Você está na página 1de 45

Modelo

Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução Modelo Mundell-Fleming


Mercado de
Bens

Mercado
Monetário Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira
Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica 4 de abril de 2009

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Sumário

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
1 Introdução
Ferreira

Introdução 2 Mercado de Bens


Mercado de
Bens

Mercado 3 Mercado Monetário


Monetário

Setor Externo

Efeitos de 4 Setor Externo


Polı́tica
Econômica

5 Efeitos de Polı́tica Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Sumário

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
1 Introdução
Ferreira

Introdução 2 Mercado de Bens


Mercado de
Bens

Mercado 3 Mercado Monetário


Monetário

Setor Externo

Efeitos de 4 Setor Externo


Polı́tica
Econômica

5 Efeitos de Polı́tica Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Conteúdo da Aula

Modelo
Mundell-
Fleming Corresponde ao Modelo IS-LM para uma economia aberta
Prof. Dr.
Alex Luiz Hicks and Hansen → depois Modigliani
Ferreira
Robert Mundell e Marcus Fleming: + realismo
Introdução
O modelo M-F que vou apresentar difere daquele do seu
Mercado de
Bens livro-texto (Blanchard).
Mercado
Monetário Ele é mais completo e permitirá um entendimento
Setor Externo abrangente dos efeitos de polı́tica econômica (fiscal,
Efeitos de monetária e cambial) sobre juros e PIB numa economia
Polı́tica
Econômica aberta.
Os slides e as aulas devem ser suficientes para facilitar o
entendimento. Ainda assim, existe material especı́fico
indicado na bibliografia.

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Onde estamos...

Modelo
Mundell-
Fleming Modelo Clássico
Prof. Dr.
Alex Luiz
preços flexı́veis (ajuste automático)
Ferreira

Introdução Modelo Keynesiano


Mercado de
Bens preços rı́gidos no curto-prazo
Mercado - Papel importante da demanda agregada na determinação
Monetário

Setor Externo
não só de preços mas também da renda de equilı́brio
Efeitos de - Papel importante da taxa de juros na determinação da
Polı́tica
Econômica renda de equilı́brio
- Até aqui estudou-se a economia fechada. Nesta aula
desenvolveremos uma teoria para análise da economia
aberta

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira Uma extensão do modelo IS-LM para a
Introdução economia aberta
Mercado de As condições externas impõe restrições na
Bens

Mercado
condução da polı́tica macroeconômica
Monetário Mostra como é possı́vel conciliar objetivos internos
Setor Externo (produto real) com externos (equilı́brio no BoP)
Efeitos de Análise pode ser feita assumindo câmbio fixo ou rı́gido
Polı́tica
Econômica (dirty floating, “fear of floating”) e flexı́vel (veremos mais
adiante).

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Sumário

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
1 Introdução
Ferreira

Introdução 2 Mercado de Bens


Mercado de
Bens

Mercado 3 Mercado Monetário


Monetário

Setor Externo

Efeitos de 4 Setor Externo


Polı́tica
Econômica

5 Efeitos de Polı́tica Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Vamos obter a declividade das curvas
Ferreira
IS-LM-BP usando o método anterior.
Introdução Mas a demanda agregada agora também
Mercado de
Bens
depende indiretamente de outras variáveis
Mercado além de Y (renda interna):
Monetário
Y ∗ , a renda externa.
Setor Externo
², a taxa da câmbio real.
Efeitos de R$
Polı́tica
recorde-se que E , a taxa de câmbio nominal é E = U$
Econômica
Isto é Y , Y ∗ e ² afetam a demanda agregada
indiretamente via seu efeito sobre X e M.

