Você está na página 1de 5

Discente:Dinis Fernando Macauzo Docente: dr.

Paulo Inguana
Ciências Politicas e Direito Constitucional Iº Ano Direito – Pos –Laboral. UP - Maxixe
Obras: FERNANDES, António José. Introdução à Ciência Política – Teorias, métodos e temáticas. Porto Editora, Porto, 2008;
MAGALHÃES, Raul Francisco. A ciência política e o marketing eleitoral: algumas elaborações teóricas. Comunicação & Política. Vol 1.1998;
MOREIRA, Adriano, Ciência Política, Livraria Bertrand, Amadora, 2012.
Os Métodos da Ciência Política: As Perspectivas básicas de Investigação e análise dos factos políticos
Subtema Descrição Observação
Perspectivas básicas de perspectivas básicas são tipos de análise que se traduzem numa estratégia adoptada para o estudo de Morreira (2012:80)
investigação e análise em um fenómeno.
ciência politica
Segundo os cientistas políticos a orientação dos cursos de ciência política são influenciados pelas
perspectivas básicas de investigação e analise, nomeadamente: perspectiva das tendências
individuais, perspectiva racionalista, perspectiva funcional e perspectiva sistémica
perspectiva das tendências Esta perspectiva foi representada por Vernon Van Dyke, a qual fundamenta-se no princípio de que a
individuais acção politica tem sempre origem em homens individualmente considerados.

A perspectiva das tendências individuais é a predisposição de um indivíduo para analisar alguns


aspectos do seu mundo de maneira favorável ou desfavorável.

Esta perspectiva apresenta duas alternativas: aceitar que só é possível averiguar tendências
individuais e a partir delas explicar a acção politica; ou aceitar que é possível identificar tendências
Lews Froman apud
típicas comuns a grupos maiores ou menores de pessoas e interpretar o comportamento não só do
Fernandes (2008:23)
indivíduo mas também do grupo.

Portanto, a perspectiva das tendências individuais, aceita que pelo menos grande parte do
comportamento político é emocional, não se assenta em consciente escolha dos objectivos, mas sim
nas tendências individuais.
Perspectiva Racionalista Resplandece que as decisões são tomadas em conformidade com o principio de razoabilidade, onde Fernandes (2008:38)
o decisor, em face de uma conjuntura concreta, pondera os meios existentes relativamente aos fins
que visa alcançar, privilegiando a decisão que for mais adequada a atingir os objectivos que foram
projectados, tendo em consideração os constrangimentos existentes no momento em que se procede
a decisão.

Teoria de jogos

a teoria de jogos refletem a ideia de que os decisores devem actuar com vista a maximização dos
ganhos e minimizar as perdas, pelo que a decisão deve ter em consideração de prever o
comportamento adoptado pelo adversário. Devendo a decisão tomada ponderar as reações de todos
aqueles que podem ser relevantes para a sua concretização e a possibilidade relativa de as poder
enquadrar em padrões de comportamentos típicos.

Moreira (2012:88)

Perspectiva Funcionalista Esta perspectiva fundamenta-se na tentativa de explicar qual é a função desempenhada por uma FERNANDES
entidade ou órgão no âmbito de uma determinada estrutura social e nos termos em que (2008:40)
correspondem as expectativas e as necessidades fundamentais do respectivo grupo humano
organizado.

A essência desta perspectiva consiste em institucionalizar o fenómeno político, no sentido de


considerar o poder no seu funcionamento como um conjunto diferenciado de modelos de conduta de
agentes, onde cada um dos quais desempenha uma função e todas inter-relacionadas.

Segundo esta perspectiva, a acção política é sempre condicionada não apenas pela personalidade
básica do agente, mas também pelo conjunto de funções interdependentes e conflituantes em que
nele se situa.

Nesta perspectiva, há que destacar o contributo de Robert King Merton, nos seguintes aspectos:

Descoberta do princípio do equivalente funcional: Onde Merton defende que um elemento da


estrutura pode desempenhar várias funções e vários elementos podem substituir-se reciprocamente (Ibidem)
no exercício da mesma função;

Existência e distinção entre funções manifestas e funções latentes: Para Merton funções
manifestas são aqueles que os participantes do sistema compreendem e querem ao passo que
funções latentes são aquelas em que os participantes não se apercebem; e

Apresentação do conceito de disfunção: Que é o facto de um elemento do sistema impedir a


adaptação deste a mudanças que pode ser imposta por factores externos de tal modo que a própria
subsistência do todo fica ameaçada.
Perspectiva Sistémica A perspectiva sistémica procura explicar o fenómeno politico tendo por base o conceito sistema, é,
um conjunto de elementos inter-relacionados e em interacção.

Esta perspectiva advoga que o comportamento político é essencialmente resultante de uma tensão
entre as exigências e as expectativas que a sociedade global dirige aos agentes políticos e a
capacidade de resposta que elas demonstram no papel de direcção que tiveram.

Nesta perspectiva podemos considerar contributos dos seguintes autores:

Talcoff Parsons: Foi o indivíduo que introduziu esta perspectiva no campo das ciências sociais.

Com a introdução desta perspectiva, Parsons conseguiu dar soluções á sociologia no geral e em
ciência politica em particular sobre a dimensão teórica que faltava ao empirismo tradicional e
generalizar a atitude interdisciplinar que faz convergir todas ciências sociais para o exame de um
objecto comum- a sociedade global.

David Easton: o seu contributo está relacionado ao facto deste ter pela primeira vez pormenorizado
a análise do sistema politico em interacção com o seu ambiente interno e externo.

Segundo Easton o sistema político encontra-se mergulhado no meio ambiente interno (religioso,
social) e externo (sistemas supranacionais), sendo que a sua interacção é feita por inputs (exigências
e apoios) assim como outputs (normas e acções), num processo de retroação.
Karl Deutsch: Este propôs a teoria da comunicação e da cibernética. Para o autor é por intermédio
da comunicação que os intputs são recebidos e elaborados e com ela os outputs são gerados e
lançados no ambiente. Sendo que a actividade política depende da comunicação, logo inspira-se a
cibernética, a qual estuda a comunicação e controlo em todas espécies de organização desde as
máquinas às sociedades.
Técnicas de pesquisa de Na qualidade de uma das ciências sociais, a ciência política usa métodos e técnicas que podem
factos políticos envolver tanto fontes primárias (documentos históricos, registros oficiais) quanto secundárias
(artigos acadêmicos, pesquisas, análise estatística, estudos de caso e construção de modelos).
A observação directa Entre os métodos comummente utilizados pelos cientistas políticos pode-se citar o método indutivo MAGALHÃES (1998)
(observação directa da natureza, dos factos humanos e dos factos políticos para a sua análise Utilizado já por
posterior) Aristóteles ao compilar,
documentar e analisar a
O método indutivo é o processo mental por meio do qual parte-se de dados particulares e caminha- constituição de pelo
se para a inferência de uma verdade geral ou universal, não contida nas partes constatadas. O menos 125 cidades-
conhecimento é fundamentado na experiência, a partir da observação dos fenômenos e das relações estado gregas.
que estes mantêm entre sí. O objectivo dos argumentos produzidos por indução é sua maior
generalidade em relação aos pressupostos em que se basearam. Nesse tipo de método atenta-se para
a repetição ou regularidades na ocorrência dessas relações.
Análise documental A ciência política também utiliza análises de documentos; observação directa (pesquisa de campo);
apoia-se nas provas (análise dos factos);