Você está na página 1de 85

r e l ató r i o a n ua l

CAMARGO CORRÊa S.A.


Sumário
4 Perfil Corporativo
5 Valores do Grupo Camargo Corrêa
6 Mensagem dos Acionistas
7 Mensagem da Administração
9 Estrutura Societária
10 Negócios do Grupo
11 Linha do Tempo
19 Governança Corporativa
20 Gestão de Riscos
21 Desempenho Econômico-Financeiro
24 Gestão de Pessoas
26 Sustentabilidade
28 Indicadores de Sustentabilidade
31 Instituto Camargo Corrêa

33 Negócios do Grupo
35 Cimento
40 Concessões de Energia
44 Concessões de Transportes
46 Engenharia e Construção
52 Calçados
54 Siderurgia
57 Incorporação
59 Naval
61 Operações Aeroportuárias

63 Sobre o Relatório Anual


64 Avanços no Relatório Anual
65 Indicadores GRI
78 Índice de Certificações e Premiações
83 Informações Corporativas
85 Expediente
3 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.
4 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil
Corporativo
“Não basta amar o Brasil, é preciso construir o Brasil do futuro”
Sebastião Camargo (1909-1994), fundador do Grupo Camargo Corrêa
GRI 2.7
GRI 2.1 O Grupo Camargo Corrêa é um dos maiores imobiliária e siderurgia. Suas empresas empregam e 2.8

grupos empresariais do Brasil. De controle familiar mais de 61 mil funcionários, que atuam
desde sua fundação, ele investe e contribui para o para concretizar a missão legada pelo fundador,
desenvolvimento econômico e social do país. Fundado Sebastião Camargo, de construir o Brasil do amanhã.
como uma construtora – originalmente chamada
Camargo, Corrêa & Companhia Limitada – Engenheiros O Grupo Camargo Corrêa se diferencia por sua
e Construtores, o Grupo expandiu e diversificou excelência em desempenho, pela gestão de alto nível de
GR1 2.2
seus negócios. Hoje, possui participações relevantes seus negócios e pela eficiência e inovação de sua atuação
e de liderança em diferentes setores da economia, operacional. A busca pela qualidade, pelas melhores
incluindo, entre outros, engenharia e construção, práticas na prestação de serviços e na produção de bens
cimento, concessões de energia e transporte, calçados, reflete-se também nas certificações, selos, prêmios e
indústria naval (com foco em óleo e gás), incorporação reconhecimentos recebidos pelas empresas do Grupo.
5 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Valores do Grupo
Camargo Corrêa GRI 4.8

Respeito às pessoas e ao meio ambiente


Agir sempre de forma justa e correta em relação a acionistas, profissionais, clientes,
fornecedores, governos, comunidades locais e sociedade em geral. Atuar com
responsabilidade em relação ao meio ambiente.

Atuação responsável
Atender ao que é estabelecido na legislação, onde quer que atuemos, agindo de forma
íntegra. Respeitar a diversidade de acordo com as normas universais de boa convivência
humana, sem discriminação de raça, credo, religião, cargo, função ou outra.

Transparência
Fornecer informações claras e abrangentes sobre as atividades, as realizações,
as políticas e o desempenho do Grupo, de maneira sistemática e acessível.

Foco no resultado
Buscar sempre maximizar o desempenho do Grupo, como forma de garantir sua perenidade,
seus investimentos, o retorno aos acionistas e às condições adequadas aos profissionais.

Qualidade e inovação
Garantir a qualidade de serviços e produtos e investir continuamente no aperfeiçoamento
dos profissionais e das empresas.
6 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Mensagem dos Acionistas GRI 1.1

Nós, os acionistas da Camargo Corrêa, nos Por trás de uma cultura empresarial consagrada em
orgulhamos de ter e estar construindo um dos ícones do desenvolvimento brasileiro está a prática
maiores grupos empresariais do Brasil, reconhecido cotidiana de nossos valores, os quais sustentam
internacionalmente pela qualidade de suas operações, nossos resultados, fidelizam nossos clientes e elevam
pelo conhecimento instalado e pela capacidade nosso orgulho de pertencer ao Grupo Camargo Corrêa.
empreendedora para gerar riquezas de forma
sustentável para investidores, profissionais, Respeito às pessoas e ao meio ambiente, atuação
parceiros e para as comunidades onde atuamos. responsável, transparência, foco no resultado e
qualidade com inovação são os valores básicos de
Construir com sucesso o nosso futuro – com lucro nosso compromisso com todos os stakeholders. É esse
econômico, respeito ao meio ambiente e equidade compromisso que alavanca nossa vocação para investir
social – é mais do que um grande desafio, é assumir em negócios intensivos em capital e que já ultrapassam
nossa vocação de empresa-cidadã, participando a abrangência de nossas fronteiras geográficas.
da construção do sonho de desenvolvimento
e transformando-o em realidade. A filosofia É essa ousadia que distingue as novas gerações de
empresarial Camargo Corrêa é embasada em acionistas e executivos que têm a responsabilidade
compromisso de longo prazo, no qual resultados pela liderança de nossos negócios, hoje pautada não
econômicos robustos, mais do que um hábito comum, só pelo legado de 72 anos de história, mas também
estão alicerçados nas conquistas alcançadas por uma audaciosa visão de que é possível crescer de
por nosso ativo mais importante: nossa gente. forma sustentável e, assim, transformar a sociedade.

Nosso diferencial é ser uma empresa familiar, alinhada Vivemos um momento promissor para os negócios do
aos padrões globais de qualidade, resultados e Grupo Camargo Corrêa. O renovado ciclo de expansão
profissionalismo, aliados à vanguarda de gestão econômica que o Brasil atravessa e as demandas dos
e pioneirismo tecnológico para servir aos nossos mercados estratégicos em que atuamos, encontram
clientes e demais stakeholders. em nosso portfólio produtos e serviços diferenciados.
Maturidade de gestão aliada à solidez financeira
A relevância de nossa atuação em engenharia, e agilidade de posicionamento diferencia nossa
construção e cimentos possibilitou a expansão de capacidade de nos anteciparmos às demandas.
nossas atividades para segmentos de infraestrutura,
como concessões de energia e transportes, e Temos incontestável compromisso com o futuro.
também indústrias de base e de bens de consumo. Estamos prontos para abraçar esse desafio!
7 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Carlos Pires Oliveira Dias, Vitor Hallack, Luiz Roberto Ortiz Nascimento e A. C. Reuter (da esquerda para a direita)
compõem o Conselho de Administração da Camargo Corrêa S.A.

Mensagem da Administração GRI 1.1

O ano de 2010 será lembrado como marco de mais No segmento de Engenharia e Construção, foram
um ciclo de investimentos do Grupo Camargo Corrêa concluídos empreendimentos de primeira grandeza,
com a totalização, na última década, de mais de como as hidrelétricas de Serra do Facão e Foz
R$ 20 bilhões. Os resultados e conquistas estão do Chapecó, e as eclusas de Tucuruí, obra que
distribuídos nos vários segmentos de atuação e permitiu novamente a navegação no rio Tocantins.
sustentaram um crescimento médio anual de 22% Visando melhor atender aos clientes de engenharia e
da receita líquida nos últimos cinco exercícios. construção, foi implementada uma reorganização com
No ano passado, o Grupo alcançou receita líquida a criação de unidades especializadas de Energia, Óleo
consolidada de R$ 17,94 bilhões. e Gás, Infraestrutura e Construções Industriais.

Fortalecidos pelo constante apoio de nossos Com mais de 40 anos de atuação no mercado de
acionistas e colaboradores, buscamos cimentos, o Grupo Camargo Corrêa realizou, neste setor,
incessantemente vincular nossos investimentos a maior aquisição de sua história: € 1,4 bilhão por 33% do
aos valores e princípios da cultura empresarial capital da Cimpor - Cimentos de Portugal, tornando-se
Camargo Corrêa. Nossa atuação já é reconhecida sua principal acionista individual. Em evento subsequente
pelo posicionamento de liderança e excelência de abril de 2011, foi alterada a razão social da Camargo
de produtos e serviços que alavancam o Corrêa Cimentos S.A. para InterCement Participações
desenvolvimento sustentável nas regiões S.A., refletindo o desejo de internacionalização, a partir
onde estamos presentes. das posições na Argentina e no Brasil.
8 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } Mensagem da administração

Nos segmentos de Concessões, a CPFL Energia, Grupo Camargo Corrêa atraiu a participação de mais
companhia da qual o Grupo Camargo Corrêa é o de 3,7 mil funcionários em 897 projetos inscritos,
acionista privado de referência no bloco de controle, mais do que o dobro da edição anterior. Também no
tem aplicado tempo e recursos na busca por geração ano passado, o Instituto Camargo Corrêa completou
a partir de fontes renováveis. Esses esforços dez anos de atuação. Neste período, apoiou cerca de
resultaram em duas operações anunciadas neste 150 projetos, beneficiando algo como 83 mil pessoas.
início de 2011: a aquisição da Jantus e a fusão com a No final do ano, o ICC formalizou uma parceria com o
Ersa para a criação da CPFL Renováveis, que nasce BNDES para a criação de um fundo paritário no valor
como a maior empresa latino-americana lastreada de R$ 50 milhões para aplicação em programas de
em fontes renováveis. Na CCR S.A., também líder inserção de jovens no mercado de trabalho.
na América Latina em concessões rodoviárias, o
bom desempenho e o potencial estratégico nos Em 2010, os cenários macroeconômicos e os
estimularam a aumentar a participação no grupo de desafios do mercado internacional seguiram
controle da companhia, passando de 25% para 33,3%. exigindo de governos e corporações agilidade, foco
e qualidade de gestão. Os horizontes ainda vastos de
A Alpargatas S.A. se destacou mais uma vez com oportunidades nos mercados domésticos dos países
avanços no posicionamento de gerenciar marcas emergentes mobilizam atenções e investimentos em
desejadas pelo mercado, entre elas a Havaianas, variadas frentes, com destaque, no Brasil, para as
marca brasileira mais valorizada no exterior. Em demandas de infraestrutura que propiciarão o tão
2010 atingiu novo recorde de vendas de pares de almejado crescimento sustentável.
calçados e lucratividade. Na siderurgia, destaque
para a celebração do novo acordo de acionistas No Grupo Camargo Corrêa aprendemos, em 72 anos
e a constituição da Mineração Usiminas S.A., que de história, que o nosso crescimento tem sido
propiciará à Usiminas avançar com o negócio de alavancado na nossa capacidade de empreender.
mineração e logística sem limitar os investimentos no São testemunhas dessa vocação marcos históricos
negócio principal: produção e comercialização de aço. do Brasil como Itaipú, Tucuruí e a Ponte Rio-Niterói
e que agora se juntam ao Etanolduto, ao Estaleiro
A CCDI - Camargo Corrêa Desenvolvimento Atlântico Sul e tantos outros apresentados neste
Imobiliário alcançou em 2010 o melhor resultado de relatório anual. O resultado que atingimos juntos em
sua história. E a Unidade Naval se consolidou com 2010 não seria alcançado se não operássemos como
a conclusão das obras de construção do parque um time integrado, apoiado consistentemente pelos
industrial do Estaleiro Atlântico Sul – EAS, importante nossos acionistas. Por fim, agradeço a confiança
marco da retomada do setor naval brasileiro e de cada um de nossos clientes e fornecedores e
também com a vitória na licitação das primeiras também a determinação de nossos colaboradores.
sete plataformas de perfuração em águas profundas
(Drillship), que serão utilizadas na exploração
de petróleo do pré-sal.

No campo da Sustentabilidade e Responsabilidade Vitor Hallack


Social, também festejamos avanços importantes. A Presidente do Conselho de Administração
segunda edição do prêmio Inovação Sustentável do Camargo Corrêa S.A.
9 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Estrutura Societária GRI 2.3


T 99,0%

T 99,99%

T 99,99%

T 66,4%

T 44,12%
T 99,89%

T 80% T 100%

T 100%
T 100%

Camargo Corrêa InterCement


Energia e Brasil S.A.
Construções
T 99,5% T 80%

T 70,77%
T 100%

Camargo Corrêa
Óleo e Gás
T 16,35%

T 31,01%

T 18,69%
T 80%
T 100%

Camargo Corrêa
Infraestrutura
T 99,99%
T 100%

T 35%

Camargo Corrêa
Camargo Corrêa
Construções
®

Energia S.A.
Industriais
T 99,99%

T 34,29%
T 33,3%

T 61,63%

Construções e Com.
Camargo Corrêa S.A.

25,6%
T 4,34%

T 0,71%
T 40%

T 1,42%
T 99,9%
T 0,10%

Camargo Corrêa
Naval
Participações Ltda.

T 27,25%

T = TOTAL

Obs. Posição em 31/12/2010, excluindo-se o negócio Meio Ambiente.


10 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Negócios do Grupo GRI 2.2, 2.3, 2.4, 2.9

Cimento Concessões de Energia ConcesSões


A InterCement Participações S.A., O Grupo Camargo Corrêa é o DE TRANSPORTES
holding que reúne os ativos do acionista privado de referência no A Camargo Corrêa Investimentos em

negócio cimento, participa dos bloco de controle da CPFL Energia, Infraestrutura participa do bloco de

mercados brasileiro, argentino e que atua em geração, distribuição e controle da CCR S.A., maior

paraguaio. O Grupo Camargo comercialização de energia elétrica. concessionária de rodovias e de

Corrêa também é acionista da transportes da América Latina.

Cimpor, que tem sede em Portugal e


operação em 12 países.

Engenharia Calçados Siderurgia


e Construção A Alpargatas S.A., controlada O Grupo Camargo Corrêa participa
A divisão, formada por unidades de pela Camargo Corrêa, atua no do bloco de acionistas controladores
negócios segmentadas, atua em segmento de calçados e artigos da Usiminas, maior produtora de aços
projetos, execução e gestão de obras esportivos, com as marcas Topper, planos da América Latina.
de infraestrutura. Está presente na Rainha, Mizuno, Timberland, Dupé e
América do Sul e na África. É líder na Havaianas, a marca brasileira mais
construção de hidrelétricas. valorizada no exterior.

Incorporação Naval Operações


A Camargo Corrêa Desenvolvimento A Camargo Corrêa é acionista Aeroportuárias
Imobiliário – CCDI atua na incorporação fundadora do Estaleiro Atlântico Sul, Operação, investimentos e

de imóveis residenciais e comerciais e no estado de Pernambuco, maior administração de nove aeroportos

também no segmento de baixa renda empresa de construção naval do na América Latina e no Caribe,

com a subsidiária HM Engenharia. hemisfério sul; e da Quip S.A., por meio da A-Port.

especializada em implantar projetos


de plataformas de petróleo offshore.
11 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Linha do tempo
Ehenitaturia ili
1939 s si solorum Anos 1940 Anos 1950

Março 1940-41 1955-65


•  riação da Camargo, Corrêa &
C •  rimeiro contrato de empreitada:
P •  onstrução da primeira usina
C
Companhia Limitada – Engenheiros terraplenagem da estrada do Banhado hidrelétrica: Euclides da Cunha,
e Construtores. Grande, em Apiaí (SP). em São José do Rio Pardo (SP).

1943-44 1956
•  erraplenagem e pavimentação da Base
T •  quisição da Companhia Auxiliar
A
Aérea de Santos (SP). de Viação e Obras (Cavo).

1946 1957-63
•  mpresa adota o nome Construções e
E •  erraplenagem, pavimentação de ruas
T
Comércio Camargo Corrêa S.A. e avenidas e construção da barragem
de Paranoá em Brasília (DF).
1948
•  undação da Companhia Jauense
F
Industrial, empresa de fiação.
12 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } Linha do tempo

Anos 1960 Anos 1970 Anos 1980

1971-74
• Construção da Ponte Presidente Costa
e Silva (Rio-Niterói), com 13,3 km, a
segunda maior ponte do mundo à época.

1971-76
•  onstrução da primeira linha do Metrô
C
de São Paulo, a Norte-Sul.

1972-77
•  onstrução da Rodovia dos Imigrantes
C
(São Paulo-Santos).
1962-78 1980-96
•  onstrução das usinas hidrelétricas
C 1974-75 •  onstrução do Aeroporto Internacional
C
de Jupiá (MS) e de Ilha Solteira (SP) – •  onstrução da Rodovia
C de Cumbica (SP).
maior hidrelétrica do Brasil e uma das Transamazônica.
três maiores do mundo à época. 1982
1975-79 •  Camargo Corrêa se torna
A
1963-67 •  onstrução da Ferrovia do Aço
C acionista da Alpargatas.
•  onstrução da Rodovia Presidente
C (Minas Gerais).
Castello Branco (SP). 1984
1975-83 •  Camargo Corrêa se torna acionista
A
1968 •  onstrução das usinas hidrelétricas
C da Alcoa.
•  undação da Camargo Corrêa
F de Itaipu (PR), Tucuruí (PA) e Guri
Industrial, depois denominada (Venezuela), três das maiores
Camargo Corrêa Cimentos. hidrelétricas do mundo.
13 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } Linha do tempo

Ehenitaturia ili
Anos 1990 s si solorum Anos 2000

1992 2000
• Início de operação do segundo forno da • Criação do Instituto Camargo Corrêa.
fábrica de cimento de Apiaí (SP).
2002
1993 • Aquisição do controle da Alpargatas.
• Inauguração da fábrica de cimento
da Camargo Corrêa Industrial, 2003
em Bodoquena (MS). • Inauguração da fábrica de cimento de
Ijaci (MG).
1996
•  amargo Corrêa obtém em consórcio
C 2005
as concessões da Ponte Rio-Niterói •  ompra da cimenteira Loma Negra,
C
e da Via Dutra, as duas primeiras do na Argentina.
Programa Federal de Concessões 2008
Rodoviárias. •  onstrutora vence licitação para realizar
C •  onstrutora dá início à construção da
C
as obras da Rodovia Interoceânica, Hidrelétrica Jirau, no rio Madeira.
• Constituição da holding Camargo no Peru, e da Hidrelétrica Porce III,
Corrêa S.A. na Colômbia. • Inauguração do Estaleiro Atlântico Sul.