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Mercado de Bens

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira Demanda agregada por bens internos, chamada de D
Introdução

Mercado de
D =C +I +G +X −M (1)
Bens

Mercado
onde C é o consumo, I o investimento e G representa os gastos
Monetário de consumo do governo.
Setor Externo Podemos chamar as importações lı́quidas de NX ,“net”, isto é
Efeitos de
Polı́tica
NX = X − M. Para a taxa de câmbio real assume-se ² = 1 e
Econômica
que este é o seu valor de equilı́brio.

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Funções individuais dos componentes de D

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz C = C0 + c(Y − T ) (2)
Ferreira

Introdução
I = I0 + I (r ) (3)
Mercado de
Bens

Mercado
Monetário G = G0 (4)
Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica
T = T0 (5)

NX = NX0 + NX (Y , Y ∗ , ²) (6)

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Agregando

Modelo
Mundell-
Substituindo os componentes individuais na equação da
Fleming demanda agregada, temos
Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira
D = C0 + c(Y − T ) + I0 + I (r ) + G0 + NX0 + NX (Y , Y ∗ , ²) (7)
Introdução

Mercado de
Bens
Agrupando os termos, podemos escrever
Mercado
Monetário D = D0 + D(Y , T , r , Y ∗ , ²) (8)
Setor Externo

Efeitos de
onde
Polı́tica
Econômica
D0 = C0 + I0 + G0 + NX0 (9)

D(Y , T , r , Y ∗ , ²) = c(Y − T ) + I (r ) + NX (Y , Y ∗ , ²) (10)

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Derivadas Parciais de D

Modelo Vamos representar as derivadas parciais de D:


Mundell-
Fleming
∂D
Prof. Dr. = DY
Alex Luiz ∂Y
Ferreira
∂D
Introdução = DT
∂T
Mercado de
Bens
∂D
Mercado = Dr
Monetário ∂r
Setor Externo
∂D
Efeitos de = DY ∗
Polı́tica ∂Y ∗
Econômica
∂D
= D²
∂²
Elas representam o efeito da mudança nestas variáveis sobre a
demanda agregada e, consequentemente, sobre o produto da
economia.
Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming
Derivadas: Sinal e Interpretação

Modelo
Mundell-
Fleming ∂C ∂NX (Y , Y ∗, ²)
DY = + = c + nY
Prof. Dr.
Alex Luiz
∂Y ∂Y
Ferreira

Introdução
DT < 0
Mercado de
Bens
∂I (r )
Mercado Dr = = Ir < 0
Monetário ∂r
Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
DY∗ > 0
Econômica

D² > 0
Temos que 0 < c < 1, −1 < nY < 0 e, vamos assumir,
c > |nY |. Assim 0 < DY < 1.
Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming
Equilı́brio no Mercado de Bens

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira
Demanda agregada planejada é igual ao fluxo do produto real.
A equação abaixo mostra a relação entre o nı́vel do produto real
Introdução
e as taxas de juros quando há equilı́brio no mercado de bens
Mercado de
Bens

Mercado Y =D (11)
Monetário

Setor Externo Ou seja,


Efeitos de
Polı́tica
Econômica Y = D0 + D(Y , T , r , Y ∗ , ²) (12)

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Diferencial Total

Modelo
Mundell-
Fleming
Tirando o diferencial total da equação (8), temos
Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira dY = dD0 + DY dY + DT dT + Dr dr + DY∗ dY ∗ + D² d² (13)
Introdução
Procuramos, no plano cartesiano, para os pares de coordenadas (Y ,
Mercado de
Bens r ), uma reta que satisfaz a condição de equilı́brio no mercado de
Mercado bens. Neste plano cartesiano temos o eixo horizontal (abcissa), o
Monetário
qual representa os valores de Y e o eixo vertical (ordenada), o qual
Setor Externo representa os valores de r . Assim, mantendo tudo o mais constante,
Efeitos de
Polı́tica
isto é ceteris paribus quando Y e r mudam T , D0 Y ∗ e ² são
Econômica constantes, a equação (13) pode então ser reescrita
¯
dr ¯¯ 1 − DY
= (14)
dY ¯dD0 =0,dY ∗ =0,d²=0,dT =0 Dr

