Você está na página 1de 10

INVENTÁRIO

É um documento no qual se faz a relação escrita de todos elementos patrimoniais (bens, direitos
e obrigações) pertencentes a uma determinada entidade, com a indicação das quantidades e
valores.
Finalidade do inventário
O inventário é elaborado com a finalidade de apresentar a composição do património, ficando-se
a conhecer em um determinado momento do exercício económico o conjunto dos elementos
patrimoniais (bens, direitos e obrigações) de uma entidade.

Classificação do inventário
O inventário pode ser classificado em:
a) Quanto ao momento da elaboração
 Inventário inicial- É aquele que é feito no início do ano;
 Inventário final-aquele que é feito no final do exercício económico.

b) Quanto a extensão ou conteúdo


 Geral- quando engloba todos os elementos patrimoniais;
 Parcial-quando engloba apenas uma parte dos elementos patrimoniais.

c) Quanto a disposição
 Horizontal- quando aparece em forma horizontal, ou seja quando o passivo (ou obrigações)
aparece ao lado do activo ou (bens e direitos);
 Vertical- quando o passivo ou obrigações vem por baixo do activo ou (bens e direitos).

d) Quanto a apresentação
 Corrido ou empírico- quando os elementos patrimoniais não seguem nenhuma ordem.
 Classificado ou selectivo- quando todos os elementos patrimoniais estão organizados
obedecendo uma certa ordem, geralmente pela ordem das classes do Plano Geral de
Contabilidade.
O trabalho para obtenção do Inventário obedece a três fases essenciais:
a) Identificação – detectar os elementos patrimoniais que existem.
b) Descrição e Classificação – os elementos patrimoniais após serem identificados e
descritos são seleccionados segundo determinadas classes.
c) Valorização – a atribuição de um valor ao elemento patrimonial em causa.

Exemplo
A empresa XYZ que se dedica a compra e venda de materiais diversos, apresentou no dia 1 de
Março os seguintes elementos:
Empréstimo bancário ……………………………………………….500.000,00
Numerário…………………………………………………………….25.000,00
Dividas por receber dos clientes………………………………………..42.000,00
Impostos a pagar……………………………………..…………………13.750,00
Cheques de terceiros…………………………………………………….87.000,00
3 Viaturas avaliadas a 435.000,00 @
Saque sobre Simao………….....................................................................14.000,00
Depósitos bancários no BCI avaliados a 855.000,00
Mercadorias diversas…….……………………………………………..102.000,00
Estabelecimento comercial……………………………………………..328.000,00
Marcas e patentes………………………………………………………..45.000,00
Dividas com fornecedores……………………………………………..122.000,00
Salários por pagar……………………………………………………...203.000,00
Sindicatos…………………………………………………………………2.030,00
Utensílios diversos……………………………………………………..25.000,00
Contribuições a INSS…………………………………………………..13.000,00

Pretende-se:
Registo do inventário classificado, no dispositivo vertical.
Inventario geral, classificado e no dispositivo vertical da empresa xyz em 01/03/N
Chimoio, aos 01 de Marco de N
Activo
1 Meios financeiros
1.1 Caixa
Numerarios em cofres 25,000.00
cheques de clientes 87,000.00 112,000.00
1.2 Bancos
1.2.1 deositos a ordem
no BCI 855,000.00
2 inventarios e activos biologicos
2.2 mercadorias 102,000.00
3 investimentos de capital
3.2 activos tangiveis
3.2.1 Construcoes
Estabelecimento comercial 328,000.00
3.2.4 equipamentos de transporte
3 viaturas 1,305,000.00
3.2.6 Ferramentas e utensilios -
utensilios diversos 25,000.00
3.3 Activos Intangiveis
Marcas e patentes 45,000.00
4 contas a receber, contas a pagar e acresc. E deferimentos
4.1 Clientes
4.1.1 Clientes, c/c
Dividas por receber de clientes 42,000.00
4.1.2 Clientes, c/ titulos a receber
Saque sobre Simao 14,000.00 56,000.00
Total do Activo 2,828,000.00
Passivo
4 contas a receber, contas a pagar e acresc. E deferimentos
4.2 Fornecedores
4.2.1 Fornecedores, C/c
Dividas com fornecdores 122,000.00
4.2 Emprestimo bancarios
no BCI 500,000.00
4.4 Estado
4.4.3.7 Impostos sobre o valor acrescentado a pagar 13,750.00
Contribuicoes sobre o INSS 13,000.00 26,750.00
4.6 Outros credores
4.6.2.2 Salarios por pagar 203,000.00
4.6.3 Sindicatos 2,030.00 205,030.00
4.3 Total do Passivo 853,780.00
BALANÇO
“É a comparação entre o activo e o passivo de um património de uma entidade evidenciando a
sua respectiva situação liquida”. João Esteves Pereira
O Balanço Patrimonial é destinado a evidenciar em uma determinada data a real situação
financeira de uma Entidade.
A possibilidade de evidenciar a situação líquida é que distingue o balanço do inventário.