•  amargo Corrêa S.A. passa a fazer


C • Constituição do Estaleiro Atlântico Sul. • Aquisição da Alpargatas Argentina.
parte do grupo controlador da Usiminas.
2006 2009
1997 • L ançamento da “Carta da •  -Port conclui a compra de 51% da
A
• Compra da Cimento Cauê. Sustentabilidade: O Desafio concessão do Aeroporto de Curaçao.
da Inovação”.
•  or intermédio da VBC, o Grupo adquire
P • Grupo passa a deter 100% da VBC.
participação na Companhia Paulista de 2007
Força e Luz (CPFL). •  amargo Corrêa Desenvolvimento
C •  onstrutora inicia as obras da Mina de
C
Imobiliário (CCDI) inicia negociação Carvão Moatize, em Moçambique.
1998 de suas ações na Bovespa.
•  amargo Corrêa participa da criação
C
da Companhia de Concessões • Constituição da A-Port.
Rodoviárias (CCR).
14 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } Linha do tempo

20
Fevereiro Março

10 17
•  rupo Camargo Corrêa adquire
G
participação de aproximadamente
1
•  Camargo Corrêa Cimentos
A
passa a integrar o Pacto Global,
33% da companhia portuguesa Cimpor, iniciativa da ONU.
tornando-se a sua maior acionista
individual, após um investimento de 24
€ 1,4 bilhão. • Alpargatas lança linha de calçados
fechados da marca Havaianas, na
26 linha Soul Colection.
•  PFL Energia inicia operação
C
comercial da usina termelétrica Baldin, 29
gerando eletricidade a partir da queima •  M Engenharia entrega, no interior
H
de bagaço de cana-de-açúcar. de São Paulo, os primeiros 294 imóveis
dentro do programa federal Minha Casa,
Minha Vida.

30
• Inauguração do trecho sul do Rodoanel
em São Paulo, que teve 17 km
construídos por consórcio liderado
pela Camargo Corrêa.
15 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } Linha do tempo

Maio Ehenitaturia ili


s si solorum Julho Agosto

6 4
•  avaianas (Alpargatas) abre a
H •  rupo CCR anuncia aquisição
G
primeira loja exclusiva nos da concessionária SPVias.
Estados Unidos.
13
30 •  onstrutora Camargo Corrêa doa
C
•  amargo Corrêa Cimentos lança a
C escritórios do canteiro de obras da
pedra fundamental para a construção margem esquerda da Hidrelétrica de
da primeira fábrica da Cimentos Jirau ao Instituto Chico Mendes, para
Yguazú, no Paraguai. servir como futura sede administrativa
do Parque Nacional Mapinguari.

7
• Estaleiro Atlântico Sul lança ao mar
seu primeiro navio petroleiro, batizado
de João Cândido.

25
•  onsórcio ViaQuatro e o Governo do
C
Estado de São Paulo inauguram o
primeiro trecho da Linha 4 (Amarela)
do Metrô, com 3,6 km de extensão.
16 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } Linha do tempo

Setembro Outubro

24 19
• Início da operação de nova coqueria da • Inauguração da Usina Hidrelétrica
Usiminas, na Usina de Ipatinga (MG). Serra do Facão (GO), com 210 MW de
potência instalada.
30
•  érmino das obras do parque industrial
T
do Estaleiro Atlântico Sul.
17 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } Linha do tempo

Novembro Dezembro

23 21 30
• L ançamento do projeto do sistema •  inaugurada a Usina Hidrelétrica de
É •  inaugurada a Usina Hidrelétrica
É
logístico do etanol, que tem participação Porce III, na Colômbia, com 660 MW Foz de Chapecó (SC/RS), com 855
da Petrobras e da Camargo Corrêa. de potência instalada. MW de potência instalada.

29
• Inauguração das eclusas de
Tucuruí (PA).
18 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } Linha do tempo

20
Fevereiro Abril

11 10
• Instituto Camargo Corrêa e BNDES
firmam convênio de R$ 50 milhões para
4
•  ssinatura de carta de intenção do EAS
A
com a Petrobras para a construção
o Programa Futuro Ideal. de sete plataformas de perfuração em
águas ultraprofundas (Drillships).
21
•  Fitch Ratings eleva os ratings da
A 7
Camargo Corrêa S.A. em moedas •  PFL Energia adquire a Jantus
C
estrangeira e local e os ratings SL, detentora do maior portfólio de
nacionais de longo prazo e de curto parques eólicos do Brasil.
prazo da companhia.
20
•  PFL Energia e Ersa associam-se para
C
criar a CPFL Renováveis, que nasce
como uma das maiores geradoras da
América Latina de energia a partir de
fontes renováveis.

25
• L ançamento da marca InterCement,
holding para o negócio cimento
do grupo.
19 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Governança Corporativa
A governança corporativa do Grupo Camargo no Novo Mercado da BM&FBovespa –, Alpargatas
Corrêa tem como objetivo garantir que seus S.A., Usiminas, Tavex Corporation e Cimpor.
Valores, Princípios de Sustentabilidade e Código A holding Camargo Corrêa S.A. pertence
de Conduta sejam rigorosamente respeitados. à Participações Morro Vermelho S.A,
empresa que reúne os acionistas.
Nossas empresas possuem diretrizes para pautar
o relacionamento entre profissionais, clientes, A estrutura de governança do grupo é liderada GRI 4.1

acionistas, fornecedores e nas comunidades pelo Conselho de Administração, composto pelo


no entorno de nossas operações. presidente, Vitor Hallack, e por três vices-presidentes:
A.C. Reuter, Carlos Pires Oliveira Dias e Luiz Roberto
GRI 2.3
e 2.6 Criada em 1996, a Camargo Corrêa S.A. é a holding Ortiz Nascimento. Além de zelar pela governança do
que lidera a gestão e o controle dos negócios Grupo, o Conselho de Administração supervisiona a
do grupo. A Camargo Corrêa S.A. é acionista de gestão das unidades de negócios e cuida para que
referência em várias empresas de capital aberto, usufruam das sinergias existentes, por meio
como CPFL Energia, CCR S.A., Camargo Corrêa de comitês de assessoramento.
Desenvolvimento Imobiliário – estas três listadas

Conselho de Administração GRI 4.1 e 4.3

Vitor Hallack
A.C.Reuter
Carlos Pires Oliveira Dias
Luiz Roberto Ortiz Nascimento

Comitê
Executivo Comunicação

Comitê Controle, Auditoria


Financeiro e Riscos

Comitê de Recursos Relações


Humanos Institucionais

Sustentabilidade

Divisão
Engenharia e Construção Divisão Concessões Divisão Cimento Divisão Incorporação Divisão Corporativa
Antonio Miguel Marques Francisco Caprino Neto José Édison Barros Franco José Diniz Marcio Garcia de Souza
20 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Gestão Corporativa de Riscos


GRI 1.2 O mapeamento corporativo de riscos abrange as Financeiros
principais unidades de negócios para as quais são • Fraude
efetuados trabalhos de Auditoria Interna. Seu objetivo • Registro contábil
é auxiliar a administração na definição do Plano • Impostos
de Auditoria Interna para o exercício. Para tanto, é • Crédito e cobrança
utilizada a metodologia Internal Audit Methodology • Mercado (valor da empresa)
(IAM), com a qual se assiste cada empresa na • Continuidade
avaliação de seus riscos.
Regulamentares
Os trabalhos são conduzidos em três fases: • Legais (leis governamentais)
• Contratuais
1. Entrevistas com os líderes da empresa • Normas internas
• Código de Ética e de Conduta
2. Identificação dos principais riscos corporativos • Meio Ambiente
da empresa, de acordo com a natureza,
da seguinte forma: 3. Classificação em riscos brutos e riscos
residuais, por processo:
Estratégicos
• Informações estratégicas e confidenciais Riscos brutos
• Market share e valor da marca • Quando há possibilidade de eventos ou circunstâncias
• Imagem que possam impedir a empresa de atingir seus
• Alianças e aquisições objetivos, não levando em consideração o efeito
• Satisfação dos clientes mitigador quando há existência de controles internos.

Operacionais Riscos residuais


• Vendas (expedição e distribuição) • São os riscos remanescentes, após considerar
• Recursos humanos o efeito mitigador.
• Tecnologia da informação
• Saúde e segurança
• Uso de ativos
21 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Desempenho
Econômico-Financeiro GRI 2.8, 2.9, EC1

O Grupo Camargo Corrêa registrou, em 2010, receita • A unidade de negócios Cimento registrou receita líquida
líquida consolidada recorde de R$ 17,94 bilhões, com de R$ 2,5 bilhões, recorde em sua história. Nesse
crescimento de 11% em relação ao exercício anterior. mesmo período, o Ebitda alcançou R$ 616 milhões,
Também foi recorde o investimento de R$ 5,24 bilhões representando um decréscimo de 4% em relação ao
que contempla a aquisição de 33% da Cimentos de ano anterior, devido também ao impacto adverso do
Portugal – Cimpor por € 1,4 bilhão, a maior aquisição câmbio no resultado das operações no exterior. Por sua
da história da empresa. A receita líquida consolidada do vez, no Brasil, a alta demanda registrada no mercado,
Grupo Camargo Corrêa sobe para R$ 19,64 bilhões, em função principalmente do desenvolvimento do
cifra 21% superior à 2009, ao agregarmos os valores mercado imobiliário, incluindo o programa habitacional
proporcionais à participação na Cimpor. do governo federal Minha Casa, Minha Vida e das
grandes obras de infraestrutura em execução no país,
No ano passado, o lucro líquido alcançou compensou parcialmente este impacto.
R$ 1,3 bilhão. Pelo critério BR GAAP, regra contábil
vigente até 2009, esse valor soma R$ 2,0 bilhões. • O forte crescimento da economia brasileira em
A diferença está na contabilização segundo as regras 2010 impulsionou os resultados da CPFL Energia.
do IFRS e do valor justo de aquisição das ações da A receita líquida da CPFL, de R$ 12 bilhões, cresceu
Cimpor, que impactou negativamente este resultado 5,9% sobre o ano anterior – o valor proporcional à
consolidado em R$ 600 milhões.
GRI 2.9 e 3.10 As informações econômico-financeiras deste GRI 2.9 e 3.10 Para expressar com maior clareza os resultados
Relatório Anual incluem integralmente os valores da holding do Grupo foram feitos ajustes gerenciais nas informações
Camargo Corrêa S.A. e de suas controladas. Os dados das societárias. Os principais são relacionados à adequação das
empresas coligadas são considerados na proporcionalidade da estruturas de capital das aquisições, adequação dos resultados
participação da holding nos respectivos patrimônios líquidos. por negócio e avaliação dos investimentos em outras sociedades.

Os números apresentados a partir de 2010 compreendem a


aplicação dos pronunciamentos contábeis (CPC) em convergência
às regras internacionais (IFRS), sendo que no negócio de
Incorporação foi aplicada a OCPC 4 editada pelo CPC, que trata
do reconhecimento da receita e custos desse setor.

Receita Líquida
(em R$ bilhões) Ebitda (em R$ bilhões)
17,94 3,21 3,17
16,18
2,42
13,16

10,48 1,91
8,36 1,61

2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010
22 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } desempenho Econômico-financeiro

participação do Grupo na empresa corresponde a à participação do Grupo na empresa foi de R$ 139,3


R$ 3,1 bilhões de receita líquida. O Ebitda proporcional milhões, valor 106% superior a 2009. A receita líquida
à participação do Grupo saltou de R$ 716 milhões chegou a R$ 2,27 bilhões, ante R$ 2,01 bilhões no
em 2009 para R$ 873,5 milhões em 2010. ano anterior, graças principalmente ao forte avanço
das vendas no mercado brasileiro, enquanto o Ebitda
• O volume de tráfego nas rodovias administradas pela alcançou R$ 405,3 milhões, representando um
CCR também cresceu significativamente em 2010, com crescimento de 36,2% sobre o ano anterior. Em 2010,
impacto positivo no resultado financeiro da empresa. as ações da Alpargatas subiram 93% e o retorno
A receita líquida aumentou 22,2% em relação ao ano sobre o patrimônio líquido foi superior a 26%.
anterior, para R$ 3,7 bilhões, sendo que a receita líquida
proporcional à participação do Grupo na empresa é de • O mercado interno aquecido também levou a divisão
R$ 769,2 milhões, para um Ebitda de R$ 409,2 milhões. de Incorporação ao melhor resultado financeiro de sua
O lucro líquido da CCR foi de R$ 671,7 milhões no exercício, história. A receita líquida foi de R$ 1,1 bilhão e o lucro
5,2% inferior a 2009 em razão do aumento das despesas líquido de R$ 143,2 milhões, altas respectivamente de
financeiras no período. O lucro líquido, proporcional à 62,7% e 147% sobre o exercício anterior.
participação do Grupo, foi de R$ 129,7 milhões.
• Em 30 de dezembro de 2010, a companhia alienou a
• A divisão de Engenharia e Construção registrou, em totalidade de sua participação na Itaúsa. O negócio, de
2010, 5% de crescimento em sua receita líquida, que R$ 2,7 bilhões, foi realizado na BM&FBovespa.
foi a R$ 6 bilhões. No entanto, os custos crescentes de
mão de obra e também dos insumos, pressionados por • Em 4 de março de 2011, a companhia alienou a
uma economia em forte expansão, trouxeram impacto totalidade da participação que detinha na controlada
negativo na rentabilidade da divisão. Assim, o lucro líquido Cavo Serviços e Saneamento S.A., detentora de
de R$ 297,6 milhões e o Ebitda de R$ 561,5 milhões participações na Essencis Soluções Ambientais S.A.
foram inferiores aos valores obtidos no exercício anterior. e na Unidade de Tratamento de Resíduos S.A., para a
DMTSPE Empreendimentos e Participações, empresa
• A unidade de Calçados teve desempenho excelente controlada pelo BTG Pactual Delta III Fundo
com recorde de lucro líquido. O resultado proporcional de Investimentos em Participações.

Lucro Líquido Investimento Consolidado


(em R$ bilhões) (em R$ bilhões)
1,62 5,24
4,66
1,47
1,3

0,98
0,86
1,84
1,63
1,27

2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010
23 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } desempenho Econômico-financeiro

Capital Empregado Médio por Unidade de Negócio


(Participação, em %)
29,2
27,1
2009
2010
20,8
19,6

11,9
10,7
9,5
7,6 7,6
6,8 7,0 7,2 7,1 6,6
6,3
4,9 4,5
3,6
1,1 1,0

Construção Cimento Concessões Concessões de Calçados Siderurgia Incorporação Naval Operações Outros
de Energia Transportes Aeroportuárias

Receita Líquida por Unidade de Negócio


(Participação, em %)
35,6
33,7 2009
2010

18,6
17,3
14,7 14,4
12,5 12,6

5,7
4,3 4,3 4,7 3,9 3,9 3,9
3,3 2,6 2,9
0,6 0,5

Construção Cimento Concessões Concessões de Calçados Siderurgia Incorporação Naval Operações Outros
de Energia Transportes Aeroportuárias

GRI EC1 Distribuição do Valor Agregado


Camargo Corrêa e controladas (R$ bilhões) 2010 2009
Remuneração dos empregados 2,5 2
Governos 3,8 3,4
Financiadores 2,1 1,3
Lucros retidos 0,3 1,3
24 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Gestão de Pessoas
GRI 2.8 Atingir e manter padrões de classe mundial na gestão de de 30 mil profissionais em 11 países. Os resultados
nossos talentos é o objetivo central de nossa estratégia de apresentaram destacada evolução nos aspectos
recursos humanos. Acreditamos que pessoas estão na avaliados, com crescimento de oito pontos percentuais
base de todo o grande sucesso empresarial. São elas que no índice da favorabilidade geral em relação a
conectam passado, presente e futuro por meio da pesquisa anterior, realizada em 2008.
aplicação de conhecimento, processos, tecnologia,
inovação e da prática cotidiana dos valores éticos e Entre os principais atributos apontados nas respostas
responsáveis da Cultura Camargo Corrêa. dos profissionais que participaram desta edição,
surgem temas relevantes e que mobilizam corporações
Em 2010 avanços importantes foram registrados na em todo o mundo. Segundo a pesquisa, as grandes
área de Gestão de Pessoas: fortalezas do Grupo Camargo Corrêa são: credibilidade,
relacionamento externo e sustentabilidade. Esses
Clima Organizacional resultados revelam acerto nas estratégias adotadas
Realizamos o quarto ciclo bianual de Pesquisa de Clima e registram uma sólida relação de confiança e
Corporativa com a participação, nesta edição, de mais credibilidade entre a empresa, seus líderes e time
25 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } gestão de pessoas

de profissionais. Consequência natural desse ambiente de de líderes para implementação ao longo deste ano até
trabalho e negócios é a elevada presença do orgulho o final do primeiro semestre de 2012. O programa está
de pertencer ao Grupo Camargo Corrêa. dividido em três temas âncoras: “Administração
Estratégica”, “Competitividade e Melhoria de
Recrutamento Interno Desempenho” e “Gestão de Equipes
A valorização dos nossos talentos está refletida na de Alta Performance”.
Política de Recrutamento Interno Global, que divulga as
oportunidades de forma transparente e estimula a Os resultados esperados vão além de alcançar
mobilidade dos profissionais entre os diversos alto nível de desempenho pessoal, mas também
negócios do Grupo. O objetivo principal é ampliar proporcionar diferenciais competitivos para os
as oportunidades de desenvolvimento profissional negócios por meio da disseminação permanente
e evolução na carreira. de conhecimento, postura proativa e
responsabilidade compartilhada.
Bem-estar e Qualidade
Como reforço do compromisso do Grupo Camargo Essa iniciativa tem como objetivo alinhar líderes e
Corrêa com o bem-estar e a qualidade de vida de seus equipes às melhores práticas de Governança
profissionais, em 2010 foi implantado um novo Plano de Corporativa, assegurando a prática cotidiana de seus
Previdência Complementar, com regras mais flexíveis e quatro pilares: transparência, prestação de contas,
abrangentes nos diversos níveis hierárquicos e funções. equidade e responsabilidade corporativa.

