Você está na página 1de 21

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA


UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA QUÍMICA

Resolução da lista do primeiro estágio

Disciplina: Princípios e cálculos da engenharia química


Professor: Karoline Brito

Alunos (as): Ana Beatriz de França Silva Araújo – 117110334


Ana Karolina Cabral de Souza Araújo – 117111228
Marcus Vinícius Silva Leite - 117111241
Jéssica Raiane Barbosa da Silva – 117110366

Campina Grande

04 de Dezembro de 2017
Problema 1.
Duas soluções aquosas de ácido sulfúrico contendo 20% em massa de HSO4 (DR =
1,139) e 60% em peso de H2SO4 (DR = 1,498) são misturadas para formar uma
solução 4 molar (DR = 1,213).

F1 1000 kg/h

H2SO4 – 0,20
H2SO4
H2O F3
H2O
DR = 1,139 4 molar
DR = 1,213

F2

H2SO4 – 0,60

H2O

DR = 1,498

Admitindo 1 para H2SO4 e 2 para H2O

 Calcule a fração mássica de ácido sulfúrico na solução produto.

𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒂 𝒇ó𝒓𝒎𝒖𝒍𝒂 𝒅𝒆 𝒅𝒆𝒏𝒔𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆


𝑚 𝑚1 + 𝑚2
𝜌= →𝜌=
𝑣 𝑣
𝑚1 + 𝑚2
𝑠𝑒𝑛𝑑𝑜 𝑎𝑠𝑠𝑖𝑚 𝑡𝑒𝑚𝑜𝑠 𝑞𝑢𝑒 𝑣 =
𝜎
𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒂 𝒇ó𝒓𝒎𝒖𝒍𝒂 𝒅𝒂 𝒎𝒐𝒍𝒂𝒓𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆
𝑚1 𝑚1
𝜇= 𝑎𝑜 𝑚𝑒𝑠𝑚𝑜 𝑝𝑎𝑠𝑠𝑜 𝑞𝑢𝑒 𝜏 =
𝑀𝑀 . 𝑣 𝑚1 + 𝑚2
𝑚1
𝜇 𝑀𝑀 . 𝑣
=
𝜏 𝑚1
𝑚1 + 𝑚2
𝜇 𝑚1 + 𝑚2
=
𝜏 𝑀𝑀. 𝑣
𝒂𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒂 𝒇𝒐𝒓𝒎𝒖𝒍𝒂 𝒂𝒏𝒕𝒆𝒓𝒊𝒐𝒓𝒎𝒆𝒏𝒕𝒆 𝒐𝒃𝒕𝒊𝒅𝒂
𝜇 𝑚1 + 𝑚2 𝜇 𝜌
= → =
𝜏 𝑚1 + 𝑚2 𝜏 𝑀𝑀
𝑀𝑀 . ( 𝜌 )

1|Página
𝜇 . 𝑀𝑀
𝑠𝑒𝑛𝑑𝑜 𝑎𝑠𝑠𝑖𝑚, 𝜏 =
𝜌

𝒂𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒐𝒔 𝒗𝒂𝒍𝒐𝒓𝒆𝒔 𝒕𝒆𝒎𝒐𝒔

4,98. 10−3
𝜏 = 𝑥13 = ≅ 0,32
1,213

 Calcule a razão de alimentação (litros da solução a 20%/litros da solução a


60%)

Variáveis 6
Balanços de massa 2
Composições 3
Base 1
DOF 0

I.𝑓11 + 𝑓12 = 𝑓13

II.𝑓21 + 𝑓22 = 𝑓23

𝑓11
III.𝑥11 = 𝑓11 +𝑓21
= 0,2

𝑓12
IV.𝑥12 = = 0,6
𝑓1 +𝑓22
2

𝑓13
V.𝑥13 = 𝑓1 +𝑓13
3 = 0,32

VI.𝑓11 + 𝑓12 = 100

𝑘𝑔 𝑘𝑔
𝑠𝑎𝑏𝑒𝑚𝑜𝑠 𝑞𝑢𝑒, 𝑓11 = 20 ⁄ℎ 𝑒 𝑞𝑢𝑒 𝑓21 = 80 ⁄ℎ
𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒂 𝒆𝒒𝒖𝒂çã𝒐 𝑰𝑽

𝑓12 = 0,6 𝑓12 + 0,6 𝑓22 → 0,4 𝑓12 = 0,6 𝑓22


3
𝑓12 = 𝑓22
2

𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒂 𝒆𝒒𝒖𝒂çã𝒐 𝒗

𝑓13 = 0,32 𝑓13 + 0,32 𝑓23 → 0,68 𝑓13 = 0,32 𝑓23

0,32 3
𝑓13 = 𝑓
0,68 2
𝒂𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒎 𝑰 𝒕𝒆𝒎𝒐𝒔

2|Página
3 2 8 1
𝑓11 + 𝑓2 = (𝑓 − 𝑓22 )
2 11 2
3 8 2
20 + 𝑓22 = − 𝑓 + 37,65
2 11 2
𝑘𝑔
1,97𝑓22 = 17,65 → 𝑓22 = 8,96

