Você está na página 1de 2

De Guerreira a Deusa

Há muitos tipos de mulheres em nossa sociedade, mas a que clama mais alto para a
cura, é a Guerreira Ferida. Há as que almejam transformar-se em Deusas, mesmo que
inconscientemente, afinal é esse o grande objectivo.
Quem é a Guerreira Ferida?
A Guerreira Ferida é poderosa, independente, auto confiante e bem sucedida - porque
assim têm que ser. Mesmo assim, elas se ressentem com toda a responsabilidade e
obrigação que acompanha o seu papel. Elas são as únicas ao redor que resolvem tudo, e
resolvem tudo rápido e perfeitamente.
Elas são amargas (pelo menos interiormente) em relação aos homens, mas pouco fazem
para transmutar esta amargura, que cresce incontrolável. Elas vêem os homens como o
sexo mais fraco, respondendo emocionalmente e agindo ilogicamente - quando eles
agem, de nenhuma maneira. Elas pensam que os homens são somente bons para uma
coisa - afastar os móveis. Bem, duas coisas, talvez.
Há muito tempo, que elas abandonaram a fantasia de um príncipe num cavalo branco ou
do Príncipe Encantado. Elas são sofridas, iradas. Elas conscientemente ou agressivo-
passivamente buscam a desforra contra os transgressores masculinos nesta sociedade
patriarcal.
Elas respeitam outras Guerreiras, apesar disso não têm tolerância pelas mulheres "mais
fracas", que não carregam a espada da Guerreira. Elas são ou foram uma boa esposa e
uma boa mãe, protegem e sustentam a sua família. Até agora, Elas expressam até estes
papéis através da postura de um guerreiro.
Elas estão cansadas de lutar. Elas exibiram as suas feridas da batalha orgulhosamente no
passado, mas agora que Elas crescem entediadas com a conquista. A sua armadura é
pesada e Elas ambicionam removê-la para sempre. Elas anseiam pela Deusa dentro de
si; ainda que acreditem, Elas não podem sobreviver sem a sua espada da Guerreira.
Deixem-me apresentá-las ao - poder da Deusa.
Quem é a Deusa?
A Deusa é simplesmente – a incorporação do Divino num corpo feminino. Ela tem
discernimento e age com integridade. Ela tem uma essência de paz interior que é
inabalável. A Deusa irradia uma energia que é tão poderosamente bela, amorosa e
suave, que os outros são atraídos para ela como um ímã.
Ela pode ter sido uma Guerreira Ferida numa fase, mas ela curou as suas feridas. Ela
liberou a raiva, a dor, o medo, a culpa e o julgamento. Ela tem se libertado dos
sentimentos de traição e de abandono. Ela substituiu estas emoções vibracionalmente
inferiores pela compaixão e alegria. Ela transformou as suas crenças limitadas, as
atitudes, e padrões de pensamento numa aceitação amorosa por todos, como eles são.
Ela não tem necessidade de mudar alguém, pois ela vê o Divino em todos os seres. Ela
compreende que qualquer ataque é simplesmente uma demonstração de medo. Ela se
lembra do medo, e ainda sabe como neutralizá-lo com seu fluxo ilimitado de amor.
A Guerreira Ferida e a Deusa - dois arquétipos femininos poderosos. Um cansado e
ferido; um radiante e curado. Como a Guerreira ficou ferida? E como ela pode se
transformar em uma Deusa? Para responder a estas questões, Elas devem primeiro
compreender como a energia se move nos humanos.
O que são Padrões de Energia Masculinos e Femininos?
Os seres humanos têm uma capacidade de armazenar dados de memórias
subconscientes guardados em seu ADN de seus ancestrais. Algumas culturas acreditam
que vivemos outras existências, e estas memórias estão guardadas em seu ADN,
também. Com toda esta história, quando o ego faz uma varredura, ele encontra quase
sempre uma situação similar, onde Elas foram feridos. Então ele ergue as defesas para
evitar que Elas sejam feridos novamente.
O ego pode levantar sentimentos de medo e de dúvida. Ele pode iniciar pensamentos,
crenças ou memórias que os distraem de participar da situação. Algumas vezes, ele cria
obstáculos que os impedirão de participarem, tais como limitações de tempo, reveses
financeiro e até doenças. Ele fará qualquer coisa para proteger de eventuais dores.
Protege até demais, porque filtra tudo, mau e bom.
Estas defesas limitam os movimentos, mesmo daquelas guerreiras que já perceberam
que têm de mudar, e reagem sempre da mesma maneira. Se Elas reagirem do mesmo
modo, Elas obterão os mesmos resultados. Nenhuma experiência nova pode vir disto.
Elas não podem crescer com isto. Elas estão casadas com a monotonia.

Baseado no belíssimo texto de Suzanna Kennedy

Você também pode gostar