Programa de Nossos Desafios Permanentes


Desenvolvimento de Líderes Consolidar uma cultura de meritocracia, inovação e
Num destacado esforço conjunto dos responsáveis ética, além de fortalecer os elos de nosso modelo de
pelas Divisões de Negócios com os dirigentes das gestão de pessoas compõe a base de nossa agenda
áreas de recursos humanos, foi realizada a revisão do permanente. A cada dia aperfeiçoamos nossos processos
modelo integrado de gestão de pessoas, com foco nas e elevamos nossas metas para honrar propósitos
competências de liderança. A partir desse estudo, foi e valores corporativos.
elaborado um novo programa de desenvolvimento
26 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Sustentabilidade GRI 1.1, 1.2 e 4.8

A busca pela sustentabilidade dos negócios faz parte gestores – incluiu, pela primeira vez, as diretrizes
do cotidiano do Grupo Camargo Corrêa. Mais do de sustentabilidade em seu texto principal. Indicadores
que divulgar os valores que sustentam a atuação de consumo de insumos e de energia passaram a ser
do Grupo, as ações voltadas à preservação do meio encarados como metas econômicas e operacionais,
ambiente, à valorização das pessoas e à busca que afetam diretamente a remuneração variável
incessante pela transparência permeiam o dia a dos executivos de todas as linhas de negócios. Por
dia de todas as suas empresas controladas. Cada exemplo: a redução no consumo de diesel, nas obras
negócio possui um executivo de primeiro escalão da Construções e Comércio Camargo Corrêa em 2010,
destacado como o “guardião da sustentabilidade”, o foi de 6% se comparada com 2009, superior à meta
que impulsiona a adoção das diretrizes corporativas de 4,5% estabelecida no início do ano.
em todas as suas instâncias. O Conselho de
Administração supervisiona diretamente os programas A Agenda Climática do Grupo, desenvolvida a partir
de sustentabilidade desenvolvidos pelo Grupo. de 2009 com a participação de 150 executivos,
é a responsável pela definição técnica das metas
A relação do Grupo com a sustentabilidade remonta ao relacionadas à redução e à mitigação da emissão
ano de 2006, quando os acionistas lançaram um desafio de gases de efeito estufa.
aos executivos para inovar na condução dos negócios e
na forma de garantir a perenidade da companhia. Outra importante ferramenta de gestão e planejamento
GRI EN 18, da sustentabilidade nas empresas do Grupo é o Radar
EN 26 e
EC2 Desde então, a estratégia do Grupo e de suas empresas de Sustentabilidade, criado com base em indicadores
é indissociável do respeito ao meio ambiente, da globais e locais (ISE, Ethos, GRI, Ibase e DJSI). Um
geração de oportunidades na área social e da busca questionário de 40 perguntas levanta periodicamente
pela competitividade. Em 2010, a Carta de Expectativas como estão posicionados os diferentes negócios do
– documento enviado anualmente pelos acionistas aos Grupo – o mesmo método permite o planejamento
para os próximos exercícios. Em 2010, cada uma das
controladas passou a contar com radares elaborados
especialmente para suas necessidades. Para os
exercícios de 2010 e 2011, o Grupo elegeu como
prioridades a saúde e a segurança no trabalho; a
educação em sustentabilidade para o público interno; o
desenvolvimento das boas práticas na cadeia de valor; e
o tema da inovação com sustentabilidade.

O Prêmio Inovação Sustentável – concedido a cada


dois anos – recebeu, em 2010, 897 inscrições
e envolveu 3.729 participantes em cinco países
(Argentina, Brasil, Chile, México e Peru). A primeira
edição da iniciativa, que tem como objetivo mobilizar os
27 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } sustentabilidade

funcionários em torno das boas práticas, envolveu mil transformou na maior referência em lingua
pessoas, com 425 projetos inscritos – as ideias viáveis portuguesa sobre o tema da sustentabilidade.
foram implantadas ao longo de 2009.
• Centro de Referência em Sustentabilidade
GRI 4.12
e 4.13 O Grupo Camargo Corrêa é parceiro da Fundação Dom Cabral, para revisão
das seguintes entidades: da política de recursos humanos à luz
da sustentabilidade.
• Conselho Brasileiro de Construção Sustentável – CBCS
(por intermédio das controladas Construções e Comércio • Fundação Instituto de Administração (FIA), para
Camargo Corrêa, Camargo Corrêa Cimentos e Camargo desenvolvimento da área de gestão de carbono.
Corrêa Desenvolvimento Imobiliário). O Grupo patrocina o
Simpósio Internacional de Construção Sustentável. • ILP Industrial Liasion Programme do MIT
(Massachusetts Institute of Technology) junto às
• Planeta Sustentável, iniciativa da Editora Abril controladas Construções e Comércio Camargo
também apoiada pela Camargo Corrêa que se Corrêa, Camargo Corrêa Cimentos e a Alpargatas.
28 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Indicadores de sustentabilidade
GRI EC1, EC8 e EC9

Investimentos sociais – Instituto Camargo Corrêa


2010 2009
Recursos Investidos pelo Grupo Camargo Corrêa (em R$ milhões)
(1)
12,6 11,8
Recursos de Organizações Parceiras (em R$ milhões) 5,5 6
No de projetos em andamento 114 73
No de cidades com projetos em andamento 47 42
Público direto beneficiado (em milhares) 20 18
Público indireto beneficiado (em milhares) 111 65
(1) Projetos iniciados em 2008.
(2) Público objeto da ação.
(3) Público beneficiado pelas ações.

Investimentos sociais – Instituto Alpargatas


2010 2009
Recursos Investidos (em R$ milhões) 2,2 1,8
No de projetos realizados 33* 132
No de cidades com projetos realizados 15 10
Público beneficiado (em milhares) 66 39
* No ano de 2009 cada escola era considerada como projeto. Em 2010, os projetos representam as ações em cada cidade ou especificidade
de atendimento, ou seja, 33 projetos que atenderam 308 instituições ou especificidades diferentes.

Investimentos sociais – Fundación Loma Negra


2010 2009
Recursos Investidos (em R$ milhares) 527,3 276,5
Recursos de Organizações Parceiras (em R$ milhares) 245,0 256,0
No de projetos em andamento 14 18
Público beneficiado (em milhares) 8,5 6,4

Investimentos do Grupo Camargo em Doações e Patrocínios


Valores
Recursos Próprios R$ 1.865.240,00
Incentivo à Cultura, via Lei Rouanet R$ 4.101.359,00
Lei de Incentivo ao Esporte R$ 993.000,00
Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD) R$ 1.050.000,00

GRI EN8 Indicadores Ambientais


(em mil)
Águas de Fornecedores m 3
960.341 4,39%
Águas Superficiais m3 13.019.700 59,49%
Águas Subterrâneas m3 7.904.977 36,73%
Consumo de Água
Consumo total de água m3 21.886.361
Água reutilizada/reciclada m3 414.374
Índice de Água Reciclada % 1,89%
29 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE

GRI EN3 Fontes de energia – 2010


Consumo energético (MMGJ): 38,2

31%
29%

17% 17%

4,26% 5% 5%
1,32% 0,66%

Gás Coque Energia Carvão Moinha Diesel Resíduos Madeira Outros


Natural Elétrica sólidos

GRI LA1 Total de Profissionais por


Contrato de Trabalho e Região
Distribuição de Região Geográfica Contrato de Trabalho - TOTAL - 2010 Contrato de Trabalho - TOTAL - 2009
CLT Estatutário (*) Estagiário CLT Estatutário (*) Estagiário

Brasil
Norte 15.552 - 3 8.981 - 8
Nordeste 15.343 - 16 10.361 - 13
Centro-Oeste 2.823 2 2 5.758 2 4
Sudeste 11.503 74 130 10.412 74 122
Sul 5.912 - 2 4.517 - 3
Subtotal 51.133 76 153 40.029 76 150
Outros Continentes
América (exceto Brasil) 10.150 5 14 7.213 4 6
Europa 57 - 1 40 - -
África 247 - - 15 - -
Subtotal 10.454 5 15 7.268 4 6
Total 61.587 81 168 47.297 80 156
(*) Estatutários: Administradores e Dirigentes que representam a empresa estatutariamente
30 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE

GRI LA1 Total de profissionais com registro CLT


e profissionais estatutários por período de trabalho
Distribuição de Região Geográfica Tipo de Contrato de Trabalho - 2010 Tipo de Contrato de Trabalho - 2009
Tempo Integral Abaixo do Tempo Integral Abaixo do
Período Integral Período Integral
Brasil
Norte 15.552 - 8.971 10
Nordeste 15.342 1 10.345 16
Centro-Oeste 2.825 - 5.726 34
Sudeste 11.541 36 10.143 301
Sul 5.905 7 4.513 4
Subtotal 51.165 44 39.698 365
Outros Continentes
América (exceto Brasil) 10.155 - 7.259 -
Europa 57 - 40 -
África 247 - 15 -
Subtotal 10.459 - 7.314 -
Total 61.624 44 47.012 365
(*) Estatutários: Administradores e Dirigentes que representam a empresa estatutariamente

GRI LA1 Empregados no final


do período* (em mil) Terceiros*
61,7
56,8 57,9
54,4
8.667

41,4

4.414

2006 2007 2008 2009 2010 2009 2010

* Totais anuais abrangem empregados do Grupo Camargo * Terceiros: Empregados registrados


Corrêa, incluindo empresas controladas (na totalidade); em empresas prestadoras de serviços
consórcios (somente aqueles em que a Camargo Corrêa é líder, especializados contratadas pela empresa,
proporcionalmente à sua participação); e obras no exterior. para realização de atividades caracterizadas
Não são considerados estagiários, terceiros e trabalhadores como acessórias ou de suporte à sua atividade
de empresas de controle compartilhado (CPFL Energia, CCR, principal, tais como limpeza e segurança
Usiminas, Essencis, Loga e Estaleiro Atlântico Sul)
31 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo

Instituto Camargo Corrêa GRI 4.12

O Instituto Camargo Corrêa (ICC), criado em 2000, inserção de jovens no mercado de trabalho.
tem o objetivo de articular e orientar a ação social das Quando surgiu, o ICC tinha como objetivo o
empresas do Grupo Camargo Corrêa. Em dez anos investimento em projetos já existentes na área de
de atividade, apoiou 150 projetos e beneficiou 83 mil educação, saúde e cultura com foco em crianças
pessoas. Neste período, os investimentos chegaram a e adolescentes de baixa renda. Com a experiência
R$ 70 milhões. O orçamento de 2010, de R$ 16 milhões, acumulada, em 2007 o instituto aprimorou sua
permitiu a execução de 93 projetos em 51 municípios estratégia de atuação, passando a desenvolver ações
de 14 estados brasileiros. Na área internacional, o ICC prioritariamente nas localidades onde há a presença
apoiou atividades em Angola, na Argentina, no Peru de empresas do Grupo Camargo Corrêa. Sua missão
e no Paraguai. No final do ano, foi formalizada uma é articular e fortalecer organizações que contribuam
parceria com o BNDES para a criação de um fundo para a formação integral de crianças, adolescentes
paritário no valor de R$ 50 milhões – R$ 10 milhões e jovens, visando ao desenvolvimento comunitário
por ano, ao longo de cinco anos – para a expansão sustentável. O público-alvo foi ampliado e passou
do programa Futuro Ideal, visando a estruturação de a incluir jovens de até 29 anos de idade. Quatro
empreendimentos solidários com atenção especial à programas sociais foram estruturados em torno desse
32 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Perfil Corporativo } Instituto camargo corrêa

eixo: Infância Ideal, Escola Ideal, Futuro Ideal e Ideal > Futuro Ideal - Voltado para a formação profissional
Voluntário. Para cada programa foram idealizados e para a inserção de jovens no mercado de trabalho, o
diversos projetos que se complementam. As principais programa incentiva o empreendedorismo e a criação de
ações desenvolvidas em 2010 foram as seguintes: projetos de geração de renda em parceria com o Sebrae
e outras organizações do terceiro setor. O Futuro Ideal foi
> Infância Ideal - O programa é voltado à defesa desenvolvido principalmente nos arredores de grandes
dos direitos da infância e desenvolve projetos nas obras como a Usina Hidrelétrica Foz do Chapecó, em
áreas de educação infantil, atendimento a gestantes, Santa Catarina, e a Usina Hidrelétrica Jirau, em Rondônia.
fortalecimento do Sistema de Garantia dos Direitos Em 2010, executou 27 projetos em 29 cidades brasileiras.
da Criança e valorização da saúde na primeira
infância. Em 2010, estava presente em dez municípios > Ideal Voluntário - O programa estimula e cria
brasileiros, com 20 projetos que complementam ações condições para que os profissionais das empresas do
do poder público, beneficiando 10,4 mil pessoas. Em Grupo possam realizar ações voluntárias. Em cada
novembro de 2010, foi realizado um seminário com unidade de negócio é formado um Comitê de Incentivo
representantes de todas as cidades para troca de ao Voluntariado e Interação com a Comunidade (Civico),
experiências e aprimoramento do trabalho. que é responsável por estimular e apoiar o trabalho
voluntário de forma contínua.
> Escola Ideal - O programa tem como lema a
Educação Pública de Qualidade. Presente desde 2008 > Dia do Bem Fazer - Em 2010, o Dia do Bem
em Curitiba (PR) e em seis municípios da Paraíba, Fazer ocorreu em 22 de agosto e envolveu 8 mil
em 2010 o programa foi ampliado para Ipojuca (PE), voluntários de 11 países e 14 empresas do Grupo.
Apiaí (SP), Itaoca (SP), Porto Velho e Guajará-Mirim Foram realizadas 95 ações, beneficiando cerca de 72
(RO). Um dos projetos desenvolvidos é o Sistema mil pessoas. Realizada anualmente, a jornada inclui
de Gestão Integrado, que promove melhorias em ações como doação de materiais, reforma de creches e
todos os serviços das escolas, envolvendo todos escolas, limpeza de instituições sociais, organização de
os professores, alunos e funcionários. Outra ação atividades de lazer para idosos e crianças, entre outras.
de destaque em 2010 foi a premiação de melhores Instituído em 2009 para marcar os 70 anos do Grupo
práticas de incentivo à leitura desenvolvidas por Camargo Corrêa, o Dia do Bem Fazer é dedicado a
professores, escolas e secretarias da Paraíba. atividades voluntárias dos profissionais.
33 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios
do Grupo
34 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.
35 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo

GRI 2.1
Cimento GRI 2.3 e 2.7

e 2.9 Com mais de 40 anos de atividade e presença uma reorganização societária que culminou com
consolidada nos mercados brasileiro e argentino, a constituição de uma holding para o negócio
a Camargo Corrêa Cimentos deu passos fundamentais, cimento denominada InterCement Participações S.A.
em 2010, para atingir a meta de se tornar uma das Subsequentemente, foi alterada a razão social da
maiores empresas do setor no mundo até 2012. Camargo Corrêa Cimentos S.A. para InterCement
Em dezembro, os acionistas da companhia e de Brasil S.A. Ao longo deste capítulo, estão apresentadas
sua controladora Camargo Corrêa S.A. realizaram as informações e resultados apurados em 2010 pela

GRI EC1 Indicadores de desempenho


Vendas de cimento (em milhões de toneladas):

11,5
2009 2010

10,2

Vendas de concreto (em milhões de m³):

2,3
2009 2010

2,5

Empregos diretos (em milhares):

4,8
2009 2010

3,9
36 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Cimento

Camargo Corrêa Cimentos e suas subsidiárias, já S.A., de ¤ 1,4 bilhão na aquisição de cerca de 33% do
utilizando a nova denominação. capital da portuguesa Cimpor, a oitava principal empresa
do mundo no setor, presente em 12 países. Além de
GRI 2.5
e 2.9 A mudança reflete o desejo da empresa de se destaque em Portugal e na Espanha, a Cimpor possui
internacionalizar rapidamente, projeto que ganhou fôlego dois terços de seus ativos localizados em mercados
com o investimento, pela controladora Camargo Corrêa emergentes como Brasil, China, Índia e África do Sul.