Objectivos do balanço
Em regra, os balanços são elaborados tendo em conta dois objectivos fundamentais:
1. Apuramento da situação patrimonial de uma entidade em um determinado momento
(aspecto estático);
2. Determinação de resultados em um determinado período (aspecto dinâmico)

Expressão geral do Balanço


Situação liquida Balanço
Casos Designação Símbolo Valor Expressão Género
A>P Activa Sa S>0 A=P+Sa 1°
A=P Nula So S=0 A=P 2°
A<P Passiva Sp S<0 A=P-Sp 3°

Onde: Sa, So e Sp são saldo activo, nulo e passivo respectivamente.

CLASSIFICAÇÃO DO BALANÇO

O balanco pode ser classificado em:


a) Quanto ao momento da elaboração
 Balanco inicial- aquele que é feito no início de cada período económico;
 Balanço final-aquele que é feito no final de cada período económico;
 Balanço de fundação- é aquele que é feito no momento da criação ou fundação da
empresa, corresponde ao primeiro balanço da empresa;
 Balanço de liquidação- é aquele que é feito na fase da liquidação da empresa e
corresponde o último balanço da empresa.
b) Quanto a disposição
 Horizontal- quando aparece em forma horizontal, ou seja quando o passivo (ou obrigações)
aparece ao lado do activo ou (bens e direitos);
 Vertical- quando o passivo ou obrigações vem por baixo do activo ou (bens e direitos).

c) Quanto a apresentação
 Corrido ou empírico- quando os elementos patrimoniais não seguem nenhuma ordem.
 Classificado ou selectivo- quando todos os elementos patrimoniais estão organizados
obedecendo uma certa ordem.

Representação gráfica do balanço

Horizontal
balanco da empresa xyz em 01 de janeiro de N
caixa 20,000.00 fornecedores
22,000.00
bancos 15,000.00 estado
120,000.00
clientes 12,000.00 total
142,000.00
activos 320,000.00 situacao liquida
tangiveis 225,000.00
total 367,000.00 total do passivo e S.L
367,000.00
Vertical
balanco da empresa xyz em 01 de Janeiro de N
Activo
caixa 20,000.00
Bancos 15,000.00
Clientes 12,000.00
Activos tangiveis 320,000.00
total do activo 367,000.00
Passivo
fornecedores 22,000.00
Estdado 120,000.00
total do passivo 142,000.00
situacao liquida 225,000.00
total do passivo 367,000.00
e S.L

AS CONTAS DO BALANCO

ACTIVO:
O que se possui ou se tem direito a receber, permitindo averiguar os recursos que a empresa tem
ao seu dispor para o desempenho da sua actividade normal.

É um recurso controlado pela entidade como resultado de acontecimento passados e do qual se


espera que fluam para a entidade benefícios económicos futuros.
ACTIVO CORRENTE

Um activo é corrente quando satisfaz os seguintes aspectos:

 Seja realizado, vendido ou consumido no decurso normal do ciclo operacional da


entidade;
 Está detido essencialmente com a finalidade de ser negociado;
 Seja realizado num período até 12 meses após a data do Balanço;
 É caixa ou seu equivalente, a menos que lhe seja limitada a troca ou o uso para liquidar
um passivo durante pelo menos 12 meses após a data do Balanço.

Integram os activos correntes, os inventários, Activos Biológicos, Clientes e outros activos


financeiros, outros activos correntes, caixa e Bancos.

Inventários: são activos detidos para a venda no decurso da actividade empresarial ou


consumido no processo da produção de bens e serviços para a venda.

Activos biológicos consumíveis são os que estejam para ser colhidos como produtos agrícolas
ou vendidos como activos biológicos

Cliente: abrange todas as contas a receber afetas aos reditos e, em geral, derivadas das
transações nos negócios básicos da entidade

Outros activos financeiros: são todos os instrumentos financeiro que não sejam apresentado
ou incluído em outros itens do activo

Outros activos correntes: são todos os itens que não estejam incluído nos outros itens dos
activos correntes, é pois um item residual.

