a lei de criação da Caixa de Conversão.
1 907 Congresso aprova a lei de expulsão de estrangeiros, de autoria de Adolfo
Gordo.
5Mi HISTÓRIA DO BRASIL

Greve geral em São Paulo por oito horas de trabalho.


Rui Barbosa representa o Brasil na Conferência de Haia.
1 908 Criação da Confederação Operária Brasi leira.
Promulgada a lei do serviço militar obrigatório, repudiada pelo movimento ope­
rário e pelos positi vistas.
Chega ao Brasi l a pri meira leva de i migrantes japoneses.
1 909 A sucessão presi dencial provoca crise política.
Hermes da Fonseca rompe com Afonso Pena.
Morre Afonso Pena. Nilo Peçanha assume a presidência da República.
Fundação do Partido Republicano Conservador.
Rui Barbosa surge como candidato de oposição à presidência da Repúbl ica. Tem
início a Campanha Civil ista.
191 O Eleições presidenciais. Hermes da Fonseca é eleito presidente e Venceslau Bnís,
vice.
Criação do Serviço de Proteção ao Índio, sob a direção do coronel Rondon.
Ocorre no Rio de Janeiro a Revolta da Chi bata , contra os castigos corporais na
Marinha.
I 91 I Início do "salvacionismo". O governo federal intervém nos Estados, procurando
desaloj ar do poder as oligarquias locais.
1912 Início da Guerra do Contestado.
Hermes da Fonseca procura catalisar o movi mento operário a seu favor. No con­
texto dessa pol ítica, realiza-se um congresso operário no Rio de Janeiro.
1913 Congresso aprova nova lei de repressão ao movimento operário, de autoria de
Adolfo Gordo.
Lançamento da candi datura de Rui Barbosa à presidência. O candidato dos
si tuacionistas é Venceslau Brás.
I914 Confl i to no Ceará contra o governo de Franco Rabelo. Jagunços comandados
pelo Padre Cícero e Floro Bartolomeu ocupam o Yal e do Cariri.
Eleições presidenciais. Venceslau Brás é eleito presidente e Urbano dos Santos ,
vice.
1915 Assassínio de Pinheiro Machado.
Anarquistas organizam o Congresso Nacional da Paz cm protesto contra a Guer­
ra Mundial .
O governo derrota os revoltosos do Contestado.
Aprovado o Código Civil Brasileiro, de autoria de Clóvis Bevi lacqua.
A Reforma Carlos Maximil iano uni formiza o ensino.
1916 Fundada a Liga de Defesa Nacional .
1917 Realiza-se a segunda valorização do caré.
Fundação da Liga Nacional ista.
Greve geral operária em São Paulo paral isa a cidade.
Os ale mães torpedeiam navios brasileiros. Em rcpreslllia, o Brasil entra na
guerra.
1918 Eleições presidenciai s. Rodrigues Alves é eleito presidente e Del fim Moreira,
vice.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 51i9

Gripe espanhola se alastra por São Paulo e outras regiões do país.


Geada mata cafezais.
Rodrigues Al ves adoece. Delfim Moreira toma posse na presidência.
1919 Morte d e Rodrigues Al ves. Delfim Moreira governa até julho. Em novas elei­
ções, é eleito Epitácio Pessoa.
Greve geral operária em São Pau lo. O movimento é fortemente reprimido, ocor­
rendo a deportação de grande número de participantes.
1 920 Con flito na Bahia. É decretada intervenção federal.
1 92 1 Instituição da Carteira d e Redesconto.
Crise pol ítica em virtude do episód io das cartas falsas que envolve Artur
Bernardes.
Promulgada lei que regu la a repressão ao anarquismo.
Início da terceira operação valorizadora do café.
1 922 Formação do Partido Comunista B rasileiro.
Eleições presidenciais. Artur Bernardes é eleito presidente e Urbano Santos, vice.
Conflito armado em Pernambuco. Intervenção federal . Hermes da Fonseca, em
nome do Clube Militar, condena a atuação do Exército no conflito. Governo con­
dena o fechamento do Clube Mi litar e a prisão de Hermes.
Revolta do Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro.
Realiza-se, cm São Paulo, a Semana de Arte Moderna.
1 923 Borges de Medeiros toma posse no governo do Rio Grande do Su l. Tem início a
revolução gaúcha.
Promulgada a Lei de I mprensa
Crise no Estado do Rio de Janeiro. Intervenção federal .
1 924 Morte de Nilo Pcçanha. Fi m do ni lismo.
Levante tenentista em São Paulo, comandado por Isidoro Dias Lopes. A cidade
é bombardeada pelas tropas do governo federal .
Luís Carlos Prestes e Siqueira Campos iniciam levante no Rio Grande do Sul.
Prestes deixa o Rio Grande do Sul em direção a São Paulo. Seu encontro com o
grupo de revoltosos pau listas resulta na formação da Coluna Prestes.
1 925 Criação do I nstituto do Café do Estado de São Pau lo.
1 926 Criação do Partido Democrático cm São Paulo.
Eleições presidenciais. Washington Luís é eleito presidente e Melo Viana, vice.
Reforma Constitucional que amplia os poderes do Executivo.
A Coluna Prestes percorre o país.
1 927 A Coluna Prestes se interna na B ol ívi a.
O Congresso aprova o Projeto Aníbal Toledo, de repressão ao comu nismo.
Formação do Partido Democrático Nacional.
I nstitu ído o voto feminino no Rio Grande do Norte.
1 928 Fundação do Centro das Indústrias do Estado de São Pau lo (CIESP).
Minas Gerais rejeita a candidatura de Júlio Prestes à presidência da República.
1 929 Políticos mineiros e gaúchos entram cm acordo e elaboram o programa da Ali­
ança Liberal.
Lançada a candidatura de Getú lio Vargas.
570 lf/STÓRIA DO BRASIL

1 930 Eleições presidenciais. Vitória de Júlio Prestes.


Luís Carlos Prestes lança manifesto de adesão ao comu nismo.
João Pessoa é assassinado.
Em 3 de outubro tem início no Rio Grande do Sul o movi mento armado contra o
governo. Minas Gerais e Paraíba aderem à revolta.
Em 24 de outubro, Washington Luís é deposto, e pouco depois Getúlio Yargas é
nomeado chefe do governo provisório.
1 93 1 Cria-se o Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio.
Começa a promulgação de leis sociais.
Fundada a organização tenentista Clube 3 de Outubro.
O Partido Democrático rompe com o i nterventor de São Paulo, João Alberto.
Criado o Conselho N acional do Café.
Começa o programa de defesa do café através da destruição física de estoques.
João Alberto se demite da interventoria de São Paulo.
Francisco Campos promove reforma na educação.
1 932 Novo Código Eleitoral estabelece o voto secreto e o direito das mulheres a vota­
rem e serem votadas.
O PD e o PRP formam em São Paulo u ma frente única contra o governo Vargas.
Greve geral operária em São Paulo.
Decreto fixa eleições gerais no país para 3 de maio de 1 93 3 .
O movi mento pró-constitucional ização d o país s e radicaliza. Em 9 d e j u l ho
eclode uma guerra civil dos paulistas contra as forças gctulistas. Em 30 de outu­
bro é assinado armistício que põe fi m à luta.
1 93 3 Realizadas eleições para a Assembléia Nacional Constituinte, q u e s e instala cm
15 de novembro.
Criados o Departamento Nacional do Café e o Instituto do Açúcar e do Á lcool .
1 934 Editado o Código de Minas e das Á guas.
Promulgada a Constituição de 1 934.
Getúlio Vargas é eleito presidente da República pelo Congresso.
Formada u ma frente única sindical antifascista.
É fundada por Armando de Salles Oliveira a Universidade de São Paulo.
1 935 O PCB apóia a criação da Aliança Nacional Libertadora. Prestes é eleito presi­
dente de honra.
Dissolvido o Clube 3 de Outubro.
Decretada a Lei de Segurança Nacional .
O governo fecha a Al iança Nacional Li bertadora.
Em novembro, ocorre o levante da Aliança Nacional Libertadora ( Natal, Rec i fe
e Rio de Janeiro). O governo reprime o movimento.
Decretado estado de sítio.
Anísio Teixeira cria a Universidade do Distrito Federal.
1 936 Prestes e outros l íderes da insurreição de 1 93 5 são presos.
Criação do Tribunal de Segurança Nacional.
1 937 Lançadas as candidaturas de José Américo e Armando de Sallcs Olivei ra para a
presidência da República.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 571

Golpe de estado ( 1 O de novembro). Vargas fecha o Congresso, outorga uma nova


Constituição e suprime os partidos políticos.
1 93 8 O governo brasileiro assina contrato d e fornecimento de armas com a fábrica
alemã Krupp.
Criação do Conselho Nacional de Petróleo.
Tentati va de golpe integralista.
1 939 Organiza-se a Justiça do Trabalho.
Missão norte-americana chega ao Brasi l . Governo assina acordos com os Esta­
dos U nidos.
El aborado um Plano Qüinqücnal de governo.
O governo cria o Departamento de Imprensa e Propaganda para real izar a cen­
sura aos meios de comunicação.
1 940 Criada a Comissão Executiva do Plano Siderúrgico N acional .
O governo institui o salário mínimo.
1 94 1 Criação d o Ministério d a Aeronáutica.
Navios brasileiros são atacados pelos alemães.
O governo cria a Companhia Siderúrgica Nacional e inicia a construção da Usi­
na de Volta Redonda.
Decretado o imposto sindical.
1 942 UNE promove passeata contra o fascismo.
Criação do Senai.
A lemães torpedeiam navios brasileiros. O Brasil declara guerra ao Eixo.
O governo institui a Reforma Gustavo Capanema de ensino.
1 943 Vargas se encontra com Roosevelt em Natal.
O governo baixa a Consolidação das Leis de Trabal ho.
Congresso da OAB se manifesta contra a ditadura.
Em Belo Horizonte, líderes liberais lançam o Manifesto dos Mineiros, a favor
das libe rdades democráticas.
Criação do Scsi.
1 944 Um grupo de militares inicia a oposição ao governo. Benedito Valadares se pro­
nuncia pela abertura democrática e Góis Monteiro se afasta de Getúlio Vargas.
O primeiro contingente da FEB parte para a guerra.
1 945 Congresso brasileiro de escritores se manifesta pelas liberdades democráticas.
Formação da UDN, que lança a candidatura de Eduardo Gomes à sucessão presi­
dencial.
Formação do PSD, que apoia a candidatura de Eurico Gaspar Outra à sucessão
presidencial .
Vargas cria o PTB .
Vargas renuncia, sob pressão mil itar.
Eleições presidenciais. Vitória do general Outra.
1 946 Instala-se a Assembléia Nacional Constituinte.
Promulgada a nova Constituição.
1 947 Criado o Partido Sociali sta Brasileiro.
O PCB tem seu registro eleitoral cassado.
572 /IISTÓRIA DO BRASIL

