Você está na página 1de 2

As Cruzadas e o desenvolvimento do comércio movimento cruzadista representou uma solução

definitiva à falta de terras que tomava conta da Europa


As Cruzadas estabeleceram uma via de comunicação Cristã.
da Europa Feudal com o Oriente.
Em contrapartida, o domínio de certas regiões do
No século XI, a expansão do mundo islâmico Oriente Médio acabou permitindo o enriquecimento de
estabeleceu o domínio da região da Palestina. algumas cidades comerciais que sobreviveram ao
Inicialmente, o controle territorial exercido pelos processo de ruralização da era feudal. Locais como
árabes ainda permitiu que a cidade sagrada de Gênova e Veneza aproveitaram as novas oportunidades
Jerusalém fosse visitada por vários cristãos que de comércio, chegando ao ponto de incitar seus
peregrinavam em direção ao lugar em que Cristo viveu mercadores a financiarem a ação militar dos
o seu calvário. Contudo, nos fins desse mesmo século, cruzadistas disponibilizando recursos materiais,
a dominação realizada pelos turcos impediu que a embarcações e dinheiro para a Quarta Cruzada (1202 -
localidade continuasse a ser visitada pelos cristãos. 1204).
Nessa mesma época, a ordenação do mundo feudal
sofria graves transformações. O fim das invasões Dessa forma, mesmo não sendo uma solução
bárbaras e a experimentação de uma época mais duradoura para os problemas europeus, as Cruzadas
estável permitiram que a produção agrícola aumentasse foram importantes para a criação de um fluxo
e, seguidamente, a população europeia também comercial que permitiu a introdução de várias
sofresse um incremento. Interessados em não dividir o mercadorias orientais no cotidiano da Europa. Além
seu poder, muitos senhores feudais preferiram repassar disso, o contato com os saberes do mundo bizantino e
sua herança somente ao filho mais velho, obrigando os árabe foi importantíssimo para o progresso intelectual
outros descendentes a viverem de outras formas. necessário para o desenvolvimento das posteriores
grandes navegações.
Aqueles que não ingressavam na vida religiosa,
buscavam na prestação de serviço militar ou em um A Igreja e as Cruzadas
casamento vantajoso uma forma de buscar alguma
garantia. Contudo, aqueles que não tinham como O Papa Urbano II convocou os
recorrer a tais alternativas, acabavam vivendo de cristãos europeus a integrar os
pequenos crimes, assaltos e cobrança de pedágios exércitos do movimento
sobre aqueles que circulavam a Europa Medieval. cruzadista.
Além disso, em algumas propriedades, muitos As Cruzadas marcam um
camponeses não suportavam as obrigações servis e importante movimento onde
passavam a viver como mendigos e assaltantes. vários contingentes militares saíram da Europa Feudal
rumo às terras localizadas no mundo oriental. Partindo
Foi nesse contexto que o papa Urbano II, em reunião do pressuposto que o isolamento e insegurança foram
do Concílio de Clermont, convocou a cristandade duas marcas fundamentais do feudalismo europeu,
europeia para lutar contra os infiéis que impediam o muitos perguntam pelas razões que motivaram toda
acesso à Terra Santa. Todo aquele que participasse da essa população a se aventurar por terras desconhecidas.
luta contra os muçulmanos teriam os seus pecados De fato, uma das respostas dessa questão tem íntima
automaticamente perdoados. Dessa forma, dava-se relação com a influência exercida pela Igreja nessa
início às Cruzadas ou movimento cruzadista. época.

Mais do que conceder salvação àqueles que pegassem Durante o século XI, período em que o movimento
em armas, as Cruzadas também representaram uma cruzadista se iniciou, a Terra Santa – região onde Jesus
interessante alternativa às tensões sociais que se Cristo teria vivido – era controlada pelos turcos
desenhavam na Europa Medieval. A escassez de terras seldjúcidas, civilização originária da Ásia Central.
para a nobreza poderia ser finalmente resolvida com o Esses povos foram convertidos ao islamismo em
domínio dos territórios a leste. De fato, ao conseqüência da divulgação dessa crença a partir do
conquistarem domínios na Síria, no Império Bizantino século VII. Além disso, inspirados pela tendência
e na Palestina, vários nobres formaram propriedades expansionista de seus governantes, realizaram a
que deram origem a diversos Estados feudais, conquista de diversas regiões que formaram um vasto
conhecidos como reinos francos ou latinos. império.

