MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA!
LEI MUNICIPAL 10.236, DE 130901
SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA E TECNOLOGIA FLORESTAL

SEGURANÇA DO TRABALHO

NR-9: PPRA – CARACTERÍSTICAS – SUGESTÕES

NR-4: OS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO ANUAL

PROF. ELISEU LACERDA
081107
Nova data: agosto 2009

i. (têm poder de definição: o LTCAT ou a perícia judicial). mas de um relatório de intenções. DE 130901. h.Não se trata de definições. f. j. . ou: .quando novo risco surgir. A elaboração e a execução dos serviços previstos são de competência de pessoas legalmente habilitadas. b. muitas ações exigem a elaboração do respectivo projeto e a sua execução no prazo estabelecido.Administração: empregador – SESMT/SESTR – CIPA/CIPATR – qualquer funcionário designado.A entrega é técnica (detalhadamente explicado).Pode ser terceirizado (elaboração e/ou execução. e. QUE RECEBE. . 1 CARACTERÍSTICAS DO PPRA a. k. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA! – LEI MUNICIPAL NO 10.236. SÃO DOIS INSTRUMENTOS DISTINTOS. d.Acessível a todo funcionário. quanto às condições de trabalho. OUTRAS.Obrigatória a sua elaboração e a sua implementação. b. com definição de prazos. f. na área de segurança e de medicina do trabalho).Determina o cumprimento das três etapas para o efetivo controle dos riscos: . . ELE É MATERIALIZADO NO DOCUMENTO-BASE. exige o registro de todas as situações. c.Simplificadamente. 2 CARACTERÍSTICAS DO DOCUMENTO-BASE a. d.Pode ser elaborado por qualquer pessoa designada pela empresa. o que só podem ser realizados por pessoa legalmente habilitada. a partir da data da entrega técnica.Administração: empregador – SESMT/SESTR – CIPA/CIPATR – qualquer funcionário designado (item 9.É um Programa instalado na empresa.avaliação dos agentes.1.quando determinado tipo de risco for suprimido.Prazo de validade: permanente (enquanto existir a empresa). COMUNS AOS DOIS. g.3.1). O MESMO NOME.1.Exige a elaboração de um documento-base (item 9.Obrigatório para toda empresa que contrata empregados (item 9.1). ALGUMAS CARACTERÍSTICAS SÃO PRÓPRIAS DE UM E DE OUTRO.2. c. e. recebe o nome do Programa. SENDO OBRIGATÓRIA A SUA INSTALAÇÃO EM TODAS AS EMPRESAS QUE CONTRATAM EMPREGADOS.Prazo de validade: 12 meses. SIMPLIFICADAMENTE.reconhecimento dos agentes. na empresa. no que diz respeito à sua atividade e sua área física. .Não se trata de um projeto técnico.Exige um cronograma de acompanhamento e melhorias –com prazo máximo de 12 meses.controle dos riscos.2). SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO – PROFESSOR ELISEU LACERDA 2 I PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS O PPRA – PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS É INSTITUÍDO PELA NR- 9 (DEFINE A SUA ESTRUTURA) E SUBSIDIADO POR OUTRAS NORMAS. O QUE GERA CERTA CONFUSÃO.

principalmente se houver sangramento.: viveiro. (*) Podem ocorrer riscos em uma atividade e não contaminar o ambiente (e vice-versa). Cabe lembrar que “acidente de trajeto” é acidente de trabalho e deve ser tratado como tal.236. . . Eles só dizem respeito a quem trabalha sob exposição. . DE 130901.Questão de embargos: observar o aspecto prático.conscientizar o empregado a respeito dos riscos.O reconhecimento e a avaliação dos agentes. por lei.tabagismo.por área física (cada ambiente). e ministrar cursos/treinamentos a respeito. c. Destarte.Na área rural (e similares): . por exemplo: a aplicação de solda elétrica. . . UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA! – LEI MUNICIPAL NO 10.doenças sexualmente transmissíveis.alcoolismo.por área física (exs. . A base dos mapas são a cor e a forma dos elementos de comunicação. ou o colega de trabalho.por atividade dentro de cada área física (*). Mapeamentos: .por local (conjunto de áreas físicas). é obrigatória a sua utilização. por exemplos. tornam-se obrigações da empresa – previstas em lei: . evitar textos longos e de difícil compreensão. . almoxarifado. e a definição das medidas de controle devem considerar a seguinte divisão (sugestão): 1.por serviço.Inserir “riscos de acidentes de trajeto” no documento-base.por serviço. -cuidados especiais em atendimentos de emergência. 2. ao definir prazos.Riscos Ergonômicos: desnecessária a sua identificação no mapeamento “local”. . f. outros).emitir a CAT (na sua omissão ou impossibilidade. pode emitir a CAT).AIDS.SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO – PROFESSOR ELISEU LACERDA 3 3 SUGESTÕES a. b. .identificação de riscos. d.Na área urbana: . Não afetam quem adentra o ambiente. . Entretanto.por local (conjunto de áreas físicas).geral .local Para ambos.por atividade dentro da área física (*).Treinamentos e similares: . o SIATE ou um familiar. e. . .

