Você está na página 1de 45

Fungos

Prof.Gildemar Crispim
Introdução
 Durante muito tempo – Fungos – Vegetais
 1969 – Reino Fungi
Introdução

 Fungos ≠ Plantas
 Não sintetizam clorofila;
 Não tem celulose na parede celular;
 Não armazenam amido (reserva).

 Fungos = Animais
 Presença de quitina na parede
celular;
 Armazenam glicogênio (reserva).
Fungos

 São seres eucarióticos;


 Unicelulares ou multicelulares;
 Principais estruturas da célula
fungica:
• parede celular, membrana citoplasmática,
núcleo, ribossomos, mitocôndrias, RE e
aparelho de Golgi.
Estrutura celular
Septo

Parede celular
Núcleo
Membrana celular
Fungos
 São aeróbios obrigatórios ou anaeróbios
facultativos;
 São heterotróficos;
 Reprodução: sexuada ou assexuada;
 São saprófitos; parasitas; simbiontes;
 Nutrição: absorção;
 São psicrofilos; mesofilos e termofilos;
 Crescimento lento – 7 a 15 dias ou mais;
Fungos
 Distribuição: solo, água, alimentos, ar,
vegetais, detritos, animais, homem.
 Importância:
 Indústria:produtos químicos e
farmacêuticos, comestíveis, laticínios,
bebidas alcoólicas de todos os tipos;
 Agricultura;
 Veterinária;
 Medicina humana;
Morfologia

 Hifas : é o nome que se usa para


designar os filamentos dos fungos.
 Micélio é o conjunto das hifas.
Morfologia

 Classificação das Hifas:


 Quanto à presença de septos:
• Asseptadas ou cenocítica
• Septadas
Morfologia
 Classificação das Hifas:
 Ashifas podem ser encaradas ainda
como verdadeiras e falsas
• As hifas verdadeiras são as que crescem
sem interrupção, a partir de germinação
de um esporo.
• As falsas hifas ou hifas gemulantes ou
pseudo-hifas são as que crescem por
gemulação ou por brotamento sucessivo
(leveduras).
Morfologia
Morfologia

 Classificação das Hifas:


 Quanto a coloração:
• As hifas hialinas de cores claras são
chamadas mucedíneas.
• As hifas de tonalidade escura ou negra
são hifas demácias;
Morfologia
 Esporos – Via assexuada
 Artroconídios
• São esporos que se formam
pelo simples desmembramento
das hifas septadas.
Morfologia
 Esporos– Via assexuada
 Blastoconídio
• É o esporo que se forma por gemulação
(brotamento)- leveduras.
• O micélio gemulante ou pseudomicélio das
leveduras também produz blastoconídio.
Morfologia
 Esporos – Via assexuada
 Conídios
• São os esporos mais freqüentes entre os fungos.
• Para sua formação, há necessidade de uma hifa
diferenciada chamada conidióforo.
• O conidióforo pode ser uma simples hifa, na
extremidade da qual se implantam os conídios ou,
então, vão aumentando em complexidade, de modo
a constituir um verdadeiro aparelho produtor de
conídios.
• Os conidióforos podem ser uni, bi ou multicelulares.
Morfologia

 Esporos – Via assexuada


 Esporangiósporo
• É o equivalente assexuado do conídio na
classe dos Zigomicetos.
• É assim denominado porque se forma num
esporangióforo, que termina por uma
formação arredondada chamada
esporângio, dentro da qual se formam os
esporangiósporos.
Esporangióforo
Morfologia
 Esporos – Via sexuada
 Oósporo e o Zigospório - classe dos
Zigomicetos.
 Basidiósporo - classe dos Basidiomicetos.
 Ascósporo - classe dos Ascomicetos.
 A classe Deuteromicetos não apresenta
esporos sexuados, por isso é chamada de
classe dos Fungi Imperfecti – fungos
imperfeitos.
Dismorfismo fungico

