Você está na página 1de 5

Perguntas Mais Frequentes - ACT

http://www.act.gov.pt/(pt-pt)/itens/faqs/paginas/default.aspx

Pesquisar | Home

Pesquisar

| Home

Pesquisar | Home
Pesquisar | Home Sobre a ACT I nf ormações Publicações Legislação

Sobre a ACT

I nf ormações

Publicações

Legislação

Segurança e Saúde no Trabalho

Cam

Sexta-feira, 16 de Junho de 2017

ACT »

Per guntas Mais Frequentes

Pergunt as Mais Frequent es

Pergunt as Mais Frequent es

Veja aqui as perguntas que mais frequentemente são colocadas à ACT bem como as respetivas respostas. Pode fazer a

pesquisa por t em as ou

acrescentados regularmente.

por p ala vr a- cha ve . Esta lista está em permanente atualização e novos temas são

Pe sq uisar por:

Tem a:

atualização e novos temas são Pe sq uisar por: Tem a: » Qual é a ent
atualização e novos temas são Pe sq uisar por: Tem a: » Qual é a ent

» Qual é a ent idade compet ent e para a regulação da profissão de t écnico de segurança no t rabalho e de t écnico superior de segurança no trabalho?

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), é a entidade competente para emissão de títulos profissionais de técnico de

segurança no trabalho e de técnico superior de segurança no trabalho, bem como para a certificação das respetivas entidades formadoras que ministrem os cursos de formação inicial de técnico de segurança no trabalho e de técnico superior de segurança

no trabalho.

» Quais os objet ivos associados à emissão de t ítulo p rof issional/ cert ificação de t écnico de segurança n o t rabalho e de t écnico superior de segurança no t rabalho?

A emissão de título profissional/certificação da aptidão profissional de técnico de segurança no trabalho e de técnico superior de

segurança no trabalho, tem, nos termos da Lei n.º 42/2012 de 28 de agosto, como objetivos fundamentais assegurar a implementação e desenvolvimento, nos locais de trabalho, de serviços de prevenção e de proteção contra riscos profissionais, através da realização das atividades principais previstas no Regime Jurídico da Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho aprovado pela Lei n.º 102/2009 de 10 de setembro, alterada pela Lei n.º 3/2014 de 28 de janeiro, tendo como finalidade a melhoria efetiva das condições de trabalho dos trabalhadores nos locais de trabalho e a competitividade económica das empresas ajustada às mudanças tecnológicas.

» Quais as compet ências do técnico de segurança no trabalho?

O profissional detentor de título profissional de técnico de segurança no trabalho desenvolve as atividades de prevenção e de

proteção contra riscos profissionais.

» Quais as compet ências do técnico superior de segurança no t rabalho?

O profissional detentor de título profissional de técnico superior de segurança no trabalho organiza, desenvolve, coordena e

controla as atividades de prevenção e de proteção contra riscos profissionais.

» É possível exercer a profissão de t écnico de segurança no t rabalho ou de t écnico superior de segurança no

t rabalho sem ser det entor de t ít ulo

prof issional?

Não. É nulo o contrato pelo qual alguém se obriga a exercer as profissões referidas sem que possua o título profissional.

» Quais são os requisit os de at ribuição do tít ulo prof issional de t écnico de segurança no t rabalho?

Possuir o 12.º ano de escolaridade ou equivalente e frequência com aproveitamento de curso de formação inicial de técnico de segurança do trabalho ministrado por entidade formadora certificada e inserido no sistema de educação e formação;

Possuir 9.º ano de escolaridade e frequência com aproveitamento de curso de formação de técnico de segurança do trabalho ministrado por entidade formadora certificada nos termos do Capítulo IV e inserido no sistema de educação e

Perguntas Mais Frequentes - ACT

http://www.act.gov.pt/(pt-pt)/itens/faqs/paginas/default.aspx

formação que confira no final o 12.º ano de escolaridade;

Possuir qualificações profissionais reconhecidas nos termos do artigo 6.º ou do artigo 47.º da Lei n.º 9/2009 de 4 de março.