A conquista foi logo contra-atacada pelos O controle dos seldjúcidas sobre a Terra Santa acabou
muçulmanos, que contaram com a liderança militar do gerando um delicado impasse religioso. Simpáticos a
sultão Saladino na Terceira Cruzada. Ao fim desse uma interpretação mais ortodoxa dos textos islâmicos,
novo embate, as terras conquistadas pelos cristãos se os turcos não admitiam a entrada dos peregrinos
reduziram a algumas regiões do litoral Palestino e da cristãos que se dirigiam à cidade de Jerusalém com o
Síria. Dessa forma, não podemos dizer que o intuito de adorar locais considerados sagrados. Em
pouco tempo, a alta cúpula da Igreja Católica reagiu à do cruzado eram administrados pela Igreja e suas
intransigência dos muçulmanos com a organização do dívidas eram suspensas temporariamente.
movimento das cruzadas. Mosaico medieval, cruzadas combatem muçulmanos.
A conquista de Jerusalém foi uma das metas da
Em 1095, durante o Concílio de Clermont – cidade Primeira Cruzada, que durou de 1096 a 1099.
francesa onde ocorreu a reunião das principais A tomada da Palestina pelos turcos
lideranças da Igreja – o papa Urbano II convocou os seljúcidas (originários das regiões próximas da China)
cristãos de toda a Europa para organizar um grande impediu as peregrinações aos lugares santos de
exército para arrancar Jerusalém das mãos dos Jerusalém, costume da religiosidade medieval bastante
“infiéis” muçulmanos. Além dessa motivação inicial, a difundido e valorizado. Organizaram-se, então,
Igreja teria o interesse de que o movimento fosse capaz expedições militares para resgatar a Terra Santa das
de alargar a influência do cristianismo católico sob o mãos dos infiéis. Seus integrantes usavam uma cruz
Império Bizantino, região onde o cristianismo tinha se como símbolo. Por isso, essas expedições são hoje
tornado livre da influência do papa. chamadas cruzadas. Os cruzadas eram guerreiros
vassalos do Cristo-suserano.
Para que estes exércitos cristãos fossem formados, a Além desse fator eminentemente religioso, a Igreja
Igreja contou com o apoio dos nobres sem-terra e das também vivia graves problemas internos. Um desses
populações marginalizadas do mundo feudal. Uma problemas foi o Cisma do Oriente (1054), que abalava
parte expressiva dos exércitos cruzados era formada seu prestígio.
por cavaleiros e ex-servos que buscavam dominar as Durante o concílio de Clermont, o papa Urbano
terras dos povos orientais. Imbuídos da crença que II pronunciou um discurso exortando (aconselhando)
cumpriam uma determinação divina, homens, os europeus a conquistar Jerusalém: essa era a
mulheres, crianças e idosos se dispunham a compor oportunidade para reunir a cristandade, dividida,
parte desses exércitos religiosos. reafirmando o poderio da Igreja e fortalecendo a
autoridade papal.
Com o passar do tempo, os comerciantes também Dessa forma, o papado encontrou uma solução que
tiveram grande interesse na formação dos exércitos desviava a belicosidade (que incita a guerra)
cruzados. Diversos mercadores de cidades italianas, dos senhores feudais contra um inimigo comum: o
como Gênova e Veneza, financiaram as Cruzadas com infiel que dominava o Santo Sepulcro. Também os
o objetivo de controlar as rotas comerciais terrestres e bizantinos (irmãos do oriente) encontraram nas
marítimas que davam acesso às especiarias orientais. Cruzadas uma forma de deter o avanço muçulmano em
Em meio a essas motivações sócio-econômicas, seu território, chegando a propor, em algumas
percebemos como a forte influência religiosa exercida ocasiões, a reunificação dos cristãos do Oriente e do
pela Igreja foi capaz de mobilizar milhares de Ocidente.
indivíduos.
O contexto social da época
As cruzadas e a expansão euro péia
Gênova e Veneza, que detinham a hegemonia do
A hierarquia, que havia marcado profundamente as comércio entre o Oriente e o Ocidente, viram nas
relações sociais durante o feudalismo, estendia-se Cruzadas uma oportunidade de ampliar sua área de
também para as relações religiosas. Isso significa que a influência no Mediterrâneo. A própria expedição
relação entre Deus e os homens era visto como militar era um bom negócio, já que os italianos
hierarquia: o homem havia recebido o direito de forneciam empréstimos, mantimentos, equipamentos e
habitar a Terra como se o planeta fosse um grande navios aos cruzados. Sua influência era tão grande que,
feudo; em troca, tinha que jurar fidelidade a a quarta cruzada teve sua rota desviada para atender
Deusprestando-lhe serviços. Funcionava como uma aos interesses de Veneza. Outro fator que influenciou o
relação entre um suserano e um vassalo. nascimento do movimento das Cruzadas foi o
Foi utilizando-se desse argumento religioso- crescimento demográfico verificado a partir do século
feudal que se organizou um grande exército de XI. O parcelamento contínuo das terras expulsou
“vassalos” cristãos que deveriam lutar pelo seu muitos camponeses dos senhorios, e o comércio e as
“suserano”, que era Deus. Eis as origens da idéia cidades não eram suficientes para absorve-los. Surgiu
de guerra santa levada a cabo pelas Cruzadas. uma camada de marginalizados que buscavam
Era a luta contra os “inimigos de Deus”, fossem alternativas para a sobrevivência. O banditismo foi
infiéis, como os muçulmanos, heréticos, pagãos ou uma delas. De outro lado, muitos filhos da aristocracia
cristãos ortodoxos. O não possuíam terras, já que somente o primogênito
guerreiro era recompensado herdava as propriedades da família.
com a indulgência (perdão dos Ao fervor religioso dos cruzados aliou-se a
pecados), bom como sua necessidade de obter terras. As Cruzadas
esposa, caso lhe permanecesse representavam, portanto, a promessa da fortuna na
fiel. Durante a guerra, os bens terra e da vida eterna no paraíso.