GRI EC1 Receita líquida Ebitda Lucro líquido


(em R$ milhões) (em R$ milhões) (em R$ milhões)

2.474*
2.362 641
2.042 616*
541

1.598 456 420 337*


400
1.481
211
193
186

2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010

* Contempla equivalência da Cimpor


37 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Cimento

Ainda em 2010, a InterCement anunciou a destinação de de grandes obras permanece aquecido, principalmente
mais de US$ 500 milhões para a construção de fábricas por conta da escolha do País como sede da Copa
em Angola (Palanca Cimentos) e no Paraguai (Yguazú do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016.
Cementos). Outros dez projetos de modernização e/ou A continuidade das políticas habitacionais e o ainda
ampliação das fábricas já existentes foram iniciados ao enorme déficit de moradias também deverão garantir
longo do ano, como a construção de uma nova unidade a demanda de cimento em alta por um longo ciclo. Com
de moagem em Catamarca (Argentina) e a recuperação isso, a InterCement pretende dobrar seu volume de
de sistemas e peças da unidade de Ijaci (MG). Em vendas, com o crescimento orgânico e com a abertura
paralelo aos planos de expansão, a InterCement e a aquisição de novas plantas.
realiza constantes investimentos no aperfeiçoamento
de pessoas, sistemas, processos e produtos com o Argentina GRI 2.8
objetivo de reduzir custos operacionais e ambientais. A Loma Negra, controlada da InterCement na
Argentina desde 2005, possui nove unidades de
Brasil
GRI 2.2
e 2.8 produção de cimento, mais de 2,7 mil funcionários
No Brasil, a InterCement mantém sete fábricas, diretos e é líder inconteste no país. A companhia
emprega diretamente mais de 2 mil pessoas e conta também com a pedreira La Preferida de
ocupa a terceira posição no ranking de vendas. Olavarría e 11 usinas de concreto sob a marca
As marcas Cauê e Cimento Brasil garantiram à Lomax. Como diferencial competitivo, a Loma
empresa, em 2010, quase 10% de participação no Negra conta com o controle da Ferrosur Roca S.A.,
mercado. No mercado de concreto, a InterCement ferrovia de 3.181 quilômetros que corta o centro
mantém 18 unidades de concreto e ocupa a do território argentino e conecta quatro de suas
quarta posição no ranking brasileiro. A empresa fábricas. O país consumiu, em 2010, 10,2 milhões
ainda possui duas pedreiras de brita em região de toneladas de cimento, segundo a Asociación
estratégica. O consumo de cimento no País vem de Fabricantes de Cementos Portland. O volume
crescendo ininterrupta e consistentemente desde é 11% maior que o registrado em 2009 – ano que,
2005 (com exceção de 2009, no qual houve por conta da crise financeira global, interrompeu
estabilidade), como reflexo de um ciclo de expansão um ciclo de crescimento contínuo do mercado
econômica que levou ao crescimento da renda que perdurava há seis anos. O bom desempenho
per capita, grandes investimentos em projetos de do setor agropecuário e a retomada do nível de
infraestrutura e ao desenvolvimento do mercado consumo garantiram a retomada das vendas em
de construção residencial. Em 2010, o consumo 2010. A perspectiva de expansão de 4,5% do
de cimento cresceu 14,8% no País e atingiu 59,1 Produto Interno Bruto argentino em 2011 justifica
milhões de toneladas, segundo o Sindicato Nacional novos aportes na operação local.
da Indústria de Cimento (SNIC). Esse volume coloca
o País como um dos dez principais consumidores Juntas, as operações no Brasil e na Argentina
de cimento do mundo. produziram, em 2010, 11,5 milhões de toneladas de
cimento, o que representa um crescimento de 12,7%
Apesar da forte alta na demanda registrada nos em relação ao ano anterior. A marca é recorde na
últimos anos, existem condições macroeconômicas história da empresa e reflete – além da expansão dos
que sustentam um novo ciclo de investimentos no setor mercados – os frequentes investimentos realizados
– do qual o grupo participa com destaque. O mercado no aprimoramento de processos operacionais,
38 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Cimento

gestão e qualidade. Uma reorganização interna que o lucro líquido ficou em R$ 337 milhões, contra
da companhia, concluída em 2010 e mantida sob R$ 541 milhões no exercício anterior. A valorização
constante aprimoramento, aumentou sensivelmente do real frente ao dólar (o que provoca impacto direto
a eficiência da operação. A presença do grupo nas receitas obtidas na Argentina) também contribui
na América do Sul se completa com operações para a redução da rentabilidade. A geração de caixa
comerciais na Bolívia e no Paraguai. (Ebitda), por sua vez, apresentou pequena retração:
foi de R$ 616 milhões, contra R$ 641 milhões em
O parque produtivo da área de cimento é considerado 2009. A redução dos custos operacionais e a forte
dos mais modernos do continente, o que garante expansão do mercado brasileiro explicam o bom
à InterCement a combinação de alta rentabilidade resultado nesse quesito.
financeira com respeito ao meio ambiente.
GRI 4.11
Na área ambiental, 2010 também foi de avanços e e 4.12

GRI EC1 O exercício de 2010, a exemplo de anos anteriores, conquistas. Ao longo do ano, a InterCement assinou
trouxe expressivos e consistentes resultados acordos de cooperação com a Companhia de
financeiros. A apreciação do valor do real e os Saneamento Básico de São Paulo (Cetesb) e com
crescentes custos de produção – especialmente o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) para o
ligados à mão de obra e a despesas de manutenção desenvolvimento e o aprimoramento de práticas
– afetaram os resultados. A receita líquida, de R$ 2,5 sustentáveis na cadeia produtiva. A companhia também
bilhões, cresceu 4,7% em relação a 2009, ao passo reforçou seu compromisso com o Pacto Global, uma
39 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Cimento

iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) para Ferrosur


a defesa do meio ambiente e a valorização dos direitos O Grupo Camargo Corrêa concentra na Ferrosur Roca
humanos e trabalhistas. Ainda em 2010, foi criada S.A. seus investimentos como concessionário do setor
a Política de Responsabilidade Social Corporativa. ferroviário. A empresa argentina, que tem 80% do
GRI 4.12, capital sob controle da cimenteira Loma Negra, também
EN18
e EC2 As iniciativas refletem a prioridade que as boas pertencente ao grupo, opera 3.181 quilômetros de trilhos
práticas têm na gestão do negócio. O tema da que cruzam as províncias de Buenos Aires, La Pampa,
sustentabilidade é prioridade em todas as empresas Rio Negro e Neuquén. O ativo é considerado estratégico
do grupo, conectado às condicionantes operacionais. para as operações da Loma Negra, pois quatro de
A InterCement é signatária do Cement Sustainability suas nove unidades produtoras estão interligadas pela
Initiative (CSI), um compromisso global de empresas ferrovia. A concessão do governo argentino é válida até
do setor preocupadas em minimizar o impacto 2023 e poderá ser estendida por mais dez anos.
ambiental da atividade. As práticas adotadas na
produção visam principalmente à redução da emissão No exercício de 2010, a Ferrosur Roca anunciou
de dióxido de carbono, o que exige a adoção de investimentos de US$ 14 milhões para aumentar
aditivos na composição do cimento e a utilização sua capacidade de escoamento de carga. Estão
de combustíveis menos poluentes nos fornos, entre previstos desembolsos totais de US$ 25 milhões,
outras atividades mitigadoras. Para garantir o uso de em cinco anos, para a ampliação em 25% da
energia “limpa” na produção, a companhia mantém capacidade de transporte da ferrovia. Em agosto,
participações minoritárias em três companhias a empresa anunciou um acordo de transferência
hidrelétricas (Machadinho Energia, Energética Barra da concessão de um trecho de 756 quilômetros
Grande e Usina Hidrelétrica de Estreito). entre as cidades de General Cerri (Buenos Aires)
e Zapala (Neuquén) para a Vale Logística da
Para garantir uma expansão dos negócios sem Argentina S.A. O negócio foi fechado por
grandes sobressaltos, foi atualizado em 2010 o US$ 60 milhões e depende da aprovação dos
Mapa de Riscos Críticos – produzido, assim como órgãos de defesa econômica da Argentina.
o Mapa de Processos Críticos, sob a metodologia
do Committee of Sponsoring of Organizations Do ponto de vista operacional, o exercício de
(Coso). O instrumento permite a administração 2010 trouxe indicadores positivos, após os severos
e o monitoramento de riscos estratégicos, efeitos provocados pela crise global de 2009.
regulamentares, financeiros e operacionais. A revisão A ferrovia transportou, no ano, 5,2 milhões de
do Mapa de Riscos levou também à definição de um toneladas, o que representa um acréscimo de 2%
cronograma de implantação de novos processos ou em relação ao exercício anterior e reflete o início da
a realização de atividades ligadas à área entre 2011 e recuperação da atividade da economia argentina. Os
2014. Até lá, os processos de gestão de risco deverão indicadores financeiros também apresentaram reação
estar maduros e consolidados, o que deverá ajudar a moderadamente positiva. A tarifa média por tonelada foi
garantir a perenidade da InterCement. de US$ 10,86, ou 14% maior do que em 2009.
40 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo

Concessões de Energia GRI 2.7

O Grupo Camargo Corrêa, com 25,6% do capital R$ 1,8 bilhão. No segmento de distribuição foram
total, é o maior acionista do bloco de controle da aplicados R$ 1,1 bilhão na ampliação e fortalecimento
GRI 2.1 CPFL Energia, maior companhia privada do setor do sistema elétrico. No segmento de geração foram
GRI 2.6 elétrico brasileiro, listada no Novo Mercado da BM&F alocados R$ 645 milhões, principalmente nos
Bovespa e na Bolsa de Nova York (NYSE). Em 2010, empreendimentos em construção no exercício. Outros
o desempenho da CPFL Energia apresentou uma R$ 28 milhões foram investidos no segmento de
evolução importante, que reflete o crescimento do comercialização e serviços de valor agregado.
consumo de energia das áreas atendidas por suas
distribuidoras, os resultados da estratégia de ampliação O aquecimento da atividade econômica se refletiu GRI EC1

e diversificação dos negócios e o compromisso com a nos resultados da companhia. A receita bruta, de
busca permanente do aumento de eficiência em suas R$ 17,5 bilhões, e a receita líquida, de R$ 12 bilhões,
empresas. Os investimentos no exercício totalizaram cresceram, respectivamente, 6,6% e 5,9% em relação

Indicadores de desempenho

Distribuição (em milhares de GWh):


Mercado cativo + TUSD*

52
2009 2010

48,6
* Tarifa de Uso dos Sistemas Elétricos de Distribuição

MW instalado:

2.309
2009 2010

1.737
41 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } concessões de energia

ao ano anterior, sobre bases comparativas equivalentes.


O Ebitda atingiu R$ 3,35 bilhões, e o lucro líquido, R$
1,56 bilhão. Houve redução de 7,6% no lucro líquido em
relação a 2009, principalmente em razão do aumento das
despesas financeiras líquidas e do menor aproveitamento
de créditos fiscais em relação ao ano anterior.

No segmento de distribuição, a CPFL registrou, em 2010,


um expressivo crescimento de 7,3% na demanda sobre
2009 – ano em que as consequências da crise financeira
global fizeram o consumo industrial recuar 5%. A retomada
da atividade industrial brasileira foi acompanhada de
um aumento na renda do trabalhador, o que também
contribuiu positivamente para o bom desempenho da
companhia no exercício. No período, o consumo residencial

Clientes (em milhões):

6,6
2009 2010

6,4

População atendida (em milhões de habitantes):

19
2009 2010

19
42 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } concessões de energia

cresceu 3,8%, puxado pelo aumento no consumo de Hidrelétrica Foz de Chapecó, no estado de Santa
bens eletroeletrônicos e eletrodomésticos. A empresa Catarina. A CPFL controla 51% do empreendimento,
conquistou, no período, 200 mil novos clientes e fechou que tem potência instalada de 855 MW. Os
o ano com um total de 6,6 milhões de residências e investimentos em geração de energia a partir da
estabelecimentos comerciais atendidos nos 568 municípios biomassa, por sua vez, ganharam fôlego em 2010.
em que atua, nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, A Usina Termelétrica Baldin, de Pirassununga (SP),
Paraná e Minas Gerais. No total, a empresa distribuiu, em que gera energia a partir da queima do bagaço da
2010, 51.600 GWh, contra 48.600 GWh em 2009. cana-de-açúcar, entrou em operação com potência
de 45 MW. Uma parceria com o Grupo Pedra, firmada
No segmento de Geração de Energia Elétrica, em 2010, prevê a construção de outras três usinas de
destacam-se o compromisso e o avanço da CPFL biomassa de cana. Os empreendimentos, que serão
na formação de sua plataforma de geração baseada inaugurados entre 2011 e 2012, terão 145 MW de
em uma matriz de fontes limpas e renováveis. capacidade instalada. Em 2011, será inaugurada ainda
A capacidade total instalada atingiu 2.309 MW, ante a Usina Termelétrica BioFormosa, no Rio Grande do
1.737 MW em 2009. O principal destaque do exercício Norte, também com geração a partir do bagaço da
nessa área foi o início das operações da Usina cana (até 40 MW de potência).
43 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } concessões de energia

Outro fato importante do exercício, dentro da estratégia pelo Fórum Clima, formado por 22 empresas privadas
de investimentos em geração de energia limpa, foi o com atuação no Brasil. Como fruto de sua intensa
início da construção do Parque Eólico de Santa Clara, atividade na área, a empresa foi reconhecida em 2010
no Rio Grande do Norte, com capacidade de geração pela revista Latin Finance como a Melhor Empresa
de 70 MW. A CPFL também garantiu, no exercício, do Setor de Energia em Sustentabilidade da América
a contratação do Parque Eólico Campo dos Ventos, Latina. Além disso, a CPFL foi escolhida pelo Guia
que deverá entrar em operação em 2013 também em Exame de Sustentabilidade como Empresa-Modelo
território potiguar. Dois importantes empreendimentos pelo oitavo ano consecutivo.
no Nordeste do País – as termelétricas Termoparaíba e
Termonordeste – foram 90% concluídos em 2010. As O consistente desempenho da CPFL na busca
usinas deverão entrar em operação em 2011. de uma atuação responsável e sustentável em um
setor fundamental para o desenvolvimento do
A preocupação com a geração de energia de baixo País alinha-se perfeitamente com a estratégia mais
impacto ambiental é apenas uma das muitas atividades ampla do Grupo Camargo Corrêa.
da CPFL vinculadas às melhores práticas sustentáveis.
GRI 4.12 A empresa é signatária dos principais compromissos Em abril de 2011, a CPFL Energia adquiriu a Jantus
empresariais voltados à preservação do meio SL, detentora do maior portfólio de parques eólicos do
ambiente, como a carta-compromisso do Movimento Brasil e posteriormente associou-se à Ersa para criar
Empresarial pela Conservação e Uso Sustentável da a CPFL Renováveis, a maior geradora de energia a
Biodiversidade e a Carta Aberta ao Brasil, preparada partir de fontes renováveis da América Latina.

GRI EC1 Receita líquida* Ebitda* Lucro líquido*


(em R$ milhões) (em R$ milhões) (em R$ milhões)

873 326
3.015 3.097

716 247
227

510 187
1.532 1.564 449
141
1.266 384

2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010
* Valores proporcionais à participação do Grupo Camargo Corrêa na CPFL energia
44 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo

Concessões de Transportes
A CCR, da qual o grupo Camargo Corrêa é um dos da linha 4 do Metrô paulistano, que iniciou suas
fundadores e um dos acionistas controladores, tem operações em maio de 2010.
GRI 2.2 como atividade a gestão de 2.446 quilômetros de
rodovias localizadas em São Paulo, Rio de Janeiro A CCR, listada no Novo Mercado da BM&F Bovespa,
e Paraná. Em 2010, a empresa investiu um total de é a maior empresa de seu segmento na América
R$ 1,48 bilhão, volume recorde na história da Latina. Em 2010, o Grupo Camargo Corrêa expandiu GRI 2.9

empresa. Os recursos foram direcionados, sua participação de 25% para 33,3% no bloco de
GRI 2.9 principalmente, à aquisição da concessionária SPVias, controle da companhia, ao adquirir a participação da
que somou 516 quilômetros à malha administrada portuguesa Brisa. A excelência de suas operações,
pela CCR; a obras de grande porte em estradas como reconhecida pelos milhões de motoristas que
a Via Dutra e o complexo Anhanguera-Bandeirantes; circulam diariamente pelas vias que administra, é
e também à concessionária ViaQuatro, operadora prova do comprometimento do Grupo com o setor

Indicadores de desempenho
Veículos pedagiados (milhões)

GRI 2.2 E 2.3

Concessionária CCR:
Concessionárias da CCR
Rodonorte – 567,78 km
Rodovia Presidente Dutra – 407,1 km
Rodovia dos Lagos – 56 km
Ponte Rio-Niterói – 23 km

700,651 868,557
2009 2010 Sistema Anhanguera-Bandeirantes Autoban – 316,8 km
Sistema Castello Branco-Raposo Tavares – 168,62 km
Rodoanel Mário Covas – 32 km
Renovias – 345,6 km
SPVias – 516 km
ViaQuatro – 12,8 km
Total – 2.446 km

Mercado brasileiro:

1.600,28
2009 2010

1.483,20
45 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Concessões de transportes

de transportes, estratégico para o desenvolvimento de 2009, porque houve naquele ano um resultado
do País e intrinsecamente vinculado ao ritmo da extraordinário relativo ao ganho de capital sobre o valor
atividade econômica. patrimonial da participação do Grupo, em função da
oferta primária de ações da companhia (follow on) a
No exercício de 2010, a empresa foi impactada valor de mercado, superior ao de Patrimônio Líquido.
diretamente pela vigorosa retomada do crescimento
do mercado local após a crise global iniciada em 2008. Além das rodovias e da participação direta na GRI 2.3

GRI EC1 A receita líquida aumentou para R$ 3,7 bilhões – 22,2% gestão do Metrô paulistano, a CCR possui 38,5%
em relação ao ano anterior, sobre bases comparativas do capital da STP, companhia que opera os sistemas
equivalentes. O número de veículos que circularam pelas de pagamento eletrônico Sem Parar e Via Fácil,
rodovias sob concessão da empresa cresceu 24% no e 45% da Controlar, que é responsável pela
ano, de 700 milhões para 1,19 bilhão; se desconsiderada inspeção veicular na cidade de São Paulo.
a expansão relacionada à aquisição da SPVias, esse No médio prazo, a empresa planeja continuar
crescimento foi de 12,1%, quase duas vezes superior à diversificando seu portfólio. Estão sendo desenvolvidos
expansão do PIB brasileiro no período. O lucro líquido da projetos em novos segmentos, como, por exemplo,
CCR foi de R$ 671,7 milhões no exercício, 5,2% inferior a em sistemas de veículos leves sobre trilhos (VLTs)
2009 por conta do aumento de despesas financeiras no e em sistemas rápidos de ônibus de alta capacidade
período e de ajustes decorrentes da adoção das novas (conhecidos no mercado como Bus Rapid Transit).
práticas contábeis. Também traçam-se planos para o ingresso em
operações de metrô em outras capitais brasileiras.
Já o resultado líquido apurado pelo Grupo Camargo Além disso, a companhia considera atuar em outros
Corrêa apresentou maior redução em relação ao lucro países latino-americanos.

GRI EC1

Receita líquida* Ebitda* Lucro líquido*


(em R$ milhões) (em R$ milhões) (em R$ milhões)
769 291

409
359
538 330
489
437 276
394 232
127 130
100 104

2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010

* Valores proporcionais à participação do Grupo Camargo Corrêa


46 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo

Engenharia e Construção GRI 2.7

A divisão Engenharia e Construção do Grupo Camargo Comércio Camargo Corrêa, empresa que deu origem ao
Corrêa consolidou, em 2010, sua decisão estratégica de Grupo e que concentrava, até 2009, a gestão de todos
privilegiar projetos de alta complexidade de engenharia os empreendimentos da divisão. Além disso, foram
e logística, de grande porte e que exijam elevado grau criadas três novas Unidades de Negócios: América
de especialização. A reorganização da estrutura da Latina, África e Novos Negócios – esta última destinada
divisão, iniciada no ano anterior, foi concluída ao longo ao desenvolvimento de novas empresas baseadas em
do ano passado e trouxe mais agilidade à gestão dos serviços de infraestrutura, com atuação inicialmente
projetos. Outro fato de destaque no período foi o esforço dirigida aos segmentos de Saneamento e Defesa.
constante pelo mais elevado padrão de qualidade
na execução de obras, que resultou na conquista de A nova estrutura da divisão foi bem recebida pelos
importantes certificações para a empresa. clientes, que passaram a contar com atendimento
mais próximo e mais focado nas suas necessidades.
GR1 2.3
e 2.9 Na reorganização da divisão, foram criadas quatro novas O processo de reorganização também descentralizou as
empresas, especializadas em suas áreas de atuação: decisões, o que deu mais autonomia e agilidade às áreas
Camargo Corrêa Energia e Construções, Camargo operacionais. A resposta às demandas do mercado
Corrêa Óleo e Gás, Camargo Corrêa Construções passou a ser, portanto, mais rápida e efetiva.
Industriais e Camargo Corrêa Infraestrutura. Elas são A busca contínua por mais produtividade e competitividade
controladas pela holding Camargo Corrêa Construções levou à priorização do desenvolvimento de técnicas,
e Participações, que também comanda a Construções e equipamentos e processos inovadores.