» Quais são os requisit os de at ribuição do tít ulo prof issional de t écnico superior de segurança no t rabalho?

Possuir doutoramento, mestrado ou licenciatura que se situe na área da segurança do trabalho reconhecido pelo membro do Governo responsável pela área da educação, desde que o comunique à entidade certificadora;

Possuir outra licenciatura ou bacharelato e frequência com aproveitamento de curso de formação inicial de técnico superior de segurança do trabalho ministrado por entidade certificada;

Possuir qualificações profissionais reconhecidas nos termos do artigo 6.º ou do artigo 47.º da Lei n.º 9/2009 de 4 de março.

» Como requerer um pedido de emissão t ítulo prof issio nal?

O título profissional deve ser requerido à ACT, preferencialmente por via eletrónica, através do balcão único eletrónico dos

serviços, devendo ser acompanhado de diploma de qualificações ou certificado de formação profissional que comprove a conclusão com aproveitamento do respetivo curso de formação inicial.

(Atualmente só é possível a entrega de requerimento por via presencial ou correio, ver pergunta seguinte)

Nota: o formulário de candidatura pode ser descarregado aqui.

» É possível apresent ar um pedido de t ítulo profissional sem ser por via elet rónica?

Sim. Em caso de indisponibilidade das plataformas eletrónicas, a transmissão da informação em causa pode ser efetuada por outros meios previstos na lei, nomeadamente, entrega da documentação nos serviços centrais ou locais da ACT de acordo com o previsto no artigo 6º da Lei n.º 42/2012 de 28 de agosto.

Nota: o formulário de candidatura pode ser descarregado aqui.

» Quem submet e o requerimento de emissão do t ít ulo prof issional?

O requerimento ou candidatura a emissão de título profissional deve ser submetido pelo interessado, pessoa singular que preencha

os requisitos de acesso às profissões de técnico de segurança no trabalho e de técnico superior de segurança no trabalho.

» Que document os devem acompanhar o requerimento de emissão de tít ulo prof issional?

Certificado de habilitações académicas;

Certificado de habilitações do curso de técnico ou de técnico superior de segurança no trabalho;

Cartão de cidadão, bilhete de identidade ou documento equivalente.

» E se o certif icado de habilitações académicas tiver sido emit ido em país da EU, Espaço Económico Europ eu ou Brasil?

No caso de habilitações académicas não superiores (básico e secundário) deverá ser feito o pedido de equivalência aos órgãos de gestão dos estabelecimentos de ensino oficial ou particular e cooperativo, desde que dotados de autonomia pedagógica.

No caso de habilitações académicas superiores o requerente deverá solicitar o reconhecimento da habilitação ao abrigo do Decreto-Lei n.º 282/83 de 21 de junho e do Decreto-lei n.º 341/2007 de 12 de outubro.

Nota: para mais informações consultar sit e da DGES

» As comunicações post eriores ao requeriment o inicial do processo de emissão de t ítulo prof issional podem ser

f eit as por correio eletrónico?

Sim, desde que o requerente dê o seu acordo no requerimento para emissão do título profissional.

» Qual o cust o associado a pedidos de emissão e de 2ª via de tít ulo prof issional de t écnico superior de segurança no t rabalho e de t écnico de segurança no t rabalho?

O pagamento de taxas pela prática dos atos referentes à emissão de título profissional e de segunda via do mesmo, encontra-se

regulado pela Portaria nº 257/2014 de 11 de dezembro, encontrando-se definidos da seguinte forma:

Emissão do título profissional: € 50;

Perguntas Mais Frequentes - ACT

http://www.act.gov.pt/(pt-pt)/itens/faqs/paginas/default.aspx

Emissão de segunda via do título profissional: € 25.

» Qual o prazo de análise e emissão de tít ulo prof issional?

O prazo máximo para a emissão do título profissional é de 40 dias úteis após a receção, pela entidade certificadora, do

requerimento do interessado.