1 2 3 3
𝑓1 + 𝑓1 = 𝑓1 → 𝑓1 = 80 − 8,96
𝑘𝑔
𝑓13 = 71,04

𝒂𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒏𝒐 𝒑𝒓𝒊𝒎𝒆𝒊𝒓𝒐 𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒊𝒎𝒆𝒏𝒕𝒐


3 3
𝑓12 = 𝑓22 → 𝑓12 = 8,96
2 2
𝑓12 = 13,44 𝑘𝑔/ℎ

𝒏𝒂 𝒆𝒒𝒖𝒂çã𝒐 𝑰𝑰
𝑓21 + 𝑓22 = 𝑓23 → 80 + 8,96 = 𝑓23
𝑓23 = 88,96

𝑳𝒐𝒈𝒐, 𝒂𝒏𝒂𝒍𝒊𝒛𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒂𝒔 𝒄𝒐𝒓𝒓𝒆𝒏𝒕𝒆𝒔 𝑭𝟏 𝒆 𝑭𝟐


𝐹1 = 20 + 80 = 100
𝐹2 = 13,44 + 8,96 = 22,4

𝑶𝒃𝒕𝒆𝒏𝒅𝒐 𝑽𝟏 𝒆 𝑽𝟐

𝐹1 100
𝑉1 = → 𝑉1 = = 87,79
𝜎 1,139
𝐹2 22,40
𝑉2 = → 𝑉2 = = 14,95
𝜎 1,498

𝑶𝒃𝒕𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒂 𝒓𝒂𝒛ã𝒐 𝒆𝒏𝒕𝒓𝒆 𝒐𝒔 𝒗𝒐𝒍𝒖𝒎𝒆𝒔


𝑉1 87,79
= = 5,87
𝑉2 14,95

 Que vazão de alimentação da solução 60%, em (L/h) seria necessária para


produzir 1250 kg do produto?

𝑴𝒐𝒏𝒕𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒖𝒎𝒂 𝒓𝒆𝒈𝒓𝒂 𝒅𝒆 𝒕𝒓ê𝒔

𝑉2 → V1

𝑉2 ∗ → 1250

14,95 → 87,79

𝑉2 ∗ → 1250

3|Página
𝑳𝒐𝒈𝒐, 𝒕𝒆𝒎𝒐𝒔 𝒒𝒖𝒆

1250 . 14,95
𝑉2 ∗ = = 212,86
87,79

Problema 2.

Uma mistura de tinta contendo 25% de pigmento e o resto de água é vendida por R$
19,00/kg e uma outra mistura contendo 12% de pigmemto é vendida por R$10,00/kg.
Se um varejista faz uma mistura contendo 17% de pigmento, por quanto ele deveria
vendê-la (R$/kg) para ter um lucro de 10%?

F1
H2O

0,25 Pigmento
F3
H2O

0,17 Pigmento

F2
H2O

0,12 Pigmento

Variáveis 6
Balanços de massa 2
Composições 3
Base 1
DOF 0

I.𝑓𝑝1 + 𝑓𝑝2 = 𝑓𝑝3

II.𝑓𝑤1 + 𝑓𝑤2 = 𝑓𝑤3

𝑓𝑝1
III.𝑥𝑝1 = 𝑓𝑝 +𝑓𝑤1
1 = 0,25

𝑓𝑝2
IV.𝑥𝑝2 = 𝑓𝑝 +𝑓𝑤2
2 = 0,12

𝑓𝑝3
V.𝑥𝑝3 = 𝑓𝑝3 +𝑓𝑤3
= 0,17

VI.𝑓1 = 100 = 𝑓𝑝1 + 𝑓𝑤1

4|Página
𝑹𝒆𝒂𝒍𝒊𝒛𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒐𝒔 𝒄á𝒍𝒄𝒖𝒍𝒐𝒔

𝑓𝑝1 = 0,25 . 100 = 25 𝑘𝑔

𝑓𝑤1 = 100 − 25 = 75 𝑘𝑔

𝑓𝑝1 + 𝑓𝑝2 = 𝑓𝑝3

𝑥𝑝1 . 𝐹1 + 𝑥𝑝2 . 𝐹2 = 𝑥𝑝3 . 𝐹3

𝐹1 + 𝐹2 = 𝐹3
𝑆𝑖𝑠𝑡𝑒𝑚𝑎 𝑐𝑜𝑚 𝑎𝑠 𝑠𝑒𝑔𝑢𝑖𝑛𝑡𝑒𝑠 𝑒𝑞𝑢𝑎çõ𝑒𝑠
25 + 0,12 . 𝐹2 = 0,17 . 𝐹3
100 + 𝐹2 = 𝐹3
25 + 0,12 . 𝐹2 = 0,17 . (100 + 𝐹2)
25 + 0,12 . 𝐹2 = 0,17𝐹2 + 17
0,05𝐹2 = 8 → 𝐹2 = 160
𝑺𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒂𝒔𝒔𝒊𝒎
𝐹3 = 100 + 160 = 260
𝑓𝑝3 = 0,17 . 260 = 44,2