O Ministério do Trabalho i ntervém nos si ndicatos e fecha a Conredcração Geral


dos Trabalhadores do Brasil (CGTB).
1 948 Cassado o mandato dos deputados comuni stas.
1 949 Cria-se a Comissão Mista Brasil-Estados Unidos chefiada por John Abbinck e
Otávio Gouveia de Bulhõcs. Seu objetivo é analisar a economia brasileira e tra­
çar novas diretrizes para o país.
Instal ado o Conselho Econômico Nacional.
1 950 No Manifesto de Agosto, Prestes prega a revolução para a libertação nacional.
Eleições presidenciais. Vitória de Getúlio Vargas.
1 95 1 Getúl io Vargas toma posse na presidência da República.
Aprovado o Plano Qüi nqücnal de Horácio Lafcr, com o apoio do BNDE.
Vargas envia ao Congresso projeto para a criação de uma empresa petrol ífera, a
Petrobrás.
Inaugura-se cm São Paulo a I Bienal Internacional de Artes Plásticas.
1 952 Decreto impõe limite de 1 0% para a remessa de lucros ao exterior.
O general Espírito Santo Cardoso substitui o general Esti llac Leal, demitido do
M i nistério da Guerra.
É cri ada a Conferência Nacional dos B ispos do B rasil.
1 953 Baixada a Instrução 70 da Superintendência da Moeda e Crédito (Sumoc) , que
visa estimular as exportações e favorecer as importações de bens essenci ais ao
desenvolvi mento econômico.
Greve cm São Pau lo: 300 mil trabalhadores reivi ndi<.:am reajuste salarial.
Vargas escolhe João Goulart para mini stro do Trabalho, Tancredo Neves, minis­
tro da Justiça, e Osvaldo Aranha, ministro da Fazenda.
Criação da Petrobrás.
1 954 Decreto de Vargas i mpõe novas restrições ao capital estrangeiro.
Vargas propõe projeto de criação da Eletrobrás.
No Rio de Janeiro, o major Rubens Vaz morre cm atentado contra Carlos
Lacerda, que responsabi l iza o governo pelo episódio.
Generais di vulgam manifesto à nação, em que exigem a renúncia do presidente.
Vargas se suicida cm 24 de agosto. Café Filho assume a presidência.
1 95 5 Instrução 1 1 3 d a Sumoc favorece o s investidores estrangeiros.
Criação do Instituto Superior de Estudos Brasileiros (IS EB).
Juscel ino Kubitschck é eleito presidente da República.
O coronel Mamede sugere um golpe mil itar que impeça a posse do presidente
eleito. O general Teixeira Lott dá um golpe preventivo contra o presidente em
exercício, Carlos Luz, para garantir a posse de Juscclino Kubitschck.
1 956 Juscelino Kubitschck toma posse em janeiro.
Oriciais da Aeronáutica se sublevam contra o governo cm Jacareacanga.
Kubitschek inicia a aplicação de seu plano de metas, com o slogan "Cinqüenta
anos cm cinco".
A Igreja começa a se dedicar ao trabalho no meio rural.
1 957 Greve opcníria: 400 mil trabalhadores rei vindicam reajuste salarial.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 573

Acordo entre o B rasil e os Estados Unidos acerca da instalação de uma base de


teleguiados em Fernando de Noronha.
Início da construção de B rasília.
1 958 John F. Dul les, Secretário de Estado americano, visita o Brasil. Kubitschck pro­
põe que os Estados Unidos patrocinem um programa de desenvolvi mento para a
América Latina. No Rio de Janeiro, estudantes se manifestam contra a presença
de Dulles.
Movi mentos políticos de trabalhadores rurais reivindicam uma reforma agrária
radical.
1 959 Juscelino Kubitschek declara o rompimento do Brasil com o Fundo Monetário
Internacional.
A UDN apóia a candidatura de Jânio Quadros à presidência da República; o ma­
rechal Lott é o candidato do PSD.
Aprovado o projeto de criação dd Superintendência do Desenvolvimento do Nor­
deste (Sudene).
Oficiais da Aeronáutica se rebelam contra o governo em Aragarças (Goiás).
1 960 O presidente dos Estados Unidos vi sita o Brasil; ocorrem protestos de estudan­
tes, liderados pela UNE.
Eleições presidenciais. Vitória de Jânio Quadros e João Goulart, do PTB .
Marítimos e ferrovi ários realizam greve nacional exigindo paridade com o sol­
do dos mili tares; o Congresso aprova a Lei da Paridade.
Juscelino Kubitschek inaugura B rasília.
1 96 1 O presidente eleito Jânio Quadros toma posse e m 3 1 d e j aneiro e renuncia em
25 de agosto.
Os mini stros mil itares tentam impedir a posse do vice-presidente, João Goulart.
Leonel Brizola, governador do Rio Grande do Sul, impede o golpe, com o apoio
do I l i Exército.
Emenda aprovada pelo Congresso institui o regime parlamentarista. Goulart toma
posse, tendo Tancredo Neves como primeiro-ministro.
Realiza-se o Congresso de Camponeses, que resulta na radicalização da luta no
campo.
É promulgada a Lei de Diretrizes e Bases da Educação.
1 962 Criação do Conselho Nacional de Reforma Agrária.
O Conselho Nacional dos Trabal hadores da Indústria e o Pacto de Unidade e
Ação convocam uma greve geral para a formação de um mini stério nacionalista
e democrático.
Tancredo Neves renuncia ao cargo de primeiro-ministro.
No IV Encontro Sindical N acional fica decidida a criação do Comando Geral
dos Trabal hadores (CGT).
O Congresso aprova lei que restringe a remessa de lucros para o exterior.
1 963 Plebiscito põe fi m ao parlamentarismo.
A Câmara dos Deputados rejeita o projeto do Estatuto da Terra.
Sublevação dos sargentos da Marinha e da Aeronáutica.
l
574 HISTÓRIA lJO BRASIL

Manifestação em Recife que exige a reforma agrária reúne 30 mil camponeses e


é reprimida pelo IV Exército.
João Goulart solicita do Congresso a aprovação do estado de sítio, mas desiste
da medida em virtude dos protestos generalizados.
700 mil operários entram em greve.
1 964 Em um comício no Rio de Janeiro, com a presença de 300 mil pessoas, Goulart
preconiza a realização de reformas de base. O processo político se radicaliza.
Realiza-se em São Paulo a Marcha da Família com Deus, pela Li berdade, para
manifestar oposição a Goulart.
A rebelião dos marinheiros alarma os comandantes militares.
O Departamento de Estado dos Estados U nidos aprova plano de apoio logístico
e militar aos golpistas. Em 3 1 de março é deflagrado um golpe político-mi litar
que afasta João Goulart.
O Ato Institucional n º- 1 suspende os direitos políticos de centenas de pessoas.
O general Hu mberto Castelo Branco toma posse na presidência da República.
1 965 Promulgado o Al-2, que extingue os partidos políticos existentes.
Instituído o bipartidarismo, com duas agremiações: Arena (Aliança Renovadora
Nacional), de apoio ao governo, e MDB (Movi mento Democrático B rasileiro),
de oposição.
Reforma monetária institui o cruzeiro novo.
1 966 Vários deputados federais são cassados, o que provoca a reação do Congresso,
que é posto em recesso por um mês.
Eleições para deputados e senadores. Suspensas as eleições diretas para cargos
executivos.
1 967 O marechal Costa e S i lva toma posse como presidente.
Líderes da oposição, entre os quais Lacerda, Juscelino e Jango, organizam uma
frente ampla contra o governo militar.
1 968 Movimentos de oposição ao governo militar são reprimidos com violência.
AJ-5 cassa os mandatos de diversos parlamentares.
1 969 U ma trombose afasta Costa e Silva do governo, que é assu mido por uma junta
formada pelos ministros militares.
A alta oficialidade das três armas escolhe como presidente o general Garrastazu
Médici.
1 970 Intensifica-se a oposição ao governo, com guerrilhas na cidade e no campo.
A par do endurecimento do regi me, com censura, prisões e torturas, o governo
militu desenvolve grandes projetos de integração nacional como a Transamazô­
nica, o INCRA e o Mobral.
1 97 1 A repressão começa a desarticular o movimento de guerri lhas.
1 972 Inaugurada a Transamazônica, em meio a críticas pela devastação do ambiente e
pela invasão de terr:is indígenas.
Inaugurada em Paulínia (SP) a maior refinaria de petróleo do país.
1 973 Médici assina acordo com Stroessner, ditador paraguaio, para a construção da
hidrelétrica de Itaipu.
CRONOWGIA HISTÓRICA 575