Indicadores de desempenho

GRI EC1 Receita líquida Ebitda Lucro líquido


(em R$ milhões) (em R$ milhões) (em R$ milhões)

6.047 889
5.758 638

4.765
561
462
2.993 280 298

1.896
113 147 115
64

2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010
47 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Engenharia & Construção

continuar executando outras duas dezenas de grandes


2010 empreendimentos no Brasil, em outros países da
Usinas hidrelétricas: 8 América do Sul e na África.
Eclusa: 1
Metrô: 73,66 km
Rodovias: 528,7 km A participação em obras de alta complexidade, como
Ferrovias: 42 km
Estaleiro: 1
a ponte sobre o Rio Negro, em Manaus (AM), ou como
Refinarias: 3 a Usina Hidrelétrica Jirau, em Rondônia, que prevê a
Pontes: 3
Obras de saneamento: 2 utilização de técnicas e materiais inovadores para
Unidades de mineração: 5 minimizar o impacto ambiental, são emblemáticas
Obras de dragagem: 1
Obras de irrigação: 1 da disposição do grupo em enfrentar os desafios
Linhas de transmissão: 1
necessários para contribuir com o desenvolvimento
da infraestrutura do País.
A divisão entregou quatro usinas hidrelétricas (um
recorde em sua história), obras de expansão e A divisão é líder mundial na construção de hidrelétricas GRI 2.2

modernização da Refinaria Henrique Lage – Revap, e tem posição de destaque nos segmentos industrial
em São José dos Campos (SP), as eclusas de (mineração), óleo e gás, rodoviário, portuário e
Tucuruí, trechos das linhas 2 e 4 do Metrô de São saneamento, entre outros. Além de atuar como
Paulo, 17 quilômetros da alça Sul do Rodoanel da prestadora de serviços de qualidade reconhecida
Grande São Paulo e diversos outros projetos, além de internacionalmente, a divisão Engenharia e Construção
48 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Engenharia & Construção

nas regiões onde atua – o problema também foi


atacado com a oferta de pacotes de remuneração
e benefícios mais atrativos.

O exercício de 2010 ainda foi marcado pelo


aprimoramento dos sistemas de gestão de riscos,
saúde e segurança da divisão. Revistas em 2009, as
práticas que permitem a identificação e a minimização
de riscos do negócio – econômicos, ambientais,
sociais, trabalhistas ou ligados diretamente à
execução de cada projeto – foram adotadas em
larga escala e ganharam status prioritário. Todas
as obras que se encontravam em execução
receberam investimentos em novos programas e
campanhas de segurança e de saúde no trabalho.
No campo da sustentabilidade, a divisão avançou
também desenvolve e participa como acionista de consideravelmente, com a obtenção da certificação
projetos estruturantes – caso do Etanolduto do interior NBR 16001 por dois dos consórcios da qual participa
paulista, que teve o acordo para seu primeiro trecho (o CCPR, que atua nas obras de ampliação da
assinado no final do exercício. A captação de novos Refinaria do Paraná, e o BVC, que executou obras
contratos somou R$ 9,2 bilhões em 2010, volume que na modernização da Revap, em São Paulo) – ambos
garante uma trajetória de crescimento sustentável para os empreendimentos também já contavam com
os próximos anos. certificações relacionadas ao meio ambiente (ISO
14001), qualidade (ISO 9001) e saúde e segurança
O novo formato de atuação ajudou a proporcionar à do trabalho (OHSAS 18001).
divisão um crescimento, em 2010, de 5% na receita
líquida, que foi a R$ 6 bilhões. Porém, o elevado Principais projetos
número de encerramento de projetos antigos A divisão Engenharia e Construção do grupo
(por exemplo, as Eclusas de Tucuruí) e os custos Camargo Corrêa participou, em 2010, de cerca de
crescentes de mão de obra e dos insumos, provocados 50 empreendimentos de grande porte no Brasil e
por uma economia em forte expansão, trouxeram no exterior. Ao final do exercício, a empresa contava
impacto negativo na rentabilidade da divisão. Tanto o com 32 mil funcionários diretos, além das dezenas de
lucro líquido, de R$ 297,6 milhões, quanto a geração milhares de pessoas que contribuem indiretamente
de caixa (Ebitda), de R$ 561,5 milhões, foram inferiores com o sucesso das obras.
aos valores obtidos no exercício anterior.
Refinaria Abreu e Lima
Para restaurar os níveis de lucratividade Localizada em Ipojuca (PE), é a primeira refinaria
desejados, a divisão está constantemente revendo do Nordeste brasileiro. As obras do empreendimento,
sua estrutura de custos e passou a investir com conhecido como RNEST-UCR, tomaram corpo e
mais intensidade na formação interna de mão de obra encerraram o exercício com grande mobilização
para superar a escassez de profissionais qualificados de funcionários.
49 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Engenharia & Construção

UHE Serra do Facão de 2010. A construção, entre outros destaques, tem


Localizada em Catalão (GO), a hidrelétrica o maior vão livre em edificações do mundo. A divisão
com potência de 210 MW passou a gerar liderou o consórcio que construiu o empreendimento.
energia comercialmente.
Ponte do Rio Negro
Revap A ponte que vai ligar a capital amazonense ao
A Refinaria Henrique Lage, de São José dos município de Iranduba aproximou-se de sua
Campos (SP), passou a operar uma nova unidade HDT, conclusão no final do exercício. O vão central e o
para produção de diesel e hidrogênio. trecho estaiado foram totalmente concluídos.

UHE Foz de Chapecó UHE Jirau
Localizada entre Santa Catarina e o Rio Grande A maior usina hidrelétrica então em construção
do Sul, teve a geração comercial de energia iniciada no no Brasil teve seu ritmo de construção acelerado
segundo semestre de 2010. Como feito inovador em em 2010, com cerca de 20 mil profissionais
sua construção, pela primeira vez na América Latina envolvidos diretamente no empreendimento
o núcleo de vedação da barragem foi construído com localizado em Rondônia.
massa asfáltica, uma técnica inovadora que reduziu o
impacto ambiental e o prazo de execução UTE Euzébio da Rocha
do empreendimento. A termelétrica de 208 MW de capacidade
foi inaugurada pela Petrobras em 2010.
Repar O empreendimento, de R$ 1 bilhão, foi construído
A Refinaria Presidente Getúlio Vargas, em em parceria com a Skanska.
Araucária (PR), construída em parceria com
a Promon, registrou expansão com a entrega Etanolduto
das subestações SE-2212 e SE-6821. O projeto prevê a construção de um duto para
o transporte da produção de etanol da região de
Rodoanel Ribeirão Preto para o polo petroquímico de Paulínia,
O trecho Sul do anel rodoviário da Grande São Paulo no interior de São Paulo. O investimento total será de
foi inaugurada pelo governo do Estado em abril de R$ 5 bilhões. O contrato para o primeiro trecho foi
2010. Os 17 quilômetros construídos pela divisão assinado no final do ano.
foram entregues na data acordada.
Projeto Barro Alto
Metrô A planta de processamento de níquel da Anglo
O primeiro trecho da linha 4, de 3,6 quilômetros, American, localizada em Barro Alto (GO), avançou
entrou em operação experimental em março. significativamente em 2010. A área de secadores de
A divisão também entregou a estação Sacomã minério, por exemplo, foi totalmente concluída.
e a via permanente da linha 2.
Mineroduto
Cidade Administrativa O maior mineroduto em construção no mundo,
Nova sede do governo mineiro, a Cidade Administrativa para a Anglo American, atravessa 32 municípios
Presidente Tancredo Neves foi inaugurada em fevereiro em 525 quilômetros de extensão entre os estados
50 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Engenharia & Construção

de Rio de Janeiro e Minas Gerais. Importantes marcos US$ 2,2 bilhões, tem como objetivo levar saneamento
foram alcançados em 2010, como a conclusão do túnel e abastecimento de água para uma população de
Carangola/Faria Lemos, em solo mineiro. cerca de 5 milhões de pessoas na região do rio Tuy.
A Camargo Corrêa lidera o desenvolvimento do projeto.
TFPM e TMPM
Os terminais ferroviário e marítimo do Porto de Ponta Porce III
da Madeira, no Maranhão, tiveram as obras iniciadas A usina hidrelétrica, de 660 MW, na Colômbia,
em 2010. A contratante dos projetos é a Vale. iniciou a geração comercial de energia no final
de 2010. Sua construção foi marcada por desafios
Eclusas de Tucuruí de engenharia e logística que exigiram a escavação
As obras civis do sistema que devolveu a de 21 quilômetros de túneis.
navegabilidade ao rio Tocantins – perdida após
a construção da hidrelétrica de Tucuruí – foram Piura
entregues em novembro. A divisão participou com A divisão acertou com o governo de Piura, no Peru,
as obras de duas eclusas e de um canal de o desenvolvimento de um sistema de irrigação e
6 quilômetros de extensão. geração de energia elétrica. Na fase final, um túnel
de 13 quilômetros de extensão será construído.
Ramal Ferroviário no Pará
Também sob demanda da Vale, a Camargo Corrêa Mphanda Nkuwa
acordou a construção do Ramal Ferroviário da O projeto hidrelétrico de Moçambique, que
Serra Sul de Carajás, no sudeste do Pará. se encontrava em fase final de licenciamento
ambiental e engenharia financeira, tem
GRI 2.5 Presença Internacional investimentos estimados de até US$ 2 bilhões.
A divisão Engenharia e Construção participou,
em 2010, de nove empreendimentos em seis países: Linha de transmissão de Uige
A obra, fundamental para o desenvolvimento do
Huachipa interior de Angola, entrou em sua reta final ao longo de
A maior obra de saneamento do Peru terminou 2010, com a energização ocorrendo no início de 2011.
o ano 90% concluída. A operação das comportas
da barragem e da tomada d’água começou no Berazategui
fim do exercício. A Camargo Corrêa lidera A estação de tratamento de esgoto faz parte de um
o consórcio responsável pelo empreendimento. grande projeto do governo argentino de recuperação
do rio da Prata. A obra, cujo consórcio é liderado pela
Interoceânica Camargo Corrêa, vai permitir a implantação de uma
A rodovia que liga o Acre ao Oceano Pacífico, unidade de pré-tratamento de esgoto.
atravessando o Peru, foi finalizada. Consórcio
da Camargo Corrêa foi responsável por um trecho Moatize
de mais de 300 quilômetros. A Camargo Corrêa participa do consórcio de
construção das instalações da mina carbonífera de
Bacia do Rio Tuy Moatize, em Moçambique. Quando pronta, a mina
O empreendimento na Venezuela, orçado em será explorada pela Vale.
51 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Engenharia & Construção

GRI 2.8 Número de empregados (milhares):

32,9
2007 2008 2009 2010

27,6 26,6 31,7


52 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo

Calçados GRI 2.3,


2.5, 2.7
e 2.8
GRI 2.1 A São Paulo Alpargatas, controlada pelo Grupo Camargo 2011, uma Assembleia Geral Extraordinária aprovou a
Corrêa, chega aos consumidores de quatro continentes alteração da razão social da companhia para Alpargatas
GRI 2.2 com as marcas Havaianas, Dupé, Topper, Rainha, Mizuno, S.A. Sediada em São Paulo (SP), a companhia tem quatro
GRI 2.8 Timberland e Sete Léguas. Listada desde 1913 na bolsa de fábricas, nove fábricas-satélites, três centros de distribuição
valores, a empresa integra hoje o Nível 1 de Governança e um centro de pesquisa e desenvolvimento no Brasil. Na
Corporativa da BM&F Bovespa – 44% do capital total Argentina, o parque fabril tem nove unidades e um centro
pertence ao grupo, 1% está em tesouraria, enquanto de distribuição. A Alpargatas possui também escritórios e
GRI 2.4 os demais 55% permanecem no mercado. Em abril de centros de distribuição nos Estados Unidos e na Europa.

Indicadores de desempenho

Número de empregados: GRI 2.8

17,5
2009 2010

15,7
Comercialização de calçados
(milhões de pares):

236,7
2009 2010

210
Exportação
(milhões de pares):

27
2009 2010

19,4
53 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Calçados

A competência na construção e na gestão de marcas que O ano de 2010 representou também o início de um novo
são desejadas por consumidores de vários países vem ciclo de planejamento, que tem como objetivo consolidar
permitindo à Alpargatas gerar valor e ampliar todos os as conquistas e levar a empresa a novos padrões em
seus negócios. A empresa registrou, em 2010, recorde de termos operacionais e financeiros e a alcançar maior
vendas e lucratividade. O volume consolidado de vendas participação nos mercados de calçados do Brasil e do
cresceu 11,5%, para um total de 244 milhões de pares. exterior. O Projeto Lógica, desenvolvido para ser um
A receita líquida – de R$ 2,26 bilhões – e o lucro líquido modelo de referência em gestão de supply chain, foi
– de R$ 303,1 milhões – registraram forte evolução, com iniciado em 2009 e teve vários desdobramentos em
GRI EC1 altas respectivas de 12,4% e 147,2%. 2010. Seu objetivo é gerenciar a cadeia de suprimentos
durante todo o ciclo de vida do produto, visando elevar
A geração de caixa (Ebitda) também foi positiva em 18%, a padrões mundiais a qualidade dos serviços prestados
contra 15% em 2009. O forte desempenho da economia aos clientes da Alpargatas. No exercício de 2010, foram
brasileira no ano, que se refletiu diretamente no nível do investidos 12% da receita em marketing. As marcas
consumo, foi o principal fator de impulso ao negócio. Pampero (Argentina) e a empresa Locomotiva (Brasil)
foram vendidas durante o exercício.
Os bons resultados financeiros também refletem
o sucesso da implementação das ações definidas Em um negócio que tem como diferencial
no Plano Estratégico elaborado em 2004 e que foi competitivo a gestão de marcas de sucesso, a GRI 2.2

revisado em 2010. Nesse período, a Alpargatas atingiu Alpargatas em 2010 conquistou avanços importantes.
patamares de excelência operacional e no marketing, A companhia lançou uma linha de tênis para a marca
GRI 2.9 ampliou agressivamente sua participação no mercado, Havaianas, com resultados de vendas que superaram
conquistou uma posição de destaque no exterior as expectativas. A empresa ainda trabalhou, ao longo
e realizou uma série de aquisições – sendo a mais de 2010, em um novo posicionamento para a marca
importante do período a da Alpargatas Argentina, em Rainha, renovou o contrato de licenciamento da marca
2008. Em abril de 2011, a Alpargatas atingiu o controle Timberland e continuou o lançamento de novos
de 86,7% do capital da empresa. produtos da marca Mizuno.

GRI EC1 Receita líquida Ebitda Lucro líquido*


(em R$ milhões) (em R$ milhões) (em R$ milhões)
139
2.266
1.978 2.015 405

293 292 297 89 90


1.301 1.370 82
215 68

2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010
*Valores proporcionais à participação do Grupo Camargo Corrêa na Alpargatas.
54 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo

Siderurgia GRI 2.7

GRI 2.1 A Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais (Usiminas), interno, a Usiminas atende outros países das
principal produtora de aços planos da América Latina, Américas, Europa e Ásia. A empresa, que tem
tem o Grupo Camargo Corrêa como integrante do ações negociadas nas bolsas de valores de São
bloco de controle. O Grupo detém 13% do capital Paulo (BM&F Bovespa), Nova York (NYSE) e Madri
votante da companhia, o que representa cerca de (Latibex), tem como principais clientes os setores
20% do seu bloco de controle. Além do mercado automobilístico, petroleiro e naval.

Indicadores de desempenho
Sistema Usiminas

Produção de aço bruto (milhões de toneladas):

7,3
2009 2010

5,6

Vendas de produtos acabados


(milhões de toneladas):

Mercado interno

Mercado externo

4,9
2009 2010

4,0
1,7
2009 2010

1,6
55 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } SIDERURGIA

Consumo total:

Brasil

Mundo

33
2009 2010

26,5
1.410
2009 2010

1.219
56 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } SIDERURGIA

Em 2010, a empresa realizou investimentos superiores Apesar de ainda sofrer os efeitos da crise financeira
a R$ 2,2 bilhões, ou 57% a mais do que em 2009. global iniciada em 2008, o exercício de 2010 foi de
O capital foi direcionado para o aumento da capacidade recuperação em termos operacionais e financeiros.
em produtos de alto valor agregado, para o aumento A produção de aço bruto cresceu de 5,6 milhões para
da eficiência e para a modernização das plantas de 7,6 milhões de toneladas no período. O consumo externo,
Ipatinga (MG) – cidade que teve seu alto-forno religado porém, permaneceu muito abaixo da expectativa, com
em fevereiro, ganhou uma nova coqueria e uma nova 1,7 milhão de toneladas vendidas, ante 1,6 milhão em 2009.
linha de galvanização, que está sendo concluída – e de
GRI 2.9 Cubatão (SP) – onde a instalação de um novo laminador A reação nas vendas levou a receita líquida
a quente está bastante avançada. Ainda em 2010, a da Usiminas para R$ 12,9 bilhões, ou 19% a mais EC1

Mineração Usiminas S.A., nova companhia de mineração do que em 2009. A geração de caixa (Ebitda)
e logística, teve 30% de seu capital assumido pela avançou 54%, para R$ 2,65 bilhões. O lucro líquido
japonesa Sumitomo. A transação vai permitir à Usiminas encerrou o exercício em R$ 1,58 bilhão
alavancar o negócio de mineração sem prejuízo para os ou 24% a mais do que no período anterior, sobre
investimentos em siderurgia. bases comparativas equivalentes.

