Você está na página 1de 14

A Comunidade Escolar como

agente participativo no Processo


de Ensino Aprendizagem
Profº Esp. José Firmino Dantas Neto
Licenciado em Matemática e Especialista em Gestão de
Processos Educacionais
E-mail: jotamino@yahoo.com.br Contato: 99212-0679
Agentes Integrantes da
Comunidade Escolar

• Alunos
• Pais
• Funcionários
• Professores
• Equipe Gestora
Função de cada Agente da
Comunidade dentro da Escola

Alunos
Participar do processo de ensino-aprendizagem visando a permanência
na escola, a diminuição da infrequência e a melhoria da aprendizagem;
Se preocupar com o rendimento (quantitativo e qualitativo) ao longo dos
bimestres;
Respeitar os professores e seguir as regras da escola;
Manter o ambiente escolar limpo e harmonioso.

Pais e Responsáveis
Participar do processo de ensino-aprendizagem visando a permanência do
educando na escola, a diminuição da infrequência e a melhoria da aprendizagem;
Se preocupar com o rendimento (quantitativo e qualitativo) ao longo dos
bimestres;
Participar das reuniões com os seus representantes;
Visitar a escola quando forem solicitados pelo Diretor ou Professores;
Realizar suas funções levando em consideração o caráter pedagógico da
convivência e do exemplo.
Função de cada Agente da
Comunidade dentro da Escola

Funcionários
Acompanhar e assessorar os visitantes quando precisarem de informações
de caráter espacial (onde fica esta turma? Onde está o Professor? etc);
Manter o ambiente da escola limpo e agradável;
Realizar suas funções levando em consideração o caráter pedagógico da convivência e
do exemplo.

Professores
Entregar as notas bimestrais, a infrequência (na Secretaria) e a coleta de
informações qualitativas (ao Coordenador) em tempo hábil para que providenciem a
análise;
Participar do processo de ensino-aprendizagem dos educandos pensando,
principalmente, nas estratégias que visem a permanência do educando na escola, a
diminuição da infrequência e a melhoria das aprendizagens;
Se preocupar com o rendimento (quantitativo e qualitativo) dos alunos e da turma ao
longo dos bimestres;
Participar das Reuniões do Conselho de Turma;
Ajudar o Diretor na coleta de informações sobre as ocorrências Semanalmente;
Colaborar na implementação das ações dos Projetos desenvolvidos;
Realizar suas funções levando em consideração o caráter pedagógico da convivência e
do exemplo.
Função de cada Agente da
Comunidade dentro da Escola

Equipe Gestora
Apresentar os Projetos para a comunidade escolar com o objetivo de levá-la a
refletir sobre os compromissos assumidos a partir da adesões aos mesmos, visando
o fortalecimento das práticas pedagógicas e a melhoria da aprendizagem dos
alunos;
Envolver a gestão escolar nas ações dos Projetos, delegando, aos coordenadores,
as atribuições específicas de acompanhamento sistemático dos mesmos;
Convocar os pais ou responsáveis para reuniões periódicas e salientar a
necessidade do acompanhamento dos pais/responsáveis à vida escolar dos alunos;
Incluir os diversos atores da comunidade escolar (gestores, corpo docente,
secretário(a), funcionários, pais ou responsáveis) nas ações concernentes ao
processo de ensino-aprendizagem;
Estimular a equipe de professores, alunos e demais atores escolares a construir um
ambiente agradável
Dar suporte aos professores, ofertando-lhes as condições adequadas de trabalho para o exercício de suas atribuições;
Planejar, com os coordenadores , na jornada pedagógica, as datas das Reuniões de Conselho de Turma (Diagnósticas e
Bimestrais), inserindo-as no calendário escolar;
Acompanhar a realização das Reuniões de Conselho de Turma, participando das mesmas, sempre que possível e,
através da leitura das atas com os demais membros, implementar as intervenções cabíveis às situações diagnosticadas.
Construir o horário dos professores, em consonância com o horário grade curricular das séries.
Realizar suas funções levando em consideração o caráter pedagógico da convivência e do exemplo.
O que diz a LDB I