O general Ernesto Geisel , então presidente da Petrobrás, é indicado para suce­


der a Médici
1 974 Inaugurada a hidrelétrica de Ilha Solteira e a Ponte Rio-Niterói.
Geisel assume a presidência.
O MDB obtém expressiva vitória nas eleições legislativas.
1 975 Assinatura de acordo nuclear com a Alemanha.
Lançamento do Proálcool.
1 976 Assinatura do primeiro contrato de risco para a exploração do petróleo com a
empresa British Petroleum.
1 977 Intensifica-se o movimento da sociedade civil em favor da recuperação dos di­
reitos democráticos.
1 978 Geisel inicia um processo de distensão gradual. Fim do Al-5.
Eleição indireta de Figueiredo, chefe do SNI.
1 979 Figueiredo assume a presidência.
Aprovada a lei de anistia; centenas de exilados começam a retornar ao país.
Restabelecida a pluralidade partidária, com a extinção da Arena e do MDB.
1 980 A crise econômica se agrava; multiplicam-se as greves e os movimentos de
protesto.
Descoberta uma imensa jazida de ouro em Serra Pelada (PA).
Aprovada emenda que restabelece eleições diretas para governadores, a partir
de 1 982.
O PDS substitui a Arena e o PMDB fica no lugar do MDB. Leonel Brizola funda
o PDT, ! vete Yargas, o PTB. Criado o PDS, com José Sarney como presidente.
1 98 1 Bomba no Riocentro.
Figueiredo tem um enfarte; durante três meses a presidência fica nas mãos de
um civil, o vice Aureliano Chaves.
1 982 Eleições legislativas e para governadores e prefeitos. Vitória da oposição em Es­
tados como São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná.
Inauguração da hidrelétrica de ltaipu.
Concedido o registro ao PT, criado em 1 979, tendo como um de seus principais
líderes, Luís Inácio Lula da Silva.
Crise da dívida externa. O Brasil se reconhece sem condições de saldar os com­
promissos da dívida e recorre ao FM I.
1 984 O país se mobiliza reivindicando eleições diretas. Emenda com esse objetivo é
votada e rejeitada pelo Congresso.
1 985 O Colégio Eleitoral elege Tancredo Neves, civil e oposicionista. Ele morre antes
da posse, e a presidêncià é assumida por seu vice, José Sarney.
Estendido o direito de voto aos analfabetos.
1 986 Decretado o Plano Cruzado, destinado a conter a inflação e estabilizar a
economia.
Eleições para compor uma Assembléia Constituinte: o PMDB obtém maioria ex­
pressiva, além de eleger 22 governadores.
1 987 Instala-se a Assembléia Constituinte, sob a presidência de Ulysses Guimarães.
A crise econômica se aprofunda; a inflação não é controlada.
l
576 11/STÓRJA DO BRASIL

1 988 Promulgada a nova Constituição.


Cresce a violência na cidade e no campo. Assassinado no Acre o l íder seringa­
l i sta Chico Mendes.
Criado o Partido da Social Democraci a Brasileira (PSDB).
1 9 89 Fernando Collor de Mello é o primeiro presidente eleito pelo voto direto desde
1 9 60.
Um surto de violência assola principal mente as grandes cidades.
1 990 Col l or lança um plano econômico revolucionário, como estratégia de combate à
inflação: cria uma nova moeda e congela depós itos bancários por dezoito meses.
Assi nado tratado de livre comércio com a Argentina.
1 99 1 Retomada a escalada infl acionária. O governo não obtém o apoio do Congresso
e a crise econômica se aprofunda.
Novo conjunto de medidas de i mpacto busca corrigir a pol ítica econômica.
Uma sucessão de seqüestros di funde o pânico entre empresários, pri ncipalme nte
no Rio de Janeiro. A vio lência se dissemi na.
1 992 Denúncias de corrupção provocam o i111peac/1111e11t de Collor. Seu vice, Itamar
Franco, assume a presidência.
Chacina de 1 1 1 detentos na Penitenci ária de São Paulo.
1 993 Plebi scito popul ar opta pelo presidencial ismo republicano como s i stema de
governo.
Nova reforma econômica cri a o cruzei ro real . S ucedem-se os ministros da Fa­
zenda, cm tentativas de debelar a infl ação e sanar a economia.
Instal ação de uma CPI para investigar denúncias de corrupção no orçamento da
União.
Violência crescente. No Rio de Jane i ro, chacina de meninos de rua na Cande lária
e de trabal hadores na Favel a de Vigário Geral . Índios ianomâmis são extermina­
dos na fronteira com a Venezuel a.

MUNDO 1500-1 9 93

1 500 Vasco da Gama regressa a Portugal, de sua viagem às Índias.


1 503 A fonso de Albuquerque ocupa Cochim, na Índia, dando início à construção do
i mpério português.
1 505- 1 507 Expedição de Dom Franci sco de A l meida às Índias; instalação defini tiva do mo­
nopólio português de comércio no Oriente.
1 509 Os portugueses atingem Malaca.
Criação do Conselho das Índias, na Espanha.
1512 Criação do bi spado de São Domingos.
B alboa descobre o Pacífico.
15 13 Francisco I , d a França, vence os suíços c m Marignan.
1514 Os portugueses chegam à Chi na.
1517 Os espanhóis ocupam o Yucatán, na América Central.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 577

Os portugueses chegam a Cantão, na Índia.


Lutero publica suas 95 teses sobre as indulgências, desencadeando a Reforma
protestante.
1519 Carlos !, da Espanha, assume o trono do Sacro Império com o título de Carlos V.
Cortés chega ao México.
1 520 Revolta dos mexicanos contra Cortés.
1 52 1 Em sua viagem de circu navegação do globo, Fernão de Magal hães morre nas
Filipi nas.
Cortés reconquista o México.
Excomunhão de Lutero.
1 522 Sebastião de Elcano completa a vi agem de circu navegação iniciada por Fernão
de Magalhães.
1 524 Primeira expedição de Pizarro ao Peru .
A serviço da França, Verrazzano descobre a em bocadura do Rio Hudson, na
América do Norte.
Cust;ivo Vasa é coroado rei da Suécia.
1 526 Segunda expedição de Pizarro ao Peru.
1 527 Corsários franceses no México.
O luteranismo se torna religião oficial na Suécia e na Di namarca.
1 5 28 Os portugueses atacam os espanhóis nas Il has Malucas.
1 529 Pizarro obtém o direito de conqu ista do i mpério inca.
1 530 I nício das guerras de religião na Alemanha.
1 53 1 Derrota dos portugueses em Diu, n a Índia.
Henrique vrrr rompe com Roma e funda a Igreja Anglicana.
1 5 32 Pizarro atravessa os Andes.
1 533 Pizarro apodera-se de Cuzco, capital d o i mpério inca.
Calvino adere à Reforma.
1 5 34 J acques Cartier no Canadá.
1 53 5 Criação d o Vice-Reinado da Nova Espanha.
1 53 6 O s espanhóis fundam Buenos Aires.
Instituída a Inqui sição cm Portugal .
1 539 Os turcos atacam Diu.
Organização da Companhia de Jesus.
1 542 Orel l ana conclui a travessia da Amazônia.
Os espanhóis chegam às Filipinas.
Os portugueses atingem o Japão.
1 545 Abertura de m inas de prata em Potosí, na atual Bolívia.
1 545- 1 563 Concílio de Trento dá início à Contra-Reforma.
1 547 l vã, o Terrível, é o primeiro czar da Rússia.
1 549 S ão Francisco Xavier chega ao Japão.
1 55 5 Concluída a Paz d e Augsburgo entre católicos e protestantes, na Alemanha.
Os franceses pil ham Havana.
1 556 Abdicação de Carlos V.
1 559 Fim da guerra entre a França e a Espanha.
578 HISTÓRIA DO BRASIL

O Tratado de Cateau-Cambrésis marca o i nício da hegemonia espanhola na


Europa.
Elizabeth 1, da Inglaterra, consolida as reformas de seus antecessores.
I nquisição na Espanha.
1 56 1 Lopo de Agu irre termina nova expedição de travessia da Amazônia, in iciada por
Pedro de Ursua.
1 562 Início das guerras de religião na França.
Tentativa de colonização francesa na Flórida.
1 563 Elizabeth I regulamenta definitivamente a religião anglicana.
1 565 Colonos franceses da Flórida são chacinados pelos espanhóis.
Começa a l uta nos Países Baixos contra o domínio da Espanha.
1 569 Proi bi da a i ndústria têxti l nas colônias espanholas.
1 57 1 Os espanhóis destroem a esquadra turca na Batalha de Lepanto.
1 572 Catarina de Médicis promove, em Paris, o morticínio de protestantes que fica
conhecido como Massacre de São Bartolomeu.
1 574 Os tártaros devastam a Ucrânia.
Recomeçam as guerras religiosas na França.
1 578 Morre o rei português Dom Sebastião, últi mo soberano da Casa de Avis, na Ba­
talha de Alcácer Quibir.
Os holandeses proclamam sua independência.
1 579 União de Utrecht: formam-se as Províncias Unidas dos Países Baixos.
1 5 80 Filipe I I da Espanha assume o trono português.
1 58 1 Os Países Bai xos autorizam o livre trânsito e o comércio dos portugueses em
seu território.
1 5 82 Entra em vigor o calendário gregoriano.
Os luso-espanhóis derrotam os franceses que tentavam se apoderar dos Açores.
1 585 A Holanda e a Zelândia tornam-se i ndependentes da Espanha.
1 586 O inglês Thomas Cavendish i nicia sua viagem de circunavegação.
1 587 Walter Raleigh i nstala uma colônia na Virgínia.
1 588 A Invencível Armada da Espanha é derrotada pelos ingleses.
Os japoneses i nvadem a Coréia.
1 595 Expedição de Walter Raleigh à Venezuela.
Henrique IV, da França, declara guerra à Espanha.
1 598 Navios holandeses são confiscados com suas mercadorias, em Li sboa, e os tri­
pulantes são presos.
Edito de Nantes: fim das guerras de rel igião na França.
1 600 Criação da Companhia I nglesa das Índias Orientais.
1 60 1 Adoção da primeira Lei dos Pobres na I nglaterra.
1 602 Criação da Companhia Holandesa das Índias Orientais.
1 604 Espanha e Inglaterra assinam o Tratado de Londres, que põe fim à guerra entre
os dois países.
1 606 Jaime I funda a Companhia da Virgínia.
1 607 Criação da província castelhana do Paraguai, sob o governo dos jesuítas.
1 608 Champlain funda Quebec, i niciando a ocupação francesa do Canadá.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 579

