Você está na página 1de 3

No contexto do projeto, o termo escopo pode se referir a:

1. Escopo do Produto: Características e funções que descrevem um produto, serviço


ou resultado que o projeto entregará, como um treinamento on-line.
2. Escopo do Projeto: Descrição de todo o trabalho que precisa ser realizado para
que o projeto possa entregar um produto, serviço ou resultado com as
características e funções especificadas pelo escopo do produto.

A aceitação das entregas do escopo do projeto tem que considerar o plano de


gerenciamento do projeto, a declaração do escopo do projeto e a EAP.
Processos para gerenciar o escopo são classificados em relação ao ciclo de vida
do projeto. Esses processos são:

Iniciação Planejamento Execução Controle Encerramento


Planejar o gerenciamento
de escopo
Coletar os resultados Verificar o escopo
Definir o escopo Controlar o escopo
Criar EAP

O grupo de processos de planejamento inclui:

Planejar o gerenciamento Estabelecer políticas e procedimentos para definição de como


de escopo gerenciar o escopo do projeto.
Coletar os requisitos Descrever a definição e a documentação das necessidades de
todos os envolvidos para alcançar os objetivos do projeto.
Definir o escopo Desenvolve uma declaração do escopo detalhado do projeto –
base para futuras decisões do projeto, constituída pelas
informações relevantes do cliente e do ambiente externo.
Criar a EAP Desenvolve uma ferramenta que contém uma estrutura
hierárquica com todas as entregas do projeto subdividas em
componentes menores e facilmente gerenciáveis.

O grupo de processos de monitoramento e controle inclui:


1. Validar o escopo: Garante fiscalização das entregas, conforme suas
especificações, e a formalização de sua aceitação.
2. Controlar o escopo: controla as mudanças no escopo do projeto, analisando seus
impactos antes de aprova-las e implementá-las.

O esforço para determinar tanto o escopo do projeto quanto como ele será
gerenciado não deve suplantar o esforço de execução do projeto. Esse esforço deve variar
em função do tamanho, da complexidade e da importância do projeto para a organização.

O gerenciamento do escopo do projeto se inicia pela análise das informações


contidas no termo de abertura do projeto – TAP.
O TAP é publicado pelo sponsor – patrocinador – do projeto, com autoridade na
estrutura organizacional para reconhecer e autorizar formalmente o início do projeto.
O TAP concede ao gerente do projeto autoridade formal – perante a entidade
executora – para usar os recursos organizacionais no projeto.
O TAP deve conter, pelo menos, o nome do gerente do projeto, as necessidades
do negócio que o projeto está incumbido de tratar, o escopo do produto ou serviço a ser
entregue, os benefícios do projeto para a organização executora, as premissas e restrições
definidas até o momento.
O registro das partes interessadas identifica a influência e os interesses de todas
as partes interessadas. O registro das partes interessadas pode incluir clientes,
fornecedores, entidades normativas ou reguladoras, equipes de projetos... O registro das
partes interessadas documenta necessidades, desejos e expectativas de todos os
especialistas envolvidos que podem contribuir para a definição do escopo do projeto ou
do produto.
A falta de um dos especialistas pode significar perda de informação importante
para a definição do escopo total do projeto. A opinião especializada pode ser fornecida
por especialistas que participaram de outros projetos. Os especialistas podem ajudar a
definir como o escopo deve ser planejado a partir de lições aprendidas em outros projetos.
Diversas técnicas podem ser utilizadas para coletar informações dos diferentes
especialistas envolvidos no projeto, sempre estimulando a criatividade para que as
soluções sejam as mais adequadas possível. No entanto, podemos listar as mais comuns...
1. Brainstorming: Segundo Isnad Marshall Junior, brainstorming é a geração
acelerada de sugestões tão amplas, ímpares e estranhas quanto possível...
 A avaliação das ideias geradas só deve ser feita uma vez concluído esse exercício;
 A partir desse momento, podem ser aplicadas abordagens tradicionais para
ordenação das ideias.

2. Pensamento lateral: Segundo Edward de Bono, o pensamento lateral proporciona


o aumento da criatividade da equipe em busca de alternativas para o projeto por
meio do pensamento descontínuo, baseado no inusitado, fora dos padrões e
destinado à geração de ideias. Diferentemente do pensamento lateral, o
pensamento vertical é contínuo, baseado na lógica tradicional – passagem direta
de um estado de informação para outro – e orientado para o desenvolvimento das
ideias geradas.

É necessário também se chegar a um consenso sobre as alternativas a serem


utilizadas e, para isso, podemos utilizar... entrevistas, dinâmicas de grupo, oficinas,
técnicas para tomada de decisão em grupo, questionários e pesquisas, e protótipos.
O plano de gerenciamento dos requisitos documenta como são analisados,
documentados e gerenciados os requisitos. O plano de gerenciamento do escopo do
projeto pode conter processos, formulários, responsabilidades, sistemas envolvidos para:
 Preparação da declaração do escopo detalhada do projeto;
 Criação, manutenção e aprovação da estrutura analítica do projeto;
 Verificação e aceitação formais das entregas finalizadas pelo projeto;
 Controle da forma de processamento das solicitações de mudanças de
escopo do projeto.