𝑓𝑤3 = 260 − 44,2 = 215,8

𝑹𝒆𝒂𝒍𝒊𝒛𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒐𝒔 𝒄á𝒍𝒄𝒖𝒍𝒐𝒔 𝒑𝒂𝒓𝒂 𝒐𝒃𝒕𝒆𝒓 𝒐 𝒍𝒖𝒄𝒓𝒐

𝐹3 = (100 . 18) + (160 . 10) = 𝑅$3400,00

3400
= 𝑅$13,08 é 𝑜 𝑐𝑢𝑡𝑜 𝑝𝑜𝑟 𝑘𝑔
260
𝑷𝒓𝒆ç𝒐 𝒑𝒐𝒓 𝒗𝒆𝒏𝒅𝒂

1,1 . (13,08) = 𝑅$14,38

Problema 3.

Morangos contém cerca de 15% em massa de sólidos e 85% de água. Para fazer
geleia de morango, morangos amassados e açúcar são misturados em uma proporção
mássica de 45:55, e a mistura é aquecida para evaporar a água, até que o resíduo
contenha um terço de água em massa. Calcule quantas libras de morangos são
necessárias para fazer uma libra de geleia.

5|Página
H2O

Morango – 0,15 Morango

H2O – 0,85 H2O – 1/3 GELÉIA

Açúcar

Açúcar

Admitindo 1 para morangos, 2 para H2O e 3 para o açúcar

Variáveis 7
Balanços de massa 3
Composições 2
Razão 1
Vazão 1
DOF 0

VII.𝑓14 + 𝑓24 + 𝑓34 = 1

VIII.𝑓11 = 𝑓14

IX. 𝑓21 = 𝑓23 + 𝑓24

X. 𝑓32 = 𝑓34

𝑓11
XI.𝑥11 = = 0,15
𝑓1 +𝑓21
1

2
XII.𝑓14 + 𝑓34 = 3

1 1
XIII.𝑓24 = 3 = 3 𝑙𝑏

𝒖𝒕𝒊𝒍𝒊𝒛𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒂 𝒓𝒂𝒛ã𝒐 𝒊𝒏𝒇𝒐𝒓𝒎𝒂𝒅𝒂

𝑓32 45 𝑓32
𝑥11 = = =
𝑓11 55 𝑓14

45𝑓14
𝑙𝑜𝑔𝑜, 𝑓32 =
55

6|Página
𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒎 𝑽

𝑓11 𝑓14
𝑥11 = = 0,15 𝑙𝑜𝑔𝑜 𝑡𝑒𝑚𝑜𝑠 = 0,15
𝑓11 + 𝑓21 𝑓41 + 𝑓21

𝑓14 𝑓14
= 0,15 → 1 = 0,15
𝑓41 + 𝑓21 𝑓4 + 𝑓23 + 𝑓24

𝒕𝒆𝒎𝒐𝒔 𝒒𝒖𝒆

𝑓21 2
4 4 4 =3
𝑓1 + 𝑓2 + 𝑓3
2 45 4
𝑓34 = − 𝑓14 = 𝑓32 = 𝑓
3 55 1
2 45 4 2 − 3𝑓14 45 4
− 𝑓14 = 𝑓 = = 𝑓
3 55 1 3 55 1
45.3 4
𝑓 + 3𝑓14 = 2
55 1
27𝑓14 + 33𝑓14
=2
11
60𝑓14 = 22 → 𝑓14 = 0.36 𝑙𝑏 = 𝑓11

Problema 4.

Trezentos galões de uma mistura contendo 75% em massa de etanol e 25% de água
(densidade relativa da mistura = 0,877) e uma quantidade de uma mistura 40% em
massa de etanol e 60% de água (densidade relativa = 0,952) são misturados para
produzir uma mistura 60% em massa de etanol. O propósito deste problema é
determinar V40, o volume necessário da mistura a 40%.

F1 – 300 galões

H2O – 0,25
F3
Et – 0,75 H2O

DR = 0,877 Et – 0,6

F2

H2O – 0,6

Et – 0,4

DR = 0,952

7|Página
Variáveis 6
Balanços de massa 2
Composições 3
Vazão 1
DOF 0

I.𝑓11 + 𝑓12 = 𝑓13

II. 𝑓21 + 𝑓22 = 𝑓23

𝑓11
III.𝑥11 = 𝑓1 +𝑓21
1 = 0,15

𝑓12
IV.𝑥12 = 𝑓1 +𝑓21
2 = 0,4

𝑓13
V.𝑥13 = = 0,6
𝑓1 +𝑓23
3

VI.𝐹1 = 300𝑔 → 𝐹1 = 0,995𝑘𝑔

𝑹𝒆𝒂𝒍𝒊𝒛𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒄á𝒍𝒄𝒖𝒍𝒐𝒔

𝑓11 = 0,75 . 0,995 = 0,746 𝑘𝑔/ℎ

𝑓21 = 0,25 . 0,995 = 0,248 𝑘𝑔/ℎ

𝑨𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝑰 𝒆𝒎 𝑰𝑽

𝑓13 − 𝑓11
𝑥12 = = 0,4
𝑓13 − 𝑓11 + 𝑓22

𝑨𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝑰𝑰 𝒏𝒐 𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒊𝒎𝒆𝒏𝒕𝒐 𝒂𝒏𝒕𝒆𝒓𝒊𝒐𝒓