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Sinal

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira
Temos então que a declividade é negativa, pois 0 < DY < 1 e
Dr < 0 ¯
Introdução dr ¯¯ 1 − DY
= (15)
Mercado de
Bens dY ¯dD0 =0,dY ∗ =0,d²=0,dT =0 Dr
Mercado
Monetário

Setor Externo
Relação IS: enquanto a renda e os juros reais variam, tudo o
Efeitos de
Polı́tica mais permanece constante e o mercado de bens permanece em
Econômica
equilı́brio.

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Curva IS

Modelo Agora sabemos a inclinação da reta e podemos desenhar a IS: relação


Mundell-
Fleming negativa entre r e Y . Observe que mudanças nos componentes
Prof. Dr. autônomos da demanda agregada provocarão deslocamentos da curva
Alex Luiz
Ferreira
IS.

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Sumário

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
1 Introdução
Ferreira

Introdução 2 Mercado de Bens


Mercado de
Bens

Mercado 3 Mercado Monetário


Monetário

Setor Externo

Efeitos de 4 Setor Externo


Polı́tica
Econômica

5 Efeitos de Polı́tica Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Mercado Monetário

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução
1 No modelo clássico a moeda não tem impacto sobre o
Mercado de
Bens produto real no curto e no longo-prazo
Mercado
Monetário
2 No modelo keynesiano a moeda tem impacto sobre o
Setor Externo
produto real no curto-prazo mas não no longo-prazo.
Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Equilı́brio no Mercado Monetário: Hipóteses

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira
Demanda por encaixes reais é função do nı́vel de renda
Introdução real e dos juros reais
Mercado de
Bens
Assume-se que a inflação esperada é constante e igual a
Mercado zero. Assim: r = i
Monetário
Oferta é exógena e determinada pelo Bacen
Setor Externo

Efeitos de Assume-se que não há sistema bancário (sem multiplicador


Polı́tica
Econômica bancário)

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Equilı́brio no Mercado Monetário: Formalização

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
L = L(Y , r ) (16)
Ferreira

Introdução
M = M0 (17)
Mercado de
Bens
e
Mercado
Monetário P = P̄ (18)
Setor Externo ∂L
onde L representa a demanda por liquidez: ∂Y = LY > 0 e
Efeitos de
∂L
∂r = Lr < 0. Equilı́brio ocorre quando
Polı́tica
Econômica

M0
= L(Y , r ) (19)

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Diferencial Total

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz µ ¶
Ferreira M0
d = LY dY + Lr dr (20)
Introdução P̄
Mercado de
Bens Aplicamos o procedimento análogo ao usado para ³encontrar
´ a
M0
Mercado inclinação da IS. Dadas nossas hipóteses temos d P̄ = 0 e
Monetário

Setor Externo
assim escrevemos
Efeitos de
Polı́tica dr −LY
Econômica = (21)
dY Lr

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


LM

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Quanto maior a sensibilidade da D de moeda relativa à renda e qto menor a sensibilidade relativa à juros,
mais inclinada é a LM

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Sumário

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
1 Introdução
Ferreira

Introdução 2 Mercado de Bens


Mercado de
Bens

Mercado 3 Mercado Monetário


Monetário

Setor Externo

Efeitos de 4 Setor Externo


Polı́tica
Econômica

5 Efeitos de Polı́tica Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


O Setor Externo

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz Principais suposições (simplificadoras):
Ferreira

1 O paı́s é pequeno: assim renda mundial e preços são


Introdução

Mercado de
dados.
Bens
2 Resultado do balanço comercial é igual ao resultado de
Mercado
Monetário transações correntes.
Setor Externo 3 Inflação doméstica esperada interna e externa constantes e
Efeitos de
Polı́tica
iguais a zero.
Econômica
4 Condição de Marshall-Lerner é satisfeita.