1 609 Assinatura da Trégua dos Doze Anos ( 1 609- 1 62 1 ) entre a Espanha e os Países
B aixos.
Fundação do Banco de A msterdam.
1 6 1 1 - 1 632 Reinado de Gustavo Adolfo da Suécia.
1613 Início da dinastia dos Romanov na Rússia.
1615 Núpcias de Luís XIII com Ana da Áustria, filha de Fi lipe III; aliança da Espanha
com a França.
1618 Com a Defenestração de Praga, começa a Guerra dos Trinta Anos, que envolve
quase todas as potências européias.
1 620 Chega à América do Norte o navio inglês Mayflower, com 1 02 puritanos que
estabelecerão uma colônia permanente.
1 62 1 Fundação d a Companhia Holandesa das Índias Ocidentais.
1 622 Os índios massacram os colonos da Virgínia, nos atuais Estados Unidos da
América.
1 623 O Japão se fecha aos estrangeiros.
1 624 Início do ministério do Cardeal Richelieu na França.
1 629- 1 632 Os ingleses conquistam Quebec.
1 630 Os ingleses criam a colônia do Maine, na América.
1 632 Gustavo Adolfo derrota Wallenstein, em Lutzen.
Os holandeses ocupam a Ilha de Curaçao, nas Antilhas.
1 640 Restauração portuguesa; o Duque de Bragança sobe ao trono, sob o nome de
Dom João IV.
Inicia-se o período francês da Guerra dos Trinta Anos.
Revolta contra Carlos I (Stuart) na Inglaterra e Escócia.
Fundação de Montreal, no Canadá.
1 64 1 Portugal e Holanda assinam uma trégua por dez anos.
1 642 Início da Guerra Civil na Inglaterra.
1 643 Instalação do Conselho Ul tramarino, órgão central izador das relações de Portu­
gal com as colônias.
1 645 Cromwell vence as tropas de Carlos I na Guerra Civil i nglesa.
1 648 Salvador Correia de Sá e Benevides reconquista Angola aos holandeses.
Assinado o Tratado de Yestefália.
1 648- 1 653 P.ebelião da Fronda, na França, opõe a nobreza ao rei.
1 648- 1 65 8 Ditadura de Cromwell na Inglaterra.
1 65 1 Fim da dominação portuguesa do Golfo Pérsico.
Cromwell assina o Ato de Navegação, em que obriga a utilizar apenas navios
britânicos para a i mportação de produtos das colônias.
1 652 Os holandeses conquistam aos portugueses o Cabo da Boa Esperança.
Começa a guerra da Holanda com a Inglaterra.
1 65 3 Na Inglaterra, Cromwell dissolve o Parlamento e assume poderes ditatoriais.
1 654 A Inglaterra declara guerra à Espanha
1 65 5 O s ingleses ocupam a Jamaica, que estava em poder d a Espanha.
1 660 Carlos II (Stuar;) sobe ao trono da I nglaterra.
51/0 HISTÓRIA DO BRASIL

1661 O casamento d e Carlos II c o m Catarina d e Bragança sela u ma al iança anglo­


lusitana.
1 66 1 - 1 7 1 5 Reinado de Luís XIV na França.
1 662 Os ingleses destroem Santiago de Cuba, conquistam Bombai m, na Í ndia, c fa­
zem incursões na costa africana.
1 664 Os ingleses tomam aos holandeses a cidade de Nova Amsterdam, que passa a se
chamar Nova York.
Criação da Companhia Francesa das Índias.
1 665 Os franceses tomam São Domingos, na América Central.
1 668 Tratado de paz entre Portugal e Espanha sela o fim das guerras da Restauração.
1 669 Dissolução da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais.
1 672- 1 678 Guerras da Holanda com a I nglaterra e a França.
1 673 Na Inglaterra, todos os não-anglicanos são demitidos de empregos públicos.
1 674 Os holandeses tomam a Martinica.
1 682- 1 725 Rei nado de Pedro, o Grande, na Rússia.
1 683 Cerco de Viena pelos turcos.
O inglês William Penn funda na América a colônia da Pensilvânia.
Com a morte de Afonso VI, Pedro II é o novo rei de Portugal.
1 684 Formação da Santa Liga, entre Áustria, Polônia e Veneza.
1 685 Luís XIV, da França, revoga o Edito de Nantes, que garantia li berdade de culto
aos protestantes.
1 688- 1 689 Na Inglaterra, a Revolução Gloriosa assegura o domínio do Parl amento.
1 688- 1 698 A I nglaterra se une a quase todos os países europeus na Liga de Augsburgo;
contra Luís XIV; nova guerra contra a França.
1701 Forma-se a Grande Aliança (Inglaterra, Holanda, Áustria, Prússia e Hanôver)
para deter a expansão francesa.
Na Prússia, sobe ao trono Frederico 1.
1 702 Guerra de Sucessão opõe a Espanha à Grande Al iança.
1 703 Pelo Tratado de Methuen, Portugal se compromete a i mportar tecidos ingleses,
e a Inglaterra reduz as taxas de i mportação dos vinhos portugueses.
1 704 Os ingleses tomam Gibraltar, que pertencia à Espanha.
1 706 Dom João V sobe ao trono português .
1 707 União da I nglaterra e da Escócia sob o nome de Grã-Bretanha.
1 7 09 Pedro, o Grande, derrota os suecos na Batalha de Poltava.
I7I3 Tratado de paz de Utrecht põe fim à Guerra de Sucessão da Espanha.
1 7 20 Fundação da colônia i nglesa de H onduras.
Os espanhóis se instalam no Texas.
1 72 1 Primeira loja maçônica na França.
1 7 25 Luís XV assume o trono francês.
Catarina I se torna czarina da Rússia.
1 729 Fundação das colônias i nglesas das Carolinas, nos Estados Unidos.
1 7 32 Fundação da colônia i nglesa da Geórgia, nos Estados Unidos.
1 740- 1 7 86 Reinado de Frederico II, que faz da Prússia u ma das maiores potências da
Europa.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 5/il

1 750 O Parlamento inglês proíbe aos colonos americanos a indústria do ferro.


Dom José I assume o trono português e nomeia como seu secretário o futuro
Marquês de Pombal.
1 75 1 Início da publicação da Enciclopédia, na França.
1 756- 1 763 G uerra dos Sete Anos, na qual França e Áustria enfrentam Prússia e I nglaterra.
1 760 Os i ngleses vencem os franceses na Índia e no Canadá.
1 762 Capitulação da Marti nica; os ingleses tomam Havana.
1 762- 1 796 Reinado de Catarina II da Rússia.
1 765 Ato do Selo: i nício do conflito entre a I nglaterra e suas colônias americanas.
1 768 Primeira vi agem do explorador e cartógrafo inglês J ames Cook aos mares do sul.
1 770- 1 77 1 Conflito anglo-espanhol pela posse das Ilhas Falkland (ou M alvinas).
1 772 Catarina II, da Rússia, dá i nício à partilha da Polônia.
1 773- 1 774 Revolta de Pugatchev, na Rússia.
1 774 Reunião do I Congresso Continental das colônias i nglesas da América do Norte.
1 775 Os americanos i niciam a luta armada em Lcxi ngton.
1 776 Proclamação da i ndependência dos Estados Unidos.
Fundação na I ngl aterra do primeiro sindicato de trabalhadores i ndustriais.
1 778 Abertura do im pério espanhol, com exceção do México, ao comércio i nter­
nacional.
1 778- 1 783 Guerra de Independência americana.
1 78 1 Os americanos, com o auxílio dos franceses, vencem a batalha decisiva de
Yorktown.
Revolta de Tupac Amaru, no Peru .
1 7 83 A I nglaterra reconhece a i ndependência dos Estados Unidos.
1 7 86 Abertura do México ao comércio i nternacional.
1 7 87 Votada a Constituição americana.
1 7 88 Luís X V I convoca os Estados-Gerais, na França.
1 7 89 A Tomada da Basti lha marca o i nício da Revolução Francesa.
Divulgada a Declaração dos Direitos do Homem.
George Washington é eleito presidente dos Estados U nidos.
1 790- 1 793 Yancouvcr explora as costas americanas do Pacífico.
1 79 1 Promulgada a Constituição que coloca a França sob monarquia constitucional .
1 792 Inicia-se a guerra da França contra a Áustria e a Prússia; i nstala-se a Conven-
ção. Proclamada a República na França.
1 793 Luís XVI gui lhoti nado; começa o regime do Terror.
1 794 Robespierre guilhotinado; cessa o regime do Terror.
1 795 I nstala-se na França o governo do Diretório.
1 796 Bonaparte se torna comandante-chefe dos exércitos na I tália.
1 798 Bonaparte conquista o Egito.
Toussaint L'Ouverture, um ex-escravo, lidera as l utas pela independência do
Haiti.
1 799 Bonaparte liquida o governo do Diretório: inicia-se o período do Consulado.
1 800 Bonaparte vence os austríacos cm Marengo.
A Irlanda é incorporada à I nglaterra.

L
5112 HISTÓRIA DO BRASIL

1 802 A Inglaterra reconhece Bonaparte, pela Paz de Amiens.