então os seguintes documentos que devem ser elaborados após o fim do ano.Em caso de alteração do documento-base. e até o dia 31 de janeiro: 1.outras drogas. ou por supressão de certos riscos (mencionados em sala de aula) a(s) página (s) correspondente (s) não deve (m) ser descartada (s).legislação relacionada com o tema “segurança e medicina do trabalho”.acidentes de trajeto (inclusive um capítulo sobre “direção defensiva”). os alunos receberão um modelo de “ppra” (documento-base) que servirá de base para a elaboração de um “PPRA”.relações humanas no trabalho (enfoque: prevenção de acidentes e doenças). h. DE 130901. o engenheiro responsável deve acrescentar ao DDS temas específicos dos riscos que podem ocorrer na sua empresa. bem como a elaboração do relatório gráfico. no mínimo. IV. a responsabilidade dos cálculos e do preenchimento dos quadros. mas mantida (s) no documento. SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO – PROFESSOR ELISEU LACERDA 4 . Usar todo e qualquer recurso adequado.novos ambientes e frentes de trabalho. no início da semana. . . para futuras necessidades de comprovação. g. no período. . A orientação é que a empresa adote como norma atribuir ao seu engenheiro de segurança.meio-ambiente e as suas implicações legais. serem apresentados os quadros III. j. ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- II OS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO ANUAL Todas as medidas de controle prescritas no PPRA (documento-base) e adotadas pela empresa.cidadania e responsabilidades sociais. referente aos resultados numéricos dos quadros.eventuais fenômenos climáticos.novos equipamentos e técnicas utilizados. IV. V e VI (NR-4). devidamente preenchidos e assinados pelo responsável indicado pelo empregador. trabalho a ser realizado por equipe. devem ser avaliadas.Obrigatório: a. 2. 4 O DOCUMENTO-BASE Em sala. ou ao engenheiro de produção. . .relatório circunstanciado (descritivo) da situação observada: . V e VI. .nível de rotatividade da mão-de-obra. para discutir um ou mais capítulos do “diálogo diário de segurança”.preenchimentos dos quadro III. até o dia 31 de janeiro. .Cada liderança deve ocupar alguns minutos. .236. i. durante o ano. com reflexo na segurança. apresentam algum resultado e. . A NR-4 estabelece a necessidade de.limpeza e higiene (no ambiente de trabalho e pessoal). seja por surgimento de um novo risco. . Temos. registrar a data da alteração.treinamentos realizados (ou não). .número médio mensal de trabalhadores. . anualmente.Todo documento deve ser guardado por vinte anos. que estimule a participação efetiva dos empregados na geração e na adoção de políticas de prevenção de acidentes e doenças.Opcionais: a. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA! – LEI MUNICIPAL NO 10.

.ÍNDICE RELATIVO: POR TOTAL DE EMPREGADOS: .Relatório gráfico dos resultados numéricos obtidos nos quadros. b. tanto obrigatórios como opcionais (ver: “Segurança: relatórios elaborados durante o ano” – Prof.. .VI .PORT.NÚMERO ABSOLUTO: No de empregados acidentados..6 EDIÇÃO) Sabemos que o engenheiro deve elaborar vários tipos de relatórios técnicos.236. ocorridas (e épocas).. F ..epidemias e/ou pandemias ocorridas.NÚMERO ABSOLUTO SEM AFASTAMENTO: Número dos que retornaram ao serviço no mesmo dia ou no dia seguinte ao do afastamento (NBR-14. DE 130901. O último deve ser elaborado até o dia 31 de janeiro.NÚMERO ABSOLUTO COM AFASTAMENTO: 15 dias.outros elementos que possam ser relacionados com a ocorrência de acidentes e doenças ocupacionais.NÚMERO ABSOLUTO COM AFASTAMENTO:  15 dias.SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO – PROFESSOR ELISEU LACERDA 5 .ATIVIDADES . ferramentas e/ou equipamentos....doenças de caráter endêmico. NR-4 E NR-5 a (VER: MANUAL DE SEGURANÇA .(QUADRO III) OS ELEMENTOS OBRIGATÓRIOS NO QUADRO SÃO: A. cabe ao Engenheiro de Segurança ou ao Engenheiro de Produção a tarefa. Segundo a NR-4.IV . Estes elementos são fundamentais para a avaliação anual de todas as medidas adotadas durante o ano.greves e eventos similares.V .SETOR B.. Quando não há o SESMT ou a CIPA. . são 4 os quadros que deverão ser preenchidos: 1 ACIDENTES COM VÍTIMAS. ocorridos. durante o ano. . 33/83/SSMT ..novos fornecedores de EPIs.280).AVALIAÇÃO ANUAL : ATÉ 31 DE JANEIRO QUADROS : III . Lacerda). C . . A – QUADROS: OS “INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO ANUAL” SESMT .. D. E . UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA! – LEI MUNICIPAL NO 10.