𝑓13 − 𝑓11
𝑥12 = = 0,4
𝑓13 − 𝑓11 + 𝑓23 − 𝑓21

𝒕𝒆𝒎𝒐𝒔 𝒒𝒖𝒆 …

𝑓13 𝑓23 𝑓12 𝑓22


= 𝑎𝑠𝑠𝑖𝑚 𝑐𝑜𝑚𝑜 =
0,6 0,4 0,4 0,6
𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐

𝑓13 3 3
𝑓13
= 0,6 → 𝑓1 + 𝑓2 =
𝑓13 + 𝑓23 0,6

𝑓23 3 3
𝑓23
= 0,4 → 𝑓1 + 𝑓2 =
𝑓13 + 𝑓23 0,4

8|Página
𝑓13 − 𝑓11
= 0,4
2
𝑓13 − 𝑓11 + 3 𝑓13 − 𝑓21

𝑓13 − 𝑓11
= 0,4
5 3
𝑓 − 𝑓11 − 𝑓21
3 1
𝑓13 − 0,746
= 0,4
5 3
3 𝑓1 − 0,746 − 0,248
5
𝑓13 − 0,746 = 0,4 ( 𝑓13 − 0,994)
3
2 3
𝑓13 − 0,746 = 𝑓 − 0,397
3 1
1 3
𝑓 = 0,349 → 𝑓13 = 1,04 𝑘𝑔/ℎ
3 1

𝑨𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒎 𝑰

0,746 + 𝑓12 = 1,04 → 𝑓12 = 0,294𝑘𝑔/ℎ

𝑨𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒎 𝑰𝑽

0,294
𝑥12 = = 0,4
0,294 + 𝑓22

0,4 = (0,294 + 𝑓22 ) = 0,294

0,1176 + 0,4𝑓22 = 0,294

0,4𝑓22 = 0,294 − 0,1176

𝑓22 = 0,441𝑘𝑔/ℎ

𝑶𝒃𝒕𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒐 𝒗𝒐𝒍𝒖𝒎𝒆
0,294 + 0,441
𝑣= = 0,77205𝑙/ℎ
0,952

Problema 5.

Destilam-se mil quilogramas por hora de uma mistura contendo partes iguais em
massa de metanol e água. As correntes de produto saem pelo topo e pelo fundo da
coluna de destilação. A vazão da corrente de produto do fundo é 673 kg/h, enquanto a
corrente de produto do topo contém 96% em massa de metanol.

9|Página
CH3OH – 0,96

H2O

CH3OH – 0,50 1000 kg/h

H2O – 0,50

CH3OH

H2O
673 kg/h
Admitindo 1 para CH3OH e 2 para H2O

 Calcule as frações mássicas e molar de metanol e as vazões molares de


metanol e água na corrente de produto de fundo.

Variáveis 6
Balanços de massa 2
Composições 2
Vazão 2
DOF 0

I.𝑓11 = 𝑓12 + 𝑓13

II.𝑓21 = 𝑓22 + 𝑓23

𝑓11
III.𝑥11 = 𝑓1 +𝑓21
1 = 0,5

𝑓12
IV.𝑥12 = 𝑓1 +𝑓22
2 = 0,96

V.𝑓11 + 𝑓12 = 1000

VI.𝑓13 + 𝑓23 = 673

𝑳𝒐𝒈𝒐, 𝒂𝒏𝒂𝒍𝒊𝒛𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒂𝒔 𝒄𝒐𝒓𝒓𝒆𝒏𝒕𝒆𝒔 𝑭𝟏, 𝑭𝟐 𝒆 𝑭𝟑