GRI EC1

Receita líquida* Ebitda* Lucro líquido*


(em R$ milhões) (em R$ milhões) (em R$ milhões)

905 183 186


361
839
796
297
688

531 107 102


182 171 88

94

2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010
*Valores proporcionais à participação do Grupo Camargo Corrêa na Usiminas.
57 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo

Incorporação GRI 2.7

GRI 2.1 A Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário – CCDI, grande porte e alto padrão (triple A) – registraram
e 2.3
companhia listada desde 2007 no Novo Mercado da crescimentos expressivos em lançamentos e vendas.
BM&F Bovespa, teve em 2010 o melhor resultado de No total, R$ 1 bilhão foi incorporado e R$ 1,18 bilhão
sua história. As três áreas de atuação da empresa – foi vendido no ano, o que representa um crescimento
imóveis residenciais para clientes de baixa renda, por de 152,5% e 75,3%, respectivamente, sobre o exercício
GRI 2.2 meio da controlada HM Engenharia; empreendimentos anterior. A receita líquida saltou para R$ 1,1 bilhão
de médio e alto padrão; e lajes corporativas de (62,7% a mais do que em 2009) e o lucro líquido

Indicadores de desempenho

Unidades incorporadas:

8.157
2009

3.045
2010

Unidades comercializadas:

4.590
2009

4.991
2010

GRI 2.8

Número de empregados:

2.171
2009 2010

1.205
Obs.: Os indicadores refletem a realização de ajustes gerenciais nas informações societárias, principalmente
os relacionados à adequação das estruturas de capital das aquisições e à adequação dos resultados.
58 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Incorporação

GRI EC1 chegou a R$ 143,2 milhões (147%). A geração de caixa principais mercados consumidores do País: São Paulo,
(Ebitda) foi 94% maior: R$ 196,2 milhões. Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná. A demanda por
imóveis deverá permanecer aquecida nos próximos
anos, por conta do déficit habitacional acumulado
A CCDI lançou 26 empreendimentos em 2010, e condições favoráveis de crédito ao consumidor.
ante 10 em 2009. Foram lançadas 8.157 unidades, e A CCDI prevê um crescimento sustentável de suas
GRI 2.8 4.590 unidades foram vendidas. As primeiras unidades operações para os próximos exercícios.

construídas pela empresa com foco no público de baixa


No segmento de imóveis comerciais, a empresa está se
renda – localizadas na cidade de Campinas (SP) – foram destacando no mercado por conta das certificações de
entregues em março. De todos os projetos realizados qualidade e sustentabilidade que seus empreendimentos
ao longo do ano, 17 correram no âmbito do programa têm recebido. Os projetos Torre Matarazzo e o
Shopping Cidade São Paulo, ambos na capital paulista,
Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal.
receberam em 2010 a pré-certificação Leadership in
A empresa entrou no segmento de baixa renda em Energy and Environmental Design for Core and Shell
2007, com a aquisição da HM Engenharia. (LEED C&S), na categoria Gold. O selo é concedido pelo
United States Green Building Council para edifícios que
privilegiem as boas práticas ambientais.
A continuidade do crescimento da CCDI está
assegurada com os R$ 8,5 bilhões em valor geral de Obs.: Os indicadores refletem a realização de ajustes
venda registrados no Banco de Terrenos da empresa gerenciais nas informações societárias, principalmente
– dos quais R$ 1,7 bilhão pertencem à HM Engenharia. os relacionados à adequação das estruturas de capital
O estoque de áreas da empresa concentra-se nos das aquisições e à adequação dos resultados.

GRI EC1 Receita líquida Ebitda Lucro líquido*


(em R$ milhões) (em R$ milhões) (em R$ milhões)
95
1.029
196

632
579
101 38
37

230 51
153
13 1,7 3,8
2007

2006 2007 2008 2009 2010 2006 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010
-16
* Valores proporcionais à participação do Grupo Camargo Corrêa na Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário.
59 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo

GRI 2.1,
Naval
2.3 e 2.4
A atuação do Grupo Camargo Corrêa no setor naval – petroleiros, conteineiros, graneleiros e de cargas
ocorre por meio do Estaleiro Atlântico Sul (EAS), no gerais, entre outros – e plataformas offshore de
Complexo de Suape (PE), e da Quip, de Rio Grande exploração de petróleo. A Quip, da qual o grupo possui
(RS) – duas das principais empresas brasileiras 27,25% das ações, atende o mercado de construções
GRI 2.2 dos setores naval e de plataformas offshore. O EAS de plataformas offshore e é a primeira empresa do
foi idealizado pelo grupo, que detém 40% de seu país a desenvolver o projeto básico de plataformas de
capital, e produz todos os tipos de navios cargueiros petróleo na modalidade EPC (Engineering, Procurement

Indicadores de desempenho

Número de empregados:

EAS

QUIP

4.747
2009 2010

3.423
905
2009 2010

380

Capacidade de processamento no EAS


(toneladas de chapas de aço por ano) (milhares):

160
2009

160
2010
60 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Naval

and Construction). A participação nessas empresas contrato com a Petrobras para a construção da plataforma
representa a crença do Grupo no potencial do setor, P-63, no valor de US$ 1,3 bilhão. A empresa também
decorrente da exploração das jazidas descobertas na avançou na construção de suas plataformas, com o início da
camada pré-sal no litoral brasileiro. edificação da plataforma P-55 no dique seco em Rio Grande
e o início da conversão do casco da plataforma P-63.
O exercício de 2010 marcou a cerimônia de batismo
e o lançamento ao mar do navio João Cândido, o Tanto o EAS quanto a Quip são responsáveis por
primeiro do tipo Suezmax produzido pelo EAS, o impactos econômicos e sociais bastante positivos nas GR1 2.8

único estaleiro de quarta geração do Hemisfério Sul. regiões onde estão sediados. No estaleiro, metade
Na sequência, o estaleiro realizou o batimento de dos postos de trabalho são ocupados por moradores
quilha do segundo navio tipo Suezmax. Ambos estão do entorno do empreendimento que receberam
inseridos no âmbito do Programa de Modernização e treinamento específico para suas funções – o que
Expansão da Frota (Promef) da Transpetro. No final demandou um investimento de R$ 16 milhões.
do ano, o EAS venceu a licitação de US$ 4,65 bilhões
da Petrobras para a construção dos primeiros sete O impacto do estaleiro ultrapassa fronteiras. Em 2010,
navios-sondas de perfuração em águas profundas 130 soldadores brasileiros que atuavam na indústria
(Drillship) para a exploração de petróleo do pré-sal. naval japonesa foram repatriados e empregados no
Ao todo, o estaleiro conta com pedidos de US$ 8,2 EAS. Já a Quip atua em uma região que experimentou
bilhões em carteira. altos índices de crescimento nos últimos anos, por
conta da retomada do polo naval de Rio Grande.
A Quip encerrou o exercício com US$ 2,2 bilhões de As empresas mantêm uma série de projetos sociais
pedidos em carteira. Em janeiro de 2010, a empresa assinou e ambientais em seu entorno.

GRI EC1

Receita líquida* Ebitda* Lucro líquido*


(em R$ milhões) (em R$ milhões) (em R$ milhões)

694 106 54

85 40
428

123
9 4,3
2006 6 2006 2007 2006 357

-4 2007 2008 2009 2010 -7 -3 2008 2009 2010 -4 2007 2008 2009 2010
* Valores proporcionais á participação do Grupo Camargo Corrêa no Estaleiro Atlântico Sul e na Quip (esta última a partir de 2009).
61 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo

Operações Aeroportuárias GRI 2.7

GRI 2.2,
2.3, 2.5
GRI 2.1 Criada em 2008 e sediada em São Paulo (SP), Ao final do exercício de 2010, a A-Port tinha sob e 2.7

a A-Port investe na gestão e infraestrutura de sua concessão os aeroportos de Puerto Montt,


aeroportos na América Latina e Caribe. Pioneira entre La Serena e Calama, no Chile; e do aeroporto
as empresas privadas brasileiras deste segmento, de Curaçao, nas Antilhas Holandesas.
já é reconhecida como uma das principais referências
GRI 2.8 do setor na América Latina. O Grupo Camargo Corrêa A empresa também mantinha acordos de
possui 80% do capital da companhia, que também serviços técnicos (TSA) nos aeroportos Eldorado,
conta com a suíça Flughagen Zürich AG (operadora de Bogotá, na Colômbia, e Tegucigalpa, San Pedro
do aeroporto de Zurique), com 15%, e a chilena Gestión Sula, La Ceiba e Roatán, em Honduras.
e Ingeniería IDC S.A., com participação de 5%.

Indicadores de desempenho
Fluxo de passageiros em aeroportos (milhares) 2009 2010
Curaçao 1.466 1.418
Calama (El Loa) 473 626
La Serena 318 390
Puerto Montt 803 814
Tegucigalpa 421 493
San Pedro Sula 697 742
La Ceiba 171 181
Roatán 172 214
Bogotá 11.174 14.034
Total 15.696 18.911

Estacionamento do aeroporto de Congonhas


(fluxo de automóveis) (em milhões):

1,108
2009 2010

1,055
62 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Negócios do Grupo } Operações aeroportuárias

GRI EC1

Receita líquida Ebitda


(em R$ milhões) (em R$ milhões)

94 92 33
31

12 Lucro líquido
25 (em R$ milhões)
2008 2009 2010

2008 2009 2010 2008 2009 2010


-2,2
-2,4
-3,9
No total, esses aeroportos registraram, em 2010,
movimento de 18,9 milhões de passageiros no
exercício, contra 15,7 milhões em 2009. No Brasil, a
empresa opera (sob denominação de SAO Parking)
a concessão do estacionamento do aeroporto de
Congonhas, em São Paulo, que recebeu 1,1 milhão
de veículos em 2010.

Dentro de sua estratégia de negócios, a A-Port busca


novas oportunidades em países como Chile, Peru,
Colômbia e Porto Rico (Estados Unidos). No Brasil, a
empresa acompanha as discussões sobre a definição
do novo marco regulatório do setor aeroportuário.
O forte crescimento do tráfego aéreo no País e
a proximidade da Copa do Mundo de 2014 e das
Olimpíadas de 2016 deverão exigir altos investimentos
na infraestrutura do setor até o fim da década de 2010.

GRI EC1 Em termos financeiros, o exercício praticamente


repetiu os resultados de 2009, com pequenas variações.
A receita líquida foi de R$ 91,9 milhões, com
geração de caixa (Ebitda) de R$ 31,5 milhões.
63 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o
Relatório Anual
64 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual

Avanços no Relatório Anual GRI 3.1, 3.2, 3.3,


3.5, 3.6, 3.7, 3.8,
3.10, 3.11

Esta é a terceira vez que o Relatório Anual A holding colocou à venda sua participação integral nas
da holding Camargo Corrêa S.A. segue as diretrizes controladas Cavo Saneamento S.A. e Cavo Meio Ambiente.
do modelo Global Reporting Initiative (GRI), O negócio foi efetivado em 4 de março de 2011. Além
versão G3, que observa diretrizes reconhecidas disso, a Camargo Corrêa Cimentos, uma das controladas
no Brasil e no mundo para apresentar os da holding, agora é denominada InterCement Brasil S.A.
desempenhos econômico, social e ambiental.
Esta edição também incorporou oportunidades
As informações desta publicação incluem o balanço de melhoria percebidas em avaliações do relatório
das atividades e os resultados financeiros da holding e anual anterior, feitas pela Associação Brasileira
de suas controladas. Os dados das empresas coligadas das Companhias Abertas (Abrasca) e obtidas em
são considerados na proporcionalidade da participação consultas ao público interno. Para facilitar a localização,
da holding nos respectivos patrimônios líquidos. os Indicadores GRI aparecem sinalizados ao longo
Houve mudanças de estrutura societária em dos textos, com selos que identificam o número
comparação ao Relatório Anual do exercício de 2009. e o segmento do indicador:

GRI 1.1 a 1.2 Perfil, estratégia e análise GRI HR1 a HR9 Direitos humanos

GRI EN1 a EN30 Desempenho ambiental GRI 4.1 a 4.17 Governança e compromissos

GRI 2.1 a 2.10 Perfil organizacional GRI SO1 a SO8 Desempenho junto à sociedade

GRI LA1 a LA14 Práticas trabalhistas GRI EC1 a EC9 Desempenho econômico

GRI 3.1 a 3.12 Parâmetros para o RA GRI PR1 a PR9 Responsabilidade pelos produtos

No final, o Índice Remissivo GRI contém informações modelo GRI–G3, com indicadores sobre riscos e
complementares. Foi possível constatar que oportunidades, escopo do Relatório, governança,
este Relatório atende ao nível B de Aplicação do formas de gestão e indicadores de desempenho.
65 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual

Indicadores GRI
1 Perfil, estratégia e análise Páginas Respostas
1.1 Declaração do detentor do cargo com 6, 7 e 26
maior poder de decisão na organização
(como diretor-presidente, presidente do
conselho de administração ou cargo equivalente)
sobre a relevância da sustentabilidade para
a organização e sua estratégia

1.2 Descrição dos principais impactos, 20 e 26


riscos e oportunidades

2 Perfil organizacional
2.1 Nome da organização 4, 35, 40, 52, 57, 59
e 61
2.2 Principais marcas, produtos e/ou serviços 10, 37, 44, 47, 52, 53,
57, 59 e 61
2.3 Estrutura operacional, incluindo 9, 10, 19, 35,
principais divisões, unidades operacionais, 44, 45, 46, 52, 57,
subsidiárias e joint ventures 59 e 61
2.4 Localização da sede 10, 52 e 59

2.5 Número e nomes de países 36, 50, 52 e 61


em que a organização opera
2.6 Tipo e natureza jurídica da propriedade 19 e 40 A holding Camargo Corrêa S.A é uma sociedade
anônima de capital fechado. As demais
empresas controladas e coligadas do Grupo
são S.As. de capital fechado e/ou aberto,
algumas com ações negociadas em bolsa

2.7 Mercados atendidos 40, 46, 52, 54, 57, 60,


61 e 35
2.8 Porte da organização 10, 21, 24, 37, 51, 52,
57, 58, 60 e 61
2.9 Principais mudanças durante o período 21, 35, 36, 44, 46, 53
coberto pelo Relatório, referentes a porte, e 56
estrutura ou participação acionária
2.10 Prêmios recebidos no período 78
coberto pelo Relatório

3 Perfil do relatório
3.1 Período coberto pelo Relatório 64

3.2 Data do Relatório anterior 64

3.3 Ciclo de emissão de relatórios 64

3.4 Dados para contato em caso de perguntas 83


relativas ao Relatório ou a seu conteúdo
66 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

3.5 Processo para definição do conteúdo do Relatório 64

3.6 Limite do Relatório 64

3.7 Declaração sobre quaisquer limitações específicas 64


quanto ao escopo ou ao limite do Relatório
3.8 Base para a elaboração do Relatório no que se 64
refere a joint ventures, divisões, subsidiárias,
instalações arrendadas, terceirizadas
e outras organizações que possam afetar
a comparabilidade entre períodos

3.9 Técnicas de medição de dados e as bases Foram usados os sistemas e técnicas


de cálculos, incluindo hipóteses e técnicas em vigor no Brasil e, em geral, nos
que sustentam as estimativas aplicadas à países do Ocidente
compilação dos Indicadores

3.10 Explicação das consequências de quaisquer 64


reformulações de informações fornecidas em
Relatórios anteriores e as razões para tais
reformulações (tais como fusões e aquisições)

3.11 Mudanças significativas em comparação com anos 64


anteriores no que se refere a escopo, limite ou
métodos de medição aplicados no Relatório

Sumário de conteúdo GRI

3.12 Tabela que identifica a localização Este índice remissivo


das informações no Relatório

Verificação

3.13 Política e prática atual relativa à busca de O Relatório Anual do Grupo Camargo Corrêa
verificação externa para o Relatório é enviado para avaliação da Associacão
Brasileira das Companhias Abertas
(Abrasca). As Demonstrações
Financeiras, publicadas nesta mesma
edição do Relatório, foram auditadas
pelos Deloitte Touche Tohmatsu
Auditores Independentes

4 Governança, Compromissos e Engajamento


Governança

4.1 Estrutura de governança da organização, 19


incluindo comitês sob o mais alto nível de
governança responsável por tarefas específicas,
tais como estabelecimento de estratégia
ou supervisão da organização

4.2 Indicação caso o presidente da alta direção O presidente do Conselho de


também seja um diretor executivo Administração não é Diretor Executivo
da Camargo Corrêa S.A.
4.3 Para organizações que têm uma estrutura 19
de administração unitária, declaração do
número de membros da alta direção que são
independentes ou membros não executivos
67 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

4.4 Mecanismos para acionistas Acionistas fazem sugestões e recomendações


proverem recomendações ou direção ao Comitê Executivo (Comex), liderado pelo
ao conselho de diretores presidente do Conselho de Administração
da holding. Entre outros foros de trocas
de informações estão reuniões regulares,
relatórios de desempenho e os sites para
acionistas em empresas de capital aberto
que integram o Grupo Camargo Corrêa.
A companhia é controladora de empresas
que estão presentes no Novo Mercado da
Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de
São Paulo (BM&FBovespa). A participação
no Novo Mercado exige as melhores práticas
de governança e de comunicação com os
acionistas. Para a comunicação com o público
interno, a holding mantém: a Intranet
Nós.com, portal específico para os empregados
da companhia; e a Linha Ética, pela qual
profissionais e terceiros podem solicitar
pedidos de consultas ou fazer denúncias sobre
fatos em desacordo com o Código de Conduta
Empresarial do Grupo Camargo Corrêa, com
anonimato. Trata-se de serviço que conta com
linha telefônica e e-mail sob responsabilidade
da PricewaterhouseCoopers. As informações
recebidas são enviadas para a Comissão
de Ética da holding, que as encaminha para
resolução nas unidades
4.5 Relação entre remuneração para membros do mais As empresas do Grupo oferecem
alto órgão de governança, diretoria executiva e remuneração variável, de acordo com o
demais executivos e o desempenho da organização desempenho organizacional.
(incluindo desempenho social e ambiental)
4.6 Processos em vigor no mais alto órgão A holding Camargo Corrêa
de governança para assegurar que conflitos é uma sociedade anônima (S.A.)
de interesse sejam evitados com capital fechado
4.7 Processo para determinação das qualificações e Os integrantes do Conselho
conhecimentos dos membros da alta direção para são indicados pelos representantes
definir a estratégia da organização para temas dos acionistas e têm mandato
econômicos, sociais e ambientais renovável de dois anos

