Você está na página 1de 2

Niterói, 31 de Outubro de 2017.

ANOTAÇÕES PARA PROVA:

- Iluminuras: eram figuras que os monges copitas faziam nos livros de orações
para iluminar, ou seja, tornar claro no sentido de se entender o texto. Eram
figuras chapadas copiadas de um livro de modelos.

- Pinturas chapadas: são aquelas sem perpectiva.

- A Idade Média ou Período Medieval durou mil anos.

- Os renascentistas chamavam pejorativamente a Idade Média de “Idade das


Trevas”.

- Na Idade Média ou Período Medieval não existia a noção de individual,


autoria.

- Artes: é a arte antes do Renascimento. É a concepção de arte de maneira


mais ampla. É a arte como artesanato. Antes da sua institucionalização.

- Noção de indivíduo: a arte saindo do anonimato, ou seja, como uma


afirmação do individual.

- Renascimento: séc. XIV e XVI.

- Foi a partir do Renascimento que houve a separação de arte e artesanato.

- Arte como ciência.

- Foi no Renascimento que o artista começou a ter um caráter intelectual,


passa de artesão para artista, estudioso, intelectual. Aquele que faz esboços
antes de criar as suas obras.

- Foi no Renascimento que começou a ideia de público, plateia, pessoas para


admirar, observar a arte como arte (expressão artística).

- “Imitar como Invenção Nova”: são os artistas da Renascença voltando ao


passado, a Antiguidade, mas não de uma maneira nostálgica. Pelo contrário,
existia um sentimento de superioridade, de potência em relação ao passado
(Antiguidade). Imitando (mimesis) e não copiando.

- “Imitação da Natureza”: é a natureza idealizada.

- Foi no Renascimento que surgiu a ideia de “perspectiva”.

- Perspectiva: “ver através”


- A Perspectiva pressupõe um observador e engendra distância. E não está
ligada a profundidade. A partir dela começa a existir a possibilidade de se
pensar o espaço abstratamente, racionalmente.

- “O Belo”: é tudo aquilo que é proporcional, equilibrado, harmônico.

- Giotto: um dos grandes gênios da arte do final da Idade Média. Ele trabalhava
a profundidade através do jogo de cores, o jogo de “claro e escuro”.

- Albert: arquiteto e literato. Foi principal teórico humanista da Renascença o


qual criou 3 tratados (da pintura, da arquitetura e da escultura).

- Janela Renascentista: é um terceiro espaço (espaço ilusório). Como se fosse


realmente a abertura de uma janela para um outro espaço “o ilusório”.

- Afrescos: são pinturas feitas na parede onde a têmpera para dar liga era feita
da gema do ovo que secava muito rápido não dando tempo de o artista corrigir,
acertar.

- Jan Van foi o artista que criou a pintura à óleo.

- Brunelleschi: foi com esse artista que se começou a criar plantas


arquitetônicas.

- Humanismo não significa “que se dirige a toda a humanidade”, mas “que


modela o homem perfeito.” (HAUTECOEUR)

- Renascimento: visava a razão. Buscava convencer. Propunha a lógica, a


moderação, o equilíbrio.

- Barroco: visava os sentidos, a imaginação e a fantasia. Buscava cativar.


Apelava para os movimentos dramáticos, sombrios.

- Maneirismo: foi transição do Renascimento para o Barroco. Maneira pessoal


de se trabalhar a arte. É o artista trabalhando a sua maneira.

- Disegno (projeto): externo (apreendido pelo exercício e pela prática) e interno


(desígnio, intencionalidade, mental) – dessin e dessein.