𝐹1 = 𝐹2 + 𝐹3 → 𝐹2 = 1000 − 673
𝐹2 = 327 𝑘𝑔/ℎ

𝑷𝒂𝒓𝒕𝒊𝒏𝒅𝒐 𝒅𝒂𝒔 𝒄𝒐𝒎𝒑𝒐𝒔𝒊çõ𝒆𝒔 𝒊𝒏𝒇𝒐𝒓𝒎𝒂𝒅𝒂𝒔 𝒕𝒆𝒎𝒐𝒔 𝒒𝒖𝒆

10 | P á g i n a
𝑓11 = 0,5 . 1000 → 𝑓11 = 500 𝑘𝑔/ℎ

𝑓21 = 0,5 . 1000 → 𝑓21 = 500 𝑘𝑔/ℎ

𝑓12 = 0,96 . 327 → 𝑓12 = 313, 92 𝑘𝑔/ℎ

𝑓22 = 327 − 313,92 → 𝑓22 = 13,08 𝑘𝑔/ℎ

𝑨 𝒑𝒂𝒓𝒕𝒊𝒓 𝒅𝒂 𝒆𝒒𝒖𝒂çã𝒐 𝑰

𝑓13 = 𝑓11 − 𝑓12 → 𝑓13 = 500 − 313,92


𝑓13 = 186,08 𝑘𝑔/ℎ

𝑨 𝒑𝒂𝒓𝒕𝒊𝒓 𝒅𝒂 𝒆𝒒𝒖𝒂çã𝒐 𝑰𝑰

𝑓23 = 𝑓21 − 𝑓22 → 𝑓23 = 500 − 13,08


𝑓23 = 486,92 𝑘𝑔/ℎ

𝒕𝒓𝒂𝒏𝒔𝒇𝒐𝒓𝒎𝒂çã𝒐 𝒑𝒂𝒓𝒂 𝒎𝒐𝒍/𝒍


𝐶𝐻3 𝑂𝐻 𝑡𝑒𝑚 𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎 𝑚𝑜𝑙𝑎𝑟 = 𝑔/𝑚𝑜𝑙 → 32. 10−3 𝑘𝑔/𝑚𝑜𝑙
𝑘𝑔 1 𝑚𝑜𝑙
186,08 𝑥 → 5,815𝑚𝑜𝑙/𝑙
ℎ 32. 10−3 𝑘𝑔

𝑓13 186,08
𝑥13 = =
𝐹3 673

𝑥13 ≅ 0,28

 Suponha que a corrente de produto de fundo é analisada e que a fração molar


de metanol encontrada é significativamente maior do que a calculada
anteriormente. Liste a maior quantidade de razões possíveis para esta
discrepância. Inclua na sua lista possíveis violações às suposições feitas na
parte (a).

Entre as possíveis razões estão, a alimentação ser diferente da apresentada no


problema, com índices maiores para um dos dois componentes, a saída na corrente
de topo ser diferente daquela apresenta de 96%, a composição e o índice de pureza
do produto referente a alimentação ou ainda falha – defeito – no mecanismo que
realiza o processo, no caso a coluna de destilação.

Problema 6.

Ar úmido contendo 4% molar de vapor de água passa através de uma coluna


recheada de grãos de cloreto de cálcio. Os grãos adsorvem 97% molar da água e
nenhum dos outros componentes do ar. O recheio da coluna estava originalmente
seco e tinha uma massa de 3,4 kg. Após 5 horas de operação, os grãos são pesados
novamente, obtendo-se uma massa de 3,54 kg.

11 | P á g i n a
F1 F2
H2O – 0,04 H2 O – x

Ar – 0,9 Ar – 1-x

F3

H2O – 0,97

 Calcule a vazão molar (mol/h) do gás de alimentação e a fração molar de vapor


de água no gás de produto.

Variáveis 5
Balanços de massa 2
Composições 2
Vazão 1
DOF 0

I.𝑁1 = 𝑁2 + 𝑁3

II.𝑛11 = 𝑛12 + 𝑛13

III.𝑛12 = 𝑛22

IV.𝑛13 = 𝑥13 . 𝑁3

V.𝑁3 = (0,04 𝑁1)

𝑨 𝒑𝒂𝒓𝒕𝒊𝒓 𝒅𝒂 𝒗𝒂𝒛ã𝒐 𝒆 𝒔𝒂𝒃𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒒𝒖𝒆 𝒂 𝒎𝒂𝒔𝒔𝒂 𝒎𝒐𝒍𝒂𝒓 𝒅𝒂 á𝒈𝒖𝒂 é 𝟎, 𝟎𝟏𝟖 𝒌𝒈/ 𝒎𝒐𝒍

𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎 (3,54 − 3,4)𝑘𝑔 1 𝑚𝑜𝑙


→ . = 1,556 𝑚𝑜𝑙/𝑙
ℎ 5ℎ 0,018𝑘𝑔

𝑨𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒎 𝑰𝑽

𝑛13 = 𝑥13 . 𝑁3
1,556 = 0,97 . (0,04 𝑁1)
𝑁1 = 40,10 𝑚𝑜𝑙/𝑙

𝑨𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒎 𝑰

12 | P á g i n a
𝑁1 = 𝑁2 + 𝑁3

𝑁2 = 40,10 − 1,556

𝑁2 = 38,544

𝑨𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒎 𝑰𝑰

𝑛11 = 𝑛12 + 𝑛13

𝑥11 . 𝐹1 = 𝑛12 + 𝑥13 . 𝐹3

𝑥11 . 𝐹1 −. 𝑥13 . 𝐹3
𝑥12 =
𝐹2
0,04 .40,10 − 1,556
𝑥12 = = 1,24 . 10−3
38,544

 A fração molar de água no gás de produto é monitorada, concordando com o


valor calculado na partedas primeiras 10 horas, mas após este tempo começa
a aumentar. Qual é a causa mais provável para este aumento? Se o processo
continua a operar, qual será no final o valor da fração molar de água no gás de
produto?
A fração molar irá aumentar após as primeiras 10 hrs, pois a composição de H2O na
corrente 2 irá aumentar

𝑓12
= 1,24 . 10−3 = 𝑥12
𝐹2

A fração molar de água no gás de produto será exatamente igual a sua composição.