A França devolve o Egito à Turquia.
1 803 Reiniciada a guerra entre a França e a Inglaterra.
Capitulação dos franceses em São Domingos.
1 804 Bonaparte é sagrado imperador.
O Haiti conquista a i ndependência.
J 805 O almirante Nelson derrota franceses e espanhóis na Batalha de Trafalgar.
Napoleão derrota os austríacos e russos em Austerlitz.
1 806 Napoleão esmaga os prussianos em lena.
Miranda tenta a libertação da Venezuela.
Os ingleses tomam e logo perdem Buenos Aires.
1 807 Napoleão derrota os russos em Friedland e decreta, em Berlim, o B l oqueio
Continental.
Tropas francesas comandadas por Junot i nvadem Portugal .
Os ingleses ocupam Montevidéu, além de Curaçao e das Antilhas di namar­
quesas.
1 808 I niciam-se guerri lhas na Espanha e em Portugal para resistir à ocupação
francesa.
Bolívar toma o poder em Caracas.
181 1 Independência do Paraguai.
1812 Início da segunda Guerra de Independência dos Estados Unidos.
Napoleão invade a Rússia.
1813 Prússia, Áustria, Inglaterra e Rússia derrotam Napoleão em Leipzig.
1 8 14 Napoleão abdica e é desterrado para a I lha de Elba; restauração dos Bourbon no
trono da França.
Fernando VII sobe ao trono da Espanha.
1815 Ata final do Congresso de Viena: I nglaterra, Rússia, Prússia, Áustria e França
delimitam as novas fronteiras e restabelecem no trono as dinastias depostas du­
rante a dominação napoleônica.
Napoleão retorna à França (Cem Dias). Derrotado finalmente na Batal ha de
Waterloo, vai exilado para a I lha de Santa Helena.
Formação da Santa Aliança.
1816 San Martín proclama em Tucumán a independência das Províncias Unidas do
Prata (Argentina).
1818 Independência do Chile.
1819 A Espanha vende a Flórida aos Estados Unidos.
Fundação da República da Colômbia, que i ncorpora as regtoes da atual
Ver.ezuela, Colômbia e Equador, além de partes da América Central.
1 820 Revolução Constitucional do Porto exige a volta de Dom João V I, que está no
Brasil.
O Congresso americano aprova lei que sujeita à pena máxima os traficantes de
escravos.
1 82 1 Independência do Peru.
Libertação da Venezuela.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 583

Napoleão morre em Santa Helena.


I ndependência do México.
A Grécia inicia sua guerra de l ibertação contra o I mpério Otomano.
1 822 Libertação do Equador.
1 823 Yilafrancada, sedição em Portugal de tendências absolutistas.
I ndependência das Províncias Unidas da América Central (Guatemala, EI Salva­
dor, Hond uras, Nicarágua e Costa Rica).
Doutrina Monroe. sob o lema ''A América para os americanos".
1 825 I ndependência da Bolívia.
1 826 Morte de Dom João VI em Portugal.
Congresso do Panamá, sob a direção de Simón B ol ívar, visa a unificação da
América.
1 828 Dom Mi guel usurpa à sobrinha o trono de Portugal.
1 829 I nício do governo federalista na Argentina.
Emancipação dos católicos na I ngl aterra.
1 830 Queda de Carlos X na França. Ascensão ao trono de Luís Fil i pe de Orléans.
A Bélgica se separa da Holanda.
Revoluções liberais na Itália.
1 832 Dom Pedro 1, do Brasil, assume a regência de Portugal em nome de D. Maria li.
1 83 3 Abolição d a escravatura n o i mpério britânico.
Mazzini funda o movimento liberal Jovem Itália.
1 8 34 Criação do Zollverein, união aduaneira de diversos principados alemães.
1 835 Início da ditadura de Rosas na Argentina.
1 836 Proibição da importação e exportação de escravos nas Colônias portuguesas ao
sul do equador.
O Texas se separa do México, proclamando a i ndependência.
1 837- 1 90 1 Reinado de Vitória 1, na Inglaterra ; a era vitoriana marca o apogeu político e
econômico do país.
1 83 8 Movimento carlista na Inglaterra, pelo sufrágio universal.
1 839 Começa a Guerra do Ó pio, entre a China e a Inglaterra.
1 840 O Canadá é unificado e dotado de governo próprio.
1 84 l A l nglaterra se apodera de Hong Kong.
Primeira lei de proteção ao trabalho na França.
1 842 Fim da Guerra do Ópio, com a vitória da Ingl aterra, que passa a controlar Hong
Kong.
1 844 Começa a guerra da França com o Marrocos.
1 845 Anexação do Texas aos Estados Unidos.
Promulgação do B i l l Aberdeen, na Inglaterra.
1 846 O catolici smo passa a ser tolerado na China.
O México declara guerra aos Estados Unidos, pelo controle do Texas.
1 847 Descoberta de ouro na Califórnia.
1 848 Revoluções liberais na Europa.
Abolição da escravatura nas colônias fnncesas.
Marx e Engels lançam o Manifesto do Partido Comuni sta.

L
584 HISTÓRIA DO BRASIL

1 849 Supressão do Ato de Navegação na Inglaterra.


Descoberta de ouro na Austrália.
1 852 Batalha de Monte Caseros. O ditador Rosas é deposto do poder na Argentina.
Luís Bonaparte se faz coroar i mperador da França.
1 853 Russos e americanos i ntervêm no Japão, que é obrigado a abrir seus portos ao
Ocidente.
1 854 Guerra da Criméia, entre a Rússia e a Turquia, envolve também as principais
potências européias.
1 855 Revolta muçul mana na China.
1 856 A Paz de Paris põe fim à Guerra da Criméia.
1 857 Revolta dos Sipaios na Í ndia.
1 858 A Inglaterra i mpõe seu domínio sobre a Í ndia.
1 859 Início da abertura do Canal de Suez.
1 860 Lutas pel a unificação italiana.
1 86 1 Abraham Li ncoln assume a presidência dos Estados Unidos.
Abolição da servidão na Rússia.
Vítor Emanuel II é proclamado rei da Itália.
1 86 1 - 1 865 Guerra de Secessão americana.
1 862 Mitre é eleito presidente da República Argentina.
Bi smarck, primeiro-mini stro da Prússia, fortalece o exército e empreende a uni­
ficação alemã sob a hegemonia da Prússia.
I 863 A França estabelece um protetorado sobre o Camboja.
Descoberta de diamantes na África do Sul.
Abolição da escravatura nos Estados U nidos.
1 864 Criação em Londres da I Internacional dos Trabalhadores.
Convenção de Genebra: criação da Cruz Vermelha I nternacional.
Napoleão I I I impõe o Arquiduque Maximiliano da Áustria como i mperador do
México.
Linco ln é reeleito presidente dos Estados Unidos.
1 865 O presidente Lincol n é assassinado.
1 866 Começa a Guerra Austro-Prussiana.
1 867 Proclamada a Confederação Alemã do Norte, sob a presidência de Guil herme I
da Prússia. Bismarck é o chanceler.
Os Estados Unidos compram o A lasca da Rússi a.
Fuzilamento de M ax i miliano, imperador do México.
1 868 A revolução do I mperador M utsuhito inaugura no Japão a era Meiji, de rápida
modernização.
1 869 Abertura do Canal de Suez.
I Concílio Vaticano estabelece a infal ibilidade papal.
1 870 Morte de Solano López.
Guerra franco-alemã.
Tropas italianas ocupam os Estados Pontifícios.
1 87 1 I n surreição da Comuna em Paris.
Fundação do império alemão.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 5115

Abolição do feudal ismo no Japão.


1 872 Reúne-se em Haia o Congresso da Associação Internacional dos Trabalhadores.
1 874 Criação da União Postal Universal em Berna, na Suíça.
1 876 A Rainha Vitória é proclamada i mperatriz da Índia.
Porfirio Díaz assume o poder no México.
1 877 Rússia e Turquia entram em guerra nos B álcãs.
1 878 Congresso de Berlim põe fim à guerra dos Bálcãs e redesenha o mapa da região.
Humberto I é proclamado rei da Itália.
1 879 O explorador Stanley anexa à Bélgica os territórios congoleses.
1 880 Fundação da Companhia do Canal do Panamá.
1 88 1 A Tunísia torna-se protetorado francês.
Congresso Anarquista de Londres.
1 882 A Ingl aterra intervém no Egito.
1 883 Surge um partido marxista na Rússia.
1 884 O sudoeste africano passa a ser protetorado germânico.
Reconhecimento dos sindicatos na França.
Descoberta de ouro no Transvaal.
1 8 85 O Congo se torna um Estado independente, sob a soberania da Bélgica.
M adagáscar passa a ser protetorado francês.
A Birmânia (atual Mianma) é anexada à Grã-Bretanha.
1 886 Formação da Federação Americana do Trabalho.

-, 1 8 87 Abolição da escravatura em Cuba.


A França cria a União Indochinesa, que reúne os atuais Vietnã e Camboja.
1 888 Declarada a neutralidade do Canal de Suez.
1 889 Realiza-se em Washington a primeira Conferência I nternacional dos Estados
Americanos.
Exposição de Paris.
Fundação da II I nternacional Operária.
Outorga de u m a Constituição ao Japão.
1 890 Gui lherme II demite Bismarck.
Realizada em Berlim conferência para a proteção do trabalho.
1 89 1 Fundação do B ureau Internacional da Paz.
Publicação da encíclica Rerum Novarum.
1 892 Constituído o Partido Socialista Italiano.
Suspensa a construção do Canal do Panamá em virtude da quebra da empresa
fundada por Lesseps.
1 893 I nício dos massacres de armênios pelos turcos.
O Daomé (atual Benin) se torna protetorado francês.
O Havaí se torna protetorado dos Estados Unidos.
Fundado o Partido Trabalhista I ndependente, que dará origem ao Partido Traba­
lhista inglês.
1 894 Início do Processo Dreyfus.
Nicolau I I se torna czar da Rússia.
Os japoneses intervêm na Coréia. Começa a guerra com a China.

-
5/ió HISTÓRIA DO BRASIL

A Itália invade a Abissínia (atual Etiópia).