» E se o meu Tít ulo Prof issional não for emit ido no

Nesse caso, há lugar a deferimento tácito se:

p razo de 40 dias út eis?

A emissão do título profissional não decorrer no prazo referido;

A decisão de recusa não tenha sido notificada ao interessado.

Sendo válido o diploma de qualificação ou o Certificado de Qualificações que comprove a conclusão com aproveitamento do respetivo curso de formação profissional, acompanhado de comprovativo da taxa devida.

» Como é cont abilizado o prazo de 40 dias út eis?

O prazo de análise para emissão é contabilizado a partir da data da sua submissão online, a partir do momento em que o serviço

se encontre disponível, ou da sua receção nos serviços centrais ou locais da ACT.

» O prof issional qualif icado, para as at ividades e competências descrit as para o t écnico de segurança no t rabalho ou t écnico superior de segurança no t rabalho, nout ro Est ado Membro da União Europeia ou do Espaço Econ ómico

Europeu e pret enda exercer em livre prest ação de serviços t em de ser

det ent or

de tít ulo prof issional?

Não. No caso do profissional prestador de serviços se deslocar a Portugal deverá, nos termos da Lei n.º 9/2009 de 4 de março, alterada pela Lei n.º 41/2012 de 28 de agosto, aquando da primeira prestação de serviços na área da Segurança no Trabalho, requerer a verificação prévia das suas qualificações à ACT.

Nesta situação, a ACT, verifica as qualificações profissionais do requerente e se estiverem conformes as exigências legais é emitida uma Declaração de Conformidade, válida por um ano, com a qual o trabalhador estrangeiro, cidadão da UE ou do EEE, pode exercer esta atividade.

» O prof issional qualif icado, para as at ividades e competências descrit as para o t écnico de segurança no t rabalho ou t écnico superior de segurança no t rabalho, nout ro Est ado membro da União Europeia, do Espaço Económ ico

Europeu ou Brasil, que

pretenda estabelecer-se em t errit ório nacional t em de ser det ent or de tít ulo prof issional ?

Sim. Neste caso o profissional deverá solicitar o reconhecimento da qualificação, nos termos da Lei n.º 9/2009, de 4 de março, alterada pela Lei n.º 41/2012 de 28 de agosto, para os profissionais estabelecidos na EU ou EEE e nos termos do Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta entre a República Portuguesa e a República Federativa do Brasil – Decreto-Lei n.º 154/2003 de 15 de julho.

» De que f orma é f eit o o pedido de reconheciment o da qualif icação?

O pedido é feito através de requerimento à autoridade competente respetiva, devendo ser redigido na língua materna e conter os

seguintes elementos:

a) Nome completo, nacionalidade, data de nascimento, estado de proveniência e domicílio do requerente para efeitos de

comunicação;

b)

Indicação da profissão que pretende exercer;

c)

Indicação dos diplomas, certificados ou outros títulos emitidos ou reconhecidos por um Estado-membro;

d)

Indicação da experiência profissional que possui para o exercício de certas atividades industriais, comerciais e artesanais.

O

requerimento deve ser acompanhado por:

Cópia do documento oficial de identificação do requerente, se este for apresentado presencialmente, ou cópia autenticada, no caso de este não ser apresentado presencialmente;Cópia autenticada dos documentos referidos na alínea c), quando os documentos originais não forem entregues ou apresentados presencialmente;

Cópia autenticada de documento comprovativo da experiência profissional para certas atividades industriais, comerciais e

artesanais;

Cópia autenticada de documento emitido pela autoridade competente do Estado-membro de origem ou de proveniência, comprovativo de que o requerente reúne as condições exigidas por esse Estado-membro para aí desempenhar idêntica

profissão;

Prova de idoneidade, quando exigida;

Perguntas Mais Frequentes - ACT

http://www.act.gov.pt/(pt-pt)/itens/faqs/paginas/default.aspx

Verba para despesas processuais a definir pela autoridade competente.