Problema 7.

Um processo de sedimentação é usado para separar carvão pulverizado de ardósia.


É preparada uma suspensão de partículas finamente divididas de galena (sulfato de
chumbo, DR = 7,44) em água. A densidade relativa da suspensão é 1,48.

F1
H2O

DR = 1
F3 H2O

Galena

DR = 1,48

F2

Galena

DR = 7,44

13 | P á g i n a
 Quatrocentos quilogramas de galena e uma quantidade de água são
carregados em um tanque e agitados para obter suspensão uniforme com a
densidade relativa requerida. Calcule quanta água (m3) deve alimentar o
tanque.

Considerando que o DOF de maneira convencional não irá fechar podemos realizar os
cálculos da seguinte maneira:

𝑪𝒐𝒏𝒔𝒊𝒅𝒆𝒓𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒂 𝒅𝒆𝒏𝒔𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆 𝒅𝒂 á𝒈𝒖𝒂 𝒄𝒐𝒎𝒐 𝟏𝟎𝟎𝟎𝒌𝒈/𝒎𝟑

𝐷𝑒𝑛𝑠𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑎 𝑔𝑎𝑙𝑒𝑛𝑎 𝑒𝑚 𝐹2
7,440 . 1000 = 740 𝑘𝑔/𝑚3
𝐷𝑒𝑛𝑠𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑎 𝑠𝑢𝑠𝑝𝑒𝑛çã𝑜
1,48 . 1000 = 1480 𝑘𝑔/𝑚3

𝑪𝒐𝒏𝒔𝒊𝒅𝒆𝒓𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒒𝒖𝒆 𝑽𝟏 + 𝑽𝟐 = 𝑽𝟑
𝒆 𝒅𝒆 𝒎𝒆𝒔𝒎𝒐 𝒎𝒐𝒅𝒐, 𝒔𝒂𝒃𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒒𝒖𝒆 𝒎𝟏 + 𝒎𝟐 = 𝒎𝟑, 𝒕𝒆𝒓𝒆𝒎𝒐𝒔

1000 . 𝑉1 + 400 = 1480 𝑉3

400
𝑆𝑎𝑏𝑒𝑛𝑑𝑜 𝑞𝑢𝑒 𝑉3 = (𝑉1 + 𝑉2) 𝑒 𝑉2 = ( ) → 𝑉3 = (𝑉1 + 0,053)
7440

1000 . 𝑉1 + 400 = 1480 (𝑉1 = 0,053)


480 𝑉1 = 400 − (1480 . 0,053)
400 − (1480 . 0,053)
𝑉1 = = 0,119𝑚3
480

 Uma mistura de carvão e ardósia é colocada nesta suspensão. O carvão flutua


e permanece na superfície, de onde é retirado, enquanto a ardósia afunda. O
que você pode concluir acerca das densidades relativas do carvão e da
ardósia?
A densidade relativa do carvão deve ser menor que 1,48 já a da ardósia deve ser
maior.

 O processo de separação funciona bem por várias horas, mas depois começa
a se formar uma região de líquido claro no topo da suspensão turva, e o carvão
afunda até a interface da região clara com a suspensão turva, dificultando a
sua retirada. Qual pode ser a causa deste comportamento e que ação corretiva
pode ser tomada? O que você pode dizer agora sobre a densidade relativa do
carvão?
A causa é que, o resultado final do processo consiste em uma suspenção o que indica
que a mesma pode apresentar fases que de diferem depois de um tempo em repouso.
Logo uma alternativa pra manter o produto final homogêneo, é aumentar a sua
temperatura ou, adicionar um aparelho para estar constantemente agitando –
misturando – esse produto.

14 | P á g i n a
Problema 8.

Uma corrente de açúcar úmido, que contém um quinto de água em massa, entra em
um evaporador no qual 85% de água são retirados.

F2
F1 Açúcar + água
Açúcar

Água – 1/5 F3
100kg/h Água – 0,85

 Calcule a fração mássica de açúcar seco na corrente de açúcar que deixa o


secador e a razão (kg h2O vaporizada/kg açúcar úmido que sai do
evaporador).

Variáveis 5
Balanços de massa 2
Composições 1
Razão 1
Base 1
DOF 0

I.𝑓11 = 𝑓12

II.𝑓21 = 𝑓22 + 𝑓23

2 𝑓21
III.𝑥21 = =
5 𝑓1 +𝑓21
1

IV.𝑓11 + 𝑓21 = 1

𝑓3
V.𝑓21 = 0,85
2

𝑹𝒆𝒂𝒍𝒊𝒛𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒄á𝒍𝒄𝒖𝒍𝒐𝒔

1
𝑓21 = . 100 = 20 𝑘𝑔/ℎ
5
4
𝑓11 = . 100 = 80 𝑘𝑔/ℎ
5

𝑺𝒖𝒃𝒔𝒕𝒊𝒕𝒖𝒊𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒎 𝑰
𝑓11 = 80 𝑘𝑔/ℎ → 𝑓12 = 80𝑘𝑔/ℎ