1 895 Fundação da Confederação Geral do Trabalho na França.
José M artí lidera uma revolução contra o domínio espanhol em Cuba e morre
em combate.
1 896 Pelo Tratado de Adis Abeba, a Itál ia renuncia a suas pretensões sobre a Abissínia
e esta reconhece o domínio da Itál ia sobre a Eritréia e a Somália.
Os fi lipinos se rebelam contra o domínio espanhol.
1 897 Grécia e Turquia entram em guerra.
I n ício do movi mento sionista. Em Basiléia, realiza-se o I Congresso I sraelita In­
ternacional.
1 898 Os Estados Unidos declaram guerra à Espanha.
Cuba consegue a independência, mas permanece sob i nfluência dos Estados
Unidos.
Criação da Ação Francesa, movimento de caráter pré-fascista.
1 899 Na China, os boxers se revoltam contra os estrangeiros. São derrotados.
Começa a Guerra dos Bôeres na África do Sul.
Assassínio de Humberto I na Itália. Sobe ao trono Vítor Emanuel I l i .
1 900 Sun Yat Sen funda o Partido Revolucionário Chinês.
I901 Firma-se a pol ítica de portas abertas n a China.
Aprovada a Emenda Platt como apêndice da Constituição cubana que permite a
intervenção americana em Cuba.
1 902 Fim da Guerra dos Bõeres. O Transvaal e o Estado Livre de Orange passam para
o domínio britânico.
1 903 Socialistas russos real izam congresso em Londres. Ocorre a cisão en tre
bolcheviques e mencheviques.
Os Estados Unidos promovem a independência do Panamá e obtêm soberania
sobre a faixa que margeia o canal.
Funda-se, na Grã-Bretanha, a Associação Política e Social das Mu lheres (as
suffragettes).
1 904 Início da Guerra Russo-Japonesa.
Sun Yat Sen funda o Kuomintang.
Retomada a construção do Canal do Panamá.
O presidente americano, Roosevelt, anuncia a doutrina do Big Stick, que justifi­
ca a intervenção na América Latina.
I 905 Ocorre na Rússia o Domingo Sangrento: passeata violentamente repri mida.
Greve geral e agitação social na Rússia. Motim no encouraçado Potemkin.
1 906 O gabinete Clcmcnceau toma posse na França. Dreyfus é reabilitado.
Reunião da I Duma na Rússia, logo dissolvida pelo czar, que retoma a repressão.
1 907 Conferência de Paz em Haia.
Reunião da li Duma na Rússia.
Massacre de trabalhadores das minas de nitrato pelo exército chileno cm Iquiquc.
1 908 Eclode na Turquia a rebelião dos Jovens Turcos, que rei vindicam um Estado
democrático constitucional. O Império Austro-Hú ngaro anexa a B ósnia­
Herzegovina, até então pertencente aos turcos.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 587

Inglaterra, França e Rússia formam a Trípliee Entente eontra a Alemanha.


1 909 Na Inglaterra as suffragettes fazem greve de fome na prisão.
A Turquia reeonheee a anexação da Bósnia.
191O Madero lidera revolta contra a ditadura de Porfirio Díaz: começa a Revolução
Mexicana.
Fi m da monarquia em Portugal . Proelamada a República portuguesa.
O Japão anexa a Coréia.
191 1 Cria-se, na Sérvia, a sociedade secreta Mão Negra.
Alastra-se a revolução no Méxieo. Porfirio Díaz renuncia, e é substituído por
Madero. Conflito entre os liberais e o movimento eamponês liderado por Zapat.1.
O golpe de Agadir, no M arrocos, provoca crise internacional .
Sun Yat Sen lidera a revolução na China. É proclamada a repúbl ica, com capital
em Nanquim.
1912 Forma-se a I Liga B alcânica. Decl aração de guerra à Turquia.
Wilson, eandidato do Partido Democrata, é eleito presi dente dos Estados U ni dos.
Zapata comanda a revolução camponesa no México.
1913 Deflagrada a Segunda Guerra Balcânica.
Poinearé é eleito presidente da França.
O presi dente Madero é assassinado no Méxieo. No norte do país, Paneho Vi lla
lidera os eamponeses.
1914 O herdeiro do trono austríaco, Arquiduque Franeiseo Ferdinando, é assassinado
em Sarajevo. O episódio deseneadeia a Primeira Guerra Mundial.
A Alemanha declara guerra à Rússia e à França, com o apoio do I mpério Austro­
Húngaro. A Ingl aterra declara guerra à Alemanha.
O general Obregón derrota as forças de Pancho Vil la no México.
Fim da construção do Canal do Panamá.
1915 A I tália entra na guerra, ao lado de ingleses e franceses, e a Bulgária contra.
Os Al iados decidem declarar bloqueio total à Alemanha.
1916 Tem início a Batalha de Verdun, o mais longo e intenso combate da Primeira
Guerra Mundial .
A Romênia entra na guerra, eontra o I mpério Austro-Húngaro.
Na Rússia, Rasputin é assassinado.
Os Estados U nidos invadem a Repúbl ica Dominicana.
1917 A Alemanha proelama guerra submarina total.
Os Estados U nidos declaram guerra à Alemanha e ao I mpério Austro-Húngaro.
Lênin l ança as teses de abri l, cm que propõe a tática de "todo poder aos sovietes".
Começa a Revolução Socialista na Rússia: os bolcheviques, l iderados por Lêni n
e Trótski tomam o poder.
Cuba é oeupada pelos amerieanos.
1918 A Rússia assina o Tratado de Brest-Litovski com a Alemanha, retirando-se da
guerra.
O I mpério Austro-Húngaro pede paz; Turquia e Alemanha assinam armistíeio.
C uilherme II abdica na Alemanha; o Partido Democrático assume o governo,
proclamando a Repúbliea de Wei mar.
·,

5//// IIISTÓRIA DO BRAS/l

1919 Realiza-se, em Paris, a Conferência de Paz.


Assi nado o Tratado de Versalhes.
Criação da Sociedade das Nações, para promover a paz e solucionar conflitos.
1 920 As mul heres conquistam direito de voto nos Estado Unidos.
Gandhi i nicia a campanha de desobediência civil na Índia.
Guerra entre Grécia e Turquia.
I 921 Fundação d o Partido Comunista Ital iano (Togliatti e Gramsci) e d o Partido Fas­
cista (Mussolini).
Fundação do Partido Comuni sta na China.
Início da Nova Política Econômica (NEP) na Rússia.
1 922 Primeira reunião da Corte de Haia.
Os camisas-negras fazem a Marcha sobre Roma. Mussolini instaura o governo
fascista na Itália.
Stálin se torna secretário do Partido Comu nista Russo.
1 923 Constitui-se a União das Repúblicas Social istas Soviéticas (URSS).
A região alemã do Ruhr é invadida pela França.
Primo de Rivera instala um governo ditatorial na Espanha.
1 924 Morte de Lênin. Início da disputa entre Trótski e Stálin pela liderança do Parti­
do Bolchevique.
Forma-se o primeiro governo trabalhista na Inglaterra.
Na China, os comunistas passam a ser admitidos no Kuomi ntang.
1 925 Morre Sun Yat Sen e é substituído por Chang Kai -chek n a liderança do
Kuomintang.
1 926 O Partido Fascista se torna partido único na Itál ia.
Golpe de Estado em Portugal . Sobe ao poder Gomes da Costa, instaurando um
regime corporativista.
1 927 Chang Kai-chek organiza o primeiro governo do Kuomintang em Nanquim e
rompe com os comunistas.
Publicada a Carta dei Lavoro na Itál ia.
Os Estados Unidos intervêm na Nicarágua.
Execução dos anarquistas S acco e Yanzetti, nos Estados Unidos.
1 928 Chang Kai-chek conquista Pequim e unifica o país.
Elaborado o I Plano Qüinqüenal na URSS.
Tem início a guerrilha de Sandino na Nicarágua.
O presidente mexicano, Obregón, é assassinado.
I 929 Trótski é exilado da URSS.
Colapso na Bolsa de Nova York provoca a grande crise econômica i nternacional .
1 9 30 A Liga das Nações denuncia a existência de escravidão em vários países.
Início da ditadura de Trujillo na República Dominicana.
Golpe de Estado na Argentina. Uriburu sobe ao poder.
Revolta derruba o governo de Leguía no Peru.
A Bolívia entra em guerra civil.
1 93 1 Revolta em Madri provoca queda da monarquia.
Hitler faz aliança com os nacionali5tas alemães.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 5X9

1 932 Avanço eleitoral dos nacional-socialistas na Alemanha, li derados por Hitler.


Franklin D. Roosevelt é eleito presidente dos Estados Unidos.
Coletivização forçada na URSS provoca a morte de milhões de pessoas.
Salazar, i ndicado primeiro-ministrJ de Portugal, passa a exercer poder ditatorial .
Início d a Guerra d o Chaeo, entre a Bolívia e o Paraguai.
1 933 Hitler é nomeado primeiro-ministro na Al emanha. O Parlamento é disso! vido e
i nstala-se o regime ditatorial. São criados os primeiros campos de concentração.
Tem i n ício nos Estados Unidos a política do New Deal, como resposta à crise
econômica.
Em Portugal é promulgada nova Constituição, de i nspiração fascista.
1 934 Morre o presidente alemão Hindenburg. Hitler se torna chefe absoluto do gover­
no e do Estado.
Na Chi na, cm virtude da intensa repressão, os comuni stas se rebelam contra o
governo e iniciam u ma retirada em direção ao norte. O episódio fica conhecido
como A Grande Marcha.
Na Nicarágua, Sandino é assassinado a mando de Somoza.
1 935 Hi tler decreta leis racistas e restabelece a obrigatoriedade do serviço militar na
Alemanha.
A Itália invade a Etiópi a.
Chang Kai-ehek é eleito presidente da República Chinesa.
Início da reforma agrária no México.
1 93 6 O Front Populaire vence a s eleições na França. Léon Biu m forma o novo governo.
A Frente Popular vence as eleições na Espanha. Franco i nicia a Guerra Civil
Espanhola.
Expurgo de velhos l íderes comunistas na URSS. Zinoviev é executado.
1 937 A cidade de Guernica (Espanha) é destruída por bombardeios nazistas.
Eclode nova Guerra Sino-Japonesa.
1 93 8 Decretadas leis anti-semitas na I tália.
Bu kharin é executado na URSS.
Na Conferência de Munique, a I nglaterra e a França fazem concessões a Hitler.
1 93 9 Franco toma Barcelona e Madri. Termina a Guerra Civil Espanhola.
A Alemanha ocupa a Tchecoslováquia, e a Itál ia anexa a Albânia. Hitler i nvade
a Polônia. É o início da Segunda Guerra Mundial.
Pacto de não-agressão germano-soviético.
1 940 A Alemanha invade a Dinamarca, Noruega, Holanda e Bélgica. As tropas fran­
co-britânicas, pressionadas pelos alemães, realizam a retirada de Dunquerque.
A França capitu la. O marec hal Pétain chefia um governo colaboraci onista em
Vichy.
Trótski é assassinado no México por um agente de Stálin.
1 94 1 A s tropas alemãs invadem a Iugoslávia e a Grécia. Rompendo o pacto, Hitler
invade a URSS.
Os japoneses bombardeiam Pearl Harbour. Os Estados Unidos entram na guerra.
1 942 Chefiados pelo marechal Montgomery, os Aliados derrotam os nazistas em El
Alamein (norte da África).
590 HISTÓRIA DO BRASIL

1 943 As forças alemãs se rendem em Stalingrado.