Estabelece princípios da gestão


escolar:
Art. 2º
VIII – gestão democrática do
ensino público na forma desta Lei e
da legislação dos sistemas de ensino;
Art. 14
I - participação dos
profissionais da educação na
elaboração do projeto pedagógico da
escola;
II - participação das
comunidades escolar e local em
conselhos escolares ou equivalentes.
O que diz a LDB II

• Art. 15. Os sistemas de ensino assegurarão


às unidades escolares públicas de educação
básica que os integram progressivos graus
de autonomia pedagógica e administrativa e
de gestão financeira, observadas as normas
gerais de direito financeiro público.

• Art. 12 Os estabelecimentos de ensino (...)


terão a incumbência de:
• I – elaborar e executar sua proposta
pedagógica; (autonomia pedagógica)
• II – administrar seu pessoal e seus
recursos materiais e financeiros;
(autonomia administrativa e financeira)
Conselhos Escolares

Como pode ser


Composição: representantes da
comunidade escolar; dividida em
segmentos de pais, alunos,
funcionários e professores, sendo o
diretor o membro nato.
Escolha dos conselheiros: eleição
uninominal a cada período, definido
pelo estatuto para atuar como
presidente, secretário, e
representantes dos quatro
segmentos e seus respectivos
suplentes.
Funções: consultiva, deliberativa e
fiscalizadora nas questões
pedagógicas, administrativas e
financeiras
O Conselho Escolar

• O conselho escolar deve ser um espaço participativo da comunidade


na gestão da escola pública, por se tratar de um processo de
construção coletiva que vem derrubar o modelo centralizado que
existia anteriormente, mas para que as instituições alcancem
efetivamente sua autonomia, democracia, descentralização não basta
apenas um discurso vazio, têm que haver mudanças efetivas quanto à
participação da comunidade escolar (LUIZ et al., 2010)..
A Participação de Todos

Na gestão educacional é fundamental a


participação consciente e esclarecida de
toda a comunidade escolar nas decisões
sobre a orientação e planejamento do
trabalho institucional. Essa visão se associa
ao fortalecimento da democratização do
processo pedagógico, responsabilização e
participação de todos nas decisões
necessárias e na sua efetivação, através do
compromisso coletivo com resultados
educacionais cada vez mais significativos
(PARO,2007).
Um grande Problema Social

• O nível de escolarização dos agentes


passivos da comunidade escolar reflete
diretamente no processo educacional da
instituição. O sucesso escolar dos alunos,
por exemplo, depende do apoio direto e
sistemático da família, onde pais com mais
instrução conseguem acompanhar o ritmo
escolar dos filhos, enquanto que aqueles
que têm pouca escolaridade não conseguem
dar o apoio necessário aos discentes
(CARVALHO, 2000).
A Importância do Coordenador

• Os coordenadores são tão responsáveis


quanto os diretores, pois eles têm a função
de fazer as ligações diretas e indiretas dos
processos que envolvem professor-aluno, e
a própria direção, ou seja, é uma ponte
norteadora do processo de ensino-
aprendizagem.
• O coordenador além de toda função de
organizar, planejar, é a pessoa mais
capacitada para centralizar as conquistas
do grupo e assegurar que as boas ideias
tenham continuidade. Só assim será
possível uma formação contínua dos
professores (AUGUSTO, 2006).
Novo Modelo de Gestão
Participativa
A gestão é a base para uma política eficaz nas instituições de
ensino, uma vez que é responsável por organizar os processos que
envolvem toda a comunidade. E é a partir desta ideia que vem
sendo implantado o processo de democratização da gestão escolar,
garantindo assim uma maior participação de todos os envolvidos e
diminuindo a responsabilidade da própria equipe gestora.
Melhorando a qualidade no processo de Ensino-aprendizagem e
garantindo o direito a educação a todos.
Inversão de Valores e Funções