15 | P á g i n a
𝑺𝒖𝒃𝒔𝒕𝒊𝒕𝒖𝒊𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒎 𝑽

𝑓23
= 0,85 → 𝑓23 = 17 𝑘𝑔/ℎ
20
𝑺𝒖𝒃𝒔𝒕𝒊𝒕𝒖𝒊𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒎 𝑰𝑰
20 = 𝑓22 + 17 → 𝑓22 = 3𝑘𝑔/ℎ
𝑨 𝒇𝒓𝒂çã𝒐 𝒎á𝒔𝒔𝒊𝒄𝒂 é 𝒅𝒂𝒅𝒂 𝒑𝒐𝒓 …
𝑓12 80
2 2 = 80 + 3 = 0,963 𝐾𝑔/ℎ
𝑓1 + 𝑓2

𝑨 𝒓𝒂𝒛ã𝒐 é 𝒅𝒂𝒅𝒂 𝒑𝒐𝒓 …


𝑓23 17
2 2 = 80 + 3 = 0,204 𝐾𝑔/ℎ
𝑓1 + 𝑓2

 Se 1000 ton/dia de açúcar úmido alimentam o evaporador, quanta água


adicional deve ser removida do açúcar de saída para secá-lo completamente, e
qual será o faturamento anual se o açúcar seco pode ser vendido a R$
0,15/lbm?
𝒄𝒐𝒎𝒐 𝒇𝟐𝟐 = 𝟑𝒌𝒈/𝒉 𝒆 𝒕𝒆𝒎𝒐𝒔 𝟑𝟎 𝒆𝒎 𝒇𝟑𝟐 𝒄𝒐𝒎 𝒆𝒏𝒕𝒓𝒂𝒅𝒂 𝒅𝒆 𝟏𝟎𝟎𝟎 𝒕𝒆𝒓𝒆𝒎𝒐𝒔 𝟑𝟑𝟎 𝒌𝒈/𝒉

𝒇𝒂𝒕𝒖𝒓𝒂𝒎𝒆𝒏𝒕𝒐 𝒂𝒏𝒖𝒂𝒍

1𝑙𝑏 → 0,4535

𝑥 → 330

𝑙𝑜𝑔𝑜, 𝑡𝑒𝑚𝑜𝑠 𝑞𝑢𝑒 𝑥 é 𝑖𝑔𝑢𝑎𝑙 𝑎 727,67 𝑙𝑏

1𝑙𝑏 → 𝑅$0,15

727,67 → 𝑥

𝑙𝑜𝑔𝑜, 𝑡𝑒𝑚𝑜𝑠 𝑞𝑢𝑒 𝑥 é 𝑖𝑔𝑢𝑎𝑙 𝑎 𝑅$109,15

Problema 9.

Uma mistura líquida contém 60% em massa de etanol, 5,0% em massa de um soluto
dissolvido e o resto de água. O projeto da coluna prevê que as correntes de produto
devem ter vazões mássicas iguais e que a corrente de topo deve conter 90% em peso
de etanol e nenhum soluto. Calcule a fração mássica de soluto na corrente de fundo e
a fração de etanol na alimentação que sai na corrente de produto do fundo (kg etanol
no fundo/kg etanol na alimentação) se o processo opera como projetado.