DIAS/HOMEM PERDIDOS (NO ANO): DHP = No h NÃO TRABALHADAS (POR ACIDENTES) No h JORNADA DIÁRIA EFETIVA DE TRABALHO H .OBSERVAÇÃO. DE 130901.000.NÚMERO DE TRABALHADORES NA EMPRESA (POR SETOR) O.NÚMERO RELATIVO POR NÚMERO DE HORAS (h perdidas/h trabalhadas) T.NÚMERO DE ÓBITOS: NÚMERO ABSOLUTO J .000.ÍNDICE DE AVALIAÇÃO DA GRAVIDADE: IAG = No DE DIAS/HOMEM PERDIDOS No DE ACIDENTES COM LESÃO COMO SUGESTÃO.NÚMERO DE APOSENTADORIAS POR ACIDENTE P.COEFICIENTE DE GRAVIDADE: CG = (No DE DIAS PERDIDOS C/AFAST.TRANSFERÊNCIA PARA OUTRO SETOR Q. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA! – LEI MUNICIPAL NO 10.000 HORAS EFETIVAMENTE TRABALHADAS NO ANO I .DIAS PERDIDOS POR ACIDENTES DE TRAJETO (DPAT) S.236.COEFICIENTE DE FREQÜÊNCIA: X´ = NO DE ACIDENTES C/ AFASTAMENTO M. + No DIAS DEBITADOS) X 1.COEFICIENTE DE FREQÜÊNCIA: X``= NO DE ACIDENTES S/ AFASTAMENTO N.COEFICIENTE DE FREQÜÊNCIA: X = NO DE ACIDENTES COM LESÃO CF = No DE ACIDENTES C/LESÃO X 1. ACRESCENTAR: K.ACIDENTES DE TRAJETO: NO ABSOLUTO R. .SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO – PROFESSOR ELISEU LACERDA 6 IRTE = (No DE ACIDENTES X 100 / No DE EMPREGADOS) G .000 No h EFETIVAMENTE TRABALHADAS NO ANO L.

....NÚMERO DE TRABALHADORES K........... .. DE 130901..NÚMERO DE TRABALHADORES EXPOSTOS: No / RISCO / SETOR COMO SUGESTÃO.. ACRESCENTAR: H. 3 INSALUBRIDADE.TIPOS DE DOENÇAS B ...OBSERVAÇÕES I.. POR MOTIVO DE SAÚDE G . ACRESCENTAR: E...NÚMERO RELATIVO DE CASOS: NRC = No ABSOLUTO DE CASOS X 100 No DE EMPREGADOS E .NÚMERO DE ÓBITOS (POR DOENÇA) F ....No DE TRABALHADORES INCAPACITADOS (DEFINITIVAMENTE): APOSENTADOS POR INVALIDEZ..236...RISCOS IDENTIFICADOS / SETOR C – INTENSIDADE / RISCO / SETOR D .(QUADRO IV) A ....TÍTULO: DOENÇAS OCUPACIONAIS/ NÃO OCUPACIONAIS J.SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO – PROFESSOR ELISEU LACERDA 7 2 DOENÇAS OCUPACIONAIS.SETORES DE ATIVIDADES / CASO D .........TERMOS “PERICULOSIDADE” E “CONDIÇÕES PERIGOSAS” UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA! – LEI MUNICIPAL NO 10.... POR DOENÇA COMO SUGESTÃO....No DE TRANSFERÊNCIA (S) PARA OUTRO (S) SETOR (ES)..(QUADRO V) A – SETOR (ES) B .ÍNDICE RELATIVO POR NÚMERO DE HORAS...NÚMERO ABSOLUTO DE CASOS C ....