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


O Setor Externo: Equilı́brio

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira O resultado do Balanço de Pagamentos (fluxos) pode ser
descrito de acordo com a equação abaixo:
Introdução

BP = NX (Y , Y ∗ , ²) + k(r − r ∗ )
Mercado de
Bens (22)
Mercado
Monetário
Onde k representa saldo da conta de capital, ² é a taxa de
Setor Externo
câmbio real, r é a taxa de juros real. O asterisco representa a
Efeitos de
Polı́tica economia externa. As outras variáveis foram definidas
Econômica
anteriormente.

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Equilı́brio no Setor Externo: a curva BP

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Escrevemos abaixo o diferencial total da equação (22) para obter a declividade da
Ferreira curva BP

Introdução dBP = nY dY + nY ∗ dY ∗ + n² d² + kr dr − kr ∗ dr ∗ (23)


Mercado de
Bens
A letra minúscula n, representa a derivada de NX com relação às variáveis Y , Y ∗
e ². A letra k (minúscula) representa a derivada do saldo da conta de capital com
Mercado relação à r . Fazendo dBP = 0 , ou seja a variação de reservas é igual a zero (não
Monetário
há alteração na posição do BP), e as variáveis Y ∗ e ² são constantes, obtemos a
Setor Externo declividade da curva:
Efeitos de ¯
Polı́tica dr ¯¯ −nY
= (24)
Econômica
dY ¯dY ∗ =0,d²=0,dr ∗ =0 kr

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


−nY
A declividade da curva BP: kr >0

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Equilı́brio no Setor Externo: a curva BP

Modelo A curva BP mostra as combinações entre taxa de juros e PIB para a qual há equilı́brio no setor externo. Um
Mundell- nı́vel de renda maior implica em importações mais altas e, dado o nı́vel de exportações, é necessário uma
Fleming taxa de juros doméstica mais elevada para equilibrar o Balanço de Pagamentos. De fato, a curva BP pode
ser mais ou menos inclinada do que a LM. Vamos analisar sua inclinação nos próximos slides.
Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Análise da curva BP

Conforme colocado, a curva mostra as combinações entre taxas de juros e PIB quando o setor externo
Modelo encontra-se em equilı́brio. Em pontos acima da curva BP, a taxa de juros doméstica é maior do que aquela
Mundell- condizente com equilı́brio no setor externo. Assim, a economia está atraindo mais capital do que o necessário
Fleming para equilibrar o Balanço de Pagamentos e a economia apresenta um superávit externo. Em pontos abaixo
há déficit. Deslocamentos da curva BP para a direita (esquerda) ocorrem se houver aumento (diminuição) da
Prof. Dr.
renda mundial ou uma depreciação real da moeda doméstica (apreciação). Por exemplo, uma depreciação
Alex Luiz
real aumenta as exportações e diminui importações para cada nı́vel de renda, portanto é necessário uma taxa
Ferreira
de juros menor para equilibrar o Balanço de Pagamentos.

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Dinâmica do Equilı́brio

Modelo Pontos fora da curva significam que a economia encontra-se em desequilı́brio externo. E o ajustamento da
Mundell- economia vai depender do regime de câmbio. Este ajustamento vai se impor à economia doméstica. De fato,
Fleming o Brasil experimentou diversos perı́odos em sua história econômica em que o setor externo representou um
problema ao aumento do PIB.
Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Determinantes da declividade da curva BP

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira
O grau de mobilidade de capitais é um dos determinantes da
Introdução
inclinação da curva BP
Mercado de
Bens

Mercado
MOBILIDADE PERFEITA: kr → +∞
Monetário

Setor Externo
MOBILIDADE IMPERFEITA: finito e positivo.
Efeitos de
Polı́tica
IMOBILIDADE: kr → 0
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