As tropas do Eixo são derrotadas no norte da África. Os A liados desembarcam
na Sicília e i niciam a ocupação da Itália. Mussolini é preso e executado.
Judeus são massacrados no gueto de Varsóv:a, na Polônia.
1 944 Soldados i ngleses, norte-americanos e canadenses desembarcam na Normandia
(norte da França); 20 mil pára-quedistas descem na região.
A França é l i bertada pelas tropas al iadas.
De Gaulle se torna presidente do governo provisório e i naugura a IV Repúbl ica
francesa.
Os americanos desembarcam nas Filipinas.
1 945 Roosevelt, Churchill e Stal i n se reúnem na Conferência de [alta. Fica decidida a
criação da ONU.
Os russos ocupam Berlim. Goebbels e Hitler se suicidam.
Os Estados Unidos lançam bombas atômicas sobre Hiroxima e Nagasáqui. O
Japão capitula.
Ho Chi Minh proclama a República Democrática do Vietnã.
1 946 O Tribunal de Nuremberg condena l íderes nazistas.
Começa na Argentina a ditadura de Pcrón.
A França reconhece a i ndependência do Vietnã do Sul como parte da União Fran­
cesa. Inicia-se a guerra contra o Vietnã do Norte.
1 947 Independência da Índia. Nehru é i ndieado primeiro-ministro.
No contexto da guerra fria, os Estados U nidos estabeleeem o Plano Marshal l , de
ajuda econômica aos países europeus não-socialistas.
A ONU aprova plano de di visão da Palestina, que consiste na formação de u m
Estado árabe e outro judeu.
1 948 Gandhi é assassinado na Índia.
Criação do Estado de lsrae!; Ben Gurion declara guerra à Liga Árabe.
O marechal Tito rompe com Stálin. A Iugoslávia é expulsa do Kominform.
Criação da República da Coréia no sul da península (al iada dos Estados Uni­
dos); no norte, o líder comuni sta Kim li Sung proclama a República Democráti­
c1 da Coréia.
1 949 A Alemanha é dividida em duas partes. Forma-se a República Federal da A le­
manha (Alemanha Ocidental) sob a liderança de Adenauer e a República Demo­
crática Alemã (Alemanha Oriental) chefiada por Walter Ul bricht.
Assinado o Tratado do Atlântico Norte.
Forma-se o Comecon (organização de cooperação econômica dos países socia­
l istas do Leste europeu).
Os comuni stas, liderados por Mao Tsé-tung, derrotam Chang Kai-chek e procla­
mam a República Popular da China.
1 950 Eelode a Guerra da Coréia.
Começa nos Estados Unidos o período maca;l hista, caracterizado pela persegui­
ção a pessoas consideradas de esquerda.
1 95 1 O primeiro-ministro d o Irã, Mossadegh, nacionaliza o petróleo. A medida pro­
voca crise i nternacional.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 59/

A I nglaterra ocupa mil itarmente o Canal de Suez.


O casal Rosemberg é executado nos Estados Unidos.
Perón é eleito presidente da Argenti na.
1 952 Eisenhower é eleito presidente dos Estados Unidos.
Golpe militar no Egito . Nasser derruba Faruk e proclama a repúbl ica.
Surge, no Quênia, a sociedade secreta Mau Mau, que objetiva a independência
do país.
Fim da Guerra da Coréia.
1 95 3 Morre Stál in. Malenkov o substitui.
Golpe de Estado no Irã com o apoio dos Estados Unidos. O primeiro-ministro
Mossadegh é deposto.
1 954 No Egito, Nasser derru ba o general Neguib e assume o poder.
Intervenção americana na Guatemala apóia a deposição do presidente Arbenz.
Início da guerra de :ndependência da Argélia.
Fim da Guerra do Vietnã. São criados dois Estados na região: a República De­
mocrática do Vietnã (Norte) sob o controle dos comu nistas e o Estado Imperial
(Sul).
1 955 Os países afro-asiáticos se reúnem na Conferência de Bandung, e condenam o
colonialismo, a discriminação racial e as armas atômicas.
Os países do Leste europeu constituem o Pacto de Varsóvia para fazer frente à
OTAN.
Queda de Perón na Argentina.
1 956 No X X Congresso do Partido Comunista, em Moscou, Kruschov (secretário-ge­
ral) denuncia os crimes cometidos por Stálin.
Começa em Cuba u m movimento guerril heiro contra Ilati �ta.
Nasser nacionaliza o Canal de Suez. Em represál ia, franceses, ingleses e israe­
lenses atacam a região.
A União Soviética invade a Hungria para reprimir a insurreição contra o domí­
nio da burocracia estatal.
1 957 Criação da Comunidade Econômica Européia (Mercado Comum Europeu).
Independência da Malásia e de Gana.
A União Soviética lança o Sputnik, primeiro satélite artificial.
1 958 O governo francês cai em virtude da Guerra da Argélia, encerrando a IV Repú­
bl ica. Sobe ao poder De Gau lle, que real iza reformas políticas.
Declarada a i ndependência da Guiné.
1 959 O grupo de Fidel Castro toma o poder em Cuba e i nicia a formação do governo
revolucionário.
Kruschov visita os Estados Unidos.
Os Estados Unidos c�iam a NASA para desenvolver a exploração espacial.
1 960 Nacionalização de empresas norte-americanas em Cuba.
Intervenção da ONU no Congo.
Martin Luther King lidera manifestações de negros contra a segregação racial
nos Estados Unidos. Aprovada legislação que garante aos negros o direito de
voto nos Estados onde isso era vedado.
l
592 HISTÓRIA DO BRASIL

Kennedy é eleito presidente dos Estados Unidos pelo Partido Democrata.


1 96 1 Em Cuba, é rechaçado o ataque de anticastristas na Baía dos Porcos. Fidcl Cas­
tro anuncia a adesão ao marxismo-leninismo.
Alemães do Leste levantam o Muro de Berli m.
O ditador Trujillo é assassinado na República Dominicana.
Os Estados Unidos iniciam o envio de homens e armas ao Vietnã do Sul para
combater os guerrilheiros comunistas.
1 962 Frondizi é deposto na Argenti na.
Kennedy declara bloqueio naval à ilha de Cuba, contra a presença de mísseis
soviéticos no país.
A Argélia consegue sua i ndependência da França. Ben Bel la sobe ao poder.
1 963 Nigéria e Quênia tornam-se independentes da Inglaterra.
Nos Estados Unidos, Kennedy é assassinado.
Morre João xxm, o papa renovador da Igreja.
1 964 Eduardo Frei (democrata cristão) é eleito presidente do Chile.
Morre Nehru na Índia.
Kruschov é substituído por Brejnev e Kossíguin na URSS.
Aviões americanos bombardeiam o Vietnã do Norte.
Líderes árabes criam a Organização de Libertação da Palestina (OLP).
J 965 Deposição de Ben Bella, presidente da Argélia. O coronel Boumedienc assume
o governo.
A Rodésia declara independência unilateral da I nglaterra.
Independência do Quênia, de Gana e das Maldi vas.
Os Estados Unidos intervêm para repri mir uma -insurreição armada na Repúbli­
ca Domi nicana.
Ferdinand Marcos é eleito presidente das Filipi nas.
1 966 Revolução Cultural na China, radicalização i deológica que desencadeia expurgos
e prisões, com mil hões de mortes.
Eleição de Richard Nixon, do Partido Republicano, para a presidência dos Esta­
dos Unidos.
Nasser, o presidente egípcio, exige a reti rada das tropas da ONU estacionadas na
fronteira com Israel e cm seguida bloqueia o acesso marítimo ao porto israelen­
se de Eilat.
Indira Gandhi , filha de Nehru, se torna primeira-ministra da Índia.
Golpe militar na Argentina depõe !Ilia , que é substituído por Arturo Onganía.
A França se retira da OTAN.
1 9 67 Golpe militar do coronel Papadopoulos, na Grécia.
Che Guevara é assassinado na Bolívia.
Bi afra proclama sua independência da Nigéria e começa a guerra civil que se
prolonga até 1 970.
Guerra dos Seis Dias: Israel lança ataque simultâneo ao Egito, à Síria e à
Jordânia.
Os Estados Unidos intensificam sua participação na Guerra do Vietnã.
1 968 Assassínio do líder pacifista negro Martin Luther King, nos Estados Unidos.
CRONOLOGIA HISTÓRICA 593