4.8 Missão e declaração de valores, códigos O Grupo Camargo Corrêa possui


de conduta ou princípios e políticas relevantes um Código de Conduta corporativo, que
ao desempenho econômico, ambiental e social define os padrões de comportamento
e estado de implementação esperados dos profissionais no desempenho
de suas funções e informa sobre
os direitos dos empregados. Veja também o
capítulo Valores do Grupo Camargo Corrêa
4.9 Procedimentos da alta direção para supervisionar As demonstrações financeiras
a gestão do desempenho econômico, ambiental são auditadas pela Delloite Touche
e social, assim como a adesão ou conformidade Tohmatsu Auditores Independentes
com normas internacionalmente acordadas,
códigos de conduta e princípios
68 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

4.10 Processo de avaliação do desempenho O Conselho de Administração


da alta direção propriamente dita, especialmente é analisado pelos acionistas
com respeito ao desempenho econômico,
ambiental e social

Compromisso com Iniciativas Externas

4.11 Explicação de como e se o princípio ou metodologia 20 e 38


preventiva é realizado pela organização
4.12 Cartas, princípios ou iniciativas voluntárias 26, 31, 38,
e externamente desenvolvidos, de caráter 39, 43 e 78
econômico, social e ambiental aos quais adere
4.13 Principais participações em associações industriais A holding tem oportunidade de se
e de negócios, e/ou organizações nacionais/ comunicar com diversos públicos – ouvir
internacionais de advocacy e expor pontos de vista – ao participar de
instituições como a Associação Brasileira de
Infraestrutura e Indústria de Base (Abdib), a
Federação das Indústrias do Estado de São
Paulo (em que participa do Conselho e da
diretoria); do Instituto Ethos de Empresas
e de Responsabilidade Social (é associada
e participa de comitês), entre outros. Além
disso, participa de iniciativas organizadas
por entidades como o Instituto WCF
Childhood Brasil; o Movimento Empresarial
pela Conservação e Uso Sustentável da
Biodiversidade; o Fórum Clima; e o Pacto
Empresarial pela Integridade e Contra a
Corrupção. Ver também a página 26

Engajamento dos stakeholders

4.14 Relação de grupos de stakeholders A holding Camargo Corrêa relaciona-se


engajados pela organização com: acionistas, clientes, governos,
instituições da sociedade civil, entidades
de classe, instituições financeiras,
empregados, fornecedores, comunidades,
imprensa, organizações não governamentais
e sindicatos nacionais e internacionais.
InterCement, Instituto Camargo Corrêa e a
divisão de Engenharia e Construção possuem
sistemas e ferramentas específicos de gestão
e engajamento de stakeholders
4.15 Base para identificação e seleção dos stakeholders A identificação e o engajamento
desses públicos decorre das atividades
desenvolvidas pelo Grupo e, também,
da sua atuação socioambiental
69 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

4.16 Abordagens para o engajamento dos stakeholders, Todos os públicos mencionados no indicador
incluindo a frequência do engajamento anterior encontram meios para se expressar
dentro do Grupo e são envolvidos, ainda, em
eventos internos e externos relacionados com
os negócios e as atividades empresariais. As
áreas de Construção, Cimento, Incorporação,
Calçados, Siderurgia, Naval, Operações
Aeroportuárias, Engenharia e Construção,
Concessões Rodoviárias e Concessões de
Energia realizam pesquisas de satisfação,
para identificar oportunidades de melhorias.
Os empregados contam com Pesquisa de
Clima Organizacional, a cada dois anos; e
as comunidades próximas são atendidas
por: Instituto Camargo Corrêa, Instituto
Alpargatas, Fundación Loma Negra,
programas de voluntariado desenvolvidos
pelos empregados e canais de comunicação
com gestores das operações

4.17 Principais temas e preocupações que foram 64 Todos os públicos mencionados no indicador
levantados por meio de engajamento dos anterior encontram meios para se expressar
stakeholders e como a empresa as tratou dentro do Grupo e são envolvidos, ainda, em
eventos internos e externos relacionados com
os negócios e as atividades empresariais. As
áreas de Construção, Cimento, Incorporação,
Concessões Ferroviárias e Meio Ambiente,
assim como outras empresas controladas,
realizam pesquisas de satisfação, para
identificar oportunidades de melhorias.
Os empregados contam com Pesquisa de
Clima Organizacional, a cada dois anos; e as
comunidades próximas são atendidas por:
Instituto Camargo Corrêa, Instituto Alpargatas,
Fundación Loma Negra, programas de
voluntariado desenvolvidos pelos
empregados e canais de comunicação com
gestores das operações

5 Indicadores de desempenho econômico


Desempenho Econômico

EC1 Valor econômico direto gerado e distribuído, 21, 23, 28, 35, 36, 38,
incluindo receitas, custos operacionais, 40, 41, 43, 46, 53, 56,
remuneração de empregados, doações e 58, 60 e 61
outros investimentos na comunidade, lucros
acumulados e pagamentos para os provedores

EC2 Implicações financeiras e outros riscos 26 e 39


e oportunidades para as atividades da
organização devido a mudanças climáticas
EC3 Cobertura das obrigações do plano de pensão Veja informação no indicador GRI LA3
de benefício oferecido pela organização
70 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

Presença no Mercado

EC6 Politicas, práticas e proporção de gastos As empresas do Grupo contam com


com fornecedores locais em unidades programas de capacitação de fornecedores
operacionais importantes em diversas unidades de negócio. A divisão
de Engenharia e Construção, por exemplo,
promove o Programa de Parcerias para a
Sustentabilidade, que capacita fornecedores
para atender às exigências socioambientais
da companhia, além de priorizar a
contratação de fornecedores locais. Na
Alpargatas, os fornecedores de matérias-
primas são submetidos a avaliações de
práticas de gestão responsável e assinam
uma carta de compromisso que abrangem:
a não utilização do trabalho infantil ou
trabalho forçado; a garantia de segurança,
saúde e direitos aos trabalhadores; a não
tolerância à discriminação e a manutenção
de práticas adequadas de remuneração
e de relacionamento com os trabalhadores

Impactos Econômicos Indiretos

EC8 Desenvolvimento e impacto de investimentos em 28


infraestrutura e serviços oferecidos principalmente
para benefício público por meio de engajamento
comercial em espécie ou atividades pró-bono

EC9 Compreensão e descrição de impactos 28


econômicos indiretos significativos,
incluindo a extensão dos impactos
Indicadores de desempenho ambiental

ENERGIA

EN3 Consumo direto de energia discriminado 29


por fonte de energia primária
ÁGUA

EN8 Total de retirada de água por fonte 28

EN10 Percentual e volume total de água 28


reciclada e reutilizada
BIODIVERSIDADE

EN11 Localização e tamanho da área possuída, arrendada A unidade de cimento em Pedro Leopoldo
ou administrada dentro de áreas protegidas, (MG), localizada dentro de Área de Proteção
ou adjacente a elas, e áreas de alto índice de Ambiental (APA), atende a condicionantes
biodiversidade fora das áreas protegidas específicas para sua operação
71 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

EN12 Descrição dos maiores impactos na A unidade de cimento em Pedro Leopoldo


biodiversidade associados com a atividade, (MG), localizada dentro da Área de
os produtos e/ou serviços em ambientes Proteção Ambiental Carste1 de Lagoa
terrestres, de água potável e marinho Santa, atende a condicionantes específicas
para sua operação, como a realização
de estudos espeleológicos da área a ser
minerada, para levantamento da relevância
histórica, paleontológica e arqueológica;
possui projetos de recuperação de áreas
degradadas, de acordo com os biomas
predominantes; e realiza programa de
educação ambiental contínuo na região,
para conscientizar a comunidade do entorno
quanto à preservação ambiental.
1 O Carste de Lagoa Santa é considerado berço
da paleontologia, arqueologia e espeleologia,
por tratar-se da região do País onde se registra
o maior número de cavernas

EN18 Iniciativas para reduzir as emissões de gases 26 e 39


causadores de efeito de estufa e reduções obtidas
EN21 Descarte total de água, por qualidade e destinação O total de água captada é destinado,
após o uso, para as redes municipais de
coleta de esgoto, nos vários municípios
onde atuam as empresas
PRODUTOS E SERVIÇOS

EN26 Iniciativas para mitigar os impactos ambientais As empresas do Grupo contam com
dos produtos e serviços e a mitigação do impacto sistemas de gestão ambiental com metas
de redução do impacto ambiental.
Ver também a página 26
72 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

Indicadores de desempenho referentes a práticas trabalhistas e trabalho decente


EMPREGO

LA1 Total de trabalhadores, por tipo de emprego, 29 e 30 O Grupo Camargo Corrêa fechou o ano
contrato de trabalho e região com 61.668 profissionais, sendo 61.587
contratados em regime CLT e 81 estatutários,
além de 168 estagiários e 8.667 terceirizados.
Em relação à distribuição geográfica, 25,22%
dos profissionais estão na região Norte,
24,88% na região Nordeste, 4,58% na região
Centro-Oeste, 18,77% na região Sudeste,
9,59% na região Sul e 16,96% % no exterior

LA2 Número total e taxa de rotatividade de A taxa de rotatividade média mensal


empregados, por faixa etária, gênero e região foi de 5,69%
LA3 Benefícios oferecidos aos funcionários de tempo O Grupo Camargo Corrêa oferece Plano de
integral que não são oferecidos a empregados Previdência, em parceria com instituição
temporários ou em regime de meio período, privada. O benefício é oferecido para
discriminado por principais operações os profissionais das empresas 100%
controladas no Brasil. O Plano da
Alpargatas tem características específicas

RELAÇÕES ENTRE TRABALHADORES


E A GOVERNANÇA
LA4 Porcentagem de profissionais beneficiados Até o fim de 2010, 260 sindicatos
por acordo coletivo abrangiam 55.068 empregados,
99,3% do total analisado (55.468)

SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

LA6 Porcentual de empregados representado em Em 2010, 63 comitês no Brasil


comitês formais de segurança e saúde compostos e 25 no exterior estavam ativos nas
de gestores e trabalhadores que ajudam no empresas do Grupo Camargo Corrêa
monitoramento e aconselhamento sobre programas
de segurança e saúde ocupacional
73 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

LA8 Programas de educação, treinamento, A construtora realiza campanhas


aconselhamento, prevenção e controle de risco e palestras nas obras, tanto com
em andamento para dar assistência a empregados, enfoque na segurança quanto na saúde dos
seus familiares ou membros da comunidade com profissionais. Os temas mais
relação a doenças graves frequentes, além dos ocupacionais –
como conservação auditiva e proteção
respiratória – são os referentes às
doenças endêmicas, a AIDS, às doenças
sexualmente transmissíveis (DSTs) e ao
alcoolismo. As informações também chegam
aos familiares. Na área de Calçados,
os empregados são envolvidos
em programa de controle de pressão
arterial; em campanha de vacinação contra
rubéola e contra a gripe; em programas de
planejamento familiar; na distribuição mensal
de preservativos e em programas de orientação
sexual; assim como em orientação mensal
para gestantes (empregadas e esposas de
empregados). Nas unidades fabris de Cimento
no Brasil, além de ginástica laboral, acontecem
palestras de prevenção a doenças como
hipertensão, diabetes, LER, entre outras.
Na Argentina, a área de Cimento realiza
capacitações e campanhas para os
profissionais sobre: dengue, gripe A,
álcool, drogas e tabagismo; hipertensão
arterial, colesterol e hábitos saudáveis;
e fatores de risco cardiovascular

LA9 Temas relativos a segurança e saúde cobertos As empresas de Cimento incluem


por acordos formais com sindicatos temas relativos a segurança e saúde
nos acordos formais com os sindicatos,
por decisão da própria área

TREINAMENTO E EDUCAÇÃO

LA10 Média de dias de treinamento por ano, por Em 2010, 44.150 profissionais do Grupo
funcionário por categoria de funcionários Camargo Corrêa tiveram um total de
1.121.251 horas de treinamento, uma média
de 25,40 horas por profissional
74 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

LA11 Descrição de programas de apoio As empresas contam com programas


para a empregabilidade contínua específicos para atender a esses objetivos.
e para gestão do final de carreiras A Alpargatas, por exemplo, tem programa
de avaliação de desempenho; plano de
desenvolvimento individual; programa de
incentivo aos estudos. Outro exemplo é
o programa de avaliação de desempenho
aplicável a profissionais da construtora
com formação universitária, que identifica
os pontos fortes e as oportunidades de
desenvolvimento para cada profissional.
Com base nos resultados gerais são
definidos novos programas de treinamento,
além dos que já existem corporativamente.
Há uma política que orienta a oferta
de subsídio a programas externos de
treinamento, de curta e longa duração,
e o apoio a cursos de idiomas. Veja também
resposta ao GRI LA10

DIVERSIDADE E IGUALDADE DE OPORTUNIDADE

LA13 Composição da alta direção e dos conselhos 83


de governança empresarial, incluindo
razão mulher/homem
Indicadores referentes a Direitos Humanos

Práticas de investimento e de processos de compra

ESTRATÉGIA E GESTÃO

HR1 Percentual e número total de contratos Na holding, na construtora, na InterCement


de investimento significativos que incluam e na Alpargatas, todos os contratos com
cláusulas referentes a direitos humanos os fornecedores possuem cláusulas sobre
ou que foram submetidos a avaliações proibição de trabalho infantil e trabalho
referentes a direitos humanos forçado. A Alpargatas também realiza
auditorias em fornecedores para garantir
o cumprimento de critérios sociais. No
Estaleiro Atlântico Sul, os contratos
realizados com a Petrobras e a Transpetro
contém cláusulas proibindo o uso de
mão de obra infantil pela contratada
e todos os seus fornecedores
75 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

LIBERDADE DE ASSOCIAÇÃO
E NEGOCIAÇÃO COLETIVA
HR5 Operações identificadas em que o direito de exercer O Grupo Camargo Corrêa busca manter
a liberdade de associação e negociação coletiva relação de respeito com as entidades
pode estar correndo risco significativo, e as sindicais e não pratica qualquer
medidas tomadas para apoiar estes direitos tipo de discriminação junto aos
profissionais sindicalizados

TRABALHO FORÇADO OU ESCRAVO

HR7 Operações identificadas como de risco O processo de qualidade assegurada das


significativo de casos de trabalho forçado operações de Cimento exige e incentiva a
ou escravo, e as medidas tomadas para contribuir obtenção de certificações internacionais
para a abolição do trabalho infantil nas operações dos fornecedores, o que
torna ainda mais difícil o já baixo risco de
ocorrência de trabalho forçado nessas
empresas. Na construtora, o eficiente
controle de turnos, de acordo com a
legislação, afasta esse risco

PRÁTICAS DE SEGURANÇA

HR8 Percentual de pessoal de segurança Aproximadamente 90% dos vigilantes


submetido a treinamento nas políticas da área de Cimento, na Argentina,
ou procedimentos da organização relativos receberam treinamento em direitos
a aspectos de direitos humanos humanos. Somente os recém-admitidos
não passaram por esse treinamento

Indicadores de desempenho referentes à sociedade

COMUNIDADE

SO1 Natureza, escopo e eficácia de quaisquer Na construtora, um dos requisitos do


programas e práticas para avaliar e gerir os sistema de gestão de responsabilidade
impactos das operações nas comunidades, social é identificar e tratar os impactos
incluindo entrada, operação e saída das operações, não só na comunidade, mas
também nas demais partes envolvidas, como
os fornecedores. A área de Cimento possui
sistemas de controle ambiental, que realizam
o monitoramento de ruídos, da qualidade do
ar do entorno das operações, da qualidade
de águas superficiais e subterrâneas, das
emissões atmosféricas de fontes fixas e
de veículos, e da qualidade dos efluentes
pluviais, oleosos e sanitários. Veja
também as páginas 25 e 77

CORRUPÇÃO

SO3 Percentual de empregados treinados As empresas do Grupo promoveram ações


nas políticas e procedimentos anticorrupção para reforçar a utilização do
Código de Conduta Empresarial da
companhia, sólida referência a respeito
do comportamento que se espera
de seus profissionais e colaboradores
e sobre ética no trabalho
76 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

POLÍTICAS PÚBLICAS

SO5 Posições quanto a políticas públicas e participação Por meio da atuação do Instituto Camargo
na elaboração de políticas públicas e lobbies Corrêa em programas sociais, a companhia
envolve-se ativamente com o setor de
ensino público e em programas voltados à
infância e à juventude (leia mais no capítulo
sobre Gestão Social).
A holding Camargo Corrêa, a construtora
e as empresas de cimento também se
filiaram ao programa Empresas pelo
Clima, que produz estudos setoriais com
recomendações para o governo promover
a economia de baixo carbono. O Grupo
também participa do Fórum Clima junto a
outras 20 empresas e ao Instituto Ethos,
elaborando recomendações para o governo
no que se refere ao marco regulatório de
mudanças climáticas. A companhia firmou,
ainda, compromissos ambientais na Agenda
Climática do Grupo Camargo Corrêa, que
marca seu posicionamento e alimenta a
expectativa de influir positivamente para o
engajamento de outras empresas e setores
em providências para a redução de emissões
de Gases do Efeito Estufa
Indicadores de desempenho referentes
à responsabilidade pelo produto
SAÚDE E SEGURANÇA DO CONSUMIDOR

PR1 Fases do ciclo de vida em que os impactos na saúde A construtora utiliza procedimentos,
e segurança causados por produtos e serviços planos, programas, laudos ergonômicos
são avaliados visando melhoria, e o percentual das e controles operacionais específicos para
categorias significativas de produtos e serviços cada uma das obras. Esses documentos
sujeitas a esses procedimentos visam ao levantamento e à classificação
de riscos à saúde e seguranca em cada
etapa da atividade, e orientam quanto à
implementação dos controles operacionais,
como Análise Prevencionista da Tarefa
(APT), Plano de Atendimento à Emergência
(PAE), ginástica laboral, campanhas,
entre outros. São realizados, também, o
levantamento e a classificação dos resíduos,
efluentes e emissões gerados. Para
cada um emprega-se técnica distinta de
monitoramento, controle e destinação,
para mitigar ou eliminar riscos à saúde
77 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Indicadores GRI

ROTULAGEM DE PRODUTOS E SERVIÇOS

PR3 Tipo de informação sobre produtos e serviços Na Alpargatas, todos os produtos possuem
exigidos por procedimentos de rotulagem, e o etiquetas de identificação, conforme
percentual de produtos e serviços significativos legislação vigente. Algumas linhas de
sujeitos a tais exigências de informações produtos têm, em suas etiquetas, instruções
sobre manuseio e utilização,
bem como a composição dos materiais,
de acordo com os padrões da norma ABNT
NBR ISO 37.582:2006

PR5 Práticas relacionadas à satisfação do A Pesquisa de Satisfação de Clientes de


consumidor, incluindo resultados 2010 da Camargo Corrêa Desenvolvimento
de pesquisa sobre satisfação do cliente Imobiliário (CCDI), que consolidou o resultado
de 11 pesquisas feitas com clientes de
empreendimentos em todo o Brasil, apontou
que 76,88% dos consumidores estavam
satisfeitos com as entregas da Incorporadora
COMUNICAçõeS DE MARKETING

PR6 Programas de adesão a leis, normas e códigos A holding atende às normas e legislações
voluntários relacionados a comunicações de específicas para oferta de doações
marketing, incluindo publicidade e patrocínio e contratos de patrocínio
78 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual

Índice de Certificações
e Premiações GRI 2.10 e 4.12

Compromissos institucionais
Engenharia & Construção
• Todas as 44 obras executadas pela construtora passaram por um diagnóstico das
emissões de gases de efeito estufa. O levantamento tem como objetivo avaliar o
impacto ambiental dos projetos e basear ações mitigadoras.