MOBILIDADE PERFEITA: kr → +∞

Modelo
Mundell- A polı́tica monetária não é independente pois a taxa de juros real da economia deve ser igual a taxa externa.
Fleming Ou seja, com perfeita mobilidade de capitais, r = r ∗ , que é igual ao resultado da hipótese da paridade da
taxa de juros real.
Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


MOBILIDADE IMPERFEITA: kr é finito e
positivo
Modelo
Este é o caso que assumimos e o mais comum na realidade. O Brasil, por exemplo, caracteriza-se por
Mundell-
imperfeita mobilidade de capitais, já que os tı́tulos brasileiros não são substitutos perfeitos dos tı́tulos
Fleming
norte-americanos (considerados como “risk free”. OBS: Observe que imperfeita mobilidade de capitais é
Prof. Dr. diferente de imobilidade de capitais.)
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


IMOBILIDADE DE CAPITAIS: kr → 0

Modelo
Mundell- Neste caso há restrição ao crescimento interno. Só há um nı́vel de renda compatı́vel com equilı́brio no setor
Fleming externo. Nı́veis de renda acima de Ybp ocasionam um déficit comercial. A restrição externa pode ser aliviada
por uma depreciação real ou aumentos da renda externa.
Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Sumário

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
1 Introdução
Ferreira

Introdução 2 Mercado de Bens


Mercado de
Bens

Mercado 3 Mercado Monetário


Monetário

Setor Externo

Efeitos de 4 Setor Externo


Polı́tica
Econômica

5 Efeitos de Polı́tica Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Os efeitos de polı́tica fiscal e monetária no modelo M-F dependerão largamente do

regime de câmbio

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr.
Alex Luiz
1 Câmbio Flexı́vel: a taxa de câmbio varia de acordo com as
Ferreira mudanças na demanda e oferta de divisas.
Introdução
Superávit: aumenta a oferta de divisas e a moeda
Mercado de
doméstica se aprecia
Bens Déficit: diminui a oferta de divisas e a moeda se deprecia
Mercado
Monetário
2 Câmbio Fixo: o Bacen usa suas reservas externas para
Setor Externo
controlar o valor do dólar (a taxa de câmbio).
Efeitos de
Quando há um déficit, o Bacen vende dólares no mercado
Polı́tica aumentando a oferta de moeda estrangeira
Econômica
Quando há um superávit, o Bacen compra dólares no
mercado reduzindo a oferta de moeda estrangeira

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Superávit e Câmbio Flexı́vel

Vamos iniciar a análise, considerando um regime de câmbio flexı́vel. Suponha que os mercados de bens e
Modelo monetário estejam em equilı́brio no ponto a abaixo. Porém, o setor externo encontra-se desequilibrado (curva
Mundell-
BP 0 ). O superávit significa que há um excesso de oferta de dólares e, portanto, haverá uma apreciação
Fleming
nominal da moeda doméstica. Como os preços domésticos são rı́gidos, a taxa de câmbio real também se
Prof. Dr. apreciará. A taxa de câmbio real mais baixa vai deslocar tanto a IS quanto a curva BP para a esquerda. Isto
Alex Luiz ocorre porque a apreciação da moeda (supõe-se que a condição Marshall-Lerner é satisfeita) deprime
Ferreira exportações e aumenta importações. A menor demanda por bens internos é condizente com um equilı́brio no
mercado de bens, o qual, para cada nı́vel de juros (r ) se dá a um nı́vel de renda menor. Assim, a economia
se move em direção ao ponto e, onde a pressão externa desaparece e todos os mercados encontram-se em
Introdução equilı́brio.