Est es documentos devem, em caso de solicit ação da aut oridade competente, ser acompanhados de t radução f eit a

por notário ou por t radut or consular.

oficial legalment e reconhecido ou aut enticada por f uncionário diplomát ico ou

Fonte: ACIDI, Reconhecimento de Habilitações e competências – Guia de Informação Útil

» Quais os níveis de Qualificação dos t écnicos de seg urança no t rabalho e t écnicos superiores de segurança no

t rabalho?

De acordo com o Quadro Nacional de Qualificações (Portaria n.º 782/2009 de 23 de julho), e com a Lei n.º 42/2012 de 28 de agosto, os níveis de Qualificação dos técnicos superiores de segurança no trabalho, consoante a respetiva habilitação académica,

enquadram-se:

nível 6 (bacharelato e licenciatura);

nível 7 (mestrado);

nível 8 (doutoramento).

A qualificação do Técnico de ST manter-se-á no nível 4 (ensino secundário).

» Os níveis de qualificação aplicam-se aos prof ission ais que já exercem?

Sim. Embora o certificado de aptidão profissional emitido não contenha a menção ao nível de qualificação, considera-se que os profissionais detentores de certificado de aptidão profissional emitidos ao abrigo do Decreto-Lei n.º 110/2000, de 30 de junho, são abrangidos pelos níveis de qualificação 4 e 6.

» Os níveis de qualificação aplicam-se aos int eressad os que se encont rem em f ormação?

Não.

» Qual o período de validade do meu t ít ulo prof ission al?

Os títulos profissionais /certificados de aptidão profissional (CAP), em conformidade com a Lei n.º 42/2012 de 28 de agosto, deixaram de ter período de validade, sendo válidos indefinidamente, sem prejuízo da possibilidade de suspensão ou revogação dos mesmos, efetuada pela ACT ao abrigo do art.º 8.º da referida Lei.

» E se o meu cert if icado de apt idão profissional devo solicit ar a renovação de mesmo?

(atual t ítulo prof issional) perder a sua validade, inscrit a no mesmo,

Não. O procedimento de renovação do certificado de aptidão profissional, foi revogado pela Lei n.º 42/2012 de 28 de agosto, devendo contudo os profissionais referidos evidenciar os seguintes requisitos formativos, no período de 5 anos:

A atualização científica e técnica, através da frequência de formação contínua correspondente a, pelo menos 30 horas no

caso de técnicos que tenham um exercício profissional superior a 2 anos;

A formação contínua de 100 horas, no caso de técnicos que tenham um exercício profissional inferior a dois anos.

» Pode o meu empregador recusar o exercício da minha at ividade prof issional como técnico de segurança no

t rabalho ou técnico superior de segurança no trabalho caso a validade inscrit a no meu cert if icado de apt idão profissional (CAP) t enha expirado?

Não. De acordo com o artigo 20º da Lei n.º 42/2012 de 28 de agosto, os certificados de aptidão profissional emitidos ao abrigo do Decreto-Lei n.º 110/2000 de 30 de Junho, valem como títulos profissionais para a profissão a que respeitam para todos os efeitos legais, desde que, cumulativamente, sejam cumpridos os pressupostos do artigo 8º da referida Lei.

» O t ítulo prof issional de técnico de segurança no trabalho e de t écnico superior de segurança no trabalho emit ido em Port ugal é válido nout ros países?

A validade do título profissional técnico de segurança no trabalho e de técnico superior de segurança no trabalho, emitido em

Portugal, depende do país onde pretenda exercer a profissão.

Nos 27 Estados membros da União Europeia, Islândia, Noruega e Liechtenstein aplica-se o reconhecimento mútuo das qualificações profissionais, instituído pela Directiva 2005/36/CE de 30 de setembro. A informação sobre as entidades que em cada um destes Estados presta as informações e regula profissões pode ser consultada aqui

Se deparar com dificuldades no âmbito do processo de reconhecimento das suas qualificações profissionais poderá recorrer à rede SOLVIT, que é uma rede de resolução de problemas quando se encontram obstáculos à livre circulação num outro Estado-membro. Encont rará a plat af orma aqui.