Eclode na França uma rebel ião popular, de estudantes e depois de trabalhadores,


que é reprimida por De Gaulle.
Salazar se afasta do governo de Portugal e é substituído por Marcelo Caetano.
Tanques soviéticos sufocam a Primavera de Praga, na Tchecoslováquia.
1 969 De Gau lle renuncia à presidência da França e é substituído por Pompidou.
A I nglaterra interfere militarmente nas lutas entre católicos e protestantes na Ir­
landa do Norte.
Junta militar liderada por Muhammar Kadhafi derruba a monarqui a na Líbia.
Franco designa o Príncipe Juan Carlos de B orbón como seu sucessor no gover­
no da Espanha.
O americano Neil Armstrong é o primeiro homem a pisar na Lua.
1 970 Estados Unidos, URSS e mais 41 nações subscrevem o Tratado de Não-Prol ife­
ração de Armas Nucleares.
A minoria branca, liderada por l an Smith, proclama a repúbl ica na Rodésia.
Salvador A l lende é eleito presidente do Chile.
O general nacional ista Juan José Torres lidera um golpe militar na B olívia.
Junta militar depõe o presidente argentino Onganía
1 97 1 Idi Amin toma o poder em Uganda por meio de u m golpe.
Morre François Duvalier, ditador do Haiti desde 1 957. É sucedido por seu filho
Jean Clau de, de dezenove anos.
Hugo B an zer assume o poder na Bolívia por meio de um golpe.
Ao final de violenta guerra civil, cria-se a República de Bangladesh, no territó­
rio do antigo Paquistão Oriental.
Com a admissão da China Popular, Taiwan é expulsa da ONU.
Líbia, Egito e Síria se unem na Federação das Repúblicas Árabes.
! 972 I nicia-se o processo de distensão nas relações entre países capitalistas e comu­
nistas : o presidente americano Nixon visita a China e a URSS.
O ex-presidente argentino Perón retorna a seu país, após dezessete anos de
exílio.
1 973 Encerrada oficialmente a Guerra do Vietnã: os Estados Unidos retiram suas tro­
pas , mas não cessam as lutas entre vietcongues e sul-vietnamitas.
Papadopoulos proclama a república na Grécia, mas é deposto pouco depois por
um gol pe militar.
Guerra do Yom Kippur, entre árabes e israelenses.
Os países produtores de petróleo quadrupl icam o preço do produto, devastando
a política econômica dos países compradores.
Perón e sua esposa, Isabeli ta, são eleitos presidente e vice-presidente da
Argentina.
O presidente chileno Al lende é deposto e morto por um golpe militar, que colo­
ca o general Pinochet no poder.
Dinamarca, Inglaterra e Irlanda entram para a CEE.
1 974 Revolução dos Cravos em Portugal põe fim a 48 anos de ditadura salazarista.
Começa o processo de descolonização da África portuguesa.
Conflito em Chipre entre as comunidades grega e turca.
594 HISTÓRIA DO BRASIL

Cai a ditadura grega; Caramanlis inicia o processo de redemocratização.


Após o escândalo de Watergate, Ni xon renuncia à presidência dos Estados
Unidos.
Com a morte de Perón, I sabelita assume a presidência da Argentina.
1 975 I nicia-se a guerra civil no Líbano, entre cristãos e muçul manos.
Com a morte de Franco, o Rei Juan Carlos assu me a chefia do governo e empre­
ende um processo de liberalização e redemocratização.
1 976 Golpe liderado pelo general Videla depõe l sabelita e desencadeia violenta re­
pressão na Argentina.
O democrata Jimmy Carter vence as eleições presidenciais nos Estados Unidos.
Morre Mao Tsé-tung.
1 977 Sadat, o presidente egípcio, visita I srael, reaproxi mando os dois países.
1 978 Morre o Papa Paulo VI e, em seguida, seu substituto, o Papa João Paul o 1. Eleito
papa o polonês João Paulo I I .
Golpe n a Bolívia depõe Banzer.
Terrorismo na Itália: o ex-primeiro-ministro A ldo Moro é seqüestrado e morto
pelas B rigadas Vermelhas.
Conferência de Camp David (entre Estados Unidos, Egito e I srael) determina a
retirada das tropas israelenses do Si nai.
1 979 O Xá Reza Pahlevi é destituído do trono do Irã. O líder fundamentalista aiatolá
Khomeini instala uma república islâmica.
Guerrilheiros sandinistas depõem Somoza e ocupam o poder na Nicarágua.
A URSS invade o Afeganistão.
Começa a guerra civil em EI Salvador.
Margareth Thatcher, do Partido Conservador, se torna primeira-mini stra da In­
glaterra.
1 980 O republicano Ronald Reagan é eleito presidente dos Estados Unidos.
Oficial izada a i ndependência da Rodési a do Sul, que passa a se c hamar
Zimbábue.
Começa a Guerra do Golfo, entre o Irã e o Iraque.
Greves l ideradas pelo recém-criado sindicato Solidariedade abalam a Polônia.
Morre o marechal Tito, que governava a Iugoslávia desde 1 945.
1 98 1 O presidente egípcio Sadat é assassinado por fundamentalistas muçulmanos.
O socialista Mitterrand é eleito presidente da França.
Os social istas vencem as eleições gregas, e Papandreu se torna primeiro-minis­
tro. A Grécia entra para a CEE.
1 9 82 G uerra entre a Inglaterra e a Argentina pela posse das I l has Malvi nas (ou
Falkland).
Conflitos de fronteira entre I rã e Iraque.
O socialista Felipe González se torna primeiro-ministro da Espanha.
Israel invade o Líbano.
1 983 Os socialistas vencem as eleições em Portugal , e Mário Soares se torna primei­
ro-ministro.
Conflitos no Sri Lanka entre as comunidades eingalesa e tâmil .
CRONOLOGIA 11/STÓR!CA 595

O socialista Betino Craxi se torna primeiro-ministro da Itália.


1 984 Independência de Brunei.
Yasser Arafat, líder da OLP, i nicia conversações com o Rei Hussein da Jordânia
para o estabeleci mento de um Estado palesti no.
Choques entre sikhs e hindus na Índia. I ndira Gandhi é assassi nada e substituída
por seu fi l ho, Raj i v.
Os sandi ni stas vencem as eleições na N icarágua.
Reagan é reeleito presidente dos Estados Unidos.
1 9 85 Sanguinetti , presidente eleito do Uruguai, empreende a redemocratização do país.
Gorbatchóv é designado presidente da URSS e inicia o processo de distensão,
que fica conhecido como glasnost (transparência).
Sob protestos i nternacionai s , a África do Sul i n stala um governo branco na
Namíbia.
1 986 Portugal e Espanha entram na Comunidade Econômica Européia.
Ferdinand M arcos, ditador das Fi lipi nas, é deposto e substituído por Corazón
Aqui no, viúva do l íder oposicioni sta Benigno Aquino.
Escândalo Irã-Contras.
A d i reita vence as eleições francesas e Jacques Chirac se torna primeiro­
mini stro.
1 987 Acordo entre a URSS e os Estados Unidos para o uso pacífico do espaço.
Daniel Ortega adota medidas de l iberalização política na N icarágua, respeitando
o acordo assi nado na Guatemala.
1 988 Acordo assinado em Genebra determina a suspensão da ajuda americana aos
muçulmanos e a retirada das tropas soviéticas do Afegani stão.
Começa a Inti fada, movi mento palestino de resistência à ocupação israelense da
Cisjordânia e da Faixa de Gaza.
Cria corpo um novo poder econômico concentrado nas mãos dos chamados Ti­
gres Asiáticos: Hong Kong, Taiwan, Cingapura e Coréia do Sul.
1 989 Massacre na Praça da Paz Celesti al, em Pequi m.
Aylwin, da frente oposicionista, vence as eleições no Chi le.
Eleito na Argentina o peronista Carlos Menem.
Vio lenta rebelião na Romêni a depõe e executa Ceau sescu ; o novo governo ini­
cia u m processo de abertura do país.
1 990 O Padre Aristide, candidato da esquerda, vence as eleições no Haiti .
De Klerk, presidente da África do Sul, toma uma série de medidas para pôr fim
ao apartheid. O líder negro Mandela é l i bertado.
Independência da Namíbia.
O líder s indical Lech Walesa vence as eleições na Polônia.
Saddam Hussein, do Iraque, invade o Kuwait.
Movimentos de i ndependência eclodem nas Repúblicas que compõem a União
Soviética.
1 99 1 Fim d a URSS e dos regi mes comunistas d a Europa. Fim do Pacto de Varsóvia.
Restaurada a Rússia e catorze outras Repúblicas independentes.
Guerra civil na antiga Iugoslávia. A ONU intervém.
596 HISTÓRIA DO BRASIL

Os Estados U nidos invadem o Iraque, para forçar sua retirada do Kuwait.


Derrubado o Muro de Berlim. Reuni l'icação das duas Alemanhas.
Fim da guerra civil em El Salvador.
Assassi nado Rajiv Gandhi.
Tratado de Maastricht, entre os doze países que integram a CEE, estabelece u m
plano progressivo de integração d a Europa.
1 992 Alberto Fujimori, presidente eleito do Peru, dá um golpe com o apoio das For­
ças Armadas e empreende profunda reforma política e econômica.
Movimentos separatistas de minorias étnicas e religiosas eclodem por toda a
Europa do Leste.
O democrata Bill Clinton é eleito presidente dos Estados Unidos.
Aki hito é o primeiro i mperador do Japão em dois mi lênios a fazer uma visita à
China.
A China se abre à economia de mercado.
A Bósnia- Herzegovina, uma das cinco nações formadas em lugar da antiga Iu­
goslávia, mergulha em sangrenta guerra civi l .
A Cúpula da Terra reúne n o Rio d e Janei ro 1 1 4 chefes d e Estado, além de repre­
sentantes de organi smos internacionais e militantes de organizações ecológicas,
para discutir o futuro do planeta.
1 993 O premiê i s raelense Yitzhak Rabin e o líder da OLP, Yasser Arafat, assinam acor­
do de paz nos Estados Unidos.
Fi m do apartheid na África do Sul.
Estabeleci mento do Nafta, acordo de livre comércio entre os países da América
do Norte: Estados U nidos, Canadá e México.
B rasi l , Argentina, Paraguai e Uruguai estruturam o Mercosul.
Desencadeada na I tália a Operação Mãos Limpas, destinada a l utar contra a
M áfia e a corrupção.
Na Rússia, Bóris leltsin lidera uma ação contra nacional i stas e comuni stas.
Balladur, conservador, torna-se primeiro- mini stro na França.
A ONU envia tropas para a Somália.
lmpeachment de Carlos Andrés Pérez, presidente da Venezuela.
Inglaterra e Irlanda assinam acordo para pôr fim aos conflitos religiosos na Ir­
landa do Norte.

Interesses relacionados