 Crescimento micelial entre 22 e 28º C


e leveduriforme entre 33 e 37 º C –
reversível.
micélio levedura

23ºC 37ºC
Classificação

 O Reino Fungi é dividido em seis filos


ou divisões dos quais quatro são de
importância médica:
 Zygomycota,
 Ascomycota,
 Basidiomycota
 Deuteromycota.
Classificação
 DIVISÃO ZYGOMYCOTA
 Incluifungos de micélio cenocítico, ainda
que septos podem separar estruturas como
os esporângios.
 A reprodução pode ser sexuada, pela
formação de zigospórios e assexuada com a
produção de esporos, os esporangiósporos,
no interior dos esporângios.
 Os fungos de interesse médico se
encontram nas ordens Mucorales e
Entomophthorales.
Classificação
 DIVISÃO ASCOMYCOTA
 Agrupa fungos de hifas septadas.
 A sua principal característica é o asco, estrutura em
forma de saco ou bolsa, no interior do qual são
produzidos os ascósporos, esporos sexuados, com
forma, número e cor variáveis para cada espécie.
 Algumas espécies produzem ascocarpos e
ascostromas no interior dos quais se formam os
ascos - conídios, propágulos assexuados.
 As espécies patogênicas para o homem se
classificam em três classes: Hemiascomycetes,
Loculoascomycetes e Plectomycetes.
Classificação
 DIVISÃO BASIDIOMYCOTA
 Fungos superiores ou cogumelos;
 Compreende fungos de hifas
septadas, que se caracterizam pela
produção de esporos sexuados, os
basidiósporos, típicos de cada
espécie.
 A espécie patogênica mais importante
se enquadra na classe Teliomycetes.
Classificação
 DIVISÃO DEUTEROMYCOTA
 Engloba fungos de hifas septadas que
se multiplicam apenas por conídios.
 Os conídios podem ser exógenos ou
estar contidos em estruturas como os
picnídios.
 Entre os Deuteromycota se encontra
a maior parte dos fungos de
importância médica.
Micoses
 Segundo os tecidos e órgãos atingidos, as
micoses são classificadas em:
 Micoses Superficiais (pele ou pelos);
 Micoses Cutâneas ou Dermatomicoses
(pele, pelos, unhas e mucosas);
 Micoses Subcutâneas (pele e tecido
subcutâneo);
 Micoses Sistêmicas ou Profundas (tecidos,
órgãos e vísceras).
Micoses Superficiais...

Piedras
Nódulos irregulares aderentes ao pelo, e visível a olho nu
Piedra negra (Piedraia hortae) – cabelo, nódulos escuros, duro
Piedra branca (Trichosporon beigelii) – pelos escrotais e pubianos,
raramente barba, bigode, axila e cabelos, nódulos claros.
Tinha negra
Phaeoannelomyces werneckii
Assintomática
Palmas da mãos, nas plantas dos
pés e outras partes do corpo
Pitiriase versicolor
Mancha escura, marrom ou
Malassezia furfur
negra de aspecto fuliginoso
Assintomática
Lesões hipo ou
hiperpigmentadas, bordos
delimitados, tórax, abdome,
pescoço, face, membros, axilas,
virilhas e coxas
Micoses Cutâneas ou
Dermatomicoses (Tinhas)...

Dermatomicoses
Trichophyton, Microsporum, Epidermophyton, Candida
Pelo: sem brilho, quebradiço, alopecia;
Pele: lesões descamativas, circulares, bordos eritrematosos – lesões úmidas, esbranquiçadas
ou avermelhadas;
Unhas: branco-amarelada, porosas e quebradiças – sem brilho, espessada, endurecida,
escuras
Micoses Subcutâneas...

Cromomicose
Esporotricose Fonsecae pedrosoi
Sporothrix schenkii Nódulos cutâneos verrugosos
Lesões ulceradas -ulceras
Micoses Sistêmicas ou
Profundas...

Criptococose
Paracoccidioidomicose Cryptococcus neoformans
Paracoccidioides brasiliensis
Diagnostico laboratorial

 Coleta
Diagnostico laboratorial

 Coleta
Diagnostico laboratorial

 Exame microscópico direto


Diagnóstico laboratorial
 Exame microscópico direto
 Solução de KOH a 10%-20%; Azul
algodão, Lactofenol
 Tinta Nankin – Cryptococcus
neoformans
 Coloração de Giemsa
 Imunofluorescencia
 Histopatologico
Diagnóstico laboratorial

 Cultura e Identificação
 Agar Sabouraud dextrose
 Agar Micosel
 Agar batata
 Cultivo em lamina
 Auxanograma
 Provas bioquímicas