O exercício da profissão no Brasil, nos termos do Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta entre a República Portuguesa e a

Perguntas Mais Frequentes - ACT

http://www.act.gov.pt/(pt-pt)/itens/faqs/paginas/default.aspx

República Federativa do Brasil – Decreto-Lei n.º 154/2003 de 15 de julho, é reconhecido podendo ser necessário pedir reconhecimento do título profissional junto do Ministério do Trabalho da República Federativa do Brasil.

Mais se informa que o interessado em exercer a profissão fora do país deverá consultar a informação sobre a regulação da mesma junto dos organismos homólogos da ACT no Estado de destino.

» Quais os princípios deont ológicos que os t écnicos d e segurança no t rabalho e t écnicos superiores de segurança

no

t rabalho devem

seguir?

Os técnicos de segurança no trabalho e técnicos superiores de segurança no trabalho devem cumprir os princípios deontológicos definidos pelo art.º 7.º da Lei n.º 42/2012 de 28 de agosto e abaixo enunciados:

a) Considerar a segurança e saúde dos trabalhadores como fatores prioritários da sua intervenção;

b) Basear a sua atividade em conhecimentos científicos e competência técnica e propor a intervenção de peritos especializados,

quando necessário;

c) Adquirir e atualizar as competências e os conhecimentos necessários ao exercício das suas funções;

d) Executar as suas funções com autonomia técnica, colaborando com o empregador no cumprimento das suas obrigações;

e) Informar o empregador, os trabalhadores e os seus representantes para a segurança e saúde no trabalho sobre a existência de

situações particularmente perigosas que requeiram uma intervenção imediata;

f) Colaborar com os trabalhadores e os seus representantes para a segurança e saúde no trabalho, desenvolvendo as suas

capacidades de intervenção sobre os fatores de risco profissional e as medidas de prevenção adequadas;

g) Abster -se de revelar informações referentes à organização, métodos de produção ou negócios de que tenham conhecimento

em virtude do desempenho das suas funções;

h) Proteger a confidencialidade dos dados que afetem a privacidade dos trabalhadores;

i) Consultar e cooperar com os organismos da rede nacional de prevenção de riscos profissionais.

» O não cumprimento dos princípios deontológicos t em alguma sanção associada?

Sim. Nos termos do artigo 7.º da Lei n.º 42/2012 de 28 de agosto, o não cumprimento dos princípios deontológico constitui contraordenação punível com coima de €500 a €1.000 imputável ao técnico de segurança no trabalho ou técnico superior de segurança no trabalho.

» E se as cláusulas contratuais inseridas nos cont rat os de t rabalho forem cont rárias aos princípios deontológicos?

Se as cláusulas contratuais não respeitarem o disposto no n.º 1 do art.º 7.º da Lei n.º 42/2012 de 28 de agosto, nomeadamente pela violação dos princípios deontológicos ou se obrigarem os profissionais a não cumprir os deveres correspondentes, estas são consideradas nulas.

» Como cont act ar os serviços da ACT em mat éria de cert if icação de técnicos?

Telefonicamente: 707 228 448

2ª a 6ª feira das 9h30 às 12h30 horas e das 14h00 às 17h30;

E-mail: certificacaost@act.gov.pt

e das 14h00 às 17h30; E-mail: certificacaost@act.gov.pt Copyright 2014 ACT - Autoridade para as Condições do
e das 14h00 às 17h30; E-mail: certificacaost@act.gov.pt Copyright 2014 ACT - Autoridade para as Condições do
e das 14h00 às 17h30; E-mail: certificacaost@act.gov.pt Copyright 2014 ACT - Autoridade para as Condições do
e das 14h00 às 17h30; E-mail: certificacaost@act.gov.pt Copyright 2014 ACT - Autoridade para as Condições do

Copyright 2014 ACT - Autoridade para as Condições do Trabalho | Desenvolvido por PT Sistemas de In