16 | P á g i n a
Etanol – 0,90

H2O

Etanol – 0,60

Soluto – 0,05
100 kg/h
H2O

Etanol

H2O

soluto

Variáveis 8
Balanços de massa 3
Composições 3
Razão 2
Base 1
DOF 0

I.𝐹2 = 𝐹3

II.𝑓11 = 𝑓12 + 𝑓13

III.𝑓21 = 𝑓23

IV.𝑓31 = 𝑓32 + 𝑓33

V.𝑥11 = 0,6

VI.𝑥21 = 0,05

VII.𝑥12 = 0,9

VIII.𝐹1 = 𝑓11 + 𝑓21 + 𝑓31 = 100𝑘𝑔/ℎ

𝑹𝒆𝒂𝒍𝒊𝒛𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒄á𝒍𝒄𝒖𝒍𝒐𝒔

𝑓21 = 0,6 . 100 = 60 𝑘𝑔/ℎ

𝑓21 = 0,05 . 100 = 5 𝑘𝑔/ℎ

𝑓21 = 𝑓23 = 5 𝑘𝑔/ℎ

𝑨𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒎 𝑰𝑽

𝑓31 = 100 − 60 − 5 = 35 𝑘𝑔/ℎ

17 | P á g i n a
𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒒𝒖𝒂çõ𝒆𝒔

𝑓12 + 𝑓32 = 𝑓13 + 𝑓23 + 𝑓33

𝑓12 = 𝑓13 + 𝑓23 + 𝑓33 − 𝑓32

𝑓12 = 𝑓13 + 5 + 𝑓33 − 0,1 𝑓12

𝑓12 = 60 𝑓12 + 5 + 𝑓33 − 0,1 𝑓12

𝑓12 = 65 − 0,9 𝑓12 + 𝑓33

𝑓12 = 100 − 𝑓12

100
𝑓12 = = 500 𝑘𝑔/ℎ
2

𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝑽𝑰𝑰

𝑓12
𝑥11 = 2 = 0,9
𝑓1 + 𝑓32

0,9 . (𝑓32 + 𝑓12 ) = 𝑓12

0,9𝑓32 + 0,9𝑓12 = 𝑓12

𝑓32 = 0,1𝑓12
2
𝑆𝑎𝑏𝑒𝑛𝑑𝑜 𝑞𝑢𝑒 𝑓1 = 50, 𝑡𝑒𝑚𝑜𝑠

50
= 0,9
50 + 𝑓32

45 + 0,9𝑓32 = 50

5
𝑓32 = = 5,5 𝑘𝑔/ℎ
0,9

𝑓33 = 35 − 5,5 = 29,5 𝑘𝑔/ℎ

𝑓13 = 60 − 50 = 10 𝑘𝑔/ℎ
𝑳𝒐𝒈𝒐, 𝒕𝒆𝒎𝒐𝒔

𝑓31 10
= = 0,166 𝑘𝑔/ℎ
𝑓11 60

𝑬 𝒂 𝒇𝒓𝒂çã𝒐 𝒎á𝒔𝒔𝒊𝒄𝒂 𝒅𝒐 𝒔𝒐𝒍𝒖𝒕𝒐

𝑓23 5
= = 0,112 𝑘𝑔/ℎ
𝐹3 10 + 5 + 29,5

18 | P á g i n a
Problema 10.

Se a percentagem de um combustível em uma mistura combustível-ar está abaixo de


um certo valor chamado limite inferior de inflamabilidade (LII), a mistura não pode ser
acesa. Por exemplo, o LII de propano em até 2,05% molar C3H8. Se a percentagem de
propano em uma mistura propano-ar é maior do que 2,05% molar, a mistura gasosa
pode acender se é exposta a uma faísca ou uma chama; se a percentagem é menor
do que o LII, a mistura não acenderá. Uma mistura de propano em ar contendo 4,03%
molar de C3H8 (gás combustível) alimenta uma fornalha de combustão. Se acontece
qualquer problema na fornalha, uma corrente de ar puro (ar de diluição) é adicionada à
mistura combustível antes da entrada para a fornalha, para assegurar que a
combustão não é possível.

C3H8 – 0,0403 F1

Ar – 0,9597 F3 C3H8 – 0,0205

Ar – 0,9795
Ar – 0,9795

 Se a vazão de propano no gás combustível original é 150 mol C3H8/s, qual a


vazão molar mínima do ar de diluição?

Variáveis 5
Balanços de massa 2
Composições 2
Vazão 1
DOF 0

I.𝑓11 = 𝑓13

II.𝑓21 = 𝑓22 + 𝑓23

III.𝑥11 = 0,0403

IV.𝑓11 = 150 𝑚𝑜𝑙/𝑠

V.𝑥21 = 0,9597

VI.𝑥31 = 0,0205

VII.𝑥23 = 0,9795

19 | P á g i n a
𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒒𝒖𝒂çõ𝒆𝒔

𝑓11 = 𝑥11 . 𝐹1
𝑓11
𝐹1 = 1
𝑥1
150
𝐹1 = = 3,722𝑚𝑜𝑙/𝑠
0,0403
𝑳𝒐𝒈𝒐, 𝒕𝒆𝒎𝒐𝒔 𝒒𝒖𝒆

𝑓21 = 𝑥21 . 𝐹1
1
𝑓2 = 0,9597 . 3,722
𝑓21 = 3,572 𝑚𝑜𝑙/𝑠

𝒅𝒆𝒔𝒆𝒏𝒗𝒐𝒍𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒒𝒖𝒂çõ𝒆𝒔

𝑓11 = 𝑓13

𝑓13 = 150 𝑚𝑜𝑙/𝑠

𝑓13
𝐹3 = = 7,317 𝑚𝑜𝑙/𝑠
𝑥13

𝑳𝒐𝒈𝒐, 𝒕𝒆𝒎𝒐𝒔 𝒒𝒖𝒆

𝑓23 = 𝑥23 . 𝐹3

𝑓23 = 7,167 𝑚𝑜𝑙/𝑠

𝑺𝒂𝒃𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒒𝒖𝒆

𝐹1 + 𝐹2 = 𝐹3

𝐹2 = 𝐹3 − 𝐹1

𝐹2 = 3595 𝑚𝑜𝑙/𝑠

𝑳𝒐𝒈𝒐, 𝒕𝒆𝒎𝒐𝒔 𝒒𝒖𝒆

𝑓21
𝑥21 = ≅1
𝐹2

 Como você espera que seja a vazão de alimentação real comparada com
aquela calculada na parte (a) (maior, menor ou igual)? Explique.

Igual, pois se os dados da questão estão corretos, consequentemente o valor da razão


real será o valor já obtido na letra “a”.

20 | P á g i n a