RE = NO DE ACIDENTES SEM VÍTIMA X 100 NO DE ACIDENTES TOTAL H.. .CUSTOS TOTAIS K-TOTAL DE EMPREGADOS. DE 130901.NÚMERO DE TRABALHADORES/SETOR/TOTAL H.CARÁTER LEGAL DO RISCO: GRADAÇÃO G.CUSTOS DIRETOS I.. 4 ACIDENTES SEM VÍTIMAS.(QUADRO VI) A – SETOR B ..CUSTOS INDIRETOS J.PERDA MATERIAL AVALIADA D .. ACRESCENTAR: F.RELAÇÃO DOS EFEITOS: RE = No DE ACIDENTES SEM VÍTIMA No DE ACIDENTES COM VÍTIMA E – OBSERVAÇÕES COMO SUGESTÃO.NÚMERO DE ACIDENTES SEM VÍTIMA C . UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA! – LEI MUNICIPAL NO 10..OBSERVAÇÕES..236.SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO – PROFESSOR ELISEU LACERDA 8 F..TÍTULO: “ACIDENTES SEM VÍTIMAS/OUTROS ELEMENTOS” G.....

.SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO – PROFESSOR ELISEU LACERDA 9 B ...08 DIAS 2 C/AFASTAMENTO: ................... consideraremos que a empresa tenha apenas 1 ambiente (setor).. NOS QUADROS............. R$ 520.......... .......... etc.2h) DIAS DEBITADOS:.4 D..todos os setores onde não houve qualquer ocorrência (cada Quadro): ocupar uma linha apenas......30 DIAS ACIDENTES SEM VÍTIMA...não são considerados “acidentes de trajeto”..... DEMAIS DADOS:................................................ é dado a seguir um exemplo numérico hipotético......... etc....................... e.10 SALÁRIO:.as doenças não ocupacionais são relacionadas apenas para o registro de “dias perdidos”.....0 (ZERO) DOENÇAS OCUPACIONAIS. 300 EMPREGADOS JORNADA : 07h12min.......6 1 C/ FERIMENTO LEVE:........ c. pátio: AB...304/ANO ACIDENTES COM VÍTIMA...............12 DIAS 1 C/AFASTAMENTO: ................ Exemplo: AA: uso de trator..........(OU 7.............................. NÃO OCUPACIONAIS. em diferentes situações........o número de trabalhadores é a média mensal.......... oficina: AC..236......194 ÓBITOS POR ACIDENTE............... h...................0 (ZERO) ÓBITOS POR DOENÇA..................................... f...00 + 100% E................: a........para efeito de cálculos....na área rural: alguns setores podem se referir a “serviços”....UM EXEMPLO NUMÉRICO Para treinamento em sala..........S.........sugestão: codificar os setores............4h NO DIA 1 C/AFASTAMENTO:.. Exemplos: pintura : AA.. OBS... EMPRESA COM:...................... g........... d........ 0 (ZERO) DIAS TRABALHADOS: ..... DE 130901........ b.....cada setor compreende 1 linha no quadro.... UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA! – LEI MUNICIPAL NO 10.................. nos cálculos previstos na NR-4...03 DIAS 1 C/AFASTAMENTO: .. os alunos deverão treinar com outros dados..........

SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO – PROFESSOR ELISEU LACERDA 10 .

62 1.99 300 0 0 6 56 . 300 APOSEN SATURNISMO 3 TADORIA COQUELUCHE 2 CAXUMBA 8 TOTAL . DE 130901. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA! – LEI MUNICIPAL NO 10.56 9.56 9.236.93 98.93 98.14 7.14 7. - QUADRO IV – DOENÇAS OCUPACIONAIS/NÃO OCUPACIONAIS SETOR TIPO DE DOENÇA NO DE NO RELATIVO NO DE TRANSFE INCAPACITADOS IRNH NO TOTAL DE OBS CASOS DE CASOS ÓBITOS RÊNCIAS DEFINITIVOS TRABALHADORES ÚNICO PNEUMOCONIOSE 1 1.SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO ANUAL– PROFESSOR ELISEU LACERDA 10 QUADRO III – ACIDENTES COM VÍTIMA SETOR NO AFASTAMEN SEM IRTE DHP CF CF CF ÓBIT IAG CG NO DE APOSEN TRANS ACID DPAT IRNH O ABSO TO AFAST O TRABA TADORI FERÊN B LUTO AMENT (X) (X`) (X``) LHADO AS CIAS TRAJ S ≤ 15 d > 15 d O RES ÚNICO 6 4 1 1 2% 65. .52 0 10. 300 - (*) – CONSIDERADAS APENAS AS DOENÇAS OCUPACIONAIS.62 1.33% 0 0 1 .33% 0 0 1 .99 300 0 0 6 56 . 4 (*) 1. - TOTAL 6 4 1 1 2% 65.52 0 10.