Caixa e banco: correspondem as contas de caixa, seus equivalentes (convertíveis em nemos


de 3 meses) e depósitos bancários.
 ACTIVO NÃO CORRENTE:
O Activo Não Corrente será divido em:
a) Realizável a Longo Prazo: São normalmente direitos que a entidade tem a seu favor e serão
realizados após o final do exercício em curso. Exemplo: dividas a receber a Longo Prazo;
b) Investimentos financeiros: As participações permanentes em outras sociedades e os direitos
de qualquer natureza, não classificados no Activo Corrente, e que não se destinem à manutenção
da actividade da companhia ou da empresa. Exemplo: acções em outras empresas, investimento
em imoveis, em obras de artes, entre outros;
c) Activos tangíveis: Os direitos que tenham por objecto bens corpóreos destinados à manutenção
das actividades da entidade ou da empresa ou exercidos com essa finalidade, inclusive os
decorrentes de operações que transfiram à entidade os benefícios, riscos e controlo desses bens;
d) Activos Intangível: Os direitos que tenham por objecto bens incorpóreos destinados à
manutenção da entidade ou exercidos com essa finalidade.

PASSIVO:
Passivo – o que se tem ou pode vir a ter obrigação de pagar e por isso é designado como
capital alheio, dado que não é pertença dos proprietários da empresa. O passivo é uma obrigação
presente da entidade resultante de acontecimentos passados, de cuja liquidação se espera que
resultem para entidade saídas de recursos incorporados aos benefícios económicos.

 PASSIVO CORRENTE

 É todo aquele que satisfazer qualquer um dos seguintes critérios:


 Espera-se que seja liquidado durante o ciclo operacional normal da entidade;
 Estar detido essencialmente com a finalidade de ser negociado;
 Deverá ser liquidado no período até 12 meses após a data do balanço;
 A entidade não tem um direito incondicional de definir a liquidação de passivo durante
pelo menos 12 meses a data do Balanço.

Provisões: estimativa dos dispêndios exigindo para liquidar a curto prazo, uma obrigação
presente a data do balanco devera ter consideração os riscos e certeza que rodeiam o acontecimento
passado.
Fornecedores: abrange todas as contas a pagar afetas as aquisições de inventário, materiais e
serviços, derivadas de transações nos negócios básicos da entidade.

Empréstimos obtidos: responsabilidade coerente (ou a parte dessas responsabilidade que


sejam coerente), por financiamento contraído junto de instituições de créditos ou outras
instituições financeiras, ou de participantes no capital da empresa ou outras entidades.

Outros passivos financeiros: todos os instrumentos financeiros coerente que não sejam
apresentados em outro itens do passivo, trata-se de um item que pode pertencer a um passivo não
coerente e corrente podem estar incluído neta conta os instrumentos financeiros de cobertura e
outros passivos financeiros

Impostos a pagar: inclui os montantes a pagar ao estado de outras entidades públicas que
tenham características dos impostos e taxas, inclui, portanto, os impostos coerente e não coerente
que não estejam pago, não se inclui neste item os impostos diferidos.

Passivos por imposto diferido: quantia de imposto sobre o rendimento pagáveis em períodos
futuros (ou a parte dessas responsabilidade que seja coerente) com respeito a diferença temporária
tributável.

Outras contas a pagar: item residual abrangendo todas as contas a pagar coerente que não
estejam incluído em outros itens do passivo.

 PASSIVOS NÃO CORRENTES

É toda aquela que não tenha sido classificado como corrente. O passivo é apresentado por
ordem de exigibilidade crescente. Assim, na apresentação do balanco temos os passivos não
correntes seguidos dos passivos correntes.

Integram os passivos não corrente as responsabilidade de longo prazo superior a 12 meses da


mesma conta do passivo corrente ou seja provisões, empréstimos obtidos outros passivos
financeiros, passivos por imposto diferido e outros passivos não corrente
CAPITAL PRÓPRIO

A diferença entre o activo e passivo – também conhecida como situação líquida é o interesse
residual nos activos da entidade depois de deduzidos todos os passivos.

Representando uma diferença entre os activos e passivos, no entanto, no balanço, o capital


próprio pode ser classificado em capital social, reservas, resultados transitados, entre outros, para
facilitar o processo de decisão, uma vez que existem normalmente condicionalismos legais e
estatuários, para o uso destes fundos.

O capital social é o capital próprio que os sócios constituíram para o início da actividade e as
prestações suplementares

O capital próprio (quotas próprias) que a empresa tinha adquirido é considerado uma
componente negativa do capital.

As reservas são provenientes dos lucros não distribuídos das entidades. A constituição de
reservas é, por vezes, exigidas pelos estatutos das sociedades ou pela legislação com fim de dar
maior proteção aos credores contra a ocorrência de prejuízo.

Os resultados transitados representam o valor líquido do somatório de lucros e prejuízo de um


ou mais exercício económicos, não distribuídos pelos detentores do capital que podem ser
utilizados para o crescimento do capital social das reservas ou ainda para serem distribuídas em
qualquer momento pelos detentores do capital.

Nota: o balanco iremos resolver na sala de aulas com base no exercício sobre o inventário acima
apresentado.