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Déficit e Câmbio Flexı́vel

Modelo Suponha equilı́brio inicial no ponto a abaixo. O déficit significa que há um excesso de demanda por dólares o
Mundell- que promoverá depreciação nominal da moeda doméstica (por exemplo, a moeda Real). Como os preços são
Fleming rı́gidos, a taxa de câmbio real também se depreciará. A taxa de câmbio real mais alta vai deslocar a IS para a
direita e a BP para baixo.
Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Superávit e Câmbio Fixo

Modelo O superávit significa que há um excesso de oferta de dólares e haverá uma tendência de queda da taxa de
Mundell- câmbio. Como o câmbio é fixo, o Banco Central vai comprar dólares no mercado (ampliando suas reservas
Fleming externas). Ao comprar dólares no mercado, o Bacen acaba por deslocar a curva LM para a direita (ocorre um
aumento na oferta de moeda).
Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Déficit e Câmbio Fixo

Modelo O déficit significa que há um excesso de demanda por dólares o que tenderá a aumentar a taxa de câmbio
Mundell- nominal. Como o câmbio é fixo, o Bacen vai responder a esta pressão vendendo dólares no mercado de
Fleming câmbio. A venda de dólares tem como contrapartida uma diminuição no estoque de moeda o qual desloca a
curva LM para a esquerda até a economia repousar no equilı́brio em e.
Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Pergunta

Modelo
Mundell- À partir deste modelo você pode conjecturar os efeitos de mudanças na polı́tica econômica sobre o PIB e os
Fleming juros. Suponha que a economia encontra-se no ponto a e as autoridades monetárias desejam desaquecer a
economia. Analise os efeitos num regime de câmbio fixo e flexı́vel.
Prof. Dr.
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


O Modelo M-F no Livro-Texto de Blanchard

Modelo
Mundell-
Fleming

Prof. Dr. Nas últimas aulas vimos que, com uma taxa de câmbio
Alex Luiz
Ferreira esperada constante, aumentos na taxa de juros doméstica
Introdução
provocarão uma apreciação cambial (num sistema de câmbio
Mercado de
flexı́vel):
Bens
à !
Mercado Ē e − E ↓
t+1 t
Monetário
↑ it = it∗ = ↑
Setor Externo Et ↓
Efeitos de
Polı́tica Ou seja, quanto mais o Real se aprecia hoje, maior é a
Econômica
depreciação esperada (para um valor esperado dado da taxa de
câmbio nominal)

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


O Modelo M-F no Livro-Texto de Blanchard

Modelo
Mundell-
Fleming
Com uma taxa de câmbio esperada dada e constante, aumentos na taxa de juros doméstica provocarão uma
Prof. Dr. apreciação cambial (num sistema de câmbio flexı́vel).
Alex Luiz
Ferreira

Introdução

Mercado de
Bens

Mercado
Monetário

Setor Externo

Efeitos de
Polı́tica
Econômica

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming


Conclusões

Modelo
Mundell-
Fleming
A vantagem em se aprender a curva BP é analisar a dinâmica econômica em
Prof. Dr. resposta à choques de demanda, mudanças nas polı́ticas fiscal e monetária
Alex Luiz
Ferreira e situações de desequilı́brio sobre diferentes regimes de câmbio e mobilidade
de capitais. A curva BP da forma como foi apresentada também permite
Introdução visualizar de forma clara os determinantes das inclinações da IS-LM-BP, os
Mercado de
quais são cruciais para o entendimento dos efeitos de polı́tica econômica.
Bens
Câmbio Fixo:
Mercado
Monetário
Polı́tica monetária está subordinada à polı́tica externa. Por definição
a taxa de câmbio é fixa, portanto a polı́tica cambial também não
Setor Externo pode servir para acomodar choques sobre a demanda agregada.
Efeitos de Assim, a polı́tica fiscal é recomendada.
Polı́tica
Econômica Câmbio Flexı́vel:
A polı́tica monetária é recomendada para objetivos externos, pois ela
pode alterar a taxa de câmbio na direção desejada. A polı́tica fiscal
não é efetiva em aumentar o PIB.

Prof. Dr. Alex Luiz Ferreira Modelo Mundell-Fleming