Você está na página 1de 3

Praça dos poetas – texto lírico

Questões de Diálogos 9, Porto Editora

Aquela nuvem parece um cavalo… – p. 236 – 239 Texto 1 – José Gomes Ferreira

Educação literária e oralidade

1.

Vê‐se uma mesma cabeça, de perfil, em posição simétrica. No interior da cabeça, há nuvens claras sobre um fundo azul e, mais abaixo, à esquerda, um vaso (que se assemelha a um coração) com seis pincéis. A palavra Medimaginativo poderá ser uma amálgama constituída por partes das palavras meditativo / meditar e imaginativo. Uma interpretação possível do quadro: a imagem remete para a criação artística, que exige meditação e criatividade. As nuvens estão prontas a ser transformadas naquilo que o pintor desejar. Outra interpretação possível poderá ser a dificuldade da criação artística: o pintor possui o desejo de pintar (os pincéis, num recipiente em forma de coração), mas há uma nuvem que o impede de ver, isto é, ainda não há ideias claras na sua mente.

3.

É um menino, está na praia e observa as nuvens.

4.

Comparação: “Aquela nuvem / parece um cavalo ”. Metáforas: “não é um cavalo, / é uma barca à vela”; “não é um navio, / é uma Torre Amarela”.

5.1. Ele pede que o atirem para o “mar das nuvens”, para que possa ele próprio participar nas

transformações.

5.2. A um “labirinto de sombras e de cisnes”.

5.3. Resposta possível: A utilização dos adjetivos “concreto e irreal” constitui uma antítese, na medida em que exprimem uma ideia oposta. Esta antítese estabelece uma oposição entre o céu concreto/real (composto de água‐sol‐vento‐luz) e o céu imaginado/irreal que o sujeito poético cria através da imaginação.

Gramática

1. a. fumo espesso;

b. grande quantidade;

c. tristeza;

d. obstáculo que perturba a visão;

e. anda distraído;

f. elogiam excessivamente;

g. irrita‐se;

h. fiquei muito admirado.

1.1. Campo semântico.

2. Por exemplo:

1.º parágrafo: Como se formam as nuvens.

2.º parágrafo: Classificação das nuvens / Tipos de nuvens.

3.1.

a.

“transporta”; “depende”; “faz”; “é”; “produz‐se”; “condensa‐se”; etc.

b.

“São mais espessas”; “são os estratos‐cúmulos e os estratos”; “São os nimbos‐estratos, os cúmulos e os cúmulos‐nimbos”.

4.1.

d.

4.2.1. Caso o ar não disponha…; No caso de o ar não dispor

4.3. Esta expressão permite agrupar elementos (introduzindo o último elemento de um conjunto).

5. b.

6. O adjetivo pequeno.

7. a.

8. Texto “Nuvem” p. 239 (2 propostas de esquematização)

Proposta 1

Como se formam as nuvens:

o ar atmosférico transporta vapor de água

mais frio menos vapor de água

mais quente mais vapor de água

saturação o vapor de água condensa‐se em gotículas

existência de um núcleo de condensação microscópica – exemplos: poeiras e cristais de sal

arrefecimento significativo formação da nuvem

inexistência de núcleos de condensação sobressaturação choque produz condensação

Tipos de nuvens:

10 géneros

fisionomia

evolução de altitude

nuvens de estádio superior – 3 a 18 Km de altitude

cirros, cirros‐estratos e cirros‐cúmulos Características:

finos cristais de gelo

deixam passar a luz do Sol

aspeto pregueado e sedoso

nuvens de estádio médio – 2 a 8 Km de altitude

altos‐cúmulos e altos‐estratos Características:

mais espessas

nem sempre escondem o Sol

nuvens do estádio inferior – menos de 2 Km de altitude

estratos‐cúmulos e estratos Características:

muito baixas e cinzentas

portadoras de mau tempo

nuvens de grande extensão vertical

nimbos‐estratos, cúmulos e cúmulos‐nimbos Características:

surgem nas baixas camadas da atmosfera

desenvolvem‐se para atingir o estádio superior

geradoras de tempestade

Proposta 2

Como se formam as nuvens

o ar atmosférico transporta vapor de água

– mais frio menos vapor de água

– mais quente mais vapor de água

saturação

– o vapor de água

condensa‐ ‐se

em gotículas

existência de um núcleo de condensação

microscópica Exemplos: poeiras e cristais de sal

Arrefecimento

significativo

Formação

da nuvem

inexistência de núcleos de condensação sobressaturação choque produz condensação

Tipos de nuvens 10 géneros – fisionomia – evolução de altitude nuvens de estádio superior
Tipos de nuvens
10 géneros
– fisionomia
– evolução de altitude
nuvens de estádio
superior – 3 a 18 Km de
altitude → cirros,
cirros‐estratos e cirros‐
cúmulos
nuvens de estádio médio
– 2 a 8 Km de altitude →
altos‐cúmulos e altos‐
estratos
nuvens do estádio inferior
– menos de 2 Km de
altitude → estratos‐
cúmulos e estratos
nuvens de grande
extensão vertical →
nimbos‐estratos, cúmulos
e cúmulos‐nimbos
– mais espessas
– muito baixas e cinzentas
– surgem nas baixas
– finos cristais de gelo
– nem sempre escondem o
– portadoras de mau tempo
camadas da atmosfera
– deixam passar a luz do Sol
Sol
– aspeto pregueado e
sedoso
– desenvolvem‐se para
atingir o estádio superior
– geradoras de tempestade