PERIGOSA 300 TOTAL . .280 . . NR-9 .236.ABNT NR – 4.INSALUBRIDADE / PERICULOSIDADE* / CONDIÇÕES PERIGOSAS* (*) SUGESTÃO SETOR AGENTES INTENSIDADE OU CARÁTER LEGAL NO DE NO TOTAL DE OBS IDENTIFICADOS CONCENTRAÇÃO DO RISCO TRABALHADORES TRABALHADORES ÚNICO CHUMBO JATEAMENTO MÍNIMA INSALUB.987.076.54 194 / 6 97% R$ 9088. MÁXIMA 06 300 - (AREIA) MÉDIA INSALUB.54 R$ 101. MÉDIA 26 COND.987. Eliseu Lacerda DETF/SCA/UFPR Nova data: agosto 2009 FONTES DE CONSULTAS: NBR – 14.44 300 - TOTAL 194 R$ 66. novembro 2007 Prof. DE 130901.076.90 R$ 91. MÉDIA 04 ULTRAVIOLETA MÁXIMA MÉDIA INSALUB.54 R$ 101.54 194 / 6 97% R$ 9088.SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO ANUAL– PROFESSOR ELISEU LACERDA 11 QUADRO V . .987.(**) ACIDENTES SEM VÍTIMA X 100/ N O TOTAL DE ACIDENTES Curitiba.90 R$ 91.987.MTE IOB – Boletim 1/97 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA! – LEI MUNICIPAL NO 10.44 300 - (*) ACIDENTES SEM VÍTIMA / ACIDENTES COM VÍTIMA . MÉDIA 02 ELETRICIDADE CALOR MÉDIA PERICULOSIDADE 02 INCÊNDIO GRANDE INSALUB. 300 300 - QUADRO VI – ACIDENTES SEM VÍTIMA/OUTROS ELEMENTOS SETOR NO DE PERDA RELAÇÃO DOS EFEITOS CD CI CT TOTAL DE OBS ACIDENTES MATERIAL S X 100 TRABALHADORES S/C (*) T (**) ÚNICO 194 R$ 66.

IV.O RELATÓRIO GRÁFICO Deve ser elaborado um gráfico para cada resultado numérico encontrado nos quadros. Em sala. e adequado a cada caso.br PARA MENÇÃO DESTE. principalmente no estabelecimento de prioridades que devam ser adotadas. c. E. Setor de Ciências Agrárias. ao longo dos anos. serão mostrados alguns exemplos de gráficos que deverão ser elaborados. NO TODO OU EM PARTE. Curitiba: Universidade Federal do Paraná.SEGURANÇA DO TRABALHO – PPRA/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO ANUAL– PROFESSOR ELISEU LACERDA 12 C . contribui como elemento de justificativa para pleitear recursos que serão aplicados na prevenção de acidentes e doenças. f.236.se os resultados são positivos. V e VI. DE 130901.contribui para melhor avaliação do trabalho do engenheiro. pela aplicação das medidas de controle dos riscos. Justifica-se esta sugestão. 12p. nos seguintes aspectos: a. b.é um indicativo de organização e competência no gerenciamento dos riscos. 2007.com. ENDEREÇO ELETRÔNICO: lacerdae@yahoo.Facilita visualizar a evolução dos resultados obtidos. bem como haverá uma apreciação dos resultados hipotéticos apresentados. x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x PROFESSOR ELISEU LACERDA GESTÃO DO ABASTECIMENTO FLORESTAL SEGURANÇA DO TRABALHO AGROFLORESTAL SEGURANÇA DO TRABALHO NA INDÚSTRIA MADEIREIRA DETF/SCA/UFPR 081107 Nova data: agosto 2009 Para citação bibliográfica: LACERDA.facilita analisar a eficácia das medidas adotadas. EXIGE-SE A CITAÇÃO DA FONTE: PROFESSOR ELISEU LACERDA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – A CARA DE CURITIBA! – LEI MUNICIPAL NO 10. d. . Segurança do trabalho: ppra–características–sugestões/os instrumentos de avaliação anual. Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal. na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais. e de gráficos respectivos.subsidia as decisões no gerenciamento dos riscos. e. PARA CONTATO. Os alunos poderão apresentar sugestões de mais elementos que formarão os quadros III.