• No âmbito do pacto contra a exploração sexual de crianças e adolescentes, assinado


com o Instituto WCF Childhood Brasil, a construtora realizou em 2010 a sensibilização
de 48 empresas transportadoras fornecedoras e implantou o Programa Grandes
Obras, da mesma entidade, em cinco grandes obras.

InterCement
• A companhia é signatária do Pacto Global, iniciativa capitaneada pela Organização das
Nações Unidas (ONU) para estimular empresas a adotar políticas de sustentabilidade
e de responsabilidade social corporativa, com ênfase em direitos humanos, trabalho,
meio ambiente e combate à corrupção.

• A InterCement participa do Empresas pelo Clima (EPC): Plataforma brasileira na qual


as empresas integrantes assumem o compromisso de realizar inventários de gases de
efeito estufa de acordo com a metodologia do Programa Brasileiro GHG Protocol e de
criar políticas e planos de gestão dos gases poluentes que garantam competitividade,
inovação e estimulem uma economia de baixo carbono no País.

• A companhia também faz parte do movimento Cement Sustainability Initiative (CSI),


segmento do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) –
Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável, ação que busca
alcançar o desenvolvimento sustentável por meio da conciliação de três pilares:
crescimento econômico, equilíbrio ecológico e progresso social.

• Na Argentina, a Loma Negra participa do Consejo Empresario Argentino para


El Desarrollo Sostenible (CEADS), segmento argentino do World Business Council for
Sustainable Development (WBCSD), e do Convenio de Lucha contra El Trabajo Infantil,
assinado junto ao Ministério del Trabajo, Empleo y Seguridad Social de La Nación.
79 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } índice de certificações e premiações

• A Fundación Loma Negra, por sua vez, é filiada à RedEAmérica, formada


por entidades privadas que trabalham na redução da pobreza e na inclusão social.

CPFL
• A CPFL tornou-se signatária da Carta de Compromissos do Movimento
Empresarial pela Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade.

• A Carta Aberta ao Brasil sobre as Mudanças Climáticas, entregue às autoridades


federais por 22 empresas privadas, entre elas a CPFL, resultou na criação do Fórum
Clima. A iniciativa visa à diminuição das emissões de carbono.

• Por meio do Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção, a CPFL reúne
esforços para o combate a todas as formas de corrupção e adota diretrizes para
o relacionamento de sua cadeia de valor com o poder público.

Certificações
Engenharia & Construção
• Responsável pelo projeto de saneamento na Paraíba chamado de Sistema Abiaí
Papocas, a construtora conquistou em 2010, por obra, as certificações NBR ISO 9001,
NBR ISO 14001, OHSAS 18001 e PBQP-H Nível A.

• O consórcio BCV, formado por Camargo Corrêa, Promon e MPE Engenharia,


responsável por obras de modernização e ampliação da Refinaria Henrique Lage
(Revap), conquistou a certificação NBR ISO/TS 29001.

• A obra de Huachipa, projeto de saneamento desenvolvido no Peru, conquistou


a certificação NBR ISO 9001.

• Responsável por um lote da ferrovia Norte-Sul, a construtora obteve para esta obra
a certificação NBR ISO 9001.

• O consórcio CCPR, formado por Camargo Corrêa e Promon, que executa obras
de modernização da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), obteve as
certificações NBR 16001 e ISO/TS 29001.
80 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } índice de certificações e premiações

• O consórcio da Camargo Corrêa responsável pela execução do Palácio


do Governo de Minas Gerais no Centro Administrativo Presidente Tancredo
Neves conquistou a certificação na norma do Programa Brasileiro da Qualidade
e Produtividade Habitat (PBQP-H nível A).

InterCement
Até o fim de 2010, a Companhia possuía as seguintes certificações:

• ISO 9001: já estão certificadas todas as 16 plantas de cimento em operação e as


unidades de concreto da Argentina, concessão ferroviária e de tratamento de resíduos.

• ISO 14.001: sete plantas industriais de cimento e uma de tratamento de resíduos


já estão certificadas. O objetivo é de certificar todas as demais plantas do
Brasil e da Argentina até 2015.

• OSHAS 18.001: uma unidade de tratamento de resíduos está certificada


e outras quatro estão em processo de certificação. A meta é certificar
todas as fábricas de cimento até 2015.

Centro de Soluções Compartilhadas (CSC)


• A área jurídica conquistou a certificação ISO 9001:2008.

CPFL Energia
• Obteve a certificação de Gestão de Riscos e Avaliação de Controles Internos
sobre Demonstrações Financeiras – ISO 9001:2008.

• O Sistema de Gestão de Segurança da Informação do Data Center da CPF Energia


em Campinas conquistou a certificação ISO 27001:2005.

Prêmios
Engenharia & Construção
• O consórcio CCPR, responsável pelas obras de ampliação e modernização
da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), conquistou o Prêmio Nacional
Gestão da Qualidade Banas 2010, nas categorias Qualidade e Meio Ambiente
e Qualidade e Desenvolvimento Sustentável.

• O consórcio CCPR recebeu da revista Proteção o Prêmio Nacional


Proteção Brasil – Edição 2010.
81 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } índice de certificações e premiações

• O consórcio Caraguatatuba também conquistou o Prêmio Nacional Gestão


da Qualidade Banas 2010, na categoria Qualidade.

• A obra da Usina Hidrelétrica de Jirau conquistou o Prêmio Chico Mendes,


concedido pelo Instituto Chico Mendes.

• A Usina Hidrelétrica Jirau também conquistou o 6º Prêmio Brasil Ambiental


da Amcham Brasil.

• A UHE Jirau também foi premiada pela LEME Engenharia pelos resultados
em segurança do trabalho.

• O consórcio BCV conquistou o Prêmio Petrobras / Engenharia de Qualidade,


Segurança, Meio Ambiente e Saúde.

CPFL
• Melhor empresa do setor de energia em Sustentabilidade da América Latina,
segundo a revista Latin Finance.

• Empresa-modelo em Sustentabilidade pelo Guia Exame de Sustentabilidade pelo oitavo ano.

• Prêmio Abrasca, da Associação Brasileira das Companhias Abertas,


na categoria Melhor Relatório Anual.

• Melhor Empresa para Você Trabalhar, segundo o Guia da Você S.A.,


pelo nono ano consecutivo.

Instituto Camargo Corrêa


• Prêmio Proteção Integral pela Parceria Estratégica para a Promoção Integral dos
Direitos de Crianças e Adolescentes, da Associação Brasileira de Magistrados,
Promotores de Justiça e Defensores Públicos da Infância e da Juventude (ABMP).

CCR
• Prêmio de revista Project Finance International – Melhor Operação no setor de
Transportes.

• Prêmio das revistas Project Finance Magazine e Euromoney – Melhor Operação


Financeira no setor de Transportes e Melhor Operação Financeira da América Latina.

• Prêmio IBTTA Awards 2010 na categoria Responsabilidade Social.


82 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } índice de certificações e premiações

• Prêmio da revista Institutional Investor – Melhor Equipe de Relações com Investidores


dos setores de Transportes, Indústria e Aviação e Melhor Diretor-Financeiro e de RI.

• Rodovia dos Bandeirantes considerada pelo quinto ano consecutivo a melhor


do País pelo Guia Quatro Rodas.

Alpargatas
• Categoria Ouro para a campanha Ninho Havaianas, no Clio Awards.

• Prêmio Ouro da Associação Brasileira de Propaganda (ABP) para a marca


Sete Léguas, na categoria Mídia Impressa.

• Leão de Prata no Festival de Cannes para a marca Sete Léguas, categoria Mídia Impressa.

• Timberland foi escolhida pelos leitores da revista Sport Life como melhor marca de aventura.

Instituto Alpargatas
Campina Grande (PB)
• Título de Cidadania Campinense.

• Moção de Congratulações pelo Prêmio Topper de Educação (Aluno Nota 10).

Mogeiro (PB)
• Moção de Aplauso pela parceria com a Secretaria de Educação na realização de reformas
nas escolas e treinamento de educadores.

Guarabira (PB)
• Moção de Aplausos pelas melhorias proporcionadas ao município após a parceria
do Instituto Alpargatas com a Secretaria de Educação.

João Pessoa (PB)


• Reconhecimento Público feito pela Secretaria do Desenvolvimento Social pela parceria de
sucesso atendendo 100% dos núcleos do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti).
83 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual

Informações Corporativas*
CAMARGO CORRÊA S.A. Alpargatas S.A.I.C. – Argentina Unidade de Negócio Paraguai
Diretor Geral Yguazú Cementos
Cristino Javier Goñi Gerente Geral
Conselho de Administração
Presidente Cleber Ceroni
Telefone: + 54 11 4303-0041
Vitor Hallack
www.alpargatas.com.ar Telefone: + 595 21 281 822
Vice-Presidentes
A.C. Reuter Angola
Carlos Pires Oliveira Dias DIVISÃO CIMENTO Diretor Geral
Luiz Roberto Ortiz Nascimento Sergio Bandeira
Presidente
José Édison Barros Franco Palanca Cimentos S.A.
Comitê Executivo Telefone: + 244 933302889
Presidente Vice-Presidente de Operações
Vitor Hallack Ricardo F. de Mendonça Lima
DIVISÃO CONCESSÕES
Membros Diretores Corporativos
Antonio Miguel Marques Claudio Borin Guedes Palaia Presidente
Francisco Caprino Neto Cleber Acurcio Machado Francisco Caprino Neto
José Alberto Diniz Gueber Lopes
José Édison Barros Franco Hector Grilli Camargo Corrêa Investimentos
Marcio Garcia de Souza Jorge Eduardo Martinez em Infraestrutura S.A.
Luiz Augusto Klecz Diretores
Nelson Tambelini Jr. Daniela Corci Cardoso
DIVISÃO CORPORATIVA Ricardo F. Buarque Barbosa Gustavo Pelliciari de Andrade
Presidente Marcelo Pires Oliveira Dias
Marcio Garcia de Souza Escritório de Portugal
Daniel Antonio Biondo Bastos Telefone: +55 11 3841-5511
Diretores
Adalgiso Fragoso de Faria Unidade de Negócio Brasil Unidade de Negócio
Arthur Sanchez Badin Diretor Geral
Bruno Machado Ferla
Operações Aeroportuárias
Ricardo F. de Mendonça Lima A-Port S.A.
Carla Duprat
Diretores
Fernando Dias Gomes Diretores Roberto Carlos Deutsch
João Carlos Orzzi Lucas André Gama Schaeffer Henrique César Geovanini
José Francisco de Campos Cleber Acurcio Machado Marcelo Lucon
Kalil Cury Filho Dorivaldo Ferreira
Marcello Antonio D’Angelo Rubens Prado Valentin Júnior Telefone: +55 11 3841-5511
Marco Antonio Zangari
www.a-port.aero
Roberto Navarro Evangelista InterCement Brasil S.A.
Rodrigo Cardoso Barbosa Telefone: +55 11 3718-4200

Rua Funchal, 160 – Vila Olímpia


www.intercement.com DIVISÃO ENGENHARIA
04551-903 – São Paulo – SP E CONSTRUÇÃO
Telefone: +55 11 3841-5511 Unidade de Negócio Argentina
www.camargocorrea.com.br Loma Negra C I A S A Presidente
Diretor Geral Antonio Miguel Marques
Osvaldo Jorge Schutz
Unidade de Negócio Calçados Diretores Corporativos
Alpargatas S.A. Diretores André Clark Juliano
Presidente Ariel Damiano Celso Ferreira de Oliveira
Márcio Luiz Simões Utsch Armando Sérgio A. da Silva Carlos Roberto Ogeda Rodrigues
Eduardo Blake Curt Herweg
Diretores Juan Masjoan Francisco Borin Graziano
Adalberto Fernandes Granjo Mauro Grecco
Carla Schmitzberger Telefone: +54 11 4319-3000 Ney Mauro Simone da Silva
Fernando Beer www.lomanegra.com.ar
José Roberto Lettiere Vice-Presidente de
Itamar René Ros Ferrosur Roca S.A. Relações Institucionais
Márcia do Nascimento Costa Diretor João Ricardo Auler
Rogério Bastos Shimizu Luis Roberto Guillermo Irlicht
Telefone: +55 11 3847-7211 Telefone: +54 11 4319-3900
www.alpargatas.com.br www.ferrosur.com.ar
84 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual } Informações Corporativas

Unidade de Negócio Construção DIVISÃO INCORPORAÇÃO Morro Vermelho Táxi


Camargo Corrêa Construções E SERVIÇOS Aéreo Ltda. – MVTA
Industriais S/A Administradores
Diretor Superintendente José Alberto Diniz
Presidente Maron Marcel Guimarães
Marco A. de Araujo Costa
Jose Alberto Diniz
Diretores Telefone: +55 11 5591-1700
Elias Herrmann Unidade de Negócio www.mvta.com.br
Luiz Eduardo Appendino Incorporação
Camargo Corrêa Desenvolvimento
Camargo Corrêa Energia Imobiliário S.A. – CCDI INSTITUIÇÕES SOCIAIS
e Construções S.A. Diretor Superintendente
Diretor Superintendente Francisco Sciarotta Neto Instituto Camargo Corrêa
Marco Antonio Bucco
Diretores Diretor Presidente
Diretores Claudio André Sayeg Vitor Hallack
Marcelo Sturlini Bisordi Ian Masini Monteiro de Andrade
Renato de Arruda Penteado Maurício Tavares Barbosa Diretor Executivo
Francisco de Assis O. Azevedo
Camargo Corrêa Infraestrutura S.A. Telefone: +55 11 3841-5511
Diretor Superintendente www.ccdi.com.br
www.institutocamargocorrea.org.br
Arnaldo C. de Souza e Silva
HM Engenharia e Construções Ltda.
Diretor Diretores Instituto Alpargatas
Emílio Eugênio Auler Neto Henrique Ernesto de O. Bianco Diretor Presidente
Marcos Antonio Feliciani Márcio Luiz Simões Utsch
Camargo Corrêa Óleo e Gás S.A. Mauro Rocha Bastazin
Diretor Superintendente Sylvia Bianco de Azevedo Diretor Executivo
Dalton dos Santos Avancini José Berivaldo Torres Araujo
Telefone: +55 17 3321-0777
Diretores www.hmengenharia.com.br www.institutoalpargatas.com.br
Eduardo Hermelino Leite
Silvio Luiz Zen Centro de Soluções Fundación Loma Negra
Compartilhadas – CSC Presidente
Av. Rio Branco, 115, 12º andar - Centro Osvaldo Jorge Schutz
20040-004 Diretores
Rio de Janeiro - RJ Maron Marcel Guimarães Gerente Geral
Telefone: +55 21 3344-8900 Ricardo Gomes de Castro Eduardo Raúl Ortega

Telefone: +55 19 3471-5651 www.fundacionlomanegra.org.ar


Unidade de Negócios América
Latina (Infraestrutura)
Diretor
José Cesar Gazoni Martins Outros Negócios
Arrossensal Agropecuária
Telefone: +55 11 2787-4000 e Industrial S.A.
Diretor Superintendente
Luiz Antonio Felippe
Negócios Estruturados
e Participações Diretor
Participações Navais Laércio Donizete Trentino
Diretor Superintendente
Carlos Reynaldo Camerato Telefone: +55 65 3642-6396
www.grupocamargo.com
Av. Rio Branco, 115, 12º andar - Centro
20040-004
Rio de Janeiro - RJ
Telefone: +55 21 3344-8900

Novos Negócios
Diretor
Raggi Badra Neto

Telefone: +55 11 2787-4000 *Situação em 30 de abril de 2011


85 relatório anual 2010 CAMARGO CORRÊa S.A.

Sobre o Relatório Anual

Expediente
RELATÓRIO ANUAL
Exercício 2010

Camargo Corrêa S.A.

Diretor de Comunicação
Marcello D´Angelo

Gerente de Comunicação Externa


Mauricio Espósito

Equipe de apoio
Elaine Pimenta, Elisete Augusto de Souza,
Sunara Avamilano, Juliana Berti Iaquinto,
Renato de Oliveira Diniz, Sara Barbosa de Souza
e Cintia Mesquita de Vasconcelos

Criação e produção
TV1 Conteúdo

Fotos
Paulo Vitale, Mario Castello e
acervo Centro de Documentação
e Memória Camargo Corrêa

Contatos sobre o RA 2010


Diretoria de Comunicação
comunicacao.corporativa@camargocorrea.com.br